Laboratório de Bibliometria: do Fator de Impacto até Boas Revisões Biblogr…

1.195 visualizações

Publicada em

Laboratório realizado na XIII ERBASE - Escola Regiona de Computação Bahia-Alagoas-Sergipe, Aracaju, 2013

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.195
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
84
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Laboratório de Bibliometria: do Fator de Impacto até Boas Revisões Biblogr…

  1. 1. Introdução Bibliometria Ferramentas O ISI e a Bibliometria ReferênciasLaboratório de BibliometriaDo Fator de Impacto até Boas Revisões BibliográficasAlejandro C. FreryLaCCANLaboratório de Computação Científicae Análise NuméricaUniversidade Federal de AlagoasERBASE 2013
  2. 2. Introdução Bibliometria Ferramentas O ISI e a Bibliometria ReferênciasObjetivos# Estimular o debate sobre o significado da pesquisa científica# Estimular o debate sobre os tipos de veículos de publicação# Colocar a revisão bibliográfica em perspectiva# Estimular o uso de medidas objetivas de qualidade, maslembrando das suas limitações# Mostrar o uso de um conjunto de ferramentas e práticas queauxiliam na pesquisa (RR)
  3. 3. Introdução Bibliometria Ferramentas O ISI e a Bibliometria ReferênciasResumoIntroduçãoBibliometriaFerramentasO ISI e a Bibliometria
  4. 4. Introdução Bibliometria Ferramentas O ISI e a Bibliometria ReferênciasO que é Ciência?Utilizando o texto de Volpato (2007b):Pesquisa: toda atividade realizada para descobrir a resposta aalguma indagação. Nem toda pesquisa é pesquisacientífica.Pesquisa científica: aquela pesquisa que utiliza a metodologia e ospressupostos científicos, independentemente doobjeto de estudo.Ciência: é a forma humana de construir e aceitargeneralizações acerca do universo, utilizando ummétodo e o discurso lógico, e admitindo aprecariedade dessas generalizações.
  5. 5. Introdução Bibliometria Ferramentas O ISI e a Bibliometria ReferênciasO que é Ciência?Utilizando o texto de Volpato (2007b):Pesquisa: toda atividade realizada para descobrir a resposta aalguma indagação. Nem toda pesquisa é pesquisacientífica.Pesquisa científica: aquela pesquisa que utiliza a metodologia eos pressupostos científicos, independentemente doobjeto de estudo.Ciência: é a forma humana de construir e aceitargeneralizações acerca do universo, utilizando ummétodo e o discurso lógico, e admitindo aprecariedade dessas generalizações.
  6. 6. Introdução Bibliometria Ferramentas O ISI e a Bibliometria ReferênciasO que é Ciência?Utilizando o texto de Volpato (2007b):Pesquisa: toda atividade realizada para descobrir a resposta aalguma indagação. Nem toda pesquisa é pesquisacientífica.Pesquisa científica: aquela pesquisa que utiliza a metodologia e ospressupostos científicos, independentemente doobjeto de estudo.Ciência: é a forma humana de construir e aceitargeneralizações acerca do universo, utilizando ummétodo e o discurso lógico, e admitindo aprecariedade dessas generalizações.
  7. 7. Introdução Bibliometria Ferramentas O ISI e a Bibliometria ReferênciasO que é Ciência?Utilizando o texto de Volpato (2007b):Pesquisa: toda atividade realizada para descobrir a resposta aalguma indagação. Nem toda pesquisa é pesquisacientífica.Pesquisa científica: aquela pesquisa que utiliza a metodologia e ospressupostos científicos, independentemente doobjeto de estudo.Ciência: é a forma humana de construir e aceitargeneralizações acerca do universo, utilizando ummétodo e o discurso lógico, e admitindo aprecariedade dessas generalizações.
  8. 8. Introdução Bibliometria Ferramentas O ISI e a Bibliometria ReferênciasO que é Ciência?Utilizando o texto de Volpato (2007b):Pesquisa: toda atividade realizada para descobrir a resposta aalguma indagação. Nem toda pesquisa é pesquisacientífica.Pesquisa científica: aquela pesquisa que utiliza a metodologia e ospressupostos científicos, independentemente doobjeto de estudo.Ciência: é a forma humana de construir e aceitargeneralizações acerca do universo, utilizando ummétodo e o discurso lógico, e admitindo aprecariedade dessas generalizações.
  9. 9. Introdução Bibliometria Ferramentas O ISI e a Bibliometria ReferênciasO que é Ciência?Utilizando o texto de Volpato (2007b):Pesquisa: toda atividade realizada para descobrir a resposta aalguma indagação. Nem toda pesquisa é pesquisacientífica.Pesquisa científica: aquela pesquisa que utiliza a metodologia e ospressupostos científicos, independentemente doobjeto de estudo.Ciência: é a forma humana de construir e aceitargeneralizações acerca do universo, utilizando ummétodo e o discurso lógico, e admitindo aprecariedade dessas generalizações.
  10. 10. Introdução Bibliometria Ferramentas O ISI e a Bibliometria ReferênciasCiclo de produção da ciência
  11. 11. Introdução Bibliometria Ferramentas O ISI e a Bibliometria ReferênciasO ProdutoCiênciaA saída esperada do ecossistema da pesquisa é o novoconhecimento científico produzido por nova mão de obraespecializada de alto nível.
  12. 12. Introdução Bibliometria Ferramentas O ISI e a Bibliometria ReferênciasCiência: uma imagem
  13. 13. Introdução Bibliometria Ferramentas O ISI e a Bibliometria ReferênciasQual a relação da publicação com fazer ciência?Lembrando Volpato (2006, 2007a,b)• Pesquisa sem originalidade não é pesquisa científica• Pesquisa sem método não é pesquisa científica• Pesquisa que não foi publicada em veículos de impacto não épesquisa científicaE para medir o impacto, vamos entender o que é a Bibliometria.
  14. 14. Introdução Bibliometria Ferramentas O ISI e a Bibliometria ReferênciasResumoIntroduçãoBibliometriaFerramentasO ISI e a Bibliometria
  15. 15. Introdução Bibliometria Ferramentas O ISI e a Bibliometria ReferênciasBibliometriaDefiniçãoÉ um campo das áreas de biblioteconomia e ciência da informaçãoque aplica métodos estatísticos e matemáticos para analisar o cursoda comunicação escrita de uma determinada disciplina.
  16. 16. Introdução Bibliometria Ferramentas O ISI e a Bibliometria ReferênciasAbrangênciaSegundo a Wikipedia, alguns dos objetivos e aplicações daBibliometria são:• Identificar tendências e crescimento do conhecimento emuma determinada disciplina.• Estudar dispersão e obsolescências dos campos científicos.• Estimar a cobertura das revistas científicas.• Identificar as revistas do núcleo de cada disciplina.• Adaptar políticas de aquisição e descarte de publicações etc.4 Medir o impacto das publicações e dos serviços dedisseminação da informação.4 Identificar autores e instituições mais produtivos.
  17. 17. Introdução Bibliometria Ferramentas O ISI e a Bibliometria ReferênciasAbrangênciaSegundo a Wikipedia, alguns dos objetivos e aplicações daBibliometria são:• Identificar tendências e crescimento do conhecimento emuma determinada disciplina.• Estudar dispersão e obsolescências dos campos científicos.• Estimar a cobertura das revistas científicas.• Identificar as revistas do núcleo de cada disciplina.• Adaptar políticas de aquisição e descarte de publicações etc.4 Medir o impacto das publicações e dos serviços dedisseminação da informação.4 Identificar autores e instituições mais produtivos.
  18. 18. Introdução Bibliometria Ferramentas O ISI e a Bibliometria ReferênciasAbrangênciaSegundo a Wikipedia, alguns dos objetivos e aplicações daBibliometria são:• Identificar tendências e crescimento do conhecimento emuma determinada disciplina.• Estudar dispersão e obsolescências dos campos científicos.• Estimar a cobertura das revistas científicas.• Identificar as revistas do núcleo de cada disciplina.• Adaptar políticas de aquisição e descarte de publicações etc.4 Medir o impacto das publicações e dos serviços dedisseminação da informação.4 Identificar autores e instituições mais produtivos.
  19. 19. Introdução Bibliometria Ferramentas O ISI e a Bibliometria ReferênciasAbrangênciaSegundo a Wikipedia, alguns dos objetivos e aplicações daBibliometria são:• Identificar tendências e crescimento do conhecimento emuma determinada disciplina.• Estudar dispersão e obsolescências dos campos científicos.• Estimar a cobertura das revistas científicas.• Identificar as revistas do núcleo de cada disciplina.• Adaptar políticas de aquisição e descarte de publicações etc.4 Medir o impacto das publicações e dos serviços dedisseminação da informação.4 Identificar autores e instituições mais produtivos.
  20. 20. Introdução Bibliometria Ferramentas O ISI e a Bibliometria ReferênciasAbrangênciaSegundo a Wikipedia, alguns dos objetivos e aplicações daBibliometria são:• Identificar tendências e crescimento do conhecimento emuma determinada disciplina.• Estudar dispersão e obsolescências dos campos científicos.• Estimar a cobertura das revistas científicas.• Identificar as revistas do núcleo de cada disciplina.• Adaptar políticas de aquisição e descarte de publicações etc.4 Medir o impacto das publicações e dos serviços dedisseminação da informação.4 Identificar autores e instituições mais produtivos.
  21. 21. Introdução Bibliometria Ferramentas O ISI e a Bibliometria ReferênciasAbrangênciaSegundo a Wikipedia, alguns dos objetivos e aplicações daBibliometria são:• Identificar tendências e crescimento do conhecimento emuma determinada disciplina.• Estudar dispersão e obsolescências dos campos científicos.• Estimar a cobertura das revistas científicas.• Identificar as revistas do núcleo de cada disciplina.• Adaptar políticas de aquisição e descarte de publicações etc.4 Medir o impacto das publicações e dos serviços dedisseminação da informação.4 Identificar autores e instituições mais produtivos.
  22. 22. Introdução Bibliometria Ferramentas O ISI e a Bibliometria ReferênciasAbrangênciaSegundo a Wikipedia, alguns dos objetivos e aplicações daBibliometria são:• Identificar tendências e crescimento do conhecimento emuma determinada disciplina.• Estudar dispersão e obsolescências dos campos científicos.• Estimar a cobertura das revistas científicas.• Identificar as revistas do núcleo de cada disciplina.• Adaptar políticas de aquisição e descarte de publicações etc.4 Medir o impacto das publicações e dos serviços dedisseminação da informação.4 Identificar autores e instituições mais produtivos.
  23. 23. Introdução Bibliometria Ferramentas O ISI e a Bibliometria ReferênciasPrincipais veículos em Ciência da ComputaçãoEm primeiro lugar vejamos as características dos dois principaisveículos de comunicação do conhecimento em Ciência daComputação: periódicos e anais de conferências.
  24. 24. Introdução Bibliometria Ferramentas O ISI e a Bibliometria ReferênciasAnais de conferências4 As conferências científicas são uma tradição salutar e muitoestimulante4 Elas oferecem um forum ímpar para a discussão de novasidéias4 Algumas produzem anais, com relatos do que nelas foiapresentado4 A seleção do que nelas é publicado é tipicamente rápida4 Dificilmente há mais de uma rodada de correções4 Há fortes limitações de espaço4 A publicação é tipicamente condicionada ao pagamento dainscrição, quando não também à apresentação do trabalho
  25. 25. Introdução Bibliometria Ferramentas O ISI e a Bibliometria ReferênciasAnais de conferências4 As conferências científicas são uma tradição salutar e muitoestimulante4 Elas oferecem um forum ímpar para a discussão de novasidéias4 Algumas produzem anais, com relatos do que nelas foiapresentado4 A seleção do que nelas é publicado é tipicamente rápida4 Dificilmente há mais de uma rodada de correções4 Há fortes limitações de espaço4 A publicação é tipicamente condicionada ao pagamento dainscrição, quando não também à apresentação do trabalho
  26. 26. Introdução Bibliometria Ferramentas O ISI e a Bibliometria ReferênciasAnais de conferências4 As conferências científicas são uma tradição salutar e muitoestimulante4 Elas oferecem um forum ímpar para a discussão de novasidéias4 Algumas produzem anais, com relatos do que nelas foiapresentado4 A seleção do que nelas é publicado é tipicamente rápida4 Dificilmente há mais de uma rodada de correções4 Há fortes limitações de espaço4 A publicação é tipicamente condicionada ao pagamento dainscrição, quando não também à apresentação do trabalho
  27. 27. Introdução Bibliometria Ferramentas O ISI e a Bibliometria ReferênciasAnais de conferências4 As conferências científicas são uma tradição salutar e muitoestimulante4 Elas oferecem um forum ímpar para a discussão de novasidéias4 Algumas produzem anais, com relatos do que nelas foiapresentado4 A seleção do que nelas é publicado é tipicamente rápida4 Dificilmente há mais de uma rodada de correções4 Há fortes limitações de espaço4 A publicação é tipicamente condicionada ao pagamento dainscrição, quando não também à apresentação do trabalho
  28. 28. Introdução Bibliometria Ferramentas O ISI e a Bibliometria ReferênciasAnais de conferências4 As conferências científicas são uma tradição salutar e muitoestimulante4 Elas oferecem um forum ímpar para a discussão de novasidéias4 Algumas produzem anais, com relatos do que nelas foiapresentado4 A seleção do que nelas é publicado é tipicamente rápida4 Dificilmente há mais de uma rodada de correções4 Há fortes limitações de espaço4 A publicação é tipicamente condicionada ao pagamento dainscrição, quando não também à apresentação do trabalho
  29. 29. Introdução Bibliometria Ferramentas O ISI e a Bibliometria ReferênciasAnais de conferências4 As conferências científicas são uma tradição salutar e muitoestimulante4 Elas oferecem um forum ímpar para a discussão de novasidéias4 Algumas produzem anais, com relatos do que nelas foiapresentado4 A seleção do que nelas é publicado é tipicamente rápida4 Dificilmente há mais de uma rodada de correções4 Há fortes limitações de espaço4 A publicação é tipicamente condicionada ao pagamento dainscrição, quando não também à apresentação do trabalho
  30. 30. Introdução Bibliometria Ferramentas O ISI e a Bibliometria ReferênciasAnais de conferências4 As conferências científicas são uma tradição salutar e muitoestimulante4 Elas oferecem um forum ímpar para a discussão de novasidéias4 Algumas produzem anais, com relatos do que nelas foiapresentado4 A seleção do que nelas é publicado é tipicamente rápida4 Dificilmente há mais de uma rodada de correções4 Há fortes limitações de espaço4 A publicação é tipicamente condicionada ao pagamento dainscrição, quando não também à apresentação do trabalho
  31. 31. Introdução Bibliometria Ferramentas O ISI e a Bibliometria ReferênciasPeriódicos indexados4 Os periódicos são uma tradição salutar e muito estimulante4 Eles oferecem um meio ímpar para a divulgação de novasidéias4 Eles são a memória da pesquisa científica4 A seleção do que neles é publicado é tipicamente criteriosa, epode demorar4 Frequentemente há mais de uma rodada de correções até umaversão publicável4 Nem sempre há limitações de espaço4 A publicação só é eventualmente condicionada a pagamentoquando há figuras coloridas e/ou é ultrapassado um certonúmero de páginas
  32. 32. Introdução Bibliometria Ferramentas O ISI e a Bibliometria ReferênciasPeriódicos indexados4 Os periódicos são uma tradição salutar e muito estimulante4 Eles oferecem um meio ímpar para a divulgação de novasidéias4 Eles são a memória da pesquisa científica4 A seleção do que neles é publicado é tipicamente criteriosa, epode demorar4 Frequentemente há mais de uma rodada de correções até umaversão publicável4 Nem sempre há limitações de espaço4 A publicação só é eventualmente condicionada a pagamentoquando há figuras coloridas e/ou é ultrapassado um certonúmero de páginas
  33. 33. Introdução Bibliometria Ferramentas O ISI e a Bibliometria ReferênciasPeriódicos indexados4 Os periódicos são uma tradição salutar e muito estimulante4 Eles oferecem um meio ímpar para a divulgação de novasidéias4 Eles são a memória da pesquisa científica4 A seleção do que neles é publicado é tipicamente criteriosa, epode demorar4 Frequentemente há mais de uma rodada de correções até umaversão publicável4 Nem sempre há limitações de espaço4 A publicação só é eventualmente condicionada a pagamentoquando há figuras coloridas e/ou é ultrapassado um certonúmero de páginas
  34. 34. Introdução Bibliometria Ferramentas O ISI e a Bibliometria ReferênciasPeriódicos indexados4 Os periódicos são uma tradição salutar e muito estimulante4 Eles oferecem um meio ímpar para a divulgação de novasidéias4 Eles são a memória da pesquisa científica4 A seleção do que neles é publicado é tipicamente criteriosa, epode demorar4 Frequentemente há mais de uma rodada de correções até umaversão publicável4 Nem sempre há limitações de espaço4 A publicação só é eventualmente condicionada a pagamentoquando há figuras coloridas e/ou é ultrapassado um certonúmero de páginas
  35. 35. Introdução Bibliometria Ferramentas O ISI e a Bibliometria ReferênciasPeriódicos indexados4 Os periódicos são uma tradição salutar e muito estimulante4 Eles oferecem um meio ímpar para a divulgação de novasidéias4 Eles são a memória da pesquisa científica4 A seleção do que neles é publicado é tipicamente criteriosa, epode demorar4 Frequentemente há mais de uma rodada de correções até umaversão publicável4 Nem sempre há limitações de espaço4 A publicação só é eventualmente condicionada a pagamentoquando há figuras coloridas e/ou é ultrapassado um certonúmero de páginas
  36. 36. Introdução Bibliometria Ferramentas O ISI e a Bibliometria ReferênciasPeriódicos indexados4 Os periódicos são uma tradição salutar e muito estimulante4 Eles oferecem um meio ímpar para a divulgação de novasidéias4 Eles são a memória da pesquisa científica4 A seleção do que neles é publicado é tipicamente criteriosa, epode demorar4 Frequentemente há mais de uma rodada de correções até umaversão publicável4 Nem sempre há limitações de espaço4 A publicação só é eventualmente condicionada a pagamentoquando há figuras coloridas e/ou é ultrapassado um certonúmero de páginas
  37. 37. Introdução Bibliometria Ferramentas O ISI e a Bibliometria ReferênciasPeriódicos indexados4 Os periódicos são uma tradição salutar e muito estimulante4 Eles oferecem um meio ímpar para a divulgação de novasidéias4 Eles são a memória da pesquisa científica4 A seleção do que neles é publicado é tipicamente criteriosa, epode demorar4 Frequentemente há mais de uma rodada de correções até umaversão publicável4 Nem sempre há limitações de espaço4 A publicação só é eventualmente condicionada a pagamentoquando há figuras coloridas e/ou é ultrapassado um certonúmero de páginas
  38. 38. Introdução Bibliometria Ferramentas O ISI e a Bibliometria ReferênciasAnais vs. Periódicos¦ Não há contraposição; são fontes diferentes¦ Os primeiros costumam reportar resultados preliminares, ossegundos resultados consolidados¦ A grande diferença é que limitando-se ao universo dosperiódicos indexados pelo ISI (peça fundamental da nossaconversa, voltaremos a ela mais tarde) temos acesso a umasérie de medidas de qualidade
  39. 39. Introdução Bibliometria Ferramentas O ISI e a Bibliometria ReferênciasAnais vs. Periódicos¦ Não há contraposição; são fontes diferentes¦ Os primeiros costumam reportar resultados preliminares, ossegundos resultados consolidados¦ A grande diferença é que limitando-se ao universo dosperiódicos indexados pelo ISI (peça fundamental da nossaconversa, voltaremos a ela mais tarde) temos acesso a umasérie de medidas de qualidade
  40. 40. Introdução Bibliometria Ferramentas O ISI e a Bibliometria ReferênciasAnais vs. Periódicos¦ Não há contraposição; são fontes diferentes¦ Os primeiros costumam reportar resultados preliminares, ossegundos resultados consolidados¦ A grande diferença é que limitando-se ao universo dosperiódicos indexados pelo ISI (peça fundamental da nossaconversa, voltaremos a ela mais tarde) temos acesso a umasérie de medidas de qualidade
  41. 41. Introdução Bibliometria Ferramentas O ISI e a Bibliometria ReferênciasAnais vs. Periódicos¦ Não há contraposição; são fontes diferentes¦ Os primeiros costumam reportar resultados preliminares, ossegundos resultados consolidados¦ A grande diferença é que limitando-se ao universo dosperiódicos indexados pelo ISI (peça fundamental da nossaconversa, voltaremos a ela mais tarde) temos acesso a umasérie de medidas de qualidade
  42. 42. Introdução Bibliometria Ferramentas O ISI e a Bibliometria ReferênciasComo avaliar conferências?• Não há critérios universalmente aceitos nem indexadoresuniversalmente reconhecidos para essa tarefa• Agência organizadora e anos de realização são fatoresobservados• Taxa de rejeição é uma métrica reputada como bom indicadorde qualidade• Em 2012 surge a proposta de fazê-lo pelo fator h através dohttp://shine.icomp.ufam.edu.br
  43. 43. Introdução Bibliometria Ferramentas O ISI e a Bibliometria ReferênciasComo avaliar conferências?• Não há critérios universalmente aceitos nem indexadoresuniversalmente reconhecidos para essa tarefa• Agência organizadora e anos de realização são fatoresobservados• Taxa de rejeição é uma métrica reputada como bom indicadorde qualidade• Em 2012 surge a proposta de fazê-lo pelo fator h através dohttp://shine.icomp.ufam.edu.br
  44. 44. Introdução Bibliometria Ferramentas O ISI e a Bibliometria ReferênciasComo avaliar conferências?• Não há critérios universalmente aceitos nem indexadoresuniversalmente reconhecidos para essa tarefa• Agência organizadora e anos de realização são fatoresobservados• Taxa de rejeição é uma métrica reputada como bomindicador de qualidade• Em 2012 surge a proposta de fazê-lo pelo fator h através dohttp://shine.icomp.ufam.edu.br
  45. 45. Introdução Bibliometria Ferramentas O ISI e a Bibliometria ReferênciasComo avaliar conferências?• Não há critérios universalmente aceitos nem indexadoresuniversalmente reconhecidos para essa tarefa• Agência organizadora e anos de realização são fatoresobservados• Taxa de rejeição é uma métrica reputada como bom indicadorde qualidade• Em 2012 surge a proposta de fazê-lo pelo fator h através dohttp://shine.icomp.ufam.edu.br
  46. 46. Introdução Bibliometria Ferramentas O ISI e a Bibliometria ReferênciasArgumentos contra e respostas IA: A taxa de rejeição mede a qualidade dasconferências.R: Faz sentido usar a rejeição como medida dequalidade, enquanto que o resto da ciência usa aaceitação?R: Com esse critério, o melhor veículo do universo é oJournal of Universal Rejectionhttp://www.universalrejection.org/
  47. 47. Introdução Bibliometria Ferramentas O ISI e a Bibliometria ReferênciasArgumentos contra e respostas IA: A taxa de rejeição mede a qualidade das conferências.R: Faz sentido usar a rejeição como medida dequalidade, enquanto que o resto da ciência usa aaceitação?R: Com esse critério, o melhor veículo do universo é oJournal of Universal Rejectionhttp://www.universalrejection.org/
  48. 48. Introdução Bibliometria Ferramentas O ISI e a Bibliometria ReferênciasArgumentos contra e respostas IA: A taxa de rejeição mede a qualidade das conferências.R: Faz sentido usar a rejeição como medida dequalidade, enquanto que o resto da ciência usa aaceitação?R: Com esse critério, o melhor veículo do universo é oJournal of Universal Rejectionhttp://www.universalrejection.org/
  49. 49. Introdução Bibliometria Ferramentas O ISI e a Bibliometria ReferênciasArgumentos contra e respostas IINão há consenso, como com qualquer opinião polémica.A: A computação é muito nova, não há suficientesperiódicos.R: Há 1257 periódicos cadastrados no portal da CAPEScomo “computação”, nas mais diversas especialidadese aplicações. No Science Direct são 1280, no SJR(SCImago Journal & Country Rank) constam 914, noJCR 428 e assim por diante...
  50. 50. Introdução Bibliometria Ferramentas O ISI e a Bibliometria ReferênciasArgumentos contra e respostas IINão há consenso, como com qualquer opinião polémica.A: A computação é muito nova, não há suficientesperiódicos.R: Há 1257 periódicos cadastrados no portal da CAPEScomo “computação”, nas mais diversasespecialidades e aplicações. No Science Direct são1280, no SJR (SCImago Journal & Country Rank)constam 914, no JCR 428 e assim por diante...
  51. 51. Introdução Bibliometria Ferramentas O ISI e a Bibliometria ReferênciasArgumentos contra e respostas IIIA: A computação é muito dinâmica, e a demora parapublicar as contribuições as desatualiza.R: Que contribuições são essas que ficam desatualizadastão rapidamente? Além disso, não é para deixar departicipar em congressos, é sim para fechar o ciclocom boas publicações em veículos de prestígio.R: Há periódicos e números especiais com ciclo depublicação curto, mas ainda com o processo e aqualidade de periódicos.
  52. 52. Introdução Bibliometria Ferramentas O ISI e a Bibliometria ReferênciasArgumentos contra e respostas IIIA: A computação é muito dinâmica, e a demora parapublicar as contribuições as desatualiza.R: Que contribuições são essas que ficamdesatualizadas tão rapidamente? Além disso, não épara deixar de participar em congressos, é sim parafechar o ciclo com boas publicações em veículos deprestígio.R: Há periódicos e números especiais com ciclo depublicação curto, mas ainda com o processo e aqualidade de periódicos.
  53. 53. Introdução Bibliometria Ferramentas O ISI e a Bibliometria ReferênciasArgumentos contra e respostas IIIA: A computação é muito dinâmica, e a demora parapublicar as contribuições as desatualiza.R: Que contribuições são essas que ficam desatualizadastão rapidamente? Além disso, não é para deixar departicipar em congressos, é sim para fechar o ciclocom boas publicações em veículos de prestígio.R: Há periódicos e números especiais com ciclo depublicação curto, mas ainda com o processo e aqualidade de periódicos.
  54. 54. Introdução Bibliometria Ferramentas O ISI e a Bibliometria ReferênciasArgumentos contra e respostas IVA: Há conferências melhores do que periódicos.R: Sob qual métrica? Uma comparação honesta deveriaser feita entre entidades comparáveis, não os piorescontra os melhores... e as melhores conferências nãotêm os atributos dos melhores periódicos..
  55. 55. Introdução Bibliometria Ferramentas O ISI e a Bibliometria ReferênciasArgumentos contra e respostas IVA: Há conferências melhores do que periódicos.R: Sob qual métrica? Uma comparação honestadeveria ser feita entre entidades comparáveis, nãoos piores contra os melhores... e as melhoresconferências não têm os atributos dos melhoresperiódicos..
  56. 56. Introdução Bibliometria Ferramentas O ISI e a Bibliometria ReferênciasArgumentos contra e respostas VA: Muitas conferências são one shot, isto é, a versãoenviada precisa ser praticamente a final.R: Isso é one shot no próprio pé, e na testa da memóriacientífica. O processo de construção doconhecimento científico requer iterações para seuaprimoramento.
  57. 57. Introdução Bibliometria Ferramentas O ISI e a Bibliometria ReferênciasArgumentos contra e respostas VA: Muitas conferências são one shot, isto é, a versãoenviada precisa ser praticamente a final.R: Isso é one shot no próprio pé, e na testa da memóriacientífica. O processo de construção doconhecimento científico requer iterações para seuaprimoramento.
  58. 58. Introdução Bibliometria Ferramentas O ISI e a Bibliometria ReferênciasConclusãoIremos focar a nossa discussão na análise da qualidade deperiódicos científicos indexados pelo ISI.A mesma fonte será usada para aferir a produção científicaindividual.
  59. 59. Introdução Bibliometria Ferramentas O ISI e a Bibliometria ReferênciasResumoIntroduçãoBibliometriaFerramentasO ISI e a Bibliometria
  60. 60. Introdução Bibliometria Ferramentas O ISI e a Bibliometria ReferênciasISI, JabRef, BIBTEX e LATEXEsse conjunto de ferramentas permiteISI: Verificar todos os periódicos indexados, saber onúmero de citações que cada artigo recebeu, saberquem citou quem, ter acesso a alguns artigoscompletos, montar e exportar listas de referênciasbibliográficasJabRef: Importar as listas de referências geradas pelo ISI e poroutras fontes, montar bancos de dados de referências,de arquivos associados (PDF etc.) e de links (DOI etc.)BIBTEX: Gerenciar as referências que o seu artigo usa, dentre ouniverso de todas as suas referênciasLATEX: Escrever artigos de alta qualidade gráfica, portáveis,em um formato universalmente aceito, em umaplataforma gratuita e disponível para virtualmentequalquer ambiente computacional, que fala comBIBTEX
  61. 61. Introdução Bibliometria Ferramentas O ISI e a Bibliometria ReferênciasISI: o que é, onde fica? É um serviço caro, disponível para a Academia através doPortal de Periódicos da CAPES(http://periodicos.capes.gov.br). É um banco de dados bibliográficos, com informaçõescruzadas sobre todas as publicações por ele indexadas. Não é a fonte primária para conseguir os artigos completos,mas sim para acompanhar o estado-da-arte.
  62. 62. Introdução Bibliometria Ferramentas O ISI e a Bibliometria ReferênciasComo usar?Formas básicas:3 Pelo assunto ou título3 Pelo periódico3 Pelo(s) autor(es): mais adequado para a procura do fator hUma vez localizado um artigo relevante, é necessário acrescentá-loà lista de referências marcadas (a memória da nossa busca).
  63. 63. Introdução Bibliometria Ferramentas O ISI e a Bibliometria ReferênciasTela Principal do ISI
  64. 64. Introdução Bibliometria Ferramentas O ISI e a Bibliometria ReferênciasComo começar?Uma forma prática de começar fazer uma revisão bibliográficaconsiste em seguir os seguintes passos:1. Eleja n ≥ 1 artigos como sendo os básicos do seu trabalho2. Localize cada artigo no ISI, marque-o e veja os artigos por elecitados (o cone do passado). Esse cone dar-lhe-á osantecedentes que levaram a essa publicação (que você elegeucomo básica para o seu trabalho, logo esses deveriam sertambém os seus antecedentes).3. Para cada 1 ≤ i ≤ n, veja os artigos que o citaram (o cone dofuturo). Esse cone dar-lhe-á uma idéia da relevância e doimpacto desse artigo básico.
  65. 65. Introdução Bibliometria Ferramentas O ISI e a Bibliometria ReferênciasComo começar?Uma forma prática de começar fazer uma revisão bibliográficaconsiste em seguir os seguintes passos:1. Eleja n ≥ 1 artigos como sendo os básicos do seu trabalho2. Localize cada artigo no ISI, marque-o e veja os artigos por elecitados (o cone do passado). Esse cone dar-lhe-á osantecedentes que levaram a essa publicação (que você elegeucomo básica para o seu trabalho, logo esses deveriam sertambém os seus antecedentes).3. Para cada 1 ≤ i ≤ n, veja os artigos que o citaram (o cone dofuturo). Esse cone dar-lhe-á uma idéia da relevância e doimpacto desse artigo básico.
  66. 66. Introdução Bibliometria Ferramentas O ISI e a Bibliometria ReferênciasComo começar?Uma forma prática de começar fazer uma revisão bibliográficaconsiste em seguir os seguintes passos:1. Eleja n ≥ 1 artigos como sendo os básicos do seu trabalho2. Localize cada artigo no ISI, marque-o e veja os artigos por elecitados (o cone do passado). Esse cone dar-lhe-á osantecedentes que levaram a essa publicação (que você elegeucomo básica para o seu trabalho, logo esses deveriam sertambém os seus antecedentes).3. Para cada 1 ≤ i ≤ n, veja os artigos que o citaram (o cone dofuturo). Esse cone dar-lhe-á uma idéia da relevância e doimpacto desse artigo básico.
  67. 67. Introdução Bibliometria Ferramentas O ISI e a Bibliometria Referências No final desse processo, você deverá ter uma lista saborosa dereferências. Já temos um bom material para começar! Procure eleger, a partir da leitura dos abstracts dos trabalhosselecionados, um novo conjunto de artigos básicos, se possívelmais novos do que os n iniciais. Repita a técnica acima. Itere.
  68. 68. Introdução Bibliometria Ferramentas O ISI e a Bibliometria Referências No final desse processo, você deverá ter uma lista saborosa dereferências. Já temos um bom material para começar! Procure eleger, a partir da leitura dos abstracts dos trabalhosselecionados, um novo conjunto de artigos básicos, se possívelmais novos do que os n iniciais. Repita a técnica acima. Itere.
  69. 69. Introdução Bibliometria Ferramentas O ISI e a Bibliometria Referências No final desse processo, você deverá ter uma lista saborosa dereferências. Já temos um bom material para começar! Procure eleger, a partir da leitura dos abstracts dos trabalhosselecionados, um novo conjunto de artigos básicos, se possívelmais novos do que os n iniciais. Repita a técnica acima. Itere.
  70. 70. Introdução Bibliometria Ferramentas O ISI e a Bibliometria Referências No final desse processo, você deverá ter uma lista saborosa dereferências. Já temos um bom material para começar! Procure eleger, a partir da leitura dos abstracts dos trabalhosselecionados, um novo conjunto de artigos básicos, se possívelmais novos do que os n iniciais. Repita a técnica acima. Itere.
  71. 71. Introdução Bibliometria Ferramentas O ISI e a Bibliometria ReferênciasÁrvore de Citações
  72. 72. Introdução Bibliometria Ferramentas O ISI e a Bibliometria ReferênciasQuando acabou a revisão bibliográfica? Essa pergunta é fácil de responder: Nunca! Quando os novos artigos básicos forem do ano atual, talvezseja um bom momento para descansar (apenas). Descansou? Pronto! É hora de filtrar a lista. A filtragem deveria deixar os trabalhos mais relevantes, maiscitados e mais diretamente relacionados com a sua pesquisa. Não jogue nada fora! Apenas marque os artigos que irão ficarna sua revisão (BIBTEX e LATEX vão encarregar-se de incluirapenas os que você citar). Chegou a hora de exportar a sua lista (incluindo os abstracts!),e baixar um arquivo completamente incompreensível ouescolher exportar para formato BIBTEX.
  73. 73. Introdução Bibliometria Ferramentas O ISI e a Bibliometria ReferênciasQuando acabou a revisão bibliográfica? Essa pergunta é fácil de responder: Nunca! Quando os novos artigos básicos forem do ano atual, talvezseja um bom momento para descansar (apenas). Descansou? Pronto! É hora de filtrar a lista. A filtragem deveria deixar os trabalhos mais relevantes, maiscitados e mais diretamente relacionados com a sua pesquisa. Não jogue nada fora! Apenas marque os artigos que irão ficarna sua revisão (BIBTEX e LATEX vão encarregar-se de incluirapenas os que você citar). Chegou a hora de exportar a sua lista (incluindo os abstracts!),e baixar um arquivo completamente incompreensível ouescolher exportar para formato BIBTEX.
  74. 74. Introdução Bibliometria Ferramentas O ISI e a Bibliometria ReferênciasQuando acabou a revisão bibliográfica? Essa pergunta é fácil de responder: Nunca! Quando os novos artigos básicos forem do ano atual, talvezseja um bom momento para descansar (apenas). Descansou? Pronto! É hora de filtrar a lista. A filtragem deveria deixar os trabalhos mais relevantes, maiscitados e mais diretamente relacionados com a sua pesquisa. Não jogue nada fora! Apenas marque os artigos que irão ficarna sua revisão (BIBTEX e LATEX vão encarregar-se de incluirapenas os que você citar). Chegou a hora de exportar a sua lista (incluindo os abstracts!),e baixar um arquivo completamente incompreensível ouescolher exportar para formato BIBTEX.
  75. 75. Introdução Bibliometria Ferramentas O ISI e a Bibliometria ReferênciasQuando acabou a revisão bibliográfica? Essa pergunta é fácil de responder: Nunca! Quando os novos artigos básicos forem do ano atual, talvezseja um bom momento para descansar (apenas). Descansou? Pronto! É hora de filtrar a lista. A filtragem deveria deixar os trabalhos mais relevantes, maiscitados e mais diretamente relacionados com a sua pesquisa. Não jogue nada fora! Apenas marque os artigos que irão ficarna sua revisão (BIBTEX e LATEX vão encarregar-se de incluirapenas os que você citar). Chegou a hora de exportar a sua lista (incluindo os abstracts!),e baixar um arquivo completamente incompreensível ouescolher exportar para formato BIBTEX.
  76. 76. Introdução Bibliometria Ferramentas O ISI e a Bibliometria ReferênciasQuando acabou a revisão bibliográfica? Essa pergunta é fácil de responder: Nunca! Quando os novos artigos básicos forem do ano atual, talvezseja um bom momento para descansar (apenas). Descansou? Pronto! É hora de filtrar a lista. A filtragem deveria deixar os trabalhos mais relevantes, maiscitados e mais diretamente relacionados com a sua pesquisa. Não jogue nada fora! Apenas marque os artigos que irão ficarna sua revisão (BIBTEX e LATEX vão encarregar-se de incluirapenas os que você citar). Chegou a hora de exportar a sua lista (incluindo os abstracts!),e baixar um arquivo completamente incompreensível ouescolher exportar para formato BIBTEX.
  77. 77. Introdução Bibliometria Ferramentas O ISI e a Bibliometria ReferênciasGerando uma lista legívelDentro do Jabref, com o resultado do levantamento bibliográfico,usar a opção “Exportar entradas selecionadas”.Com isso temos material para estudar e começar organizar o textoda revisão bibliográfica.
  78. 78. Introdução Bibliometria Ferramentas O ISI e a Bibliometria ReferênciasOnde mais procurar?Além de artigos ISI e trabalhos em conferências de ponta, ocandidato a bom pesquisador pode querer material ainda maisatualizado.Chegou a hora de entrar no arXiv.org!
  79. 79. Introdução Bibliometria Ferramentas O ISI e a Bibliometria ReferênciasComo escolher?Após um levantamento bibliográfico teremos um volumesubstancial de referências.Dica IA qualidade percebida do seu trabalho nunca será superior à dopior artigo citado na revisão.Dica IIOs revisores do seu trabalho serão aqueles autores que vocêesqueceu de citar... e eles não perdoam!
  80. 80. Introdução Bibliometria Ferramentas O ISI e a Bibliometria ReferênciasComo escolher?Após um levantamento bibliográfico teremos um volumesubstancial de referências.Dica IA qualidade percebida do seu trabalho nunca será superior à dopior artigo citado na revisão.Dica IIOs revisores do seu trabalho serão aqueles autores que vocêesqueceu de citar... e eles não perdoam!
  81. 81. Introdução Bibliometria Ferramentas O ISI e a Bibliometria ReferênciasJabRef: o que é e onde pego? É um aplicativo 100% Java, portanto portável, que permitegerenciar referências bibliográficas utilizando BIBTEX comolinguagem de descrição. Esse gerenciamento inclui a administração de arquivos PDF,DJVU etc. bem como acesso direto a links (DOI, HTML etc.). JabRef é gratuito e está disponível emhttp://jabref.sourceforge.net. JabRef importa a lista do ISI e a transforma em um banco dedados com entradas BIBTEX.
  82. 82. Introdução Bibliometria Ferramentas O ISI e a Bibliometria ReferênciasInterface
  83. 83. Introdução Bibliometria Ferramentas O ISI e a Bibliometria ReferênciasResumoIntroduçãoBibliometriaFerramentasO ISI e a Bibliometria
  84. 84. Introdução Bibliometria Ferramentas O ISI e a Bibliometria ReferênciasO ISI e a BibliometriaComo vimos, o ISI dispõe de muitas informações, dentre elas• Quem publicou o quê e onde• Quem citou quem e quandoElas permitem responder, dentre outras, perguntas sobre qualidadedos veículos científicos, de cientistas e de grupos de cientistas.
  85. 85. Introdução Bibliometria Ferramentas O ISI e a Bibliometria ReferênciasMétricas de qualidade de periódicos indexadosTodas fazem referência a veículos ISI.Número de citações: total desde que o periódico é ISICited Half-Life: Número de anos a partir do atual responsáveispela metade do total das citaçõesImmediacy Index: número de citações recebidas no último anodividido pelo número de artigos publicados nomesmo períodoFator de Impacto: número de citações recebidas nos últimos doisanos dividido pelo número de artigos publicados nomesmo período; por ser o índice mais importantepara a média da comunidade, faz parte dasinformações oferecidas pelo Portal de Periódicos daCAPES
  86. 86. Introdução Bibliometria Ferramentas O ISI e a Bibliometria ReferênciasMétricas de qualidade de periódicos indexadosTodas fazem referência a veículos ISI.Número de citações: total desde que o periódico é ISICited Half-Life: Número de anos a partir do atual responsáveispela metade do total das citaçõesImmediacy Index: número de citações recebidas no último anodividido pelo número de artigos publicados nomesmo períodoFator de Impacto: número de citações recebidas nos últimos doisanos dividido pelo número de artigos publicados nomesmo período; por ser o índice mais importantepara a média da comunidade, faz parte dasinformações oferecidas pelo Portal de Periódicos daCAPES
  87. 87. Introdução Bibliometria Ferramentas O ISI e a Bibliometria ReferênciasMétricas de qualidade de periódicos indexadosTodas fazem referência a veículos ISI.Número de citações: total desde que o periódico é ISICited Half-Life: Número de anos a partir do atual responsáveispela metade do total das citaçõesImmediacy Index: número de citações recebidas no último anodividido pelo número de artigos publicados nomesmo períodoFator de Impacto: número de citações recebidas nos últimos doisanos dividido pelo número de artigos publicados nomesmo período; por ser o índice mais importantepara a média da comunidade, faz parte dasinformações oferecidas pelo Portal de Periódicos daCAPES
  88. 88. Introdução Bibliometria Ferramentas O ISI e a Bibliometria ReferênciasMétricas de qualidade de periódicos indexadosTodas fazem referência a veículos ISI.Número de citações: total desde que o periódico é ISICited Half-Life: Número de anos a partir do atual responsáveispela metade do total das citaçõesImmediacy Index: número de citações recebidas no último anodividido pelo número de artigos publicados nomesmo períodoFator de Impacto: número de citações recebidas nos últimos doisanos dividido pelo número de artigos publicados nomesmo período; por ser o índice mais importantepara a média da comunidade, faz parte dasinformações oferecidas pelo Portal de Periódicos daCAPES
  89. 89. Introdução Bibliometria Ferramentas O ISI e a Bibliometria ReferênciasComo calcular o fator de impacto?• A versão “oficial” é a que consta no JCR (Journal CitationReports), mas é uma informação relativamente restrita ecara.• O Publish or Perish fornece gratuitamente dados comparativosúteis (http://www.harzing.com/pop.htm)• O SCImago é outro recurso ainda mais poderoso e tambémgratuito (http://www.scimagojr.com)
  90. 90. Introdução Bibliometria Ferramentas O ISI e a Bibliometria ReferênciasComo calcular o fator de impacto?• A versão “oficial” é a que consta no JCR (Journal CitationReports), mas é uma informação relativamente restrita e cara.• O Publish or Perish fornece gratuitamente dadoscomparativos úteis (http://www.harzing.com/pop.htm)• O SCImago é outro recurso ainda mais poderoso e tambémgratuito (http://www.scimagojr.com)
  91. 91. Introdução Bibliometria Ferramentas O ISI e a Bibliometria ReferênciasComo calcular o fator de impacto?• A versão “oficial” é a que consta no JCR (Journal CitationReports), mas é uma informação relativamente restrita e cara.• O Publish or Perish fornece gratuitamente dados comparativosúteis (http://www.harzing.com/pop.htm)• O SCImago é outro recurso ainda mais poderoso e tambémgratuito (http://www.scimagojr.com)
  92. 92. Introdução Bibliometria Ferramentas O ISI e a Bibliometria ReferênciasPrática IUsaremos a seguir o ISI para verificar as métricas de periódicos denosso interesse.1. Localizar o JCR2. Localizar o periódico (se não imagina nenhum, procurePattern Recognition)3. Registre o (último) fator de impacto, a média dos últimos cincofatores de impacto, o fator de imediatez, e a vida média4. Cited Journal Data quais os periódicos que citam PR5. Citing Journal Data quem PR cita6. Impact Factor Trend7. Periódicos por categoria, ordenar por fator de impacto8. Dados da categoria, analisar o boxplot
  93. 93. Introdução Bibliometria Ferramentas O ISI e a Bibliometria ReferênciasPrática IUsaremos a seguir o ISI para verificar as métricas de periódicos denosso interesse.1. Localizar o JCR2. Localizar o periódico (se não imagina nenhum, procurePattern Recognition)3. Registre o (último) fator de impacto, a média dos últimos cincofatores de impacto, o fator de imediatez, e a vida média4. Cited Journal Data quais os periódicos que citam PR5. Citing Journal Data quem PR cita6. Impact Factor Trend7. Periódicos por categoria, ordenar por fator de impacto8. Dados da categoria, analisar o boxplot
  94. 94. Introdução Bibliometria Ferramentas O ISI e a Bibliometria ReferênciasPrática IUsaremos a seguir o ISI para verificar as métricas de periódicos denosso interesse.1. Localizar o JCR2. Localizar o periódico (se não imagina nenhum, procurePattern Recognition)3. Registre o (último) fator de impacto, a média dos últimoscinco fatores de impacto, o fator de imediatez, e a vida média4. Cited Journal Data quais os periódicos que citam PR5. Citing Journal Data quem PR cita6. Impact Factor Trend7. Periódicos por categoria, ordenar por fator de impacto8. Dados da categoria, analisar o boxplot
  95. 95. Introdução Bibliometria Ferramentas O ISI e a Bibliometria ReferênciasPrática IUsaremos a seguir o ISI para verificar as métricas de periódicos denosso interesse.1. Localizar o JCR2. Localizar o periódico (se não imagina nenhum, procurePattern Recognition)3. Registre o (último) fator de impacto, a média dos últimos cincofatores de impacto, o fator de imediatez, e a vida média4. Cited Journal Data quais os periódicos que citam PR5. Citing Journal Data quem PR cita6. Impact Factor Trend7. Periódicos por categoria, ordenar por fator de impacto8. Dados da categoria, analisar o boxplot
  96. 96. Introdução Bibliometria Ferramentas O ISI e a Bibliometria ReferênciasPrática IUsaremos a seguir o ISI para verificar as métricas de periódicos denosso interesse.1. Localizar o JCR2. Localizar o periódico (se não imagina nenhum, procurePattern Recognition)3. Registre o (último) fator de impacto, a média dos últimos cincofatores de impacto, o fator de imediatez, e a vida média4. Cited Journal Data quais os periódicos que citam PR5. Citing Journal Data quem PR cita6. Impact Factor Trend7. Periódicos por categoria, ordenar por fator de impacto8. Dados da categoria, analisar o boxplot
  97. 97. Introdução Bibliometria Ferramentas O ISI e a Bibliometria ReferênciasPrática IUsaremos a seguir o ISI para verificar as métricas de periódicos denosso interesse.1. Localizar o JCR2. Localizar o periódico (se não imagina nenhum, procurePattern Recognition)3. Registre o (último) fator de impacto, a média dos últimos cincofatores de impacto, o fator de imediatez, e a vida média4. Cited Journal Data quais os periódicos que citam PR5. Citing Journal Data quem PR cita6. Impact Factor Trend7. Periódicos por categoria, ordenar por fator de impacto8. Dados da categoria, analisar o boxplot
  98. 98. Introdução Bibliometria Ferramentas O ISI e a Bibliometria ReferênciasPrática IUsaremos a seguir o ISI para verificar as métricas de periódicos denosso interesse.1. Localizar o JCR2. Localizar o periódico (se não imagina nenhum, procurePattern Recognition)3. Registre o (último) fator de impacto, a média dos últimos cincofatores de impacto, o fator de imediatez, e a vida média4. Cited Journal Data quais os periódicos que citam PR5. Citing Journal Data quem PR cita6. Impact Factor Trend7. Periódicos por categoria, ordenar por fator de impacto8. Dados da categoria, analisar o boxplot
  99. 99. Introdução Bibliometria Ferramentas O ISI e a Bibliometria ReferênciasPrática IUsaremos a seguir o ISI para verificar as métricas de periódicos denosso interesse.1. Localizar o JCR2. Localizar o periódico (se não imagina nenhum, procurePattern Recognition)3. Registre o (último) fator de impacto, a média dos últimos cincofatores de impacto, o fator de imediatez, e a vida média4. Cited Journal Data quais os periódicos que citam PR5. Citing Journal Data quem PR cita6. Impact Factor Trend7. Periódicos por categoria, ordenar por fator de impacto8. Dados da categoria, analisar o boxplot
  100. 100. Introdução Bibliometria Ferramentas O ISI e a Bibliometria ReferênciasO boxplot
  101. 101. Introdução Bibliometria Ferramentas O ISI e a Bibliometria ReferênciasConclusões da análise• Como se situa o periódico escolhido no conjunto deperiódicos da área• Com quantas áreas ele foi identificado? Há diferençassignificativas entre elas?• Como está seu fator de impacto em relação ao seu histórico?• Quais os melhores periódicos da área de interesse?
  102. 102. Introdução Bibliometria Ferramentas O ISI e a Bibliometria ReferênciasConclusões da análise• Como se situa o periódico escolhido no conjunto deperiódicos da área• Com quantas áreas ele foi identificado? Há diferençassignificativas entre elas?• Como está seu fator de impacto em relação ao seu histórico?• Quais os melhores periódicos da área de interesse?
  103. 103. Introdução Bibliometria Ferramentas O ISI e a Bibliometria ReferênciasConclusões da análise• Como se situa o periódico escolhido no conjunto deperiódicos da área• Com quantas áreas ele foi identificado? Há diferençassignificativas entre elas?• Como está seu fator de impacto em relação ao seu histórico?• Quais os melhores periódicos da área de interesse?
  104. 104. Introdução Bibliometria Ferramentas O ISI e a Bibliometria ReferênciasConclusões da análise• Como se situa o periódico escolhido no conjunto deperiódicos da área• Com quantas áreas ele foi identificado? Há diferençassignificativas entre elas?• Como está seu fator de impacto em relação ao seu histórico?• Quais os melhores periódicos da área de interesse?
  105. 105. Introdução Bibliometria Ferramentas O ISI e a Bibliometria ReferênciasMedidas de produtividade individual (e de grupos) Número de artigos: mede a produtividade, nãonecessariamente a qualidade (penaliza o critério em favor daLPU – Least Publishable Unit, ou artigo salaminho, verBaggs, 2008) Número de citações: pode ser inflacionado por alguns artigosexcepcionais Número de artigos com pelo menos M citações: arbitrariedadedo M (Google sugere usar o i10) Citações por artigos: favorece a baixa produtividade Associa-se o fator h ∈ N0 ao pesquisador que tem h artigoscitados pelo menos de h vezes, e os outros com menoscitações (Hirsch, 2005)
  106. 106. Introdução Bibliometria Ferramentas O ISI e a Bibliometria ReferênciasMedidas de produtividade individual (e de grupos) Número de artigos: mede a produtividade, nãonecessariamente a qualidade (penaliza o critério em favor daLPU – Least Publishable Unit, ou artigo salaminho, ver Baggs,2008) Número de citações: pode ser inflacionado por alguns artigosexcepcionais Número de artigos com pelo menos M citações: arbitrariedadedo M (Google sugere usar o i10) Citações por artigos: favorece a baixa produtividade Associa-se o fator h ∈ N0 ao pesquisador que tem h artigoscitados pelo menos de h vezes, e os outros com menoscitações (Hirsch, 2005)
  107. 107. Introdução Bibliometria Ferramentas O ISI e a Bibliometria ReferênciasMedidas de produtividade individual (e de grupos) Número de artigos: mede a produtividade, nãonecessariamente a qualidade (penaliza o critério em favor daLPU – Least Publishable Unit, ou artigo salaminho, ver Baggs,2008) Número de citações: pode ser inflacionado por alguns artigosexcepcionais Número de artigos com pelo menos M citações:arbitrariedade do M (Google sugere usar o i10) Citações por artigos: favorece a baixa produtividade Associa-se o fator h ∈ N0 ao pesquisador que tem h artigoscitados pelo menos de h vezes, e os outros com menoscitações (Hirsch, 2005)
  108. 108. Introdução Bibliometria Ferramentas O ISI e a Bibliometria ReferênciasMedidas de produtividade individual (e de grupos) Número de artigos: mede a produtividade, nãonecessariamente a qualidade (penaliza o critério em favor daLPU – Least Publishable Unit, ou artigo salaminho, ver Baggs,2008) Número de citações: pode ser inflacionado por alguns artigosexcepcionais Número de artigos com pelo menos M citações: arbitrariedadedo M (Google sugere usar o i10) Citações por artigos: favorece a baixa produtividade Associa-se o fator h ∈ N0 ao pesquisador que tem h artigoscitados pelo menos de h vezes, e os outros com menoscitações (Hirsch, 2005)
  109. 109. Introdução Bibliometria Ferramentas O ISI e a Bibliometria ReferênciasMedidas de produtividade individual (e de grupos) Número de artigos: mede a produtividade, nãonecessariamente a qualidade (penaliza o critério em favor daLPU – Least Publishable Unit, ou artigo salaminho, ver Baggs,2008) Número de citações: pode ser inflacionado por alguns artigosexcepcionais Número de artigos com pelo menos M citações: arbitrariedadedo M (Google sugere usar o i10) Citações por artigos: favorece a baixa produtividade Associa-se o fator h ∈ N0 ao pesquisador que tem h artigoscitados pelo menos de h vezes, e os outros com menoscitações (Hirsch, 2005)
  110. 110. Introdução Bibliometria Ferramentas O ISI e a Bibliometria ReferênciasPrática IIUsaremos a seguir o ISI para verificar as métricas de pesquisadores.1. Localize o autor do seu interesse (se não conseguir imaginarnenhum, pode usar Frery, A em duas abas: no ISI e noLattes (ou em uma base de publicações confiável)2. Verifique se as áreas de atuação são coerentes3. Verifique o tipo de publicações realizadas (artigos, correções,anais, review etc.)4. Retire da lista de publicações os artigos que não são do seucientista5. Create Citation Report6. Registre e repita para outro pesquisador
  111. 111. Introdução Bibliometria Ferramentas O ISI e a Bibliometria ReferênciasPrática IIUsaremos a seguir o ISI para verificar as métricas de pesquisadores.1. Localize o autor do seu interesse (se não conseguir imaginarnenhum, pode usar Frery, A em duas abas: no ISI e no Lattes(ou em uma base de publicações confiável)2. Verifique se as áreas de atuação são coerentes3. Verifique o tipo de publicações realizadas (artigos, correções,anais, review etc.)4. Retire da lista de publicações os artigos que não são do seucientista5. Create Citation Report6. Registre e repita para outro pesquisador
  112. 112. Introdução Bibliometria Ferramentas O ISI e a Bibliometria ReferênciasPrática IIUsaremos a seguir o ISI para verificar as métricas de pesquisadores.1. Localize o autor do seu interesse (se não conseguir imaginarnenhum, pode usar Frery, A em duas abas: no ISI e no Lattes(ou em uma base de publicações confiável)2. Verifique se as áreas de atuação são coerentes3. Verifique o tipo de publicações realizadas (artigos, correções,anais, review etc.)4. Retire da lista de publicações os artigos que não são do seucientista5. Create Citation Report6. Registre e repita para outro pesquisador
  113. 113. Introdução Bibliometria Ferramentas O ISI e a Bibliometria ReferênciasPrática IIUsaremos a seguir o ISI para verificar as métricas de pesquisadores.1. Localize o autor do seu interesse (se não conseguir imaginarnenhum, pode usar Frery, A em duas abas: no ISI e no Lattes(ou em uma base de publicações confiável)2. Verifique se as áreas de atuação são coerentes3. Verifique o tipo de publicações realizadas (artigos, correções,anais, review etc.)4. Retire da lista de publicações os artigos que não são do seucientista5. Create Citation Report6. Registre e repita para outro pesquisador
  114. 114. Introdução Bibliometria Ferramentas O ISI e a Bibliometria ReferênciasPrática IIUsaremos a seguir o ISI para verificar as métricas de pesquisadores.1. Localize o autor do seu interesse (se não conseguir imaginarnenhum, pode usar Frery, A em duas abas: no ISI e no Lattes(ou em uma base de publicações confiável)2. Verifique se as áreas de atuação são coerentes3. Verifique o tipo de publicações realizadas (artigos, correções,anais, review etc.)4. Retire da lista de publicações os artigos que não são do seucientista5. Create Citation Report6. Registre e repita para outro pesquisador
  115. 115. Introdução Bibliometria Ferramentas O ISI e a Bibliometria ReferênciasPrática IIUsaremos a seguir o ISI para verificar as métricas de pesquisadores.1. Localize o autor do seu interesse (se não conseguir imaginarnenhum, pode usar Frery, A em duas abas: no ISI e no Lattes(ou em uma base de publicações confiável)2. Verifique se as áreas de atuação são coerentes3. Verifique o tipo de publicações realizadas (artigos, correções,anais, review etc.)4. Retire da lista de publicações os artigos que não são do seucientista5. Create Citation Report6. Registre e repita para outro pesquisador
  116. 116. Introdução Bibliometria Ferramentas O ISI e a Bibliometria ReferênciasConclusões da análise• Como está a produção do seu pesquisador por diversosíndices?• Ele está com um h crescente ou estável?• Nunca mais caia no truque do grande pesquisador que nãopublica, ou caia sabendo que está sendo trouxa.
  117. 117. Introdução Bibliometria Ferramentas O ISI e a Bibliometria ReferênciasConclusões da análise• Como está a produção do seu pesquisador por diversosíndices?• Ele está com um h crescente ou estável?• Nunca mais caia no truque do grande pesquisador que nãopublica, ou caia sabendo que está sendo trouxa.
  118. 118. Introdução Bibliometria Ferramentas O ISI e a Bibliometria ReferênciasConclusões da análise• Como está a produção do seu pesquisador por diversosíndices?• Ele está com um h crescente ou estável?• Nunca mais caia no truque do grande pesquisador que nãopublica, ou caia sabendo que está sendo trouxa.
  119. 119. Introdução Bibliometria Ferramentas O ISI e a Bibliometria ReferênciasReferências IAlves, R. (1981), Filosofia da Ciência, Ars Poetica, São Paulo.Baggs, J. G. (2008), ‘Issues and rules for authors concerning authorshipversus acknowledgements, dual publication, self plagiarism, and salamipublishing’, Research in Nursing Health 31(4), 295–297.Chen, J. Konstan, J. A. (2010), ‘Conference paper selectivity and impact’,Communications of the ACM 53(6), 79–83.Day, R. A. (1998), How to write publish a scientific paper, 5 ed., Oryx.Freyne, J., Coyle, L., Smyth, B. Cunningham, P. (2010), ‘Relative status ofjournal and conference publications in computer science’,Communications of the ACM 53(11), 124–132.Halpern, J. Y. Parkes, D. C. (2011), ‘Journals for certification, conferencesfor rapid dissemination’, Communications of the ACM 54(8), 36–38.Hirsch, J. E. (2005), ‘An index to quantify an individual’s scientific researchoutput’, Proceedings of The National Academy of Sciences102(46), 16569–16572.
  120. 120. Introdução Bibliometria Ferramentas O ISI e a Bibliometria ReferênciasReferências IILee, A., Dennis, C. Campbell, P. (2007), ‘Nature’s guide for mentors’,Nature 447, 791–797. URL http://www.nature.com/nature/journal/v447/n7146/full/447791a.html.Meyer, B., Choppy, C., Staunstrup, J. van Leeuwen, J. (2009), ‘Researchevaluation for computer science’, Communications of the ACM52(4), 31–34.on Data, Y. L. S. R. Sharing, C. (2010), ‘Reproducible research:Addressing the need for data and code sharing in computationalscience’, Computing in Science Engineering pp. 8–12.Vardi, M. Y. (2009), ‘Conferences vs. journals in computing research’,Communications of the ACM 52(5), 5.Vardi, M. Y. (2010), ‘Revisiting the publication culture in computingresearch’, Communications of the ACM 53(3), 5. URLhttp://cacm.acm.org/magazines/2010/3/76297-revisiting-the-publication-culture-in-computing-researchfulltext.
  121. 121. Introdução Bibliometria Ferramentas O ISI e a Bibliometria ReferênciasReferências IIIVolpato, G. L. (2006), Dicas para redação científica: por que não somoscitados?, 2 ed., Gilson Luiz Volpato, Botucatu.Volpato, G. L. (2007a), Bases teóricas para redação científica: por que seuartigo foi negado?, Cultura Acadêmica, São Paulo.Volpato, G. L. (2007b), Ciência: da filosofia à publicação, 5 ed., CulturaAcadêmica, São Paulo.Volpato, G. L. (2008), Publicação científica, 3 ed., Cultura Acadêmica, SãoPaulo.Wing, J. M. (2009), ‘CS woes: Deadline-driven research, academicinequality’, Communications of the ACM 52(12), 8–9.
  122. 122. ContactoAlejandro C. Freryacfrery@pq.cnpq.brhttp://sites.google.com/site/acfrery

×