SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 28
 
AS CAUSAS DO APAGÃO AÉREO NACIONAL  E A SOLUÇÃO POSSÍVEL
CRONOLOGIA  2003  –  Julho  - Fundação da ANDEP 2005  –  Janeiro  –  Ação Civil Pública  >  ANDEP  X  UNIÃO  > descumprimento do art. 175, IV, CF. Obtida liminar em defesa dos consumidores da Vasp. –  Dezembro   15  –  Zero Hora : artigo do presidente da  Andep  alerta sobre dano aos usuários, se União repetisse, em caso de crise na Varig, mesma atuação/omissão da crise  Vasp  (milhares de consumidores lesados). Início do caos nos aeroportos - instabilidade da Varig. 2006  –  janeiro  – representação da ANDEP ao MPF - requer informações sobre plano de contingência da UNIÃO, em caso de interrupção dos vôos da Varig. –  março  – UNIÃO responde ao MPF:  será adotado o mesmo plano de contingência  de situações “pretéritas”.   Situação pretérita: final de  2004   >   Crise   Vasp .  RESULTADO =  CAOS AÉREO* * Participação da Vasp no mercado, na época: 1%  de 33.000.000 de passageiros/ano
CRONOLOGIA   2006  –  abril   –  ANDEP/FÓRUM/IDEC  representam junto  ao MPF .  Alertam para a iminência de colapso do sistema de aviação civil ; –  junho  –  Véspera do 1º leilão da Varig  -  ANDEP/FÓRUM   ajuízam Ação  Civil Pública contra a União  ( requer indenização por dano moral imposto aos 5.6 milhões de usuários da Varig - “Smiles” e  antecipa o colapso ) .   A ausência de licitantes era previsível , assim como os prejuízos aos usuários. 2006  –  junho  –  não aparecem licitantes .  Varig começa a parar .   Agrava-se o caos aéreo . Participação Varig:  33 % de 36.000.000 de passageiros/ano. 2006  –  setembro 13  – Revista Veja –  “Sumiço dos vôos da Varig  instala o caos nos aeroportos  e atormenta os passageiros ”. 16 dias depois... –  setembro 29  –  Tragédia do vôo da Gol com 154 mortos . COLAPSO TOTAL DO SISTEMA DE AVIAÇÃO CIVIL
ALGUNS  ARTIGOS DA CONSTITUIÇÃO  FEDERAL, INFRINGIDOS  E DESCONSIDERADOS  PELA UNIÃO ,   NAS CRISES VASP,  VARIG E CAOS AÉREO. Art 1º, III –  dignidade da pessoa humana .   Art 5º, XXXII  –  direito do consumidor .   Art. 21, XII, “c” –  navegação aérea - competência da União . Art 37 ,   § 6º  -  responsabilidade da administração pública.     Art. 170,  I ,  IV; V ;  VII ;  VIII; IX  -  ordem econômica .  Art. 175  –  direitos dos usuários , entre outros... + Leis das Concessões, Código de Defesa do Consumidor e Código Brasileiro de Aeronáutica
MINISTRO ESTADO MAIOR GABINETE SERVIÇO DE FAZENDA E INTENDÊNCIA DIRETORIA DE AERONÁUTICA CIVIL DIRETORIA DE ROTAS AÉREAS DIRETORIA DE PESSOAL DIRETORIA DE MATERIAL ZONAS AÉREAS SUBDIRETORIA] DE OBRAS SUBDIRETORIA DE TÉCNICA AERONÁUTICA DIVISÃO DE SAÚDE SUBDIRETORIA DE ENSINO PRIMEIRA  ORGANIZAÇÃO  BÁSICA. DO  MINISTÉRIO  DA  AERONÁUTICA  DECRETO – LEI  Nº  .730, DE  18  DE  OUTUBRO  DE  1941 .
MINISTRO ALTO-COMANDO CONSULTORIA JURÍDICA CONSELHO E COMISSÕES GABINETE DO MINISTRO CENTRO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL DO MAER INSTITUTO HISTÓRICO-CULTURAL DA AERONÁUTICA ESTADO-MAIOR DA AERONÁUTICA SECRETARIA DE ECONOMIA E FINANÇAS DA AERONÁUTICA MTAB SECINT CENIPA COMANDO GERAL DO AR COMANDO GERAL DE APOIO COMANDO GERAL DO PESSOAL DEPARTAMENTO DE PESQUISAS E DESENVOLVIMENTO DEPARTAMENTO DE AVIAÇÃO CIVIL DEPARTAMENTO DE ENSINO ESTRUTURA BÁSICA DO MINISTÉRIO DA AERONÁUTICA
ESTRUTURA DO COMANDO DA AERONÁUTICA ( SEM INFRAERO )
ESTRUTURA DO COMANDO DA AERONÁUTICA ( SEM DAC )
DEPARTAMENTO DE AVIAÇÃO CIVIL CERNAI IAC SERAC DIRSA (CELMA) CTA (IFI) COMAR (COMARA) DIRENG (SERENG) DEPV (SRPEV) EMPRESAS DE MANUTENÇÃO AVIAÇÃO  GERAL TASA EMPRESAS DE SVC AER ESPECIALIZADAS ESCOLAS DE AVIAÇÃO EMPRESAS DE  TRANSPORTES DEPARTAMENTOS AEROVIÁRIOS INDÚSTRIA AERONÁUTICA ENTIDADES AERO DESPORTIVAS INFRAERO ESQUEMA GRÁFICO DO SISTEMA DE AVIAÇÃO CIVIL ÓRGÃOS INTERVENIENTES E ELOS EXECUTIVOS
CERNAI DIRSA (CELMA) CTA (IFI) COMAR (COMARA) DIRENG (SERENG) DEPV (SRPEV) TASA ESQUEMA GRÁFICO DO SISTEMA DE AVIAÇÃO CIVIL ÓRGÃOS INTERVENIENTES E ELOS EXECUTIVOS ESQUARTEJAMENTO DO SISTEMA
ANAC IAC GERÊNCIAS EMPRESAS DE MANUTENÇÃO AVIAÇÃO  GERAL EMPRESAS DE SVC AER ESPECIALIZADAS ESCOLAS DE AVIAÇÃO EMPRESAS DE  TRANSPORTES DEPARTAMENTOS AEROVIÁRIOS INDÚSTRIA AERONÁUTICA ENTIDADES AERO DESPORTIVAS INFRAERO ESQUEMA GRÁFICO COM  ANAC APARTADA DO SISTEMA DE AVIAÇÃO CIVIL PERDA DOS ÓRGÃOS INTERVENIENTES -  QUEBRA DOS ELOS EXECUTIVOS E DA HIERARQUIA
DIRETOR-GERAL COMISSÕES TÉCNICAS E CONSELHOS ASSESSORIA SECRETARIA ASSESSORIA JURÍICA GABINETE SEÇÃO DE INFORMAÇÕES VICE-DIRETOR ASSISTENTE SECRETARIA SUBDEPARTAMENTO DE OPERAÇÕES SUBDEPARTAMENTO DE PLANEJAMENTO SUBDEPARTAMENTO TÉCNICO DEPARTAMENTO DE AVIAÇÃO CIVIL
DIREÇÃO-GERAL Ten. Brig . do  Ar VICE DIREÇÃO Maj. Brig . do Ar SPL Brig . do Ar SOP Brig . do Ar STE Brig . do Ar IAC Cel. Av . SERAC Ten. Cel. Av . ESTRUTURA DO DEPARTAMENTO DE AVIAÇÃO CIVIL SPL  – Subdepartamento de Planejamento SOP  – Subdepartamento de Operações STE  – Subdepartamento Técnico SERAC  – Serviço Regional de Aviação Civil
MINISTÉRIO DA DEFESA INFRAERO COMANDO DA AERONÁUTICA ANAC DIRETORIA DE ENG (DIRENG) DEP. DE CONTROLE DO ESPAÇO AÉREO (DECEA) PSEUDO -ORGANOGRAMA APÓS MARÇO/2006 GERÊNCIAS REGIONAIS
MINISTÉRIO DA DEFESA ? INFRAERO COMANDO DA AERONÁUTICA ANAC DIRETORIA DE ENG (DIRENG) DEP. DE CONTROLE DO ESPAÇO AÉREO (DECEA) PSEUDO -ORGANOGRAMA APÓS MARÇO/2006 GERÊNCIAS REGIONAIS
O RANKING DA OACI   * * Organização da Aviação Civil Internacional Grupo 1 - Países mais importantes  Alemanha, Austrália, Brasil, Canadá, China, Estados Unidos, Federação da Rússia, França, Itália, Japão e Reino Unido  Grupo 2 - Países intermediários  Arábia Saudita, Argentina, Áustria, Colômbia, Egito, Espanha, Finlândia, Índia, México, Nigéria, Cingapura, África do Sul  . Grupo 3 - Representantes dos continentes  Camarões, Chile, Etiópia, Gana, Honduras, Hungria, Líbano, Moçambique, Paquistão, Peru, Coréia do Sul, Santa Lúcia, Tunísia   Fonte: Correio Braziliense
O RANKING DA OACI   * * Organização da Aviação Civil Internacional Requisitos fundamentais e indispensáveis à  segurança de vôo e ao transporte aéreo   * HIERARQUIA   * DISCIPLINA   * PROFISSIONALISMO   Resultado: meio de transporte mais seguro do mundo.
MINISTÉRIO DA DEFESA ? INFRAERO COMANDO DA AERONÁUTICA ANAC DIRETORIA DE ENG (DIRENG) DEP. DE CONTROLE DO ESPAÇO AÉREO (DECEA) ( DES )ORGANOGRAMA BRASILEIRO  CONCLUÍDO EM MARÇO/2006 GERÊNCIAS REGIONAIS
( DES )ORGANOGRAMA BRASILEIRO - Cronologia -   2003  - Profissionais em gestão aeroportuária, da cúpula da INFRAERO, são substituídos.  Começa o loteamento de cargos no setor .   2006  - Sai DAC > 5 técnicos da cúpula do órgão, profissionais com mais de 40 anos (cada um) de experiência em aviação, segurança de vôo, transporte aéreo, controle de tráfego aéreo, investigação de acidentes aeronáuticos e matérias afins, são substituídos por militantes-políticos, sem conhecimento técnico ou experiência na aérea. Somente na mudança da cúpula do DAC para ANAC, trocou-se 200 anos de experiência por 0 (ZERO). E a Lei estabeleceu: sistema de decisão em colegiado e o fim da subordinação para a ANAC.  Em poucos movimentos, matou-se:   HIERARQUIA , DISCIPLINA, PROFISSIONALISMO ... e a memória do órgão gestor . E mais cargos foram loteados.  
CONSEQÜÊNCIAS  DO  ( DES )ORGANOGRAMA E  DO LOTEAMENTO DE CARGOS * Desmantelamento total do sistema de aviação civil. * ANAC sem subordinação e sem comando técnico. * Infraero - subordinada ao Ministério da Defesa -  (de forma simbólica, pois o cargo é ocupado por políticos, sem conhecimento técnico) -  está desconectada dos demais órgãos. * Não há mais linha de conexão entre órgãos que deveriam estar ligados entre si, por subordinação hierárquica, e ser administrados por profissionais com experiência na área.   * Comando da Aeronáutica “flutua no espaço”  > subordinação para cima é inútil > para baixo não existe.  * O que existe não está subordinado, também flutua e está ocupado por militantes políticos, sem experiência em aviação.
CONSEQÜÊNCIAS  DO  ( DES )ORGANOGRAMA E  DO  LOTEAMENTO DE CARGOS  JUNTO À OACI *   Brasil corre o risco de ser rebaixado do Grupo 1   do Conselho Executivo da  OACI - Organização de Aviação Civil Internacional .   Tal fato é inédito na história da aviação.  * As conseqüências da não reeleição do Brasil são desastrosas.  Se perder a capacidade de influenciar no processo decisório e na formulação das políticas (...),  o governo brasileiro ficará a reboque dos interesses dos países desenvolvidos e sofrerá pesadas restrições.   *  Terá efeito devastador sobre a economia do setor.  * Sem credibilidade,  as empresas brasileiras podem até ser impedidas de voar para destinos como Estados Unidos e Europa  - principais destinos dos passageiros brasileiros... * A Embraer também enfrentaria problemas para conseguir licenças e homologações   aos componentes e aeronaves que produz,  para citar apenas alguns exemplos.  (*Fonte: Correio Braziliense)
MINISTÉRIO DA DEFESA ? INFRAERO COMANDO DA AERONÁUTICA ANAC DIRETORIA DE ENG (DIRENG) DEP. DE CONTROLE DO ESPAÇO AÉREO (DECEA) O RESULTADO DO ( DES )ORGANOGRAMA BRASILEIRO  E  DO  LOTEAMENTO DE CARGOS   NA AVIAÇÃO  SÓ PODERIA SER... GERÊNCIAS REGIONAIS
  CAOS AÉREO
FLORIANÓPOLIS PORTO ALEGRE CURITIBA VITÓRIA SALVADOR ARACAJÚ MACEIÓ RECIFE JOÃO PESSOA NATAL SÃO PAULO RIO DE JANEIRO BELO HORIZONTE BRASÍLIA Sentido norte-sul Rotas LEGENDA 36 milhões de passageiros/ano dividos entre três concessionárias ROTAS VARIG COSTA BRASILEIRA – ATÉ 06/2006 (SIMULAÇÃO)
ROTAS VARIG COSTA BRASILEIRA –  INTERRUPÇÃO (SIMULAÇÃO) VITÓRIA SALVADOR ARACAJÚ MACEIÓ RECIFE JOÃO PESSOA NATAL BELO HORIZONTE BRASÍLIA Interrupção Rotas VARIG Rotas LEGENDA FLORIANÓPOLIS PORTO ALEGRE CURITIBA SÃO PAULO RIO DE JANEIRO (-)  9.000 funcionários (-)  208 rotas (-)  70 aeronaves Mesmos 36 milhões de Passageiros/ano .
ROTAS AÉREAS SEM VARIG COM SOBRECARGA EM BRASÍLIA (SIMULAÇÃO) PORTO ALEGRE FLORIANÓPOLIS CURITIBA SÃO PAULO RIO DE JANEIRO VITÓRIA SALVADOR ARACAJÚ MACEIÓ RECIFE JOÃO PESSOA NATAL BELO HORIZONTE BRASÍLIA Rotas LEGENDA
 

Mais conteúdo relacionado

Destaque

Como baixar os estudo no slideshare
Como baixar os estudo no slideshareComo baixar os estudo no slideshare
Como baixar os estudo no slideshare
Moisés Sampaio
 
Apostila 2-sistema-de-aviao-civil
Apostila 2-sistema-de-aviao-civilApostila 2-sistema-de-aviao-civil
Apostila 2-sistema-de-aviao-civil
Daniela Soares
 
Cárie e erosão 09 10 2011
Cárie e erosão 09 10 2011Cárie e erosão 09 10 2011
Cárie e erosão 09 10 2011
Rinaldo Ferreira
 
Gêneros no ensino de línguas Marcuschi
Gêneros no ensino de línguas   MarcuschiGêneros no ensino de línguas   Marcuschi
Gêneros no ensino de línguas Marcuschi
Mauro Toniolo Silva
 
Microbiologia da cárie
Microbiologia da cárieMicrobiologia da cárie
Microbiologia da cárie
Oyara Mello
 
Custeio baseado em atividades abc
Custeio baseado em atividades   abcCusteio baseado em atividades   abc
Custeio baseado em atividades abc
William Rodrigues
 
Falando dos homens
Falando dos homensFalando dos homens
Falando dos homens
André Frota
 
cohab_servidores_confianca
cohab_servidores_confiancacohab_servidores_confianca
cohab_servidores_confianca
Claudio Oliveira
 
Portfolio rafielet
Portfolio rafieletPortfolio rafielet
Portfolio rafielet
powermedia1
 

Destaque (20)

Como baixar os estudo no slideshare
Como baixar os estudo no slideshareComo baixar os estudo no slideshare
Como baixar os estudo no slideshare
 
TUTORIAL: Salvando slides no slide share
TUTORIAL: Salvando slides no slide shareTUTORIAL: Salvando slides no slide share
TUTORIAL: Salvando slides no slide share
 
Apostila 2-sistema-de-aviao-civil
Apostila 2-sistema-de-aviao-civilApostila 2-sistema-de-aviao-civil
Apostila 2-sistema-de-aviao-civil
 
Introdução
IntroduçãoIntrodução
Introdução
 
Mini-Curso zotero
Mini-Curso zoteroMini-Curso zotero
Mini-Curso zotero
 
Cárie e erosão 09 10 2011
Cárie e erosão 09 10 2011Cárie e erosão 09 10 2011
Cárie e erosão 09 10 2011
 
Gêneros no ensino de línguas Marcuschi
Gêneros no ensino de línguas   MarcuschiGêneros no ensino de línguas   Marcuschi
Gêneros no ensino de línguas Marcuschi
 
Microbiologia da cárie
Microbiologia da cárieMicrobiologia da cárie
Microbiologia da cárie
 
Custeio baseado em atividades abc
Custeio baseado em atividades   abcCusteio baseado em atividades   abc
Custeio baseado em atividades abc
 
aço
açoaço
aço
 
Ra & Fraud Latam
Ra & Fraud LatamRa & Fraud Latam
Ra & Fraud Latam
 
Falando dos homens
Falando dos homensFalando dos homens
Falando dos homens
 
Casan fecha parceria com agência francesa
Casan fecha parceria com agência francesaCasan fecha parceria com agência francesa
Casan fecha parceria com agência francesa
 
Fenalaw 2012
Fenalaw 2012Fenalaw 2012
Fenalaw 2012
 
Colunistas 2016 - LivingFor
Colunistas 2016 - LivingForColunistas 2016 - LivingFor
Colunistas 2016 - LivingFor
 
cohab_servidores_confianca
cohab_servidores_confiancacohab_servidores_confianca
cohab_servidores_confianca
 
Portfolio rafielet
Portfolio rafieletPortfolio rafielet
Portfolio rafielet
 
Desing
DesingDesing
Desing
 
Ct
CtCt
Ct
 
HandBook - Lookbook Alto Verão 2014
HandBook - Lookbook Alto Verão 2014HandBook - Lookbook Alto Verão 2014
HandBook - Lookbook Alto Verão 2014
 

Semelhante a Apresentação Andep

Acidente com a Aeronave PT-BKP em 24 de março de 2001
Acidente com a Aeronave PT-BKP em 24 de março de 2001Acidente com a Aeronave PT-BKP em 24 de março de 2001
Acidente com a Aeronave PT-BKP em 24 de março de 2001
Jeferson Espindola
 
Acidente com Aeronave PT-VLO em 14 de Fevereiro de 2000
Acidente com Aeronave PT-VLO em 14 de Fevereiro de 2000Acidente com Aeronave PT-VLO em 14 de Fevereiro de 2000
Acidente com Aeronave PT-VLO em 14 de Fevereiro de 2000
Jeferson Espindola
 
Aula2 aer dromos_transporte_a_reo_aeroportos 2
Aula2 aer dromos_transporte_a_reo_aeroportos 2Aula2 aer dromos_transporte_a_reo_aeroportos 2
Aula2 aer dromos_transporte_a_reo_aeroportos 2
Gelson Zorzoli Nunes
 

Semelhante a Apresentação Andep (20)

Transporte aéreo sub ubrano.ppt
Transporte aéreo sub ubrano.pptTransporte aéreo sub ubrano.ppt
Transporte aéreo sub ubrano.ppt
 
Café com Seguro ANSP - Psicopatas na Aviação - Carlos Eduardo
Café com Seguro ANSP -  Psicopatas na Aviação - Carlos EduardoCafé com Seguro ANSP -  Psicopatas na Aviação - Carlos Eduardo
Café com Seguro ANSP - Psicopatas na Aviação - Carlos Eduardo
 
Aula01 historico e generalidades
Aula01 historico e generalidadesAula01 historico e generalidades
Aula01 historico e generalidades
 
Aula02 publicações e legislação
Aula02 publicações e legislaçãoAula02 publicações e legislação
Aula02 publicações e legislação
 
Aula01 publicações e legislação s
Aula01 publicações e legislação sAula01 publicações e legislação s
Aula01 publicações e legislação s
 
Transporte aéreo
Transporte aéreoTransporte aéreo
Transporte aéreo
 
Incursão em pista
Incursão em pistaIncursão em pista
Incursão em pista
 
Relatório PR-SOM
Relatório PR-SOMRelatório PR-SOM
Relatório PR-SOM
 
Regulação do transporte aéreo - evolução e desafios
Regulação do transporte aéreo - evolução e desafiosRegulação do transporte aéreo - evolução e desafios
Regulação do transporte aéreo - evolução e desafios
 
Crescimento do Mercado Brasileiro de Aviação
Crescimento do Mercado Brasileiro de AviaçãoCrescimento do Mercado Brasileiro de Aviação
Crescimento do Mercado Brasileiro de Aviação
 
Relatorio Geral Aeroportos
Relatorio Geral AeroportosRelatorio Geral Aeroportos
Relatorio Geral Aeroportos
 
PR-AFA
PR-AFAPR-AFA
PR-AFA
 
Acidente com a Aeronave PT-BKP em 24 de março de 2001
Acidente com a Aeronave PT-BKP em 24 de março de 2001Acidente com a Aeronave PT-BKP em 24 de março de 2001
Acidente com a Aeronave PT-BKP em 24 de março de 2001
 
O desenvolvimento do setor aeroportuário brasileiro
O desenvolvimento do setor aeroportuário brasileiroO desenvolvimento do setor aeroportuário brasileiro
O desenvolvimento do setor aeroportuário brasileiro
 
Acidente com Aeronave PT-VLO em 14 de Fevereiro de 2000
Acidente com Aeronave PT-VLO em 14 de Fevereiro de 2000Acidente com Aeronave PT-VLO em 14 de Fevereiro de 2000
Acidente com Aeronave PT-VLO em 14 de Fevereiro de 2000
 
Info prev seripa-v final
Info prev seripa-v  finalInfo prev seripa-v  final
Info prev seripa-v final
 
Risco aviario
Risco aviarioRisco aviario
Risco aviario
 
Aula2 aer dromos_transporte_a_reo_aeroportos 2
Aula2 aer dromos_transporte_a_reo_aeroportos 2Aula2 aer dromos_transporte_a_reo_aeroportos 2
Aula2 aer dromos_transporte_a_reo_aeroportos 2
 
Medicina aeroespacial
Medicina aeroespacialMedicina aeroespacial
Medicina aeroespacial
 
Aic n 07-16-20160511
Aic n 07-16-20160511Aic n 07-16-20160511
Aic n 07-16-20160511
 

Último

Apresentação Power Embedded - Descubra uma nova forma de compartilhar relatór...
Apresentação Power Embedded - Descubra uma nova forma de compartilhar relatór...Apresentação Power Embedded - Descubra uma nova forma de compartilhar relatór...
Apresentação Power Embedded - Descubra uma nova forma de compartilhar relatór...
Dirceu Resende
 

Último (6)

[ServiceNow] Upgrade de versão - 2ª edição (Revisada, atualizada e ampliada)
[ServiceNow] Upgrade de versão - 2ª edição (Revisada, atualizada e ampliada)[ServiceNow] Upgrade de versão - 2ª edição (Revisada, atualizada e ampliada)
[ServiceNow] Upgrade de versão - 2ª edição (Revisada, atualizada e ampliada)
 
Apresentação Comercial VITAL DATA 2024.pdf
Apresentação Comercial VITAL DATA 2024.pdfApresentação Comercial VITAL DATA 2024.pdf
Apresentação Comercial VITAL DATA 2024.pdf
 
Apresentação Power Embedded - Descubra uma nova forma de compartilhar relatór...
Apresentação Power Embedded - Descubra uma nova forma de compartilhar relatór...Apresentação Power Embedded - Descubra uma nova forma de compartilhar relatór...
Apresentação Power Embedded - Descubra uma nova forma de compartilhar relatór...
 
Certificado - Data Analytics - CoderHouse.pdf
Certificado - Data Analytics - CoderHouse.pdfCertificado - Data Analytics - CoderHouse.pdf
Certificado - Data Analytics - CoderHouse.pdf
 
From_SEH_Overwrite_with_Egg_Hunter_to_Get_a_Shell_PT-BR.pdf
From_SEH_Overwrite_with_Egg_Hunter_to_Get_a_Shell_PT-BR.pdfFrom_SEH_Overwrite_with_Egg_Hunter_to_Get_a_Shell_PT-BR.pdf
From_SEH_Overwrite_with_Egg_Hunter_to_Get_a_Shell_PT-BR.pdf
 
EAD Curso - CIÊNCIA DE DADOS NA INDÚSTTRIA
EAD Curso - CIÊNCIA DE DADOS NA INDÚSTTRIAEAD Curso - CIÊNCIA DE DADOS NA INDÚSTTRIA
EAD Curso - CIÊNCIA DE DADOS NA INDÚSTTRIA
 

Apresentação Andep

  • 1.  
  • 2. AS CAUSAS DO APAGÃO AÉREO NACIONAL E A SOLUÇÃO POSSÍVEL
  • 3. CRONOLOGIA 2003 – Julho - Fundação da ANDEP 2005 – Janeiro – Ação Civil Pública > ANDEP X UNIÃO > descumprimento do art. 175, IV, CF. Obtida liminar em defesa dos consumidores da Vasp. – Dezembro 15 – Zero Hora : artigo do presidente da Andep alerta sobre dano aos usuários, se União repetisse, em caso de crise na Varig, mesma atuação/omissão da crise Vasp (milhares de consumidores lesados). Início do caos nos aeroportos - instabilidade da Varig. 2006 – janeiro – representação da ANDEP ao MPF - requer informações sobre plano de contingência da UNIÃO, em caso de interrupção dos vôos da Varig. – março – UNIÃO responde ao MPF: será adotado o mesmo plano de contingência de situações “pretéritas”. Situação pretérita: final de 2004 > Crise Vasp . RESULTADO = CAOS AÉREO* * Participação da Vasp no mercado, na época: 1% de 33.000.000 de passageiros/ano
  • 4. CRONOLOGIA 2006 – abril – ANDEP/FÓRUM/IDEC representam junto ao MPF . Alertam para a iminência de colapso do sistema de aviação civil ; – junho – Véspera do 1º leilão da Varig - ANDEP/FÓRUM ajuízam Ação Civil Pública contra a União ( requer indenização por dano moral imposto aos 5.6 milhões de usuários da Varig - “Smiles” e antecipa o colapso ) . A ausência de licitantes era previsível , assim como os prejuízos aos usuários. 2006 – junho – não aparecem licitantes . Varig começa a parar . Agrava-se o caos aéreo . Participação Varig: 33 % de 36.000.000 de passageiros/ano. 2006 – setembro 13 – Revista Veja – “Sumiço dos vôos da Varig instala o caos nos aeroportos e atormenta os passageiros ”. 16 dias depois... – setembro 29 – Tragédia do vôo da Gol com 154 mortos . COLAPSO TOTAL DO SISTEMA DE AVIAÇÃO CIVIL
  • 5. ALGUNS ARTIGOS DA CONSTITUIÇÃO FEDERAL, INFRINGIDOS E DESCONSIDERADOS PELA UNIÃO , NAS CRISES VASP, VARIG E CAOS AÉREO. Art 1º, III – dignidade da pessoa humana .   Art 5º, XXXII – direito do consumidor .   Art. 21, XII, “c” – navegação aérea - competência da União . Art 37 , § 6º - responsabilidade da administração pública.   Art. 170, I , IV; V ; VII ; VIII; IX - ordem econômica . Art. 175 – direitos dos usuários , entre outros... + Leis das Concessões, Código de Defesa do Consumidor e Código Brasileiro de Aeronáutica
  • 6. MINISTRO ESTADO MAIOR GABINETE SERVIÇO DE FAZENDA E INTENDÊNCIA DIRETORIA DE AERONÁUTICA CIVIL DIRETORIA DE ROTAS AÉREAS DIRETORIA DE PESSOAL DIRETORIA DE MATERIAL ZONAS AÉREAS SUBDIRETORIA] DE OBRAS SUBDIRETORIA DE TÉCNICA AERONÁUTICA DIVISÃO DE SAÚDE SUBDIRETORIA DE ENSINO PRIMEIRA ORGANIZAÇÃO BÁSICA. DO MINISTÉRIO DA AERONÁUTICA DECRETO – LEI Nº .730, DE 18 DE OUTUBRO DE 1941 .
  • 7. MINISTRO ALTO-COMANDO CONSULTORIA JURÍDICA CONSELHO E COMISSÕES GABINETE DO MINISTRO CENTRO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL DO MAER INSTITUTO HISTÓRICO-CULTURAL DA AERONÁUTICA ESTADO-MAIOR DA AERONÁUTICA SECRETARIA DE ECONOMIA E FINANÇAS DA AERONÁUTICA MTAB SECINT CENIPA COMANDO GERAL DO AR COMANDO GERAL DE APOIO COMANDO GERAL DO PESSOAL DEPARTAMENTO DE PESQUISAS E DESENVOLVIMENTO DEPARTAMENTO DE AVIAÇÃO CIVIL DEPARTAMENTO DE ENSINO ESTRUTURA BÁSICA DO MINISTÉRIO DA AERONÁUTICA
  • 8. ESTRUTURA DO COMANDO DA AERONÁUTICA ( SEM INFRAERO )
  • 9. ESTRUTURA DO COMANDO DA AERONÁUTICA ( SEM DAC )
  • 10. DEPARTAMENTO DE AVIAÇÃO CIVIL CERNAI IAC SERAC DIRSA (CELMA) CTA (IFI) COMAR (COMARA) DIRENG (SERENG) DEPV (SRPEV) EMPRESAS DE MANUTENÇÃO AVIAÇÃO GERAL TASA EMPRESAS DE SVC AER ESPECIALIZADAS ESCOLAS DE AVIAÇÃO EMPRESAS DE TRANSPORTES DEPARTAMENTOS AEROVIÁRIOS INDÚSTRIA AERONÁUTICA ENTIDADES AERO DESPORTIVAS INFRAERO ESQUEMA GRÁFICO DO SISTEMA DE AVIAÇÃO CIVIL ÓRGÃOS INTERVENIENTES E ELOS EXECUTIVOS
  • 11. CERNAI DIRSA (CELMA) CTA (IFI) COMAR (COMARA) DIRENG (SERENG) DEPV (SRPEV) TASA ESQUEMA GRÁFICO DO SISTEMA DE AVIAÇÃO CIVIL ÓRGÃOS INTERVENIENTES E ELOS EXECUTIVOS ESQUARTEJAMENTO DO SISTEMA
  • 12. ANAC IAC GERÊNCIAS EMPRESAS DE MANUTENÇÃO AVIAÇÃO GERAL EMPRESAS DE SVC AER ESPECIALIZADAS ESCOLAS DE AVIAÇÃO EMPRESAS DE TRANSPORTES DEPARTAMENTOS AEROVIÁRIOS INDÚSTRIA AERONÁUTICA ENTIDADES AERO DESPORTIVAS INFRAERO ESQUEMA GRÁFICO COM ANAC APARTADA DO SISTEMA DE AVIAÇÃO CIVIL PERDA DOS ÓRGÃOS INTERVENIENTES - QUEBRA DOS ELOS EXECUTIVOS E DA HIERARQUIA
  • 13. DIRETOR-GERAL COMISSÕES TÉCNICAS E CONSELHOS ASSESSORIA SECRETARIA ASSESSORIA JURÍICA GABINETE SEÇÃO DE INFORMAÇÕES VICE-DIRETOR ASSISTENTE SECRETARIA SUBDEPARTAMENTO DE OPERAÇÕES SUBDEPARTAMENTO DE PLANEJAMENTO SUBDEPARTAMENTO TÉCNICO DEPARTAMENTO DE AVIAÇÃO CIVIL
  • 14. DIREÇÃO-GERAL Ten. Brig . do Ar VICE DIREÇÃO Maj. Brig . do Ar SPL Brig . do Ar SOP Brig . do Ar STE Brig . do Ar IAC Cel. Av . SERAC Ten. Cel. Av . ESTRUTURA DO DEPARTAMENTO DE AVIAÇÃO CIVIL SPL – Subdepartamento de Planejamento SOP – Subdepartamento de Operações STE – Subdepartamento Técnico SERAC – Serviço Regional de Aviação Civil
  • 15. MINISTÉRIO DA DEFESA INFRAERO COMANDO DA AERONÁUTICA ANAC DIRETORIA DE ENG (DIRENG) DEP. DE CONTROLE DO ESPAÇO AÉREO (DECEA) PSEUDO -ORGANOGRAMA APÓS MARÇO/2006 GERÊNCIAS REGIONAIS
  • 16. MINISTÉRIO DA DEFESA ? INFRAERO COMANDO DA AERONÁUTICA ANAC DIRETORIA DE ENG (DIRENG) DEP. DE CONTROLE DO ESPAÇO AÉREO (DECEA) PSEUDO -ORGANOGRAMA APÓS MARÇO/2006 GERÊNCIAS REGIONAIS
  • 17. O RANKING DA OACI * * Organização da Aviação Civil Internacional Grupo 1 - Países mais importantes Alemanha, Austrália, Brasil, Canadá, China, Estados Unidos, Federação da Rússia, França, Itália, Japão e Reino Unido Grupo 2 - Países intermediários Arábia Saudita, Argentina, Áustria, Colômbia, Egito, Espanha, Finlândia, Índia, México, Nigéria, Cingapura, África do Sul . Grupo 3 - Representantes dos continentes Camarões, Chile, Etiópia, Gana, Honduras, Hungria, Líbano, Moçambique, Paquistão, Peru, Coréia do Sul, Santa Lúcia, Tunísia Fonte: Correio Braziliense
  • 18. O RANKING DA OACI * * Organização da Aviação Civil Internacional Requisitos fundamentais e indispensáveis à segurança de vôo e ao transporte aéreo * HIERARQUIA * DISCIPLINA * PROFISSIONALISMO   Resultado: meio de transporte mais seguro do mundo.
  • 19. MINISTÉRIO DA DEFESA ? INFRAERO COMANDO DA AERONÁUTICA ANAC DIRETORIA DE ENG (DIRENG) DEP. DE CONTROLE DO ESPAÇO AÉREO (DECEA) ( DES )ORGANOGRAMA BRASILEIRO CONCLUÍDO EM MARÇO/2006 GERÊNCIAS REGIONAIS
  • 20. ( DES )ORGANOGRAMA BRASILEIRO - Cronologia - 2003 - Profissionais em gestão aeroportuária, da cúpula da INFRAERO, são substituídos. Começa o loteamento de cargos no setor . 2006 - Sai DAC > 5 técnicos da cúpula do órgão, profissionais com mais de 40 anos (cada um) de experiência em aviação, segurança de vôo, transporte aéreo, controle de tráfego aéreo, investigação de acidentes aeronáuticos e matérias afins, são substituídos por militantes-políticos, sem conhecimento técnico ou experiência na aérea. Somente na mudança da cúpula do DAC para ANAC, trocou-se 200 anos de experiência por 0 (ZERO). E a Lei estabeleceu: sistema de decisão em colegiado e o fim da subordinação para a ANAC. Em poucos movimentos, matou-se: HIERARQUIA , DISCIPLINA, PROFISSIONALISMO ... e a memória do órgão gestor . E mais cargos foram loteados.  
  • 21. CONSEQÜÊNCIAS DO ( DES )ORGANOGRAMA E DO LOTEAMENTO DE CARGOS * Desmantelamento total do sistema de aviação civil. * ANAC sem subordinação e sem comando técnico. * Infraero - subordinada ao Ministério da Defesa - (de forma simbólica, pois o cargo é ocupado por políticos, sem conhecimento técnico) - está desconectada dos demais órgãos. * Não há mais linha de conexão entre órgãos que deveriam estar ligados entre si, por subordinação hierárquica, e ser administrados por profissionais com experiência na área.   * Comando da Aeronáutica “flutua no espaço” > subordinação para cima é inútil > para baixo não existe. * O que existe não está subordinado, também flutua e está ocupado por militantes políticos, sem experiência em aviação.
  • 22. CONSEQÜÊNCIAS DO ( DES )ORGANOGRAMA E DO LOTEAMENTO DE CARGOS JUNTO À OACI * Brasil corre o risco de ser rebaixado do Grupo 1 do Conselho Executivo da OACI - Organização de Aviação Civil Internacional . Tal fato é inédito na história da aviação. * As conseqüências da não reeleição do Brasil são desastrosas. Se perder a capacidade de influenciar no processo decisório e na formulação das políticas (...), o governo brasileiro ficará a reboque dos interesses dos países desenvolvidos e sofrerá pesadas restrições. * Terá efeito devastador sobre a economia do setor. * Sem credibilidade, as empresas brasileiras podem até ser impedidas de voar para destinos como Estados Unidos e Europa - principais destinos dos passageiros brasileiros... * A Embraer também enfrentaria problemas para conseguir licenças e homologações aos componentes e aeronaves que produz, para citar apenas alguns exemplos. (*Fonte: Correio Braziliense)
  • 23. MINISTÉRIO DA DEFESA ? INFRAERO COMANDO DA AERONÁUTICA ANAC DIRETORIA DE ENG (DIRENG) DEP. DE CONTROLE DO ESPAÇO AÉREO (DECEA) O RESULTADO DO ( DES )ORGANOGRAMA BRASILEIRO E DO LOTEAMENTO DE CARGOS NA AVIAÇÃO SÓ PODERIA SER... GERÊNCIAS REGIONAIS
  • 24. CAOS AÉREO
  • 25. FLORIANÓPOLIS PORTO ALEGRE CURITIBA VITÓRIA SALVADOR ARACAJÚ MACEIÓ RECIFE JOÃO PESSOA NATAL SÃO PAULO RIO DE JANEIRO BELO HORIZONTE BRASÍLIA Sentido norte-sul Rotas LEGENDA 36 milhões de passageiros/ano dividos entre três concessionárias ROTAS VARIG COSTA BRASILEIRA – ATÉ 06/2006 (SIMULAÇÃO)
  • 26. ROTAS VARIG COSTA BRASILEIRA – INTERRUPÇÃO (SIMULAÇÃO) VITÓRIA SALVADOR ARACAJÚ MACEIÓ RECIFE JOÃO PESSOA NATAL BELO HORIZONTE BRASÍLIA Interrupção Rotas VARIG Rotas LEGENDA FLORIANÓPOLIS PORTO ALEGRE CURITIBA SÃO PAULO RIO DE JANEIRO (-) 9.000 funcionários (-) 208 rotas (-) 70 aeronaves Mesmos 36 milhões de Passageiros/ano .
  • 27. ROTAS AÉREAS SEM VARIG COM SOBRECARGA EM BRASÍLIA (SIMULAÇÃO) PORTO ALEGRE FLORIANÓPOLIS CURITIBA SÃO PAULO RIO DE JANEIRO VITÓRIA SALVADOR ARACAJÚ MACEIÓ RECIFE JOÃO PESSOA NATAL BELO HORIZONTE BRASÍLIA Rotas LEGENDA
  • 28.