SlideShare uma empresa Scribd logo
Cultura Corporal
PROFESSOR PAULO MENEZES DE FREITAS
2017
Apostila Educação Física
Cultura Corporal Professor Paulo Menezes de Freitas
2
A importância da Educação Física Escolar
Por que estudar Educação Física na
escola?
Infelizmente muitos professores ainda
desperdiçam o tempo da aula, dando uma bola
aos alunos para que eles façam somente
recreação: joguem futebol, vôlei, enfim, ou o
que acharem melhor. Há muitos profissionais
que não se preocupam em motivar os alunos.
Não planejam as aulas e não tem um objetivo
ou finalidade pré-determinada da aula. A
educação física não se resume a correr, brincar,
jogar bola e fazer ginástica.


A educação física deve sim, integrar o aluno na cultura corporal de
movimento, mas de uma forma completa, transmitir conhecimentos sobre a saúde,
sobre várias modalidades esportivas, lutas, dança e até mesmo do fitness, adaptando o
conteúdo das aulas à realidade em que os alunos se encontram. É uma oportunidade de
desenvolver as potencialidades de cada um, mas nunca de forma seletiva e sim,
incluindo todos os alunos no desenvolvimento das aulas.


Os alunos não devem acreditar que a aula
de educação física é apenas uma hora de lazer ou
recreação, mas que é uma aula como as outras,
cheia de conhecimentos que poderão trazer
muitos benefícios se inseridos no cotidiano.


As aulas devem ser dinâmicas, estimulantes e
interessantes. Os conteúdos precisam ter uma
complexidade crescente a cada ano
acompanhando o desenvolvimento motor e
cognitivo do aluno. Precisa existir uma relação
teórico-prática na metodologia de ensino.
Para isso o professor deve inovar e
diversificar, pois o campo de trabalho envolve
muitas atividades que podem ser trabalhadas
com os alunos como jogos, competições, dança
música, expressão corporal, ginásticas, jogos
tradicionais, gincanas, leituras de textos,
trabalhos escritos e práticos, dinâmica em grupo,
uso de TV, DVD, internet, etc. O campo é muito
amplo. Basta o professor em conjunto com os
alunos, ter seriedade e muita criatividade para
desenvolver aulas prazerosas de Educação Física na escola.
Adaptação do texto escrito por:
Valéria Alvin Igayara de Souza
CREF 7075/ GSP - Especialista em treinamento.
http://cyberdiet.terra.com.br/a-importancia-da-educacao-fisica-escolar-3-1-2-474.html
Cultura Corporal Professor Paulo Menezes de Freitas
3
Introdução ao Futsal
História do Futsal
O FUTEBOL DE SALÃO tem duas
versões sobre o seu surgimento, e, tal como
em outras modalidades desportivas, há
divergências quanto a sua invenção. Há
uma versão que o FUTEBOL DE SALÃO
começou a ser jogado por volta de 1940 por
frequentadores da Associação Cristã de
Moços, em São Paulo, pois havia uma
grande dificuldade em encontrar campos de
futebol livres para poderem jogar e então
começaram a jogar suas ''peladas'' nas
quadras de basquete e hóquei
Temos também a versão que o FUTEBOL DE SALÃO foi inventado em 1934 na
Associação Cristã de Moços de Montevidéu, Uruguai, pelo professor Juan Carlos Ceriani, que
chamou este novo esporte de ''INDOOR-FOOT-BALL'', onde as peladas de várzea eram
substituídas pela futebol na quadra. As primeiras regras do Futebol de
Salão foram redigidas em 1933 – fundamentadas no futebol,
basquetebol, handebol e pólo aquático – pelo Professor de Educação
Física da ACM – Associação Cristãs de Moços / Uruguai, Juan Carlos
Ceriani.
No início as "equipes" variavam em número, tendo cinco, seis e
até sete jogadores, sendo pouco a pouco fixado o limite de cinco. As
bolas eram de crina vegetal ou serragem, sofrendo sucessivas
modificações, inclusive com o uso de cortiça granulada.
Como as bolas de ar utilizadas depois, saltavam muito e saiam freqüentemente das
quadras, posteriormente tiveram seu amanho diminuído e o peso aumentado. Daí o fato do
Futebol de Salão ser chamado de "esporte da bola pesada".
No Brasil, o Futebol de Salão também dava seus primeiros passos na década de 30, onde
temos referência de uma publicação de normas e regulamentações para a prática do esporte,
na Revista de Educação Física em 1936, no estado do Rio de Janeiro.
Tendo em vista isso, embora as primeiras regras tenham surgido no Uruguai, nada foi
feito naquele País no sentido de aperfeiçoá-lo ou divulgá-lo, cabendo aos brasileiros a
responsabilidade pelo crescimento, divulgação e ordenação do Futsal como modalidade
esportiva. De tal forma podemos afirmar que devido a identificação, popularidade e dimensão
alcançada no Brasil, o Futsal é um esporte genuinamente brasileiro.
O jogador que vem do Futsal tem um drible fácil e curto, aperfeiçoado pelo pequeno
espaço em quadra. Aprende-se a conduzir a bola perto do corpo, aprimora o domínio
raramente errando um passe, além de ter um sentido de marcação muito desenvolvido.
Cultura Corporal Professor Paulo Menezes de Freitas
4
Convém destacar que o amor e a tendência natural do brasileiro pelo futebol
transfundiram-se para o Futsal, em razão da valorização imobiliária e de outros fatores sócio-
econômicos que implicaram na quase extinção dos antigos campos de várzea. E o futebol
passou devido à falta de espaços principalmente nas áreas urbanas, a ser praticado em quadras
originalmente destinadas a jogos de basquete e vôlei, daí explicar-se a "febre" do Futebol de
Salão.
Fonte: www.cbfs.com.br
FUNDAMENTOS BÁSICOS DO FUTSAL
 Passe: É a ação de enviar a bola a um companheiro ou determinado setor de espaço de
jogo.
 Drible: É a ação individual, exercida com a posse da bola, visando ludibriar um
oponente quando
ultrapassado.
 Cabeceio: É a ação de
cabecear a bola quando é de
defesa muito alta.
 Chute: É a ação de golpear
a bola, estando ela parada
ou em movimento, visando
dar a ela uma trajetória em
direção a um objetivo, seja
este o gol, outro jogador ou
tirá-la de jogo (existem
varias formas de chute).
 Recepção: É a ação de interromper a trajetória da bola vinda de passes ou arremessos.
 Condução: É a ação de progredir com a bola por todos os espaços possíveis de jogo.
 Domínio de bola: Diferentemente do futebol, é realizada, na maioria das vezes, com a
sola do pé.
QUADRA OFICIAL DO FUTSAL
Cultura Corporal Professor Paulo Menezes de Freitas
5
ESTUDO DAS REGRAS DO FUTSAL JOGO
Na verdade, o futsal nada mais é que uma adaptação da versão
de campo (tradicional) a um espaço menor. Em uma quadra que
normalmente tem as mesmas medidas das de handebol e basquete, a
modalidade é disputada por duas equipes com cinco atletas cada (um
goleiro e quatro na linha) e tem por objetivo fazer a bola entrar na
baliza adversária o maior número de vezes.
Uma partida de futsal tem dois tempos de vinte minutos cada.
As diferenças básicas em relação ao futebol de campo estão
justamente nas dimensões. Como o espaço é curto, quando a bola sai
pela linha lateral ela deve ser recolocada em jogo com os pés, e não
com as mãos. As substituições também não acontecem da mesma
forma. Enquanto no campo são permitidas apenas três trocas por
equipe, na quadra as mudanças são ilimitadas e não precisam de autorização do juiz para
acontecer (exceto o goleiro).
Além disso, no futsal os treinadores podem pedir o tempo
técnico, presente em esportes como basquete, vôlei e handebol, mas
não no futebol de campo. Cada comandante tem direito a duas
paralisações de um minuto em cada período.
Apenas os goleiros podem pegar a bola com as mãos na sua
área e a atuação do goleiro com a bola nos pés também é limitada.
Enquanto no campo ele pode agir como jogador de linha sempre que
desejar, no salão só pode ficar com a bola durante quatro segundos,
e depois que passá-la para um companheiro, só poderá recebê-la de
volta depois que ela tiver ultrapassado a linha que divide a quadra ao
meio.
As punições possíveis também são iguais. Um jogador que comete uma falta um pouco
mais dura e merece uma advertência mais expressiva do árbitro recebe um cartão amarelo. A
reincidência ou atitude antidesportiva provocam o cartão vermelho, que exclui o atleta da
partida.
REGRAS IMPORTANTES :
1- O atleta quando expulso da partida não deverá ficar no
banco de reservas e nem retornar a mesma. O seu time ficará 2
minutos com 4 jogadores ou até que sofra um gol; então assim
será permitido entrar um outro jogador para recompor a sua
equipe.
2- A bola estará fora de jogo quando sair completamente
quer pelo solo ou pelo alto das linhas laterais ou de fundo.
3- Quando o atleta da mesma equipe ao cobrar uma falta
atrasa a bola para o goleiro e ela entra diretamente no gol, o
GOL não será válido e deverá ser marcado um arremesso de canto a favor da equipe
adversária.
4- Na hora do pênalti o goleiro deverá ficar sobre a linha do gol, podendo movimentar-
se exclusivamente sobre ela.
Cultura Corporal Professor Paulo Menezes de Freitas
6
5- No lateral ou no escanteio se um atleta arremessar a bola contra a sua própria meta e a
bola penetrar na mesma, tocando ou não no goleiro, o GOL não será válido.
6- No lateral se um atleta arremessar a bola contra a meta adversária e a bola penetrar na
mesma antes tocando em algum jogador, inclusive o goleiro, o GOL será válido.
7- No escanteio se um atleta arremessar a bola contra a meta adversária e a bola penetrar
na mesma, tocando ou não no goleiro o GOL será válido.
8- No arremesso lateral é suficiente que a bola esteja apoiada no solo colocada sobre ou
junto a linha demarcatória da lateral, do lado de fora da quadra de jogo, podendo mover-se
levemente.
9- Se o goleiro demora mais que 4 segundos para executar o arremesso de meta , um tiro
livre indireto (dois lances), será concedido em favor da equipe adversária, colocando-se a bola
sobre a linha da área de meta e no ponto mais próximo onde ocorreu a infração.
EXERCICIOS:
1. Qual fato mais chamou sua atenção no surgimento do
fusal? Em que década surgiu o futsal?
________________________________________________
________________________________________________
________________________________________________
2. Que fatores levaram a prática do futsal?
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
3. Por que o futsal era chamado de “esporte da bola pedada? _______________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
4. Cite os fundamentos básicos do futsal. _______________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
5. Uma equipe de futsal é composta de quantos jogadores ( titulares e reservas )?
___________________________________________________________________________
6. Qual o objetivo do jogo de futsal? Nesse jogo quanto tempo dura uma partida?
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
Cultura Corporal Professor Paulo Menezes de Freitas
7
7. Como acontecem as substituições no futsal? __________________________________
__________________________________________________________________________
8. Cite duas regras que você considera importante deste esporte.
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
9. Cite as principais diferenças entre o futebol de campo e o futsal.
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
10. Explique as punições possíveis no futsal. _____________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
11. Quanto tempo o goleiro possui para passar a bola à um companheiro?
__________________________________________________________________________
12. Desenhe uma partida de futsal ( COLORIDO).
Cultura Corporal Professor Paulo Menezes de Freitas
8
Introdução atletismo
História do Atletismo
O atletismo de diversas outras
modalidades. Originalmente, seu intuito era
premiar o mais forte, o mais alto e o mais
rápido dos homens. Os primeiros indícios de
competições de atletismo datam de 4 mil anos
atrás, quando homens egípcios disputavam
corridas entre si. Na Grécia, o atletismo era o
pilar das Olimpíadas Antigas.Mais adiante, o
atletismo ressurgiria na Inglaterra do século XIX. Nessa época, as corridas se tornaram
populares, e competições eram organizadas de maneira irregular.
Em 1825, provas para amadores foram
disputadas em Uxbridge. Dois anos depois, em Eton,
foi criada a corrida com obstáculos. Em 1834,
surgiriam as primeiras regras oficiais do esporte, mas
apenas para algumas provas. O primeiro torneio
oficial, entretanto, seria organizado somente em
1864, quando as universidades de Oxford e
Cambridge passaram a se enfrentar anualmente.
Na América, os argentinos foram os primeiros a
praticar esse esporte, em 1867. Nos Estados Unidos o
primeiro campeonato nacional foi disputado em 1968.
O atletismo integra o programa das Olimpíadas Modernas desde sua primeira edição,
disputada em 1896, na Grécia. A Federação Internacional de Atletismo Amador (Iaaf), que
regula o esporte até hoje, só seria fundada em 1913, em Londres, na Inglaterra.
De modo geral, o atletismo é praticado em estádios, com exceção de algumas corridas
de longa distância, praticadas em vias públicas ou no campo, como a maratona. O atletismo é
o esporte mais antigo e nobre de todos,
sendo utilizado como base para a
prática de diversas outras modalidades.
Final Olímpica 100 m.l. Atenas 1896
ESTUDO DAS REGRAS DO ATLETISMO
O Atletismo é um esporte composto por diversas modalidades classificadas em:
- Corridas: de curta distância e longa distância, além de provas de revezamento e
com obstáculos e da marcha atlética;
- Saltos: de altura, em distância e triplo;
- Lançamentos e Arremessos: podem ser de dardo, disco, martelo e de peso.
Consiste em lançar o objeto o mais longe possível do ponto inicial.
Cultura Corporal Professor Paulo Menezes de Freitas
9
Nas corridas de curta distância, a explosão
muscular na largada é determinante no resultado
obtido pelo atleta. Por isso, existe um posicionamento
especial para a largada, que consiste em apoiar os pés
sobre um bloco de partida (fixado na pista) e apoiar o
tronco sobre as mãos encostadas no c hão (posição de
quatro apoios). As vozes de comando para a largada
são: “Aos seus lugares”, “Prontos”, “Tiro de
partida”. São frequentes as falsas partidas, quando o
atleta sai antes do tiro de partida, que é o sinal dado
para começar a prova. Qualquer atleta que dê uma
falsa partida será desclassificado.
Contudo, nas provas combinadas (ex decatlo)
cada atleta tem direito a uma falsa partida. Nas provas
mais longas a partida não tem um papel tão decisivo,
e os atletas saiem para a corrida em uma posição mais
natural, em pé, sem poder colocar as mãos no chão.
Existem muitos tipos de provas de atletismo, sendo que cada uma privilegia uma
qualidade atlética do ser humano. Nas Olimpíadas, são disputadas 24 provas diferentes: 100
m, 110 m com barreiras (100 m para mulheres), 200 m, 400 m, 400 m com barreiras, 4 x 100
m, 4 x 400 m, 800 m, 1500 m, 5000 m, 10000 m, 3000 m com obstáculos, salto em distância,
salto triplo, salto em altura, salto com vara, arremesso de peso, arremesso de martelo,
arremesso de disco, arremesso de dardo, maratona, decatlo, heptatlo e marcha atlética.
Veja como funciona cada uma delas:
 100 m rasos: é a prova mais
nobre do atletismo, que premia o
homem e a mulher mais rápido(a) do
mundo. Nela, oito competidores
correm 100 m em linha reta e vence
quem chegar primeiro.



 110 m com barreiras (100 m para mulheres): oito
competidores têm de percorrer a distância predefinida pulando
as dez barreiras que existem no percurso. Vence quem cruzar
primeiro a linha de chegada
Cultura Corporal Professor Paulo Menezes de Freitas
10
 200 m rasos: segue a mesma linha
dos 100 m, mas com o dobro da distância. A
largada acontece na curva da pista, com os
atletas posicionados em marcas que não ficam
exatamente umas ao lado das outras, para que o
competidor que largue na parte interna da pista
não saia com vantagem.
 400 m rasos: corresponde a uma
volta inteira na pista de atletismo. A largada se
dá no mesmo estilo dos 200 m rasos.
 400 m com barreiras: segue a
mesma linha dos 110 m com barreiras (100 m para mulheres), mas as dez barreiras nesse
caso são um pouco menores (veja mais no item Local).
 Revezamento 4 x 100 m: uma equipe
formada por quatro atletas deve percorrer 400 m
(100 m cada atleta), sendo que ao fim de sua
participação o atleta deve passar um bastão para o
seu companheiro. Essa troca pode ocorrer em um
espaço limitado de 20 m. Caso ultrapasse essa
marca, a equipe poderá ser desclassificada. Se o
bastão cair, somente aquele que o derrubou poderá
pegá-lo novamente.
 Revezamento 4 x 400 m: segue a mesma linha do revezamento 4 x1 00m, mas
a distância percorrida por cada atleta é quatro vezes maior.
 800 m: é uma prova de meia-distância, na qual os
competidores devem percorrer toda a extensão da pista de
atletismo duas vezes. Vence aquele que cruzar primeiro a
linha de chegada.
 1500 m: outra prova de meia-distância. Segue a
mesma linha das outras provas de velocidade, consagrando
aquele que primeiro cruzar a linha de chegada.
 5000 m: é conhecida como uma prova de fundo,
por não se tratar apenas de uma competição de velocidade.
Vence aquele que cruzar primeiro a linha de chegada.
 10000 m: é a prova do atletismo mais longa
disputada dentro de um estádio. Assim como em todas as
outras de velocidade, vence quem cruzar primeiro a linha de chegada.
 3000 m com obstáculos: inspirada no
hipismo, a prova consiste em um percurso de
3000 m que contém barreiras seguidas de
pequenos lagos como obstáculos. Vence aquele
que cruzar primeiro a linha de chegada.
 Salto em distância: prova na qual os
atletas devem percorrer uma raia correndo para
ganhar impulsão e saltar antes de uma faixa
branca marcada no chão, caindo com os dois pés
em uma caixa de areia. Vence aquele que
conseguir saltar o mais longe possível.
 Salto triplo: segue a mesma linha do salto em distância, mas o pulo final deve
acontecer após uma série de duas passadas mais largas, que servem para dar impulsão ao
atleta. Vence quem saltar o mais longe possível.
Cultura Corporal Professor Paulo Menezes de Freitas
11
 Salto em altura: prova na qual os atletas correm em direção a uma barra
horizontal presa por dois suportes em determinada altura, com o intuito de saltar por cima
do obstáculo sem derrubá-lo. Esse salto
normalmente é feito de costas, pois tal
movimento aumenta a impulsão do atleta.
Cada competidor tem direito a três saltos
iniciais a uma altura definida pelo juiz.
Caso consiga acertar um, o competidor
segue na disputa e precisa subir a medida
do obstáculo em pelo menos dois
centímetros. O salto mais alto conta como
resultado final de cada atleta, e aquele que
conseguir a maior altura é o campeão. Em
caso de empate, será vencedor aquele que deu menos saltos para alcançar sua marca. Se a
igualdade persistir, o número de erros será avaliado. Se ainda assim a disputa continuar
empatada, os dois ganham medalhas, exceto na briga pelo ouro, em que há um salto
adicional.
 Salto como vara : segue a mesma
linha de disputa do salto em distância. A
diferença é que os saltos são dados com o
auxílio de uma vara, o que faz o atleta subir
mais. Vence aquele que conseguir a maior
altura.
 Arremesso de peso: nessa prova, os
atletas precisam arremessar uma bola de metal com
apenas uma mão o mais longe possível, e o peso deve
partir da altura do ombro do competidor. Só é
contado o melhor arremesso de cada atleta, e aquele
que conseguir lançar o peso mais longe será
considerado vencedor.
 Arremesso de disco: segue a
mesma linha das outras provas de arremesso,
só que o objeto lançado é um disco, que deve
ficar contra os dedos da mão e o antebraço. O
arremesso deve ser feito dentro de uma área
de 2,5 m de diâmetro, e o competidor pode
girar sobre o seu próprio eixo uma vez antes
de lançá-lo.
Cultura Corporal Professor Paulo Menezes de Freitas
12
 Arremesso de dardo: segue a mesma linha
das outras provas de arremesso. Nela, o “peso” é um
dardo longo e fino, que deve ser lan çado com apenas
uma das mãos depois de uma corrida curta de 4 m.
Vence quem jogá-lo à maior distância.
 Arremesso de martelo: segue a mesma
linha do arremesso de peso, só que, nesse caso, o
peso é uma bola de ferro presa a um arame
metálico, e os atletas podem fazer o arremesso
com as duas mãos, dentro de uma área
previamente delimitada. Para ganhar impulso, o
atleta gira o martelo três vezes sobre a própria
cabeça e outras três vezes sobre o seu eixo, para
somente depois lançá-lo. Vence quem fizer o
arremesso mais longo.
 Maratona: uma das provas mais tradicionais das
Olimpíadas. Nela, competidores percorrem uma distância de
42,195 km, normalmente em ruas abertas,m sendo que os 400
m finais da prova geralmente são realizados dentro do estádio.
Vence quem cruzar primeiro a linha de chegada.
 Decatlo: é uma competição que reúne dez provas do
atletismo e pode ser disputada apenas por homens. Eles
competem nos 100 m, salto em distância, arremesso de peso,
salto em altura, 400 m, 110 m com barreiras, arremesso de
disco, salto com vara, arremesso de dardo e 1500 m. Os atletas
somam pontos de acordo com seus desempenhos em cada prova, e vence aquele que
conseguir mais pontos no fim da disputa.
 Heptatlo: é a versão feminina do
decatlo, na qual são disputadas somente sete
provas: 100 m com barreiras, salto em
altura, arremesso de peso, 200 m, salto em
distância, arremesso de dardo e 800 m.
Vence quem somar mais pontos no fim da
disputa.
 Marcha atlética: é uma prova na
qual os atletas só podem andar. Para que essa regra não seja descumprida, o calcanhar do
pé da frente do atleta deve ficar em contato com o solo até que a ponta do pé posterior
toque o chão. As provas podem ser disputadas em 20 km ou 50 km. Vence quem cruzar
primeiro a linha de chegada, que, assim como acontece na Maratona, está posicionada
dentro do estádio.
Cultura Corporal Professor Paulo Menezes de Freitas
13
Local, técnicas e equipamentos
Local
Boa parte das provas de atletismo é disputada dentro do Estádio Olímpico, com exceção feita
à maratona e à marcha atlética. As provas de salto e arremesso são disputadas em estruturas
específicas dentro do campo, enquanto as de velocidade são realizadas em uma pista que
mede 400 metros e tem oito raias. As corridas avançam em sentido anti-horário, que
contornam o campo.
Nos 110 m com barreira (100m para mulheres), as barreiras utilizadas devem ter 1,067
m para os homens e 84 cm para as mulheres. Já nos 400m com barreira, os obstáculos devem
ter 91,4 cm de altura para os homens e 76,2 cm para as mulheres.
Nas provas de 3000 m com obstáculos, tais obstáculos devem consistir em uma barreira
de quase 1 m de altura e lagos de pouca profundidade, com 3,66 m de comprimento.
Em todas as provas de arremesso, a área para qual o peso deve ser lançado precisa estar
livre, sem que qualquer pessoa nela permaneça, para que não haja risco de acidentes. Para as
provas de arremesso de martelo e peso, são montadas estruturas de metal em volta da área de
lançamento, de modo que um erro não faça com que o peso acerte uma pessoa.
Nas provas de salto em distância e salto triplo, os pulos devem ser executados em
direção a uma caixa de areia com superfície praticamente regular, de modo que os
organizadores consigam medir perfeitamente a distância atingida.
http://www.brasilescola.com/educacaofisica/atletismo.htm
http://esporte.hsw.uol.com.br/pan-atletismo3.htm
Cultura Corporal Professor Paulo Menezes de Freitas
14
Curiosidades
1. Atualmente, o nome de maior destaque mundial no atletismo é Usain Bolt. Aos
22 anos, ele tornou-se o primeiro na história a vencer os 100 m rasos e os 200 m rasos com
recordes mundiais nas duas provas, 9s69 e 19s30, respectivamente. Antes, nove atletas já
haviam conseguido vencer as duas provas mais rápidas do atletismo na mesma Olimpíada,
mas não com tamanha rapidez. O último a conseguir o feito havia sido o norte-americano
Carl Lewis, 24 anos antes, em Los Angeles-1984.
2. Carl Lewis, aliás, é o maior vencedor da história do atletismo. São nove ouros
e uma prata em quatro Jogos Olímpicos (1984, 1988, 1992 e 1996). Foram dois primeiros
lugares nos 100 m, um nos 200 m rasos, dois no revezamento 4 x 100 m, e quatro no salto
em distância, além de uma prata nos 200 m rasos.
3. No Brasil, o episódio mais conhecido de doping no atletismo é o da saltadora
Maurren Maggi. Campeã Pan-Americana em 1999, em Winnipeg, no Canadá, no salto em
distância, a atleta foi pega no exame em 2003, próximo aos Jogos de Santo Domingo, na
Republica Dominicana. A substância encontrada foi o clostebol, que faz parte da
composição de um creme cicatrizante aplicado pela atleta na virilha após uma sessão de
depilação definitiva. Maggi foi suspensa por dois anos. A atleta abandonou a carreira depois
disso e só retomou os treinos em 2006, de olho em Pequim. Nos Jogos Olímpicos de 2008,
Maurren surpreendeu o mundo ao conquistar a medalha de ouro no salto em distância.
4. Na edição de 1936 das Olimpíadas, realizada em Berlim, na Alemanha, em
plena Segunda Guerra Mundial, o atleta Jesse Owens, negro, frustrou as expectativas do
ditador nazista de comprovar a teórica supremacia da raça ariana. Owens conquistou quatro
ouros nas provas de 100 m e 200 m rasos, no revezamento 4 x 100 m e no salto em distância.
QUESTIONÁRIO
1. Originalmente, qual era o intuito do atletismo? _______________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
2. Onde surgiram os primeiros indícios do atletismo? ____________________________
__________________________________________________________________________
3. Qual foi o primeiro país da América a disputar o atletismo? _____________________
___________________________________________________________________________
4. Desde quando o atletismo faz parte dos Jogos Olímpicos? ______________________
___________________________________________________________________________
5. Qual é a prova mais nobre do atletismo? ____________________________________
___________________________________________________________________________
6. Qual prova é conhecida como prova de fundo? _______________________________
___________________________________________________________________________
7. Qual destas provas é inspirada no hipismo? __________________________________
___________________________________________________________________________
8. Em qual prova a largada é realizada na curva da pista? _________________________
___________________________________________________________________________
Cultura Corporal Professor Paulo Menezes de Freitas
15
9. Quais são as 4 provas de saltos que se englobam nas provas de
Atletismo?__________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
10. Que 4 tipos de lançamentos se realizam nas provas de Atletismo? ________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
11. Nas corridas, além do fundo e do meio fundo, que outras especialidades completam
esta modalidade? _____________________________________________________________
___________________________________________________________________________
12. Nas provas combinadas e na marcha, surgem algumas diferenças entre as competições
de pista coberta e as competições ao ar livre. Quais são essas diferenças?
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
13. Quais são as 3 "vozes de comando" utilizadas nas corridas de velocidade?
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
14. Qual a distância percorrida numa volta à pista oficial de Atletismo?
___________________________________________________________________________
15. Cite o nome de atletas brasileiros e as modalidades do atletismo em que foram
medalhados em Jogos Olímpicos? _______________________________________________
___________________________________________________________________________
Responda as questões marcando a alternativa correta:
1. Sobre as modalidades do atletismo. Assinale a opção que preenche corretamente a
lacuna a seguir.
"_____________________": Essa prova equivale a 3 3/4 voltas da pista de atletismo. Os
competidores se posicionam atrás da linha de partida, que fica a 300 m da linha de chegada e
é medida com base na raia interna da pista. Todos os atletas largam em pé e sem a ajuda de
blocos de partida. Ao iniciar a última volta da prova, o esportista é informado pelo árbitro que
está posicionado na linha de chegada, tocando um sino em sinal de aviso.
a) 5000 m (masculino e feminino)
b) 200 m (masculino e feminino)
c) 400 m (masculino e feminino)
d) 1500 m (masculino e feminino)
Cultura Corporal Professor Paulo Menezes de Freitas
16
2. Em uma prova de 110 m com barreira, no atletismo, o atleta derruba a barreia sem intenção,
mas chega em 1° lugar, o que acontece? Marque a alternativa correta.
a) é campeão
b) está eliminado
c) faz-se outra prova
d) perde posição
3. Peso, disco, dardo e martelo são aparelhos que pertencem a qual modalidade esportiva?
Marque a alternativa correta:
a) Handebol
b) Esgrima
c) Tiro ao alvo
d) Atletismo
4. Sobre as regras do atletismo, leia as afirmações a seguir.
I. Decatlo: corridas rasas de 100 metros, 400 metros (m) e 1,500 m, corrida com barreiras de
110m; lançamento de disco, peso e dardo; salto em altura, extensão e com vara. Faz parte do
programa dos Jogos Olímpicos desde 1912.
II. Heptatlo: 100 m com barreiras, lançamento de peso, salto em altura, 200 m rasos, salto em
distância, lançamento de dardo e 800 m rasos. Está nos Jogos desde 1984.
III. 3.000 m com obstáculos: inclui 4 obstáculos secos e 1 obstáculo do fosso a cada volta na
pista. A prova, com influência hípica, entrou nos jogos em 1990.
IV. Lançamento de dardo: no masculino, seu peso total não pode passar de 800 gramas e o
seu comprimento varia de 2,60 a 2,70 m. Seu diâmetro varia de 2,5 a 3 cm. No feminino, o
peso total é 600 g, o comprimento varia de 2,20 a 2,30 m. e o diâmetro varia de 2 a 2,25 cm.
O lançamento é feito de uma pista, onde o lançador corre cerca de quinze passadas.
Há coerência em
a) I, II, III, IV.
b) II, IV apenas
c) I, II, III apenas
d) II, III apenas
e) I, III, IV apenas
5. Marque a alternativa correta. No que diz respeito à saídas das provas de velocidade:
a) A corrida é iniciada após o árbitro de partida pronunciar "as suas marcas".
b) È considerada falsa a saída em que um competidor deixa sua posição de partida, com as
mãos ou com os pés, antes do disparo do revólver.
c) Caso o atleta cometa duas saídas falsas terá o direito a apenas mais uma saída.
d) Os atletas não são obrigados a utilizarem o bloco de partida.
6. Na corrida São Silvestre tradicionalmente realizada na cidade São Paulo que distância deve
ser percorrida pelos atletas?
a) 15km
b) 42.195m
c) 42 KM
d) 40.000 m
Cultura Corporal Professor Paulo Menezes de Freitas
17
Ginástica: As diferentes formas de ginástica
A ginástica é uma forma de exercícios físicos que é classificada em duas modalidades,
as competitivas onde existe competição, como nas olimpíadas e também as não competitivas,
como as praticadas em academias. A ginástica muitas vezes é procurada para quem quer
melhorar o corpo, emagrecer ou até mesmo fortalecer os músculos e também melhorar o
aperfeiçoamento mental em forma de relaxar a mente.
A ginástica desenvolveu-se efetivamente na Grécia antiga, a partir dos exercícios que os
soldados praticavam, incluindo habilidades e também acrobacias.
A palavra Ginástica, surgiu do grego Gymnastiké, que é a arte de fortificar o corpo e
também dar-lhe agilidade. Ela se tornou um esporte olímpico a partir da Grécia, pois os
gregos começaram a utilizar nas Olimpíadas de Atenas no ano de 1896, mas só para os
homens. E foi no ano de 1928 que a participação das mulheres foi liberada em Amsterdã.
Como foi citado no começo do texto a ginástica é classificada em duas modalidades, as
competivas e não competitivas.
Entre as competitivas estão:
- Ginástica acrobática: que tem como objetivo fazer acrobacias de forma que se tenha
habilidade, força, equilíbrio, flexibilidade e também é realizada em equipe;
- Ginástica artística: também é uma forma que se deve ter força, equilíbrio e habilidade, um
exemplo, é o cavalo de alças;
- Ginástica rítmica: esta modalidade envolve movimentos em forma de dança em variados
tipos e dificuldades e também com a utilização de pequenos equipamentos;
- Ginástica de Trampolim: nesta modalidade são usados um e dois trampolins para um ou dois
atletas que devem executar uma série de dez elementos;
Entre as não-competivas estão:
- Ginástica Circense: consistem em realizar movimentos de flexibilidade poucos comuns e
geralmente é mais usado em espetáculos de circo;
- Ginástica cerebral: praticada através de exercícios e movimentos coordenados do corpo que,
executados de maneira apropriada, acessam e estimulam partes específicas do cérebro;
- Ginástica laboral: geralmente praticada no ambiente de trabalho para funcionários, durante o
horário de trabalho, para se evitar lesões de esforços repetitivos;
- Ginástica localizada de academia: são os exercícios feitos em academias que ajudar o
condicionamento físico e também emagrecer e para alguns também o fortalecimento
muscular.
- Hidroginástica: melhora a capacidade aeróbica e cardiorrespiratória e como o nome já diz é
uma ginástica praticada na água;
Além de muitos procurarem ela para dar formas ao corpo e também ajudar a emagrecer,
ela também é mostrada como forma de arte, como por exemplo, a ginástica olímpica. A
Cultura Corporal Professor Paulo Menezes de Freitas
18
ginástica não consiste apenas em exercícios feitos em academia, de certa forma ela é tudo que
faz você movimentar seu corpo de forma que se exercite.
A História da Ginástica Olímpica
"A Ginástica é um esporte tanto emocionante quanto belo, que não requer somente
coragem de seus adeptos como também graça e domínio
do corpo."
http://www.canalolimpico.com.br/artigos/a-
historia-da-ginastica-olimpica/
Ginástica Olímpica, mais conhecida como
Ginástica Artística, é um esporte incrível e já muito
tradicional nas Olimpíadas. Inclusive as participações das
ginastas Brasileiras tem sido a cada ano melhores e mais
competitivas. O que é mais legal, o número de adeptos a
este belo esporte, cresce a cada ano. Por isso hoje vamos
conhecer um pouco da História da Ginástica Olímpica.
“A Ginástica é um esporte tanto emocionante
quanto belo, que não requer somente coragem de seus
adeptos como também graça e domínio do corpo.” Frase
retirada do livro “O Prazer da Ginástica”.
A Ginástica Olímpica é um
conjunto de exercícios corporais
sistematizados, aplicados com fins
competitivos, em que se conjugam a
força, a agilidade e a elasticidade. O
termo ginástica origina-se do grego
gymnádzein, que significa "treinar" e, em
sentido literal, "exercitar-se nu", a forma
como os gregos praticavam os exercícios.
A Origem da Ginástica
A Ginástica, ainda não Olímpica, muito menos
Artística, e sim como uma mera prática de exercícios
físicos, vem ainda lá da Pré-História. A Ginástica tinha
detinha um papel importante para a sobrevivência do
homem Pré-Histórico, expressada, principalmente, na
necessidade vital de atacar e defender-se. O exercício
físico utilitário e sistematizado de forma rudimentar era
transmitido através das gerações e fazia parte dos jogos,
rituais e festividades. Mais tarde, na antiguidade,
principalmente no Oriente, os exercícios físicos
apareceram nas várias formas de luta, na natação, no
remo, no hipismo e na arte de atirar com o arco, além de
figurar nos jogos, nos rituais religiosos e na preparação
militar de maneira geral.
Cultura Corporal Professor Paulo Menezes de Freitas
19
Como prática esportiva, a ginástica teve sua oficialização e regulamentação tardiamente,
se comparada a seu surgimento enquanto mera condição de prática metódica de exercícios
físicos, já encontrados por volta de 2 600 a.C., nas civilizações da China, da Índia e do Egito,
onde valorizava-se o equilíbrio, a força, a flexibilidade e a resistência, utilizando, inclusive de
materiais de apoio, como pesos e lanças.
A História da Ginástica Olímpica (propriamente dita)
A ginástica artística, agora sim, teria surgido, segundo estudos, na Grécia Antiga, como
forma de atividade física atlética, e no Egito Antigo, onde as pessoas realizavam acrobacias
circenses nas ruas com o intuito de entreter os transeuntes. Como a prática constante
desenvolvia habilidades corporais
importantes, como a força e a elasticidade,
ela passou a ser adaptada ao treinamento
militar. O mesmo uso fora feito na Grécia
Antiga – onde a ginástica continuou a
desenvolver-se. Contudo, em Roma, o
apreço pela modalidade artística enquanto
treinamento caiu em desuso, e a ginástica
passou a restringir-se apenas a apresentações
de circo que inspiravam os soldados antes
das batalhas, enquanto estes davam à
ginástica outros valores em termos de
preparação militar.
Desse modo, não tardou para que a
Federação Internacional de Ginástica (FIG)
– uma das entidades esportivas mais antigas
do mundo – fosse fundada em 1891. Cinco
anos depois, a modalidade fora incluída no
programa dos primeiros Jogos Olímpicos
modernos, realizados em Atenas, na Grécia.
Por razões da origem do nome, a entrada das
mulheres nas competições, só se deu na edição de 1928 das Olimpíadas, que aconteceu em
Amsterdã, na Holanda. O referido nome incluía a prática nua por parte dos ginastas. Por esta
razão, os homens, nos primeiros Jogos, competiam despidos da cintura para cima. Com a
providência de vestirem-se por completo, as mulheres puderam estrear nos campeonatos.
Pintura do italiano Giovanni Battista
Tiepolo, chamada Polichinelo e os
acrobatas de 1797, época em que a
ginástica renascia em apresentações
públicas. A obra encontra-se no Museu
Settecento Veneziano.
=> =>
Cultura Corporal Professor Paulo Menezes de Freitas
20
Ginástica Olímpica Masculina
Os homens competem em seis aparelhos – salto sobre o cavalo, barras paralelas, cavalo
com alças, barra fixa, solo e argolas. A nota inicial das séries masculinas é 8.6. Para atingir a
nota máxima de partida – 10 pontos – os ginastas devem executar, além dos movimentos
obrigatórios, elementos extras que bonificam suas rotinas. Os exercícios são: Solo, Cavalo
com Alças, Argolas, Salto sobre o cavalo, Barras Paralelas e Barra fixa.
Ginástica Olímpica Feminina
A Ginástica Olímpica Feminina, modalidade constituída por quatro aparelhos, ou
provas, onde as ginastas apresentam-se na ordem olímpica. Os exercícios de competição são:
Salto sobre o cavalo, Barras paralelas assimétricas, Trave de equilíbrio e Solo.
Os exercícios básicos da Ginástica Olímpica são: Vela,
Aviões, Esquadros, Parada de três apoios, Rolamento para
frente, Rolamento para frente afastado Rolamento para frente
carpado, Rolamento para trás grupado, rolamento para trás
afastado, Rolamento para trás carpado, Parada de mãos,
Parada de mão, rolamentos, Pontes, Roda, Rondada,
Reversão simples, Reversão com uma perna.
Regras
As disputas de ginástica podem acontecer em oito
provas diferentes: salto sobre cavalo, cavalo com alças,
argolas, barra fixa, barras paralelas, trave, barras
assimétricas e solo.
Em tese, a pontuação máxima é 10, mas a nota de
dificuldade é praticamente inviável de ser atingida na prática,
já que não é possível para o atleta fazer todos os movimentos
predeterminados em apenas uma apresentação. A nota “A” é dada por dois juízes. Já a nota
“B” é concedida por seis juízes, que partem de notas 10 e vão descontando pontos a cada erro
de execução dos movimentos. A maior e a melhor nota são descartadas. Em todos os
aparelhos, a avaliação final é feita pela média de pontos de cada participante.
Conheça como funciona cada uma das provas:
Cavalo com alças: somente disputada por
homens. Nela, os ginastas devem tocar apenas
nas alças do equipamento (que precisam ser
paralelas e estar fixadas verticalmente na
superfície do aparelho) com as mãos, sem tocar
no cavalo, fazendo movimentos circulares com o
corpo.
Cultura Corporal Professor Paulo Menezes de Freitas
21
Salto sobre cavalo: é disputado por homens e mulheres. Nele, os atletas correm por
uma pista, pulam em um trampolim, apóiam-se no cavalo (aparelho) e fazem movimentos no
ar antes de tocarem o chão no outro lado do equipamento. O atleta deve avisar qual salto irá
realizar antes de executá-lo, para que seja estabelecido o valor de partida da nota “A”.
Imagens Comitê Olímpico Brasileiro
Crédito: Washington Alves/COB/Divulgação
Argolas: também disputada apenas entre os homens. É
considerada a prova masculina mais difícil, pois o atleta
é obrigado a ficar pelo menos dois segundos em posição
vertical ou horizontal ao solo, e as argolas não podem se
mexer durante a apresentação. Como elas ficam ao
alcance das mãos dos ginastas, não há nenhum tipo de
equipamento que os auxilie a iniciar o exercício.
Barra fixa: mais uma prova disputada somente na
categoria masculina. Nela, o ginasta tem de se
movimentar segurando uma barra fixa, não podendo ficar
parado durante a apresentação, sob o risco de ser
penalizado com a perda de pontos.
Cultura Corporal Professor Paulo Menezes de Freitas
22
Barras paralelas: disputada somente por
homens. Nela, o ginasta deve se apoiar em duas
barras paralelas, mas só pode realizar
movimentos com uma das mãos tocando as
barras.
Trave: disputada somente por mulheres. É
considerada a prova feminina mais complicada.
Nela, as ginastas ficam em pé e têm de andar
sobre uma barra mais larga, devendo executar
movimentos sem cair da mesma.
Barras assimétricas: duas barras são posicionadas
de forma paralela, e a ginasta deve se movimentar entre
elas. Elas iniciam a execução das acrobacias com um
salto no trampolim e terminam com um salto no colchão.
Toda a performance é avaliada.
Solo: disputada por homens e mulheres. Os homens
realizam movimentos sem acompanhamento musical
em um intervalo de tempo que varia entre 50 e 70
segundos. Já a apresentação feminina, cuja duração
vai de 70 a 90 segundos, acontece com uma música
de fundo.
A forma de pontuação da ginástica é complicada. As
apresentações recebem sempre dois tipos de nota. A nota “A” se
refere à dificuldade dos movimentos exercidos pelos atletas,
enquanto a “B” avalia a execução das acrobacias.
Cultura Corporal Professor Paulo Menezes de Freitas
23
QUESTIONÁRIO
1) Qual dessas provas é disputada apenas entre homens?
Salto sobre cavalo B) Trave C) Barras paralelas
2) Em 2000, um grande passo foi dado para o desenvolvimento da ginástica artística no
Brasil. Qual foi esse passo?
A) A criação da Confederação Brasileira de Ginástica (CBG)
B) Daiane dos Santos conseguiu o primeiro ouro do Brasil e apoio para a modalidade
C) Foi criado o Centro Olímpico em Curitiba (PR)
3) Circule os aparelhos praticados apenas na ginástica masculina
Cavalo com alças Salto sobre o cavalo Argolas
Trave de equilíbrio Barras paralelas Barra fixa Barras assimétricas
4) Qual é a altura que as argolas ficam na prova ginástica masculina?
2,55 m B) 1,75 m C) 1,35 m
5) De onde se originou a o termo Ginástica?________________________________
___________________________________________________________________
6) Leia as definições abaixo e faça a correspondência correta :
Ginástica rítmica - Ginástica acrobática - Ginástica de Trampolim - Ginástica artística
(_______________________________ ): que tem como objetivo fazer acrobacias de forma
que se tenha habilidade, força, equilíbrio, flexibilidade e também é realizada em equipe;
(_______________________________ ): também é uma forma que se deve ter força,
equilíbrio e habilidade, um exemplo, é o cavalo de alças;
(_______________________________ ): esta modalidade envolve movimentos em forma de
dança em variados tipos e dificuldades e também com a utilização de pequenos equipamentos;
(_______________________________ ): nesta modalidade são usados um e dois trampolins
para um ou dois atletas que devem executar uma série de dez elementos;
7) Cite os aparelhos praticados na Ginástica Olímpica Masculina. ____________________
________________________________________________________________________
8) Quem foi o primeiro homem brasileiro a conquistar uma medalha do ouro em Copa do
Mundo de ginástica?
A) Mosiah Rodrigues B)Victor Rosa C) Diego Hypólito
Cultura Corporal Professor Paulo Menezes de Freitas
24
9) Duas barras são posicionadas de forma paralela, e a ginasta deve se movimentar entre elas.
Como é chamada essa prova?
A) Barra Fixa B) Barra Paralela C) Barra Assimétrica
10) Qual dessas provas é disputada apenas entre homens?
A) Salto sobre o cavalo B) Trave C) Barra Paralela
FIQUE SABENDO UM POUCO MAIS....
Leia com atenção e responda as questões abaixo:
Ginástica laboral é o conjunto de práticas de exercícios físicos realizados no
ambiente de trabalho (donde o qualificativo laboral), com a finalidade de colocar previamente
cada pessoa — e todos — da equipe ou grupo de trabalho bem preparadas para o exercício do
labor diário. Usualmente baseia-se em técnicas de alongamento, distribuídas pelas várias
partes do corpo, dos membros, passando pelo tronco, à cabeça, sendo, de ordinário, orientada
ou supervisionada por um educador físico.
Os benefícios da Ginástica Laboral podem ser evidenciados por conta do preparo
constante da musculatura do corpo, principalmente das musculaturas sobrecarregadas, para o
expediente de trabalho e por "quebrar'' a rotina e proporcionar alívio psicológico e interação
entre os profissionais. Diminui o esforço na execução das tarefas diárias; Facilita a adaptação
ao posto de trabalho; Melhora a condição do estado de saúde geral;
Quais são os exercicios utilizados na ginástica LaboraL?__________________________
___________________________________________________________________________
Por que a Ginástica Laboral faz bem? _________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
Onde a Ginástica Laboral é feita? _____________________________________________
___________________________________________________________________________
A ginástica laboral pode ser definida como uma atividade física que :
A) tem como objetivo fazer acrobacias de forma que se tenha habilidade, força,
equilibrio, flexibilidade e também é realizada em equipe;
B) também é uma forma que se deve ter força, equilibrio e habilidade, um exemplo, é o
cavalo de alças;
C) geralmente é praticada no ambiente de trabalho para funcionários, durante o horário de
trabalho, para se evitar lesões de esforços repetitivos;
Cultura Corporal Professor Paulo Menezes de Freitas
25
Basquetebol: História do Basquetebol - Parte 1
Estávamos no ano de 1891, na cidade de
Springfield (estado de Massachussets, nos Estados
Unidos), em uma escola chamada Springfield College,
da Associação Cristã de Moços. O inverno era rigoroso
e impossibilitava a prática do beisebol e futebol
americano, pois os campos eram abertos e estavam
cobertos pela neve. Foi então que Luther Gullick, diretor
do colégio, ou pediu ao professor canadense James
Naismith, que pensasse em tipo de jogo que pudesse ser
praticado também em ambientes fechados, como salas
de ginásticas.
"James Naismith nasceu em 1861. Formou-se
em Artes em 1883 e, em 1890 forma-se pastor (era
casado e teve 5 filhos). Criou o basquete em 1891, mas
conseguiu o diploma de Ed. Física somente em 1910. Foi professor e diretor universitário em
diversas áreas, além de técnico de
basquetebol, carreira que encerrou em
1912, com 53 vitórias e 58 derrotas.
Faleceu em 1940, aos 79 anos."
Após muitas reflexões, James
Naismith pediu a um funcionário que
trouxesse duas caixas para serem pregadas
na parede; o funcionário não encontrou as
caixas, mas trouxe dois cestos de pêssego,
que foram pendurados na sala de
ginástica. A partir daí, o professor
Naismith criou 13 regras, que
constituíram um jogo chamado por ele de
BASKETBALL (que em português
significa bola ao cesto).
Os alunos logo gostaram desse novo jogo, que foi se espalhando pelas escolas da
Associação Cristã de Moços do mundo todo, chegando ao Brasil logo em 1894, com o nome
de BASQUETEBOL.
Assim era a cesta de pêssegos usada quando o basquete foi inventado. Ela era
fechada embaixo porque só valiam os pontos
quando a bola permanecia lá dentro. As cestinhas
com redes, presas em aros de ferro, foram adotadas
em 1896. Ao lado da cesta, sempre havia uma
escada ou um bastão para sua retirada. Logo depois,
criou-se um dispositivo para abrir o fundo da rede
com a ajuda de um barbantinho. O formato atual
passou a ser utilizado em 1898.
CURIOSIDADE
Hoje, o basquetebol é jogado por duas equipes com
5 jogadores cada. No início, não havia esse limite,
tendo ocorrido jogos com mais de 30 jogadores ao
mesmo tempo!!!
Cultura Corporal Professor Paulo Menezes de Freitas
26
Conhecendo o Basquetebol - Parte 2
CONHECENDO O BASQUETE
Com certeza você já ouviu falar sobre basquete, não é mesmo?
Mas será que você saberia escrever o que é o basquete? Mãos a
obras! Aproveite as linhas abaixo e responda o que é esse tal de
basquetebol.
"O Basquetebol é jogado por duas equipes de cinco jogadores cada uma. O objetivo de cada
equipe é o de jogar a bola dentro da cesta do adversário e evitar que a outra equipe se apodere
dela ou faça pontos. A bola poderá ser passada, arremessada, batida por tapas, rolada ou
driblada em qualquer direção, respeitadas as restrições impostas pelas regras do jogo".
(definição pelas Regras Oficiais do Basketball, Fiba 2000-2002).
A quadra oficial de basquete deve medir 28 metros de comprimento por 15 metros de largura.
Deve ter um círculo central e dois garrafões, próximo às linhas de fundo da quadra, onde
também se localiza a tabela e a cesta (aro). Para completar, temos a linha de 3 pontos.
Jogadores:
Cada equipe é composta por 5 jogadores na quadra e até 7 jogadores no banco de reservas. De
acordo com as características de cada jogador, ele pode jogar em posições básicas de ataque:
Armador - Como característica física, esse atacante
normalmente é o menor e mais rápido da equipe.
Tecnicamente, deve passar e driblar bem, sendo habilidoso.
O tipo de arremesso mais utilizado pelo armador é o jump
de longa distância, em função da região em que atua na
quadra (bem longe da cesta). O armador deve ter uma boa
visão de jogo, sabendo decidir com vantagem o momento
exato de passar a um companheiro ou arremessar à cesta.
Pivô - Por jogar em uma região mais próxima da cesta,
onde normalmente a defesa concentra grande força e atenção, o pivô deve ser alto e forte. Em
termos técnicos, é uma posição que exige um bom trabalho de pernas (para fintas e giros), a
Cultura Corporal Professor Paulo Menezes de Freitas
27
utilização de arremessos de curta distância (jump e gancho) e boa noção de posicionamento
para o rebote ofensivo.
Ala - Em relação às qualidades físicas, é um jogador de estatura média e que não deve ser
muito lento. A principal característica técnica para esta posição é um bom arremesso de meia
distância. O lateral deve ter boa noção de rebote, pois normalmente tem a oportunidade de
participar do mesmo, devido ao local da quadra em que atua.
Pontuação:
O Basquetebol é um jogo em que duas equipes buscam fazer o
maior número de pontos, acertando a bola na cesta. As cestas
podem valer 1, 2 ou 3 pontos.
Basquetebol: Fundamentos - Parte 3
Os Fundamentos do Basquetebol
Controle de corpo:
É a capacidade de realizar movimentos e gestos específicos do basquetebol, exigidos pela
própria dinâmica do jogo. Esses gestos e movimentos são as várias formas de controlar o
corpo com saídas rápidas, paradas bruscas, mudanças de direção, corridas, finta, giros, saltos,
etc...
- posição básica, movimentação lateral, para frente e para trás, paradas rápidas, partidas
bruscas, a corrida, os saltos, as fintas, as mudanças de direção e de passo, e os giros.
Manejo da Bola:
É a capacidade de manusear a bola nas diversas situações do
jogo.
Deve-se oferecer aos praticantes a oportunidade de conhecer as
diversas possibilidades de movimentos com a bola, como:
rolar, tocar, quicar, segurar, lançar, trocar de mãos e
movimentá-la em relação a diversos planos do corpo.
- Modos de segurar e receber a bola (empunhadura) e
percepção da bola com o corpo, espaço, ritmo e direção.
Cultura Corporal Professor Paulo Menezes de Freitas
28
Passes:
São lançamentos da bola entre elementos de uma mesma equipe que constitui numa
maneira de levar a bola de um ponto a outro da quadra sem infringir as regras do basquetebol.
Este fundamento é executado mediante lançamentos da bola entre elementos da
mesma equipe, com o objetivo de conseguir um melhor posicionamento na quadra, para maior
facilidade na obtenção de uma cesta.
Os passes podem ser executados com uma ou ambas as mãos.
É o elemento técnico que traduz de forma mais objectiva a comunicação entre dois
jogadores da mesma equipa. O seu êxito depende dos seguintes factores:
 Preparação de quem recebe a bola;
 Qualidade de quem passa (posição, técnica escolhida e sua execução correta);
 “Tempo” de execução do passe;
 Nível de oposição defensiva existente.
Tipos de Passe
1. Passe de peito com duas mãos;
2. Passe por cima da cabeça com duas mãos;
3. Passe com uma mão por cima do ombro.
4. Passe Quicado
5. Passe de Gancho
Passe de Peito
Trazendo já bola junto ao peito, com o peso do corpo na perna coordenando movimento dos
braços com os pulsos, a bola à frente do corpo, lançá-la com as mãos na direção do
movimento. Utilizado em curtas e médias distâncias.
Principais características:
 Cotovelos junto ao corpo;
 Rotação dos pulsos na execução do passe;
 Posição final das mãos com as palmas para fora e polegares a apontar para baixo e
para dentro.
 O Passo adicional, não é uma componente do passe de peito, mas sim um movimento
auxiliar relacionado com a força de execução e com o equilíbrio.
Cultura Corporal Professor Paulo Menezes de Freitas
29
Passe por cima da Cabeça
É usado quando existe um adversário entre dois jogadores da mesma equipe. Também
utilizado em curtas e médias distâncias, sendo mais específicos para o pivô.
Principais Características:
 Ação importante dos dedos e dos pulsos;
 Muito usado contra defesas à zona.
Passe de Ombro
A bola é segura com ambas as mãos, com os dedos apontados para cima. Os cotovelos devem
ser flexionados, a bola se manterá junto ao corpo com o ombro alto e a execução do passe
deverá ser feita pela extensão do braço, cotovelo e punho. Utilizado em médias e longas
distâncias, sendo muito utilizados em contra ataques.
Principais Características:
 Utilizado preferencialmente para passes compridos;
 Participação final e decisiva do pulso e dos dedos.
Passe Quicado
É idêntico ao passe de peito, com a diferença de que a bola toque no chão antes de chegar às
mãos do jogador que vai recebê-la. Passe por cima da cabeça - Elevando a bola acima da
cabeça com ambos os braços, lançá-la com um forte movimento dos pulsos, sem baixar os
braços.
Cultura Corporal Professor Paulo Menezes de Freitas
30
No Passe Quicado, deve-se manter a mesma técnica do Passe de Peito, diferindo na trajetória
da bola, onde esta deverá tocar o solo antes de chegar ao companheiro. Característica importante:
executar o passe com velocidade para o companheiro que irá receber o passe. Utilizado em curtas e médias
distâncias.
Técnicas determinantes:
1. Colocar os cotovelos junto ao corpo;
2. Avançar um dos apoios;
3. Executar um movimento de repulsão com os braços.
Passe de gancho
A bola é segura pela mão que vai lançá-la bem junto ao punho, dedos espalhados na bola.
Com um passo atrás ou para o lado, dar um solto com um giro no ar simultâneo ao
lançamento da bola através de um movimento circundante do braço. Também utilizado em
curtas e médias distâncias, sendo mais realizados pelo pivô.
Técnicas determinantes:
1. Elevar os braços acima da cabeça;
2. Avançar um dos apoios;
3. Executar o passe com o movimento dos pulsos e dos dedos.
Dribles:
É o ato de bater a bola, impulsionando-a contra o solo com uma das mãos. Apenas
com esse fundamento o jogador com a posse da bola poderá se deslocar pela
quadra sem infringir as regras do jogo.
- drible alto parado e em movimento, drible baixo parado e em
movimento, drible com a mão esquerda e mão direita, drible correndo,
drible com e sem marcação,drible em zig-zag, drible com proteção de
bola, drible com mudança de direção e ritmo, drible com as duas mãos
simultaneamente e drible com giros, entre as pernas e por trás do
corpo.
Arremessos:
É um fundamento de ataque realizado com o objetivo de
se conseguir a cesta.
Em uma partida de basquetebol o atacante de posse de
bola poderá executar um arremesso de diversas formas,
dependendo de sua posição na quadra, da posição do
adversário mais próximo e de sua velocidade de
deslocamento.
- Com uma das mãos, após drible, jump, bandeja (pela
direita e esquerda), com giro, com mudança de direção,
com finta, lateral, de gancho, lance livre, 2 e 3 pontos.
Cultura Corporal Professor Paulo Menezes de Freitas
31
Rebotes:
Em um jogo de basquetebol, toda vez que houver uma tentativa de arremesso os jogadores
deverão se posicionar de tal forma que, se a cesta não for convertida, eles estarão em
condições de conseguir a posse da bola. Portanto, o ato de recuperar a bola após um
arremesso não convertido é denominado rebote.
O rebote pode ser classificado como: rebote de defesa ou defensivo e rebote de ataque ou
ofensivo.
- Posicionamento no rebote ofensivo e defensivo
Basquetebol: Estudo das Regras - Parte 4
O ESTUDO DAS REGRAS DO BASQUETEBOL
- Oficialmente, o basquetebol é jogado
em 4 tempos de 10 minutos cada.
- A equipe de posse da bola tem 8
segundos para passar da meia quadra
de defesa para a meia quadra de ataque
e o total de 24 segundos para concluir
um ataque.
- Um jogador pode ficar 5 segundos de
posse da bola sem driblar, sendo
também 5 segundos o tempo para
cobrar um lateral ou lance-livre. O
tempo máximo para um atacante
permanecer na área restritiva
(garrafão) é de 3 segundos.
- Após passar para o campo de ataque,
a equipe atacante não pode mais levar a bola à quadra de defesa.
- Linhas: no basquete, linha é fora; portanto, se a bola ou o jogador passar pelas linhas
laterais ou de fundo, a posse de bola será do adversário.
- Um jogador de posse da bola só pode movimentar-se com a mesma driblando, não
podendo andar com a bola na mão, nem mesmo conduzi-la durante o drible. Aliás, se
um jogador estiver driblando parar e segurar a bola, ele não poderá voltar a bater bola,
tendo como opções passar a bola para um companheiro ou arremessar para a cesta.
- A única situação na qual um jogador pode dar dois passos com a bola na mão é na
execução da bandeja:
- Não é permitido ao jogador pular com a bola na mão e retornar ao solo com a mesma.
Faltas: existem 5 tipos de faltas:
PESSOAL: contato ilegal fora do ato de arremesso ou no ato de arremesso.
TÉCNICA: atitude antidesportiva de um atleta em quadra ou membro do banco.
ANTIDESPORTIVA: falta pessoal grave cometida por um jogador em quadra.
DESQUALIFICANTE: falta agressiva física ou moralmente.
DUPLA: quando dois adversários cometem a falta ao mesmo tempo.
Cultura Corporal Professor Paulo Menezes de Freitas
32
Basquetebol - Questionário
1. Qual fato mais chamou sua atenção no surgimento do basquetebol?
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
2. Cite os fundamentos básicos do basquetebol.
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
3. Uma equipe de basquete é composta de quantos jogadores (titulares e reservas)?
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
4. Qual o objetivo do jogo de basquetebol? Nesse jogo o que ocorre quando acontece o
empate ao final de uma partida?
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
5. Cada cesta pode valer quantos pontos no basquetebol? Explique.
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
6. Quais são as posições táticas no jogo de basquetebol?
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
7. Cite duas regras que você considera importante deste esporte.
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
Cultura Corporal Professor Paulo Menezes de Freitas
33
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
8. Cite nome de 5 jogadores(as) famosos do basquetebol.
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
9. Explique as regras dos 3 segundos no garrafão.
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
10. Quanto tempo uma equipe possui para arremessar a bola na cesta adversária? E para
atravessar com a bola da zona de defesa para a zona de ataque?
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
FIQUE SABENDO UM POUCO MAIS...
Leia com atenção e responda as questões abaixo:
De acordo com a (UNESCO)"ATIVIDADE FÍSICA É UM DIREITO DE
TODOS E UMA NECESSIDADE BÁSICA"
O ser humano, na sua preocupação com o corpo, tem de estar alerta para o fato de que
saúde e longevidade devem vir acompanhadas de qualidade de vida, tanto no presente como
no futuro.
A atividade física pode ser definida como qualquer movimento corporal, produzido
pelos músculos esqueléticos, que resulte em gasto energético maior que os níveis de repouso"
(CASPERSEN et alii,1985).
Sendo assim, a ginástica nada mais é que um conjunto de exercícios físicos que
realizados de uma maneira correta e continuada torna-se uma aliada imprescindível para
alcançar uma boa forma física ao longo de toda a vida.
A preocupação de promover e manter a saúde deve ser ressaltada para a população
mundial, que, cada vez mais, necessita, em sua rotina diária, da prática de exercícios físicos
regulares para combater os efeitos nocivos da vida sedentária.
Você sabia que a ginástica na terceira idade pode ser a solução na prevenção de
doenças e na melhora na qualidade de vida? Para os idosos os benefícios são em dobro, pois o
simples fato de poderem praticar algum tipo de atividade física já melhora e muito a
qualidade de vida de pessoas da terceira idade, aumentando a resistência e força muscular que
são necessárias para tarefas comuns do dia a dia. Já com o exercício físico, além de combater
a obesidade, o que evita e retarda o surgimento de diabetes, ele melhora também a capacidade
aeróbica (respiração) sendo possível reduzir a perda de massa óssea e em alguns casos
recuperá-la. Além do fato de músculos e ossos fortes as atividades ajudam a diminuir os
riscos de quedas e de fraturas de fêmur e quadril, tão temidas após os 60 anos.
Cultura Corporal Professor Paulo Menezes de Freitas
34
O que é Atividade Física? _____________________________________________________
__________________________________________________________________________
Defina o que é Ginástica ______________________________________________________
__________________________________________________________________________
Quais são os benefícios da ginástica na terceira idade? ___________________________
___________________________________________________________________________
RESPONDA AS QUESTÕES MARCANDO A ALTERNATIVA CORRETA:
1-Pergunta:
Qual o nome do criador do basquete?
1 - James Naismith
2 - Luther Halsey Gullick
3 - James Coch
4 - Luther King
2-Pergunta:
Qual o nome do diretor de colégio que
incumbiu nosso fundador à criar o
basquete??
1 - Luther Halsey Gullick
2 - James Naismith
3 - Kano Hans Cooler
4 - Denis Mark Johnson
3-Pergunta:
E qual era esse colégio??
1 - Kansas College
2 - Massachussets College
3 - Springfield College
4 - Winter College
4-Pergunta:
Qual o nome do ginásio em que foi
disputado o primeiro jogo oficial de
basquete?
1 - Madson Square Gardeen
2 - Kansas Gin
3 - Massachussets Gin
4 - Armory Hill
5-Pergunta:
Qual o único jogador a marcar mais de 100
pontos em uma só partida?
1 - Wilt Chamberlain
2 - Kareen Abdul Jabar
3 - Magic Johnson
4 - Michael Jordan
6-Pergunta:
Qual o maior reboteiro da história do
basquete?
1 - Kareen Abdul Jabar
2 - Wilt Chamberlain
3 - Shaquille O'Neill
4 - Denis Rodman
Cultura Corporal Professor Paulo Menezes de Freitas
35
7-Pergunta:
Quais são, respectivamente, os dois
maiores pontuadores da história do
basquete?
1 - Wilt Chamberlain e Kareen Abdul
Jabar
2 - Oscar Schimidt e Kareen Abdul Jabar
3 - Oscar Schimidt e Michael Jordan
4 - Michael Jordan e Kareen Abdul Jabar
8-Pergunta:
Qual o nome dos capitães do primeiro jogo
de basquete?
1 - James Naismith e Luther Halsey
Gullick
2 - James Naismith e Eugene Libby
3 - James Naismith e Duncan Patton
4 - Eugene Libby e Duncan Patton
9- Pergunta:
Em que ano o basquete foi incluído nas
olimpíadas?
1 - 1940
2 - 1932
3 - 1934
4 – 1944
10-Pergunta:
Em quais anos o Brasil foi campeão
mundial?
1 - 1959 e 1954
2 - 1959 e 1963
3 - 1963 e 1970
4 - 1954 e 1970
11-Pergunta:
Quem introduziu o basquete no Brasil?
1 - Auguste Shaw
2 - Pierry Mackenzie
3 - Jordan Morris
4 - Austin Croisler
12-Pergunta:
E em que lugar?
1 - Escola Normal da Praça
2 - Instituto Caetano de Campos
3 - Associação Cristã de Moços
4 - Colégio Mackenzie
DESENHE UMA QUADRA DE BASQUETE
Cultura Corporal Professor Paulo Menezes de Freitas
36
Voleibol: História do Voleibol - Parte 1
O vôlei foi criado em 1895,
pelo americano William G. Morgan,
então diretor de educação física da
Associação Cristã de Moços (ACM) na
idade de Holyoke, em Massachusetts,
nos Estados Unidos. O primeiro nome
deste esporte que viria se tornar um dos
maiores do mundo foi mintonette.
Naquela época, o esporte da
moda era o basquetebol, criado apenas
quatro anos antes, mas que tivera uma
rápida difusão. Era, no entanto, um jogo
muito cansativo para pessoas de idade.
Por sugestão do pastor Lawrence Rinder,
Morgan idealizou um jogo menos fatigante para os associados mais velhos da ACM e colocou
uma rede semelhante à de tênis, a uma altura de 1,98 metros, sobre a qual uma câmara de bola
de basquete era batida, surgindo assim o jogo de vôlei.
A primeira bola usada era muito pesada e, por isso, Morgan solicitou à firma A.G.
Spalding & Brothers a fabricação de uma bola para o referido esporte. No início, o mintonette
ficou restrito à cidade de Holyoke e ao ginásio onde Morgan era diretor. Um ano mais tarde,
numa conferência no Springfield's College, entre diretores de educação física dos Holyoke
fizeram uma demonstração e assim o jogo começou a se difundir por Springfield e outras
cidades de Massachussetts e Nova Inglaterra. Em 1910, a modalidade já estava presente na
Ásia (China e Japão) e
na América do Sul
(Peru). A Federação
Internacional de Volley
Ball(FIVB), porém, só
surgiria em 1947, em
Paris, e teve como
primeiro presidente o
francês Paul Libaud. O
Brasil foi uma das 13
nações fundadoras da
entidade.
Com a
organização em nível
mundial, não demorou
muito para que surgisse também a Confederação Brasileira de Voleibol. A criação foi do ex-
jogador Denis Rupet Hathaway, que articulou o desligamento da modalidade da antiga
Confederação Brasileira de Desportos e tornou-se o primeiro presidente da entidade.
A primeira vez em que o vôlei foi disputado em Jogos Olímpicos como modalidade
oficial foi em 1964, em Tóquio (Japão). Na ocasião, a Rússia foi campeã masculina e o Japão
ficou com o título feminino.
Cultura Corporal Professor Paulo Menezes de Freitas
37
Regras - Como funcionam o Voleibol
No vôlei, duas equipes, de 12 jogadores cada (6
titulares e 6 reservas), situam-se em uma quadra separadas
por uma rede, tendo como objetivo fazer a bola bater no
solo da área protegida pelo time adversário. O golpe,
porém, tem de passar entre as antenas, que são duas varas
flexíveis que tangenciam a faixa lateral da quadra e
delimitam o espaço aéreo em que a bola pode passar para
o outro lado.
Além disso, há uma diferença entre os jogadores
de ataque e defesa. Na marcação da quadra está
delimitada uma área de 3m para cada lado da rede, que
simboliza o espaço em que é permitido atacar (cortar)
para o lado adversário. Os jogadores de ataque podem
bater na bola a qualquer altura, em qualquer parte da
quadra. Já os atletas de defesa podem golpear acima da
altura da rede apenas atrás da linha de ataque. Dentro
dessa área, os defensores só podem “passar” a bola para o
outro lado.
A partida começa com um saque, que consiste
em um golpe na bola para que ela vá para o outro lado da quadra. Feito isso, o time receptor
do saque deverá repassar a bola à equipe adversária com apenas três toques, sendo que um
mesmo atleta não pode fazê-lo duas vezes seguidas.
Cada vez que a bola toca o solo da quadra, o time que fez a ação ganha um ponto no
marcador e o direito de sacar no começo da disputa do ponto seguinte. A equipe que anotar 25
pontos primeiro vence o set. Os vencedores têm de ganhar a disputa com pelo menos dois
pontos de vantagem sobre o perdedor. Dessa forma, se a partida estiver empatada por 24 a 24,
ela prosseguirá até que essa vantagem seja alcançada.
Feito isso, começa a disputa de um novo set, com as mesmas regras, até que algum
dos participantes vença três sets. Em caso de empate em dois sets, será disputado um tie-
break. O tie-break é, na verdade, um novo set, em que o vencedor é aquela equipe que marcar
15 pontos primeiro.
A quadra de Voleibol
O vôlei é um esporte praticado
em competições oficiais em
ginásios fechados. A quadra é
um retângulo que mede 18m x
9m. As linhas que demarcam
os limites da área de jogo têm
uma largura de 5 cm e devem
ser de cor clara. A altura da
rede que divide a quadra é
diferente para homens e
mulheres. No masculino, a
parte superior fica 2,43m
acima do solo, enquanto no
feminino a distância é de
2,24m.
Cultura Corporal Professor Paulo Menezes de Freitas
38
Voleibol: Fundamentos e Táticas do Voleibol
Quem deseja praticar voleibol precisa dominar um conjunto de seis habilidades
básicas, denominadas "fundamentos". Elas são: saque, passe, levantamento, ataque, bloqueio
e defesa. A cada um destes fundamentos compreende certo número de habilidades e técnicas
que foram introduzidas ao longo da história do voleibol e é hoje considerada prática comum
no esporte.
 SAQUE > Definição: É o ato
de enviar a bola da área de saque
para a quadra contrária pelo atleta
da posição 1, que deverá golpeá-la
com parte do braço. Para o golpe, a
bola deverá estar solta. Será
direcionada para a quadra do
adversário e passar por sobre a rede
e entre as antenas. (saque por baixo,
saque por cima e saque viagem).
 RECEPÇÃO DE SAQUE
(MANCHETE) > Definição: É uma ação de defesa
em que, dentro de um dispositivo próprio, o jogador
tentará receber o saque adversário efetuando um
passe para o levantador.
 LEVANTAMENTO > Definição: É o passe
(toque ou manchete) que antecede ao ataque.
 ATAQUE OU CORTADA > Definição: É o gesto mais
espetacular do jogo. Consiste no ato de golpear a bola para a
quadra adversária na tentativa de vencer o bloqueio e a defesa
contrária.
Cultura Corporal Professor Paulo Menezes de Freitas
39
 BLOQUEIO > Definição: É a
tentativa de interceptar a bola vinda da
quadra contrária, atacada sobre a rede por um
ou mais jogadores de ataque.
 DEFESA > Definição: É a ação de
recuperar as bolas vindas do ataque adversário
que ultrapassam o bloqueio e de criar condições
para o contra-ataque.
Com o crescimento da competitividade do
esporte, fazer a bola tocar no chão do adversário tornou-se
algo mais difícil do que simplesmente passar a bola para o
outro lado. Assim nasceram os principais fundamentos do
esporte.
Como o jogo termina quando um time completa
três sets vencidos, cada partida de voleibol dura no
máximo cinco sets. Se isto ocorrer, o último recebe o
nome de tie-break e termina quando um dos times atinge a
marca de 15, e não 25 pontos. Como no caso dos demais,
também é necessária uma diferença de dois pontos com relação ao placar do adversário.
Cada equipe é composta por doze jogadores, dos quais seis estão atuando na quadra e
seis permanecem no banco na qualidade de reservas. As substituições são limitadas: cada
técnico pode realizar no máximo seis por set, e cada jogador só pode ser substituído uma
única vez - com exceção do Líbero - devendo
necessariamente retornar à quadra para ocupar a
posição daquele que tomara originalmente o seu
lugar.
Os seis jogadores de cada equipe são
dispostos na quadra do seguinte modo. No
sentido do comprimento, três estão mais
próximos da rede, e três mais próximos do
fundo; e, no sentido da largura, dois estão mais
próximos da lateral esquerda; dois, do centro da
quadra; e dois, da lateral direita. Estas posições
são identificadas por números: com o observador
postado frente à rede, aquela que se localiza no
fundo à direita recebe o número 1, e as outras se seguem em ordem crescente conforme o
sentido anti-horário.
Cultura Corporal Professor Paulo Menezes de Freitas
40
No saque, o jogador coloca força na bola para que o adversário tenha dificuldade ao
fazer a recepção. A recepção é a defesa do saque e tem como principal objetivo preparar o
início da jogada de ataque da sua equipe. Para que isso aconteça, o atleta normalmente passa a
bola para o seu companheiro com os dois braços estendidos e grudados, em um lance
conhecido como manchete. O segundo jogador a participar de um lance de ataque é o
levantador. Como define o próprio nome, é ele quem levanta a bola para a cortada, que pode
ser feita por um dos jogadores de ataque.
Para evitar que o adversário
consiga cortar com facilidade, os
jogadores próximos à rede procuram
fazer o bloqueio. Assim, eles sobem e
tentam, com os braços estendidos,
impedir que a bola passe para o outro
lado da quadra.
QUESTIONÁRIO
1. Em qual país surgiu o Voleibol? Qual motivo levou o Prof. William Morgan a criar
este esporte?
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
2. Quais são os fundamentos do Voleibol? Quando termina um jogo de
Voleibol?___________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
3. Um time de voleibol é composto de quantos jogadores (titulares e reservas)? Cite o nome
de alguns jogadores(as) de Voleibol famosos de Voleibol.
___________________________________________________________________________
__________________________________________________________________________
4. Como inicia uma partida de voleibol? A equipe tem direito a quantos toques para tentar
devolver a bola para a quadra adversária? _______________________________________
_________________________________________________________________________
Cultura Corporal Professor Paulo Menezes de Freitas
41
5. Qual a função do jogador que ocupa a posição de levantador no jogo de voleibol?
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
6. Qual a utilidade do fundamento bloqueio no jogo de voleibol?
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
Leia com atenção e marque a alternativa correta:
1. Em que ano no final do século XIX, nos
Estados Unidos, William G. Morgan criou o
vôlei. ?
( ) 1923 ( ) 1895 ( ) 1914
2. Incluindo o Brasil, algumas nações foram responsáveis pela fundação da FIVB, que
aconteceu no ano de 1947, em Paris. Quantos países fundaram a Federação
Internacional de Volleyball?
( ) 13 ( ) 24 ( ) 21
3. Nos Jogos Olímpicos desta capital, o vôlei fez sua primeira participação como
modalidade olímpica oficial. Em qual olimpíada o vôlei participou como modalidade
oficial pela primeira vez?
( ) Cidade do México 1968 ( ) Roma 1960 ( ) Tóquio 1964
4. País que também foi fundador da FIVB, e que teve a honra de sediar o primeiro
Campeonato Sul-americano de Vôlei?
( ) Argentina ( ) Brasil ( ) Chile
5. Nas Olimpíadas de Los Angeles, o time brasileiro surpreendeu e conquistou a
medalha de prata do torneio. Em que ano a equipe de vôlei masculino conquistou sua
primeira medalha olímpica?
( ) 1984 ( ) 1992 ( ) 1988
Cultura Corporal Professor Paulo Menezes de Freitas
42
6. Quais as dimensões de uma quadra de oficial de vôlei de quadra?
( ) 21m x 11m ( ) 18m x 9m ( ) 16m x 7m
7. No vôlei feminino, a qual distância do solo fica a rede?
( ) 2,24 m ( ) 2,43m ( ) 2,36 m
8. A idéia de criação do vôlei surgiu da prática de um esporte que havia sido criado um
pouco tempo antes, em 1891. No início da história do voleibol, as partidas eram
disputadas com bolas utilizadas neste esporte. Qual esporte serviu de inspiração para a
criação do vôlei?
( ) Pólo aquático ( ) Basquete ( ) Futebol
Observe as figuras e escreva o fundamento correspondente
__________________________________ ________________________________
__________________________________ ________________________________
Cultura Corporal Professor Paulo Menezes de Freitas
43
Brinquedos e brincadeiras
Brincar é uma das melhores
coisas da vida, você não acha?
Existem tantos brinquedos divertidos
e tantas brincadeiras para inventar
que a gente gostaria que a infância
fosse bem comprida. Brincando a
gente aprende coisas. Por exemplo,
brincando a gente aprende a brincar!
Você já inventou alguma brincadeira?
Quando não há brinquedos como
bolas, bonecas e carrinhos, as
crianças sempre encontram uma
forma de brincar. Elas inventam
brincadeiras ou ensinam para seus
amigos uma brincadeira que
conhecem. Muitas brincadeiras são passadas de geração para geração, e não se sabe quem
inventou. Você já pensou como seriam os brinquedos e as brincadeiras das crianças gregas e
romanas que viveram há cerca de 2000 anos?
Não muito diferentes daqueles dos nossos avós, pois muitos brinquedos já tinham sido
inventados naquele tempo tão distante. É isso mesmo: a bola, a boneca, o carrinho de puxar, o
ioiô, o pião, o arco ou bambolê como chamamos.
A maioria das crianças de hoje em dia desconhece divertimentos simples como cabra-
cega, passa-anel, pula-carniça, siga-o-mestre, chicote-queimado, telefone-sem-fio e centenas
de outras brincadeiras transmitidas oralmente há séculos por sucessivas gerações. Também as
cantigas e frases, por exemplo, que acompanhavam o pular corda ou a roda se reduziram
bastante na memória infantil.
Na verdade isso mostra apenas que brincadeiras se transformam, algumas perdem o
sentido em função das novas tecnologias, mas muitas ainda merecem ser resgatadas, pois
Cultura Corporal Professor Paulo Menezes de Freitas
44
certamente ainda irão cativar o interesse das futuras gerações. Num tempo de computadores e
videogames, sobra pouco espaço para se brincar de pique—pega, amarelinha, esconde-
esconde, salva-bandeira... Mas existe gente no mundo preocupada em resgatar esses jogos
tradicionais para que eles não fiquem apenas na história.
Curiosidades sobre Jogos e brincadeiras tradicionais
Relatamos, a seguir, uma série de curiosidades que dizem respeito à origem de alguns
jogos e brincadeiras nas diferentes culturas.
A influência portuguesa
Os colonizadores portugueses trouxeram seus contos, lendas, estórias, jogos, festas e
valores. A PIPA foi introduzida pelos portugueses no Século XVI. Vem do Oriente, do Japão
e da China. Os diversos nomes encontrados pelo Brasil: estrela, raia, arraia, papagaio,
bacalhau, gaivotão, curica, pipa, cáfila, pandorga, quadrado. Outras brincadeiras introduzidas
pelos portugueses: MULA SEM CABEÇA, CUCA OU PAPÃO (1950), CANTIGAS (1909),
MARELINHA, JOGO DO SAQUINHO, PIÃO, JOGO DE BOTÃO, BOLINHA DE GUDE.
A influência africana
O Brasil teve grande influência dos negros africanos na vida econômica, social e
cultural. Eles trabalharam na lavoura e nas minas e, no período colonial, nos engenhos e
plantações. A mãe negra transmitia para seus filhos as estórias, lendas, contos, mitos, deuses
e animais encantados vindos das suas origens.
Nas famílias da época da escravidão, eram as
criadas negras que criavam e amamentavam os
filhos da mãe da família: a ama negra dava de
mamar ao menino branco, o embalava no berço
e ensinava-lhe as primeiras palavras e as
CANTIGAS DE NINAR.
Os filhos das senhoras dos engenhos
relacionavam-se com os filhos das negras
escravas com os quais brincavam de:
MONTAR A CAVALO EM CARNEIROS,
NADAR NOS RIOS E REPRESAS, MATAR
PASSARINHOS, EMPINAR PAPAGAIO,
JOGAR PIÃO.
A Influência indígena
Os índios tiveram grande influência na culinária brasileira, no uso de remédios caseiros
e utensílios de cozinha. As índias praticavam o cultivo de mandioca, cará, milho, jerimum,
amendoim e mamão. Também nas danças eles imitavam animais demoníacos que aparecem
nos contos infantis. As mães faziam brinquedos de barro cozido para seus filhos, de gente e de
animais.
As crianças das Tribos Karajá do Rio Araguaia em Goiás, brincavam de: ARCO E
FLECHA PESCA JOGO DO FIO, BRINQUEDOS COM FIGURAS DE ARGILA, PIÕES,
CANOAS, REMOS, PETECA DE PALHA DE MILHO,
Fonte: http://www.escolaoficinaludica.com.br/brincadeiras/index.htm
Cultura Corporal Professor Paulo Menezes de Freitas
45
O KIN-BALL: QUE JOGO É ESTE?
Era uma vez um professor de Educação Física canadense que se chamava Mário
Demers. Em 1987, na tentativa de arranjar novas formas de motivar os seus alunos, inventou,
sabe lá Deus com que imaginação, um desporto inovador e super original: o Kin-Ball.
As regras estão orientadas para promover valores como o “fair-play”, o espírito de
equipa a competitividade, e punir atitudes de desrespeito para com adversários e árbitros. Sim,
neste desporto, ai de quem se atrever a barafustar com os senhores do apito, só o capitão de
equipa está autorizado a conversar com o árbitro.Sublinhe-se o conversar, por favor.
Mas afinal como se joga? Bem, o senhor Mario Demers determinou que este excelente
desporto fosse jogado num campo de 20mx20m, por três equipas, constituídas por quatro
jogadores. Cada equipa usa uma cor; preto, cinza ou rosa. A base do jogo é o serviço: três
elementos da equipa seguram a bola enquanto o quarto elemento está de pé.
Os adversários espalham-se da forma mais equilibrada possível pelo campo para que
não existam grandes espaços vazios. O tal quarto elemento profere a palavra “OMNIKIN”
seguida da cor de uma
das equipas adversárias
e bate a bola. Ex:
“OMNIKIN- ROSA”. A
equipa que foi nomeada
terá de evitar, a todo o
custo, que a bola atinja o
chão. Se o fizer, é a sua
vez de servir, se não o
fizer, é ponto para as
outras duas equipas.
Depois existem uma
série de regras que
tornam o jogo mais
dinâmico (tempo limite
para servir, distância
mínima que deve ser
percorrida pela bola…)
Confuso? É natural, ao
vivo é outra coisa.
(Campeonato do Mundo-2005)
O Kin-Ball é jogado a alto nível em países como a Espanha (onde já tivemos
opurtunidade de jogar), França, Bélgica, Alemanha, E.U.A. e, obviamente Canadá. É para
atingir esse nível que treinamos cheios de ambição e vontade de fazer sempre mais e melhor.
A CARTA DE ESPÍRITO DESPORTIVO
Este é um ponto tão importante no Kin-Ball que merece ter uma página dedicada a si.
No Kin-Ball existe a Carta de Espírito Desportivo.Uma espécie de "mandamentos" que
todos os intervinientes do jogo devem respeitar.
•Mostrar espírito desportivo, é, primeiro e antes de tudo, respeitar estritamente todas as
regras: é nunca tentar cometer, deliberadamente, uma falta.
• Mostrar espírito desportivo, é respeitar todos os responsáveis. A presença de
responsáveis ou árbitros é um aspecto essencial em toda a competição. Merecem o total
respeito de todos.
• Mostrar espírito desportivo, é aceitar todas as decisões do árbitro sem nunca pôr em
dúvida o seu juízo.
Cultura Corporal Professor Paulo Menezes de Freitas
46
• Mostrar espírito desportivo, é reconhecer dignamente a derrota sem querer discutir
com os adversários.
• Mostrar espírito desportivo, é aceitar a derrota com modéstia e sem ridicularizar o
adversário.
• Mostrar espírito desportivo, é reconhecer os bons golpes, as boas técnicas e tácticas
dos adversários.
• Mostrar espírito desportivo, é renunciar a vencer por meios ilegais.
• Mostrar espírito desportivo, é querer medir-se com o oponente com igualdade. É
contar apenas com o talento e habilidades próprias para tentar vencer o jogo.
• Mostrar espírito desportivo, é animar os companheiros com mais força depois de um
erro do que depois de uma boa técnica.
Mostrar espírito desportivo, é manter a dignidade em toda a circunstância: é demonstrar
que se é dono de si mesmo. É recusar a violência física ou verbal.
o espírito desportivo é o que importa!
Vamos compreender alguns conceitos?
Jogo
•Atividade fisica ou mental fundada em sistema de regras que definem a
perda ou o ganho. Podem ser jogos de azar, jogos de tabuleiro, jogos que
necessitem do uso de habilidades, entre outros.
•Hiuzinga (1938) define jogo como: ‘’uma atividade voluntária exercida
dentro de certos e determinados limites de tempo e espaço, segundo
regras livremente consentidas, mas absolutamente obrigatórias, dotado
de um fim em si mesmo, acompanhado de um sentimento diferente de
vida cotidiana’’.
Cultura Corporal Professor Paulo Menezes de Freitas
47
Brincadeiras
•Brincadeira é a ação de brincar, de entreter, de distrair. Pode ser uma
brincadeira recreativa como brincar de "esconde-esconde”.
•As brincadeiras recreativas distinguem-se dos jogos por terem regras simples
e flexíveis, não se necessitando de quadras, tabuleiros, instruções,
treinamento, peças ou dispositivos especiais para delas se participar.
•No mais das vezes, devido à sua simplicidade, brincadeiras são feitas por
crianças. Somente umas poucas, como a mímica, são, ocasionalmente, feitas,
também, por adolescentes ou adultos.
Esporte
É uma atividade física sujeita a determinados regulamentos e
que geralmente visa a competição entre praticantes. Para ser
esporte tem de haver envolvimento de habilidades e
capacidades motoras, regras instituídas por uma
confederação regente e competitividade entre opostas.
Cultura Corporal Professor Paulo Menezes de Freitas
48
Esporte
É uma atividade física sujeita a determinados regulamentos e
que geralmente visa a competição entre praticantes. Para ser
esporte tem de haver envolvimento de habilidades e
capacidades motoras, regras instituídas por uma
confederação regente e competitividade entre opostas.
Regras
Regras e limites são essenciais para uma convivência adequada entre
pessoas respeitando valores e hábitos existentes em cada família,
escola, grupo de amigos e tantos outros grupos com os quais se tem
proximidade
Cultura Corporal Professor Paulo Menezes de Freitas
49
Competição
Competição é a interação de indivíduos da mesma espécie ou espécie
diferentes (humana, animal ou vegetal) que disputam algo. Esta disputa
pode ser pelo alimento, pelo território, pela luminosidade, pelo
emprego, pela fêmea, pelo macho, etc. Logo, a competição pode ser
entre a mesma espécie (intra-específica) ou de espécie diferente
(interespecífica).. na educação física essa disputa pode ser pela vitória
do jogo ou esporte.
Cooperação
Um dos objetivos da educação física é educar o aluno para viver bem a vida;
daí a importância de desenvolver a cooperação, pois como afirma a educação
física mobiliza desafios, reforça a confiança em si mesmo e no outro,
incentiva a participação, ensina a ganhar e perder, aprimora a pessoa seja em
termos pessoais ou coletivos. Também da oportunidade a esse aluno de ser
critico, criativo e fazê-lo pensar.
Cultura Corporal Professor Paulo Menezes de Freitas
50
Vitória
Ato ou efeito de vencer o inimigo ou
competidor; Triunfo ou êxito brilhante em
qualquer terreno.
Derrota
Segundo a autora “ficando no modelo de
rendimento premiação no qual não apenas ganhas
materiais estão em questão, mas também o
reconhecimento de um efeito que garante a
imortalidade é possível dizer que a derrota é a
sombra social do esporte contemporâneo
Cultura Corporal Professor Paulo Menezes de Freitas
51
VAMOS LER O TEXTO:
Competir ou Cooperar: Eis a Questão!
Jogar é viver e uma grande oportunidade criativa para encontrar com a gente mesmo. A
partir disso, o "jogo" passa a ser conseqüência de nossas ações e relações em todos os
âmbitos, principalmente nos jogos onde existem dois "estilos" básicos de jogo:
COOPERAÇÃO - que é o jogar COM o outro.
COMPETIÇÃO - que é jogar CONTRA o outro.
Na COOPERAÇÃO, as pessoas ou grupos combinam as suas atividades juntas para
conseguir realizar um objetivo comum, de tal maneira que o êxito de alguma das partes
concorra para um maior êxito das demais.
Na COMPETIÇÃO, quando uma pessoa ou um grupo tem como objetivo um melhor
resultado em relação à outra pessoa ou grupo, é gerada a oposição. Muitas das escolhas,
comportamento e atitudes que temos - conscientes ou inconscientes -, têm suas raízes no mito
da "natureza competitiva" do Homem.
Podemos dizer que o
comportamento cooperativo é
um aspecto fundamental e que
somente através da
cooperação, e agindo como
um valioso e cooperativo
membro da sociedade,
podemos superar nossas
limitações e sentimentos de
inferioridade. Por outro lado,
uma falta de cooperação e um
conseqüente sentimento de
inadequação, são as raízes de
todos os estilos de vida
inadequada.
Hoje os jogos, já
possuem esta visão e estão
investindo em "Formação de Equipes". Mesmo quando é óbvio que a cooperação é a melhor
estratégia, traz melhores resultados e produz bem estar, muitas pessoas – infelizmente - ainda
preferem competir a cooperar.
Através dos jogos cooperativos visamos modificar a sociedade como um todo.
Descrevemos neste estudo como é vista a competição na atualidade e como podemos
desenvolver a cooperação através das aulas de educação física. Por fim nota-se que a
competição em nossos dias assume um papel exclusivista, onde somente alguns tem o direito
à vitória e as honras. Cabe aos profissionais de educação física conscientizarem seus alunos
para favorecer o surgimento de uma sociedade mais cooperativa.
Concluímos que a competição em nossos dias assume um papel exclusivista, onde
somente alguns têm o direito à vitória e as honras.
A cooperação através dos jogos cooperativos vem assumindo um papel importante na
mudança da Educação Física Escolar, a fim de contribuir para uma visão não excludente,
onde todos possam participar e ganhar. Com isso busca-se uma mudança em relação à
sociedade na qual estamos inseridos. E você, faz parte de qual time?
Cultura Corporal Professor Paulo Menezes de Freitas
52
VAMOS CONHECER NOVOS JOGOS E BRINCADEIRAS
Queimada do contrário
Materiais que iremos precisar:
▪Uma bola de borracha de tamanho médio
▪Um terreno plano, demarcado por linhas e
dividido em dois campos iguais por uma linha reta e
bem visível traçada no solo. O tamanho do terreno
pode variar conforme o número de jogadores.
Desenvolvimento da brincadeira:
Nessa brincadeira separamos em 2 grupos as
pessoas que iram brincar (quanto mais pessoas
melhor pois a brincadeira fica mais divertida) ao
contrario da Queimada habitual os carimbadores
ficam ao redor da quadra e quem Vai ser carimbado fica no meio da quadra .Se o carimbador
carimbar alguém do time contrario ganha o direito de chamar alguém do seu time para lhe
ajudar a carimbar também. A quadra fica dividida por uma linha e nenhum deles pode
ultrapassar-la. Ganha quem conseguir colocar todos seus colegas para juntos carimbar.
Objetivo do jogo: desenvolver a cooperação e amizade entre os integrantes do grupo
Futpar
Materiais que iremos precisar:
▪Uma bola de futsal ou de handebol
▪Um elástico ou algo para amarrar as duplas
▪ Duas traves do gol uma colocada de cada lado da quadra
Desenvolvimento da brincadeira:
Separa se o grupo em duplas e com o elástico amarra se um ao outro, começa o jogo
com a bola no centro da quadra e as duplas são orientadas a fazer o maximo de gols que
conseguirem mas quando a bola foge as limitações da quadra o jogo muda e vira uma
espécie de handebol já Podendo usar as mãos e os grupos podendo separar-se,ganha quem
fizer o Maximo de gols.
Objetivo do jogo: Estimular situações de cooperação grupal.
Bandeirinha com pique
Materiais que iremos precisar:
▪Vários bambolês distribuídos ao
longo de todo o campo onde ira se jogar
▪Uma bandeira ou algo para servir
como bandeira para poder ser salvo
▪Um terreno delimitado por uma
linha traçada no solo dividindo os campos
igualmente
Cultura Corporal Professor Paulo Menezes de Freitas
53
Desenvolvimento da brincadeira:
Diferente da brincadeira tradicional Salva-Bandeirinha, nessa brincadeira adptada cada
bambolê posto sobre a quadra
significa um ponto seguro onde
você não pode ser pego pelo
adversário.Cada bandeirinha e
colocada no fim de cada campo e
os grupos devem passar para o
campo adversário pegar a
bandeirinha e logo trazer para seu
campo se alguém for pego deve
ficar imóvel a espera de ser salvo
por alguém de seu grupo.Ganha
quem passar primeiro a
bandeirinha para o seu campo.
Objetivo do jogo:
Desenvolver a coordenação motora
bem como atenção, raciocínio e estratégia.
PASSAR O BAMBOLÊ
Objetivo: Alegria e entusiasmo; auto-estima; confiança e respeito mútuo; comunhão de
objetivo.
Desenvolvimento: Divide a turma em equipes iguais fazendo-se um círculo com as mãos dadas,
coloca-se um bambolê no braço de cada equipe e com o som do apito a equipe tem que passar o
bambolê por todo o corpo sem soltar das mãos até completar o círculo.
A equipe em que acontecer de soltar as mãos na passagem dos bambolês deverá voltar o
bambolê para o inicio do circulo.
Ganha a equipe que conseguir dar a volta completa e rapidamente com o bambolê primeiro.
GATO E RATO
Faz-se um circulo de 15 á 20 pessoas, dentre elas escolhe-se dois alunos, sendo um o gato e o
outro o rato. Como as fotos abaixo:
O gato fica do lado de fora do circulo, e o rato fica no meio da roda, quando der o sinal de
partida, o gato tenta entrar no circulo para pegar o rato, as pessoas da roda, não podem deixar o gato
entrar e ficam rodando para dificultar sua passagem.
Apostila educacao fisica 2017 professor paulo menezes
Apostila educacao fisica 2017 professor paulo menezes
Apostila educacao fisica 2017 professor paulo menezes
Apostila educacao fisica 2017 professor paulo menezes
Apostila educacao fisica 2017 professor paulo menezes
Apostila educacao fisica 2017 professor paulo menezes
Apostila educacao fisica 2017 professor paulo menezes
Apostila educacao fisica 2017 professor paulo menezes
Apostila educacao fisica 2017 professor paulo menezes
Apostila educacao fisica 2017 professor paulo menezes
Apostila educacao fisica 2017 professor paulo menezes
Apostila educacao fisica 2017 professor paulo menezes
Apostila educacao fisica 2017 professor paulo menezes
Apostila educacao fisica 2017 professor paulo menezes
Apostila educacao fisica 2017 professor paulo menezes
Apostila educacao fisica 2017 professor paulo menezes
Apostila educacao fisica 2017 professor paulo menezes
Apostila educacao fisica 2017 professor paulo menezes
Apostila educacao fisica 2017 professor paulo menezes
Apostila educacao fisica 2017 professor paulo menezes
Apostila educacao fisica 2017 professor paulo menezes
Apostila educacao fisica 2017 professor paulo menezes
Apostila educacao fisica 2017 professor paulo menezes
Apostila educacao fisica 2017 professor paulo menezes
Apostila educacao fisica 2017 professor paulo menezes
Apostila educacao fisica 2017 professor paulo menezes
Apostila educacao fisica 2017 professor paulo menezes
Apostila educacao fisica 2017 professor paulo menezes
Apostila educacao fisica 2017 professor paulo menezes
Apostila educacao fisica 2017 professor paulo menezes
Apostila educacao fisica 2017 professor paulo menezes
Apostila educacao fisica 2017 professor paulo menezes
Apostila educacao fisica 2017 professor paulo menezes
Apostila educacao fisica 2017 professor paulo menezes
Apostila educacao fisica 2017 professor paulo menezes
Apostila educacao fisica 2017 professor paulo menezes
Apostila educacao fisica 2017 professor paulo menezes
Apostila educacao fisica 2017 professor paulo menezes
Apostila educacao fisica 2017 professor paulo menezes
Apostila educacao fisica 2017 professor paulo menezes
Apostila educacao fisica 2017 professor paulo menezes
Apostila educacao fisica 2017 professor paulo menezes
Apostila educacao fisica 2017 professor paulo menezes
Apostila educacao fisica 2017 professor paulo menezes
Apostila educacao fisica 2017 professor paulo menezes
Apostila educacao fisica 2017 professor paulo menezes
Apostila educacao fisica 2017 professor paulo menezes
Apostila educacao fisica 2017 professor paulo menezes
Apostila educacao fisica 2017 professor paulo menezes
Apostila educacao fisica 2017 professor paulo menezes

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Trabalho Completo Sobre handebol
Trabalho Completo Sobre handebolTrabalho Completo Sobre handebol
Trabalho Completo Sobre handebol
Vinicius Bueno
 
Lutas
LutasLutas
Voleibol, regras e fundamentos
Voleibol, regras e fundamentosVoleibol, regras e fundamentos
Voleibol, regras e fundamentos
Prof. Saulo Bezerra
 
Basquete, regras e fundamentos
Basquete, regras e fundamentosBasquete, regras e fundamentos
Basquete, regras e fundamentos
Prof. Saulo Bezerra
 
Futsal jogadores e sistemas táticos
Futsal  jogadores e sistemas táticosFutsal  jogadores e sistemas táticos
Futsal jogadores e sistemas táticos
Ana Carolina
 
Treinamento de handebol
Treinamento de handebolTreinamento de handebol
Treinamento de handebol
profede
 
Aula sobre futsal
Aula sobre futsal Aula sobre futsal
Aula sobre futsal
Mateus Pacheco
 
Educação Física 6ª Série (7º ano) - Ensino Fundamental II
Educação Física 6ª Série (7º ano) - Ensino Fundamental IIEducação Física 6ª Série (7º ano) - Ensino Fundamental II
Educação Física 6ª Série (7º ano) - Ensino Fundamental II
marcelosilveirazero1
 
Avaliação de Educação Física - 1º Ano do Ensino Fundamental 1 - 2º BIMESTRE
Avaliação de Educação Física - 1º  Ano do Ensino Fundamental 1 - 2º BIMESTREAvaliação de Educação Física - 1º  Ano do Ensino Fundamental 1 - 2º BIMESTRE
Avaliação de Educação Física - 1º Ano do Ensino Fundamental 1 - 2º BIMESTRE
Secretaria de Estado de Educação e Qualidade do Ensino
 
Apostila de basquetebol
Apostila de basquetebolApostila de basquetebol
Apostila de basquetebol
bbpn
 
Livro lazer e educacao fisica
Livro lazer e educacao fisicaLivro lazer e educacao fisica
Livro lazer e educacao fisica
marcelosilveirazero1
 
Diferença de atividade física para Exercício físico!
Diferença de atividade física para Exercício físico!Diferença de atividade física para Exercício físico!
Diferença de atividade física para Exercício físico!
Joemille Leal
 
História do Futsal
História do FutsalHistória do Futsal
História do Futsal
Argentino Uebas
 
PROVA DE EDUCAÇÃO FÍSICA 3º ANO
PROVA DE EDUCAÇÃO FÍSICA 3º ANOPROVA DE EDUCAÇÃO FÍSICA 3º ANO
PROVA DE EDUCAÇÃO FÍSICA 3º ANO
ananiasdoamaral
 
Futsal
FutsalFutsal
Futsal
Sutier
 
Avaliação global de educação física 6º e 7º ano setembro
Avaliação global de educação física 6º e 7º ano setembroAvaliação global de educação física 6º e 7º ano setembro
Avaliação global de educação física 6º e 7º ano setembro
Moesio Alves
 
Capacidades físicas
Capacidades físicas Capacidades físicas
Capacidades físicas
Luciana Lima
 
Fundamentos tecnicos do basquetebol
Fundamentos tecnicos do basquetebolFundamentos tecnicos do basquetebol
Fundamentos tecnicos do basquetebol
Fernanda Zerbinato
 
EDUCAÇÃO FÍSICA- TUDO SOBRE O BASQUETE
EDUCAÇÃO FÍSICA- TUDO SOBRE O BASQUETEEDUCAÇÃO FÍSICA- TUDO SOBRE O BASQUETE
EDUCAÇÃO FÍSICA- TUDO SOBRE O BASQUETE
Jaicinha
 
Sesi questões sobre basquetebol
Sesi questões sobre basquetebolSesi questões sobre basquetebol
Sesi questões sobre basquetebol
Elaine Lima
 

Mais procurados (20)

Trabalho Completo Sobre handebol
Trabalho Completo Sobre handebolTrabalho Completo Sobre handebol
Trabalho Completo Sobre handebol
 
Lutas
LutasLutas
Lutas
 
Voleibol, regras e fundamentos
Voleibol, regras e fundamentosVoleibol, regras e fundamentos
Voleibol, regras e fundamentos
 
Basquete, regras e fundamentos
Basquete, regras e fundamentosBasquete, regras e fundamentos
Basquete, regras e fundamentos
 
Futsal jogadores e sistemas táticos
Futsal  jogadores e sistemas táticosFutsal  jogadores e sistemas táticos
Futsal jogadores e sistemas táticos
 
Treinamento de handebol
Treinamento de handebolTreinamento de handebol
Treinamento de handebol
 
Aula sobre futsal
Aula sobre futsal Aula sobre futsal
Aula sobre futsal
 
Educação Física 6ª Série (7º ano) - Ensino Fundamental II
Educação Física 6ª Série (7º ano) - Ensino Fundamental IIEducação Física 6ª Série (7º ano) - Ensino Fundamental II
Educação Física 6ª Série (7º ano) - Ensino Fundamental II
 
Avaliação de Educação Física - 1º Ano do Ensino Fundamental 1 - 2º BIMESTRE
Avaliação de Educação Física - 1º  Ano do Ensino Fundamental 1 - 2º BIMESTREAvaliação de Educação Física - 1º  Ano do Ensino Fundamental 1 - 2º BIMESTRE
Avaliação de Educação Física - 1º Ano do Ensino Fundamental 1 - 2º BIMESTRE
 
Apostila de basquetebol
Apostila de basquetebolApostila de basquetebol
Apostila de basquetebol
 
Livro lazer e educacao fisica
Livro lazer e educacao fisicaLivro lazer e educacao fisica
Livro lazer e educacao fisica
 
Diferença de atividade física para Exercício físico!
Diferença de atividade física para Exercício físico!Diferença de atividade física para Exercício físico!
Diferença de atividade física para Exercício físico!
 
História do Futsal
História do FutsalHistória do Futsal
História do Futsal
 
PROVA DE EDUCAÇÃO FÍSICA 3º ANO
PROVA DE EDUCAÇÃO FÍSICA 3º ANOPROVA DE EDUCAÇÃO FÍSICA 3º ANO
PROVA DE EDUCAÇÃO FÍSICA 3º ANO
 
Futsal
FutsalFutsal
Futsal
 
Avaliação global de educação física 6º e 7º ano setembro
Avaliação global de educação física 6º e 7º ano setembroAvaliação global de educação física 6º e 7º ano setembro
Avaliação global de educação física 6º e 7º ano setembro
 
Capacidades físicas
Capacidades físicas Capacidades físicas
Capacidades físicas
 
Fundamentos tecnicos do basquetebol
Fundamentos tecnicos do basquetebolFundamentos tecnicos do basquetebol
Fundamentos tecnicos do basquetebol
 
EDUCAÇÃO FÍSICA- TUDO SOBRE O BASQUETE
EDUCAÇÃO FÍSICA- TUDO SOBRE O BASQUETEEDUCAÇÃO FÍSICA- TUDO SOBRE O BASQUETE
EDUCAÇÃO FÍSICA- TUDO SOBRE O BASQUETE
 
Sesi questões sobre basquetebol
Sesi questões sobre basquetebolSesi questões sobre basquetebol
Sesi questões sobre basquetebol
 

Semelhante a Apostila educacao fisica 2017 professor paulo menezes

Futsal
FutsalFutsal
Futsal
ktrevisam
 
Slide de futsal para aula de ed. física
Slide de futsal para aula de ed. físicaSlide de futsal para aula de ed. física
Slide de futsal para aula de ed. física
adnete
 
Slide de futsal para aula de ed. física
Slide de futsal para aula de ed. físicaSlide de futsal para aula de ed. física
Slide de futsal para aula de ed. física
Lisleia Macedo
 
HISTÓRIA DO FUTSAL COMO FOI CRIADO E REGRAS BÁSICAS
HISTÓRIA DO FUTSAL COMO FOI CRIADO E REGRAS BÁSICASHISTÓRIA DO FUTSAL COMO FOI CRIADO E REGRAS BÁSICAS
HISTÓRIA DO FUTSAL COMO FOI CRIADO E REGRAS BÁSICAS
romanenghiitalo
 
Futsal
FutsalFutsal
Plano de aula
Plano de aulaPlano de aula
Plano de aula
Jussy Araujo
 
Futsal 1
Futsal 1Futsal 1
Futsal 1
29setembro
 
Futsal
FutsalFutsal
Plano de aula ed. física
Plano de aula ed. físicaPlano de aula ed. física
ed_fisica_-_3o_ano_de_-_pet_-_01102021.pdf
ed_fisica_-_3o_ano_de_-_pet_-_01102021.pdfed_fisica_-_3o_ano_de_-_pet_-_01102021.pdf
ed_fisica_-_3o_ano_de_-_pet_-_01102021.pdf
FabinhoAraujo1
 
Educação Física
Educação FísicaEducação Física
Educação Física
TatianaSilva205
 
Futsal Prof Marcos Freitas
Futsal   Prof  Marcos FreitasFutsal   Prof  Marcos Freitas
Futsal Prof Marcos Freitas
Ivan Araujo
 
SodaPDF-converted-futsal-terica-100623110941-phpapp02.pptx
SodaPDF-converted-futsal-terica-100623110941-phpapp02.pptxSodaPDF-converted-futsal-terica-100623110941-phpapp02.pptx
SodaPDF-converted-futsal-terica-100623110941-phpapp02.pptx
JosileneFagundes
 
FUTSAL FUNDAMENTAS.ppt Educação Física24
FUTSAL FUNDAMENTAS.ppt Educação Física24FUTSAL FUNDAMENTAS.ppt Educação Física24
FUTSAL FUNDAMENTAS.ppt Educação Física24
MarcilioFeitosaLima1
 
HANDEBOL.pdf
HANDEBOL.pdfHANDEBOL.pdf
HANDEBOL.pdf
DouglasAlbert3
 
introdução ao futebol no mundo e seus fundamentos.pptx
introdução ao futebol no mundo e seus fundamentos.pptxintrodução ao futebol no mundo e seus fundamentos.pptx
introdução ao futebol no mundo e seus fundamentos.pptx
TavaresJana
 
Introdução ao Futebol de Campo.pptx
Introdução ao Futebol de Campo.pptxIntrodução ao Futebol de Campo.pptx
Introdução ao Futebol de Campo.pptx
FlavioJussi1
 
História do futsal
História do futsalHistória do futsal
História do futsal
vitor_dantas
 
História do futsal
História do futsalHistória do futsal
História do futsal
Vitor Dantas
 
Futsal (Futebol)
Futsal (Futebol)Futsal (Futebol)
Futsal (Futebol)
José Emílio
 

Semelhante a Apostila educacao fisica 2017 professor paulo menezes (20)

Futsal
FutsalFutsal
Futsal
 
Slide de futsal para aula de ed. física
Slide de futsal para aula de ed. físicaSlide de futsal para aula de ed. física
Slide de futsal para aula de ed. física
 
Slide de futsal para aula de ed. física
Slide de futsal para aula de ed. físicaSlide de futsal para aula de ed. física
Slide de futsal para aula de ed. física
 
HISTÓRIA DO FUTSAL COMO FOI CRIADO E REGRAS BÁSICAS
HISTÓRIA DO FUTSAL COMO FOI CRIADO E REGRAS BÁSICASHISTÓRIA DO FUTSAL COMO FOI CRIADO E REGRAS BÁSICAS
HISTÓRIA DO FUTSAL COMO FOI CRIADO E REGRAS BÁSICAS
 
Futsal
FutsalFutsal
Futsal
 
Plano de aula
Plano de aulaPlano de aula
Plano de aula
 
Futsal 1
Futsal 1Futsal 1
Futsal 1
 
Futsal
FutsalFutsal
Futsal
 
Plano de aula ed. física
Plano de aula ed. físicaPlano de aula ed. física
Plano de aula ed. física
 
ed_fisica_-_3o_ano_de_-_pet_-_01102021.pdf
ed_fisica_-_3o_ano_de_-_pet_-_01102021.pdfed_fisica_-_3o_ano_de_-_pet_-_01102021.pdf
ed_fisica_-_3o_ano_de_-_pet_-_01102021.pdf
 
Educação Física
Educação FísicaEducação Física
Educação Física
 
Futsal Prof Marcos Freitas
Futsal   Prof  Marcos FreitasFutsal   Prof  Marcos Freitas
Futsal Prof Marcos Freitas
 
SodaPDF-converted-futsal-terica-100623110941-phpapp02.pptx
SodaPDF-converted-futsal-terica-100623110941-phpapp02.pptxSodaPDF-converted-futsal-terica-100623110941-phpapp02.pptx
SodaPDF-converted-futsal-terica-100623110941-phpapp02.pptx
 
FUTSAL FUNDAMENTAS.ppt Educação Física24
FUTSAL FUNDAMENTAS.ppt Educação Física24FUTSAL FUNDAMENTAS.ppt Educação Física24
FUTSAL FUNDAMENTAS.ppt Educação Física24
 
HANDEBOL.pdf
HANDEBOL.pdfHANDEBOL.pdf
HANDEBOL.pdf
 
introdução ao futebol no mundo e seus fundamentos.pptx
introdução ao futebol no mundo e seus fundamentos.pptxintrodução ao futebol no mundo e seus fundamentos.pptx
introdução ao futebol no mundo e seus fundamentos.pptx
 
Introdução ao Futebol de Campo.pptx
Introdução ao Futebol de Campo.pptxIntrodução ao Futebol de Campo.pptx
Introdução ao Futebol de Campo.pptx
 
História do futsal
História do futsalHistória do futsal
História do futsal
 
História do futsal
História do futsalHistória do futsal
História do futsal
 
Futsal (Futebol)
Futsal (Futebol)Futsal (Futebol)
Futsal (Futebol)
 

Último

Caça-palavras - ortografia S, SS, X, C e Z
Caça-palavras - ortografia  S, SS, X, C e ZCaça-palavras - ortografia  S, SS, X, C e Z
Caça-palavras - ortografia S, SS, X, C e Z
Mary Alvarenga
 
Sinais de pontuação
Sinais de pontuaçãoSinais de pontuação
Sinais de pontuação
Mary Alvarenga
 
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdfCADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
NatySousa3
 
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptxSlides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
livro da EJA - 2a ETAPA - 4o e 5o ano. para análise do professorpdf
livro da EJA - 2a ETAPA - 4o e 5o ano. para análise do professorpdflivro da EJA - 2a ETAPA - 4o e 5o ano. para análise do professorpdf
livro da EJA - 2a ETAPA - 4o e 5o ano. para análise do professorpdf
Escola Municipal Jesus Cristo
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
Manuais Formação
 
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdfEspecialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
DanielCastro80471
 
BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...
BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...
BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...
Escola Municipal Jesus Cristo
 
LIÇÃO 9 - ORDENANÇAS PARA UMA VIDA DE SANTIFICAÇÃO.pptx
LIÇÃO 9 - ORDENANÇAS PARA UMA VIDA DE SANTIFICAÇÃO.pptxLIÇÃO 9 - ORDENANÇAS PARA UMA VIDA DE SANTIFICAÇÃO.pptx
LIÇÃO 9 - ORDENANÇAS PARA UMA VIDA DE SANTIFICAÇÃO.pptx
WelidaFreitas1
 
Aula01 - ensino médio - (Filosofia).pptx
Aula01 - ensino médio - (Filosofia).pptxAula01 - ensino médio - (Filosofia).pptx
Aula01 - ensino médio - (Filosofia).pptx
kdn15710
 
Aula 3- 6º HIS - As origens da humanidade, seus deslocamentos e os processos ...
Aula 3- 6º HIS - As origens da humanidade, seus deslocamentos e os processos ...Aula 3- 6º HIS - As origens da humanidade, seus deslocamentos e os processos ...
Aula 3- 6º HIS - As origens da humanidade, seus deslocamentos e os processos ...
Luana Neres
 
Arundhati Roy - O Deus das Pequenas Coisas - ÍNDIA.pdf
Arundhati Roy - O Deus das Pequenas Coisas - ÍNDIA.pdfArundhati Roy - O Deus das Pequenas Coisas - ÍNDIA.pdf
Arundhati Roy - O Deus das Pequenas Coisas - ÍNDIA.pdf
Ana Da Silva Ponce
 
Memorial do convento slides- português 2023
Memorial do convento slides- português 2023Memorial do convento slides- português 2023
Memorial do convento slides- português 2023
MatildeBrites
 
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdfthe_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
CarinaSoto12
 
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdfCaderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
carlaslr1
 
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
LucianaCristina58
 
os-lusiadas-resumo-os-lusiadas-10-ano.pdf
os-lusiadas-resumo-os-lusiadas-10-ano.pdfos-lusiadas-resumo-os-lusiadas-10-ano.pdf
os-lusiadas-resumo-os-lusiadas-10-ano.pdf
GiselaAlves15
 
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdfPowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
1000a
 
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptxA dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
ReinaldoSouza57
 
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do AssaréFamílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
profesfrancleite
 

Último (20)

Caça-palavras - ortografia S, SS, X, C e Z
Caça-palavras - ortografia  S, SS, X, C e ZCaça-palavras - ortografia  S, SS, X, C e Z
Caça-palavras - ortografia S, SS, X, C e Z
 
Sinais de pontuação
Sinais de pontuaçãoSinais de pontuação
Sinais de pontuação
 
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdfCADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
 
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptxSlides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
 
livro da EJA - 2a ETAPA - 4o e 5o ano. para análise do professorpdf
livro da EJA - 2a ETAPA - 4o e 5o ano. para análise do professorpdflivro da EJA - 2a ETAPA - 4o e 5o ano. para análise do professorpdf
livro da EJA - 2a ETAPA - 4o e 5o ano. para análise do professorpdf
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
 
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdfEspecialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
 
BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...
BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...
BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...
 
LIÇÃO 9 - ORDENANÇAS PARA UMA VIDA DE SANTIFICAÇÃO.pptx
LIÇÃO 9 - ORDENANÇAS PARA UMA VIDA DE SANTIFICAÇÃO.pptxLIÇÃO 9 - ORDENANÇAS PARA UMA VIDA DE SANTIFICAÇÃO.pptx
LIÇÃO 9 - ORDENANÇAS PARA UMA VIDA DE SANTIFICAÇÃO.pptx
 
Aula01 - ensino médio - (Filosofia).pptx
Aula01 - ensino médio - (Filosofia).pptxAula01 - ensino médio - (Filosofia).pptx
Aula01 - ensino médio - (Filosofia).pptx
 
Aula 3- 6º HIS - As origens da humanidade, seus deslocamentos e os processos ...
Aula 3- 6º HIS - As origens da humanidade, seus deslocamentos e os processos ...Aula 3- 6º HIS - As origens da humanidade, seus deslocamentos e os processos ...
Aula 3- 6º HIS - As origens da humanidade, seus deslocamentos e os processos ...
 
Arundhati Roy - O Deus das Pequenas Coisas - ÍNDIA.pdf
Arundhati Roy - O Deus das Pequenas Coisas - ÍNDIA.pdfArundhati Roy - O Deus das Pequenas Coisas - ÍNDIA.pdf
Arundhati Roy - O Deus das Pequenas Coisas - ÍNDIA.pdf
 
Memorial do convento slides- português 2023
Memorial do convento slides- português 2023Memorial do convento slides- português 2023
Memorial do convento slides- português 2023
 
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdfthe_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
 
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdfCaderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
 
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
 
os-lusiadas-resumo-os-lusiadas-10-ano.pdf
os-lusiadas-resumo-os-lusiadas-10-ano.pdfos-lusiadas-resumo-os-lusiadas-10-ano.pdf
os-lusiadas-resumo-os-lusiadas-10-ano.pdf
 
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdfPowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
 
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptxA dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
 
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do AssaréFamílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
 

Apostila educacao fisica 2017 professor paulo menezes

  • 1. Cultura Corporal PROFESSOR PAULO MENEZES DE FREITAS 2017 Apostila Educação Física
  • 2. Cultura Corporal Professor Paulo Menezes de Freitas 2 A importância da Educação Física Escolar Por que estudar Educação Física na escola? Infelizmente muitos professores ainda desperdiçam o tempo da aula, dando uma bola aos alunos para que eles façam somente recreação: joguem futebol, vôlei, enfim, ou o que acharem melhor. Há muitos profissionais que não se preocupam em motivar os alunos. Não planejam as aulas e não tem um objetivo ou finalidade pré-determinada da aula. A educação física não se resume a correr, brincar, jogar bola e fazer ginástica. 

A educação física deve sim, integrar o aluno na cultura corporal de movimento, mas de uma forma completa, transmitir conhecimentos sobre a saúde, sobre várias modalidades esportivas, lutas, dança e até mesmo do fitness, adaptando o conteúdo das aulas à realidade em que os alunos se encontram. É uma oportunidade de desenvolver as potencialidades de cada um, mas nunca de forma seletiva e sim, incluindo todos os alunos no desenvolvimento das aulas.

 Os alunos não devem acreditar que a aula de educação física é apenas uma hora de lazer ou recreação, mas que é uma aula como as outras, cheia de conhecimentos que poderão trazer muitos benefícios se inseridos no cotidiano. 

As aulas devem ser dinâmicas, estimulantes e interessantes. Os conteúdos precisam ter uma complexidade crescente a cada ano acompanhando o desenvolvimento motor e cognitivo do aluno. Precisa existir uma relação teórico-prática na metodologia de ensino. Para isso o professor deve inovar e diversificar, pois o campo de trabalho envolve muitas atividades que podem ser trabalhadas com os alunos como jogos, competições, dança música, expressão corporal, ginásticas, jogos tradicionais, gincanas, leituras de textos, trabalhos escritos e práticos, dinâmica em grupo, uso de TV, DVD, internet, etc. O campo é muito amplo. Basta o professor em conjunto com os alunos, ter seriedade e muita criatividade para desenvolver aulas prazerosas de Educação Física na escola. Adaptação do texto escrito por: Valéria Alvin Igayara de Souza CREF 7075/ GSP - Especialista em treinamento. http://cyberdiet.terra.com.br/a-importancia-da-educacao-fisica-escolar-3-1-2-474.html
  • 3. Cultura Corporal Professor Paulo Menezes de Freitas 3 Introdução ao Futsal História do Futsal O FUTEBOL DE SALÃO tem duas versões sobre o seu surgimento, e, tal como em outras modalidades desportivas, há divergências quanto a sua invenção. Há uma versão que o FUTEBOL DE SALÃO começou a ser jogado por volta de 1940 por frequentadores da Associação Cristã de Moços, em São Paulo, pois havia uma grande dificuldade em encontrar campos de futebol livres para poderem jogar e então começaram a jogar suas ''peladas'' nas quadras de basquete e hóquei Temos também a versão que o FUTEBOL DE SALÃO foi inventado em 1934 na Associação Cristã de Moços de Montevidéu, Uruguai, pelo professor Juan Carlos Ceriani, que chamou este novo esporte de ''INDOOR-FOOT-BALL'', onde as peladas de várzea eram substituídas pela futebol na quadra. As primeiras regras do Futebol de Salão foram redigidas em 1933 – fundamentadas no futebol, basquetebol, handebol e pólo aquático – pelo Professor de Educação Física da ACM – Associação Cristãs de Moços / Uruguai, Juan Carlos Ceriani. No início as "equipes" variavam em número, tendo cinco, seis e até sete jogadores, sendo pouco a pouco fixado o limite de cinco. As bolas eram de crina vegetal ou serragem, sofrendo sucessivas modificações, inclusive com o uso de cortiça granulada. Como as bolas de ar utilizadas depois, saltavam muito e saiam freqüentemente das quadras, posteriormente tiveram seu amanho diminuído e o peso aumentado. Daí o fato do Futebol de Salão ser chamado de "esporte da bola pesada". No Brasil, o Futebol de Salão também dava seus primeiros passos na década de 30, onde temos referência de uma publicação de normas e regulamentações para a prática do esporte, na Revista de Educação Física em 1936, no estado do Rio de Janeiro. Tendo em vista isso, embora as primeiras regras tenham surgido no Uruguai, nada foi feito naquele País no sentido de aperfeiçoá-lo ou divulgá-lo, cabendo aos brasileiros a responsabilidade pelo crescimento, divulgação e ordenação do Futsal como modalidade esportiva. De tal forma podemos afirmar que devido a identificação, popularidade e dimensão alcançada no Brasil, o Futsal é um esporte genuinamente brasileiro. O jogador que vem do Futsal tem um drible fácil e curto, aperfeiçoado pelo pequeno espaço em quadra. Aprende-se a conduzir a bola perto do corpo, aprimora o domínio raramente errando um passe, além de ter um sentido de marcação muito desenvolvido.
  • 4. Cultura Corporal Professor Paulo Menezes de Freitas 4 Convém destacar que o amor e a tendência natural do brasileiro pelo futebol transfundiram-se para o Futsal, em razão da valorização imobiliária e de outros fatores sócio- econômicos que implicaram na quase extinção dos antigos campos de várzea. E o futebol passou devido à falta de espaços principalmente nas áreas urbanas, a ser praticado em quadras originalmente destinadas a jogos de basquete e vôlei, daí explicar-se a "febre" do Futebol de Salão. Fonte: www.cbfs.com.br FUNDAMENTOS BÁSICOS DO FUTSAL  Passe: É a ação de enviar a bola a um companheiro ou determinado setor de espaço de jogo.  Drible: É a ação individual, exercida com a posse da bola, visando ludibriar um oponente quando ultrapassado.  Cabeceio: É a ação de cabecear a bola quando é de defesa muito alta.  Chute: É a ação de golpear a bola, estando ela parada ou em movimento, visando dar a ela uma trajetória em direção a um objetivo, seja este o gol, outro jogador ou tirá-la de jogo (existem varias formas de chute).  Recepção: É a ação de interromper a trajetória da bola vinda de passes ou arremessos.  Condução: É a ação de progredir com a bola por todos os espaços possíveis de jogo.  Domínio de bola: Diferentemente do futebol, é realizada, na maioria das vezes, com a sola do pé. QUADRA OFICIAL DO FUTSAL
  • 5. Cultura Corporal Professor Paulo Menezes de Freitas 5 ESTUDO DAS REGRAS DO FUTSAL JOGO Na verdade, o futsal nada mais é que uma adaptação da versão de campo (tradicional) a um espaço menor. Em uma quadra que normalmente tem as mesmas medidas das de handebol e basquete, a modalidade é disputada por duas equipes com cinco atletas cada (um goleiro e quatro na linha) e tem por objetivo fazer a bola entrar na baliza adversária o maior número de vezes. Uma partida de futsal tem dois tempos de vinte minutos cada. As diferenças básicas em relação ao futebol de campo estão justamente nas dimensões. Como o espaço é curto, quando a bola sai pela linha lateral ela deve ser recolocada em jogo com os pés, e não com as mãos. As substituições também não acontecem da mesma forma. Enquanto no campo são permitidas apenas três trocas por equipe, na quadra as mudanças são ilimitadas e não precisam de autorização do juiz para acontecer (exceto o goleiro). Além disso, no futsal os treinadores podem pedir o tempo técnico, presente em esportes como basquete, vôlei e handebol, mas não no futebol de campo. Cada comandante tem direito a duas paralisações de um minuto em cada período. Apenas os goleiros podem pegar a bola com as mãos na sua área e a atuação do goleiro com a bola nos pés também é limitada. Enquanto no campo ele pode agir como jogador de linha sempre que desejar, no salão só pode ficar com a bola durante quatro segundos, e depois que passá-la para um companheiro, só poderá recebê-la de volta depois que ela tiver ultrapassado a linha que divide a quadra ao meio. As punições possíveis também são iguais. Um jogador que comete uma falta um pouco mais dura e merece uma advertência mais expressiva do árbitro recebe um cartão amarelo. A reincidência ou atitude antidesportiva provocam o cartão vermelho, que exclui o atleta da partida. REGRAS IMPORTANTES : 1- O atleta quando expulso da partida não deverá ficar no banco de reservas e nem retornar a mesma. O seu time ficará 2 minutos com 4 jogadores ou até que sofra um gol; então assim será permitido entrar um outro jogador para recompor a sua equipe. 2- A bola estará fora de jogo quando sair completamente quer pelo solo ou pelo alto das linhas laterais ou de fundo. 3- Quando o atleta da mesma equipe ao cobrar uma falta atrasa a bola para o goleiro e ela entra diretamente no gol, o GOL não será válido e deverá ser marcado um arremesso de canto a favor da equipe adversária. 4- Na hora do pênalti o goleiro deverá ficar sobre a linha do gol, podendo movimentar- se exclusivamente sobre ela.
  • 6. Cultura Corporal Professor Paulo Menezes de Freitas 6 5- No lateral ou no escanteio se um atleta arremessar a bola contra a sua própria meta e a bola penetrar na mesma, tocando ou não no goleiro, o GOL não será válido. 6- No lateral se um atleta arremessar a bola contra a meta adversária e a bola penetrar na mesma antes tocando em algum jogador, inclusive o goleiro, o GOL será válido. 7- No escanteio se um atleta arremessar a bola contra a meta adversária e a bola penetrar na mesma, tocando ou não no goleiro o GOL será válido. 8- No arremesso lateral é suficiente que a bola esteja apoiada no solo colocada sobre ou junto a linha demarcatória da lateral, do lado de fora da quadra de jogo, podendo mover-se levemente. 9- Se o goleiro demora mais que 4 segundos para executar o arremesso de meta , um tiro livre indireto (dois lances), será concedido em favor da equipe adversária, colocando-se a bola sobre a linha da área de meta e no ponto mais próximo onde ocorreu a infração. EXERCICIOS: 1. Qual fato mais chamou sua atenção no surgimento do fusal? Em que década surgiu o futsal? ________________________________________________ ________________________________________________ ________________________________________________ 2. Que fatores levaram a prática do futsal? ___________________________________________________________________________ ___________________________________________________________________________ 3. Por que o futsal era chamado de “esporte da bola pedada? _______________________ ___________________________________________________________________________ ___________________________________________________________________________ 4. Cite os fundamentos básicos do futsal. _______________________________________ ___________________________________________________________________________ ___________________________________________________________________________ 5. Uma equipe de futsal é composta de quantos jogadores ( titulares e reservas )? ___________________________________________________________________________ 6. Qual o objetivo do jogo de futsal? Nesse jogo quanto tempo dura uma partida? ___________________________________________________________________________ ___________________________________________________________________________
  • 7. Cultura Corporal Professor Paulo Menezes de Freitas 7 7. Como acontecem as substituições no futsal? __________________________________ __________________________________________________________________________ 8. Cite duas regras que você considera importante deste esporte. ___________________________________________________________________________ ___________________________________________________________________________ ___________________________________________________________________________ 9. Cite as principais diferenças entre o futebol de campo e o futsal. ___________________________________________________________________________ ___________________________________________________________________________ ___________________________________________________________________________ 10. Explique as punições possíveis no futsal. _____________________________________ ___________________________________________________________________________ ___________________________________________________________________________ 11. Quanto tempo o goleiro possui para passar a bola à um companheiro? __________________________________________________________________________ 12. Desenhe uma partida de futsal ( COLORIDO).
  • 8. Cultura Corporal Professor Paulo Menezes de Freitas 8 Introdução atletismo História do Atletismo O atletismo de diversas outras modalidades. Originalmente, seu intuito era premiar o mais forte, o mais alto e o mais rápido dos homens. Os primeiros indícios de competições de atletismo datam de 4 mil anos atrás, quando homens egípcios disputavam corridas entre si. Na Grécia, o atletismo era o pilar das Olimpíadas Antigas.Mais adiante, o atletismo ressurgiria na Inglaterra do século XIX. Nessa época, as corridas se tornaram populares, e competições eram organizadas de maneira irregular. Em 1825, provas para amadores foram disputadas em Uxbridge. Dois anos depois, em Eton, foi criada a corrida com obstáculos. Em 1834, surgiriam as primeiras regras oficiais do esporte, mas apenas para algumas provas. O primeiro torneio oficial, entretanto, seria organizado somente em 1864, quando as universidades de Oxford e Cambridge passaram a se enfrentar anualmente. Na América, os argentinos foram os primeiros a praticar esse esporte, em 1867. Nos Estados Unidos o primeiro campeonato nacional foi disputado em 1968. O atletismo integra o programa das Olimpíadas Modernas desde sua primeira edição, disputada em 1896, na Grécia. A Federação Internacional de Atletismo Amador (Iaaf), que regula o esporte até hoje, só seria fundada em 1913, em Londres, na Inglaterra. De modo geral, o atletismo é praticado em estádios, com exceção de algumas corridas de longa distância, praticadas em vias públicas ou no campo, como a maratona. O atletismo é o esporte mais antigo e nobre de todos, sendo utilizado como base para a prática de diversas outras modalidades. Final Olímpica 100 m.l. Atenas 1896 ESTUDO DAS REGRAS DO ATLETISMO O Atletismo é um esporte composto por diversas modalidades classificadas em: - Corridas: de curta distância e longa distância, além de provas de revezamento e com obstáculos e da marcha atlética; - Saltos: de altura, em distância e triplo; - Lançamentos e Arremessos: podem ser de dardo, disco, martelo e de peso. Consiste em lançar o objeto o mais longe possível do ponto inicial.
  • 9. Cultura Corporal Professor Paulo Menezes de Freitas 9 Nas corridas de curta distância, a explosão muscular na largada é determinante no resultado obtido pelo atleta. Por isso, existe um posicionamento especial para a largada, que consiste em apoiar os pés sobre um bloco de partida (fixado na pista) e apoiar o tronco sobre as mãos encostadas no c hão (posição de quatro apoios). As vozes de comando para a largada são: “Aos seus lugares”, “Prontos”, “Tiro de partida”. São frequentes as falsas partidas, quando o atleta sai antes do tiro de partida, que é o sinal dado para começar a prova. Qualquer atleta que dê uma falsa partida será desclassificado. Contudo, nas provas combinadas (ex decatlo) cada atleta tem direito a uma falsa partida. Nas provas mais longas a partida não tem um papel tão decisivo, e os atletas saiem para a corrida em uma posição mais natural, em pé, sem poder colocar as mãos no chão. Existem muitos tipos de provas de atletismo, sendo que cada uma privilegia uma qualidade atlética do ser humano. Nas Olimpíadas, são disputadas 24 provas diferentes: 100 m, 110 m com barreiras (100 m para mulheres), 200 m, 400 m, 400 m com barreiras, 4 x 100 m, 4 x 400 m, 800 m, 1500 m, 5000 m, 10000 m, 3000 m com obstáculos, salto em distância, salto triplo, salto em altura, salto com vara, arremesso de peso, arremesso de martelo, arremesso de disco, arremesso de dardo, maratona, decatlo, heptatlo e marcha atlética. Veja como funciona cada uma delas:  100 m rasos: é a prova mais nobre do atletismo, que premia o homem e a mulher mais rápido(a) do mundo. Nela, oito competidores correm 100 m em linha reta e vence quem chegar primeiro.     110 m com barreiras (100 m para mulheres): oito competidores têm de percorrer a distância predefinida pulando as dez barreiras que existem no percurso. Vence quem cruzar primeiro a linha de chegada
  • 10. Cultura Corporal Professor Paulo Menezes de Freitas 10  200 m rasos: segue a mesma linha dos 100 m, mas com o dobro da distância. A largada acontece na curva da pista, com os atletas posicionados em marcas que não ficam exatamente umas ao lado das outras, para que o competidor que largue na parte interna da pista não saia com vantagem.  400 m rasos: corresponde a uma volta inteira na pista de atletismo. A largada se dá no mesmo estilo dos 200 m rasos.  400 m com barreiras: segue a mesma linha dos 110 m com barreiras (100 m para mulheres), mas as dez barreiras nesse caso são um pouco menores (veja mais no item Local).  Revezamento 4 x 100 m: uma equipe formada por quatro atletas deve percorrer 400 m (100 m cada atleta), sendo que ao fim de sua participação o atleta deve passar um bastão para o seu companheiro. Essa troca pode ocorrer em um espaço limitado de 20 m. Caso ultrapasse essa marca, a equipe poderá ser desclassificada. Se o bastão cair, somente aquele que o derrubou poderá pegá-lo novamente.  Revezamento 4 x 400 m: segue a mesma linha do revezamento 4 x1 00m, mas a distância percorrida por cada atleta é quatro vezes maior.  800 m: é uma prova de meia-distância, na qual os competidores devem percorrer toda a extensão da pista de atletismo duas vezes. Vence aquele que cruzar primeiro a linha de chegada.  1500 m: outra prova de meia-distância. Segue a mesma linha das outras provas de velocidade, consagrando aquele que primeiro cruzar a linha de chegada.  5000 m: é conhecida como uma prova de fundo, por não se tratar apenas de uma competição de velocidade. Vence aquele que cruzar primeiro a linha de chegada.  10000 m: é a prova do atletismo mais longa disputada dentro de um estádio. Assim como em todas as outras de velocidade, vence quem cruzar primeiro a linha de chegada.  3000 m com obstáculos: inspirada no hipismo, a prova consiste em um percurso de 3000 m que contém barreiras seguidas de pequenos lagos como obstáculos. Vence aquele que cruzar primeiro a linha de chegada.  Salto em distância: prova na qual os atletas devem percorrer uma raia correndo para ganhar impulsão e saltar antes de uma faixa branca marcada no chão, caindo com os dois pés em uma caixa de areia. Vence aquele que conseguir saltar o mais longe possível.  Salto triplo: segue a mesma linha do salto em distância, mas o pulo final deve acontecer após uma série de duas passadas mais largas, que servem para dar impulsão ao atleta. Vence quem saltar o mais longe possível.
  • 11. Cultura Corporal Professor Paulo Menezes de Freitas 11  Salto em altura: prova na qual os atletas correm em direção a uma barra horizontal presa por dois suportes em determinada altura, com o intuito de saltar por cima do obstáculo sem derrubá-lo. Esse salto normalmente é feito de costas, pois tal movimento aumenta a impulsão do atleta. Cada competidor tem direito a três saltos iniciais a uma altura definida pelo juiz. Caso consiga acertar um, o competidor segue na disputa e precisa subir a medida do obstáculo em pelo menos dois centímetros. O salto mais alto conta como resultado final de cada atleta, e aquele que conseguir a maior altura é o campeão. Em caso de empate, será vencedor aquele que deu menos saltos para alcançar sua marca. Se a igualdade persistir, o número de erros será avaliado. Se ainda assim a disputa continuar empatada, os dois ganham medalhas, exceto na briga pelo ouro, em que há um salto adicional.  Salto como vara : segue a mesma linha de disputa do salto em distância. A diferença é que os saltos são dados com o auxílio de uma vara, o que faz o atleta subir mais. Vence aquele que conseguir a maior altura.  Arremesso de peso: nessa prova, os atletas precisam arremessar uma bola de metal com apenas uma mão o mais longe possível, e o peso deve partir da altura do ombro do competidor. Só é contado o melhor arremesso de cada atleta, e aquele que conseguir lançar o peso mais longe será considerado vencedor.  Arremesso de disco: segue a mesma linha das outras provas de arremesso, só que o objeto lançado é um disco, que deve ficar contra os dedos da mão e o antebraço. O arremesso deve ser feito dentro de uma área de 2,5 m de diâmetro, e o competidor pode girar sobre o seu próprio eixo uma vez antes de lançá-lo.
  • 12. Cultura Corporal Professor Paulo Menezes de Freitas 12  Arremesso de dardo: segue a mesma linha das outras provas de arremesso. Nela, o “peso” é um dardo longo e fino, que deve ser lan çado com apenas uma das mãos depois de uma corrida curta de 4 m. Vence quem jogá-lo à maior distância.  Arremesso de martelo: segue a mesma linha do arremesso de peso, só que, nesse caso, o peso é uma bola de ferro presa a um arame metálico, e os atletas podem fazer o arremesso com as duas mãos, dentro de uma área previamente delimitada. Para ganhar impulso, o atleta gira o martelo três vezes sobre a própria cabeça e outras três vezes sobre o seu eixo, para somente depois lançá-lo. Vence quem fizer o arremesso mais longo.  Maratona: uma das provas mais tradicionais das Olimpíadas. Nela, competidores percorrem uma distância de 42,195 km, normalmente em ruas abertas,m sendo que os 400 m finais da prova geralmente são realizados dentro do estádio. Vence quem cruzar primeiro a linha de chegada.  Decatlo: é uma competição que reúne dez provas do atletismo e pode ser disputada apenas por homens. Eles competem nos 100 m, salto em distância, arremesso de peso, salto em altura, 400 m, 110 m com barreiras, arremesso de disco, salto com vara, arremesso de dardo e 1500 m. Os atletas somam pontos de acordo com seus desempenhos em cada prova, e vence aquele que conseguir mais pontos no fim da disputa.  Heptatlo: é a versão feminina do decatlo, na qual são disputadas somente sete provas: 100 m com barreiras, salto em altura, arremesso de peso, 200 m, salto em distância, arremesso de dardo e 800 m. Vence quem somar mais pontos no fim da disputa.  Marcha atlética: é uma prova na qual os atletas só podem andar. Para que essa regra não seja descumprida, o calcanhar do pé da frente do atleta deve ficar em contato com o solo até que a ponta do pé posterior toque o chão. As provas podem ser disputadas em 20 km ou 50 km. Vence quem cruzar primeiro a linha de chegada, que, assim como acontece na Maratona, está posicionada dentro do estádio.
  • 13. Cultura Corporal Professor Paulo Menezes de Freitas 13 Local, técnicas e equipamentos Local Boa parte das provas de atletismo é disputada dentro do Estádio Olímpico, com exceção feita à maratona e à marcha atlética. As provas de salto e arremesso são disputadas em estruturas específicas dentro do campo, enquanto as de velocidade são realizadas em uma pista que mede 400 metros e tem oito raias. As corridas avançam em sentido anti-horário, que contornam o campo. Nos 110 m com barreira (100m para mulheres), as barreiras utilizadas devem ter 1,067 m para os homens e 84 cm para as mulheres. Já nos 400m com barreira, os obstáculos devem ter 91,4 cm de altura para os homens e 76,2 cm para as mulheres. Nas provas de 3000 m com obstáculos, tais obstáculos devem consistir em uma barreira de quase 1 m de altura e lagos de pouca profundidade, com 3,66 m de comprimento. Em todas as provas de arremesso, a área para qual o peso deve ser lançado precisa estar livre, sem que qualquer pessoa nela permaneça, para que não haja risco de acidentes. Para as provas de arremesso de martelo e peso, são montadas estruturas de metal em volta da área de lançamento, de modo que um erro não faça com que o peso acerte uma pessoa. Nas provas de salto em distância e salto triplo, os pulos devem ser executados em direção a uma caixa de areia com superfície praticamente regular, de modo que os organizadores consigam medir perfeitamente a distância atingida. http://www.brasilescola.com/educacaofisica/atletismo.htm http://esporte.hsw.uol.com.br/pan-atletismo3.htm
  • 14. Cultura Corporal Professor Paulo Menezes de Freitas 14 Curiosidades 1. Atualmente, o nome de maior destaque mundial no atletismo é Usain Bolt. Aos 22 anos, ele tornou-se o primeiro na história a vencer os 100 m rasos e os 200 m rasos com recordes mundiais nas duas provas, 9s69 e 19s30, respectivamente. Antes, nove atletas já haviam conseguido vencer as duas provas mais rápidas do atletismo na mesma Olimpíada, mas não com tamanha rapidez. O último a conseguir o feito havia sido o norte-americano Carl Lewis, 24 anos antes, em Los Angeles-1984. 2. Carl Lewis, aliás, é o maior vencedor da história do atletismo. São nove ouros e uma prata em quatro Jogos Olímpicos (1984, 1988, 1992 e 1996). Foram dois primeiros lugares nos 100 m, um nos 200 m rasos, dois no revezamento 4 x 100 m, e quatro no salto em distância, além de uma prata nos 200 m rasos. 3. No Brasil, o episódio mais conhecido de doping no atletismo é o da saltadora Maurren Maggi. Campeã Pan-Americana em 1999, em Winnipeg, no Canadá, no salto em distância, a atleta foi pega no exame em 2003, próximo aos Jogos de Santo Domingo, na Republica Dominicana. A substância encontrada foi o clostebol, que faz parte da composição de um creme cicatrizante aplicado pela atleta na virilha após uma sessão de depilação definitiva. Maggi foi suspensa por dois anos. A atleta abandonou a carreira depois disso e só retomou os treinos em 2006, de olho em Pequim. Nos Jogos Olímpicos de 2008, Maurren surpreendeu o mundo ao conquistar a medalha de ouro no salto em distância. 4. Na edição de 1936 das Olimpíadas, realizada em Berlim, na Alemanha, em plena Segunda Guerra Mundial, o atleta Jesse Owens, negro, frustrou as expectativas do ditador nazista de comprovar a teórica supremacia da raça ariana. Owens conquistou quatro ouros nas provas de 100 m e 200 m rasos, no revezamento 4 x 100 m e no salto em distância. QUESTIONÁRIO 1. Originalmente, qual era o intuito do atletismo? _______________________________ ___________________________________________________________________________ ___________________________________________________________________________ 2. Onde surgiram os primeiros indícios do atletismo? ____________________________ __________________________________________________________________________ 3. Qual foi o primeiro país da América a disputar o atletismo? _____________________ ___________________________________________________________________________ 4. Desde quando o atletismo faz parte dos Jogos Olímpicos? ______________________ ___________________________________________________________________________ 5. Qual é a prova mais nobre do atletismo? ____________________________________ ___________________________________________________________________________ 6. Qual prova é conhecida como prova de fundo? _______________________________ ___________________________________________________________________________ 7. Qual destas provas é inspirada no hipismo? __________________________________ ___________________________________________________________________________ 8. Em qual prova a largada é realizada na curva da pista? _________________________ ___________________________________________________________________________
  • 15. Cultura Corporal Professor Paulo Menezes de Freitas 15 9. Quais são as 4 provas de saltos que se englobam nas provas de Atletismo?__________________________________________________________________ ___________________________________________________________________________ 10. Que 4 tipos de lançamentos se realizam nas provas de Atletismo? ________________ ___________________________________________________________________________ ___________________________________________________________________________ 11. Nas corridas, além do fundo e do meio fundo, que outras especialidades completam esta modalidade? _____________________________________________________________ ___________________________________________________________________________ 12. Nas provas combinadas e na marcha, surgem algumas diferenças entre as competições de pista coberta e as competições ao ar livre. Quais são essas diferenças? ___________________________________________________________________________ ___________________________________________________________________________ 13. Quais são as 3 "vozes de comando" utilizadas nas corridas de velocidade? ___________________________________________________________________________ ___________________________________________________________________________ 14. Qual a distância percorrida numa volta à pista oficial de Atletismo? ___________________________________________________________________________ 15. Cite o nome de atletas brasileiros e as modalidades do atletismo em que foram medalhados em Jogos Olímpicos? _______________________________________________ ___________________________________________________________________________ Responda as questões marcando a alternativa correta: 1. Sobre as modalidades do atletismo. Assinale a opção que preenche corretamente a lacuna a seguir. "_____________________": Essa prova equivale a 3 3/4 voltas da pista de atletismo. Os competidores se posicionam atrás da linha de partida, que fica a 300 m da linha de chegada e é medida com base na raia interna da pista. Todos os atletas largam em pé e sem a ajuda de blocos de partida. Ao iniciar a última volta da prova, o esportista é informado pelo árbitro que está posicionado na linha de chegada, tocando um sino em sinal de aviso. a) 5000 m (masculino e feminino) b) 200 m (masculino e feminino) c) 400 m (masculino e feminino) d) 1500 m (masculino e feminino)
  • 16. Cultura Corporal Professor Paulo Menezes de Freitas 16 2. Em uma prova de 110 m com barreira, no atletismo, o atleta derruba a barreia sem intenção, mas chega em 1° lugar, o que acontece? Marque a alternativa correta. a) é campeão b) está eliminado c) faz-se outra prova d) perde posição 3. Peso, disco, dardo e martelo são aparelhos que pertencem a qual modalidade esportiva? Marque a alternativa correta: a) Handebol b) Esgrima c) Tiro ao alvo d) Atletismo 4. Sobre as regras do atletismo, leia as afirmações a seguir. I. Decatlo: corridas rasas de 100 metros, 400 metros (m) e 1,500 m, corrida com barreiras de 110m; lançamento de disco, peso e dardo; salto em altura, extensão e com vara. Faz parte do programa dos Jogos Olímpicos desde 1912. II. Heptatlo: 100 m com barreiras, lançamento de peso, salto em altura, 200 m rasos, salto em distância, lançamento de dardo e 800 m rasos. Está nos Jogos desde 1984. III. 3.000 m com obstáculos: inclui 4 obstáculos secos e 1 obstáculo do fosso a cada volta na pista. A prova, com influência hípica, entrou nos jogos em 1990. IV. Lançamento de dardo: no masculino, seu peso total não pode passar de 800 gramas e o seu comprimento varia de 2,60 a 2,70 m. Seu diâmetro varia de 2,5 a 3 cm. No feminino, o peso total é 600 g, o comprimento varia de 2,20 a 2,30 m. e o diâmetro varia de 2 a 2,25 cm. O lançamento é feito de uma pista, onde o lançador corre cerca de quinze passadas. Há coerência em a) I, II, III, IV. b) II, IV apenas c) I, II, III apenas d) II, III apenas e) I, III, IV apenas 5. Marque a alternativa correta. No que diz respeito à saídas das provas de velocidade: a) A corrida é iniciada após o árbitro de partida pronunciar "as suas marcas". b) È considerada falsa a saída em que um competidor deixa sua posição de partida, com as mãos ou com os pés, antes do disparo do revólver. c) Caso o atleta cometa duas saídas falsas terá o direito a apenas mais uma saída. d) Os atletas não são obrigados a utilizarem o bloco de partida. 6. Na corrida São Silvestre tradicionalmente realizada na cidade São Paulo que distância deve ser percorrida pelos atletas? a) 15km b) 42.195m c) 42 KM d) 40.000 m
  • 17. Cultura Corporal Professor Paulo Menezes de Freitas 17 Ginástica: As diferentes formas de ginástica A ginástica é uma forma de exercícios físicos que é classificada em duas modalidades, as competitivas onde existe competição, como nas olimpíadas e também as não competitivas, como as praticadas em academias. A ginástica muitas vezes é procurada para quem quer melhorar o corpo, emagrecer ou até mesmo fortalecer os músculos e também melhorar o aperfeiçoamento mental em forma de relaxar a mente. A ginástica desenvolveu-se efetivamente na Grécia antiga, a partir dos exercícios que os soldados praticavam, incluindo habilidades e também acrobacias. A palavra Ginástica, surgiu do grego Gymnastiké, que é a arte de fortificar o corpo e também dar-lhe agilidade. Ela se tornou um esporte olímpico a partir da Grécia, pois os gregos começaram a utilizar nas Olimpíadas de Atenas no ano de 1896, mas só para os homens. E foi no ano de 1928 que a participação das mulheres foi liberada em Amsterdã. Como foi citado no começo do texto a ginástica é classificada em duas modalidades, as competivas e não competitivas. Entre as competitivas estão: - Ginástica acrobática: que tem como objetivo fazer acrobacias de forma que se tenha habilidade, força, equilíbrio, flexibilidade e também é realizada em equipe; - Ginástica artística: também é uma forma que se deve ter força, equilíbrio e habilidade, um exemplo, é o cavalo de alças; - Ginástica rítmica: esta modalidade envolve movimentos em forma de dança em variados tipos e dificuldades e também com a utilização de pequenos equipamentos; - Ginástica de Trampolim: nesta modalidade são usados um e dois trampolins para um ou dois atletas que devem executar uma série de dez elementos; Entre as não-competivas estão: - Ginástica Circense: consistem em realizar movimentos de flexibilidade poucos comuns e geralmente é mais usado em espetáculos de circo; - Ginástica cerebral: praticada através de exercícios e movimentos coordenados do corpo que, executados de maneira apropriada, acessam e estimulam partes específicas do cérebro; - Ginástica laboral: geralmente praticada no ambiente de trabalho para funcionários, durante o horário de trabalho, para se evitar lesões de esforços repetitivos; - Ginástica localizada de academia: são os exercícios feitos em academias que ajudar o condicionamento físico e também emagrecer e para alguns também o fortalecimento muscular. - Hidroginástica: melhora a capacidade aeróbica e cardiorrespiratória e como o nome já diz é uma ginástica praticada na água; Além de muitos procurarem ela para dar formas ao corpo e também ajudar a emagrecer, ela também é mostrada como forma de arte, como por exemplo, a ginástica olímpica. A
  • 18. Cultura Corporal Professor Paulo Menezes de Freitas 18 ginástica não consiste apenas em exercícios feitos em academia, de certa forma ela é tudo que faz você movimentar seu corpo de forma que se exercite. A História da Ginástica Olímpica "A Ginástica é um esporte tanto emocionante quanto belo, que não requer somente coragem de seus adeptos como também graça e domínio do corpo." http://www.canalolimpico.com.br/artigos/a- historia-da-ginastica-olimpica/ Ginástica Olímpica, mais conhecida como Ginástica Artística, é um esporte incrível e já muito tradicional nas Olimpíadas. Inclusive as participações das ginastas Brasileiras tem sido a cada ano melhores e mais competitivas. O que é mais legal, o número de adeptos a este belo esporte, cresce a cada ano. Por isso hoje vamos conhecer um pouco da História da Ginástica Olímpica. “A Ginástica é um esporte tanto emocionante quanto belo, que não requer somente coragem de seus adeptos como também graça e domínio do corpo.” Frase retirada do livro “O Prazer da Ginástica”. A Ginástica Olímpica é um conjunto de exercícios corporais sistematizados, aplicados com fins competitivos, em que se conjugam a força, a agilidade e a elasticidade. O termo ginástica origina-se do grego gymnádzein, que significa "treinar" e, em sentido literal, "exercitar-se nu", a forma como os gregos praticavam os exercícios. A Origem da Ginástica A Ginástica, ainda não Olímpica, muito menos Artística, e sim como uma mera prática de exercícios físicos, vem ainda lá da Pré-História. A Ginástica tinha detinha um papel importante para a sobrevivência do homem Pré-Histórico, expressada, principalmente, na necessidade vital de atacar e defender-se. O exercício físico utilitário e sistematizado de forma rudimentar era transmitido através das gerações e fazia parte dos jogos, rituais e festividades. Mais tarde, na antiguidade, principalmente no Oriente, os exercícios físicos apareceram nas várias formas de luta, na natação, no remo, no hipismo e na arte de atirar com o arco, além de figurar nos jogos, nos rituais religiosos e na preparação militar de maneira geral.
  • 19. Cultura Corporal Professor Paulo Menezes de Freitas 19 Como prática esportiva, a ginástica teve sua oficialização e regulamentação tardiamente, se comparada a seu surgimento enquanto mera condição de prática metódica de exercícios físicos, já encontrados por volta de 2 600 a.C., nas civilizações da China, da Índia e do Egito, onde valorizava-se o equilíbrio, a força, a flexibilidade e a resistência, utilizando, inclusive de materiais de apoio, como pesos e lanças. A História da Ginástica Olímpica (propriamente dita) A ginástica artística, agora sim, teria surgido, segundo estudos, na Grécia Antiga, como forma de atividade física atlética, e no Egito Antigo, onde as pessoas realizavam acrobacias circenses nas ruas com o intuito de entreter os transeuntes. Como a prática constante desenvolvia habilidades corporais importantes, como a força e a elasticidade, ela passou a ser adaptada ao treinamento militar. O mesmo uso fora feito na Grécia Antiga – onde a ginástica continuou a desenvolver-se. Contudo, em Roma, o apreço pela modalidade artística enquanto treinamento caiu em desuso, e a ginástica passou a restringir-se apenas a apresentações de circo que inspiravam os soldados antes das batalhas, enquanto estes davam à ginástica outros valores em termos de preparação militar. Desse modo, não tardou para que a Federação Internacional de Ginástica (FIG) – uma das entidades esportivas mais antigas do mundo – fosse fundada em 1891. Cinco anos depois, a modalidade fora incluída no programa dos primeiros Jogos Olímpicos modernos, realizados em Atenas, na Grécia. Por razões da origem do nome, a entrada das mulheres nas competições, só se deu na edição de 1928 das Olimpíadas, que aconteceu em Amsterdã, na Holanda. O referido nome incluía a prática nua por parte dos ginastas. Por esta razão, os homens, nos primeiros Jogos, competiam despidos da cintura para cima. Com a providência de vestirem-se por completo, as mulheres puderam estrear nos campeonatos. Pintura do italiano Giovanni Battista Tiepolo, chamada Polichinelo e os acrobatas de 1797, época em que a ginástica renascia em apresentações públicas. A obra encontra-se no Museu Settecento Veneziano. => =>
  • 20. Cultura Corporal Professor Paulo Menezes de Freitas 20 Ginástica Olímpica Masculina Os homens competem em seis aparelhos – salto sobre o cavalo, barras paralelas, cavalo com alças, barra fixa, solo e argolas. A nota inicial das séries masculinas é 8.6. Para atingir a nota máxima de partida – 10 pontos – os ginastas devem executar, além dos movimentos obrigatórios, elementos extras que bonificam suas rotinas. Os exercícios são: Solo, Cavalo com Alças, Argolas, Salto sobre o cavalo, Barras Paralelas e Barra fixa. Ginástica Olímpica Feminina A Ginástica Olímpica Feminina, modalidade constituída por quatro aparelhos, ou provas, onde as ginastas apresentam-se na ordem olímpica. Os exercícios de competição são: Salto sobre o cavalo, Barras paralelas assimétricas, Trave de equilíbrio e Solo. Os exercícios básicos da Ginástica Olímpica são: Vela, Aviões, Esquadros, Parada de três apoios, Rolamento para frente, Rolamento para frente afastado Rolamento para frente carpado, Rolamento para trás grupado, rolamento para trás afastado, Rolamento para trás carpado, Parada de mãos, Parada de mão, rolamentos, Pontes, Roda, Rondada, Reversão simples, Reversão com uma perna. Regras As disputas de ginástica podem acontecer em oito provas diferentes: salto sobre cavalo, cavalo com alças, argolas, barra fixa, barras paralelas, trave, barras assimétricas e solo. Em tese, a pontuação máxima é 10, mas a nota de dificuldade é praticamente inviável de ser atingida na prática, já que não é possível para o atleta fazer todos os movimentos predeterminados em apenas uma apresentação. A nota “A” é dada por dois juízes. Já a nota “B” é concedida por seis juízes, que partem de notas 10 e vão descontando pontos a cada erro de execução dos movimentos. A maior e a melhor nota são descartadas. Em todos os aparelhos, a avaliação final é feita pela média de pontos de cada participante. Conheça como funciona cada uma das provas: Cavalo com alças: somente disputada por homens. Nela, os ginastas devem tocar apenas nas alças do equipamento (que precisam ser paralelas e estar fixadas verticalmente na superfície do aparelho) com as mãos, sem tocar no cavalo, fazendo movimentos circulares com o corpo.
  • 21. Cultura Corporal Professor Paulo Menezes de Freitas 21 Salto sobre cavalo: é disputado por homens e mulheres. Nele, os atletas correm por uma pista, pulam em um trampolim, apóiam-se no cavalo (aparelho) e fazem movimentos no ar antes de tocarem o chão no outro lado do equipamento. O atleta deve avisar qual salto irá realizar antes de executá-lo, para que seja estabelecido o valor de partida da nota “A”. Imagens Comitê Olímpico Brasileiro Crédito: Washington Alves/COB/Divulgação Argolas: também disputada apenas entre os homens. É considerada a prova masculina mais difícil, pois o atleta é obrigado a ficar pelo menos dois segundos em posição vertical ou horizontal ao solo, e as argolas não podem se mexer durante a apresentação. Como elas ficam ao alcance das mãos dos ginastas, não há nenhum tipo de equipamento que os auxilie a iniciar o exercício. Barra fixa: mais uma prova disputada somente na categoria masculina. Nela, o ginasta tem de se movimentar segurando uma barra fixa, não podendo ficar parado durante a apresentação, sob o risco de ser penalizado com a perda de pontos.
  • 22. Cultura Corporal Professor Paulo Menezes de Freitas 22 Barras paralelas: disputada somente por homens. Nela, o ginasta deve se apoiar em duas barras paralelas, mas só pode realizar movimentos com uma das mãos tocando as barras. Trave: disputada somente por mulheres. É considerada a prova feminina mais complicada. Nela, as ginastas ficam em pé e têm de andar sobre uma barra mais larga, devendo executar movimentos sem cair da mesma. Barras assimétricas: duas barras são posicionadas de forma paralela, e a ginasta deve se movimentar entre elas. Elas iniciam a execução das acrobacias com um salto no trampolim e terminam com um salto no colchão. Toda a performance é avaliada. Solo: disputada por homens e mulheres. Os homens realizam movimentos sem acompanhamento musical em um intervalo de tempo que varia entre 50 e 70 segundos. Já a apresentação feminina, cuja duração vai de 70 a 90 segundos, acontece com uma música de fundo. A forma de pontuação da ginástica é complicada. As apresentações recebem sempre dois tipos de nota. A nota “A” se refere à dificuldade dos movimentos exercidos pelos atletas, enquanto a “B” avalia a execução das acrobacias.
  • 23. Cultura Corporal Professor Paulo Menezes de Freitas 23 QUESTIONÁRIO 1) Qual dessas provas é disputada apenas entre homens? Salto sobre cavalo B) Trave C) Barras paralelas 2) Em 2000, um grande passo foi dado para o desenvolvimento da ginástica artística no Brasil. Qual foi esse passo? A) A criação da Confederação Brasileira de Ginástica (CBG) B) Daiane dos Santos conseguiu o primeiro ouro do Brasil e apoio para a modalidade C) Foi criado o Centro Olímpico em Curitiba (PR) 3) Circule os aparelhos praticados apenas na ginástica masculina Cavalo com alças Salto sobre o cavalo Argolas Trave de equilíbrio Barras paralelas Barra fixa Barras assimétricas 4) Qual é a altura que as argolas ficam na prova ginástica masculina? 2,55 m B) 1,75 m C) 1,35 m 5) De onde se originou a o termo Ginástica?________________________________ ___________________________________________________________________ 6) Leia as definições abaixo e faça a correspondência correta : Ginástica rítmica - Ginástica acrobática - Ginástica de Trampolim - Ginástica artística (_______________________________ ): que tem como objetivo fazer acrobacias de forma que se tenha habilidade, força, equilíbrio, flexibilidade e também é realizada em equipe; (_______________________________ ): também é uma forma que se deve ter força, equilíbrio e habilidade, um exemplo, é o cavalo de alças; (_______________________________ ): esta modalidade envolve movimentos em forma de dança em variados tipos e dificuldades e também com a utilização de pequenos equipamentos; (_______________________________ ): nesta modalidade são usados um e dois trampolins para um ou dois atletas que devem executar uma série de dez elementos; 7) Cite os aparelhos praticados na Ginástica Olímpica Masculina. ____________________ ________________________________________________________________________ 8) Quem foi o primeiro homem brasileiro a conquistar uma medalha do ouro em Copa do Mundo de ginástica? A) Mosiah Rodrigues B)Victor Rosa C) Diego Hypólito
  • 24. Cultura Corporal Professor Paulo Menezes de Freitas 24 9) Duas barras são posicionadas de forma paralela, e a ginasta deve se movimentar entre elas. Como é chamada essa prova? A) Barra Fixa B) Barra Paralela C) Barra Assimétrica 10) Qual dessas provas é disputada apenas entre homens? A) Salto sobre o cavalo B) Trave C) Barra Paralela FIQUE SABENDO UM POUCO MAIS.... Leia com atenção e responda as questões abaixo: Ginástica laboral é o conjunto de práticas de exercícios físicos realizados no ambiente de trabalho (donde o qualificativo laboral), com a finalidade de colocar previamente cada pessoa — e todos — da equipe ou grupo de trabalho bem preparadas para o exercício do labor diário. Usualmente baseia-se em técnicas de alongamento, distribuídas pelas várias partes do corpo, dos membros, passando pelo tronco, à cabeça, sendo, de ordinário, orientada ou supervisionada por um educador físico. Os benefícios da Ginástica Laboral podem ser evidenciados por conta do preparo constante da musculatura do corpo, principalmente das musculaturas sobrecarregadas, para o expediente de trabalho e por "quebrar'' a rotina e proporcionar alívio psicológico e interação entre os profissionais. Diminui o esforço na execução das tarefas diárias; Facilita a adaptação ao posto de trabalho; Melhora a condição do estado de saúde geral; Quais são os exercicios utilizados na ginástica LaboraL?__________________________ ___________________________________________________________________________ Por que a Ginástica Laboral faz bem? _________________________________________ ___________________________________________________________________________ ___________________________________________________________________________ Onde a Ginástica Laboral é feita? _____________________________________________ ___________________________________________________________________________ A ginástica laboral pode ser definida como uma atividade física que : A) tem como objetivo fazer acrobacias de forma que se tenha habilidade, força, equilibrio, flexibilidade e também é realizada em equipe; B) também é uma forma que se deve ter força, equilibrio e habilidade, um exemplo, é o cavalo de alças; C) geralmente é praticada no ambiente de trabalho para funcionários, durante o horário de trabalho, para se evitar lesões de esforços repetitivos;
  • 25. Cultura Corporal Professor Paulo Menezes de Freitas 25 Basquetebol: História do Basquetebol - Parte 1 Estávamos no ano de 1891, na cidade de Springfield (estado de Massachussets, nos Estados Unidos), em uma escola chamada Springfield College, da Associação Cristã de Moços. O inverno era rigoroso e impossibilitava a prática do beisebol e futebol americano, pois os campos eram abertos e estavam cobertos pela neve. Foi então que Luther Gullick, diretor do colégio, ou pediu ao professor canadense James Naismith, que pensasse em tipo de jogo que pudesse ser praticado também em ambientes fechados, como salas de ginásticas. "James Naismith nasceu em 1861. Formou-se em Artes em 1883 e, em 1890 forma-se pastor (era casado e teve 5 filhos). Criou o basquete em 1891, mas conseguiu o diploma de Ed. Física somente em 1910. Foi professor e diretor universitário em diversas áreas, além de técnico de basquetebol, carreira que encerrou em 1912, com 53 vitórias e 58 derrotas. Faleceu em 1940, aos 79 anos." Após muitas reflexões, James Naismith pediu a um funcionário que trouxesse duas caixas para serem pregadas na parede; o funcionário não encontrou as caixas, mas trouxe dois cestos de pêssego, que foram pendurados na sala de ginástica. A partir daí, o professor Naismith criou 13 regras, que constituíram um jogo chamado por ele de BASKETBALL (que em português significa bola ao cesto). Os alunos logo gostaram desse novo jogo, que foi se espalhando pelas escolas da Associação Cristã de Moços do mundo todo, chegando ao Brasil logo em 1894, com o nome de BASQUETEBOL. Assim era a cesta de pêssegos usada quando o basquete foi inventado. Ela era fechada embaixo porque só valiam os pontos quando a bola permanecia lá dentro. As cestinhas com redes, presas em aros de ferro, foram adotadas em 1896. Ao lado da cesta, sempre havia uma escada ou um bastão para sua retirada. Logo depois, criou-se um dispositivo para abrir o fundo da rede com a ajuda de um barbantinho. O formato atual passou a ser utilizado em 1898. CURIOSIDADE Hoje, o basquetebol é jogado por duas equipes com 5 jogadores cada. No início, não havia esse limite, tendo ocorrido jogos com mais de 30 jogadores ao mesmo tempo!!!
  • 26. Cultura Corporal Professor Paulo Menezes de Freitas 26 Conhecendo o Basquetebol - Parte 2 CONHECENDO O BASQUETE Com certeza você já ouviu falar sobre basquete, não é mesmo? Mas será que você saberia escrever o que é o basquete? Mãos a obras! Aproveite as linhas abaixo e responda o que é esse tal de basquetebol. "O Basquetebol é jogado por duas equipes de cinco jogadores cada uma. O objetivo de cada equipe é o de jogar a bola dentro da cesta do adversário e evitar que a outra equipe se apodere dela ou faça pontos. A bola poderá ser passada, arremessada, batida por tapas, rolada ou driblada em qualquer direção, respeitadas as restrições impostas pelas regras do jogo". (definição pelas Regras Oficiais do Basketball, Fiba 2000-2002). A quadra oficial de basquete deve medir 28 metros de comprimento por 15 metros de largura. Deve ter um círculo central e dois garrafões, próximo às linhas de fundo da quadra, onde também se localiza a tabela e a cesta (aro). Para completar, temos a linha de 3 pontos. Jogadores: Cada equipe é composta por 5 jogadores na quadra e até 7 jogadores no banco de reservas. De acordo com as características de cada jogador, ele pode jogar em posições básicas de ataque: Armador - Como característica física, esse atacante normalmente é o menor e mais rápido da equipe. Tecnicamente, deve passar e driblar bem, sendo habilidoso. O tipo de arremesso mais utilizado pelo armador é o jump de longa distância, em função da região em que atua na quadra (bem longe da cesta). O armador deve ter uma boa visão de jogo, sabendo decidir com vantagem o momento exato de passar a um companheiro ou arremessar à cesta. Pivô - Por jogar em uma região mais próxima da cesta, onde normalmente a defesa concentra grande força e atenção, o pivô deve ser alto e forte. Em termos técnicos, é uma posição que exige um bom trabalho de pernas (para fintas e giros), a
  • 27. Cultura Corporal Professor Paulo Menezes de Freitas 27 utilização de arremessos de curta distância (jump e gancho) e boa noção de posicionamento para o rebote ofensivo. Ala - Em relação às qualidades físicas, é um jogador de estatura média e que não deve ser muito lento. A principal característica técnica para esta posição é um bom arremesso de meia distância. O lateral deve ter boa noção de rebote, pois normalmente tem a oportunidade de participar do mesmo, devido ao local da quadra em que atua. Pontuação: O Basquetebol é um jogo em que duas equipes buscam fazer o maior número de pontos, acertando a bola na cesta. As cestas podem valer 1, 2 ou 3 pontos. Basquetebol: Fundamentos - Parte 3 Os Fundamentos do Basquetebol Controle de corpo: É a capacidade de realizar movimentos e gestos específicos do basquetebol, exigidos pela própria dinâmica do jogo. Esses gestos e movimentos são as várias formas de controlar o corpo com saídas rápidas, paradas bruscas, mudanças de direção, corridas, finta, giros, saltos, etc... - posição básica, movimentação lateral, para frente e para trás, paradas rápidas, partidas bruscas, a corrida, os saltos, as fintas, as mudanças de direção e de passo, e os giros. Manejo da Bola: É a capacidade de manusear a bola nas diversas situações do jogo. Deve-se oferecer aos praticantes a oportunidade de conhecer as diversas possibilidades de movimentos com a bola, como: rolar, tocar, quicar, segurar, lançar, trocar de mãos e movimentá-la em relação a diversos planos do corpo. - Modos de segurar e receber a bola (empunhadura) e percepção da bola com o corpo, espaço, ritmo e direção.
  • 28. Cultura Corporal Professor Paulo Menezes de Freitas 28 Passes: São lançamentos da bola entre elementos de uma mesma equipe que constitui numa maneira de levar a bola de um ponto a outro da quadra sem infringir as regras do basquetebol. Este fundamento é executado mediante lançamentos da bola entre elementos da mesma equipe, com o objetivo de conseguir um melhor posicionamento na quadra, para maior facilidade na obtenção de uma cesta. Os passes podem ser executados com uma ou ambas as mãos. É o elemento técnico que traduz de forma mais objectiva a comunicação entre dois jogadores da mesma equipa. O seu êxito depende dos seguintes factores:  Preparação de quem recebe a bola;  Qualidade de quem passa (posição, técnica escolhida e sua execução correta);  “Tempo” de execução do passe;  Nível de oposição defensiva existente. Tipos de Passe 1. Passe de peito com duas mãos; 2. Passe por cima da cabeça com duas mãos; 3. Passe com uma mão por cima do ombro. 4. Passe Quicado 5. Passe de Gancho Passe de Peito Trazendo já bola junto ao peito, com o peso do corpo na perna coordenando movimento dos braços com os pulsos, a bola à frente do corpo, lançá-la com as mãos na direção do movimento. Utilizado em curtas e médias distâncias. Principais características:  Cotovelos junto ao corpo;  Rotação dos pulsos na execução do passe;  Posição final das mãos com as palmas para fora e polegares a apontar para baixo e para dentro.  O Passo adicional, não é uma componente do passe de peito, mas sim um movimento auxiliar relacionado com a força de execução e com o equilíbrio.
  • 29. Cultura Corporal Professor Paulo Menezes de Freitas 29 Passe por cima da Cabeça É usado quando existe um adversário entre dois jogadores da mesma equipe. Também utilizado em curtas e médias distâncias, sendo mais específicos para o pivô. Principais Características:  Ação importante dos dedos e dos pulsos;  Muito usado contra defesas à zona. Passe de Ombro A bola é segura com ambas as mãos, com os dedos apontados para cima. Os cotovelos devem ser flexionados, a bola se manterá junto ao corpo com o ombro alto e a execução do passe deverá ser feita pela extensão do braço, cotovelo e punho. Utilizado em médias e longas distâncias, sendo muito utilizados em contra ataques. Principais Características:  Utilizado preferencialmente para passes compridos;  Participação final e decisiva do pulso e dos dedos. Passe Quicado É idêntico ao passe de peito, com a diferença de que a bola toque no chão antes de chegar às mãos do jogador que vai recebê-la. Passe por cima da cabeça - Elevando a bola acima da cabeça com ambos os braços, lançá-la com um forte movimento dos pulsos, sem baixar os braços.
  • 30. Cultura Corporal Professor Paulo Menezes de Freitas 30 No Passe Quicado, deve-se manter a mesma técnica do Passe de Peito, diferindo na trajetória da bola, onde esta deverá tocar o solo antes de chegar ao companheiro. Característica importante: executar o passe com velocidade para o companheiro que irá receber o passe. Utilizado em curtas e médias distâncias. Técnicas determinantes: 1. Colocar os cotovelos junto ao corpo; 2. Avançar um dos apoios; 3. Executar um movimento de repulsão com os braços. Passe de gancho A bola é segura pela mão que vai lançá-la bem junto ao punho, dedos espalhados na bola. Com um passo atrás ou para o lado, dar um solto com um giro no ar simultâneo ao lançamento da bola através de um movimento circundante do braço. Também utilizado em curtas e médias distâncias, sendo mais realizados pelo pivô. Técnicas determinantes: 1. Elevar os braços acima da cabeça; 2. Avançar um dos apoios; 3. Executar o passe com o movimento dos pulsos e dos dedos. Dribles: É o ato de bater a bola, impulsionando-a contra o solo com uma das mãos. Apenas com esse fundamento o jogador com a posse da bola poderá se deslocar pela quadra sem infringir as regras do jogo. - drible alto parado e em movimento, drible baixo parado e em movimento, drible com a mão esquerda e mão direita, drible correndo, drible com e sem marcação,drible em zig-zag, drible com proteção de bola, drible com mudança de direção e ritmo, drible com as duas mãos simultaneamente e drible com giros, entre as pernas e por trás do corpo. Arremessos: É um fundamento de ataque realizado com o objetivo de se conseguir a cesta. Em uma partida de basquetebol o atacante de posse de bola poderá executar um arremesso de diversas formas, dependendo de sua posição na quadra, da posição do adversário mais próximo e de sua velocidade de deslocamento. - Com uma das mãos, após drible, jump, bandeja (pela direita e esquerda), com giro, com mudança de direção, com finta, lateral, de gancho, lance livre, 2 e 3 pontos.
  • 31. Cultura Corporal Professor Paulo Menezes de Freitas 31 Rebotes: Em um jogo de basquetebol, toda vez que houver uma tentativa de arremesso os jogadores deverão se posicionar de tal forma que, se a cesta não for convertida, eles estarão em condições de conseguir a posse da bola. Portanto, o ato de recuperar a bola após um arremesso não convertido é denominado rebote. O rebote pode ser classificado como: rebote de defesa ou defensivo e rebote de ataque ou ofensivo. - Posicionamento no rebote ofensivo e defensivo Basquetebol: Estudo das Regras - Parte 4 O ESTUDO DAS REGRAS DO BASQUETEBOL - Oficialmente, o basquetebol é jogado em 4 tempos de 10 minutos cada. - A equipe de posse da bola tem 8 segundos para passar da meia quadra de defesa para a meia quadra de ataque e o total de 24 segundos para concluir um ataque. - Um jogador pode ficar 5 segundos de posse da bola sem driblar, sendo também 5 segundos o tempo para cobrar um lateral ou lance-livre. O tempo máximo para um atacante permanecer na área restritiva (garrafão) é de 3 segundos. - Após passar para o campo de ataque, a equipe atacante não pode mais levar a bola à quadra de defesa. - Linhas: no basquete, linha é fora; portanto, se a bola ou o jogador passar pelas linhas laterais ou de fundo, a posse de bola será do adversário. - Um jogador de posse da bola só pode movimentar-se com a mesma driblando, não podendo andar com a bola na mão, nem mesmo conduzi-la durante o drible. Aliás, se um jogador estiver driblando parar e segurar a bola, ele não poderá voltar a bater bola, tendo como opções passar a bola para um companheiro ou arremessar para a cesta. - A única situação na qual um jogador pode dar dois passos com a bola na mão é na execução da bandeja: - Não é permitido ao jogador pular com a bola na mão e retornar ao solo com a mesma. Faltas: existem 5 tipos de faltas: PESSOAL: contato ilegal fora do ato de arremesso ou no ato de arremesso. TÉCNICA: atitude antidesportiva de um atleta em quadra ou membro do banco. ANTIDESPORTIVA: falta pessoal grave cometida por um jogador em quadra. DESQUALIFICANTE: falta agressiva física ou moralmente. DUPLA: quando dois adversários cometem a falta ao mesmo tempo.
  • 32. Cultura Corporal Professor Paulo Menezes de Freitas 32 Basquetebol - Questionário 1. Qual fato mais chamou sua atenção no surgimento do basquetebol? ___________________________________________________________________________ ___________________________________________________________________________ ___________________________________________________________________________ 2. Cite os fundamentos básicos do basquetebol. ___________________________________________________________________________ ___________________________________________________________________________ 3. Uma equipe de basquete é composta de quantos jogadores (titulares e reservas)? ___________________________________________________________________________ ___________________________________________________________________________ 4. Qual o objetivo do jogo de basquetebol? Nesse jogo o que ocorre quando acontece o empate ao final de uma partida? ___________________________________________________________________________ ___________________________________________________________________________ ___________________________________________________________________________ 5. Cada cesta pode valer quantos pontos no basquetebol? Explique. ___________________________________________________________________________ ___________________________________________________________________________ 6. Quais são as posições táticas no jogo de basquetebol? ___________________________________________________________________________ ___________________________________________________________________________ 7. Cite duas regras que você considera importante deste esporte. ___________________________________________________________________________ ___________________________________________________________________________
  • 33. Cultura Corporal Professor Paulo Menezes de Freitas 33 ___________________________________________________________________________ ___________________________________________________________________________ 8. Cite nome de 5 jogadores(as) famosos do basquetebol. ___________________________________________________________________________ ___________________________________________________________________________ 9. Explique as regras dos 3 segundos no garrafão. ___________________________________________________________________________ ___________________________________________________________________________ 10. Quanto tempo uma equipe possui para arremessar a bola na cesta adversária? E para atravessar com a bola da zona de defesa para a zona de ataque? ___________________________________________________________________________ ___________________________________________________________________________ FIQUE SABENDO UM POUCO MAIS... Leia com atenção e responda as questões abaixo: De acordo com a (UNESCO)"ATIVIDADE FÍSICA É UM DIREITO DE TODOS E UMA NECESSIDADE BÁSICA" O ser humano, na sua preocupação com o corpo, tem de estar alerta para o fato de que saúde e longevidade devem vir acompanhadas de qualidade de vida, tanto no presente como no futuro. A atividade física pode ser definida como qualquer movimento corporal, produzido pelos músculos esqueléticos, que resulte em gasto energético maior que os níveis de repouso" (CASPERSEN et alii,1985). Sendo assim, a ginástica nada mais é que um conjunto de exercícios físicos que realizados de uma maneira correta e continuada torna-se uma aliada imprescindível para alcançar uma boa forma física ao longo de toda a vida. A preocupação de promover e manter a saúde deve ser ressaltada para a população mundial, que, cada vez mais, necessita, em sua rotina diária, da prática de exercícios físicos regulares para combater os efeitos nocivos da vida sedentária. Você sabia que a ginástica na terceira idade pode ser a solução na prevenção de doenças e na melhora na qualidade de vida? Para os idosos os benefícios são em dobro, pois o simples fato de poderem praticar algum tipo de atividade física já melhora e muito a qualidade de vida de pessoas da terceira idade, aumentando a resistência e força muscular que são necessárias para tarefas comuns do dia a dia. Já com o exercício físico, além de combater a obesidade, o que evita e retarda o surgimento de diabetes, ele melhora também a capacidade aeróbica (respiração) sendo possível reduzir a perda de massa óssea e em alguns casos recuperá-la. Além do fato de músculos e ossos fortes as atividades ajudam a diminuir os riscos de quedas e de fraturas de fêmur e quadril, tão temidas após os 60 anos.
  • 34. Cultura Corporal Professor Paulo Menezes de Freitas 34 O que é Atividade Física? _____________________________________________________ __________________________________________________________________________ Defina o que é Ginástica ______________________________________________________ __________________________________________________________________________ Quais são os benefícios da ginástica na terceira idade? ___________________________ ___________________________________________________________________________ RESPONDA AS QUESTÕES MARCANDO A ALTERNATIVA CORRETA: 1-Pergunta: Qual o nome do criador do basquete? 1 - James Naismith 2 - Luther Halsey Gullick 3 - James Coch 4 - Luther King 2-Pergunta: Qual o nome do diretor de colégio que incumbiu nosso fundador à criar o basquete?? 1 - Luther Halsey Gullick 2 - James Naismith 3 - Kano Hans Cooler 4 - Denis Mark Johnson 3-Pergunta: E qual era esse colégio?? 1 - Kansas College 2 - Massachussets College 3 - Springfield College 4 - Winter College 4-Pergunta: Qual o nome do ginásio em que foi disputado o primeiro jogo oficial de basquete? 1 - Madson Square Gardeen 2 - Kansas Gin 3 - Massachussets Gin 4 - Armory Hill 5-Pergunta: Qual o único jogador a marcar mais de 100 pontos em uma só partida? 1 - Wilt Chamberlain 2 - Kareen Abdul Jabar 3 - Magic Johnson 4 - Michael Jordan 6-Pergunta: Qual o maior reboteiro da história do basquete? 1 - Kareen Abdul Jabar 2 - Wilt Chamberlain 3 - Shaquille O'Neill 4 - Denis Rodman
  • 35. Cultura Corporal Professor Paulo Menezes de Freitas 35 7-Pergunta: Quais são, respectivamente, os dois maiores pontuadores da história do basquete? 1 - Wilt Chamberlain e Kareen Abdul Jabar 2 - Oscar Schimidt e Kareen Abdul Jabar 3 - Oscar Schimidt e Michael Jordan 4 - Michael Jordan e Kareen Abdul Jabar 8-Pergunta: Qual o nome dos capitães do primeiro jogo de basquete? 1 - James Naismith e Luther Halsey Gullick 2 - James Naismith e Eugene Libby 3 - James Naismith e Duncan Patton 4 - Eugene Libby e Duncan Patton 9- Pergunta: Em que ano o basquete foi incluído nas olimpíadas? 1 - 1940 2 - 1932 3 - 1934 4 – 1944 10-Pergunta: Em quais anos o Brasil foi campeão mundial? 1 - 1959 e 1954 2 - 1959 e 1963 3 - 1963 e 1970 4 - 1954 e 1970 11-Pergunta: Quem introduziu o basquete no Brasil? 1 - Auguste Shaw 2 - Pierry Mackenzie 3 - Jordan Morris 4 - Austin Croisler 12-Pergunta: E em que lugar? 1 - Escola Normal da Praça 2 - Instituto Caetano de Campos 3 - Associação Cristã de Moços 4 - Colégio Mackenzie DESENHE UMA QUADRA DE BASQUETE
  • 36. Cultura Corporal Professor Paulo Menezes de Freitas 36 Voleibol: História do Voleibol - Parte 1 O vôlei foi criado em 1895, pelo americano William G. Morgan, então diretor de educação física da Associação Cristã de Moços (ACM) na idade de Holyoke, em Massachusetts, nos Estados Unidos. O primeiro nome deste esporte que viria se tornar um dos maiores do mundo foi mintonette. Naquela época, o esporte da moda era o basquetebol, criado apenas quatro anos antes, mas que tivera uma rápida difusão. Era, no entanto, um jogo muito cansativo para pessoas de idade. Por sugestão do pastor Lawrence Rinder, Morgan idealizou um jogo menos fatigante para os associados mais velhos da ACM e colocou uma rede semelhante à de tênis, a uma altura de 1,98 metros, sobre a qual uma câmara de bola de basquete era batida, surgindo assim o jogo de vôlei. A primeira bola usada era muito pesada e, por isso, Morgan solicitou à firma A.G. Spalding & Brothers a fabricação de uma bola para o referido esporte. No início, o mintonette ficou restrito à cidade de Holyoke e ao ginásio onde Morgan era diretor. Um ano mais tarde, numa conferência no Springfield's College, entre diretores de educação física dos Holyoke fizeram uma demonstração e assim o jogo começou a se difundir por Springfield e outras cidades de Massachussetts e Nova Inglaterra. Em 1910, a modalidade já estava presente na Ásia (China e Japão) e na América do Sul (Peru). A Federação Internacional de Volley Ball(FIVB), porém, só surgiria em 1947, em Paris, e teve como primeiro presidente o francês Paul Libaud. O Brasil foi uma das 13 nações fundadoras da entidade. Com a organização em nível mundial, não demorou muito para que surgisse também a Confederação Brasileira de Voleibol. A criação foi do ex- jogador Denis Rupet Hathaway, que articulou o desligamento da modalidade da antiga Confederação Brasileira de Desportos e tornou-se o primeiro presidente da entidade. A primeira vez em que o vôlei foi disputado em Jogos Olímpicos como modalidade oficial foi em 1964, em Tóquio (Japão). Na ocasião, a Rússia foi campeã masculina e o Japão ficou com o título feminino.
  • 37. Cultura Corporal Professor Paulo Menezes de Freitas 37 Regras - Como funcionam o Voleibol No vôlei, duas equipes, de 12 jogadores cada (6 titulares e 6 reservas), situam-se em uma quadra separadas por uma rede, tendo como objetivo fazer a bola bater no solo da área protegida pelo time adversário. O golpe, porém, tem de passar entre as antenas, que são duas varas flexíveis que tangenciam a faixa lateral da quadra e delimitam o espaço aéreo em que a bola pode passar para o outro lado. Além disso, há uma diferença entre os jogadores de ataque e defesa. Na marcação da quadra está delimitada uma área de 3m para cada lado da rede, que simboliza o espaço em que é permitido atacar (cortar) para o lado adversário. Os jogadores de ataque podem bater na bola a qualquer altura, em qualquer parte da quadra. Já os atletas de defesa podem golpear acima da altura da rede apenas atrás da linha de ataque. Dentro dessa área, os defensores só podem “passar” a bola para o outro lado. A partida começa com um saque, que consiste em um golpe na bola para que ela vá para o outro lado da quadra. Feito isso, o time receptor do saque deverá repassar a bola à equipe adversária com apenas três toques, sendo que um mesmo atleta não pode fazê-lo duas vezes seguidas. Cada vez que a bola toca o solo da quadra, o time que fez a ação ganha um ponto no marcador e o direito de sacar no começo da disputa do ponto seguinte. A equipe que anotar 25 pontos primeiro vence o set. Os vencedores têm de ganhar a disputa com pelo menos dois pontos de vantagem sobre o perdedor. Dessa forma, se a partida estiver empatada por 24 a 24, ela prosseguirá até que essa vantagem seja alcançada. Feito isso, começa a disputa de um novo set, com as mesmas regras, até que algum dos participantes vença três sets. Em caso de empate em dois sets, será disputado um tie- break. O tie-break é, na verdade, um novo set, em que o vencedor é aquela equipe que marcar 15 pontos primeiro. A quadra de Voleibol O vôlei é um esporte praticado em competições oficiais em ginásios fechados. A quadra é um retângulo que mede 18m x 9m. As linhas que demarcam os limites da área de jogo têm uma largura de 5 cm e devem ser de cor clara. A altura da rede que divide a quadra é diferente para homens e mulheres. No masculino, a parte superior fica 2,43m acima do solo, enquanto no feminino a distância é de 2,24m.
  • 38. Cultura Corporal Professor Paulo Menezes de Freitas 38 Voleibol: Fundamentos e Táticas do Voleibol Quem deseja praticar voleibol precisa dominar um conjunto de seis habilidades básicas, denominadas "fundamentos". Elas são: saque, passe, levantamento, ataque, bloqueio e defesa. A cada um destes fundamentos compreende certo número de habilidades e técnicas que foram introduzidas ao longo da história do voleibol e é hoje considerada prática comum no esporte.  SAQUE > Definição: É o ato de enviar a bola da área de saque para a quadra contrária pelo atleta da posição 1, que deverá golpeá-la com parte do braço. Para o golpe, a bola deverá estar solta. Será direcionada para a quadra do adversário e passar por sobre a rede e entre as antenas. (saque por baixo, saque por cima e saque viagem).  RECEPÇÃO DE SAQUE (MANCHETE) > Definição: É uma ação de defesa em que, dentro de um dispositivo próprio, o jogador tentará receber o saque adversário efetuando um passe para o levantador.  LEVANTAMENTO > Definição: É o passe (toque ou manchete) que antecede ao ataque.  ATAQUE OU CORTADA > Definição: É o gesto mais espetacular do jogo. Consiste no ato de golpear a bola para a quadra adversária na tentativa de vencer o bloqueio e a defesa contrária.
  • 39. Cultura Corporal Professor Paulo Menezes de Freitas 39  BLOQUEIO > Definição: É a tentativa de interceptar a bola vinda da quadra contrária, atacada sobre a rede por um ou mais jogadores de ataque.  DEFESA > Definição: É a ação de recuperar as bolas vindas do ataque adversário que ultrapassam o bloqueio e de criar condições para o contra-ataque. Com o crescimento da competitividade do esporte, fazer a bola tocar no chão do adversário tornou-se algo mais difícil do que simplesmente passar a bola para o outro lado. Assim nasceram os principais fundamentos do esporte. Como o jogo termina quando um time completa três sets vencidos, cada partida de voleibol dura no máximo cinco sets. Se isto ocorrer, o último recebe o nome de tie-break e termina quando um dos times atinge a marca de 15, e não 25 pontos. Como no caso dos demais, também é necessária uma diferença de dois pontos com relação ao placar do adversário. Cada equipe é composta por doze jogadores, dos quais seis estão atuando na quadra e seis permanecem no banco na qualidade de reservas. As substituições são limitadas: cada técnico pode realizar no máximo seis por set, e cada jogador só pode ser substituído uma única vez - com exceção do Líbero - devendo necessariamente retornar à quadra para ocupar a posição daquele que tomara originalmente o seu lugar. Os seis jogadores de cada equipe são dispostos na quadra do seguinte modo. No sentido do comprimento, três estão mais próximos da rede, e três mais próximos do fundo; e, no sentido da largura, dois estão mais próximos da lateral esquerda; dois, do centro da quadra; e dois, da lateral direita. Estas posições são identificadas por números: com o observador postado frente à rede, aquela que se localiza no fundo à direita recebe o número 1, e as outras se seguem em ordem crescente conforme o sentido anti-horário.
  • 40. Cultura Corporal Professor Paulo Menezes de Freitas 40 No saque, o jogador coloca força na bola para que o adversário tenha dificuldade ao fazer a recepção. A recepção é a defesa do saque e tem como principal objetivo preparar o início da jogada de ataque da sua equipe. Para que isso aconteça, o atleta normalmente passa a bola para o seu companheiro com os dois braços estendidos e grudados, em um lance conhecido como manchete. O segundo jogador a participar de um lance de ataque é o levantador. Como define o próprio nome, é ele quem levanta a bola para a cortada, que pode ser feita por um dos jogadores de ataque. Para evitar que o adversário consiga cortar com facilidade, os jogadores próximos à rede procuram fazer o bloqueio. Assim, eles sobem e tentam, com os braços estendidos, impedir que a bola passe para o outro lado da quadra. QUESTIONÁRIO 1. Em qual país surgiu o Voleibol? Qual motivo levou o Prof. William Morgan a criar este esporte? ___________________________________________________________________________ ___________________________________________________________________________ ___________________________________________________________________________ 2. Quais são os fundamentos do Voleibol? Quando termina um jogo de Voleibol?___________________________________________________________________ ___________________________________________________________________________ 3. Um time de voleibol é composto de quantos jogadores (titulares e reservas)? Cite o nome de alguns jogadores(as) de Voleibol famosos de Voleibol. ___________________________________________________________________________ __________________________________________________________________________ 4. Como inicia uma partida de voleibol? A equipe tem direito a quantos toques para tentar devolver a bola para a quadra adversária? _______________________________________ _________________________________________________________________________
  • 41. Cultura Corporal Professor Paulo Menezes de Freitas 41 5. Qual a função do jogador que ocupa a posição de levantador no jogo de voleibol? ___________________________________________________________________________ ___________________________________________________________________________ 6. Qual a utilidade do fundamento bloqueio no jogo de voleibol? ___________________________________________________________________________ ___________________________________________________________________________ Leia com atenção e marque a alternativa correta: 1. Em que ano no final do século XIX, nos Estados Unidos, William G. Morgan criou o vôlei. ? ( ) 1923 ( ) 1895 ( ) 1914 2. Incluindo o Brasil, algumas nações foram responsáveis pela fundação da FIVB, que aconteceu no ano de 1947, em Paris. Quantos países fundaram a Federação Internacional de Volleyball? ( ) 13 ( ) 24 ( ) 21 3. Nos Jogos Olímpicos desta capital, o vôlei fez sua primeira participação como modalidade olímpica oficial. Em qual olimpíada o vôlei participou como modalidade oficial pela primeira vez? ( ) Cidade do México 1968 ( ) Roma 1960 ( ) Tóquio 1964 4. País que também foi fundador da FIVB, e que teve a honra de sediar o primeiro Campeonato Sul-americano de Vôlei? ( ) Argentina ( ) Brasil ( ) Chile 5. Nas Olimpíadas de Los Angeles, o time brasileiro surpreendeu e conquistou a medalha de prata do torneio. Em que ano a equipe de vôlei masculino conquistou sua primeira medalha olímpica? ( ) 1984 ( ) 1992 ( ) 1988
  • 42. Cultura Corporal Professor Paulo Menezes de Freitas 42 6. Quais as dimensões de uma quadra de oficial de vôlei de quadra? ( ) 21m x 11m ( ) 18m x 9m ( ) 16m x 7m 7. No vôlei feminino, a qual distância do solo fica a rede? ( ) 2,24 m ( ) 2,43m ( ) 2,36 m 8. A idéia de criação do vôlei surgiu da prática de um esporte que havia sido criado um pouco tempo antes, em 1891. No início da história do voleibol, as partidas eram disputadas com bolas utilizadas neste esporte. Qual esporte serviu de inspiração para a criação do vôlei? ( ) Pólo aquático ( ) Basquete ( ) Futebol Observe as figuras e escreva o fundamento correspondente __________________________________ ________________________________ __________________________________ ________________________________
  • 43. Cultura Corporal Professor Paulo Menezes de Freitas 43 Brinquedos e brincadeiras Brincar é uma das melhores coisas da vida, você não acha? Existem tantos brinquedos divertidos e tantas brincadeiras para inventar que a gente gostaria que a infância fosse bem comprida. Brincando a gente aprende coisas. Por exemplo, brincando a gente aprende a brincar! Você já inventou alguma brincadeira? Quando não há brinquedos como bolas, bonecas e carrinhos, as crianças sempre encontram uma forma de brincar. Elas inventam brincadeiras ou ensinam para seus amigos uma brincadeira que conhecem. Muitas brincadeiras são passadas de geração para geração, e não se sabe quem inventou. Você já pensou como seriam os brinquedos e as brincadeiras das crianças gregas e romanas que viveram há cerca de 2000 anos? Não muito diferentes daqueles dos nossos avós, pois muitos brinquedos já tinham sido inventados naquele tempo tão distante. É isso mesmo: a bola, a boneca, o carrinho de puxar, o ioiô, o pião, o arco ou bambolê como chamamos. A maioria das crianças de hoje em dia desconhece divertimentos simples como cabra- cega, passa-anel, pula-carniça, siga-o-mestre, chicote-queimado, telefone-sem-fio e centenas de outras brincadeiras transmitidas oralmente há séculos por sucessivas gerações. Também as cantigas e frases, por exemplo, que acompanhavam o pular corda ou a roda se reduziram bastante na memória infantil. Na verdade isso mostra apenas que brincadeiras se transformam, algumas perdem o sentido em função das novas tecnologias, mas muitas ainda merecem ser resgatadas, pois
  • 44. Cultura Corporal Professor Paulo Menezes de Freitas 44 certamente ainda irão cativar o interesse das futuras gerações. Num tempo de computadores e videogames, sobra pouco espaço para se brincar de pique—pega, amarelinha, esconde- esconde, salva-bandeira... Mas existe gente no mundo preocupada em resgatar esses jogos tradicionais para que eles não fiquem apenas na história. Curiosidades sobre Jogos e brincadeiras tradicionais Relatamos, a seguir, uma série de curiosidades que dizem respeito à origem de alguns jogos e brincadeiras nas diferentes culturas. A influência portuguesa Os colonizadores portugueses trouxeram seus contos, lendas, estórias, jogos, festas e valores. A PIPA foi introduzida pelos portugueses no Século XVI. Vem do Oriente, do Japão e da China. Os diversos nomes encontrados pelo Brasil: estrela, raia, arraia, papagaio, bacalhau, gaivotão, curica, pipa, cáfila, pandorga, quadrado. Outras brincadeiras introduzidas pelos portugueses: MULA SEM CABEÇA, CUCA OU PAPÃO (1950), CANTIGAS (1909), MARELINHA, JOGO DO SAQUINHO, PIÃO, JOGO DE BOTÃO, BOLINHA DE GUDE. A influência africana O Brasil teve grande influência dos negros africanos na vida econômica, social e cultural. Eles trabalharam na lavoura e nas minas e, no período colonial, nos engenhos e plantações. A mãe negra transmitia para seus filhos as estórias, lendas, contos, mitos, deuses e animais encantados vindos das suas origens. Nas famílias da época da escravidão, eram as criadas negras que criavam e amamentavam os filhos da mãe da família: a ama negra dava de mamar ao menino branco, o embalava no berço e ensinava-lhe as primeiras palavras e as CANTIGAS DE NINAR. Os filhos das senhoras dos engenhos relacionavam-se com os filhos das negras escravas com os quais brincavam de: MONTAR A CAVALO EM CARNEIROS, NADAR NOS RIOS E REPRESAS, MATAR PASSARINHOS, EMPINAR PAPAGAIO, JOGAR PIÃO. A Influência indígena Os índios tiveram grande influência na culinária brasileira, no uso de remédios caseiros e utensílios de cozinha. As índias praticavam o cultivo de mandioca, cará, milho, jerimum, amendoim e mamão. Também nas danças eles imitavam animais demoníacos que aparecem nos contos infantis. As mães faziam brinquedos de barro cozido para seus filhos, de gente e de animais. As crianças das Tribos Karajá do Rio Araguaia em Goiás, brincavam de: ARCO E FLECHA PESCA JOGO DO FIO, BRINQUEDOS COM FIGURAS DE ARGILA, PIÕES, CANOAS, REMOS, PETECA DE PALHA DE MILHO, Fonte: http://www.escolaoficinaludica.com.br/brincadeiras/index.htm
  • 45. Cultura Corporal Professor Paulo Menezes de Freitas 45 O KIN-BALL: QUE JOGO É ESTE? Era uma vez um professor de Educação Física canadense que se chamava Mário Demers. Em 1987, na tentativa de arranjar novas formas de motivar os seus alunos, inventou, sabe lá Deus com que imaginação, um desporto inovador e super original: o Kin-Ball. As regras estão orientadas para promover valores como o “fair-play”, o espírito de equipa a competitividade, e punir atitudes de desrespeito para com adversários e árbitros. Sim, neste desporto, ai de quem se atrever a barafustar com os senhores do apito, só o capitão de equipa está autorizado a conversar com o árbitro.Sublinhe-se o conversar, por favor. Mas afinal como se joga? Bem, o senhor Mario Demers determinou que este excelente desporto fosse jogado num campo de 20mx20m, por três equipas, constituídas por quatro jogadores. Cada equipa usa uma cor; preto, cinza ou rosa. A base do jogo é o serviço: três elementos da equipa seguram a bola enquanto o quarto elemento está de pé. Os adversários espalham-se da forma mais equilibrada possível pelo campo para que não existam grandes espaços vazios. O tal quarto elemento profere a palavra “OMNIKIN” seguida da cor de uma das equipas adversárias e bate a bola. Ex: “OMNIKIN- ROSA”. A equipa que foi nomeada terá de evitar, a todo o custo, que a bola atinja o chão. Se o fizer, é a sua vez de servir, se não o fizer, é ponto para as outras duas equipas. Depois existem uma série de regras que tornam o jogo mais dinâmico (tempo limite para servir, distância mínima que deve ser percorrida pela bola…) Confuso? É natural, ao vivo é outra coisa. (Campeonato do Mundo-2005) O Kin-Ball é jogado a alto nível em países como a Espanha (onde já tivemos opurtunidade de jogar), França, Bélgica, Alemanha, E.U.A. e, obviamente Canadá. É para atingir esse nível que treinamos cheios de ambição e vontade de fazer sempre mais e melhor. A CARTA DE ESPÍRITO DESPORTIVO Este é um ponto tão importante no Kin-Ball que merece ter uma página dedicada a si. No Kin-Ball existe a Carta de Espírito Desportivo.Uma espécie de "mandamentos" que todos os intervinientes do jogo devem respeitar. •Mostrar espírito desportivo, é, primeiro e antes de tudo, respeitar estritamente todas as regras: é nunca tentar cometer, deliberadamente, uma falta. • Mostrar espírito desportivo, é respeitar todos os responsáveis. A presença de responsáveis ou árbitros é um aspecto essencial em toda a competição. Merecem o total respeito de todos. • Mostrar espírito desportivo, é aceitar todas as decisões do árbitro sem nunca pôr em dúvida o seu juízo.
  • 46. Cultura Corporal Professor Paulo Menezes de Freitas 46 • Mostrar espírito desportivo, é reconhecer dignamente a derrota sem querer discutir com os adversários. • Mostrar espírito desportivo, é aceitar a derrota com modéstia e sem ridicularizar o adversário. • Mostrar espírito desportivo, é reconhecer os bons golpes, as boas técnicas e tácticas dos adversários. • Mostrar espírito desportivo, é renunciar a vencer por meios ilegais. • Mostrar espírito desportivo, é querer medir-se com o oponente com igualdade. É contar apenas com o talento e habilidades próprias para tentar vencer o jogo. • Mostrar espírito desportivo, é animar os companheiros com mais força depois de um erro do que depois de uma boa técnica. Mostrar espírito desportivo, é manter a dignidade em toda a circunstância: é demonstrar que se é dono de si mesmo. É recusar a violência física ou verbal. o espírito desportivo é o que importa! Vamos compreender alguns conceitos? Jogo •Atividade fisica ou mental fundada em sistema de regras que definem a perda ou o ganho. Podem ser jogos de azar, jogos de tabuleiro, jogos que necessitem do uso de habilidades, entre outros. •Hiuzinga (1938) define jogo como: ‘’uma atividade voluntária exercida dentro de certos e determinados limites de tempo e espaço, segundo regras livremente consentidas, mas absolutamente obrigatórias, dotado de um fim em si mesmo, acompanhado de um sentimento diferente de vida cotidiana’’.
  • 47. Cultura Corporal Professor Paulo Menezes de Freitas 47 Brincadeiras •Brincadeira é a ação de brincar, de entreter, de distrair. Pode ser uma brincadeira recreativa como brincar de "esconde-esconde”. •As brincadeiras recreativas distinguem-se dos jogos por terem regras simples e flexíveis, não se necessitando de quadras, tabuleiros, instruções, treinamento, peças ou dispositivos especiais para delas se participar. •No mais das vezes, devido à sua simplicidade, brincadeiras são feitas por crianças. Somente umas poucas, como a mímica, são, ocasionalmente, feitas, também, por adolescentes ou adultos. Esporte É uma atividade física sujeita a determinados regulamentos e que geralmente visa a competição entre praticantes. Para ser esporte tem de haver envolvimento de habilidades e capacidades motoras, regras instituídas por uma confederação regente e competitividade entre opostas.
  • 48. Cultura Corporal Professor Paulo Menezes de Freitas 48 Esporte É uma atividade física sujeita a determinados regulamentos e que geralmente visa a competição entre praticantes. Para ser esporte tem de haver envolvimento de habilidades e capacidades motoras, regras instituídas por uma confederação regente e competitividade entre opostas. Regras Regras e limites são essenciais para uma convivência adequada entre pessoas respeitando valores e hábitos existentes em cada família, escola, grupo de amigos e tantos outros grupos com os quais se tem proximidade
  • 49. Cultura Corporal Professor Paulo Menezes de Freitas 49 Competição Competição é a interação de indivíduos da mesma espécie ou espécie diferentes (humana, animal ou vegetal) que disputam algo. Esta disputa pode ser pelo alimento, pelo território, pela luminosidade, pelo emprego, pela fêmea, pelo macho, etc. Logo, a competição pode ser entre a mesma espécie (intra-específica) ou de espécie diferente (interespecífica).. na educação física essa disputa pode ser pela vitória do jogo ou esporte. Cooperação Um dos objetivos da educação física é educar o aluno para viver bem a vida; daí a importância de desenvolver a cooperação, pois como afirma a educação física mobiliza desafios, reforça a confiança em si mesmo e no outro, incentiva a participação, ensina a ganhar e perder, aprimora a pessoa seja em termos pessoais ou coletivos. Também da oportunidade a esse aluno de ser critico, criativo e fazê-lo pensar.
  • 50. Cultura Corporal Professor Paulo Menezes de Freitas 50 Vitória Ato ou efeito de vencer o inimigo ou competidor; Triunfo ou êxito brilhante em qualquer terreno. Derrota Segundo a autora “ficando no modelo de rendimento premiação no qual não apenas ganhas materiais estão em questão, mas também o reconhecimento de um efeito que garante a imortalidade é possível dizer que a derrota é a sombra social do esporte contemporâneo
  • 51. Cultura Corporal Professor Paulo Menezes de Freitas 51 VAMOS LER O TEXTO: Competir ou Cooperar: Eis a Questão! Jogar é viver e uma grande oportunidade criativa para encontrar com a gente mesmo. A partir disso, o "jogo" passa a ser conseqüência de nossas ações e relações em todos os âmbitos, principalmente nos jogos onde existem dois "estilos" básicos de jogo: COOPERAÇÃO - que é o jogar COM o outro. COMPETIÇÃO - que é jogar CONTRA o outro. Na COOPERAÇÃO, as pessoas ou grupos combinam as suas atividades juntas para conseguir realizar um objetivo comum, de tal maneira que o êxito de alguma das partes concorra para um maior êxito das demais. Na COMPETIÇÃO, quando uma pessoa ou um grupo tem como objetivo um melhor resultado em relação à outra pessoa ou grupo, é gerada a oposição. Muitas das escolhas, comportamento e atitudes que temos - conscientes ou inconscientes -, têm suas raízes no mito da "natureza competitiva" do Homem. Podemos dizer que o comportamento cooperativo é um aspecto fundamental e que somente através da cooperação, e agindo como um valioso e cooperativo membro da sociedade, podemos superar nossas limitações e sentimentos de inferioridade. Por outro lado, uma falta de cooperação e um conseqüente sentimento de inadequação, são as raízes de todos os estilos de vida inadequada. Hoje os jogos, já possuem esta visão e estão investindo em "Formação de Equipes". Mesmo quando é óbvio que a cooperação é a melhor estratégia, traz melhores resultados e produz bem estar, muitas pessoas – infelizmente - ainda preferem competir a cooperar. Através dos jogos cooperativos visamos modificar a sociedade como um todo. Descrevemos neste estudo como é vista a competição na atualidade e como podemos desenvolver a cooperação através das aulas de educação física. Por fim nota-se que a competição em nossos dias assume um papel exclusivista, onde somente alguns tem o direito à vitória e as honras. Cabe aos profissionais de educação física conscientizarem seus alunos para favorecer o surgimento de uma sociedade mais cooperativa. Concluímos que a competição em nossos dias assume um papel exclusivista, onde somente alguns têm o direito à vitória e as honras. A cooperação através dos jogos cooperativos vem assumindo um papel importante na mudança da Educação Física Escolar, a fim de contribuir para uma visão não excludente, onde todos possam participar e ganhar. Com isso busca-se uma mudança em relação à sociedade na qual estamos inseridos. E você, faz parte de qual time?
  • 52. Cultura Corporal Professor Paulo Menezes de Freitas 52 VAMOS CONHECER NOVOS JOGOS E BRINCADEIRAS Queimada do contrário Materiais que iremos precisar: ▪Uma bola de borracha de tamanho médio ▪Um terreno plano, demarcado por linhas e dividido em dois campos iguais por uma linha reta e bem visível traçada no solo. O tamanho do terreno pode variar conforme o número de jogadores. Desenvolvimento da brincadeira: Nessa brincadeira separamos em 2 grupos as pessoas que iram brincar (quanto mais pessoas melhor pois a brincadeira fica mais divertida) ao contrario da Queimada habitual os carimbadores ficam ao redor da quadra e quem Vai ser carimbado fica no meio da quadra .Se o carimbador carimbar alguém do time contrario ganha o direito de chamar alguém do seu time para lhe ajudar a carimbar também. A quadra fica dividida por uma linha e nenhum deles pode ultrapassar-la. Ganha quem conseguir colocar todos seus colegas para juntos carimbar. Objetivo do jogo: desenvolver a cooperação e amizade entre os integrantes do grupo Futpar Materiais que iremos precisar: ▪Uma bola de futsal ou de handebol ▪Um elástico ou algo para amarrar as duplas ▪ Duas traves do gol uma colocada de cada lado da quadra Desenvolvimento da brincadeira: Separa se o grupo em duplas e com o elástico amarra se um ao outro, começa o jogo com a bola no centro da quadra e as duplas são orientadas a fazer o maximo de gols que conseguirem mas quando a bola foge as limitações da quadra o jogo muda e vira uma espécie de handebol já Podendo usar as mãos e os grupos podendo separar-se,ganha quem fizer o Maximo de gols. Objetivo do jogo: Estimular situações de cooperação grupal. Bandeirinha com pique Materiais que iremos precisar: ▪Vários bambolês distribuídos ao longo de todo o campo onde ira se jogar ▪Uma bandeira ou algo para servir como bandeira para poder ser salvo ▪Um terreno delimitado por uma linha traçada no solo dividindo os campos igualmente
  • 53. Cultura Corporal Professor Paulo Menezes de Freitas 53 Desenvolvimento da brincadeira: Diferente da brincadeira tradicional Salva-Bandeirinha, nessa brincadeira adptada cada bambolê posto sobre a quadra significa um ponto seguro onde você não pode ser pego pelo adversário.Cada bandeirinha e colocada no fim de cada campo e os grupos devem passar para o campo adversário pegar a bandeirinha e logo trazer para seu campo se alguém for pego deve ficar imóvel a espera de ser salvo por alguém de seu grupo.Ganha quem passar primeiro a bandeirinha para o seu campo. Objetivo do jogo: Desenvolver a coordenação motora bem como atenção, raciocínio e estratégia. PASSAR O BAMBOLÊ Objetivo: Alegria e entusiasmo; auto-estima; confiança e respeito mútuo; comunhão de objetivo. Desenvolvimento: Divide a turma em equipes iguais fazendo-se um círculo com as mãos dadas, coloca-se um bambolê no braço de cada equipe e com o som do apito a equipe tem que passar o bambolê por todo o corpo sem soltar das mãos até completar o círculo. A equipe em que acontecer de soltar as mãos na passagem dos bambolês deverá voltar o bambolê para o inicio do circulo. Ganha a equipe que conseguir dar a volta completa e rapidamente com o bambolê primeiro. GATO E RATO Faz-se um circulo de 15 á 20 pessoas, dentre elas escolhe-se dois alunos, sendo um o gato e o outro o rato. Como as fotos abaixo: O gato fica do lado de fora do circulo, e o rato fica no meio da roda, quando der o sinal de partida, o gato tenta entrar no circulo para pegar o rato, as pessoas da roda, não podem deixar o gato entrar e ficam rodando para dificultar sua passagem.