SlideShare uma empresa Scribd logo
XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX ADVOCACIA
Assessoria Jurídica Digital
Rua xxxxxxxxxxxx, nº 0000, Centro - cidade de XXXXXXXXXXXXXX/UF, CEP 00000-000.
E-mail advogadoxxxxxx@oabuf.org / Fone: (00) 9.9999-0000
EXCELENTISSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ DE DIREITO DA 0ª VARA
DA COMARCA DE XXXXXXXXXXXXXXXXXXX/UF
Processo n° 0000000000000000000000
XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX, XXXXXXXXXXXXXXXXXXXX,
AUTOR(A): XXXXXXXXXXXXXXX., devidamente qualificadas nos autos acima epigrafado, por seu
Advogado e bastante procurador, vem mui respeitosamente perante Vossa Excelência,
inconformadas com a r. sentença, com fulcro nos artigos 994, inciso I, 996, e, 1.009 a 1.014,
todos do Novo Código de Processo Civil e demais disposições legais pertinentes, INTERPOR A
PRESENTE
conforme as razões anexas, requerendo seja o recurso recebido e processado, já devidamente
preparado (guia de custas anexas), com a oportuna remessa dos autos a Superior Instância.
Assim, presentes os requisitos de admissibilidade, requer seja o
presente recurso recebido em duplo efeito, devolutivo e suspensivo, conforme artigo
1002, caput, do Novo Código de Processo Civil, com a posterior remessa ao Tribunal de Justiça
do Estado do XXXXXXXXXXXXXXXX, para apreciação da matéria recorrida.
Nestes Termos, Pede Provimento.
XXXXXXXXXXXXXXX/UF, 00 de outubro de 2022.
ADVOGADO SUBSCRITOR
OAB/UF 0000000
Assinado Eletronicamente
XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX ADVOCACIA
Assessoria Jurídica Digital
Rua xxxxxxxxxxxx, nº 0000, Centro - cidade de XXXXXXXXXXXXXX/UF, CEP 00000-000.
E-mail advogadoxxxxxx@oabuf.org / Fone: (00) 9.9999-0000
RAZÕES DA APELAÇÃO
PROCESSO Nº: 00000000000000000
APELANTES: XXXXXXXXXXXXXXXXXX, XXXXXXXXXXXXXX, AUTOR(A): xxxxxxx
APELADO: INSTITUTO NACIONAL DE SEGURIDADE SOCIAL
EMINENTE DESEMBARGADOR PRESIDENTE
NOBRE DESEMBARGADOR RELATOR
COLENDA CÂMARA JULGADORA
O presente recurso é próprio, tempestivo, sendo que as partes
são legítimas e estão devidamente representadas, portanto, preenchido os pressupostos de
admissibilidade.
Insta consignar que estão demandando sob o manto da justiça
gratuita deferida pelo juízo de primeiro grau. (fls. 000 do PDF do processo).
As recorrentes, inconformadas com a sentença proferida pelo
juízo a quo, não encontra uma alternativa a não ser utilizar desse instrumento, explica-se:
XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX ADVOCACIA
Assessoria Jurídica Digital
Rua xxxxxxxxxxxx, nº 0000, Centro - cidade de XXXXXXXXXXXXXX/UF, CEP 00000-000.
E-mail advogadoxxxxxx@oabuf.org / Fone: (00) 9.9999-0000
A parte autora propôs administrativamente requerimento de
PENSÃO POR MORTE, em face do óbito de seu ex-marido, em seu benefício e de suas filhas
menores, sendo que a autarquia indeferiu o pleito alegando ausência da qualidade de segurado
individual.
Assim, veio ao poder judiciário visando obter o referido benefício
por meio de decisão judicial, restando que em decisão do juízo sentenciante, também restou
infrutífera a pretensão, porquanto o magistrado também entende que o de cujus, não detinha
a qualidade de segurado no momento do óbito, posto que o primeiro recolhimento do
segurado individual teria ocorrido cerca de sete dias após sua morte. Nessa esteira, portanto,
careceria as apelantes do direito a referida pensão por morte.
Ficou devidamente comprovado nos autos a veracidade de todas
as alegações, mesmo assim, o magistrado a quo, achou por bem julgar improcedente o pedido
bem como extinguiu o feito, com resolução de mérito.
Em que pese o brilhantismo do magistrado em inúmeras decisões
nessa Comarca, esta porém, foi parcial, posto que em seu julgamento não considerou os
argumentos defensivos e documentos apresentados na petição inicial e impugnação.
DATA MAXIMA VENIA, merece reforma a r. SENTENÇA prolatada
pelo magistrado “a quo” requerendo seja reformada a respeitável sentença recorrida, julgando
procedente todos os pedidos, máxime em face das razões adiante esposadas:
Eis a síntese fática-processual, narrada.
Inicialmente cumpre ressaltar que a Defesa das apelantes desde
sua inicial se manifestou pugnando pela concessão do benefício sustentando estarem
XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX ADVOCACIA
Assessoria Jurídica Digital
Rua xxxxxxxxxxxx, nº 0000, Centro - cidade de XXXXXXXXXXXXXX/UF, CEP 00000-000.
E-mail advogadoxxxxxx@oabuf.org / Fone: (00) 9.9999-0000
preenchidos os requisitos legais exigidos no Regulamento Geral da previdência, máxime
alegando em síntese que:
- A Sra. XXXXXXXXXXXXXXXXXXX e o de cujus, Sr. XXXXXXXXXXXXX,
mantiveram relacionamento duradouro, público e contínuo por
longo período, mais precisamente 00 (XXXXXXXXXX) anos, que se
encerrou apenas com o óbito deste último;
- O falecimento do de cujus, ocorreu no dia 00/00/2021, conforme
resta cabalmente comprovado por intermédio da certidão de óbito
anexo;
- As Apelantes gozam plenamente da condição de dependentes do
de cujus, eis que ex vi legis tanto o cônjuge quanto os filhos
menores de 21 (vinte e um) anos são presumidamente
dependentes do instituidor do benefício previdenciário, a rigor do
disposto no art. 16, I, § 4º, da Lei n. 8213/91;
- Também houve uma parcela de recolhimento previdenciário “post
morten” na data de 00/00/2021, portanto apenas sete dias após
sua morte;
Logo, se vê, que os quatro requisitos legais exigidos no RGPS
foram taxativamente preenchidos e portanto, cumpridos legalmente.
Não obstante o cumprimento de todos os requisito legais formais
exigidos, o magistrado sentenciante entendeu não estar cumprido o requisito da CONDIÇÃO
DE SEGURADO do de cujus, sob a seguinte alegação:
XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX ADVOCACIA
Assessoria Jurídica Digital
Rua xxxxxxxxxxxx, nº 0000, Centro - cidade de XXXXXXXXXXXXXX/UF, CEP 00000-000.
E-mail advogadoxxxxxx@oabuf.org / Fone: (00) 9.9999-0000
Como se vê, o magistrado entende que o de cujus teria efetuado
a primeira contribuição “post morten”, o que pela atual legislação seria vedado.
A defesa desde a IMPUGNAÇÃO A CONTESTAÇÃO (fls. 000 do pdf)
foi enfática e incisiva no sentido de enfatizar que:
Logo, como se vê, desde a referida impugnação a contestação, já
se vinha defendendo que a contribuição de janeiro de 2021 habilitava o de cujus a condição de
segurado, porquanto caracterizada relação jurídica anterior ao óbito.
Mais que isso: a impugnação a contestação da Autarquia também
foi enfática em assentar que houve outros tantos recolhimento ao longo de vários anos:
XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX ADVOCACIA
Assessoria Jurídica Digital
Rua xxxxxxxxxxxx, nº 0000, Centro - cidade de XXXXXXXXXXXXXX/UF, CEP 00000-000.
E-mail advogadoxxxxxx@oabuf.org / Fone: (00) 9.9999-0000
Em que pese esse demonstrativo de clareza solar, contudo o
magistrado não levou nada disso em consideração e sequer se deu ao trabalho de rebater as
alegações da defesa, o que no ponto também caracteriza NULIDADE por ausência de motivação
idônea, conforme preconiza o artigo 489, § 1º, inc. IV, do CPC, que assim dispõe:
Art. 489. São elementos essenciais da sentença:
§ 1º Não se considera fundamentada qualquer decisão judicial,
seja ela interlocutória, sentença ou acórdão, que:
IV - não enfrentar todos os argumentos deduzidos no processo
capazes de, em tese, infirmar a conclusão adotada pelo julgador;
Oras, na espécie dos autos, em nenhum momento a sentença faz
alusão aos pontos defensivos acima explanado na impugnação a contestação, quer para acolhê-
los ou rechaçá-los, NEGANDO ASSIM A DEVIDA PRESTAÇÃO JURISDICIONAL
CONSTITUCIONALMENTE PREVISTA NO ARTIGO 5º, XXXV E AFRONTANDO AINDA O ARTIGO 93,
IX, AMBOS DA CONSTITUIÇÃO FEDERAL.
Nesse ponto há que se devolver a esta Corte no duplo grau de
jurisdição que seja revisto os aspectos ora questionados, porquanto resta evidenciado no feito
a negativa de prestação jurisdicional, e ausência de motivação idônea, consequentemente
ocorrendo na espécie contrariedade ao disposto no artigo 489, § 1º, IV do CPC cc. o art. 5º, XXXV
XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX ADVOCACIA
Assessoria Jurídica Digital
Rua xxxxxxxxxxxx, nº 0000, Centro - cidade de XXXXXXXXXXXXXX/UF, CEP 00000-000.
E-mail advogadoxxxxxx@oabuf.org / Fone: (00) 9.9999-0000
e artigo 93, IX, ambos da Constituição Federal, o qual desde já restam devidamente
prequestionado.
Destarte, como demonstrado, NÃO se trata da primeira
contribuição do de cujus, posto que já havia muitas contribuições anteriores conforme
demonstrado e que não foram levadas em consideração, razão pela qual se faz necessário que
esta Corte acolha o Apelo defensivo e dê provimento no sentido de CONCEDER A PENSÃO POR
MORTE as ora Apelantes, por inteira razão de direito e JUSTIÇA!
De outro lado, ressalte-se que ainda que se entendesse que teria
ocorrido o pagamento da primeira contribuição “post morten” ainda assim as Apelantes teriam
direito ao benefício, máxime em razão do princípio da ISONOMIA que deve ser aplicado em
situações iguais. A questão para nós, é:
Será que é justo existir essa restrição de direitos para o segurado
facultativo e contribuinte individual enquanto os dependentes do segurado especial podem
realizar a inscrição post mortem? Tal condição pode ser tratada como equiparada
isonômicamente?
Sabe-se que o Decreto 10.410/2020, em seu § 5º-B do artigo 18,
veda a inscrição post mortem de segurado contribuinte individual e de segurado facultativo.
E nessa linha já tem decidido a TNU e o STJ dando guarida a tal
entendimento.
Contudo, em que pese o brilhantismo dessas elevadas cortes
superiores, NÃO se pode deixar de observar a evidente disparidade e inobservância da clara
afronta do decreto quanto ao princípio constitucional da ISÔNOMIA.
XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX ADVOCACIA
Assessoria Jurídica Digital
Rua xxxxxxxxxxxx, nº 0000, Centro - cidade de XXXXXXXXXXXXXX/UF, CEP 00000-000.
E-mail advogadoxxxxxx@oabuf.org / Fone: (00) 9.9999-0000
Oras, é evidente que o decreto privilegia uma qualidade de
segurado e seus dependentes e dá tratamento diferenciado a outra classe de segurado e
dependentes em IGUAL SITUAÇÃO JURIDICA LEGAL E CONSTITUCIONAL.
O legislador brasileiro acertou em permitir a inscrição post
mortem de apenas um grupo de segurados enquanto restringiu para autônomos e facultativos?
É evidente que NÃO. Pois tal posição atrai a inconstitucionalidade
do decreto no ponto em questão por evidente afronta ao princípio constitucional da isonomia,
visto estar dando tratamento diferenciado para segurados em situações iguais e dependentes
iguais. Logo, há que se acolher incinter tantun a inconstitucionalidade do decreto no ponto em
questão.
Ressalte-se que ainda há pouco tempo o TJ Mato grossense,
decidiu sobre esse tema que:
“SEGURADO OBRIGATÓRIO.INSCRIÇÃO POST MORTEM.
POSSIBILIDADE. PENSÃO POR MORTE DEVIDA.
1. Comprovado nos autos que o de cujus trabalhou durante os
últimos anos de vida na condição de contribuinte individual,
admite-se a inscrição post mortem.
2. Possibilidade de descontar do valor dos benefícios as
contribuições não recolhidas.
3. Pensão devida. Recurso provido”.
(TJMT - 2003.36.00.70.01445-4 proferido pela 1ª Turma Recursal
do Mato Grosso – MT)
Assim, a r. sentença ora atacada desconsiderou todos esses
aspectos defensivos se revelando imotivada e em evidente afronta aos referidos princípios
constitucionais ora trazidos à baila, que necessitam serem revistos por esta Elevada Corte de
Justiça do Estado do xxxxxxxxxxxxxxx, por estarem em total consonância com o arcabouço
XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX ADVOCACIA
Assessoria Jurídica Digital
Rua xxxxxxxxxxxx, nº 0000, Centro - cidade de XXXXXXXXXXXXXX/UF, CEP 00000-000.
E-mail advogadoxxxxxx@oabuf.org / Fone: (00) 9.9999-0000
normativo vigente na República, bem como por ser medida da mais salutar e indispensável
JUSTIÇA!
Por todas estas razões anteriormente expostas REQUER:
1. O recebimento do presente recurso nos seus efeitos ativo e
suspensivo, nos termos do Art. 1.012 do CPC;
2. A intimação do Recorrido para se manifestar querendo,
nos termos do §1º, art. 1.010 do CPC;
3. A total procedência do recurso para reformar a decisão
recorrida, julgando totalmente procedente a ação previdenciária
em questão, concedendo-se a PENSÃO POR MORTE ora pleiteada;
4. A condenação do recorrido ao pagamento das despesas
processuais e sucumbência.
“Não somos nós responsáveis somente pelo que fazemos, mas
também pelo que deixamos de fazer” JEAN MOILIERE
Termos em que, Pede Deferimento.
XXXXXXXXXXXXXXX/UF, 00 de outubro de 2022.
ADVOGADO SUBSCRITOR
OAB/UF 0000000
Assinado Eletronicamente

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Embargos à Ação Monitória
Embargos à Ação MonitóriaEmbargos à Ação Monitória
Embargos à Ação Monitória
Alberto Bezerra
 
Agravo em recurso extraordinario stf - master classica
Agravo em recurso extraordinario   stf - master classicaAgravo em recurso extraordinario   stf - master classica
Agravo em recurso extraordinario stf - master classica
Consultor JRSantana
 
2117 - CONTESTAÇÃO COBRANÇA - Atualizada Novo CPC
2117 - CONTESTAÇÃO COBRANÇA - Atualizada Novo CPC2117 - CONTESTAÇÃO COBRANÇA - Atualizada Novo CPC
2117 - CONTESTAÇÃO COBRANÇA - Atualizada Novo CPC
Consultor JRSantana
 
1159- Contrarrazões de Recurso Inominado 2
1159- Contrarrazões de Recurso Inominado 21159- Contrarrazões de Recurso Inominado 2
1159- Contrarrazões de Recurso Inominado 2
Consultor JRSantana
 
7-Contrarrazões de RECURSO EXTRAORRDINARIO - STF.doc
7-Contrarrazões de RECURSO EXTRAORRDINARIO - STF.doc7-Contrarrazões de RECURSO EXTRAORRDINARIO - STF.doc
7-Contrarrazões de RECURSO EXTRAORRDINARIO - STF.doc
Consultor JRSantana
 
1173- DEFESA PREVIA - 5
1173- DEFESA PREVIA - 51173- DEFESA PREVIA - 5
1173- DEFESA PREVIA - 5
Consultor JRSantana
 
2053 - PRÁTICA JURÍDICA II - MODELO EMBARGOS À EXECUÇÃO FISCAL - ILEGITIMIDAD...
2053 - PRÁTICA JURÍDICA II - MODELO EMBARGOS À EXECUÇÃO FISCAL - ILEGITIMIDAD...2053 - PRÁTICA JURÍDICA II - MODELO EMBARGOS À EXECUÇÃO FISCAL - ILEGITIMIDAD...
2053 - PRÁTICA JURÍDICA II - MODELO EMBARGOS À EXECUÇÃO FISCAL - ILEGITIMIDAD...
Consultor JRSantana
 
2131 - CONTRARRAZÕES DE APELAÇÃO - NOVO CPC
2131 - CONTRARRAZÕES DE APELAÇÃO - NOVO CPC2131 - CONTRARRAZÕES DE APELAÇÃO - NOVO CPC
2131 - CONTRARRAZÕES DE APELAÇÃO - NOVO CPC
Consultor JRSantana
 
2127 - AGRAVO REGIMENTAL - NOVO CPC
2127 - AGRAVO REGIMENTAL - NOVO CPC 2127 - AGRAVO REGIMENTAL - NOVO CPC
2127 - AGRAVO REGIMENTAL - NOVO CPC
Consultor JRSantana
 
Agravo em recurso extraordinario stf - master classica
Agravo em recurso extraordinario   stf - master classicaAgravo em recurso extraordinario   stf - master classica
Agravo em recurso extraordinario stf - master classica
Consultor JRSantana
 
2005 - Emenda a Revisional de Alimentos
2005 - Emenda a Revisional de Alimentos2005 - Emenda a Revisional de Alimentos
2005 - Emenda a Revisional de Alimentos
Consultor JRSantana
 
Modelo de Razões de Apelação
Modelo de Razões de ApelaçãoModelo de Razões de Apelação
Modelo de Razões de Apelação
Consultor JRSantana
 
Penal - Resposta à Acusação
Penal - Resposta à AcusaçãoPenal - Resposta à Acusação
Penal - Resposta à Acusação
Consultor JRSantana
 
1187- Embargos a Monitória 2
1187- Embargos a Monitória 21187- Embargos a Monitória 2
1187- Embargos a Monitória 2
Consultor JRSantana
 
Como elaborar agravo de instrumento
Como elaborar agravo de instrumentoComo elaborar agravo de instrumento
Como elaborar agravo de instrumento
Consultor JRSantana
 
1135- CONTESTAÇÃO VI
1135- CONTESTAÇÃO VI1135- CONTESTAÇÃO VI
1135- CONTESTAÇÃO VI
Consultor JRSantana
 
2129 - AGRAVO DE INSTRUMENTO - NOVO CPC
2129 - AGRAVO DE INSTRUMENTO - NOVO CPC 2129 - AGRAVO DE INSTRUMENTO - NOVO CPC
2129 - AGRAVO DE INSTRUMENTO - NOVO CPC
Consultor JRSantana
 
La obligación de inclusión a planillas como parte de una sentencia constituci...
La obligación de inclusión a planillas como parte de una sentencia constituci...La obligación de inclusión a planillas como parte de una sentencia constituci...
La obligación de inclusión a planillas como parte de una sentencia constituci...
Corporación Hiram Servicios Legales
 
Penal - Defesa Preliminar
Penal - Defesa PreliminarPenal - Defesa Preliminar
Penal - Defesa Preliminar
Consultor JRSantana
 
Contestação à Indenizatória Cc Contraposto
Contestação à Indenizatória Cc ContrapostoContestação à Indenizatória Cc Contraposto
Contestação à Indenizatória Cc Contraposto
Consultor JRSantana
 

Mais procurados (20)

Embargos à Ação Monitória
Embargos à Ação MonitóriaEmbargos à Ação Monitória
Embargos à Ação Monitória
 
Agravo em recurso extraordinario stf - master classica
Agravo em recurso extraordinario   stf - master classicaAgravo em recurso extraordinario   stf - master classica
Agravo em recurso extraordinario stf - master classica
 
2117 - CONTESTAÇÃO COBRANÇA - Atualizada Novo CPC
2117 - CONTESTAÇÃO COBRANÇA - Atualizada Novo CPC2117 - CONTESTAÇÃO COBRANÇA - Atualizada Novo CPC
2117 - CONTESTAÇÃO COBRANÇA - Atualizada Novo CPC
 
1159- Contrarrazões de Recurso Inominado 2
1159- Contrarrazões de Recurso Inominado 21159- Contrarrazões de Recurso Inominado 2
1159- Contrarrazões de Recurso Inominado 2
 
7-Contrarrazões de RECURSO EXTRAORRDINARIO - STF.doc
7-Contrarrazões de RECURSO EXTRAORRDINARIO - STF.doc7-Contrarrazões de RECURSO EXTRAORRDINARIO - STF.doc
7-Contrarrazões de RECURSO EXTRAORRDINARIO - STF.doc
 
1173- DEFESA PREVIA - 5
1173- DEFESA PREVIA - 51173- DEFESA PREVIA - 5
1173- DEFESA PREVIA - 5
 
2053 - PRÁTICA JURÍDICA II - MODELO EMBARGOS À EXECUÇÃO FISCAL - ILEGITIMIDAD...
2053 - PRÁTICA JURÍDICA II - MODELO EMBARGOS À EXECUÇÃO FISCAL - ILEGITIMIDAD...2053 - PRÁTICA JURÍDICA II - MODELO EMBARGOS À EXECUÇÃO FISCAL - ILEGITIMIDAD...
2053 - PRÁTICA JURÍDICA II - MODELO EMBARGOS À EXECUÇÃO FISCAL - ILEGITIMIDAD...
 
2131 - CONTRARRAZÕES DE APELAÇÃO - NOVO CPC
2131 - CONTRARRAZÕES DE APELAÇÃO - NOVO CPC2131 - CONTRARRAZÕES DE APELAÇÃO - NOVO CPC
2131 - CONTRARRAZÕES DE APELAÇÃO - NOVO CPC
 
2127 - AGRAVO REGIMENTAL - NOVO CPC
2127 - AGRAVO REGIMENTAL - NOVO CPC 2127 - AGRAVO REGIMENTAL - NOVO CPC
2127 - AGRAVO REGIMENTAL - NOVO CPC
 
Agravo em recurso extraordinario stf - master classica
Agravo em recurso extraordinario   stf - master classicaAgravo em recurso extraordinario   stf - master classica
Agravo em recurso extraordinario stf - master classica
 
2005 - Emenda a Revisional de Alimentos
2005 - Emenda a Revisional de Alimentos2005 - Emenda a Revisional de Alimentos
2005 - Emenda a Revisional de Alimentos
 
Modelo de Razões de Apelação
Modelo de Razões de ApelaçãoModelo de Razões de Apelação
Modelo de Razões de Apelação
 
Penal - Resposta à Acusação
Penal - Resposta à AcusaçãoPenal - Resposta à Acusação
Penal - Resposta à Acusação
 
1187- Embargos a Monitória 2
1187- Embargos a Monitória 21187- Embargos a Monitória 2
1187- Embargos a Monitória 2
 
Como elaborar agravo de instrumento
Como elaborar agravo de instrumentoComo elaborar agravo de instrumento
Como elaborar agravo de instrumento
 
1135- CONTESTAÇÃO VI
1135- CONTESTAÇÃO VI1135- CONTESTAÇÃO VI
1135- CONTESTAÇÃO VI
 
2129 - AGRAVO DE INSTRUMENTO - NOVO CPC
2129 - AGRAVO DE INSTRUMENTO - NOVO CPC 2129 - AGRAVO DE INSTRUMENTO - NOVO CPC
2129 - AGRAVO DE INSTRUMENTO - NOVO CPC
 
La obligación de inclusión a planillas como parte de una sentencia constituci...
La obligación de inclusión a planillas como parte de una sentencia constituci...La obligación de inclusión a planillas como parte de una sentencia constituci...
La obligación de inclusión a planillas como parte de una sentencia constituci...
 
Penal - Defesa Preliminar
Penal - Defesa PreliminarPenal - Defesa Preliminar
Penal - Defesa Preliminar
 
Contestação à Indenizatória Cc Contraposto
Contestação à Indenizatória Cc ContrapostoContestação à Indenizatória Cc Contraposto
Contestação à Indenizatória Cc Contraposto
 

Semelhante a APELAÇÃO - previdenciária .docx

1123- ARESP II
1123- ARESP II1123- ARESP II
1123- ARESP II
Consultor JRSantana
 
2019 - Impugnação ao Cumprimento de Sentença
2019 - Impugnação ao Cumprimento de Sentença2019 - Impugnação ao Cumprimento de Sentença
2019 - Impugnação ao Cumprimento de Sentença
Consultor JRSantana
 
2-HABEAS CORPUS Cc Liminar - STJ.docx
2-HABEAS CORPUS Cc Liminar - STJ.docx2-HABEAS CORPUS Cc Liminar - STJ.docx
2-HABEAS CORPUS Cc Liminar - STJ.docx
Consultor JRSantana
 
1027 - Ação de Rescisão de Contrato
1027 - Ação de Rescisão de Contrato1027 - Ação de Rescisão de Contrato
1027 - Ação de Rescisão de Contrato
Consultor JRSantana
 
1156- CONTRARRAZÕES DE RESP -STJ
1156- CONTRARRAZÕES DE RESP -STJ1156- CONTRARRAZÕES DE RESP -STJ
1156- CONTRARRAZÕES DE RESP -STJ
Consultor JRSantana
 
2068 - AGRAVO DE INSTRUMENTO CC EF. ATIVO - CPC Atualizado
2068 - AGRAVO DE INSTRUMENTO CC EF. ATIVO  - CPC Atualizado2068 - AGRAVO DE INSTRUMENTO CC EF. ATIVO  - CPC Atualizado
2068 - AGRAVO DE INSTRUMENTO CC EF. ATIVO - CPC Atualizado
Consultor JRSantana
 
2112 - Recurso Especial - CPC Atualizado 2018
2112 - Recurso Especial - CPC Atualizado 20182112 - Recurso Especial - CPC Atualizado 2018
2112 - Recurso Especial - CPC Atualizado 2018
Consultor JRSantana
 
1037 - Ação Rescisória III
1037 - Ação Rescisória III1037 - Ação Rescisória III
1037 - Ação Rescisória III
Consultor JRSantana
 
1059- Agravo de Instrumento em MEDIDA PROTETIVA
1059- Agravo de Instrumento em MEDIDA PROTETIVA1059- Agravo de Instrumento em MEDIDA PROTETIVA
1059- Agravo de Instrumento em MEDIDA PROTETIVA
Consultor JRSantana
 
Recurso especial gratuidade processual - premium
Recurso especial   gratuidade processual - premiumRecurso especial   gratuidade processual - premium
Recurso especial gratuidade processual - premium
Consultor JRSantana
 
Recurso Extraordinário - STF
Recurso Extraordinário - STFRecurso Extraordinário - STF
Recurso Extraordinário - STF
Consultor JRSantana
 
1007 - Revisional de Aposentadoria
1007 - Revisional de Aposentadoria1007 - Revisional de Aposentadoria
1007 - Revisional de Aposentadoria
Consultor JRSantana
 
1183- EMBARGOS A EXECUÇÃO 2
1183- EMBARGOS A EXECUÇÃO 21183- EMBARGOS A EXECUÇÃO 2
1183- EMBARGOS A EXECUÇÃO 2
Consultor JRSantana
 
1060- Agravo de Instrumento I
1060- Agravo de Instrumento I1060- Agravo de Instrumento I
1060- Agravo de Instrumento I
Consultor JRSantana
 
2025 - INDENIZAÇÃO OPERADORA
2025 - INDENIZAÇÃO OPERADORA2025 - INDENIZAÇÃO OPERADORA
2025 - INDENIZAÇÃO OPERADORA
Consultor JRSantana
 
1083- AIRR
1083- AIRR1083- AIRR
6-MANIFESTAÇÃO EM ACP.docx
6-MANIFESTAÇÃO EM ACP.docx6-MANIFESTAÇÃO EM ACP.docx
6-MANIFESTAÇÃO EM ACP.docx
Consultor JRSantana
 
1190- EMBARGOS DE TERCEIRO
1190- EMBARGOS DE TERCEIRO1190- EMBARGOS DE TERCEIRO
1190- EMBARGOS DE TERCEIRO
Consultor JRSantana
 
1157- CONTRARRAZÕES APELAÇÃO
1157- CONTRARRAZÕES APELAÇÃO1157- CONTRARRAZÕES APELAÇÃO
1157- CONTRARRAZÕES APELAÇÃO
Consultor JRSantana
 
2115 - AGRAVO DE DESTRANCAMENTO - Atualizado Novo CPC
2115 - AGRAVO DE DESTRANCAMENTO - Atualizado Novo CPC 2115 - AGRAVO DE DESTRANCAMENTO - Atualizado Novo CPC
2115 - AGRAVO DE DESTRANCAMENTO - Atualizado Novo CPC
Consultor JRSantana
 

Semelhante a APELAÇÃO - previdenciária .docx (20)

1123- ARESP II
1123- ARESP II1123- ARESP II
1123- ARESP II
 
2019 - Impugnação ao Cumprimento de Sentença
2019 - Impugnação ao Cumprimento de Sentença2019 - Impugnação ao Cumprimento de Sentença
2019 - Impugnação ao Cumprimento de Sentença
 
2-HABEAS CORPUS Cc Liminar - STJ.docx
2-HABEAS CORPUS Cc Liminar - STJ.docx2-HABEAS CORPUS Cc Liminar - STJ.docx
2-HABEAS CORPUS Cc Liminar - STJ.docx
 
1027 - Ação de Rescisão de Contrato
1027 - Ação de Rescisão de Contrato1027 - Ação de Rescisão de Contrato
1027 - Ação de Rescisão de Contrato
 
1156- CONTRARRAZÕES DE RESP -STJ
1156- CONTRARRAZÕES DE RESP -STJ1156- CONTRARRAZÕES DE RESP -STJ
1156- CONTRARRAZÕES DE RESP -STJ
 
2068 - AGRAVO DE INSTRUMENTO CC EF. ATIVO - CPC Atualizado
2068 - AGRAVO DE INSTRUMENTO CC EF. ATIVO  - CPC Atualizado2068 - AGRAVO DE INSTRUMENTO CC EF. ATIVO  - CPC Atualizado
2068 - AGRAVO DE INSTRUMENTO CC EF. ATIVO - CPC Atualizado
 
2112 - Recurso Especial - CPC Atualizado 2018
2112 - Recurso Especial - CPC Atualizado 20182112 - Recurso Especial - CPC Atualizado 2018
2112 - Recurso Especial - CPC Atualizado 2018
 
1037 - Ação Rescisória III
1037 - Ação Rescisória III1037 - Ação Rescisória III
1037 - Ação Rescisória III
 
1059- Agravo de Instrumento em MEDIDA PROTETIVA
1059- Agravo de Instrumento em MEDIDA PROTETIVA1059- Agravo de Instrumento em MEDIDA PROTETIVA
1059- Agravo de Instrumento em MEDIDA PROTETIVA
 
Recurso especial gratuidade processual - premium
Recurso especial   gratuidade processual - premiumRecurso especial   gratuidade processual - premium
Recurso especial gratuidade processual - premium
 
Recurso Extraordinário - STF
Recurso Extraordinário - STFRecurso Extraordinário - STF
Recurso Extraordinário - STF
 
1007 - Revisional de Aposentadoria
1007 - Revisional de Aposentadoria1007 - Revisional de Aposentadoria
1007 - Revisional de Aposentadoria
 
1183- EMBARGOS A EXECUÇÃO 2
1183- EMBARGOS A EXECUÇÃO 21183- EMBARGOS A EXECUÇÃO 2
1183- EMBARGOS A EXECUÇÃO 2
 
1060- Agravo de Instrumento I
1060- Agravo de Instrumento I1060- Agravo de Instrumento I
1060- Agravo de Instrumento I
 
2025 - INDENIZAÇÃO OPERADORA
2025 - INDENIZAÇÃO OPERADORA2025 - INDENIZAÇÃO OPERADORA
2025 - INDENIZAÇÃO OPERADORA
 
1083- AIRR
1083- AIRR1083- AIRR
1083- AIRR
 
6-MANIFESTAÇÃO EM ACP.docx
6-MANIFESTAÇÃO EM ACP.docx6-MANIFESTAÇÃO EM ACP.docx
6-MANIFESTAÇÃO EM ACP.docx
 
1190- EMBARGOS DE TERCEIRO
1190- EMBARGOS DE TERCEIRO1190- EMBARGOS DE TERCEIRO
1190- EMBARGOS DE TERCEIRO
 
1157- CONTRARRAZÕES APELAÇÃO
1157- CONTRARRAZÕES APELAÇÃO1157- CONTRARRAZÕES APELAÇÃO
1157- CONTRARRAZÕES APELAÇÃO
 
2115 - AGRAVO DE DESTRANCAMENTO - Atualizado Novo CPC
2115 - AGRAVO DE DESTRANCAMENTO - Atualizado Novo CPC 2115 - AGRAVO DE DESTRANCAMENTO - Atualizado Novo CPC
2115 - AGRAVO DE DESTRANCAMENTO - Atualizado Novo CPC
 

Mais de Consultor JRSantana

MANIFESTAÇÃO - Saneamento processo.docx
MANIFESTAÇÃO - Saneamento processo.docxMANIFESTAÇÃO - Saneamento processo.docx
MANIFESTAÇÃO - Saneamento processo.docx
Consultor JRSantana
 
4-CONTESTAÇÃO TRABALHISTA - Empregador.docx
4-CONTESTAÇÃO TRABALHISTA - Empregador.docx4-CONTESTAÇÃO TRABALHISTA - Empregador.docx
4-CONTESTAÇÃO TRABALHISTA - Empregador.docx
Consultor JRSantana
 
1-PARECER. JURIDICO PROCESSUAL.docx
1-PARECER. JURIDICO PROCESSUAL.docx1-PARECER. JURIDICO PROCESSUAL.docx
1-PARECER. JURIDICO PROCESSUAL.docx
Consultor JRSantana
 
5-CONTESTAÇÃO em Ação Civil Pública.docx
5-CONTESTAÇÃO em  Ação Civil Pública.docx5-CONTESTAÇÃO em  Ação Civil Pública.docx
5-CONTESTAÇÃO em Ação Civil Pública.docx
Consultor JRSantana
 
2133 - Tutela Cautelar Antecedente - Reduzida - Novo CPC
2133 - Tutela Cautelar Antecedente - Reduzida - Novo CPC2133 - Tutela Cautelar Antecedente - Reduzida - Novo CPC
2133 - Tutela Cautelar Antecedente - Reduzida - Novo CPC
Consultor JRSantana
 
2132 - MANIFESTAÇÃO ESPECIFICAÇÃO DE PROVAS - NOVO CPC
2132 - MANIFESTAÇÃO ESPECIFICAÇÃO DE PROVAS - NOVO CPC 2132 - MANIFESTAÇÃO ESPECIFICAÇÃO DE PROVAS - NOVO CPC
2132 - MANIFESTAÇÃO ESPECIFICAÇÃO DE PROVAS - NOVO CPC
Consultor JRSantana
 
2130 - REPLICA A CONTESTAÇÃO - NOVO CPC
2130 - REPLICA A CONTESTAÇÃO - NOVO CPC2130 - REPLICA A CONTESTAÇÃO - NOVO CPC
2130 - REPLICA A CONTESTAÇÃO - NOVO CPC
Consultor JRSantana
 
2125 - Tutela de Urgência na Execução - Atualizado Novo CPC
2125 - Tutela de Urgência na Execução - Atualizado Novo CPC 2125 - Tutela de Urgência na Execução - Atualizado Novo CPC
2125 - Tutela de Urgência na Execução - Atualizado Novo CPC
Consultor JRSantana
 
2124 - Tutela Cautelar Antecedente - Atualizado Novo CPC
2124 - Tutela Cautelar Antecedente - Atualizado Novo CPC 2124 - Tutela Cautelar Antecedente - Atualizado Novo CPC
2124 - Tutela Cautelar Antecedente - Atualizado Novo CPC
Consultor JRSantana
 
2123 - RELAXAMENTO DE PRISÃO PREVENTIVA - Atualizado Novo CPC
2123 - RELAXAMENTO DE PRISÃO PREVENTIVA - Atualizado Novo CPC 2123 - RELAXAMENTO DE PRISÃO PREVENTIVA - Atualizado Novo CPC
2123 - RELAXAMENTO DE PRISÃO PREVENTIVA - Atualizado Novo CPC
Consultor JRSantana
 
2121 - RECURSO ESPECIAL - Atualizado Novo CPC
2121 - RECURSO ESPECIAL - Atualizado Novo CPC 2121 - RECURSO ESPECIAL - Atualizado Novo CPC
2121 - RECURSO ESPECIAL - Atualizado Novo CPC
Consultor JRSantana
 
2119 - PENSÃO POR MORTE - Atualizado Novo CPC
2119 - PENSÃO POR MORTE - Atualizado Novo CPC 2119 - PENSÃO POR MORTE - Atualizado Novo CPC
2119 - PENSÃO POR MORTE - Atualizado Novo CPC
Consultor JRSantana
 
2120 - RECLAMAÇÃO TRABALHISTA - Atualizado Novo CPC
2120 - RECLAMAÇÃO TRABALHISTA - Atualizado Novo CPC 2120 - RECLAMAÇÃO TRABALHISTA - Atualizado Novo CPC
2120 - RECLAMAÇÃO TRABALHISTA - Atualizado Novo CPC
Consultor JRSantana
 
2116 - ALEGAÇÕES FINAIS NOVO CPC - Atualizado Novo CPC
2116 - ALEGAÇÕES FINAIS NOVO CPC - Atualizado Novo CPC2116 - ALEGAÇÕES FINAIS NOVO CPC - Atualizado Novo CPC
2116 - ALEGAÇÕES FINAIS NOVO CPC - Atualizado Novo CPC
Consultor JRSantana
 
2114 - Ação de Consignação de Pagamento Cc Tutela de Urgência - Atualizado No...
2114 - Ação de Consignação de Pagamento Cc Tutela de Urgência - Atualizado No...2114 - Ação de Consignação de Pagamento Cc Tutela de Urgência - Atualizado No...
2114 - Ação de Consignação de Pagamento Cc Tutela de Urgência - Atualizado No...
Consultor JRSantana
 

Mais de Consultor JRSantana (15)

MANIFESTAÇÃO - Saneamento processo.docx
MANIFESTAÇÃO - Saneamento processo.docxMANIFESTAÇÃO - Saneamento processo.docx
MANIFESTAÇÃO - Saneamento processo.docx
 
4-CONTESTAÇÃO TRABALHISTA - Empregador.docx
4-CONTESTAÇÃO TRABALHISTA - Empregador.docx4-CONTESTAÇÃO TRABALHISTA - Empregador.docx
4-CONTESTAÇÃO TRABALHISTA - Empregador.docx
 
1-PARECER. JURIDICO PROCESSUAL.docx
1-PARECER. JURIDICO PROCESSUAL.docx1-PARECER. JURIDICO PROCESSUAL.docx
1-PARECER. JURIDICO PROCESSUAL.docx
 
5-CONTESTAÇÃO em Ação Civil Pública.docx
5-CONTESTAÇÃO em  Ação Civil Pública.docx5-CONTESTAÇÃO em  Ação Civil Pública.docx
5-CONTESTAÇÃO em Ação Civil Pública.docx
 
2133 - Tutela Cautelar Antecedente - Reduzida - Novo CPC
2133 - Tutela Cautelar Antecedente - Reduzida - Novo CPC2133 - Tutela Cautelar Antecedente - Reduzida - Novo CPC
2133 - Tutela Cautelar Antecedente - Reduzida - Novo CPC
 
2132 - MANIFESTAÇÃO ESPECIFICAÇÃO DE PROVAS - NOVO CPC
2132 - MANIFESTAÇÃO ESPECIFICAÇÃO DE PROVAS - NOVO CPC 2132 - MANIFESTAÇÃO ESPECIFICAÇÃO DE PROVAS - NOVO CPC
2132 - MANIFESTAÇÃO ESPECIFICAÇÃO DE PROVAS - NOVO CPC
 
2130 - REPLICA A CONTESTAÇÃO - NOVO CPC
2130 - REPLICA A CONTESTAÇÃO - NOVO CPC2130 - REPLICA A CONTESTAÇÃO - NOVO CPC
2130 - REPLICA A CONTESTAÇÃO - NOVO CPC
 
2125 - Tutela de Urgência na Execução - Atualizado Novo CPC
2125 - Tutela de Urgência na Execução - Atualizado Novo CPC 2125 - Tutela de Urgência na Execução - Atualizado Novo CPC
2125 - Tutela de Urgência na Execução - Atualizado Novo CPC
 
2124 - Tutela Cautelar Antecedente - Atualizado Novo CPC
2124 - Tutela Cautelar Antecedente - Atualizado Novo CPC 2124 - Tutela Cautelar Antecedente - Atualizado Novo CPC
2124 - Tutela Cautelar Antecedente - Atualizado Novo CPC
 
2123 - RELAXAMENTO DE PRISÃO PREVENTIVA - Atualizado Novo CPC
2123 - RELAXAMENTO DE PRISÃO PREVENTIVA - Atualizado Novo CPC 2123 - RELAXAMENTO DE PRISÃO PREVENTIVA - Atualizado Novo CPC
2123 - RELAXAMENTO DE PRISÃO PREVENTIVA - Atualizado Novo CPC
 
2121 - RECURSO ESPECIAL - Atualizado Novo CPC
2121 - RECURSO ESPECIAL - Atualizado Novo CPC 2121 - RECURSO ESPECIAL - Atualizado Novo CPC
2121 - RECURSO ESPECIAL - Atualizado Novo CPC
 
2119 - PENSÃO POR MORTE - Atualizado Novo CPC
2119 - PENSÃO POR MORTE - Atualizado Novo CPC 2119 - PENSÃO POR MORTE - Atualizado Novo CPC
2119 - PENSÃO POR MORTE - Atualizado Novo CPC
 
2120 - RECLAMAÇÃO TRABALHISTA - Atualizado Novo CPC
2120 - RECLAMAÇÃO TRABALHISTA - Atualizado Novo CPC 2120 - RECLAMAÇÃO TRABALHISTA - Atualizado Novo CPC
2120 - RECLAMAÇÃO TRABALHISTA - Atualizado Novo CPC
 
2116 - ALEGAÇÕES FINAIS NOVO CPC - Atualizado Novo CPC
2116 - ALEGAÇÕES FINAIS NOVO CPC - Atualizado Novo CPC2116 - ALEGAÇÕES FINAIS NOVO CPC - Atualizado Novo CPC
2116 - ALEGAÇÕES FINAIS NOVO CPC - Atualizado Novo CPC
 
2114 - Ação de Consignação de Pagamento Cc Tutela de Urgência - Atualizado No...
2114 - Ação de Consignação de Pagamento Cc Tutela de Urgência - Atualizado No...2114 - Ação de Consignação de Pagamento Cc Tutela de Urgência - Atualizado No...
2114 - Ação de Consignação de Pagamento Cc Tutela de Urgência - Atualizado No...
 

APELAÇÃO - previdenciária .docx

  • 1. XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX ADVOCACIA Assessoria Jurídica Digital Rua xxxxxxxxxxxx, nº 0000, Centro - cidade de XXXXXXXXXXXXXX/UF, CEP 00000-000. E-mail advogadoxxxxxx@oabuf.org / Fone: (00) 9.9999-0000 EXCELENTISSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ DE DIREITO DA 0ª VARA DA COMARCA DE XXXXXXXXXXXXXXXXXXX/UF Processo n° 0000000000000000000000 XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX, XXXXXXXXXXXXXXXXXXXX, AUTOR(A): XXXXXXXXXXXXXXX., devidamente qualificadas nos autos acima epigrafado, por seu Advogado e bastante procurador, vem mui respeitosamente perante Vossa Excelência, inconformadas com a r. sentença, com fulcro nos artigos 994, inciso I, 996, e, 1.009 a 1.014, todos do Novo Código de Processo Civil e demais disposições legais pertinentes, INTERPOR A PRESENTE conforme as razões anexas, requerendo seja o recurso recebido e processado, já devidamente preparado (guia de custas anexas), com a oportuna remessa dos autos a Superior Instância. Assim, presentes os requisitos de admissibilidade, requer seja o presente recurso recebido em duplo efeito, devolutivo e suspensivo, conforme artigo 1002, caput, do Novo Código de Processo Civil, com a posterior remessa ao Tribunal de Justiça do Estado do XXXXXXXXXXXXXXXX, para apreciação da matéria recorrida. Nestes Termos, Pede Provimento. XXXXXXXXXXXXXXX/UF, 00 de outubro de 2022. ADVOGADO SUBSCRITOR OAB/UF 0000000 Assinado Eletronicamente
  • 2. XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX ADVOCACIA Assessoria Jurídica Digital Rua xxxxxxxxxxxx, nº 0000, Centro - cidade de XXXXXXXXXXXXXX/UF, CEP 00000-000. E-mail advogadoxxxxxx@oabuf.org / Fone: (00) 9.9999-0000 RAZÕES DA APELAÇÃO PROCESSO Nº: 00000000000000000 APELANTES: XXXXXXXXXXXXXXXXXX, XXXXXXXXXXXXXX, AUTOR(A): xxxxxxx APELADO: INSTITUTO NACIONAL DE SEGURIDADE SOCIAL EMINENTE DESEMBARGADOR PRESIDENTE NOBRE DESEMBARGADOR RELATOR COLENDA CÂMARA JULGADORA O presente recurso é próprio, tempestivo, sendo que as partes são legítimas e estão devidamente representadas, portanto, preenchido os pressupostos de admissibilidade. Insta consignar que estão demandando sob o manto da justiça gratuita deferida pelo juízo de primeiro grau. (fls. 000 do PDF do processo). As recorrentes, inconformadas com a sentença proferida pelo juízo a quo, não encontra uma alternativa a não ser utilizar desse instrumento, explica-se:
  • 3. XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX ADVOCACIA Assessoria Jurídica Digital Rua xxxxxxxxxxxx, nº 0000, Centro - cidade de XXXXXXXXXXXXXX/UF, CEP 00000-000. E-mail advogadoxxxxxx@oabuf.org / Fone: (00) 9.9999-0000 A parte autora propôs administrativamente requerimento de PENSÃO POR MORTE, em face do óbito de seu ex-marido, em seu benefício e de suas filhas menores, sendo que a autarquia indeferiu o pleito alegando ausência da qualidade de segurado individual. Assim, veio ao poder judiciário visando obter o referido benefício por meio de decisão judicial, restando que em decisão do juízo sentenciante, também restou infrutífera a pretensão, porquanto o magistrado também entende que o de cujus, não detinha a qualidade de segurado no momento do óbito, posto que o primeiro recolhimento do segurado individual teria ocorrido cerca de sete dias após sua morte. Nessa esteira, portanto, careceria as apelantes do direito a referida pensão por morte. Ficou devidamente comprovado nos autos a veracidade de todas as alegações, mesmo assim, o magistrado a quo, achou por bem julgar improcedente o pedido bem como extinguiu o feito, com resolução de mérito. Em que pese o brilhantismo do magistrado em inúmeras decisões nessa Comarca, esta porém, foi parcial, posto que em seu julgamento não considerou os argumentos defensivos e documentos apresentados na petição inicial e impugnação. DATA MAXIMA VENIA, merece reforma a r. SENTENÇA prolatada pelo magistrado “a quo” requerendo seja reformada a respeitável sentença recorrida, julgando procedente todos os pedidos, máxime em face das razões adiante esposadas: Eis a síntese fática-processual, narrada. Inicialmente cumpre ressaltar que a Defesa das apelantes desde sua inicial se manifestou pugnando pela concessão do benefício sustentando estarem
  • 4. XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX ADVOCACIA Assessoria Jurídica Digital Rua xxxxxxxxxxxx, nº 0000, Centro - cidade de XXXXXXXXXXXXXX/UF, CEP 00000-000. E-mail advogadoxxxxxx@oabuf.org / Fone: (00) 9.9999-0000 preenchidos os requisitos legais exigidos no Regulamento Geral da previdência, máxime alegando em síntese que: - A Sra. XXXXXXXXXXXXXXXXXXX e o de cujus, Sr. XXXXXXXXXXXXX, mantiveram relacionamento duradouro, público e contínuo por longo período, mais precisamente 00 (XXXXXXXXXX) anos, que se encerrou apenas com o óbito deste último; - O falecimento do de cujus, ocorreu no dia 00/00/2021, conforme resta cabalmente comprovado por intermédio da certidão de óbito anexo; - As Apelantes gozam plenamente da condição de dependentes do de cujus, eis que ex vi legis tanto o cônjuge quanto os filhos menores de 21 (vinte e um) anos são presumidamente dependentes do instituidor do benefício previdenciário, a rigor do disposto no art. 16, I, § 4º, da Lei n. 8213/91; - Também houve uma parcela de recolhimento previdenciário “post morten” na data de 00/00/2021, portanto apenas sete dias após sua morte; Logo, se vê, que os quatro requisitos legais exigidos no RGPS foram taxativamente preenchidos e portanto, cumpridos legalmente. Não obstante o cumprimento de todos os requisito legais formais exigidos, o magistrado sentenciante entendeu não estar cumprido o requisito da CONDIÇÃO DE SEGURADO do de cujus, sob a seguinte alegação:
  • 5. XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX ADVOCACIA Assessoria Jurídica Digital Rua xxxxxxxxxxxx, nº 0000, Centro - cidade de XXXXXXXXXXXXXX/UF, CEP 00000-000. E-mail advogadoxxxxxx@oabuf.org / Fone: (00) 9.9999-0000 Como se vê, o magistrado entende que o de cujus teria efetuado a primeira contribuição “post morten”, o que pela atual legislação seria vedado. A defesa desde a IMPUGNAÇÃO A CONTESTAÇÃO (fls. 000 do pdf) foi enfática e incisiva no sentido de enfatizar que: Logo, como se vê, desde a referida impugnação a contestação, já se vinha defendendo que a contribuição de janeiro de 2021 habilitava o de cujus a condição de segurado, porquanto caracterizada relação jurídica anterior ao óbito. Mais que isso: a impugnação a contestação da Autarquia também foi enfática em assentar que houve outros tantos recolhimento ao longo de vários anos:
  • 6. XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX ADVOCACIA Assessoria Jurídica Digital Rua xxxxxxxxxxxx, nº 0000, Centro - cidade de XXXXXXXXXXXXXX/UF, CEP 00000-000. E-mail advogadoxxxxxx@oabuf.org / Fone: (00) 9.9999-0000 Em que pese esse demonstrativo de clareza solar, contudo o magistrado não levou nada disso em consideração e sequer se deu ao trabalho de rebater as alegações da defesa, o que no ponto também caracteriza NULIDADE por ausência de motivação idônea, conforme preconiza o artigo 489, § 1º, inc. IV, do CPC, que assim dispõe: Art. 489. São elementos essenciais da sentença: § 1º Não se considera fundamentada qualquer decisão judicial, seja ela interlocutória, sentença ou acórdão, que: IV - não enfrentar todos os argumentos deduzidos no processo capazes de, em tese, infirmar a conclusão adotada pelo julgador; Oras, na espécie dos autos, em nenhum momento a sentença faz alusão aos pontos defensivos acima explanado na impugnação a contestação, quer para acolhê- los ou rechaçá-los, NEGANDO ASSIM A DEVIDA PRESTAÇÃO JURISDICIONAL CONSTITUCIONALMENTE PREVISTA NO ARTIGO 5º, XXXV E AFRONTANDO AINDA O ARTIGO 93, IX, AMBOS DA CONSTITUIÇÃO FEDERAL. Nesse ponto há que se devolver a esta Corte no duplo grau de jurisdição que seja revisto os aspectos ora questionados, porquanto resta evidenciado no feito a negativa de prestação jurisdicional, e ausência de motivação idônea, consequentemente ocorrendo na espécie contrariedade ao disposto no artigo 489, § 1º, IV do CPC cc. o art. 5º, XXXV
  • 7. XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX ADVOCACIA Assessoria Jurídica Digital Rua xxxxxxxxxxxx, nº 0000, Centro - cidade de XXXXXXXXXXXXXX/UF, CEP 00000-000. E-mail advogadoxxxxxx@oabuf.org / Fone: (00) 9.9999-0000 e artigo 93, IX, ambos da Constituição Federal, o qual desde já restam devidamente prequestionado. Destarte, como demonstrado, NÃO se trata da primeira contribuição do de cujus, posto que já havia muitas contribuições anteriores conforme demonstrado e que não foram levadas em consideração, razão pela qual se faz necessário que esta Corte acolha o Apelo defensivo e dê provimento no sentido de CONCEDER A PENSÃO POR MORTE as ora Apelantes, por inteira razão de direito e JUSTIÇA! De outro lado, ressalte-se que ainda que se entendesse que teria ocorrido o pagamento da primeira contribuição “post morten” ainda assim as Apelantes teriam direito ao benefício, máxime em razão do princípio da ISONOMIA que deve ser aplicado em situações iguais. A questão para nós, é: Será que é justo existir essa restrição de direitos para o segurado facultativo e contribuinte individual enquanto os dependentes do segurado especial podem realizar a inscrição post mortem? Tal condição pode ser tratada como equiparada isonômicamente? Sabe-se que o Decreto 10.410/2020, em seu § 5º-B do artigo 18, veda a inscrição post mortem de segurado contribuinte individual e de segurado facultativo. E nessa linha já tem decidido a TNU e o STJ dando guarida a tal entendimento. Contudo, em que pese o brilhantismo dessas elevadas cortes superiores, NÃO se pode deixar de observar a evidente disparidade e inobservância da clara afronta do decreto quanto ao princípio constitucional da ISÔNOMIA.
  • 8. XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX ADVOCACIA Assessoria Jurídica Digital Rua xxxxxxxxxxxx, nº 0000, Centro - cidade de XXXXXXXXXXXXXX/UF, CEP 00000-000. E-mail advogadoxxxxxx@oabuf.org / Fone: (00) 9.9999-0000 Oras, é evidente que o decreto privilegia uma qualidade de segurado e seus dependentes e dá tratamento diferenciado a outra classe de segurado e dependentes em IGUAL SITUAÇÃO JURIDICA LEGAL E CONSTITUCIONAL. O legislador brasileiro acertou em permitir a inscrição post mortem de apenas um grupo de segurados enquanto restringiu para autônomos e facultativos? É evidente que NÃO. Pois tal posição atrai a inconstitucionalidade do decreto no ponto em questão por evidente afronta ao princípio constitucional da isonomia, visto estar dando tratamento diferenciado para segurados em situações iguais e dependentes iguais. Logo, há que se acolher incinter tantun a inconstitucionalidade do decreto no ponto em questão. Ressalte-se que ainda há pouco tempo o TJ Mato grossense, decidiu sobre esse tema que: “SEGURADO OBRIGATÓRIO.INSCRIÇÃO POST MORTEM. POSSIBILIDADE. PENSÃO POR MORTE DEVIDA. 1. Comprovado nos autos que o de cujus trabalhou durante os últimos anos de vida na condição de contribuinte individual, admite-se a inscrição post mortem. 2. Possibilidade de descontar do valor dos benefícios as contribuições não recolhidas. 3. Pensão devida. Recurso provido”. (TJMT - 2003.36.00.70.01445-4 proferido pela 1ª Turma Recursal do Mato Grosso – MT) Assim, a r. sentença ora atacada desconsiderou todos esses aspectos defensivos se revelando imotivada e em evidente afronta aos referidos princípios constitucionais ora trazidos à baila, que necessitam serem revistos por esta Elevada Corte de Justiça do Estado do xxxxxxxxxxxxxxx, por estarem em total consonância com o arcabouço
  • 9. XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX ADVOCACIA Assessoria Jurídica Digital Rua xxxxxxxxxxxx, nº 0000, Centro - cidade de XXXXXXXXXXXXXX/UF, CEP 00000-000. E-mail advogadoxxxxxx@oabuf.org / Fone: (00) 9.9999-0000 normativo vigente na República, bem como por ser medida da mais salutar e indispensável JUSTIÇA! Por todas estas razões anteriormente expostas REQUER: 1. O recebimento do presente recurso nos seus efeitos ativo e suspensivo, nos termos do Art. 1.012 do CPC; 2. A intimação do Recorrido para se manifestar querendo, nos termos do §1º, art. 1.010 do CPC; 3. A total procedência do recurso para reformar a decisão recorrida, julgando totalmente procedente a ação previdenciária em questão, concedendo-se a PENSÃO POR MORTE ora pleiteada; 4. A condenação do recorrido ao pagamento das despesas processuais e sucumbência. “Não somos nós responsáveis somente pelo que fazemos, mas também pelo que deixamos de fazer” JEAN MOILIERE Termos em que, Pede Deferimento. XXXXXXXXXXXXXXX/UF, 00 de outubro de 2022. ADVOGADO SUBSCRITOR OAB/UF 0000000 Assinado Eletronicamente