SlideShare uma empresa Scribd logo
ANIMAIS VENENOSOS X PEÇONHENTOS
Animais Venenosos – são aqueles que
possuem veneno, mas são desprovidos de
aparelho inoculador. Ex: sapos, algumas
borboletas.
•

Animais Peçonhentos – são aqueles que
inoculam na vítima o veneno (peçonha
produzida por glândulas especiais) por meio de
dentes ocos, ferrões ou aguilhões.
•
ANIMAIS PEÇONHENTOS
Dentre os invertebrados peçonhentos, temos as
aranhas, escorpiões. lacraias, e alguns outros de
interesse por serem perigosos, como por exemplo:
• Celenterados (águas-vivas e medusas)
• Hymenopteras (vespas, abelhas e formigas)
• Lepidopteras (borboletas e mariposas)
• Coleopteras (besouros)
ANIMAIS PEÇONHENTOS
ARANHAS
Existem aproximadamente cerca de 35.000
espécies, habitam praticamente todas as regiões,
sendo somente uma aquática (Argyroneta). Todas
são predadoras, alimentando-se de insetos, mas
algumas podem alimentar-se de animais maiores
como lagartixas, rãs, peixes e até filhotes de aves.
ANIMAIS PEÇONHENTOS

Phoneutria
- Aranha armadeira
- Rápidas e agressivas
- Não formam teias
- Hábitos noturnos
Veneno
de
ação
neurotóxica e cardiotóxica
ANIMAIS PEÇONHENTOS

Loxoceles
- Aranha marrom
- Agressivas
- Teias irregulares em
locais escuros
- Hábitos noturnos
- Veneno de
necrosante
hemolítico

ação
e
ANIMAIS PEÇONHENTOS
Latrodectus
- Viúva-Negra
- Teias irregulares no
meio da vegetação
- Hábitos noturnos
- Veneno de ação
neurotóxica
ANIMAIS PEÇONHENTOS
Lycosa
- Aranha de grama ou de
jardim
- Não forma teias
- Hábitos
diurnos

noturnos

- Veneno necrosante

e
ANIMAIS PEÇONHENTOS
ESCORPIÕES
- São animais carnívoros de hábitos noturnos.
- Vivem sob pedras, troncos podres, em solo úmido das
matas, em areia de regiões secas, podendo entrar em
residências humanas, onde se escondem em fendas,
entulhos, madeiras empilhadas e dentro de sapatos. É
crença popular que os escorpiões se suicidam quando
cercados pelo fogo. Na realidade, por ficarem assustados,
elevam a cauda em posição de ataque, dando a falsa
impressão de injetar seu próprio veneno na cabeça;
geralmente são imunes ao próprio veneno.
ANIMAIS PEÇONHENTOS
ESCORPIÕES
Atualmente são conhecidas cerca de 1.400 espécies de
escorpiões distribuídas pelo mundo, com exceção da
Antártida, sendo que no Brasil há cerca de 75 espécies
amplamente distribuídas pelo país. Esses animais podem
ser encontrados tanto em áreas urbanas quanto rurais.No
Brasil as espécies mais importantes em Saúde Pública
pertencem ao gênero Tityus, destacando-se as espécies
Tityus serrulatus (escorpião amarelo) e Tityus bahyensis
(escorpião negro).
ANIMAIS PEÇONHENTOS
Os acidentes por Tityus serrulatos são os mais graves,
principalmente em crianças e idosos. A dor local, uma
constante no escorpionismo, pode ser acompanhada por
parestesias. Nos acidentes por Tytus serrulatus, após
intervalo de minutos até duas horas, podem surgir as
seguintes manifestações:
- náuseas, vômitos e diarréia.
- arritmias cardíacas, hipertensão ou hipotensão arterial.
- arritmias respiratórias e edema pulmonar agudo.
-agitação, sonolência, confusão mental, tremores e variação
de temperatura.
ANIMAIS PEÇONHENTOS
A gravidade depende de fatores como a
espécie e o tamanho do escorpião, a quantidade de
veneno inoculada, a massa corporal do acidentado
e a sensibilidade ao veneno.
Tityus bahiensis
ANIMAIS PEÇONHENTOS
SERPENTES
CARACTERÍSTICAS
• Corpo alongado coberto por escamas.
• Ausência de membros locomotores.
• Ausência de ouvido.
• Língua bífida que capta substâncias suspensas
no ar
• Olhos sem pálpebras.
ANIMAIS PEÇONHENTOS
Diferenças entre serpentes peçonhentas e não
peçonhentas:
- Serpentes peçonhentas apresentam corpo
coberto por escamas em forma de quilha
ANIMAIS PEÇONHENTOS
Diferenças entre serpentes peçonhentas e não
peçonhentas:
- As Serpentes peçonhentas apresentam cabeça com
escamas pequenas.

- As serpentes não peçonhentas apresentam, em geral,
escamas maiores na cabeça
ANIMAIS PEÇONHENTOS
Diferenças entre serpentes peçonhentas e não
peçonhentas:
- As Serpentes peçonhentas apresentam, em geral, pupila
em fenda.

- As serpentes não peçonhentas apresentam pupila
circular.
ANIMAIS PEÇONHENTOS
No Brasil são conhecidas aproximadamente 300 espécies e
subespécies de serpentes, das quais 70 variedades são
peçonhentas e se distribuem em 4 gêneros:
1) Gênero Bothrops: 32 variedades encontradas em todo o
território nacional. Responsável por mais de 90% dos
acidentes. Veneno de efeito coagulante e necrosante
(jararaca, jararacuçu, urutu, caiçara e outros).
ANIMAIS PEÇONHENTOS
2) Gênero Crotalus: 6 variedades, comuns em regiões
secas e campos. Veneno de efeito neurotóxico (cascavel).
ANIMAIS PEÇONHENTOS

3) Gênero Lachesis: 2 variedades, existentes na
Mata Atlântica e na Floresta Amazônica (surucucu).
São causa pouco freqüente de acidente peçonhento.
ANIMAIS PEÇONHENTOS

4) Gênero Micrurus: 31 variedades em todo o
país. Provocam os acidentes mais graves, embora
raros. Veneno de efeito curarizante (cobra coral).

Micrurus frontalis

Micrurus corallinus
ANIMAIS PEÇONHENTOS
Envenenamento Botrópico – Jararacas ( 90% dos acidentes)
Manifestações locais:
• precoce (até 3 horas após o acidente) :
- dor imediata, inchaço (edema), calor no
local da picada e hemorragia no local da
picada ou distante dele.
• Complicações :
- bolhas, gangrena abcesso e insuficiência
renal aguda.
ANIMAIS PEÇONHENTOS
Envenenamento Botrópico – Jararacas

Veneno de ação necrosante e hemorrágica
ANIMAIS PEÇONHENTOS
Envenenamento Crotálico – Cascavéis ( 8,2% dos
acidentes)
Sinais e sintomas do envenenamento:
• Precoce (até 3 horas após o acidente)
- dificuldade de abrir os olhos, “visão dupla”, “cara
de bêbado”, visão turva, dor muscular e urina avermelhada.
• Após 6 a 12 horas:
- escurecimento da urina.
• Complicações
- insuficiência respiratória e renal aguda
ANIMAIS PEÇONHENTOS
Envenenamento Crotálico – Cascavéis ( 8,2% dos
acidentes)
Veneno de ação neurotóxica e coagulante.
ANIMAIS PEÇONHENTOS
Envenenamento Laquético – Surucucus ( 2,9% dos
acidentes)
Envenenamento com reações
semelhantes ao de Bothrops.
- inchaço no local da picada,
diarréia e hemorragia.
-Veneno de ação necorsante,
neurotóxica e hemorrágica.
ANIMAIS PEÇONHENTOS
Envenenamento Elapídico – Corais ( 0,7% dos acidentes)
Principais sintomas :
-dificuldade de abrir os olhos, cara de
bêbado, falta de ar, dificuldade em engolir e
insuficiência respiratória aguda.

Veneno de ação neurotóxica.
* Ação rápida, grande potência e mortal se
não houver tratamento a tempo.
ANIMAIS PEÇONHENTOS
Cuidados de Enfermagem
Imediatos nos Acidentes Ofídicos:
1) Sempre que houver certeza de picada de serpentes
venenosas há necessidade de hospitalização e soroterapia.
2) Toda vez que houver evolução clínica sugestiva,
identificado o agressor, a vítima deve ser hospitalizada e
receber soroterapia.
3) Na dúvida se houve ou não a picada, a vítima deve
permanecer em observação, pelo menos 24 horas.
4) Paciente deve ser mantido em repouso.
5) Não usar garrote, nem torniquete.
ANIMAIS PEÇONHENTOS
Cuidados
Imediatos
nos
Acidentes
Ofídicos:
6) Não cortar, não furar, não queimar.
7) Membro afetado posicionado para cima.
8) Analgésicos, limpar cuidadosamente o local
da picada.
9) Controlar sinais vitais e volume urinário.
ANIMAIS PEÇONHENTOS

COMO PREVINIR ACIDENTES COM OFÍDIOS
• Nunca andar descalço, principalmente em mata.
(Dependendo da altura do calçado, os acidentes podem
ser evitados na ordem de 50 a 72 %);
• Usar luvas de couro em atividades rurais e de
jardinagem;
• Nunca colocar as mãos em tocas (para pegar pelo
rabo do tatu que é visto ao entrar) ou buracos na terra,
ocos de árvores, cupinzeiros, montes de pedras ou sob
pedras grandes;
ANIMAIS PEÇONHENTOS
OUTROS ANIMAIS PEÇONHENTOS
Centros de Informação e Assistência
Toxicológica (CIATs)
Existem 37 Centros de Informação e Assistência
Toxicológica em todo o território brasileiro.
•
•
•
•

Centro de Informação Anti-Veneno de Cuiabá
Coordenador: Enfermeira Márcia Regina Pereira
Diretor clínico: José Antonio Figueiredo
Endereço: Hospital Municipal e Pronto Socorro de
Cuiabá
Telefone: (65) 3051-9454 / 3051-9450 / 36171374 / 0800- 722-6001
Bibliografia
•

AZEVEDO-MARQUES M.M.; CUPO, P. & HERING,S.E. Acidentes por animais
peçonhentos: Serpentes peçonhentas. Medicina, Ribeirão Preto, 36: 480489, 2003.

•

CARDOSO, J.C.L. & BRANDO, R.B. Acidentes por animais peçonhentos. São
Paulo, Santos, 1982, p. 165-176.

•

CUPO, P. et al. Acidentes ofídicos: análise de 102 casos. In: XXI Congresso
da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical; 21., 1985, São Paulo,
Resumo p.23-24.

•

ROSENFIELD, G. Moléstias por venenos animais. Pinheiro Ter., 17:3-15,
1965.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Aula 01 primeiros socorros
Aula 01   primeiros socorrosAula 01   primeiros socorros
Aula 01 primeiros socorros
Legiane Bortoli
 
Aula 01 urgência e emergência.
Aula 01  urgência e emergência.Aula 01  urgência e emergência.
Aula 01 urgência e emergência.
Legiane Bortoli
 
Primeiros socorros - Queimaduras
Primeiros socorros - QueimadurasPrimeiros socorros - Queimaduras
Primeiros socorros - Queimaduras
Rhuan Ornilo
 
Aula primeiros socorros
Aula primeiros socorrosAula primeiros socorros
Aula primeiros socorros
Gizele Lima
 
Picada animais peçonhentos
Picada animais peçonhentosPicada animais peçonhentos
Picada animais peçonhentos
Alexandre Donha
 
Noções básicas sobre primeiros socorros
Noções básicas sobre primeiros socorrosNoções básicas sobre primeiros socorros
Noções básicas sobre primeiros socorros
Rocha Neto
 
Ps ferimentos db
Ps ferimentos dbPs ferimentos db
Ps ferimentos db
felipethoaldo
 
Intoxicação exógena
Intoxicação exógenaIntoxicação exógena
Intoxicação exógena
Efigênia Barros
 
Primeiros socorros
Primeiros socorrosPrimeiros socorros
Primeiros socorros
Lucas Silva
 
Introduçao a urgencia e emergencia
Introduçao a urgencia e emergenciaIntroduçao a urgencia e emergencia
Introduçao a urgencia e emergencia
jorge luiz dos santos de souza
 
Intoxicação
IntoxicaçãoIntoxicação
Intoxicação
Alexandre Donha
 
Tratamento Emergencial em Queimaduras - Enf. Cida Amaral
Tratamento Emergencial em Queimaduras - Enf. Cida AmaralTratamento Emergencial em Queimaduras - Enf. Cida Amaral
Tratamento Emergencial em Queimaduras - Enf. Cida Amaral
Coren-ms Conselho Reg Enfermagem
 
Urgência e Emergência
Urgência e EmergênciaUrgência e Emergência
Urgência e Emergência
Rosemeire Moreira Souza
 
Acidentes com animais peçonhentos
Acidentes com animais peçonhentosAcidentes com animais peçonhentos
Acidentes com animais peçonhentos
SMS - Petrópolis
 
Acidentes Por Animais Peçonhentos
Acidentes Por Animais PeçonhentosAcidentes Por Animais Peçonhentos
Acidentes Por Animais Peçonhentos
Priscilagcb
 
Slides Primeiros Socorros
Slides Primeiros SocorrosSlides Primeiros Socorros
Slides Primeiros Socorros
Oberlania Alves
 
Primeiro socorros - Animais Peçonhentos e Envenenamento
Primeiro socorros - Animais Peçonhentos e EnvenenamentoPrimeiro socorros - Animais Peçonhentos e Envenenamento
Primeiro socorros - Animais Peçonhentos e Envenenamento
Adriano Barbosa de Sant'Ana
 
Treinamento de Primeiros socorros
Treinamento de Primeiros socorros Treinamento de Primeiros socorros
Treinamento de Primeiros socorros
Ane Costa
 
Aula 1 - Urgência e emergência
Aula 1 - Urgência e emergênciaAula 1 - Urgência e emergência
Aula 1 - Urgência e emergência
Ricardo Augusto
 
Hemorragias e ferimentos
Hemorragias e ferimentosHemorragias e ferimentos
Hemorragias e ferimentos
DiegoAugusto86
 

Mais procurados (20)

Aula 01 primeiros socorros
Aula 01   primeiros socorrosAula 01   primeiros socorros
Aula 01 primeiros socorros
 
Aula 01 urgência e emergência.
Aula 01  urgência e emergência.Aula 01  urgência e emergência.
Aula 01 urgência e emergência.
 
Primeiros socorros - Queimaduras
Primeiros socorros - QueimadurasPrimeiros socorros - Queimaduras
Primeiros socorros - Queimaduras
 
Aula primeiros socorros
Aula primeiros socorrosAula primeiros socorros
Aula primeiros socorros
 
Picada animais peçonhentos
Picada animais peçonhentosPicada animais peçonhentos
Picada animais peçonhentos
 
Noções básicas sobre primeiros socorros
Noções básicas sobre primeiros socorrosNoções básicas sobre primeiros socorros
Noções básicas sobre primeiros socorros
 
Ps ferimentos db
Ps ferimentos dbPs ferimentos db
Ps ferimentos db
 
Intoxicação exógena
Intoxicação exógenaIntoxicação exógena
Intoxicação exógena
 
Primeiros socorros
Primeiros socorrosPrimeiros socorros
Primeiros socorros
 
Introduçao a urgencia e emergencia
Introduçao a urgencia e emergenciaIntroduçao a urgencia e emergencia
Introduçao a urgencia e emergencia
 
Intoxicação
IntoxicaçãoIntoxicação
Intoxicação
 
Tratamento Emergencial em Queimaduras - Enf. Cida Amaral
Tratamento Emergencial em Queimaduras - Enf. Cida AmaralTratamento Emergencial em Queimaduras - Enf. Cida Amaral
Tratamento Emergencial em Queimaduras - Enf. Cida Amaral
 
Urgência e Emergência
Urgência e EmergênciaUrgência e Emergência
Urgência e Emergência
 
Acidentes com animais peçonhentos
Acidentes com animais peçonhentosAcidentes com animais peçonhentos
Acidentes com animais peçonhentos
 
Acidentes Por Animais Peçonhentos
Acidentes Por Animais PeçonhentosAcidentes Por Animais Peçonhentos
Acidentes Por Animais Peçonhentos
 
Slides Primeiros Socorros
Slides Primeiros SocorrosSlides Primeiros Socorros
Slides Primeiros Socorros
 
Primeiro socorros - Animais Peçonhentos e Envenenamento
Primeiro socorros - Animais Peçonhentos e EnvenenamentoPrimeiro socorros - Animais Peçonhentos e Envenenamento
Primeiro socorros - Animais Peçonhentos e Envenenamento
 
Treinamento de Primeiros socorros
Treinamento de Primeiros socorros Treinamento de Primeiros socorros
Treinamento de Primeiros socorros
 
Aula 1 - Urgência e emergência
Aula 1 - Urgência e emergênciaAula 1 - Urgência e emergência
Aula 1 - Urgência e emergência
 
Hemorragias e ferimentos
Hemorragias e ferimentosHemorragias e ferimentos
Hemorragias e ferimentos
 

Semelhante a Animais peçonhentos

Apresentação - animais peçonhentos.ppt
Apresentação - animais peçonhentos.pptApresentação - animais peçonhentos.ppt
Apresentação - animais peçonhentos.ppt
FabioGarcia724760
 
Picadas e mordidas de artrópodes, pediculose e escabiose
Picadas e mordidas de artrópodes, pediculose e escabiosePicadas e mordidas de artrópodes, pediculose e escabiose
Picadas e mordidas de artrópodes, pediculose e escabiose
Cassyano Correr
 
Picadas de aracnideos
Picadas de aracnideosPicadas de aracnideos
Picadas de aracnideos
Emerson Silva
 
CIT - RS- Peçonhentos - Bombeiros
CIT - RS- Peçonhentos - BombeirosCIT - RS- Peçonhentos - Bombeiros
CIT - RS- Peçonhentos - Bombeiros
Deise
 
Animais Peçonhentos Invertabrados
Animais Peçonhentos InvertabradosAnimais Peçonhentos Invertabrados
Animais Peçonhentos Invertabrados
Michel Lopes
 
Animais peçonhentos
Animais peçonhentosAnimais peçonhentos
Animais peçonhentos
Ivana de Oliveira
 
animais_peconhentos.ppt
animais_peconhentos.pptanimais_peconhentos.ppt
animais_peconhentos.ppt
alessandrabiostm
 
animais_peconhentos (1).pptx
animais_peconhentos (1).pptxanimais_peconhentos (1).pptx
animais_peconhentos (1).pptx
fernando lourenco silva
 
animais_peconhentos.ppt
animais_peconhentos.pptanimais_peconhentos.ppt
animais_peconhentos.ppt
JorgeAmazonasFigueir
 
ANIMAIS+PEÇONHENTOS+AULA.ppt
ANIMAIS+PEÇONHENTOS+AULA.pptANIMAIS+PEÇONHENTOS+AULA.ppt
ANIMAIS+PEÇONHENTOS+AULA.ppt
RicardoGomes411
 
Animais Peçonhentos do Brasil
Animais Peçonhentos do BrasilAnimais Peçonhentos do Brasil
Animais Peçonhentos do Brasil
Fabio Junior Naves da Rocha
 
Animais peçonhentos
Animais peçonhentosAnimais peçonhentos
Animais peçonhentos
saudefieb
 
Animais peçonhentos
Animais peçonhentosAnimais peçonhentos
Animais peçonhentos
saudefieb
 
Acidentes com animais peçonhentos.pptx
Acidentes com animais peçonhentos.pptxAcidentes com animais peçonhentos.pptx
Acidentes com animais peçonhentos.pptx
AnnaErikaCardosoAlme
 
MICRO PARTE III.pptx curso tecnico de enfermagem
MICRO PARTE III.pptx curso tecnico de enfermagemMICRO PARTE III.pptx curso tecnico de enfermagem
MICRO PARTE III.pptx curso tecnico de enfermagem
Joana Darc Calado
 
Tráfico de animais - texto
Tráfico de animais - textoTráfico de animais - texto
Tráfico de animais - texto
Marcus Corradini
 
Controle de roedores
Controle de roedoresControle de roedores
Controle de roedores
Rodrigo Alves
 
Conheça o escorpião
Conheça o escorpiãoConheça o escorpião
Conheça o escorpião
Gustavo Augusto
 
Escorpiâo 3º A
Escorpiâo 3º AEscorpiâo 3º A
Escorpiâo 3º A
Maria Teresa Iannaco Grego
 
Primeiros Socorros - Acidentes com animais peçonhentos ofidismo
Primeiros Socorros - Acidentes com animais peçonhentos ofidismoPrimeiros Socorros - Acidentes com animais peçonhentos ofidismo
Primeiros Socorros - Acidentes com animais peçonhentos ofidismo
Cleanto Santos Vieira
 

Semelhante a Animais peçonhentos (20)

Apresentação - animais peçonhentos.ppt
Apresentação - animais peçonhentos.pptApresentação - animais peçonhentos.ppt
Apresentação - animais peçonhentos.ppt
 
Picadas e mordidas de artrópodes, pediculose e escabiose
Picadas e mordidas de artrópodes, pediculose e escabiosePicadas e mordidas de artrópodes, pediculose e escabiose
Picadas e mordidas de artrópodes, pediculose e escabiose
 
Picadas de aracnideos
Picadas de aracnideosPicadas de aracnideos
Picadas de aracnideos
 
CIT - RS- Peçonhentos - Bombeiros
CIT - RS- Peçonhentos - BombeirosCIT - RS- Peçonhentos - Bombeiros
CIT - RS- Peçonhentos - Bombeiros
 
Animais Peçonhentos Invertabrados
Animais Peçonhentos InvertabradosAnimais Peçonhentos Invertabrados
Animais Peçonhentos Invertabrados
 
Animais peçonhentos
Animais peçonhentosAnimais peçonhentos
Animais peçonhentos
 
animais_peconhentos.ppt
animais_peconhentos.pptanimais_peconhentos.ppt
animais_peconhentos.ppt
 
animais_peconhentos (1).pptx
animais_peconhentos (1).pptxanimais_peconhentos (1).pptx
animais_peconhentos (1).pptx
 
animais_peconhentos.ppt
animais_peconhentos.pptanimais_peconhentos.ppt
animais_peconhentos.ppt
 
ANIMAIS+PEÇONHENTOS+AULA.ppt
ANIMAIS+PEÇONHENTOS+AULA.pptANIMAIS+PEÇONHENTOS+AULA.ppt
ANIMAIS+PEÇONHENTOS+AULA.ppt
 
Animais Peçonhentos do Brasil
Animais Peçonhentos do BrasilAnimais Peçonhentos do Brasil
Animais Peçonhentos do Brasil
 
Animais peçonhentos
Animais peçonhentosAnimais peçonhentos
Animais peçonhentos
 
Animais peçonhentos
Animais peçonhentosAnimais peçonhentos
Animais peçonhentos
 
Acidentes com animais peçonhentos.pptx
Acidentes com animais peçonhentos.pptxAcidentes com animais peçonhentos.pptx
Acidentes com animais peçonhentos.pptx
 
MICRO PARTE III.pptx curso tecnico de enfermagem
MICRO PARTE III.pptx curso tecnico de enfermagemMICRO PARTE III.pptx curso tecnico de enfermagem
MICRO PARTE III.pptx curso tecnico de enfermagem
 
Tráfico de animais - texto
Tráfico de animais - textoTráfico de animais - texto
Tráfico de animais - texto
 
Controle de roedores
Controle de roedoresControle de roedores
Controle de roedores
 
Conheça o escorpião
Conheça o escorpiãoConheça o escorpião
Conheça o escorpião
 
Escorpiâo 3º A
Escorpiâo 3º AEscorpiâo 3º A
Escorpiâo 3º A
 
Primeiros Socorros - Acidentes com animais peçonhentos ofidismo
Primeiros Socorros - Acidentes com animais peçonhentos ofidismoPrimeiros Socorros - Acidentes com animais peçonhentos ofidismo
Primeiros Socorros - Acidentes com animais peçonhentos ofidismo
 

Animais peçonhentos

  • 1.
  • 2. ANIMAIS VENENOSOS X PEÇONHENTOS Animais Venenosos – são aqueles que possuem veneno, mas são desprovidos de aparelho inoculador. Ex: sapos, algumas borboletas. • Animais Peçonhentos – são aqueles que inoculam na vítima o veneno (peçonha produzida por glândulas especiais) por meio de dentes ocos, ferrões ou aguilhões. •
  • 3. ANIMAIS PEÇONHENTOS Dentre os invertebrados peçonhentos, temos as aranhas, escorpiões. lacraias, e alguns outros de interesse por serem perigosos, como por exemplo: • Celenterados (águas-vivas e medusas) • Hymenopteras (vespas, abelhas e formigas) • Lepidopteras (borboletas e mariposas) • Coleopteras (besouros)
  • 4. ANIMAIS PEÇONHENTOS ARANHAS Existem aproximadamente cerca de 35.000 espécies, habitam praticamente todas as regiões, sendo somente uma aquática (Argyroneta). Todas são predadoras, alimentando-se de insetos, mas algumas podem alimentar-se de animais maiores como lagartixas, rãs, peixes e até filhotes de aves.
  • 5. ANIMAIS PEÇONHENTOS Phoneutria - Aranha armadeira - Rápidas e agressivas - Não formam teias - Hábitos noturnos Veneno de ação neurotóxica e cardiotóxica
  • 6. ANIMAIS PEÇONHENTOS Loxoceles - Aranha marrom - Agressivas - Teias irregulares em locais escuros - Hábitos noturnos - Veneno de necrosante hemolítico ação e
  • 7. ANIMAIS PEÇONHENTOS Latrodectus - Viúva-Negra - Teias irregulares no meio da vegetação - Hábitos noturnos - Veneno de ação neurotóxica
  • 8. ANIMAIS PEÇONHENTOS Lycosa - Aranha de grama ou de jardim - Não forma teias - Hábitos diurnos noturnos - Veneno necrosante e
  • 9. ANIMAIS PEÇONHENTOS ESCORPIÕES - São animais carnívoros de hábitos noturnos. - Vivem sob pedras, troncos podres, em solo úmido das matas, em areia de regiões secas, podendo entrar em residências humanas, onde se escondem em fendas, entulhos, madeiras empilhadas e dentro de sapatos. É crença popular que os escorpiões se suicidam quando cercados pelo fogo. Na realidade, por ficarem assustados, elevam a cauda em posição de ataque, dando a falsa impressão de injetar seu próprio veneno na cabeça; geralmente são imunes ao próprio veneno.
  • 10. ANIMAIS PEÇONHENTOS ESCORPIÕES Atualmente são conhecidas cerca de 1.400 espécies de escorpiões distribuídas pelo mundo, com exceção da Antártida, sendo que no Brasil há cerca de 75 espécies amplamente distribuídas pelo país. Esses animais podem ser encontrados tanto em áreas urbanas quanto rurais.No Brasil as espécies mais importantes em Saúde Pública pertencem ao gênero Tityus, destacando-se as espécies Tityus serrulatus (escorpião amarelo) e Tityus bahyensis (escorpião negro).
  • 11. ANIMAIS PEÇONHENTOS Os acidentes por Tityus serrulatos são os mais graves, principalmente em crianças e idosos. A dor local, uma constante no escorpionismo, pode ser acompanhada por parestesias. Nos acidentes por Tytus serrulatus, após intervalo de minutos até duas horas, podem surgir as seguintes manifestações: - náuseas, vômitos e diarréia. - arritmias cardíacas, hipertensão ou hipotensão arterial. - arritmias respiratórias e edema pulmonar agudo. -agitação, sonolência, confusão mental, tremores e variação de temperatura.
  • 12. ANIMAIS PEÇONHENTOS A gravidade depende de fatores como a espécie e o tamanho do escorpião, a quantidade de veneno inoculada, a massa corporal do acidentado e a sensibilidade ao veneno. Tityus bahiensis
  • 13. ANIMAIS PEÇONHENTOS SERPENTES CARACTERÍSTICAS • Corpo alongado coberto por escamas. • Ausência de membros locomotores. • Ausência de ouvido. • Língua bífida que capta substâncias suspensas no ar • Olhos sem pálpebras.
  • 14. ANIMAIS PEÇONHENTOS Diferenças entre serpentes peçonhentas e não peçonhentas: - Serpentes peçonhentas apresentam corpo coberto por escamas em forma de quilha
  • 15. ANIMAIS PEÇONHENTOS Diferenças entre serpentes peçonhentas e não peçonhentas: - As Serpentes peçonhentas apresentam cabeça com escamas pequenas. - As serpentes não peçonhentas apresentam, em geral, escamas maiores na cabeça
  • 16. ANIMAIS PEÇONHENTOS Diferenças entre serpentes peçonhentas e não peçonhentas: - As Serpentes peçonhentas apresentam, em geral, pupila em fenda. - As serpentes não peçonhentas apresentam pupila circular.
  • 17. ANIMAIS PEÇONHENTOS No Brasil são conhecidas aproximadamente 300 espécies e subespécies de serpentes, das quais 70 variedades são peçonhentas e se distribuem em 4 gêneros: 1) Gênero Bothrops: 32 variedades encontradas em todo o território nacional. Responsável por mais de 90% dos acidentes. Veneno de efeito coagulante e necrosante (jararaca, jararacuçu, urutu, caiçara e outros).
  • 18. ANIMAIS PEÇONHENTOS 2) Gênero Crotalus: 6 variedades, comuns em regiões secas e campos. Veneno de efeito neurotóxico (cascavel).
  • 19. ANIMAIS PEÇONHENTOS 3) Gênero Lachesis: 2 variedades, existentes na Mata Atlântica e na Floresta Amazônica (surucucu). São causa pouco freqüente de acidente peçonhento.
  • 20. ANIMAIS PEÇONHENTOS 4) Gênero Micrurus: 31 variedades em todo o país. Provocam os acidentes mais graves, embora raros. Veneno de efeito curarizante (cobra coral). Micrurus frontalis Micrurus corallinus
  • 21. ANIMAIS PEÇONHENTOS Envenenamento Botrópico – Jararacas ( 90% dos acidentes) Manifestações locais: • precoce (até 3 horas após o acidente) : - dor imediata, inchaço (edema), calor no local da picada e hemorragia no local da picada ou distante dele. • Complicações : - bolhas, gangrena abcesso e insuficiência renal aguda.
  • 22. ANIMAIS PEÇONHENTOS Envenenamento Botrópico – Jararacas Veneno de ação necrosante e hemorrágica
  • 23. ANIMAIS PEÇONHENTOS Envenenamento Crotálico – Cascavéis ( 8,2% dos acidentes) Sinais e sintomas do envenenamento: • Precoce (até 3 horas após o acidente) - dificuldade de abrir os olhos, “visão dupla”, “cara de bêbado”, visão turva, dor muscular e urina avermelhada. • Após 6 a 12 horas: - escurecimento da urina. • Complicações - insuficiência respiratória e renal aguda
  • 24. ANIMAIS PEÇONHENTOS Envenenamento Crotálico – Cascavéis ( 8,2% dos acidentes) Veneno de ação neurotóxica e coagulante.
  • 25. ANIMAIS PEÇONHENTOS Envenenamento Laquético – Surucucus ( 2,9% dos acidentes) Envenenamento com reações semelhantes ao de Bothrops. - inchaço no local da picada, diarréia e hemorragia. -Veneno de ação necorsante, neurotóxica e hemorrágica.
  • 26. ANIMAIS PEÇONHENTOS Envenenamento Elapídico – Corais ( 0,7% dos acidentes) Principais sintomas : -dificuldade de abrir os olhos, cara de bêbado, falta de ar, dificuldade em engolir e insuficiência respiratória aguda. Veneno de ação neurotóxica. * Ação rápida, grande potência e mortal se não houver tratamento a tempo.
  • 27. ANIMAIS PEÇONHENTOS Cuidados de Enfermagem Imediatos nos Acidentes Ofídicos: 1) Sempre que houver certeza de picada de serpentes venenosas há necessidade de hospitalização e soroterapia. 2) Toda vez que houver evolução clínica sugestiva, identificado o agressor, a vítima deve ser hospitalizada e receber soroterapia. 3) Na dúvida se houve ou não a picada, a vítima deve permanecer em observação, pelo menos 24 horas. 4) Paciente deve ser mantido em repouso. 5) Não usar garrote, nem torniquete.
  • 28. ANIMAIS PEÇONHENTOS Cuidados Imediatos nos Acidentes Ofídicos: 6) Não cortar, não furar, não queimar. 7) Membro afetado posicionado para cima. 8) Analgésicos, limpar cuidadosamente o local da picada. 9) Controlar sinais vitais e volume urinário.
  • 29. ANIMAIS PEÇONHENTOS COMO PREVINIR ACIDENTES COM OFÍDIOS • Nunca andar descalço, principalmente em mata. (Dependendo da altura do calçado, os acidentes podem ser evitados na ordem de 50 a 72 %); • Usar luvas de couro em atividades rurais e de jardinagem; • Nunca colocar as mãos em tocas (para pegar pelo rabo do tatu que é visto ao entrar) ou buracos na terra, ocos de árvores, cupinzeiros, montes de pedras ou sob pedras grandes;
  • 31. Centros de Informação e Assistência Toxicológica (CIATs) Existem 37 Centros de Informação e Assistência Toxicológica em todo o território brasileiro. • • • • Centro de Informação Anti-Veneno de Cuiabá Coordenador: Enfermeira Márcia Regina Pereira Diretor clínico: José Antonio Figueiredo Endereço: Hospital Municipal e Pronto Socorro de Cuiabá Telefone: (65) 3051-9454 / 3051-9450 / 36171374 / 0800- 722-6001
  • 32. Bibliografia • AZEVEDO-MARQUES M.M.; CUPO, P. & HERING,S.E. Acidentes por animais peçonhentos: Serpentes peçonhentas. Medicina, Ribeirão Preto, 36: 480489, 2003. • CARDOSO, J.C.L. & BRANDO, R.B. Acidentes por animais peçonhentos. São Paulo, Santos, 1982, p. 165-176. • CUPO, P. et al. Acidentes ofídicos: análise de 102 casos. In: XXI Congresso da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical; 21., 1985, São Paulo, Resumo p.23-24. • ROSENFIELD, G. Moléstias por venenos animais. Pinheiro Ter., 17:3-15, 1965.