SlideShare uma empresa Scribd logo
 
Como você foi alfabetizado ?
O neuropediatra Harry Chugani, professor da Universidade de Wayne nos EUA, revela “as primeiras experiências da vida são tão importantes que podem mudar por completo a maneira como as pessoas se desenvolvem”.
Ao falarmos de alfabetização, muitas reflexões são necessárias.  A forma como pensamos na  leitura e escrita fará muita diferença no desenvolvimento da criança.
Segundo Magda Soares, para que a criança assuma uma postura de leitor-escritor é necessário saber codificar e decodificar o sistema alfabético de uma língua, bem como reconhecê-lo, interpretá-lo e aplicá-lo nos mais variados contextos e práticas sociais.
Portanto, letramento e alfabetização são processos concomitantes e necessários a todos quantos estiverem em processo de desenvolvimento da leitura e escrita.
EDUCAÇÃO INTEGRAL
 
Alfabetização no contexto integral
A criança já começa a ser alfabetizada no lar, ao ter contato com livros, histórias, etc. Assim, ela passa a perceber a linguagem escrita.
CONVIDO VOCÊ A ENTRAR NO MUNDO DA CRIANÇA...
青蛙不洗他的腳, 不是因為它不會洗。 他住在那池塘。 不要洗洗腳,因為他們不想要的。 但是,臭腳!
The frog does not wash his foot, Not because it will not wash. He lives there in the pond. Do not wash your feet because they do not want. But that stinky feet!
A criança passa por um processo semelhante ao que você sentiu agora. Veja a tradução:
O sapo não lava o pé, Não lava porque não quer. Ele mora lá na lagoa. Não lava o pé porque não quer. Mas, que chulé!
MÉTODOS DE ALFABETIZAÇÃO.
Existem vários métodos, porém duas correntes principais : aquela que trabalha a escrita de forma global, proporcionando o trabalho a partir da relação imagem gráfica – imagem fônica e sentidos. Por exemplo: o trabalho com o texto da música que acabamos de apresentar.
E por outro lado, o método mais tradicional, o sintético, que consiste em sintetizar sequências a partir do conhecimento das letras e sílabas (ba,be,bi,bo,bu)
 
As cartilhas trabalham com uma concepção de língua escrita como transcrição da fala: elas supõem a escrita como espelho da língua que se fala. Seus “textos” são construídos com a função de tornar clara (segundo elas) essa relação de transcrição.
Texto extraído da cartilha coração infantil: cartilha de alfabetização rápida O boi bebe. O boi baba. O boi bebe e baba O boi bebeu e babou
DINÂMICA: MONTANDO UM QUEBRA-CABEÇA
Não se chega a compor um todo, a menos que se tenha o conjunto. Embora se possa dizer que é um pouco mais difícil e demorado montar o quebra-cabeça inteiro do que parte dele, é mais significativo montá-lo todo, e é possível que isso aconteça, principalmente quando uns podem contar com a ajuda dos outros.
O EDUCADOR DEVE INICIAR O PROCESSO DE ALFABETIZAÇÃO LEVANDO EM CONSIDERAÇÃO AS FASES PELAS QUAIS A CRIANÇA PASSA AO ELABORAR AS PRÓPRIAS HIPÓTESES SOBRE A ESCRITA.
DURANTE TODA A VIDA PASSAMOS POR VÁRIAS ETAPAS...
HIPÓTESES DE ESCRITA, CONFORME EMILIA FERREIRO
PRÉ-SILÁBICO
De início, a criança não faz uma diferenciação clara entre o sistema de representação do desenho (pictográfico) e o da escrita (alfabético)
[object Object],[object Object],[object Object]
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
 
SILÁBICO
O que caracteriza a hipótese silábica é a crença de que cada letra representa uma sílaba – a menor unidade de emissão sonora. Veja, a seguir,  amostras de escrita silábica.
SEM VALOR SONORO
COM VALOR SONORO FORMIGA - OIA FORMIGA - FMG FORMIGA - OMA
SILÁBICA - ALFABÉTICA
[object Object],[object Object],[object Object]
ALFABÉTICA
[object Object],[object Object],[object Object]
Na verdade, só se pode considerar realmente que uma criança lê quando existe a compreensão. Quando a criança decodifica e não compreende, não se pode afirmar que ela esteja lendo.
Áreas cerebrais e maturação na aprendizagem
Segundo Romanelli (2003), a noção de maturação nervosa é uma das mais fundamentais para se explicar o processo de aprendizagem. Os psicólogos acreditam que os comportamentos não podem ser externados até que seu mecanismo neural tenha se desenvolvido.
 
Quando o corpo celular envia uma mensagem, cabe ao axônio conduzi-la até o dendrito do próximo neurônio para fazer  a sinapse.  Para que o axônio consiga transmitir a mensagem ele  precisa estar maduro. Torna-se maduro quando é envolvida por uma camada de gordura e proteína denominada mielina.
O processo de mielinização acontece no tempo, de modo que diferentes neurônios se mielinizam em épocas distintas do desenvolvimento do organismo. Esse fato fornece embasamento para a compreensão das teorias que descrevem as fases evolutivas da criança, como os estágios de Jean Piaget – apresentados anteriormente.
A Neurofisiologia afirma que o desenvolvimento e a evolução das funções específicas (linguagem oral, percepção auditiva e visual, esquema corporal, orientação espacial e temporal, lateralidade, análise-síntese, coordenação motora e a memória sinestésica )...
...são extremamente necessárias à preparação para a alfabetização, por serem elas as menos conhecidas e as quais mais frequentemente se relacionam posteriormente com sérios problemas, como dislexia, disgrafias e disortografias.
Para iniciar a aprendizagem da leitura e da escrita, a criança precisa ter alcançado um certo nível de desenvolvimento global, ou seja, físico, intelectual, afetivo, social e das funções específicas.
“ Ensinar crianças com menos de 5 anos a ler e escrever, sem que elas manifestem algum interesse particular pelas letras, pode até atrapalhar, pois os circuitos que regem a percepção de lateralidade e direcionalidade ainda não estão prontos”. Arquivo - Revista Veja - 1996
“ Mais tarde, a criança pode sofrer do distúrbio da escrita”, afirma o psiquiatra Francisco Assumpção Júnior, do Hospital das Clínicas de São Paulo.
UM POUQUINHO DE LEI...
LDB 9394/96  A educação infantil, primeira etapa da educação básica, tem como finalidade o desenvolvimento integral da criança até seis anos de idade, em seus aspectos físico, psicológico, intelectual e social, complementando a ação da família e da comunidade.
Art. 30. A educação infantil será oferecida em: I - creches, ou entidades equivalentes, para crianças de até três anos de idade; II - pré-escolas, para as crianças de quatro a seis anos de idade.
Art. 31. Na educação infantil a avaliação far-se-á mediante acompanhamento e registro do seu desenvolvimento, sem o objetivo de promoção, mesmo para o acesso ao ensino fundamental.
1º ano Art. 32. O ensino fundamental obrigatório, com duração de 9 (nove) anos, gratuito na escola pública, iniciando-se aos 6 (seis) anos de idade, terá por objetivo a formação básica do cidadão, mediante:
I - o desenvolvimento da capacidade de aprender, tendo como meios básicos o pleno domínio da leitura, da escrita e do cálculo; II, III, IV...
POR FIM... QUANDO ESTIMULAMOS A CRIANÇA, MAS RESPEITAMOS SUAS ETAPAS DE DESENVOLVIMENTO, TEREMOS UMA CRIANÇA MAIS FELIZ , COM VONTADE DE APRENDER E LETRADA.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Sondagem de hipótese de escrita
Sondagem de hipótese de escritaSondagem de hipótese de escrita
Sondagem de hipótese de escrita
Maristela Couto
 
Elaboracao plano de trabalho docente
Elaboracao plano de trabalho docenteElaboracao plano de trabalho docente
Elaboracao plano de trabalho docente
Adarilda Benelli
 
Alfabetização e letramento
Alfabetização e letramentoAlfabetização e letramento
Alfabetização e letramento
Elizabet Tramontin Silveira Camargo
 
Formação recomposição da Aprendizagem
Formação recomposição da Aprendizagem Formação recomposição da Aprendizagem
Formação recomposição da Aprendizagem
carmensilva723002
 
Alfabetização e Letramento
Alfabetização e Letramento Alfabetização e Letramento
Alfabetização e Letramento
Adriana Pereira
 
O processo de alfabetização
O processo de alfabetizaçãoO processo de alfabetização
O processo de alfabetização
Rosemary Batista
 
Psicogênese da Língua Escrita
Psicogênese da Língua EscritaPsicogênese da Língua Escrita
Psicogênese da Língua Escrita
Jessica Nuvens
 
Formulários de avaliação diagnóstica de 1º ao 9ª ano língua portuguesa e mate...
Formulários de avaliação diagnóstica de 1º ao 9ª ano língua portuguesa e mate...Formulários de avaliação diagnóstica de 1º ao 9ª ano língua portuguesa e mate...
Formulários de avaliação diagnóstica de 1º ao 9ª ano língua portuguesa e mate...
Adilson P Motta Motta
 
Slides unidade 3 texto 1
Slides unidade 3   texto 1Slides unidade 3   texto 1
Slides unidade 3 texto 1
Lais Renata
 
Projeto Leitura é Fonte de Saber
Projeto Leitura é Fonte de Saber Projeto Leitura é Fonte de Saber
Projeto Leitura é Fonte de Saber
School
 
Projeto de Incentivo a Leitura
Projeto de Incentivo a LeituraProjeto de Incentivo a Leitura
Projeto de Incentivo a Leitura
Cirlei Santos
 
Discutindo diagnósticos de escrita (SLIDES 3ª Formação NUALFA)
Discutindo diagnósticos de escrita (SLIDES 3ª Formação NUALFA)Discutindo diagnósticos de escrita (SLIDES 3ª Formação NUALFA)
Discutindo diagnósticos de escrita (SLIDES 3ª Formação NUALFA)
Edeil Reis do Espírito Santo
 
AlfabetizaçãO E Letramento
AlfabetizaçãO E LetramentoAlfabetizaçãO E Letramento
AlfabetizaçãO E Letramento
henriqueocarvalho
 
Apresentaçãp projeto de leitura nos anos iniciais
Apresentaçãp projeto de leitura nos anos iniciaisApresentaçãp projeto de leitura nos anos iniciais
Apresentaçãp projeto de leitura nos anos iniciais
leao162010
 
A literatura infantil na escola
A literatura infantil na escolaA literatura infantil na escola
A literatura infantil na escola
UESPI - PI
 
Características da leitura e escrita
Características da leitura e escritaCaracterísticas da leitura e escrita
Características da leitura e escrita
Jucelia Costa
 
Reunião Pedagógica - E.M. Norma Sueli Borges
Reunião Pedagógica - E.M. Norma Sueli BorgesReunião Pedagógica - E.M. Norma Sueli Borges
Reunião Pedagógica - E.M. Norma Sueli Borges
pdescola
 
Projeto circuito de leitura e escrita com o uso das tecnologias
Projeto circuito de leitura e escrita com o uso das tecnologiasProjeto circuito de leitura e escrita com o uso das tecnologias
Projeto circuito de leitura e escrita com o uso das tecnologias
Nayane Mertens
 
Alfabetização e letramento matemático pnaic
Alfabetização e letramento matemático pnaicAlfabetização e letramento matemático pnaic
Alfabetização e letramento matemático pnaic
Magda Marques
 
Alfabetização-Psicogênese da Língua escrita
Alfabetização-Psicogênese da Língua escritaAlfabetização-Psicogênese da Língua escrita
Alfabetização-Psicogênese da Língua escrita
Magda Marques
 

Mais procurados (20)

Sondagem de hipótese de escrita
Sondagem de hipótese de escritaSondagem de hipótese de escrita
Sondagem de hipótese de escrita
 
Elaboracao plano de trabalho docente
Elaboracao plano de trabalho docenteElaboracao plano de trabalho docente
Elaboracao plano de trabalho docente
 
Alfabetização e letramento
Alfabetização e letramentoAlfabetização e letramento
Alfabetização e letramento
 
Formação recomposição da Aprendizagem
Formação recomposição da Aprendizagem Formação recomposição da Aprendizagem
Formação recomposição da Aprendizagem
 
Alfabetização e Letramento
Alfabetização e Letramento Alfabetização e Letramento
Alfabetização e Letramento
 
O processo de alfabetização
O processo de alfabetizaçãoO processo de alfabetização
O processo de alfabetização
 
Psicogênese da Língua Escrita
Psicogênese da Língua EscritaPsicogênese da Língua Escrita
Psicogênese da Língua Escrita
 
Formulários de avaliação diagnóstica de 1º ao 9ª ano língua portuguesa e mate...
Formulários de avaliação diagnóstica de 1º ao 9ª ano língua portuguesa e mate...Formulários de avaliação diagnóstica de 1º ao 9ª ano língua portuguesa e mate...
Formulários de avaliação diagnóstica de 1º ao 9ª ano língua portuguesa e mate...
 
Slides unidade 3 texto 1
Slides unidade 3   texto 1Slides unidade 3   texto 1
Slides unidade 3 texto 1
 
Projeto Leitura é Fonte de Saber
Projeto Leitura é Fonte de Saber Projeto Leitura é Fonte de Saber
Projeto Leitura é Fonte de Saber
 
Projeto de Incentivo a Leitura
Projeto de Incentivo a LeituraProjeto de Incentivo a Leitura
Projeto de Incentivo a Leitura
 
Discutindo diagnósticos de escrita (SLIDES 3ª Formação NUALFA)
Discutindo diagnósticos de escrita (SLIDES 3ª Formação NUALFA)Discutindo diagnósticos de escrita (SLIDES 3ª Formação NUALFA)
Discutindo diagnósticos de escrita (SLIDES 3ª Formação NUALFA)
 
AlfabetizaçãO E Letramento
AlfabetizaçãO E LetramentoAlfabetizaçãO E Letramento
AlfabetizaçãO E Letramento
 
Apresentaçãp projeto de leitura nos anos iniciais
Apresentaçãp projeto de leitura nos anos iniciaisApresentaçãp projeto de leitura nos anos iniciais
Apresentaçãp projeto de leitura nos anos iniciais
 
A literatura infantil na escola
A literatura infantil na escolaA literatura infantil na escola
A literatura infantil na escola
 
Características da leitura e escrita
Características da leitura e escritaCaracterísticas da leitura e escrita
Características da leitura e escrita
 
Reunião Pedagógica - E.M. Norma Sueli Borges
Reunião Pedagógica - E.M. Norma Sueli BorgesReunião Pedagógica - E.M. Norma Sueli Borges
Reunião Pedagógica - E.M. Norma Sueli Borges
 
Projeto circuito de leitura e escrita com o uso das tecnologias
Projeto circuito de leitura e escrita com o uso das tecnologiasProjeto circuito de leitura e escrita com o uso das tecnologias
Projeto circuito de leitura e escrita com o uso das tecnologias
 
Alfabetização e letramento matemático pnaic
Alfabetização e letramento matemático pnaicAlfabetização e letramento matemático pnaic
Alfabetização e letramento matemático pnaic
 
Alfabetização-Psicogênese da Língua escrita
Alfabetização-Psicogênese da Língua escritaAlfabetização-Psicogênese da Língua escrita
Alfabetização-Psicogênese da Língua escrita
 

Destaque

Fábuals do 5º ano E
Fábuals do 5º ano EFábuals do 5º ano E
Fábuals do 5º ano E
Colégio Catarinense
 
Cigarra e formiga
Cigarra e formigaCigarra e formiga
Cigarra e formiga
Rosa Maria Alves
 
Desenhos fábula1
Desenhos fábula1Desenhos fábula1
Desenhos fábula1
Eunice Mendes de Oliveira
 
A.Apres.Estrut.Cognitivas.Ppoitn
A.Apres.Estrut.Cognitivas.PpoitnA.Apres.Estrut.Cognitivas.Ppoitn
A.Apres.Estrut.Cognitivas.Ppoitn
guesta2f5284
 
Cartilha letramento[1]
Cartilha  letramento[1]Cartilha  letramento[1]
Cartilha letramento[1]
Maria Clara Catanho
 
Projeto metodo fonico
Projeto metodo fonicoProjeto metodo fonico
Projeto metodo fonico
Neemias
 
Trabalhando com sequencia didática slids
Trabalhando com sequencia didática  slidsTrabalhando com sequencia didática  slids
Trabalhando com sequencia didática slids
Eunice Mendes de Oliveira
 
Curso metodos
Curso metodosCurso metodos
Curso metodos
Luciana
 
Processo e objetivos da alfabetizacao
Processo e objetivos da alfabetizacaoProcesso e objetivos da alfabetizacao
Processo e objetivos da alfabetizacao
Jean Carvalho
 
Ensinar Matemática nas séries iniciais
Ensinar Matemática nas séries iniciaisEnsinar Matemática nas séries iniciais
Ensinar Matemática nas séries iniciais
Maristela Couto
 
Projeto o uso da fábula e a mída no processo de ensino - aprendizagem
Projeto   o uso da fábula e a mída no processo de ensino - aprendizagemProjeto   o uso da fábula e a mída no processo de ensino - aprendizagem
Projeto o uso da fábula e a mída no processo de ensino - aprendizagem
Auxiliadora Vasconcelos
 
O menino que_aprendeu_a_ler[1]
O menino que_aprendeu_a_ler[1]O menino que_aprendeu_a_ler[1]
O menino que_aprendeu_a_ler[1]
Eunice Mendes de Oliveira
 

Destaque (12)

Fábuals do 5º ano E
Fábuals do 5º ano EFábuals do 5º ano E
Fábuals do 5º ano E
 
Cigarra e formiga
Cigarra e formigaCigarra e formiga
Cigarra e formiga
 
Desenhos fábula1
Desenhos fábula1Desenhos fábula1
Desenhos fábula1
 
A.Apres.Estrut.Cognitivas.Ppoitn
A.Apres.Estrut.Cognitivas.PpoitnA.Apres.Estrut.Cognitivas.Ppoitn
A.Apres.Estrut.Cognitivas.Ppoitn
 
Cartilha letramento[1]
Cartilha  letramento[1]Cartilha  letramento[1]
Cartilha letramento[1]
 
Projeto metodo fonico
Projeto metodo fonicoProjeto metodo fonico
Projeto metodo fonico
 
Trabalhando com sequencia didática slids
Trabalhando com sequencia didática  slidsTrabalhando com sequencia didática  slids
Trabalhando com sequencia didática slids
 
Curso metodos
Curso metodosCurso metodos
Curso metodos
 
Processo e objetivos da alfabetizacao
Processo e objetivos da alfabetizacaoProcesso e objetivos da alfabetizacao
Processo e objetivos da alfabetizacao
 
Ensinar Matemática nas séries iniciais
Ensinar Matemática nas séries iniciaisEnsinar Matemática nas séries iniciais
Ensinar Matemática nas séries iniciais
 
Projeto o uso da fábula e a mída no processo de ensino - aprendizagem
Projeto   o uso da fábula e a mída no processo de ensino - aprendizagemProjeto   o uso da fábula e a mída no processo de ensino - aprendizagem
Projeto o uso da fábula e a mída no processo de ensino - aprendizagem
 
O menino que_aprendeu_a_ler[1]
O menino que_aprendeu_a_ler[1]O menino que_aprendeu_a_ler[1]
O menino que_aprendeu_a_ler[1]
 

Semelhante a ALFABETIZAÇÃO

Alfabetização ou letramento
Alfabetização ou letramentoAlfabetização ou letramento
Alfabetização ou letramento
pedagogia para licenciados
 
Aprendizagem da leitura e escrita
Aprendizagem da leitura e escritaAprendizagem da leitura e escrita
Aprendizagem da leitura e escrita
Universidade Federal do Amazonas
 
Alfabetização
AlfabetizaçãoAlfabetização
Alfabetização
Ricardo Antunes
 
A construção da linguagem
A construção da linguagem A construção da linguagem
A construção da linguagem
Dany Cavalcante
 
Aprendizagemdaleituraeescrita 140727083154-phpapp01
Aprendizagemdaleituraeescrita 140727083154-phpapp01Aprendizagemdaleituraeescrita 140727083154-phpapp01
Aprendizagemdaleituraeescrita 140727083154-phpapp01
ERILENE OLIVEIRA
 
Aprendizagemdaleituraeescrita 140727083154-phpapp01
Aprendizagemdaleituraeescrita 140727083154-phpapp01Aprendizagemdaleituraeescrita 140727083154-phpapp01
Aprendizagemdaleituraeescrita 140727083154-phpapp01
ERILENE OLIVEIRA
 
Alfabetizao métodos
Alfabetizao   métodosAlfabetizao   métodos
Alfabetizao métodos
Dennyse Azevedo
 
Emilia ferreiro e a psicogênese da língua escrita
Emilia ferreiro e a psicogênese da língua escritaEmilia ferreiro e a psicogênese da língua escrita
Emilia ferreiro e a psicogênese da língua escrita
Dennyse Azevedo
 
Apresentação processos e objetivos da alfabetização ciman 2013
Apresentação   processos e objetivos da alfabetização ciman  2013Apresentação   processos e objetivos da alfabetização ciman  2013
Apresentação processos e objetivos da alfabetização ciman 2013
J. C.
 
Ideias mec caderno de textos
Ideias mec caderno de textosIdeias mec caderno de textos
Ideias mec caderno de textos
Valeria Friedmann
 
Resumo da Disciplina Psicolinguística
Resumo da Disciplina PsicolinguísticaResumo da Disciplina Psicolinguística
Resumo da Disciplina Psicolinguística
Espaço da Criatividade Encantado
 
ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTO.pdf
ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTO.pdfALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTO.pdf
ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTO.pdf
Andrea491870
 
leipeitupurapa epe espescrpritapa
leipeitupurapa epe espescrpritapaleipeitupurapa epe espescrpritapa
leipeitupurapa epe espescrpritapa
anaritamor
 
Práticas pedagógicas no letramento do aluno surdo
Práticas pedagógicas no letramento do aluno surdoPráticas pedagógicas no letramento do aluno surdo
Práticas pedagógicas no letramento do aluno surdo
Grupo Educação, Mídias e Comunidade Surda
 
Texto base escrita-sinais2
Texto base escrita-sinais2Texto base escrita-sinais2
Texto base escrita-sinais2
Silvana Eloisa
 
Texto base escrita-sinais2
Texto base escrita-sinais2Texto base escrita-sinais2
Texto base escrita-sinais2
Silvana Eloisa
 
Portifolio digital TASSIA
Portifolio digital TASSIAPortifolio digital TASSIA
Portifolio digital TASSIA
Tassia Turcatto
 
Concepções de Alfabetização - PNAIC
Concepções de Alfabetização - PNAICConcepções de Alfabetização - PNAIC
Concepções de Alfabetização - PNAIC
Vera Marlize Schröer
 
Ludicidade e alfabetização
Ludicidade e alfabetizaçãoLudicidade e alfabetização
Ludicidade e alfabetização
Luci Panucci
 
Literatura infantil-juvenil
Literatura infantil-juvenilLiteratura infantil-juvenil
Literatura infantil-juvenil
Susanne Messias
 

Semelhante a ALFABETIZAÇÃO (20)

Alfabetização ou letramento
Alfabetização ou letramentoAlfabetização ou letramento
Alfabetização ou letramento
 
Aprendizagem da leitura e escrita
Aprendizagem da leitura e escritaAprendizagem da leitura e escrita
Aprendizagem da leitura e escrita
 
Alfabetização
AlfabetizaçãoAlfabetização
Alfabetização
 
A construção da linguagem
A construção da linguagem A construção da linguagem
A construção da linguagem
 
Aprendizagemdaleituraeescrita 140727083154-phpapp01
Aprendizagemdaleituraeescrita 140727083154-phpapp01Aprendizagemdaleituraeescrita 140727083154-phpapp01
Aprendizagemdaleituraeescrita 140727083154-phpapp01
 
Aprendizagemdaleituraeescrita 140727083154-phpapp01
Aprendizagemdaleituraeescrita 140727083154-phpapp01Aprendizagemdaleituraeescrita 140727083154-phpapp01
Aprendizagemdaleituraeescrita 140727083154-phpapp01
 
Alfabetizao métodos
Alfabetizao   métodosAlfabetizao   métodos
Alfabetizao métodos
 
Emilia ferreiro e a psicogênese da língua escrita
Emilia ferreiro e a psicogênese da língua escritaEmilia ferreiro e a psicogênese da língua escrita
Emilia ferreiro e a psicogênese da língua escrita
 
Apresentação processos e objetivos da alfabetização ciman 2013
Apresentação   processos e objetivos da alfabetização ciman  2013Apresentação   processos e objetivos da alfabetização ciman  2013
Apresentação processos e objetivos da alfabetização ciman 2013
 
Ideias mec caderno de textos
Ideias mec caderno de textosIdeias mec caderno de textos
Ideias mec caderno de textos
 
Resumo da Disciplina Psicolinguística
Resumo da Disciplina PsicolinguísticaResumo da Disciplina Psicolinguística
Resumo da Disciplina Psicolinguística
 
ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTO.pdf
ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTO.pdfALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTO.pdf
ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTO.pdf
 
leipeitupurapa epe espescrpritapa
leipeitupurapa epe espescrpritapaleipeitupurapa epe espescrpritapa
leipeitupurapa epe espescrpritapa
 
Práticas pedagógicas no letramento do aluno surdo
Práticas pedagógicas no letramento do aluno surdoPráticas pedagógicas no letramento do aluno surdo
Práticas pedagógicas no letramento do aluno surdo
 
Texto base escrita-sinais2
Texto base escrita-sinais2Texto base escrita-sinais2
Texto base escrita-sinais2
 
Texto base escrita-sinais2
Texto base escrita-sinais2Texto base escrita-sinais2
Texto base escrita-sinais2
 
Portifolio digital TASSIA
Portifolio digital TASSIAPortifolio digital TASSIA
Portifolio digital TASSIA
 
Concepções de Alfabetização - PNAIC
Concepções de Alfabetização - PNAICConcepções de Alfabetização - PNAIC
Concepções de Alfabetização - PNAIC
 
Ludicidade e alfabetização
Ludicidade e alfabetizaçãoLudicidade e alfabetização
Ludicidade e alfabetização
 
Literatura infantil-juvenil
Literatura infantil-juvenilLiteratura infantil-juvenil
Literatura infantil-juvenil
 

Mais de Igreja Adventista do Sétimo Dia

Deus se importa tema 1
Deus se importa tema 1Deus se importa tema 1
Deus se importa tema 1
Igreja Adventista do Sétimo Dia
 
Liberdade: uma aventura cristã pronta
Liberdade: uma aventura cristã   prontaLiberdade: uma aventura cristã   pronta
Liberdade: uma aventura cristã pronta
Igreja Adventista do Sétimo Dia
 
Desmond Ford e justificação pela fé
Desmond Ford e justificação pela fé Desmond Ford e justificação pela fé
Desmond Ford e justificação pela fé
Igreja Adventista do Sétimo Dia
 
Uma oportunidade para quem não tem nenhuma
Uma oportunidade para quem não tem nenhumaUma oportunidade para quem não tem nenhuma
Uma oportunidade para quem não tem nenhuma
Igreja Adventista do Sétimo Dia
 
Como apresentar temas difíceis nas aulas de ensino religioso
Como apresentar temas difíceis nas aulas de ensino religiosoComo apresentar temas difíceis nas aulas de ensino religioso
Como apresentar temas difíceis nas aulas de ensino religioso
Igreja Adventista do Sétimo Dia
 
Contenções de Ellen White às incursões carismáticas no adventismo
Contenções de Ellen White às incursões carismáticas no adventismoContenções de Ellen White às incursões carismáticas no adventismo
Contenções de Ellen White às incursões carismáticas no adventismo
Igreja Adventista do Sétimo Dia
 
Dios: el reo
Dios: el reoDios: el reo
Gratidão & Promessa
Gratidão & PromessaGratidão & Promessa
Gratidão & Promessa
Igreja Adventista do Sétimo Dia
 
10 coisas que todo adventista deveria saber sobre pós-modernidade
10 coisas que todo adventista deveria saber sobre pós-modernidade10 coisas que todo adventista deveria saber sobre pós-modernidade
10 coisas que todo adventista deveria saber sobre pós-modernidade
Igreja Adventista do Sétimo Dia
 
A carismatização do adventismo
A carismatização do adventismoA carismatização do adventismo
A carismatização do adventismo
Igreja Adventista do Sétimo Dia
 
Fé no contexto contemporâneo
Fé no contexto contemporâneoFé no contexto contemporâneo
Fé no contexto contemporâneo
Igreja Adventista do Sétimo Dia
 
Projeções do fim
Projeções do fimProjeções do fim
Deus amordaçado
Deus amordaçadoDeus amordaçado
De volta às raízes do adventismo
De volta às raízes do adventismoDe volta às raízes do adventismo
De volta às raízes do adventismo
Igreja Adventista do Sétimo Dia
 
Sempre preparado
Sempre preparado Sempre preparado
Gratos por que
Gratos por queGratos por que
Por que os adventistas estão insatisfeitos
Por que os adventistas estão insatisfeitosPor que os adventistas estão insatisfeitos
Por que os adventistas estão insatisfeitos
Igreja Adventista do Sétimo Dia
 

Mais de Igreja Adventista do Sétimo Dia (20)

Deus se importa tema 1
Deus se importa tema 1Deus se importa tema 1
Deus se importa tema 1
 
Liberdade: uma aventura cristã pronta
Liberdade: uma aventura cristã   prontaLiberdade: uma aventura cristã   pronta
Liberdade: uma aventura cristã pronta
 
Desmond Ford e justificação pela fé
Desmond Ford e justificação pela fé Desmond Ford e justificação pela fé
Desmond Ford e justificação pela fé
 
Uma oportunidade para quem não tem nenhuma
Uma oportunidade para quem não tem nenhumaUma oportunidade para quem não tem nenhuma
Uma oportunidade para quem não tem nenhuma
 
Como apresentar temas difíceis nas aulas de ensino religioso
Como apresentar temas difíceis nas aulas de ensino religiosoComo apresentar temas difíceis nas aulas de ensino religioso
Como apresentar temas difíceis nas aulas de ensino religioso
 
Contenções de Ellen White às incursões carismáticas no adventismo
Contenções de Ellen White às incursões carismáticas no adventismoContenções de Ellen White às incursões carismáticas no adventismo
Contenções de Ellen White às incursões carismáticas no adventismo
 
Dios: el reo
Dios: el reoDios: el reo
Dios: el reo
 
Gratidão & Promessa
Gratidão & PromessaGratidão & Promessa
Gratidão & Promessa
 
10 coisas que todo adventista deveria saber sobre pós-modernidade
10 coisas que todo adventista deveria saber sobre pós-modernidade10 coisas que todo adventista deveria saber sobre pós-modernidade
10 coisas que todo adventista deveria saber sobre pós-modernidade
 
A carismatização do adventismo
A carismatização do adventismoA carismatização do adventismo
A carismatização do adventismo
 
Fé no contexto contemporâneo
Fé no contexto contemporâneoFé no contexto contemporâneo
Fé no contexto contemporâneo
 
Projeções do fim
Projeções do fimProjeções do fim
Projeções do fim
 
Crer uma aventura
Crer uma aventuraCrer uma aventura
Crer uma aventura
 
Como adoraremos final
Como adoraremos finalComo adoraremos final
Como adoraremos final
 
Deus amordaçado
Deus amordaçadoDeus amordaçado
Deus amordaçado
 
De volta às raízes do adventismo
De volta às raízes do adventismoDe volta às raízes do adventismo
De volta às raízes do adventismo
 
Sempre preparado
Sempre preparado Sempre preparado
Sempre preparado
 
Vida e morte
Vida e morteVida e morte
Vida e morte
 
Gratos por que
Gratos por queGratos por que
Gratos por que
 
Por que os adventistas estão insatisfeitos
Por que os adventistas estão insatisfeitosPor que os adventistas estão insatisfeitos
Por que os adventistas estão insatisfeitos
 

Último

MAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdf
MAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdfMAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdf
MAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdf
GracinhaSantos6
 
said edward w - orientalismo. livro de história pdf
said edward w - orientalismo. livro de história pdfsaid edward w - orientalismo. livro de história pdf
said edward w - orientalismo. livro de história pdf
ThiagoRORISDASILVA1
 
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de GeografiaAula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
WELTONROBERTOFREITAS
 
Primeira fase do modernismo Mapa Mental.pdf
Primeira fase do modernismo Mapa Mental.pdfPrimeira fase do modernismo Mapa Mental.pdf
Primeira fase do modernismo Mapa Mental.pdf
Maurício Bratz
 
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdfAula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
AntonioAngeloNeves
 
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptxO século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
geiseortiz1
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Zenir Carmen Bez Trombeta
 
CD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdf
CD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdfCD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdf
CD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdf
Manuais Formação
 
A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....
A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....
A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....
MarcoAurlioResende
 
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidadeAula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
AlessandraRibas7
 
Loteria - Adição, subtração, multiplicação e divisão.
Loteria - Adição,  subtração,  multiplicação e divisão.Loteria - Adição,  subtração,  multiplicação e divisão.
Loteria - Adição, subtração, multiplicação e divisão.
Mary Alvarenga
 
Atividade Bio evolução e especiação .docx
Atividade Bio evolução e especiação .docxAtividade Bio evolução e especiação .docx
Atividade Bio evolução e especiação .docx
MARCELARUBIAGAVA
 
formação - 2º ano São José da Tapera ...
formação - 2º ano São José da Tapera ...formação - 2º ano São José da Tapera ...
formação - 2º ano São José da Tapera ...
JakiraCosta
 
CLASSIFICAÇÃO DAS ORAÇÕES SUBORDINADAS SUBSTANTIVAS 9º ANO.pptx
CLASSIFICAÇÃO DAS ORAÇÕES SUBORDINADAS SUBSTANTIVAS 9º ANO.pptxCLASSIFICAÇÃO DAS ORAÇÕES SUBORDINADAS SUBSTANTIVAS 9º ANO.pptx
CLASSIFICAÇÃO DAS ORAÇÕES SUBORDINADAS SUBSTANTIVAS 9º ANO.pptx
Deiciane Chaves
 
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
AdrianoMontagna1
 
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicosDNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
jonny615148
 
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptxRoteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
pamellaaraujo10
 
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptxPsicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
TiagoLouro8
 
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇOPALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
ARIADNEMARTINSDACRUZ
 

Último (20)

MAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdf
MAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdfMAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdf
MAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdf
 
said edward w - orientalismo. livro de história pdf
said edward w - orientalismo. livro de história pdfsaid edward w - orientalismo. livro de história pdf
said edward w - orientalismo. livro de história pdf
 
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de GeografiaAula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
 
Primeira fase do modernismo Mapa Mental.pdf
Primeira fase do modernismo Mapa Mental.pdfPrimeira fase do modernismo Mapa Mental.pdf
Primeira fase do modernismo Mapa Mental.pdf
 
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdfAula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
 
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
 
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptxO século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
 
CD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdf
CD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdfCD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdf
CD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdf
 
A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....
A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....
A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....
 
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidadeAula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
 
Loteria - Adição, subtração, multiplicação e divisão.
Loteria - Adição,  subtração,  multiplicação e divisão.Loteria - Adição,  subtração,  multiplicação e divisão.
Loteria - Adição, subtração, multiplicação e divisão.
 
Atividade Bio evolução e especiação .docx
Atividade Bio evolução e especiação .docxAtividade Bio evolução e especiação .docx
Atividade Bio evolução e especiação .docx
 
formação - 2º ano São José da Tapera ...
formação - 2º ano São José da Tapera ...formação - 2º ano São José da Tapera ...
formação - 2º ano São José da Tapera ...
 
CLASSIFICAÇÃO DAS ORAÇÕES SUBORDINADAS SUBSTANTIVAS 9º ANO.pptx
CLASSIFICAÇÃO DAS ORAÇÕES SUBORDINADAS SUBSTANTIVAS 9º ANO.pptxCLASSIFICAÇÃO DAS ORAÇÕES SUBORDINADAS SUBSTANTIVAS 9º ANO.pptx
CLASSIFICAÇÃO DAS ORAÇÕES SUBORDINADAS SUBSTANTIVAS 9º ANO.pptx
 
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
 
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicosDNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
 
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptxRoteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
 
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptxPsicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
 
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇOPALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
 

ALFABETIZAÇÃO

  • 1.  
  • 2. Como você foi alfabetizado ?
  • 3. O neuropediatra Harry Chugani, professor da Universidade de Wayne nos EUA, revela “as primeiras experiências da vida são tão importantes que podem mudar por completo a maneira como as pessoas se desenvolvem”.
  • 4. Ao falarmos de alfabetização, muitas reflexões são necessárias. A forma como pensamos na leitura e escrita fará muita diferença no desenvolvimento da criança.
  • 5. Segundo Magda Soares, para que a criança assuma uma postura de leitor-escritor é necessário saber codificar e decodificar o sistema alfabético de uma língua, bem como reconhecê-lo, interpretá-lo e aplicá-lo nos mais variados contextos e práticas sociais.
  • 6. Portanto, letramento e alfabetização são processos concomitantes e necessários a todos quantos estiverem em processo de desenvolvimento da leitura e escrita.
  • 8.  
  • 10. A criança já começa a ser alfabetizada no lar, ao ter contato com livros, histórias, etc. Assim, ela passa a perceber a linguagem escrita.
  • 11. CONVIDO VOCÊ A ENTRAR NO MUNDO DA CRIANÇA...
  • 12. 青蛙不洗他的腳, 不是因為它不會洗。 他住在那池塘。 不要洗洗腳,因為他們不想要的。 但是,臭腳!
  • 13. The frog does not wash his foot, Not because it will not wash. He lives there in the pond. Do not wash your feet because they do not want. But that stinky feet!
  • 14. A criança passa por um processo semelhante ao que você sentiu agora. Veja a tradução:
  • 15. O sapo não lava o pé, Não lava porque não quer. Ele mora lá na lagoa. Não lava o pé porque não quer. Mas, que chulé!
  • 17. Existem vários métodos, porém duas correntes principais : aquela que trabalha a escrita de forma global, proporcionando o trabalho a partir da relação imagem gráfica – imagem fônica e sentidos. Por exemplo: o trabalho com o texto da música que acabamos de apresentar.
  • 18. E por outro lado, o método mais tradicional, o sintético, que consiste em sintetizar sequências a partir do conhecimento das letras e sílabas (ba,be,bi,bo,bu)
  • 19.  
  • 20. As cartilhas trabalham com uma concepção de língua escrita como transcrição da fala: elas supõem a escrita como espelho da língua que se fala. Seus “textos” são construídos com a função de tornar clara (segundo elas) essa relação de transcrição.
  • 21. Texto extraído da cartilha coração infantil: cartilha de alfabetização rápida O boi bebe. O boi baba. O boi bebe e baba O boi bebeu e babou
  • 22. DINÂMICA: MONTANDO UM QUEBRA-CABEÇA
  • 23. Não se chega a compor um todo, a menos que se tenha o conjunto. Embora se possa dizer que é um pouco mais difícil e demorado montar o quebra-cabeça inteiro do que parte dele, é mais significativo montá-lo todo, e é possível que isso aconteça, principalmente quando uns podem contar com a ajuda dos outros.
  • 24. O EDUCADOR DEVE INICIAR O PROCESSO DE ALFABETIZAÇÃO LEVANDO EM CONSIDERAÇÃO AS FASES PELAS QUAIS A CRIANÇA PASSA AO ELABORAR AS PRÓPRIAS HIPÓTESES SOBRE A ESCRITA.
  • 25. DURANTE TODA A VIDA PASSAMOS POR VÁRIAS ETAPAS...
  • 26. HIPÓTESES DE ESCRITA, CONFORME EMILIA FERREIRO
  • 28. De início, a criança não faz uma diferenciação clara entre o sistema de representação do desenho (pictográfico) e o da escrita (alfabético)
  • 29.
  • 30.
  • 31.  
  • 33. O que caracteriza a hipótese silábica é a crença de que cada letra representa uma sílaba – a menor unidade de emissão sonora. Veja, a seguir, amostras de escrita silábica.
  • 35. COM VALOR SONORO FORMIGA - OIA FORMIGA - FMG FORMIGA - OMA
  • 37.
  • 38.
  • 40.
  • 41. Na verdade, só se pode considerar realmente que uma criança lê quando existe a compreensão. Quando a criança decodifica e não compreende, não se pode afirmar que ela esteja lendo.
  • 42.
  • 43. Áreas cerebrais e maturação na aprendizagem
  • 44. Segundo Romanelli (2003), a noção de maturação nervosa é uma das mais fundamentais para se explicar o processo de aprendizagem. Os psicólogos acreditam que os comportamentos não podem ser externados até que seu mecanismo neural tenha se desenvolvido.
  • 45.  
  • 46. Quando o corpo celular envia uma mensagem, cabe ao axônio conduzi-la até o dendrito do próximo neurônio para fazer a sinapse. Para que o axônio consiga transmitir a mensagem ele precisa estar maduro. Torna-se maduro quando é envolvida por uma camada de gordura e proteína denominada mielina.
  • 47. O processo de mielinização acontece no tempo, de modo que diferentes neurônios se mielinizam em épocas distintas do desenvolvimento do organismo. Esse fato fornece embasamento para a compreensão das teorias que descrevem as fases evolutivas da criança, como os estágios de Jean Piaget – apresentados anteriormente.
  • 48. A Neurofisiologia afirma que o desenvolvimento e a evolução das funções específicas (linguagem oral, percepção auditiva e visual, esquema corporal, orientação espacial e temporal, lateralidade, análise-síntese, coordenação motora e a memória sinestésica )...
  • 49. ...são extremamente necessárias à preparação para a alfabetização, por serem elas as menos conhecidas e as quais mais frequentemente se relacionam posteriormente com sérios problemas, como dislexia, disgrafias e disortografias.
  • 50. Para iniciar a aprendizagem da leitura e da escrita, a criança precisa ter alcançado um certo nível de desenvolvimento global, ou seja, físico, intelectual, afetivo, social e das funções específicas.
  • 51. “ Ensinar crianças com menos de 5 anos a ler e escrever, sem que elas manifestem algum interesse particular pelas letras, pode até atrapalhar, pois os circuitos que regem a percepção de lateralidade e direcionalidade ainda não estão prontos”. Arquivo - Revista Veja - 1996
  • 52. “ Mais tarde, a criança pode sofrer do distúrbio da escrita”, afirma o psiquiatra Francisco Assumpção Júnior, do Hospital das Clínicas de São Paulo.
  • 53. UM POUQUINHO DE LEI...
  • 54. LDB 9394/96 A educação infantil, primeira etapa da educação básica, tem como finalidade o desenvolvimento integral da criança até seis anos de idade, em seus aspectos físico, psicológico, intelectual e social, complementando a ação da família e da comunidade.
  • 55. Art. 30. A educação infantil será oferecida em: I - creches, ou entidades equivalentes, para crianças de até três anos de idade; II - pré-escolas, para as crianças de quatro a seis anos de idade.
  • 56. Art. 31. Na educação infantil a avaliação far-se-á mediante acompanhamento e registro do seu desenvolvimento, sem o objetivo de promoção, mesmo para o acesso ao ensino fundamental.
  • 57. 1º ano Art. 32. O ensino fundamental obrigatório, com duração de 9 (nove) anos, gratuito na escola pública, iniciando-se aos 6 (seis) anos de idade, terá por objetivo a formação básica do cidadão, mediante:
  • 58. I - o desenvolvimento da capacidade de aprender, tendo como meios básicos o pleno domínio da leitura, da escrita e do cálculo; II, III, IV...
  • 59. POR FIM... QUANDO ESTIMULAMOS A CRIANÇA, MAS RESPEITAMOS SUAS ETAPAS DE DESENVOLVIMENTO, TEREMOS UMA CRIANÇA MAIS FELIZ , COM VONTADE DE APRENDER E LETRADA.