SlideShare uma empresa Scribd logo
PEDOLOGIA
Prof. Carolina Corrêa
OBJETIVOS
Compreender os diferentes agentes
de transporte e constituintes do solo;
Interpretar o solo como um sistema
trifásico;
Textura e estrutura dos solos;
Resistência dos minerais.
Agentes de Transporte
O transporte consiste na
“viagem” das partículas
e íons retirados das
rochas até o seu sítio de
deposição.
Cada agente de transporte seleciona
os grãos que transporta com maior ou
menor facilidade, além disto, durante o
transporte, as partículas de solo se
desgastam e/ou quebram. Resulta dai um
tipo diferente de solo para cada tipo de
transporte. Esta influência é tão marcante
que a denominação dos solos sedimentares
é feita em função do agente de transporte
predominante.
Ou seja:
Ventos (Solos Eólicos);
Águas (Solos Aluvionares);
 Água dos Oceanos e Mares (Solos Marinhos)
 Água dos Rios (Solos Fluviais)
 Água de Chuvas (Solos Pluviais)
Geleiras (Solos Glaciais);
Gravidade (Solos Coluvionares).
A erosão e transporte pelo vento se
dá predominantemente em terras
áridas e sem vegetação;
Quando comparada com a ação
fluvial e a glacial, o transporte dos
ventos é relativamente menos
importante;
Solos Eólicos
Devido ao atrito constante entre as
partículas, os grãos de solo transportados
pelo vento geralmente possuem forma
arredondada.
Os grãos mais finos do deserto do
Saara atingem em grande escala a
Inglaterra, percorrendo uma distância de
mais de 3000km!
A ação do transporte do vento se
restringe ao caso das areias finas ou silte.
Os solos eólicos possuem grãos de
aproximadamente mesmo diâmetro,
apresentando uma curva granulométrica
denominada de uniforme. São exemplos de
solos eólicos:
As dunas;
Solo loess.
As dunas
formadas por uma
deposição contínua,
apresentam-se como
grandes elevações
de areia, podendo
ser fixas ou móveis.
agentes de transporte
Loess: sedimentos muito finos, quase
sempre amarelados, e muito férteis,
constituídos por quartzo, argila e calcário.
Sua área de
ocorrência mais
conhecida é a
China Meridional.
Você acabou de dirigir uma carreta
durante uma tempestade de areia e
descobriu que a pintura ficou
descascada nas partes inferiores do
veículo, mas, nas partes superiores,
ficou apenas riscada. Explique.
Salar de Uyuni, Bolivia
São solos resultantes do transporte
pela água e sua textura depende da
velocidade da água no momento da
deposição, sendo freqüente a ocorrência
de camadas de granulométricas
distintas, devidas às diversas épocas de
deposição.
Solos Aluvionares
Ocorre principalmente devido à ação das
ondas;
Quanto maior a altura das ondas, maior
a sua energia e maior o seu poder de
erodir e transportar;
O processo é agravado quando existem
construções próximas à praia, como
hotéis, restaurantes, portos, marinas,etc.
Solos Marinhos
agentes de transporte
agentes de transporte
Como as ondas oceânicas são
formadas?
A energia
potencial dos rios
pode ser usada
para erodir as
rochas e as
transportar;
Solos Fluviais
Um rio transporta a sua carga de
sedimentos de três formas:
–Sedimentos grossos: carga de
fundo
transporte por saltação e arraste
–Sedimentos finos: carga de
suspensão
transporte por suspensão
–Sedimentos dissolvidos pela
decomposição química: carga
dissolvida
transporte em suspensão
Quanto mais rápida a corrente, maiores
serão as partículas transportadas como
carga em suspensão ou de fundo;
A aptidão que um fluxo tem de transportar
material de um determinado tamanho é a
competência do rio;
A carga sedimentar total que o fluxo
transporta é a capacidade do rio.
Nos primeiros anos após a
construção de uma barragem, o rio
erodiu fortemente seu canal a jusante
da mesma. Poderia esta erosão ter
sido prevista?
Farol do Cabeço na foz do Rio São Francisco, Município de Brejo Grande/SE.
Foto: Thiago Paulino Site: flickr.com/photos/t_paulino
Ela pode se infiltrar no solo ou
escoar sobre este podendo levar
consigo a parte superficial do solo.
A vegetação
rasteira funciona
como um fixador
do solo.
Solos Pluviais
De um modo geral, pode-se dizer que
os solos aluvionares apresentam um grau de
uniformidade de tamanho de grãos
intermediário entre os solos eólicos (mais
uniformes) e coluvionares (menos
uniformes).
As geleiras são capazes de intensa
erosão e transporte;
Elas conseguem carregar imensos
blocos que nenhum outro agente
erosivo conseguiria;
Atualmente as geleiras tem
limitada importância como agente de
transporte.
Solos Glaciais
agentes de transporte
As geleiras erodem e transportam
através de duas formas principais:
Remoção:
Quando uma geleira se
movimenta sobre uma superfície
rochosa, blocos de rocha são
incorporados no interior do gelo.
Abrasão:
Desgaste da rocha sobre a qual a
geleira se desloca devido á ação do
gelo e dos fragmentos rochosos
transportados na base do gelo que
funcionam como uma lixa.
Uma ampla
gama de tamanho de
partículas é
transportada, levando
assim a formação de
solos bastante
heterogêneos que
possuem desde
grandes blocos de
rocha ate materiais
de granulometria fina.
Curiosidade:
Estrias glaciais são geradas no leito
rochoso quando o gelo no fundo da
geleira contém fragmentos
protuberantes
de rocha.
Indicam a
direção
de fluxo da
geleira.
agentes de transporte
Vales glaciais:
São as maiores formas erosivas
da ação glacial.
As geleiras se movem inicialmente
dentro de um vale esculpido por
um rio.
Os vales em V são transformados
em vales em U.
agentes de transporte
Estes canais só
são visíveis junto
às margens das
geleiras, onde
desembocam e
descarregam um
grande volume de
água e
sedimentos.
transporte pela água de degelo
São solos formados pela ação da
gravidade. Os solos coluvionares são,
dentre os solos transportados, os mais
heterogêneos granulometricamente.
Encontramos solos coluvionares
(talus) na Cidade Baixa, em Salvador, ao
pé da encosta paralela a falha geológica
que atravessa a Baia de Todos os
Santos.
Solos Coluvionares
Chapada Diamantina, Bahia.
agentes de transporte
 GUERRA, A. J. T. & CUNHA, S. B. da (org.).
Geomorfologia: exercícios, técnicas e aplicações.
Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1996, 334p.
 GUERRA, A. J. T.; CUNHA, S. B. Geomorfologia: uma
atualização de bases e conceitos. Rio de Janeiro:
Bertrand Brasil, 2. ed., 1995. 472 p.
 PINTO C. S. Curso Básico de Mecânica dos Solos.
Editora Oficina de textos, 2005.
 TEIXEIRA, W.; TAIOLI, F. & FAIRCHILD T. Decifrando a
Terra. Ed. Oficina de Textos
Bibliografia

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

X - ROCHAS SEDIMENTARES
X - ROCHAS SEDIMENTARESX - ROCHAS SEDIMENTARES
X - ROCHAS SEDIMENTARES
Sandra Nascimento
 
Métodos para o estudo do interior da geosfera
Métodos para o estudo do interior da geosferaMétodos para o estudo do interior da geosfera
Métodos para o estudo do interior da geosfera
Isabel Lopes
 
Geologia 10 vulcanismo
Geologia 10   vulcanismoGeologia 10   vulcanismo
Geologia 10 vulcanismo
Nuno Correia
 
3 a formaçãorochassedimentares
3 a  formaçãorochassedimentares3 a  formaçãorochassedimentares
3 a formaçãorochassedimentares
margaridabt
 
Resumos Biologia & Geologia (GEOLOGIA) 11º Ano
Resumos Biologia & Geologia (GEOLOGIA) 11º AnoResumos Biologia & Geologia (GEOLOGIA) 11º Ano
Resumos Biologia & Geologia (GEOLOGIA) 11º Ano
Vitor Perfeito
 
IX - ROCHAS MAGMÁTICAS
IX - ROCHAS MAGMÁTICASIX - ROCHAS MAGMÁTICAS
IX - ROCHAS MAGMÁTICAS
Sandra Nascimento
 
(1) biologia e geologia 10º ano - geologia - a geologia, os geologos e os s...
(1) biologia e geologia   10º ano - geologia - a geologia, os geologos e os s...(1) biologia e geologia   10º ano - geologia - a geologia, os geologos e os s...
(1) biologia e geologia 10º ano - geologia - a geologia, os geologos e os s...
Hugo Martins
 
8 vulcanologia
8   vulcanologia8   vulcanologia
8 vulcanologia
margaridabt
 
3 tectónica de placas
3   tectónica de placas3   tectónica de placas
3 tectónica de placas
margaridabt
 
Atividade vulcanica
Atividade vulcanicaAtividade vulcanica
Resumos Biologia Geologia (GEOLOGIA) 10º Ano
Resumos Biologia Geologia (GEOLOGIA) 10º AnoResumos Biologia Geologia (GEOLOGIA) 10º Ano
Resumos Biologia Geologia (GEOLOGIA) 10º Ano
Vitor Perfeito
 
resumo de geologia 10 ano
resumo de geologia 10 anoresumo de geologia 10 ano
resumo de geologia 10 ano
Diogo Batista
 
Impactos sobre os aquiferos
Impactos sobre os aquiferosImpactos sobre os aquiferos
Impactos sobre os aquiferos
marciotecsoma
 
Rochas sedimentares
Rochas sedimentaresRochas sedimentares
Rochas sedimentares
Catir
 
6 métodos estudo interior da terra
6   métodos estudo interior da terra6   métodos estudo interior da terra
6 métodos estudo interior da terra
margaridabt
 
Sismologia
SismologiaSismologia
Sismologia
José Luís Alves
 
Datação Das Rochas
 Datação Das Rochas Datação Das Rochas
Datação Das Rochas
tmar
 
Geologia 11 rochas sedimentares - detríticas
Geologia 11   rochas sedimentares  - detríticasGeologia 11   rochas sedimentares  - detríticas
Geologia 11 rochas sedimentares - detríticas
Nuno Correia
 
MéTodos De Estudo Para O Interior Da Geosfera
MéTodos De Estudo Para O Interior Da GeosferaMéTodos De Estudo Para O Interior Da Geosfera
MéTodos De Estudo Para O Interior Da Geosfera
Tânia Reis
 
Rochas sedimentares classificação quimiogénicas
Rochas sedimentares  classificação quimiogénicasRochas sedimentares  classificação quimiogénicas
Rochas sedimentares classificação quimiogénicas
Isabel Lopes
 

Mais procurados (20)

X - ROCHAS SEDIMENTARES
X - ROCHAS SEDIMENTARESX - ROCHAS SEDIMENTARES
X - ROCHAS SEDIMENTARES
 
Métodos para o estudo do interior da geosfera
Métodos para o estudo do interior da geosferaMétodos para o estudo do interior da geosfera
Métodos para o estudo do interior da geosfera
 
Geologia 10 vulcanismo
Geologia 10   vulcanismoGeologia 10   vulcanismo
Geologia 10 vulcanismo
 
3 a formaçãorochassedimentares
3 a  formaçãorochassedimentares3 a  formaçãorochassedimentares
3 a formaçãorochassedimentares
 
Resumos Biologia & Geologia (GEOLOGIA) 11º Ano
Resumos Biologia & Geologia (GEOLOGIA) 11º AnoResumos Biologia & Geologia (GEOLOGIA) 11º Ano
Resumos Biologia & Geologia (GEOLOGIA) 11º Ano
 
IX - ROCHAS MAGMÁTICAS
IX - ROCHAS MAGMÁTICASIX - ROCHAS MAGMÁTICAS
IX - ROCHAS MAGMÁTICAS
 
(1) biologia e geologia 10º ano - geologia - a geologia, os geologos e os s...
(1) biologia e geologia   10º ano - geologia - a geologia, os geologos e os s...(1) biologia e geologia   10º ano - geologia - a geologia, os geologos e os s...
(1) biologia e geologia 10º ano - geologia - a geologia, os geologos e os s...
 
8 vulcanologia
8   vulcanologia8   vulcanologia
8 vulcanologia
 
3 tectónica de placas
3   tectónica de placas3   tectónica de placas
3 tectónica de placas
 
Atividade vulcanica
Atividade vulcanicaAtividade vulcanica
Atividade vulcanica
 
Resumos Biologia Geologia (GEOLOGIA) 10º Ano
Resumos Biologia Geologia (GEOLOGIA) 10º AnoResumos Biologia Geologia (GEOLOGIA) 10º Ano
Resumos Biologia Geologia (GEOLOGIA) 10º Ano
 
resumo de geologia 10 ano
resumo de geologia 10 anoresumo de geologia 10 ano
resumo de geologia 10 ano
 
Impactos sobre os aquiferos
Impactos sobre os aquiferosImpactos sobre os aquiferos
Impactos sobre os aquiferos
 
Rochas sedimentares
Rochas sedimentaresRochas sedimentares
Rochas sedimentares
 
6 métodos estudo interior da terra
6   métodos estudo interior da terra6   métodos estudo interior da terra
6 métodos estudo interior da terra
 
Sismologia
SismologiaSismologia
Sismologia
 
Datação Das Rochas
 Datação Das Rochas Datação Das Rochas
Datação Das Rochas
 
Geologia 11 rochas sedimentares - detríticas
Geologia 11   rochas sedimentares  - detríticasGeologia 11   rochas sedimentares  - detríticas
Geologia 11 rochas sedimentares - detríticas
 
MéTodos De Estudo Para O Interior Da Geosfera
MéTodos De Estudo Para O Interior Da GeosferaMéTodos De Estudo Para O Interior Da Geosfera
MéTodos De Estudo Para O Interior Da Geosfera
 
Rochas sedimentares classificação quimiogénicas
Rochas sedimentares  classificação quimiogénicasRochas sedimentares  classificação quimiogénicas
Rochas sedimentares classificação quimiogénicas
 

Destaque

Aula origem dos solos
Aula  origem dos solosAula  origem dos solos
Aula origem dos solos
Carolina Corrêa
 
Aula propriedades morfológicas
Aula  propriedades morfológicasAula  propriedades morfológicas
Aula propriedades morfológicas
Carolina Corrêa
 
Aula classificação
Aula classificaçãoAula classificação
Aula classificação
Carolina Corrêa
 
Aula revisão intemperismo
Aula  revisão intemperismoAula  revisão intemperismo
Aula revisão intemperismo
Carolina Corrêa
 
análise granulométrica
análise granulométricaanálise granulométrica
análise granulométrica
Carolina Corrêa
 
Aula histórico
Aula históricoAula histórico
Aula histórico
Carolina Corrêa
 
Aula preocessos superficiais, conservação e uso de geossintéticos
Aula preocessos superficiais, conservação e uso de geossintéticosAula preocessos superficiais, conservação e uso de geossintéticos
Aula preocessos superficiais, conservação e uso de geossintéticos
Carolina Corrêa
 
Agua nos solos
Agua nos solosAgua nos solos
Agua nos solos
Carolina Corrêa
 
Aula minerais
Aula mineraisAula minerais
Aula minerais
Carolina Corrêa
 
Aula 1
Aula 1Aula 1
Aula 3 vulcanismo
Aula 3 vulcanismoAula 3 vulcanismo
Aula 3 vulcanismo
Carolina Corrêa
 
Aula rochas sedimentares
Aula rochas sedimentaresAula rochas sedimentares
Aula rochas sedimentares
Carolina Corrêa
 
Aula 2
Aula 2Aula 2
Aula metamorfismo
Aula metamorfismoAula metamorfismo
Aula metamorfismo
Carolina Corrêa
 
Falhas e dobras
Falhas e dobrasFalhas e dobras
Falhas e dobras
Carolina Corrêa
 
Geologia médica
Geologia médicaGeologia médica
Geologia médica
Carolina Corrêa
 
Aula rochas magmáticas
Aula rochas magmáticasAula rochas magmáticas
Aula rochas magmáticas
Carolina Corrêa
 
fatores e elementos climáticos
 fatores e elementos climáticos fatores e elementos climáticos
fatores e elementos climáticos
Carolina Corrêa
 
4 ciclo hidrológico
4 ciclo hidrológico4 ciclo hidrológico
4 ciclo hidrológico
Carolina Corrêa
 
Revisão
RevisãoRevisão

Destaque (20)

Aula origem dos solos
Aula  origem dos solosAula  origem dos solos
Aula origem dos solos
 
Aula propriedades morfológicas
Aula  propriedades morfológicasAula  propriedades morfológicas
Aula propriedades morfológicas
 
Aula classificação
Aula classificaçãoAula classificação
Aula classificação
 
Aula revisão intemperismo
Aula  revisão intemperismoAula  revisão intemperismo
Aula revisão intemperismo
 
análise granulométrica
análise granulométricaanálise granulométrica
análise granulométrica
 
Aula histórico
Aula históricoAula histórico
Aula histórico
 
Aula preocessos superficiais, conservação e uso de geossintéticos
Aula preocessos superficiais, conservação e uso de geossintéticosAula preocessos superficiais, conservação e uso de geossintéticos
Aula preocessos superficiais, conservação e uso de geossintéticos
 
Agua nos solos
Agua nos solosAgua nos solos
Agua nos solos
 
Aula minerais
Aula mineraisAula minerais
Aula minerais
 
Aula 1
Aula 1Aula 1
Aula 1
 
Aula 3 vulcanismo
Aula 3 vulcanismoAula 3 vulcanismo
Aula 3 vulcanismo
 
Aula rochas sedimentares
Aula rochas sedimentaresAula rochas sedimentares
Aula rochas sedimentares
 
Aula 2
Aula 2Aula 2
Aula 2
 
Aula metamorfismo
Aula metamorfismoAula metamorfismo
Aula metamorfismo
 
Falhas e dobras
Falhas e dobrasFalhas e dobras
Falhas e dobras
 
Geologia médica
Geologia médicaGeologia médica
Geologia médica
 
Aula rochas magmáticas
Aula rochas magmáticasAula rochas magmáticas
Aula rochas magmáticas
 
fatores e elementos climáticos
 fatores e elementos climáticos fatores e elementos climáticos
fatores e elementos climáticos
 
4 ciclo hidrológico
4 ciclo hidrológico4 ciclo hidrológico
4 ciclo hidrológico
 
Revisão
RevisãoRevisão
Revisão
 

Semelhante a agentes de transporte

Geomorfologia
GeomorfologiaGeomorfologia
Geomorfologia
profleofonseca
 
Estrutura, forma e classificação do relevo
Estrutura, forma e classificação do relevoEstrutura, forma e classificação do relevo
Estrutura, forma e classificação do relevo
Ione Rocha
 
Relevo e seus agentes
Relevo e seus agentesRelevo e seus agentes
Relevo e seus agentes
Everton Pessoa
 
2º estudo de geografia (processos exógenos) 6º ano – 3º trimestre - Outubro...
2º estudo de geografia (processos exógenos)   6º ano – 3º trimestre - Outubro...2º estudo de geografia (processos exógenos)   6º ano – 3º trimestre - Outubro...
2º estudo de geografia (processos exógenos) 6º ano – 3º trimestre - Outubro...
Luiza Collet
 
FormacaoSolos.pdf
FormacaoSolos.pdfFormacaoSolos.pdf
FormacaoSolos.pdf
GeovanaThiara2
 
Geografia 1 ano
Geografia 1 anoGeografia 1 ano
Geografia 1 ano
Junior Oliveira
 
Rochas sedimentares
Rochas sedimentaresRochas sedimentares
Rochas sedimentares
N C
 
EROSÃO.ppt
EROSÃO.pptEROSÃO.ppt
EROSÃO.ppt
NicolasTotti
 
Solos aula 1
Solos   aula 1Solos   aula 1
Solos aula 1
Maria Lucia Rosa
 
Cap9,10,11
Cap9,10,11Cap9,10,11
Cap9,10,11
Christie Freitas
 
Capítulo 11_Movimento de Massa.ppt
Capítulo 11_Movimento de Massa.pptCapítulo 11_Movimento de Massa.ppt
Capítulo 11_Movimento de Massa.ppt
SimoneSantos342247
 
conteudos a serem trabalhados 1º ano 2ª etapa.ppt
conteudos a serem trabalhados 1º ano 2ª etapa.pptconteudos a serem trabalhados 1º ano 2ª etapa.ppt
conteudos a serem trabalhados 1º ano 2ª etapa.ppt
LucianoPrado15
 
Ficha informativa cn-7º-ano-dinamica-externa-da-terra-paisagens-geologicas
Ficha informativa   cn-7º-ano-dinamica-externa-da-terra-paisagens-geologicasFicha informativa   cn-7º-ano-dinamica-externa-da-terra-paisagens-geologicas
Ficha informativa cn-7º-ano-dinamica-externa-da-terra-paisagens-geologicas
Pelo Siro
 
Geomorfologia litorânea
Geomorfologia litorâneaGeomorfologia litorânea
Geomorfologia litorânea
Henrique Soares
 
Processose produtosdasedimentacao
Processose produtosdasedimentacaoProcessose produtosdasedimentacao
Processose produtosdasedimentacao
Petroleoecologia
 
7º 1.3.
7º 1.3.7º 1.3.
7º 1.3.
Nuno Coelho
 
Paisagens geológicas e os agentes que as modelam
Paisagens geológicas e os agentes que as modelamPaisagens geológicas e os agentes que as modelam
Paisagens geológicas e os agentes que as modelam
Tânia Reis
 
Agentes erosivos 7ºano 3ºciclo
Agentes erosivos 7ºano 3ºcicloAgentes erosivos 7ºano 3ºciclo
Agentes erosivos 7ºano 3ºciclo
Beatriz 2222
 
Erosão+e+..
Erosão+e+..Erosão+e+..
Erosão+e+..
Klaudyo Danth's
 
Rochas
RochasRochas
Rochas
ISPGAYA
 

Semelhante a agentes de transporte (20)

Geomorfologia
GeomorfologiaGeomorfologia
Geomorfologia
 
Estrutura, forma e classificação do relevo
Estrutura, forma e classificação do relevoEstrutura, forma e classificação do relevo
Estrutura, forma e classificação do relevo
 
Relevo e seus agentes
Relevo e seus agentesRelevo e seus agentes
Relevo e seus agentes
 
2º estudo de geografia (processos exógenos) 6º ano – 3º trimestre - Outubro...
2º estudo de geografia (processos exógenos)   6º ano – 3º trimestre - Outubro...2º estudo de geografia (processos exógenos)   6º ano – 3º trimestre - Outubro...
2º estudo de geografia (processos exógenos) 6º ano – 3º trimestre - Outubro...
 
FormacaoSolos.pdf
FormacaoSolos.pdfFormacaoSolos.pdf
FormacaoSolos.pdf
 
Geografia 1 ano
Geografia 1 anoGeografia 1 ano
Geografia 1 ano
 
Rochas sedimentares
Rochas sedimentaresRochas sedimentares
Rochas sedimentares
 
EROSÃO.ppt
EROSÃO.pptEROSÃO.ppt
EROSÃO.ppt
 
Solos aula 1
Solos   aula 1Solos   aula 1
Solos aula 1
 
Cap9,10,11
Cap9,10,11Cap9,10,11
Cap9,10,11
 
Capítulo 11_Movimento de Massa.ppt
Capítulo 11_Movimento de Massa.pptCapítulo 11_Movimento de Massa.ppt
Capítulo 11_Movimento de Massa.ppt
 
conteudos a serem trabalhados 1º ano 2ª etapa.ppt
conteudos a serem trabalhados 1º ano 2ª etapa.pptconteudos a serem trabalhados 1º ano 2ª etapa.ppt
conteudos a serem trabalhados 1º ano 2ª etapa.ppt
 
Ficha informativa cn-7º-ano-dinamica-externa-da-terra-paisagens-geologicas
Ficha informativa   cn-7º-ano-dinamica-externa-da-terra-paisagens-geologicasFicha informativa   cn-7º-ano-dinamica-externa-da-terra-paisagens-geologicas
Ficha informativa cn-7º-ano-dinamica-externa-da-terra-paisagens-geologicas
 
Geomorfologia litorânea
Geomorfologia litorâneaGeomorfologia litorânea
Geomorfologia litorânea
 
Processose produtosdasedimentacao
Processose produtosdasedimentacaoProcessose produtosdasedimentacao
Processose produtosdasedimentacao
 
7º 1.3.
7º 1.3.7º 1.3.
7º 1.3.
 
Paisagens geológicas e os agentes que as modelam
Paisagens geológicas e os agentes que as modelamPaisagens geológicas e os agentes que as modelam
Paisagens geológicas e os agentes que as modelam
 
Agentes erosivos 7ºano 3ºciclo
Agentes erosivos 7ºano 3ºcicloAgentes erosivos 7ºano 3ºciclo
Agentes erosivos 7ºano 3ºciclo
 
Erosão+e+..
Erosão+e+..Erosão+e+..
Erosão+e+..
 
Rochas
RochasRochas
Rochas
 

Mais de Carolina Corrêa

Os ventos e a circulação geral da atmosfera
Os ventos e a circulação geral da atmosferaOs ventos e a circulação geral da atmosfera
Os ventos e a circulação geral da atmosfera
Carolina Corrêa
 
Relevo e movimentos de massa geisa e jeferson
Relevo e movimentos de massa geisa e jefersonRelevo e movimentos de massa geisa e jeferson
Relevo e movimentos de massa geisa e jeferson
Carolina Corrêa
 
Estruturas geologicas mundo_e_brasil geisa e jeferson
Estruturas geologicas mundo_e_brasil geisa e jefersonEstruturas geologicas mundo_e_brasil geisa e jeferson
Estruturas geologicas mundo_e_brasil geisa e jeferson
Carolina Corrêa
 
Classifcação de relevo geisa_jeferson
Classifcação de relevo geisa_jefersonClassifcação de relevo geisa_jeferson
Classifcação de relevo geisa_jeferson
Carolina Corrêa
 
Urbanização brasileira
Urbanização brasileiraUrbanização brasileira
Urbanização brasileira
Carolina Corrêa
 
Urbanização
UrbanizaçãoUrbanização
Urbanização
Carolina Corrêa
 
Formação do espaço geográfico mundial
Formação do espaço geográfico mundialFormação do espaço geográfico mundial
Formação do espaço geográfico mundial
Carolina Corrêa
 
Climatologia no brasil
Climatologia no brasilClimatologia no brasil
Climatologia no brasil
Carolina Corrêa
 
3 atmosfera
3 atmosfera3 atmosfera
3 atmosfera
Carolina Corrêa
 
2 paleoclimatologia
2 paleoclimatologia2 paleoclimatologia
2 paleoclimatologia
Carolina Corrêa
 
1 noções de tempo e clima
1 noções de tempo e clima1 noções de tempo e clima
1 noções de tempo e clima
Carolina Corrêa
 

Mais de Carolina Corrêa (11)

Os ventos e a circulação geral da atmosfera
Os ventos e a circulação geral da atmosferaOs ventos e a circulação geral da atmosfera
Os ventos e a circulação geral da atmosfera
 
Relevo e movimentos de massa geisa e jeferson
Relevo e movimentos de massa geisa e jefersonRelevo e movimentos de massa geisa e jeferson
Relevo e movimentos de massa geisa e jeferson
 
Estruturas geologicas mundo_e_brasil geisa e jeferson
Estruturas geologicas mundo_e_brasil geisa e jefersonEstruturas geologicas mundo_e_brasil geisa e jeferson
Estruturas geologicas mundo_e_brasil geisa e jeferson
 
Classifcação de relevo geisa_jeferson
Classifcação de relevo geisa_jefersonClassifcação de relevo geisa_jeferson
Classifcação de relevo geisa_jeferson
 
Urbanização brasileira
Urbanização brasileiraUrbanização brasileira
Urbanização brasileira
 
Urbanização
UrbanizaçãoUrbanização
Urbanização
 
Formação do espaço geográfico mundial
Formação do espaço geográfico mundialFormação do espaço geográfico mundial
Formação do espaço geográfico mundial
 
Climatologia no brasil
Climatologia no brasilClimatologia no brasil
Climatologia no brasil
 
3 atmosfera
3 atmosfera3 atmosfera
3 atmosfera
 
2 paleoclimatologia
2 paleoclimatologia2 paleoclimatologia
2 paleoclimatologia
 
1 noções de tempo e clima
1 noções de tempo e clima1 noções de tempo e clima
1 noções de tempo e clima
 

Último

Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdfTrabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
marcos oliveira
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Centro Jacques Delors
 
Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!
Mary Alvarenga
 
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da químicaTEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
VictorEmanoel37
 
NR-12-Treinamento-Maquinas-Rotativas.ppt
NR-12-Treinamento-Maquinas-Rotativas.pptNR-12-Treinamento-Maquinas-Rotativas.ppt
NR-12-Treinamento-Maquinas-Rotativas.ppt
Vanessa F. Rezende
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mary Alvarenga
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
shirleisousa9166
 
Painel para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
Painel  para comemerorar odia dos avós grátis.pdfPainel  para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
Painel para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
marcos oliveira
 
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e CaminhosAprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Leonel Morgado
 
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdfGuia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
FLAVIOROBERTOGOUVEA
 
Seminário de Gestão Pública e Defesa Civil
Seminário de Gestão Pública e Defesa CivilSeminário de Gestão Pública e Defesa Civil
Seminário de Gestão Pública e Defesa Civil
EduardoLealSilva
 
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptxIV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
Ligia Galvão
 
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
mozalgebrista
 
Alfabetização de adultos.pdf
Alfabetização de             adultos.pdfAlfabetização de             adultos.pdf
Alfabetização de adultos.pdf
arodatos81
 
Se A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsx
Se A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsxSe A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsx
Se A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsx
Luzia Gabriele
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Colaborar Educacional
 
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdfCALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
CristviaFerreira
 

Último (20)

Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdfTrabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
 
Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!
 
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da químicaTEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
 
NR-12-Treinamento-Maquinas-Rotativas.ppt
NR-12-Treinamento-Maquinas-Rotativas.pptNR-12-Treinamento-Maquinas-Rotativas.ppt
NR-12-Treinamento-Maquinas-Rotativas.ppt
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
 
Painel para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
Painel  para comemerorar odia dos avós grátis.pdfPainel  para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
Painel para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
 
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e CaminhosAprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
 
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdfGuia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
 
Seminário de Gestão Pública e Defesa Civil
Seminário de Gestão Pública e Defesa CivilSeminário de Gestão Pública e Defesa Civil
Seminário de Gestão Pública e Defesa Civil
 
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptxIV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
 
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
 
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
 
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
 
Alfabetização de adultos.pdf
Alfabetização de             adultos.pdfAlfabetização de             adultos.pdf
Alfabetização de adultos.pdf
 
Se A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsx
Se A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsxSe A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsx
Se A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsx
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
 
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
 
CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdfCALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
 

agentes de transporte

  • 2. OBJETIVOS Compreender os diferentes agentes de transporte e constituintes do solo; Interpretar o solo como um sistema trifásico; Textura e estrutura dos solos; Resistência dos minerais. Agentes de Transporte
  • 3. O transporte consiste na “viagem” das partículas e íons retirados das rochas até o seu sítio de deposição.
  • 4. Cada agente de transporte seleciona os grãos que transporta com maior ou menor facilidade, além disto, durante o transporte, as partículas de solo se desgastam e/ou quebram. Resulta dai um tipo diferente de solo para cada tipo de transporte. Esta influência é tão marcante que a denominação dos solos sedimentares é feita em função do agente de transporte predominante.
  • 5. Ou seja: Ventos (Solos Eólicos); Águas (Solos Aluvionares);  Água dos Oceanos e Mares (Solos Marinhos)  Água dos Rios (Solos Fluviais)  Água de Chuvas (Solos Pluviais) Geleiras (Solos Glaciais); Gravidade (Solos Coluvionares).
  • 6. A erosão e transporte pelo vento se dá predominantemente em terras áridas e sem vegetação; Quando comparada com a ação fluvial e a glacial, o transporte dos ventos é relativamente menos importante; Solos Eólicos
  • 7. Devido ao atrito constante entre as partículas, os grãos de solo transportados pelo vento geralmente possuem forma arredondada. Os grãos mais finos do deserto do Saara atingem em grande escala a Inglaterra, percorrendo uma distância de mais de 3000km! A ação do transporte do vento se restringe ao caso das areias finas ou silte.
  • 8. Os solos eólicos possuem grãos de aproximadamente mesmo diâmetro, apresentando uma curva granulométrica denominada de uniforme. São exemplos de solos eólicos: As dunas; Solo loess.
  • 9. As dunas formadas por uma deposição contínua, apresentam-se como grandes elevações de areia, podendo ser fixas ou móveis.
  • 11. Loess: sedimentos muito finos, quase sempre amarelados, e muito férteis, constituídos por quartzo, argila e calcário. Sua área de ocorrência mais conhecida é a China Meridional.
  • 12. Você acabou de dirigir uma carreta durante uma tempestade de areia e descobriu que a pintura ficou descascada nas partes inferiores do veículo, mas, nas partes superiores, ficou apenas riscada. Explique.
  • 13. Salar de Uyuni, Bolivia
  • 14. São solos resultantes do transporte pela água e sua textura depende da velocidade da água no momento da deposição, sendo freqüente a ocorrência de camadas de granulométricas distintas, devidas às diversas épocas de deposição. Solos Aluvionares
  • 15. Ocorre principalmente devido à ação das ondas; Quanto maior a altura das ondas, maior a sua energia e maior o seu poder de erodir e transportar; O processo é agravado quando existem construções próximas à praia, como hotéis, restaurantes, portos, marinas,etc. Solos Marinhos
  • 18. Como as ondas oceânicas são formadas?
  • 19. A energia potencial dos rios pode ser usada para erodir as rochas e as transportar; Solos Fluviais
  • 20. Um rio transporta a sua carga de sedimentos de três formas: –Sedimentos grossos: carga de fundo transporte por saltação e arraste –Sedimentos finos: carga de suspensão transporte por suspensão
  • 21. –Sedimentos dissolvidos pela decomposição química: carga dissolvida transporte em suspensão
  • 22. Quanto mais rápida a corrente, maiores serão as partículas transportadas como carga em suspensão ou de fundo; A aptidão que um fluxo tem de transportar material de um determinado tamanho é a competência do rio; A carga sedimentar total que o fluxo transporta é a capacidade do rio.
  • 23. Nos primeiros anos após a construção de uma barragem, o rio erodiu fortemente seu canal a jusante da mesma. Poderia esta erosão ter sido prevista?
  • 24. Farol do Cabeço na foz do Rio São Francisco, Município de Brejo Grande/SE. Foto: Thiago Paulino Site: flickr.com/photos/t_paulino
  • 25. Ela pode se infiltrar no solo ou escoar sobre este podendo levar consigo a parte superficial do solo. A vegetação rasteira funciona como um fixador do solo. Solos Pluviais
  • 26. De um modo geral, pode-se dizer que os solos aluvionares apresentam um grau de uniformidade de tamanho de grãos intermediário entre os solos eólicos (mais uniformes) e coluvionares (menos uniformes).
  • 27. As geleiras são capazes de intensa erosão e transporte; Elas conseguem carregar imensos blocos que nenhum outro agente erosivo conseguiria; Atualmente as geleiras tem limitada importância como agente de transporte. Solos Glaciais
  • 29. As geleiras erodem e transportam através de duas formas principais: Remoção: Quando uma geleira se movimenta sobre uma superfície rochosa, blocos de rocha são incorporados no interior do gelo.
  • 30. Abrasão: Desgaste da rocha sobre a qual a geleira se desloca devido á ação do gelo e dos fragmentos rochosos transportados na base do gelo que funcionam como uma lixa.
  • 31. Uma ampla gama de tamanho de partículas é transportada, levando assim a formação de solos bastante heterogêneos que possuem desde grandes blocos de rocha ate materiais de granulometria fina.
  • 32. Curiosidade: Estrias glaciais são geradas no leito rochoso quando o gelo no fundo da geleira contém fragmentos protuberantes de rocha. Indicam a direção de fluxo da geleira.
  • 34. Vales glaciais: São as maiores formas erosivas da ação glacial. As geleiras se movem inicialmente dentro de um vale esculpido por um rio. Os vales em V são transformados em vales em U.
  • 36. Estes canais só são visíveis junto às margens das geleiras, onde desembocam e descarregam um grande volume de água e sedimentos. transporte pela água de degelo
  • 37. São solos formados pela ação da gravidade. Os solos coluvionares são, dentre os solos transportados, os mais heterogêneos granulometricamente. Encontramos solos coluvionares (talus) na Cidade Baixa, em Salvador, ao pé da encosta paralela a falha geológica que atravessa a Baia de Todos os Santos. Solos Coluvionares
  • 40.  GUERRA, A. J. T. & CUNHA, S. B. da (org.). Geomorfologia: exercícios, técnicas e aplicações. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1996, 334p.  GUERRA, A. J. T.; CUNHA, S. B. Geomorfologia: uma atualização de bases e conceitos. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2. ed., 1995. 472 p.  PINTO C. S. Curso Básico de Mecânica dos Solos. Editora Oficina de textos, 2005.  TEIXEIRA, W.; TAIOLI, F. & FAIRCHILD T. Decifrando a Terra. Ed. Oficina de Textos Bibliografia