SlideShare uma empresa Scribd logo
CLIMATOLOGIA
Professora Carolina Corrêa
Pequena revisão:
Universo;
Movimentos da Terra;
Fusos.
Objetivos
Como surgiu o universo?
carolcorreageo.blogspot.com
Uma máquina (acelerador de
partículas) de US$ 10 bilhões com uma
pista de 27 km enterrada sob a fronteira
entre a França e a Suíça.
A partícula Bóson de Higgs anunciada
em 4 de julho de 2012.
carolcorreageo.blogspot.com
A Terra primitiva: formação de um planeta em camadas
Quando corpos colidem com a Terra primitiva, a maior
parte da energia foi convertida em calor. Isso foi
suficiente para ejetar no espaço uma grande
quantidade de detritos e gerar calor para fundir parte
do que restou da Terra.
Corpo
impactante
No estágio final de
acrescimento (4,5
G.a) um corpo
impactou a Terra...
... e o impacto ejetou
para o espaço uma
chuva de detritos
tanto do corpo quanto
da Terra
carolcorreageo.blogspot.com
O impacto
acelerou a
rotação da
Terra e
inclinou o
seu plano
orbital para
23°.
A Terra
reconstituiu-
se como um
grande
corpo
fundido.
A Lua
agregou-
se a partir
dos
detritos
Rochas da Lua
com 4,47 G.a,
trazidas pelos
astronautas da
Apollo,
confirmaram
assa hipótese.
carolcorreageo.blogspot.com
O que aconteceria se o eixo
da Terra não fosse
inclinado?
carolcorreageo.blogspot.com
O planeta Terra tem um formato esférico, mas
não é uma esfera perfeita porque tem seus polos
levemente achatados. Por esse fato, podemos
dizer que ela é um geoide.
Imagem: GSFC team, cropped & up-sampled by Jason Harwell / Public Domain
Imagem: Thavlosk / Creative Commons Attribution-Share Alike 3.0 Unported
Terra
carolcorreageo.blogspot.com
A Terra é um planeta rochoso com uma
circunferência Equatorial de 40 110 Km e,
uma circunferência Polar de 40 009 Km.
carolcorreageo.blogspot.com
O Movimento de Rotação
Rotação é o nome que se dá quando
um determinado volume de massa gira ao
redor de seu próprio eixo.
No caso da Terra, esse movimento
demora aproximadamente 24 horas, esse
período nós chamamos de dia. (mais
precisamente: 23 horas, 56 minutos e 4
segundos).
carolcorreageo.blogspot.com
Vale lembrar que a duração de um dia
depende do tempo que um planeta demora
para dar uma volta completa em seu próprio
eixo.
O dia em Vênus, por exemplo, dura 243
dias terrestres (a translação dura 225 dias), ou
seja, aproximadamente 5.832 horas, enquanto
em Mercúrio, um dia dura 58,6 dias terrestres
ou, aproximadamente, 1.406,4 horas.
carolcorreageo.blogspot.com
O movimento
acontece no sentido
anti-horário vista do
espaço, sobre o Polo
Norte ou, para quem
está na Terra, no
sentido oeste-leste, a
uma velocidade média
de 463m/s ou
aproximadamente
1.666 km/h, na altura
da Linha do Equador.
carolcorreageo.blogspot.com
Fonte: www.horadebrasilia.com-
A sucessão dos dias e das noites
No nosso planeta, o dia se divide em
dois períodos de acordo com a incidência
da luz solar, o período claro e o escuro, ao
qual denominamos respectivamente de dia
e noite.
carolcorreageo.blogspot.com
Noite e Dia
carolcorreageo.blogspot.com
Consequências do Movimento de
Rotação
Alguns acontecimentos que são naturais
do nosso dia a dia seriam completamente
diferentes se não houvesse o movimento de
rotação; por exemplo não haveria a sucessão
de dias e noites como conhecemos, mas sim
teríamos regiões em que seriam sempre dia
ou sempre noite, o que traria consequências
tanto para o clima mundial, como para o estilo
de vida das pessoas dependendo da região
que habitassem.
carolcorreageo.blogspot.com
Noite e Dia
carolcorreageo.blogspot.com
O Movimento de Translação
Translação é o nome que se dá ao
movimento que a Terra realiza em torno do Sol.
Esse movimento é elíptico, com
velocidade aproximada de 30 quilômetros por
segundo.
Fonte: http://esquadraodoconhecimento.wordpress.com/ciencias-humanas/geografiaregionalizacao-mundial/os-movimentos-da-terra-rotacao-e-translacao/
carolcorreageo.blogspot.com
Para dar uma volta completa ao redor
do Sol, a Terra leva 365 dias, 5 horas, 48
minutos e 45 segundos e meio, sendo esse
o período de um ano. Porém, a fim de
facilitar a nossa contagem dos dias,
estabelecemos que um ano possui 365 dias.
carolcorreageo.blogspot.com
E as 6 horas excedentes?
Essas 6 horas excedentes por ano, são
adicionadas ao nosso calendário como
sendo um dia a mais (29 de fevereiro) a
cada quatro anos (ano bissexto).
carolcorreageo.blogspot.com
A execução do movimento
é caracterizada por uma elipse (forma
ligeiramente oval). Por isso, que a
distância entre a Terra e o Sol varia de
acordo com a época do ano sendo 147,1
milhões de km no periélio (ponto da Terra
mais próximo do Sol), enquanto que no
afélio (ponto da Terra mais afastado do
Sol) a distância é de 152,1.
carolcorreageo.blogspot.com
Imagem: Predavatel / GNU Free Documentation License
Como
consequência
direta do
movimento de
translação, temos
quatro estações
climáticas, que
dependendo da
região geográfica
na Terra possuem
características
bastante
específicas.
carolcorreageo.blogspot.com
Solstícios e Equinócios
Pelo fato de a Terra ter seu eixo de
rotação inclinado em 23,5° em relação a sua
órbita, durante o ano, a incidência da luz
solar sobre a Terra varia, fazendo com que o
dia e a noite tenham duração de tempo
diferentes em quase todos os dias do ano.
carolcorreageo.blogspot.com
Chamamos de equinócio o momento
em que o período do dia e da noite
possuem a mesma duração, e
denominamos solstício, o momento em que
o período do dia e da noite possuem a
maior diferença de tempo entre si.
carolcorreageo.blogspot.com
carolcorreageo.blogspot.com
2014 20 16:57 21 10:51 23 02:29 21 23:03
Ano
Equinócio
Março
Solstício
Junho
Equinócio
Setembro
Solstício
Dezembro
Dia Hora Dia Hora Dia Hora Dia Hora
2015 20 22:45 21 16:38 23 08:21 22 04:48
carolcorreageo.blogspot.com
Fonte:http://www.brasilescola.com/geografia/solsticios-equinocios.htm
Obs.:
nas zonas temperadas e polares o Sol
nunca fica a pino, pois os raios sempre
incidem obliquamente.
as datas dos solstícios e equinócios
variam porque o movimento de translação
não tem exatamente 365 dias.
A inclinação do eixo pode variar de 21,5º a
24,5º, com um ciclo de 40 a 41 mil anos.
carolcorreageo.blogspot.com
carolcorreageo.blogspot.com
Existem ainda dois outros movimentos
do planeta, menos pronunciados, que são a
precessão e a nutacão. A precessão é o
movimento cíclico em que o eixo de rotação
terrestre descreve um cone, com
periodicidade de
19 a 23 mil anos.
A nutação é a oscilação do eixo
terrestre em torno da posição média de sua
órbita, causada por alterações cíclicas da
órbita lunar. Cada oscilação é efetuada no
período de 18 anos e 7 meses.
Fonte:professoralexeinowatzki.webnode.com.br-
Coordenadas Geográficas
Coordenadas geográficas são linhas
imaginárias pelas quais a Terra foi “cortada”.
Essas linhas são chamadas paralelos e
meridianos.
carolcorreageo.blogspot.com
Os paralelos são
linhas paralelas ao
Equador, sendo que a
própria linha
imaginária do Equador
é um paralelo. O 0º
corresponde ao
equador, o 90º ao pólo
norte e o -90º ao pólo
sul.
carolcorreageo.blogspot.com
Para o IBGE, são “círculos da
superfície da Terra paralelos ao plano do
Equador, onde apenas um é um círculo
máximo, o Equador (0°), os outros tanto no
hemisfério Norte quanto no hemisfério Sul,
vão diminuindo de
tamanho à proporção
que se afastam do
Equador, até se
transformarem em cada
pólo, num ponto (90°).
carolcorreageo.blogspot.com
Os meridianos
são linhas
perpendiculares ao
Equador que vão do
Pólo Norte ao Pólo Sul
e cruzam com os
paralelos.
carolcorreageo.blogspot.com
O ponto de partida para a numeração
dos meridianos é o meridiano que passa
pelo observatório de Greenwich (1884), na
Inglaterra. Portanto, o meridiano de
Greenwich é o meridiano principal (0°). A
leste de Greenwich os meridianos são
medidos por valores crescentes até 180º e,
a oeste, suas medidas são decrescentes até
o limite de -180º.
carolcorreageo.blogspot.com
Exemplos
Na Guerra do Golfo em 1991, o que
chamou atenção foi a precisão com os
pilotos dos caças a jato destruíam, pontes,
pistas de pousos, centrais de energia
elétrica, centros de telecomunicações,
enfraquecendo o Iraque.
carolcorreageo.blogspot.com
O que é longitude e latitude?
carolcorreageo.blogspot.com
Fonte: geomodeloipiau.blogspot.com
carolcorreageo.blogspot.com
Fusos
Os fusos horários foram criados por
meio de uma reunião de 24 países, em
1884, na cidade de Washington. Dividiu-se
os 360º pelas 24h do dia, ou seja, cada fuso
são 15º. É contado a partir de Greenwich,
positivos para leste e negativos para oeste.
carolcorreageo.blogspot.com
carolcorreageo.blogspot.com
Fonte: geoconceicao.blogspot.com-
carolcorreageo.blogspot.com
Fonte: www.cabecadecuia.com-
carolcorreageo.blogspot.com
carolcorreageo.blogspot.com
Exemplo:
Um programa televisivo apresentado
às 20:00 em Brasília será transmitido,
simultaneamente, a que horas em Fernando
de Noronha e no Acre, respectivamente?
ÁVILA, Cléber Figueiredo Beda de. Disponível em: <
http://pt.slideshare.net/karolpoa/savedfiles?s_title=aula-1-
origens-e-movimentos-do-planeta-terra-
32611719&user_login=cleberdeavila>. Acesso em:
12/04/2014.
ESQUADRÃO DO CONHECIMENTO. Disponível em: <
http://esquadraodoconhecimento.wordpress.com/ciencias-
humanas/geografiaregionalizacao-mundial/os-movimentos-
da-terra-rotacao-e-translacao/>. Acesso em: 12/04/2014.
Referências
PRADO, Fellipe. DISPONÍVEL EM: <
http://pt.slideshare.net/karolpoa/savedfiles?s_title=aula-4-5-
e-6-geografia-3-ano-31947369&user_login=FellipePrado1>.
Acesso em: 12/04/2014.
SENE, Eustáquio de & MOREIRA, João Carlos. Geografia
Geral e do Brasil: espaço geográfico e globalização.
Volume 1, São Paulo, Scipione, 2010.
STEINKE, Ercília Torres. Climatologia Fácil. São Paulo, Oficina
de textos, 2012.
UOL EDUCAÇÃO. DISPONÍVEL EM: <
http://educacao.uol.com.br/disciplinas/fisica/astronomia---
movimentos-planetarios-rotacao-translacao-precessao-e-
nutacao.htm>. Acesso em: 12/04/2014.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Aula 1
Aula 1Aula 1
O Planeta Terra
O Planeta   TerraO Planeta   Terra
O Planeta Terra
guest5899bf
 
6º ano cap 20 e 21 galáxias e sistema solar
6º ano cap 20 e 21 galáxias e sistema solar6º ano cap 20 e 21 galáxias e sistema solar
6º ano cap 20 e 21 galáxias e sistema solar
ISJ
 
A origem do universo
A origem do universoA origem do universo
A origem do universo
Gonçalo Tavares
 
Asteróides, Cometas e Meteoróides
Asteróides, Cometas e MeteoróidesAsteróides, Cometas e Meteoróides
Asteróides, Cometas e Meteoróides
Rita Galrito
 
Aula formação do universo
Aula formação do universoAula formação do universo
Aula formação do universo
kaliandra Lisboa
 
Formação do universo,sistema solar,agua,sal
Formação do universo,sistema solar,agua,salFormação do universo,sistema solar,agua,sal
Formação do universo,sistema solar,agua,sal
pedrovictortoto
 
Big Bang - A Origem De Tudo
Big Bang - A Origem De TudoBig Bang - A Origem De Tudo
Big Bang - A Origem De Tudo
Marina Wekid
 
Mini Curso Planetas e satelites do sistema solar
Mini Curso Planetas e satelites do sistema solarMini Curso Planetas e satelites do sistema solar
Mini Curso Planetas e satelites do sistema solar
Instituto Iprodesc
 
Formação do Sistema Solar
Formação do Sistema SolarFormação do Sistema Solar
Formação do Sistema Solar
Tânia Reis
 
Sistema solar
Sistema solarSistema solar
Sistema solar
Arlete Capitao
 
O Sistema Solar
O Sistema SolarO Sistema Solar
O Sistema Solar
Andréa Thees
 
A terra nosso planeta
A terra nosso planetaA terra nosso planeta
A terra nosso planeta
Simone Faria Costa
 
A danca dos planetas snef 2015
A danca dos planetas   snef 2015A danca dos planetas   snef 2015
A danca dos planetas snef 2015
Instituto Iprodesc
 
Origem e formação da terra
Origem e formação da terraOrigem e formação da terra
Origem e formação da terra
karolpoa
 
Oba 2014 aula2 cupula
Oba 2014 aula2 cupulaOba 2014 aula2 cupula
Oba 2014 aula2 cupula
Instituto Iprodesc
 
O sistema solar origem
O sistema solar   origemO sistema solar   origem
O sistema solar origem
Isabel Lopes
 
2015. aula 2 xviii oba terra
2015. aula 2 xviii oba terra2015. aula 2 xviii oba terra
2015. aula 2 xviii oba terra
Instituto Iprodesc
 
A formação das galáxias
A formação das galáxiasA formação das galáxias
A formação das galáxias
Mah Moraes
 
O Universo
O UniversoO Universo
O Universo
beatrizsa123
 

Mais procurados (20)

Aula 1
Aula 1Aula 1
Aula 1
 
O Planeta Terra
O Planeta   TerraO Planeta   Terra
O Planeta Terra
 
6º ano cap 20 e 21 galáxias e sistema solar
6º ano cap 20 e 21 galáxias e sistema solar6º ano cap 20 e 21 galáxias e sistema solar
6º ano cap 20 e 21 galáxias e sistema solar
 
A origem do universo
A origem do universoA origem do universo
A origem do universo
 
Asteróides, Cometas e Meteoróides
Asteróides, Cometas e MeteoróidesAsteróides, Cometas e Meteoróides
Asteróides, Cometas e Meteoróides
 
Aula formação do universo
Aula formação do universoAula formação do universo
Aula formação do universo
 
Formação do universo,sistema solar,agua,sal
Formação do universo,sistema solar,agua,salFormação do universo,sistema solar,agua,sal
Formação do universo,sistema solar,agua,sal
 
Big Bang - A Origem De Tudo
Big Bang - A Origem De TudoBig Bang - A Origem De Tudo
Big Bang - A Origem De Tudo
 
Mini Curso Planetas e satelites do sistema solar
Mini Curso Planetas e satelites do sistema solarMini Curso Planetas e satelites do sistema solar
Mini Curso Planetas e satelites do sistema solar
 
Formação do Sistema Solar
Formação do Sistema SolarFormação do Sistema Solar
Formação do Sistema Solar
 
Sistema solar
Sistema solarSistema solar
Sistema solar
 
O Sistema Solar
O Sistema SolarO Sistema Solar
O Sistema Solar
 
A terra nosso planeta
A terra nosso planetaA terra nosso planeta
A terra nosso planeta
 
A danca dos planetas snef 2015
A danca dos planetas   snef 2015A danca dos planetas   snef 2015
A danca dos planetas snef 2015
 
Origem e formação da terra
Origem e formação da terraOrigem e formação da terra
Origem e formação da terra
 
Oba 2014 aula2 cupula
Oba 2014 aula2 cupulaOba 2014 aula2 cupula
Oba 2014 aula2 cupula
 
O sistema solar origem
O sistema solar   origemO sistema solar   origem
O sistema solar origem
 
2015. aula 2 xviii oba terra
2015. aula 2 xviii oba terra2015. aula 2 xviii oba terra
2015. aula 2 xviii oba terra
 
A formação das galáxias
A formação das galáxiasA formação das galáxias
A formação das galáxias
 
O Universo
O UniversoO Universo
O Universo
 

Destaque

4 ciclo hidrológico
4 ciclo hidrológico4 ciclo hidrológico
4 ciclo hidrológico
Carolina Corrêa
 
2 paleoclimatologia
2 paleoclimatologia2 paleoclimatologia
2 paleoclimatologia
Carolina Corrêa
 
3 atmosfera
3 atmosfera3 atmosfera
3 atmosfera
Carolina Corrêa
 
Climatologia no brasil
Climatologia no brasilClimatologia no brasil
Climatologia no brasil
Carolina Corrêa
 
1 noções de tempo e clima
1 noções de tempo e clima1 noções de tempo e clima
1 noções de tempo e clima
Carolina Corrêa
 
fatores e elementos climáticos
 fatores e elementos climáticos fatores e elementos climáticos
fatores e elementos climáticos
Carolina Corrêa
 
Os ventos e a circulação geral da atmosfera
Os ventos e a circulação geral da atmosferaOs ventos e a circulação geral da atmosfera
Os ventos e a circulação geral da atmosfera
Carolina Corrêa
 
Gabarito exercícios
Gabarito exercíciosGabarito exercícios
Gabarito exercícios
karolpoa
 
Domínios morfoclimáticos brasileiros condições ambientais
Domínios morfoclimáticos brasileiros condições ambientaisDomínios morfoclimáticos brasileiros condições ambientais
Domínios morfoclimáticos brasileiros condições ambientais
karolpoa
 
Domínios morfoclimáticos brasileiros
Domínios morfoclimáticos brasileirosDomínios morfoclimáticos brasileiros
Domínios morfoclimáticos brasileiros
karolpoa
 
Domínios cerrado
Domínios cerradoDomínios cerrado
Domínios cerrado
karolpoa
 
Tectônica de placas
Tectônica de placasTectônica de placas
Tectônica de placas
karolpoa
 
Projeções
ProjeçõesProjeções
Projeções
karolpoa
 
Domínios morfoclimáticos brasileiros condições ambientais
Domínios morfoclimáticos brasileiros condições ambientaisDomínios morfoclimáticos brasileiros condições ambientais
Domínios morfoclimáticos brasileiros condições ambientais
karolpoa
 
Domínios mares de morros
Domínios mares de morrosDomínios mares de morros
Domínios mares de morros
karolpoa
 
Coordenadas geográficas
Coordenadas geográficasCoordenadas geográficas
Coordenadas geográficas
karolpoa
 
Minerais e rochas
Minerais e rochasMinerais e rochas
Minerais e rochas
karolpoa
 
Relevo brasileiro
Relevo brasileiroRelevo brasileiro
Relevo brasileiro
karolpoa
 
Urbanização brasileira
Urbanização brasileiraUrbanização brasileira
Urbanização brasileira
Carolina Corrêa
 
Formação do espaço geográfico mundial
Formação do espaço geográfico mundialFormação do espaço geográfico mundial
Formação do espaço geográfico mundial
Carolina Corrêa
 

Destaque (20)

4 ciclo hidrológico
4 ciclo hidrológico4 ciclo hidrológico
4 ciclo hidrológico
 
2 paleoclimatologia
2 paleoclimatologia2 paleoclimatologia
2 paleoclimatologia
 
3 atmosfera
3 atmosfera3 atmosfera
3 atmosfera
 
Climatologia no brasil
Climatologia no brasilClimatologia no brasil
Climatologia no brasil
 
1 noções de tempo e clima
1 noções de tempo e clima1 noções de tempo e clima
1 noções de tempo e clima
 
fatores e elementos climáticos
 fatores e elementos climáticos fatores e elementos climáticos
fatores e elementos climáticos
 
Os ventos e a circulação geral da atmosfera
Os ventos e a circulação geral da atmosferaOs ventos e a circulação geral da atmosfera
Os ventos e a circulação geral da atmosfera
 
Gabarito exercícios
Gabarito exercíciosGabarito exercícios
Gabarito exercícios
 
Domínios morfoclimáticos brasileiros condições ambientais
Domínios morfoclimáticos brasileiros condições ambientaisDomínios morfoclimáticos brasileiros condições ambientais
Domínios morfoclimáticos brasileiros condições ambientais
 
Domínios morfoclimáticos brasileiros
Domínios morfoclimáticos brasileirosDomínios morfoclimáticos brasileiros
Domínios morfoclimáticos brasileiros
 
Domínios cerrado
Domínios cerradoDomínios cerrado
Domínios cerrado
 
Tectônica de placas
Tectônica de placasTectônica de placas
Tectônica de placas
 
Projeções
ProjeçõesProjeções
Projeções
 
Domínios morfoclimáticos brasileiros condições ambientais
Domínios morfoclimáticos brasileiros condições ambientaisDomínios morfoclimáticos brasileiros condições ambientais
Domínios morfoclimáticos brasileiros condições ambientais
 
Domínios mares de morros
Domínios mares de morrosDomínios mares de morros
Domínios mares de morros
 
Coordenadas geográficas
Coordenadas geográficasCoordenadas geográficas
Coordenadas geográficas
 
Minerais e rochas
Minerais e rochasMinerais e rochas
Minerais e rochas
 
Relevo brasileiro
Relevo brasileiroRelevo brasileiro
Relevo brasileiro
 
Urbanização brasileira
Urbanização brasileiraUrbanização brasileira
Urbanização brasileira
 
Formação do espaço geográfico mundial
Formação do espaço geográfico mundialFormação do espaço geográfico mundial
Formação do espaço geográfico mundial
 

Semelhante a Revisão

Revisão
RevisãoRevisão
Revisão
karolpoa
 
Revisão
RevisãoRevisão
Revisão
karolpoa
 
Cartografia completa
Cartografia completaCartografia completa
Cartografia completa
Artur Lara
 
Os movimentos da terra
Os movimentos da terraOs movimentos da terra
Os movimentos da terra
André Luiz Marques
 
Geografia os movimentos da terra
Geografia   os movimentos da terraGeografia   os movimentos da terra
Geografia os movimentos da terra
Gustavo Soares
 
Terra Lua e Sol.pdf
Terra Lua e Sol.pdfTerra Lua e Sol.pdf
Terra Lua e Sol.pdf
nunofq
 
Unidade 3 parte 1
Unidade 3 parte 1Unidade 3 parte 1
Unidade 3 parte 1
Christie Freitas
 
A terra e o sol, fuso horário
A terra e o sol, fuso horárioA terra e o sol, fuso horário
A terra e o sol, fuso horário
AlessandroRubens
 
Unidade 4 cap. 1
Unidade 4 cap. 1Unidade 4 cap. 1
Unidade 4 cap. 1
Christie Freitas
 
Astronomia e astrof´+¢sica parte 001
Astronomia e astrof´+¢sica parte 001Astronomia e astrof´+¢sica parte 001
Astronomia e astrof´+¢sica parte 001
Thommas Kevin
 
Capítulo 6 - Os movimentos da Terra.ppt
Capítulo 6 - Os movimentos da Terra.pptCapítulo 6 - Os movimentos da Terra.ppt
Capítulo 6 - Os movimentos da Terra.ppt
CWStore
 
cartografia completo.pptx
cartografia completo.pptxcartografia completo.pptx
cartografia completo.pptx
Fernanda Castello
 
CARTOGRAFIA.pptx
CARTOGRAFIA.pptxCARTOGRAFIA.pptx
CARTOGRAFIA.pptx
Fernanda Castello
 
6a SéRie Planeta Terra
6a SéRie   Planeta Terra6a SéRie   Planeta Terra
6a SéRie Planeta Terra
SESI 422 - Americana
 
6a SéRie Planeta Terra
6a SéRie   Planeta Terra6a SéRie   Planeta Terra
6a SéRie Planeta Terra
guest787ebb4
 
Os movimentos da terra
Os movimentos da terraOs movimentos da terra
Os movimentos da terra
Professor
 
Atividcompl6ano ciencias17junho2020demervalvixwas
Atividcompl6ano ciencias17junho2020demervalvixwasAtividcompl6ano ciencias17junho2020demervalvixwas
Atividcompl6ano ciencias17junho2020demervalvixwas
Washington Rocha
 
Unidade 3
Unidade 3Unidade 3
Unidade 3
Christie Freitas
 
Os movimentos da terra
Os movimentos da terraOs movimentos da terra
Os movimentos da terra
Maurilio Domingos
 
Movimentos de Rotação e Translação - Aulas 4, 5 e 6 Geografia 3º Ano
Movimentos de Rotação e Translação - Aulas 4, 5 e 6 Geografia 3º Ano Movimentos de Rotação e Translação - Aulas 4, 5 e 6 Geografia 3º Ano
Movimentos de Rotação e Translação - Aulas 4, 5 e 6 Geografia 3º Ano
Fellipe Prado
 

Semelhante a Revisão (20)

Revisão
RevisãoRevisão
Revisão
 
Revisão
RevisãoRevisão
Revisão
 
Cartografia completa
Cartografia completaCartografia completa
Cartografia completa
 
Os movimentos da terra
Os movimentos da terraOs movimentos da terra
Os movimentos da terra
 
Geografia os movimentos da terra
Geografia   os movimentos da terraGeografia   os movimentos da terra
Geografia os movimentos da terra
 
Terra Lua e Sol.pdf
Terra Lua e Sol.pdfTerra Lua e Sol.pdf
Terra Lua e Sol.pdf
 
Unidade 3 parte 1
Unidade 3 parte 1Unidade 3 parte 1
Unidade 3 parte 1
 
A terra e o sol, fuso horário
A terra e o sol, fuso horárioA terra e o sol, fuso horário
A terra e o sol, fuso horário
 
Unidade 4 cap. 1
Unidade 4 cap. 1Unidade 4 cap. 1
Unidade 4 cap. 1
 
Astronomia e astrof´+¢sica parte 001
Astronomia e astrof´+¢sica parte 001Astronomia e astrof´+¢sica parte 001
Astronomia e astrof´+¢sica parte 001
 
Capítulo 6 - Os movimentos da Terra.ppt
Capítulo 6 - Os movimentos da Terra.pptCapítulo 6 - Os movimentos da Terra.ppt
Capítulo 6 - Os movimentos da Terra.ppt
 
cartografia completo.pptx
cartografia completo.pptxcartografia completo.pptx
cartografia completo.pptx
 
CARTOGRAFIA.pptx
CARTOGRAFIA.pptxCARTOGRAFIA.pptx
CARTOGRAFIA.pptx
 
6a SéRie Planeta Terra
6a SéRie   Planeta Terra6a SéRie   Planeta Terra
6a SéRie Planeta Terra
 
6a SéRie Planeta Terra
6a SéRie   Planeta Terra6a SéRie   Planeta Terra
6a SéRie Planeta Terra
 
Os movimentos da terra
Os movimentos da terraOs movimentos da terra
Os movimentos da terra
 
Atividcompl6ano ciencias17junho2020demervalvixwas
Atividcompl6ano ciencias17junho2020demervalvixwasAtividcompl6ano ciencias17junho2020demervalvixwas
Atividcompl6ano ciencias17junho2020demervalvixwas
 
Unidade 3
Unidade 3Unidade 3
Unidade 3
 
Os movimentos da terra
Os movimentos da terraOs movimentos da terra
Os movimentos da terra
 
Movimentos de Rotação e Translação - Aulas 4, 5 e 6 Geografia 3º Ano
Movimentos de Rotação e Translação - Aulas 4, 5 e 6 Geografia 3º Ano Movimentos de Rotação e Translação - Aulas 4, 5 e 6 Geografia 3º Ano
Movimentos de Rotação e Translação - Aulas 4, 5 e 6 Geografia 3º Ano
 

Mais de Carolina Corrêa

Relevo e movimentos de massa geisa e jeferson
Relevo e movimentos de massa geisa e jefersonRelevo e movimentos de massa geisa e jeferson
Relevo e movimentos de massa geisa e jeferson
Carolina Corrêa
 
Estruturas geologicas mundo_e_brasil geisa e jeferson
Estruturas geologicas mundo_e_brasil geisa e jefersonEstruturas geologicas mundo_e_brasil geisa e jeferson
Estruturas geologicas mundo_e_brasil geisa e jeferson
Carolina Corrêa
 
Classifcação de relevo geisa_jeferson
Classifcação de relevo geisa_jefersonClassifcação de relevo geisa_jeferson
Classifcação de relevo geisa_jeferson
Carolina Corrêa
 
Urbanização
UrbanizaçãoUrbanização
Urbanização
Carolina Corrêa
 
Aula preocessos superficiais, conservação e uso de geossintéticos
Aula preocessos superficiais, conservação e uso de geossintéticosAula preocessos superficiais, conservação e uso de geossintéticos
Aula preocessos superficiais, conservação e uso de geossintéticos
Carolina Corrêa
 
Agua nos solos
Agua nos solosAgua nos solos
Agua nos solos
Carolina Corrêa
 
Geologia médica
Geologia médicaGeologia médica
Geologia médica
Carolina Corrêa
 
Aula metamorfismo
Aula metamorfismoAula metamorfismo
Aula metamorfismo
Carolina Corrêa
 
Aula classificação
Aula classificaçãoAula classificação
Aula classificação
Carolina Corrêa
 
Aula rochas sedimentares
Aula rochas sedimentaresAula rochas sedimentares
Aula rochas sedimentares
Carolina Corrêa
 
agentes de transporte
agentes de transporteagentes de transporte
agentes de transporte
Carolina Corrêa
 
análise granulométrica
análise granulométricaanálise granulométrica
análise granulométrica
Carolina Corrêa
 
Aula rochas magmáticas
Aula rochas magmáticasAula rochas magmáticas
Aula rochas magmáticas
Carolina Corrêa
 
Aula minerais
Aula mineraisAula minerais
Aula minerais
Carolina Corrêa
 
Aula propriedades morfológicas
Aula  propriedades morfológicasAula  propriedades morfológicas
Aula propriedades morfológicas
Carolina Corrêa
 
Falhas e dobras
Falhas e dobrasFalhas e dobras
Falhas e dobras
Carolina Corrêa
 
Aula 3 vulcanismo
Aula 3 vulcanismoAula 3 vulcanismo
Aula 3 vulcanismo
Carolina Corrêa
 
Aula origem dos solos
Aula  origem dos solosAula  origem dos solos
Aula origem dos solos
Carolina Corrêa
 
Aula revisão intemperismo
Aula  revisão intemperismoAula  revisão intemperismo
Aula revisão intemperismo
Carolina Corrêa
 
Aula 2
Aula 2Aula 2

Mais de Carolina Corrêa (20)

Relevo e movimentos de massa geisa e jeferson
Relevo e movimentos de massa geisa e jefersonRelevo e movimentos de massa geisa e jeferson
Relevo e movimentos de massa geisa e jeferson
 
Estruturas geologicas mundo_e_brasil geisa e jeferson
Estruturas geologicas mundo_e_brasil geisa e jefersonEstruturas geologicas mundo_e_brasil geisa e jeferson
Estruturas geologicas mundo_e_brasil geisa e jeferson
 
Classifcação de relevo geisa_jeferson
Classifcação de relevo geisa_jefersonClassifcação de relevo geisa_jeferson
Classifcação de relevo geisa_jeferson
 
Urbanização
UrbanizaçãoUrbanização
Urbanização
 
Aula preocessos superficiais, conservação e uso de geossintéticos
Aula preocessos superficiais, conservação e uso de geossintéticosAula preocessos superficiais, conservação e uso de geossintéticos
Aula preocessos superficiais, conservação e uso de geossintéticos
 
Agua nos solos
Agua nos solosAgua nos solos
Agua nos solos
 
Geologia médica
Geologia médicaGeologia médica
Geologia médica
 
Aula metamorfismo
Aula metamorfismoAula metamorfismo
Aula metamorfismo
 
Aula classificação
Aula classificaçãoAula classificação
Aula classificação
 
Aula rochas sedimentares
Aula rochas sedimentaresAula rochas sedimentares
Aula rochas sedimentares
 
agentes de transporte
agentes de transporteagentes de transporte
agentes de transporte
 
análise granulométrica
análise granulométricaanálise granulométrica
análise granulométrica
 
Aula rochas magmáticas
Aula rochas magmáticasAula rochas magmáticas
Aula rochas magmáticas
 
Aula minerais
Aula mineraisAula minerais
Aula minerais
 
Aula propriedades morfológicas
Aula  propriedades morfológicasAula  propriedades morfológicas
Aula propriedades morfológicas
 
Falhas e dobras
Falhas e dobrasFalhas e dobras
Falhas e dobras
 
Aula 3 vulcanismo
Aula 3 vulcanismoAula 3 vulcanismo
Aula 3 vulcanismo
 
Aula origem dos solos
Aula  origem dos solosAula  origem dos solos
Aula origem dos solos
 
Aula revisão intemperismo
Aula  revisão intemperismoAula  revisão intemperismo
Aula revisão intemperismo
 
Aula 2
Aula 2Aula 2
Aula 2
 

Último

As sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativasAs sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativas
rloureiro1
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
mamaeieby
 
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdfUFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
Manuais Formação
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
TomasSousa7
 
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptxReino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
CarinaSantos916505
 
slides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentarslides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentar
JoeteCarvalho
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
YeniferGarcia36
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do AssaréFamílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
profesfrancleite
 
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdfOS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
AmiltonAparecido1
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.pptLeis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
PatriciaZanoli
 
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdfO Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
silvamelosilva300
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
TomasSousa7
 
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdfO que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
Pastor Robson Colaço
 
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Professor Belinaso
 
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).pptepidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
MarceloMonteiro213738
 
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Simone399395
 
Atividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º anoAtividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º ano
fernandacosta37763
 

Último (20)

As sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativasAs sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativas
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
 
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdfUFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
 
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptxReino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
 
slides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentarslides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentar
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
 
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
 
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do AssaréFamílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
 
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdfOS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
 
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.pptLeis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
 
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdfO Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
 
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdfO que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
 
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
 
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).pptepidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
 
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
 
Atividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º anoAtividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º ano
 

Revisão

  • 3. Como surgiu o universo? carolcorreageo.blogspot.com
  • 4. Uma máquina (acelerador de partículas) de US$ 10 bilhões com uma pista de 27 km enterrada sob a fronteira entre a França e a Suíça. A partícula Bóson de Higgs anunciada em 4 de julho de 2012. carolcorreageo.blogspot.com
  • 5. A Terra primitiva: formação de um planeta em camadas Quando corpos colidem com a Terra primitiva, a maior parte da energia foi convertida em calor. Isso foi suficiente para ejetar no espaço uma grande quantidade de detritos e gerar calor para fundir parte do que restou da Terra. Corpo impactante No estágio final de acrescimento (4,5 G.a) um corpo impactou a Terra... ... e o impacto ejetou para o espaço uma chuva de detritos tanto do corpo quanto da Terra carolcorreageo.blogspot.com
  • 6. O impacto acelerou a rotação da Terra e inclinou o seu plano orbital para 23°. A Terra reconstituiu- se como um grande corpo fundido. A Lua agregou- se a partir dos detritos Rochas da Lua com 4,47 G.a, trazidas pelos astronautas da Apollo, confirmaram assa hipótese. carolcorreageo.blogspot.com
  • 7. O que aconteceria se o eixo da Terra não fosse inclinado? carolcorreageo.blogspot.com
  • 8. O planeta Terra tem um formato esférico, mas não é uma esfera perfeita porque tem seus polos levemente achatados. Por esse fato, podemos dizer que ela é um geoide. Imagem: GSFC team, cropped & up-sampled by Jason Harwell / Public Domain Imagem: Thavlosk / Creative Commons Attribution-Share Alike 3.0 Unported Terra carolcorreageo.blogspot.com
  • 9. A Terra é um planeta rochoso com uma circunferência Equatorial de 40 110 Km e, uma circunferência Polar de 40 009 Km. carolcorreageo.blogspot.com
  • 10. O Movimento de Rotação Rotação é o nome que se dá quando um determinado volume de massa gira ao redor de seu próprio eixo. No caso da Terra, esse movimento demora aproximadamente 24 horas, esse período nós chamamos de dia. (mais precisamente: 23 horas, 56 minutos e 4 segundos). carolcorreageo.blogspot.com
  • 11. Vale lembrar que a duração de um dia depende do tempo que um planeta demora para dar uma volta completa em seu próprio eixo. O dia em Vênus, por exemplo, dura 243 dias terrestres (a translação dura 225 dias), ou seja, aproximadamente 5.832 horas, enquanto em Mercúrio, um dia dura 58,6 dias terrestres ou, aproximadamente, 1.406,4 horas. carolcorreageo.blogspot.com
  • 12. O movimento acontece no sentido anti-horário vista do espaço, sobre o Polo Norte ou, para quem está na Terra, no sentido oeste-leste, a uma velocidade média de 463m/s ou aproximadamente 1.666 km/h, na altura da Linha do Equador. carolcorreageo.blogspot.com Fonte: www.horadebrasilia.com-
  • 13. A sucessão dos dias e das noites No nosso planeta, o dia se divide em dois períodos de acordo com a incidência da luz solar, o período claro e o escuro, ao qual denominamos respectivamente de dia e noite. carolcorreageo.blogspot.com
  • 15. Consequências do Movimento de Rotação Alguns acontecimentos que são naturais do nosso dia a dia seriam completamente diferentes se não houvesse o movimento de rotação; por exemplo não haveria a sucessão de dias e noites como conhecemos, mas sim teríamos regiões em que seriam sempre dia ou sempre noite, o que traria consequências tanto para o clima mundial, como para o estilo de vida das pessoas dependendo da região que habitassem. carolcorreageo.blogspot.com
  • 17. O Movimento de Translação Translação é o nome que se dá ao movimento que a Terra realiza em torno do Sol. Esse movimento é elíptico, com velocidade aproximada de 30 quilômetros por segundo. Fonte: http://esquadraodoconhecimento.wordpress.com/ciencias-humanas/geografiaregionalizacao-mundial/os-movimentos-da-terra-rotacao-e-translacao/ carolcorreageo.blogspot.com
  • 18. Para dar uma volta completa ao redor do Sol, a Terra leva 365 dias, 5 horas, 48 minutos e 45 segundos e meio, sendo esse o período de um ano. Porém, a fim de facilitar a nossa contagem dos dias, estabelecemos que um ano possui 365 dias. carolcorreageo.blogspot.com
  • 19. E as 6 horas excedentes? Essas 6 horas excedentes por ano, são adicionadas ao nosso calendário como sendo um dia a mais (29 de fevereiro) a cada quatro anos (ano bissexto). carolcorreageo.blogspot.com
  • 20. A execução do movimento é caracterizada por uma elipse (forma ligeiramente oval). Por isso, que a distância entre a Terra e o Sol varia de acordo com a época do ano sendo 147,1 milhões de km no periélio (ponto da Terra mais próximo do Sol), enquanto que no afélio (ponto da Terra mais afastado do Sol) a distância é de 152,1. carolcorreageo.blogspot.com
  • 21. Imagem: Predavatel / GNU Free Documentation License Como consequência direta do movimento de translação, temos quatro estações climáticas, que dependendo da região geográfica na Terra possuem características bastante específicas. carolcorreageo.blogspot.com
  • 22. Solstícios e Equinócios Pelo fato de a Terra ter seu eixo de rotação inclinado em 23,5° em relação a sua órbita, durante o ano, a incidência da luz solar sobre a Terra varia, fazendo com que o dia e a noite tenham duração de tempo diferentes em quase todos os dias do ano. carolcorreageo.blogspot.com
  • 23. Chamamos de equinócio o momento em que o período do dia e da noite possuem a mesma duração, e denominamos solstício, o momento em que o período do dia e da noite possuem a maior diferença de tempo entre si. carolcorreageo.blogspot.com
  • 24. carolcorreageo.blogspot.com 2014 20 16:57 21 10:51 23 02:29 21 23:03 Ano Equinócio Março Solstício Junho Equinócio Setembro Solstício Dezembro Dia Hora Dia Hora Dia Hora Dia Hora 2015 20 22:45 21 16:38 23 08:21 22 04:48
  • 26. Obs.: nas zonas temperadas e polares o Sol nunca fica a pino, pois os raios sempre incidem obliquamente. as datas dos solstícios e equinócios variam porque o movimento de translação não tem exatamente 365 dias. A inclinação do eixo pode variar de 21,5º a 24,5º, com um ciclo de 40 a 41 mil anos. carolcorreageo.blogspot.com
  • 28. Existem ainda dois outros movimentos do planeta, menos pronunciados, que são a precessão e a nutacão. A precessão é o movimento cíclico em que o eixo de rotação terrestre descreve um cone, com periodicidade de 19 a 23 mil anos.
  • 29. A nutação é a oscilação do eixo terrestre em torno da posição média de sua órbita, causada por alterações cíclicas da órbita lunar. Cada oscilação é efetuada no período de 18 anos e 7 meses.
  • 32. Coordenadas geográficas são linhas imaginárias pelas quais a Terra foi “cortada”. Essas linhas são chamadas paralelos e meridianos. carolcorreageo.blogspot.com
  • 33. Os paralelos são linhas paralelas ao Equador, sendo que a própria linha imaginária do Equador é um paralelo. O 0º corresponde ao equador, o 90º ao pólo norte e o -90º ao pólo sul. carolcorreageo.blogspot.com
  • 34. Para o IBGE, são “círculos da superfície da Terra paralelos ao plano do Equador, onde apenas um é um círculo máximo, o Equador (0°), os outros tanto no hemisfério Norte quanto no hemisfério Sul, vão diminuindo de tamanho à proporção que se afastam do Equador, até se transformarem em cada pólo, num ponto (90°). carolcorreageo.blogspot.com
  • 35. Os meridianos são linhas perpendiculares ao Equador que vão do Pólo Norte ao Pólo Sul e cruzam com os paralelos. carolcorreageo.blogspot.com
  • 36. O ponto de partida para a numeração dos meridianos é o meridiano que passa pelo observatório de Greenwich (1884), na Inglaterra. Portanto, o meridiano de Greenwich é o meridiano principal (0°). A leste de Greenwich os meridianos são medidos por valores crescentes até 180º e, a oeste, suas medidas são decrescentes até o limite de -180º. carolcorreageo.blogspot.com
  • 37. Exemplos Na Guerra do Golfo em 1991, o que chamou atenção foi a precisão com os pilotos dos caças a jato destruíam, pontes, pistas de pousos, centrais de energia elétrica, centros de telecomunicações, enfraquecendo o Iraque. carolcorreageo.blogspot.com
  • 38. O que é longitude e latitude? carolcorreageo.blogspot.com
  • 40. Fusos
  • 41. Os fusos horários foram criados por meio de uma reunião de 24 países, em 1884, na cidade de Washington. Dividiu-se os 360º pelas 24h do dia, ou seja, cada fuso são 15º. É contado a partir de Greenwich, positivos para leste e negativos para oeste. carolcorreageo.blogspot.com
  • 46. Exemplo: Um programa televisivo apresentado às 20:00 em Brasília será transmitido, simultaneamente, a que horas em Fernando de Noronha e no Acre, respectivamente?
  • 47. ÁVILA, Cléber Figueiredo Beda de. Disponível em: < http://pt.slideshare.net/karolpoa/savedfiles?s_title=aula-1- origens-e-movimentos-do-planeta-terra- 32611719&user_login=cleberdeavila>. Acesso em: 12/04/2014. ESQUADRÃO DO CONHECIMENTO. Disponível em: < http://esquadraodoconhecimento.wordpress.com/ciencias- humanas/geografiaregionalizacao-mundial/os-movimentos- da-terra-rotacao-e-translacao/>. Acesso em: 12/04/2014. Referências
  • 48. PRADO, Fellipe. DISPONÍVEL EM: < http://pt.slideshare.net/karolpoa/savedfiles?s_title=aula-4-5- e-6-geografia-3-ano-31947369&user_login=FellipePrado1>. Acesso em: 12/04/2014. SENE, Eustáquio de & MOREIRA, João Carlos. Geografia Geral e do Brasil: espaço geográfico e globalização. Volume 1, São Paulo, Scipione, 2010. STEINKE, Ercília Torres. Climatologia Fácil. São Paulo, Oficina de textos, 2012. UOL EDUCAÇÃO. DISPONÍVEL EM: < http://educacao.uol.com.br/disciplinas/fisica/astronomia--- movimentos-planetarios-rotacao-translacao-precessao-e- nutacao.htm>. Acesso em: 12/04/2014.