SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 13
do século XVII
INTRODUÇÃO
Durante o século XVII, mais precisamente entre 1640 e 1688, a
Inglaterra foi abalada por um processo revolucionário de grandes
proporções. Tratou-se da revolução Inglesa de 1640/60 (também
denominada Revolução puritana), cujo desdobramento foi a
chamada Revolução gloriosa, de 1688.
No entanto, ambos os movimentos fizeram parte de um processo
revolucionário, que assinalou a superação, em definitivo, do modo
de produção feudal, do antigo regime e de suas instituições,
possibilitando o advento de uma sociedade burguesa e a emergência
da produção capitalista do país.
Alguns historiadores admitem, inclusive, a possibilidade de não se
dissociar a revolução industrial do século XVII da revolução inglesa
do século XVII. Esta teria eliminado os entraves feudais que serviam
de obstáculo às forças produtivas capitalistas, acelerando o processo
de expropriação do campesinato, liberando mão-de-obra das áreas
rurais para os centros urbanos, liquidando as antigas corporações e
seus monopólios e criando as precondições para a revolução
industrial.
O processo revolucionário pode ser
entendido como o resultado das
contradições entre a aceleração da
transição feudal/capitalista e a
permanência de instituições políticas e
jurídicas cada vez mais arcaicas em vista
das transformações pelas quais passava a
sociedade inglesa durante a época
moderna.
CARACTERISTICAS DA SOCIEDADE INGLESA ÀS
VÉSPERAS DA REVOLUÇÃO
A sociedade inglesa, às vésperas do movimento
revolucionário, de maneira simplificada e em
termos gerais, apresentava as características
descritas a seguir;
*Existência de uma aristocracia.
*Emergência de uma pequena e média nobreza
rural.
*Existência de um vasto grupo médio rural- os
yeomen.
*Por último, os camponeses se qualquer tipo de
posse e crescimento privados do acesso às “terras
comunais”.
AS FASES DO PROCESSO REVOLUCIONÁRIO
*1640-1642 grande rebelião;
*1642-1648 guerra civil;
*1649-1658 república de Cromwell ou república
puritana;
*1650-1688 restauração monárquica;
*1688-1689 revolução gloriosa;
questões...
1. Durante a revolução inglesa, no século XVII, foi formado o exército
de novo tipo, liderado por Oliver Cromwell, de que participavam,
além da classe mercantil, da gentry, dos pequenos proprietários
camponeses e de trabalhadores urbanos, segmentos mais radicais,
que defendiam reformas profundas no Estado inglês. Como eram
constituídos esses segmento?
resposta...
Era constituído pelos levellers, que reivindicavam a democracia, a
extensão do sufrágio e uma maior igualdade perante a lei, e pelos
diggers, defensores da posse comum das terras.
comentário...
Os levellers e os true levellers, ou “niveladores” e “verdadeiros
niveladores”, respectivamente, representavam os grupos que queriam
aprofundar as conquistas possíveis da revolução inglesa, estendendo
ao máximo a participação dos pequenos proprietários em processos
políticos e ampliando a reforma da posse da terra. Enquanto os
primeiros defendiam a constituição de uma sociedade fundamentada
na pequena propriedade, os segundos defendiam a extinção da
propriedade e o livre acesso de todos à terra.
Questão
2. Como condição para o advento do capitalismo
industrial na Inglaterra no século XVIII, a revolução
inglesa do século XVII é importante porque?
Resposta
porque eliminou as últimas barreiras feudais e fez
triunfar o capitalismo agrário.
Comentário
Entre as alternativas econômicas apresentadas, a
revolução burguesa na Inglaterra aboliu as últimas
barreiras feudais, garantindo a constituição de
proprietários rurais mais fortalecidos diante do poder
político e consolidando sua participação política
através do parlamento. Ao mesmo tempo, a revolução
inglesa do século XVII acelerou o processo de
cercamentos, consolidando a propriedade capitalista
no campo.
Questão
3. Os conflitos político-sociais do século XVII
foram o meio principal pra que?
Resposta
Pelo qual a Inglaterra diluiu os obstáculos para
o avanço capitalista, marcando o início da
desagregação do absolutismo monárquico.
Comentário
A revolução burguesa diluiu os obstáculos que o
absolutismo impunha à participação política e
promoveu, pelo fortalecimento do parlamento,
a representação política da burguesia e da
gentry.
Questão
4. Em 1657, Oliver Cromwell estabeleceu uma série de
medidas que retratavam o espírito de uma política
nacionalista da época. Como essas medidas se
concretizaram?
Resposta
Nos atos de navegação, que estabeleciam que toda
mercadoria importada pela Inglaterra só poderia ser
transportada por navios ingleses ou por navio do país de
origem da mercadoria.
Comentário
Os atos de navegação, o primeiro dos quais aprovados em
1651, constituíram-se em medidas que tinha por objetivo
consolidar a hegemonia naval e o monopólio do comércio
marítimo da Inglaterra. O ato de 1651 visava, naquele
contexto, atingir os interesses holandeses, o que resultou
num conflito entre os dois países entre 1652 e 1654. A
vitória inglesa garantiu a supremacia marítima britânica.
Questão
5. A revolução gloriosa, que ocorreu na
Inglaterra em fins do século XVII, foi a primeira
revolução de estado modernista que
implantaria o que?
Resposta
Uma monarquia parlamentar.
Comentário
O resultado político da revolução gloriosa foi a
consolidação de uma monarquia parlamentar
em que o rei reina, mas não governa, princípio
este garantido pelo bill of rights (1689),
documento elaborado pelo parlamento,
fundamentado no ideário lockeano e imposto
aos reis a partir de então.
Serie: 2º “B”
Profª.: Marinete Borges
Componentes:
MARÍLIA SILVA
CÍCERA LAILA
FIM

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a A REVOLUÇÃO INGLESA.pptx

As revoluções inglesas do século xvii rev. puritana
As revoluções inglesas do século xvii   rev. puritanaAs revoluções inglesas do século xvii   rev. puritana
As revoluções inglesas do século xvii rev. puritana
historiando
 
Revolução Inglesa
Revolução InglesaRevolução Inglesa
Revolução Inglesa
joana71
 
A república puritana de oliver cromwell e a revolução gloriosa
A república puritana de oliver cromwell e a revolução gloriosaA república puritana de oliver cromwell e a revolução gloriosa
A república puritana de oliver cromwell e a revolução gloriosa
Nelia Salles Nantes
 
A república puritana de oliver cromwell e a revolução gloriosa
A república puritana de oliver cromwell e a revolução gloriosaA república puritana de oliver cromwell e a revolução gloriosa
A república puritana de oliver cromwell e a revolução gloriosa
Nelia Salles Nantes
 

Semelhante a A REVOLUÇÃO INGLESA.pptx (20)

As revoluções inglesas
As revoluções inglesasAs revoluções inglesas
As revoluções inglesas
 
A revolução inglesa
A revolução inglesaA revolução inglesa
A revolução inglesa
 
Revoluções Inglesas
Revoluções InglesasRevoluções Inglesas
Revoluções Inglesas
 
Revolução industrial
Revolução industrialRevolução industrial
Revolução industrial
 
Td 5 história i
Td 5   história iTd 5   história i
Td 5 história i
 
As revoluções inglesas do século xvii rev. puritana
As revoluções inglesas do século xvii   rev. puritanaAs revoluções inglesas do século xvii   rev. puritana
As revoluções inglesas do século xvii rev. puritana
 
A república puritana de oliver cromwell
A república puritana de oliver cromwellA república puritana de oliver cromwell
A república puritana de oliver cromwell
 
As Revoluções Inglesas do Século XVII - Prof. Medeiros
As Revoluções Inglesas do Século XVII - Prof. MedeirosAs Revoluções Inglesas do Século XVII - Prof. Medeiros
As Revoluções Inglesas do Século XVII - Prof. Medeiros
 
A revolucao inglesa
A revolucao inglesaA revolucao inglesa
A revolucao inglesa
 
Revolução Inglesa
Revolução InglesaRevolução Inglesa
Revolução Inglesa
 
08-REVOLUÇÕES-INGLESAS-LISTA.pdf
08-REVOLUÇÕES-INGLESAS-LISTA.pdf08-REVOLUÇÕES-INGLESAS-LISTA.pdf
08-REVOLUÇÕES-INGLESAS-LISTA.pdf
 
A república puritana de oliver cromwell e a revolução gloriosa
A república puritana de oliver cromwell e a revolução gloriosaA república puritana de oliver cromwell e a revolução gloriosa
A república puritana de oliver cromwell e a revolução gloriosa
 
Revoluçao inglesa
Revoluçao inglesaRevoluçao inglesa
Revoluçao inglesa
 
A república puritana de oliver cromwell e a revolução gloriosa
A república puritana de oliver cromwell e a revolução gloriosaA república puritana de oliver cromwell e a revolução gloriosa
A república puritana de oliver cromwell e a revolução gloriosa
 
Revolução Inglesa
Revolução InglesaRevolução Inglesa
Revolução Inglesa
 
Prova de História: Revolução Inglesa
Prova de História: Revolução InglesaProva de História: Revolução Inglesa
Prova de História: Revolução Inglesa
 
A república puritana de oliver cromwell e a revolução gloriosa
A república puritana de oliver cromwell e a revolução gloriosaA república puritana de oliver cromwell e a revolução gloriosa
A república puritana de oliver cromwell e a revolução gloriosa
 
A república puritana de oliver cromwell e a revolução gloriosa
A república puritana de oliver cromwell e a revolução gloriosaA república puritana de oliver cromwell e a revolução gloriosa
A república puritana de oliver cromwell e a revolução gloriosa
 
Revoluções inglesas
Revoluções inglesasRevoluções inglesas
Revoluções inglesas
 
Apresentação1
Apresentação1Apresentação1
Apresentação1
 

Mais de EEMAS

Mais de EEMAS (20)

PERIODOS DA REVOLUÇÃO FRANCESA - HOSTORIA.pdf
PERIODOS DA REVOLUÇÃO FRANCESA  - HOSTORIA.pdfPERIODOS DA REVOLUÇÃO FRANCESA  - HOSTORIA.pdf
PERIODOS DA REVOLUÇÃO FRANCESA - HOSTORIA.pdf
 
TUNDRA - GEOGRAFIA.pptx
TUNDRA - GEOGRAFIA.pptxTUNDRA - GEOGRAFIA.pptx
TUNDRA - GEOGRAFIA.pptx
 
O BRASIL DO SERTÃO.pptx
O BRASIL DO SERTÃO.pptxO BRASIL DO SERTÃO.pptx
O BRASIL DO SERTÃO.pptx
 
MAUS TRATOS DE ANIMAIS - SOCIOLOGIA.pptx
MAUS TRATOS DE ANIMAIS - SOCIOLOGIA.pptxMAUS TRATOS DE ANIMAIS - SOCIOLOGIA.pptx
MAUS TRATOS DE ANIMAIS - SOCIOLOGIA.pptx
 
O CORAÇÃO.pptx
O CORAÇÃO.pptxO CORAÇÃO.pptx
O CORAÇÃO.pptx
 
ESTADOS UNIDOS DA AMERICA.pptx
ESTADOS UNIDOS DA AMERICA.pptxESTADOS UNIDOS DA AMERICA.pptx
ESTADOS UNIDOS DA AMERICA.pptx
 
CONSEQUENCIAS DA REVOLUÇÃO FRANCESA.pptx
CONSEQUENCIAS DA REVOLUÇÃO FRANCESA.pptxCONSEQUENCIAS DA REVOLUÇÃO FRANCESA.pptx
CONSEQUENCIAS DA REVOLUÇÃO FRANCESA.pptx
 
CONSEQUENCIA DA SEGUNDA GUERRA MUNDIAL - YARA.pdf
CONSEQUENCIA DA SEGUNDA GUERRA MUNDIAL - YARA.pdfCONSEQUENCIA DA SEGUNDA GUERRA MUNDIAL - YARA.pdf
CONSEQUENCIA DA SEGUNDA GUERRA MUNDIAL - YARA.pdf
 
ALBERT EISTEIN - EDUCAÇÃO FÍSICA.pptx
ALBERT EISTEIN - EDUCAÇÃO FÍSICA.pptxALBERT EISTEIN - EDUCAÇÃO FÍSICA.pptx
ALBERT EISTEIN - EDUCAÇÃO FÍSICA.pptx
 
LEONARDO DA VINCI - ANA LOUISY.pdf
LEONARDO DA VINCI  - ANA LOUISY.pdfLEONARDO DA VINCI  - ANA LOUISY.pdf
LEONARDO DA VINCI - ANA LOUISY.pdf
 
RENASCIMENTO CULTURAL E CIENTIFICO.pptx
RENASCIMENTO CULTURAL E CIENTIFICO.pptxRENASCIMENTO CULTURAL E CIENTIFICO.pptx
RENASCIMENTO CULTURAL E CIENTIFICO.pptx
 
VIOLÊNCIA - HISTORIA.pptx
VIOLÊNCIA - HISTORIA.pptxVIOLÊNCIA - HISTORIA.pptx
VIOLÊNCIA - HISTORIA.pptx
 
MONARQUIA - FILOSOFIA.pdf
MONARQUIA - FILOSOFIA.pdfMONARQUIA - FILOSOFIA.pdf
MONARQUIA - FILOSOFIA.pdf
 
AGRONEGÓCIO NO BRASIL .pdf
AGRONEGÓCIO NO BRASIL .pdfAGRONEGÓCIO NO BRASIL .pdf
AGRONEGÓCIO NO BRASIL .pdf
 
AS FACES DA VIOLÊNCIA.pptx
AS FACES DA VIOLÊNCIA.pptxAS FACES DA VIOLÊNCIA.pptx
AS FACES DA VIOLÊNCIA.pptx
 
SLIDE - A ORIGEM DOS SERES HUMANOS.pptx
SLIDE - A ORIGEM DOS SERES HUMANOS.pptxSLIDE - A ORIGEM DOS SERES HUMANOS.pptx
SLIDE - A ORIGEM DOS SERES HUMANOS.pptx
 
TEMA - TURISMO.pptx
TEMA - TURISMO.pptxTEMA - TURISMO.pptx
TEMA - TURISMO.pptx
 
EVOLUÇÃO DE CHARLES DARWIN.pptx
EVOLUÇÃO DE CHARLES DARWIN.pptxEVOLUÇÃO DE CHARLES DARWIN.pptx
EVOLUÇÃO DE CHARLES DARWIN.pptx
 
EVOLUÇÃO DAS ESPECIES - BIOLOGIA.pptx
EVOLUÇÃO DAS ESPECIES - BIOLOGIA.pptxEVOLUÇÃO DAS ESPECIES - BIOLOGIA.pptx
EVOLUÇÃO DAS ESPECIES - BIOLOGIA.pptx
 
AGRONEGÓCIO NO BRASIL .pdf
AGRONEGÓCIO NO BRASIL .pdfAGRONEGÓCIO NO BRASIL .pdf
AGRONEGÓCIO NO BRASIL .pdf
 

Último

CONTO-3º-4º-E-5ºANO-A-PRINCESA-E-A-ERVILHA[1] (1).docx
CONTO-3º-4º-E-5ºANO-A-PRINCESA-E-A-ERVILHA[1] (1).docxCONTO-3º-4º-E-5ºANO-A-PRINCESA-E-A-ERVILHA[1] (1).docx
CONTO-3º-4º-E-5ºANO-A-PRINCESA-E-A-ERVILHA[1] (1).docx
EduardaMedeiros18
 
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdfHans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
rarakey779
 
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdfManual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Pastor Robson Colaço
 
5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdf
5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdf5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdf
5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdf
edjailmax
 

Último (20)

Fotossíntese para o Ensino médio primeiros anos
Fotossíntese para o Ensino médio primeiros anosFotossíntese para o Ensino médio primeiros anos
Fotossíntese para o Ensino médio primeiros anos
 
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
 
Poema - Reciclar é preciso
Poema            -        Reciclar é precisoPoema            -        Reciclar é preciso
Poema - Reciclar é preciso
 
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assis
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_AssisMemórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assis
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assis
 
CONTO-3º-4º-E-5ºANO-A-PRINCESA-E-A-ERVILHA[1] (1).docx
CONTO-3º-4º-E-5ºANO-A-PRINCESA-E-A-ERVILHA[1] (1).docxCONTO-3º-4º-E-5ºANO-A-PRINCESA-E-A-ERVILHA[1] (1).docx
CONTO-3º-4º-E-5ºANO-A-PRINCESA-E-A-ERVILHA[1] (1).docx
 
Os Tempos Verbais em Inglês-tempos -dos-
Os Tempos Verbais em Inglês-tempos -dos-Os Tempos Verbais em Inglês-tempos -dos-
Os Tempos Verbais em Inglês-tempos -dos-
 
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã""Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
 
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-NovaNós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
 
Labor e Trabalho em A Condição Humana de Hannah Arendt .pdf
Labor e Trabalho em A Condição Humana de Hannah Arendt .pdfLabor e Trabalho em A Condição Humana de Hannah Arendt .pdf
Labor e Trabalho em A Condição Humana de Hannah Arendt .pdf
 
22-modernismo-5-prosa-de-45.pptxrpnsaaaa
22-modernismo-5-prosa-de-45.pptxrpnsaaaa22-modernismo-5-prosa-de-45.pptxrpnsaaaa
22-modernismo-5-prosa-de-45.pptxrpnsaaaa
 
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdfprova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
 
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditivaO que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
 
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdfHans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
 
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdfManual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
 
bem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animalbem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animal
 
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
 
Respostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdf
Respostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdfRespostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdf
Respostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdf
 
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdfAs Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
 
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdfExercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
 
5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdf
5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdf5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdf
5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdf
 

A REVOLUÇÃO INGLESA.pptx

  • 1.
  • 3. INTRODUÇÃO Durante o século XVII, mais precisamente entre 1640 e 1688, a Inglaterra foi abalada por um processo revolucionário de grandes proporções. Tratou-se da revolução Inglesa de 1640/60 (também denominada Revolução puritana), cujo desdobramento foi a chamada Revolução gloriosa, de 1688. No entanto, ambos os movimentos fizeram parte de um processo revolucionário, que assinalou a superação, em definitivo, do modo de produção feudal, do antigo regime e de suas instituições, possibilitando o advento de uma sociedade burguesa e a emergência da produção capitalista do país. Alguns historiadores admitem, inclusive, a possibilidade de não se dissociar a revolução industrial do século XVII da revolução inglesa do século XVII. Esta teria eliminado os entraves feudais que serviam de obstáculo às forças produtivas capitalistas, acelerando o processo de expropriação do campesinato, liberando mão-de-obra das áreas rurais para os centros urbanos, liquidando as antigas corporações e seus monopólios e criando as precondições para a revolução industrial.
  • 4. O processo revolucionário pode ser entendido como o resultado das contradições entre a aceleração da transição feudal/capitalista e a permanência de instituições políticas e jurídicas cada vez mais arcaicas em vista das transformações pelas quais passava a sociedade inglesa durante a época moderna.
  • 5. CARACTERISTICAS DA SOCIEDADE INGLESA ÀS VÉSPERAS DA REVOLUÇÃO A sociedade inglesa, às vésperas do movimento revolucionário, de maneira simplificada e em termos gerais, apresentava as características descritas a seguir; *Existência de uma aristocracia. *Emergência de uma pequena e média nobreza rural. *Existência de um vasto grupo médio rural- os yeomen. *Por último, os camponeses se qualquer tipo de posse e crescimento privados do acesso às “terras comunais”.
  • 6. AS FASES DO PROCESSO REVOLUCIONÁRIO *1640-1642 grande rebelião; *1642-1648 guerra civil; *1649-1658 república de Cromwell ou república puritana; *1650-1688 restauração monárquica; *1688-1689 revolução gloriosa;
  • 7. questões... 1. Durante a revolução inglesa, no século XVII, foi formado o exército de novo tipo, liderado por Oliver Cromwell, de que participavam, além da classe mercantil, da gentry, dos pequenos proprietários camponeses e de trabalhadores urbanos, segmentos mais radicais, que defendiam reformas profundas no Estado inglês. Como eram constituídos esses segmento? resposta... Era constituído pelos levellers, que reivindicavam a democracia, a extensão do sufrágio e uma maior igualdade perante a lei, e pelos diggers, defensores da posse comum das terras. comentário... Os levellers e os true levellers, ou “niveladores” e “verdadeiros niveladores”, respectivamente, representavam os grupos que queriam aprofundar as conquistas possíveis da revolução inglesa, estendendo ao máximo a participação dos pequenos proprietários em processos políticos e ampliando a reforma da posse da terra. Enquanto os primeiros defendiam a constituição de uma sociedade fundamentada na pequena propriedade, os segundos defendiam a extinção da propriedade e o livre acesso de todos à terra.
  • 8. Questão 2. Como condição para o advento do capitalismo industrial na Inglaterra no século XVIII, a revolução inglesa do século XVII é importante porque? Resposta porque eliminou as últimas barreiras feudais e fez triunfar o capitalismo agrário. Comentário Entre as alternativas econômicas apresentadas, a revolução burguesa na Inglaterra aboliu as últimas barreiras feudais, garantindo a constituição de proprietários rurais mais fortalecidos diante do poder político e consolidando sua participação política através do parlamento. Ao mesmo tempo, a revolução inglesa do século XVII acelerou o processo de cercamentos, consolidando a propriedade capitalista no campo.
  • 9. Questão 3. Os conflitos político-sociais do século XVII foram o meio principal pra que? Resposta Pelo qual a Inglaterra diluiu os obstáculos para o avanço capitalista, marcando o início da desagregação do absolutismo monárquico. Comentário A revolução burguesa diluiu os obstáculos que o absolutismo impunha à participação política e promoveu, pelo fortalecimento do parlamento, a representação política da burguesia e da gentry.
  • 10. Questão 4. Em 1657, Oliver Cromwell estabeleceu uma série de medidas que retratavam o espírito de uma política nacionalista da época. Como essas medidas se concretizaram? Resposta Nos atos de navegação, que estabeleciam que toda mercadoria importada pela Inglaterra só poderia ser transportada por navios ingleses ou por navio do país de origem da mercadoria. Comentário Os atos de navegação, o primeiro dos quais aprovados em 1651, constituíram-se em medidas que tinha por objetivo consolidar a hegemonia naval e o monopólio do comércio marítimo da Inglaterra. O ato de 1651 visava, naquele contexto, atingir os interesses holandeses, o que resultou num conflito entre os dois países entre 1652 e 1654. A vitória inglesa garantiu a supremacia marítima britânica.
  • 11. Questão 5. A revolução gloriosa, que ocorreu na Inglaterra em fins do século XVII, foi a primeira revolução de estado modernista que implantaria o que? Resposta Uma monarquia parlamentar. Comentário O resultado político da revolução gloriosa foi a consolidação de uma monarquia parlamentar em que o rei reina, mas não governa, princípio este garantido pelo bill of rights (1689), documento elaborado pelo parlamento, fundamentado no ideário lockeano e imposto aos reis a partir de então.
  • 12. Serie: 2º “B” Profª.: Marinete Borges Componentes: MARÍLIA SILVA CÍCERA LAILA
  • 13. FIM