SlideShare uma empresa Scribd logo
A Conservação do Cerrado brasileiro
 O termo Cerrado é comumente usado para
 designar um conjunto de ecossistemas
 (Savanas, Campos, Matas e Matas de
 galeria).
Cerrado Brasileiro: Área
 O Cerrado é o Segundo maior bioma brasileiro,
  sendo superado apenas pela Amazônia.
 Ocupa cerca de 21% do território nacional.
 Área nuclear
 Goiás, Tocantins, Mato Grosso do Sul, a região
  sul do Mato Grosso, o oeste e norte de Minas
  Gerais, oeste da Bahia e o Distrito Federal.
 Área Marginal - região centro sul do
 Maranhão e norte do Piauí, Rondônia, 1/5
 do estado de São Paulo e os estados de
 Roraima e Amapá.

 O cerrado tem em seu favor o fato de ser
 cortado por três das maiores bacias
 hidrográficas da América do Sul
 (Tocantins-Araguaia, São Francisco e
 Prata)
Clima
 O clima do bioma Cerrado é
  estacional, com um período chuvoso, que
  dura de outubro a março, seguido por um
  período seco, de abril a setembro.
 A precipitação média anual é de 1.500mm e
  as temperaturas são geralmente amenas ao
  longo do ano, entre 22ºC e 27°C em média.
Solo
 O Cerrado possui um solo de savana
  tropical, deficiente em nutrientes e rico em
  ferro e alumínio.
 Porém, a deficiência do solo não constitui
  um obstáculo para a exploração humana em
  grandes extensões de terras destinadas a
  agricultura e pastagens.
 Pois para torná-lo produtivo, aplicam-se
  fertilizantes e calcário.
Conseqüências das
transformações do Cerrado

 Fragmentação de hábitats;
 Extinção da biodiversidade;
 Invasão de espécies exóticas;
 Erosão dos solos;
 Poluição de aqüíferos,
 Alterações nos regimes de queimadas;
 Dentre outras.
Queimadas

 Embora o Cerrado seja um ecossistema
 naturalmente adaptado ao fogo, as queimadas
 utilizadas para o estímulo da rebrota das
 pastagens bem como para abrir novas áreas
 agrícolas culminam em sérios problemas
 ambientais como a perda de
 nutrientes, compactação e erosão dos
 solos, ocorridos especialmente nas regiões
 montanhosas do leste goiano e oeste mineiro.
 A eliminação total pelo fogo pode degradar completamente
  a biota nativa;
 Pois, o acúmulo de biomassa vegetal seca (material
  combustível) e a baixa umidade durante a época da seca,
  tende a gerar temperaturas extremamente altas em casos de
  eventuais queimadas, sendo portanto prejudiciais à flora e à
  fauna do solo.
Riqueza de espécies
 A biodiversidade do Cerrado é elevada, porém
 geralmente menosprezada. O número de plantas
 vasculares é superior àquele encontrada na maioria das
 regiões          do           mundo:          plantas
 herbáceas, arbustivas, arbóreas e cipós somam mais de
 7.000 espécies.
Ipê- amarelo cascudo
      (Tabebuia                 Pequi
    chrysotricha)        (Caryocar brasiliense)




                       Copaíba
                       (Copaifera landesdorffi.)
 Embora a mais recente revisão da fauna de mamíferos
 aponte um número de espécies maior do que as
 compilações anteriores – cerca de 199 espécies para o
 bioma, a riqueza do grupo ainda é relativamente
 pequena.
 A avifauna é rica (> 830 espécies), mas o nível de
  endemismo é baixo (3,4%).
 Os números de peixes, répteis e anfíbios são elevados.
 Apesar do número de peixes endêmicos não ser
  conhecido, a diversidade de formas endêmicas da
  herpetofauna é numericamente muito superior à das
  aves.
Piau
                 Astyanax spp
                                 Leporinus obtusidens

                                Ameiva ameiva
                                (Calango verde)


Jararaca rabo-de-osso
 (Bothrops neuwiedi
     pauloensis)




  Seriema (Cariama cristata)




                                       Ema (Rhea americana)
Tabela 2 – Cobertura de áreas protegidas nos principais biomas
brasileiros – unidades de conservação de proteção integral, de uso
sustentável e terras indígenas.


Bioma          Área (Km2)   Unidades de   Unidades de   Terras
                            proteção      uso           indígenas
                            integral      sustentável
Cerrado        2.116.000    2,2           1,9           4,1
Floresta       4.239.000    5,7           7,7           17,7
Amazônica
(incluindo
ecótonos)
Mata Atlântica 1.076.000    1,9           0,11          0,15
Pantanal       142.500      1,1           0             2,4
Caatinga       736.800      0,8           0,11          0,15
Brasil         8.534.000    3,5           3,4           8,8
 Os invertebrados são muito pouco conhecidos, mas
 estimativas sugerem uma riqueza em torno de 90.000
 espécies; outras indicam a presença de 13% das
 borboletas, 35% das abelhas e 23% dos cupins da região
 Neotropical.
O   Cerrado é um dos hotspots mundiais de
 biodiversidade. Pelo menos 137 espécies de animais
 que ocorrem no Cerrado estão ameaçadas de extinção
 em função da grande expansão da agricultura e intensa
 exploração local de produtos nativos.
 A perda de hábitat está causando o desaparecimento
 de variedades selvagens cultivares. Por exemplo o
 Cerrado é o centro de diversidades da mandioca
 (Manihot sp.), a maior fonte de alimento para mais de
 600 milhões de pessoas nos trópicos.
 Espécies selvagens de Manihot retêm variedades
  genéticas vitais para a seleção de, por exemplo,
  substâncias protéicas ou tolerância à estiagem.
 De um total de 41 localidades identificadas e
  amostradas no final dos anos 70 como centros de
  Manihot, somente uma permanece hoje em dia.
Principais Ameaças á Biodiversidade
 A degradação do solo e dos ecossistemas
  nativos e a dispersão de espécies exóticas são
  as maiores e mais amplas ameaças à
  biodiversidade.
 A partir de um manejo deficiente do solo, a
  erosão pode ser alta: em plantios convencionais
  de soja, a perda da camada superficial do solo
  é, em média, de 25ton/ha/ano, embora práticas
  de conservação, como o plantio direto, possam
  reduzir a erosão a 3ton/ha/ano.
Práticas agrícolas no Cerrado incluem o uso
extensivo de fertilizantes e calcário, os quais poluem
córregos e rios.


Além disto, o amplo uso de gramíneas africanas para
a formação de pastagens é prejudicial à
biodiversidade, aos ciclos de queimadas e à
capacidade produtiva dos ecossistemas.
 As gramíneas africanas invasoras são os maiores
 agentes de mudanças no Cerrado. Uma das variedades
 mais utilizadas é o capim-gordura, altamente impactante
 para a biodiversidade e para o funcionamento dos
 ecossistemas.
Essas gramíneas podem alcançar biomassas
extremamente elevadas e, quando secas, são
altamente inflamáveis, iniciando uma interação
gramíneas-fogo capaz de impedir o brotamento
da vegetação nativa.

Incêndios de áreas dominadas pelo capim-gordura
são mais quentes, mais prolongados e possuem
chamas altas que podem alcançar o dossel das
árvores.
Desmatamentos amplos e ilegais das matas de galeria
reduzem os suprimentos de água doce para áreas
urbanas.
Ao considerar as extensas alterações na paisagem é
igualmente esperado que tenham ocorrido alterações no
estoque regional de carbono.

Os fluxos de CO2 dos pastos plantados para a
atmosfera são mais rápidos e sazonalmente mais
variáveis do que aqueles do Cerrado nativo.
Iniciativas para a conservação
                cerrado
 As amplas transformações ocorridas nas paisagens do
  Cerrado e o status de ameaça de muitas de suas espécies
  têm provocado o surgimento de iniciativas de conservação
  por parte do governo, de organizações não governamentais
  (ONGs), pesquisadores e do setor privado
 Uma rede de ONGs (a Rede Cerrado) foi estabelecida
    para promover localmente a adoção de práticas para o
    uso sustentável dos recursos naturais (Fundação Pro-
    Natureza, 2000).

 Em 2003, a Rede Cerrado encaminhou um documento
  conceitual ao Ministério do Meio Ambiente (MMA)
  com recomendações para a adoção de medidas
  urgentes para a conservação
 do Cerrado.
 O MMA conseqüentemente definiu um grupo de trabalho
 que, em 2004, propôs um programa de conservação
 denominado ‘Programa Cerrado Sustentável’,baseado nos
 resultados e proposições do seminário que definiu as
 prioridades para a conservação do Cerrado, em 1998
 (Fundação Pró-Natureza et al., 1999).

 A proposta visou também a integração de ações para
 conservação em regiões onde atividades agropecuárias são
 especialmente   intensas,   danosas     e   amplamente
 disseminadas.
 Como um importante passo inicial, Goiás preparou
  sua própria avaliação do ‘estado do meio ambiente.
 Com base no plano de trabalho do Global
  Environment Outlook do Programa das Nações Unidas
  para o Meio Ambiente, a avaliação identificou
  impactos sobre a biodiversidade e estabeleceu as ações
  estaduais,envolvimento da sociedade civil (por
  exemplo, a Agenda 21 de Goiás), uma base legal e
  recomendaçõesde prioridades (Galinkin, 2003).
Corredor de conservação da
Biodiversidade Emas-Taquari
Desafios Futuros: Como Conciliar Uso da
   Terra Com Conservação No Cerrado


 Um dos principais desafios na conservação do Cerrado
será demonstrar a importância que a biodiversidade
desempenha no funcionamento dos ecossistemas. O
conhecimento sobre a biodiversidade e as implicações
das alterações no uso da terra sobre o funcionamento
dos ecossistemas serão fundamentais para o debate
“desenvolvimento versus conservação”.
A falta de conhecimento e as incertezas sobre os
principais fatores que causavam o desmatamento no
Cerrado prejudicaram sua conservação e manejo.
Apesar de avanços recentes na pesquisa científica, seu
impacto ainda tem sido modesto na tomada de
decisões, em parte pela inexistência de uma pesquisa
mais orientada para a resolução de problemas, e em
parte pela ausência de um programa regional de
prioridades em pesquisa
Dados recentes do
desmatamento do
    cerrado
SOS
CERRADO
COMPONENTES
 Bruna Marlane
 Ivonete Lúcia
 Grace Kelly
 Márcia Helena
 Tatiane Santos

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Mata Atlântica
Mata AtlânticaMata Atlântica
Mata Atlântica
Ana Cristina de Jesus
 
FLORESTAS TROPICAIS
FLORESTAS TROPICAISFLORESTAS TROPICAIS
FLORESTAS TROPICAIS
Conceição Fontolan
 
Caatinga
CaatingaCaatinga
Caatinga
CaatingaCaatinga
Caatinga
Edmar Souza
 
Biodiversidade - Biomas Brasileiros
Biodiversidade - Biomas BrasileirosBiodiversidade - Biomas Brasileiros
Biodiversidade - Biomas Brasileiros
Angelita Silva
 
Mata Atlântica - Biomas
Mata Atlântica - BiomasMata Atlântica - Biomas
Mata Atlântica - Biomas
Beatriz Monteiro
 
Mata atlântica
Mata atlânticaMata atlântica
Mata atlântica
Marcos P Lima
 
Amazônia
AmazôniaAmazônia
Amazônia
Edmar Souza
 
DEGRADAÇÃO DO SOLO NO BRASIL: CAUSAS, CONSEQÜÊNCIAS E SOLUÇÕES
DEGRADAÇÃO DO SOLO NO BRASIL: CAUSAS, CONSEQÜÊNCIAS E SOLUÇÕES DEGRADAÇÃO DO SOLO NO BRASIL: CAUSAS, CONSEQÜÊNCIAS E SOLUÇÕES
DEGRADAÇÃO DO SOLO NO BRASIL: CAUSAS, CONSEQÜÊNCIAS E SOLUÇÕES
Hipólito Murga
 
Biomas do Brasil
Biomas do BrasilBiomas do Brasil
Biomas do Brasil
Fábio Ianomami
 
Vegetação do brasil
Vegetação do brasilVegetação do brasil
Vegetação do brasil
João José Ferreira Tojal
 
Bioma Mata atlântica
Bioma Mata atlânticaBioma Mata atlântica
Bioma Mata atlântica
Felipe Batista
 
Agricultura brasileira - Estrutura Fundiaria e Reforma Agrária
Agricultura brasileira - Estrutura Fundiaria e Reforma AgráriaAgricultura brasileira - Estrutura Fundiaria e Reforma Agrária
Agricultura brasileira - Estrutura Fundiaria e Reforma Agrária
Paulo Cerqueira
 
Setores da economia
Setores da economiaSetores da economia
Setores da economia
Suely Takahashi
 
Caatinga
CaatingaCaatinga
Caatinga
Thais Suzarte
 
Apresentação amazônia
Apresentação   amazôniaApresentação   amazônia
Apresentação amazônia
Victor Ygor
 
Extrativismo vegetal e mineral
Extrativismo vegetal e mineralExtrativismo vegetal e mineral
Extrativismo vegetal e mineral
RATHES SILVA
 
Dominios Morfoclimaticos
Dominios MorfoclimaticosDominios Morfoclimaticos
Dominios Morfoclimaticos
Stéfano Silveira
 
Cerrado
CerradoCerrado
Cerrado
Edmar Souza
 
Bioma amazônico
Bioma amazônicoBioma amazônico
Bioma amazônico
Leonaci Rios
 

Mais procurados (20)

Mata Atlântica
Mata AtlânticaMata Atlântica
Mata Atlântica
 
FLORESTAS TROPICAIS
FLORESTAS TROPICAISFLORESTAS TROPICAIS
FLORESTAS TROPICAIS
 
Caatinga
CaatingaCaatinga
Caatinga
 
Caatinga
CaatingaCaatinga
Caatinga
 
Biodiversidade - Biomas Brasileiros
Biodiversidade - Biomas BrasileirosBiodiversidade - Biomas Brasileiros
Biodiversidade - Biomas Brasileiros
 
Mata Atlântica - Biomas
Mata Atlântica - BiomasMata Atlântica - Biomas
Mata Atlântica - Biomas
 
Mata atlântica
Mata atlânticaMata atlântica
Mata atlântica
 
Amazônia
AmazôniaAmazônia
Amazônia
 
DEGRADAÇÃO DO SOLO NO BRASIL: CAUSAS, CONSEQÜÊNCIAS E SOLUÇÕES
DEGRADAÇÃO DO SOLO NO BRASIL: CAUSAS, CONSEQÜÊNCIAS E SOLUÇÕES DEGRADAÇÃO DO SOLO NO BRASIL: CAUSAS, CONSEQÜÊNCIAS E SOLUÇÕES
DEGRADAÇÃO DO SOLO NO BRASIL: CAUSAS, CONSEQÜÊNCIAS E SOLUÇÕES
 
Biomas do Brasil
Biomas do BrasilBiomas do Brasil
Biomas do Brasil
 
Vegetação do brasil
Vegetação do brasilVegetação do brasil
Vegetação do brasil
 
Bioma Mata atlântica
Bioma Mata atlânticaBioma Mata atlântica
Bioma Mata atlântica
 
Agricultura brasileira - Estrutura Fundiaria e Reforma Agrária
Agricultura brasileira - Estrutura Fundiaria e Reforma AgráriaAgricultura brasileira - Estrutura Fundiaria e Reforma Agrária
Agricultura brasileira - Estrutura Fundiaria e Reforma Agrária
 
Setores da economia
Setores da economiaSetores da economia
Setores da economia
 
Caatinga
CaatingaCaatinga
Caatinga
 
Apresentação amazônia
Apresentação   amazôniaApresentação   amazônia
Apresentação amazônia
 
Extrativismo vegetal e mineral
Extrativismo vegetal e mineralExtrativismo vegetal e mineral
Extrativismo vegetal e mineral
 
Dominios Morfoclimaticos
Dominios MorfoclimaticosDominios Morfoclimaticos
Dominios Morfoclimaticos
 
Cerrado
CerradoCerrado
Cerrado
 
Bioma amazônico
Bioma amazônicoBioma amazônico
Bioma amazônico
 

Destaque

Trabalho de geo CERRADO
Trabalho de geo CERRADOTrabalho de geo CERRADO
Trabalho de geo CERRADO
William Barcellos
 
Cerrado Brasileiro
Cerrado BrasileiroCerrado Brasileiro
Cerrado Brasileiro
ecsette
 
Cerrado
Cerrado Cerrado
Cerrado
CerradoCerrado
Cerrado
Carol Almeida
 
Biomas cerrado-2
Biomas   cerrado-2Biomas   cerrado-2
Biomas cerrado-2
Vinícius Nonato
 
Trabalho de Biologia
Trabalho de Biologia Trabalho de Biologia
Trabalho de Biologia
PorfSIlva
 
Trabalho Cerrado - 3* ANO
Trabalho Cerrado - 3* ANOTrabalho Cerrado - 3* ANO
Trabalho Cerrado - 3* ANO
Jhonatas Neves
 
Geografia apresentação Cerrado
Geografia apresentação CerradoGeografia apresentação Cerrado
Geografia apresentação Cerrado
renato287
 
Bioma da Caatinga - Completo
Bioma da Caatinga - CompletoBioma da Caatinga - Completo
Bioma da Caatinga - Completo
Bruno Djvan Ramos Barbosa
 
Mata AtlâNtica
Mata AtlâNticaMata AtlâNtica
Mata AtlâNtica
diegovicari
 
Cerrado do Brasil
Cerrado do BrasilCerrado do Brasil
Cerrado do Brasil
Dani Santos
 
Cerrado
CerradoCerrado
Unidades de conservação na amazônia
Unidades de conservação na amazôniaUnidades de conservação na amazônia
Unidades de conservação na amazônia
Universidade Federal Rural da Amazônia
 
Apres Cerrado Bioloja
Apres Cerrado BiolojaApres Cerrado Bioloja
Apres Cerrado Bioloja
Diego Yamazaki Bolano
 
Mata atlântica
Mata atlânticaMata atlântica
Mata atlântica
Sandra Barros
 
Ecologia Cerrado
Ecologia CerradoEcologia Cerrado
Ecologia Cerrado
RAFAELA BARBOSA
 
Campanha da fraternidade 2017 cf 2017 biomas brasileiros resumo do texto base
Campanha da fraternidade 2017 cf 2017 biomas brasileiros resumo do texto baseCampanha da fraternidade 2017 cf 2017 biomas brasileiros resumo do texto base
Campanha da fraternidade 2017 cf 2017 biomas brasileiros resumo do texto base
Antonio De Assis Ribeiro
 
Ecologia - Bioma Amazônia
Ecologia - Bioma AmazôniaEcologia - Bioma Amazônia
Ecologia - Bioma Amazônia
Bruno Anacleto
 
Biomas Brasileiros
Biomas BrasileirosBiomas Brasileiros
Biomas Brasileiros
Escola Adventista de Amaralina
 
Biomas brasileiros
Biomas brasileirosBiomas brasileiros
Biomas brasileiros
Maicon Azevedo
 

Destaque (20)

Trabalho de geo CERRADO
Trabalho de geo CERRADOTrabalho de geo CERRADO
Trabalho de geo CERRADO
 
Cerrado Brasileiro
Cerrado BrasileiroCerrado Brasileiro
Cerrado Brasileiro
 
Cerrado
Cerrado Cerrado
Cerrado
 
Cerrado
CerradoCerrado
Cerrado
 
Biomas cerrado-2
Biomas   cerrado-2Biomas   cerrado-2
Biomas cerrado-2
 
Trabalho de Biologia
Trabalho de Biologia Trabalho de Biologia
Trabalho de Biologia
 
Trabalho Cerrado - 3* ANO
Trabalho Cerrado - 3* ANOTrabalho Cerrado - 3* ANO
Trabalho Cerrado - 3* ANO
 
Geografia apresentação Cerrado
Geografia apresentação CerradoGeografia apresentação Cerrado
Geografia apresentação Cerrado
 
Bioma da Caatinga - Completo
Bioma da Caatinga - CompletoBioma da Caatinga - Completo
Bioma da Caatinga - Completo
 
Mata AtlâNtica
Mata AtlâNticaMata AtlâNtica
Mata AtlâNtica
 
Cerrado do Brasil
Cerrado do BrasilCerrado do Brasil
Cerrado do Brasil
 
Cerrado
CerradoCerrado
Cerrado
 
Unidades de conservação na amazônia
Unidades de conservação na amazôniaUnidades de conservação na amazônia
Unidades de conservação na amazônia
 
Apres Cerrado Bioloja
Apres Cerrado BiolojaApres Cerrado Bioloja
Apres Cerrado Bioloja
 
Mata atlântica
Mata atlânticaMata atlântica
Mata atlântica
 
Ecologia Cerrado
Ecologia CerradoEcologia Cerrado
Ecologia Cerrado
 
Campanha da fraternidade 2017 cf 2017 biomas brasileiros resumo do texto base
Campanha da fraternidade 2017 cf 2017 biomas brasileiros resumo do texto baseCampanha da fraternidade 2017 cf 2017 biomas brasileiros resumo do texto base
Campanha da fraternidade 2017 cf 2017 biomas brasileiros resumo do texto base
 
Ecologia - Bioma Amazônia
Ecologia - Bioma AmazôniaEcologia - Bioma Amazônia
Ecologia - Bioma Amazônia
 
Biomas Brasileiros
Biomas BrasileirosBiomas Brasileiros
Biomas Brasileiros
 
Biomas brasileiros
Biomas brasileirosBiomas brasileiros
Biomas brasileiros
 

Semelhante a A conservação do cerrado com imagens

Reserva Florestal Ingazeira - Proposta de Conservação da Biodiversidade e Val...
Reserva Florestal Ingazeira - Proposta de Conservação da Biodiversidade e Val...Reserva Florestal Ingazeira - Proposta de Conservação da Biodiversidade e Val...
Reserva Florestal Ingazeira - Proposta de Conservação da Biodiversidade e Val...
Benito Fernandez Mera
 
Biomas.ppt
Biomas.pptBiomas.ppt
Biomas.ppt
RedneyAlesi
 
Biomas.ppt
Biomas.pptBiomas.ppt
Biomas.ppt
Biomas.pptBiomas.ppt
Biomas.ppt
LinoReis1
 
Biodiversidade 3 ano- prof reginaldo
Biodiversidade  3 ano- prof reginaldoBiodiversidade  3 ano- prof reginaldo
Biodiversidade 3 ano- prof reginaldo
stjamesmkt
 
VEGETAÇÃO BRASILEIRA-TRABALHO REALIZADO PELO 3ºANO ENS.MÉDIO
VEGETAÇÃO BRASILEIRA-TRABALHO REALIZADO PELO 3ºANO ENS.MÉDIOVEGETAÇÃO BRASILEIRA-TRABALHO REALIZADO PELO 3ºANO ENS.MÉDIO
VEGETAÇÃO BRASILEIRA-TRABALHO REALIZADO PELO 3ºANO ENS.MÉDIO
Maria Lima
 
Biodiversidade
BiodiversidadeBiodiversidade
Biodiversidade
LuizBraz9
 
Biomas
BiomasBiomas
Aula matemática/biologia
Aula matemática/biologiaAula matemática/biologia
Aula matemática/biologia
radixmatematica
 
Cerrado
CerradoCerrado
Cerrado
Kassia Santos
 
BIOMA AMAZONIA.pdf
BIOMA AMAZONIA.pdfBIOMA AMAZONIA.pdf
BIOMA AMAZONIA.pdf
JooPedroMapurungadeS
 
Biomas-Brasileiros-e-suas-nuances_Aulafinal.pptx
Biomas-Brasileiros-e-suas-nuances_Aulafinal.pptxBiomas-Brasileiros-e-suas-nuances_Aulafinal.pptx
Biomas-Brasileiros-e-suas-nuances_Aulafinal.pptx
ClaudioAdriano4
 
Caatinga, Mata Atlatica e Amazonia
Caatinga, Mata Atlatica e AmazoniaCaatinga, Mata Atlatica e Amazonia
Caatinga, Mata Atlatica e Amazonia
Ancelmo Furtado
 
Biomas , DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS E A GUERRA DO CONTESTADO
Biomas  , DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS E A GUERRA DO CONTESTADOBiomas  , DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS E A GUERRA DO CONTESTADO
Biomas , DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS E A GUERRA DO CONTESTADO
Conceição Fontolan
 
Os biomas brasileiros ......
Os biomas brasileiros ......Os biomas brasileiros ......
Os biomas brasileiros ......
Anacleto Damiani
 
Apresentação Campos Sulinos
Apresentação Campos SulinosApresentação Campos Sulinos
Apresentação Campos Sulinos
Jade
 
Bioma Campos Sulinos
Bioma   Campos SulinosBioma   Campos Sulinos
Bioma Campos Sulinos
RAFAELA BARBOSA
 
Biomas do brasil
Biomas do brasilBiomas do brasil
Biomas do brasil
Raquel Avila
 
Biomas do brasileiros
Biomas do brasileirosBiomas do brasileiros
Biomas do brasileiros
Raquel Avila
 
13/03/1989
13/03/198913/03/1989
13/03/1989
jupia87
 

Semelhante a A conservação do cerrado com imagens (20)

Reserva Florestal Ingazeira - Proposta de Conservação da Biodiversidade e Val...
Reserva Florestal Ingazeira - Proposta de Conservação da Biodiversidade e Val...Reserva Florestal Ingazeira - Proposta de Conservação da Biodiversidade e Val...
Reserva Florestal Ingazeira - Proposta de Conservação da Biodiversidade e Val...
 
Biomas.ppt
Biomas.pptBiomas.ppt
Biomas.ppt
 
Biomas.ppt
Biomas.pptBiomas.ppt
Biomas.ppt
 
Biomas.ppt
Biomas.pptBiomas.ppt
Biomas.ppt
 
Biodiversidade 3 ano- prof reginaldo
Biodiversidade  3 ano- prof reginaldoBiodiversidade  3 ano- prof reginaldo
Biodiversidade 3 ano- prof reginaldo
 
VEGETAÇÃO BRASILEIRA-TRABALHO REALIZADO PELO 3ºANO ENS.MÉDIO
VEGETAÇÃO BRASILEIRA-TRABALHO REALIZADO PELO 3ºANO ENS.MÉDIOVEGETAÇÃO BRASILEIRA-TRABALHO REALIZADO PELO 3ºANO ENS.MÉDIO
VEGETAÇÃO BRASILEIRA-TRABALHO REALIZADO PELO 3ºANO ENS.MÉDIO
 
Biodiversidade
BiodiversidadeBiodiversidade
Biodiversidade
 
Biomas
BiomasBiomas
Biomas
 
Aula matemática/biologia
Aula matemática/biologiaAula matemática/biologia
Aula matemática/biologia
 
Cerrado
CerradoCerrado
Cerrado
 
BIOMA AMAZONIA.pdf
BIOMA AMAZONIA.pdfBIOMA AMAZONIA.pdf
BIOMA AMAZONIA.pdf
 
Biomas-Brasileiros-e-suas-nuances_Aulafinal.pptx
Biomas-Brasileiros-e-suas-nuances_Aulafinal.pptxBiomas-Brasileiros-e-suas-nuances_Aulafinal.pptx
Biomas-Brasileiros-e-suas-nuances_Aulafinal.pptx
 
Caatinga, Mata Atlatica e Amazonia
Caatinga, Mata Atlatica e AmazoniaCaatinga, Mata Atlatica e Amazonia
Caatinga, Mata Atlatica e Amazonia
 
Biomas , DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS E A GUERRA DO CONTESTADO
Biomas  , DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS E A GUERRA DO CONTESTADOBiomas  , DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS E A GUERRA DO CONTESTADO
Biomas , DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS E A GUERRA DO CONTESTADO
 
Os biomas brasileiros ......
Os biomas brasileiros ......Os biomas brasileiros ......
Os biomas brasileiros ......
 
Apresentação Campos Sulinos
Apresentação Campos SulinosApresentação Campos Sulinos
Apresentação Campos Sulinos
 
Bioma Campos Sulinos
Bioma   Campos SulinosBioma   Campos Sulinos
Bioma Campos Sulinos
 
Biomas do brasil
Biomas do brasilBiomas do brasil
Biomas do brasil
 
Biomas do brasileiros
Biomas do brasileirosBiomas do brasileiros
Biomas do brasileiros
 
13/03/1989
13/03/198913/03/1989
13/03/1989
 

A conservação do cerrado com imagens

  • 1.
  • 2. A Conservação do Cerrado brasileiro  O termo Cerrado é comumente usado para designar um conjunto de ecossistemas (Savanas, Campos, Matas e Matas de galeria).
  • 3. Cerrado Brasileiro: Área  O Cerrado é o Segundo maior bioma brasileiro, sendo superado apenas pela Amazônia.  Ocupa cerca de 21% do território nacional.  Área nuclear  Goiás, Tocantins, Mato Grosso do Sul, a região sul do Mato Grosso, o oeste e norte de Minas Gerais, oeste da Bahia e o Distrito Federal.
  • 4.  Área Marginal - região centro sul do Maranhão e norte do Piauí, Rondônia, 1/5 do estado de São Paulo e os estados de Roraima e Amapá.  O cerrado tem em seu favor o fato de ser cortado por três das maiores bacias hidrográficas da América do Sul (Tocantins-Araguaia, São Francisco e Prata)
  • 5. Clima  O clima do bioma Cerrado é estacional, com um período chuvoso, que dura de outubro a março, seguido por um período seco, de abril a setembro.  A precipitação média anual é de 1.500mm e as temperaturas são geralmente amenas ao longo do ano, entre 22ºC e 27°C em média.
  • 6. Solo  O Cerrado possui um solo de savana tropical, deficiente em nutrientes e rico em ferro e alumínio.  Porém, a deficiência do solo não constitui um obstáculo para a exploração humana em grandes extensões de terras destinadas a agricultura e pastagens.  Pois para torná-lo produtivo, aplicam-se fertilizantes e calcário.
  • 7. Conseqüências das transformações do Cerrado  Fragmentação de hábitats;  Extinção da biodiversidade;  Invasão de espécies exóticas;  Erosão dos solos;  Poluição de aqüíferos,  Alterações nos regimes de queimadas;  Dentre outras.
  • 8. Queimadas  Embora o Cerrado seja um ecossistema naturalmente adaptado ao fogo, as queimadas utilizadas para o estímulo da rebrota das pastagens bem como para abrir novas áreas agrícolas culminam em sérios problemas ambientais como a perda de nutrientes, compactação e erosão dos solos, ocorridos especialmente nas regiões montanhosas do leste goiano e oeste mineiro.
  • 9.  A eliminação total pelo fogo pode degradar completamente a biota nativa;  Pois, o acúmulo de biomassa vegetal seca (material combustível) e a baixa umidade durante a época da seca, tende a gerar temperaturas extremamente altas em casos de eventuais queimadas, sendo portanto prejudiciais à flora e à fauna do solo.
  • 10. Riqueza de espécies  A biodiversidade do Cerrado é elevada, porém geralmente menosprezada. O número de plantas vasculares é superior àquele encontrada na maioria das regiões do mundo: plantas herbáceas, arbustivas, arbóreas e cipós somam mais de 7.000 espécies.
  • 11. Ipê- amarelo cascudo (Tabebuia Pequi chrysotricha) (Caryocar brasiliense) Copaíba (Copaifera landesdorffi.)
  • 12.  Embora a mais recente revisão da fauna de mamíferos aponte um número de espécies maior do que as compilações anteriores – cerca de 199 espécies para o bioma, a riqueza do grupo ainda é relativamente pequena.
  • 13.
  • 14.  A avifauna é rica (> 830 espécies), mas o nível de endemismo é baixo (3,4%).  Os números de peixes, répteis e anfíbios são elevados.  Apesar do número de peixes endêmicos não ser conhecido, a diversidade de formas endêmicas da herpetofauna é numericamente muito superior à das aves.
  • 15. Piau Astyanax spp Leporinus obtusidens Ameiva ameiva (Calango verde) Jararaca rabo-de-osso (Bothrops neuwiedi pauloensis) Seriema (Cariama cristata) Ema (Rhea americana)
  • 16. Tabela 2 – Cobertura de áreas protegidas nos principais biomas brasileiros – unidades de conservação de proteção integral, de uso sustentável e terras indígenas. Bioma Área (Km2) Unidades de Unidades de Terras proteção uso indígenas integral sustentável Cerrado 2.116.000 2,2 1,9 4,1 Floresta 4.239.000 5,7 7,7 17,7 Amazônica (incluindo ecótonos) Mata Atlântica 1.076.000 1,9 0,11 0,15 Pantanal 142.500 1,1 0 2,4 Caatinga 736.800 0,8 0,11 0,15 Brasil 8.534.000 3,5 3,4 8,8
  • 17.  Os invertebrados são muito pouco conhecidos, mas estimativas sugerem uma riqueza em torno de 90.000 espécies; outras indicam a presença de 13% das borboletas, 35% das abelhas e 23% dos cupins da região Neotropical.
  • 18. O Cerrado é um dos hotspots mundiais de biodiversidade. Pelo menos 137 espécies de animais que ocorrem no Cerrado estão ameaçadas de extinção em função da grande expansão da agricultura e intensa exploração local de produtos nativos.
  • 19.  A perda de hábitat está causando o desaparecimento de variedades selvagens cultivares. Por exemplo o Cerrado é o centro de diversidades da mandioca (Manihot sp.), a maior fonte de alimento para mais de 600 milhões de pessoas nos trópicos.
  • 20.  Espécies selvagens de Manihot retêm variedades genéticas vitais para a seleção de, por exemplo, substâncias protéicas ou tolerância à estiagem.  De um total de 41 localidades identificadas e amostradas no final dos anos 70 como centros de Manihot, somente uma permanece hoje em dia.
  • 21. Principais Ameaças á Biodiversidade  A degradação do solo e dos ecossistemas nativos e a dispersão de espécies exóticas são as maiores e mais amplas ameaças à biodiversidade.  A partir de um manejo deficiente do solo, a erosão pode ser alta: em plantios convencionais de soja, a perda da camada superficial do solo é, em média, de 25ton/ha/ano, embora práticas de conservação, como o plantio direto, possam reduzir a erosão a 3ton/ha/ano.
  • 22. Práticas agrícolas no Cerrado incluem o uso extensivo de fertilizantes e calcário, os quais poluem córregos e rios. Além disto, o amplo uso de gramíneas africanas para a formação de pastagens é prejudicial à biodiversidade, aos ciclos de queimadas e à capacidade produtiva dos ecossistemas.
  • 23.  As gramíneas africanas invasoras são os maiores agentes de mudanças no Cerrado. Uma das variedades mais utilizadas é o capim-gordura, altamente impactante para a biodiversidade e para o funcionamento dos ecossistemas.
  • 24. Essas gramíneas podem alcançar biomassas extremamente elevadas e, quando secas, são altamente inflamáveis, iniciando uma interação gramíneas-fogo capaz de impedir o brotamento da vegetação nativa. Incêndios de áreas dominadas pelo capim-gordura são mais quentes, mais prolongados e possuem chamas altas que podem alcançar o dossel das árvores.
  • 25. Desmatamentos amplos e ilegais das matas de galeria reduzem os suprimentos de água doce para áreas urbanas. Ao considerar as extensas alterações na paisagem é igualmente esperado que tenham ocorrido alterações no estoque regional de carbono. Os fluxos de CO2 dos pastos plantados para a atmosfera são mais rápidos e sazonalmente mais variáveis do que aqueles do Cerrado nativo.
  • 26. Iniciativas para a conservação cerrado  As amplas transformações ocorridas nas paisagens do Cerrado e o status de ameaça de muitas de suas espécies têm provocado o surgimento de iniciativas de conservação por parte do governo, de organizações não governamentais (ONGs), pesquisadores e do setor privado
  • 27.  Uma rede de ONGs (a Rede Cerrado) foi estabelecida para promover localmente a adoção de práticas para o uso sustentável dos recursos naturais (Fundação Pro- Natureza, 2000).   Em 2003, a Rede Cerrado encaminhou um documento conceitual ao Ministério do Meio Ambiente (MMA) com recomendações para a adoção de medidas urgentes para a conservação  do Cerrado.
  • 28.  O MMA conseqüentemente definiu um grupo de trabalho que, em 2004, propôs um programa de conservação denominado ‘Programa Cerrado Sustentável’,baseado nos resultados e proposições do seminário que definiu as prioridades para a conservação do Cerrado, em 1998 (Fundação Pró-Natureza et al., 1999).  A proposta visou também a integração de ações para conservação em regiões onde atividades agropecuárias são especialmente intensas, danosas e amplamente disseminadas.
  • 29.  Como um importante passo inicial, Goiás preparou sua própria avaliação do ‘estado do meio ambiente.  Com base no plano de trabalho do Global Environment Outlook do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente, a avaliação identificou impactos sobre a biodiversidade e estabeleceu as ações estaduais,envolvimento da sociedade civil (por exemplo, a Agenda 21 de Goiás), uma base legal e recomendaçõesde prioridades (Galinkin, 2003).
  • 30. Corredor de conservação da Biodiversidade Emas-Taquari
  • 31. Desafios Futuros: Como Conciliar Uso da Terra Com Conservação No Cerrado Um dos principais desafios na conservação do Cerrado será demonstrar a importância que a biodiversidade desempenha no funcionamento dos ecossistemas. O conhecimento sobre a biodiversidade e as implicações das alterações no uso da terra sobre o funcionamento dos ecossistemas serão fundamentais para o debate “desenvolvimento versus conservação”.
  • 32. A falta de conhecimento e as incertezas sobre os principais fatores que causavam o desmatamento no Cerrado prejudicaram sua conservação e manejo. Apesar de avanços recentes na pesquisa científica, seu impacto ainda tem sido modesto na tomada de decisões, em parte pela inexistência de uma pesquisa mais orientada para a resolução de problemas, e em parte pela ausência de um programa regional de prioridades em pesquisa
  • 34.
  • 35.
  • 36.
  • 37.
  • 39.
  • 40. COMPONENTES  Bruna Marlane  Ivonete Lúcia  Grace Kelly  Márcia Helena  Tatiane Santos