SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 23
Clima
• É o conjunto das características de
temperatura, umidade, ventos e
chuvas em uma determinada
região ao longo do ano.
• Ele é sempre constante e
caracteriza as diferentes regiões
da Terra.
• É um termo geral para a vida
vegetal de uma região.
• Formas de vida que cobrem
os solos, as estruturas espaciais ou
qualquer outra medida específica
ou geográfica que possua
características botânicas.
• Tais condições são: luz,
calor, umidade e solos favoráveis,
nos quais é indispensável a água.
• Estações do ano
bem definidas;
• Não possuem uma
estação seca;
• Chuvas são bem
distribuídas
durante o ano;
• Máxima: 20ºC;
• Mínima: 0ºC ;
• Verão:Quente
• Inverno: Frio
• Grande índice
pluviométrico
(2500 mm);
• Podendo nevar
•Índice
pluviométrico
baixíssimo em torno
de 600 mm anuais;
•Temperatura é
elevada, com média
de 27 °C;
•Chuvas são
escassas e
irregulares;
•Longos períodos
secos;
• Apresenta
temperaturas altas o
ano todo;
• Chuvas bem
distribuídas nos 12
meses;
• Estação seca é
curta;
• Umidade constante
na região;
• Grandes
quantidades de
chuvas
• Índices
pluviométricos mais
altos do Brasil
(cerca de 2.500mm);
• Índices
pluviométricos
em torno de
1500 mm a
2000 mm;
• Dois tipos de
chuvas que
ocorrem
nesse clima:
• - Chuvas
orográficas,
• -Chuvas
frontais
•Característica:
Temperatura
alta;
•Temperaturas
médias de 18°
C ou mais em
todo o ano;
•Verão:Chuvos
o
•Inverno :Seco
•Índice
pluviométrico
maior em áreas
litorâneas.
• A temperatura,
entre 15º e 22º C;
• Característico de
regiões com
altitude acima de
1000m;
• Uma característica
desse clima são
as geadas durante
o inverno;
• Chuvas se
concentram no
verão e no outono;
• Índice de
pluviosidade
influenciado pela
proximidade do
oceano;
1 2 3
1 2 3
• Vegetação:
FLORESTA
AMAZÔNICA
• Ocorrência:
AMAZÔNIA
• Característica:
HIDRÓFILA,
LATIFOLIADA E
PERENE
• Espécie:
SERINGUEIRA,
CASTANHEIRA
, CACAUEIRO
E GUARANÁ
• Vegetação:
MATA
ATLÂNTICA
• Ocorrência:
ENCOSTA
ORIENTAL
• Característica:
HIDROFILA E
PERENE,
MUITO
DEVASTADA
• Espécie:
CEDRO, IPÊ,
JACARANDÁ,
PEROBA E
PAU-BRASIL
• Vegetação:
CERRADO
• Ocorrência:
CENTRO-
OESTE
• Característica:
ASSOCIAÇÃO
DE ARBUSTOS
E GRAMÍNEAS
• Espécie:
LIXEIRA E
BARBATIMÃO
1
1 2 3
21
• Vegetação:
MATA DOS
COCAIS
• Ocorrência:
MEIO-NORTE
E LITORAL DO
CE E RN
• Característica:
HOMOGÊNEA
• Espécie:
BABAÇU E
CARNAÚBA
• Vegetação:
CAATINGA
• Ocorrência:
SERTÃO DO
NORDESTE
• Característica:
XERÓFILA
• Espécie:
XIQUEXIQUE,
FACHEIRO E
MANDACARU
• Vegetação:
MATA DE
PINHAIS OU
ARAUCÁRIA
• Ocorrência:
REGIÃO SUL
DO BRASIL
• Característica:
HOMOGÊNEA
E ABERTA
• Espécie:
PINHEIRO E
ERVA MATE
1
1
3
• Vegetação:
COMPLEXO
DO PANTANAL
• Ocorrência:
PANTANAL-
MATO-
GROSSENSE
• Característica:
VEGETAÇÃO
COMPLEXA
• Espécie:
PALMEIRAS,
GRAMÍNEAS E
QUEBRACHO
• Vegetação:
CAMPOS
• Ocorrência:
SUL DO PAÍS,
CENTRO-
OESTE E ILHA
DE MARAJÓ
• Característica:
VEGETAÇÃO
RASTEIRA
• Espécie:
CAPIM-
MIMOSO,
JARAGUÁ E
GORDURA
• Vegetação:
VEGETAÇÃO
LITORÂNEA
• Ocorrência:
FAIXA
LITORÂNEA
• Característica:
VEGETAÇÃO
ADAPTADA
AGUAS
SALGADAS
• Espécie:
RHIZOHORA
MANGLE,
BROMÉLIAS,
ORQUÍDEAS,
ALGAS,
LIQUENS
2
3
1
Prevalece o clima equatorial
úmido.
Sudeste do Pará e em todo
Estado do Tocantins:clima
tropical
Noroeste do Pará e leste de
Roraima:equatorial semiúmido
Áreas de Cerrado, Campos e
vegetação Litorânea, mas a
principal é a floresta Amazônica.
Classificada em quatro tipos: mata
de igapó, mata de várzea, mata de
terra firme e floresta semiúmida.
plantas do tipo latifoliadas e
perenifólias
Localizada na zona intertropical da Terra.
Tipos de climas ao longo da região
Nordeste: tropical, semiárido e equatorial
úmido.
Tropical: Sul da Bahia,centro do maranhão
e na parte litorânea da região
Clima semiárido região central do
Nordeste
Clima equatorial úmido: oeste do
Maranhão
Das áreas litorâneas: mangues,
vegetação de dunas etc.
Clima tropical( como no centro-oeste da
região):Cerrado.
Clima semiárido Caatinga
No extremo oeste da região
Nordeste(onde o clima é o
equatorial):Floresta Amazônica e Mata
dos Cocais
c1
c2
fa m
a
ce
m
c
ca
Li
O clima tropical domina a
maior parte do território, com
exceção ao norte do estado
do Mato Grosso que tem o
clima equatorial da Amazônia.
O cerrado domina maior parte da região.
O extremo norte mato-grossense é
caracterizado pela Floresta Amazônica.
Encontramos
isoladamente:Vacarias,pequenos
campos abertos parecidos com os
pampas.
O clima da região sudeste :clima tropical
no litoral das baixadas capixaba e
fluminense, também na parte
setentrional mineira e oeste
paulista.Tropical de Altitude:Campos de
Jordão e Ouro preto.
Sul de SP:Subtropical
Norte de MG:Semi-Árido
Principalmente:florestas
tropicais, porém também
podemos encontrar :Ciliares e
de Galerias. Em menor
escala:cerrado e a caatinga.
ce
p
a c1
c2
m
a
Localiza-se quase
inteiramente na região
temperada.
Com clima Subtropical.
Mata das Araucárias nas
regiões mais frias, além
dos campos limpos do
pampa gaúcho. No
litoral:mangues, até
restingas.
M
ar
cp
c1 c2
Os tipos de Clima e Vegetação  do Brasil

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

A formação do território brasileiro 7º ano
A formação do território brasileiro 7º anoA formação do território brasileiro 7º ano
A formação do território brasileiro 7º anoNilberte Correia
 
Aula Tempo e clima (Geografia 6o ano)
Aula Tempo e clima (Geografia 6o ano)Aula Tempo e clima (Geografia 6o ano)
Aula Tempo e clima (Geografia 6o ano)Yasmim Ribeiro
 
As formaçoes vegetais pelo mundo
As formaçoes vegetais pelo mundoAs formaçoes vegetais pelo mundo
As formaçoes vegetais pelo mundoProfessor
 
7° ano região sudeste e sul
7° ano   região sudeste e sul7° ano   região sudeste e sul
7° ano região sudeste e sulTiago Marinho
 
Aula- Recursos hídricos- Exercícios comentados
Aula- Recursos hídricos- Exercícios comentadosAula- Recursos hídricos- Exercícios comentados
Aula- Recursos hídricos- Exercícios comentadosjoao paulo
 
As divisões regionais brasileiras
As divisões regionais brasileirasAs divisões regionais brasileiras
As divisões regionais brasileirasMárcia Dutra
 
Cap. 6 - O espaço agrário brasileiro
Cap. 6 - O espaço agrário brasileiroCap. 6 - O espaço agrário brasileiro
Cap. 6 - O espaço agrário brasileiroAcácio Netto
 
O continente americano completo
O continente americano  completoO continente americano  completo
O continente americano completoCamila Brito
 
Localização geográfica do brasil
Localização geográfica do brasilLocalização geográfica do brasil
Localização geográfica do brasilguiodrumond
 
Aula de hidrografia do brasil
Aula de hidrografia do brasilAula de hidrografia do brasil
Aula de hidrografia do brasilProfessor
 
7º ano unidade 6 - Nordeste do Brasil
7º ano   unidade 6 - Nordeste do Brasil7º ano   unidade 6 - Nordeste do Brasil
7º ano unidade 6 - Nordeste do BrasilChristie Freitas
 
Vegetação Brasileira
Vegetação BrasileiraVegetação Brasileira
Vegetação BrasileiraCleber Reis
 

Mais procurados (20)

Hidrografia
HidrografiaHidrografia
Hidrografia
 
A formação do território brasileiro 7º ano
A formação do território brasileiro 7º anoA formação do território brasileiro 7º ano
A formação do território brasileiro 7º ano
 
Aula Tempo e clima (Geografia 6o ano)
Aula Tempo e clima (Geografia 6o ano)Aula Tempo e clima (Geografia 6o ano)
Aula Tempo e clima (Geografia 6o ano)
 
As formaçoes vegetais pelo mundo
As formaçoes vegetais pelo mundoAs formaçoes vegetais pelo mundo
As formaçoes vegetais pelo mundo
 
Região sul do Brasil
Região sul do BrasilRegião sul do Brasil
Região sul do Brasil
 
7° ano região sudeste e sul
7° ano   região sudeste e sul7° ano   região sudeste e sul
7° ano região sudeste e sul
 
Aula- Recursos hídricos- Exercícios comentados
Aula- Recursos hídricos- Exercícios comentadosAula- Recursos hídricos- Exercícios comentados
Aula- Recursos hídricos- Exercícios comentados
 
População brasileira
População brasileiraPopulação brasileira
População brasileira
 
Hidrosfera: as Águas Continentais
Hidrosfera: as Águas ContinentaisHidrosfera: as Águas Continentais
Hidrosfera: as Águas Continentais
 
Geografia - Água.
Geografia - Água.Geografia - Água.
Geografia - Água.
 
As divisões regionais brasileiras
As divisões regionais brasileirasAs divisões regionais brasileiras
As divisões regionais brasileiras
 
Cap. 6 - O espaço agrário brasileiro
Cap. 6 - O espaço agrário brasileiroCap. 6 - O espaço agrário brasileiro
Cap. 6 - O espaço agrário brasileiro
 
O continente americano completo
O continente americano  completoO continente americano  completo
O continente americano completo
 
Região nordeste 7º ano
Região nordeste  7º anoRegião nordeste  7º ano
Região nordeste 7º ano
 
Localização geográfica do brasil
Localização geográfica do brasilLocalização geográfica do brasil
Localização geográfica do brasil
 
Aula de hidrografia do brasil
Aula de hidrografia do brasilAula de hidrografia do brasil
Aula de hidrografia do brasil
 
7º ano unidade 6 - Nordeste do Brasil
7º ano   unidade 6 - Nordeste do Brasil7º ano   unidade 6 - Nordeste do Brasil
7º ano unidade 6 - Nordeste do Brasil
 
Urbanização
UrbanizaçãoUrbanização
Urbanização
 
Geografia da América do Sul
Geografia da América do SulGeografia da América do Sul
Geografia da América do Sul
 
Vegetação Brasileira
Vegetação BrasileiraVegetação Brasileira
Vegetação Brasileira
 

Destaque

Climas do brasil
Climas do brasilClimas do brasil
Climas do brasilAlexia 14
 
Aula - Lixo (6° ano)
Aula - Lixo (6° ano)Aula - Lixo (6° ano)
Aula - Lixo (6° ano)Janaina Alves
 
Aula sobre lixo 6 ano
Aula sobre lixo 6 anoAula sobre lixo 6 ano
Aula sobre lixo 6 anoMathias Emke
 
Projeto Meio Ambiente - Um plano para salvar o planeta - desenvolvimento
Projeto Meio Ambiente - Um plano para salvar o planeta  - desenvolvimentoProjeto Meio Ambiente - Um plano para salvar o planeta  - desenvolvimento
Projeto Meio Ambiente - Um plano para salvar o planeta - desenvolvimentoCirlei Santos
 
Leitura Deleite: Como começa
Leitura Deleite: Como começaLeitura Deleite: Como começa
Leitura Deleite: Como começaBete Feliciano
 
Paisagens Vegetais da Terra
Paisagens Vegetais da Terra Paisagens Vegetais da Terra
Paisagens Vegetais da Terra Gabriela Fabrin
 
As grandes paisagens vegetais
As grandes paisagens vegetaisAs grandes paisagens vegetais
As grandes paisagens vegetaisbruno rangel
 
Geografia vegetação brasileira
Geografia  vegetação brasileiraGeografia  vegetação brasileira
Geografia vegetação brasileiraJaicinha
 
Aula - Relevo Brasil
Aula - Relevo BrasilAula - Relevo Brasil
Aula - Relevo Brasilgustavocnm
 
Divisão regional brasileira
Divisão regional brasileiraDivisão regional brasileira
Divisão regional brasileiraRodrigo Baglini
 
Regionalização do Brasil (IBGE)
Regionalização do Brasil (IBGE)Regionalização do Brasil (IBGE)
Regionalização do Brasil (IBGE)paulotmo
 
Geo regiões brasileiras 7º
Geo regiões brasileiras 7ºGeo regiões brasileiras 7º
Geo regiões brasileiras 7ºprofgilvano
 
Regiões brasileiras silmara
Regiões brasileiras silmaraRegiões brasileiras silmara
Regiões brasileiras silmaraSilmara Robles
 

Destaque (20)

Climas do brasil
Climas do brasilClimas do brasil
Climas do brasil
 
Aula - Lixo (6° ano)
Aula - Lixo (6° ano)Aula - Lixo (6° ano)
Aula - Lixo (6° ano)
 
Aula sobre lixo 6 ano
Aula sobre lixo 6 anoAula sobre lixo 6 ano
Aula sobre lixo 6 ano
 
Projeto Meio Ambiente - Um plano para salvar o planeta - desenvolvimento
Projeto Meio Ambiente - Um plano para salvar o planeta  - desenvolvimentoProjeto Meio Ambiente - Um plano para salvar o planeta  - desenvolvimento
Projeto Meio Ambiente - Um plano para salvar o planeta - desenvolvimento
 
Leitura deleite VOCÊ É UM NÚMERO
Leitura deleite  VOCÊ É UM NÚMEROLeitura deleite  VOCÊ É UM NÚMERO
Leitura deleite VOCÊ É UM NÚMERO
 
Leitura Deleite: Como começa
Leitura Deleite: Como começaLeitura Deleite: Como começa
Leitura Deleite: Como começa
 
Plano de aula
Plano de aulaPlano de aula
Plano de aula
 
Paisagens Vegetais da Terra
Paisagens Vegetais da Terra Paisagens Vegetais da Terra
Paisagens Vegetais da Terra
 
As grandes paisagens vegetais
As grandes paisagens vegetaisAs grandes paisagens vegetais
As grandes paisagens vegetais
 
Geografia vegetação brasileira
Geografia  vegetação brasileiraGeografia  vegetação brasileira
Geografia vegetação brasileira
 
Hidrografia do brasil
Hidrografia do brasilHidrografia do brasil
Hidrografia do brasil
 
Aula - Relevo Brasil
Aula - Relevo BrasilAula - Relevo Brasil
Aula - Relevo Brasil
 
Relevo brasileiro
Relevo brasileiroRelevo brasileiro
Relevo brasileiro
 
Divisão regional brasileira
Divisão regional brasileiraDivisão regional brasileira
Divisão regional brasileira
 
Regionalização do Brasil (IBGE)
Regionalização do Brasil (IBGE)Regionalização do Brasil (IBGE)
Regionalização do Brasil (IBGE)
 
Clima e vegetação
Clima e vegetaçãoClima e vegetação
Clima e vegetação
 
Geo regiões brasileiras 7º
Geo regiões brasileiras 7ºGeo regiões brasileiras 7º
Geo regiões brasileiras 7º
 
Regiões brasileiras silmara
Regiões brasileiras silmaraRegiões brasileiras silmara
Regiões brasileiras silmara
 
As regiões
As regiõesAs regiões
As regiões
 
Relevo brasileiro
Relevo brasileiroRelevo brasileiro
Relevo brasileiro
 

Semelhante a Os tipos de Clima e Vegetação do Brasil

Biodiversidade aula 7º ano C
Biodiversidade aula 7º ano CBiodiversidade aula 7º ano C
Biodiversidade aula 7º ano CBárbara Maria
 
GEOGRAFIA 7 - O clima - Distribuição e caraterísticas dos climas e da vegetação
GEOGRAFIA 7 - O clima - Distribuição e caraterísticas dos climas e da vegetaçãoGEOGRAFIA 7 - O clima - Distribuição e caraterísticas dos climas e da vegetação
GEOGRAFIA 7 - O clima - Distribuição e caraterísticas dos climas e da vegetaçãoElisabeteCosta63
 
Climas mundo alt. mm 12-13
Climas  mundo alt.    mm 12-13Climas  mundo alt.    mm 12-13
Climas mundo alt. mm 12-13Gina Espenica
 
Climas quentes, geografia 7ºano
Climas quentes, geografia 7ºanoClimas quentes, geografia 7ºano
Climas quentes, geografia 7ºanononofrias
 
Biomas do brasil
Biomas do brasilBiomas do brasil
Biomas do brasilItalo Alan
 
Biomas brasileiros-
Biomas brasileiros-Biomas brasileiros-
Biomas brasileiros-Euna Machado
 
Biomas brasileiros-
Biomas brasileiros-Biomas brasileiros-
Biomas brasileiros-eunamahcado
 
Características dos Climas Mundiais
Características dos Climas MundiaisCaracterísticas dos Climas Mundiais
Características dos Climas Mundiaisleogartixa
 
Climatologia e as grandes paisagens
Climatologia e as grandes paisagensClimatologia e as grandes paisagens
Climatologia e as grandes paisagensFabrício Almeida
 
Clima e Vegetação
Clima e VegetaçãoClima e Vegetação
Clima e Vegetaçãogeochp
 
Biodiversidade e ambientes biomas
Biodiversidade e ambientes biomasBiodiversidade e ambientes biomas
Biodiversidade e ambientes biomasCélia Figueiredo
 
Biomas do brasil
Biomas do brasilBiomas do brasil
Biomas do brasilItalo Alan
 

Semelhante a Os tipos de Clima e Vegetação do Brasil (20)

Biodiversidade aula 7º ano C
Biodiversidade aula 7º ano CBiodiversidade aula 7º ano C
Biodiversidade aula 7º ano C
 
GEOGRAFIA 7 - O clima - Distribuição e caraterísticas dos climas e da vegetação
GEOGRAFIA 7 - O clima - Distribuição e caraterísticas dos climas e da vegetaçãoGEOGRAFIA 7 - O clima - Distribuição e caraterísticas dos climas e da vegetação
GEOGRAFIA 7 - O clima - Distribuição e caraterísticas dos climas e da vegetação
 
Aula 43 46 - 1º cga
Aula 43 46 - 1º cgaAula 43 46 - 1º cga
Aula 43 46 - 1º cga
 
Climas do mundo
Climas do mundoClimas do mundo
Climas do mundo
 
Climas mundo alt. mm 12-13
Climas  mundo alt.    mm 12-13Climas  mundo alt.    mm 12-13
Climas mundo alt. mm 12-13
 
Capítulo 2
Capítulo 2Capítulo 2
Capítulo 2
 
Climas quentes, geografia 7ºano
Climas quentes, geografia 7ºanoClimas quentes, geografia 7ºano
Climas quentes, geografia 7ºano
 
O clima
O climaO clima
O clima
 
Biomas do brasil
Biomas do brasilBiomas do brasil
Biomas do brasil
 
Biomas brasileiros-
Biomas brasileiros-Biomas brasileiros-
Biomas brasileiros-
 
Biomas brasileiros-
Biomas brasileiros-Biomas brasileiros-
Biomas brasileiros-
 
Características dos Climas Mundiais
Características dos Climas MundiaisCaracterísticas dos Climas Mundiais
Características dos Climas Mundiais
 
Climatologia e as grandes paisagens
Climatologia e as grandes paisagensClimatologia e as grandes paisagens
Climatologia e as grandes paisagens
 
Clima e vegetação do Brasil
Clima e vegetação do BrasilClima e vegetação do Brasil
Clima e vegetação do Brasil
 
Clima e Vegetação
Clima e VegetaçãoClima e Vegetação
Clima e Vegetação
 
Biodiversidade e ambientes biomas
Biodiversidade e ambientes biomasBiodiversidade e ambientes biomas
Biodiversidade e ambientes biomas
 
Biomas do brasil
Biomas do brasilBiomas do brasil
Biomas do brasil
 
Biomas Brasileiros
Biomas BrasileirosBiomas Brasileiros
Biomas Brasileiros
 
Os climas da terra
Os climas da terraOs climas da terra
Os climas da terra
 
Os climas da terra
Os climas da terraOs climas da terra
Os climas da terra
 

Mais de Lana Delly Nascimento

Banner-Secreções do sistema digestório
Banner-Secreções do sistema digestórioBanner-Secreções do sistema digestório
Banner-Secreções do sistema digestórioLana Delly Nascimento
 
Banner-RESSONÂNCIA MAGNÉTICA COMO AUXILIAR NA PREVENÇÃO E DIAGNÓSTICO DO ACID...
Banner-RESSONÂNCIA MAGNÉTICA COMO AUXILIAR NA PREVENÇÃO E DIAGNÓSTICO DO ACID...Banner-RESSONÂNCIA MAGNÉTICA COMO AUXILIAR NA PREVENÇÃO E DIAGNÓSTICO DO ACID...
Banner-RESSONÂNCIA MAGNÉTICA COMO AUXILIAR NA PREVENÇÃO E DIAGNÓSTICO DO ACID...Lana Delly Nascimento
 
Sistema Imunológico - Componentes e organização funcional
Sistema Imunológico - Componentes e organização funcionalSistema Imunológico - Componentes e organização funcional
Sistema Imunológico - Componentes e organização funcionalLana Delly Nascimento
 
Hipertensão caso clínico,conceito, estrutura anatômica afetada,etiologia,acha...
Hipertensão caso clínico,conceito, estrutura anatômica afetada,etiologia,acha...Hipertensão caso clínico,conceito, estrutura anatômica afetada,etiologia,acha...
Hipertensão caso clínico,conceito, estrutura anatômica afetada,etiologia,acha...Lana Delly Nascimento
 
Hipertensão-caso clínico,conceito, estrutura anatômica afetada,etiologia,acha...
Hipertensão-caso clínico,conceito, estrutura anatômica afetada,etiologia,acha...Hipertensão-caso clínico,conceito, estrutura anatômica afetada,etiologia,acha...
Hipertensão-caso clínico,conceito, estrutura anatômica afetada,etiologia,acha...Lana Delly Nascimento
 
Embriologia-Organogênese/Desenvolvimento do Sistema Reprodutor Feminino
Embriologia-Organogênese/Desenvolvimento do Sistema Reprodutor FemininoEmbriologia-Organogênese/Desenvolvimento do Sistema Reprodutor Feminino
Embriologia-Organogênese/Desenvolvimento do Sistema Reprodutor FemininoLana Delly Nascimento
 
Medicamentos de Referência ou Inovadores e Tipos de Medicamento Segundo a Pre...
Medicamentos de Referência ou Inovadores e Tipos de Medicamento Segundo a Pre...Medicamentos de Referência ou Inovadores e Tipos de Medicamento Segundo a Pre...
Medicamentos de Referência ou Inovadores e Tipos de Medicamento Segundo a Pre...Lana Delly Nascimento
 
Biografia, Vida Acadêmica, Descobertas e Prêmios de Marie Curie
Biografia, Vida Acadêmica, Descobertas e Prêmios de Marie CurieBiografia, Vida Acadêmica, Descobertas e Prêmios de Marie Curie
Biografia, Vida Acadêmica, Descobertas e Prêmios de Marie CurieLana Delly Nascimento
 
Novas Áreas de atuação do Farmacêutico
Novas Áreas de atuação do FarmacêuticoNovas Áreas de atuação do Farmacêutico
Novas Áreas de atuação do FarmacêuticoLana Delly Nascimento
 
Guilherme de Almeida (Primeira Fase do Modernismo)
Guilherme de Almeida (Primeira Fase do Modernismo)Guilherme de Almeida (Primeira Fase do Modernismo)
Guilherme de Almeida (Primeira Fase do Modernismo)Lana Delly Nascimento
 
Poemas Traduzidos de Manuel Bandeira
Poemas Traduzidos de Manuel BandeiraPoemas Traduzidos de Manuel Bandeira
Poemas Traduzidos de Manuel BandeiraLana Delly Nascimento
 

Mais de Lana Delly Nascimento (20)

O Formol
O FormolO Formol
O Formol
 
Banner-Secreções do sistema digestório
Banner-Secreções do sistema digestórioBanner-Secreções do sistema digestório
Banner-Secreções do sistema digestório
 
Banner-RESSONÂNCIA MAGNÉTICA COMO AUXILIAR NA PREVENÇÃO E DIAGNÓSTICO DO ACID...
Banner-RESSONÂNCIA MAGNÉTICA COMO AUXILIAR NA PREVENÇÃO E DIAGNÓSTICO DO ACID...Banner-RESSONÂNCIA MAGNÉTICA COMO AUXILIAR NA PREVENÇÃO E DIAGNÓSTICO DO ACID...
Banner-RESSONÂNCIA MAGNÉTICA COMO AUXILIAR NA PREVENÇÃO E DIAGNÓSTICO DO ACID...
 
Sistema Imunológico - Componentes e organização funcional
Sistema Imunológico - Componentes e organização funcionalSistema Imunológico - Componentes e organização funcional
Sistema Imunológico - Componentes e organização funcional
 
Citocinas
CitocinasCitocinas
Citocinas
 
Hipertensão caso clínico,conceito, estrutura anatômica afetada,etiologia,acha...
Hipertensão caso clínico,conceito, estrutura anatômica afetada,etiologia,acha...Hipertensão caso clínico,conceito, estrutura anatômica afetada,etiologia,acha...
Hipertensão caso clínico,conceito, estrutura anatômica afetada,etiologia,acha...
 
Hipertensão-caso clínico,conceito, estrutura anatômica afetada,etiologia,acha...
Hipertensão-caso clínico,conceito, estrutura anatômica afetada,etiologia,acha...Hipertensão-caso clínico,conceito, estrutura anatômica afetada,etiologia,acha...
Hipertensão-caso clínico,conceito, estrutura anatômica afetada,etiologia,acha...
 
Embriologia-Organogênese/Desenvolvimento do Sistema Reprodutor Feminino
Embriologia-Organogênese/Desenvolvimento do Sistema Reprodutor FemininoEmbriologia-Organogênese/Desenvolvimento do Sistema Reprodutor Feminino
Embriologia-Organogênese/Desenvolvimento do Sistema Reprodutor Feminino
 
Medicamentos de Referência ou Inovadores e Tipos de Medicamento Segundo a Pre...
Medicamentos de Referência ou Inovadores e Tipos de Medicamento Segundo a Pre...Medicamentos de Referência ou Inovadores e Tipos de Medicamento Segundo a Pre...
Medicamentos de Referência ou Inovadores e Tipos de Medicamento Segundo a Pre...
 
Biografia, Vida Acadêmica, Descobertas e Prêmios de Marie Curie
Biografia, Vida Acadêmica, Descobertas e Prêmios de Marie CurieBiografia, Vida Acadêmica, Descobertas e Prêmios de Marie Curie
Biografia, Vida Acadêmica, Descobertas e Prêmios de Marie Curie
 
Novas Áreas de atuação do Farmacêutico
Novas Áreas de atuação do FarmacêuticoNovas Áreas de atuação do Farmacêutico
Novas Áreas de atuação do Farmacêutico
 
Mario Quintana
Mario QuintanaMario Quintana
Mario Quintana
 
Vida e Obra de Mario Quintana
Vida e Obra de Mario QuintanaVida e Obra de Mario Quintana
Vida e Obra de Mario Quintana
 
Energia hoje e amanhã
Energia hoje e amanhãEnergia hoje e amanhã
Energia hoje e amanhã
 
Carboidratos
CarboidratosCarboidratos
Carboidratos
 
Guilherme de Almeida (Primeira Fase do Modernismo)
Guilherme de Almeida (Primeira Fase do Modernismo)Guilherme de Almeida (Primeira Fase do Modernismo)
Guilherme de Almeida (Primeira Fase do Modernismo)
 
Poemas Traduzidos de Manuel Bandeira
Poemas Traduzidos de Manuel BandeiraPoemas Traduzidos de Manuel Bandeira
Poemas Traduzidos de Manuel Bandeira
 
Quinhentismo no Brasil
Quinhentismo no BrasilQuinhentismo no Brasil
Quinhentismo no Brasil
 
Império Bizantino
Império Bizantino Império Bizantino
Império Bizantino
 
Filósofia antiga Aristóteles
Filósofia antiga Aristóteles Filósofia antiga Aristóteles
Filósofia antiga Aristóteles
 

Último

A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...Unidad de Espiritualidad Eudista
 
Modelos Evolutivos em História das Religiões
Modelos Evolutivos em História das ReligiõesModelos Evolutivos em História das Religiões
Modelos Evolutivos em História das ReligiõesGilbraz Aragão
 
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitação
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitaçãoSer Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitação
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitaçãoJayaneSales1
 
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxSlides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...azulassessoria9
 
19 de abril - Dia dos Povos Indígenas do Brasil
19 de abril - Dia dos Povos Indígenas do Brasil19 de abril - Dia dos Povos Indígenas do Brasil
19 de abril - Dia dos Povos Indígenas do BrasilMary Alvarenga
 
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoGametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoCelianeOliveira8
 
atividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãoatividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãodanielagracia9
 
Aula - 1º Ano - Ciência, Pesquisa e Sociologia.pdf
Aula - 1º Ano - Ciência, Pesquisa e Sociologia.pdfAula - 1º Ano - Ciência, Pesquisa e Sociologia.pdf
Aula - 1º Ano - Ciência, Pesquisa e Sociologia.pdfaulasgege
 
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24pdf
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24pdfHORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24pdf
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24pdfSandra Pratas
 
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...azulassessoria9
 
Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.
Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.
Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.Mary Alvarenga
 
8 ano - Congruência e Semelhança e Angulos em Triangulos.ppt
8 ano - Congruência e Semelhança e  Angulos em Triangulos.ppt8 ano - Congruência e Semelhança e  Angulos em Triangulos.ppt
8 ano - Congruência e Semelhança e Angulos em Triangulos.pptDaniloConceiodaSilva
 
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terraSistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terraBiblioteca UCS
 
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...nexocan937
 
Slides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptx
Slides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptxSlides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptx
Slides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.Paula Meyer Piagentini
 
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24RITA CALAIM_2023_24.pdf
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24RITA CALAIM_2023_24.pdfHORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24RITA CALAIM_2023_24.pdf
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24RITA CALAIM_2023_24.pdfSandra Pratas
 
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona  - Povos Indigenas BrasileirosMini livro sanfona  - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona - Povos Indigenas BrasileirosMary Alvarenga
 
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.azulassessoria9
 

Último (20)

A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
 
Modelos Evolutivos em História das Religiões
Modelos Evolutivos em História das ReligiõesModelos Evolutivos em História das Religiões
Modelos Evolutivos em História das Religiões
 
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitação
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitaçãoSer Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitação
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitação
 
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxSlides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
 
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
 
19 de abril - Dia dos Povos Indígenas do Brasil
19 de abril - Dia dos Povos Indígenas do Brasil19 de abril - Dia dos Povos Indígenas do Brasil
19 de abril - Dia dos Povos Indígenas do Brasil
 
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoGametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
 
atividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãoatividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetização
 
Aula - 1º Ano - Ciência, Pesquisa e Sociologia.pdf
Aula - 1º Ano - Ciência, Pesquisa e Sociologia.pdfAula - 1º Ano - Ciência, Pesquisa e Sociologia.pdf
Aula - 1º Ano - Ciência, Pesquisa e Sociologia.pdf
 
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24pdf
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24pdfHORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24pdf
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24pdf
 
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
 
Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.
Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.
Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.
 
8 ano - Congruência e Semelhança e Angulos em Triangulos.ppt
8 ano - Congruência e Semelhança e  Angulos em Triangulos.ppt8 ano - Congruência e Semelhança e  Angulos em Triangulos.ppt
8 ano - Congruência e Semelhança e Angulos em Triangulos.ppt
 
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terraSistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
 
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
 
Slides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptx
Slides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptxSlides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptx
Slides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptx
 
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.
 
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24RITA CALAIM_2023_24.pdf
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24RITA CALAIM_2023_24.pdfHORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24RITA CALAIM_2023_24.pdf
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24RITA CALAIM_2023_24.pdf
 
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona  - Povos Indigenas BrasileirosMini livro sanfona  - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
 
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.
 

Os tipos de Clima e Vegetação do Brasil

  • 1.
  • 2. Clima • É o conjunto das características de temperatura, umidade, ventos e chuvas em uma determinada região ao longo do ano. • Ele é sempre constante e caracteriza as diferentes regiões da Terra. • É um termo geral para a vida vegetal de uma região. • Formas de vida que cobrem os solos, as estruturas espaciais ou qualquer outra medida específica ou geográfica que possua características botânicas. • Tais condições são: luz, calor, umidade e solos favoráveis, nos quais é indispensável a água.
  • 3.
  • 4. • Estações do ano bem definidas; • Não possuem uma estação seca; • Chuvas são bem distribuídas durante o ano; • Máxima: 20ºC; • Mínima: 0ºC ; • Verão:Quente • Inverno: Frio • Grande índice pluviométrico (2500 mm); • Podendo nevar •Índice pluviométrico baixíssimo em torno de 600 mm anuais; •Temperatura é elevada, com média de 27 °C; •Chuvas são escassas e irregulares; •Longos períodos secos; • Apresenta temperaturas altas o ano todo; • Chuvas bem distribuídas nos 12 meses; • Estação seca é curta; • Umidade constante na região; • Grandes quantidades de chuvas • Índices pluviométricos mais altos do Brasil (cerca de 2.500mm);
  • 5. • Índices pluviométricos em torno de 1500 mm a 2000 mm; • Dois tipos de chuvas que ocorrem nesse clima: • - Chuvas orográficas, • -Chuvas frontais •Característica: Temperatura alta; •Temperaturas médias de 18° C ou mais em todo o ano; •Verão:Chuvos o •Inverno :Seco •Índice pluviométrico maior em áreas litorâneas. • A temperatura, entre 15º e 22º C; • Característico de regiões com altitude acima de 1000m; • Uma característica desse clima são as geadas durante o inverno; • Chuvas se concentram no verão e no outono; • Índice de pluviosidade influenciado pela proximidade do oceano;
  • 8. • Vegetação: FLORESTA AMAZÔNICA • Ocorrência: AMAZÔNIA • Característica: HIDRÓFILA, LATIFOLIADA E PERENE • Espécie: SERINGUEIRA, CASTANHEIRA , CACAUEIRO E GUARANÁ • Vegetação: MATA ATLÂNTICA • Ocorrência: ENCOSTA ORIENTAL • Característica: HIDROFILA E PERENE, MUITO DEVASTADA • Espécie: CEDRO, IPÊ, JACARANDÁ, PEROBA E PAU-BRASIL • Vegetação: CERRADO • Ocorrência: CENTRO- OESTE • Característica: ASSOCIAÇÃO DE ARBUSTOS E GRAMÍNEAS • Espécie: LIXEIRA E BARBATIMÃO
  • 9. 1
  • 10. 1 2 3
  • 11. 21
  • 12. • Vegetação: MATA DOS COCAIS • Ocorrência: MEIO-NORTE E LITORAL DO CE E RN • Característica: HOMOGÊNEA • Espécie: BABAÇU E CARNAÚBA • Vegetação: CAATINGA • Ocorrência: SERTÃO DO NORDESTE • Característica: XERÓFILA • Espécie: XIQUEXIQUE, FACHEIRO E MANDACARU • Vegetação: MATA DE PINHAIS OU ARAUCÁRIA • Ocorrência: REGIÃO SUL DO BRASIL • Característica: HOMOGÊNEA E ABERTA • Espécie: PINHEIRO E ERVA MATE
  • 13. 1
  • 14. 1
  • 15. 3
  • 16. • Vegetação: COMPLEXO DO PANTANAL • Ocorrência: PANTANAL- MATO- GROSSENSE • Característica: VEGETAÇÃO COMPLEXA • Espécie: PALMEIRAS, GRAMÍNEAS E QUEBRACHO • Vegetação: CAMPOS • Ocorrência: SUL DO PAÍS, CENTRO- OESTE E ILHA DE MARAJÓ • Característica: VEGETAÇÃO RASTEIRA • Espécie: CAPIM- MIMOSO, JARAGUÁ E GORDURA • Vegetação: VEGETAÇÃO LITORÂNEA • Ocorrência: FAIXA LITORÂNEA • Característica: VEGETAÇÃO ADAPTADA AGUAS SALGADAS • Espécie: RHIZOHORA MANGLE, BROMÉLIAS, ORQUÍDEAS, ALGAS, LIQUENS
  • 17. 2
  • 18. 3
  • 19. 1
  • 20. Prevalece o clima equatorial úmido. Sudeste do Pará e em todo Estado do Tocantins:clima tropical Noroeste do Pará e leste de Roraima:equatorial semiúmido Áreas de Cerrado, Campos e vegetação Litorânea, mas a principal é a floresta Amazônica. Classificada em quatro tipos: mata de igapó, mata de várzea, mata de terra firme e floresta semiúmida. plantas do tipo latifoliadas e perenifólias Localizada na zona intertropical da Terra. Tipos de climas ao longo da região Nordeste: tropical, semiárido e equatorial úmido. Tropical: Sul da Bahia,centro do maranhão e na parte litorânea da região Clima semiárido região central do Nordeste Clima equatorial úmido: oeste do Maranhão Das áreas litorâneas: mangues, vegetação de dunas etc. Clima tropical( como no centro-oeste da região):Cerrado. Clima semiárido Caatinga No extremo oeste da região Nordeste(onde o clima é o equatorial):Floresta Amazônica e Mata dos Cocais c1 c2 fa m a ce m c ca Li
  • 21. O clima tropical domina a maior parte do território, com exceção ao norte do estado do Mato Grosso que tem o clima equatorial da Amazônia. O cerrado domina maior parte da região. O extremo norte mato-grossense é caracterizado pela Floresta Amazônica. Encontramos isoladamente:Vacarias,pequenos campos abertos parecidos com os pampas. O clima da região sudeste :clima tropical no litoral das baixadas capixaba e fluminense, também na parte setentrional mineira e oeste paulista.Tropical de Altitude:Campos de Jordão e Ouro preto. Sul de SP:Subtropical Norte de MG:Semi-Árido Principalmente:florestas tropicais, porém também podemos encontrar :Ciliares e de Galerias. Em menor escala:cerrado e a caatinga. ce p a c1 c2 m a
  • 22. Localiza-se quase inteiramente na região temperada. Com clima Subtropical. Mata das Araucárias nas regiões mais frias, além dos campos limpos do pampa gaúcho. No litoral:mangues, até restingas. M ar cp c1 c2