SlideShare uma empresa Scribd logo
BIOMA
DA
CAATINGA
GRUPO : BIANCA E SHOFIA.
PROFESSOR : EDMAR.
COMPONENTE CURRICULAR : GEOGRAFIA.
SÉRIE : 7° ANO.
EXTENÇÃO TERRITORIAL DA CAATINGA
É um Bioma muito importante que forma as Paisagens Brasileiras, pois
ocupa cerca de 9,92 %, 10 % , 12 %, ou 740.000 KM² do Território Nacional
e este se Concentra na Região Nordeste do Brasil.
E se Estende por todo o Interior do Nordeste Oriental e Sertão
Nordestino, e por grandes Faixas do :
Ceará – 100 %.
Piauí – 63 %. Rio Grande
do Norte – 95 %. Paraíba – 92 %.
Pernambuco – 83 %. Alagoas –
48 %. Sergipe – 49 %.
EXTENÇÃO TERRITORIAL DA CAATINGA
Bahia – 54 %. Maranhão – 1 %.
Norte de Minas Gerais – 2 %.
E, este Bioma, possui 844.453 KM² de Extensão Territorial.
EXTENÇÃO TERRITORIAL DA CAATINGA
VEGETAÇÃO DA CAATINGA
A Vegetação da Caatinga, é constituída por Arbustos Tortuosos que
perderam as Folhas na Estação da Seca, sendo estas Cactáceas e
Bromeliáceas, ou seja Xerófitas.
Porém, também possui uma Vegetação Rasteira e Seca, na Estação
Chuvosa.
Suas Espécies resistem a Falta de Água, pois o Tipo Climático da Região
de sua ocorrência, possui como Característica Principal os Longos
Períodos de Secas.
E, fazem parte desse Bioma outras Formações denominadas como
Agreste e Mata dos Cocais.
O Agreste é a Faixa de Transição entre a Caatinga e da Mata
VEGETAÇÃO DA CAATINGA
Atlântica, sendo que há Espécies encontradas nos Dois Biomas.
E, a outra Área de Transição que faz parte deste Bioma com
Outros, é a Mata dos Cocais, localizada no Nordeste.
E, destacam – se como Espécies Vegetais deste Bioma as :
Palmeiras, se destacando com esta, o Babaçu, a Carnaúba, a
Oiticica e o Buriti.
E, nas Camadas mais Baixas da Vegetação da Caatinga, há diversas
Espécies de :
Arbustos.
Vegetação de Pequeno Porte.
E, 46 % de sua Vegetação já foi Desmatada.
VEGETAÇÃO DA CAATINGA
FAUNA DA CAATINGA
A Fauna da Caatinga é composta por Animais, como :
Preá.
Periquito da Caatinga.
Cascavel.
Arara Azul de Lear.
As Estações de Secas e os Regimes de Chuva, influenciam na Vida dos
Animais.
E, possui pouca Diversidade de Espécies, em relação a outros Biomas.
Porém, há 327 Espécies de Animais Endêmicas no Bioma, sendo estes :
13 Mamíferos.
FAUNA DA CAATINGA
23 Lagartos. 20 Peixes.
15 Aves.
E, uma Área mais Conservada, deste Bioma, pode Abrigar :
200 Espécies de Formigas.
E, é ainda neste Bioma, que se Encontram as Duas Aves com Maior Risco de
Extinção no Brasil, sendo estas :
Ararinha Azul. Arara Azul de
Lear.
Havendo apenas 150 Exemplares e um Único Macho destas na Caatinga, ou
seja, 1 Décimo da população Ideal das Aves.
FAUNA DA CAATINGA
CLIMA DA CAATINGA
O Clima da Caatinga, é um Clima Semi - árido, do Sertão Nordestino.
É Quente, e com Prolongadas Estações Secas e Regimes de Chuvas,
sendo estas Chuvas Irregulares.
O Tipo Climático da Região, possui como Característica Principal os
Longos Períodos de Secas, e as Chuvas ocorrem em pequenas
Quantidades e de Maneira Irregular durante o Ano.
CLIMA DA CAATINGA
HIDROGRAFIA DA CAATINGA
E, as Chuvas ocorrem em Pequena Quantidade e de Maneira Irregular
durante o Ano.
E, o Vale do São Francisco, é o Principal Rio da Região, e, é o que Banha
suas Terras.
Esta, é mantida pela Estação das Chuvas, que dura 6 Meses, porém ocorre
de Maneira Irregular, neste Bioma.
É uma Área que depende completamente da Bacia do Rio São Francisco.
E, o Projeto da Transposição do Rio São Francisco, busca Criar Desvios
para que a Água chegue a outras Área desta Seca Região.
É a Região que mais possui Açudes.
HIDROGRAFIA DA CAATINGA
RELEVO DA CAATINGA
Esta, possui como Descrição um Cenário Árido.
E, as Depressões e os Planaltos, são as Duas Principais formas de
Terreno, que predominam em suas Paisagens.
É um Relevo Antigo e pouco Acidentado, devido a isto, ele é um
Relevo, que apresenta Solos que não são muito Férteis, pois são
muito Desgastados.
Este, possui um Solo com Grande quantidade de Argila, pois é Seco,
e a Água não Penetra com Facilidade, sendo Solos Impermeáveis.
RELEVO DA CAATINGA
CURIOSIDADES SOBRE A CAATINGA
E, comemora – se no Dia 28/04 o Dia Nacional do Bioma da Caatinga.
A Palavra Caatinga vem da Língua Indígena, e Significa Mata Branca,
sendo esta referência a Vegetação sem Folhas que predomina durante a
Época das Secas, e das Chuvas.
E, a Perda das Folhas da Vegetação da Caatinga, é Estratégica, pois sem as
Folhas, as Plantas reduzem a Superfície de Evaporação quando falta Água,
ficando com aspecto Esbranquiçado e Cinzento.
Cerca de metade desta, já foi deteriorada pela Ação Humana, sendo que
de 15 a 20 % deste estão em Alto Grau de Degradação.
E, na Estação da Seca, a Temperatura do Solo, pode chegar a 60° C, pois
este é Pedregoso.
E, pode ser Dividido em Agreste e Sertão, pois é Quente, e possui pouca
Chuva.
CURIOSIDADES SOBRE A CAATINGA

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Mata dos Cocais
Mata dos CocaisMata dos Cocais
Mata dos Cocais
Maria Olandina Machado
 
Cerrado
CerradoCerrado
Cerrado
Edmar Souza
 
Biologia, caatinga
Biologia, caatingaBiologia, caatinga
Biologia, caatinga
jhulia caroline
 
Trabalho de ecologia caatinga nacional
Trabalho de ecologia caatinga nacionalTrabalho de ecologia caatinga nacional
Trabalho de ecologia caatinga nacional
Élica Dias
 
CAATINGA
CAATINGACAATINGA
CAATINGA
Lívia Alencar
 
Domínio das caatingas
Domínio das caatingasDomínio das caatingas
Domínio das caatingas
Rodrigo Sousa
 
Bioma: Cerrado
Bioma: CerradoBioma: Cerrado
Bioma: Cerrado
Malu Anacleto
 
Caatinga
Caatinga Caatinga
Caatinga
professorjoseca
 
Biomas brasileiros
Biomas brasileirosBiomas brasileiros
Biomas brasileiros
Maicon Azevedo
 
Biomas do brasil (Prof° Elves Alves)
Biomas do brasil (Prof° Elves Alves)Biomas do brasil (Prof° Elves Alves)
Biomas do brasil (Prof° Elves Alves)
elves0927
 
Mata AtlâNtica
Mata AtlâNticaMata AtlâNtica
Mata AtlâNtica
diegovicari
 
Mata dos cocais
Mata dos cocaisMata dos cocais
Mata dos cocais
Hávila Said
 
Unidades de conservação na amazônia
Unidades de conservação na amazôniaUnidades de conservação na amazônia
Unidades de conservação na amazônia
Universidade Federal Rural da Amazônia
 
Floresta amazônica
Floresta amazônicaFloresta amazônica
Floresta amazônica
KELSON DA LUZ OLIVEIRA
 
Pampas gaúchas
Pampas gaúchasPampas gaúchas
Pampas gaúchas
Hávila Said
 
Trabalho de geo CERRADO
Trabalho de geo CERRADOTrabalho de geo CERRADO
Trabalho de geo CERRADO
William Barcellos
 
BIOMAS E OS FATORES QUE INFLUENCIAM NA SUA FORMAÇÃO
BIOMAS E OS FATORES QUE INFLUENCIAM NA SUA FORMAÇÃOBIOMAS E OS FATORES QUE INFLUENCIAM NA SUA FORMAÇÃO
BIOMAS E OS FATORES QUE INFLUENCIAM NA SUA FORMAÇÃO
Conceição Fontolan
 
Slide Bioma Pampa
Slide Bioma PampaSlide Bioma Pampa
7º ano unidade 6 - Nordeste do Brasil
7º ano   unidade 6 - Nordeste do Brasil7º ano   unidade 6 - Nordeste do Brasil
7º ano unidade 6 - Nordeste do Brasil
Christie Freitas
 
Bioma Mata atlântica
Bioma Mata atlânticaBioma Mata atlântica
Bioma Mata atlântica
Felipe Batista
 

Mais procurados (20)

Mata dos Cocais
Mata dos CocaisMata dos Cocais
Mata dos Cocais
 
Cerrado
CerradoCerrado
Cerrado
 
Biologia, caatinga
Biologia, caatingaBiologia, caatinga
Biologia, caatinga
 
Trabalho de ecologia caatinga nacional
Trabalho de ecologia caatinga nacionalTrabalho de ecologia caatinga nacional
Trabalho de ecologia caatinga nacional
 
CAATINGA
CAATINGACAATINGA
CAATINGA
 
Domínio das caatingas
Domínio das caatingasDomínio das caatingas
Domínio das caatingas
 
Bioma: Cerrado
Bioma: CerradoBioma: Cerrado
Bioma: Cerrado
 
Caatinga
Caatinga Caatinga
Caatinga
 
Biomas brasileiros
Biomas brasileirosBiomas brasileiros
Biomas brasileiros
 
Biomas do brasil (Prof° Elves Alves)
Biomas do brasil (Prof° Elves Alves)Biomas do brasil (Prof° Elves Alves)
Biomas do brasil (Prof° Elves Alves)
 
Mata AtlâNtica
Mata AtlâNticaMata AtlâNtica
Mata AtlâNtica
 
Mata dos cocais
Mata dos cocaisMata dos cocais
Mata dos cocais
 
Unidades de conservação na amazônia
Unidades de conservação na amazôniaUnidades de conservação na amazônia
Unidades de conservação na amazônia
 
Floresta amazônica
Floresta amazônicaFloresta amazônica
Floresta amazônica
 
Pampas gaúchas
Pampas gaúchasPampas gaúchas
Pampas gaúchas
 
Trabalho de geo CERRADO
Trabalho de geo CERRADOTrabalho de geo CERRADO
Trabalho de geo CERRADO
 
BIOMAS E OS FATORES QUE INFLUENCIAM NA SUA FORMAÇÃO
BIOMAS E OS FATORES QUE INFLUENCIAM NA SUA FORMAÇÃOBIOMAS E OS FATORES QUE INFLUENCIAM NA SUA FORMAÇÃO
BIOMAS E OS FATORES QUE INFLUENCIAM NA SUA FORMAÇÃO
 
Slide Bioma Pampa
Slide Bioma PampaSlide Bioma Pampa
Slide Bioma Pampa
 
7º ano unidade 6 - Nordeste do Brasil
7º ano   unidade 6 - Nordeste do Brasil7º ano   unidade 6 - Nordeste do Brasil
7º ano unidade 6 - Nordeste do Brasil
 
Bioma Mata atlântica
Bioma Mata atlânticaBioma Mata atlântica
Bioma Mata atlântica
 

Semelhante a Caatinga

Caatinga, Mata Atlatica e Amazonia
Caatinga, Mata Atlatica e AmazoniaCaatinga, Mata Atlatica e Amazonia
Caatinga, Mata Atlatica e Amazonia
Ancelmo Furtado
 
Os Biomas Brasileiros.docx
Os Biomas Brasileiros.docxOs Biomas Brasileiros.docx
Os Biomas Brasileiros.docx
EduardoGomes340723
 
Bioma Mata AtlâNtica
Bioma   Mata AtlâNticaBioma   Mata AtlâNtica
Bioma Mata AtlâNtica
RAFAELA BARBOSA
 
Bioma Mata AtlâNtica
Bioma   Mata AtlâNticaBioma   Mata AtlâNtica
Bioma Mata AtlâNtica
Jade
 
Biomas brasileiros 2
Biomas brasileiros 2Biomas brasileiros 2
Biomas brasileiros 2
Altair Hoepers
 
Biologia, caatinga
Biologia, caatingaBiologia, caatinga
Biologia, caatinga
jhulia caroline
 
Jhonatan e alan
Jhonatan e alanJhonatan e alan
Jhonatan e alan
pptmeirelles
 
Biodiversidade Brasileira Biomas.pdf
Biodiversidade Brasileira Biomas.pdfBiodiversidade Brasileira Biomas.pdf
Biodiversidade Brasileira Biomas.pdf
KattiEberle1
 
Geo h e_7o_cap10_nordeste
Geo h e_7o_cap10_nordesteGeo h e_7o_cap10_nordeste
Geo h e_7o_cap10_nordeste
TI Medianeira
 
maritmo costeiros
maritmo costeirosmaritmo costeiros
maritmo costeiros
RAFAELA BARBOSA
 
Bioma Costeiros Marinhos
Bioma Costeiros MarinhosBioma Costeiros Marinhos
Bioma Costeiros Marinhos
Jade
 
Principais biomas brasileiros
Principais biomas brasileirosPrincipais biomas brasileiros
Principais biomas brasileiros
Luis Augusto
 
Biologia, caatinga
Biologia, caatingaBiologia, caatinga
Biologia, caatinga
jhulia caroline
 
A Zona Costeira
A Zona CosteiraA Zona Costeira
A Zona Costeira
Franklin Oliveira
 
As fronteiras naturais do Brasil
As fronteiras naturais do BrasilAs fronteiras naturais do Brasil
As fronteiras naturais do Brasil
Murderdoll_Natty
 
Caatinga
CaatingaCaatinga
Caatinga
Joelita Santos
 
UE5 - EF - 6º série - A Natureza do Território Brasileiro
UE5 - EF - 6º série - A Natureza do Território BrasileiroUE5 - EF - 6º série - A Natureza do Território Brasileiro
UE5 - EF - 6º série - A Natureza do Território Brasileiro
Silvio Araujo de Sousa
 
UE5 - 6S - EF - Biomas Brasilieros
UE5 - 6S - EF - Biomas BrasilierosUE5 - 6S - EF - Biomas Brasilieros
UE5 - 6S - EF - Biomas Brasilieros
Silvio Araujo de Sousa
 
Aquífero Guarani
Aquífero GuaraniAquífero Guarani
Aquífero Guarani
Prof. Oliveira Andrade
 
Floresta Atlântica
Floresta Atlântica Floresta Atlântica
Floresta Atlântica
Maria Olandina Machado
 

Semelhante a Caatinga (20)

Caatinga, Mata Atlatica e Amazonia
Caatinga, Mata Atlatica e AmazoniaCaatinga, Mata Atlatica e Amazonia
Caatinga, Mata Atlatica e Amazonia
 
Os Biomas Brasileiros.docx
Os Biomas Brasileiros.docxOs Biomas Brasileiros.docx
Os Biomas Brasileiros.docx
 
Bioma Mata AtlâNtica
Bioma   Mata AtlâNticaBioma   Mata AtlâNtica
Bioma Mata AtlâNtica
 
Bioma Mata AtlâNtica
Bioma   Mata AtlâNticaBioma   Mata AtlâNtica
Bioma Mata AtlâNtica
 
Biomas brasileiros 2
Biomas brasileiros 2Biomas brasileiros 2
Biomas brasileiros 2
 
Biologia, caatinga
Biologia, caatingaBiologia, caatinga
Biologia, caatinga
 
Jhonatan e alan
Jhonatan e alanJhonatan e alan
Jhonatan e alan
 
Biodiversidade Brasileira Biomas.pdf
Biodiversidade Brasileira Biomas.pdfBiodiversidade Brasileira Biomas.pdf
Biodiversidade Brasileira Biomas.pdf
 
Geo h e_7o_cap10_nordeste
Geo h e_7o_cap10_nordesteGeo h e_7o_cap10_nordeste
Geo h e_7o_cap10_nordeste
 
maritmo costeiros
maritmo costeirosmaritmo costeiros
maritmo costeiros
 
Bioma Costeiros Marinhos
Bioma Costeiros MarinhosBioma Costeiros Marinhos
Bioma Costeiros Marinhos
 
Principais biomas brasileiros
Principais biomas brasileirosPrincipais biomas brasileiros
Principais biomas brasileiros
 
Biologia, caatinga
Biologia, caatingaBiologia, caatinga
Biologia, caatinga
 
A Zona Costeira
A Zona CosteiraA Zona Costeira
A Zona Costeira
 
As fronteiras naturais do Brasil
As fronteiras naturais do BrasilAs fronteiras naturais do Brasil
As fronteiras naturais do Brasil
 
Caatinga
CaatingaCaatinga
Caatinga
 
UE5 - EF - 6º série - A Natureza do Território Brasileiro
UE5 - EF - 6º série - A Natureza do Território BrasileiroUE5 - EF - 6º série - A Natureza do Território Brasileiro
UE5 - EF - 6º série - A Natureza do Território Brasileiro
 
UE5 - 6S - EF - Biomas Brasilieros
UE5 - 6S - EF - Biomas BrasilierosUE5 - 6S - EF - Biomas Brasilieros
UE5 - 6S - EF - Biomas Brasilieros
 
Aquífero Guarani
Aquífero GuaraniAquífero Guarani
Aquífero Guarani
 
Floresta Atlântica
Floresta Atlântica Floresta Atlântica
Floresta Atlântica
 

Mais de Edmar Souza

EUA
EUAEUA
Bioma Costeiro
Bioma CosteiroBioma Costeiro
Bioma Costeiro
Edmar Souza
 
Pampas
PampasPampas
Pampas
Edmar Souza
 
Amazônia
AmazôniaAmazônia
Amazônia
Edmar Souza
 
Mata atlântica
Mata atlânticaMata atlântica
Mata atlântica
Edmar Souza
 
Geografia
GeografiaGeografia
Geografia
Edmar Souza
 
Mata Atlântica
Mata AtlânticaMata Atlântica
Mata Atlântica
Edmar Souza
 
Cerrado
CerradoCerrado
Cerrado
Edmar Souza
 
Pampa
PampaPampa
Pantanal
PantanalPantanal
Pantanal
Edmar Souza
 
Amazônia
AmazôniaAmazônia
Amazônia
Edmar Souza
 
Pantanal
PantanalPantanal
Pantanal
Edmar Souza
 
Santa catarina
Santa catarinaSanta catarina
Santa catarina
Edmar Souza
 
Rio grande do sul
Rio grande do sulRio grande do sul
Rio grande do sul
Edmar Souza
 
Rio de janeiro
Rio de janeiroRio de janeiro
Rio de janeiro
Edmar Souza
 
São Paulo
São PauloSão Paulo
São Paulo
Edmar Souza
 
Santa catarina
Santa catarinaSanta catarina
Santa catarina
Edmar Souza
 
Rio de janeiro
Rio de janeiroRio de janeiro
Rio de janeiro
Edmar Souza
 
Paraná
ParanáParaná
Paraná
Edmar Souza
 
Distrito federal
Distrito federalDistrito federal
Distrito federal
Edmar Souza
 

Mais de Edmar Souza (20)

EUA
EUAEUA
EUA
 
Bioma Costeiro
Bioma CosteiroBioma Costeiro
Bioma Costeiro
 
Pampas
PampasPampas
Pampas
 
Amazônia
AmazôniaAmazônia
Amazônia
 
Mata atlântica
Mata atlânticaMata atlântica
Mata atlântica
 
Geografia
GeografiaGeografia
Geografia
 
Mata Atlântica
Mata AtlânticaMata Atlântica
Mata Atlântica
 
Cerrado
CerradoCerrado
Cerrado
 
Pampa
PampaPampa
Pampa
 
Pantanal
PantanalPantanal
Pantanal
 
Amazônia
AmazôniaAmazônia
Amazônia
 
Pantanal
PantanalPantanal
Pantanal
 
Santa catarina
Santa catarinaSanta catarina
Santa catarina
 
Rio grande do sul
Rio grande do sulRio grande do sul
Rio grande do sul
 
Rio de janeiro
Rio de janeiroRio de janeiro
Rio de janeiro
 
São Paulo
São PauloSão Paulo
São Paulo
 
Santa catarina
Santa catarinaSanta catarina
Santa catarina
 
Rio de janeiro
Rio de janeiroRio de janeiro
Rio de janeiro
 
Paraná
ParanáParaná
Paraná
 
Distrito federal
Distrito federalDistrito federal
Distrito federal
 

Último

Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdfOrganograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Falcão Brasil
 
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONALEMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
JocelynNavarroBonta
 
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdfPortfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Falcão Brasil
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
Sandra Pratas
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
LeilaVilasboas
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Mary Alvarenga
 
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdfEscola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Falcão Brasil
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
shirleisousa9166
 
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdfIntrodução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
valdeci17
 
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
Sandra Pratas
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Falcão Brasil
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Colaborar Educacional
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
Espanhol Online
 
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
Falcão Brasil
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Falcão Brasil
 
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
principeandregalli
 
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
LeideLauraCenturionL
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Centro Jacques Delors
 
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
Sandra Pratas
 

Último (20)

Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdfOrganograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
 
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONALEMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
 
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdfPortfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
 
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdfEscola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
 
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdfIntrodução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
 
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
 
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
 
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
 
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
 
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
 

Caatinga

  • 1. BIOMA DA CAATINGA GRUPO : BIANCA E SHOFIA. PROFESSOR : EDMAR. COMPONENTE CURRICULAR : GEOGRAFIA. SÉRIE : 7° ANO.
  • 2. EXTENÇÃO TERRITORIAL DA CAATINGA É um Bioma muito importante que forma as Paisagens Brasileiras, pois ocupa cerca de 9,92 %, 10 % , 12 %, ou 740.000 KM² do Território Nacional e este se Concentra na Região Nordeste do Brasil. E se Estende por todo o Interior do Nordeste Oriental e Sertão Nordestino, e por grandes Faixas do : Ceará – 100 %. Piauí – 63 %. Rio Grande do Norte – 95 %. Paraíba – 92 %. Pernambuco – 83 %. Alagoas – 48 %. Sergipe – 49 %.
  • 3. EXTENÇÃO TERRITORIAL DA CAATINGA Bahia – 54 %. Maranhão – 1 %. Norte de Minas Gerais – 2 %. E, este Bioma, possui 844.453 KM² de Extensão Territorial.
  • 5. VEGETAÇÃO DA CAATINGA A Vegetação da Caatinga, é constituída por Arbustos Tortuosos que perderam as Folhas na Estação da Seca, sendo estas Cactáceas e Bromeliáceas, ou seja Xerófitas. Porém, também possui uma Vegetação Rasteira e Seca, na Estação Chuvosa. Suas Espécies resistem a Falta de Água, pois o Tipo Climático da Região de sua ocorrência, possui como Característica Principal os Longos Períodos de Secas. E, fazem parte desse Bioma outras Formações denominadas como Agreste e Mata dos Cocais. O Agreste é a Faixa de Transição entre a Caatinga e da Mata
  • 6. VEGETAÇÃO DA CAATINGA Atlântica, sendo que há Espécies encontradas nos Dois Biomas. E, a outra Área de Transição que faz parte deste Bioma com Outros, é a Mata dos Cocais, localizada no Nordeste. E, destacam – se como Espécies Vegetais deste Bioma as : Palmeiras, se destacando com esta, o Babaçu, a Carnaúba, a Oiticica e o Buriti. E, nas Camadas mais Baixas da Vegetação da Caatinga, há diversas Espécies de : Arbustos. Vegetação de Pequeno Porte. E, 46 % de sua Vegetação já foi Desmatada.
  • 8. FAUNA DA CAATINGA A Fauna da Caatinga é composta por Animais, como : Preá. Periquito da Caatinga. Cascavel. Arara Azul de Lear. As Estações de Secas e os Regimes de Chuva, influenciam na Vida dos Animais. E, possui pouca Diversidade de Espécies, em relação a outros Biomas. Porém, há 327 Espécies de Animais Endêmicas no Bioma, sendo estes : 13 Mamíferos.
  • 9. FAUNA DA CAATINGA 23 Lagartos. 20 Peixes. 15 Aves. E, uma Área mais Conservada, deste Bioma, pode Abrigar : 200 Espécies de Formigas. E, é ainda neste Bioma, que se Encontram as Duas Aves com Maior Risco de Extinção no Brasil, sendo estas : Ararinha Azul. Arara Azul de Lear. Havendo apenas 150 Exemplares e um Único Macho destas na Caatinga, ou seja, 1 Décimo da população Ideal das Aves.
  • 11. CLIMA DA CAATINGA O Clima da Caatinga, é um Clima Semi - árido, do Sertão Nordestino. É Quente, e com Prolongadas Estações Secas e Regimes de Chuvas, sendo estas Chuvas Irregulares. O Tipo Climático da Região, possui como Característica Principal os Longos Períodos de Secas, e as Chuvas ocorrem em pequenas Quantidades e de Maneira Irregular durante o Ano.
  • 13. HIDROGRAFIA DA CAATINGA E, as Chuvas ocorrem em Pequena Quantidade e de Maneira Irregular durante o Ano. E, o Vale do São Francisco, é o Principal Rio da Região, e, é o que Banha suas Terras. Esta, é mantida pela Estação das Chuvas, que dura 6 Meses, porém ocorre de Maneira Irregular, neste Bioma. É uma Área que depende completamente da Bacia do Rio São Francisco. E, o Projeto da Transposição do Rio São Francisco, busca Criar Desvios para que a Água chegue a outras Área desta Seca Região. É a Região que mais possui Açudes.
  • 15. RELEVO DA CAATINGA Esta, possui como Descrição um Cenário Árido. E, as Depressões e os Planaltos, são as Duas Principais formas de Terreno, que predominam em suas Paisagens. É um Relevo Antigo e pouco Acidentado, devido a isto, ele é um Relevo, que apresenta Solos que não são muito Férteis, pois são muito Desgastados. Este, possui um Solo com Grande quantidade de Argila, pois é Seco, e a Água não Penetra com Facilidade, sendo Solos Impermeáveis.
  • 17. CURIOSIDADES SOBRE A CAATINGA E, comemora – se no Dia 28/04 o Dia Nacional do Bioma da Caatinga. A Palavra Caatinga vem da Língua Indígena, e Significa Mata Branca, sendo esta referência a Vegetação sem Folhas que predomina durante a Época das Secas, e das Chuvas. E, a Perda das Folhas da Vegetação da Caatinga, é Estratégica, pois sem as Folhas, as Plantas reduzem a Superfície de Evaporação quando falta Água, ficando com aspecto Esbranquiçado e Cinzento. Cerca de metade desta, já foi deteriorada pela Ação Humana, sendo que de 15 a 20 % deste estão em Alto Grau de Degradação. E, na Estação da Seca, a Temperatura do Solo, pode chegar a 60° C, pois este é Pedregoso. E, pode ser Dividido em Agreste e Sertão, pois é Quente, e possui pouca Chuva.