SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 25
MARCELO
LIMA
GEOGRAFIA ESTRUTURA
DA TERRA
14/09/2020
# RECONHECER A ESTRUTURA DA TERRA
# AVALIAR AS TRANSFORMAÇÕES NO
PLANETA DURANTE OS SÉCULOS
2
• ESTRUTURA DO PLANETA TERRA
LITOSFERA TERRESTRE
3
• ESTRUTURA DO PLANETA TERRA
placas tectônicas são grandes blocos
rochosos semirrígidos que compõem a
crosta terrestre. a terra divide-se em 52
placas tectônicas sendo 14 principais
placas, as quais se movimentam sobre o
manto de forma lenta e contínua,
podendo aproximar-se ou se afastar
umas das outras.
a movimentação das
placas resulta na formação de
montanhas, fossas oceânicas, atividades
vulcânicas, terremotos e tsunamis.
4
ESTRUTURA DO PLANETA TERRA
Teoria das Placas Tectônicas
Em 1913, Alfred Wegener apresentou a Teoria da Deriva Continental, que afirma que,
há milhões de anos, as massas de Terra formavam um único supercontinente, chamado
Pangeia.
5
Essa teoria foi confirmada por sua
sucessora, a chamada Teoria das Placas
Tectônicas.
A Teoria das Placas tectônicas parte do
pressuposto de que a crosta terrestre
está dividida blocos
semirrígidos, ou
em grandes
seja, em placas que
abrangem os continentes e o fundo
oceânico. Essas placas movimentam-se
sobre o magma, impulsionadas por
forças vindas do no interior da Terra.
ESTRUTURA DO PLANETA TERRA
6
POR QUE AS PLACAS TECTÔNICAS MOVIMENTAM-SE?
Os movimentos realizados pelas placas tectônicas ocorrem em virtude das altas
temperaturas existentes no interior da Terra. A crosta terrestre encontra-se sobre o manto,
camada da Terra composta por magma. O intenso calor provoca a movimentação circular do
manto em correntes de convecção.
ESTRUTURA DO PLANETA TERRA
7
LIMITES DAS PLACAS TECTÔNICAS
Limites das placas tectônicas correspondem às zonas de encontro entre as
placas, ou seja, são as fronteiras ou margens das placas, nas quais ocorre intensa
movimentação, como atividades sísmicas e vulcanismo.
ESTRUTURA DO PLANETA TERRA
8
1) LIMITE DIVERGENTE
No movimento divergente, as placas afastam-se umas das
outras, formando fendas e rachaduras na crosta terrestre. Assim, quando ocorre o
movimento das correntes convectivas ascendentes, o magma do interior da Terra
atravessa as fendas, sendo levado para a superfície. O magma, então, resfria-se e é
acrescentado às bordas das placas, que aumentam de tamanho.
No movimento divergente, as placas tectônicas afastam-se umas das outras.
9
ESTRUTURA DO PLANETA TERRA
2) LIMITE CONVERGENTE
No movimento convergente, as placas aproximam-se e chocam-se umas contra as outras.
1. Quando o movimento convergente ocorre entre uma placa oceânica e uma placa continental, a
primeira retorna ao manto, enquanto a segunda enruga-se, formando dobras. Isso ocorre porque as
rochas das placas oceânicas são mais densas que as rochas das placas continentais.
2. Quando ocorre um choque entre duas placas oceânicas, apenas uma das placas afundará, no caso,
a mais densa entre as duas.
3. Quando o choque ocorre entre duas placas continentais, não há afundamento das placas, visto
que a densidade das duas é a mesma, logo, ambas sofrem dobramento. Um exemplo desse tipo de
choque foi o que ocorreu entre as placas Sul-Americana e a Placa de Nazca, que deu origem à
Cordilheira dos Andes.
No movimento convergente, as placas tectônicas aproximam-se e chocam-se umas com as outras.
10
ESTRUTURA DO PLANETA TERRA
PRATICANDO OS CONHECIMENTOS
11
1. A Terra é como uma cebola: é dividida em várias camadas. Entre essas
diferentes formas que compõem a estrutura interna do nosso planeta,
qual(is) dela(s) pode(m) ser considerada(s) sólida(s).
a) somente a crosta terrestre
b) somente o manto
c) somente o núcleo
d) a crosta e o núcleo interno
e) o manto externo e a crosta
RESP. D
02. Quando um forte terremoto abalou o norte do Chile no dia primeiro de abril, os cientistas encontraram rapidamente
uma explicação: ele ocorreu ao longo de uma falha onde as tensões estavam crescendo […]. Essa explicação pode estar clara
agora, mas até boa parte do século 20, os cientistas sabiam relativamente pouco sobre os mecanismos por trás desses
grandes eventos sísmicos. Entretanto, tudo isso mudou quando um terremoto devastador atingiu o centro-sul do Alasca no
dia 27 de março de 1964, quase 50 anos antes do terremoto chileno.
12
Estudos sobre o grande terremoto do Alasca – realizados em grande parte por um geólogo que sabia muito pouco sobre
sismologia quando começou sua pesquisa – revelaram o mecanismo que liga as mudanças observadas na paisagem com a
teoria da época, a das placas tectônicas […].
“— Placas tectônicas foram originalmente propostas como uma teoria cinemática —ela tratava de deslocamentos,
movimentos e velocidades. A maior conquista foi ligar os terremotos a esses movimentos”, afirmou Arthur Lerner-Lam, vice-
diretor do Observatório Terrestre Lamont-Doherty, parte da Universidade de Columbia.
Como notamos, a ocorrência de terremotos encontra-se, em vários casos, associada à dinâmica de movimento das placas
tectônicas. Portanto, podemos considerar que os abalos sísmicos que aterrorizam várias sociedades ao londo do planeta
devem-se a eventos geológicos que ocorrem:
a) exclusivamente na crosta terrestre.
b) a partir do meio externo do relevo.
c) em toda a estrutura interna da Terra.
d) entre a crosta e o manto, tendo consequências sobre a superfície.
e) exclusivamente no manto externo.
RESP. C
03. “Com o desenvolvimento da rede sismográfica mundial e dos métodos de observação e análise, foram encontradas
novas interfaces e zonas de transição no interior terrestre, mostrando que a crosta, o manto e o núcleo são domínios
heterogêneos. Partindo das velocidades sísmicas, calculam-se as densidades das camadas principais e de suas subdivisões,
para em seguida buscar a identificação das rochas presentes nessas camadas”.
13
Sobre a estrutura interna da Terra, julgue as afirmativas a seguir:
I. A crosta terrestre pode ser classificada em continental e oceânica.
II. O núcleo externo encontra-se no estado líquido.
III. Entre o manto e o núcleo encontra-se a descontinuidade de Mohorovicic.
IV.A litosfera abrange o núcleo e a crosta da Terra.
V.O manto é a maior das camadas internas do planeta.
VI. O manto externo é menos denso e mais pastoso do que o manto interno.
Sobre a pertinência das afirmações acima, é válido dizer que:
a) Todas estão corretas.
b) Apenas I, III e VI estão corretas.
c) III e IV estão incorretas.
d) I, II, V e VI estão corretas.
e) Todas estão incorretas.
RESP. D
04. As placas tectônicas, assim como toda a crosta terrestre, flutuam
14
sobre o substrato magmático da Terra em um comportamento
semelhante ao de blocos de gelo boiando sobre a água, com as
estruturas mais espessas e pesadas mais profundamente mergulhadas
e as mais leves e finas flutuando mais superficialmente. Essa
configuração representa o princípio:
a) do tectonismo
b) da isostasia
c) da assimetria
d) da derivação continental
e) do magmatismo RESP. D
ESTRUTURA DO PLANETA TERRA CORDILHEIRA DOS ANDES
15
3) LIMITE TRANSFORMANTE
No movimento transformante, as placas deslizam umas em relação as
outras, provocando rachaduras na região de contato entre as placas. Nesse
movimento, não há destruição nem criação de placas, podendo, em alguns casos,
originar falhas. Um grande exemplo de movimento transformante ocorreu entre
a Placa do Pacífico e a Placa Norte-América, resultando na falha de San Andres,
no estado da Califórnia, nos Estados Unidos.
No movimento transformante, as placas tectônicas deslizam umas em relação as outras.
16
ESTRUTURA DO PLANETA TERRA
FALHA DE SAN ANDRES, NO ESTADO DA CALIFÓRNIA, NOS ESTADOS UNIDOS
17
1.290 km através da Califórnia
ESTRUTURA DO PLANETA TERRA
A litosfera – camada rochosa do planeta Terra – apresenta inúmeras dinâmicas e
variações. A sua composição estrutural, contudo, é classificada em três diferentes
tipos de estruturas geológicas que se dividem em todo o mundo:
1. CRÁTONS
2. BACIAS SEDIMENTARES
3. DOBRAMENTOS MODERNOS
ESTRUTURA DO PLANETA TERRA
18
CRÁTONS
Sua formação é a mesma dos dobramentos modernos, no entanto, como são mais
antigos, sofreram maiores desgastes dos agentes externos ou exógenos de transformação
do relevo, os mesmos que originaram as bacias sedimentares. O terreno é tão antigo que
apresenta as mais antigas rochas encontradas no planeta.
Os crátons costumam abranger áreas de planalto. No Brasil, eles recobrem, por
exemplo, o Planalto Central, o das Guianas e uma área de escudos da Amazônia, rica em
minerais e que, por isso, vem sendo alvo de ofensivas de empresas mineradoras, o que
pode colocar em risco a Floresta Amazônica Equatorial.
ESTRUTURA DO PLANETA TERRA
19
DOBRAMENTOS MODERNOS
Encontram-se em áreas que apresentam conhecidas cadeias montanhosas, como a
Cordilheira dos Andes, a oeste da América do Sul; as Montanhas Rochosas, na América do Norte; os
Alpes, na Europa; e a Cordilheira do Himalaia, na Ásia.
Isso ocorre porque os dobramentos modernos são, na verdade, trechos de formação recente
originados pela elevação do terreno em razão da interação das placas tectônicas e fenômenos
decorrentes. O Brasil, por apresentar uma formação geológica antiga, não apresenta esse tipo de
estrutura geológica.
ESTRUTURA DO PLANETA TERRA
20
BACIAS SEDIMENTARES
Distribuem-se em diferentes partes do mundo, existindo também no território
brasileiro. Elas recobrem cerca de 75% da superfície terrestre e são caracterizadas pela sua
formação na Era Paleozoica (500 milhões de anos atrás), com a acumulação dos sedimentos
gerados pelo desgaste das rochas em função da ação dos agentes externos de formação do
relevo. É nas bacias sedimentares que ocorre a possibilidade de haver acúmulo de petróleo,
bem como a existência de fósseis, apesar de isso não ser algo determinante.
ESTRUTURA DO PLANETA TERRA
21
PRATICANDO OS CONHECIMENTOS
22
23
24
25

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a 43573_5c3526cc1529b2e8bee27219542e606d (1).pptx

6ano grupo 04 atividade 20
6ano grupo 04 atividade 206ano grupo 04 atividade 20
6ano grupo 04 atividade 20
Joao Paulo
 
6ano grupo 04 atividade 20
6ano grupo 04 atividade 206ano grupo 04 atividade 20
6ano grupo 04 atividade 20
Joao Paulo
 
6ano grupo 04 atividade 20
6ano grupo 04 atividade 206ano grupo 04 atividade 20
6ano grupo 04 atividade 20
Joao Paulo
 
Apresentação estrutura interna
Apresentação estrutura interna Apresentação estrutura interna
Apresentação estrutura interna
LUIS ABREU
 
Separação dos continentes
Separação dos continentes Separação dos continentes
Separação dos continentes
ruivaz1994
 
Geomorfologia brasileira recursos minerais
Geomorfologia brasileira   recursos mineraisGeomorfologia brasileira   recursos minerais
Geomorfologia brasileira recursos minerais
Julia Selistre
 

Semelhante a 43573_5c3526cc1529b2e8bee27219542e606d (1).pptx (20)

Formação terra
Formação terraFormação terra
Formação terra
 
Formacao terra
Formacao terraFormacao terra
Formacao terra
 
A dinâmica da litosfera
A dinâmica da litosfera A dinâmica da litosfera
A dinâmica da litosfera
 
1 Aula formaçao das rochas.pptx
1 Aula formaçao das rochas.pptx1 Aula formaçao das rochas.pptx
1 Aula formaçao das rochas.pptx
 
6ano grupo 04 atividade 20
6ano grupo 04 atividade 206ano grupo 04 atividade 20
6ano grupo 04 atividade 20
 
6ano grupo 04 atividade 20
6ano grupo 04 atividade 206ano grupo 04 atividade 20
6ano grupo 04 atividade 20
 
6ano grupo 04 atividade 20
6ano grupo 04 atividade 206ano grupo 04 atividade 20
6ano grupo 04 atividade 20
 
Capítulo 1 - A dinâmica da natureza e os continentes terrestres
Capítulo 1 - A dinâmica da natureza e os continentes terrestresCapítulo 1 - A dinâmica da natureza e os continentes terrestres
Capítulo 1 - A dinâmica da natureza e os continentes terrestres
 
530 27 03_2012_arquivo
530 27 03_2012_arquivo530 27 03_2012_arquivo
530 27 03_2012_arquivo
 
aula tectônica de placas geogeral 2020 (1).pdf
aula  tectônica de placas geogeral 2020 (1).pdfaula  tectônica de placas geogeral 2020 (1).pdf
aula tectônica de placas geogeral 2020 (1).pdf
 
Apresentação estrutura interna
Apresentação estrutura interna Apresentação estrutura interna
Apresentação estrutura interna
 
Resumo 3º módulo
Resumo 3º móduloResumo 3º módulo
Resumo 3º módulo
 
Separação dos continentes
Separação dos continentes Separação dos continentes
Separação dos continentes
 
Um pouco sobre o nosso planeta
Um pouco sobre o nosso planeta Um pouco sobre o nosso planeta
Um pouco sobre o nosso planeta
 
Dinâmica da crosta terrestre
Dinâmica da  crosta terrestreDinâmica da  crosta terrestre
Dinâmica da crosta terrestre
 
Litosfera
LitosferaLitosfera
Litosfera
 
Geomorfologia brasileira recursos minerais
Geomorfologia brasileira   recursos mineraisGeomorfologia brasileira   recursos minerais
Geomorfologia brasileira recursos minerais
 
Estrutura geológica da terra
Estrutura geológica da terraEstrutura geológica da terra
Estrutura geológica da terra
 
Mobilismo Geológico
Mobilismo Geológico Mobilismo Geológico
Mobilismo Geológico
 
Estrutura geológica e relevo
Estrutura geológica e relevoEstrutura geológica e relevo
Estrutura geológica e relevo
 

Mais de Centro Educacional Nilton Oliveira Santos -CENOS

Mais de Centro Educacional Nilton Oliveira Santos -CENOS (11)

Aula Sociologia Contemporânea.pptxllllllllllllllllll
Aula Sociologia Contemporânea.pptxllllllllllllllllllAula Sociologia Contemporânea.pptxllllllllllllllllll
Aula Sociologia Contemporânea.pptxllllllllllllllllll
 
Aula - Projeções Cartográficas.ppt ggggg
Aula - Projeções Cartográficas.ppt gggggAula - Projeções Cartográficas.ppt ggggg
Aula - Projeções Cartográficas.ppt ggggg
 
epidemiologiadoenvelhecimento-mudanasociais-090330092049-phpapp02.ppt
epidemiologiadoenvelhecimento-mudanasociais-090330092049-phpapp02.pptepidemiologiadoenvelhecimento-mudanasociais-090330092049-phpapp02.ppt
epidemiologiadoenvelhecimento-mudanasociais-090330092049-phpapp02.ppt
 
03 - Interculturalidade e Diversidade Amazônica - 2ªsérie 2023_20-01.pdf
03 - Interculturalidade e Diversidade Amazônica - 2ªsérie 2023_20-01.pdf03 - Interculturalidade e Diversidade Amazônica - 2ªsérie 2023_20-01.pdf
03 - Interculturalidade e Diversidade Amazônica - 2ªsérie 2023_20-01.pdf
 
francianeslide.filosofia_20231001_233312_0000 (1).pptx
francianeslide.filosofia_20231001_233312_0000 (1).pptxfrancianeslide.filosofia_20231001_233312_0000 (1).pptx
francianeslide.filosofia_20231001_233312_0000 (1).pptx
 
Filosofia.pptxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx
Filosofia.pptxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxFilosofia.pptxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx
Filosofia.pptxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx
 
fusoshorarioscompleto-180823150343.ppt~~
fusoshorarioscompleto-180823150343.ppt~~fusoshorarioscompleto-180823150343.ppt~~
fusoshorarioscompleto-180823150343.ppt~~
 
Aula de Filosofia_2º ano_Fenomenologia_E
Aula de Filosofia_2º ano_Fenomenologia_EAula de Filosofia_2º ano_Fenomenologia_E
Aula de Filosofia_2º ano_Fenomenologia_E
 
apresentação Martin Heidegger 2 ano 2.pptx
apresentação Martin Heidegger  2 ano 2.pptxapresentação Martin Heidegger  2 ano 2.pptx
apresentação Martin Heidegger 2 ano 2.pptx
 
Transformações na Sociedade Urbano Industrial - 9 ano .pptx
Transformações na Sociedade Urbano Industrial - 9 ano .pptxTransformações na Sociedade Urbano Industrial - 9 ano .pptx
Transformações na Sociedade Urbano Industrial - 9 ano .pptx
 
Organizações Mundiais e Internacionais Regionais - 8º ano.pptx
Organizações Mundiais e Internacionais Regionais - 8º ano.pptxOrganizações Mundiais e Internacionais Regionais - 8º ano.pptx
Organizações Mundiais e Internacionais Regionais - 8º ano.pptx
 

Último

Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdfManual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Pastor Robson Colaço
 
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoO Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
VALMIRARIBEIRO1
 

Último (20)

Atividade com a música Xote da Alegria - Falamansa
Atividade com a música Xote  da  Alegria    -   FalamansaAtividade com a música Xote  da  Alegria    -   Falamansa
Atividade com a música Xote da Alegria - Falamansa
 
Aula 5 - Fluxo de matéria e energia nos ecossistemas.ppt
Aula 5 - Fluxo de matéria e energia nos ecossistemas.pptAula 5 - Fluxo de matéria e energia nos ecossistemas.ppt
Aula 5 - Fluxo de matéria e energia nos ecossistemas.ppt
 
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdfManual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
 
Slide - HIV (1) edit.pptx hiv em crianças
Slide - HIV (1) edit.pptx hiv em criançasSlide - HIV (1) edit.pptx hiv em crianças
Slide - HIV (1) edit.pptx hiv em crianças
 
Produção de poemas - Reciclar é preciso
Produção  de  poemas  -  Reciclar é precisoProdução  de  poemas  -  Reciclar é preciso
Produção de poemas - Reciclar é preciso
 
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptx
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptxSão Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptx
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptx
 
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
 
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoO Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
 
bem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animalbem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animal
 
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdfAs Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
 
análise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdf
análise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdfanálise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdf
análise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdf
 
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdfEnunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
 
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisNós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
 
Respostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdf
Respostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdfRespostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdf
Respostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdf
 
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
 
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livroMeu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
 
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptxSlides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
 
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã""Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
 
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sociedade_Cultura_e_Contemporaneidade_(ED70200).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sociedade_Cultura_e_Contemporaneidade_(ED70200).pdfEnunciado_da_Avaliacao_1__Sociedade_Cultura_e_Contemporaneidade_(ED70200).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sociedade_Cultura_e_Contemporaneidade_(ED70200).pdf
 
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdfExercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
 

43573_5c3526cc1529b2e8bee27219542e606d (1).pptx

  • 2. # RECONHECER A ESTRUTURA DA TERRA # AVALIAR AS TRANSFORMAÇÕES NO PLANETA DURANTE OS SÉCULOS 2
  • 3. • ESTRUTURA DO PLANETA TERRA LITOSFERA TERRESTRE 3
  • 4. • ESTRUTURA DO PLANETA TERRA placas tectônicas são grandes blocos rochosos semirrígidos que compõem a crosta terrestre. a terra divide-se em 52 placas tectônicas sendo 14 principais placas, as quais se movimentam sobre o manto de forma lenta e contínua, podendo aproximar-se ou se afastar umas das outras. a movimentação das placas resulta na formação de montanhas, fossas oceânicas, atividades vulcânicas, terremotos e tsunamis. 4
  • 5. ESTRUTURA DO PLANETA TERRA Teoria das Placas Tectônicas Em 1913, Alfred Wegener apresentou a Teoria da Deriva Continental, que afirma que, há milhões de anos, as massas de Terra formavam um único supercontinente, chamado Pangeia. 5
  • 6. Essa teoria foi confirmada por sua sucessora, a chamada Teoria das Placas Tectônicas. A Teoria das Placas tectônicas parte do pressuposto de que a crosta terrestre está dividida blocos semirrígidos, ou em grandes seja, em placas que abrangem os continentes e o fundo oceânico. Essas placas movimentam-se sobre o magma, impulsionadas por forças vindas do no interior da Terra. ESTRUTURA DO PLANETA TERRA 6
  • 7. POR QUE AS PLACAS TECTÔNICAS MOVIMENTAM-SE? Os movimentos realizados pelas placas tectônicas ocorrem em virtude das altas temperaturas existentes no interior da Terra. A crosta terrestre encontra-se sobre o manto, camada da Terra composta por magma. O intenso calor provoca a movimentação circular do manto em correntes de convecção. ESTRUTURA DO PLANETA TERRA 7
  • 8. LIMITES DAS PLACAS TECTÔNICAS Limites das placas tectônicas correspondem às zonas de encontro entre as placas, ou seja, são as fronteiras ou margens das placas, nas quais ocorre intensa movimentação, como atividades sísmicas e vulcanismo. ESTRUTURA DO PLANETA TERRA 8
  • 9. 1) LIMITE DIVERGENTE No movimento divergente, as placas afastam-se umas das outras, formando fendas e rachaduras na crosta terrestre. Assim, quando ocorre o movimento das correntes convectivas ascendentes, o magma do interior da Terra atravessa as fendas, sendo levado para a superfície. O magma, então, resfria-se e é acrescentado às bordas das placas, que aumentam de tamanho. No movimento divergente, as placas tectônicas afastam-se umas das outras. 9 ESTRUTURA DO PLANETA TERRA
  • 10. 2) LIMITE CONVERGENTE No movimento convergente, as placas aproximam-se e chocam-se umas contra as outras. 1. Quando o movimento convergente ocorre entre uma placa oceânica e uma placa continental, a primeira retorna ao manto, enquanto a segunda enruga-se, formando dobras. Isso ocorre porque as rochas das placas oceânicas são mais densas que as rochas das placas continentais. 2. Quando ocorre um choque entre duas placas oceânicas, apenas uma das placas afundará, no caso, a mais densa entre as duas. 3. Quando o choque ocorre entre duas placas continentais, não há afundamento das placas, visto que a densidade das duas é a mesma, logo, ambas sofrem dobramento. Um exemplo desse tipo de choque foi o que ocorreu entre as placas Sul-Americana e a Placa de Nazca, que deu origem à Cordilheira dos Andes. No movimento convergente, as placas tectônicas aproximam-se e chocam-se umas com as outras. 10 ESTRUTURA DO PLANETA TERRA
  • 11. PRATICANDO OS CONHECIMENTOS 11 1. A Terra é como uma cebola: é dividida em várias camadas. Entre essas diferentes formas que compõem a estrutura interna do nosso planeta, qual(is) dela(s) pode(m) ser considerada(s) sólida(s). a) somente a crosta terrestre b) somente o manto c) somente o núcleo d) a crosta e o núcleo interno e) o manto externo e a crosta RESP. D
  • 12. 02. Quando um forte terremoto abalou o norte do Chile no dia primeiro de abril, os cientistas encontraram rapidamente uma explicação: ele ocorreu ao longo de uma falha onde as tensões estavam crescendo […]. Essa explicação pode estar clara agora, mas até boa parte do século 20, os cientistas sabiam relativamente pouco sobre os mecanismos por trás desses grandes eventos sísmicos. Entretanto, tudo isso mudou quando um terremoto devastador atingiu o centro-sul do Alasca no dia 27 de março de 1964, quase 50 anos antes do terremoto chileno. 12 Estudos sobre o grande terremoto do Alasca – realizados em grande parte por um geólogo que sabia muito pouco sobre sismologia quando começou sua pesquisa – revelaram o mecanismo que liga as mudanças observadas na paisagem com a teoria da época, a das placas tectônicas […]. “— Placas tectônicas foram originalmente propostas como uma teoria cinemática —ela tratava de deslocamentos, movimentos e velocidades. A maior conquista foi ligar os terremotos a esses movimentos”, afirmou Arthur Lerner-Lam, vice- diretor do Observatório Terrestre Lamont-Doherty, parte da Universidade de Columbia. Como notamos, a ocorrência de terremotos encontra-se, em vários casos, associada à dinâmica de movimento das placas tectônicas. Portanto, podemos considerar que os abalos sísmicos que aterrorizam várias sociedades ao londo do planeta devem-se a eventos geológicos que ocorrem: a) exclusivamente na crosta terrestre. b) a partir do meio externo do relevo. c) em toda a estrutura interna da Terra. d) entre a crosta e o manto, tendo consequências sobre a superfície. e) exclusivamente no manto externo. RESP. C
  • 13. 03. “Com o desenvolvimento da rede sismográfica mundial e dos métodos de observação e análise, foram encontradas novas interfaces e zonas de transição no interior terrestre, mostrando que a crosta, o manto e o núcleo são domínios heterogêneos. Partindo das velocidades sísmicas, calculam-se as densidades das camadas principais e de suas subdivisões, para em seguida buscar a identificação das rochas presentes nessas camadas”. 13 Sobre a estrutura interna da Terra, julgue as afirmativas a seguir: I. A crosta terrestre pode ser classificada em continental e oceânica. II. O núcleo externo encontra-se no estado líquido. III. Entre o manto e o núcleo encontra-se a descontinuidade de Mohorovicic. IV.A litosfera abrange o núcleo e a crosta da Terra. V.O manto é a maior das camadas internas do planeta. VI. O manto externo é menos denso e mais pastoso do que o manto interno. Sobre a pertinência das afirmações acima, é válido dizer que: a) Todas estão corretas. b) Apenas I, III e VI estão corretas. c) III e IV estão incorretas. d) I, II, V e VI estão corretas. e) Todas estão incorretas. RESP. D
  • 14. 04. As placas tectônicas, assim como toda a crosta terrestre, flutuam 14 sobre o substrato magmático da Terra em um comportamento semelhante ao de blocos de gelo boiando sobre a água, com as estruturas mais espessas e pesadas mais profundamente mergulhadas e as mais leves e finas flutuando mais superficialmente. Essa configuração representa o princípio: a) do tectonismo b) da isostasia c) da assimetria d) da derivação continental e) do magmatismo RESP. D
  • 15. ESTRUTURA DO PLANETA TERRA CORDILHEIRA DOS ANDES 15
  • 16. 3) LIMITE TRANSFORMANTE No movimento transformante, as placas deslizam umas em relação as outras, provocando rachaduras na região de contato entre as placas. Nesse movimento, não há destruição nem criação de placas, podendo, em alguns casos, originar falhas. Um grande exemplo de movimento transformante ocorreu entre a Placa do Pacífico e a Placa Norte-América, resultando na falha de San Andres, no estado da Califórnia, nos Estados Unidos. No movimento transformante, as placas tectônicas deslizam umas em relação as outras. 16 ESTRUTURA DO PLANETA TERRA
  • 17. FALHA DE SAN ANDRES, NO ESTADO DA CALIFÓRNIA, NOS ESTADOS UNIDOS 17 1.290 km através da Califórnia ESTRUTURA DO PLANETA TERRA
  • 18. A litosfera – camada rochosa do planeta Terra – apresenta inúmeras dinâmicas e variações. A sua composição estrutural, contudo, é classificada em três diferentes tipos de estruturas geológicas que se dividem em todo o mundo: 1. CRÁTONS 2. BACIAS SEDIMENTARES 3. DOBRAMENTOS MODERNOS ESTRUTURA DO PLANETA TERRA 18
  • 19. CRÁTONS Sua formação é a mesma dos dobramentos modernos, no entanto, como são mais antigos, sofreram maiores desgastes dos agentes externos ou exógenos de transformação do relevo, os mesmos que originaram as bacias sedimentares. O terreno é tão antigo que apresenta as mais antigas rochas encontradas no planeta. Os crátons costumam abranger áreas de planalto. No Brasil, eles recobrem, por exemplo, o Planalto Central, o das Guianas e uma área de escudos da Amazônia, rica em minerais e que, por isso, vem sendo alvo de ofensivas de empresas mineradoras, o que pode colocar em risco a Floresta Amazônica Equatorial. ESTRUTURA DO PLANETA TERRA 19
  • 20. DOBRAMENTOS MODERNOS Encontram-se em áreas que apresentam conhecidas cadeias montanhosas, como a Cordilheira dos Andes, a oeste da América do Sul; as Montanhas Rochosas, na América do Norte; os Alpes, na Europa; e a Cordilheira do Himalaia, na Ásia. Isso ocorre porque os dobramentos modernos são, na verdade, trechos de formação recente originados pela elevação do terreno em razão da interação das placas tectônicas e fenômenos decorrentes. O Brasil, por apresentar uma formação geológica antiga, não apresenta esse tipo de estrutura geológica. ESTRUTURA DO PLANETA TERRA 20
  • 21. BACIAS SEDIMENTARES Distribuem-se em diferentes partes do mundo, existindo também no território brasileiro. Elas recobrem cerca de 75% da superfície terrestre e são caracterizadas pela sua formação na Era Paleozoica (500 milhões de anos atrás), com a acumulação dos sedimentos gerados pelo desgaste das rochas em função da ação dos agentes externos de formação do relevo. É nas bacias sedimentares que ocorre a possibilidade de haver acúmulo de petróleo, bem como a existência de fósseis, apesar de isso não ser algo determinante. ESTRUTURA DO PLANETA TERRA 21
  • 23. 23
  • 24. 24
  • 25. 25