SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 33
Escola Secundária Dr. Augusto César da Silva Ferreira

                       Disciplina de Biologia 12º ano

                                2009-2010




  Desenvolvimento Embrionário e
            Gestação

Unidade 1: Reprodução e Manipulação
             da Fertilidade


      Professora Cidália Santos de Aguiar
Introdução      Fecundação   Embriogénese     Parto


Desenvolvimento embrionário
     O que é então o desenvolvimento
              embrionário?
                  Em resumo…
   É a forma pela qual a célula formada pela
  união dos gâmetas, o zigoto, origina um
animal multicelular, que pode ser constituído
 por triliões de células de centenas de tipos
                   diferentes!



              Wolff estabeleceu este conceito pela primeira vez em
                            meados do século XVIII…
               O período ele, o desenvolvimento embrionário
                Segundo que medeia entre a concepção e os
               consiste no crescimento alométrico atéãoforma
                      nascimento denomina-se gestaç à
                             apropriada do ser vivo
Introdução
 Introdução                 Fecundação
         Introdução Pigmentosde Metamorfismo
                     Factores Fotossintéticos    Etapas daMetamórficas Parto
                                                  Rochas Fotossíntese
                                                Embriogénese                   Síntese
                                                                               Síntese


Fecundação
 Encontro e união das células sexuais feminina e masculina ,
  haplóides, com fusão dos seus núcleos e formação de um
                       zigoto diplóide


    Os espermatozóides progridem até ao
             colo do útero
   Menos de 100 alcançam as trompas de
                falópio!
  Encontro com o oócito II, atraídos por
 uma substância libertada pelas células
             foliculares
     Ligação a receptores específicos da
              zona pelúcida
Introdução
 Introdução                 Fecundação
         Introdução Pigmentosde Metamorfismo
                     Factores Fotossintéticos    Etapas daMetamórficas Parto
                                                  Rochas Fotossíntese
                                                Embriogénese                   Síntese
                                                                               Síntese


Fecundação
 Encontro e união das células sexuais feminina e masculina ,
  haplóides, com fusão dos seus núcleos e formação de um
                       zigoto diplóide


    Reacção acrossómica: digestão local e
        travessia da zona pelucida

                 Conclusão da meiose

   Formação da membrana de fecundação
        (impede entrada de mais
           espermatozoides)

          Cariogamia: fusão dos nucleos

            Formação do ovo ou zigoto
Introdução   Fecundação   Embriogénese      Parto


Embriogénese
    Após a formação do ovo, inicia-se o desenvolvimento
    embrionário ou embriogénese, o qual termina com o
                       nascimento.
        Distinguem-se 2 fases na gestação humana



  Período Embrionário- no final desta fase os orgãos
estão já totalmente esboçados. Cerca de 8 semanas


  Periodo Fetal- desenvolvimento dos órgãos e crescimento
do feto. Tempo restante

     A embriogénese é o processo através do qual o
          embrião é formado e se desenvolve
Introdução   Fecundação   Embriogénese       Parto


Embriogénese
     A embriogénese é o processo através do qual o
          embrião é formado e se desenvolve

          Distinguem-se 3 fases na embriogénese



  Segmentação         Gastrulação              Organogénese

           Ocorre nas duas primeiras semanas
    Sequência de divisões celulares que originam células
         sucessivamente menores (blastómeros)

             O embrião passa então à fase de mórula
Introdução   Fecundação   Embriogénese      Parto


Segmentação (continuação)

A segmentação continua até que o embrião atinge o estado de
                       Blastocisto


                                  Nesta fase o embrião é
                                 composto por 2 conjuntos
                                        celulares:

                                     - Botão embrionário:
                                 aglomerado de blastómeros

                                        - Trofoblasto:
                                 Invólucro (delimita também
                                   a cavidade - blastocélio)
Introdução   Fecundação   Embriogénese       Parto


Embriogénese
     A embriogénese é o processo através do qual o
          embrião é formado e se desenvolve

          Distinguem-se 3 fases na embriogénese



  Segmentação         Gastrulação              Organogénese



         Continuam as divisões celulares mas…
     Há rearranjos espaciais entre grupos de células
                    MORFOGÉNESE
Introdução   Fecundação   Embriogénese      Parto


Gastrulação
          Continuam as divisões celulares mas…
      Há rearranjos espaciais entre grupos de células
                     MORFOGÉNESE

No final da morfogénese o
 embrião atinge o estado
        de gástrula

     - A gástrula, nos
 humanos, é um embrião
  formado por 3 folhetos
germinativos concêntricos
Introdução   Fecundação   Embriogénese       Parto


Gastrulação
         Continuam as divisões celulares mas…
     Há rearranjos espaciais entre grupos de células
                    MORFOGÉNESE
Introdução   Fecundação   Embriogénese       Parto


Embriogénese
     A embriogénese é o processo através do qual o
          embrião é formado e se desenvolve

          Distinguem-se 3 fases na embriogénese



  Segmentação         Gastrulação              Organogénese



    Ocorrem fenómenos de diferenciação celular dos quais
     resulta a constituição dos diversos tecidos, órgãos e
         sistemas de órgãos que formam o individuo
Introdução   Fecundação   Embriogénese     Parto


Anexos embrionários humanos
  Desde as fases iniciais começam também a formar-se os
                           anexos


                            Córion

             Membrana com muitas vilosidades

         Forma uma extensa superficie de trocas
           Intervêm na formação da placenta
Introdução      Fecundação   Embriogénese   Parto


Anexos embrionários humanos
  Desde as fases iniciais começam também a formar-se os
                           anexos


                               Âmnio

                    Saco que envolve o embrião

  Mantêm o embrião num meio líquido (liquido amniótico),
  protegendo-o da desidratação, de choques mecânicos e
   auxilia na manutenção de uma temperatura constante
Introdução        Fecundação   Embriogénese   Parto


Anexos embrionários humanos
  Desde as fases iniciais começam também a formar-se os
                           anexos


                           Vesicula vitelina

     Saco membranoso sem substâncias de reserva

                    Forma parte do tubo digestivo
Introdução        Fecundação    Embriogénese    Parto


Anexos embrionários humanos
  Desde as fases iniciais começam também a formar-se os
                           anexos


                               Alantóide

                    Divertículo da vesicula vitelina

  Estrutura rudimentar que contribui para a formação dos
         vasos sanguíneos para o cordão umbilical
Introdução   Fecundação   Embriogénese     Parto


Anexos embrionários humanos
   Desde as fases iniciais começam também a formar-se os
                            anexos


                           Placenta

 Disco constituído pelo córion do embrião e por endométrio

 Troca nutrientes e produtos de excreção entre o embrião e
                  a mãe. Produz hormonas
Introdução   Fecundação   Embriogénese      Parto


Organogénese



                                       Ocorrem fenómenos
                                        de diferenciação
                                        celular dos quais
                                      resulta a constituição
                                      dos diversos tecidos,
                                      órgãos e sistemas de
                                      órgãos que formam o
                                            individuo
Introdução   Fecundação   Embriogénese   Parto


Embriogénese
Introdução   Fecundação   Embriogénese   Parto


Embriogénese
Introdução   Fecundação   Embriogénese   Parto


9 semanas
Introdução   Fecundação   Embriogénese      Parto


2ª trimestre


                                         Durante o 2º
                                       trimestre há um
                                     rápido crescimento
                                     do feto, que atinge
                                           os 30 cm

                                     A gravidez torna-se
                                          evidente
Introdução   Fecundação   Embriogénese     Parto


Embriogénese




   No 4º mês, já com veias mas ainda sem pele, treina os
   movimentos do futuro bébé, como chuchar no dedo…
Introdução   Fecundação   Embriogénese   Parto


Embriogénese
Introdução   Fecundação   Embriogénese     Parto


Embriogénese

                                              6º Mês
Introdução   Fecundação   Embriogénese     Parto


Embriogénese

                                              7º Mês

                                        Dorme 90% a 95%
                                            do dia…
Introdução   Fecundação   Embriogénese   Parto


Embriogénese

                                              8º Mês
Introdução   Fecundação   Embriogénese       Parto


Embriogénese


                                              9º Mês
Introdução    Fecundação    Embriogénese     Parto

Parto

   Primeira fase: dilatação do colo do útero


 O inicio do trabalho de parto é marcado pelo inicio de contracções
                    uterinas regulares, dolorosas

    Pode ser ou não precedido pelo ruptura do saco amniótico
                     (“ruptura das águas”)

           As contracções vão aumentado de frequência


      Termina com o fim da dilatação e apagamento do
                        colo (10 cm)
          Duração: primíparas- cerca de 13 horas
                Multíparas cerca de 8 horas
Introdução   Fecundação   Embriogénese    Parto

Parto

  Segunda fase: Período expulsivo


               Inicia-se com a dilatação completa
      Para além das contracções involuntárias iniciam-se os
 movimentos voluntários que provocam contracção do diafragma e
                    dos músculos abdominais




 A apresentação fetal mais frequente é a cefálica mas
 são por vezes possíveis partos vaginais com outras
              (como algumas pélvicas)
Introdução   Fecundação   Embriogénese   Parto

Parto
Introdução    Fecundação   Embriogénese    Parto

Parto

        Terceira fase: Dequitadura


               Expulsão da placenta e restantes anexos

  Ocorre geralmente menos de meia hora depois da expulsão do
                       Recém-nascido
      Geralmente decorre de forma natural, mas podem ser
                 necessárias outras manobras




           A dequitadura é a ultima fase do parto
Introdução   Fecundação    Embriogénese   Parto

Parto

        Terceira fase: Dequitadura
Introdução   Fecundação   Embriogénese    Parto

Desenvolvimento embrionário e gestação

     Alguma dúvida?




                                               Cidália Aguiar

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Mais procurados (20)

Fecundação e desenvolvimento do novo ser
Fecundação e desenvolvimento do novo serFecundação e desenvolvimento do novo ser
Fecundação e desenvolvimento do novo ser
 
Desenvolvimento embrionário aula 07 de luzia milena
Desenvolvimento embrionário aula 07 de luzia milenaDesenvolvimento embrionário aula 07 de luzia milena
Desenvolvimento embrionário aula 07 de luzia milena
 
Desenvolvimento embrionario
Desenvolvimento embrionarioDesenvolvimento embrionario
Desenvolvimento embrionario
 
Desenvolvimento embrionario 1 em
Desenvolvimento embrionario 1 emDesenvolvimento embrionario 1 em
Desenvolvimento embrionario 1 em
 
Embriologia cic damas
Embriologia cic damasEmbriologia cic damas
Embriologia cic damas
 
Primeira semana do desenvolvimento embrionário
Primeira semana do desenvolvimento embrionárioPrimeira semana do desenvolvimento embrionário
Primeira semana do desenvolvimento embrionário
 
Desenvolvimento do embrião
Desenvolvimento do embriãoDesenvolvimento do embrião
Desenvolvimento do embrião
 
Fecundação
FecundaçãoFecundação
Fecundação
 
Embriologia
EmbriologiaEmbriologia
Embriologia
 
Embriologia básica
Embriologia básicaEmbriologia básica
Embriologia básica
 
Aula 1
Aula 1   Aula 1
Aula 1
 
Embriogenese
EmbriogeneseEmbriogenese
Embriogenese
 
Embriologia humana 1a a 3a semana
Embriologia humana 1a a 3a semana Embriologia humana 1a a 3a semana
Embriologia humana 1a a 3a semana
 
Embriologia
EmbriologiaEmbriologia
Embriologia
 
Embriologia
EmbriologiaEmbriologia
Embriologia
 
Embriologia slides
Embriologia  slidesEmbriologia  slides
Embriologia slides
 
Embriologia animal
Embriologia animalEmbriologia animal
Embriologia animal
 
5ª Semana Embrionária
5ª Semana Embrionária5ª Semana Embrionária
5ª Semana Embrionária
 
Embriogenese
EmbriogeneseEmbriogenese
Embriogenese
 
Terceira semana gastrulação
Terceira semana gastrulaçãoTerceira semana gastrulação
Terceira semana gastrulação
 

Semelhante a 2.5.GestaçãO D

Etapas do desenvolvimento embrionário humano.ppt
Etapas do desenvolvimento embrionário humano.pptEtapas do desenvolvimento embrionário humano.ppt
Etapas do desenvolvimento embrionário humano.pptJulhilson Júnior
 
Etapas do desenvolvimento embrionário humano.ppt
Etapas do desenvolvimento embrionário humano.pptEtapas do desenvolvimento embrionário humano.ppt
Etapas do desenvolvimento embrionário humano.pptKassiaAmaral
 
Etapas do desenvolvimento embrionário humano.ppt
Etapas do desenvolvimento embrionário humano.pptEtapas do desenvolvimento embrionário humano.ppt
Etapas do desenvolvimento embrionário humano.pptNatliaPacheco9
 
Desenvolvimento Embrionário!
Desenvolvimento Embrionário!Desenvolvimento Embrionário!
Desenvolvimento Embrionário!Rosalia Azambuja
 
Embriologia e Anexos Embrionários
Embriologia e Anexos EmbrionáriosEmbriologia e Anexos Embrionários
Embriologia e Anexos Embrionáriosaulasdoaris
 
Cn9 ciclo feminino_reproducao
Cn9 ciclo feminino_reproducaoCn9 ciclo feminino_reproducao
Cn9 ciclo feminino_reproducaoJoana Cunha
 
42245_c5287c54b065ee896911b43090881799.pdf
42245_c5287c54b065ee896911b43090881799.pdf42245_c5287c54b065ee896911b43090881799.pdf
42245_c5287c54b065ee896911b43090881799.pdfMayaraGomes216833
 
Etapas do desenvolvimento embrionário humano.ppt
Etapas do desenvolvimento embrionário humano.pptEtapas do desenvolvimento embrionário humano.ppt
Etapas do desenvolvimento embrionário humano.pptEmanuelleCardoso11
 
4_fecundação_nascimento.pptx
4_fecundação_nascimento.pptx4_fecundação_nascimento.pptx
4_fecundação_nascimento.pptxTeresa Cardoso
 
Embriologia
EmbriologiaEmbriologia
EmbriologiaURCA
 
sistema reprodutor
sistema reprodutorsistema reprodutor
sistema reprodutorkapekode
 
Morfo I - Desenvolvimento Embrionário
Morfo I - Desenvolvimento  EmbrionárioMorfo I - Desenvolvimento  Embrionário
Morfo I - Desenvolvimento EmbrionárioPaulo Tsai - Unime
 
Reprodução Humana
Reprodução HumanaReprodução Humana
Reprodução Humanaanarita2
 
Reprodução humana
Reprodução humanaReprodução humana
Reprodução humanaanarita2
 

Semelhante a 2.5.GestaçãO D (20)

Etapas do desenvolvimento embrionário humano.ppt
Etapas do desenvolvimento embrionário humano.pptEtapas do desenvolvimento embrionário humano.ppt
Etapas do desenvolvimento embrionário humano.ppt
 
Etapas do desenvolvimento embrionário humano.ppt
Etapas do desenvolvimento embrionário humano.pptEtapas do desenvolvimento embrionário humano.ppt
Etapas do desenvolvimento embrionário humano.ppt
 
Etapas do desenvolvimento embrionário humano.ppt
Etapas do desenvolvimento embrionário humano.pptEtapas do desenvolvimento embrionário humano.ppt
Etapas do desenvolvimento embrionário humano.ppt
 
Desenvolvimento Embrionário!
Desenvolvimento Embrionário!Desenvolvimento Embrionário!
Desenvolvimento Embrionário!
 
Embriologia e Anexos Embrionários
Embriologia e Anexos EmbrionáriosEmbriologia e Anexos Embrionários
Embriologia e Anexos Embrionários
 
Cn9 ciclo feminino_reproducao
Cn9 ciclo feminino_reproducaoCn9 ciclo feminino_reproducao
Cn9 ciclo feminino_reproducao
 
42245_c5287c54b065ee896911b43090881799.pdf
42245_c5287c54b065ee896911b43090881799.pdf42245_c5287c54b065ee896911b43090881799.pdf
42245_c5287c54b065ee896911b43090881799.pdf
 
Etapas do desenvolvimento embrionário humano.ppt
Etapas do desenvolvimento embrionário humano.pptEtapas do desenvolvimento embrionário humano.ppt
Etapas do desenvolvimento embrionário humano.ppt
 
4_fecundação_nascimento.pptx
4_fecundação_nascimento.pptx4_fecundação_nascimento.pptx
4_fecundação_nascimento.pptx
 
Embriologia
EmbriologiaEmbriologia
Embriologia
 
Embriologia.pptx
Embriologia.pptxEmbriologia.pptx
Embriologia.pptx
 
sistema reprodutor
sistema reprodutorsistema reprodutor
sistema reprodutor
 
Desenen. embri
Desenen. embriDesenen. embri
Desenen. embri
 
Introducaoaembriologiaaulaoficial 130329201046-phpapp02
Introducaoaembriologiaaulaoficial 130329201046-phpapp02Introducaoaembriologiaaulaoficial 130329201046-phpapp02
Introducaoaembriologiaaulaoficial 130329201046-phpapp02
 
Embriologia
Embriologia Embriologia
Embriologia
 
Morfo I - Desenvolvimento Embrionário
Morfo I - Desenvolvimento  EmbrionárioMorfo I - Desenvolvimento  Embrionário
Morfo I - Desenvolvimento Embrionário
 
Aula desenv fetal
Aula desenv fetalAula desenv fetal
Aula desenv fetal
 
Embriologia ii
Embriologia iiEmbriologia ii
Embriologia ii
 
Reprodução Humana
Reprodução HumanaReprodução Humana
Reprodução Humana
 
Reprodução humana
Reprodução humanaReprodução humana
Reprodução humana
 

Mais de Cidalia Aguiar

Qual a relação entre grupos sanguíneos do sistema
Qual a relação entre grupos sanguíneos do sistemaQual a relação entre grupos sanguíneos do sistema
Qual a relação entre grupos sanguíneos do sistemaCidalia Aguiar
 
Ex biotecnologia no diagnóstico e terapêutica de doenças-actividades manual
Ex biotecnologia no diagnóstico e terapêutica de doenças-actividades manualEx biotecnologia no diagnóstico e terapêutica de doenças-actividades manual
Ex biotecnologia no diagnóstico e terapêutica de doenças-actividades manualCidalia Aguiar
 
1 power-point 12º sistema imunitário-doenças e desequilíbrios [modo de compat...
1 power-point 12º sistema imunitário-doenças e desequilíbrios [modo de compat...1 power-point 12º sistema imunitário-doenças e desequilíbrios [modo de compat...
1 power-point 12º sistema imunitário-doenças e desequilíbrios [modo de compat...Cidalia Aguiar
 
1.1. reacção alérgicas hipersensibilidade [modo de compatibilidade]
1.1. reacção alérgicas hipersensibilidade [modo de compatibilidade]1.1. reacção alérgicas hipersensibilidade [modo de compatibilidade]
1.1. reacção alérgicas hipersensibilidade [modo de compatibilidade]Cidalia Aguiar
 
.Apresentação 12º sistema imunitário
.Apresentação 12º sistema imunitário.Apresentação 12º sistema imunitário
.Apresentação 12º sistema imunitárioCidalia Aguiar
 
Trabalho de grupo sistema solar
Trabalho de grupo sistema solarTrabalho de grupo sistema solar
Trabalho de grupo sistema solarCidalia Aguiar
 
Trabalho de grupo sistema solar
Trabalho de grupo sistema solarTrabalho de grupo sistema solar
Trabalho de grupo sistema solarCidalia Aguiar
 
Aula teórico pratica les
Aula teórico pratica lesAula teórico pratica les
Aula teórico pratica lesCidalia Aguiar
 
Correcção de fichas da aula sobre regulação genica
Correcção de fichas da aula sobre regulação genicaCorrecção de fichas da aula sobre regulação genica
Correcção de fichas da aula sobre regulação genicaCidalia Aguiar
 
Correcção dos exercícios de hereditariedade
Correcção dos exercícios de hereditariedadeCorrecção dos exercícios de hereditariedade
Correcção dos exercícios de hereditariedadeCidalia Aguiar
 
Doador receptor-quadro
Doador receptor-quadroDoador receptor-quadro
Doador receptor-quadroCidalia Aguiar
 
2.5.1. d mecanismos do parto e lactação d
2.5.1. d mecanismos do parto e lactação d2.5.1. d mecanismos do parto e lactação d
2.5.1. d mecanismos do parto e lactação dCidalia Aguiar
 
Acetato mét. contraceptivos
Acetato mét. contraceptivosAcetato mét. contraceptivos
Acetato mét. contraceptivosCidalia Aguiar
 
Causas de infertilidade
Causas de infertilidadeCausas de infertilidade
Causas de infertilidadeCidalia Aguiar
 
Acetato reprodução assistida
Acetato reprodução assistidaAcetato reprodução assistida
Acetato reprodução assistidaCidalia Aguiar
 
Causas de infertilidade
Causas de infertilidadeCausas de infertilidade
Causas de infertilidadeCidalia Aguiar
 

Mais de Cidalia Aguiar (20)

Qual a relação entre grupos sanguíneos do sistema
Qual a relação entre grupos sanguíneos do sistemaQual a relação entre grupos sanguíneos do sistema
Qual a relação entre grupos sanguíneos do sistema
 
Grupo sanguíneo abo
Grupo sanguíneo aboGrupo sanguíneo abo
Grupo sanguíneo abo
 
Ex biotecnologia no diagnóstico e terapêutica de doenças-actividades manual
Ex biotecnologia no diagnóstico e terapêutica de doenças-actividades manualEx biotecnologia no diagnóstico e terapêutica de doenças-actividades manual
Ex biotecnologia no diagnóstico e terapêutica de doenças-actividades manual
 
1 power-point 12º sistema imunitário-doenças e desequilíbrios [modo de compat...
1 power-point 12º sistema imunitário-doenças e desequilíbrios [modo de compat...1 power-point 12º sistema imunitário-doenças e desequilíbrios [modo de compat...
1 power-point 12º sistema imunitário-doenças e desequilíbrios [modo de compat...
 
1.1. reacção alérgicas hipersensibilidade [modo de compatibilidade]
1.1. reacção alérgicas hipersensibilidade [modo de compatibilidade]1.1. reacção alérgicas hipersensibilidade [modo de compatibilidade]
1.1. reacção alérgicas hipersensibilidade [modo de compatibilidade]
 
.Apresentação 12º sistema imunitário
.Apresentação 12º sistema imunitário.Apresentação 12º sistema imunitário
.Apresentação 12º sistema imunitário
 
Trabalho de grupo sistema solar
Trabalho de grupo sistema solarTrabalho de grupo sistema solar
Trabalho de grupo sistema solar
 
Trabalho de grupo sistema solar
Trabalho de grupo sistema solarTrabalho de grupo sistema solar
Trabalho de grupo sistema solar
 
Hiv
HivHiv
Hiv
 
Hiv
HivHiv
Hiv
 
Hiv
HivHiv
Hiv
 
Aula teórico pratica les
Aula teórico pratica lesAula teórico pratica les
Aula teórico pratica les
 
Correcção de fichas da aula sobre regulação genica
Correcção de fichas da aula sobre regulação genicaCorrecção de fichas da aula sobre regulação genica
Correcção de fichas da aula sobre regulação genica
 
Correcção dos exercícios de hereditariedade
Correcção dos exercícios de hereditariedadeCorrecção dos exercícios de hereditariedade
Correcção dos exercícios de hereditariedade
 
Doador receptor-quadro
Doador receptor-quadroDoador receptor-quadro
Doador receptor-quadro
 
2.5.1. d mecanismos do parto e lactação d
2.5.1. d mecanismos do parto e lactação d2.5.1. d mecanismos do parto e lactação d
2.5.1. d mecanismos do parto e lactação d
 
Acetato mét. contraceptivos
Acetato mét. contraceptivosAcetato mét. contraceptivos
Acetato mét. contraceptivos
 
Causas de infertilidade
Causas de infertilidadeCausas de infertilidade
Causas de infertilidade
 
Acetato reprodução assistida
Acetato reprodução assistidaAcetato reprodução assistida
Acetato reprodução assistida
 
Causas de infertilidade
Causas de infertilidadeCausas de infertilidade
Causas de infertilidade
 

Último

Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptxSlides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdfufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdfManuais Formação
 
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livroMeu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livroBrenda Fritz
 
Slide - HIV (1) edit.pptx hiv em crianças
Slide - HIV (1) edit.pptx hiv em criançasSlide - HIV (1) edit.pptx hiv em crianças
Slide - HIV (1) edit.pptx hiv em criançasnarayaskara215
 
Produção de poemas - Reciclar é preciso
Produção  de  poemas  -  Reciclar é precisoProdução  de  poemas  -  Reciclar é preciso
Produção de poemas - Reciclar é precisoMary Alvarenga
 
bem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animalbem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animalcarlamgalves5
 
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-NovaNós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-NovaIlda Bicacro
 
Slides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptxSlides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Apresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosApresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosFernanda Ledesma
 
Os Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco Leite
Os Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco LeiteOs Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco Leite
Os Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco Leiteprofesfrancleite
 
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoO Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoVALMIRARIBEIRO1
 
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisNós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisIlda Bicacro
 
Diálogo Crátilo de Platão sócrates daspdf
Diálogo Crátilo de Platão sócrates daspdfDiálogo Crátilo de Platão sócrates daspdf
Diálogo Crátilo de Platão sócrates daspdfEversonFerreira20
 
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática 38 a 62.pdf
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática  38 a 62.pdfPlanejamento 2024 - 1º ano - Matemática  38 a 62.pdf
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática 38 a 62.pdfdanielagracia9
 
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...Manuais Formação
 
Aula 5 - Fluxo de matéria e energia nos ecossistemas.ppt
Aula 5 - Fluxo de matéria e energia nos ecossistemas.pptAula 5 - Fluxo de matéria e energia nos ecossistemas.ppt
Aula 5 - Fluxo de matéria e energia nos ecossistemas.pptParticular
 
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.HandersonFabio
 
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdfManual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdfPastor Robson Colaço
 
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...LuizHenriquedeAlmeid6
 

Último (20)

Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptxSlides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
 
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdfufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
 
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdfEnunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
 
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livroMeu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
 
Slide - HIV (1) edit.pptx hiv em crianças
Slide - HIV (1) edit.pptx hiv em criançasSlide - HIV (1) edit.pptx hiv em crianças
Slide - HIV (1) edit.pptx hiv em crianças
 
Produção de poemas - Reciclar é preciso
Produção  de  poemas  -  Reciclar é precisoProdução  de  poemas  -  Reciclar é preciso
Produção de poemas - Reciclar é preciso
 
bem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animalbem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animal
 
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-NovaNós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
 
Slides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptxSlides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptx
 
Apresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosApresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativos
 
Os Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco Leite
Os Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco LeiteOs Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco Leite
Os Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco Leite
 
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoO Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
 
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisNós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
 
Diálogo Crátilo de Platão sócrates daspdf
Diálogo Crátilo de Platão sócrates daspdfDiálogo Crátilo de Platão sócrates daspdf
Diálogo Crátilo de Platão sócrates daspdf
 
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática 38 a 62.pdf
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática  38 a 62.pdfPlanejamento 2024 - 1º ano - Matemática  38 a 62.pdf
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática 38 a 62.pdf
 
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
 
Aula 5 - Fluxo de matéria e energia nos ecossistemas.ppt
Aula 5 - Fluxo de matéria e energia nos ecossistemas.pptAula 5 - Fluxo de matéria e energia nos ecossistemas.ppt
Aula 5 - Fluxo de matéria e energia nos ecossistemas.ppt
 
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
 
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdfManual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
 
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
 

2.5.GestaçãO D

  • 1. Escola Secundária Dr. Augusto César da Silva Ferreira Disciplina de Biologia 12º ano 2009-2010 Desenvolvimento Embrionário e Gestação Unidade 1: Reprodução e Manipulação da Fertilidade Professora Cidália Santos de Aguiar
  • 2. Introdução Fecundação Embriogénese Parto Desenvolvimento embrionário O que é então o desenvolvimento embrionário? Em resumo… É a forma pela qual a célula formada pela união dos gâmetas, o zigoto, origina um animal multicelular, que pode ser constituído por triliões de células de centenas de tipos diferentes! Wolff estabeleceu este conceito pela primeira vez em meados do século XVIII… O período ele, o desenvolvimento embrionário Segundo que medeia entre a concepção e os consiste no crescimento alométrico atéãoforma nascimento denomina-se gestaç à apropriada do ser vivo
  • 3. Introdução Introdução Fecundação Introdução Pigmentosde Metamorfismo Factores Fotossintéticos Etapas daMetamórficas Parto Rochas Fotossíntese Embriogénese Síntese Síntese Fecundação Encontro e união das células sexuais feminina e masculina , haplóides, com fusão dos seus núcleos e formação de um zigoto diplóide Os espermatozóides progridem até ao colo do útero Menos de 100 alcançam as trompas de falópio! Encontro com o oócito II, atraídos por uma substância libertada pelas células foliculares Ligação a receptores específicos da zona pelúcida
  • 4. Introdução Introdução Fecundação Introdução Pigmentosde Metamorfismo Factores Fotossintéticos Etapas daMetamórficas Parto Rochas Fotossíntese Embriogénese Síntese Síntese Fecundação Encontro e união das células sexuais feminina e masculina , haplóides, com fusão dos seus núcleos e formação de um zigoto diplóide Reacção acrossómica: digestão local e travessia da zona pelucida Conclusão da meiose Formação da membrana de fecundação (impede entrada de mais espermatozoides) Cariogamia: fusão dos nucleos Formação do ovo ou zigoto
  • 5. Introdução Fecundação Embriogénese Parto Embriogénese Após a formação do ovo, inicia-se o desenvolvimento embrionário ou embriogénese, o qual termina com o nascimento. Distinguem-se 2 fases na gestação humana Período Embrionário- no final desta fase os orgãos estão já totalmente esboçados. Cerca de 8 semanas Periodo Fetal- desenvolvimento dos órgãos e crescimento do feto. Tempo restante A embriogénese é o processo através do qual o embrião é formado e se desenvolve
  • 6. Introdução Fecundação Embriogénese Parto Embriogénese A embriogénese é o processo através do qual o embrião é formado e se desenvolve Distinguem-se 3 fases na embriogénese Segmentação Gastrulação Organogénese Ocorre nas duas primeiras semanas Sequência de divisões celulares que originam células sucessivamente menores (blastómeros) O embrião passa então à fase de mórula
  • 7. Introdução Fecundação Embriogénese Parto Segmentação (continuação) A segmentação continua até que o embrião atinge o estado de Blastocisto Nesta fase o embrião é composto por 2 conjuntos celulares: - Botão embrionário: aglomerado de blastómeros - Trofoblasto: Invólucro (delimita também a cavidade - blastocélio)
  • 8. Introdução Fecundação Embriogénese Parto Embriogénese A embriogénese é o processo através do qual o embrião é formado e se desenvolve Distinguem-se 3 fases na embriogénese Segmentação Gastrulação Organogénese Continuam as divisões celulares mas… Há rearranjos espaciais entre grupos de células MORFOGÉNESE
  • 9. Introdução Fecundação Embriogénese Parto Gastrulação Continuam as divisões celulares mas… Há rearranjos espaciais entre grupos de células MORFOGÉNESE No final da morfogénese o embrião atinge o estado de gástrula - A gástrula, nos humanos, é um embrião formado por 3 folhetos germinativos concêntricos
  • 10. Introdução Fecundação Embriogénese Parto Gastrulação Continuam as divisões celulares mas… Há rearranjos espaciais entre grupos de células MORFOGÉNESE
  • 11. Introdução Fecundação Embriogénese Parto Embriogénese A embriogénese é o processo através do qual o embrião é formado e se desenvolve Distinguem-se 3 fases na embriogénese Segmentação Gastrulação Organogénese Ocorrem fenómenos de diferenciação celular dos quais resulta a constituição dos diversos tecidos, órgãos e sistemas de órgãos que formam o individuo
  • 12. Introdução Fecundação Embriogénese Parto Anexos embrionários humanos Desde as fases iniciais começam também a formar-se os anexos Córion Membrana com muitas vilosidades Forma uma extensa superficie de trocas Intervêm na formação da placenta
  • 13. Introdução Fecundação Embriogénese Parto Anexos embrionários humanos Desde as fases iniciais começam também a formar-se os anexos Âmnio Saco que envolve o embrião Mantêm o embrião num meio líquido (liquido amniótico), protegendo-o da desidratação, de choques mecânicos e auxilia na manutenção de uma temperatura constante
  • 14. Introdução Fecundação Embriogénese Parto Anexos embrionários humanos Desde as fases iniciais começam também a formar-se os anexos Vesicula vitelina Saco membranoso sem substâncias de reserva Forma parte do tubo digestivo
  • 15. Introdução Fecundação Embriogénese Parto Anexos embrionários humanos Desde as fases iniciais começam também a formar-se os anexos Alantóide Divertículo da vesicula vitelina Estrutura rudimentar que contribui para a formação dos vasos sanguíneos para o cordão umbilical
  • 16. Introdução Fecundação Embriogénese Parto Anexos embrionários humanos Desde as fases iniciais começam também a formar-se os anexos Placenta Disco constituído pelo córion do embrião e por endométrio Troca nutrientes e produtos de excreção entre o embrião e a mãe. Produz hormonas
  • 17. Introdução Fecundação Embriogénese Parto Organogénese Ocorrem fenómenos de diferenciação celular dos quais resulta a constituição dos diversos tecidos, órgãos e sistemas de órgãos que formam o individuo
  • 18. Introdução Fecundação Embriogénese Parto Embriogénese
  • 19. Introdução Fecundação Embriogénese Parto Embriogénese
  • 20. Introdução Fecundação Embriogénese Parto 9 semanas
  • 21. Introdução Fecundação Embriogénese Parto 2ª trimestre Durante o 2º trimestre há um rápido crescimento do feto, que atinge os 30 cm A gravidez torna-se evidente
  • 22. Introdução Fecundação Embriogénese Parto Embriogénese No 4º mês, já com veias mas ainda sem pele, treina os movimentos do futuro bébé, como chuchar no dedo…
  • 23. Introdução Fecundação Embriogénese Parto Embriogénese
  • 24. Introdução Fecundação Embriogénese Parto Embriogénese 6º Mês
  • 25. Introdução Fecundação Embriogénese Parto Embriogénese 7º Mês Dorme 90% a 95% do dia…
  • 26. Introdução Fecundação Embriogénese Parto Embriogénese 8º Mês
  • 27. Introdução Fecundação Embriogénese Parto Embriogénese 9º Mês
  • 28. Introdução Fecundação Embriogénese Parto Parto Primeira fase: dilatação do colo do útero O inicio do trabalho de parto é marcado pelo inicio de contracções uterinas regulares, dolorosas Pode ser ou não precedido pelo ruptura do saco amniótico (“ruptura das águas”) As contracções vão aumentado de frequência Termina com o fim da dilatação e apagamento do colo (10 cm) Duração: primíparas- cerca de 13 horas Multíparas cerca de 8 horas
  • 29. Introdução Fecundação Embriogénese Parto Parto Segunda fase: Período expulsivo Inicia-se com a dilatação completa Para além das contracções involuntárias iniciam-se os movimentos voluntários que provocam contracção do diafragma e dos músculos abdominais A apresentação fetal mais frequente é a cefálica mas são por vezes possíveis partos vaginais com outras (como algumas pélvicas)
  • 30. Introdução Fecundação Embriogénese Parto Parto
  • 31. Introdução Fecundação Embriogénese Parto Parto Terceira fase: Dequitadura Expulsão da placenta e restantes anexos Ocorre geralmente menos de meia hora depois da expulsão do Recém-nascido Geralmente decorre de forma natural, mas podem ser necessárias outras manobras A dequitadura é a ultima fase do parto
  • 32. Introdução Fecundação Embriogénese Parto Parto Terceira fase: Dequitadura
  • 33. Introdução Fecundação Embriogénese Parto Desenvolvimento embrionário e gestação Alguma dúvida? Cidália Aguiar