SlideShare uma empresa Scribd logo
23. como estudar a biblía iii
1|   Apostila – Como Estudar a Bíblia III



                   COMO ESTUDAR A BÍBLIA III

                   Pensamentos Para Meditação

Que ninguém pense que sua maneira de proceder não precisa
modificar-se. Os que julgam assim não são aptos a empenhar-se
na obra de Deus, pois não sentirão a necessidade de avançar
constantemente para uma norma mais elevada, fazendo contínuo
progresso. Ninguém pode andar em segurança se não desconfiar do
próprio eu e se não estiver olhando constantemente para a obra de
Deus, estudando-a com coração voluntário, para ver seus próprios erros
e aprender a vontade de Cristo, e orando para que seja efetuada nele,
por ele e através dele. Eles mostram que sua confiança não está em si
mesmos, mas em Cristo. Mantêm a verdade como sagrado tesouro,
apta para santificar e aprimorar, e estão constantemente procurando
colocar suas palavras e ações em harmonia com os seus princípios.
Temem e tremem, com receio de que seja idolatrado algo impregnado
do próprio eu, fazendo assim que seus defeitos sejam reproduzidos em
outros que confiam neles. Estão sempre procurando dominar o próprio
eu, deixar de lado tudo que esteja impregnado dele, e substituí-lo pela
mansidão e humildade de Cristo. Estão olhando para Jesus, crescendo
nEle, obtendo luz e graça de Sua Pessoa, para que possam difundi-las
a outros. Review and Herald, 12 de abril de 1892. (MM, RP, 53)


Ao avizinhar-se o fim da ceifa da Terra, uma especial concessão de
graça espiritual é prometida a fim de preparar a igreja para a vinda
do Filho do homem. Esse derramamento do Espírito é comparado com
a queda da chuva serôdia; e é por esse poder adicional que os cristãos
devem fazer as suas petições ao Senhor da seara "no tempo da chuva
serôdia". Em resposta, "o Senhor, que faz os relâmpagos, lhes dará
chuveiro de água". Zac. 10:1. "Ele... fará descer a chuva, a temporã e a
serôdia, no primeiro mês." Joel 2:23. (AA, 55)


Disse Jesus a respeito do Espírito: "Ele Me glorificará." João 16:14. O
Salvador veio glorificar o Pai pela demonstração de Seu amor; assim o
A p o s t i l a – C o mo E s t u d ar a Bí b l i a I I I |2

Espírito havia de glorificar a Cristo, revelando ao mundo a Sua graça. A
própria imagem de Deus tem de ser reproduzida na humanidade. A
honra de Deus, a honra de Cristo, acha-se envolvida no
aperfeiçoamento do caráter de Seu povo. (MM, Exaltai-o 192)


Cristo procura reproduzir-Se no coração dos homens; e faz isto por
intermédio daqueles que nEle crêem. O objetivo da vida cristã é a
frutificação - a reprodução do caráter de Cristo no crente, para que Se
possa reproduzir em outros.
"Quando já o fruto se mostra, mete-lhe logo a foice, porque está
chegada a ceifa." Mar. 4:29. Cristo aguarda com fremente desejo a
manifestação de Si mesmo em Sua igreja. Quando o caráter de Cristo
se reproduzir perfeitamente em Seu povo, então virá para reclamá-los
como Seus. (Idem, 275)


Com anelante desejo, Cristo aguarda ver-Se manifestado em Sua
igreja. Quando o caráter do Salvador for perfeitamente reproduzido em
Seu povo, então Ele virá a requerer os Seus. É o privilégio de todo
cristão, não somente aguardar, mas apressar a vinda de nosso Senhor.
Estivessem todos quantos Lhe professam o nome dando frutos para
Sua glória, e quão pronto o mundo inteiro estaria semeado com o
evangelho! (CPPE, pág. 324.)


Talvez o presidente não sinta a necessidade de se santificar a si
mesmo, para que os outros se santifiquem. Talvez seja um vigia infiel,
pregando para agradar ao povo. Muitos são fortes em certos traços de
caráter, ao passo que noutros são fracos e deficientes.
Conseqüentemente, revela-se falta de eficiência em alguns ramos da
obra. Continuasse o mesmo homem como presidente de uma
associação ano após ano, e seus defeitos se reproduziriam nas
igrejas a seu cargo. Mas um obreiro pode ser forte nos pontos em que
seu irmão é fraco, e assim, permutando os campos de trabalho, um
pode, até certo ponto, suprir as deficiências do outro. (OB, Evag, 421)


"Se alguém Me ama", dizia Cristo, "guardará a Minha Palavra, e Meu
Pai o amará, e viremos para ele e faremos nele morada." João 14:23. O
3|   Apostila – Como Estudar a Bíblia III

encanto de uma mente mais forte e mais perfeita pairará sobre nós,
pois temos ligação viva com a fonte do poder duradouro. Em nossa
vida religiosa seremos levados em cativeiro a Jesus Cristo. Não mais
viveremos a comum vida de egoísmo, mas Cristo viverá em nós. Seu
caráter será reproduzido em nossa natureza. Deste modo produziremos
os frutos do Espírito Santo - "um, a trinta, outro, a sessenta, e outro, a
cem, por um". Mar. 4:20. (PJ, 61)


"Eu sou o pão da vida", o Autor, Nutridor e Mantenedor da eterna
vida espiritual. ... Cristo Se representa sob a símile do pão celestial.
Comer Sua carne e beber Seu sangue significa recebê-Lo como Mestre
enviado pelo Céu. Crer nEle é essencial à vida espiritual. Os que se
banqueteiam da Palavra nunca passam fome, nunca têm sede, nunca
desejam algum bem mais elevado ou mais exaltado.
Cristo explicou tão claramente o significado de Suas palavras que
ninguém precisa tropeçar nelas. Sua declaração a respeito de comer
a carne e beber o sangue do Filho de Deus deve ser interpretada no
sentido espiritual. Nós comemos a carne de Cristo e bebemos o Seu
sangue quando pela fé nos apegamos a Ele como nosso Salvador.
(MM, Exaltai-O, 106)


Cristo usou a figura de comer e beber para representar a
intimidade com Ele que precisam ter todos os que finalmente
participarão com Ele em Sua glória. O alimento temporal que
ingerimos é assimilado, dando força e consistência ao corpo. De modo
semelhante, quando cremos nas palavras do Senhor Jesus e as
aceitamos, elas passam a fazer parte de nossa vida espiritual, trazendo
luz e paz, esperança e alegria, e fortalecendo a vida como o alimento
material fortalece o corpo. (MM, Exaltai-o, 106)


Não basta conhecermos e respeitarmos as palavras das Escrituras.
Precisamos compreendê-las, estudando-as diligentemente. ... Os
cristãos revelarão a intensidade com que fazem isso pelo saudável
estado de seu caráter espiritual. Precisamos conhecer a aplicação
prática da Palavra à edificação de nosso caráter individual.
Devemos ser templos santos, em que Deus possa viver, andar e atuar.
Nunca devemos procurar elevar-nos acima dos servos que Deus
A p o s t i l a – C o mo E s t u d ar a Bí b l i a I I I |4

escolheu para fazerem Sua obra e honrarem Seu santo nome. "Vós
todos sois irmãos." Apliquemos esta Palavra a nossa própria pessoa,
comparando uma passagem com outra. (Idem)


Em nossa vida diária, perante nossos irmãos e perante o mundo,
devemos ser vivos intérpretes das Escrituras, honrando a Cristo ao
revelarmos Sua mansidão e Sua humildade de coração. Comendo e
assimilando o pão da vida, revelaremos um caráter simétrico. Por nossa
unidade, e considerando os outros superiores a nós mesmos, devemos
dar ao mundo vivo testemunho do poder da verdade. ...
Submetendo-se inteiramente a Deus, comendo o pão da vida e
bebendo a água da salvação, os homens crescem em Cristo. Seu
caráter se compõe daquilo que a mente come e bebe. Por meio da
Palavra da vida, que eles aceitam e a que obedecem, tornam-se
participantes da natureza divina. Então... Cristo, e não o homem é
exaltado. SDA Bible Commentary, vol. 5, pág. 1.135. (Idem)


A parábola do semeador e da semente comunica uma profunda
lição espiritual. A semente representa os princípios semeados no
coração; e seu crescimento, o desenvolvimento do caráter. Tornai
prático o ensino a esse respeito. As crianças podem preparar o terreno e
semear a semente; e, enquanto elas trabalham, os pais, ou o professor,
podem explicar-lhes o jardim do coração com a boa ou a má semente ali
semeada. E, assim como o jardim deve ser preparado para a semente
natural, deve o coração ser preparado para a semente da verdade. À
medida que a planta cresce, a relação entre a semeadura natural e a
espiritual pode continuar. (CPPE, 142)


Na instrução ministrada em nossas escolas, devem aliar-se o
natural e o espiritual. As leis obedecidas pela Terra revelam que ela
se encontra sob o poder dominador de um Deus infinito. Os
mesmos princípios regem o mundo espiritual e o mundo natural.
Excluí a Deus da aquisição do conhecimento, e tereis uma educação
manca, unilateral, morta para todas as salvadoras qualidades que
comunicam ao homem o verdadeiro poder. O Autor da natureza é o Autor
da Bíblia. A criação e o cristianismo têm o mesmo Deus. Este Se revela
em a natureza, bem como Se revela em Sua Palavra. Em límpidos raios
5|   Apostila – Como Estudar a Bíblia III

resplandece a luz da página sagrada, mostrando-nos o Deus vivo, tal
como Se apresenta nas leis de Seu governo, na criação do mundo, nos
céus por Ele ornamentados. Seu poder deve ser reconhecido como o
único meio de redimir o mundo das degradantes superstições tão
desonrosas para Deus e o próprio homem. (CPPE, 395)


A Adão foi dado outro filho, para ser o herdeiro da promessa
divina, herdeiro da primogenitura espiritual. O nome de Sete, dado a
este filho, significava "designado", ou "compensação", "porque", disse a
mãe, "Deus me deu outra semente em lugar de Abel; porquanto Caim o
matou." Gên. 4:25. Sete era de estatura mais nobre do que Caim ou
Abel, e parecia-se muito mais com Adão do que os demais filhos. Tinha
caráter digno, seguindo as pegadas de Abel. Contudo não herdou mais
bondade natural do que Caim. Com referência à criação de Adão, acha-
se dito: "À semelhança de Deus o fez"; mas o homem, depois da queda,
"gerou um filho à sua semelhança, conforme a sua imagem". Gên. 5:1 e
3. .. (MM, CT, 38)


O natural e o espiritual devem ser associados nos estudos de
nossas escolas. As atividades da agricultura ilustram as lições bíblicas.
As leis obedecidas pela Terra revelam o fato de que ela está sob o
excelso poder de um Deus infinito. Os mesmos princípios regem o
mundo espiritual e o mundo natural. (FEC, 375)


A germinação da semente representa o começo da vida espiritual,
e o desenvolvimento da planta é uma figura do desenvolvimento
do caráter. ... Procurando os pais e professores ensinar estas lições,
este trabalho deve fazer-se prático. Que as próprias crianças preparem
o terreno e semeiem a semente. Enquanto trabalham, o pai ou professor
pode explicar o jardim do coração, com a boa ou má semente ali
semeada, e mostrar que, como o jardim deve ser preparado para a
semente natural, assim deve o coração ser preparado para a
semente da verdade. (Lar Adventista, 145)


Quando o homem se reconcilia com Deus, as coisas da natureza falam-
lhe em palavras de sabedoria celestial, dando testemunho da verdade
eterna da Palavra de Deus. Ao dizer-nos Cristo o sentido das coisas
A p o s t i l a – C o mo E s t u d ar a Bí b l i a I I I |6

da natureza, a ciência da verdadeira religião se manifesta,
explicando a relação da lei de Deus para com o mundo natural e
espiritual. (CPPE,189)


As revelações de Jesus com referência às coisas celestiais são de
tal espécie que só os de mente espiritual podem apreciar. Pode a
imaginação conclamar seu máximo poder para pintar as glórias do Céu,
mas o "que o olho não viu, e o ouvido não ouviu, e não subiram ao
coração do homem são as [coisas] que Deus preparou para os que O
amam". I Cor. 2:9. Os seres celestiais estão ao nosso redor. ... Anjos de
luz produzem uma atmosfera celestial em torno da alma, alçando-nos
para o que é invisível e eterno. Não podemos, com a nossa vista natural,
contemplar-lhes as formas; unicamente pela visão espiritual podemos
discernir os seres celestiais. Nossas faculdades humanas se
extinguiriam pela inexprimível glória dos anjos de luz. Unicamente o
ouvido espiritual pode distinguir a harmonia das vozes celestiais. Não é
desígnio de Cristo despertar as emoções por descrições brilhantes. Na
ciência da salvação o Senhor Jesus ordenou que ninguém viva por
sentimento. Ele, que é o caminho, a verdade e a vida, apresentou-Se
com suficiente nitidez como o único meio pelo qual se pode alcançar a
salvação. Com efeito, nada mais que isso se requer. (MM, Nos Lugares
Celestiais, 366)


A mesma lei que rege o mundo natural, domina o espiritual. Aquele
que permanece nas trevas perderá por fim a faculdade da visão. Fica
encerrado por trevas mais profundas que as da meia-noite; e para ele o
mais luminoso meio-dia não pode trazer qualquer luz. "Anda em trevas,
e não sabe para onde deva ir; porque as trevas lhe cegaram os olhos." I
João 2:11. Nutrindo persistentemente o mal, desatendendo
voluntariamente as súplicas do divino amor, perde o pecador o amor do
bem, o desejo em torno de Deus, a própria capacidade de receber a luz
do Céu. O convite da misericórdia ainda é cheio de amor, a luz brilha
ainda tão resplandecente como quando raiou a princípio em sua alma;
mas a voz cai em ouvidos moucos, a luz em olhos cegos. (Maior
Discurso de Cristo, 92)
7|   Apostila – Como Estudar a Bíblia III

 "Nem só de pão viverá o homem, mas de toda a palavra que sai da
boca de Deus." Mat. 4:4. "Se não comerdes a carne do Filho do
homem, e não beberdes o Seu sangue, não tereis vida em vós
mesmos." João 6:53. Jesus disse: "Quem come a Minha carne e bebe o
Meu sangue tem a vida eterna." João 6:54. Nosso corpo é constituído
daquilo que comemos e bebemos. E como na dispensação natural,
assim na espiritual; é aquilo em que nossa mente demora que
sustenta a natureza espiritual. Disse nosso Salvador: "O espírito é o
que vivifica, a carne para nada aproveita; as palavras que Eu vos disse
são espírito e vida." João 6:63. A vida espiritual precisa ser mantida
pela comunhão com Cristo por meio de Sua Palavra. A mente
precisa deter-se nela, o coração dela encher-se. A Palavra de Deus
entesourada no coração e santamente nutrida e obedecida, por meio do
poder da graça de Cristo pode tornar o homem justo, e justo conservá-
lo; mas toda influência humana, toda invenção terrena é destituída de
poder para comunicar força e sabedoria ao homem. Não pode refrear a
paixão, ou corrigir a deformidade do caráter. A menos que a verdade de
Deus reja o coração, a consciência é deformada. Nessas sociedades
mundanas todavia a mente é desviada da Palavra de Deus. Os homens
não são levados a torná-la seu estudo e o guia da vida. (II ME, 125)


Muitos que deveriam estar armando sua tenda mais perto da terra
de Canaã, estão estabelecendo seu acampamento mais próximo do
Egito. Não vivem à luz do Sol da Justiça. Muitos freqüentam lugares de
diversão, para satisfazer ao seu gosto, mas assim fazendo nenhuma
força espiritual ganham, e se acharão no lado da derrota. Animar o amor
das diversões é desanimar o amor das reuniões religiosas; pois o
coração torna-se tão apinhado de frivolidades e de tudo que agrada ao
seu estado natural, que não fica espaço para Cristo. ... (MM, Para
conhecê-lo, 307)


A sentença proferida contra o servo preguiçoso foi: "Tirai-lhe,
pois, o talento e dai-o ao que tem os dez talentos." Mat. 25:28.
Neste caso, como na recompensa do obreiro fiel, é indicado, não
meramente o galardão do juízo final, mas o processo de retribuição
gradual nesta vida. Como no mundo natural, assim é no espiritual:
Toda habilidade não aproveitada enfraquecerá e definhará. Atividade
é a lei da vida; ociosidade é morte. "A manifestação do Espírito é dada
A p o s t i l a – C o mo E s t u d ar a Bí b l i a I I I |8

a cada um para o que for útil." I Cor. 12:7. Empregadas para abençoar
a outros, suas dádivas aumentam. Restritas ao serviço do próprio eu,
diminuem e são retiradas finalmente. Aquele que recusa repartir o que
recebeu, finalmente achará que nada tem para dar. Consente em um
processo que certamente atrofia e finalmente aniquila as faculdades
da alma. (PJ, 364)


O nome de Jeová foi grandemente honrado durante a primeira
parte do reinado de Salomão. ... Ao passarem os anos, e
aumentando a fama de Salomão, buscou ele honrar a Deus
acrescentando sua força mental e espiritual e constantemente
repartindo com outros as bênçãos recebidas. Ninguém compreendia
melhor que ele, haver sido pelo favor de Jeová que entrara na posse do
poder, sabedoria e entendimento, e que esses dons foram-lhe
concedidos para que ele pudesse dar ao mundo o conhecimento do Rei
dos reis. Salomão tomou especial interesse pela História Natural, mas
suas pesquisas não estavam limitadas a um determinado ramo do
saber. Mediante diligente estudo de todas as coisas criadas, tanto
animadas como inanimadas, adquiriu clara concepção do Criador. Nas
forças da natureza, no mundo mineral e animal, e em toda árvore,
arbusto e flor, ele via a revelação da sabedoria de Deus; e ao procurar
aprender mais e mais, seu conhecimento de Deus e seu amor por Ele
constantemente aumentavam. (MM, Vidas que Falam, 191 e PR, 33)


O Autor desta vida espiritual é invisível, e o método exato pelo qual
é esta vida repartida e mantida está além da capacidade da filosofia
humana explicar. Todavia as operações do Espírito estão sempre em
harmonia com a Palavra escrita. Como sucede no mundo natural, assim
também se dá no espiritual. A vida natural é preservada a todo o
momento pelo divino poder; todavia não é sustentada por um milagre
direto, mas mediante o uso de bênçãos colocadas ao nosso alcance. De
igual forma é a vida espiritual sustentada pelo uso dos meios supridos
pela Providência. Se o seguidor de Cristo quiser crescer até chegar "a
varão perfeito, à medida da estatura completa de Cristo" (Efés. 4:13),
precisa comer do pão da vida e beber da água da salvação. Precisa
vigiar, orar e trabalhar, dando em todas as coisas atenção às instruções
de Deus em Sua Palavra. (AA, 284 e 285)
9|   Apostila – Como Estudar a Bíblia III

O cristão não deve cruzar os braços, satisfeito com o que já conseguiu.
Aquele que tem o determinado entrar no reino espiritual verificará
que todos os poderes e paixões da natureza não regenerada,
apoiados pelas forças do reino das trevas, estão arregimentados
contra ele. Ele precisa renovar a sua consagração cada dia, e cada dia
batalhar contra o mal. Velhos hábitos, tendências hereditárias para o
erro, lutarão para manter a supremacia, e contra isto deve eles estar
sempre em guarda, lutando na força de Cristo pela vitória. (AA, 477)


Em Seus esforços para alcançar o ideal de Deus para si, o cristão
não deve desesperar de coisa alguma. A perfeição moral e
espiritual mediante a graça e o poder de Cristo é prometida a
todos. Jesus é a fonte de poder, a origem da vida. Ele nos leva a
Sua Palavra, e da árvore da vida nos apresenta as folhas para a saúde
de almas enfermas de pecado. Ele nos leva ao trono de Deus, e põe em
nossa boca uma oração pela qual somos levados a íntimo contato com
Ele próprio. Em nosso benefício põe em operação os instrumentos todo-
poderosos do Céu. Em cada passo tocamos Seu vivo poder. (AA, 478)


Essa mulher encontrava-se em disposição de espírito capaz de apreciar.
Estava pronta para receber a mais excelente revelação, pois
interessava-se nas Escrituras, e o Espírito Santo lhe estivera
preparando a mente para a recepção de maior luz. Estudara a
promessa do Antigo Testamento: "O Senhor teu Deus te despertará um
profeta do meio de ti, e de teus irmãos, como eu; a Ele ouvireis". Deut.
18:15. Anelava compreender esta profecia. A luz já lhe estava brilhando
no espírito. A água da vida, a vida espiritual que Cristo dá a toda alma
sedenta, começara a brotar-lhe no coração. O Espírito do Senhor
trabalhava nela. (DTN, 190)


Quando as lições de Cristo, as verdades da Bíblia, em sua
simplicidade, são apresentadas a essas pessoas, elas
reconhecem a luz e se alegram nela. Suas perplexidades se
dissipam diante da luz da verdade como o orvalho diante do sol
matinal. Seus conceitos da verdade bíblica são ampliados, e a
revelação de Deus em Cristo chega até elas, mostrando-lhes a
profundidade, a largura e a altura do divino mistério espiritual que não
A p o s t i l a – C o m o E s t u d a r a B í b l i a I I I | 10

discerniam anteriormente, o qual não pode ser explicado, mas só
exemplificado no caráter semelhante ao de Cristo. (MM, Exaltai-O, 309)


Cristo reúne em Sua pessoa a plenitude e perfeição da Divindade, e
a da humanidade sem pecado. Ele enfrentou todas as tentações
que assaltaram a Adão, e as venceu porque em Sua humanidade
confiava no poder divino. Este assunto precisa decididamente ser
mais estudado do que o é. Os cristãos não se aprofundam. Contentam-
se com uma experiência espiritual de superfície, e por isso só têm os
bruxoleios da luz, quando podiam ter muito mais amplo conhecimento, e
discernirem com mais clareza a maravilhosa perfeição da humanidade
de Cristo, que sobreleva muito acima de toda a grandeza humana e de
todo humano poder. A vida de Cristo é uma revelação de como seres
humanos se podem tornar por meio da união e comunhão com a
natureza divina. ... (MM, Fé Pela a Qual eu Vivo, 219)


As jóias da verdade acham-se espalhadas sobre o terreno da
revelação; mas têm sido soterradas sob as tradições humanas, sob
os dizeres e mandamentos de homens, e a sabedoria do Céu tem
sido virtualmente passada por alto; pois Satanás tem sido bem-
sucedido em fazer com que o mundo creia que as palavras e
realizações humanas são de grande importância. O Senhor Deus, o
Criador do Universo, deu o evangelho ao mundo a um preço infinito. Por
meio deste agente divino, agradáveis e revigorantes torrentes de
conforto celestial e consolo permanente têm sido abertos para aqueles
que se aproximam da fonte da vida. Ainda há veios de verdade a
serem descobertos; mas as coisas espirituais se discernem
espiritualmente. As mentes obscurecidas pelo mal não podem apreciar
o valor da verdade como é em Jesus. Quando se acaricia a iniqüidade,
os homens não sentem a necessidade de fazer esforços diligentes, com
oração e reflexão, para compreender o que devem saber, ou perder o
Céu. Têm estado há tanto tempo sob a sombra do inimigo, que encaram
a verdade como se vêem os objetos através de um vidro enfumaçado e
defeituoso; pois todas as coisas são escuras e pervertidas a seus olhos.
Sua visão espiritual é débil e indigna de confiança, porque olham para
as sombras e se afastam da luz. (FEC, 188)
11 |   Apostila – Como Estudar a Bíblia III

Nem sempre há perfeita ordem ou evidente unidade nas Escrituras.
Os milagres de Cristo não são dados na ordem exata, mas justo
segundo ocorriam as circunstâncias, as quais reclamavam esta divina
revelação do poder de Cristo. As verdades da Bíblia são como
pérolas ocultas. Devem ser buscadas, desenterradas mediante
penosos esforços. Os que apanham apenas uma apressada visão das
Escrituras hão de, com seu conhecimento superficial que eles julgam
muito profundo, falar nas contradições da Bíblia, e pôr em dúvida a
autoridade das Escrituras. Aqueles, porém, cujo coração se acha em
harmonia com a verdade e o dever, pesquisarão as Escrituras com o
coração preparado para receber impressões divinas. A alma iluminada
vê unidade espiritual, um grande fio de ouro através do todo, mas
requer paciência, reflexão e oração o rastrear o áureo fio precioso.
Contendas amargas a respeito da Bíblia levaram a pesquisas e
revelaram as preciosas jóias da verdade. Muitas lágrimas foram
vertidas, muitas orações feitas para que o Senhor abrisse o
entendimento para Sua Palavra. (I ME, 20)


Não é pela força que Satanás toma posse da mente humana.
Enquanto os homens dormem, o inimigo semeia o joio na igreja.
Enquanto os homens se encontram espiritualmente adormecidos, o
inimigo realiza sua obra de iniqüidade. É quando seu súdito não entende
(Mat. 13:19) que ele arrebata a boa semente semeada no coração.
Quando homens e mulheres se encontram neste estado, quando sua
vida espiritual não está sendo continuamente alimentada pelo Espírito
de Deus, Satanás pode incutir-lhes seu espírito, e levá-los a fazer as
suas obras. .. (II ME, 353)


Somos batizados em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo, e
estes três grandes poderes infinitos estão harmoniosamente
comprometidos a trabalhar em nosso favor se cooperarmos com Eles.
Somos sepultados com Cristo no batismo como emblema de Sua
morte.
Somos levantados da água como emblema de Sua ressurreição.
Devemos viver como pessoas que nasceram de novo, para que
sejamos ressuscitados no último grande dia. ... Vós vos
comprometestes a viver em novidade de vida; porque morrestes, e a
vossa vida está escondida com Cristo em Deus. "Portanto, se já
A p o s t i l a – C o m o E s t u d a r a B í b l i a I I I | 12

ressuscitastes com Cristo, buscai as coisas que são de cima, onde
Cristo está assentado à destra de Deus." Col. 3:1. É ali que deveis
colocar o vosso tesouro. O homem finito não pode crer por vós. Dirigi-
vos à grande Fonte de poder para ser fortalecidos. (Idem, 110)


Há grande necessidade de manter o próprio eu sob controle
quando estamos à espreita para aproveitar-nos de um passo em
falso da parte de um irmão, de uma irmã ou de um amigo. Embora
não reconheçamos que o objetivo de difamar a outra pessoa é exaltar o
próprio eu, a exaltação de si mesmo está por trás da prática de notar as
faltas dos outros. Toda pessoa deve se lembrar que é melhor estar de
sobreaviso, e fazer caminhos retos para os próprios pés, para que não
se extravie o que é manco. Nenhum de nós corre o perigo de ser muito
devoto, ou de possuir demasiada semelhança de caráter com Cristo. O
remédio para a dessemelhança com Cristo e não dar motivo para que
seja difamado o vosso bom nome, é viver humildemente, e continuar
olhando para Jesus com devota vigilância, até ser transformado à
semelhança de Seu belo caráter. (Idem, 111)


A Palavra de Deus é a semente viva e, quando essa semente é
lançada na mente, o instrumento humano precisa dar diligente
atenção às etapas sucessivas de seu crescimento. Como isso deve
ser feito? Depois que a Palavra foi recebida com oração, ela deve ser
acalentada e posta em prática na vida diária. Deve brotar e dar fruto,
desenvolvendo primeiro a erva, depois a espiga, e, por fim, o grão cheio
na espiga. (Idem, 112)


Todos os que recebem no coração a mensagem do evangelho,
almejarão proclamá-la. O amor de Cristo, de origem celeste,
precisa encontrar expressão. Os que se revestiram de Cristo relatarão
sua experiência, descobrindo passo a passo a direção do Espírito Santo
- sua sede e fome de conhecimento de Deus e de Jesus Cristo, a quem
enviou, o resultado de esquadrinhar as Escrituras, suas orações, sua
agonia de alma e as palavras de Cristo a eles: "Teus pecados te são
perdoados." Luc. 5:20. É antinatural que qualquer pessoa mantenha em
secreto estas coisas; e quem está possuído do amor de Cristo não o
fará.
13 |   Apostila – Como Estudar a Bíblia III

Na mesma proporção em que o Senhor os tornou depositários da
verdade sagrada, será seu desejo que outros recebam a mesma
bênção. Divulgando os ricos tesouros da graça de Deus, ser-lhes-á
concedido mais e mais da graça de Cristo. Terão o coração de uma
criancinha em sua simplicidade e obediência irrestrita. Sua alma
almejará a santidade e ser-lhes-á revelado sempre mais dos tesouros
da verdade e da graça, para serem dados ao mundo. (Idem, 113)


Se o seguidor de Cristo crer em Sua Palavra e praticá-la, não
haverá Ciência no mundo natural, que não possa compreender
nem apreciar. Nada há que não lhe forneça meio de partilhar a verdade
com outros. A história natural é um tesouro de conhecimentos em que
todo estudante na escola de Cristo, pode abeberar-se. Contemplando o
encanto da Natureza, estudando suas lições no cultivo do solo, no
crescimento das árvores, em todas as maravilhas da terra, mar e céu,
advir-nos-á percepção nova da verdade. Os mistérios ligados ao
proceder de Deus para com os homens, as profundezas de Sua
sabedoria e penetração, vistos na vida humana - verificar-se-á
serem um depósito repleto de tesouros.
Mas, na Palavra escrita é que está revelado com maior clareza o
conhecimento de Deus ao homem caído. Este é o repositório das
inexauríveis riquezas de Cristo. ... As verdades da redenção são
susceptíveis de desenvolvimento e expansão constantes. Embora
velhas, são sempre novas, e revelam constantemente ao pesquisador
da verdade maior glória e força mais potente. Rom 1: 20 (Parábolas de
Jesus, págs. 125-127.)


A única coisa que lhe seria de valor agora, não a adquiriu. Vivendo para
o próprio eu, rejeitou o amor divino, que fluiria em misericórdia para com
seus concidadãos. Assim obrando, rejeitou a vida; porque Deus é amor,
e amor é vida. Este homem escolheu o material em vez do
espiritual, e com o material tem que sucumbir. "O homem que está
em honra, e não tem entendimento, é semelhante aos animais, que
perecem." Sal. 49:20. (PJ, 258)
23. como estudar a biblía iii

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Epístolas paulinas e gerais
Epístolas paulinas e geraisEpístolas paulinas e gerais
Epístolas paulinas e gerais
DeuzenirACarneiro
 
Estudo - Ano da Fé: ficha-02
Estudo - Ano da Fé:  ficha-02Estudo - Ano da Fé:  ficha-02
Estudo - Ano da Fé: ficha-02
Bernadetecebs .
 
Estudo - Ano da fé ficha-03
Estudo - Ano da fé ficha-03Estudo - Ano da fé ficha-03
Estudo - Ano da fé ficha-03
Bernadetecebs .
 
Meios de graça na igreja
Meios de graça na igrejaMeios de graça na igreja
Meios de graça na igreja
Ivan Barreto
 
Mahech chavda o poder secreto do jejum e da oração
Mahech chavda   o poder secreto do jejum e da oraçãoMahech chavda   o poder secreto do jejum e da oração
Mahech chavda o poder secreto do jejum e da oração
Midia Jornalismo
 
O poder do lugar secreto de oração (david Wikerson
O poder do lugar secreto de oração (david WikersonO poder do lugar secreto de oração (david Wikerson
O poder do lugar secreto de oração (david Wikerson
Jhonatan Guilherme
 
Lição 08- A Igreja e Os Dons Espirituais
Lição 08- A Igreja e Os Dons EspirituaisLição 08- A Igreja e Os Dons Espirituais
Lição 08- A Igreja e Os Dons Espirituais
Maxsuel Aquino
 
Teologia da Fidelidade X Teologia da Prosperidade
Teologia da Fidelidade X Teologia da ProsperidadeTeologia da Fidelidade X Teologia da Prosperidade
Teologia da Fidelidade X Teologia da Prosperidade
C. Soares
 
Hebreus cap 12 e 13 exortacoes finais na grande jornada da fe
Hebreus cap 12 e 13 exortacoes finais na grande jornada da feHebreus cap 12 e 13 exortacoes finais na grande jornada da fe
Hebreus cap 12 e 13 exortacoes finais na grande jornada da fe
RODRIGO FERREIRA
 
Seminário sobre louvor e adoração
Seminário  sobre louvor e adoraçãoSeminário  sobre louvor e adoração
Seminário sobre louvor e adoração
rodrigocristao84
 
[EBD Maranata] Revista Atos dos Apóstolos | Lição 06 - A Importância da Disci...
[EBD Maranata] Revista Atos dos Apóstolos | Lição 06 - A Importância da Disci...[EBD Maranata] Revista Atos dos Apóstolos | Lição 06 - A Importância da Disci...
[EBD Maranata] Revista Atos dos Apóstolos | Lição 06 - A Importância da Disci...
José Carlos Polozi
 
40 dias para formar Jesus
40 dias para formar Jesus40 dias para formar Jesus
40 dias para formar Jesus
Unidad de Espiritualidad Eudista
 
W. nee-restaurando-a-expressão-da-unidade-da-igreja-ii
W. nee-restaurando-a-expressão-da-unidade-da-igreja-iiW. nee-restaurando-a-expressão-da-unidade-da-igreja-ii
W. nee-restaurando-a-expressão-da-unidade-da-igreja-ii
Francisco Deuzilene
 
Grandesoracoes pg
Grandesoracoes pgGrandesoracoes pg
Apocalipse 04 de novembro de 2012
Apocalipse 04 de novembro de 2012Apocalipse 04 de novembro de 2012
Apocalipse 04 de novembro de 2012
Paróquia Bom Pastor
 
W. nee-restaurando-a-expressão-da-unidade-da-igreja-i
W. nee-restaurando-a-expressão-da-unidade-da-igreja-iW. nee-restaurando-a-expressão-da-unidade-da-igreja-i
W. nee-restaurando-a-expressão-da-unidade-da-igreja-i
Francisco Deuzilene
 
La Oración Personal a Dios
La Oración Personal a DiosLa Oración Personal a Dios
La Oración Personal a Dios
Estudiantes Urantia
 
Estudo - Ano da fé ficha-05
Estudo - Ano da fé ficha-05Estudo - Ano da fé ficha-05
Estudo - Ano da fé ficha-05
Bernadetecebs .
 
Revista CPAD Lições Bíblicas Adultos - 1º Trimestre de 2019
 Revista CPAD Lições Bíblicas Adultos - 1º Trimestre de 2019 Revista CPAD Lições Bíblicas Adultos - 1º Trimestre de 2019
Revista CPAD Lições Bíblicas Adultos - 1º Trimestre de 2019
Hamilton Souza
 
Apostila de dons espirituais
Apostila de dons espirituaisApostila de dons espirituais
Apostila de dons espirituais
Rubens Bastos
 

Mais procurados (20)

Epístolas paulinas e gerais
Epístolas paulinas e geraisEpístolas paulinas e gerais
Epístolas paulinas e gerais
 
Estudo - Ano da Fé: ficha-02
Estudo - Ano da Fé:  ficha-02Estudo - Ano da Fé:  ficha-02
Estudo - Ano da Fé: ficha-02
 
Estudo - Ano da fé ficha-03
Estudo - Ano da fé ficha-03Estudo - Ano da fé ficha-03
Estudo - Ano da fé ficha-03
 
Meios de graça na igreja
Meios de graça na igrejaMeios de graça na igreja
Meios de graça na igreja
 
Mahech chavda o poder secreto do jejum e da oração
Mahech chavda   o poder secreto do jejum e da oraçãoMahech chavda   o poder secreto do jejum e da oração
Mahech chavda o poder secreto do jejum e da oração
 
O poder do lugar secreto de oração (david Wikerson
O poder do lugar secreto de oração (david WikersonO poder do lugar secreto de oração (david Wikerson
O poder do lugar secreto de oração (david Wikerson
 
Lição 08- A Igreja e Os Dons Espirituais
Lição 08- A Igreja e Os Dons EspirituaisLição 08- A Igreja e Os Dons Espirituais
Lição 08- A Igreja e Os Dons Espirituais
 
Teologia da Fidelidade X Teologia da Prosperidade
Teologia da Fidelidade X Teologia da ProsperidadeTeologia da Fidelidade X Teologia da Prosperidade
Teologia da Fidelidade X Teologia da Prosperidade
 
Hebreus cap 12 e 13 exortacoes finais na grande jornada da fe
Hebreus cap 12 e 13 exortacoes finais na grande jornada da feHebreus cap 12 e 13 exortacoes finais na grande jornada da fe
Hebreus cap 12 e 13 exortacoes finais na grande jornada da fe
 
Seminário sobre louvor e adoração
Seminário  sobre louvor e adoraçãoSeminário  sobre louvor e adoração
Seminário sobre louvor e adoração
 
[EBD Maranata] Revista Atos dos Apóstolos | Lição 06 - A Importância da Disci...
[EBD Maranata] Revista Atos dos Apóstolos | Lição 06 - A Importância da Disci...[EBD Maranata] Revista Atos dos Apóstolos | Lição 06 - A Importância da Disci...
[EBD Maranata] Revista Atos dos Apóstolos | Lição 06 - A Importância da Disci...
 
40 dias para formar Jesus
40 dias para formar Jesus40 dias para formar Jesus
40 dias para formar Jesus
 
W. nee-restaurando-a-expressão-da-unidade-da-igreja-ii
W. nee-restaurando-a-expressão-da-unidade-da-igreja-iiW. nee-restaurando-a-expressão-da-unidade-da-igreja-ii
W. nee-restaurando-a-expressão-da-unidade-da-igreja-ii
 
Grandesoracoes pg
Grandesoracoes pgGrandesoracoes pg
Grandesoracoes pg
 
Apocalipse 04 de novembro de 2012
Apocalipse 04 de novembro de 2012Apocalipse 04 de novembro de 2012
Apocalipse 04 de novembro de 2012
 
W. nee-restaurando-a-expressão-da-unidade-da-igreja-i
W. nee-restaurando-a-expressão-da-unidade-da-igreja-iW. nee-restaurando-a-expressão-da-unidade-da-igreja-i
W. nee-restaurando-a-expressão-da-unidade-da-igreja-i
 
La Oración Personal a Dios
La Oración Personal a DiosLa Oración Personal a Dios
La Oración Personal a Dios
 
Estudo - Ano da fé ficha-05
Estudo - Ano da fé ficha-05Estudo - Ano da fé ficha-05
Estudo - Ano da fé ficha-05
 
Revista CPAD Lições Bíblicas Adultos - 1º Trimestre de 2019
 Revista CPAD Lições Bíblicas Adultos - 1º Trimestre de 2019 Revista CPAD Lições Bíblicas Adultos - 1º Trimestre de 2019
Revista CPAD Lições Bíblicas Adultos - 1º Trimestre de 2019
 
Apostila de dons espirituais
Apostila de dons espirituaisApostila de dons espirituais
Apostila de dons espirituais
 

Destaque

18deagosto2012 oexpresso
18deagosto2012 oexpresso18deagosto2012 oexpresso
18deagosto2012 oexpresso
Jornal O EXPRESSO
 
Diccionario cinvestav 2012
Diccionario cinvestav 2012Diccionario cinvestav 2012
Diccionario cinvestav 2012
Juan Carlos Martíez Frías
 
Abengoa Annual Report 2013 - CSR
Abengoa Annual Report 2013 - CSRAbengoa Annual Report 2013 - CSR
Abengoa Annual Report 2013 - CSR
Abengoa
 
Antropologia etica
Antropologia eticaAntropologia etica
Antropologia etica
Ana Estrela
 
Livro Nova Culinaria Paranaense
Livro Nova Culinaria ParanaenseLivro Nova Culinaria Paranaense
Livro Nova Culinaria Paranaense
Grupo CANAL
 
Taller 10 De Agosto
Taller 10 De AgostoTaller 10 De Agosto
Taller 10 De Agosto
abarbado
 
Tic en la enseñanza
Tic en la enseñanzaTic en la enseñanza
Tic en la enseñanza
Yamilo Abdala
 
Celis
CelisCelis
Livro contos proibidos
Livro contos proibidosLivro contos proibidos
Livro contos proibidos
Isabel Cunha Lopes
 
Raças de cães
Raças de cãesRaças de cães
Raças de cães
G. Gomes
 
Entrevista Anderson Alarcon
Entrevista Anderson AlarconEntrevista Anderson Alarcon
Entrevista Anderson Alarcon
ABRADEP
 
Manual bosch combi kge39 bi41
Manual bosch   combi kge39 bi41Manual bosch   combi kge39 bi41
Manual bosch combi kge39 bi41
Alsako Electrodomésticos
 
Guía lectura mate
Guía lectura mateGuía lectura mate
Guía lectura mate
inforfb
 
El Aborto
El Aborto El Aborto
El Aborto
Ligia Castañeda
 
Presença e ausenciua do divino
Presença e ausenciua do divinoPresença e ausenciua do divino
Presença e ausenciua do divino
Januário Esteves
 
Oficina vivenciando nossas raízes
Oficina vivenciando nossas raízesOficina vivenciando nossas raízes
Oficina vivenciando nossas raízes
SMEC PANAMBI-RS
 
Marco de fotos abotoado
Marco de fotos abotoadoMarco de fotos abotoado
Marco de fotos abotoado
BeatrizVazquezSousa
 
Subjetividade antropofágica
Subjetividade antropofágicaSubjetividade antropofágica
Subjetividade antropofágica
Angela Albarello Tolfo
 

Destaque (20)

Abolir
AbolirAbolir
Abolir
 
18deagosto2012 oexpresso
18deagosto2012 oexpresso18deagosto2012 oexpresso
18deagosto2012 oexpresso
 
Diccionario cinvestav 2012
Diccionario cinvestav 2012Diccionario cinvestav 2012
Diccionario cinvestav 2012
 
Abengoa Annual Report 2013 - CSR
Abengoa Annual Report 2013 - CSRAbengoa Annual Report 2013 - CSR
Abengoa Annual Report 2013 - CSR
 
Antropologia etica
Antropologia eticaAntropologia etica
Antropologia etica
 
Livro Nova Culinaria Paranaense
Livro Nova Culinaria ParanaenseLivro Nova Culinaria Paranaense
Livro Nova Culinaria Paranaense
 
Taller 10 De Agosto
Taller 10 De AgostoTaller 10 De Agosto
Taller 10 De Agosto
 
Tic en la enseñanza
Tic en la enseñanzaTic en la enseñanza
Tic en la enseñanza
 
Celis
CelisCelis
Celis
 
Livro contos proibidos
Livro contos proibidosLivro contos proibidos
Livro contos proibidos
 
Raças de cães
Raças de cãesRaças de cães
Raças de cães
 
Entrevista Anderson Alarcon
Entrevista Anderson AlarconEntrevista Anderson Alarcon
Entrevista Anderson Alarcon
 
Manual bosch combi kge39 bi41
Manual bosch   combi kge39 bi41Manual bosch   combi kge39 bi41
Manual bosch combi kge39 bi41
 
Guía lectura mate
Guía lectura mateGuía lectura mate
Guía lectura mate
 
El Aborto
El Aborto El Aborto
El Aborto
 
Presença e ausenciua do divino
Presença e ausenciua do divinoPresença e ausenciua do divino
Presença e ausenciua do divino
 
Oficina vivenciando nossas raízes
Oficina vivenciando nossas raízesOficina vivenciando nossas raízes
Oficina vivenciando nossas raízes
 
Binder4-5
Binder4-5Binder4-5
Binder4-5
 
Marco de fotos abotoado
Marco de fotos abotoadoMarco de fotos abotoado
Marco de fotos abotoado
 
Subjetividade antropofágica
Subjetividade antropofágicaSubjetividade antropofágica
Subjetividade antropofágica
 

Semelhante a 23. como estudar a biblía iii

Princípios para o crescimento e desenvolvimento na palavra 21.03.2016
Princípios para o crescimento e desenvolvimento na palavra   21.03.2016Princípios para o crescimento e desenvolvimento na palavra   21.03.2016
Princípios para o crescimento e desenvolvimento na palavra 21.03.2016
Claudio Marcio
 
Crescer em cristo juniores
Crescer em cristo   junioresCrescer em cristo   juniores
Crescer em cristo juniores
Sandra Fuso
 
Boletim 224
Boletim 224Boletim 224
Escola de ministérios
Escola de ministériosEscola de ministérios
Escola de ministérios
Marcio Gonçalves
 
Escola de ministérios
Escola de ministériosEscola de ministérios
Escola de ministérios
Marcio Gonçalves
 
Basicão em pdf
Basicão em pdfBasicão em pdf
Andrew murray-espirito-de-habitacao-prefacio
Andrew murray-espirito-de-habitacao-prefacioAndrew murray-espirito-de-habitacao-prefacio
Andrew murray-espirito-de-habitacao-prefacio
Francisco Deuzilene
 
JORMI - Jornal Missionário nº 97
JORMI - Jornal Missionário nº 97JORMI - Jornal Missionário nº 97
JORMI - Jornal Missionário nº 97
Almir Rodrigues
 
Cat02
Cat02Cat02
HISTÓRIA DO MINISTÉRIO PENTECOSTAL ROMPENDO EM FÉ
HISTÓRIA DO MINISTÉRIO PENTECOSTAL ROMPENDO EM FÉHISTÓRIA DO MINISTÉRIO PENTECOSTAL ROMPENDO EM FÉ
HISTÓRIA DO MINISTÉRIO PENTECOSTAL ROMPENDO EM FÉ
joaquim2010_2011
 
Amigos de deus(00001)
Amigos de deus(00001)Amigos de deus(00001)
Amigos de deus(00001)
Eleutere Soares
 
A Palavra: a base do reavivamento_Lição_original com textos_332013
A Palavra: a base do reavivamento_Lição_original com textos_332013A Palavra: a base do reavivamento_Lição_original com textos_332013
A Palavra: a base do reavivamento_Lição_original com textos_332013
Gerson G. Ramos
 
Cat04
Cat04Cat04
Uma Liderança Sábia Para a Promoção eficaz da Revelação de Urântia
Uma Liderança Sábia Para a Promoção eficaz da Revelação de UrântiaUma Liderança Sábia Para a Promoção eficaz da Revelação de Urântia
Uma Liderança Sábia Para a Promoção eficaz da Revelação de Urântia
Estudiantes Urantia
 
Deus requer santificação aos cristãos 36
Deus requer santificação aos cristãos 36Deus requer santificação aos cristãos 36
Deus requer santificação aos cristãos 36
Silvio Dutra
 
Amigos de deus
Amigos de deusAmigos de deus
Amigos de deus
Eleutere Soares
 
Pneumatologia 6
Pneumatologia 6Pneumatologia 6
Pneumatologia 6
DENISE DE ALMEIDA
 
ebd-2o-trimestre-2018-licao-5-vivendo-uma-santa.pptx
ebd-2o-trimestre-2018-licao-5-vivendo-uma-santa.pptxebd-2o-trimestre-2018-licao-5-vivendo-uma-santa.pptx
ebd-2o-trimestre-2018-licao-5-vivendo-uma-santa.pptx
KARINEVONEYVIEIRABAR
 
22 02 12
22 02 1222 02 12
Resumo Das Lições do III Trimestre E.B.D
Resumo Das Lições do III Trimestre E.B.DResumo Das Lições do III Trimestre E.B.D
Resumo Das Lições do III Trimestre E.B.D
Konker Labs
 

Semelhante a 23. como estudar a biblía iii (20)

Princípios para o crescimento e desenvolvimento na palavra 21.03.2016
Princípios para o crescimento e desenvolvimento na palavra   21.03.2016Princípios para o crescimento e desenvolvimento na palavra   21.03.2016
Princípios para o crescimento e desenvolvimento na palavra 21.03.2016
 
Crescer em cristo juniores
Crescer em cristo   junioresCrescer em cristo   juniores
Crescer em cristo juniores
 
Boletim 224
Boletim 224Boletim 224
Boletim 224
 
Escola de ministérios
Escola de ministériosEscola de ministérios
Escola de ministérios
 
Escola de ministérios
Escola de ministériosEscola de ministérios
Escola de ministérios
 
Basicão em pdf
Basicão em pdfBasicão em pdf
Basicão em pdf
 
Andrew murray-espirito-de-habitacao-prefacio
Andrew murray-espirito-de-habitacao-prefacioAndrew murray-espirito-de-habitacao-prefacio
Andrew murray-espirito-de-habitacao-prefacio
 
JORMI - Jornal Missionário nº 97
JORMI - Jornal Missionário nº 97JORMI - Jornal Missionário nº 97
JORMI - Jornal Missionário nº 97
 
Cat02
Cat02Cat02
Cat02
 
HISTÓRIA DO MINISTÉRIO PENTECOSTAL ROMPENDO EM FÉ
HISTÓRIA DO MINISTÉRIO PENTECOSTAL ROMPENDO EM FÉHISTÓRIA DO MINISTÉRIO PENTECOSTAL ROMPENDO EM FÉ
HISTÓRIA DO MINISTÉRIO PENTECOSTAL ROMPENDO EM FÉ
 
Amigos de deus(00001)
Amigos de deus(00001)Amigos de deus(00001)
Amigos de deus(00001)
 
A Palavra: a base do reavivamento_Lição_original com textos_332013
A Palavra: a base do reavivamento_Lição_original com textos_332013A Palavra: a base do reavivamento_Lição_original com textos_332013
A Palavra: a base do reavivamento_Lição_original com textos_332013
 
Cat04
Cat04Cat04
Cat04
 
Uma Liderança Sábia Para a Promoção eficaz da Revelação de Urântia
Uma Liderança Sábia Para a Promoção eficaz da Revelação de UrântiaUma Liderança Sábia Para a Promoção eficaz da Revelação de Urântia
Uma Liderança Sábia Para a Promoção eficaz da Revelação de Urântia
 
Deus requer santificação aos cristãos 36
Deus requer santificação aos cristãos 36Deus requer santificação aos cristãos 36
Deus requer santificação aos cristãos 36
 
Amigos de deus
Amigos de deusAmigos de deus
Amigos de deus
 
Pneumatologia 6
Pneumatologia 6Pneumatologia 6
Pneumatologia 6
 
ebd-2o-trimestre-2018-licao-5-vivendo-uma-santa.pptx
ebd-2o-trimestre-2018-licao-5-vivendo-uma-santa.pptxebd-2o-trimestre-2018-licao-5-vivendo-uma-santa.pptx
ebd-2o-trimestre-2018-licao-5-vivendo-uma-santa.pptx
 
22 02 12
22 02 1222 02 12
22 02 12
 
Resumo Das Lições do III Trimestre E.B.D
Resumo Das Lições do III Trimestre E.B.DResumo Das Lições do III Trimestre E.B.D
Resumo Das Lições do III Trimestre E.B.D
 

Mais de pohlos

56 pão temporal
56   pão temporal56   pão temporal
56 pão temporal
pohlos
 
55. a norma mais alta
55. a norma mais alta55. a norma mais alta
55. a norma mais alta
pohlos
 
54. o poder das trevas
54. o poder das trevas54. o poder das trevas
54. o poder das trevas
pohlos
 
53. vans suspeitas
53. vans suspeitas53. vans suspeitas
53. vans suspeitas
pohlos
 
52. o que é religião
52. o que é religião52. o que é religião
52. o que é religião
pohlos
 
51. devemos amar uns aos outros
51. devemos amar uns aos outros51. devemos amar uns aos outros
51. devemos amar uns aos outros
pohlos
 
50. enigmas da bíblia
50. enigmas da bíblia50. enigmas da bíblia
50. enigmas da bíblia
pohlos
 
49. o ômega e o alfa
49. o ômega e o alfa49. o ômega e o alfa
49. o ômega e o alfa
pohlos
 
48. o amor à comodidade
48. o amor à comodidade48. o amor à comodidade
48. o amor à comodidade
pohlos
 
47. a obrar do pastor
47. a obrar do pastor47. a obrar do pastor
47. a obrar do pastor
pohlos
 
46. árvore de fruto
46. árvore de fruto46. árvore de fruto
46. árvore de fruto
pohlos
 
45. a luz do mundo
45. a luz do mundo45. a luz do mundo
45. a luz do mundo
pohlos
 
44. linguagem
44. linguagem44. linguagem
44. linguagem
pohlos
 
43. o selamento dos 144 mil
43. o selamento dos 144 mil43. o selamento dos 144 mil
43. o selamento dos 144 mil
pohlos
 
42. a oração
42. a oração42. a oração
42. a oração
pohlos
 
41. estudo independente
41. estudo independente41. estudo independente
41. estudo independente
pohlos
 
39. a condição da igreja i
39. a condição da igreja i39. a condição da igreja i
39. a condição da igreja i
pohlos
 
40. trono
40. trono40. trono
40. trono
pohlos
 
38. abismo
38. abismo38. abismo
38. abismo
pohlos
 
37. verduras
37. verduras37. verduras
37. verduras
pohlos
 

Mais de pohlos (20)

56 pão temporal
56   pão temporal56   pão temporal
56 pão temporal
 
55. a norma mais alta
55. a norma mais alta55. a norma mais alta
55. a norma mais alta
 
54. o poder das trevas
54. o poder das trevas54. o poder das trevas
54. o poder das trevas
 
53. vans suspeitas
53. vans suspeitas53. vans suspeitas
53. vans suspeitas
 
52. o que é religião
52. o que é religião52. o que é religião
52. o que é religião
 
51. devemos amar uns aos outros
51. devemos amar uns aos outros51. devemos amar uns aos outros
51. devemos amar uns aos outros
 
50. enigmas da bíblia
50. enigmas da bíblia50. enigmas da bíblia
50. enigmas da bíblia
 
49. o ômega e o alfa
49. o ômega e o alfa49. o ômega e o alfa
49. o ômega e o alfa
 
48. o amor à comodidade
48. o amor à comodidade48. o amor à comodidade
48. o amor à comodidade
 
47. a obrar do pastor
47. a obrar do pastor47. a obrar do pastor
47. a obrar do pastor
 
46. árvore de fruto
46. árvore de fruto46. árvore de fruto
46. árvore de fruto
 
45. a luz do mundo
45. a luz do mundo45. a luz do mundo
45. a luz do mundo
 
44. linguagem
44. linguagem44. linguagem
44. linguagem
 
43. o selamento dos 144 mil
43. o selamento dos 144 mil43. o selamento dos 144 mil
43. o selamento dos 144 mil
 
42. a oração
42. a oração42. a oração
42. a oração
 
41. estudo independente
41. estudo independente41. estudo independente
41. estudo independente
 
39. a condição da igreja i
39. a condição da igreja i39. a condição da igreja i
39. a condição da igreja i
 
40. trono
40. trono40. trono
40. trono
 
38. abismo
38. abismo38. abismo
38. abismo
 
37. verduras
37. verduras37. verduras
37. verduras
 

Último

A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita RafaelA Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
DavidBertelli3
 
6 - O ato de Reconciliação do cristão Versículo-Chave: Mateus 5.22.
6 - O ato de Reconciliação do cristão Versículo-Chave: Mateus 5.22.6 - O ato de Reconciliação do cristão Versículo-Chave: Mateus 5.22.
6 - O ato de Reconciliação do cristão Versículo-Chave: Mateus 5.22.
PIB Penha
 
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptxApresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
AlexandreCarvalho858758
 
7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...
7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...
7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...
PIB Penha
 
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyugcontrole-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
AntonioMugiba
 
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
Nilson Almeida
 
8 - A Palavra de Honra do Cristão.Versículo-Chave: Tiago 5.12
8 - A Palavra de Honra do Cristão.Versículo-Chave: Tiago 5.128 - A Palavra de Honra do Cristão.Versículo-Chave: Tiago 5.12
8 - A Palavra de Honra do Cristão.Versículo-Chave: Tiago 5.12
PIB Penha
 
Encontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
Encontro ECC - Sacramento Penitência.pptEncontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
Encontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
SanturioTacararu
 
3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)
3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)
3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)
PIB Penha
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - RevidesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Ricardo Azevedo
 
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptxBatismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
nadeclarice
 
1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...
1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...
1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...
PIB Penha
 
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
EdimarEdigesso
 
edgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf rad
edgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf radedgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf rad
edgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf rad
carla983678
 
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
Marta Gomes
 
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptxLição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Celso Napoleon
 
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdfBiblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
AndreyCamarini
 
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
AlailzaSoares1
 
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújoquem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
Rogério Augusto Ayres de Araujo
 
5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...
5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...
5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...
PIB Penha
 

Último (20)

A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita RafaelA Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
 
6 - O ato de Reconciliação do cristão Versículo-Chave: Mateus 5.22.
6 - O ato de Reconciliação do cristão Versículo-Chave: Mateus 5.22.6 - O ato de Reconciliação do cristão Versículo-Chave: Mateus 5.22.
6 - O ato de Reconciliação do cristão Versículo-Chave: Mateus 5.22.
 
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptxApresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
 
7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...
7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...
7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...
 
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyugcontrole-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
 
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
 
8 - A Palavra de Honra do Cristão.Versículo-Chave: Tiago 5.12
8 - A Palavra de Honra do Cristão.Versículo-Chave: Tiago 5.128 - A Palavra de Honra do Cristão.Versículo-Chave: Tiago 5.12
8 - A Palavra de Honra do Cristão.Versículo-Chave: Tiago 5.12
 
Encontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
Encontro ECC - Sacramento Penitência.pptEncontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
Encontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
 
3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)
3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)
3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - RevidesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
 
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptxBatismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
 
1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...
1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...
1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...
 
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
 
edgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf rad
edgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf radedgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf rad
edgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf rad
 
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
 
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptxLição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
 
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdfBiblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
 
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
 
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújoquem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
 
5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...
5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...
5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...
 

23. como estudar a biblía iii

  • 2. 1| Apostila – Como Estudar a Bíblia III COMO ESTUDAR A BÍBLIA III Pensamentos Para Meditação Que ninguém pense que sua maneira de proceder não precisa modificar-se. Os que julgam assim não são aptos a empenhar-se na obra de Deus, pois não sentirão a necessidade de avançar constantemente para uma norma mais elevada, fazendo contínuo progresso. Ninguém pode andar em segurança se não desconfiar do próprio eu e se não estiver olhando constantemente para a obra de Deus, estudando-a com coração voluntário, para ver seus próprios erros e aprender a vontade de Cristo, e orando para que seja efetuada nele, por ele e através dele. Eles mostram que sua confiança não está em si mesmos, mas em Cristo. Mantêm a verdade como sagrado tesouro, apta para santificar e aprimorar, e estão constantemente procurando colocar suas palavras e ações em harmonia com os seus princípios. Temem e tremem, com receio de que seja idolatrado algo impregnado do próprio eu, fazendo assim que seus defeitos sejam reproduzidos em outros que confiam neles. Estão sempre procurando dominar o próprio eu, deixar de lado tudo que esteja impregnado dele, e substituí-lo pela mansidão e humildade de Cristo. Estão olhando para Jesus, crescendo nEle, obtendo luz e graça de Sua Pessoa, para que possam difundi-las a outros. Review and Herald, 12 de abril de 1892. (MM, RP, 53) Ao avizinhar-se o fim da ceifa da Terra, uma especial concessão de graça espiritual é prometida a fim de preparar a igreja para a vinda do Filho do homem. Esse derramamento do Espírito é comparado com a queda da chuva serôdia; e é por esse poder adicional que os cristãos devem fazer as suas petições ao Senhor da seara "no tempo da chuva serôdia". Em resposta, "o Senhor, que faz os relâmpagos, lhes dará chuveiro de água". Zac. 10:1. "Ele... fará descer a chuva, a temporã e a serôdia, no primeiro mês." Joel 2:23. (AA, 55) Disse Jesus a respeito do Espírito: "Ele Me glorificará." João 16:14. O Salvador veio glorificar o Pai pela demonstração de Seu amor; assim o
  • 3. A p o s t i l a – C o mo E s t u d ar a Bí b l i a I I I |2 Espírito havia de glorificar a Cristo, revelando ao mundo a Sua graça. A própria imagem de Deus tem de ser reproduzida na humanidade. A honra de Deus, a honra de Cristo, acha-se envolvida no aperfeiçoamento do caráter de Seu povo. (MM, Exaltai-o 192) Cristo procura reproduzir-Se no coração dos homens; e faz isto por intermédio daqueles que nEle crêem. O objetivo da vida cristã é a frutificação - a reprodução do caráter de Cristo no crente, para que Se possa reproduzir em outros. "Quando já o fruto se mostra, mete-lhe logo a foice, porque está chegada a ceifa." Mar. 4:29. Cristo aguarda com fremente desejo a manifestação de Si mesmo em Sua igreja. Quando o caráter de Cristo se reproduzir perfeitamente em Seu povo, então virá para reclamá-los como Seus. (Idem, 275) Com anelante desejo, Cristo aguarda ver-Se manifestado em Sua igreja. Quando o caráter do Salvador for perfeitamente reproduzido em Seu povo, então Ele virá a requerer os Seus. É o privilégio de todo cristão, não somente aguardar, mas apressar a vinda de nosso Senhor. Estivessem todos quantos Lhe professam o nome dando frutos para Sua glória, e quão pronto o mundo inteiro estaria semeado com o evangelho! (CPPE, pág. 324.) Talvez o presidente não sinta a necessidade de se santificar a si mesmo, para que os outros se santifiquem. Talvez seja um vigia infiel, pregando para agradar ao povo. Muitos são fortes em certos traços de caráter, ao passo que noutros são fracos e deficientes. Conseqüentemente, revela-se falta de eficiência em alguns ramos da obra. Continuasse o mesmo homem como presidente de uma associação ano após ano, e seus defeitos se reproduziriam nas igrejas a seu cargo. Mas um obreiro pode ser forte nos pontos em que seu irmão é fraco, e assim, permutando os campos de trabalho, um pode, até certo ponto, suprir as deficiências do outro. (OB, Evag, 421) "Se alguém Me ama", dizia Cristo, "guardará a Minha Palavra, e Meu Pai o amará, e viremos para ele e faremos nele morada." João 14:23. O
  • 4. 3| Apostila – Como Estudar a Bíblia III encanto de uma mente mais forte e mais perfeita pairará sobre nós, pois temos ligação viva com a fonte do poder duradouro. Em nossa vida religiosa seremos levados em cativeiro a Jesus Cristo. Não mais viveremos a comum vida de egoísmo, mas Cristo viverá em nós. Seu caráter será reproduzido em nossa natureza. Deste modo produziremos os frutos do Espírito Santo - "um, a trinta, outro, a sessenta, e outro, a cem, por um". Mar. 4:20. (PJ, 61) "Eu sou o pão da vida", o Autor, Nutridor e Mantenedor da eterna vida espiritual. ... Cristo Se representa sob a símile do pão celestial. Comer Sua carne e beber Seu sangue significa recebê-Lo como Mestre enviado pelo Céu. Crer nEle é essencial à vida espiritual. Os que se banqueteiam da Palavra nunca passam fome, nunca têm sede, nunca desejam algum bem mais elevado ou mais exaltado. Cristo explicou tão claramente o significado de Suas palavras que ninguém precisa tropeçar nelas. Sua declaração a respeito de comer a carne e beber o sangue do Filho de Deus deve ser interpretada no sentido espiritual. Nós comemos a carne de Cristo e bebemos o Seu sangue quando pela fé nos apegamos a Ele como nosso Salvador. (MM, Exaltai-O, 106) Cristo usou a figura de comer e beber para representar a intimidade com Ele que precisam ter todos os que finalmente participarão com Ele em Sua glória. O alimento temporal que ingerimos é assimilado, dando força e consistência ao corpo. De modo semelhante, quando cremos nas palavras do Senhor Jesus e as aceitamos, elas passam a fazer parte de nossa vida espiritual, trazendo luz e paz, esperança e alegria, e fortalecendo a vida como o alimento material fortalece o corpo. (MM, Exaltai-o, 106) Não basta conhecermos e respeitarmos as palavras das Escrituras. Precisamos compreendê-las, estudando-as diligentemente. ... Os cristãos revelarão a intensidade com que fazem isso pelo saudável estado de seu caráter espiritual. Precisamos conhecer a aplicação prática da Palavra à edificação de nosso caráter individual. Devemos ser templos santos, em que Deus possa viver, andar e atuar. Nunca devemos procurar elevar-nos acima dos servos que Deus
  • 5. A p o s t i l a – C o mo E s t u d ar a Bí b l i a I I I |4 escolheu para fazerem Sua obra e honrarem Seu santo nome. "Vós todos sois irmãos." Apliquemos esta Palavra a nossa própria pessoa, comparando uma passagem com outra. (Idem) Em nossa vida diária, perante nossos irmãos e perante o mundo, devemos ser vivos intérpretes das Escrituras, honrando a Cristo ao revelarmos Sua mansidão e Sua humildade de coração. Comendo e assimilando o pão da vida, revelaremos um caráter simétrico. Por nossa unidade, e considerando os outros superiores a nós mesmos, devemos dar ao mundo vivo testemunho do poder da verdade. ... Submetendo-se inteiramente a Deus, comendo o pão da vida e bebendo a água da salvação, os homens crescem em Cristo. Seu caráter se compõe daquilo que a mente come e bebe. Por meio da Palavra da vida, que eles aceitam e a que obedecem, tornam-se participantes da natureza divina. Então... Cristo, e não o homem é exaltado. SDA Bible Commentary, vol. 5, pág. 1.135. (Idem) A parábola do semeador e da semente comunica uma profunda lição espiritual. A semente representa os princípios semeados no coração; e seu crescimento, o desenvolvimento do caráter. Tornai prático o ensino a esse respeito. As crianças podem preparar o terreno e semear a semente; e, enquanto elas trabalham, os pais, ou o professor, podem explicar-lhes o jardim do coração com a boa ou a má semente ali semeada. E, assim como o jardim deve ser preparado para a semente natural, deve o coração ser preparado para a semente da verdade. À medida que a planta cresce, a relação entre a semeadura natural e a espiritual pode continuar. (CPPE, 142) Na instrução ministrada em nossas escolas, devem aliar-se o natural e o espiritual. As leis obedecidas pela Terra revelam que ela se encontra sob o poder dominador de um Deus infinito. Os mesmos princípios regem o mundo espiritual e o mundo natural. Excluí a Deus da aquisição do conhecimento, e tereis uma educação manca, unilateral, morta para todas as salvadoras qualidades que comunicam ao homem o verdadeiro poder. O Autor da natureza é o Autor da Bíblia. A criação e o cristianismo têm o mesmo Deus. Este Se revela em a natureza, bem como Se revela em Sua Palavra. Em límpidos raios
  • 6. 5| Apostila – Como Estudar a Bíblia III resplandece a luz da página sagrada, mostrando-nos o Deus vivo, tal como Se apresenta nas leis de Seu governo, na criação do mundo, nos céus por Ele ornamentados. Seu poder deve ser reconhecido como o único meio de redimir o mundo das degradantes superstições tão desonrosas para Deus e o próprio homem. (CPPE, 395) A Adão foi dado outro filho, para ser o herdeiro da promessa divina, herdeiro da primogenitura espiritual. O nome de Sete, dado a este filho, significava "designado", ou "compensação", "porque", disse a mãe, "Deus me deu outra semente em lugar de Abel; porquanto Caim o matou." Gên. 4:25. Sete era de estatura mais nobre do que Caim ou Abel, e parecia-se muito mais com Adão do que os demais filhos. Tinha caráter digno, seguindo as pegadas de Abel. Contudo não herdou mais bondade natural do que Caim. Com referência à criação de Adão, acha- se dito: "À semelhança de Deus o fez"; mas o homem, depois da queda, "gerou um filho à sua semelhança, conforme a sua imagem". Gên. 5:1 e 3. .. (MM, CT, 38) O natural e o espiritual devem ser associados nos estudos de nossas escolas. As atividades da agricultura ilustram as lições bíblicas. As leis obedecidas pela Terra revelam o fato de que ela está sob o excelso poder de um Deus infinito. Os mesmos princípios regem o mundo espiritual e o mundo natural. (FEC, 375) A germinação da semente representa o começo da vida espiritual, e o desenvolvimento da planta é uma figura do desenvolvimento do caráter. ... Procurando os pais e professores ensinar estas lições, este trabalho deve fazer-se prático. Que as próprias crianças preparem o terreno e semeiem a semente. Enquanto trabalham, o pai ou professor pode explicar o jardim do coração, com a boa ou má semente ali semeada, e mostrar que, como o jardim deve ser preparado para a semente natural, assim deve o coração ser preparado para a semente da verdade. (Lar Adventista, 145) Quando o homem se reconcilia com Deus, as coisas da natureza falam- lhe em palavras de sabedoria celestial, dando testemunho da verdade eterna da Palavra de Deus. Ao dizer-nos Cristo o sentido das coisas
  • 7. A p o s t i l a – C o mo E s t u d ar a Bí b l i a I I I |6 da natureza, a ciência da verdadeira religião se manifesta, explicando a relação da lei de Deus para com o mundo natural e espiritual. (CPPE,189) As revelações de Jesus com referência às coisas celestiais são de tal espécie que só os de mente espiritual podem apreciar. Pode a imaginação conclamar seu máximo poder para pintar as glórias do Céu, mas o "que o olho não viu, e o ouvido não ouviu, e não subiram ao coração do homem são as [coisas] que Deus preparou para os que O amam". I Cor. 2:9. Os seres celestiais estão ao nosso redor. ... Anjos de luz produzem uma atmosfera celestial em torno da alma, alçando-nos para o que é invisível e eterno. Não podemos, com a nossa vista natural, contemplar-lhes as formas; unicamente pela visão espiritual podemos discernir os seres celestiais. Nossas faculdades humanas se extinguiriam pela inexprimível glória dos anjos de luz. Unicamente o ouvido espiritual pode distinguir a harmonia das vozes celestiais. Não é desígnio de Cristo despertar as emoções por descrições brilhantes. Na ciência da salvação o Senhor Jesus ordenou que ninguém viva por sentimento. Ele, que é o caminho, a verdade e a vida, apresentou-Se com suficiente nitidez como o único meio pelo qual se pode alcançar a salvação. Com efeito, nada mais que isso se requer. (MM, Nos Lugares Celestiais, 366) A mesma lei que rege o mundo natural, domina o espiritual. Aquele que permanece nas trevas perderá por fim a faculdade da visão. Fica encerrado por trevas mais profundas que as da meia-noite; e para ele o mais luminoso meio-dia não pode trazer qualquer luz. "Anda em trevas, e não sabe para onde deva ir; porque as trevas lhe cegaram os olhos." I João 2:11. Nutrindo persistentemente o mal, desatendendo voluntariamente as súplicas do divino amor, perde o pecador o amor do bem, o desejo em torno de Deus, a própria capacidade de receber a luz do Céu. O convite da misericórdia ainda é cheio de amor, a luz brilha ainda tão resplandecente como quando raiou a princípio em sua alma; mas a voz cai em ouvidos moucos, a luz em olhos cegos. (Maior Discurso de Cristo, 92)
  • 8. 7| Apostila – Como Estudar a Bíblia III "Nem só de pão viverá o homem, mas de toda a palavra que sai da boca de Deus." Mat. 4:4. "Se não comerdes a carne do Filho do homem, e não beberdes o Seu sangue, não tereis vida em vós mesmos." João 6:53. Jesus disse: "Quem come a Minha carne e bebe o Meu sangue tem a vida eterna." João 6:54. Nosso corpo é constituído daquilo que comemos e bebemos. E como na dispensação natural, assim na espiritual; é aquilo em que nossa mente demora que sustenta a natureza espiritual. Disse nosso Salvador: "O espírito é o que vivifica, a carne para nada aproveita; as palavras que Eu vos disse são espírito e vida." João 6:63. A vida espiritual precisa ser mantida pela comunhão com Cristo por meio de Sua Palavra. A mente precisa deter-se nela, o coração dela encher-se. A Palavra de Deus entesourada no coração e santamente nutrida e obedecida, por meio do poder da graça de Cristo pode tornar o homem justo, e justo conservá- lo; mas toda influência humana, toda invenção terrena é destituída de poder para comunicar força e sabedoria ao homem. Não pode refrear a paixão, ou corrigir a deformidade do caráter. A menos que a verdade de Deus reja o coração, a consciência é deformada. Nessas sociedades mundanas todavia a mente é desviada da Palavra de Deus. Os homens não são levados a torná-la seu estudo e o guia da vida. (II ME, 125) Muitos que deveriam estar armando sua tenda mais perto da terra de Canaã, estão estabelecendo seu acampamento mais próximo do Egito. Não vivem à luz do Sol da Justiça. Muitos freqüentam lugares de diversão, para satisfazer ao seu gosto, mas assim fazendo nenhuma força espiritual ganham, e se acharão no lado da derrota. Animar o amor das diversões é desanimar o amor das reuniões religiosas; pois o coração torna-se tão apinhado de frivolidades e de tudo que agrada ao seu estado natural, que não fica espaço para Cristo. ... (MM, Para conhecê-lo, 307) A sentença proferida contra o servo preguiçoso foi: "Tirai-lhe, pois, o talento e dai-o ao que tem os dez talentos." Mat. 25:28. Neste caso, como na recompensa do obreiro fiel, é indicado, não meramente o galardão do juízo final, mas o processo de retribuição gradual nesta vida. Como no mundo natural, assim é no espiritual: Toda habilidade não aproveitada enfraquecerá e definhará. Atividade é a lei da vida; ociosidade é morte. "A manifestação do Espírito é dada
  • 9. A p o s t i l a – C o mo E s t u d ar a Bí b l i a I I I |8 a cada um para o que for útil." I Cor. 12:7. Empregadas para abençoar a outros, suas dádivas aumentam. Restritas ao serviço do próprio eu, diminuem e são retiradas finalmente. Aquele que recusa repartir o que recebeu, finalmente achará que nada tem para dar. Consente em um processo que certamente atrofia e finalmente aniquila as faculdades da alma. (PJ, 364) O nome de Jeová foi grandemente honrado durante a primeira parte do reinado de Salomão. ... Ao passarem os anos, e aumentando a fama de Salomão, buscou ele honrar a Deus acrescentando sua força mental e espiritual e constantemente repartindo com outros as bênçãos recebidas. Ninguém compreendia melhor que ele, haver sido pelo favor de Jeová que entrara na posse do poder, sabedoria e entendimento, e que esses dons foram-lhe concedidos para que ele pudesse dar ao mundo o conhecimento do Rei dos reis. Salomão tomou especial interesse pela História Natural, mas suas pesquisas não estavam limitadas a um determinado ramo do saber. Mediante diligente estudo de todas as coisas criadas, tanto animadas como inanimadas, adquiriu clara concepção do Criador. Nas forças da natureza, no mundo mineral e animal, e em toda árvore, arbusto e flor, ele via a revelação da sabedoria de Deus; e ao procurar aprender mais e mais, seu conhecimento de Deus e seu amor por Ele constantemente aumentavam. (MM, Vidas que Falam, 191 e PR, 33) O Autor desta vida espiritual é invisível, e o método exato pelo qual é esta vida repartida e mantida está além da capacidade da filosofia humana explicar. Todavia as operações do Espírito estão sempre em harmonia com a Palavra escrita. Como sucede no mundo natural, assim também se dá no espiritual. A vida natural é preservada a todo o momento pelo divino poder; todavia não é sustentada por um milagre direto, mas mediante o uso de bênçãos colocadas ao nosso alcance. De igual forma é a vida espiritual sustentada pelo uso dos meios supridos pela Providência. Se o seguidor de Cristo quiser crescer até chegar "a varão perfeito, à medida da estatura completa de Cristo" (Efés. 4:13), precisa comer do pão da vida e beber da água da salvação. Precisa vigiar, orar e trabalhar, dando em todas as coisas atenção às instruções de Deus em Sua Palavra. (AA, 284 e 285)
  • 10. 9| Apostila – Como Estudar a Bíblia III O cristão não deve cruzar os braços, satisfeito com o que já conseguiu. Aquele que tem o determinado entrar no reino espiritual verificará que todos os poderes e paixões da natureza não regenerada, apoiados pelas forças do reino das trevas, estão arregimentados contra ele. Ele precisa renovar a sua consagração cada dia, e cada dia batalhar contra o mal. Velhos hábitos, tendências hereditárias para o erro, lutarão para manter a supremacia, e contra isto deve eles estar sempre em guarda, lutando na força de Cristo pela vitória. (AA, 477) Em Seus esforços para alcançar o ideal de Deus para si, o cristão não deve desesperar de coisa alguma. A perfeição moral e espiritual mediante a graça e o poder de Cristo é prometida a todos. Jesus é a fonte de poder, a origem da vida. Ele nos leva a Sua Palavra, e da árvore da vida nos apresenta as folhas para a saúde de almas enfermas de pecado. Ele nos leva ao trono de Deus, e põe em nossa boca uma oração pela qual somos levados a íntimo contato com Ele próprio. Em nosso benefício põe em operação os instrumentos todo- poderosos do Céu. Em cada passo tocamos Seu vivo poder. (AA, 478) Essa mulher encontrava-se em disposição de espírito capaz de apreciar. Estava pronta para receber a mais excelente revelação, pois interessava-se nas Escrituras, e o Espírito Santo lhe estivera preparando a mente para a recepção de maior luz. Estudara a promessa do Antigo Testamento: "O Senhor teu Deus te despertará um profeta do meio de ti, e de teus irmãos, como eu; a Ele ouvireis". Deut. 18:15. Anelava compreender esta profecia. A luz já lhe estava brilhando no espírito. A água da vida, a vida espiritual que Cristo dá a toda alma sedenta, começara a brotar-lhe no coração. O Espírito do Senhor trabalhava nela. (DTN, 190) Quando as lições de Cristo, as verdades da Bíblia, em sua simplicidade, são apresentadas a essas pessoas, elas reconhecem a luz e se alegram nela. Suas perplexidades se dissipam diante da luz da verdade como o orvalho diante do sol matinal. Seus conceitos da verdade bíblica são ampliados, e a revelação de Deus em Cristo chega até elas, mostrando-lhes a profundidade, a largura e a altura do divino mistério espiritual que não
  • 11. A p o s t i l a – C o m o E s t u d a r a B í b l i a I I I | 10 discerniam anteriormente, o qual não pode ser explicado, mas só exemplificado no caráter semelhante ao de Cristo. (MM, Exaltai-O, 309) Cristo reúne em Sua pessoa a plenitude e perfeição da Divindade, e a da humanidade sem pecado. Ele enfrentou todas as tentações que assaltaram a Adão, e as venceu porque em Sua humanidade confiava no poder divino. Este assunto precisa decididamente ser mais estudado do que o é. Os cristãos não se aprofundam. Contentam- se com uma experiência espiritual de superfície, e por isso só têm os bruxoleios da luz, quando podiam ter muito mais amplo conhecimento, e discernirem com mais clareza a maravilhosa perfeição da humanidade de Cristo, que sobreleva muito acima de toda a grandeza humana e de todo humano poder. A vida de Cristo é uma revelação de como seres humanos se podem tornar por meio da união e comunhão com a natureza divina. ... (MM, Fé Pela a Qual eu Vivo, 219) As jóias da verdade acham-se espalhadas sobre o terreno da revelação; mas têm sido soterradas sob as tradições humanas, sob os dizeres e mandamentos de homens, e a sabedoria do Céu tem sido virtualmente passada por alto; pois Satanás tem sido bem- sucedido em fazer com que o mundo creia que as palavras e realizações humanas são de grande importância. O Senhor Deus, o Criador do Universo, deu o evangelho ao mundo a um preço infinito. Por meio deste agente divino, agradáveis e revigorantes torrentes de conforto celestial e consolo permanente têm sido abertos para aqueles que se aproximam da fonte da vida. Ainda há veios de verdade a serem descobertos; mas as coisas espirituais se discernem espiritualmente. As mentes obscurecidas pelo mal não podem apreciar o valor da verdade como é em Jesus. Quando se acaricia a iniqüidade, os homens não sentem a necessidade de fazer esforços diligentes, com oração e reflexão, para compreender o que devem saber, ou perder o Céu. Têm estado há tanto tempo sob a sombra do inimigo, que encaram a verdade como se vêem os objetos através de um vidro enfumaçado e defeituoso; pois todas as coisas são escuras e pervertidas a seus olhos. Sua visão espiritual é débil e indigna de confiança, porque olham para as sombras e se afastam da luz. (FEC, 188)
  • 12. 11 | Apostila – Como Estudar a Bíblia III Nem sempre há perfeita ordem ou evidente unidade nas Escrituras. Os milagres de Cristo não são dados na ordem exata, mas justo segundo ocorriam as circunstâncias, as quais reclamavam esta divina revelação do poder de Cristo. As verdades da Bíblia são como pérolas ocultas. Devem ser buscadas, desenterradas mediante penosos esforços. Os que apanham apenas uma apressada visão das Escrituras hão de, com seu conhecimento superficial que eles julgam muito profundo, falar nas contradições da Bíblia, e pôr em dúvida a autoridade das Escrituras. Aqueles, porém, cujo coração se acha em harmonia com a verdade e o dever, pesquisarão as Escrituras com o coração preparado para receber impressões divinas. A alma iluminada vê unidade espiritual, um grande fio de ouro através do todo, mas requer paciência, reflexão e oração o rastrear o áureo fio precioso. Contendas amargas a respeito da Bíblia levaram a pesquisas e revelaram as preciosas jóias da verdade. Muitas lágrimas foram vertidas, muitas orações feitas para que o Senhor abrisse o entendimento para Sua Palavra. (I ME, 20) Não é pela força que Satanás toma posse da mente humana. Enquanto os homens dormem, o inimigo semeia o joio na igreja. Enquanto os homens se encontram espiritualmente adormecidos, o inimigo realiza sua obra de iniqüidade. É quando seu súdito não entende (Mat. 13:19) que ele arrebata a boa semente semeada no coração. Quando homens e mulheres se encontram neste estado, quando sua vida espiritual não está sendo continuamente alimentada pelo Espírito de Deus, Satanás pode incutir-lhes seu espírito, e levá-los a fazer as suas obras. .. (II ME, 353) Somos batizados em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo, e estes três grandes poderes infinitos estão harmoniosamente comprometidos a trabalhar em nosso favor se cooperarmos com Eles. Somos sepultados com Cristo no batismo como emblema de Sua morte. Somos levantados da água como emblema de Sua ressurreição. Devemos viver como pessoas que nasceram de novo, para que sejamos ressuscitados no último grande dia. ... Vós vos comprometestes a viver em novidade de vida; porque morrestes, e a vossa vida está escondida com Cristo em Deus. "Portanto, se já
  • 13. A p o s t i l a – C o m o E s t u d a r a B í b l i a I I I | 12 ressuscitastes com Cristo, buscai as coisas que são de cima, onde Cristo está assentado à destra de Deus." Col. 3:1. É ali que deveis colocar o vosso tesouro. O homem finito não pode crer por vós. Dirigi- vos à grande Fonte de poder para ser fortalecidos. (Idem, 110) Há grande necessidade de manter o próprio eu sob controle quando estamos à espreita para aproveitar-nos de um passo em falso da parte de um irmão, de uma irmã ou de um amigo. Embora não reconheçamos que o objetivo de difamar a outra pessoa é exaltar o próprio eu, a exaltação de si mesmo está por trás da prática de notar as faltas dos outros. Toda pessoa deve se lembrar que é melhor estar de sobreaviso, e fazer caminhos retos para os próprios pés, para que não se extravie o que é manco. Nenhum de nós corre o perigo de ser muito devoto, ou de possuir demasiada semelhança de caráter com Cristo. O remédio para a dessemelhança com Cristo e não dar motivo para que seja difamado o vosso bom nome, é viver humildemente, e continuar olhando para Jesus com devota vigilância, até ser transformado à semelhança de Seu belo caráter. (Idem, 111) A Palavra de Deus é a semente viva e, quando essa semente é lançada na mente, o instrumento humano precisa dar diligente atenção às etapas sucessivas de seu crescimento. Como isso deve ser feito? Depois que a Palavra foi recebida com oração, ela deve ser acalentada e posta em prática na vida diária. Deve brotar e dar fruto, desenvolvendo primeiro a erva, depois a espiga, e, por fim, o grão cheio na espiga. (Idem, 112) Todos os que recebem no coração a mensagem do evangelho, almejarão proclamá-la. O amor de Cristo, de origem celeste, precisa encontrar expressão. Os que se revestiram de Cristo relatarão sua experiência, descobrindo passo a passo a direção do Espírito Santo - sua sede e fome de conhecimento de Deus e de Jesus Cristo, a quem enviou, o resultado de esquadrinhar as Escrituras, suas orações, sua agonia de alma e as palavras de Cristo a eles: "Teus pecados te são perdoados." Luc. 5:20. É antinatural que qualquer pessoa mantenha em secreto estas coisas; e quem está possuído do amor de Cristo não o fará.
  • 14. 13 | Apostila – Como Estudar a Bíblia III Na mesma proporção em que o Senhor os tornou depositários da verdade sagrada, será seu desejo que outros recebam a mesma bênção. Divulgando os ricos tesouros da graça de Deus, ser-lhes-á concedido mais e mais da graça de Cristo. Terão o coração de uma criancinha em sua simplicidade e obediência irrestrita. Sua alma almejará a santidade e ser-lhes-á revelado sempre mais dos tesouros da verdade e da graça, para serem dados ao mundo. (Idem, 113) Se o seguidor de Cristo crer em Sua Palavra e praticá-la, não haverá Ciência no mundo natural, que não possa compreender nem apreciar. Nada há que não lhe forneça meio de partilhar a verdade com outros. A história natural é um tesouro de conhecimentos em que todo estudante na escola de Cristo, pode abeberar-se. Contemplando o encanto da Natureza, estudando suas lições no cultivo do solo, no crescimento das árvores, em todas as maravilhas da terra, mar e céu, advir-nos-á percepção nova da verdade. Os mistérios ligados ao proceder de Deus para com os homens, as profundezas de Sua sabedoria e penetração, vistos na vida humana - verificar-se-á serem um depósito repleto de tesouros. Mas, na Palavra escrita é que está revelado com maior clareza o conhecimento de Deus ao homem caído. Este é o repositório das inexauríveis riquezas de Cristo. ... As verdades da redenção são susceptíveis de desenvolvimento e expansão constantes. Embora velhas, são sempre novas, e revelam constantemente ao pesquisador da verdade maior glória e força mais potente. Rom 1: 20 (Parábolas de Jesus, págs. 125-127.) A única coisa que lhe seria de valor agora, não a adquiriu. Vivendo para o próprio eu, rejeitou o amor divino, que fluiria em misericórdia para com seus concidadãos. Assim obrando, rejeitou a vida; porque Deus é amor, e amor é vida. Este homem escolheu o material em vez do espiritual, e com o material tem que sucumbir. "O homem que está em honra, e não tem entendimento, é semelhante aos animais, que perecem." Sal. 49:20. (PJ, 258)