SlideShare uma empresa Scribd logo
1|   Apostila–A Luz do mundo




                       A LUZ DO MUNDO

    Todo obstáculo para a redenção do povo de Deus deve ser
removido pelo abrir da Palavra de Deus e a apresentação de um
claro. "Assim diz o Senhor." A verdadeira luz deve brilhar, pois
trevas cobrem a Terra e densa escuridão os povos. A verdade do
Deus vivente deve aparecer em contraste com o erro. Proclamai as
boas novas: Temos um Salvador que deu Sua vida para que todos
que nEle crêem não pereçam, mas tenham a vida eterna. (MM,
Cuidado de Deus, 310)
    As necessidades urgentes que se fazem sentir nesta época,
exige contínua educação na Palavra de Deus. Isto é a verdade
presente. Importa que haja em todo o mundo uma reforma no
estudo da Bíblia, pois ela é agora mais necessária que nunca. À
medida que essa reforma progredir, efetuar-se-á poderosa obra; quando
Deus declarou que Sua Palavra não voltaria para Ele vazia, queria
significar tudo quanto disse. O conhecimento de Deus e de Jesus Cristo
"a quem Ele enviou", eis a mais alta educação, e ela cobrirá a Terra com
sua maravilhosa luz, assim como as águas cobrem o mar. (II TS, 412)
    O grande juízo já sendo levado acabo, desde algum tempo. Agora o
Senhor diz: Mede o templo e os que o adoram. Quando estiverdes
fazendo as vossas obrigações materiais, lembrais que estais sendo
medidos. Quando estiverdes em conversação lembrais que Deus
está vos medindo. Em vosso lazer lembrais que Deus está vos
medindo. Lembrem que vossas palavras e ações estão sendo
fotografadas nos livros dos céus, assim como o artista reproduz o rosto
no quadro.
    Está é a obra que esta sendo levada a cabo: medir o templo e os que
adoram nele, para ver quem permanece firme no último dia. Os que
permanecerem firmes terão uma cômoda entrada no reino de Nosso
Senhor Jesus Cristo. Quando estivermos fazendo nossa obra,
lembraremos que há Um que está observando o espírito com que
estamos fazendo. Não faremos com que o Senhor nos acompanhe
em nossa vida cotidiana, em nossa obra secular, e em nossos
A p o s t i l a – A L u z d o m u n d o |2

deveres domésticos? Então devemos abandonar em nome de Deus
tudo que não é necessário, todas as murmurações e visitas inúteis,
e permanecermos como servos do Deus vivente. (MS 4, 1888)
         1 João 3
         3 E qualquer que nele tem esta esperança purifica-se a
         si mesmo, como também ele é puro.
         Filipenses 2
         12 De sorte que, meus amados, assim como sempre
         obedecestes, não só na minha presença, mas muito
         mais agora na minha ausência, assim também operai a
         vossa salvação com temor e tremor;
         13 Porque Deus é o que opera em vós tanto o querer
         como o efetuar, segundo a sua boa vontade.
         14 Fazei todas as coisas sem murmurações nem
         contendas;
         15 Para que sejais irrepreensíveis e sinceros, filhos de
         Deus inculpáveis, no meio de uma geração corrompida e
         perversa, entre a qual resplandeceis como astros no
         mundo;

    O pouco tempo exige uma energia como não foi despertada
entre os que professam crer na verdade presente. Há necessidade
de religião individual, de arrependimento, de fé e amor. Oro para
que haja um despertamento geral entre nós como um povo. Na força
que Cristo comunica, devemos ser capazes de ensinar outros
também a lutarem com aquelas paixões que a luz do Céu lhes
indica que devem ser mortificadas. Que haja constante vigilância e
oração incansável em favor da assistência do Espírito Santo, e valhamo-
nos de todo auxílio e toda luz que Deus nos concedeu. (CSS, 506)
    Cristo disse: "Vós sois a luz do mundo." Mat. 5:14. Ele confiou
talentos à nossa guarda. O que estamos fazendo com os dons
confiados? Estamos deixando nossa luz brilhar, utilizando-os para
a Sua glória e para o bem do nosso próximo, ou os estamos
usando para favorecer os nossos próprios interesses egoístas?
Muitos os estão utilizando de modo interesseiro. Eles não parecem
perceber que todos nos encaminhamos para o juízo, e brevemente
teremos de prestar contas pelo uso que fizemos das oportunidades que
Deus nos concedeu para fazer o bem. Mas que desculpa darão eles
3|   Apostila–A Luz do mundo

naquele grande dia por não terem usado na causa de Deus seu talento,
educação, tato, perseverança e zelo? (MM, Cuidado de Deus, 331)
    Aqueles que deviam ter sido a luz do mundo têm projetado
apenas raios pálidos e fracos. Que é luz? É piedade, bondade,
verdade, misericórdia, amor; é a revelação da verdade no caráter e
na vida. O evangelho, com o seu explosivo poder, depende da piedade
pessoal de seus crentes, e Deus proveu, pela morte de Seu amado
Filho, os meios para que cada alma esteja perfeitamente preparada para
toda boa obra. Review and Herald, 24 de março de 1891. (BS, 36)
     A igreja é o instrumento apontado por Deus para a salvação dos
homens. Foi organizada para servir, e sua missão é levar o evangelho ao
mundo. Desde o princípio tem sido plano de Deus que através de Sua
igreja seja refletida para o mundo Sua plenitude e suficiência. Aos
membros da igreja, a quem Ele chamou das trevas para Sua
maravilhosa luz, compete manifestar Sua glória. A igreja é a depositária
das riquezas da graça de Cristo; e pela igreja será a seu tempo
manifesta, mesmo aos "principados e potestades nos Céus" (Efés. 3:10),
a final e ampla demonstração do amor de Deus. (AA, pag, 9)
          Jó 18: 18; Isa 26: 18; Mat 5: 14; Luc 16: 8; João 1: 9; 3:
          19; 3: 21; 9: 5; 11: 9; 12: 46; 16: 21.
          II Cor 4: 6; Gen 1: 3; Ef, 4: 8; 4: 24; Gen 1: 26; Mat 6: 22,
          23; Ef. 5: 3-14.

     Os talentos por Deus confiados não devem ser escondidos
debaixo do alqueire ou da cama. "Vós sois a luz do mundo", disse
Cristo em Mateus 5:14. Ao verdes famílias morando em barracos, com
escasso mobiliário e roupas, sem utensílios, sem livros ou outros
indicativos de refinamento em seus lares, mostrar-vos-eis interessados
neles, esforçando-vos por ensinar-lhes como usar suas energias com o
maior proveito, a fim de que progridam e sua obra vá avante?
Testimonies, vol. 6, págs. 188 e 189. (BS, 195)
    "Vós sois a luz do mundo", declara Cristo. "Assim
resplandeça a vossa luz diante dos homens, para que vejam as
vossas boas obras e glorifiquem o vosso Pai, que está nos
Céus." Mat. 5:14 e 16. A obra de Deus na Terra, nestes últimos
dias, deve refletir a luz que Cristo trouxe ao mundo. Esta luz deve
dissipar a densa escuridão dos séculos. Homens e mulheres imersos
A p o s t i l a – A L u z d o m u n d o |4

em trevas pagãs devem ser alcançados por aqueles que, uma vez,
se achavam em condições idênticas de ignorância, mas que
receberam o conhecimento da verdade da Palavra de Deus. Essas
nações pagãs aceitarão ansiosamente as instruções que lhes forem
dadas acerca de Deus. (CPPE, 531)
     "Eles vos entregarão aos Sinédrios,... e sereis até conduzidos à
presença dos governadores e dos reis por causa de Mim, para lhes
servir de testemunho a eles e aos gentios." A perseguição difundirá a
luz. Os servos de Cristo serão conduzidos perante os grandes do
mundo, os quais, a não ser assim, talvez nunca ouvissem o evangelho.
A verdade tem sido desfigurada diante desses homens. Têm ouvido
falsas acusações a respeito da fé dos discípulos de Cristo. Muitas
vezes, a única maneira em que podem chegar ao conhecimento de seu
verdadeiro caráter, é o testemunho dos que são levados a julgamento
por causa de sua fé. Sob interrogatório, é-lhes exigido responder, e seus
juízes têm de escutar o testemunho apresentado. A graça de Deus será
concedida a Seus servos, para que possam fazer face à emergência.
"Naquela mesma hora", disse Jesus, "vos será ministrado o que
haveis de dizer. Porque não sois vós quem falará, mas o Espírito
de vosso Pai é que fala em vós." Ao iluminar o Espírito de Deus a
mente de Seus servos, a verdade será apresentada em seu divino
poder e preciosidade. Os que rejeitam a verdade se erguerão para
acusar e oprimir os discípulos. Mas em presença de preconceito e
sofrimento, e mesmo da morte, cumpre aos filhos do Senhor revelar a
mansidão de seu divino Exemplo. Assim se verá o contraste entre os
instrumentos de Satanás e os representantes de Cristo. O Salvador será
erguido perante os governadores e o povo. (DTN, 354)
    Certamente ninguém O convidaria para lá, porque Seu semblante
está assinalado por tristeza maior do que a dos filhos dos homens, por
causa desses divertimentos que tiram Deus da mente e tornam a
estrada atraente para o pecador. Os encantamentos dessas cenas
excitantes pervertem a razão e destroem a reverência pelas coisas
sagradas. Ministros que professam ser representantes de Cristo,
freqüentemente lideram esses divertimentos frívolos. "Vós sois", disse
Cristo, "a luz do mundo. ... Assim resplandeça a vossa luz diante dos
homens, para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem o
vosso Pai, que está nos Céus." Mat. 5:14 e 16. De que maneira a luz
da verdade brilha daquele que é fútil e só busca o prazer? Os
5|   Apostila–A Luz do mundo

professos seguidores de Cristo que cedem ao divertimento e às
festividades não podem ser participantes dos sofrimentos de Cristo. Não
têm nenhum senso dos Seus sofrimentos. Não têm interesse em
meditar sobre desprendimento e sacrifício. Têm pouco interesse em
estudar sobre esses pontos que assinalam a história da vida de Cristo,
sobre os quais repousa o plano da salvação, mas imitam o antigo Israel,
que comeu, bebeu e levantou-se para divertir-se. A fim de copiar
corretamente um modelo, devemos estudar cuidadosamente o seu
desenho. Se realmente devemos vencer como Cristo venceu, devemos
misturar-nos na companhia dos que são santificados e glorificados
diante do trono de Deus. É da mais alta importância que estejamos
familiarizados com a vida de nosso Redentor e que neguemos a nós
mesmos como fez Cristo. Devemos enfrentar as tentações e transpor
obstáculos através de labutas e sofrimentos e, em nome de Jesus,
vencer como Ele venceu. (No Deserto da Tentação, 79 e 80)
    Ao que está em viva comunhão com o Sol da Justiça, sempre
se revelará nova luz sobre a Palavra de Deus. Ninguém deve
chegar à conclusão de que não há mais verdades a serem
reveladas. O que busca a verdade com diligência e oração encontrará
preciosos raios de luz que ainda hão de brilhar da Palavra de Deus.
Ainda se acham dispersas muitas gemas que devem ser reunidas para
tornar-se propriedade do povo remanescente de Deus. Mas a luz não é
conferida simplesmente para fortalecer a igreja, mas para iluminar
os que estão em trevas. O povo de Deus deve anunciar os louvores
dAquele que os chamou das trevas para Sua maravilhosa luz. Cristo
declarou aos discípulos: "Vós sois a luz do mundo" (Mat. 5:14), e a
missão da luz é resplandecer e dissipar as trevas. (CPPE, 531)
    Apresentamos a norma infalível para todos os cristãos. Disse
Cristo: "Vós sois o sal da terra; e, se o sal for insípido, com que se
há de salgar? Para nada mais presta, senão para se lançar fora e
ser pisado pelos homens. Vós sois a luz do mundo; não se pode
esconder uma cidade edificada sobre um monte; nem se acende a
candeia e se coloca debaixo do alqueire, mas, no velador, e dá luz
a todos que estão na casa. Assim resplandeça a vossa luz diante dos
homens, para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem o vosso
Pai, que está nos Céus." Mat. 5:13-16. (No Deserto da Tentação, 81)
A p o s t i l a – A L u z d o m u n d o |6

     Deus tem um povo que não receberá a marca da besta em sua mão
direita ou em sua fronte. Deus tem um lugar para Seu povo preencher
neste mundo, para refletir luz. Sois as sentinelas de Deus. Cristo diz de
Seu povo: "Vós sois a luz do mundo. Não se pode esconder a
cidade edificada sobre um monte." Mat. 5:14. ... Deus fez Sua lei
para todo o Universo. Ele criou o homem, Ele concede as abundantes
provisões da natureza, mantém nossa respiração e vida em Sua mão.
Devemos reconhecê-Lo e honrar Sua lei perante todos os grandes
homens e os poderes terrestres mais elevados. Review and Herald, 15
de abril de 1890. (Este Dia Com Deus, 112)
     "Vós sois a luz do mundo" (Mat. 5:14), disse Jesus aos
discípulos. Quão poucos, porém, estão cônscios de seu próprio
poder e influência; quão poucos reconhecem o que poderiam fazer
para ajudar aos outros e ser-lhes uma bênção. Envolvem seu talento
num lenço e o sepultam na terra, e se jactam de possuir a mais
recomendável humildade. Mas os livros do Céu testificam contra esses
indolentes como sendo servos ociosos e ímpios que estão pecando
gravemente contra Deus, ao negligenciarem o trabalho que Ele lhes
deu. Não terão desculpas para dar, quando os registros celestes se
abrirem, revelando-lhes a evidente negligência. (CSM , 125)
    Cristo disse de Seus discípulos: "Vós sois a luz do mundo."
Mat. 5:14. Nós somos o povo de Deus assim denominado, para
proclamar as verdades de origem celestial. A obra mais solene, mais
sagrada, já entregue aos mortais, é a proclamação da primeira, segunda
e terceira mensagens angélicas ao mundo. Em nossas grandes cidades
deve haver instituições de saúde que cuidem dos enfermos e ensinem os
grandes princípios da reforma de saúde. Carta 146, 1909. (CSRA, 76)
    Consideremos irmãos, este assunto à luz escriturística, e
exerçamos decidida influência no sentido da temperança em todas as
coisas. Maçãs e uvas são dons de Deus; podem ser usadas de maneira
excelente como artigos de alimentação, ou podem ser mal empregadas,
sendo usadas de modo errôneo. Já Deus está praguejando a colheita
das uvas e das maçãs por causa das práticas pecaminosas dos
homens. Estamos diante do mundo como reformadores; não demos
ocasião aos infiéis e incrédulos para censurarem nossa fé. Disse Cristo:
"Vós sois o sal da Terra" (Mat. 5:13), "a luz do mundo." Mat. 5:14.
Mostremos que nosso coração e consciência se acham sob a
7|   Apostila–A Luz do mundo

influência transformadora da graça divina, e que nossa vida é
governada pelos puros princípios da lei de Deus, mesmo que
esses princípios exijam o sacrifício de interesses temporais.
Testimonies, vol. 5, págs. 354-361.
    O Senhor fez ampla provisão para que as graças celestiais sejam
abundantemente supridas a todos, a fim de que a verdade como esta é
em Jesus ocupe o primeiro lugar no coração e preencha sempre o
templo da alma. Então haverá total devoção a Deus, e os verdadeiros
crentes se tornarão pescadores de homens. Orarão por sabedoria e
andarão de acordo com a oração: "Vós sois a luz do mundo." Mat. 5:14.
"Assim brilhe também a vossa luz diante dos homens, para que vejam
as vossas boas obras e glorifiquem a vosso Pai que está nos Céus."
Mat. 5:16. Carta 48, 1897. (MM, CT, 230)
     O contentamento de Cristo em qualquer circunstância
irritava Seus irmãos. Eles não podiam explicar a razão de Sua paz
e serenidade; e nenhuma persuasão da parte deles podia induzi-Lo a
participar de quaisquer planos ou medidas que dessem a impressão
de trivialidade ou de culpa. Em todas essas ocasiões, Ele afastava-
Se deles, afirmando claramente que desviariam a outros e não eram
dignos de ser filhos de Abraão. Teve de dar tal exemplo para que as
criancinhas, os membros mais novos da família do Senhor, nada
pudessem ver em Sua vida ou caráter que justificasse algum mau
ato. Você é muito meticuloso e esquisito, diziam os membros de
Sua própria família. Por que não é como as outras crianças? Mas
isso não era possível, porque Cristo devia ser um sinal e um prodígio
desde a Sua juventude, no que dizia respeito a rigorosa obediência e
integridade. (FEC, 401)
    “Não se importe com os erros que cometeu. Você é apenas uma
aprendiz, e tem de esperar fazer disparates. Experimente de novo.
Concentre-se no que está fazendo. Seja muito cuidadosa e
certamente terá êxito". Testimonies, vol. 1, págs. 684 e 685.
     Deus precisa de obreiros inteligentes, que façam seu trabalho
sem precipitação, mas cuidadosa e cabalmente, sempre
preservando a humildade de Jesus. Os que dedicam meditação e
empenho aos seus mais altos deveres, devem também dedicar
cuidado e atenção aos deveres menores demonstrando exatidão e
diligência. Oh! quanto trabalho é feito negligentemente! Quanta coisa
A p o s t i l a – A L u z d o m u n d o |8

se deixa por terminar, porque há o constante desejo de fazer trabalho
mais importante! A obra é desonrada naquilo que se relaciona com o
serviço de Deus, porque acumulam tanto trabalho diante de si, que
coisa alguma é feita cabalmente. Mas todo o trabalho tem de sofrer o
escrutínio do Juiz de toda a Terra. Os menores deveres relacionados
com a obra do Senhor assumem importância porque são o serviço de
Cristo. Carta 48, 1886. (Evangelismo, 81)
     Algumas pessoas julgam não ser dever religioso preparar
devidamente a comida; daí, não procuram aprender a fazê-lo. Deixam o
pão azedar antes de assá-lo, e o bicarbonato adicionado para remediar
o descuido da cozinheira torna-o totalmente impróprio para o estômago
humano. Requer atenção e cuidado fazer bom pão. Há porém, mais
religião em um bom pão do que muitos pensam. O alimento pode
ser preparado com simplicidade e ser saudável, mas requer perícia
torná-lo saboroso e nutritivo ao mesmo tempo. (CSS, 117)
     Durante esses dias que Cristo passou com os discípulos, eles
adquiriram nova experiência. Ao ouvirem o querido Mestre
explicar-lhes as Escrituras à luz de tudo quanto acontecera, sua fé
foi inteiramente firmada nEle. Chegaram ao ponto em que podiam
declarar: "Eu sei em quem tenho crido." II Tim. 1:12. Começaram a
compreender a natureza e extensão de sua obra e a reconhecer que
deviam proclamar ao mundo as verdades a eles confiadas. Os
acontecimentos da vida de Cristo, Sua morte e ressurreição, as
profecias que apontavam para esses acontecimentos, os mistérios do
plano da salvação, o poder de Jesus para remissão de pecados - de
todas estas coisas haviam eles sido testemunhas e deviam torná-las
conhecidas ao mundo. Deviam proclamar o evangelho de paz e
salvação mediante o arrependimento e o poder do Salvador. (AA, 27)
     O princípio pelo qual os discípulos se mantiveram tão
destemidamente quando, em resposta à ordem de não falarem mais no
nome de Jesus, declararam: "Julgai vós se é justo, diante de Deus,
ouvir-vos antes a vós que a Deus" (Atos 4:19), é o mesmo que os
adeptos do evangelho se esforçaram por manter nos dias da Reforma.
Quando, em 1529, os príncipes alemães se reuniram na dieta de Spira,
foi-lhes apresentado o decreto do imperador, restringindo a liberdade
religiosa, e proibindo toda posterior disseminação das doutrinas
reformadas. Dir-se-ia que a presença do mundo estava prestes a ser
9|   Apostila–A Luz do mundo

esmagada. Aceitariam os príncipes o decreto? Devia a luz do
evangelho, ser vedada às multidões ainda em trevas? Achavam-se
em jogo decisões importantes para o mundo. Os que haviam aceito
a fé reformada reuniram-se, sendo sua unânime decisão:
"Rejeitemos este decreto. Em questões de consciência, a maioria não
influi." - D'Aubigné, História da Reforma, livro 13, cap. 5. (AA, 68)
     À igreja primitiva tinha sido confiada uma obra de constante
ampliação - estabelecer centros de luz e bênção, onde quer que
existissem almas sinceras e dispostas a se dedicarem ao serviço
de Cristo. A proclamação do evangelho devia abranger o mundo, e os
mensageiros da cruz não poderiam esperar cumprir sua importante
missão a menos que permanecessem unidos pelos laços da afinidade
cristã, revelando assim ao mundo que eles eram um com Cristo em
Deus. Não tinha seu divino Guia orado ao Pai: "Guarda em Teu nome
aqueles que Me deste, para que sejam um, assim como Nós"? João
17:11. E não declarara Ele com respeito a Seus discípulos: "O mundo os
aborreceu, porque não são do mundo"? João 17:14. Não pleiteara com
o Pai que eles pudessem ser "perfeitos em unidade" "para que o mundo
creia que Tu Me enviaste"? João 17:23 e 21. Sua vida e poder
espirituais dependiam de íntima relação com Aquele que os havia
comissionado para pregar o evangelho. (AA, 90)
    Este etíope representa uma grande classe que necessita ser
ensinada por missionários como Filipe - homens que ouçam a voz de
Deus, e vão aonde Ele manda. Muitos há que estão lendo as Escrituras
sem compreender-lhes o verdadeiro significado. Em todo o mundo
homens e mulheres olham atentamente para o Céu. De almas
anelantes de luz, de graça, do Espírito Santo, sobem orações,
lágrimas e indagações. Muitos estão no limiar do reino, esperando
somente serem recolhidos. (AA, 109)
    Quando, em meio ao seu erro cego e cego preconceito, Saulo
recebeu uma revelação de Cristo, a quem estava perseguindo, foi
ele colocado em comunicação direta com a igreja, a qual é a luz do
mundo. Neste caso, Ananias representa Cristo, como representa
também os ministros de Cristo sobre a Terra, os quais são indicados
para agir em Seu lugar.. Em (no) lugar de Cristo, Ananias toca os
olhos de Saulo para que este possa receber a vista de Cristo,
coloca suas mãos sobre ele, e enquanto ora em nome de Cristo, Saulo
A p o s t i l a – A L u z d o m u n d o | 10

recebe o Espírito Santo. Tudo é feito no nome e pela autoridade de
Cristo. Cristo é a fonte; a igreja, o canal de comunicação. (AA, 122)
    Ao examinar as Escrituras, Paulo aprendeu que através dos
séculos "não são muitos os sábios segundo a carne, nem muitos
os poderosos, nem muitos os nobres que são chamados. Mas Deus
escolheu as coisas loucas deste mundo para confundir as sábias; e
Deus escolheu as coisas fracas deste mundo para confundir as fortes; e
Deus escolheu as coisas vis deste mundo, e as desprezíveis e as que
não são, para aniquilar as que são; para que nenhuma carne se glorie
perante Ele". I Cor. 1:26-29. E assim, considerando a sabedoria do
mundo à luz que promana da cruz, Paulo se propôs nada "saber... se
não a Jesus Cristo, e Este crucificado". I Cor. 2:2. (AA, 127 e 128)
    Deus chama obreiros humildes e fervorosos, que desejem levar o
evangelho às mais altas classes. Há milagres a serem operados em
conversões genuínas - milagres que não são agora discernidos. Os
maiores homens deste mundo não estão além do poder de um Deus que
opera maravilhas. Se todos os que são Seus coobreiros se dispuserem a
ser homens de oportunidade, cumprindo brava e fielmente o dever, Deus
converterá homens que ocupam posições de responsabilidade, homens
de intelecto e de influência. Pelo poder do Espírito Santo muitos
aceitarão os princípios divinos. Convertidos à verdade, tornar-se-ão
instrumentos na mão de Deus, para comunicar luz. Sentirão especial
responsabilidade por outras almas desta classe negligenciada.
Consagrarão tempo e dinheiro à obra do Senhor, e uma nova eficiência e
poder serão adicionados à igreja. (AA, 140)
    Há em nosso mundo muitos que estão mais próximos do reino de
Deus do que supomos. Neste tenebroso mundo de pecado, o Senhor
tem muitas jóias preciosas a quem Ele guiará Seus mensageiros. Há em
toda parte os que assumirão sua atitude ao lado de Cristo. Muitos
darão mais apreço à sabedoria de Deus do que a qualquer
vantagem terrestre, e se tornarão fiéis portadores de luz. (AA, 140)
     Os que são inclinados a considerar como supremo seu critério
individual, acham-se em grave perigo. É o estudado esforço de Satanás
separar a esses dos que são condutos de luz, e por cujo intermédio
Deus tem operado para edificar e estender Sua obra na Terra.
Negligenciar ou desprezar aqueles que Deus designou para arcar com
as responsabilidades da administração ligadas ao progresso da
11 |   Apostila–A Luz do mundo

verdade, é rejeitar o meio ordenado por Ele para auxílio, animação e
fortalecimento de Seu povo. Passar qualquer obreiro na causa do
Senhor por alto a esses, e pensar que a luz não lhe deve vir por
nenhum outro instrumento mas diretamente de Deus, é assumir
uma atitude em que está sujeito a ser iludido pelo inimigo, e
vencido. Em Sua sabedoria, o Senhor tem designado que, mediante a
íntima relação mantida por todos os crentes, cristão esteja unido a
cristão, igreja a igreja. Assim estará o instrumento humano habilitado a
cooperar com o divino. Todo o agente estará subordinado ao Espírito
Santo, e todos os crentes unidos num esforço organizado e bem dirigido
para dar ao mundo as alegres novas da graça de Deus. (AA, 164)
    Enquanto a luz do evangelho brilhava em Antioquia, uma
importante obra era levada a efeito pelos apóstolos que haviam
permanecido em Jerusalém. Cada ano, por ocasião das festas,
muitos judeus de todas as terras, vinham a Jerusalém para adorar no
templo. Alguns desses peregrinos eram homens de fervente piedade,
e zelosos estudantes das profecias. Suspiravam pelo advento do
prometido Messias, a esperança de Israel. Enquanto Jerusalém
estava cheia desses estrangeiros, os apóstolos pregavam a Cristo
com indômita coragem, embora soubessem que assim procedendo
estariam expondo a vida a constantes perigos. O Espírito de Deus
pôs o selo sobre seus labores; muitos se converteram à fé; e esses,
de volta a seus lares em diferentes partes do mundo, espalhavam as
sementes da verdade através de todas as nações, e entre todas as
classes da sociedade. (AA, 165)
     "Mas Deus, não tendo em conta os tempos da ignorância, anuncia
agora a todos os homens, e em todo o lugar, que se arrependam." Atos
17:28-30. Nos séculos de trevas que precederam o advento de Cristo, o
divino Soberano passou por alto a idolatria dos gentios; mas agora, por
intermédio de Seu Filho, enviara Ele aos homens a luz da verdade; e
esperava de todos o arrependimento para a salvação, não somente
do pobre e humilde, mas também do altivo filósofo e dos príncipes
da Terra. "Porquanto tem determinado um dia em que com justiça há de
julgar o mundo, por meio do Varão que destinou; e disto deu certeza a
todos, ressuscitando-O dos mortos." Como Paulo se referisse à
ressurreição dos mortos, "uns escarneciam, e outros diziam: Acerca
disso te ouviremos outra vez". Atos 17:31 e 32. (AA, 239)
A p o s t i l a – A L u z d o m u n d o | 12

    Em cada esforço para alcançar as mais altas classes, o obreiro de
Deus necessita de forte fé. As aparências podem parecer desoladoras,
mas na hora mais escura há luz do alto. A força dos que amam a Deus
e a Ele servem será renovada cada dia. A mente do infinito está posta a
seu serviço, para que ao executarem Seu propósito não cometam erro.
Mantenham esses obreiros firme até o fim, o princípio de sua
confiança, lembrando-se de que a luz da verdade de Deus deve
brilhar em meio às trevas que envolvem nosso mundo. Não deve
haver nenhum desalento em relação com o trabalho de Deus. A fé
do consagrado obreiro deve resistir a cada prova que o alcance. Deus
pode e está disposto a outorgar a Seus servos toda a fortaleza de que
precisem e a dar-lhes a sabedoria que suas variadas necessidades
imponham. Ele fará mais que cumprir as mais altas expectativas dos
que nEle põem sua confiança. (AA, 242)
     Muitos há no mundo hoje que fecham os olhos às evidências dadas
por Cristo para advertir os homens sobre Sua vinda. Buscam aquietar
toda a apreensão, ao mesmo tempo em que os sinais do fim se
cumprem rapidamente e o mundo se apressa em direção ao tempo em
que o Filho do homem Se revelará nas nuvens do céu. Paulo ensina ser
pecaminoso mostrar-se indiferente aos sinais que devem preceder à
segunda vinda de Cristo. Aos culpados desta negligência chama ele
filhos da noite e das trevas. Ao vigilante e atento anima ele com estas
palavras: "Mas vós, irmãos, já não estais em trevas, para que
aquele dia vos surpreenda como um ladrão. Porque todos vós sois
filhos da luz e filhos do dia; nós não somos da noite nem das trevas.
Não durmamos pois, como os demais, mas vigiemos, e sejamos
sóbrios." I Tess. 5:4-6. (AA, 260)
    Paulo tinha grande desejo de alcançar Jerusalém antes da Páscoa,
para que assim tivesse uma oportunidade de encontrar-se com os que
vinham de todas as partes do mundo para assistir à festa. Acariciava
sempre a esperança de servir, de algum modo, como instrumento
na remoção dos preconceitos de seus patrícios incrédulos, a fim
de que fossem levados a aceitar a preciosa luz do evangelho.
Desejava também ir ter com a igreja de Jerusalém e levar-lhes os
donativos que as igrejas gentílicas enviavam para os irmãos pobres da
Judéia. E por essa visita esperava promover mais firme união entre os
judeus conversos e os conversos gentios. (AA, 389)
13 |   Apostila–A Luz do mundo

    Quando, porém, o coração cede à influência do Espírito de Deus,
a consciência é despertada, e o pecador discerne alguma coisa da
profundeza e santidade da lei de Deus, base de Seu governo no Céu
e na Terra. A "luz verdadeira, que alumia a todo homem que vem
ao mundo" (João 1:9), ilumina também os secretos escaninhos
da alma, e as coisas ocultas das trevas se põem a descoberto. A
convicção se apodera do espírito e da alma. O pecador tem então
uma intuição da justiça de Jeová e experimenta horror ante a idéia de
aparecer, em sua própria culpa e impureza, perante o Perscrutador
dos corações. Vê o amor de Deus, a beleza da santidade, a
exaltação da pureza; anseia por ser purificado e reintegrado na
comunhão do Céu. (CC, 24)
    O Senhor designa que a luz que Ele nos deu sobre as Escrituras
resplandeça com raios claros e brilhantes; e é o dever de nossos
colportores fazer um esforço forte e unido para que o desígnio de Deus
seja cumprido. Uma grande e importante obra está diante de nós. O
inimigo das almas reconhece isto, e está empregando todos os
meios em seu poder para levar o colportor a buscar algum outro
ramo de trabalho. Este estado de coisas deve mudar-se. Deus
chama os colportores a voltar à obra. Ele chama voluntários que
ponham na obra todas as energias e conhecimentos, ajudando
onde quer que haja oportunidade. O Mestre chama a cada um para
fazer a parte que lhe foi dada, segundo sua habilidade. Quem
responderá ao chamado? Quem sairá para trabalhar na sabedoria, na
graça e amor de Cristo pelos que estão perto e longe? Quem quererá
sacrificar a comodidade e o prazer, e entrar nos lugares do erro, da
superstição e das trevas, trabalhando zelosa e perseverantemente,
falando a verdade em simplicidade, orando em fé, fazendo o trabalho de
casa em casa? Quem neste tempo quererá sair fora do arraial, imbuído
do poder do Espírito Santo, levando o injúria por amor de Cristo, abrindo
as Escrituras ao povo e chamando-o ao arrependimento? (Colportor
Evangelista, 13)
    Um dilúvio de luz está irradiando da Palavra de Deus, e é
preciso que haja um despertamento para oportunidades
negligenciadas. Quando todos forem fiéis em devolver a Deus o
que a Ele pertence em dízimos e ofertas, abrir-se-á o caminho para
que o mundo ouça a mensagem para este tempo. Se o coração do
povo de Deus se enchesse do amor de Cristo; se cada membro de
A p o s t i l a – A L u z d o m u n d o | 14

igreja fosse inteiramente imbuído do espírito de sacrifício; se todos
manifestassem completo fervor, não haveria falta de fundos para as
missões nacionais ou estrangeiras. Nossos recursos seriam
multiplicados; mil portas de utilidade se abririam e nós seríamos
convidados a entrar. Tivesse sido o propósito de Deus em dar ao mundo
a mensagem de misericórdia executado por Seu povo, e Cristo já
poderia ter vindo à Terra e os santos já teriam recebido as boas-vindas
na cidade de Deus. Testimonies, vol. 6, pág. 450.
     Enquanto o espírito de crítica e de suspeita não for banido do
coração, o Senhor não pode realizar Seu anelo para a igreja - abrir
o caminho para o estabelecimento de escolas; enquanto não
houver unidade, Ele não moverá aqueles a quem confiou recursos
e aptidões para o progresso dessa obra. Os pais precisam atingir
mais elevada norma, observando o caminho do Senhor e praticando a
justiça, de modo a serem portadores de luz. Importa que haja inteira
transformação de espírito e caráter. O espírito de desunião nutrido no
coração de alguns se comunicará a outros, e anulará a influência que a
escola exerceria para o bem. A menos que os pais estejam prontos e
ansiosos no sentido de cooperar com o professor para salvação de seus
filhos, não se acham preparados para o estabelecimento de uma escola
entre eles. (CSE, 188)
     É necessário um movimento geral, mas este tem de começar
com movimentos individuais. Que em toda igreja os membros de
cada família façam esforços decididos de abnegação e de
promoção do trabalho. Que as crianças desempenhem uma parte.
Que haja cooperação de todos. Façamos nós mesmos o melhor que
pudermos neste tempo para dedicar a Deus nossa oferta, e pôr em
prática Sua vontade específica, criando assim uma ocasião para
testemunho em Seu favor e de Sua verdade num mundo de trevas. A
lâmpada está em nossas mãos. Deixemos que sua luz brilhe com
intensidade. (CSE, 210)
    Mediante a associação com aqueles que não têm fé em Deus, são
imperceptivelmente insinuadas na mente e no coração idéias errôneas da
parte do operador-mestre do engano. Essas constituem a ruína de
muitos. Escolherão vocês a companhia dos irreligiosos e desleais, que se
encontram em aberta transgressão da lei de Deus? Separar-se-ão por
escolha própria daqueles que amam a Deus? Colocar-se-ão tão longe
15 |   Apostila–A Luz do mundo

da luz quanto possível? Esse é o caminho ilusório. Os irmãos nunca se
acharão onde haja luz em demasia, mas ai daqueles que escolherem as
trevas em lugar da luz. Manuscrito 49, 1893. (MM, CT, 41)
    O verdadeiro penitente não afasta da lembrança seus pecados
passados. Não se mostra alheio aos erros que praticou, tão logo haja
alcançado paz. Ele pensa nos que foram levados ao mal por sua
conduta, e procura por todas as formas levá-los de volta ao
verdadeiro caminho. Quanto mais clara a luz em que entrou, mais
forte seu desejo de firmar os pés de outros no caminho reto.
(Profetas e Reis, págs. 76-78)
    Deixai vossa luz brilhar em boas obras. Disse Cristo: "Vós
sois o sal da terra; ora, se o sal vier a ser insípido, como lhe
restaurar o sabor? Para nada mais presta senão para, lançado fora,
ser pisado pelos homens." Mat. 5:13. Temo que haja muitos nessa
condição. Nem todos têm a mesma obra a fazer; circunstâncias e
talentos diferentes qualificam os indivíduos para diferentes tipos de
trabalho na vinha do Senhor. Há alguns que ocupam cargos de mais
responsabilidade do que outros, mas a cada um é designado um
trabalho, e o indivíduo que o executa com fidelidade e zelo, é um fiel
mordomo da graça de Deus. (MM, Cuidado de Deus, 321)

ATENÇÃO!
    As necessidades urgentes que se fazem sentir nesta época,
exige contínua educação na Palavra de Deus. Isto é a verdade
presente. Importa que haja em todo o mundo uma reforma no
estudo da Bíblia, pois ela é agora mais necessária que nunca. À
medida que essa reforma progredir, efetuar-se-á poderosa obra;
quando Deus declarou que Sua Palavra não voltaria para Ele vazia,
queria significar tudo quanto disse. O conhecimento de Deus e de
Jesus Cristo "a quem Ele enviou" (João 5:38), eis a mais alta
educação, e ela cobrirá a Terra com sua maravilhosa luz, assim
como as águas cobrem o mar. (CSE, 117)
    Ao criar Deus o mundo, e as trevas cobrirem a face do abismo,
disse: "Haja luz. E houve luz. E viu Deus que era boa a luz." Gên. 1:3 e
4. Fecharemos nossas casas, delas excluindo a luz a que Deus
chamou boa? The Health Reformer, abril de 1871. (MM, Minha
Comsagração Hoje, 138)
A p o s t i l a – A L u z d o m u n d o | 16

    Fez que "das trevas resplandecesse a luz". II Cor. 4:6. Quando "a
Terra era sem forma e vazia; e havia trevas sobre a face do abismo; e o
Espírito de Deus Se movia sobre a face das águas. E disse Deus: Haja
luz. E houve luz". Gên. 1:2 e 3. Também na noite das trevas
espirituais a Palavra de Deus diz: "Haja luz." A Seu povo, diz Ele:
"Levanta-te, resplandece, porque já vem a tua luz, e a glória do
Senhor vai nascendo sobre ti." Isa. 60:1. (PJ, 415)
     Terminou assim o trabalho do apóstolo em Atenas, o centro da
cultura pagã; pois os atenienses, apegando-se persistentemente a sua
idolatria, viraram as costas à luz da verdadeira religião. Quando um
povo está inteiramente satisfeito com suas próprias realizações,
pouco mais se pode esperar dele. Conquanto presumindo-se de
refinamento e instrução, os atenienses estavam se tornando
constantemente mais corruptos, e mais satisfeitos com os vagos
mistérios da idolatria. (AA, 239)
    Como testemunha de Cristo, João não se empenhou em
controvérsia ou em fastidiosos debates. Declarou o que sabia, o que
tinha visto e ouvido. Havia estado intimamente relacionado com Cristo,
tinha-Lhe ouvido os ensinos, testemunhado Seus poderosos milagres.
Poucos puderam, como João, ver as belezas do caráter de Cristo. Para
ele as trevas tinham passado; brilhava a verdadeira luz. Seu
testemunho com respeito à vida e morte do Salvador era claro e
penetrante. Da abundância que havia no coração brotava o amor pelo
Salvador enquanto ele falava; e poder algum lhe podia impedir as
palavras. (AA, 555)
    Quando a simpatia humana está misturada com o amor e a
benevolência e é santificada pelo Espírito de Jesus, torna-se um
elemento capaz de produzir grande bem. Os que cultivam a
beneficência não estão apenas fazendo uma boa obra em favor de
outros e beneficiando o recebedor da boa ação, mas estão beneficiando
a si mesmos ao abrirem o coração à benéfica influência da verdadeira
beneficência. Cada raio de luz lançado sobre outros será refletido
sobre nosso próprio coração. Cada palavra de bondade e simpatia
proferida aos tristes, cada ação que vise aliviar os oprimidos, e
cada doação para suprir as necessidades de nossos semelhantes,
dados ou feitos para glorificar a Deus, resultará em bênçãos para o
17 |   Apostila–A Luz do mundo

doador. Os que assim trabalham estão obedecendo a uma lei do
Céu e receberão a aprovação de Deus. ... (BS, 304 e 305)
    Quando, porém, o coração cede à influência do Espírito de Deus,
a consciência é despertada, e o pecador discerne alguma coisa da
profundeza e santidade da lei de Deus, base de Seu governo no Céu
e na Terra. A "luz verdadeira, que alumia a todo homem que vem
ao mundo" (João 1:9), ilumina também os secretos escaninhos
da alma, e as coisas ocultas das trevas se põem a descoberto. A
convicção se apodera do espírito e da alma. O pecador tem então
uma intuição da justiça de Jeová e experimenta horror ante a idéia de
aparecer, em sua própria culpa e impureza, perante o Perscrutador
dos corações. Vê o amor de Deus, a beleza da santidade, a
exaltação da pureza; anseia por ser purificado e reintegrado na
comunhão do Céu. (CC, 24)
    A mais elevada educação é o conhecimento experimental do
plano da salvação, adquirido por meio de sincero e diligente
estudo das Escrituras. Essa educação renovará o entendimento e
transformará o caráter, restaurando a imagem de Deus na alma.
Fortalecerá a mente contra as enganosas insinuações do adversário, e
nos habilitará a compreender a voz de Deus. Ensinará o discípulo a
tornar-se um coobreiro de Jesus Cristo, a extinguir a obscuridade moral
que o rodeia e a levar luz e conhecimento aos homens. Ela é a
singeleza da verdadeira piedade - nosso certificado da escola
preparatória da Terra para a escola superior do alto. (CPPE, 11)
    Só com o auxílio daquele Espírito que, no princípio "Se
movia sobre a face das águas" (Gên. 1:2); daquela Palavra pela
qual "todas as coisas foram feitas" (João 1:3); daquela "Luz
verdadeira, que alumia a todo homem que vem ao mundo" (João
1:9), pode ser devidamente interpretado o testemunho da ciência. Só
por essa guia as mais profundas verdades da mesma ciência podem
ser discernidas. Só sob a direção do Onisciente havemos de ser
habilitados, no estudo de Suas obras, a pensar em harmonia com os
Seus pensamentos. (CPPE, 530)
    Em todos os pontos e decisões, perguntem: É este o caminho
do Senhor? Com a Bíblia aberta diante de vocês, consultem uma
razão santificada e uma boa consciência. Seu coração deve ser
movido, sua alma tocada, sua razão e intelecto despertados pelo
A p o s t i l a – A L u z d o m u n d o | 18

Espírito de Deus. Os santos princípios exarados em Sua Palavra trarão
luz à alma. Digo-lhes... nossa verdadeira fonte de sabedoria, virtude e
poder está na cruz do Calvário. Cristo é o Autor e Consumador de nossa
fé. Diz Ele: "Sem Mim nada podeis fazer." João 15:5. Jesus é a única e
segura garantia de êxito e progresso intelectual. (MM, CT, 123)
    Há somente uma religião verdadeira, um único caminho para o
Céu; somente uma luz para iluminar o caminho dos peregrinos que
avançam. Ao prosseguirmos em conhecer o Senhor,
reconheceremos a cada passo que Cristo é a "luz do mundo" (João
8:12), que é "o caminho, e a verdade, e a vida" (João 14:6) e
descobriremos que a vereda que Ele nos exorta a seguir "é como a luz
da aurora, que vai brilhando mais e mais até ser dia perfeito". Prov. 4:18.
(MM, Cuidado de Deus, 308)

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Qual o segredo para...
Qual o segredo para...Qual o segredo para...
Qual o segredo para...
Eduardo Sousa Gomes
 
A excelência de cristo jonathan edwards
A excelência de cristo   jonathan edwardsA excelência de cristo   jonathan edwards
A excelência de cristo jonathan edwards
soarescastrodf
 
As 2 igrejas_na_profecia
As 2 igrejas_na_profeciaAs 2 igrejas_na_profecia
As 2 igrejas_na_profecia
ASD Remanescentes
 
Unidade espiritual - livro
Unidade espiritual - livroUnidade espiritual - livro
Unidade espiritual - livro
Silvio Dutra
 
Aula 02 - Seminário: Sobre o Sermão do Monte
Aula 02 - Seminário: Sobre o Sermão do MonteAula 02 - Seminário: Sobre o Sermão do Monte
Aula 02 - Seminário: Sobre o Sermão do Monte
IBC de Jacarepaguá
 
O Ecumenismo e as Profecias da Bíblia e de Ellen White
O Ecumenismo e as Profecias da Bíblia e de Ellen WhiteO Ecumenismo e as Profecias da Bíblia e de Ellen White
O Ecumenismo e as Profecias da Bíblia e de Ellen White
André Luiz Marques
 
Qual seria a condição da IASD nos ultimos dias segundo Ellen White
Qual seria a condição da IASD nos ultimos dias segundo Ellen WhiteQual seria a condição da IASD nos ultimos dias segundo Ellen White
Qual seria a condição da IASD nos ultimos dias segundo Ellen White
ASD Remanescentes
 
Citações de ellen g. white que o seu pastor não faz a menor questão que você ...
Citações de ellen g. white que o seu pastor não faz a menor questão que você ...Citações de ellen g. white que o seu pastor não faz a menor questão que você ...
Citações de ellen g. white que o seu pastor não faz a menor questão que você ...
ASD Remanescentes
 
O espírito santo em vós
O espírito santo em vósO espírito santo em vós
O espírito santo em vós
Instituto Teológico Gamaliel
 
Tridade misterio revelado 1
Tridade    misterio revelado 1Tridade    misterio revelado 1
Tridade misterio revelado 1
RIBAMAR CANTANHEDE
 
O adventismo ontem e hoje
O adventismo ontem e hojeO adventismo ontem e hoje
O adventismo ontem e hoje
ASD Remanescentes
 
IASD FAZENDO PARTE DA UNIÃO DAS IGREJAS PREVISTA POR ELLEN WHITE
IASD FAZENDO PARTE DA UNIÃO DAS IGREJAS PREVISTA POR ELLEN WHITEIASD FAZENDO PARTE DA UNIÃO DAS IGREJAS PREVISTA POR ELLEN WHITE
IASD FAZENDO PARTE DA UNIÃO DAS IGREJAS PREVISTA POR ELLEN WHITE
ASD Remanescentes
 
Ellen White alerta sobre Mudanças nas Crenças da Igreja Adventista
Ellen White alerta sobre Mudanças nas Crenças da Igreja AdventistaEllen White alerta sobre Mudanças nas Crenças da Igreja Adventista
Ellen White alerta sobre Mudanças nas Crenças da Igreja Adventista
ASD Remanescentes
 
A origem oculta dos símolos na igreja adventista
A origem oculta dos símolos na igreja adventistaA origem oculta dos símolos na igreja adventista
A origem oculta dos símolos na igreja adventista
Eduardo Sousa Gomes
 
❉ Respostas_1112016_O que Pedro disse sobre o grande conflito_GGR
❉ Respostas_1112016_O que Pedro disse sobre o grande conflito_GGR❉ Respostas_1112016_O que Pedro disse sobre o grande conflito_GGR
❉ Respostas_1112016_O que Pedro disse sobre o grande conflito_GGR
Gerson G. Ramos
 
A ceia do senhor — thomas watson
A ceia do senhor — thomas watsonA ceia do senhor — thomas watson
A ceia do senhor — thomas watson
eboobkspurinanos
 
Estudo adicional_O Espírito Santo_332014
Estudo adicional_O Espírito Santo_332014Estudo adicional_O Espírito Santo_332014
Estudo adicional_O Espírito Santo_332014
Gerson G. Ramos
 
Livro o ultimo_dia_-_com_fotos
Livro o ultimo_dia_-_com_fotosLivro o ultimo_dia_-_com_fotos
Livro o ultimo_dia_-_com_fotos
aloisio de carvalho
 
Arquivos Secretos da IASD
Arquivos Secretos da IASDArquivos Secretos da IASD
Arquivos Secretos da IASD
ASD Remanescentes
 
Conselhos sobre mordomia
Conselhos sobre mordomiaConselhos sobre mordomia
Conselhos sobre mordomia
iasdvilaveronica
 

Mais procurados (20)

Qual o segredo para...
Qual o segredo para...Qual o segredo para...
Qual o segredo para...
 
A excelência de cristo jonathan edwards
A excelência de cristo   jonathan edwardsA excelência de cristo   jonathan edwards
A excelência de cristo jonathan edwards
 
As 2 igrejas_na_profecia
As 2 igrejas_na_profeciaAs 2 igrejas_na_profecia
As 2 igrejas_na_profecia
 
Unidade espiritual - livro
Unidade espiritual - livroUnidade espiritual - livro
Unidade espiritual - livro
 
Aula 02 - Seminário: Sobre o Sermão do Monte
Aula 02 - Seminário: Sobre o Sermão do MonteAula 02 - Seminário: Sobre o Sermão do Monte
Aula 02 - Seminário: Sobre o Sermão do Monte
 
O Ecumenismo e as Profecias da Bíblia e de Ellen White
O Ecumenismo e as Profecias da Bíblia e de Ellen WhiteO Ecumenismo e as Profecias da Bíblia e de Ellen White
O Ecumenismo e as Profecias da Bíblia e de Ellen White
 
Qual seria a condição da IASD nos ultimos dias segundo Ellen White
Qual seria a condição da IASD nos ultimos dias segundo Ellen WhiteQual seria a condição da IASD nos ultimos dias segundo Ellen White
Qual seria a condição da IASD nos ultimos dias segundo Ellen White
 
Citações de ellen g. white que o seu pastor não faz a menor questão que você ...
Citações de ellen g. white que o seu pastor não faz a menor questão que você ...Citações de ellen g. white que o seu pastor não faz a menor questão que você ...
Citações de ellen g. white que o seu pastor não faz a menor questão que você ...
 
O espírito santo em vós
O espírito santo em vósO espírito santo em vós
O espírito santo em vós
 
Tridade misterio revelado 1
Tridade    misterio revelado 1Tridade    misterio revelado 1
Tridade misterio revelado 1
 
O adventismo ontem e hoje
O adventismo ontem e hojeO adventismo ontem e hoje
O adventismo ontem e hoje
 
IASD FAZENDO PARTE DA UNIÃO DAS IGREJAS PREVISTA POR ELLEN WHITE
IASD FAZENDO PARTE DA UNIÃO DAS IGREJAS PREVISTA POR ELLEN WHITEIASD FAZENDO PARTE DA UNIÃO DAS IGREJAS PREVISTA POR ELLEN WHITE
IASD FAZENDO PARTE DA UNIÃO DAS IGREJAS PREVISTA POR ELLEN WHITE
 
Ellen White alerta sobre Mudanças nas Crenças da Igreja Adventista
Ellen White alerta sobre Mudanças nas Crenças da Igreja AdventistaEllen White alerta sobre Mudanças nas Crenças da Igreja Adventista
Ellen White alerta sobre Mudanças nas Crenças da Igreja Adventista
 
A origem oculta dos símolos na igreja adventista
A origem oculta dos símolos na igreja adventistaA origem oculta dos símolos na igreja adventista
A origem oculta dos símolos na igreja adventista
 
❉ Respostas_1112016_O que Pedro disse sobre o grande conflito_GGR
❉ Respostas_1112016_O que Pedro disse sobre o grande conflito_GGR❉ Respostas_1112016_O que Pedro disse sobre o grande conflito_GGR
❉ Respostas_1112016_O que Pedro disse sobre o grande conflito_GGR
 
A ceia do senhor — thomas watson
A ceia do senhor — thomas watsonA ceia do senhor — thomas watson
A ceia do senhor — thomas watson
 
Estudo adicional_O Espírito Santo_332014
Estudo adicional_O Espírito Santo_332014Estudo adicional_O Espírito Santo_332014
Estudo adicional_O Espírito Santo_332014
 
Livro o ultimo_dia_-_com_fotos
Livro o ultimo_dia_-_com_fotosLivro o ultimo_dia_-_com_fotos
Livro o ultimo_dia_-_com_fotos
 
Arquivos Secretos da IASD
Arquivos Secretos da IASDArquivos Secretos da IASD
Arquivos Secretos da IASD
 
Conselhos sobre mordomia
Conselhos sobre mordomiaConselhos sobre mordomia
Conselhos sobre mordomia
 

Destaque

Transmissão e geração de conhecimento na energia
Transmissão e geração de conhecimento na energiaTransmissão e geração de conhecimento na energia
Transmissão e geração de conhecimento na energia
Fernando Luiz Goldman
 
Base de datos
Base de datosBase de datos
Base de datos
manuel
 
20339855 manual-de-regulacao-medica-de-urgencia
20339855 manual-de-regulacao-medica-de-urgencia20339855 manual-de-regulacao-medica-de-urgencia
20339855 manual-de-regulacao-medica-de-urgencia
Miguel Martinez Almoyna
 
Social Media: Now What Do I Do?
Social Media: Now What Do I Do?Social Media: Now What Do I Do?
Social Media: Now What Do I Do?
Lisa Salazar
 
Pregnancy Breastfeeding Nutrition
Pregnancy Breastfeeding NutritionPregnancy Breastfeeding Nutrition
Pregnancy Breastfeeding Nutrition
Shannon Felmey
 
Bullying - Part I
Bullying - Part IBullying - Part I
Bullying - Part I
JennyB0521
 
Unit 3 U S
Unit 3 U SUnit 3 U S
Unit 3 U S
grieffel
 
Coletânia de dinâmicas - André Felipe
Coletânia de dinâmicas  - André FelipeColetânia de dinâmicas  - André Felipe
Coletânia de dinâmicas - André Felipe
andrefelipees
 
Philips 14 pt3131 78r chasis l03.1l_aa
Philips 14 pt3131   78r chasis l03.1l_aaPhilips 14 pt3131   78r chasis l03.1l_aa
Philips 14 pt3131 78r chasis l03.1l_aa
Gustavo Tovar
 
Practice based evidence history, methods and evaluation of the applicability ...
Practice based evidence history, methods and evaluation of the applicability ...Practice based evidence history, methods and evaluation of the applicability ...
Practice based evidence history, methods and evaluation of the applicability ...
Scott Miller
 
Hébreux11
Hébreux11Hébreux11
Hébreux11
Karis Balôck
 
Introduccion a word
Introduccion a wordIntroduccion a word
How Can We Fund Healthcare and Other Human Needs?
How Can We Fund Healthcare and Other Human Needs?How Can We Fund Healthcare and Other Human Needs?
How Can We Fund Healthcare and Other Human Needs?
Citizen Action of NY
 
Examen1999 2
Examen1999 2Examen1999 2
The Undereducated American
The Undereducated AmericanThe Undereducated American
The Undereducated American
Econ Matters
 
Putting Parents to Work for your Retention Office
Putting Parents to Work for your Retention OfficePutting Parents to Work for your Retention Office
Putting Parents to Work for your Retention Office
Debbie Ohl
 
Programa gobierno richard_aguilar
Programa gobierno richard_aguilarPrograma gobierno richard_aguilar
Programa gobierno richard_aguilar
Hernando Medina
 
Retroalimentación victor solorio
Retroalimentación victor solorioRetroalimentación victor solorio
Retroalimentación victor solorio
VicSol
 
New presentation
New presentationNew presentation
New presentation
Manhigut Yehudit
 
Chile
ChileChile

Destaque (20)

Transmissão e geração de conhecimento na energia
Transmissão e geração de conhecimento na energiaTransmissão e geração de conhecimento na energia
Transmissão e geração de conhecimento na energia
 
Base de datos
Base de datosBase de datos
Base de datos
 
20339855 manual-de-regulacao-medica-de-urgencia
20339855 manual-de-regulacao-medica-de-urgencia20339855 manual-de-regulacao-medica-de-urgencia
20339855 manual-de-regulacao-medica-de-urgencia
 
Social Media: Now What Do I Do?
Social Media: Now What Do I Do?Social Media: Now What Do I Do?
Social Media: Now What Do I Do?
 
Pregnancy Breastfeeding Nutrition
Pregnancy Breastfeeding NutritionPregnancy Breastfeeding Nutrition
Pregnancy Breastfeeding Nutrition
 
Bullying - Part I
Bullying - Part IBullying - Part I
Bullying - Part I
 
Unit 3 U S
Unit 3 U SUnit 3 U S
Unit 3 U S
 
Coletânia de dinâmicas - André Felipe
Coletânia de dinâmicas  - André FelipeColetânia de dinâmicas  - André Felipe
Coletânia de dinâmicas - André Felipe
 
Philips 14 pt3131 78r chasis l03.1l_aa
Philips 14 pt3131   78r chasis l03.1l_aaPhilips 14 pt3131   78r chasis l03.1l_aa
Philips 14 pt3131 78r chasis l03.1l_aa
 
Practice based evidence history, methods and evaluation of the applicability ...
Practice based evidence history, methods and evaluation of the applicability ...Practice based evidence history, methods and evaluation of the applicability ...
Practice based evidence history, methods and evaluation of the applicability ...
 
Hébreux11
Hébreux11Hébreux11
Hébreux11
 
Introduccion a word
Introduccion a wordIntroduccion a word
Introduccion a word
 
How Can We Fund Healthcare and Other Human Needs?
How Can We Fund Healthcare and Other Human Needs?How Can We Fund Healthcare and Other Human Needs?
How Can We Fund Healthcare and Other Human Needs?
 
Examen1999 2
Examen1999 2Examen1999 2
Examen1999 2
 
The Undereducated American
The Undereducated AmericanThe Undereducated American
The Undereducated American
 
Putting Parents to Work for your Retention Office
Putting Parents to Work for your Retention OfficePutting Parents to Work for your Retention Office
Putting Parents to Work for your Retention Office
 
Programa gobierno richard_aguilar
Programa gobierno richard_aguilarPrograma gobierno richard_aguilar
Programa gobierno richard_aguilar
 
Retroalimentación victor solorio
Retroalimentación victor solorioRetroalimentación victor solorio
Retroalimentación victor solorio
 
New presentation
New presentationNew presentation
New presentation
 
Chile
ChileChile
Chile
 

Semelhante a 45. a luz do mundo

A razão da existência do adventismo
A razão da existência do adventismoA razão da existência do adventismo
A razão da existência do adventismo
Eduardo Sousa Gomes
 
16. como aceita nosso trabalho
16. como aceita nosso trabalho16. como aceita nosso trabalho
16. como aceita nosso trabalho
pohlos
 
12. como entender o cronograma profetico
12. como entender  o cronograma profetico12. como entender  o cronograma profetico
12. como entender o cronograma profetico
pohlos
 
O Filho_232014_GGR
O Filho_232014_GGRO Filho_232014_GGR
O Filho_232014_GGR
Gerson G. Ramos
 
29. preparação do povo de deus
29. preparação do povo de deus29. preparação do povo de deus
29. preparação do povo de deus
pohlos
 
34. apocalipse 1
34. apocalipse 134. apocalipse 1
34. apocalipse 1
pohlos
 
Reavivamento e seus resultados
Reavivamento e seus resultadosReavivamento e seus resultados
Reavivamento e seus resultados
iasdvilaveronica
 
50. enigmas da bíblia
50. enigmas da bíblia50. enigmas da bíblia
50. enigmas da bíblia
pohlos
 
09. como deus trabalha
09. como deus trabalha09. como deus trabalha
09. como deus trabalha
pohlos
 
Conversões desejadas spurgeon
Conversões desejadas   spurgeonConversões desejadas   spurgeon
Conversões desejadas spurgeon
Silvio Dutra
 
13. o chamado de um povo
13. o chamado de um povo13. o chamado de um povo
13. o chamado de um povo
pohlos
 
Leigos
LeigosLeigos
Testemunho e serviço: o fruto do reavivamento_Lição_original com textos_332013
Testemunho e serviço: o fruto do reavivamento_Lição_original com textos_332013Testemunho e serviço: o fruto do reavivamento_Lição_original com textos_332013
Testemunho e serviço: o fruto do reavivamento_Lição_original com textos_332013
Gerson G. Ramos
 
Parábolas de jesus
Parábolas de jesusParábolas de jesus
Parábolas de jesus
iasdvilaveronica
 
Reino de deus
Reino de deusReino de deus
Reino de deus
Joao Rumpel
 
A divindade nos testemunhos
A divindade nos testemunhosA divindade nos testemunhos
A divindade nos testemunhos
Cristian Gonçalves
 
Fundamentos da Fé - Espírito de Profecia
Fundamentos da Fé - Espírito de ProfeciaFundamentos da Fé - Espírito de Profecia
Fundamentos da Fé - Espírito de Profecia
Projeto Preparar um Povo
 
Fundamentos
FundamentosFundamentos
Fundamentos
Eduardo Sousa Gomes
 
Colportor evangelista
Colportor evangelistaColportor evangelista
Colportor evangelista
iasdvilaveronica
 
Serviço Cristão (SC)
Serviço Cristão (SC)Serviço Cristão (SC)
Serviço Cristão (SC)
Gérson Fagundes da Cunha
 

Semelhante a 45. a luz do mundo (20)

A razão da existência do adventismo
A razão da existência do adventismoA razão da existência do adventismo
A razão da existência do adventismo
 
16. como aceita nosso trabalho
16. como aceita nosso trabalho16. como aceita nosso trabalho
16. como aceita nosso trabalho
 
12. como entender o cronograma profetico
12. como entender  o cronograma profetico12. como entender  o cronograma profetico
12. como entender o cronograma profetico
 
O Filho_232014_GGR
O Filho_232014_GGRO Filho_232014_GGR
O Filho_232014_GGR
 
29. preparação do povo de deus
29. preparação do povo de deus29. preparação do povo de deus
29. preparação do povo de deus
 
34. apocalipse 1
34. apocalipse 134. apocalipse 1
34. apocalipse 1
 
Reavivamento e seus resultados
Reavivamento e seus resultadosReavivamento e seus resultados
Reavivamento e seus resultados
 
50. enigmas da bíblia
50. enigmas da bíblia50. enigmas da bíblia
50. enigmas da bíblia
 
09. como deus trabalha
09. como deus trabalha09. como deus trabalha
09. como deus trabalha
 
Conversões desejadas spurgeon
Conversões desejadas   spurgeonConversões desejadas   spurgeon
Conversões desejadas spurgeon
 
13. o chamado de um povo
13. o chamado de um povo13. o chamado de um povo
13. o chamado de um povo
 
Leigos
LeigosLeigos
Leigos
 
Testemunho e serviço: o fruto do reavivamento_Lição_original com textos_332013
Testemunho e serviço: o fruto do reavivamento_Lição_original com textos_332013Testemunho e serviço: o fruto do reavivamento_Lição_original com textos_332013
Testemunho e serviço: o fruto do reavivamento_Lição_original com textos_332013
 
Parábolas de jesus
Parábolas de jesusParábolas de jesus
Parábolas de jesus
 
Reino de deus
Reino de deusReino de deus
Reino de deus
 
A divindade nos testemunhos
A divindade nos testemunhosA divindade nos testemunhos
A divindade nos testemunhos
 
Fundamentos da Fé - Espírito de Profecia
Fundamentos da Fé - Espírito de ProfeciaFundamentos da Fé - Espírito de Profecia
Fundamentos da Fé - Espírito de Profecia
 
Fundamentos
FundamentosFundamentos
Fundamentos
 
Colportor evangelista
Colportor evangelistaColportor evangelista
Colportor evangelista
 
Serviço Cristão (SC)
Serviço Cristão (SC)Serviço Cristão (SC)
Serviço Cristão (SC)
 

Mais de pohlos

56 pão temporal
56   pão temporal56   pão temporal
56 pão temporal
pohlos
 
55. a norma mais alta
55. a norma mais alta55. a norma mais alta
55. a norma mais alta
pohlos
 
54. o poder das trevas
54. o poder das trevas54. o poder das trevas
54. o poder das trevas
pohlos
 
53. vans suspeitas
53. vans suspeitas53. vans suspeitas
53. vans suspeitas
pohlos
 
52. o que é religião
52. o que é religião52. o que é religião
52. o que é religião
pohlos
 
51. devemos amar uns aos outros
51. devemos amar uns aos outros51. devemos amar uns aos outros
51. devemos amar uns aos outros
pohlos
 
49. o ômega e o alfa
49. o ômega e o alfa49. o ômega e o alfa
49. o ômega e o alfa
pohlos
 
48. o amor à comodidade
48. o amor à comodidade48. o amor à comodidade
48. o amor à comodidade
pohlos
 
47. a obrar do pastor
47. a obrar do pastor47. a obrar do pastor
47. a obrar do pastor
pohlos
 
46. árvore de fruto
46. árvore de fruto46. árvore de fruto
46. árvore de fruto
pohlos
 
44. linguagem
44. linguagem44. linguagem
44. linguagem
pohlos
 
43. o selamento dos 144 mil
43. o selamento dos 144 mil43. o selamento dos 144 mil
43. o selamento dos 144 mil
pohlos
 
42. a oração
42. a oração42. a oração
42. a oração
pohlos
 
41. estudo independente
41. estudo independente41. estudo independente
41. estudo independente
pohlos
 
40. trono
40. trono40. trono
40. trono
pohlos
 
38. abismo
38. abismo38. abismo
38. abismo
pohlos
 
37. verduras
37. verduras37. verduras
37. verduras
pohlos
 
36. o reino da graça
36. o reino da graça36. o reino da graça
36. o reino da graça
pohlos
 
35. senhor justiça nossa
35. senhor justiça nossa35. senhor justiça nossa
35. senhor justiça nossa
pohlos
 
33. amai vos uns aos outros
33. amai vos uns aos outros33. amai vos uns aos outros
33. amai vos uns aos outros
pohlos
 

Mais de pohlos (20)

56 pão temporal
56   pão temporal56   pão temporal
56 pão temporal
 
55. a norma mais alta
55. a norma mais alta55. a norma mais alta
55. a norma mais alta
 
54. o poder das trevas
54. o poder das trevas54. o poder das trevas
54. o poder das trevas
 
53. vans suspeitas
53. vans suspeitas53. vans suspeitas
53. vans suspeitas
 
52. o que é religião
52. o que é religião52. o que é religião
52. o que é religião
 
51. devemos amar uns aos outros
51. devemos amar uns aos outros51. devemos amar uns aos outros
51. devemos amar uns aos outros
 
49. o ômega e o alfa
49. o ômega e o alfa49. o ômega e o alfa
49. o ômega e o alfa
 
48. o amor à comodidade
48. o amor à comodidade48. o amor à comodidade
48. o amor à comodidade
 
47. a obrar do pastor
47. a obrar do pastor47. a obrar do pastor
47. a obrar do pastor
 
46. árvore de fruto
46. árvore de fruto46. árvore de fruto
46. árvore de fruto
 
44. linguagem
44. linguagem44. linguagem
44. linguagem
 
43. o selamento dos 144 mil
43. o selamento dos 144 mil43. o selamento dos 144 mil
43. o selamento dos 144 mil
 
42. a oração
42. a oração42. a oração
42. a oração
 
41. estudo independente
41. estudo independente41. estudo independente
41. estudo independente
 
40. trono
40. trono40. trono
40. trono
 
38. abismo
38. abismo38. abismo
38. abismo
 
37. verduras
37. verduras37. verduras
37. verduras
 
36. o reino da graça
36. o reino da graça36. o reino da graça
36. o reino da graça
 
35. senhor justiça nossa
35. senhor justiça nossa35. senhor justiça nossa
35. senhor justiça nossa
 
33. amai vos uns aos outros
33. amai vos uns aos outros33. amai vos uns aos outros
33. amai vos uns aos outros
 

Último

Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptxLição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Celso Napoleon
 
a futura religião da nova ordem mundial.
a  futura religião da nova ordem mundial.a  futura religião da nova ordem mundial.
a futura religião da nova ordem mundial.
REFORMADOR PROTESTANTE
 
Estudo Biblico deuteronomio PowerPoint.pdf
Estudo Biblico deuteronomio PowerPoint.pdfEstudo Biblico deuteronomio PowerPoint.pdf
Estudo Biblico deuteronomio PowerPoint.pdf
JaquelineSantosBasto
 
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptxLição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
JaquelineSantosBasto
 
Salmo 91
Salmo 91Salmo 91
Salmo 91
Nilson Almeida
 
A Abóbada Celeste No Rito Adonhiramita.pdf
A Abóbada Celeste No Rito Adonhiramita.pdfA Abóbada Celeste No Rito Adonhiramita.pdf
A Abóbada Celeste No Rito Adonhiramita.pdf
claudiovieira83
 
ORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.doc
ORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.docORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.doc
ORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.doc
Oziete SS
 
O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.
O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.
O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.
REFORMADOR PROTESTANTE
 
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Nilson Almeida
 
Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)
Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)
Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)
Elton Zanoni
 
Jesuítas Os Terroristas Secretos. Livro pdf pdf
Jesuítas Os Terroristas Secretos. Livro pdf pdfJesuítas Os Terroristas Secretos. Livro pdf pdf
Jesuítas Os Terroristas Secretos. Livro pdf pdf
REFORMADOR PROTESTANTE
 
A VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livro
A VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livroA VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livro
A VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livro
GABRIELADIASDUTRA1
 
Festa das Primícias - Igreja Adventista do Sétimo Dia
Festa das Primícias - Igreja Adventista do Sétimo DiaFesta das Primícias - Igreja Adventista do Sétimo Dia
Festa das Primícias - Igreja Adventista do Sétimo Dia
André Luiz Marques
 
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptxLição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Celso Napoleon
 
SEGREDOS DO APOCALIPSE - o apocalipse através de olhos hebraicos
SEGREDOS DO APOCALIPSE - o apocalipse através de olhos hebraicosSEGREDOS DO APOCALIPSE - o apocalipse através de olhos hebraicos
SEGREDOS DO APOCALIPSE - o apocalipse através de olhos hebraicos
REFORMADOR PROTESTANTE
 

Último (15)

Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptxLição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
 
a futura religião da nova ordem mundial.
a  futura religião da nova ordem mundial.a  futura religião da nova ordem mundial.
a futura religião da nova ordem mundial.
 
Estudo Biblico deuteronomio PowerPoint.pdf
Estudo Biblico deuteronomio PowerPoint.pdfEstudo Biblico deuteronomio PowerPoint.pdf
Estudo Biblico deuteronomio PowerPoint.pdf
 
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptxLição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
 
Salmo 91
Salmo 91Salmo 91
Salmo 91
 
A Abóbada Celeste No Rito Adonhiramita.pdf
A Abóbada Celeste No Rito Adonhiramita.pdfA Abóbada Celeste No Rito Adonhiramita.pdf
A Abóbada Celeste No Rito Adonhiramita.pdf
 
ORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.doc
ORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.docORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.doc
ORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.doc
 
O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.
O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.
O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.
 
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
 
Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)
Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)
Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)
 
Jesuítas Os Terroristas Secretos. Livro pdf pdf
Jesuítas Os Terroristas Secretos. Livro pdf pdfJesuítas Os Terroristas Secretos. Livro pdf pdf
Jesuítas Os Terroristas Secretos. Livro pdf pdf
 
A VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livro
A VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livroA VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livro
A VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livro
 
Festa das Primícias - Igreja Adventista do Sétimo Dia
Festa das Primícias - Igreja Adventista do Sétimo DiaFesta das Primícias - Igreja Adventista do Sétimo Dia
Festa das Primícias - Igreja Adventista do Sétimo Dia
 
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptxLição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
 
SEGREDOS DO APOCALIPSE - o apocalipse através de olhos hebraicos
SEGREDOS DO APOCALIPSE - o apocalipse através de olhos hebraicosSEGREDOS DO APOCALIPSE - o apocalipse através de olhos hebraicos
SEGREDOS DO APOCALIPSE - o apocalipse através de olhos hebraicos
 

45. a luz do mundo

  • 1.
  • 2. 1| Apostila–A Luz do mundo A LUZ DO MUNDO Todo obstáculo para a redenção do povo de Deus deve ser removido pelo abrir da Palavra de Deus e a apresentação de um claro. "Assim diz o Senhor." A verdadeira luz deve brilhar, pois trevas cobrem a Terra e densa escuridão os povos. A verdade do Deus vivente deve aparecer em contraste com o erro. Proclamai as boas novas: Temos um Salvador que deu Sua vida para que todos que nEle crêem não pereçam, mas tenham a vida eterna. (MM, Cuidado de Deus, 310) As necessidades urgentes que se fazem sentir nesta época, exige contínua educação na Palavra de Deus. Isto é a verdade presente. Importa que haja em todo o mundo uma reforma no estudo da Bíblia, pois ela é agora mais necessária que nunca. À medida que essa reforma progredir, efetuar-se-á poderosa obra; quando Deus declarou que Sua Palavra não voltaria para Ele vazia, queria significar tudo quanto disse. O conhecimento de Deus e de Jesus Cristo "a quem Ele enviou", eis a mais alta educação, e ela cobrirá a Terra com sua maravilhosa luz, assim como as águas cobrem o mar. (II TS, 412) O grande juízo já sendo levado acabo, desde algum tempo. Agora o Senhor diz: Mede o templo e os que o adoram. Quando estiverdes fazendo as vossas obrigações materiais, lembrais que estais sendo medidos. Quando estiverdes em conversação lembrais que Deus está vos medindo. Em vosso lazer lembrais que Deus está vos medindo. Lembrem que vossas palavras e ações estão sendo fotografadas nos livros dos céus, assim como o artista reproduz o rosto no quadro. Está é a obra que esta sendo levada a cabo: medir o templo e os que adoram nele, para ver quem permanece firme no último dia. Os que permanecerem firmes terão uma cômoda entrada no reino de Nosso Senhor Jesus Cristo. Quando estivermos fazendo nossa obra, lembraremos que há Um que está observando o espírito com que estamos fazendo. Não faremos com que o Senhor nos acompanhe em nossa vida cotidiana, em nossa obra secular, e em nossos
  • 3. A p o s t i l a – A L u z d o m u n d o |2 deveres domésticos? Então devemos abandonar em nome de Deus tudo que não é necessário, todas as murmurações e visitas inúteis, e permanecermos como servos do Deus vivente. (MS 4, 1888) 1 João 3 3 E qualquer que nele tem esta esperança purifica-se a si mesmo, como também ele é puro. Filipenses 2 12 De sorte que, meus amados, assim como sempre obedecestes, não só na minha presença, mas muito mais agora na minha ausência, assim também operai a vossa salvação com temor e tremor; 13 Porque Deus é o que opera em vós tanto o querer como o efetuar, segundo a sua boa vontade. 14 Fazei todas as coisas sem murmurações nem contendas; 15 Para que sejais irrepreensíveis e sinceros, filhos de Deus inculpáveis, no meio de uma geração corrompida e perversa, entre a qual resplandeceis como astros no mundo; O pouco tempo exige uma energia como não foi despertada entre os que professam crer na verdade presente. Há necessidade de religião individual, de arrependimento, de fé e amor. Oro para que haja um despertamento geral entre nós como um povo. Na força que Cristo comunica, devemos ser capazes de ensinar outros também a lutarem com aquelas paixões que a luz do Céu lhes indica que devem ser mortificadas. Que haja constante vigilância e oração incansável em favor da assistência do Espírito Santo, e valhamo- nos de todo auxílio e toda luz que Deus nos concedeu. (CSS, 506) Cristo disse: "Vós sois a luz do mundo." Mat. 5:14. Ele confiou talentos à nossa guarda. O que estamos fazendo com os dons confiados? Estamos deixando nossa luz brilhar, utilizando-os para a Sua glória e para o bem do nosso próximo, ou os estamos usando para favorecer os nossos próprios interesses egoístas? Muitos os estão utilizando de modo interesseiro. Eles não parecem perceber que todos nos encaminhamos para o juízo, e brevemente teremos de prestar contas pelo uso que fizemos das oportunidades que Deus nos concedeu para fazer o bem. Mas que desculpa darão eles
  • 4. 3| Apostila–A Luz do mundo naquele grande dia por não terem usado na causa de Deus seu talento, educação, tato, perseverança e zelo? (MM, Cuidado de Deus, 331) Aqueles que deviam ter sido a luz do mundo têm projetado apenas raios pálidos e fracos. Que é luz? É piedade, bondade, verdade, misericórdia, amor; é a revelação da verdade no caráter e na vida. O evangelho, com o seu explosivo poder, depende da piedade pessoal de seus crentes, e Deus proveu, pela morte de Seu amado Filho, os meios para que cada alma esteja perfeitamente preparada para toda boa obra. Review and Herald, 24 de março de 1891. (BS, 36) A igreja é o instrumento apontado por Deus para a salvação dos homens. Foi organizada para servir, e sua missão é levar o evangelho ao mundo. Desde o princípio tem sido plano de Deus que através de Sua igreja seja refletida para o mundo Sua plenitude e suficiência. Aos membros da igreja, a quem Ele chamou das trevas para Sua maravilhosa luz, compete manifestar Sua glória. A igreja é a depositária das riquezas da graça de Cristo; e pela igreja será a seu tempo manifesta, mesmo aos "principados e potestades nos Céus" (Efés. 3:10), a final e ampla demonstração do amor de Deus. (AA, pag, 9) Jó 18: 18; Isa 26: 18; Mat 5: 14; Luc 16: 8; João 1: 9; 3: 19; 3: 21; 9: 5; 11: 9; 12: 46; 16: 21. II Cor 4: 6; Gen 1: 3; Ef, 4: 8; 4: 24; Gen 1: 26; Mat 6: 22, 23; Ef. 5: 3-14. Os talentos por Deus confiados não devem ser escondidos debaixo do alqueire ou da cama. "Vós sois a luz do mundo", disse Cristo em Mateus 5:14. Ao verdes famílias morando em barracos, com escasso mobiliário e roupas, sem utensílios, sem livros ou outros indicativos de refinamento em seus lares, mostrar-vos-eis interessados neles, esforçando-vos por ensinar-lhes como usar suas energias com o maior proveito, a fim de que progridam e sua obra vá avante? Testimonies, vol. 6, págs. 188 e 189. (BS, 195) "Vós sois a luz do mundo", declara Cristo. "Assim resplandeça a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem o vosso Pai, que está nos Céus." Mat. 5:14 e 16. A obra de Deus na Terra, nestes últimos dias, deve refletir a luz que Cristo trouxe ao mundo. Esta luz deve dissipar a densa escuridão dos séculos. Homens e mulheres imersos
  • 5. A p o s t i l a – A L u z d o m u n d o |4 em trevas pagãs devem ser alcançados por aqueles que, uma vez, se achavam em condições idênticas de ignorância, mas que receberam o conhecimento da verdade da Palavra de Deus. Essas nações pagãs aceitarão ansiosamente as instruções que lhes forem dadas acerca de Deus. (CPPE, 531) "Eles vos entregarão aos Sinédrios,... e sereis até conduzidos à presença dos governadores e dos reis por causa de Mim, para lhes servir de testemunho a eles e aos gentios." A perseguição difundirá a luz. Os servos de Cristo serão conduzidos perante os grandes do mundo, os quais, a não ser assim, talvez nunca ouvissem o evangelho. A verdade tem sido desfigurada diante desses homens. Têm ouvido falsas acusações a respeito da fé dos discípulos de Cristo. Muitas vezes, a única maneira em que podem chegar ao conhecimento de seu verdadeiro caráter, é o testemunho dos que são levados a julgamento por causa de sua fé. Sob interrogatório, é-lhes exigido responder, e seus juízes têm de escutar o testemunho apresentado. A graça de Deus será concedida a Seus servos, para que possam fazer face à emergência. "Naquela mesma hora", disse Jesus, "vos será ministrado o que haveis de dizer. Porque não sois vós quem falará, mas o Espírito de vosso Pai é que fala em vós." Ao iluminar o Espírito de Deus a mente de Seus servos, a verdade será apresentada em seu divino poder e preciosidade. Os que rejeitam a verdade se erguerão para acusar e oprimir os discípulos. Mas em presença de preconceito e sofrimento, e mesmo da morte, cumpre aos filhos do Senhor revelar a mansidão de seu divino Exemplo. Assim se verá o contraste entre os instrumentos de Satanás e os representantes de Cristo. O Salvador será erguido perante os governadores e o povo. (DTN, 354) Certamente ninguém O convidaria para lá, porque Seu semblante está assinalado por tristeza maior do que a dos filhos dos homens, por causa desses divertimentos que tiram Deus da mente e tornam a estrada atraente para o pecador. Os encantamentos dessas cenas excitantes pervertem a razão e destroem a reverência pelas coisas sagradas. Ministros que professam ser representantes de Cristo, freqüentemente lideram esses divertimentos frívolos. "Vós sois", disse Cristo, "a luz do mundo. ... Assim resplandeça a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem o vosso Pai, que está nos Céus." Mat. 5:14 e 16. De que maneira a luz da verdade brilha daquele que é fútil e só busca o prazer? Os
  • 6. 5| Apostila–A Luz do mundo professos seguidores de Cristo que cedem ao divertimento e às festividades não podem ser participantes dos sofrimentos de Cristo. Não têm nenhum senso dos Seus sofrimentos. Não têm interesse em meditar sobre desprendimento e sacrifício. Têm pouco interesse em estudar sobre esses pontos que assinalam a história da vida de Cristo, sobre os quais repousa o plano da salvação, mas imitam o antigo Israel, que comeu, bebeu e levantou-se para divertir-se. A fim de copiar corretamente um modelo, devemos estudar cuidadosamente o seu desenho. Se realmente devemos vencer como Cristo venceu, devemos misturar-nos na companhia dos que são santificados e glorificados diante do trono de Deus. É da mais alta importância que estejamos familiarizados com a vida de nosso Redentor e que neguemos a nós mesmos como fez Cristo. Devemos enfrentar as tentações e transpor obstáculos através de labutas e sofrimentos e, em nome de Jesus, vencer como Ele venceu. (No Deserto da Tentação, 79 e 80) Ao que está em viva comunhão com o Sol da Justiça, sempre se revelará nova luz sobre a Palavra de Deus. Ninguém deve chegar à conclusão de que não há mais verdades a serem reveladas. O que busca a verdade com diligência e oração encontrará preciosos raios de luz que ainda hão de brilhar da Palavra de Deus. Ainda se acham dispersas muitas gemas que devem ser reunidas para tornar-se propriedade do povo remanescente de Deus. Mas a luz não é conferida simplesmente para fortalecer a igreja, mas para iluminar os que estão em trevas. O povo de Deus deve anunciar os louvores dAquele que os chamou das trevas para Sua maravilhosa luz. Cristo declarou aos discípulos: "Vós sois a luz do mundo" (Mat. 5:14), e a missão da luz é resplandecer e dissipar as trevas. (CPPE, 531) Apresentamos a norma infalível para todos os cristãos. Disse Cristo: "Vós sois o sal da terra; e, se o sal for insípido, com que se há de salgar? Para nada mais presta, senão para se lançar fora e ser pisado pelos homens. Vós sois a luz do mundo; não se pode esconder uma cidade edificada sobre um monte; nem se acende a candeia e se coloca debaixo do alqueire, mas, no velador, e dá luz a todos que estão na casa. Assim resplandeça a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem o vosso Pai, que está nos Céus." Mat. 5:13-16. (No Deserto da Tentação, 81)
  • 7. A p o s t i l a – A L u z d o m u n d o |6 Deus tem um povo que não receberá a marca da besta em sua mão direita ou em sua fronte. Deus tem um lugar para Seu povo preencher neste mundo, para refletir luz. Sois as sentinelas de Deus. Cristo diz de Seu povo: "Vós sois a luz do mundo. Não se pode esconder a cidade edificada sobre um monte." Mat. 5:14. ... Deus fez Sua lei para todo o Universo. Ele criou o homem, Ele concede as abundantes provisões da natureza, mantém nossa respiração e vida em Sua mão. Devemos reconhecê-Lo e honrar Sua lei perante todos os grandes homens e os poderes terrestres mais elevados. Review and Herald, 15 de abril de 1890. (Este Dia Com Deus, 112) "Vós sois a luz do mundo" (Mat. 5:14), disse Jesus aos discípulos. Quão poucos, porém, estão cônscios de seu próprio poder e influência; quão poucos reconhecem o que poderiam fazer para ajudar aos outros e ser-lhes uma bênção. Envolvem seu talento num lenço e o sepultam na terra, e se jactam de possuir a mais recomendável humildade. Mas os livros do Céu testificam contra esses indolentes como sendo servos ociosos e ímpios que estão pecando gravemente contra Deus, ao negligenciarem o trabalho que Ele lhes deu. Não terão desculpas para dar, quando os registros celestes se abrirem, revelando-lhes a evidente negligência. (CSM , 125) Cristo disse de Seus discípulos: "Vós sois a luz do mundo." Mat. 5:14. Nós somos o povo de Deus assim denominado, para proclamar as verdades de origem celestial. A obra mais solene, mais sagrada, já entregue aos mortais, é a proclamação da primeira, segunda e terceira mensagens angélicas ao mundo. Em nossas grandes cidades deve haver instituições de saúde que cuidem dos enfermos e ensinem os grandes princípios da reforma de saúde. Carta 146, 1909. (CSRA, 76) Consideremos irmãos, este assunto à luz escriturística, e exerçamos decidida influência no sentido da temperança em todas as coisas. Maçãs e uvas são dons de Deus; podem ser usadas de maneira excelente como artigos de alimentação, ou podem ser mal empregadas, sendo usadas de modo errôneo. Já Deus está praguejando a colheita das uvas e das maçãs por causa das práticas pecaminosas dos homens. Estamos diante do mundo como reformadores; não demos ocasião aos infiéis e incrédulos para censurarem nossa fé. Disse Cristo: "Vós sois o sal da Terra" (Mat. 5:13), "a luz do mundo." Mat. 5:14. Mostremos que nosso coração e consciência se acham sob a
  • 8. 7| Apostila–A Luz do mundo influência transformadora da graça divina, e que nossa vida é governada pelos puros princípios da lei de Deus, mesmo que esses princípios exijam o sacrifício de interesses temporais. Testimonies, vol. 5, págs. 354-361. O Senhor fez ampla provisão para que as graças celestiais sejam abundantemente supridas a todos, a fim de que a verdade como esta é em Jesus ocupe o primeiro lugar no coração e preencha sempre o templo da alma. Então haverá total devoção a Deus, e os verdadeiros crentes se tornarão pescadores de homens. Orarão por sabedoria e andarão de acordo com a oração: "Vós sois a luz do mundo." Mat. 5:14. "Assim brilhe também a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem a vosso Pai que está nos Céus." Mat. 5:16. Carta 48, 1897. (MM, CT, 230) O contentamento de Cristo em qualquer circunstância irritava Seus irmãos. Eles não podiam explicar a razão de Sua paz e serenidade; e nenhuma persuasão da parte deles podia induzi-Lo a participar de quaisquer planos ou medidas que dessem a impressão de trivialidade ou de culpa. Em todas essas ocasiões, Ele afastava- Se deles, afirmando claramente que desviariam a outros e não eram dignos de ser filhos de Abraão. Teve de dar tal exemplo para que as criancinhas, os membros mais novos da família do Senhor, nada pudessem ver em Sua vida ou caráter que justificasse algum mau ato. Você é muito meticuloso e esquisito, diziam os membros de Sua própria família. Por que não é como as outras crianças? Mas isso não era possível, porque Cristo devia ser um sinal e um prodígio desde a Sua juventude, no que dizia respeito a rigorosa obediência e integridade. (FEC, 401) “Não se importe com os erros que cometeu. Você é apenas uma aprendiz, e tem de esperar fazer disparates. Experimente de novo. Concentre-se no que está fazendo. Seja muito cuidadosa e certamente terá êxito". Testimonies, vol. 1, págs. 684 e 685. Deus precisa de obreiros inteligentes, que façam seu trabalho sem precipitação, mas cuidadosa e cabalmente, sempre preservando a humildade de Jesus. Os que dedicam meditação e empenho aos seus mais altos deveres, devem também dedicar cuidado e atenção aos deveres menores demonstrando exatidão e diligência. Oh! quanto trabalho é feito negligentemente! Quanta coisa
  • 9. A p o s t i l a – A L u z d o m u n d o |8 se deixa por terminar, porque há o constante desejo de fazer trabalho mais importante! A obra é desonrada naquilo que se relaciona com o serviço de Deus, porque acumulam tanto trabalho diante de si, que coisa alguma é feita cabalmente. Mas todo o trabalho tem de sofrer o escrutínio do Juiz de toda a Terra. Os menores deveres relacionados com a obra do Senhor assumem importância porque são o serviço de Cristo. Carta 48, 1886. (Evangelismo, 81) Algumas pessoas julgam não ser dever religioso preparar devidamente a comida; daí, não procuram aprender a fazê-lo. Deixam o pão azedar antes de assá-lo, e o bicarbonato adicionado para remediar o descuido da cozinheira torna-o totalmente impróprio para o estômago humano. Requer atenção e cuidado fazer bom pão. Há porém, mais religião em um bom pão do que muitos pensam. O alimento pode ser preparado com simplicidade e ser saudável, mas requer perícia torná-lo saboroso e nutritivo ao mesmo tempo. (CSS, 117) Durante esses dias que Cristo passou com os discípulos, eles adquiriram nova experiência. Ao ouvirem o querido Mestre explicar-lhes as Escrituras à luz de tudo quanto acontecera, sua fé foi inteiramente firmada nEle. Chegaram ao ponto em que podiam declarar: "Eu sei em quem tenho crido." II Tim. 1:12. Começaram a compreender a natureza e extensão de sua obra e a reconhecer que deviam proclamar ao mundo as verdades a eles confiadas. Os acontecimentos da vida de Cristo, Sua morte e ressurreição, as profecias que apontavam para esses acontecimentos, os mistérios do plano da salvação, o poder de Jesus para remissão de pecados - de todas estas coisas haviam eles sido testemunhas e deviam torná-las conhecidas ao mundo. Deviam proclamar o evangelho de paz e salvação mediante o arrependimento e o poder do Salvador. (AA, 27) O princípio pelo qual os discípulos se mantiveram tão destemidamente quando, em resposta à ordem de não falarem mais no nome de Jesus, declararam: "Julgai vós se é justo, diante de Deus, ouvir-vos antes a vós que a Deus" (Atos 4:19), é o mesmo que os adeptos do evangelho se esforçaram por manter nos dias da Reforma. Quando, em 1529, os príncipes alemães se reuniram na dieta de Spira, foi-lhes apresentado o decreto do imperador, restringindo a liberdade religiosa, e proibindo toda posterior disseminação das doutrinas reformadas. Dir-se-ia que a presença do mundo estava prestes a ser
  • 10. 9| Apostila–A Luz do mundo esmagada. Aceitariam os príncipes o decreto? Devia a luz do evangelho, ser vedada às multidões ainda em trevas? Achavam-se em jogo decisões importantes para o mundo. Os que haviam aceito a fé reformada reuniram-se, sendo sua unânime decisão: "Rejeitemos este decreto. Em questões de consciência, a maioria não influi." - D'Aubigné, História da Reforma, livro 13, cap. 5. (AA, 68) À igreja primitiva tinha sido confiada uma obra de constante ampliação - estabelecer centros de luz e bênção, onde quer que existissem almas sinceras e dispostas a se dedicarem ao serviço de Cristo. A proclamação do evangelho devia abranger o mundo, e os mensageiros da cruz não poderiam esperar cumprir sua importante missão a menos que permanecessem unidos pelos laços da afinidade cristã, revelando assim ao mundo que eles eram um com Cristo em Deus. Não tinha seu divino Guia orado ao Pai: "Guarda em Teu nome aqueles que Me deste, para que sejam um, assim como Nós"? João 17:11. E não declarara Ele com respeito a Seus discípulos: "O mundo os aborreceu, porque não são do mundo"? João 17:14. Não pleiteara com o Pai que eles pudessem ser "perfeitos em unidade" "para que o mundo creia que Tu Me enviaste"? João 17:23 e 21. Sua vida e poder espirituais dependiam de íntima relação com Aquele que os havia comissionado para pregar o evangelho. (AA, 90) Este etíope representa uma grande classe que necessita ser ensinada por missionários como Filipe - homens que ouçam a voz de Deus, e vão aonde Ele manda. Muitos há que estão lendo as Escrituras sem compreender-lhes o verdadeiro significado. Em todo o mundo homens e mulheres olham atentamente para o Céu. De almas anelantes de luz, de graça, do Espírito Santo, sobem orações, lágrimas e indagações. Muitos estão no limiar do reino, esperando somente serem recolhidos. (AA, 109) Quando, em meio ao seu erro cego e cego preconceito, Saulo recebeu uma revelação de Cristo, a quem estava perseguindo, foi ele colocado em comunicação direta com a igreja, a qual é a luz do mundo. Neste caso, Ananias representa Cristo, como representa também os ministros de Cristo sobre a Terra, os quais são indicados para agir em Seu lugar.. Em (no) lugar de Cristo, Ananias toca os olhos de Saulo para que este possa receber a vista de Cristo, coloca suas mãos sobre ele, e enquanto ora em nome de Cristo, Saulo
  • 11. A p o s t i l a – A L u z d o m u n d o | 10 recebe o Espírito Santo. Tudo é feito no nome e pela autoridade de Cristo. Cristo é a fonte; a igreja, o canal de comunicação. (AA, 122) Ao examinar as Escrituras, Paulo aprendeu que através dos séculos "não são muitos os sábios segundo a carne, nem muitos os poderosos, nem muitos os nobres que são chamados. Mas Deus escolheu as coisas loucas deste mundo para confundir as sábias; e Deus escolheu as coisas fracas deste mundo para confundir as fortes; e Deus escolheu as coisas vis deste mundo, e as desprezíveis e as que não são, para aniquilar as que são; para que nenhuma carne se glorie perante Ele". I Cor. 1:26-29. E assim, considerando a sabedoria do mundo à luz que promana da cruz, Paulo se propôs nada "saber... se não a Jesus Cristo, e Este crucificado". I Cor. 2:2. (AA, 127 e 128) Deus chama obreiros humildes e fervorosos, que desejem levar o evangelho às mais altas classes. Há milagres a serem operados em conversões genuínas - milagres que não são agora discernidos. Os maiores homens deste mundo não estão além do poder de um Deus que opera maravilhas. Se todos os que são Seus coobreiros se dispuserem a ser homens de oportunidade, cumprindo brava e fielmente o dever, Deus converterá homens que ocupam posições de responsabilidade, homens de intelecto e de influência. Pelo poder do Espírito Santo muitos aceitarão os princípios divinos. Convertidos à verdade, tornar-se-ão instrumentos na mão de Deus, para comunicar luz. Sentirão especial responsabilidade por outras almas desta classe negligenciada. Consagrarão tempo e dinheiro à obra do Senhor, e uma nova eficiência e poder serão adicionados à igreja. (AA, 140) Há em nosso mundo muitos que estão mais próximos do reino de Deus do que supomos. Neste tenebroso mundo de pecado, o Senhor tem muitas jóias preciosas a quem Ele guiará Seus mensageiros. Há em toda parte os que assumirão sua atitude ao lado de Cristo. Muitos darão mais apreço à sabedoria de Deus do que a qualquer vantagem terrestre, e se tornarão fiéis portadores de luz. (AA, 140) Os que são inclinados a considerar como supremo seu critério individual, acham-se em grave perigo. É o estudado esforço de Satanás separar a esses dos que são condutos de luz, e por cujo intermédio Deus tem operado para edificar e estender Sua obra na Terra. Negligenciar ou desprezar aqueles que Deus designou para arcar com as responsabilidades da administração ligadas ao progresso da
  • 12. 11 | Apostila–A Luz do mundo verdade, é rejeitar o meio ordenado por Ele para auxílio, animação e fortalecimento de Seu povo. Passar qualquer obreiro na causa do Senhor por alto a esses, e pensar que a luz não lhe deve vir por nenhum outro instrumento mas diretamente de Deus, é assumir uma atitude em que está sujeito a ser iludido pelo inimigo, e vencido. Em Sua sabedoria, o Senhor tem designado que, mediante a íntima relação mantida por todos os crentes, cristão esteja unido a cristão, igreja a igreja. Assim estará o instrumento humano habilitado a cooperar com o divino. Todo o agente estará subordinado ao Espírito Santo, e todos os crentes unidos num esforço organizado e bem dirigido para dar ao mundo as alegres novas da graça de Deus. (AA, 164) Enquanto a luz do evangelho brilhava em Antioquia, uma importante obra era levada a efeito pelos apóstolos que haviam permanecido em Jerusalém. Cada ano, por ocasião das festas, muitos judeus de todas as terras, vinham a Jerusalém para adorar no templo. Alguns desses peregrinos eram homens de fervente piedade, e zelosos estudantes das profecias. Suspiravam pelo advento do prometido Messias, a esperança de Israel. Enquanto Jerusalém estava cheia desses estrangeiros, os apóstolos pregavam a Cristo com indômita coragem, embora soubessem que assim procedendo estariam expondo a vida a constantes perigos. O Espírito de Deus pôs o selo sobre seus labores; muitos se converteram à fé; e esses, de volta a seus lares em diferentes partes do mundo, espalhavam as sementes da verdade através de todas as nações, e entre todas as classes da sociedade. (AA, 165) "Mas Deus, não tendo em conta os tempos da ignorância, anuncia agora a todos os homens, e em todo o lugar, que se arrependam." Atos 17:28-30. Nos séculos de trevas que precederam o advento de Cristo, o divino Soberano passou por alto a idolatria dos gentios; mas agora, por intermédio de Seu Filho, enviara Ele aos homens a luz da verdade; e esperava de todos o arrependimento para a salvação, não somente do pobre e humilde, mas também do altivo filósofo e dos príncipes da Terra. "Porquanto tem determinado um dia em que com justiça há de julgar o mundo, por meio do Varão que destinou; e disto deu certeza a todos, ressuscitando-O dos mortos." Como Paulo se referisse à ressurreição dos mortos, "uns escarneciam, e outros diziam: Acerca disso te ouviremos outra vez". Atos 17:31 e 32. (AA, 239)
  • 13. A p o s t i l a – A L u z d o m u n d o | 12 Em cada esforço para alcançar as mais altas classes, o obreiro de Deus necessita de forte fé. As aparências podem parecer desoladoras, mas na hora mais escura há luz do alto. A força dos que amam a Deus e a Ele servem será renovada cada dia. A mente do infinito está posta a seu serviço, para que ao executarem Seu propósito não cometam erro. Mantenham esses obreiros firme até o fim, o princípio de sua confiança, lembrando-se de que a luz da verdade de Deus deve brilhar em meio às trevas que envolvem nosso mundo. Não deve haver nenhum desalento em relação com o trabalho de Deus. A fé do consagrado obreiro deve resistir a cada prova que o alcance. Deus pode e está disposto a outorgar a Seus servos toda a fortaleza de que precisem e a dar-lhes a sabedoria que suas variadas necessidades imponham. Ele fará mais que cumprir as mais altas expectativas dos que nEle põem sua confiança. (AA, 242) Muitos há no mundo hoje que fecham os olhos às evidências dadas por Cristo para advertir os homens sobre Sua vinda. Buscam aquietar toda a apreensão, ao mesmo tempo em que os sinais do fim se cumprem rapidamente e o mundo se apressa em direção ao tempo em que o Filho do homem Se revelará nas nuvens do céu. Paulo ensina ser pecaminoso mostrar-se indiferente aos sinais que devem preceder à segunda vinda de Cristo. Aos culpados desta negligência chama ele filhos da noite e das trevas. Ao vigilante e atento anima ele com estas palavras: "Mas vós, irmãos, já não estais em trevas, para que aquele dia vos surpreenda como um ladrão. Porque todos vós sois filhos da luz e filhos do dia; nós não somos da noite nem das trevas. Não durmamos pois, como os demais, mas vigiemos, e sejamos sóbrios." I Tess. 5:4-6. (AA, 260) Paulo tinha grande desejo de alcançar Jerusalém antes da Páscoa, para que assim tivesse uma oportunidade de encontrar-se com os que vinham de todas as partes do mundo para assistir à festa. Acariciava sempre a esperança de servir, de algum modo, como instrumento na remoção dos preconceitos de seus patrícios incrédulos, a fim de que fossem levados a aceitar a preciosa luz do evangelho. Desejava também ir ter com a igreja de Jerusalém e levar-lhes os donativos que as igrejas gentílicas enviavam para os irmãos pobres da Judéia. E por essa visita esperava promover mais firme união entre os judeus conversos e os conversos gentios. (AA, 389)
  • 14. 13 | Apostila–A Luz do mundo Quando, porém, o coração cede à influência do Espírito de Deus, a consciência é despertada, e o pecador discerne alguma coisa da profundeza e santidade da lei de Deus, base de Seu governo no Céu e na Terra. A "luz verdadeira, que alumia a todo homem que vem ao mundo" (João 1:9), ilumina também os secretos escaninhos da alma, e as coisas ocultas das trevas se põem a descoberto. A convicção se apodera do espírito e da alma. O pecador tem então uma intuição da justiça de Jeová e experimenta horror ante a idéia de aparecer, em sua própria culpa e impureza, perante o Perscrutador dos corações. Vê o amor de Deus, a beleza da santidade, a exaltação da pureza; anseia por ser purificado e reintegrado na comunhão do Céu. (CC, 24) O Senhor designa que a luz que Ele nos deu sobre as Escrituras resplandeça com raios claros e brilhantes; e é o dever de nossos colportores fazer um esforço forte e unido para que o desígnio de Deus seja cumprido. Uma grande e importante obra está diante de nós. O inimigo das almas reconhece isto, e está empregando todos os meios em seu poder para levar o colportor a buscar algum outro ramo de trabalho. Este estado de coisas deve mudar-se. Deus chama os colportores a voltar à obra. Ele chama voluntários que ponham na obra todas as energias e conhecimentos, ajudando onde quer que haja oportunidade. O Mestre chama a cada um para fazer a parte que lhe foi dada, segundo sua habilidade. Quem responderá ao chamado? Quem sairá para trabalhar na sabedoria, na graça e amor de Cristo pelos que estão perto e longe? Quem quererá sacrificar a comodidade e o prazer, e entrar nos lugares do erro, da superstição e das trevas, trabalhando zelosa e perseverantemente, falando a verdade em simplicidade, orando em fé, fazendo o trabalho de casa em casa? Quem neste tempo quererá sair fora do arraial, imbuído do poder do Espírito Santo, levando o injúria por amor de Cristo, abrindo as Escrituras ao povo e chamando-o ao arrependimento? (Colportor Evangelista, 13) Um dilúvio de luz está irradiando da Palavra de Deus, e é preciso que haja um despertamento para oportunidades negligenciadas. Quando todos forem fiéis em devolver a Deus o que a Ele pertence em dízimos e ofertas, abrir-se-á o caminho para que o mundo ouça a mensagem para este tempo. Se o coração do povo de Deus se enchesse do amor de Cristo; se cada membro de
  • 15. A p o s t i l a – A L u z d o m u n d o | 14 igreja fosse inteiramente imbuído do espírito de sacrifício; se todos manifestassem completo fervor, não haveria falta de fundos para as missões nacionais ou estrangeiras. Nossos recursos seriam multiplicados; mil portas de utilidade se abririam e nós seríamos convidados a entrar. Tivesse sido o propósito de Deus em dar ao mundo a mensagem de misericórdia executado por Seu povo, e Cristo já poderia ter vindo à Terra e os santos já teriam recebido as boas-vindas na cidade de Deus. Testimonies, vol. 6, pág. 450. Enquanto o espírito de crítica e de suspeita não for banido do coração, o Senhor não pode realizar Seu anelo para a igreja - abrir o caminho para o estabelecimento de escolas; enquanto não houver unidade, Ele não moverá aqueles a quem confiou recursos e aptidões para o progresso dessa obra. Os pais precisam atingir mais elevada norma, observando o caminho do Senhor e praticando a justiça, de modo a serem portadores de luz. Importa que haja inteira transformação de espírito e caráter. O espírito de desunião nutrido no coração de alguns se comunicará a outros, e anulará a influência que a escola exerceria para o bem. A menos que os pais estejam prontos e ansiosos no sentido de cooperar com o professor para salvação de seus filhos, não se acham preparados para o estabelecimento de uma escola entre eles. (CSE, 188) É necessário um movimento geral, mas este tem de começar com movimentos individuais. Que em toda igreja os membros de cada família façam esforços decididos de abnegação e de promoção do trabalho. Que as crianças desempenhem uma parte. Que haja cooperação de todos. Façamos nós mesmos o melhor que pudermos neste tempo para dedicar a Deus nossa oferta, e pôr em prática Sua vontade específica, criando assim uma ocasião para testemunho em Seu favor e de Sua verdade num mundo de trevas. A lâmpada está em nossas mãos. Deixemos que sua luz brilhe com intensidade. (CSE, 210) Mediante a associação com aqueles que não têm fé em Deus, são imperceptivelmente insinuadas na mente e no coração idéias errôneas da parte do operador-mestre do engano. Essas constituem a ruína de muitos. Escolherão vocês a companhia dos irreligiosos e desleais, que se encontram em aberta transgressão da lei de Deus? Separar-se-ão por escolha própria daqueles que amam a Deus? Colocar-se-ão tão longe
  • 16. 15 | Apostila–A Luz do mundo da luz quanto possível? Esse é o caminho ilusório. Os irmãos nunca se acharão onde haja luz em demasia, mas ai daqueles que escolherem as trevas em lugar da luz. Manuscrito 49, 1893. (MM, CT, 41) O verdadeiro penitente não afasta da lembrança seus pecados passados. Não se mostra alheio aos erros que praticou, tão logo haja alcançado paz. Ele pensa nos que foram levados ao mal por sua conduta, e procura por todas as formas levá-los de volta ao verdadeiro caminho. Quanto mais clara a luz em que entrou, mais forte seu desejo de firmar os pés de outros no caminho reto. (Profetas e Reis, págs. 76-78) Deixai vossa luz brilhar em boas obras. Disse Cristo: "Vós sois o sal da terra; ora, se o sal vier a ser insípido, como lhe restaurar o sabor? Para nada mais presta senão para, lançado fora, ser pisado pelos homens." Mat. 5:13. Temo que haja muitos nessa condição. Nem todos têm a mesma obra a fazer; circunstâncias e talentos diferentes qualificam os indivíduos para diferentes tipos de trabalho na vinha do Senhor. Há alguns que ocupam cargos de mais responsabilidade do que outros, mas a cada um é designado um trabalho, e o indivíduo que o executa com fidelidade e zelo, é um fiel mordomo da graça de Deus. (MM, Cuidado de Deus, 321) ATENÇÃO! As necessidades urgentes que se fazem sentir nesta época, exige contínua educação na Palavra de Deus. Isto é a verdade presente. Importa que haja em todo o mundo uma reforma no estudo da Bíblia, pois ela é agora mais necessária que nunca. À medida que essa reforma progredir, efetuar-se-á poderosa obra; quando Deus declarou que Sua Palavra não voltaria para Ele vazia, queria significar tudo quanto disse. O conhecimento de Deus e de Jesus Cristo "a quem Ele enviou" (João 5:38), eis a mais alta educação, e ela cobrirá a Terra com sua maravilhosa luz, assim como as águas cobrem o mar. (CSE, 117) Ao criar Deus o mundo, e as trevas cobrirem a face do abismo, disse: "Haja luz. E houve luz. E viu Deus que era boa a luz." Gên. 1:3 e 4. Fecharemos nossas casas, delas excluindo a luz a que Deus chamou boa? The Health Reformer, abril de 1871. (MM, Minha Comsagração Hoje, 138)
  • 17. A p o s t i l a – A L u z d o m u n d o | 16 Fez que "das trevas resplandecesse a luz". II Cor. 4:6. Quando "a Terra era sem forma e vazia; e havia trevas sobre a face do abismo; e o Espírito de Deus Se movia sobre a face das águas. E disse Deus: Haja luz. E houve luz". Gên. 1:2 e 3. Também na noite das trevas espirituais a Palavra de Deus diz: "Haja luz." A Seu povo, diz Ele: "Levanta-te, resplandece, porque já vem a tua luz, e a glória do Senhor vai nascendo sobre ti." Isa. 60:1. (PJ, 415) Terminou assim o trabalho do apóstolo em Atenas, o centro da cultura pagã; pois os atenienses, apegando-se persistentemente a sua idolatria, viraram as costas à luz da verdadeira religião. Quando um povo está inteiramente satisfeito com suas próprias realizações, pouco mais se pode esperar dele. Conquanto presumindo-se de refinamento e instrução, os atenienses estavam se tornando constantemente mais corruptos, e mais satisfeitos com os vagos mistérios da idolatria. (AA, 239) Como testemunha de Cristo, João não se empenhou em controvérsia ou em fastidiosos debates. Declarou o que sabia, o que tinha visto e ouvido. Havia estado intimamente relacionado com Cristo, tinha-Lhe ouvido os ensinos, testemunhado Seus poderosos milagres. Poucos puderam, como João, ver as belezas do caráter de Cristo. Para ele as trevas tinham passado; brilhava a verdadeira luz. Seu testemunho com respeito à vida e morte do Salvador era claro e penetrante. Da abundância que havia no coração brotava o amor pelo Salvador enquanto ele falava; e poder algum lhe podia impedir as palavras. (AA, 555) Quando a simpatia humana está misturada com o amor e a benevolência e é santificada pelo Espírito de Jesus, torna-se um elemento capaz de produzir grande bem. Os que cultivam a beneficência não estão apenas fazendo uma boa obra em favor de outros e beneficiando o recebedor da boa ação, mas estão beneficiando a si mesmos ao abrirem o coração à benéfica influência da verdadeira beneficência. Cada raio de luz lançado sobre outros será refletido sobre nosso próprio coração. Cada palavra de bondade e simpatia proferida aos tristes, cada ação que vise aliviar os oprimidos, e cada doação para suprir as necessidades de nossos semelhantes, dados ou feitos para glorificar a Deus, resultará em bênçãos para o
  • 18. 17 | Apostila–A Luz do mundo doador. Os que assim trabalham estão obedecendo a uma lei do Céu e receberão a aprovação de Deus. ... (BS, 304 e 305) Quando, porém, o coração cede à influência do Espírito de Deus, a consciência é despertada, e o pecador discerne alguma coisa da profundeza e santidade da lei de Deus, base de Seu governo no Céu e na Terra. A "luz verdadeira, que alumia a todo homem que vem ao mundo" (João 1:9), ilumina também os secretos escaninhos da alma, e as coisas ocultas das trevas se põem a descoberto. A convicção se apodera do espírito e da alma. O pecador tem então uma intuição da justiça de Jeová e experimenta horror ante a idéia de aparecer, em sua própria culpa e impureza, perante o Perscrutador dos corações. Vê o amor de Deus, a beleza da santidade, a exaltação da pureza; anseia por ser purificado e reintegrado na comunhão do Céu. (CC, 24) A mais elevada educação é o conhecimento experimental do plano da salvação, adquirido por meio de sincero e diligente estudo das Escrituras. Essa educação renovará o entendimento e transformará o caráter, restaurando a imagem de Deus na alma. Fortalecerá a mente contra as enganosas insinuações do adversário, e nos habilitará a compreender a voz de Deus. Ensinará o discípulo a tornar-se um coobreiro de Jesus Cristo, a extinguir a obscuridade moral que o rodeia e a levar luz e conhecimento aos homens. Ela é a singeleza da verdadeira piedade - nosso certificado da escola preparatória da Terra para a escola superior do alto. (CPPE, 11) Só com o auxílio daquele Espírito que, no princípio "Se movia sobre a face das águas" (Gên. 1:2); daquela Palavra pela qual "todas as coisas foram feitas" (João 1:3); daquela "Luz verdadeira, que alumia a todo homem que vem ao mundo" (João 1:9), pode ser devidamente interpretado o testemunho da ciência. Só por essa guia as mais profundas verdades da mesma ciência podem ser discernidas. Só sob a direção do Onisciente havemos de ser habilitados, no estudo de Suas obras, a pensar em harmonia com os Seus pensamentos. (CPPE, 530) Em todos os pontos e decisões, perguntem: É este o caminho do Senhor? Com a Bíblia aberta diante de vocês, consultem uma razão santificada e uma boa consciência. Seu coração deve ser movido, sua alma tocada, sua razão e intelecto despertados pelo
  • 19. A p o s t i l a – A L u z d o m u n d o | 18 Espírito de Deus. Os santos princípios exarados em Sua Palavra trarão luz à alma. Digo-lhes... nossa verdadeira fonte de sabedoria, virtude e poder está na cruz do Calvário. Cristo é o Autor e Consumador de nossa fé. Diz Ele: "Sem Mim nada podeis fazer." João 15:5. Jesus é a única e segura garantia de êxito e progresso intelectual. (MM, CT, 123) Há somente uma religião verdadeira, um único caminho para o Céu; somente uma luz para iluminar o caminho dos peregrinos que avançam. Ao prosseguirmos em conhecer o Senhor, reconheceremos a cada passo que Cristo é a "luz do mundo" (João 8:12), que é "o caminho, e a verdade, e a vida" (João 14:6) e descobriremos que a vereda que Ele nos exorta a seguir "é como a luz da aurora, que vai brilhando mais e mais até ser dia perfeito". Prov. 4:18. (MM, Cuidado de Deus, 308)