SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 17
15º
S P A E C E S A E B
A U L ÃO
Leia o texto abaixo.
Texto 1
A Culpa é das Estrelas - John
Green -
“A Culpa é das Estrelas” correspondeu às minhas expetativas. E isto não é pouco!
Depois de a surpresa de “À Procura de Alaska”, esperava um “A Culpa é das Estrelas”
bastante profundo e emocional. Não me enganei.
Deixei-me encantar mais uma vez pelo “gênero John Green”, uma forma de
escrever “estilo adolescente”, tipo “não te rales” mas com uma profundidade
surpreendente. Ler este livro é como entrar numa conversa de adolescentes pela forma
e pelos termos utilizados, masé ao mesmo tempo uma constante citação de verdades
supremas e de coisas que nos fazempensar, a mim pelo menos me fez pensar bastante.
Disponível em: http://planetamarcia.blogs.sapo. Acesso em: 27 março 2018
Texto 2
A Culpa é das Estrelas
Para mim, A Culpa é das Estrelas é um dos melhores livros do ano, se não um dos
melhores livros que eu já li na vida. [...] a história de Hazel e Gus vai ficar comigo por
muito tempo, servindo como lição de vida e como um alicerce sempre que surgir um
obstáculo.
O livro é narrado por Hazel, uma adolescente de dezesseis anos que sofre os males
de um câncer terminal, mas não se deixou abater com isso. Hazel é uma garota doce,
inteligentee decidida. Ela é o exemplo de que não se pode desistir da vida, mas não
consegue expressarseus desejos e ambições por conta do câncer. Por conta disso, ela
entra em um grupo de apoio ao câncer, onde pessoas que estão passando por situações
parecidas compartilham suas experiências como forma de suporte. Lá, ela conhece
Augustus Waters, um garoto de dezessete anos que está livre do câncer e que chama a
atenção por onde passa, econtradizendo todos os estereótipos, a química entre os dois
é quase que instantânea.
Hazel não entende como um garoto como Gus estaria interessado nela, e no começo
é relutante em aceitar o possível relacionamento, simplesmente pelo fato de ela se
sentir uma“granada” que está prestes a explodir. Mas Gus é convincente demais, e vale
a pena correr orisco. Juntos, eles lidam com os problemas da vida adolescente, desde
momentos cômicos até os mais “pesados” dos diferentes estágios do câncer.
Disponível em: https://www.burnbook.com.br/resenhas/resenha-a-culpa-e-das-estrelas-de-john-green/ Acesso em: 27 março 2018
01.As opiniões apresentadas nos dois textos são
A)confusas.
B)divergentes.
C)irrelevantes.
D)análogas.
Leia atentamente o
comando da questão.
1
“A Culpa é das Estrelas” correspondeu às minhas
expectativas. E isto não é pouco! Depois da surpresa de “À
Procura de Alaska”, esperava um “A Culpa é das Estrelas”
bastante profundo e emocional. Não me enganei.
Para mim, A Culpa é das Estrelas é um dos melhores
livros do ano, se não um dos melhores livros que eu já li
na vida. [...] a história de Hazel e Gus vai ficar comigo
por muito tempo, servindo como lição de vida e como um
alicerce sempre que surgir um obstáculo.
Texto I
OPINIÃO
POSITIVA
Texto II
OPINIÃO
POSITIVA
Leia os textos abaixo
Prof. Rosa Mística
02.Esses textos têm como assunto em comum a
A)importância do uso consciente da água.
B)porcentagem total de água doce do planeta.
C)relação entre o consumo de água e a população.
D)valorização das reservas hídricas brasileiras.
Leia atentamente o
comando da questão.
1
Observe cada uma das
alternativas e lembre-se
que a informação deve
ser comum nos dois
textos.
Leia e volte aos
textos para verificar
se as informações
lidas são comum aos
dois ou não.
Quando você
encontrar uma
informação que
esteja presente no
texto I e II, esse será
o gabarito.
Leia o texto abaixo
A magia do palco
As pessoas sempre adoraram contar e ouvir histórias. Não importa se são verdadeiras ou
não. Repare: as novelas, os desenhos, os filmes, as peças teatrais, os livros, os jornais... Em
cada um desses meios de comunicação, durante todo o tempo se conta histórias, que
aconteceram de verdade ou foram inventadas por um escritor. Algumas histórias são escritas,
no caso dos livros e dos jornais. Outras são desenhadas, como nas histórias em quadrinhos.
Algo diferente acontece nas novelas, nos filmes e no teatro: para contar uma história, os atores
"fingem" que ela está acontecendo. Se eu sou um ator e vou fazer o papel do Menino
Maluquinho, tenho que fingir que sou o Menino Maluquinho.
A diferença do teatro em relação aos filmes e às novelas é que ele acontece "ao vivo". O
ator está bem na sua frente, no palco. Mas não faz diferença qual é o nome dele, porque quem
está ali é o personagem.
Nenhuma história é verdadeira em cima do palco: ele é um espaço mágico onde uma
pessoa vive a vida de outra pessoa, inventada ou que realmente existiu.
Disponível em: http://www.canalkids.com.br/portal/barra/clubv.php?u=../arte/index.html. acesso em 20 jan.
2019
03.No trecho “... não faz diferença qual é o nome dele, porque quem está ali é
o personagem.” (ℓ. 10-11), o termo destacado indica
A) causa.
B)proporcional.
C)explicação.
D)finalidade.
Leia atentamente o
comando da questão.
1
04.Nesse texto, a utilização da expressão “ou melhor” (3°parágrafo) tem
como objetivo
A) confirmar o que foi dito anteriormente.
B) corrigir o que foi dito anteriormente.
C) complementar a afirmativa anterior.
D) adicionar uma informação ao que já havia sido declarado.
Leia o texto abaixo
QUE CHEIRO É ESSE?
Mau hálito é uma coisa tão chata, né? E todo mundo sofre desse mal...
Pelo menos ao acordar!
Mas por que será que isso acontece? Talvez você não tenha percebido,
mas quando estamos dormindo, quase não salivamos e, com tão pouco
movimento, nem é preciso dizer que as bactérias se sentem em casa!
Pois bem, quando esses microorganismos chatinhos entram em ação, ou
melhor, aumentam a ação dentro da nossa boca, acabam produzindo compostos
com um cheiro pra lá de ruim! A metilmercaptana e o dimetilsulfeto são alguns
exemplos, mas o principal e mais terrível de todos é de longe o sulfidreto: ele tem
cheiro de ovo podre, eca!
Esses compostos recebem o nome de CSV (Compostos Sulfurados
Voláteis). Para acabar com o horroroso bafo matinal, nada melhor do que uma
boa escovada nos dentes e na língua. Mas... e se o danado persistir?
http://www.canalkids.com.br/higiene/vocesabia/janeiro03.htm
Pois bem, quando esses microorganismos chatinhos entram em ação, ou
melhor, aumentam a ação dentro da nossa boca, acabam produzindo
compostos com um cheiro pra lá de ruim! A metilmercaptana e o
dimetilsulfeto são alguns exemplos, mas o principal e mais terrível de todos é
de longe o sulfidreto: ele tem cheiro de ovo podre, eca!
Leia atentamente o
comando da questão.
1
Leia o texto abaixo
Narcolepsia
Não é mentira: a pessoa está no meio de uma atividade — digamos, lavando as louças do
almoço — quando, de repente, dorme. Isso não é resultado da feijoada do almoço, mas da
narcolepsia.
O distúrbio é causado pela ausência de hipocreatina – substância produzida no cérebro
que faz outras substâncias responsáveis pelo estado de alerta funcionar – no hipotálamo.
Atualmente, os tratamentos para narcolepsia são feitos com drogas que repõem os níveis de
hipocreatina no organismo.
Vale lembrar que a narcolepsia não parece nada com o que vemos nos filmes. A pessoa
sente a sonolência vir, pode até lutar contra ela, mas não consegue evitá-la. A fala fica alterada,
e a pessoa pode acabar caindo e se machucando se não chegar a tempo em um lugar adequado,
antes do apagão.
Disponível em: https://super.abril.com.br/blog/ Acesso em: 18 fev. 2023.
05.No trecho “...no meio de uma atividade — digamos, lavando as louças do
almoço —...” (ℓ. 1 - 2), os travessões foram usados para
A)dar ênfase no trecho.
B)fazer uma exemplificação.
C)fazer uma referência a outro texto.
D)marcar o início de uma fala.
Leia atentamente o
comando da questão.
1
Leia o texto abaixo
Que sono!
Sempre tem aqueles, num grupo de amigos ou na família, que dormem até em pé. Do outro
lado do espectro, é claro, todo mundo conhece alguém que fica com o sono atrapalhado por
qualquer coisa. Cama diferente, falta do travesseirinho do coração, coberta fina ou grossa
demais, o ventilador desligado, aquele barulho irritante de torneira pingando, outra pessoa
dormindo na mesma cama, gente andando pela casa…
Dormir pode ser algo praticamente automático ou um verdadeiro suplício. Mas, em todos
os casos, ainda é um terreno com muitos caminhos desconhecidos para a ciência. Os motivos
pelos quais dormimos (economia de energia, manutenção do corpo e consolidação da
memória), por exemplo, só foram descobertos na metade do século passado. E, na década de
80, um grupo de pesquisadores da Universidade de Chicago, nos EUA, descobriu que a falta
crônica de sono pode matar.
Nesse universo desconhecido de Morfeu, há distúrbios específicos do sono, que podem
atrapalhar de jeitos altamente variados. Gente que fala dormindo, anda dormindo, para de
respirar, está andando e, de repente, cataploft: dormiu.
Disponível em: https://super.abril.com.br/blog/. Acesso em: 18 fev. 2023.
06.Nesse texto, no trecho “...falta do travesseirinho...” (ℓ. 3) o uso do
diminutivo na palavra destacada sugere
A) afetividade.
B)crítica
C)ironia.
D)tamanho.
Leia atentamente o
comando da questão.
1
A terminação –inho é um prefixo que carrega vários
sentidos. Para saber o adequado, analise o contexto.
2
Leia o texto abaixo
A escolha do restaurante
Umgrupodeamigos de40anos,antigos colegasdefaculdade, discutiramediscutiram para
escolher o restaurante onde iriam encontrar-se para jantar. Finalmente decidiram-se pelo
Restaurante O Caipira porque as garçonetes eram jovens e muito bonitas.
10 anos mais tarde, aos 50 anos, o grupo reuniu-se novamente e mais uma vez discutiram
e discutiram para escolher o restaurante. Finalmente decidiram-se pelo Restaurante O
Caipira porque a comida era muito boa a havia uma ótima seleção de vinhos.
10 anos mais tarde, aos 60 anos, o grupo reuniu-se novamente e mais uma vez discutiram
e discutiram para escolher o restaurante. Finalmente decidiram-se pelo Restaurante O
Caipira porque ali podiam comer em paz e sossego e havia sala de fumantes.
10 anos mais tarde, aos 70 anos, o grupo reuniu-se novamente e mais uma vez discutiram
e discutiram para escolher o restaurante. Finalmente decidiram-se pelo Restaurante O
Caipira porque lá havia uma rampa para cadeiras de rodas e até um pequeno elevador.
10 anos mais tarde, aos 80 anos, o grupo reuniu-se novamente e mais uma vez discutiram
e discutiram para escolher o restaurante. Finalmente decidiram-se pelo Restaurante O
Caipira.Todos acharam que era uma grande ideia porque nunca tinham estado lá antes.
Disponível em: http://www.muraljoia.com.br/000novapaginahum.htm. Acesso em: 18 fev. 2023.
07.O humor desse texto está no fato de
A)os antigos colegas de faculdade discutirem sobre a escolha do restaurante.
B)os amigos decidirem jantar no Restaurante O Caipira pela beleza das
garçonetes.
C)os amigos ficarem indecisos na escolha de um bom restaurante para
jantar.
D)os amigos não lembrarem que já tinham ido várias vezes ao mesmo
restaurante
Leia atentamente o
comando da questão.
1
Lembre-se de que o humor, a parte engraçada,
está presente, principalmente, no final do
texto.
2
Leia o texto abaixo
08.Nesse texto, a linguagem utilizada pela personagem do último quadrinho
apresenta características de
A) coloquialidade.
B) formalidade.
C) regionalismo.
D) tecnicismo.
Leia atentamente o
comando da questão.
1
“num falei?” e “tá subindo,
cara...” é marca da linguagem
oral e informal/coloquial.
2
Leia o texto abaixo
A vaidade do corvo
Ia a raposa com fome quando deu com um corvo, muito feliz da vida, no alto de um
galho,com um belo pedaço de queijo no bico. É claro que a ladrona da raposa quis o queijo
na hora,mas o corvo estava empoleirado muito alto.
Como é que ela havia de subir até lá para roubar o queijo? Isso porque a raposa nem
sonhariaem pedir um pedacinho. Ela não sabia pedir; só gostava mesmo de enganar os
outros paraconseguir o que queria. Nessas horas, para pôr em funcionamento sua
desonestidade, a raposatinha de usar a esperteza que dizem ser qualidade de todas as
raposas. E como usou! Foi-sechegando debaixo da árvore e jogando sua lábia:
— Hum, mas se não é o grande cantor que eu encontro!
Falando com o bico fechado, para não deixar cair o queijo, o corvo espantou-se:
— Grunf... umpf... grac.. – o que talvez quisesse dizer “Cantor... Que cantor? Cadê esse
cantorde que a senhora está falando?”
— Que cantor? Ora, mas é o senhor mesmo! Todo mundo fala, em toda a floresta,
damaravilhosa voz que o senhor tem! Todo mundo fala: cantor bom mesmo, só o compadre
corvo!
— Grof... murfm.. urgc.. – que na certa seria uma resposta como “Falam mesmo? Não
diga?”
E o corvo foi se inchando de orgulho.
— Digo e repito! Eu andava ansiosa para encontrá-lo e poder gozar do privilégio de
ouvir suamaviosa voz! Mais inchado ainda ficou o corvo:
— Urmc... grofc.. – fez o corvo, querendo dizer “Ora, bondade sua, comadre raposa...”
— Bondade, nada: realidade! Garanto-lhe, mestre cantor, que, se eu puder ouvir uma de
suas maravilhosas canções, serei o animal mais feliz desta floresta! O corvo nem aguentava
mais detanto inchaço, de tanta vaidade e de tanto orgulho. Feliz da vida, abriu o bico para
soltar mais um de seus horríveis grasnidos, mas o que soltou foi o queijo, que – fiuuumm... –
veio cair árvore abaixo, bem na boca da esperta raposa!
Disponível em: http://www.bibliotecapedrobandeira.com.br/ . Acesso em: 20 fev. 2023
09.Nesse texto, o trecho que apresenta um fato é:
A)“...só gostava mesmo de enganar os outros para conseguir o que queria...”
B)“Falando com o bico fechado, para não deixar cair o queijo...”
C)“Todo mundo fala, em toda a floresta, da maravilhosa voz que o senhor
tem...”
D)“...abriu o bico para soltar mais um de seus horríveis grasnidos...”
Leia atentamente o
comando da questão.
1
OPINIÃO
Classifique as
alternativas em FATO
ou OPINIÃO.
3
Procure pelo FATO
(acontecimento), aquilo
que é verdadeiro, que
pode ser comprovado.
Foque nos adjetivos,
as opiniões sempre
são marcadas por
adjetivos.
2 4
OPINIÃO
FATO
OPINIÃO
Leia o texto abaixo
Pensamor
Como pesa pensamor
Moeda de ouro em minha palma
Sem que perceba o doador
Como é leve pensamor
Ao peito que se abre em palma
Para a seta que acertou.
LISBOA, Henriqueta. Melhores poemas de Henriqueta Lisboa. Seleção de Fábio Lucas. São Paulo,
Global, 2001. P. 162.
10.Nesse texto, o amor é tratado como um
A) controle do sentimento alheio.
B) desespero para quem o perde.
C) peso quando se guarda para si.
D) sentimento despertado no doador.
Leia atentamente o
comando da questão.
1
15º AULÃO preparatório para avaliações externas

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a 15º AULÃO preparatório para avaliações externas

Prova da Cidade Português - 7ª Serie
Prova da Cidade Português - 7ª SerieProva da Cidade Português - 7ª Serie
Prova da Cidade Português - 7ª SerieClaudia Valério
 
Processo seletivo-solido-2014-prova-9-ano-fundamen5150150
Processo seletivo-solido-2014-prova-9-ano-fundamen5150150Processo seletivo-solido-2014-prova-9-ano-fundamen5150150
Processo seletivo-solido-2014-prova-9-ano-fundamen5150150Rosa Maria Ferreira Correa
 
AVALIAÇÃO DE PORTUGUÊS E MATEMÁTICA.pptx
AVALIAÇÃO DE PORTUGUÊS E MATEMÁTICA.pptxAVALIAÇÃO DE PORTUGUÊS E MATEMÁTICA.pptx
AVALIAÇÃO DE PORTUGUÊS E MATEMÁTICA.pptxTainTorres4
 
Português - Crônica - Verbo - Advérbio
Português - Crônica - Verbo - Advérbio Português - Crônica - Verbo - Advérbio
Português - Crônica - Verbo - Advérbio kiimchayene
 
Hamlet, ler ou não ler, eis a questão.
Hamlet, ler ou não ler, eis a questão.Hamlet, ler ou não ler, eis a questão.
Hamlet, ler ou não ler, eis a questão.Obed Souza
 
Lct material de estudo 2016 (C.E. HISPANO BRASILEIRO JOÃO CABRAL DE MELO NETO)
Lct material de estudo 2016 (C.E. HISPANO BRASILEIRO JOÃO CABRAL DE MELO NETO)Lct material de estudo 2016 (C.E. HISPANO BRASILEIRO JOÃO CABRAL DE MELO NETO)
Lct material de estudo 2016 (C.E. HISPANO BRASILEIRO JOÃO CABRAL DE MELO NETO)Humberto Silva de Lima (UERJ / UFRJ)
 
Simulado uerj exato original
Simulado uerj exato originalSimulado uerj exato original
Simulado uerj exato originaligor luiz
 
Interpretacao de texto (1)
Interpretacao de texto (1)Interpretacao de texto (1)
Interpretacao de texto (1)Albaney Santana
 
Situação de aprendizagem rui
Situação de aprendizagem ruiSituação de aprendizagem rui
Situação de aprendizagem ruiRui Vianello
 
Prova internet-pssii-2009
Prova internet-pssii-2009Prova internet-pssii-2009
Prova internet-pssii-2009Lucas Ferreira
 
atividade ano folga 1.pdf
atividade  ano folga 1.pdfatividade  ano folga 1.pdf
atividade ano folga 1.pdfNayaraDiniz19
 
351 questoes de_portugues_fcc 2014 atual.
351 questoes de_portugues_fcc 2014 atual.351 questoes de_portugues_fcc 2014 atual.
351 questoes de_portugues_fcc 2014 atual.Ueslei Santos
 
Intertextualidade by koch-bentes-cavalcante
Intertextualidade by  koch-bentes-cavalcanteIntertextualidade by  koch-bentes-cavalcante
Intertextualidade by koch-bentes-cavalcanteJ Carlos Rodrigues
 
Avaliação bimestral de lingua portuguesa 4º bimestre eliete 2012
Avaliação bimestral  de  lingua portuguesa  4º bimestre eliete 2012Avaliação bimestral  de  lingua portuguesa  4º bimestre eliete 2012
Avaliação bimestral de lingua portuguesa 4º bimestre eliete 2012Eliete Soares E Soares
 

Semelhante a 15º AULÃO preparatório para avaliações externas (20)

Avaliação línguaportuguesa9ºano
Avaliação línguaportuguesa9ºanoAvaliação línguaportuguesa9ºano
Avaliação línguaportuguesa9ºano
 
Prova da Cidade Português - 7ª Serie
Prova da Cidade Português - 7ª SerieProva da Cidade Português - 7ª Serie
Prova da Cidade Português - 7ª Serie
 
Prova 9-ano
Prova 9-anoProva 9-ano
Prova 9-ano
 
Processo seletivo-solido-2014-prova-9-ano-fundamen5150150
Processo seletivo-solido-2014-prova-9-ano-fundamen5150150Processo seletivo-solido-2014-prova-9-ano-fundamen5150150
Processo seletivo-solido-2014-prova-9-ano-fundamen5150150
 
AVALIAÇÃO DE PORTUGUÊS E MATEMÁTICA.pptx
AVALIAÇÃO DE PORTUGUÊS E MATEMÁTICA.pptxAVALIAÇÃO DE PORTUGUÊS E MATEMÁTICA.pptx
AVALIAÇÃO DE PORTUGUÊS E MATEMÁTICA.pptx
 
Português - Crônica - Verbo - Advérbio
Português - Crônica - Verbo - Advérbio Português - Crônica - Verbo - Advérbio
Português - Crônica - Verbo - Advérbio
 
Hamlet, ler ou não ler, eis a questão.
Hamlet, ler ou não ler, eis a questão.Hamlet, ler ou não ler, eis a questão.
Hamlet, ler ou não ler, eis a questão.
 
Slide d20-aula-sexta-feira
Slide d20-aula-sexta-feiraSlide d20-aula-sexta-feira
Slide d20-aula-sexta-feira
 
Lct material de estudo 2016 (C.E. HISPANO BRASILEIRO JOÃO CABRAL DE MELO NETO)
Lct material de estudo 2016 (C.E. HISPANO BRASILEIRO JOÃO CABRAL DE MELO NETO)Lct material de estudo 2016 (C.E. HISPANO BRASILEIRO JOÃO CABRAL DE MELO NETO)
Lct material de estudo 2016 (C.E. HISPANO BRASILEIRO JOÃO CABRAL DE MELO NETO)
 
Simulado uerj exato original
Simulado uerj exato originalSimulado uerj exato original
Simulado uerj exato original
 
5ano site lp
5ano site lp5ano site lp
5ano site lp
 
Interpretacao de texto (1)
Interpretacao de texto (1)Interpretacao de texto (1)
Interpretacao de texto (1)
 
Interpretacao de texto
Interpretacao de textoInterpretacao de texto
Interpretacao de texto
 
Situação de aprendizagem rui
Situação de aprendizagem ruiSituação de aprendizagem rui
Situação de aprendizagem rui
 
Prova internet-pssii-2009
Prova internet-pssii-2009Prova internet-pssii-2009
Prova internet-pssii-2009
 
P. brasil 1
P. brasil 1P. brasil 1
P. brasil 1
 
atividade ano folga 1.pdf
atividade  ano folga 1.pdfatividade  ano folga 1.pdf
atividade ano folga 1.pdf
 
351 questoes de_portugues_fcc 2014 atual.
351 questoes de_portugues_fcc 2014 atual.351 questoes de_portugues_fcc 2014 atual.
351 questoes de_portugues_fcc 2014 atual.
 
Intertextualidade by koch-bentes-cavalcante
Intertextualidade by  koch-bentes-cavalcanteIntertextualidade by  koch-bentes-cavalcante
Intertextualidade by koch-bentes-cavalcante
 
Avaliação bimestral de lingua portuguesa 4º bimestre eliete 2012
Avaliação bimestral  de  lingua portuguesa  4º bimestre eliete 2012Avaliação bimestral  de  lingua portuguesa  4º bimestre eliete 2012
Avaliação bimestral de lingua portuguesa 4º bimestre eliete 2012
 

Mais de RosaMisticaCoelho2

BALADA SPAECE nono ano habilidades spaece
BALADA SPAECE nono ano habilidades spaeceBALADA SPAECE nono ano habilidades spaece
BALADA SPAECE nono ano habilidades spaeceRosaMisticaCoelho2
 
QUIZ DO SABER. estudo das habilidades de língua portuguesa
QUIZ DO SABER. estudo das habilidades de língua portuguesaQUIZ DO SABER. estudo das habilidades de língua portuguesa
QUIZ DO SABER. estudo das habilidades de língua portuguesaRosaMisticaCoelho2
 
QUIZ USO DOS PORQUES ANÁLISE LINGUÍSTICA.pptx
QUIZ USO DOS PORQUES ANÁLISE LINGUÍSTICA.pptxQUIZ USO DOS PORQUES ANÁLISE LINGUÍSTICA.pptx
QUIZ USO DOS PORQUES ANÁLISE LINGUÍSTICA.pptxRosaMisticaCoelho2
 
SIMULADO POEMA.leitura e compreensão textual
SIMULADO POEMA.leitura e compreensão textualSIMULADO POEMA.leitura e compreensão textual
SIMULADO POEMA.leitura e compreensão textualRosaMisticaCoelho2
 
Arraiá dos descritores (1) spaece 9 ano 2024
Arraiá dos descritores (1) spaece 9 ano 2024Arraiá dos descritores (1) spaece 9 ano 2024
Arraiá dos descritores (1) spaece 9 ano 2024RosaMisticaCoelho2
 
SPAECEFLIX.pptx-COMPREENSAO SPAECE E SAEB
SPAECEFLIX.pptx-COMPREENSAO SPAECE E SAEBSPAECEFLIX.pptx-COMPREENSAO SPAECE E SAEB
SPAECEFLIX.pptx-COMPREENSAO SPAECE E SAEBRosaMisticaCoelho2
 
CARIRÉ GEOGRAFIA slide sobre o municipio
CARIRÉ GEOGRAFIA slide sobre o municipioCARIRÉ GEOGRAFIA slide sobre o municipio
CARIRÉ GEOGRAFIA slide sobre o municipioRosaMisticaCoelho2
 
BALADAO-SPAECE-2023- CORES.pptx
BALADAO-SPAECE-2023- CORES.pptxBALADAO-SPAECE-2023- CORES.pptx
BALADAO-SPAECE-2023- CORES.pptxRosaMisticaCoelho2
 
Tô_um_flash_nos_advérbios.ppsx
Tô_um_flash_nos_advérbios.ppsxTô_um_flash_nos_advérbios.ppsx
Tô_um_flash_nos_advérbios.ppsxRosaMisticaCoelho2
 
TRILHA DOS ELEMENTOS DA NARRATIVA.docx
TRILHA DOS ELEMENTOS DA NARRATIVA.docxTRILHA DOS ELEMENTOS DA NARRATIVA.docx
TRILHA DOS ELEMENTOS DA NARRATIVA.docxRosaMisticaCoelho2
 

Mais de RosaMisticaCoelho2 (12)

BALADA SPAECE nono ano habilidades spaece
BALADA SPAECE nono ano habilidades spaeceBALADA SPAECE nono ano habilidades spaece
BALADA SPAECE nono ano habilidades spaece
 
QUIZ DO SABER. estudo das habilidades de língua portuguesa
QUIZ DO SABER. estudo das habilidades de língua portuguesaQUIZ DO SABER. estudo das habilidades de língua portuguesa
QUIZ DO SABER. estudo das habilidades de língua portuguesa
 
QUIZ USO DOS PORQUES ANÁLISE LINGUÍSTICA.pptx
QUIZ USO DOS PORQUES ANÁLISE LINGUÍSTICA.pptxQUIZ USO DOS PORQUES ANÁLISE LINGUÍSTICA.pptx
QUIZ USO DOS PORQUES ANÁLISE LINGUÍSTICA.pptx
 
SIMULADO POEMA.leitura e compreensão textual
SIMULADO POEMA.leitura e compreensão textualSIMULADO POEMA.leitura e compreensão textual
SIMULADO POEMA.leitura e compreensão textual
 
Arraiá dos descritores (1) spaece 9 ano 2024
Arraiá dos descritores (1) spaece 9 ano 2024Arraiá dos descritores (1) spaece 9 ano 2024
Arraiá dos descritores (1) spaece 9 ano 2024
 
SPAECEFLIX.pptx-COMPREENSAO SPAECE E SAEB
SPAECEFLIX.pptx-COMPREENSAO SPAECE E SAEBSPAECEFLIX.pptx-COMPREENSAO SPAECE E SAEB
SPAECEFLIX.pptx-COMPREENSAO SPAECE E SAEB
 
CARIRÉ GEOGRAFIA slide sobre o municipio
CARIRÉ GEOGRAFIA slide sobre o municipioCARIRÉ GEOGRAFIA slide sobre o municipio
CARIRÉ GEOGRAFIA slide sobre o municipio
 
03. QUIZ - EU OU MIM.pptx
03. QUIZ - EU OU MIM.pptx03. QUIZ - EU OU MIM.pptx
03. QUIZ - EU OU MIM.pptx
 
BALADAO-SPAECE-2023- CORES.pptx
BALADAO-SPAECE-2023- CORES.pptxBALADAO-SPAECE-2023- CORES.pptx
BALADAO-SPAECE-2023- CORES.pptx
 
Tô_um_flash_nos_advérbios.ppsx
Tô_um_flash_nos_advérbios.ppsxTô_um_flash_nos_advérbios.ppsx
Tô_um_flash_nos_advérbios.ppsx
 
Roleta da pontuação.pptx
Roleta da pontuação.pptxRoleta da pontuação.pptx
Roleta da pontuação.pptx
 
TRILHA DOS ELEMENTOS DA NARRATIVA.docx
TRILHA DOS ELEMENTOS DA NARRATIVA.docxTRILHA DOS ELEMENTOS DA NARRATIVA.docx
TRILHA DOS ELEMENTOS DA NARRATIVA.docx
 

Último

EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptxEB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptxIlda Bicacro
 
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSSFormação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSSPedroMatos469278
 
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...LuizHenriquedeAlmeid6
 
Produção de poemas - Reciclar é preciso
Produção  de  poemas  -  Reciclar é precisoProdução  de  poemas  -  Reciclar é preciso
Produção de poemas - Reciclar é precisoMary Alvarenga
 
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdfaulasgege
 
Testes de avaliação português 6º ano .pdf
Testes de avaliação português 6º ano .pdfTestes de avaliação português 6º ano .pdf
Testes de avaliação português 6º ano .pdfCsarBaltazar1
 
Apresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosApresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosFernanda Ledesma
 
Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Mary Alvarenga
 
O que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaO que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaHenrique Santos
 
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteDescrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteLeonel Morgado
 
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptxSlides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHASMARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHASyan1305goncalves
 
Abuso Sexual da Criança e do adolescente
Abuso Sexual da Criança e do adolescenteAbuso Sexual da Criança e do adolescente
Abuso Sexual da Criança e do adolescenteIpdaWellington
 
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdfAparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdfAbdLuxemBourg
 
BENEFÍCIOS DA NEUROPSICOPEDAGOGIA educacional
BENEFÍCIOS DA NEUROPSICOPEDAGOGIA educacionalBENEFÍCIOS DA NEUROPSICOPEDAGOGIA educacional
BENEFÍCIOS DA NEUROPSICOPEDAGOGIA educacionalDouglasVasconcelosMa
 
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptxSlides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
livro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensoriallivro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensorialNeuroppIsnayaLciaMar
 
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxEBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxIlda Bicacro
 

Último (20)

EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptxEB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
 
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSSFormação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
 
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
 
Produção de poemas - Reciclar é preciso
Produção  de  poemas  -  Reciclar é precisoProdução  de  poemas  -  Reciclar é preciso
Produção de poemas - Reciclar é preciso
 
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
 
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdfEnunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
 
Testes de avaliação português 6º ano .pdf
Testes de avaliação português 6º ano .pdfTestes de avaliação português 6º ano .pdf
Testes de avaliação português 6º ano .pdf
 
Apresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosApresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativos
 
Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número
 
O que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaO que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de Infância
 
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteDescrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
 
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptxSlides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
 
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHASMARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
 
Abuso Sexual da Criança e do adolescente
Abuso Sexual da Criança e do adolescenteAbuso Sexual da Criança e do adolescente
Abuso Sexual da Criança e do adolescente
 
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdfAparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
 
BENEFÍCIOS DA NEUROPSICOPEDAGOGIA educacional
BENEFÍCIOS DA NEUROPSICOPEDAGOGIA educacionalBENEFÍCIOS DA NEUROPSICOPEDAGOGIA educacional
BENEFÍCIOS DA NEUROPSICOPEDAGOGIA educacional
 
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptxSlides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
 
Poema - Maio Laranja
Poema - Maio Laranja Poema - Maio Laranja
Poema - Maio Laranja
 
livro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensoriallivro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensorial
 
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxEBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
 

15º AULÃO preparatório para avaliações externas

  • 1. 15º S P A E C E S A E B A U L ÃO
  • 2.
  • 3. Leia o texto abaixo. Texto 1 A Culpa é das Estrelas - John Green - “A Culpa é das Estrelas” correspondeu às minhas expetativas. E isto não é pouco! Depois de a surpresa de “À Procura de Alaska”, esperava um “A Culpa é das Estrelas” bastante profundo e emocional. Não me enganei. Deixei-me encantar mais uma vez pelo “gênero John Green”, uma forma de escrever “estilo adolescente”, tipo “não te rales” mas com uma profundidade surpreendente. Ler este livro é como entrar numa conversa de adolescentes pela forma e pelos termos utilizados, masé ao mesmo tempo uma constante citação de verdades supremas e de coisas que nos fazempensar, a mim pelo menos me fez pensar bastante. Disponível em: http://planetamarcia.blogs.sapo. Acesso em: 27 março 2018 Texto 2 A Culpa é das Estrelas Para mim, A Culpa é das Estrelas é um dos melhores livros do ano, se não um dos melhores livros que eu já li na vida. [...] a história de Hazel e Gus vai ficar comigo por muito tempo, servindo como lição de vida e como um alicerce sempre que surgir um obstáculo. O livro é narrado por Hazel, uma adolescente de dezesseis anos que sofre os males de um câncer terminal, mas não se deixou abater com isso. Hazel é uma garota doce, inteligentee decidida. Ela é o exemplo de que não se pode desistir da vida, mas não consegue expressarseus desejos e ambições por conta do câncer. Por conta disso, ela entra em um grupo de apoio ao câncer, onde pessoas que estão passando por situações parecidas compartilham suas experiências como forma de suporte. Lá, ela conhece Augustus Waters, um garoto de dezessete anos que está livre do câncer e que chama a atenção por onde passa, econtradizendo todos os estereótipos, a química entre os dois é quase que instantânea. Hazel não entende como um garoto como Gus estaria interessado nela, e no começo é relutante em aceitar o possível relacionamento, simplesmente pelo fato de ela se sentir uma“granada” que está prestes a explodir. Mas Gus é convincente demais, e vale a pena correr orisco. Juntos, eles lidam com os problemas da vida adolescente, desde momentos cômicos até os mais “pesados” dos diferentes estágios do câncer. Disponível em: https://www.burnbook.com.br/resenhas/resenha-a-culpa-e-das-estrelas-de-john-green/ Acesso em: 27 março 2018
  • 4. 01.As opiniões apresentadas nos dois textos são A)confusas. B)divergentes. C)irrelevantes. D)análogas. Leia atentamente o comando da questão. 1 “A Culpa é das Estrelas” correspondeu às minhas expectativas. E isto não é pouco! Depois da surpresa de “À Procura de Alaska”, esperava um “A Culpa é das Estrelas” bastante profundo e emocional. Não me enganei. Para mim, A Culpa é das Estrelas é um dos melhores livros do ano, se não um dos melhores livros que eu já li na vida. [...] a história de Hazel e Gus vai ficar comigo por muito tempo, servindo como lição de vida e como um alicerce sempre que surgir um obstáculo. Texto I OPINIÃO POSITIVA Texto II OPINIÃO POSITIVA
  • 5. Leia os textos abaixo
  • 6. Prof. Rosa Mística 02.Esses textos têm como assunto em comum a A)importância do uso consciente da água. B)porcentagem total de água doce do planeta. C)relação entre o consumo de água e a população. D)valorização das reservas hídricas brasileiras. Leia atentamente o comando da questão. 1 Observe cada uma das alternativas e lembre-se que a informação deve ser comum nos dois textos. Leia e volte aos textos para verificar se as informações lidas são comum aos dois ou não. Quando você encontrar uma informação que esteja presente no texto I e II, esse será o gabarito.
  • 7. Leia o texto abaixo A magia do palco As pessoas sempre adoraram contar e ouvir histórias. Não importa se são verdadeiras ou não. Repare: as novelas, os desenhos, os filmes, as peças teatrais, os livros, os jornais... Em cada um desses meios de comunicação, durante todo o tempo se conta histórias, que aconteceram de verdade ou foram inventadas por um escritor. Algumas histórias são escritas, no caso dos livros e dos jornais. Outras são desenhadas, como nas histórias em quadrinhos. Algo diferente acontece nas novelas, nos filmes e no teatro: para contar uma história, os atores "fingem" que ela está acontecendo. Se eu sou um ator e vou fazer o papel do Menino Maluquinho, tenho que fingir que sou o Menino Maluquinho. A diferença do teatro em relação aos filmes e às novelas é que ele acontece "ao vivo". O ator está bem na sua frente, no palco. Mas não faz diferença qual é o nome dele, porque quem está ali é o personagem. Nenhuma história é verdadeira em cima do palco: ele é um espaço mágico onde uma pessoa vive a vida de outra pessoa, inventada ou que realmente existiu. Disponível em: http://www.canalkids.com.br/portal/barra/clubv.php?u=../arte/index.html. acesso em 20 jan. 2019 03.No trecho “... não faz diferença qual é o nome dele, porque quem está ali é o personagem.” (ℓ. 10-11), o termo destacado indica A) causa. B)proporcional. C)explicação. D)finalidade. Leia atentamente o comando da questão. 1
  • 8. 04.Nesse texto, a utilização da expressão “ou melhor” (3°parágrafo) tem como objetivo A) confirmar o que foi dito anteriormente. B) corrigir o que foi dito anteriormente. C) complementar a afirmativa anterior. D) adicionar uma informação ao que já havia sido declarado. Leia o texto abaixo QUE CHEIRO É ESSE? Mau hálito é uma coisa tão chata, né? E todo mundo sofre desse mal... Pelo menos ao acordar! Mas por que será que isso acontece? Talvez você não tenha percebido, mas quando estamos dormindo, quase não salivamos e, com tão pouco movimento, nem é preciso dizer que as bactérias se sentem em casa! Pois bem, quando esses microorganismos chatinhos entram em ação, ou melhor, aumentam a ação dentro da nossa boca, acabam produzindo compostos com um cheiro pra lá de ruim! A metilmercaptana e o dimetilsulfeto são alguns exemplos, mas o principal e mais terrível de todos é de longe o sulfidreto: ele tem cheiro de ovo podre, eca! Esses compostos recebem o nome de CSV (Compostos Sulfurados Voláteis). Para acabar com o horroroso bafo matinal, nada melhor do que uma boa escovada nos dentes e na língua. Mas... e se o danado persistir? http://www.canalkids.com.br/higiene/vocesabia/janeiro03.htm Pois bem, quando esses microorganismos chatinhos entram em ação, ou melhor, aumentam a ação dentro da nossa boca, acabam produzindo compostos com um cheiro pra lá de ruim! A metilmercaptana e o dimetilsulfeto são alguns exemplos, mas o principal e mais terrível de todos é de longe o sulfidreto: ele tem cheiro de ovo podre, eca! Leia atentamente o comando da questão. 1
  • 9. Leia o texto abaixo Narcolepsia Não é mentira: a pessoa está no meio de uma atividade — digamos, lavando as louças do almoço — quando, de repente, dorme. Isso não é resultado da feijoada do almoço, mas da narcolepsia. O distúrbio é causado pela ausência de hipocreatina – substância produzida no cérebro que faz outras substâncias responsáveis pelo estado de alerta funcionar – no hipotálamo. Atualmente, os tratamentos para narcolepsia são feitos com drogas que repõem os níveis de hipocreatina no organismo. Vale lembrar que a narcolepsia não parece nada com o que vemos nos filmes. A pessoa sente a sonolência vir, pode até lutar contra ela, mas não consegue evitá-la. A fala fica alterada, e a pessoa pode acabar caindo e se machucando se não chegar a tempo em um lugar adequado, antes do apagão. Disponível em: https://super.abril.com.br/blog/ Acesso em: 18 fev. 2023. 05.No trecho “...no meio de uma atividade — digamos, lavando as louças do almoço —...” (ℓ. 1 - 2), os travessões foram usados para A)dar ênfase no trecho. B)fazer uma exemplificação. C)fazer uma referência a outro texto. D)marcar o início de uma fala. Leia atentamente o comando da questão. 1
  • 10. Leia o texto abaixo Que sono! Sempre tem aqueles, num grupo de amigos ou na família, que dormem até em pé. Do outro lado do espectro, é claro, todo mundo conhece alguém que fica com o sono atrapalhado por qualquer coisa. Cama diferente, falta do travesseirinho do coração, coberta fina ou grossa demais, o ventilador desligado, aquele barulho irritante de torneira pingando, outra pessoa dormindo na mesma cama, gente andando pela casa… Dormir pode ser algo praticamente automático ou um verdadeiro suplício. Mas, em todos os casos, ainda é um terreno com muitos caminhos desconhecidos para a ciência. Os motivos pelos quais dormimos (economia de energia, manutenção do corpo e consolidação da memória), por exemplo, só foram descobertos na metade do século passado. E, na década de 80, um grupo de pesquisadores da Universidade de Chicago, nos EUA, descobriu que a falta crônica de sono pode matar. Nesse universo desconhecido de Morfeu, há distúrbios específicos do sono, que podem atrapalhar de jeitos altamente variados. Gente que fala dormindo, anda dormindo, para de respirar, está andando e, de repente, cataploft: dormiu. Disponível em: https://super.abril.com.br/blog/. Acesso em: 18 fev. 2023. 06.Nesse texto, no trecho “...falta do travesseirinho...” (ℓ. 3) o uso do diminutivo na palavra destacada sugere A) afetividade. B)crítica C)ironia. D)tamanho. Leia atentamente o comando da questão. 1 A terminação –inho é um prefixo que carrega vários sentidos. Para saber o adequado, analise o contexto. 2
  • 11. Leia o texto abaixo A escolha do restaurante Umgrupodeamigos de40anos,antigos colegasdefaculdade, discutiramediscutiram para escolher o restaurante onde iriam encontrar-se para jantar. Finalmente decidiram-se pelo Restaurante O Caipira porque as garçonetes eram jovens e muito bonitas. 10 anos mais tarde, aos 50 anos, o grupo reuniu-se novamente e mais uma vez discutiram e discutiram para escolher o restaurante. Finalmente decidiram-se pelo Restaurante O Caipira porque a comida era muito boa a havia uma ótima seleção de vinhos. 10 anos mais tarde, aos 60 anos, o grupo reuniu-se novamente e mais uma vez discutiram e discutiram para escolher o restaurante. Finalmente decidiram-se pelo Restaurante O Caipira porque ali podiam comer em paz e sossego e havia sala de fumantes. 10 anos mais tarde, aos 70 anos, o grupo reuniu-se novamente e mais uma vez discutiram e discutiram para escolher o restaurante. Finalmente decidiram-se pelo Restaurante O Caipira porque lá havia uma rampa para cadeiras de rodas e até um pequeno elevador. 10 anos mais tarde, aos 80 anos, o grupo reuniu-se novamente e mais uma vez discutiram e discutiram para escolher o restaurante. Finalmente decidiram-se pelo Restaurante O Caipira.Todos acharam que era uma grande ideia porque nunca tinham estado lá antes. Disponível em: http://www.muraljoia.com.br/000novapaginahum.htm. Acesso em: 18 fev. 2023.
  • 12. 07.O humor desse texto está no fato de A)os antigos colegas de faculdade discutirem sobre a escolha do restaurante. B)os amigos decidirem jantar no Restaurante O Caipira pela beleza das garçonetes. C)os amigos ficarem indecisos na escolha de um bom restaurante para jantar. D)os amigos não lembrarem que já tinham ido várias vezes ao mesmo restaurante Leia atentamente o comando da questão. 1 Lembre-se de que o humor, a parte engraçada, está presente, principalmente, no final do texto. 2
  • 13. Leia o texto abaixo 08.Nesse texto, a linguagem utilizada pela personagem do último quadrinho apresenta características de A) coloquialidade. B) formalidade. C) regionalismo. D) tecnicismo. Leia atentamente o comando da questão. 1 “num falei?” e “tá subindo, cara...” é marca da linguagem oral e informal/coloquial. 2
  • 14. Leia o texto abaixo A vaidade do corvo Ia a raposa com fome quando deu com um corvo, muito feliz da vida, no alto de um galho,com um belo pedaço de queijo no bico. É claro que a ladrona da raposa quis o queijo na hora,mas o corvo estava empoleirado muito alto. Como é que ela havia de subir até lá para roubar o queijo? Isso porque a raposa nem sonhariaem pedir um pedacinho. Ela não sabia pedir; só gostava mesmo de enganar os outros paraconseguir o que queria. Nessas horas, para pôr em funcionamento sua desonestidade, a raposatinha de usar a esperteza que dizem ser qualidade de todas as raposas. E como usou! Foi-sechegando debaixo da árvore e jogando sua lábia: — Hum, mas se não é o grande cantor que eu encontro! Falando com o bico fechado, para não deixar cair o queijo, o corvo espantou-se: — Grunf... umpf... grac.. – o que talvez quisesse dizer “Cantor... Que cantor? Cadê esse cantorde que a senhora está falando?” — Que cantor? Ora, mas é o senhor mesmo! Todo mundo fala, em toda a floresta, damaravilhosa voz que o senhor tem! Todo mundo fala: cantor bom mesmo, só o compadre corvo! — Grof... murfm.. urgc.. – que na certa seria uma resposta como “Falam mesmo? Não diga?” E o corvo foi se inchando de orgulho. — Digo e repito! Eu andava ansiosa para encontrá-lo e poder gozar do privilégio de ouvir suamaviosa voz! Mais inchado ainda ficou o corvo: — Urmc... grofc.. – fez o corvo, querendo dizer “Ora, bondade sua, comadre raposa...” — Bondade, nada: realidade! Garanto-lhe, mestre cantor, que, se eu puder ouvir uma de suas maravilhosas canções, serei o animal mais feliz desta floresta! O corvo nem aguentava mais detanto inchaço, de tanta vaidade e de tanto orgulho. Feliz da vida, abriu o bico para soltar mais um de seus horríveis grasnidos, mas o que soltou foi o queijo, que – fiuuumm... – veio cair árvore abaixo, bem na boca da esperta raposa! Disponível em: http://www.bibliotecapedrobandeira.com.br/ . Acesso em: 20 fev. 2023
  • 15. 09.Nesse texto, o trecho que apresenta um fato é: A)“...só gostava mesmo de enganar os outros para conseguir o que queria...” B)“Falando com o bico fechado, para não deixar cair o queijo...” C)“Todo mundo fala, em toda a floresta, da maravilhosa voz que o senhor tem...” D)“...abriu o bico para soltar mais um de seus horríveis grasnidos...” Leia atentamente o comando da questão. 1 OPINIÃO Classifique as alternativas em FATO ou OPINIÃO. 3 Procure pelo FATO (acontecimento), aquilo que é verdadeiro, que pode ser comprovado. Foque nos adjetivos, as opiniões sempre são marcadas por adjetivos. 2 4 OPINIÃO FATO OPINIÃO
  • 16. Leia o texto abaixo Pensamor Como pesa pensamor Moeda de ouro em minha palma Sem que perceba o doador Como é leve pensamor Ao peito que se abre em palma Para a seta que acertou. LISBOA, Henriqueta. Melhores poemas de Henriqueta Lisboa. Seleção de Fábio Lucas. São Paulo, Global, 2001. P. 162. 10.Nesse texto, o amor é tratado como um A) controle do sentimento alheio. B) desespero para quem o perde. C) peso quando se guarda para si. D) sentimento despertado no doador. Leia atentamente o comando da questão. 1