SlideShare uma empresa Scribd logo
“Posso todas as coisas
naquele que me fortalece” (Fp
4.13).
TEXTO ÁUREO
Igreja Evangélica Assembleia de Deus
Ministério Belém – Setor 5 – Álvares Machado
Campo de Presidente Prudente - SP
A igreja de Cristo deve zelar
pelo bem-estar dos que a
servem, a fim de que não haja
necessitados entre os filhos
de Deus.
VERDADE PRÁTICA
Igreja Evangélica Assembleia de Deus
Ministério Belém – Setor 5 – Álvares Machado
Campo de Presidente Prudente - SP
10 - Ora, muito me regozijei no Senhor por,
finalmente, reviver a vossa lembrança de mim;
pois já vos tínheis lembrado, mas não tínheis tido
oportunidade.
11 - Não digo isto como por necessidade, porque
já aprendi a contentar-me com o que tenho.
12 - Sei estar abatido e sei também ter
abundância; em toda a maneira e em todas as
coisas, estou instruído, tanto a ter fartura como a
ter fome, tanto a ter abundância como a padecer
necessidade.
13 - Posso todas as coisas naquele que me
fortalece.
Igreja Evangélica Assembleia de Deus
Ministério Belém – Setor 5 – Álvares Machado
Campo de Presidente Prudente - SP
LEITURA BÍBLICA EM CLASSE
Fp 4.10-13
PROPOSTA DA LIÇÃO
Igreja Evangélica Assembleia de Deus
Ministério Belém – Setor 5 – Álvares Machado
Campo de Presidente Prudente - SP
• Os filipenses surpreenderam Paulo com outra oferta;
• Filipos: primeira cidade européia a ouvir o Evangelho;
• A igreja precisa prover sustento para os que a servem;
• Deus cuida dos seus – Paulo estava convicto disto;
• Ele aceitou as privações sem se envergonhar;
• Muitos deixam suas famílias para pregarem o Evangelho;
• A piedade com contentamento, já é um grande ganho;
• A fé em Jesus fez de Paulo um grande vencedor;
• Paulo não perdeu sua visão missionária.
INTRODUÇÃO
Igreja Evangélica Assembleia de Deus
Ministério Belém – Setor 5 – Álvares Machado
Campo de Presidente Prudente - SP
• Paulo, no cárcere, dependeu da igreja para sobreviver;
• Ele expressou sua gratidão pelos recursos enviados;
• A igreja socorreu e ao mesmo tempo exercitou o amor;
• Era necessário ser generosa com os que “trabalham”;
• Paulo se alegrou pela lembrança e não pelas ofertas;
• A reciprocidade do amor foi notória a todos;
• Ele amou a igreja, provou o amor e depois foi socorrido.
I – AS OFERTAS DOS FILIPENSES
COMO PROVIDÊNCIA DIVINA
Igreja Evangélica Assembleia de Deus
Ministério Belém – Setor 5 – Álvares Machado
Campo de Presidente Prudente - SP
1) PAULO AGRADECE AOS FILIPENSES
• A igreja de Filipos já havia contribuído desde o início;
• Ele foi surpreendido pela segunda oferta enviada;
• A oferta dos filipenses era fruto da providência de Deus.
2) RECIPROCIDADE ENTRE OS APÓSTOLOS E A IGREJA
• Paulo amou a igreja, provou seu amor;
• A igreja demonstrou o mesmo amor, reciprocidade;
• Ele não desejou o mal para a cidade (Lc 9.52-56).
3) A IGREJA DEVE CUIDAR DOS SEUS OBREIROS
• A igreja precisa prover sustento aos que a servem;
• Paulo havia sofrido com a insensibilidade dos coríntios;
• A igreja em Filipos sempre o ajudou de bom grado.
II – O CONTENTAMENTO EM CRISTO
EM QUALQUER SITUAÇÃO
Igreja Evangélica Assembleia de Deus
Ministério Belém – Setor 5 – Álvares Machado
Campo de Presidente Prudente - SP
1) O CONTENTAMENTO DE PAULO
• Paulo aprendeu a contentar-se em qualquer situação;
• “Sei estar abatido”, não era lamento, era regozijo;
• Ele dependia integralmente de Jesus.
2) “SEI ESTAR ABATIDO”
• Conheceu a fartura, mas também conheceu a escassez;
• Paulo não ficou envergonhado ou triste pelas privações;
• Qualidades de um verdadeiro servo dependente de Deus.
3) O CONTENTAMENTO DESFAZ OS EXTREMISMO
• O descompromisso da igreja afeta muitos obreiros;
• Avareza e ganância: não podem dominar os obreiros;
• “Aprendi a contentar-me com o que tenho”.
III – A PRINCIPAL
FONTE DO CONTENTAMENTO
Igreja Evangélica Assembleia de Deus
Ministério Belém – Setor 5 – Álvares Machado
Campo de Presidente Prudente - SP
1) CRISTO É QUEM FORTALECE
• A suficiência de Paulo sempre esteve em Cristo;
• Por isto ele suportou todas as adversidades;
• A força do ministério de Paulo vinha de Deus.
2) CRISTO É A RAZÃO DO CONTENTAMENTO
• Nossa alegria e força vem do Senhor;
• Precisamos da força dEle para vencermos.
3) O CUMPRIMENTO DA MISSÃO COMO FONTE
• Objetivo de Paulo: pregar o Evangelho e ganhar almas;
• Adversidades: não podem roubar esta visão missionária;
• Ele não se angustiava pela privações materiais e sociais;
• Ao contrário, se regozijava com a suficiência de Cristo.
• A igreja deve zelar pelo bem estar dos que “trabalham”;
• Mas a motivação não podem ser as bênçãos materiais;
• Confiemos na provisão divina, assim seremos felizes.
OBJETIVOS
1) Saber: as dádivas dos filipenses era providência divina:
• A igreja de Filipos já havia contribuído desde o início;
• Mas surpreendeu a Paulo com a segunda oferta enviada.
2) Compreender: o cristão tem o contentamento de Cristo:
• Fato: devemos nos contentar com as situações.
3) Explicar: a principal fonte de contentamento do cristão:
• A suficiência de Paulo sempre esteve em Cristo.
CONCLUSÃO
Igreja Evangélica Assembleia de Deus
Ministério Belém – Setor 5 – Álvares Machado
Campo de Presidente Prudente - SP
Contato: ailtonsilva2000
@yahoo.com.br
@gmail.com
.blogspot.com
facebook
Álvares Machado (SP)
3º trim. 2013
ESCOLA BÍBLICA DOMINICAL
Igreja Evangélica Assembleia de Deus
Ministério Belém – Setor 5 – Álvares Machado
Campo de Presidente Prudente - SP

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Lição 4 - Superando os traumas da violência social
Lição 4 - Superando os traumas da violência socialLição 4 - Superando os traumas da violência social
Lição 4 - Superando os traumas da violência social
Ailton da Silva
 
Lição 14
Lição 14 Lição 14
Lição 14
Ailton da Silva
 
Lição 06
Lição 06Lição 06
Lição 06
Ailton da Silva
 
03
0303
Lição 10
Lição 10Lição 10
Lição 10
Ailton da Silva
 
Lição 4 - a comissão cultural e a grande comissão
Lição 4 - a comissão cultural e a grande comissãoLição 4 - a comissão cultural e a grande comissão
Lição 4 - a comissão cultural e a grande comissão
Ailton da Silva
 
o ministério de apóstolo
o ministério de apóstoloo ministério de apóstolo
o ministério de apóstolo
Ailton da Silva
 
09 - Laodicéia, uma igreja morna
09 - Laodicéia, uma igreja morna09 - Laodicéia, uma igreja morna
09 - Laodicéia, uma igreja morna
Ailton da Silva
 
Lição 5 - Cristo é superior a Arão e à ordem Levítica
Lição 5 - Cristo é superior a Arão e à ordem LevíticaLição 5 - Cristo é superior a Arão e à ordem Levítica
Lição 5 - Cristo é superior a Arão e à ordem Levítica
Ailton da Silva
 
Lição 11
Lição 11Lição 11
Lição 11
Ailton da Silva
 
Lição 03
Lição 03Lição 03
Lição 03
Ailton da Silva
 
Lição 2 - O propósito do fruto do Espírito
Lição 2 - O propósito do fruto do EspíritoLição 2 - O propósito do fruto do Espírito
Lição 2 - O propósito do fruto do Espírito
Ailton da Silva
 
13 - a verdadeira motivação do crente
13 - a verdadeira motivação do crente13 - a verdadeira motivação do crente
13 - a verdadeira motivação do crente
Ailton da Silva
 
10 - Uma igreja verdadeiramente próspera
10 - Uma igreja verdadeiramente próspera10 - Uma igreja verdadeiramente próspera
10 - Uma igreja verdadeiramente próspera
Ailton da Silva
 
Lição 2 - A enfermidade na vida do crente
Lição 2 - A enfermidade na vida do crenteLição 2 - A enfermidade na vida do crente
Lição 2 - A enfermidade na vida do crente
Ailton da Silva
 
o cuidado ao falar e a religião pura
o cuidado ao falar e a religião purao cuidado ao falar e a religião pura
o cuidado ao falar e a religião pura
Ailton da Silva
 
Lição 8 - Filadélfia, a igreja do amor perfeito
Lição 8 - Filadélfia, a igreja do amor perfeitoLição 8 - Filadélfia, a igreja do amor perfeito
Lição 8 - Filadélfia, a igreja do amor perfeito
Ailton da Silva
 
Lição 13 - Aviva, ó, Senhor tua obra
Lição 13 - Aviva, ó, Senhor tua obraLição 13 - Aviva, ó, Senhor tua obra
Lição 13 - Aviva, ó, Senhor tua obra
Ailton da Silva
 
Lição 4 - Espírito Santo. O agente capacitador da obra de Deus
Lição 4 - Espírito Santo. O agente capacitador da obra de DeusLição 4 - Espírito Santo. O agente capacitador da obra de Deus
Lição 4 - Espírito Santo. O agente capacitador da obra de Deus
Ailton da Silva
 
Lição 12 - As dores do abandono
Lição 12 - As dores do abandonoLição 12 - As dores do abandono
Lição 12 - As dores do abandono
Ailton da Silva
 

Mais procurados (20)

Lição 4 - Superando os traumas da violência social
Lição 4 - Superando os traumas da violência socialLição 4 - Superando os traumas da violência social
Lição 4 - Superando os traumas da violência social
 
Lição 14
Lição 14 Lição 14
Lição 14
 
Lição 06
Lição 06Lição 06
Lição 06
 
03
0303
03
 
Lição 10
Lição 10Lição 10
Lição 10
 
Lição 4 - a comissão cultural e a grande comissão
Lição 4 - a comissão cultural e a grande comissãoLição 4 - a comissão cultural e a grande comissão
Lição 4 - a comissão cultural e a grande comissão
 
o ministério de apóstolo
o ministério de apóstoloo ministério de apóstolo
o ministério de apóstolo
 
09 - Laodicéia, uma igreja morna
09 - Laodicéia, uma igreja morna09 - Laodicéia, uma igreja morna
09 - Laodicéia, uma igreja morna
 
Lição 5 - Cristo é superior a Arão e à ordem Levítica
Lição 5 - Cristo é superior a Arão e à ordem LevíticaLição 5 - Cristo é superior a Arão e à ordem Levítica
Lição 5 - Cristo é superior a Arão e à ordem Levítica
 
Lição 11
Lição 11Lição 11
Lição 11
 
Lição 03
Lição 03Lição 03
Lição 03
 
Lição 2 - O propósito do fruto do Espírito
Lição 2 - O propósito do fruto do EspíritoLição 2 - O propósito do fruto do Espírito
Lição 2 - O propósito do fruto do Espírito
 
13 - a verdadeira motivação do crente
13 - a verdadeira motivação do crente13 - a verdadeira motivação do crente
13 - a verdadeira motivação do crente
 
10 - Uma igreja verdadeiramente próspera
10 - Uma igreja verdadeiramente próspera10 - Uma igreja verdadeiramente próspera
10 - Uma igreja verdadeiramente próspera
 
Lição 2 - A enfermidade na vida do crente
Lição 2 - A enfermidade na vida do crenteLição 2 - A enfermidade na vida do crente
Lição 2 - A enfermidade na vida do crente
 
o cuidado ao falar e a religião pura
o cuidado ao falar e a religião purao cuidado ao falar e a religião pura
o cuidado ao falar e a religião pura
 
Lição 8 - Filadélfia, a igreja do amor perfeito
Lição 8 - Filadélfia, a igreja do amor perfeitoLição 8 - Filadélfia, a igreja do amor perfeito
Lição 8 - Filadélfia, a igreja do amor perfeito
 
Lição 13 - Aviva, ó, Senhor tua obra
Lição 13 - Aviva, ó, Senhor tua obraLição 13 - Aviva, ó, Senhor tua obra
Lição 13 - Aviva, ó, Senhor tua obra
 
Lição 4 - Espírito Santo. O agente capacitador da obra de Deus
Lição 4 - Espírito Santo. O agente capacitador da obra de DeusLição 4 - Espírito Santo. O agente capacitador da obra de Deus
Lição 4 - Espírito Santo. O agente capacitador da obra de Deus
 
Lição 12 - As dores do abandono
Lição 12 - As dores do abandonoLição 12 - As dores do abandono
Lição 12 - As dores do abandono
 

Destaque

A travessia do mar Vermelho
A travessia do mar VermelhoA travessia do mar Vermelho
A travessia do mar Vermelho
Ailton da Silva
 
A importância da sabedoria humilde
A importância da sabedoria humildeA importância da sabedoria humilde
A importância da sabedoria humilde
Ailton da Silva
 
Lição 01
Lição 01Lição 01
Lição 01
Ailton da Silva
 
Lição 02 - Oséias a fidelidade no relacionamento com Deus
Lição 02 - Oséias a fidelidade no relacionamento com DeusLição 02 - Oséias a fidelidade no relacionamento com Deus
Lição 02 - Oséias a fidelidade no relacionamento com Deus
Ailton da Silva
 
Lição 09
Lição 09Lição 09
Lição 09
Ailton da Silva
 
Lição 5
Lição 5Lição 5
Lição 5
Ailton da Silva
 
O legado de Moisés
O legado de MoisésO legado de Moisés
O legado de Moisés
Ailton da Silva
 
07
0707
Lição 12 - Zacarias, o reinado messiânico
Lição 12 - Zacarias, o reinado messiânicoLição 12 - Zacarias, o reinado messiânico
Lição 12 - Zacarias, o reinado messiânico
Ailton da Silva
 
O ministério de Evangelista
O ministério de EvangelistaO ministério de Evangelista
O ministério de Evangelista
Ailton da Silva
 
13
1313
05
0505
10
1010
02
0202
Tiago - fé que se mostra pelas obras
Tiago - fé que se mostra pelas obrasTiago - fé que se mostra pelas obras
Tiago - fé que se mostra pelas obras
Ailton da Silva
 
Lição 13
Lição 13Lição 13
Lição 13
Ailton da Silva
 
Lição 8 - Naum, o limite da tolerância Divina
Lição 8 - Naum, o limite da tolerância DivinaLição 8 - Naum, o limite da tolerância Divina
Lição 8 - Naum, o limite da tolerância Divina
Ailton da Silva
 
Deus escolhe Arão e seus filhos para o sacerdócio
Deus escolhe Arão e seus filhos para o sacerdócioDeus escolhe Arão e seus filhos para o sacerdócio
Deus escolhe Arão e seus filhos para o sacerdócio
Ailton da Silva
 
Lição 6
Lição 6Lição 6
Lição 6
Ailton da Silva
 

Destaque (20)

A travessia do mar Vermelho
A travessia do mar VermelhoA travessia do mar Vermelho
A travessia do mar Vermelho
 
A importância da sabedoria humilde
A importância da sabedoria humildeA importância da sabedoria humilde
A importância da sabedoria humilde
 
Lição 01
Lição 01Lição 01
Lição 01
 
Lição 02 - Oséias a fidelidade no relacionamento com Deus
Lição 02 - Oséias a fidelidade no relacionamento com DeusLição 02 - Oséias a fidelidade no relacionamento com Deus
Lição 02 - Oséias a fidelidade no relacionamento com Deus
 
Lição 09
Lição 09Lição 09
Lição 09
 
Lição 5
Lição 5Lição 5
Lição 5
 
O legado de Moisés
O legado de MoisésO legado de Moisés
O legado de Moisés
 
Lição 4
Lição 4Lição 4
Lição 4
 
07
0707
07
 
Lição 12 - Zacarias, o reinado messiânico
Lição 12 - Zacarias, o reinado messiânicoLição 12 - Zacarias, o reinado messiânico
Lição 12 - Zacarias, o reinado messiânico
 
O ministério de Evangelista
O ministério de EvangelistaO ministério de Evangelista
O ministério de Evangelista
 
13
1313
13
 
05
0505
05
 
10
1010
10
 
02
0202
02
 
Tiago - fé que se mostra pelas obras
Tiago - fé que se mostra pelas obrasTiago - fé que se mostra pelas obras
Tiago - fé que se mostra pelas obras
 
Lição 13
Lição 13Lição 13
Lição 13
 
Lição 8 - Naum, o limite da tolerância Divina
Lição 8 - Naum, o limite da tolerância DivinaLição 8 - Naum, o limite da tolerância Divina
Lição 8 - Naum, o limite da tolerância Divina
 
Deus escolhe Arão e seus filhos para o sacerdócio
Deus escolhe Arão e seus filhos para o sacerdócioDeus escolhe Arão e seus filhos para o sacerdócio
Deus escolhe Arão e seus filhos para o sacerdócio
 
Lição 6
Lição 6Lição 6
Lição 6
 

Semelhante a 12

Lição 13 - a fidelidade de Deus
Lição 13 - a fidelidade de DeusLição 13 - a fidelidade de Deus
Lição 13 - a fidelidade de Deus
Ailton da Silva
 
05
0505
LBA LIÇÃO 13 - A FIDELIDADE DE DEUS
LBA LIÇÃO 13 - A FIDELIDADE DE DEUSLBA LIÇÃO 13 - A FIDELIDADE DE DEUS
LBA LIÇÃO 13 - A FIDELIDADE DE DEUS
Natalino das Neves Neves
 
08
0808
A reciprocidade do amor cristão
A reciprocidade do amor cristãoA reciprocidade do amor cristão
A reciprocidade do amor cristão
Moisés Sampaio
 
2013 3 tri lição 12 - a reciprocidade do amor cristão
2013 3 tri lição 12 - a reciprocidade do amor cristão2013 3 tri lição 12 - a reciprocidade do amor cristão
2013 3 tri lição 12 - a reciprocidade do amor cristão
Natalino das Neves Neves
 
Escola Dominical - 3° Trimestre 2012
Escola Dominical - 3° Trimestre 2012Escola Dominical - 3° Trimestre 2012
Escola Dominical - 3° Trimestre 2012
mrcelo35
 
13
1313
Lição 13
Lição 13Lição 13
Lição 13
Ailton da Silva
 
LIÇÃO 6 - A DESPENSA VAZIA
LIÇÃO 6 - A DESPENSA VAZIALIÇÃO 6 - A DESPENSA VAZIA
LIÇÃO 6 - A DESPENSA VAZIA
Ailton da Silva
 
A Fidelidade de Deus.
A  Fidelidade de Deus.A  Fidelidade de Deus.
A Fidelidade de Deus.
Márcio Martins
 
O sacrifício que agrada a Deus
O sacrifício que agrada a DeusO sacrifício que agrada a Deus
O sacrifício que agrada a Deus
Moisés Sampaio
 
Lição 06 - Tiatira, a igreja tolerante
Lição 06 - Tiatira, a igreja toleranteLição 06 - Tiatira, a igreja tolerante
Lição 06 - Tiatira, a igreja tolerante
Ailton da Silva
 
LBJ LIÇÃO 4 - CONSERVANDO UMA VIDA FRUTÍFERA
LBJ LIÇÃO 4 - CONSERVANDO UMA VIDA FRUTÍFERALBJ LIÇÃO 4 - CONSERVANDO UMA VIDA FRUTÍFERA
LBJ LIÇÃO 4 - CONSERVANDO UMA VIDA FRUTÍFERA
Natalino das Neves Neves
 
Ebd aula 13 4°trimestre 2016 A fidelidade de Deus.
Ebd aula 13  4°trimestre  2016 A fidelidade de Deus.Ebd aula 13  4°trimestre  2016 A fidelidade de Deus.
Ebd aula 13 4°trimestre 2016 A fidelidade de Deus.
GIDEONE Moura Santos Ferreira
 
PRELEÇÃO_LIÇÃO 2 - AÇÃO DE GRAÇAS PELA IGREJA DE CORINTO
PRELEÇÃO_LIÇÃO 2 - AÇÃO DE GRAÇAS PELA IGREJA DE CORINTOPRELEÇÃO_LIÇÃO 2 - AÇÃO DE GRAÇAS PELA IGREJA DE CORINTO
PRELEÇÃO_LIÇÃO 2 - AÇÃO DE GRAÇAS PELA IGREJA DE CORINTO
Natalino das Neves Neves
 
2021 2º trimestre jovem - lição 02
2021   2º trimestre jovem - lição 022021   2º trimestre jovem - lição 02
2021 2º trimestre jovem - lição 02
Joel Silva
 
Lição 12 A Reciprocidade do Amor Cristão
Lição 12   A Reciprocidade do Amor CristãoLição 12   A Reciprocidade do Amor Cristão
Lição 12 A Reciprocidade do Amor Cristão
João Paulo Silva Mendes
 
E deu dons aos homens
E deu dons aos homensE deu dons aos homens
E deu dons aos homens
Ailton da Silva
 
Lba lição 4 alegria, fruto do espírito; inveja, hábito da velha natureza
Lba lição 4   alegria, fruto do espírito; inveja, hábito da velha naturezaLba lição 4   alegria, fruto do espírito; inveja, hábito da velha natureza
Lba lição 4 alegria, fruto do espírito; inveja, hábito da velha natureza
Natalino das Neves Neves
 

Semelhante a 12 (20)

Lição 13 - a fidelidade de Deus
Lição 13 - a fidelidade de DeusLição 13 - a fidelidade de Deus
Lição 13 - a fidelidade de Deus
 
05
0505
05
 
LBA LIÇÃO 13 - A FIDELIDADE DE DEUS
LBA LIÇÃO 13 - A FIDELIDADE DE DEUSLBA LIÇÃO 13 - A FIDELIDADE DE DEUS
LBA LIÇÃO 13 - A FIDELIDADE DE DEUS
 
08
0808
08
 
A reciprocidade do amor cristão
A reciprocidade do amor cristãoA reciprocidade do amor cristão
A reciprocidade do amor cristão
 
2013 3 tri lição 12 - a reciprocidade do amor cristão
2013 3 tri lição 12 - a reciprocidade do amor cristão2013 3 tri lição 12 - a reciprocidade do amor cristão
2013 3 tri lição 12 - a reciprocidade do amor cristão
 
Escola Dominical - 3° Trimestre 2012
Escola Dominical - 3° Trimestre 2012Escola Dominical - 3° Trimestre 2012
Escola Dominical - 3° Trimestre 2012
 
13
1313
13
 
Lição 13
Lição 13Lição 13
Lição 13
 
LIÇÃO 6 - A DESPENSA VAZIA
LIÇÃO 6 - A DESPENSA VAZIALIÇÃO 6 - A DESPENSA VAZIA
LIÇÃO 6 - A DESPENSA VAZIA
 
A Fidelidade de Deus.
A  Fidelidade de Deus.A  Fidelidade de Deus.
A Fidelidade de Deus.
 
O sacrifício que agrada a Deus
O sacrifício que agrada a DeusO sacrifício que agrada a Deus
O sacrifício que agrada a Deus
 
Lição 06 - Tiatira, a igreja tolerante
Lição 06 - Tiatira, a igreja toleranteLição 06 - Tiatira, a igreja tolerante
Lição 06 - Tiatira, a igreja tolerante
 
LBJ LIÇÃO 4 - CONSERVANDO UMA VIDA FRUTÍFERA
LBJ LIÇÃO 4 - CONSERVANDO UMA VIDA FRUTÍFERALBJ LIÇÃO 4 - CONSERVANDO UMA VIDA FRUTÍFERA
LBJ LIÇÃO 4 - CONSERVANDO UMA VIDA FRUTÍFERA
 
Ebd aula 13 4°trimestre 2016 A fidelidade de Deus.
Ebd aula 13  4°trimestre  2016 A fidelidade de Deus.Ebd aula 13  4°trimestre  2016 A fidelidade de Deus.
Ebd aula 13 4°trimestre 2016 A fidelidade de Deus.
 
PRELEÇÃO_LIÇÃO 2 - AÇÃO DE GRAÇAS PELA IGREJA DE CORINTO
PRELEÇÃO_LIÇÃO 2 - AÇÃO DE GRAÇAS PELA IGREJA DE CORINTOPRELEÇÃO_LIÇÃO 2 - AÇÃO DE GRAÇAS PELA IGREJA DE CORINTO
PRELEÇÃO_LIÇÃO 2 - AÇÃO DE GRAÇAS PELA IGREJA DE CORINTO
 
2021 2º trimestre jovem - lição 02
2021   2º trimestre jovem - lição 022021   2º trimestre jovem - lição 02
2021 2º trimestre jovem - lição 02
 
Lição 12 A Reciprocidade do Amor Cristão
Lição 12   A Reciprocidade do Amor CristãoLição 12   A Reciprocidade do Amor Cristão
Lição 12 A Reciprocidade do Amor Cristão
 
E deu dons aos homens
E deu dons aos homensE deu dons aos homens
E deu dons aos homens
 
Lba lição 4 alegria, fruto do espírito; inveja, hábito da velha natureza
Lba lição 4   alegria, fruto do espírito; inveja, hábito da velha naturezaLba lição 4   alegria, fruto do espírito; inveja, hábito da velha natureza
Lba lição 4 alegria, fruto do espírito; inveja, hábito da velha natureza
 

Mais de Ailton da Silva

Lição 3 - Os primeiros passos de Abraão
Lição 3 - Os primeiros passos de AbraãoLição 3 - Os primeiros passos de Abraão
Lição 3 - Os primeiros passos de Abraão
Ailton da Silva
 
Lição 2 - O primeiro dia depois do sim
Lição 2 - O primeiro dia depois do simLição 2 - O primeiro dia depois do sim
Lição 2 - O primeiro dia depois do sim
Ailton da Silva
 
Lição 1 - Abraão, chamada e revelação
Lição 1 - Abraão, chamada e revelaçãoLição 1 - Abraão, chamada e revelação
Lição 1 - Abraão, chamada e revelação
Ailton da Silva
 
Lição 4 - Jesus é superior a Josué. O meio de entrar no repouso de Deus
Lição 4 - Jesus é superior a Josué. O meio de entrar no repouso de DeusLição 4 - Jesus é superior a Josué. O meio de entrar no repouso de Deus
Lição 4 - Jesus é superior a Josué. O meio de entrar no repouso de Deus
Ailton da Silva
 
Lição 3 - A superioridade de Jesus em relação a Moisés
Lição 3 - A superioridade de Jesus em relação a MoisésLição 3 - A superioridade de Jesus em relação a Moisés
Lição 3 - A superioridade de Jesus em relação a Moisés
Ailton da Silva
 
Lição 2 - Uma salvação grandiosa
Lição 2 - Uma salvação grandiosaLição 2 - Uma salvação grandiosa
Lição 2 - Uma salvação grandiosa
Ailton da Silva
 
01 - A Carta aos hebreus e a excelência de Cristo
01 - A Carta aos hebreus e a excelência de Cristo01 - A Carta aos hebreus e a excelência de Cristo
01 - A Carta aos hebreus e a excelência de Cristo
Ailton da Silva
 
Lição 13 - Glorificados em Cristo
Lição 13 - Glorificados em CristoLição 13 - Glorificados em Cristo
Lição 13 - Glorificados em Cristo
Ailton da Silva
 
Lição 12 - Perseverando na fé
Lição 12 - Perseverando na féLição 12 - Perseverando na fé
Lição 12 - Perseverando na fé
Ailton da Silva
 
Lição 11 - Adotados por Deus
Lição 11 - Adotados por DeusLição 11 - Adotados por Deus
Lição 11 - Adotados por Deus
Ailton da Silva
 
Lição 10 - O processo da salvação
Lição 10 - O processo da salvaçãoLição 10 - O processo da salvação
Lição 10 - O processo da salvação
Ailton da Silva
 
Lição 9 - Arrependimento e fé para salvação
Lição 9 - Arrependimento e fé para salvaçãoLição 9 - Arrependimento e fé para salvação
Lição 9 - Arrependimento e fé para salvação
Ailton da Silva
 
Lição 8 - A salvação e o livre-arbítrio
Lição 8 - A salvação e o livre-arbítrioLição 8 - A salvação e o livre-arbítrio
Lição 8 - A salvação e o livre-arbítrio
Ailton da Silva
 
Lição 7 - A Salvação pela Graça
Lição 7 - A Salvação pela GraçaLição 7 - A Salvação pela Graça
Lição 7 - A Salvação pela Graça
Ailton da Silva
 
Lição 6 - A abrangência universal da salvação
Lição 6 - A abrangência universal da salvaçãoLição 6 - A abrangência universal da salvação
Lição 6 - A abrangência universal da salvação
Ailton da Silva
 
Lição 5 - A obra salvífica de Jesus Cristo
Lição 5 - A obra salvífica de Jesus CristoLição 5 - A obra salvífica de Jesus Cristo
Lição 5 - A obra salvífica de Jesus Cristo
Ailton da Silva
 
Lição 8 - A Igreja de Cristo
Lição 8 - A Igreja de CristoLição 8 - A Igreja de Cristo
Lição 8 - A Igreja de Cristo
Ailton da Silva
 
Lição 7 - A necessidade do novo nascimento
Lição 7 - A necessidade do novo nascimentoLição 7 - A necessidade do novo nascimento
Lição 7 - A necessidade do novo nascimento
Ailton da Silva
 
Lição 6 - A pecaminosidade humana e a sua restauração a Deus
Lição 6 - A pecaminosidade humana e a sua restauração a DeusLição 6 - A pecaminosidade humana e a sua restauração a Deus
Lição 6 - A pecaminosidade humana e a sua restauração a Deus
Ailton da Silva
 
Lição 4 - O Senhor Jesus e Salvador
Lição 4 - O Senhor Jesus e SalvadorLição 4 - O Senhor Jesus e Salvador
Lição 4 - O Senhor Jesus e Salvador
Ailton da Silva
 

Mais de Ailton da Silva (20)

Lição 3 - Os primeiros passos de Abraão
Lição 3 - Os primeiros passos de AbraãoLição 3 - Os primeiros passos de Abraão
Lição 3 - Os primeiros passos de Abraão
 
Lição 2 - O primeiro dia depois do sim
Lição 2 - O primeiro dia depois do simLição 2 - O primeiro dia depois do sim
Lição 2 - O primeiro dia depois do sim
 
Lição 1 - Abraão, chamada e revelação
Lição 1 - Abraão, chamada e revelaçãoLição 1 - Abraão, chamada e revelação
Lição 1 - Abraão, chamada e revelação
 
Lição 4 - Jesus é superior a Josué. O meio de entrar no repouso de Deus
Lição 4 - Jesus é superior a Josué. O meio de entrar no repouso de DeusLição 4 - Jesus é superior a Josué. O meio de entrar no repouso de Deus
Lição 4 - Jesus é superior a Josué. O meio de entrar no repouso de Deus
 
Lição 3 - A superioridade de Jesus em relação a Moisés
Lição 3 - A superioridade de Jesus em relação a MoisésLição 3 - A superioridade de Jesus em relação a Moisés
Lição 3 - A superioridade de Jesus em relação a Moisés
 
Lição 2 - Uma salvação grandiosa
Lição 2 - Uma salvação grandiosaLição 2 - Uma salvação grandiosa
Lição 2 - Uma salvação grandiosa
 
01 - A Carta aos hebreus e a excelência de Cristo
01 - A Carta aos hebreus e a excelência de Cristo01 - A Carta aos hebreus e a excelência de Cristo
01 - A Carta aos hebreus e a excelência de Cristo
 
Lição 13 - Glorificados em Cristo
Lição 13 - Glorificados em CristoLição 13 - Glorificados em Cristo
Lição 13 - Glorificados em Cristo
 
Lição 12 - Perseverando na fé
Lição 12 - Perseverando na féLição 12 - Perseverando na fé
Lição 12 - Perseverando na fé
 
Lição 11 - Adotados por Deus
Lição 11 - Adotados por DeusLição 11 - Adotados por Deus
Lição 11 - Adotados por Deus
 
Lição 10 - O processo da salvação
Lição 10 - O processo da salvaçãoLição 10 - O processo da salvação
Lição 10 - O processo da salvação
 
Lição 9 - Arrependimento e fé para salvação
Lição 9 - Arrependimento e fé para salvaçãoLição 9 - Arrependimento e fé para salvação
Lição 9 - Arrependimento e fé para salvação
 
Lição 8 - A salvação e o livre-arbítrio
Lição 8 - A salvação e o livre-arbítrioLição 8 - A salvação e o livre-arbítrio
Lição 8 - A salvação e o livre-arbítrio
 
Lição 7 - A Salvação pela Graça
Lição 7 - A Salvação pela GraçaLição 7 - A Salvação pela Graça
Lição 7 - A Salvação pela Graça
 
Lição 6 - A abrangência universal da salvação
Lição 6 - A abrangência universal da salvaçãoLição 6 - A abrangência universal da salvação
Lição 6 - A abrangência universal da salvação
 
Lição 5 - A obra salvífica de Jesus Cristo
Lição 5 - A obra salvífica de Jesus CristoLição 5 - A obra salvífica de Jesus Cristo
Lição 5 - A obra salvífica de Jesus Cristo
 
Lição 8 - A Igreja de Cristo
Lição 8 - A Igreja de CristoLição 8 - A Igreja de Cristo
Lição 8 - A Igreja de Cristo
 
Lição 7 - A necessidade do novo nascimento
Lição 7 - A necessidade do novo nascimentoLição 7 - A necessidade do novo nascimento
Lição 7 - A necessidade do novo nascimento
 
Lição 6 - A pecaminosidade humana e a sua restauração a Deus
Lição 6 - A pecaminosidade humana e a sua restauração a DeusLição 6 - A pecaminosidade humana e a sua restauração a Deus
Lição 6 - A pecaminosidade humana e a sua restauração a Deus
 
Lição 4 - O Senhor Jesus e Salvador
Lição 4 - O Senhor Jesus e SalvadorLição 4 - O Senhor Jesus e Salvador
Lição 4 - O Senhor Jesus e Salvador
 

12

  • 1.
  • 2. “Posso todas as coisas naquele que me fortalece” (Fp 4.13). TEXTO ÁUREO Igreja Evangélica Assembleia de Deus Ministério Belém – Setor 5 – Álvares Machado Campo de Presidente Prudente - SP
  • 3. A igreja de Cristo deve zelar pelo bem-estar dos que a servem, a fim de que não haja necessitados entre os filhos de Deus. VERDADE PRÁTICA Igreja Evangélica Assembleia de Deus Ministério Belém – Setor 5 – Álvares Machado Campo de Presidente Prudente - SP
  • 4. 10 - Ora, muito me regozijei no Senhor por, finalmente, reviver a vossa lembrança de mim; pois já vos tínheis lembrado, mas não tínheis tido oportunidade. 11 - Não digo isto como por necessidade, porque já aprendi a contentar-me com o que tenho. 12 - Sei estar abatido e sei também ter abundância; em toda a maneira e em todas as coisas, estou instruído, tanto a ter fartura como a ter fome, tanto a ter abundância como a padecer necessidade. 13 - Posso todas as coisas naquele que me fortalece. Igreja Evangélica Assembleia de Deus Ministério Belém – Setor 5 – Álvares Machado Campo de Presidente Prudente - SP LEITURA BÍBLICA EM CLASSE Fp 4.10-13
  • 5. PROPOSTA DA LIÇÃO Igreja Evangélica Assembleia de Deus Ministério Belém – Setor 5 – Álvares Machado Campo de Presidente Prudente - SP • Os filipenses surpreenderam Paulo com outra oferta; • Filipos: primeira cidade européia a ouvir o Evangelho; • A igreja precisa prover sustento para os que a servem; • Deus cuida dos seus – Paulo estava convicto disto; • Ele aceitou as privações sem se envergonhar; • Muitos deixam suas famílias para pregarem o Evangelho; • A piedade com contentamento, já é um grande ganho; • A fé em Jesus fez de Paulo um grande vencedor; • Paulo não perdeu sua visão missionária.
  • 6. INTRODUÇÃO Igreja Evangélica Assembleia de Deus Ministério Belém – Setor 5 – Álvares Machado Campo de Presidente Prudente - SP • Paulo, no cárcere, dependeu da igreja para sobreviver; • Ele expressou sua gratidão pelos recursos enviados; • A igreja socorreu e ao mesmo tempo exercitou o amor; • Era necessário ser generosa com os que “trabalham”; • Paulo se alegrou pela lembrança e não pelas ofertas; • A reciprocidade do amor foi notória a todos; • Ele amou a igreja, provou o amor e depois foi socorrido.
  • 7. I – AS OFERTAS DOS FILIPENSES COMO PROVIDÊNCIA DIVINA Igreja Evangélica Assembleia de Deus Ministério Belém – Setor 5 – Álvares Machado Campo de Presidente Prudente - SP 1) PAULO AGRADECE AOS FILIPENSES • A igreja de Filipos já havia contribuído desde o início; • Ele foi surpreendido pela segunda oferta enviada; • A oferta dos filipenses era fruto da providência de Deus. 2) RECIPROCIDADE ENTRE OS APÓSTOLOS E A IGREJA • Paulo amou a igreja, provou seu amor; • A igreja demonstrou o mesmo amor, reciprocidade; • Ele não desejou o mal para a cidade (Lc 9.52-56). 3) A IGREJA DEVE CUIDAR DOS SEUS OBREIROS • A igreja precisa prover sustento aos que a servem; • Paulo havia sofrido com a insensibilidade dos coríntios; • A igreja em Filipos sempre o ajudou de bom grado.
  • 8. II – O CONTENTAMENTO EM CRISTO EM QUALQUER SITUAÇÃO Igreja Evangélica Assembleia de Deus Ministério Belém – Setor 5 – Álvares Machado Campo de Presidente Prudente - SP 1) O CONTENTAMENTO DE PAULO • Paulo aprendeu a contentar-se em qualquer situação; • “Sei estar abatido”, não era lamento, era regozijo; • Ele dependia integralmente de Jesus. 2) “SEI ESTAR ABATIDO” • Conheceu a fartura, mas também conheceu a escassez; • Paulo não ficou envergonhado ou triste pelas privações; • Qualidades de um verdadeiro servo dependente de Deus. 3) O CONTENTAMENTO DESFAZ OS EXTREMISMO • O descompromisso da igreja afeta muitos obreiros; • Avareza e ganância: não podem dominar os obreiros; • “Aprendi a contentar-me com o que tenho”.
  • 9. III – A PRINCIPAL FONTE DO CONTENTAMENTO Igreja Evangélica Assembleia de Deus Ministério Belém – Setor 5 – Álvares Machado Campo de Presidente Prudente - SP 1) CRISTO É QUEM FORTALECE • A suficiência de Paulo sempre esteve em Cristo; • Por isto ele suportou todas as adversidades; • A força do ministério de Paulo vinha de Deus. 2) CRISTO É A RAZÃO DO CONTENTAMENTO • Nossa alegria e força vem do Senhor; • Precisamos da força dEle para vencermos. 3) O CUMPRIMENTO DA MISSÃO COMO FONTE • Objetivo de Paulo: pregar o Evangelho e ganhar almas; • Adversidades: não podem roubar esta visão missionária; • Ele não se angustiava pela privações materiais e sociais; • Ao contrário, se regozijava com a suficiência de Cristo.
  • 10. • A igreja deve zelar pelo bem estar dos que “trabalham”; • Mas a motivação não podem ser as bênçãos materiais; • Confiemos na provisão divina, assim seremos felizes. OBJETIVOS 1) Saber: as dádivas dos filipenses era providência divina: • A igreja de Filipos já havia contribuído desde o início; • Mas surpreendeu a Paulo com a segunda oferta enviada. 2) Compreender: o cristão tem o contentamento de Cristo: • Fato: devemos nos contentar com as situações. 3) Explicar: a principal fonte de contentamento do cristão: • A suficiência de Paulo sempre esteve em Cristo. CONCLUSÃO Igreja Evangélica Assembleia de Deus Ministério Belém – Setor 5 – Álvares Machado Campo de Presidente Prudente - SP
  • 11.
  • 12. Contato: ailtonsilva2000 @yahoo.com.br @gmail.com .blogspot.com facebook Álvares Machado (SP) 3º trim. 2013 ESCOLA BÍBLICA DOMINICAL Igreja Evangélica Assembleia de Deus Ministério Belém – Setor 5 – Álvares Machado Campo de Presidente Prudente - SP