SlideShare uma empresa Scribd logo
SISCAN
Sistema de Informação do Câncer
Versão WEB
Versão em plataforma web que integra os sistemas de informação
do Programa Nacional de Controle do Câncer do Colo do Útero -
SISCOLO e do Programa Nacional de Controle do Câncer de Mama
- SISMAMA.
Sistema de Informação do Câncer -SISCAN
 Avaliação (serviço, programa, rede)
 Planejamento
 Organização da rede
 Capacitação
 Padronização de Laudos: comparabilidade de resultados
temporal e espacialmente
 Identificação e acompanhamento das mulheres com exames
alterados
Importância dos Sistemas de Informação
BATIMENTO
SISCOLO /
SISMAMA
X
SIA/SUS
INFORMAÇÕES
RECEBIDAS
(Dados Exportados)
Coord
Estadual
SIA/SUS
Coord.
Municipal
Coord.
Nacional
DATASUS
Prestador de
serviços
INFORMAÇÕES FINANCEIRAS
(Faturamento SUS)
BPA
Coord.
Regional
Requisição de
Exames
INFORMAÇÕES
DA MULHER
DADOS EXPORTADOS
Fluxos atuais dos sistemas
seguimento
Por que estamos mudando de versão?
SISCOLO e SISMAMA - sistemas oficiais de informação do
Ministério da Saúde Portarias SAS 287/06 e 779/09.
1999 2009
Principais limitações dos sistemas atuais:
 Perda da informação (SIA-SUS)
 Irregularidades no envio das bases
 Identificação apenas de exames e não de mulheres
 Necessidade de descentralização de seguimento e transferência
de arquivos entre as coordenações
 Associações no seguimento
 Construção de indicadores;
 Avaliação do programa; e
 Planejamento das ações de controle a serem desenvolvidas
Problemas provenientes de falhas no fluxo/perda
de dados
Municípios com
amostra
insatisfatória
acima de 5%.
Fonte: SISCOLO INCA – DATASUS
2009 2011
EIXOS
1. Fortalecimento do Controle do Câncer de Colo de
Útero.
2. Fortalecimento do Controle do Câncer de Mama.
3. Ampliação e Qualificação da Assistência
Oncológica no SUS.
Fortalecimento da Rede de Prevenção, Diagnóstico e
Tratamento do Câncer
EIXOS TRANSVERSAIS
1. Difusão de informação e mobilização social.
2. Informação epidemiológica – melhoria dos sistemas de
informação e vigilância do câncer
Manaus
Março de 2011
 Identificação da mulher (integrado ao CADSUS) – campo obrigatório;
 Integração com CNES;
 Informações disponíveis em tempo real ao serem inseridas no sistema
pela internet;
 Acaba a transferência de arquivos: exporta dados e
descentralização.
 As unidades de saúde, responsáveis pela coleta, confirmação
diagnóstica e tratamento, terão acesso ao sistema para solicitar exames,
visualizar laudos e cadastrar informações no módulo seguimento;
 Módulo de qualidade da mamografia;
 Módulo rastreamento.
Principais Mudanças
Impressora
Computador
Diferentes cenários pelo Brasil
Computador Impressora
Internet
O médico/enfermeiro/administrativo pode fazer a
solicitação de exames diretamente pelo SISCAN,
imprimir a requisição e visualizar o laudo.
Um responsável na unidade de saúde pode
acompanhar/inserir informações no seguimento, gerar
relatórios e analisar dados epidemiológicos.
Internet
O médico/enfermeiro/administrativo faz a solicitação
dos exames em papel. Os laudos vêm impressos do
prestador de serviço.
Um responsável na unidade de saúde pode
acompanhar/inserir informações no seguimento,
gerar relatórios e analisar dados epidemiológicos.
Computador Impressora
Internet
Nada muda em relação ao fluxo
existente hoje
Preenche requisição
Preenche formulário papel
Preenche requisição
Preenche formulário papel
Prestador de
Serviço
Profissional
Unidade de
Saúde
Digitador
Unidade de
Saúde
Dados do paciente
Fluxo com o SISCAN
PMAQ*: 34% unidades
básicas tem acesso a
internet
Informa requisição/laudo
Retorna laudo
Libera laudo
Informa requisição/laudo
Profissional
Prestador de
Serviço
Digitador
Prestador de
Serviço
Unidade de
Saúde
Visualiza a requisição/ informa resultado
Fluxo com o SISCAN
As requisições em papel continuam sendo utilizadas.
- Se a unidade tem acesso à internet, imprimir o
formulário preenchido no SISCAN
- exames cito e histopatológicos: material segue para
o laboratório junto com a requisição.
- exames de mamografia: a mulher recebe uma a
requisição impressa.
Fluxo BPA e exporta Dados
Libera laudo
Prestador de
Serviço
SISCAN
Informações epidemiológicas
disponíveis a cada
competência encerrada (antigo
exporta dados)
INFORMAÇÕES FINANCEIRAS
(Faturamento SUS)
BPA-I
Informações faturamento entregues
na data da competência
estabelecida – manter fluxo
Gera BPA-I
Unidade Secundária
Unidade Básica de Saúde
Continuação investigação
diagnóstica
Colo: colposcopia, biópsia, EZT
Mama: US, citopatologia,
histopatologia.
Rotina de rastreamento
PERCURSO DA
MULHER COM O
SISCAN NÃO MUDA
Recomendações para o rastreamento
de mulheres assintomáticas e coleta de
exame citopatológico
Funcionalidades dos prestadores de serviço
 Incluir requisições de exame;
 Incluir resultados dos exames (laudo);
 Liberar e imprimir laudos.
Funcionalidades das unidades de saúde
- Incluir e imprimir requisições de exames;
- Visualizar laudos liberados pelos prestadores de serviço;
- Incluir informações no seguimento;
- Gerenciar o rastreamento.
Novo ator na
informatização do
dado
Funcionalidades das coordenações
- Vincular unidades de saúde a prestadores de serviço;
- Criar regionais;
- Criar intramunicipais;
- Visualizar laudos liberados pelos prestadores de serviço;
- Gerenciar seguimento;
- Gerenciar monitoramento externo da qualidade
- Gerenciar o rastreamento.
SISCAN – Integração com Outros Sistemas
O SISCAN está integrado ao Sistema de Cadastro e
Permissão de Acesso do Ministério da Saúde (SCPA), ao
Cadastro Nacional de Usuários do SUS (CADSUSWEB) e ao
Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde (CNES).
CADSUS
WEB
CNES
A integração com o CNES
permite que o sistema
identifique profissionais
das unidades de saúde e
prestadores de serviço
habilitados para solicitar e
laudar exames.
A integração com o
CADWEB permite
identificar as mulheres
pelo número do cartão
SUS
SCPA
Através do SCPA são solicitados e
autorizados acessos ao sistema para os
diversos perfis de usuários
No campo Serviço/Classificação do CNES estão identificado os exames
que os prestadores de serviço podem realizar. Os prestadores só
poderão ser vinculados para a realização destes exames .
Para exames citopatológicos de colo do
útero e/ou mama
Serviço especializado:
120. serviço de diagnóstico por
anatomia patológica e/ou citopatológico
Serviço Classificação:
120 - 002 exames citopatológicos
Para exames histopatológicos de colo
do útero e/ou mama
Serviço especializado:
120. serviço de diagnóstico por anatomia
patológica e/ou citopatológico
Serviço Classificação:
120 - 001 exames anatomopatológicos
Para mamografia
Serviço especializado:
121. serviço de diagnostico por imagem
Serviço classificação:
121 – 012 - mamografia
121 – 013 - mamografia por
telemedicina
Integração CNES
 É importante que unidades de saúde e prestadores de serviço
estejam atentos para informar mudanças, principalmente no
cadastro de profissionais e dos serviços oferecidos, em tempo hábil
para que essas informações estejam disponíveis no SISCAN
 Para verificar se o CNES do Prestador de Serviço está atualizado em
relação aos exames, basta acessar a página do CNES
(http://cnes.datasus.gov.br) e consultar o estabelecimento desejado
 Quando o prestador de serviço terceiriza um dos serviços
oferecidos, esta informação deve estar registrada no CNES no campo
"Terceiro" com o CNES do prestador de serviço terceirizado
informado para o mesmo possa visualizar os exames encaminhados a
ele
Integração
CNES
Serviço terceirizado
 A solicitação de exames e a liberação de laudos só ficam disponíveis para
profissionais habilitados de acordo com o Código Brasileiro de Ocupações, que
constam no Sistema de Gerenciamento da Tabela de Procedimentos,
Medicamentos e OPM do SUS (SIGTAP).
 Estes profissionais devem estar cadastrados no CNES do estabelecimento com
o CBO correto e com Cartão Nacional de Saúde (CNS) do profissional válido.
Outros profissionais das unidades de saúde e prestadores de serviço, como
digitadores e agentes administrativos, podem utilizar o sistema. Para que esses
profissionais tenham acesso é necessário que estejam cadastrados no CNES do
estabelecimento de saúde com Cartão Nacional de Saúde válido e que tenham
recebido login de acesso.
Só podem ser selecionados como responsáveis pelas requisições
profissionais habilitados conforme tabela SIGTAP
Os laudos só podem ser liberados quando o profissional habilitado
para laudar o exame acessar o sistema com seu login e senha e liberar
o laudo
Integração CNES
Integração CADWEB
A solicitação de exames só pode ser feita após informar o cartão SUS da mulher
Como nem todas as unidades de saúde do País são informatizadas, algumas requisições
serão feitas no formulário em papel e incluídas no sistema pelo prestador de serviço
É importante que as
coordenações
sensibilizem às
unidades de saúde
para o preenchimento
adequado deste
campo no formulário
Se a usuária não sabe informar o número do seu cartão SUS, o profissional poderá pesquisá-lo no
SISCAN clicando no ícone da lupa ao lado do campo para inserir o cartão. Neste ícone é feita a
pesquisa apenas das mulheres que já tenham algum exame cadastrado no SISCAN. Se a mulher não
for encontrada na base do SISCAN, o sistema exibe uma mensagem com o link do Cadweb, para que
a pesquisa seja feita na base do cartão. Para acessar o cadweb, o profissional deve ter login e senha
de acesso.
Ao inserir o número do Cartão SUS, os
dados de identificação da mulher são
preenchidos automaticamente
Integração com o CadWeb
Pesquisa de pacientes no SISCAN
Busca de pacientes com algum registro no
SISCAN
Busca de todos os pacientes
com cartão SUS
02 SISCAN - Apresentação fluxo geral.ppt
Quando a solicitação de exames for feita no formulário em papel, por unidades de saúde sem acesso
à internet é importante que sejam preenchidos o cartão SUS, nome da mulher, nome da mãe e data
de nascimento para permitir a confirmação dos dados na base do cartão SUS com os da ficha
Caso a mulher não tenha cartão SUS, e a unidade de saúde não possua acesso ao CADWEB para gerar
o cartão, o formulário deve ser preenchido com os dados obrigatórios para gerar um cartão, que são:
nome completo, nome da mãe, nome do pai, sexo, raça/cor, data de nascimento, nacionalidade,
município de nascimento, endereço completo (tipo de logradouro, nome do logradouro, número,
bairro, CEP, telefone com DDD e pelo menos um documento de identificação (CPF, RG, título de
eleitor, certidão de nascimento, certidão de casamento, certidão de divórcio, certidão administrativa -
índios, carteira de trabalho, carteira nacional de habilitação ou passaporte).
A informação de escolaridade não vem do cartão SUS. É importante orientar profissionais
responsáveis pela solicitação de exames que informem este campo na ficha, por ser uma informação
importante para realização de análises da situação de saúde local.
Atribuições das coordenações no processo de
implantação
Vincular unidades de saúde a prestadores de serviço
Coordenações estaduais e municipais são responsáveis por
vincular as unidades de saúde sob sua gestão aos
prestadores de serviço que atendem a estas unidades
Vincular/desvincular é um processo gerencial onde são feitas associações entre
prestadores de serviço e unidades de saúde, por exemplo.
A coordenação pode vincular as unidades de
saúde sob sua gestão a qualquer prestador
do país que realize o exame
Coordenação
Unidade de
Saúde
Prestador
 quais os prestadores que realizam
exames para determinada unidade de
saúde?
Unidade A
Unidade B
Unidade C
Prestador I
Prestador II
O processo de vincular permitirá à
unidade de saúde, com acesso a
Internet, fazer, via SISCAN,
solicitação de exames, assim como
possibilitará que o prestador
visualize os exames encaminhados
pela unidade de saúde.
SISCAN – Vincular Unidade de Saúde ao
Prestador de Serviço
Necessário indicar a data de início
e fim do vínculo. A data final
pode ficar em branco
Os combos superiores devem ser utilizados
quando se deseja vincular várias unidades de
saúde ao prestador estabelecendo o mesmo
período de vigência para os vínculos
Os combos inferiores devem ser utilizados para
definir datas para unidades específicas
 Uma unidade de saúde só pode solicitar exames
para os prestadores de serviço que esteja
vinculada.
 Prestadores de serviço só poderão ser
vinculados para a realização de exames que
estejam informados em seu CNES
O prestador de
serviço é vinculado às
unidades de saúde
por tipo de exame
realizado.
O mesmo prestador
pode ser vinculado a
várias unidades de
saúde para mais de
um tipo de exame
Atribuições das coordenações no processo de
implantação
Coordenação estadual é responsável por criar as coordenações
regionais através da vinculação dos municípios que as
compõem.
- Criar regionais
02 SISCAN - Apresentação fluxo geral.ppt
Atribuições das coordenações no processo de
implantação – Criando Regionais e Intramunicipais
Coordenação municipal é
responsável por criar, quando
conveniente, as coordenações
intramunicipais através da
seleção das unidades de saúde
que as compõem.
A mulher entra no seguimento a partir de um exame alterado. No seu histórico
serão visualizados todos os exames realizados (inclusive os normais
anteriores). Além disso, a busca por mulheres no seguimento pode ser feita por
tipo de exame alterado – colo, mama ou ambos.
Seguimento
Tempo de investigação diagnóstica: acompanhar o tempo entre um
resultado alterado, que necessita de investigação, e a realização do exame de
confirmação/investigação diagnóstica.
Percentual de exames de rastreamento na faixa etária alvo: permite
verificar se os exames estão sendo realizados de acordo com as
recomendações .
Número de mulheres da população alvo que realizaram exame de
rastreamento: fornece dados para avaliação da cobertura de exames de
rastreamento.
Relatórios Gerenciais
Para saber sobre os relatórios
gerencias do SISCOLO e SISMAMA
que serão incorporados ao SISCAN
consulte a publicação
Exames selecionados
Seleciona Prestador/
Competência a ser
monitorada
Retorna Laudo da
2ª Leitura
Coordenação
Gestora
Prestador
MEQ
Habilita Prestador
a monitorar
Monitoramento Externo da Qualidade
automaticamente
SISCAN
Módulo de comunicação de dados para que as informações do sistema
próprio migrem para o SISCAN sem a necessidade de redigitação.
SISCAN
Webservice
Módulo PNQM
Prestadores SUS e Conveniados –
Indicadores calculados através do
SISCAN
Serviços Privados – Acesso ao Módulo de
qualidade
Conjunto mínimo de
informações obrigatórias
para o PNQM
Banco
Rastreamento
- Mais de 2 anos sem mamografia e entre 50 e 69 anos;
- Mais de 3 anos sem cito de colo e entre 25 e 64 anos.
Notificar
Cadastro Mulheres
RASTREAMENTO
Unidade de
Saúde
Mulher
SISCAN
Módulo Rastreamento
- Reforço com as unidades de saúde e prestadores sobre Cartão SUS;
- Necessidade de manter o CNES atualizado – prestadores e profissionais;
- Estratégia de reprodução dos formulários (estarão disponíveis em PDF no
sistema para impressão);
- Articulação com setor de controle e avaliação para vinculação de
unidades aos prestadores;
- Levantamento das unidades (básicas e secundárias) com acesso à
internet – novos atores que precisarão de treinamento específico;
- Divulgação dos acessos as equipes de suporte.
Como se Preparar para a Implantação

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a 02 SISCAN - Apresentação fluxo geral.ppt

Seminario Implantacao Juiz de Fora SIGA Saude - 01fev2011
Seminario Implantacao Juiz de Fora  SIGA Saude - 01fev2011Seminario Implantacao Juiz de Fora  SIGA Saude - 01fev2011
Seminario Implantacao Juiz de Fora SIGA Saude - 01fev2011
moacyr_perche
 
Prontuario eletronico
Prontuario eletronicoProntuario eletronico
Prontuario eletronico
Luzia Dias
 
Relatório de produção da rede assistencial.pdf
Relatório de produção da rede assistencial.pdfRelatório de produção da rede assistencial.pdf
Relatório de produção da rede assistencial.pdf
DaviNogueira25
 
Controle e avaliação
Controle e avaliaçãoControle e avaliação
Controle e avaliação
John Paul John Paul
 
Oss Taborda Wladimir
Oss Taborda WladimirOss Taborda Wladimir
Oss Taborda Wladimir
anabrum
 
Complexo Regulador - Jorge Luiz Osório
Complexo Regulador - Jorge Luiz OsórioComplexo Regulador - Jorge Luiz Osório
Complexo Regulador - Jorge Luiz Osório
Oncoguia
 
8ª Assembleia do CONASS – ESTRATÉGIA DE e-SAÚDE PARA O BRASIL E CONJUNTO MÍN...
8ª Assembleia do CONASS –  ESTRATÉGIA DE e-SAÚDE PARA O BRASIL E CONJUNTO MÍN...8ª Assembleia do CONASS –  ESTRATÉGIA DE e-SAÚDE PARA O BRASIL E CONJUNTO MÍN...
8ª Assembleia do CONASS – ESTRATÉGIA DE e-SAÚDE PARA O BRASIL E CONJUNTO MÍN...
Conselho Nacional de Secretários de Saúde - CONASS
 
Aula vacina esus
Aula vacina esusAula vacina esus
Manual de preenchimento scnes
Manual de preenchimento scnesManual de preenchimento scnes
Manual de preenchimento scnes
maria divina silva brito
 
Cnes manual
Cnes   manualCnes   manual
Cnes manual
charlesicarus
 
Pmaq geres 01
Pmaq geres 01Pmaq geres 01
Pmaq geres 01
gerenciaeq
 
Abaidi manual de boas praticas
Abaidi   manual de boas praticasAbaidi   manual de boas praticas
Abaidi manual de boas praticas
Nelson Baptista Madeira Neto
 
BPM Day SP 2016 - Data Science e BPM - Caso da Secretária no processo de regu...
BPM Day SP 2016 - Data Science e BPM - Caso da Secretária no processo de regu...BPM Day SP 2016 - Data Science e BPM - Caso da Secretária no processo de regu...
BPM Day SP 2016 - Data Science e BPM - Caso da Secretária no processo de regu...
Lecom Tecnologia
 
REVISÃO DA BASE NACIONAL DE DADOS DE AÇÕES E SERVIÇOS DA ASSISTÊNCIA FARMACÊU...
REVISÃO DA BASE NACIONAL DE DADOS DE AÇÕES E SERVIÇOS DA ASSISTÊNCIA FARMACÊU...REVISÃO DA BASE NACIONAL DE DADOS DE AÇÕES E SERVIÇOS DA ASSISTÊNCIA FARMACÊU...
REVISÃO DA BASE NACIONAL DE DADOS DE AÇÕES E SERVIÇOS DA ASSISTÊNCIA FARMACÊU...
Conselho Nacional de Secretários de Saúde - CONASS
 
Projeto ath saúde
Projeto ath saúde Projeto ath saúde
Projeto ath saúde
Américo Mendes de Castro
 
Cadastramento e-SUS
Cadastramento e-SUSCadastramento e-SUS
Cadastramento e-SUS
comunidadedepraticas
 
PMAQ Oficina BA
PMAQ Oficina BAPMAQ Oficina BA
PMAQ Oficina BA
tmunicipal
 
Especialização em Gestão em Enfermagem e Saúde avalia-a-e-controle-aula-3.pdf
Especialização em Gestão em Enfermagem e Saúde avalia-a-e-controle-aula-3.pdfEspecialização em Gestão em Enfermagem e Saúde avalia-a-e-controle-aula-3.pdf
Especialização em Gestão em Enfermagem e Saúde avalia-a-e-controle-aula-3.pdf
MarcellaBetat2
 
Case gravataí3
Case gravataí3Case gravataí3
Case gravataí3
Marketingipm
 
Case gravataí3
Case gravataí3Case gravataí3
Case gravataí3
Marketingipm
 

Semelhante a 02 SISCAN - Apresentação fluxo geral.ppt (20)

Seminario Implantacao Juiz de Fora SIGA Saude - 01fev2011
Seminario Implantacao Juiz de Fora  SIGA Saude - 01fev2011Seminario Implantacao Juiz de Fora  SIGA Saude - 01fev2011
Seminario Implantacao Juiz de Fora SIGA Saude - 01fev2011
 
Prontuario eletronico
Prontuario eletronicoProntuario eletronico
Prontuario eletronico
 
Relatório de produção da rede assistencial.pdf
Relatório de produção da rede assistencial.pdfRelatório de produção da rede assistencial.pdf
Relatório de produção da rede assistencial.pdf
 
Controle e avaliação
Controle e avaliaçãoControle e avaliação
Controle e avaliação
 
Oss Taborda Wladimir
Oss Taborda WladimirOss Taborda Wladimir
Oss Taborda Wladimir
 
Complexo Regulador - Jorge Luiz Osório
Complexo Regulador - Jorge Luiz OsórioComplexo Regulador - Jorge Luiz Osório
Complexo Regulador - Jorge Luiz Osório
 
8ª Assembleia do CONASS – ESTRATÉGIA DE e-SAÚDE PARA O BRASIL E CONJUNTO MÍN...
8ª Assembleia do CONASS –  ESTRATÉGIA DE e-SAÚDE PARA O BRASIL E CONJUNTO MÍN...8ª Assembleia do CONASS –  ESTRATÉGIA DE e-SAÚDE PARA O BRASIL E CONJUNTO MÍN...
8ª Assembleia do CONASS – ESTRATÉGIA DE e-SAÚDE PARA O BRASIL E CONJUNTO MÍN...
 
Aula vacina esus
Aula vacina esusAula vacina esus
Aula vacina esus
 
Manual de preenchimento scnes
Manual de preenchimento scnesManual de preenchimento scnes
Manual de preenchimento scnes
 
Cnes manual
Cnes   manualCnes   manual
Cnes manual
 
Pmaq geres 01
Pmaq geres 01Pmaq geres 01
Pmaq geres 01
 
Abaidi manual de boas praticas
Abaidi   manual de boas praticasAbaidi   manual de boas praticas
Abaidi manual de boas praticas
 
BPM Day SP 2016 - Data Science e BPM - Caso da Secretária no processo de regu...
BPM Day SP 2016 - Data Science e BPM - Caso da Secretária no processo de regu...BPM Day SP 2016 - Data Science e BPM - Caso da Secretária no processo de regu...
BPM Day SP 2016 - Data Science e BPM - Caso da Secretária no processo de regu...
 
REVISÃO DA BASE NACIONAL DE DADOS DE AÇÕES E SERVIÇOS DA ASSISTÊNCIA FARMACÊU...
REVISÃO DA BASE NACIONAL DE DADOS DE AÇÕES E SERVIÇOS DA ASSISTÊNCIA FARMACÊU...REVISÃO DA BASE NACIONAL DE DADOS DE AÇÕES E SERVIÇOS DA ASSISTÊNCIA FARMACÊU...
REVISÃO DA BASE NACIONAL DE DADOS DE AÇÕES E SERVIÇOS DA ASSISTÊNCIA FARMACÊU...
 
Projeto ath saúde
Projeto ath saúde Projeto ath saúde
Projeto ath saúde
 
Cadastramento e-SUS
Cadastramento e-SUSCadastramento e-SUS
Cadastramento e-SUS
 
PMAQ Oficina BA
PMAQ Oficina BAPMAQ Oficina BA
PMAQ Oficina BA
 
Especialização em Gestão em Enfermagem e Saúde avalia-a-e-controle-aula-3.pdf
Especialização em Gestão em Enfermagem e Saúde avalia-a-e-controle-aula-3.pdfEspecialização em Gestão em Enfermagem e Saúde avalia-a-e-controle-aula-3.pdf
Especialização em Gestão em Enfermagem e Saúde avalia-a-e-controle-aula-3.pdf
 
Case gravataí3
Case gravataí3Case gravataí3
Case gravataí3
 
Case gravataí3
Case gravataí3Case gravataí3
Case gravataí3
 

Último

Aula 08 Higienização das mãos.pdf aulão1
Aula 08 Higienização das mãos.pdf aulão1Aula 08 Higienização das mãos.pdf aulão1
Aula 08 Higienização das mãos.pdf aulão1
danieloliveiracruz00
 
https://eadetesb.fepecs.edu.br/mod/simplecertificate/view.php?id=1292&action=get
https://eadetesb.fepecs.edu.br/mod/simplecertificate/view.php?id=1292&action=gethttps://eadetesb.fepecs.edu.br/mod/simplecertificate/view.php?id=1292&action=get
https://eadetesb.fepecs.edu.br/mod/simplecertificate/view.php?id=1292&action=get
Beatriz Meneses
 
1 ano orientações para a pratica (2).pdf
1 ano orientações para a pratica (2).pdf1 ano orientações para a pratica (2).pdf
1 ano orientações para a pratica (2).pdf
flbroering
 
PSIQUIÁTRIA E SAUDE MENTAL, ENFERMAGEM PSIQUIATRICA
PSIQUIÁTRIA E SAUDE MENTAL, ENFERMAGEM PSIQUIATRICAPSIQUIÁTRIA E SAUDE MENTAL, ENFERMAGEM PSIQUIATRICA
PSIQUIÁTRIA E SAUDE MENTAL, ENFERMAGEM PSIQUIATRICA
MeryliseSouza
 
AULA CENTRO DE ATENÇÃO PSICOSSOCIAL (CAPS)
AULA CENTRO DE ATENÇÃO PSICOSSOCIAL (CAPS)AULA CENTRO DE ATENÇÃO PSICOSSOCIAL (CAPS)
AULA CENTRO DE ATENÇÃO PSICOSSOCIAL (CAPS)
ThiagoTavares52632
 
Hipoglicemia........................pptx
Hipoglicemia........................pptxHipoglicemia........................pptx
Hipoglicemia........................pptx
PaulaAndrade240290
 

Último (6)

Aula 08 Higienização das mãos.pdf aulão1
Aula 08 Higienização das mãos.pdf aulão1Aula 08 Higienização das mãos.pdf aulão1
Aula 08 Higienização das mãos.pdf aulão1
 
https://eadetesb.fepecs.edu.br/mod/simplecertificate/view.php?id=1292&action=get
https://eadetesb.fepecs.edu.br/mod/simplecertificate/view.php?id=1292&action=gethttps://eadetesb.fepecs.edu.br/mod/simplecertificate/view.php?id=1292&action=get
https://eadetesb.fepecs.edu.br/mod/simplecertificate/view.php?id=1292&action=get
 
1 ano orientações para a pratica (2).pdf
1 ano orientações para a pratica (2).pdf1 ano orientações para a pratica (2).pdf
1 ano orientações para a pratica (2).pdf
 
PSIQUIÁTRIA E SAUDE MENTAL, ENFERMAGEM PSIQUIATRICA
PSIQUIÁTRIA E SAUDE MENTAL, ENFERMAGEM PSIQUIATRICAPSIQUIÁTRIA E SAUDE MENTAL, ENFERMAGEM PSIQUIATRICA
PSIQUIÁTRIA E SAUDE MENTAL, ENFERMAGEM PSIQUIATRICA
 
AULA CENTRO DE ATENÇÃO PSICOSSOCIAL (CAPS)
AULA CENTRO DE ATENÇÃO PSICOSSOCIAL (CAPS)AULA CENTRO DE ATENÇÃO PSICOSSOCIAL (CAPS)
AULA CENTRO DE ATENÇÃO PSICOSSOCIAL (CAPS)
 
Hipoglicemia........................pptx
Hipoglicemia........................pptxHipoglicemia........................pptx
Hipoglicemia........................pptx
 

02 SISCAN - Apresentação fluxo geral.ppt

  • 1. SISCAN Sistema de Informação do Câncer Versão WEB
  • 2. Versão em plataforma web que integra os sistemas de informação do Programa Nacional de Controle do Câncer do Colo do Útero - SISCOLO e do Programa Nacional de Controle do Câncer de Mama - SISMAMA. Sistema de Informação do Câncer -SISCAN
  • 3.  Avaliação (serviço, programa, rede)  Planejamento  Organização da rede  Capacitação  Padronização de Laudos: comparabilidade de resultados temporal e espacialmente  Identificação e acompanhamento das mulheres com exames alterados Importância dos Sistemas de Informação
  • 4. BATIMENTO SISCOLO / SISMAMA X SIA/SUS INFORMAÇÕES RECEBIDAS (Dados Exportados) Coord Estadual SIA/SUS Coord. Municipal Coord. Nacional DATASUS Prestador de serviços INFORMAÇÕES FINANCEIRAS (Faturamento SUS) BPA Coord. Regional Requisição de Exames INFORMAÇÕES DA MULHER DADOS EXPORTADOS Fluxos atuais dos sistemas seguimento
  • 5. Por que estamos mudando de versão? SISCOLO e SISMAMA - sistemas oficiais de informação do Ministério da Saúde Portarias SAS 287/06 e 779/09. 1999 2009 Principais limitações dos sistemas atuais:  Perda da informação (SIA-SUS)  Irregularidades no envio das bases  Identificação apenas de exames e não de mulheres  Necessidade de descentralização de seguimento e transferência de arquivos entre as coordenações  Associações no seguimento
  • 6.  Construção de indicadores;  Avaliação do programa; e  Planejamento das ações de controle a serem desenvolvidas Problemas provenientes de falhas no fluxo/perda de dados Municípios com amostra insatisfatória acima de 5%. Fonte: SISCOLO INCA – DATASUS 2009 2011
  • 7. EIXOS 1. Fortalecimento do Controle do Câncer de Colo de Útero. 2. Fortalecimento do Controle do Câncer de Mama. 3. Ampliação e Qualificação da Assistência Oncológica no SUS. Fortalecimento da Rede de Prevenção, Diagnóstico e Tratamento do Câncer EIXOS TRANSVERSAIS 1. Difusão de informação e mobilização social. 2. Informação epidemiológica – melhoria dos sistemas de informação e vigilância do câncer Manaus Março de 2011
  • 8.  Identificação da mulher (integrado ao CADSUS) – campo obrigatório;  Integração com CNES;  Informações disponíveis em tempo real ao serem inseridas no sistema pela internet;  Acaba a transferência de arquivos: exporta dados e descentralização.  As unidades de saúde, responsáveis pela coleta, confirmação diagnóstica e tratamento, terão acesso ao sistema para solicitar exames, visualizar laudos e cadastrar informações no módulo seguimento;  Módulo de qualidade da mamografia;  Módulo rastreamento. Principais Mudanças
  • 9. Impressora Computador Diferentes cenários pelo Brasil Computador Impressora Internet O médico/enfermeiro/administrativo pode fazer a solicitação de exames diretamente pelo SISCAN, imprimir a requisição e visualizar o laudo. Um responsável na unidade de saúde pode acompanhar/inserir informações no seguimento, gerar relatórios e analisar dados epidemiológicos. Internet O médico/enfermeiro/administrativo faz a solicitação dos exames em papel. Os laudos vêm impressos do prestador de serviço. Um responsável na unidade de saúde pode acompanhar/inserir informações no seguimento, gerar relatórios e analisar dados epidemiológicos. Computador Impressora Internet Nada muda em relação ao fluxo existente hoje
  • 10. Preenche requisição Preenche formulário papel Preenche requisição Preenche formulário papel Prestador de Serviço Profissional Unidade de Saúde Digitador Unidade de Saúde Dados do paciente Fluxo com o SISCAN PMAQ*: 34% unidades básicas tem acesso a internet
  • 11. Informa requisição/laudo Retorna laudo Libera laudo Informa requisição/laudo Profissional Prestador de Serviço Digitador Prestador de Serviço Unidade de Saúde Visualiza a requisição/ informa resultado Fluxo com o SISCAN As requisições em papel continuam sendo utilizadas. - Se a unidade tem acesso à internet, imprimir o formulário preenchido no SISCAN - exames cito e histopatológicos: material segue para o laboratório junto com a requisição. - exames de mamografia: a mulher recebe uma a requisição impressa.
  • 12. Fluxo BPA e exporta Dados Libera laudo Prestador de Serviço SISCAN Informações epidemiológicas disponíveis a cada competência encerrada (antigo exporta dados) INFORMAÇÕES FINANCEIRAS (Faturamento SUS) BPA-I Informações faturamento entregues na data da competência estabelecida – manter fluxo Gera BPA-I
  • 13. Unidade Secundária Unidade Básica de Saúde Continuação investigação diagnóstica Colo: colposcopia, biópsia, EZT Mama: US, citopatologia, histopatologia. Rotina de rastreamento PERCURSO DA MULHER COM O SISCAN NÃO MUDA Recomendações para o rastreamento de mulheres assintomáticas e coleta de exame citopatológico
  • 14. Funcionalidades dos prestadores de serviço  Incluir requisições de exame;  Incluir resultados dos exames (laudo);  Liberar e imprimir laudos.
  • 15. Funcionalidades das unidades de saúde - Incluir e imprimir requisições de exames; - Visualizar laudos liberados pelos prestadores de serviço; - Incluir informações no seguimento; - Gerenciar o rastreamento. Novo ator na informatização do dado
  • 16. Funcionalidades das coordenações - Vincular unidades de saúde a prestadores de serviço; - Criar regionais; - Criar intramunicipais; - Visualizar laudos liberados pelos prestadores de serviço; - Gerenciar seguimento; - Gerenciar monitoramento externo da qualidade - Gerenciar o rastreamento.
  • 17. SISCAN – Integração com Outros Sistemas O SISCAN está integrado ao Sistema de Cadastro e Permissão de Acesso do Ministério da Saúde (SCPA), ao Cadastro Nacional de Usuários do SUS (CADSUSWEB) e ao Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde (CNES). CADSUS WEB CNES A integração com o CNES permite que o sistema identifique profissionais das unidades de saúde e prestadores de serviço habilitados para solicitar e laudar exames. A integração com o CADWEB permite identificar as mulheres pelo número do cartão SUS SCPA Através do SCPA são solicitados e autorizados acessos ao sistema para os diversos perfis de usuários
  • 18. No campo Serviço/Classificação do CNES estão identificado os exames que os prestadores de serviço podem realizar. Os prestadores só poderão ser vinculados para a realização destes exames . Para exames citopatológicos de colo do útero e/ou mama Serviço especializado: 120. serviço de diagnóstico por anatomia patológica e/ou citopatológico Serviço Classificação: 120 - 002 exames citopatológicos Para exames histopatológicos de colo do útero e/ou mama Serviço especializado: 120. serviço de diagnóstico por anatomia patológica e/ou citopatológico Serviço Classificação: 120 - 001 exames anatomopatológicos Para mamografia Serviço especializado: 121. serviço de diagnostico por imagem Serviço classificação: 121 – 012 - mamografia 121 – 013 - mamografia por telemedicina Integração CNES
  • 19.  É importante que unidades de saúde e prestadores de serviço estejam atentos para informar mudanças, principalmente no cadastro de profissionais e dos serviços oferecidos, em tempo hábil para que essas informações estejam disponíveis no SISCAN  Para verificar se o CNES do Prestador de Serviço está atualizado em relação aos exames, basta acessar a página do CNES (http://cnes.datasus.gov.br) e consultar o estabelecimento desejado  Quando o prestador de serviço terceiriza um dos serviços oferecidos, esta informação deve estar registrada no CNES no campo "Terceiro" com o CNES do prestador de serviço terceirizado informado para o mesmo possa visualizar os exames encaminhados a ele Integração CNES
  • 21.  A solicitação de exames e a liberação de laudos só ficam disponíveis para profissionais habilitados de acordo com o Código Brasileiro de Ocupações, que constam no Sistema de Gerenciamento da Tabela de Procedimentos, Medicamentos e OPM do SUS (SIGTAP).  Estes profissionais devem estar cadastrados no CNES do estabelecimento com o CBO correto e com Cartão Nacional de Saúde (CNS) do profissional válido. Outros profissionais das unidades de saúde e prestadores de serviço, como digitadores e agentes administrativos, podem utilizar o sistema. Para que esses profissionais tenham acesso é necessário que estejam cadastrados no CNES do estabelecimento de saúde com Cartão Nacional de Saúde válido e que tenham recebido login de acesso. Só podem ser selecionados como responsáveis pelas requisições profissionais habilitados conforme tabela SIGTAP Os laudos só podem ser liberados quando o profissional habilitado para laudar o exame acessar o sistema com seu login e senha e liberar o laudo Integração CNES
  • 22. Integração CADWEB A solicitação de exames só pode ser feita após informar o cartão SUS da mulher Como nem todas as unidades de saúde do País são informatizadas, algumas requisições serão feitas no formulário em papel e incluídas no sistema pelo prestador de serviço É importante que as coordenações sensibilizem às unidades de saúde para o preenchimento adequado deste campo no formulário Se a usuária não sabe informar o número do seu cartão SUS, o profissional poderá pesquisá-lo no SISCAN clicando no ícone da lupa ao lado do campo para inserir o cartão. Neste ícone é feita a pesquisa apenas das mulheres que já tenham algum exame cadastrado no SISCAN. Se a mulher não for encontrada na base do SISCAN, o sistema exibe uma mensagem com o link do Cadweb, para que a pesquisa seja feita na base do cartão. Para acessar o cadweb, o profissional deve ter login e senha de acesso.
  • 23. Ao inserir o número do Cartão SUS, os dados de identificação da mulher são preenchidos automaticamente Integração com o CadWeb
  • 25. Busca de pacientes com algum registro no SISCAN Busca de todos os pacientes com cartão SUS
  • 27. Quando a solicitação de exames for feita no formulário em papel, por unidades de saúde sem acesso à internet é importante que sejam preenchidos o cartão SUS, nome da mulher, nome da mãe e data de nascimento para permitir a confirmação dos dados na base do cartão SUS com os da ficha Caso a mulher não tenha cartão SUS, e a unidade de saúde não possua acesso ao CADWEB para gerar o cartão, o formulário deve ser preenchido com os dados obrigatórios para gerar um cartão, que são: nome completo, nome da mãe, nome do pai, sexo, raça/cor, data de nascimento, nacionalidade, município de nascimento, endereço completo (tipo de logradouro, nome do logradouro, número, bairro, CEP, telefone com DDD e pelo menos um documento de identificação (CPF, RG, título de eleitor, certidão de nascimento, certidão de casamento, certidão de divórcio, certidão administrativa - índios, carteira de trabalho, carteira nacional de habilitação ou passaporte). A informação de escolaridade não vem do cartão SUS. É importante orientar profissionais responsáveis pela solicitação de exames que informem este campo na ficha, por ser uma informação importante para realização de análises da situação de saúde local.
  • 28. Atribuições das coordenações no processo de implantação Vincular unidades de saúde a prestadores de serviço Coordenações estaduais e municipais são responsáveis por vincular as unidades de saúde sob sua gestão aos prestadores de serviço que atendem a estas unidades Vincular/desvincular é um processo gerencial onde são feitas associações entre prestadores de serviço e unidades de saúde, por exemplo.
  • 29. A coordenação pode vincular as unidades de saúde sob sua gestão a qualquer prestador do país que realize o exame Coordenação Unidade de Saúde Prestador  quais os prestadores que realizam exames para determinada unidade de saúde? Unidade A Unidade B Unidade C Prestador I Prestador II O processo de vincular permitirá à unidade de saúde, com acesso a Internet, fazer, via SISCAN, solicitação de exames, assim como possibilitará que o prestador visualize os exames encaminhados pela unidade de saúde.
  • 30. SISCAN – Vincular Unidade de Saúde ao Prestador de Serviço
  • 31. Necessário indicar a data de início e fim do vínculo. A data final pode ficar em branco Os combos superiores devem ser utilizados quando se deseja vincular várias unidades de saúde ao prestador estabelecendo o mesmo período de vigência para os vínculos Os combos inferiores devem ser utilizados para definir datas para unidades específicas  Uma unidade de saúde só pode solicitar exames para os prestadores de serviço que esteja vinculada.  Prestadores de serviço só poderão ser vinculados para a realização de exames que estejam informados em seu CNES
  • 32. O prestador de serviço é vinculado às unidades de saúde por tipo de exame realizado. O mesmo prestador pode ser vinculado a várias unidades de saúde para mais de um tipo de exame
  • 33. Atribuições das coordenações no processo de implantação Coordenação estadual é responsável por criar as coordenações regionais através da vinculação dos municípios que as compõem. - Criar regionais
  • 35. Atribuições das coordenações no processo de implantação – Criando Regionais e Intramunicipais Coordenação municipal é responsável por criar, quando conveniente, as coordenações intramunicipais através da seleção das unidades de saúde que as compõem.
  • 36. A mulher entra no seguimento a partir de um exame alterado. No seu histórico serão visualizados todos os exames realizados (inclusive os normais anteriores). Além disso, a busca por mulheres no seguimento pode ser feita por tipo de exame alterado – colo, mama ou ambos. Seguimento
  • 37. Tempo de investigação diagnóstica: acompanhar o tempo entre um resultado alterado, que necessita de investigação, e a realização do exame de confirmação/investigação diagnóstica. Percentual de exames de rastreamento na faixa etária alvo: permite verificar se os exames estão sendo realizados de acordo com as recomendações . Número de mulheres da população alvo que realizaram exame de rastreamento: fornece dados para avaliação da cobertura de exames de rastreamento. Relatórios Gerenciais Para saber sobre os relatórios gerencias do SISCOLO e SISMAMA que serão incorporados ao SISCAN consulte a publicação
  • 38. Exames selecionados Seleciona Prestador/ Competência a ser monitorada Retorna Laudo da 2ª Leitura Coordenação Gestora Prestador MEQ Habilita Prestador a monitorar Monitoramento Externo da Qualidade automaticamente SISCAN
  • 39. Módulo de comunicação de dados para que as informações do sistema próprio migrem para o SISCAN sem a necessidade de redigitação. SISCAN Webservice
  • 40. Módulo PNQM Prestadores SUS e Conveniados – Indicadores calculados através do SISCAN Serviços Privados – Acesso ao Módulo de qualidade Conjunto mínimo de informações obrigatórias para o PNQM
  • 41. Banco Rastreamento - Mais de 2 anos sem mamografia e entre 50 e 69 anos; - Mais de 3 anos sem cito de colo e entre 25 e 64 anos. Notificar Cadastro Mulheres RASTREAMENTO Unidade de Saúde Mulher SISCAN Módulo Rastreamento
  • 42. - Reforço com as unidades de saúde e prestadores sobre Cartão SUS; - Necessidade de manter o CNES atualizado – prestadores e profissionais; - Estratégia de reprodução dos formulários (estarão disponíveis em PDF no sistema para impressão); - Articulação com setor de controle e avaliação para vinculação de unidades aos prestadores; - Levantamento das unidades (básicas e secundárias) com acesso à internet – novos atores que precisarão de treinamento específico; - Divulgação dos acessos as equipes de suporte. Como se Preparar para a Implantação