SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 7
PLANTÃO PARA A AULA DE ELETROSTÁTICA
Eletrização – Processo de perda ou ganho de elétrons por um determinado corpo.
Carga Elétrica – Quando um corpo possui falta ou excesso de elétrons em relação ao
número de prótons, dizemos que tal corpo está eletricamente carregado. O excesso de
elétrons caracteriza uma carga negativa, enquanto a falta de elétrons caracteriza uma
carga positiva.
A unidade de carga elétrica no SI é o Coulomb (C).
Atração e Repulsão entre cargas elétricas – Mediante experiências, verificamos que
cargas elétricas de mesmo sinal se repelem, enquanto cargas elétricas de sinais opostos se
atraem.
Condutores – Corpos com grande número de elétrons livres, nos quais as partículas
portadoras de carga elétrica têm muita facilidade de se movimentar, como, por exemplo, os
metais.
Isolantes – Corpos com reduzido número de elétrons livres, nos quais as partículas
portadoras de carga elétrica têm certa dificuldade de se movimentar, como, por exemplo, os
plásticos, borracha, água pura, vidro, porcelana.
Processos de Eletrização – Processos de troca de cargas elétricas entre dois ou mais
corpos. Nesses processos, devemos observar que não há criação nem destruição de
cargas, ou seja, a carga elétrica total do sistema é sempre conservada, fato este que é
conhecido por Princípio de Conservação das Cargas Elétricas.
Eletrização por Atrito
Aparece sempre quando atritamos um objeto com qualquer material, ficando os dois corpos,
o que eletrizou e o que foi eletrizado, com cargas de sinais opostos. Por exemplo, quando
nos penteamos, o pente remove e adquire cargas negativas do cabelo, ficando este
positivamente carregado, o mesmo acontece quando se esfrega um utensílio doméstico com
esponja de aço.
Chama-se série triboelétrica a relação ordenada de substâncias em que, ao atritarmos duas
delas, a que figura antes se eletriza positivamente e a que figura depois, negativamente.
Serie Triboelétrica
pele de gato - vidro polido - marfim - lã - penas - madeira - papel - seda - goma-laca - vidro
despolido
Eletrização por Contato – Processo de eletrização de dois corpos condutores, estando um
deles eletrizado e o outro neutro, através do contato entre eles. O corpo neutro adquire uma
carga elétrica de mesmo sinal que a do corpo já inicialmente eletrizado.
Eletrização por Indução
• Fenômeno da indução eletrostática
Ao aproximar um corpo eletrizado, os elétrons pertencentes ao corpo neutro são atraídos por
uma força 1 F enquanto os prótons se mantém na outra extremidade do corpo repelidos pela
força 2 F , como mostra a figura abaixo:
Lei de Coulomb
Dois corpos eletricamente carregados exercem um sobre o outro uma força elétrica cuja
intensidade é diretamente proporcional ao módulo de cada uma das cargas e inversamente
proporcional ao quadrado da distância que os separa. A força será de atração se as cargas
tiverem sinais opostos, e será de repulsão se as cargas tiverem mesmo sinal.
Campo Elétrico – É capaz de produzir uma força elétrica numa carga de prova colocada na
região onde ele atua.
O campo elétrico será de afastamento se a carga for positiva, e de aproximação se a
carga for negativa. Representamos este comportamento através das linhas de força.
Observe a configuração das linhas de força quando aproximamos duas cargas elétricas de
mesmo módulo, de acordo com o sinal delas:
Cargas elétricas de mesmo sinal:
Cargas elétricas de sinais opostos
Campo elétrico gerado por placas paralelas muito longas (Campo elétrico uniforme):
CONDUTOR EM EQUILÍBRIO ELESTROSTÁTICO
Conseqüências :
• O campo elétrico é nulo no interior de um condutor em equilíbrio eletrostático
• O potencial elétrico é constante no interior e na superfície de um condutor em equilíbrio
eletrostático.
• A carga elétrica se aloja na superfície do condutor.
Um condutor eletrizado encontra-se em equilíbrio eletrostático quando não há movimento de
cargas elétricas em seu interior.
Capacitores – Armazenam energia potencial elétrica, através do acúmulo de cargas,
quando submetidos a uma diferença de potencial fornecida por uma bateria. Posteriormente
podemos aproveitar essa energia elétrica, por exemplo, descarregando-a num resistor.
Blindagem Eletrostática
Raios

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Aula eletrostática prof waldir montenegro
Aula  eletrostática prof waldir montenegroAula  eletrostática prof waldir montenegro
Aula eletrostática prof waldir montenegroWaldir Montenegro
 
3 ano mod 24 e 25 - eletrização por atrito, contato e indução
3 ano   mod 24 e 25 - eletrização por atrito, contato e indução3 ano   mod 24 e 25 - eletrização por atrito, contato e indução
3 ano mod 24 e 25 - eletrização por atrito, contato e induçãoeduardorsilva
 
Aula 2 - Noções Básicas de Eletricidade
Aula 2 - Noções Básicas de EletricidadeAula 2 - Noções Básicas de Eletricidade
Aula 2 - Noções Básicas de EletricidadeVitor Hugo Melo Araújo
 
Carga elétrica e eletrização
Carga elétrica e eletrizaçãoCarga elétrica e eletrização
Carga elétrica e eletrizaçãoProf. JC
 
Aula 01 física 17.06.13- início das aulas de física - eletrização, carga el...
Aula 01 física   17.06.13- início das aulas de física - eletrização, carga el...Aula 01 física   17.06.13- início das aulas de física - eletrização, carga el...
Aula 01 física 17.06.13- início das aulas de física - eletrização, carga el...Colégio Municipal Paulo Freire
 
Eletrostática
EletrostáticaEletrostática
Eletrostáticajoaberb
 
Eletricidade e magnetismo
Eletricidade e magnetismoEletricidade e magnetismo
Eletricidade e magnetismoquantaadriano
 
Fisica: Processos de Eletrização: Eletrização por atrito.
Fisica: Processos de Eletrização: Eletrização por atrito.Fisica: Processos de Eletrização: Eletrização por atrito.
Fisica: Processos de Eletrização: Eletrização por atrito.Petterson Castro
 
Eletricidade básica - Ensino médio e fundamental
Eletricidade básica - Ensino médio e fundamentalEletricidade básica - Ensino médio e fundamental
Eletricidade básica - Ensino médio e fundamentalRicardo Ianelli
 

Mais procurados (20)

Aula eletrostática prof waldir montenegro
Aula  eletrostática prof waldir montenegroAula  eletrostática prof waldir montenegro
Aula eletrostática prof waldir montenegro
 
Processo de Eletrização [Aula 01]
Processo de Eletrização [Aula 01]Processo de Eletrização [Aula 01]
Processo de Eletrização [Aula 01]
 
3 ano mod 24 e 25 - eletrização por atrito, contato e indução
3 ano   mod 24 e 25 - eletrização por atrito, contato e indução3 ano   mod 24 e 25 - eletrização por atrito, contato e indução
3 ano mod 24 e 25 - eletrização por atrito, contato e indução
 
9 eletrostática
9 eletrostática9 eletrostática
9 eletrostática
 
Aula 2 - Noções Básicas de Eletricidade
Aula 2 - Noções Básicas de EletricidadeAula 2 - Noções Básicas de Eletricidade
Aula 2 - Noções Básicas de Eletricidade
 
Carga elétrica e eletrização
Carga elétrica e eletrizaçãoCarga elétrica e eletrização
Carga elétrica e eletrização
 
Aula 01 física 17.06.13- início das aulas de física - eletrização, carga el...
Aula 01 física   17.06.13- início das aulas de física - eletrização, carga el...Aula 01 física   17.06.13- início das aulas de física - eletrização, carga el...
Aula 01 física 17.06.13- início das aulas de física - eletrização, carga el...
 
Eletrostática
EletrostáticaEletrostática
Eletrostática
 
Carga elétrica
Carga elétricaCarga elétrica
Carga elétrica
 
Eletricidade e magnetismo
Eletricidade e magnetismoEletricidade e magnetismo
Eletricidade e magnetismo
 
Eletricidade
EletricidadeEletricidade
Eletricidade
 
Fisica: Processos de Eletrização: Eletrização por atrito.
Fisica: Processos de Eletrização: Eletrização por atrito.Fisica: Processos de Eletrização: Eletrização por atrito.
Fisica: Processos de Eletrização: Eletrização por atrito.
 
Eletrostática aula
Eletrostática   aulaEletrostática   aula
Eletrostática aula
 
Processos de Eletrização
Processos de EletrizaçãoProcessos de Eletrização
Processos de Eletrização
 
3º EM-FÍSICA
3º EM-FÍSICA3º EM-FÍSICA
3º EM-FÍSICA
 
Eletricidade básica - Ensino médio e fundamental
Eletricidade básica - Ensino médio e fundamentalEletricidade básica - Ensino médio e fundamental
Eletricidade básica - Ensino médio e fundamental
 
Processos de eletrização
Processos de eletrizaçãoProcessos de eletrização
Processos de eletrização
 
Eletrostatica resumo
Eletrostatica   resumoEletrostatica   resumo
Eletrostatica resumo
 
Eletrização de corpos (cap 1)
Eletrização de corpos (cap 1)Eletrização de corpos (cap 1)
Eletrização de corpos (cap 1)
 
Eletricidade
EletricidadeEletricidade
Eletricidade
 

Destaque

Curiosidades de termologia
Curiosidades de termologiaCuriosidades de termologia
Curiosidades de termologiaRoberto Bagatini
 
Atividades experimentais de eletricidade
Atividades experimentais de eletricidadeAtividades experimentais de eletricidade
Atividades experimentais de eletricidadeRoberto Bagatini
 
Exercícios de eletricidade
Exercícios de eletricidadeExercícios de eletricidade
Exercícios de eletricidadeRoberto Bagatini
 
Charges ondas, som, luz, espelhos e lentes
Charges ondas, som, luz, espelhos e lentesCharges ondas, som, luz, espelhos e lentes
Charges ondas, som, luz, espelhos e lentesRoberto Bagatini
 
Curiosidades ondas, som, luz, espelhos e lentes
Curiosidades ondas, som, luz, espelhos e lentesCuriosidades ondas, som, luz, espelhos e lentes
Curiosidades ondas, som, luz, espelhos e lentesRoberto Bagatini
 
Experimentos ondas,som,luz,espelhos,lentes
Experimentos ondas,som,luz,espelhos,lentesExperimentos ondas,som,luz,espelhos,lentes
Experimentos ondas,som,luz,espelhos,lentesRoberto Bagatini
 
Atividades experimentais de eletrostática
Atividades experimentais de eletrostáticaAtividades experimentais de eletrostática
Atividades experimentais de eletrostáticaRoberto Bagatini
 
Curiosidades eletrostática e eletricidade
Curiosidades eletrostática e eletricidadeCuriosidades eletrostática e eletricidade
Curiosidades eletrostática e eletricidadeRoberto Bagatini
 
Exercícios sobre termologia
Exercícios sobre termologiaExercícios sobre termologia
Exercícios sobre termologiaRoberto Bagatini
 
Exercícios de eletrostática
Exercícios de eletrostáticaExercícios de eletrostática
Exercícios de eletrostáticaRoberto Bagatini
 
Atividades experimentais de termologia
Atividades experimentais de termologiaAtividades experimentais de termologia
Atividades experimentais de termologiaRoberto Bagatini
 
Exercícios onda,som,luz,espelho,lente
Exercícios onda,som,luz,espelho,lenteExercícios onda,som,luz,espelho,lente
Exercícios onda,som,luz,espelho,lenteRoberto Bagatini
 
Aula ondas, som, luz, espelhos, lentes
Aula ondas, som, luz, espelhos, lentesAula ondas, som, luz, espelhos, lentes
Aula ondas, som, luz, espelhos, lentesRoberto Bagatini
 
Fluxo de matéria e energia[1]
Fluxo de matéria e energia[1]Fluxo de matéria e energia[1]
Fluxo de matéria e energia[1]Roberto Bagatini
 
Power Point Dos 5 Sentidos2
Power Point Dos 5 Sentidos2Power Point Dos 5 Sentidos2
Power Point Dos 5 Sentidos2Alda Palmeiro
 

Destaque (20)

Curiosidades de termologia
Curiosidades de termologiaCuriosidades de termologia
Curiosidades de termologia
 
Simulado de termologia
Simulado de termologiaSimulado de termologia
Simulado de termologia
 
Atividades experimentais de eletricidade
Atividades experimentais de eletricidadeAtividades experimentais de eletricidade
Atividades experimentais de eletricidade
 
Exercícios de eletricidade
Exercícios de eletricidadeExercícios de eletricidade
Exercícios de eletricidade
 
Prezi eletrostática
Prezi eletrostáticaPrezi eletrostática
Prezi eletrostática
 
Charges ondas, som, luz, espelhos e lentes
Charges ondas, som, luz, espelhos e lentesCharges ondas, som, luz, espelhos e lentes
Charges ondas, som, luz, espelhos e lentes
 
Curiosidades ondas, som, luz, espelhos e lentes
Curiosidades ondas, som, luz, espelhos e lentesCuriosidades ondas, som, luz, espelhos e lentes
Curiosidades ondas, som, luz, espelhos e lentes
 
Experimentos ondas,som,luz,espelhos,lentes
Experimentos ondas,som,luz,espelhos,lentesExperimentos ondas,som,luz,espelhos,lentes
Experimentos ondas,som,luz,espelhos,lentes
 
Atividades experimentais de eletrostática
Atividades experimentais de eletrostáticaAtividades experimentais de eletrostática
Atividades experimentais de eletrostática
 
Curiosidades eletrostática e eletricidade
Curiosidades eletrostática e eletricidadeCuriosidades eletrostática e eletricidade
Curiosidades eletrostática e eletricidade
 
Simulado eletrostática
Simulado eletrostáticaSimulado eletrostática
Simulado eletrostática
 
Exercícios sobre termologia
Exercícios sobre termologiaExercícios sobre termologia
Exercícios sobre termologia
 
Resumo de termologia
Resumo de termologiaResumo de termologia
Resumo de termologia
 
Exercícios de eletrostática
Exercícios de eletrostáticaExercícios de eletrostática
Exercícios de eletrostática
 
Atividades experimentais de termologia
Atividades experimentais de termologiaAtividades experimentais de termologia
Atividades experimentais de termologia
 
Exercícios onda,som,luz,espelho,lente
Exercícios onda,som,luz,espelho,lenteExercícios onda,som,luz,espelho,lente
Exercícios onda,som,luz,espelho,lente
 
Aula ondas, som, luz, espelhos, lentes
Aula ondas, som, luz, espelhos, lentesAula ondas, som, luz, espelhos, lentes
Aula ondas, som, luz, espelhos, lentes
 
Slides blog termologia
Slides blog termologiaSlides blog termologia
Slides blog termologia
 
Fluxo de matéria e energia[1]
Fluxo de matéria e energia[1]Fluxo de matéria e energia[1]
Fluxo de matéria e energia[1]
 
Power Point Dos 5 Sentidos2
Power Point Dos 5 Sentidos2Power Point Dos 5 Sentidos2
Power Point Dos 5 Sentidos2
 

Semelhante a Eletrização, cargas elétricas e campo elétrico

Processos de eletrização e Lei de Coulomb
Processos de eletrização e Lei de CoulombProcessos de eletrização e Lei de Coulomb
Processos de eletrização e Lei de CoulombO mundo da FÍSICA
 
1-Processos de Eletrização Aula 1 (1).ppt
1-Processos de Eletrização Aula 1 (1).ppt1-Processos de Eletrização Aula 1 (1).ppt
1-Processos de Eletrização Aula 1 (1).pptRenato Estevam
 
aula1-eletrosttica-150210200346-conversion-gate02.pdf
aula1-eletrosttica-150210200346-conversion-gate02.pdfaula1-eletrosttica-150210200346-conversion-gate02.pdf
aula1-eletrosttica-150210200346-conversion-gate02.pdfEmerson Assis
 
Escola secundaria Ndambine 2000
Escola secundaria Ndambine 2000Escola secundaria Ndambine 2000
Escola secundaria Ndambine 2000Tembe1988
 
Aula de eletrostática - eletrodinamica - eletricidade - magnetismo e eletroma...
Aula de eletrostática - eletrodinamica - eletricidade - magnetismo e eletroma...Aula de eletrostática - eletrodinamica - eletricidade - magnetismo e eletroma...
Aula de eletrostática - eletrodinamica - eletricidade - magnetismo e eletroma...leandro50276492
 
M2_CIRCUITOS_CORRENTE_CONTINUA.pdf
M2_CIRCUITOS_CORRENTE_CONTINUA.pdfM2_CIRCUITOS_CORRENTE_CONTINUA.pdf
M2_CIRCUITOS_CORRENTE_CONTINUA.pdfdesportistaluis
 
Apresentação ELETRICIDADE BÁSICA - ElectroengE.pdf
Apresentação ELETRICIDADE BÁSICA - ElectroengE.pdfApresentação ELETRICIDADE BÁSICA - ElectroengE.pdf
Apresentação ELETRICIDADE BÁSICA - ElectroengE.pdfGustavoSousa736241
 
Apostila de análise de circuitos elétricos
Apostila de análise de circuitos elétricosApostila de análise de circuitos elétricos
Apostila de análise de circuitos elétricosluizgraf
 
Eletrostática apo
Eletrostática apoEletrostática apo
Eletrostática apontebrusque
 

Semelhante a Eletrização, cargas elétricas e campo elétrico (20)

Processos de eletrização e Lei de Coulomb
Processos de eletrização e Lei de CoulombProcessos de eletrização e Lei de Coulomb
Processos de eletrização e Lei de Coulomb
 
1-Processos de Eletrização Aula 1 (1).ppt
1-Processos de Eletrização Aula 1 (1).ppt1-Processos de Eletrização Aula 1 (1).ppt
1-Processos de Eletrização Aula 1 (1).ppt
 
aula1-eletrosttica-150210200346-conversion-gate02.pdf
aula1-eletrosttica-150210200346-conversion-gate02.pdfaula1-eletrosttica-150210200346-conversion-gate02.pdf
aula1-eletrosttica-150210200346-conversion-gate02.pdf
 
Apostila eja-3-serie-medio-20111
Apostila eja-3-serie-medio-20111Apostila eja-3-serie-medio-20111
Apostila eja-3-serie-medio-20111
 
Eletrostática2.pdf
Eletrostática2.pdfEletrostática2.pdf
Eletrostática2.pdf
 
Escola secundaria Ndambine 2000
Escola secundaria Ndambine 2000Escola secundaria Ndambine 2000
Escola secundaria Ndambine 2000
 
Aula de eletrostática - eletrodinamica - eletricidade - magnetismo e eletroma...
Aula de eletrostática - eletrodinamica - eletricidade - magnetismo e eletroma...Aula de eletrostática - eletrodinamica - eletricidade - magnetismo e eletroma...
Aula de eletrostática - eletrodinamica - eletricidade - magnetismo e eletroma...
 
Eletricidade capítulo 01
Eletricidade capítulo 01Eletricidade capítulo 01
Eletricidade capítulo 01
 
Eletricidade ii unid.
Eletricidade ii unid.Eletricidade ii unid.
Eletricidade ii unid.
 
Eletrostatica
EletrostaticaEletrostatica
Eletrostatica
 
6 capacitores
6 capacitores6 capacitores
6 capacitores
 
Eletrostática fundamentos
Eletrostática   fundamentosEletrostática   fundamentos
Eletrostática fundamentos
 
M2_CIRCUITOS_CORRENTE_CONTINUA.pdf
M2_CIRCUITOS_CORRENTE_CONTINUA.pdfM2_CIRCUITOS_CORRENTE_CONTINUA.pdf
M2_CIRCUITOS_CORRENTE_CONTINUA.pdf
 
Apresentação ELETRICIDADE BÁSICA - ElectroengE.pdf
Apresentação ELETRICIDADE BÁSICA - ElectroengE.pdfApresentação ELETRICIDADE BÁSICA - ElectroengE.pdf
Apresentação ELETRICIDADE BÁSICA - ElectroengE.pdf
 
Apostila eletrostática
Apostila eletrostáticaApostila eletrostática
Apostila eletrostática
 
10411793631300023443
1041179363130002344310411793631300023443
10411793631300023443
 
10411793631300023443
1041179363130002344310411793631300023443
10411793631300023443
 
Eletricidade
EletricidadeEletricidade
Eletricidade
 
Apostila de análise de circuitos elétricos
Apostila de análise de circuitos elétricosApostila de análise de circuitos elétricos
Apostila de análise de circuitos elétricos
 
Eletrostática apo
Eletrostática apoEletrostática apo
Eletrostática apo
 

Mais de Roberto Bagatini

Mais de Roberto Bagatini (10)

Aula bio 30set2011 2
Aula bio 30set2011 2Aula bio 30set2011 2
Aula bio 30set2011 2
 
Slides ácidos e bases
Slides ácidos e basesSlides ácidos e bases
Slides ácidos e bases
 
Aula bio 23set2011 2
Aula bio 23set2011 2Aula bio 23set2011 2
Aula bio 23set2011 2
 
Aula bio 16set2011
Aula bio 16set2011Aula bio 16set2011
Aula bio 16set2011
 
Aula bio 16set2011 2
Aula bio 16set2011 2Aula bio 16set2011 2
Aula bio 16set2011 2
 
Aula bio 09set2011
Aula bio 09set2011Aula bio 09set2011
Aula bio 09set2011
 
Aula bio 02set2011
Aula bio 02set2011Aula bio 02set2011
Aula bio 02set2011
 
Ligações químicas
Ligações químicasLigações químicas
Ligações químicas
 
Termometria aula
Termometria   aulaTermometria   aula
Termometria aula
 
Termologia 2 aula
Termologia 2   aulaTermologia 2   aula
Termologia 2 aula
 

Último

Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdfGuia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdfEyshilaKelly1
 
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosBingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosAntnyoAllysson
 
PRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕES
PRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕESPRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕES
PRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕESpatriciasofiacunha18
 
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.HildegardeAngel
 
Educação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPEducação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPanandatss1
 
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxSlide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxconcelhovdragons
 
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdf
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdfMapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdf
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdfangelicass1
 
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdforganizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdfCarlosRodrigues832670
 
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNASQUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNASEdinardo Aguiar
 
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdfPLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdfProfGleide
 
PPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdf
PPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdfPPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdf
PPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdfAnaGonalves804156
 
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfCultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfaulasgege
 
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaA Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaFernanda Ledesma
 
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxDeyvidBriel
 
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileirosMary Alvarenga
 
PRIMEIRO---RCP - DEA - BLS estudos - basico
PRIMEIRO---RCP - DEA - BLS estudos - basicoPRIMEIRO---RCP - DEA - BLS estudos - basico
PRIMEIRO---RCP - DEA - BLS estudos - basicoSilvaDias3
 
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveaulasgege
 
Slides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdf
Slides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdfSlides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdf
Slides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdfpaulafernandes540558
 
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 anoAdelmaTorres2
 
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxBaladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxacaciocarmo1
 

Último (20)

Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdfGuia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
 
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosBingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
 
PRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕES
PRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕESPRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕES
PRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕES
 
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
 
Educação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPEducação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SP
 
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxSlide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
 
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdf
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdfMapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdf
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdf
 
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdforganizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
 
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNASQUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
 
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdfPLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdf
 
PPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdf
PPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdfPPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdf
PPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdf
 
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfCultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
 
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaA Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
 
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
 
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
 
PRIMEIRO---RCP - DEA - BLS estudos - basico
PRIMEIRO---RCP - DEA - BLS estudos - basicoPRIMEIRO---RCP - DEA - BLS estudos - basico
PRIMEIRO---RCP - DEA - BLS estudos - basico
 
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
 
Slides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdf
Slides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdfSlides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdf
Slides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdf
 
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
 
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxBaladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
 

Eletrização, cargas elétricas e campo elétrico

  • 1. PLANTÃO PARA A AULA DE ELETROSTÁTICA Eletrização – Processo de perda ou ganho de elétrons por um determinado corpo. Carga Elétrica – Quando um corpo possui falta ou excesso de elétrons em relação ao número de prótons, dizemos que tal corpo está eletricamente carregado. O excesso de elétrons caracteriza uma carga negativa, enquanto a falta de elétrons caracteriza uma carga positiva. A unidade de carga elétrica no SI é o Coulomb (C). Atração e Repulsão entre cargas elétricas – Mediante experiências, verificamos que cargas elétricas de mesmo sinal se repelem, enquanto cargas elétricas de sinais opostos se atraem. Condutores – Corpos com grande número de elétrons livres, nos quais as partículas portadoras de carga elétrica têm muita facilidade de se movimentar, como, por exemplo, os metais.
  • 2. Isolantes – Corpos com reduzido número de elétrons livres, nos quais as partículas portadoras de carga elétrica têm certa dificuldade de se movimentar, como, por exemplo, os plásticos, borracha, água pura, vidro, porcelana. Processos de Eletrização – Processos de troca de cargas elétricas entre dois ou mais corpos. Nesses processos, devemos observar que não há criação nem destruição de cargas, ou seja, a carga elétrica total do sistema é sempre conservada, fato este que é conhecido por Princípio de Conservação das Cargas Elétricas. Eletrização por Atrito Aparece sempre quando atritamos um objeto com qualquer material, ficando os dois corpos, o que eletrizou e o que foi eletrizado, com cargas de sinais opostos. Por exemplo, quando nos penteamos, o pente remove e adquire cargas negativas do cabelo, ficando este positivamente carregado, o mesmo acontece quando se esfrega um utensílio doméstico com esponja de aço. Chama-se série triboelétrica a relação ordenada de substâncias em que, ao atritarmos duas delas, a que figura antes se eletriza positivamente e a que figura depois, negativamente. Serie Triboelétrica pele de gato - vidro polido - marfim - lã - penas - madeira - papel - seda - goma-laca - vidro despolido
  • 3. Eletrização por Contato – Processo de eletrização de dois corpos condutores, estando um deles eletrizado e o outro neutro, através do contato entre eles. O corpo neutro adquire uma carga elétrica de mesmo sinal que a do corpo já inicialmente eletrizado. Eletrização por Indução • Fenômeno da indução eletrostática Ao aproximar um corpo eletrizado, os elétrons pertencentes ao corpo neutro são atraídos por uma força 1 F enquanto os prótons se mantém na outra extremidade do corpo repelidos pela força 2 F , como mostra a figura abaixo: Lei de Coulomb Dois corpos eletricamente carregados exercem um sobre o outro uma força elétrica cuja intensidade é diretamente proporcional ao módulo de cada uma das cargas e inversamente proporcional ao quadrado da distância que os separa. A força será de atração se as cargas tiverem sinais opostos, e será de repulsão se as cargas tiverem mesmo sinal.
  • 4. Campo Elétrico – É capaz de produzir uma força elétrica numa carga de prova colocada na região onde ele atua. O campo elétrico será de afastamento se a carga for positiva, e de aproximação se a carga for negativa. Representamos este comportamento através das linhas de força. Observe a configuração das linhas de força quando aproximamos duas cargas elétricas de mesmo módulo, de acordo com o sinal delas: Cargas elétricas de mesmo sinal:
  • 5. Cargas elétricas de sinais opostos Campo elétrico gerado por placas paralelas muito longas (Campo elétrico uniforme): CONDUTOR EM EQUILÍBRIO ELESTROSTÁTICO
  • 6. Conseqüências : • O campo elétrico é nulo no interior de um condutor em equilíbrio eletrostático • O potencial elétrico é constante no interior e na superfície de um condutor em equilíbrio eletrostático. • A carga elétrica se aloja na superfície do condutor. Um condutor eletrizado encontra-se em equilíbrio eletrostático quando não há movimento de cargas elétricas em seu interior. Capacitores – Armazenam energia potencial elétrica, através do acúmulo de cargas, quando submetidos a uma diferença de potencial fornecida por uma bateria. Posteriormente podemos aproveitar essa energia elétrica, por exemplo, descarregando-a num resistor. Blindagem Eletrostática