SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 19
“Rita
Baiana”,
com Zezé
Mota

rafabebum.blogspot.com

2/11/2013
O Cortiço, 1890, romance
do Naturalismo no Brasil,
foco narrativo de 3.ª
pessoa, 23 capítulos

rafabebum.blogspot.com

2/11/2013
La vérité, toute la vérité, rien que la vérité.
(“Droit criminel”)

Termologia
E naquela terra encharcada e fumegante,
naquela umidade quente e lodosa, começou a
minhocar, a esfervilhar, a crescer o mundo,
uma coisa viva, uma geração que parecia
brotar espontânea, ali mesmo, daquele
lameiro, e multiplicar-se como larvas no
esterco.
rafabebum.blogspot.com

2/11/2013
Biologia e a animalidade humana
rafabebum.blogspot.com

2/11/2013
Sentia-se naquela fermentação sanguínea,
naquela gula viçosa de plantas rasteiras que
mergulham os pés vigorosos na lama preta e
nutriente da vida, o prazer animal de existir, a
triunfante satisfação de respirar sobre a terra.

(...) verminar constante de formigueiro
assanhado (...)
(...) destacam-se risos, sons de vozes
que se alternavam, sem saber onde,
grasnar de marrecos, cantar de galos,
cacarejar de galinhas (...)

Cap. III

rafabebum.blogspot.com

2/11/2013
Capitalismo selvagem: [...] deixando de pagar todas
as vezes que podia e nunca deixando de receber, [...]
enganando os fregueses, roubando nos pesos e nas
medidas, [...] trabalhando e mais a amiga como uma
junta de bois, João Romão veio afinal a comprar uma
boa parte da bela pedreira [...].
rafabebum.blogspot.com

2/11/2013
 Leandra

“Machona”
 Augusta Carne-Mole ─ Alexandre
 Leocádia ─ Bruno
 Marciana ─ filha Florinda
 Isabel ─ filha Pombinha
 Albino
 Paula

“Bruxa”
rafabebum.blogspot.com

2/11/2013
Conjunto
simples e
conjunto
complexo

rafabebum.blogspot.com

2/11/2013
Eram cinco horas da
manhã e o cortiço
acordava, abrindo,
não os olhos, mas a
sua infinidade de
portas e janelas
alinhadas.
Um acordar alegre e
farto de quem dormiu
de uma assentada,
sete horas de chumbo.
rafabebum.blogspot.com

2/11/2013
Conjunto simples: Cortiço São Romão

João Romão
(ascensão): proprietário
da taverna → Bertoleza
→ quitanda → bazar →
cortiço → pedreira →
sobrado → Av. São
Romão
Nível primário, Carapicus (bandeira
vermelha)
rafabebum.blogspot.com

2/11/2013
rafabebum.blogspot.com

2/11/2013
Sistema de trocas pela violência:
Bruno / Leocádia
Rita Baiana / Piedade
João Romão / Bertoleza
Jerônimo / Firmo
Nível primário até o fim: Cabeças de
Gato (bandeira amarela)
rafabebum.blogspot.com

2/11/2013
Naquela Mulata estava o grande mistério, a síntese
das impressões que ele recebeu chegando aqui: ela
era a luz ardente do meio-dia; ela era o calor
vermelho das sestas da fazenda; o aroma quente dos
trevos e das baunilhas, que o atordoara nas matas
brasileiras; era a palmeira virginal e esquiva que não
torce a nenhuma outra planta; era o veneno e açúcar
gostoso; era o sapoti mais doce que o mel era a
castanha do caju, que abre feridas com seu azeite de
fogo; ela era a cobra verde e traiçoeira, a lagarta
viçosa, a muriçoca doida, que esvoaçava havia muito
tempo em torno do corpo dele, assanhado-lhe os
desejos, acordando-lhe as fibras embambecidas pela
saudade da terra, picando-lhe as artérias.
rafabebum.blogspot.com

2/11/2013
E no entanto
o sol, único
causador de
tudo aquilo,
desaparecia
de todo nos
limbos
do horizonte
[...].

rafabebum.blogspot.com

2/11/2013
 Léonie,

madrinha de Juju
 Léonie almoça com Isabel e Pombinha
 Léonie inicia Pombinha

rafabebum.blogspot.com

2/11/2013
O calor tirava do capim um
cheiro sensual.
A moça fechou as pálpebras,
vencida pelo seu delicioso
entorpecimento, e estendeu-se
de todo no chão, de barriga para
o ar, braços e pernas abertas.

O sol, vitorioso, estava a pino e, por
entre a copagem negra da
mangueira, um dos seus raios descia
em fio de ouro sobre o ventre da
rapariga, abençoando a nova mulher
que se formava para o mundo.
rafabebum.blogspot.com

2/11/2013
Cadeia: Léonie → Pombinha →Senhorinha e Juju

rafabebum.blogspot.com

2/11/2013
Conjunto complexo: Sobrado

Miranda (estabilidade)
Sistema de trocas pelo comércio:
Estela / Miranda
Botelho / Estela

rafabebum.blogspot.com

2/11/2013
Jerônimo: ascensão e descenso

Situação da mulher:
Mulher-objeto: Bertoleza
Mulher-sujeito: Léonie, Pombinha,
Senhorinha
Mulher-sujeito/objeto: Estela, Rita
Baiana, Leocádia
Outras personagens-tipo: Domingos,
Libório, João da Costa, Marianita
“Senhorinha”...
rafabebum.blogspot.com

2/11/2013

Mais conteúdo relacionado

Mais de rafabebum

LITERATURA, 3.º EM, apostila 1, frentes 2 e 3, módulo 3.ppsx
LITERATURA, 3.º EM, apostila 1, frentes 2 e 3, módulo 3.ppsxLITERATURA, 3.º EM, apostila 1, frentes 2 e 3, módulo 3.ppsx
LITERATURA, 3.º EM, apostila 1, frentes 2 e 3, módulo 3.ppsxrafabebum
 
LITERATURA, 3.º EM, apostila 1, frentes 2 e 3, módulo 2.ppsx
LITERATURA, 3.º EM, apostila 1, frentes 2 e 3, módulo 2.ppsxLITERATURA, 3.º EM, apostila 1, frentes 2 e 3, módulo 2.ppsx
LITERATURA, 3.º EM, apostila 1, frentes 2 e 3, módulo 2.ppsxrafabebum
 
LITERATURA, 3.º EM, apostila 1, frentes 2 e 3, módulo 1.ppsx
LITERATURA, 3.º EM, apostila 1, frentes 2 e 3, módulo 1.ppsxLITERATURA, 3.º EM, apostila 1, frentes 2 e 3, módulo 1.ppsx
LITERATURA, 3.º EM, apostila 1, frentes 2 e 3, módulo 1.ppsxrafabebum
 
Dois Irmãos.ppsx
Dois Irmãos.ppsxDois Irmãos.ppsx
Dois Irmãos.ppsxrafabebum
 
Nós Matamos o Cão Tinhoso.ppsx
Nós Matamos o Cão Tinhoso.ppsxNós Matamos o Cão Tinhoso.ppsx
Nós Matamos o Cão Tinhoso.ppsxrafabebum
 
Machado de Assis blog.ppsx
Machado de Assis blog.ppsxMachado de Assis blog.ppsx
Machado de Assis blog.ppsxrafabebum
 
Romanceiro da Inconfidência.ppsx
Romanceiro da Inconfidência.ppsxRomanceiro da Inconfidência.ppsx
Romanceiro da Inconfidência.ppsxrafabebum
 
Romanceiro da Inconfidência - análise.pdf
Romanceiro da Inconfidência - análise.pdfRomanceiro da Inconfidência - análise.pdf
Romanceiro da Inconfidência - análise.pdfrafabebum
 
Quincas Borba.ppsx
Quincas Borba.ppsxQuincas Borba.ppsx
Quincas Borba.ppsxrafabebum
 
Quincas Borba - estudo.pdf
Quincas Borba - estudo.pdfQuincas Borba - estudo.pdf
Quincas Borba - estudo.pdfrafabebum
 
Poemas Escolhidos - análise.pdf
Poemas Escolhidos - análise.pdfPoemas Escolhidos - análise.pdf
Poemas Escolhidos - análise.pdfrafabebum
 
Nove Noites.ppsx
Nove Noites.ppsxNove Noites.ppsx
Nove Noites.ppsxrafabebum
 
Angústia - material de aula.pdf
Angústia - material de aula.pdfAngústia - material de aula.pdf
Angústia - material de aula.pdfrafabebum
 
Angústia.ppsx
Angústia.ppsxAngústia.ppsx
Angústia.ppsxrafabebum
 
Vinicius de Moraes.pptx
Vinicius de Moraes.pptxVinicius de Moraes.pptx
Vinicius de Moraes.pptxrafabebum
 
Impressionismo
ImpressionismoImpressionismo
Impressionismorafabebum
 
"Caminhos Cruzados", de Érico Veríssimo
"Caminhos Cruzados", de Érico Veríssimo"Caminhos Cruzados", de Érico Veríssimo
"Caminhos Cruzados", de Érico Veríssimorafabebum
 
"Minha Vida de Menina", de Helena Morley
"Minha Vida de Menina", de Helena Morley"Minha Vida de Menina", de Helena Morley
"Minha Vida de Menina", de Helena Morleyrafabebum
 
Minha vida de menina
Minha vida de meninaMinha vida de menina
Minha vida de meninarafabebum
 
Terra sonâmbula
Terra sonâmbulaTerra sonâmbula
Terra sonâmbularafabebum
 

Mais de rafabebum (20)

LITERATURA, 3.º EM, apostila 1, frentes 2 e 3, módulo 3.ppsx
LITERATURA, 3.º EM, apostila 1, frentes 2 e 3, módulo 3.ppsxLITERATURA, 3.º EM, apostila 1, frentes 2 e 3, módulo 3.ppsx
LITERATURA, 3.º EM, apostila 1, frentes 2 e 3, módulo 3.ppsx
 
LITERATURA, 3.º EM, apostila 1, frentes 2 e 3, módulo 2.ppsx
LITERATURA, 3.º EM, apostila 1, frentes 2 e 3, módulo 2.ppsxLITERATURA, 3.º EM, apostila 1, frentes 2 e 3, módulo 2.ppsx
LITERATURA, 3.º EM, apostila 1, frentes 2 e 3, módulo 2.ppsx
 
LITERATURA, 3.º EM, apostila 1, frentes 2 e 3, módulo 1.ppsx
LITERATURA, 3.º EM, apostila 1, frentes 2 e 3, módulo 1.ppsxLITERATURA, 3.º EM, apostila 1, frentes 2 e 3, módulo 1.ppsx
LITERATURA, 3.º EM, apostila 1, frentes 2 e 3, módulo 1.ppsx
 
Dois Irmãos.ppsx
Dois Irmãos.ppsxDois Irmãos.ppsx
Dois Irmãos.ppsx
 
Nós Matamos o Cão Tinhoso.ppsx
Nós Matamos o Cão Tinhoso.ppsxNós Matamos o Cão Tinhoso.ppsx
Nós Matamos o Cão Tinhoso.ppsx
 
Machado de Assis blog.ppsx
Machado de Assis blog.ppsxMachado de Assis blog.ppsx
Machado de Assis blog.ppsx
 
Romanceiro da Inconfidência.ppsx
Romanceiro da Inconfidência.ppsxRomanceiro da Inconfidência.ppsx
Romanceiro da Inconfidência.ppsx
 
Romanceiro da Inconfidência - análise.pdf
Romanceiro da Inconfidência - análise.pdfRomanceiro da Inconfidência - análise.pdf
Romanceiro da Inconfidência - análise.pdf
 
Quincas Borba.ppsx
Quincas Borba.ppsxQuincas Borba.ppsx
Quincas Borba.ppsx
 
Quincas Borba - estudo.pdf
Quincas Borba - estudo.pdfQuincas Borba - estudo.pdf
Quincas Borba - estudo.pdf
 
Poemas Escolhidos - análise.pdf
Poemas Escolhidos - análise.pdfPoemas Escolhidos - análise.pdf
Poemas Escolhidos - análise.pdf
 
Nove Noites.ppsx
Nove Noites.ppsxNove Noites.ppsx
Nove Noites.ppsx
 
Angústia - material de aula.pdf
Angústia - material de aula.pdfAngústia - material de aula.pdf
Angústia - material de aula.pdf
 
Angústia.ppsx
Angústia.ppsxAngústia.ppsx
Angústia.ppsx
 
Vinicius de Moraes.pptx
Vinicius de Moraes.pptxVinicius de Moraes.pptx
Vinicius de Moraes.pptx
 
Impressionismo
ImpressionismoImpressionismo
Impressionismo
 
"Caminhos Cruzados", de Érico Veríssimo
"Caminhos Cruzados", de Érico Veríssimo"Caminhos Cruzados", de Érico Veríssimo
"Caminhos Cruzados", de Érico Veríssimo
 
"Minha Vida de Menina", de Helena Morley
"Minha Vida de Menina", de Helena Morley"Minha Vida de Menina", de Helena Morley
"Minha Vida de Menina", de Helena Morley
 
Minha vida de menina
Minha vida de meninaMinha vida de menina
Minha vida de menina
 
Terra sonâmbula
Terra sonâmbulaTerra sonâmbula
Terra sonâmbula
 

O cortiço

  • 2. O Cortiço, 1890, romance do Naturalismo no Brasil, foco narrativo de 3.ª pessoa, 23 capítulos rafabebum.blogspot.com 2/11/2013
  • 3. La vérité, toute la vérité, rien que la vérité. (“Droit criminel”) Termologia E naquela terra encharcada e fumegante, naquela umidade quente e lodosa, começou a minhocar, a esfervilhar, a crescer o mundo, uma coisa viva, uma geração que parecia brotar espontânea, ali mesmo, daquele lameiro, e multiplicar-se como larvas no esterco. rafabebum.blogspot.com 2/11/2013
  • 4. Biologia e a animalidade humana rafabebum.blogspot.com 2/11/2013
  • 5. Sentia-se naquela fermentação sanguínea, naquela gula viçosa de plantas rasteiras que mergulham os pés vigorosos na lama preta e nutriente da vida, o prazer animal de existir, a triunfante satisfação de respirar sobre a terra. (...) verminar constante de formigueiro assanhado (...) (...) destacam-se risos, sons de vozes que se alternavam, sem saber onde, grasnar de marrecos, cantar de galos, cacarejar de galinhas (...) Cap. III rafabebum.blogspot.com 2/11/2013
  • 6. Capitalismo selvagem: [...] deixando de pagar todas as vezes que podia e nunca deixando de receber, [...] enganando os fregueses, roubando nos pesos e nas medidas, [...] trabalhando e mais a amiga como uma junta de bois, João Romão veio afinal a comprar uma boa parte da bela pedreira [...]. rafabebum.blogspot.com 2/11/2013
  • 7.  Leandra “Machona”  Augusta Carne-Mole ─ Alexandre  Leocádia ─ Bruno  Marciana ─ filha Florinda  Isabel ─ filha Pombinha  Albino  Paula “Bruxa” rafabebum.blogspot.com 2/11/2013
  • 9. Eram cinco horas da manhã e o cortiço acordava, abrindo, não os olhos, mas a sua infinidade de portas e janelas alinhadas. Um acordar alegre e farto de quem dormiu de uma assentada, sete horas de chumbo. rafabebum.blogspot.com 2/11/2013
  • 10. Conjunto simples: Cortiço São Romão João Romão (ascensão): proprietário da taverna → Bertoleza → quitanda → bazar → cortiço → pedreira → sobrado → Av. São Romão Nível primário, Carapicus (bandeira vermelha) rafabebum.blogspot.com 2/11/2013
  • 12. Sistema de trocas pela violência: Bruno / Leocádia Rita Baiana / Piedade João Romão / Bertoleza Jerônimo / Firmo Nível primário até o fim: Cabeças de Gato (bandeira amarela) rafabebum.blogspot.com 2/11/2013
  • 13. Naquela Mulata estava o grande mistério, a síntese das impressões que ele recebeu chegando aqui: ela era a luz ardente do meio-dia; ela era o calor vermelho das sestas da fazenda; o aroma quente dos trevos e das baunilhas, que o atordoara nas matas brasileiras; era a palmeira virginal e esquiva que não torce a nenhuma outra planta; era o veneno e açúcar gostoso; era o sapoti mais doce que o mel era a castanha do caju, que abre feridas com seu azeite de fogo; ela era a cobra verde e traiçoeira, a lagarta viçosa, a muriçoca doida, que esvoaçava havia muito tempo em torno do corpo dele, assanhado-lhe os desejos, acordando-lhe as fibras embambecidas pela saudade da terra, picando-lhe as artérias. rafabebum.blogspot.com 2/11/2013
  • 14. E no entanto o sol, único causador de tudo aquilo, desaparecia de todo nos limbos do horizonte [...]. rafabebum.blogspot.com 2/11/2013
  • 15.  Léonie, madrinha de Juju  Léonie almoça com Isabel e Pombinha  Léonie inicia Pombinha rafabebum.blogspot.com 2/11/2013
  • 16. O calor tirava do capim um cheiro sensual. A moça fechou as pálpebras, vencida pelo seu delicioso entorpecimento, e estendeu-se de todo no chão, de barriga para o ar, braços e pernas abertas. O sol, vitorioso, estava a pino e, por entre a copagem negra da mangueira, um dos seus raios descia em fio de ouro sobre o ventre da rapariga, abençoando a nova mulher que se formava para o mundo. rafabebum.blogspot.com 2/11/2013
  • 17. Cadeia: Léonie → Pombinha →Senhorinha e Juju rafabebum.blogspot.com 2/11/2013
  • 18. Conjunto complexo: Sobrado Miranda (estabilidade) Sistema de trocas pelo comércio: Estela / Miranda Botelho / Estela rafabebum.blogspot.com 2/11/2013
  • 19. Jerônimo: ascensão e descenso Situação da mulher: Mulher-objeto: Bertoleza Mulher-sujeito: Léonie, Pombinha, Senhorinha Mulher-sujeito/objeto: Estela, Rita Baiana, Leocádia Outras personagens-tipo: Domingos, Libório, João da Costa, Marianita “Senhorinha”... rafabebum.blogspot.com 2/11/2013