Balanço completo 2011

324 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
324
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
13
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Balanço completo 2011

  1. 1. DemonstraçõesFinanceiras2011Exercício Findo em 31 de dezembro bilhão1,1R$PatrimônioLíquido3,4R$Ativo Totalbilhões359R$LucroLíquidomilhõesbilhão1,9R$RecursosDisponíveisPart. em Seguros e RessegurosParticipação no MercadoNacional de Seguros Garantia (%)Mercado62,7%JMalucelli37,3%Fonte: Susep: 06/2011Participação no MercadoPrêmios de Resseguro Total do GrupoRiscos Financeiros (%)Mercado61,4%JMalucelli38,6%Fonte: Susep: 06/2011Evolução do Patrimônio LíquidoConsolidado (R$ Milhões)275220918dez-09 dez-10 dez-11Evolução das Aplicações FinanceirasConsolidado (R$ Milhões)4313371.087dez-09 dez-10 dez-11ConsolidadoSeguroseRessegurosLucro Líquido Consolidado(R$ Milhões)104359117dez-09 dez-10 dez-111.8971.5751.235Recursos Captados(R$ Milhões)dez-09 dez-10 dez-11Operações de Crédito Consolidado(R$ Milhões)1.2971.8951.552dez-09 dez-10 dez-112.6173.4273.074Ativo Total Consolidado(R$ Milhões)dez-09 dez-10 dez-111.093828789Evolução do Patrimônio LíquidoConsolidado (R$ Milhões)dez-09 dez-10 dez-1113,0036,2014,60Rentabilidade - ROAE(%)dez-09 dez-10 dez-11
  2. 2. JMALUCELLIDISTRIBUIDORA DE TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS LTDA.CNPJ nº 76.621.457/0001-85Rua Comendador Araújo, 143 - 20º andar - Curitiba - PRJMALUCELLIRESSEGURADORA S.A.CNPJ nº 09.594.758/0001-70Rua Visconde de Nacar, 1.441 - Curitiba - PRJMALUCELLISEGURADORA S.A.CNPJ nº 84.948.157/0001-33Rua Visconde de Nacar, 1.441 - Curitiba - PRPARANÁ BANCO S.A.Banco Múltiplo conforme o certificado de 21/06/89CNPJ nº 14.388.334/0001-99Companhia Aberta de Capital Autorizadowww.paranabanco.com.brwww.jmalucelliseguradora.com.brwww.jmalucellire.com.brwww.jmalucelli.com.brLucro Líquido Consolidado(R$ Milhões)104359117dez-09 dez-10 dez-111.8971.5751.235Recursos Captados(R$ Milhões)dez-09 dez-10 dez-11Operações de Crédito Consolidado(R$ Milhões)1.2971.8951.552dez-09 dez-10 dez-112.6173.4273.074Ativo Total Consolidado(R$ Milhões)dez-09 dez-10 dez-111.093828789Evolução do Patrimônio LíquidoConsolidado (R$ Milhões)dez-09 dez-10 dez-1113,0036,2014,60Rentabilidade - ROAE(%)dez-09 dez-10 dez-11continuaRELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃOA Administração do Paraná Banco S.A. (BOVESPA: PRBC4/ADR Nível I: PARPY), banco múltiplo privado, especializado em crédito consignado, crédito parapequenas e médias empresas (PME), seguro garantia e resseguros, através de suas controladas e controladas em conjunto, em conformidade com as disposiçõeslegais e estatutárias apresenta a seus acionistas as Demonstrações Financeiras do Banco e consolidado do exercício de 2011, juntamente com o Relatório dosAuditores Independentes. Todas as Demonstrações Financeiras aqui apresentadas são consolidadas, abrangendo as Demonstrações Financeiras do Banco e suascontroladas e controladas em conjunto, a JMalucelli Seguradora, a JMalucelli Re., a JMalucelli Seguradora de Crédito, a JMalucelli Distribuidora de Títulos eValores Mobiliários, a JMalucelli Agenciamento e Serviços e Paraná Administradora de Consórcio. As informações, exceto quando indicado de forma diferente,são expressas em moeda corrente nacional (em milhares reais) e foram elaboradas com base nas práticas contábeis emanadas da legislação societária brasileira,associadas às normas e instruções do Conselho Monetário Nacional (CMN), do Banco Central do Brasil (BACEN), da Comissão de Valores Mobiliários (“CVM”),do Conselho Nacional de Seguros Privados - (CNSP) e da SUSEP - Superintendência de Seguros Privados, quando aplicável.MENSAGEM DA ADMINISTRAÇÃOEntendemos que o crescimento só é satisfatório quando vem acompanhado de qualidade e por isso encerramos 2011 satisfeitos com a nossa estrutura denegócio. Neste ano vimos a carteira de crédito crescer 21,2% enquanto a inadimplência, quando medida por créditos vencidos há mais de 180 dias,ficou praticamente estável aumentando 0,1 ponto percentual. Ao mesmo tempo na outra ponta do negócio, sustentamos o crescimento por meio da captaçãode depósitos a prazo, que cresceu 31,3% no ano e que entendemos ser a fonte de funding mais adequada a nossa estrutura de negócio. Não realizamos cessãode crédito e não necessitamos de nenhuma provisão adicional além do que usualmente fazemos, em atendimento as exigências da resolução 2.682 doConselho Monetário Nacional. Frente as alterações no Fator de Ponderação do Risco (FPR) pelo Banco Central do Brasil para as operações de crédito a pessoasfísicas, tivemos uma capitalização adequada que nos permitiu dar continuidade a originação de operações sem a necessidade de redução nos prazos.Remodelamos a estratégia do segmento de middle market, lançamos novos produtos, e tivemos um crescimento expressivo de carteira de 36,2% nacomparação com 2010. Em dezembro de 2011 o BNDES estabeleceu limite de crédito para a realização de novas operações com seus recursos no valor deR$ 100 milhões. Seremos uma instituição financeira credenciada priorizando o repasse das seguintes linhas: FINAME, PSI - Bens de Capital e o PROGEREN,o que possibilitará mais efetividade no relacionamento com as empresas de middle market. A sequência será o início das operações com o BNDES aindano 1S12.No ambiente de crédito consignado em 2011 superamos o crescimento do mercado de 14,9% apresentando uma evolução de carteira de 19,0%. Em dezembroabrimos uma nova loja Paraná Crédito em Foz do Iguaçu, no Paraná, e em 2012 temos planos de abrir outras 7 lojas, totalizando 23 lojas ao final de 2012.Paralelamente pretendemos firmar parceria com 30 correspondentes bancários exclusivos no Paraná, Santa Catarina e Minas Gerais, que somados aos atuaisperformará uma rede de 84 correspondentes exclusivos. Acreditamos que a originação de crédito por meio de canais próprios nos possibilita um maior controlesobre a base de clientes e consequentemente maior força de refinanciamento de operações, algo muito comum no mercado de crédito consignado.SOBRE O PARANÁ BANCOPerfilO Paraná Banco, banco múltiplo privado, é especializado em crédito consignado, crédito para pequenas e médias empresas (PME), seguro garantia e resseguros.Governança CorporativaAtualmente, o Paraná Banco está listado entre as empresas do Nível 1 da BM&FBovespa, segmento que reúne empresas com diferenciadas práticas deGovernança Corporativa. Adicionalmente às normas exigidas pelo Nível 1, o Banco confere 100% de tag-along para suas ações preferenciais.Em acordo com o Regulamento do Nível 1 de Governança Corporativa da BM&FBovespa o Paraná Banco alterou em dezembro o cálculo do total de ações emcirculação (“free float”). Seguindo a definição constante da Seção II do Regulamento de que “Ações em Circulação” são “todas as ações emitidas pelaCompanhia, excetuadas as ações detidas pelo Acionista Controlador, por pessoas a ele vinculadas, por Administradores da Companhia, aquelas em tesourariae preferenciais de classe especial que tenham por fim garantir direitos políticos diferenciados, sejam intransferíveis e de propriedade exclusiva do entedesestatizante”, passou a integrar ações ordinárias de emissão da Companhia não detidas por Acionista Controlador, pessoas a ele vinculadas e Administradoresda Companhia as ações em circulação. Com a alteração o total de ações em circulação no mercado do Paraná Banco em 31 de dezembro de 2011 passou aser de 33.462.104 ações de emissão da Companhia, das quais 11.570.032 ações ordinárias e 21.892.072 ações preferenciais, equivalentes a 38,3% do totalde ações de emissão da Companhia. Abaixo, está indicada a estrutura acionária com data-base em 31 de dezembro de 2011.Estrutura Acionária ON PN Total %Grupo de controle 41.121.063 7.070.863 48.191.926 55,2%Conselho de administração 3.293.400 1.532.500 4.825.900 5,5%Diretoria 740.481 162.221 902.702 1,0%Tesouraria – – – 0,0%Free-float 11.570.032 21.892.072 33.462.104 38,3%Total 56.724.976 30.657.656 87.382.632 100,0%Em reunião realizada em dezembro de 2011 o Conselho de Administração aprovou um novo programa de recompra de ações com limite de aquisição de2.189.207 ações preferenciais de emissão da Companhia até 13 de dezembro de 2012. No total a Companhia já concluiu 10 programas de recompra de açõespor meio dos quais adquiriu 23.750.700 ações preferenciais já canceladas.Juros sobre Capital Próprio e DividendosForam destacados R$ 49.107 de juros sobre o capital próprio referente ao exercício findo em 2011. Os referidos juros reduziram os encargos tributáriosregistrados no resultado do trimestre em R$ 19.643 serão incluídos nos dividendos mínimos obrigatórios do exercício.Foram destacados R$ 36.883 de dividendos referentes ao exercício findo em 31 de dezembro de 2011. Dividendos esses mínimos obrigatórios reconhecidosno exercício de 2011.JMalucelli Seguradora, JMalucelli Resseguradora e JMalucelli Seguradora de Crédito• Lucro LíquidoNo ano as seguradoras JMalucelli apresentaram um lucro líquido ajustado de R$ 83,2 milhões, ante R$ 55,2 milhões em 2010, evolução de 50,7%. O ano parao mercado de seguro garantia foi atípico tendo apresentado crescimento de prêmios diretos de 14,0% no comparativo do acumulado de junho de 2010 ajunho de 2011 (últimos dados disponibilizados pela SUSEP), abaixo da média histórica de crescimento anual deste mercado de 2007 a 2010 (CAGR de 28,1%).• Política de InvestimentosEm dezembro de 2011, o saldo das aplicações financeiras da JMalucelli Seguradora, JMalucelli Resseguradora e JMalucelli Seguros era de R$ 1.034,2 milhões.Deste total, em dezembro 60,8% estava alocado em ativos de renda fixa, 25,7% em títulos públicos, 8,0% em fundos multimercado e 5,5% em ativos derenda variável. As receitas financeiras advindas desta carteira representaram R$ 92,7 milhões em 2011. A Administração pretende é de manter a disciplina naalocação atual dos investimentos, seguindo a política de investimentos estabelecida e visando retornos de médios e longos prazos.Evolução da Originação de Crédito Consignado(R$ Milhões)277,9302,1291,9300,2318,14T10 1T11 2T11 3T11 4T11Evolução da Carteira de Middle Market(R$ Milhares)212,1175,7224,4267,4289,04T10 1T11 2T11 3T11 4T11Evolução da Originação de Crédito Consignado(R$ Milhões)4T10 1T11 2T11 3T11 4T114T11 20112,67%11,60%3,77%12,08%Rentabilidade das Aplicações FinanceirasCDI Aplicações JM Seguros4T10 1T11 2T11 3T11 4T11Evolução da Carteira de Crédito - Consolidada(R$ Milhões)3,3%1,9%26,2 18,7 7,3 5,5 4,01,9% 1,9%2,0% 2,0%3,2%1.625,91.551,9 1.753,1 1.837,2 1.894,83,3% 3,3% 3,4%Saldo da cessão de crédito Operações de crédito em balançoNível H/Carteira de créditoPDD/Carteira de crédito259,0624,8 49,41.010,576,925,6%61,8%12,5%TítulosPúblicosRendaFixaRendaVariávelFundoMultimercadoTotalCarteira das Aplicações Financeiras(R$ Milhões)CDB = R$ 6,8DPGE = R$ 484,2Outros = R$ 133,71T10 2T10 3T10 4T10 1T11 2T11 3T11 4T114,0270,5187,61.438.3Fontes de Captação(R$ Milhões)Cessão de Créditos DPGE MTN Depósitos44,5%26,3%22,7%6,4%Distribuição da Carteira de Crédito ConsignadoGovernosEstaduaisPrefeiturasINSSEntidadesFederais29,0%28,5%23,2%19,3%Captação - Operações a VencerAté 3 MesesDe 3 a 12 MesesDe 1 a 3 anosAcima de 3 anos22,9%23,3%40,3%Carteira de Crédito - Operações a Vencer13,6%Até 3 MesesDe 3 a 12 MesesDe 1 a 3 anosAcima de 3 anos4T10 3T11 4T11Evolução dos Ativos Totais(R$ Mil)Operações de Crédito TVM Outros3.293.743 3.427.4613.073.980579.851942.2111.551.918397.9881.058.5491.837.206456.8411.075.7931.894.827277,9302,1291,9300,2318,1A rentabilidade média das aplicações financeiras das seguradoras JMalucelli em 2011 ficou em 104,1% do CDI. Em outubro de 2011 a aplicação em fundomultimercado que utiliza renda variável (financiamento com opções - compra de ações e venda de opções) com objetivo de superar a rentabilidade da rendafixa, conforme anunciado no release de resultados anterior, recuperou o impacto negativo gerado pela marcação a mercado dos investimentos em umambiente de desvalorização do mercado acionário. Isto possibilitou a recuperação da rentabilidade dos investimentos.A política de investimentos do braço de seguros do Paraná Banco tem como objetivo assegurar a capacidade das seguradoras e resseguradora de daratendimento a obrigações previstas em contratos de seguros. A alocação de recursos é definida visando metas, limites e metodologias para a gestão deinvestimentos de forma a maximizar retornos de acordo com as diretrizes definidas pela legislação em vigor. A política define que para o total das aplicaçõesfinanceiras até 100% pode ser destinado para investimento em Títulos Públicos Federais de emissão da República Federativa do Brasil e que até 95% emDPGEs (Depósitos a Prazo com Garantia Especial) até limites estabelecidos por lei, com vencimento em três anos ou menos. Até 40% do total das aplicaçõesfinanceiras podem ser destinados para investimentos de renda fixa com baixo risco, ou seja, em Instituições com classificação de risco AAA, até 20% em rendafixa de Instituições com classificação de risco superior a AA-, e até 10% para investimentos de renda fixa em instituições com classificação de risco superior aBBB-. Todos os investimentos em instituições financeiras também são limitados ao porte da instituição (total de ativos). Para investimentos em renda variável apolítica define como teto máximo que 8% dos investimentos possam ser alocados em fundos multimercado e 5% em renda variável. Investimentos queultrapassarem o limite estipulado por razões que não sejam novas aquisições (o caso dos investimentos em renda variável em 2011), são geridos de modo aatender os melhores interesses da Companhia. Os recursos alocados em renda variável estão 100% investidos em um fundo de ações cujo portfólio é compostomajoritariamente por ações de empresas com dividend yield superior a 6% ao ano, há pelo menos três anos.DESEMPENHO OPERACIONAL• Gestão de Ativos e PassivosEm dezembro de 2011, os ativos totais somaram R$ 3.427,5 milhões ante R$ 3.074,0 milhões na mesma data de 2010. No final de 2011 as operações decrédito representaram 55,3% dos ativos, títulos e valores mobiliários 31,4% e outros ativos 13,3%.A tesouraria do Paraná Banco opera o caixa da Companhia de forma passiva aplicando 94,5% dos recursos em títulos cujo risco é soberano e 4,5% em umfundo multimercado. As aplicações financeiras das seguradoras JMalucelli são alocadas conforme o descrito anteriormente e são geridas pelo Banco. A carteirade TVM é composta basicamente por operações compromissadas lastreadas em Letras Financeiras do Tesouro (LFT). A carteira consolidada de títulos einvestimentos apresentou evolução de 14,2% em relação a dezembro de 2010.• Crédito ConsignadoA maior concentração da carteira de crédito consignado do Paraná Banco em dezembro de 2011 estava nas operações de crédito a funcionários dos governosestaduais (44,5%), seguido de prefeituras (26,3%), aposentados e pensionistas do INSS (22,7%) e entidades federais (6,4%). Esta pulverização dilui o riscoregulatório e de concentração da carteira.O crédito consignado à funcionários públicos, aposentados e pensionistas do INSS, é tradicionalmente considerado como baixo risco de crédito. Desta forma,dada a grande concentração nestas operações, o Paraná Banco possui uma carteira de crédito de excelente qualidade. O quadro abaixo apresenta a classificaçãode risco da carteira de crédito consignado em 31 de dezembro de 2011 segundo normas do Banco Central, sendo a categoria A de menor risco e a categoriaH de maior risco.Classif. Provisão Requerida Carteira Cessão Carteira + CessãoClassif. / Carteira+ CessãoProvisãoCarteiraProvisãoCessão Provisão TotalA 0,5% 1.439.118 3.809 1.442.928 92,4% 7.196 19 7.215B 1,0% 37.111 – 37.111 2,4% 371 – 371C 3,0% 22.121 – 22.121 1,4% 664 – 664D 10,0% 12.744 – 12.744 0,8% 1.274 – 1.274E 30,0% 8.962 – 8.962 0,6% 2.689 – 2.689F 50,0% 6.927 – 6.927 0,4% 3.463 – 3.464G 70,0% 5.797 – 5.797 0,4% 4.058 – 4.058H 100,0% 24.202 193 24.395 1,6% 24.202 193 24.395Total 1.556.982 4.003 1.560.984 100,0% 43.916 213 44.129Ao final de dezembro, 96,2% da carteira de consignado do banco estava classificada entre AA e C, 2,2% entre D e G e 1,6% da carteira estava classificadano nível H. Enquanto a inadimplência, acima de 90 dias, registrada para pessoa física no SFN em dezembro era de 7,3%, a inadimplência do Paraná Bancopara o crédito consignado era de 3,0%.RATINGSO Paraná Banco possui cobertura de quatro agências de rating que corroboram a sua solidez e confortável situação econômico-financeiro, fundamentados emum crescimento sustentável e conservadora gestão dos seus ativos e exposição aos riscos.Em dezembro de 2011 a agência de classificação de risco Standard & Poor`s, seguindo uma nova metodologia de avaliação de bancos divulgada pela agênciano início de novembro, elevou o rating na escala nacional do Paraná Banco de “brA-“ para “brAA”, e na escala global de “BB-“ para “BB+”, ambos comperspectiva estável. A agência considerou como fatores determinantes para a elevação do rating do Paraná Banco a solidez da base de capital, rentabilidade eos baixos riscos relacionados às atividades da Companhia.Dezembro/2011 Dezembro/2011 Janeiro/2012Janeiro/2012‘brAA‘ ‘A’ ‘A+’11,46Perspectiva estável Baixo risco de créditoBaixo risco de créditopara médio prazoBaixo risco de créditoGERENCIAMENTO DE RISCOS DE MERCADO• Riscos para os quais se busca proteçãoRisco de Taxas de Juros - O risco de taxa de juros decorre da precificação de ativos e passivos em momentos distintos, bem como de oscilações inesperadas nainclinação e forma das curvas de rendimento e de alterações na correlação entre as taxas de juros de diferentes instrumentos financeiros.A Companhia fica diretamente exposta aos riscos de oscilação das taxas de juros quando ocorre um descasamento entre as taxas de juros que adota e as taxasde juros praticadas pelo mercado. Procuramos administrar nossos ativos e passivos por meio de controles eficazes e adequados ao porte operacional daCompanhia, para que com isso consigamos evitar e/ou reduzir eventual impacto negativo que poderá ser causado por oscilações nas taxas de juros sobre areceita de intermediação financeira líquida da Companhia.Risco de Variação Cambial - O risco cambial decorre da titularidade de ativos, passivos e itens denominados ou indexados a moedas estrangeiras.A Companhia administra sua exposição cambial objetivando ajustar os descasamentos entre ativos e passivos indexados a variação de moedas estrangeiras,particularmente com uso de operações de derivativos. Não faz parte de nossa estratégia manter exposições significativas e prolongadas ao risco cambial.Risco de Mercados das atividades de trading - O risco de mercado relacionado às atividades de trading (negociação) decorre, principalmente, das posiçõesadotadas pela Companhia em relação a títulos federais prefixados, resultantes de operações compromissadas, aquelas realizadas no mercado de Balcão dasInstituições do SFN - Sistema Financeiro Nacional em que o vendedor assume o compromisso de recomprar os títulos por ele vendidos em uma data prefixadae também mediante ao pagamento de juros prefixados. E o comprador, em contrapartida, deve assumir o compromisso irreversível de revender o título na datade vencimento do compromisso pelo preço fixado. As atividades de trading (negociação) são supervisionadas e aprovadas pelos órgãos componentes doComitê de Riscos da Companhia, objetivando-se, desta maneira, evitar a exposição da Companhia aos riscos inerentes a esta atividade bem como reduzir aintensidade de seus eventuais efeitos negativos sobre as atividades da Companhia.• Estratégia de proteção patrimonial (hedge)A estruturação de operações de defesa de posições de risco da Companhia, em geral chamada de hedge, é um dos aspectos mais importantes da gestãofinanceira da Companhia e decorrem da necessidade de proteção à volatilidade verificada no mercado financeiro. Observamos, entretanto, que como asoperações de hedge apresentam, de um modo geral, elevados custos de implementação, optamos por utilizar tais instrumentos de maneira planejada ealinhada aos resultados negociais da Companhia, evitando exposições desnecessárias e consolidando posições seguras de atuação.As operações de vendas definitivas de ativos e de cessões de crédito com coobrigação são usualmente operações pré-fixadas. Este tipo de operação, comumno mercado financeiro, permite o controle da liquidez da Companhia e é um instrumento que pode ser utilizado como redutor do risco de mercado dasoperações pré-fixadas desenvolvidas pela Companhia.No que tange às exposições decorrente de operações realizadas em moeda estrangeira (variação cambial), a Companhia efetua contratos de Swap da taxa decâmbio (dólar) para o indexador CDI em sua totalidade do valor principal de sua exposição.Instrumentos utilizados para proteção patrimonial (hedge)Atualmente, a Companhia pode utilizar os seguintes instrumentos para implementar sua estratégia de proteção patrimonial:• Contratos de Swap de taxas de juros e taxas de câmbio no mercado local.Parâmetros utilizados para o gerenciamento desses riscosA Companhia adota os critérios constantes de orientações do Banco Central para identificação, monitoramento e apreçamento de ativos financeiros,bem como para a quantificação dos riscos que lhes são inerentes.O cálculo das parcelas referentes ao Risco de Mercado de Taxas de Juros Pré-fixadas, por exemplo, é efetuado pela aplicação do VAR - Value-at-Risk,medida estatística que sumariza uma perda ou ganho potencial derivada da exposição de uma carteira de crédito ao risco de mercado em condições normais,considerando uma probabilidade de ocorrência de 99%, com horizonte de tempo de 10 dias e volatilidades e parâmetros definidos diariamente pelo BancoCentral. Além dos cálculos realizados, como o VAR - Value-at-Risk, a Companhia utiliza, também como parâmetro para gerenciar os riscos de mercado, aanálise de sensibilidade das exposições a que está sujeita, o que permite a fixação de limites e controles de riscos e alavancagem, os quais são definidos eautorizados por seu Comitê de Riscos.As atividades relacionadas à estrutura de controle de gerenciamento de riscos da Companhia são divididas entre órgãos e cargos da Companhia, conformeabaixo:Diretoria e Conselho de Administração: A Diretoria e o Conselho de Administração são responsáveis pela aprovação e revisão periódica da Política deGerenciamento do Risco de Mercado da Companhia, devendo também monitorar periodicamente os limites operacionais e os procedimentos adotados pelaCompanhia com o escopo de manter a exposição ao risco de mercado em níveis considerados regulares, evitando variações repentinas.Comitê de Riscos: O Comitê de Riscos da Companhia foi criado para suportar o Comitê Executivo Sênior e atuar de forma colegiada na identificação, análise,monitoramento, mensuração, acompanhamento e controle dos riscos corporativos a que a Companhia está sujeita, devendo garantir o cumprimento dasResoluções do CMN nº 2.804/00, 3.380/06, 3.464/07 e 3.721/09, que dispõem sobre a implementação das estruturas de gerenciamento dos riscos de liquidez,operacionais, de mercado e de crédito. O Comitê de Riscos da Companhia é composto pelos gerentes das áreas de risco de mercado, liquidez, operacional,crédito, pelo Diretor Financeiro e Vice-Presidente da Companhia.Diretor Responsável pelo Risco de Mercado: O Diretor Responsável pelo Risco de Mercado é indicado pela Companhia para representá-la perante oBanco Central, sendo, juntamente com o Comitê de Riscos, responsável por validar e aprovar as políticas e objetivos gerais da Companhia, alertando oConselho de Administração e a Diretoria com informações relevantes sobre a estrutura e os resultados do gerenciamento de riscos de mercado.Gestor Responsável pelo Risco de Mercado: O Gestor Responsável pela gerência dos riscos de mercado é um colaborador designado pelo Diretor Responsávelpelo Risco de Mercado para gerir a estrutura de gerenciamento de riscos de mercado. Ao Gestor Responsável pelo Risco de Mercado também é atribuída aresponsabilidade pelo processo de informação, comunicação e divulgação da estrutura de risco adotada pela Companhia.A estrutura de gerenciamento de riscos contempla metodologias e ferramentas para medir, monitorar e controlar a exposição ao risco de mercado.Desta forma, a Companhia, em cumprimento as disposições da Resolução CMN nº 3.464/07, gerencia seus riscos de mercado em total consonância com asdisposições regulamentares e as melhores práticas do mercado.As principais atribuições da Gerência de Risco de Mercado são:- mensurar e controlar a sujeição a riscos de mercado pela Companhia;- definir as metodologias a serem utilizadas na mensuração dos riscos de mercado;- fornecer informações relativas às exposições aos riscos de mercado;- realizar diariamente o controle da utilização dos limites operacionais autorizados e informar ao Comitê de Riscos eventuais excessos e desconsiderações aoslimites de exposição previamente estabelecidos;- realizar testes para monitoramento da precisão dos modelos de avaliação do risco de mercado; e- realizar simulações de condições extremas de mercado (testes de estresse), baseados em cenários definidos pelo Comitê de Risco.• Risco de liquidezA aplicação da política de risco de liquidez é coordenada pelo comitê de riscos da Companhia, que se reúne periodicamente para avaliar os possíveis cenários.A Gestão de liquidez é avaliada através da analise da projeção do fluxo de caixa do banco.O gestor de liquidez executa diferentes cenários na condição de liquidez de seu fluxo de caixa levando em consideração fatores interno e externo à Companhia,elabora relatório que permite o monitoramento dos riscos assumidos, realiza avaliações voltadas a identificar posições que coloquem em risco situaçãoeconômica financeira da instituição.São realizados periodicamente testes de estresse, onde são considerados; resgates antecipados, aumento da inadimplência, saídas inesperadas, c/c rotativos,cdc, middle/small e dificuldade ao acesso a novos recursos, é emitido mensalmente relatório gráfico que permitem avaliar a aderência do fluxo de caixa.• Plano de contingênciaUtilizamos como mitigadores de riscos, a redução drástica na produção de novos ativos aumentando a taxa de juros, acréscimo nas taxas de juros dascaptações, disponibilidade de limite na captação de DPGE, reversão de lucros, constituição de fundos de direitos creditórios, venda de ativos consignáveisatravés de acordos operacionais para cessão de crédito.O Comitê de riscos é responsável pelo monitoramento e cumprimento da política de liquidez.As atividades de monitoramento dos riscos de mercado e liquidez estão sujeitas a avaliação da área de compliance da Companhia, bem como das auditoriasinterna e externa.Em relação ao último exercício social, não houve alterações significativas nos principais riscos de mercado e liquidez a que a Companhia está exposta ou napolítica de gerenciamento de riscos adotada, bem como outras informações em que a Companhia julgue relevante.Atuação da Equipe de RIO Paraná Banco possui uma área de relações com investidores que busca manter uma postura proativa, constantemente em contato com analistas e investidoresnacionais e estrangeiros, que tem como objetivo melhor atender as demandas do mercado e fortalecer a imagem e presença do Banco.A área de Relações com Investidores reforça o objetivo de criação de valor aos seus acionistas, e realiza esforços objetivando a maior liquidez de suas ações,com transparência nas divulgações dos resultados e em constante comunicação com o mercado.Divulgação das informaçõesEm atendimento à instrução CVM n° 480, os Diretores revisaram, discutiram e concordam com o relatório dos Auditores Independentes e com as DemonstraçõesFinanceiras.Auditores IndependentesEm atendimento à Instrução CVM n° 381, o Banco e as empresas controladas não contrataram e nem tiveram serviços prestados pela KPMG AuditoresIndependentes relacionados a essas empresas que não os serviços de auditoria externa. A política adotada atende aos princípios que preservam a independênciado auditor, de acordo com os critérios internacionalmente aceitos, quais sejam, o auditor não deve auditar o seu próprio trabalho nem exercer funçõesgerenciais no seu cliente ou promover os interesses deste.AgradecimentosAgradecemos aos nossos acionistas, clientes e parceiros de negócios pela confiança demonstrada ao longo do tempo, e aos Diretores, Conselheiros,funcionários e colaboradores, pelos esforços, competência, lealdade e dedicação frente aos desafios passados e do futuro.ALEXANDRE MALUCELLIPresidente do Conselho de Administração
  3. 3. www.paranabanco.com.brwww.jmalucelliseguradora.com.brwww.jmalucellire.com.brwww.jmalucelli.com.brJMALUCELLIDISTRIBUIDORA DE TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS LTDA.CNPJ nº 76.621.457/0001-85Rua Comendador Araújo, 143 - 20º andar - Curitiba - PRJMALUCELLIRESSEGURADORA S.A.CNPJ nº 09.594.758/0001-70Rua Visconde de Nacar, 1.441 - Curitiba - PRJMALUCELLISEGURADORA S.A.CNPJ nº 84.948.157/0001-33Rua Visconde de Nacar, 1.441 - Curitiba - PRPARANÁ BANCO S.A.Banco Múltiplo conforme o certificado de 21/06/89CNPJ nº 14.388.334/0001-99Companhia Aberta de Capital AutorizadoBanco ConsolidadoAtivo Nota 2011 2010 2011 2010Circulante 1.337.723 840.362 1.715.338 1.429.298Disponibilidades 502 293 1.698 6.220Aplicações interfinanceiras de liquidez 4 111.655 7.128 111.655 7.128Aplicações no mercado aberto 97.301 – 97.301 –Aplicações em depósitos interfinanceiros 14.354 7.128 14.354 7.128Títulos e valores mobiliários einstrumentos financeiros derivativos 5 336.782 71.777 532.726 363.442Carteira própria 336.532 25.207 532.476 316.872Vinculados a compromisso de recompra – 46.570 – 46.570Instrumentos financeiros derivativos 250 – 250 –Relações interfinanceiras 376 55 376 55Pagamentos e recebimentos a liquidar 118 – 118 –Depósitos no Banco Central 258 55 258 55Operações de crédito 6 822.739 699.388 815.380 685.144Operações de crédito - setor privado 881.715 745.664 874.356 731.420Provisão para perdas com operações de crédito (58.976) (46.276) (58.976) (46.276)Outros créditos 28.950 21.079 141.065 195.252Rendas a receber 146 3 7.378 5.780Crédito das operações com segurose resseguros 7 – – 92.364 169.133Diversos 8 28.947 21.301 44.930 24.028Provisão para perdas outros créditos diversos (143) (225) (3.607) (3.689)Outros valores e bens 36.719 40.642 112.438 172.057Outros valores e bens 317 163 333 189Despesas antecipadas 9 36.402 40.479 112.105 171.868Não circulanteRealizável a longo prazo 1.202.445 1.330.086 1.685.976 1.564.368Aplicações interfinanceiras de liquidez 4 – 101 – 101Aplicações em depósitos interfinanceiros – 101 – 101Títulos e valores mobiliários einstrumentos financeiros derivativos 5 116.236 435.665 543.067 578.769Carteira própria 116.236 435.665 543.067 578.769Operações de crédito 6 1.023.062 832.038 1.014.474 816.060Operações de crédito - setor privado 1.029.059 836.476 1.020.471 820.498Provisão para perdas com operações de crédito (5.997) (4.438) (5.997) (4.438)Outros créditos 20.432 16.643 28.513 31.523Crédito das operações com segurose resseguros 7 – – 8.016 14.813Diversos 8 20.432 16.726 20.497 16.793Provisão para perdas outros créditos diversos – (83) – (83)Outros valores e bens 42.715 45.639 99.922 137.915Outros valores e bens 254 287 254 287Provisão para desvalorizações (24) (58) (25) (58)Despesas antecipadas 9 42.485 45.410 99.693 137.686Permanente 544.583 345.836 26.146 80.314Investimentos 539.653 341.047 950 1.407Participação em controladas e coligada no País 10 539.586 340.980 – –Outros investimentos 84 84 979 1.436Provisão para perdas (17) (17) (29) (29)Imobilizado de uso 4.681 4.375 12.891 17.078Imóveis de uso 1.867 1.867 2.367 2.367Outras imobilizações de uso 5.678 4.707 15.496 18.868Depreciação acumulada (2.864) (2.199) (4.972) (4.157)Intangível 11 249 414 12.305 61.829Ativos intangíveis 941 965 21.569 77.395Amortização acumulada (692) (551) (9.264) (15.566)Total 3.084.751 2.516.284 3.427.460 3.073.980Banco ConsolidadoPassivo Nota 2011 2010 2011 2010Circulante 1.239.738 894.235 1.491.385 1.326.843Depósitos 12 982.587 717.775 981.975 717.253Depósitos à vista 15.619 17.127 15.415 16.605Depósitos interfinanceiros 170.197 217.215 170.197 217.215Depósitos a prazo 796.771 483.433 796.363 483.433Captações no mercado aberto 13 – 46.267 – 46.267Carteira própria – 46.267 – 46.267Recursos de aceites e emissão de títulos 14 187.580 59.915 187.580 59.915Obrigações por títulos e valores mobiliáriosemitidos no exterior 187.580 59.915 187.580 59.915Relações interfinanceiras 104 – 104 –Recebimentos e pagamentos a liquidar 104 – 104 –Instrumentos financeiros derivativos – 2.228 – 2.228Outras obrigações 69.467 68.050 321.726 501.180Cobrança e arrecadação de tributos eassemelhados 919 482 919 482Sociais e estatutárias 34.332 21.553 35.911 22.967Fiscais e previdenciárias 5.383 6.815 25.910 39.190Débito de operações com seguros e resseguros 15 – – 66.049 146.586Provisões técnicas - seguros e resseguros 16 – – 161.346 242.727Diversas 17/18 28.833 39.200 31.591 49.228Não circulanteExigível a longo prazo 735.553 764.167 842.561 919.477Depósitos 12 726.866 584.965 726.866 584.589Depósitos a prazo 726.866 584.965 726.866 584.589Recursos de aceites e emissão de títulos 14 – 166.540 – 166.540Obrigações por títulos e valores mobiliáriosemitidos no exterior – 166.540 – 166.540Instrumentos financeiros derivativos 5 – 4.764 – 4.764Outras obrigações 8.687 7.898 115.695 163.584Fiscais e previdenciárias 18 2.641 944 2.646 944Débito de operações com seguros e resseguros 15 – – 23.471 29.132Provisões técnicas - seguros e resseguros 16 – – 82.249 124.754Diversas 17/18 6.046 6.954 7.329 8.754Resultado de exercícios futuros 15.947 30.222 – –Participação minoritária nas controladas – – 1 –Patrimônio líquido 20 1.093.513 827.660 1.093.513 827.660Capital socialDe domiciliados no País 630.559 619.954 630.559 619.954De domiciliados no exterior 133.308 143.913 133.308 143.913Reserva de capital 265 265 265 265Reservas de lucros 328.515 63.842 328.515 63.842Ajuste ao valor de mercado -Títulos e valores mobiliários 866 (314) 866 (314)Total 3.084.751 2.516.284 3.427.460 3.073.980As notas explicativas são parte integrante das demonstrações financeirasBanco ConsolidadoSegundosemestre Exercício ExercícioNota 2011 2011 2010 2011 2010Receitas da intermediaçãofinanceira 250.086 477.932 382.859 536.172 420.490Operações de crédito 221.840 421.519 332.732 421.519 332.732Resultado de operaçõescom títulos e valores mobiliários 28.246 56.413 50.127 114.653 87.758Despesas da intermediaçãofinanceira (148.986) (281.682) (199.750) (281.636) (199.713)Operações de captação no mercado (138.055) (219.389) (123.216) (219.343) (123.179)Resultado com instrumentosfinanceiros derivativos 21.303 (1.457) (37.141) (1.457) (37.141)Provisão para perdas com créditos 6 (32.234) (60.836) (39.393) (60.836) (39.393)Resultado bruto da intermediaçãofinanceira 101.100 196.250 183.109 254.536 220.777Outras receitas (despesas)operacionais (45.100) (88.777) (58.333) (100.457) (57.941)Receitas de prestação de serviços – – – 9.606 1.633Receitas de tarifas bancárias 3.049 6.133 4.541 6.133 4.541Prêmios de seguros – – – 319.471 408.797Prêmios de cosseguros eresseguros cedidos – – – (188.434) (244.335)Variação de provisões técnicasde seguros – – – (13.913) (39.723)Sinistros retidos – – – (48.930) (51.417)Despesas de pessoal (8.879) (17.163) (16.769) (45.733) (37.694)Honorários da administração (1.683) (3.270) (3.028) (7.679) (3.930)Outras despesas administrativas 22 (67.656) (135.235) (89.511) (136.593) (91.626)Despesas tributárias (5.704) (10.403) (8.800) (19.869) (16.390)Resultado de participaçãoem controladas 10 32.787 59.149 55.336 – –Outras receitas operacionais 23 12.302 30.625 25.529 50.952 46.548Outras despesas operacionais 23 (9.316) (18.613) (25.631) (25.468) (34.345)Resultado operacional 56.000 107.473 124.776 154.082 162.836Resultado não operacional 48 249.829 602 249.906 514Resultado antes da tributaçãosobre o lucro 56.048 357.302 125.378 403.990 163.350Imposto de renda e contribuiçãosocial 19 5.953 4.708 (4.556) (35.250) (38.446)Imposto de renda - corrente 3.122 1.093 993 (23.811) (19.836)Contribuição social - corrente 1.150 (120) – (15.122) (13.061)Imposto de renda econtribuição social diferidos 1.681 3.735 (5.549) 3.683 (5.549)Participação dos empregados eadministradores nos lucros (2.535) (2.536) (3.370) (9.261) (7.481)Lucro líquido do semestre/exercício 59.466 359.474 117.452 359.474 117.423Juros sobre o capital próprio (34.115) (49.107) (46.143) (49.107) (46.143)Quantidade de ações (em milhares) 87.580 87.580 88.209Lucro líquido por ação - R$ 0,68 4,10 1,33As notas explicativas são parte integrante das demonstrações financeirasReserva de capital Ajuste ao valorAtualização Reservas de lucros de mercado -de títulos Títulos e valores Ações em LucrosCapital social patrimoniais Legal Estatutária mobiliários tesouraria acumulados TotalSaldos em 1 de julho de 2011 763.867 265 33.592 294.986 (763) (433) – 1.091.514Aquisição de ações em tesouraria – – – – – (8.378) – (8.378)Cancelamento de ações em tesouraria – – – (8.811) – 8.811 – –Ajuste ao valor de mercado - Títulos e valores mobiliários – – – – 1.629 – – 1.629Lucro líquido do semestre – – – – – – 59.466 59.466DestinaçõesReserva legal – – 2.973 – – – (2.973) –Juros sobre o capital próprio – – – – – – (34.115) (34.115)Dividendos pagos – – – (16.603) – – – (16.603)Reserva para integridade do patrimônio líquido – – – 22.378 – – (22.378) –Saldos em 31 de dezembro de 2011 763.867 265 36.565 291.950 866 – – 1.093.513Mutações do semestre – – 2.973 (3.036) 1.629 433 – 1.999Saldos em 1 de janeiro de 2011 763.867 265 18.592 45.250 (314) – – 827.660Aquisição de ações em tesouraria – – – – – (8.811) – (8.811)Cancelamento de ações em tesouraria – – – (8.811) – 8.811 – –Ajuste ao valor de mercado - Títulos e valores mobiliários – – – – 1.180 – – 1.180Lucro líquido do exercício – – – – – – 359.474 359.474DestinaçõesReserva legal – – 17.973 – – – (17.973) –Juros sobre o capital próprio – – – – – – (49.107) (49.107)Dividendos pagos – – – (36.883) – – – (36.883)Reserva para integridade do patrimônio líquido – – – 292.394 – – (292.394) –Saldos em 31 de dezembro de 2011 763.867 265 36.565 291.950 866 – – 1.093.513Mutações do exercício – – 17.973 246.700 1.180 – – 265.853Saldos em 1 de janeiro de 2010 763.867 265 12.718 32.571 (91) (20.548) – 788.782Aquisição de ações em tesouraria – – – – – (32.208) – (32.208)Cancelamento de ações em tesouraria – – – (52.756) – 52.756 – –Ajuste ao valor de mercado - Títulos e valores mobiliários – – – – (223) – – (223)Lucro líquido do exercício – – – – – – 117.452 117.452DestinaçõesReserva legal – – 5.874 – – – (5.874) –Juros sobre o capital próprio – – – – – – (46.143) (46.143)Reserva para integridade do patrimônio líquido – – – 65.435 – – (65.435) –Saldos em 31 de dezembro de 2010 763.867 265 18.592 45.250 (314) – – 827.660Mutações do exercício – – 5.874 12.679 (223) 20.548 – 38.878As notas explicativas são parte integrante das demonstrações financeirasBanco ConsolidadoSegundosemestre Exercício Exercício2011 2011 2010 2011 2010Fluxos de caixa das atividadesoperacionaisLucro líquido ajustado doexercício/semestre 60.992 115.951 107.290 177.753 166.934Lucro líquido do exercício/semestre 59.466 359.474 117.452 359.474 117.423Ajustes ao lucro líquido:Depreciações e amortizações 470 908 762 3.872 5.099Resultado de participação em controladas (32.787) (59.149) (55.336) – –Provisão para perdas com créditos 32.234 60.836 39.393 60.836 39.393Imposto de renda econtribuição social diferidos 1.681 3.735 5.549 3.683 5.549Resultado não operacional (72) (249.853) (530) (250.112) (530)Variações dos ativos e obrigações 34.916 (25.901) (82.484) (267.204) (110.403)Ajuste de títulos e valores mobiliáriosao valor de mercado 1.629 1.180 (223) 1.180 (230)Redução (aumento) recursosde curto prazo – – 171.753 – 171.753(Aumento) em aplicaçõesinterfinanceiras de liquidez 3.869 (1.203) (706) (1.203) (706)(Aumento) redução em títulose valores mobiliários 9.440 29.217 (221.884) (64.373) (291.956)Redução (aumento) em relaçõesinterfinanceiras (ativos/passivos) 296 (217) 39 (217) 39(Aumento) em operações de crédito (161.515) (375.211) (330.953) (389.486) (310.899)Redução (aumento) em outros créditos (1.827) (15.395) (198) 53.513 (88.555)Aumento em depósitos 232.541 406.713 321.821 407.000 304.660Aumento (redução) em captaçõesno mercado aberto (18.080) (46.267) 43.465 (46.267) 43.465(Aumento) em outros valores e bens 59 6.847 (15.053) 97.611 (15.384)(Redução) aumento eminstrumentos financeiros derivativos (22.153) (6.993) 6.980 (6.993) 6.979(Redução) aumento em outras obrigações (4.753) (10.297) (72.803) (317.969) 70.431Resultado de exercícios futuros (4.590) (14.275) 15.278 – –Disponibilidades líquidas aplicadas(geradas) nas atividades operacionais 95.908 90.050 24.806 (89.451) 56.531Fluxos de caixa das atividadesde investimentosAlienação de outros investimentos – 1 13 2 13Dividendos recebidos – 110.000 – – –Alienação de imobilizado de uso 19 38 32 433 666Aquisição de investimentos – – (15.272) (271) –Aplicação no intangível – – – 8.997 (15.319)(Aumento) em títulos mobiliários – – – (74.537) –Aquisição de imobilizado de uso (706) (1.089) (1.375) (2.952) (13.344)Disponibilidades líquidas geradas(aplicadas) nas atividadesde investimentos (687) 108.950 (16.602) (68.328) (27.984)Fluxos de caixa das atividadesde financiamentos(Redução) aumento em recursos deaceites e emissão de títulos (24.730) (38.875) (8.911) (38.875) (8.911)Juros sobre o capital próprio (24.582) (52.809) (40.200) (52.809) (40.200)Dividendos pagos (20.280) (20.280) – (20.280) –Aumento de capital – – – 657.113 –Redução de participações – – – (285.187) –Aquisição líquida de ações próprias (8.378) (8.811) (32.208) (8.811) (32.208)Disponibilidades líquidas geradas pelasatividades de financiamentos (77.970) (120.775) (81.319) 251.151 (81.319)Aumento (redução) de caixae equivalentes de caixa 17.251 78.225 (73.115) 93.372 (52.772)Caixa e equivalentes de caixa no iníciodo exercício/semestre 91.687 30.713 103.828 72.966 201.673Caixa e equivalentes de caixa no finaldo exercício/semestre 108.938 108.938 30.713 166.338 148.901As notas explicativas são parte integrante das demonstrações financeirasBanco ConsolidadoSegundosemestre Exercício Exercício2011 2011 2010 2011 2010Receitas 233.274 717.885 396.225 1.024.916 737.480Intermediação financeira 250.086 477.932 382.859 536.172 420.490Prestação de serviços – – – 9.606 1.633Provisão para créditos deliquidação duvidosa (32.234) (60.836) (39.393) (60.836) (39.393)Outras 15.422 300.789 52.759 267.790 52.777Receitas com operações de seguros – – – 272.184 301.973Despesas de intermediação financeira (84.904) (203.154) (182.245) (203.108) (182.208)Insumos adquiridos de terceiros (102.231) (173.440) (110.008) (254.424) (207.129)Materiais, energia e outros (1.795) (3.385) (2.637) (14.436) (14.085)Serviços de terceiros (63.484) (128.362) (84.275) (195.206) (166.800)Perda/recuperação de valores ativos – – – 11.801 –Outros (36.952) (41.693) (23.096) (56.583) (26.244)Valor adicionado bruto 46.139 341.291 103.972 567.384 348.143Depreciação, amortização e exaustão (5.460) (10.889) (4.932) (13.436) (5.876)Valor adicionado líquido produzidopela entidade 40.679 330.402 99.040 553.948 342.267Valor adicionado recebido emtransferência 32.787 59.149 55.336 (79.022) (116.690)Resultado de participação em controladas 32.787 59.149 55.336 – –Resultado com operações de segurose resseguros cedidos – – – (79.022) (116.690)Valor adicionado total a distribuir 73.466 389.551 154.376 474.926 225.577Distribuição do valor adicionado 73.466 389.551 154.376 474.926 225.577Pessoal 11.659 20.179 20.422 54.986 47.032Remuneração direta 9.894 16.782 17.062 44.125 38.233Benefícios 1.173 2.205 2.192 6.612 6.395F.G.T.S. 360 713 669 1.923 1.662Outros 232 479 499 2.326 742Impostos, taxas e contribuições 1.191 8.491 16.111 57.473 58.447Federais 1.039 8.184 15.903 55.727 57.123Estaduais – – – 1 –Municipais 152 307 208 1.745 1.324Remuneração de capitais de terceiros 1.149 1.407 391 2.993 2.675Aluguel 1.149 1.407 391 2.957 2.675Outras – – – 36 –Remuneração de capital próprio 59.467 359.474 117.452 359.474 117.423Juros sobre o capital próprio 34.115 49.107 46.143 49.107 46.143Dividendos 16.603 36.883 – 36.883 –Lucros retidos 8.749 273.484 71.309 273.484 71.280As notas explicativas são parte integrante das demonstrações financeiras1. CONTEXTO OPERACIONALO Paraná Banco S.A. (“Banco”) (BM&FBOVESPA: PRBC4/ADR Nível I: PRBAY) é um banco múltiplo e tempor objeto social a prática de operações ativas, passivas e acessórias inerentes às carteiras comercial e decrédito, financiamento e investimento e administração de cartão de crédito.Por meio de suas controladas em conjunto com a Travelers, atua também, nas operações de seguros eresseguros em ramos elementares e de danos, operando principalmente nos ramos de garantias deobrigações contratuais, nos quais é especializado, por meio de sua controlada direta atua naadministração de fundos de investimento.2. APRESENTAÇÃO DAS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRASAs demonstrações financeiras do Banco e as demonstrações financeiras consolidadas, as quais abrangemas demonstrações financeiras do Banco, suas controladas e controladas em conjunto (em 2011) e em 2010o Fundo de Investimento em Direitos Creditórios Paraná Banco II (encerrado em 15 de março de 2010)foram elaboradas de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil, as quais abrangem a legislaçãosocietária brasileira, as normas emitidas pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM), associadas às normase instruções do Conselho Monetário Nacional (“CMN”), do Banco Central do Brasil (“BACEN”), doConselho Nacional de Seguros Privados - (“CNSP”), e da Superintendência de Seguros Privados (“SUSEP”).Em 30 de janeiro de 2012, as demonstrações financeiras foram concluídas pela Administração e em27 de fevereiro de 2012, o Conselho de Administração aprovou as demonstrações financeiras eautorizou a Diretoria do Banco a divulgá-las, a partir do dia 28 de fevereiro de 2012.Para a elaboração dessas demonstrações financeiras consolidadas, foram eliminadas as participações deuma empresa em outra, os saldos das contas patrimoniais, as receitas, as despesas e os lucrosnão realizados entre as empresas. Os ganhos e perdas com variação cambial das operações de“Fixed Rated Notes” (vide nota 14) foram reclassificados para Resultado com operações de captação nomercado. Os saldos de Resultados de exercícios futuros foram reclassificados para carteira de créditopara fins de consolidação. Observa-se que em dezembro de 2010 a participação do Paraná Banco nasempresas de seguros e resseguros era de 100% e a partir de junho de 2011 passou a ser de 56,6%,sendo essas denominadas controladas em conjunto. Para controladas em conjunto a consolidação doscomponentes de ativo e passivo, as receitas e despesas são agregadas às demonstrações contábeis dainvestidora na proporção da participação desta no seu capital, as operacões realizadas entre ascontroladas em conjunto são eliminadas nas demonstrações consolidadas.31 de dezembro de 2011JMalucelli Participações % Saldo FinalSeguros e Resseguros Participação ConsolidadoBalanço PatrimonialAtivo circulante 658.667 56,60% 372.806Realizável a longo prazo 867.242 56,60% 490.859Permanente 14.314 56,60% 8.102Ativo total 1.540.223 871.766Passivo circulante 434.981 56,60% 246.199Exigível a longo prazo 186.840 56,60% 105.751Patrimônio líquido 918.402 56,60% 519.816Passivo total 1.540.223 871.766Até 31/05/2011 (a)De 01/06/2011 a31/12/2011Porto deCimaHoldingLtda.JMalucelliParticipa-ções Se-guros eRessegu-rosSaldoacumuladoaté31/05/2011% Partici-pação até31/05/2011JMalucelliParticipa-ções Se-guros eRessegu-ros% Partici-pação de01/06/2011a31/12/2011SaldoFinalConso-lidadoDemonstração deResultadoReceitas da intermediaçãofinanceira 10.898 9.117 20.015 100% 66.409 56,60% 57.602Despesas da intermediaçãofinanceira – – – 100% – 56,60% –Resultado bruto daintermediação financeira 10.898 9.117 20.015 66.409 57.602Outras receitas (despesas)operacionais 18.884 9.608 28.492 100% 21.022 56,60% 40.390Resultado operacional 29.782 18.725 48.507 87.431 97.993Resultado não operacional – – – 100% – 56,60% –Resultado antes datributação sobre o lucro 29.782 18.725 48.507 87.431 97.993Imposto de renda econtribuição social (11.884) (7.500) (19.384) 100% (31.550) 56,60% (37.241)Participações no lucro (269) (47) (316) 100% (8.176) 56,60% (4.944)Lucro líquido 17.629 11.178 28.807 47.705 55.808(a) Empresa holding do investimento na controlada indireta J Malucelli Seguradora S.A. até 31 de maiode 2011, após esta data, os saldos referentes à Porto de Cima Holding foram incorporados pelaJ Malucelli Seguradora S.A. e o controle foi transferido para a J Malucelli Participações em Segurose Resseguros.Destacamos as principais empresas incluídas na consolidação e as participações detidas pelo Banco:2011Controladas Ativo Passivo Resultado% departicipaçãoJMalucelli Participações em Segurose Resseguros S.A. (g) 520.401 585 38.176 56,6(**)JMalucelli Seguradora S.A. (a) 442.816 320.817 34.364 56,6(**)JMalucelli Resseguradora S.A. (b) 568.454 229.791 21.309 56,6(**)JMalucelli Seguradora de Crédito S.A. (e) 76.198 17.263 1.331 56,6(**)Tresor Holdings S.A. (c) 317 45 – 100,00Paraná Administração e Serviços Ltda. (d) 470 249 (3) 99,99JMalucelli Agenciamento e Serviços Ltda. (f) 2.997 3.554 (843) 99,99JMalucelli Distribuidora de Títulose Valores Mobiliários Ltda. (i) 11.591 3.470 4.187 99,992010Controladas Ativo Passivo Resultado% departicipaçãoJMalucelli Participações em Segurose Resseguros S.A. (g) 324.773 221 35.128 100,00JMalucelli Seguradora S.A. (a) 691.829 541.944 37.799 100,00(*)JMalucelli Resseguradora S.A. (b) 464.569 360.197 15.810 100,00(*)JMalucelli Seguradora de Crédito S.A. (e) 45.751 25.082 1.626 99,99(*)Tresor Holdings S.A. (c) 317 45 2.907 100,00Paraná Administração e Serviços Ltda. (d) 435 211 (58) 99,99JMalucelli Agenciamento e Serviços Ltda. (f) 4.571 4.286 (245) 99,99JMalucelli Distribuidora de Títulose Valores Mobiliários Ltda. (i) 4.735 800 375 99,99Porto de Cima Holding Ltda. (h) 161.351 – 16.477 100,00(*) Participação indireta através da controlada JMalucelli Participações em Seguros e Resseguros S.A.(**) Participação de controladas em conjunto com a Travelers.Em 17 de junho de 2011, após a aprovação prévia pela Superintendência de Seguros Privados - SUSEP eem conformidade com os termos previamente divulgados no Fato Relevante de 4 de novembro de 2010,foi concluído o investimento pela Travelers Brazil Acquisition LLC, controlada pela Travelers Companies Inc(“Travelers”), uma companhia americana líder em seguros de ramos elementares, na JMalucelliParticipações em Seguros e Resseguros S.A., controlada pelo Paraná Banco S.A. (“Paraná Banco”).Em razão do investimento, a Travelers Brazil tornou-se titular de 43,4% do capital votante da Companhiapassando a exercer o controle compartilhado conforme descrito no Acordo de Acionista firmado entre aTravelers e o Paraná Banco naquela data. Em atendimento à Instrução CVM 247/96 e alteraçõessubsequentes, o investimento foi consolidado proporcionalmente à participação do Paraná Banco S.A. de56,6% a partir da data de celebração do Acordo de Acionista. Dessa forma, no consolidado, as contaspatrimoniais foram apresentadas proporcionalmente à participação do Paraná Banco e as contas deresultado apresentados proporcionalmente somente para o mês de junho de 2011, quando o controle daJMalucelli Participação em Seguros e Resseguros tornou-se compartilhado. Os resultados de janeiro àmaio de 2011 foram contabilizados integralmente nas demonstrações de resultado, dos fluxos de caixa edo valor adicionado.(a) Tem por objeto social, as operações de seguros e cosseguros de danos, operando principalmente noramo de garantia de obrigações contratuais, no qual é especializada. Seu capital social sofreu umaumento de R$ 80 milhões por conta do investimento realizado pela Travelers Brazil na JMalucelliParticipações em Seguros e Resseguros, vide nota 28.(b) Tem por objeto social efetuar operações de resseguros e retrocessão no segmento de ramos dedanos, operando principalmente no ramo de garantia de obrigações contratuais. Seu capital socialsofreu um aumento de R$ 492 milhões por conta do investimento realizado pela Travelers Brazil naJMalucelli Participações em Seguros e Resseguros, vide nota 28.(c) Em 26 de julho de 2010, a controlada Tresor Holdings, realizou uma assembleia geral onde foiaprovada a cisão parcial da parcela do patrimônio da Companhia no valor de R$ 19.716, representadopor 1.264.138 ações da JMalucelli Seguradora S.A. incorporadas pela JMalucelli Participações emSeguros e Resseguros S.A.(d) Investimento adquirido em 4 de abril de 2006; a empresa encontra-se inativa, em 14 de outubro de2011 o Banco Central do Brasil, homologou a alteração do objeto social e do nome da Companhia.(e) Empresa constituída em 17 de outubro de 2006 e homologada conforme Portaria nº 2.731 de13 de agosto de 2007 da Superintendência de seguros Privados - SUSEP. A empresa encontra-se em fasepré-operacional. A Portaria nº 3.325 de 22 de setembro de 2009 da Superintendência de segurosPrivados - SUSEP, homologou a alteração do objeto social e do nome da Companhia. Seu capital socialsofreu um aumento de R$ 85 milhões por conta do investimento realizado pela Travelers Brazil naJMalucelli Participações em Seguros e Resseguros, vide nota 28.(f) Empresa adquirida em 28 de dezembro de 2007. Essa empresa opera na prestação de serviços deassessoria e controle das operações de desconto em folha, no controle e implantação de correspondentesfranqueados do Banco e fornece estrutura própria de atendimento ao público nas localidades deinteresse do Banco.(g) Empresa holding que detém investimento na controlada JMalucelli Seguradora S.A., JMalucelliSeguradora de Crédito S.A. e JMalucelli Resseguradora S.A. Em 31 de dezembro de 2010 o controle erana JMalucelli Resseguradora S.A. e JMalucelli Seguradora de Crédito S.A. Seu capital social sofreu umaumento de R$ 657 milhões por conta do investimento realizado pela Travelers Brazil, vide nota 28.(h) Incorporada pela J Malucelli Seguradora S.A. em 31 de maio de 2011. Na incorporação a J MalucelliSeguradora, absorveu um ágio no montante de R$ 49.625 cujo o valor representou um beneficio fiscalde R$ 19.850, que estão reconhecidos linearmente no prazo de 60 meses de acordo com as projeçõesda expectativa de resultado futuro. Após a incorporação, o Paraná Banco aumentou o capitalcontinuaçãocontinuaBALANÇOS PATRIMONIAISem 31 de dezembro de 2011 e 2010 (Em milhares de Reais)DEMONSTRAÇÕES DAS MUTAÇÕES DO PATRIMÔNIO LÍQUIDO (BANCO)Exercícios findos em 31 de dezembro de 2011 e 2010 e semestre findo em 31 de dezembro de 2011 (Em milhares de Reais)NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRASExercícios findos em 31 de dezembro de 2011 e 2010 (Em milhares de Reais)DEMONSTRAÇÕES DE RESULTADOSExercícios findos em 31 de dezembro de 2011 e 2010 e semestre findo em31 de dezembro de 2011 (Em milhares de Reais, exceto o lucro líquido por ação)DEMONSTRAÇÕES DOVALORADICIONADOExercícios findos em 31 de dezembro de 2011 e 2010 esemestre findo em 31 de dezembro de 2011 (Em milhares de Reais)DEMONSTRAÇÕES DOS FLUXOS DE CAIXAMétodo Indireto - Exercícios findos em 31 de dezembro de 2011 e 2010 e semestrefindo em 31 de dezembro de 2011 (Em milhares de Reais)
  4. 4. www.paranabanco.com.brwww.jmalucelliseguradora.com.brwww.jmalucellire.com.brwww.jmalucelli.com.brJMALUCELLIDISTRIBUIDORA DE TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS LTDA.CNPJ nº 76.621.457/0001-85Rua Comendador Araújo, 143 - 20º andar - Curitiba - PRJMALUCELLIRESSEGURADORA S.A.CNPJ nº 09.594.758/0001-70Rua Visconde de Nacar, 1.441 - Curitiba - PRJMALUCELLISEGURADORA S.A.CNPJ nº 84.948.157/0001-33Rua Visconde de Nacar, 1.441 - Curitiba - PRPARANÁ BANCO S.A.Banco Múltiplo conforme o certificado de 21/06/89CNPJ nº 14.388.334/0001-99Companhia Aberta de Capital Autorizadoda J Malucelli Participações em Seguros e Resseguros com as ações que detinha indiretamente daJ Malucelli Seguradora no montante de R$ 97.734.(i) A JMalucelli Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários Ltda. (“Distribuidora”) tem como objetosocial a administração de carteiras de valores, a custódia de títulos e valores mobiliários e promovero lançamento de títulos e valores mobiliários, públicos e particulares, empresa adquirida em23 de dezembro de 2010.(j) Em 03 de dezembro de 2009 a SUSEP emitiu a Circular nº 395, que estabelece a codificação dos ramosde seguro e dispõe sobre a classificação das coberturas contidas em planos de seguro, para fins decontabilização. Com a nova codificação os ramos do grupo Riscos Financeiros (0739 - Garantia financeira/ 0740 - Garantia de Obrigações privadas / 0745 - Garantia de obrigações públicas / 0747 - Garantia deconcessões públicas / 0750 - Garantia Judicial) são classificados em dois ramos, 0775 Garantia Segurado- Setor Público e 0776 Garantia Segurado - Setor Privado, a partir de 01 de janeiro de 2011. Comoimpacto dessas alterações nas demonstrações financeiras e notas explicativas os ramos antigosapresentam somente cancelamento e reversões de provisões, como um processo de run-off, e as novasemissões de prêmios e constituição de provisões estão apresentadas nos novos ramos. A nota explicativaque foi impactada pelo efeito é: Nota 7) Crédito das operações com seguros e resseguros - Consolidado.3. RESUMO DAS PRINCIPAIS PRÁTICAS CONTÁBEISa. Apuração do resultadoAs receitas e despesas foram reconhecidas pelo regime de competência.As despesas de comissão pela intermediação de operações de crédito e de honorários de agenciamentoou introdução de negócios são reconhecidas ao resultado com base no cálculo exponencial dasoperações de crédito. Até 31 de dezembro de 2010, o cálculo era efetuado em base linear. O saldo dascomissões diferidas é registrado em despesas antecipadas.As receitas com o ressarcimento de despesas de serviços de terceiros, incluídas nos contratos deoperações de crédito, são reconhecidas em resultado com base no calculo exponencial dos respectivoscontratos. O saldo de receitas diferidas é registrado no passivo em “Resultado de exercícios futuros” nobalanço individual e reclassificado para “Operações de crédito” no balanço consolidado, com o objetivode apresentar a carteira de crédito pela taxa efetiva.A contabilização dos prêmios de seguros e resseguros é feita na data de emissão das apólices. Os prêmiosde seguros e resseguros e as correspondentes despesas/receitas de comercialização são reconhecidos noresultado de acordo com o prazo de vigência das apólices. Os prêmios de seguros relativos a riscosvigentes, cujas apólices ainda não foram emitidas são calculados conforme nota técnica atuarial.As participações nos lucros das apólices com resseguros cedidos a resseguradoras são registradas noativo circulante e resultado do período, pelo prazo de vigência das apólices, à medida que os resultadosdecorrentes do resseguro cedidos possam ser estimados com razoável segurança.b. Estimativas contábeisA elaboração de demonstrações financeiras de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasilrequer que a Administração use de julgamento na determinação e registro de estimativas contábeis.Ativos e passivos significativos sujeitos a essas estimativas e premissas incluem a provisão para perdascom créditos, imposto de renda diferido ativo, provisão para contingências, a valorização a mercado detítulos e valores mobiliários e instrumentos financeiros derivativos, as participações nos lucros deresseguros cedidos a resseguradoras e as provisões técnicas. A liquidação das transações envolvendoessas estimativas poderá resultar em valores diferentes dos estimados, devido a imprecisões inerentes aoprocesso de sua determinação. A Administração revisa as estimativas e premissas mensalmente.c. Aplicações interfinanceiras de liquidezSão registradas pelo valor de aplicação ou aquisição acrescido dos rendimentos auferidos até a datado balanço.d. Títulos e valores mobiliáriosConforme previsto na Circular BACEN n° 3.068, de 8 de novembro de 2001, os títulos e valoresmobiliários são classificados nas seguintes categorias de acordo com a intenção da Administração emmantê-los até o seu vencimento ou vendê-los antes dessa data: (i) “Títulos disponíveis para a venda”- representadas por títulos e valores mobiliários avaliados pelo valor de aplicação, acrescido dosrendimentos auferidos até a data do balanço e, quando aplicável, ajustados pelos seus respectivosvalores de mercado, em contrapartida à destacada conta do patrimônio líquido denominada “Ajustescom títulos e valores mobiliários”, líquido dos efeitos tributários. Quando esse título e valor mobiliário érealizado, o ganho ou perda acumulado no patrimônio líquido é transferido para resultado; (ii) “Títulosmantidos até o vencimento” - Compreendem os títulos e valores mobiliários para os quais aAdministração possui a intenção e a capacidade financeira de mantê-los até o vencimento,sendo contabilizados ao custo de aquisição, acrescido dos rendimentos auferidos até a data-base dasdemonstrações financeiras.e. Operações de crédito, crédito das operações com seguros e resseguros, depósitos a prazo,interfinanceiros e outras operações ativas e passivasAs operações com taxas pré-fixadas são registradas pelo valor de resgate e as receitas e despesascorrespondentes a períodos futuros são registradas em conta redutora dos respectivos ativos e passivos.As operações com taxas pós-fixadas estão atualizadas até a data do balanço. As rendas das operaçõesde crédito vencidas há mais de 60 dias, independentemente de seu nível de risco, somente sãoreconhecidas como receita, quando efetivamente recebidas. As captações em moeda estrangeira estãoregistradas em Recursos de aceites e emissão de títulos classificados no curto prazo de acordo com ovencimento e convertida pela cotação do dólar na data do balanço e as despesas de captação sãoreconhecidas pro-rata temporis.As despesas de comercialização diferidas são reconhecidas contabilmente pelo período de vigência dasapólices e estão registradas na rubrica “Outros valores e bens - despesas antecipadas”.f. Provisão para perdas com créditosA provisão para perdas com créditos e para os créditos cedidos com coobrigação, foi constituída emmontante compatível com a avaliação geral de risco de crédito, conforme análise da Administração enormas emanadas do Banco Central do Brasil, que estabelece a criação de nove faixas de riscos,sendo AA (mínimo) e H (perda), e percentuais mínimos de provisionamento para cada faixa.As operações classificadas como nível H, permanecem nessa classificação por seis meses, quando entãosão baixadas contra a provisão existente e controladas, por cinco anos, em contas de compensação, nãomais figurando em contas patrimoniais. As operações renegociadas não consignadas são mantidas, nomínimo, no mesmo nível em que estavam classificadas. As renegociações não consignadas que já haviamsido baixadas contra a provisão e que estavam em contas de compensação são classificadas como H e oseventuais ganhos provenientes da renegociação somente são reconhecidos como receita, quandoefetivamente recebidos. A provisão para perdas com crédito, considerada suficiente pela Administração,atende ao requisito mínimo estabelecido nas normas anteriormente referidas.A provisão para perdas sobre créditos das operações com seguros e resseguros foi constituída para fazerface às eventuais perdas na realização desses créditos.As operações de crédito com consignação de parcelas em folha de pagamento (“Crédito Consignado”)são classificadas levando em consideração o status individual de cada contrato de empréstimo, nãoatribuindo de forma automática o mesmo nível de risco para todas as operações de um mesmo cliente.Na hipótese de um cliente possuir mais de 1 (um) contrato, aquele(s) que encontra(m)-se em cursonormal (com as parcelas de principal e encargos sendo amortizadas total ou parcialmente em basemensal) será(ão) classificado(s) conforme a situação do(s) contrato(s), individualmente,independentemente da classificação dos demais contratos (mesmo que um ou mais estejam emprejuízo).Para as demais modalidades de crédito, a classificação das operações de um mesmo cliente ou grupoeconômico deve ser definida considerando aquela que apresentar maior risco.g. InvestimentosOs investimentos em controladas e controladas em conjunto são avaliados pelo método da equivalênciapatrimonial acrescidos de ágio, quando aplicável que vêem sendo amortizado pelo método linear emfunção da expectativa de rentabilidade futura. Os demais investimentos são avaliados pelo custo,deduzidos de provisão para perdas. No banco o ágio gerado até 2010 está retificado por provisãointegral e amortizado, com a correspondente reversão da provisão. No consolidado o ágio de controladaestá retificado por provisão para refletir o benefício fiscal.h. ImobilizadoDemonstrado pelo custo de aquisição, deduzido da depreciação acumulada. A depreciação é calculadapelo método linear, observando-se as seguintes taxas anuais: 4% para imóveis de uso; 10% para móveise equipamentos de uso; sistemas de comunicação e sistema de segurança; e 20% para sistema deprocessamento de dados.i. Ativos IntangíveisNo consolidado, os ativos intangíveis incluem os ágios apurados nas aquisições envolvendo combinaçãode negócios.O ativo intangível tem o seu valor recuperável testado, no mínimo, anualmente, caso haja indicadores deperda de valor.j. Outros passivos circulantes e exigíveis a longo prazo relacionados às operações de segurose ressegurosDemonstrados pelos valores conhecidos ou calculáveis, acrescidos, quando aplicável, dos respectivosencargos e variações monetárias incorridos, combinado com os seguintes aspectos:• As receitas de comercialização diferidas são reconhecidas contabilmente pelo período de vigência dasapólices e estão registradas na rubrica “Débito de operações com seguros e resseguros”.As provisões técnicas são constituídas de acordo com as determinações do CNSP e da SUSEP,cujos critérios, parâmetros e fórmulas são documentados em notas técnicas atuariais - NTA.• A provisão de prêmios não ganhos (PPNG) é constituída pelo valor bruto dos prêmios de seguro retidoscorrespondente ao período restante de cobertura do risco, calculada linearmente pelo método “pro ratadia”. A PPNG inclui um valor que corresponde aos prêmios estimados dos riscos vigentes, mas nãoemitidos (“RVNE”). Esta provisão está sendo constituída conforme cálculo atuarial atendendo aodisposto na Circular nº 379/2008;• A provisão de insuficiência de prêmios (PIP) é calculada para cobrir possíveis insuficiências da PPNG parafazer face aos compromissos futuros com os contratos de seguro em vigor. A PIP é calculada de acordocom metodologia própria descrita em nota técnica atuarial. Para os exercícios findos em 31 de dezembrode 2011 e 2010 não havia provisão a constituir;• A provisão de sinistros a liquidar (PSL) é constituída por estimativa de valor a indenizar com base nosavisos de sinistros recebidos, e ajustada periodicamente, com base nas análises efetuadas pelas áreastécnicas da Seguradora. A PSL inclui estimativa para cobrir o pagamento de indenizações e custosassociados, em decorrência de disputas judiciais em curso a qual é constituída com base nas notificaçõesde ajuizamento recebidas e de processos em fase de regulação de sinistros, até a data base dasdemonstrações financeiras. Seu valor é determinado com base nos critérios estabelecidos pela ResoluçãoCNSP nº 162/2006 e alterada pela Resolução CNSP nº 181/2007; e• A provisão de sinistros ocorridos mas não avisados (IBNR) para o ramo DPVAT é constituída combase em informações recebidas da Seguradora Líder dos Consórcios do Seguro DPVAT S.A. e levaem consideração os critérios estabelecidos pela Resolução CNSP nº 174/07. Sobre a provisão constituídasão capitalizados encargos financeiros, os quais são registrados e classificados no grupo de“outras despesas operacionais”.k. Teste de adequação de passivosO TAP (Teste de Adequação dos Passivos) é realizado com objetivo de averiguar a adequação domontante registrado a título de provisões técnicas, considerando as premissas mínimas determinadaspela SUSEP.Foram apurados os fluxos de caixa estimados para prêmios, sinistros, comissões e despesas, por ramo ougrupo de ramos com características de riscos similares, e mensurados na data-base descontando-osatravés de estrutura a termos da taxa de juros livre de risco. Foram consideradas premissas atuariaisbaseadas em dados contábeis do ano de 2011 e a projeção dos sinistros a serem pagos baseados emdados históricos de julho de 2005 a dezembro de 2011, para a JMalucelli Seguradora S.A. e; de julho de2008 a junho de 2011 para a JMalucelli Resseguradora S.A.O teste foi realizado considerando as determinações da Circular SUSEP nº 410/2010 em linha com orequerido pelo CPC 11. Nos termos dessa norma, foram utilizados dados atualizados, informaçõesfidedignas e considerações realistas, em consistência com as informações presentes no mercadofinanceiro.Caso seja identificada qualquer insuficiência, registra-se, imediatamente, uma provisão complementaràquelas já registradas na data do teste, em contrapartida ao resultado do período, primeiramentereduzindo-se despesas de comercialização diferidas e ativos intangíveis diretamente relacionados aoscontratos de seguros.O cálculo é realizado semestralmente e em 31 de dezembro de 2011 e 2010 não revelou passivos a constituir.l. Provisão para imposto de renda e contribuição social sobre o lucroO Imposto de Renda e a Contribuição Social do período corrente e diferido são calculados com base nasalíquotas de 15%, acrescidas do adicional de 10% sobre o lucro tributável anual excedente de R$ 240mil, para imposto de renda e 15% sobre o lucro tributável para contribuição social sobre o lucro líquido,e consideram a compensação de prejuízos fiscais e base negativa de contribuição social, limitada a30% do lucro real.Os impostos ativos diferidos decorrentes de prejuízo fiscal, base negativa da Contribuição Sociale diferenças temporárias foram constituídos em conformidade com a Instrução CVM nº 371 de27 de junho de 2002 e Resolução BACEN 3.355 de 31 de março de 2006, e consideram o histórico derentabilidade e a expectativa de geração de lucros tributáveis futuros fundamentados em estudo técnicode viabilidade aprovado pelos órgãos da administração. Esses estão apresentados nas rubricas“Outros créditos - Diversos” e “Outras obrigações - Fiscais e previdenciárias” refletidos no resultado doperíodo ou, quando aplicável, no patrimônio líquido e, constituídos nas mesmas alíquotas descritas noparágrafo anterior.m. Saldos de operações em moeda estrangeiraDemonstrados com base nas cotações vigentes na data do balanço.n. ProvisõesUma provisão é reconhecida no balanço quando o Banco ou suas subsidiárias possuem uma obrigaçãolegal ou constituída como resultado de um evento passado, e é provável que um recurso econômico sejarequerido para saldar a obrigação. Adicionalmente para as contingências cíveis e trabalhistas é realizadauma avaliação individual das contingências com base no histórico de perdas independentemente daclassificação do risco. As provisões são registradas tendo como base as melhores estimativas do riscoenvolvido. Com relação a provisão para recuperabilidade de ativos, durante o exercício encerrado em31 de dezembro de 2011 e 2010, o Banco não identificou indicadores de que determinados ativos destapoderiam estar reconhecidos contabilmente por montantes acima do valor recuperável.o. Créditos tributários do ágioOs benefícios fiscais de IRPJ e CSLL, decorrentes do ágio na incorporação da Porto de Cima Holding Ltda.,estão reconhecidos linearmente no prazo de 60 meses, de acordo com as projeções da expectativa deresultado futuro. O montante registrado com passível de compensação refere-se aos valores de IRPJ eCSLL diferidos, os quais a entidade tem o direito legal de compensação e há perspectiva concreta derealização. No exercício amortização do benefício foi de R$ 2.647.p. Balanço patrimonial consolidado e demonstração de resultado consolidada ajustados porsegmento de negócioBalanço Patrimonial Financeiro SegurosOutras/Eliminações ConsolidadoAtivoCirculante e realizável a longo prazo 2.551.726 863.664 (14.071) 3.401.315Disponibilidades 516 1.057 125 1.698Aplicações interfinanceiras de liquidez 111.655 – – 111.655Títulos e valores mobiliários 460.346 615.447 – 1.075.793Relações interfinanceiras 376 – – 376Operações de crédito 1.845.801 – (15.947) 1.829.854Outros créditos 53.598 114.250 1.731 169.579Outros valores e bens 79.434 132.910 14 212.361Permanente 544.616 8.102 (526.576) 26.146Investimentos 539.661 871 (539.586) 950Imobilizado de uso 4.705 6.892 1.295 12.892Intangível 250 340 11.715 12.305Total em 31 de dezembro de 2011 3.096.342 871.766 (540.647) 3.427.461Total em 31 de dezembro de 2010 2.521.019 1.202.149 (649.188) 3.073.980Financeiro SegurosOutras/Eliminações ConsolidadoPassivoCirculante e exigível a longo prazo 1.978.761 351.950 3.236 2.333.947Depósitos 1.709.453 – (612) 1.708.841Recursos de aceites e emissão de títulos 187.580 – – 187.580Relações interfinanceiras 104 – – 104Outras obrigações 81.624 351.950 3.848 437.422Resultado de exercícios futuros 15.947 – (15.947) –Patrimônio líquido 1.101.634 519.816 (527.737) 1.093.513Total em 31 de dezembro de 2011 3.096.342 871.766 (540.647) 3.427.461Total em 31 de dezembro de 2010 2.521.019 1.202.149 (649.188) 3.073.980Demonstração de resultado Financeiro SegurosOutras/Eliminações ConsolidadoReceitas da intermediação financeira 478.570 57.602 – 536.172Despesas da intermediação financeira (281.682) – 46 (281.636)Resultado bruto daintermediação financeira 196.888 57.602 46 254.536Outras receitas (despesas) operacionais (82.450) 40.390 (58.394) (100.454)Resultado operacional 114.438 (97.992) (58.348) 154.082Resultado não operacional 250.088 – (181) 249.908Resultado antes da tributação sobre olucro e participações 364.526 97.992 (58.527) 403.990Imposto de renda e contribuição social 2.049 (37.241) (58) (35.250)Participações no lucro (2.915) (4.943) (1.403) (9.261)Lucro líquido em 31 de dezembro de 2011 363.660 55.808 (59.988) 359.478Lucro líquido em 31 de dezembro de 2010 117.827 55.235 (55.639) 117.4234. APLICAÇÕES INTERFINANCEIRAS DE LIQUIDEZRefere-se a operações compromissadas e aplicações em depósitos interfinanceiros, conforme segue:Banco Consolidado2011 2010 2011 2010Operações compromissadas - Posição bancadaLetras Financeiras do Tesouro 97.301 – 97.301 –Aplicações em depósitos interfinanceiros 14.354 7.229 14.354 7.229Total 111.655 7.229 111.655 7.2295. TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS E INSTRUMENTOS FINANCEIROS DERIVATIVOSa. Títulos e valores mobiliáriosOs títulos e valores mobiliários foram classificados nas categorias de “Títulos disponíveis para venda emantidos até o vencimento” apresentados como segue:31 de dezembro de 2011 BancoSemvencimentoAté 6mesesDe 6meses a1 anoAcima de1 anoValor demercadoValor decurvaAjuste nopatrimônioPapelDisponíveis para vendaCarteira própriaLFT (a.1) – – 2.832 116.236 119.068 119.095 (27)LTN (a.1) – – 308.730 – 308.730 306.539 2.191Fundos (a.2) 24.970 – – – 24.970 24.970 –Instrumentosfinanceiros derivativos – – 250 – 250 250 –Total - Banco 24.970 – 311.812 116.236 453.018 450.854 2.164Efeitos tributários (866)Ajuste líquido no patrimônio líquido - Banco 1.29831 de dezembro de 2011 ConsolidadoSemvencimentoAté 6mesesDe 6meses a1 anoAcimade 1 anoValorcontábilValor decurvaPapelDisponíveis para vendaCarteira própriaInstrumentos financeiros derivativos – – 250 – 250 250Fundos (a.2) 196.255 – – – 196.255 196.255Outras aplicações IRB 30 – – – 30 30Mantidos até o vencimentoCDB/RDB (a.3) – – 3.973 – 3.973 3.973CDB/DPGE (a.3) – 3.943 9.064 282.776 295.783 295.783SemvencimentoAté 6mesesDe 6mesesa 1 anoAcimade 1anoValorcontábilValor decurvaValor demercadoAjuste nopatrimônioDisponíveispara vendaCarteiraprópriaLFT (a.1) – – 3.503 260.290 263.793 263.820 263.793 (26)LTN (a.1) – – 315.709 – 315.709 313.518 315.709 2.191Total -Consolidado 196.285 3.943 332.499 543.066 1.075.793 1.073.629 579.502 2.165Efeitos tributários (866)Ajuste líquido no patrimônio líquido - Banco e Consolidado 1.29931 de dezembro de 2010 BancoSemvencimentoAté 6mesesDe 6meses a1 anoAcima de1 anoValor demercadoValor decurvaAjuste nopatrimônioPapelDisponíveis paravendaCarteira própriaLFT (a.1) – – – 259.151 259.151 259.248 (97)LTN (a.1) – – – 176.514 176.514 176.851 (337)Fundos (a.2) 25.207 – – – 25.207 25.207 –Vinculados aCompromisso deRecompraLTN (a.1) 46.570 – – – 46.570 46.659 (89)Total - Banco 71.777 – – 435.665 507.442 507.965 (523)Efeitos tributários 209Ajuste líquido nopatrimônio líquido -Banco (314)31 de dezembro de 2010 ConsolidadoSemvencimentoAté 6mesesDe 6meses a1 anoAcima de1 anoValor demercadoValor decurvaAjuste nopatrimônioPapelDisponíveis paravendaCarteira própriaLFT (a.1) – – – 280.216 280.216 280.313 (97)LTN (a.1) – – – 190.492 190.492 190.829 (337)Fundos (a.2) 162.967 – – – 162.967 162.967 –Outras aplicações IRB 52 – – – 52 52 –Ações decompanhiasabertas (a.4) 459 – – – 459 459 –Mantidos até ovencimentoCDB/RDB (a.3) – 11.335 25.156 6.218 42.709 42.709 –CDB - DPGE (a.3) – 55.739 61.164 101.843 218.746 218.746 –Vinculados aCompromisso deRecompraLTN (a.1) 46.570 – – – 46.570 46.659 (89)Total - Consolidado 210.048 67.074 86.320 578.769 942.211 942.734 (523)Efeitos tributários 209Ajuste líquido no patrimônio líquido - Banco e Consolidado (314)(a.1) O valor de mercado dos títulos públicos federais é obtido por meio da utilização de preçosdivulgados pela ANBIMA - Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais.(a.2) Refere-se as aplicações em cotas de fundo multimercado e de renda fixa.(a.3) Os Certificados e Recibos de Depósitos Bancários (CDB/RDB) foram pactuados com taxas pós-fixadaque variam entre 107% e 125% do CDI (Certificado de Depósitos Interbancário) e foram registrados peloseu valor de aplicação, acrescido dos rendimentos auferidos até a data do balanço.(a.4) Referem-se a 34.000 ações do Paraná Banco S.A. adquiridas em outubro de 2008 pela J Malucelli DTVM.b. Instrumentos financeiros derivativos (Banco e Consolidado)Em 31 de dezembro de 2011 e 31 de dezembro de 2010, a carteira de instrumentos financeirosderivativos é formada integralmente por contratos de “swaps”, registrados pelo valor de mercado,e utilizado para proteção das captações de “fixed rate notes” como demonstrado a seguir:Conta de Conta patrimonialValor compensação Valor a receber/(a pagar)referencial 31/12/2011 31/12/2011Até 1 ano De 1 a 3 anos TotalPosição ativaMoeda estrangeira -Dólar americano 167.400 181.543 – – –Posição passivaMercado interfinanceiro- taxa pós (CDI) 167.400 181.293 250 – 250Conta de Conta patrimonialValor compensação Valor a receber / (a pagar)referencial 31/12/2010 31/12/2010Até 1 ano De 1 a 3 anos TotalPosição ativaMoeda estrangeira -Dólar americano 230.525 218.584 – – –Posição passivaMercado interfinanceiro- taxa pós (CDI) 230.525 225.576 (2.228) (4.764) (6.992)c. Política de utilização, objetivos e estratégias dos instrumentos financeiros derivativosO Banco tem como política a eliminação de parte do risco de mercado, evitando assumir posiçõesexpostas a flutuações nas taxas de câmbio e operando apenas instrumentos que permitam o controle deriscos. Os contratos de derivativos estão representados por operações de swap, envolvendo outrasinstituições financeiras, os quais estão registrados na CETIP. Esses contratos são utilizados para hedgecambial da captação por emissão de títulos e valores mobiliários no exterior (fixed rate notes - notaexplicativa n° 14).d. Valores estimados de mercadoOs valores de mercado foram estimados na data de 31 de dezembro de 2011, baseados em“informações relevantes de mercado”. Mudanças nas premissas e alterações nas operações do mercadofinanceiro podem afetar significativamente as estimativas apresentadas. Os métodos e premissasadotados pelo Banco para estimar a contabilização e divulgação do valor de mercado de seus derivativosem 31 de dezembro de 2011 estão descritos abaixo:Swap de taxas de câmbio: Estimados com base nas cotações de mercado para contratos com condiçõessimilares. Estes contratos prevêem pagamentos/recebimentos da diferença do valor contábil e demercado trimestralmente antes da data de vencimento. O Banco não tem por objetivo liquidar estescontratos antes de seu vencimento.6. OPERAÇÕES DE CRÉDITO E PROVISÃO PARA PERDAS COM OPERAÇÕES DE CRÉDITOa. Composição da carteira por modalidade de créditoBanco Consolidado31/12/11 31/12/10 31/12/11 31/12/10Cheque especial 2 539 2 539Conta garantida 99.235 39.493 99.235 39.493Capital de giro 144.402 128.776 144.402 128.776Crédito pessoal parcelado (a.1) 1.568.496 1.339.224 1.552.549 1.309.002Crédito pessoal parcelado (a.2) 6.086 1.720 6.086 1.720Financiamentos - veículos 1.585 4.272 1.585 4.272Financiamentos - outros (a.3) 21.504 37.489 21.504 37.489Desconto de títulos 24.446 17.462 24.446 17.462Desconto de cheques 1.347 771 1.347 771Cartão de crédito 43.671 12.394 43.671 12.394Total 1.910.774 1.582.140 1.894.827 1.551.918(a.1) Refere-se a operações de crédito consignado em folha de pagamento. No consolidado o saldo deresultados de exercícios futuros foi reclassificado para a rubrica de operações de crédito com vista àapresentação da carteira pela taxa efetiva da operação.(a.2) Refere-se a operações de crédito não consignadas.(a.3) Inclui R$ 4.925 (R$ 2.209 em 31 de dezembro de 2010), referente aquisição de crédito terceiros.b. Composição da carteira de crédito por faixas de vencimento, tipo de cliente eatividade econômicaBancoCarteira a vencerCarteiravencida partirde 15 dias (b.1)até 3meses3 a 12meses1 a 3anosAcima de3 anosTotal31/12/11Total31/12/10Público Estadual – 29 30 – – 59 –Indústria 248 27.643 24.805 13.457 – 66.153 30.496Comércio 3.886 35.134 12.871 562 – 52.453 22.666Serviços 1.528 87.649 37.544 16.417 2.230 145.368 133.340Pessoa física 135.633 144.017 370.698 671.854 324.539 1.646.741 1.395.638Total - 31/12/11 141.295 294.472 445.948 702.290 326.769 1.910.774 1.582.140Total - 31/12/10 110.275 223.811 411.578 587.223 249.253 1.582.140(b.1) Classificado no Ativo Circulante. Esses valores estão representados pelo saldo total das parcelasem atraso.ConsolidadoCarteira a vencerCarteiravencida a partirde 15 dias (b.1)até 3meses3 a 12meses1 a 3anosAcima de3 anosTotal31/12/11Total31/12/10Público Estadual – 29 30 – – 59 –Indústria 248 27.643 24.805 13.457 – 66.153 30.496Comércio 3.886 35.134 12.871 562 – 52.453 22.666Serviços 1.528 87.649 37.544 16.417 2.230 145.368 133.340Pessoa física 134.320 142.622 366.047 732.777 255.028 1.630.794 1.365.416Total - 31/12/11 139.982 293.077 441.297 763.213 257.258 1.894.827 1.551.918Total - 31/12/10 107.978 220.909 402.533 576.642 243.856 1.551.918(b.1) Classificado no Ativo Circulante. Esses valores estão representados pelo saldo total das parcelasem atraso.c. Composição da carteira de crédito por nível de riscoBanco31/12/11 31/12/10Nível SituaçãoAtrasoem dias% deprovisãoTotalgeralValor daprovisãoTotalgeralValor daProvisãoAA Normal – – – – –A Normal (c.1) 0,50 1.497.744 7.489 1.291.532 6.457B Normal 224.826 2.248 169.885 1.699Vencido De 15 a 30 1,00 37.784 378 29.261 293C Normal 43.666 1.308 9.490 284Vencido De 31 a 60 3,00 24.848 742 16.603 497D Normal 2.373 237 786 78Vencido De 61 a 90 10,00 14.245 1.425 11.999 1.200E Normal 162 49 6 2Vencido De 91 a 120 30,00 10.741 3.222 9.572 2.872F Normal 99 50 9 5Vencido De 121 a 150 50,00 8.471 4.236 6.039 3.020G Normal 115 81 7 5Vencido De 151 a 180 70,00 7.308 5.116 8.826 6.177H Normal 494 494 151 151Vencido Acima de 180 100,00 37.898 37.898 27.974 27.974Total geral 1.910.774 64.973 1.582.140 50.714(c.1) - Inclui saldos em atraso até 14 dias.Consolidado31/12/11 31/12/10Nível SituaçãoAtrasoem dias% deProvisãoTotalgeralValor daprovisãoTotalgeralValor daprovisãoAA Normal – – – – –A Normal (c.1) 0,50 1.481.797 7.489 1.261.310 6.457B Normal 224.826 2.248 169.885 1.699Vencido De 15 a 30 1,00 37.784 378 29.261 293C Normal 43.666 1.308 9.490 284Vencido De 31 a 60 3,00 24.848 742 16.603 497D Normal 2.373 237 786 78Vencido De 61 a 90 10,00 14.245 1.425 11.999 1.200E Normal 162 49 6 2Vencido De 91 a 120 30,00 10.741 3.222 9.572 2.872F Normal 99 50 9 5Vencido De 121 a 150 50,00 8.471 4.236 6.039 3.020G Normal 115 81 7 5Vencido De 151 a 180 70,00 7.308 5.116 8.826 6.177H Normal 494 494 151 151Vencido Acima de 180 100,00 37.898 37.898 27.974 27.974Total geral 1.894.827 64.973 1.551.918 50.714(c.1) - Incluí saldos em atraso até 14 dias.d. Movimentação da provisão para perdas com operações de créditoBanco Consolidado31/12/11 31/12/10 31/12/11 31/12/10Saldo inicial 50.714 59.778 50.714 67.304Constituição 60.836 39.393 60.836 39.393Baixas (46.577) (48.457) (46.577) (55.983)Saldo final 64.973 50.714 64.973 50.714Recuperação de créditos baixados 11.086 8.757 11.086 8.757A provisão para perdas com créditos cedidos com coobrigação no montante de R$ 212 (R$ 1.227 em31 de dezembro de 2010) está apresentada em “Outras obrigações - diversas” (vide nota explicativa 17).e. Concentração de créditos e risco de créditoBanco Consolidado31/12/11 31/12/10 31/12/11 31/12/10Dez maiores devedores 112.958 81.932 112.958 81.932Percentual do total da carteira de operações de crédito 5,91% 5,18% 5,96% 5,19%Cinquenta maiores devedores seguintes 126.200 87.916 126.200 87.916Percentual do total da carteira de operações de crédito 6,60% 5,56% 6,66% 5,57%f. Créditos renegociados e refinanciadosO saldo dos créditos refinanciados e renegociados em 31 de dezembro de 2011 era de R$ 1.113.841(R$ 781.050 em 31 de dezembro de 2010). O saldo apresentado foi apurado com base nos critériosdescritos na Resolução BACEN 2.682/99, que considera como renegociação qualquer acordo oualteração nos prazos de vencimento e nas condições de pagamento originalmente pactuadas.g. Cessão de créditosNão foram realizadas cessões de crédito no exercício findo em 31 de dezembro de 2011. O saldo emaberto dessas cessões, as quais em sua totalidade foram realizadas anteriormente com coobrigação,em 31 de dezembro de 2011 é de R$ 4.003 (R$ 26.203 em 31 de dezembro de 2010).Existem acordos de cooperação para cessão de créditos com outras instituições financeiras, por períodosdiversos, com valor máximo de até R$ 1.020.000. O saldo disponível não utilizado desses acordos em31 de dezembro de 2011 era de R$ 1.013.144 (R$ 976.117 em 31 de dezembro de 2010).7. CRÉDITO DAS OPERAÇÕES COM SEGUROS E RESSEGUROS - CONSOLIDADO31/12/11 31/12/10Prêmios a receber (a)Garantia financeira 66 1.508Garantia obrigações privadas 8.648 23.666Garantia obrigações públicas 12.866 73.967Garantia concessões públicas 37 2.767Garantia judicial 4.274 40.149Garantia segurada setor publico (b) 41.116 –Garantia segurada setor privado (b) 5.817 –Subtotal 72.824 142.057Participação nos lucros de resseguro cedido 11.128 17.396Outros créditos operacionais 16.428 24.493Total 100.380 183.946Circulante 92.364 169.133Exigível a longo prazo 8.016 14.813(a) Os prêmios a receber contemplam os prêmios de seguros e resseguros de emissão direta e aceita,cosseguro aceito, bem com as operações de retrocessão.(b) As apólices emitidas a partir de 01 de janeiro de 2011 estão classificadas e apresentadas nas linhasgarantia segurado setor público e garantia segurado setor privado conforme circular SUSEP nº 395 de2009.8. OUTROS CRÉDITOS - DIVERSOSCirculanteBanco Consolidado31/12/11 31/12/10 31/12/11 31/12/10Imposto de renda e contribuição social 18.514 12.659 19.006 12.661Imposto de renda e contribuição social diferidos 1.585 1.588 1.589 1.643Faturados a vencer - Mastercard (a) 64 64 64 64Créditos de convênios (b) 444 1.064 444 1.064Adiantamentos diversos (c) 5.240 3.784 5.324 3.879Impostos a recuperar 77 339 13.715 2.348Devedores diversos outras instituições 2.083 787 2.083 787Depósitos judiciais – – 541 –Outros créditos 940 1.016 2.164 1.582Total 28.947 21.301 44.930 24.028(a) Refere-se a valores a receber, por faturamento emitido aos titulares de cartões de crédito. Esse valorrepresenta a soma das faturas do mês, cujo saldo pode ser liquidado pelo valor total ou mínimo e,nesse caso, financiado como crédito rotativo.(b) Refere-se a valores repassados pelos órgãos conveniados, cuja compensação está pendente deregularização.(c) Refere-se a adiantamentos de comissões e antecipações salariais.Realizável a longo prazo Banco Consolidado31/12/11 31/12/10 31/12/11 31/12/10Imposto de renda e contribuição social diferidos 20.011 16.300 20.011 16.302Depósitos judiciais 417 426 425 441Outros impostos diferidos – – 14 13Outros 4 – 47 37Total 20.432 16.726 20.497 16.7939. DESPESAS ANTECIPADASAs despesas antecipadas referem-se a comissão de intermediação de negócios, despesa decomercialização diferida de seguros e despesas de seguros e retrocessões. Esse último refere-se a PPNGativa, e os demais a valores pagos antecipadamente decorrentes de comissão de intermediação denegócios do Paraná Banco S.A. e de comercialização de seguros, que estão sendo apropriados pelosprazos restantes dos contratos.continuaçãocontinuaNOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRASExercícios findos em 31 de dezembro de 2011 e 2010 (Em milhares de reais)

×