Pré viagem - visita de estudo a lavadores

1.771 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
1 comentário
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Queria agradecer ao Nuno Correia esta ótima preparação da visita de estudo a lavadores que veio mesmo a propósito pois já tencionava levar lá os meus alunos! Obrigada
       Responder 
    Tem certeza que deseja  Sim  Não
    Insira sua mensagem aqui
  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.771
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
96
Comentários
1
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Pré viagem - visita de estudo a lavadores

  1. 1. Pré - Viagem
  2. 2.  Estudar enquadramento geológico do Granito de Lavadores e das rochas envolventes. Observar os aspetos litológicos das rochas magmáticas e metamórficas típicas e associadas a intrusões ígneas. Aplicar métodos de trabalho de campo, desenvolvendo capacidades de investigação e de trabalho de equipa. Nuno Correia 2
  3. 3. Nuno Correia 3
  4. 4. Lavadores apresenta aspetos geológicos de muito interesse nãosó do ponto de vista didático como científico. A variedade derochas existentes e a clareza de algumas formas tornam o localparticularmente propício para visitas de estudo para quem seinicia em assuntos da geologia. O principal objetivo da visitaserá a observação dos diferentes aspetos que caracterizam oafloramento granítico de Lavadores bem como das rochas maisantigas que o granito intruiu.O trajeto efetua-se ao longo da praia de Lavadores e decorrerá,para Sul, até à praia das “Pedras Amarelas” e depois faz-se umaincursão para Este para poder observar um terraço quecomprova a existência de uma antiga praia. Nuno Correia 4
  5. 5.  Guia da saída de campo; lápis e borracha; bloco/caderno de campo; carta geológica da região ; bússola; martelo de geólogo; sacos de plástico e marcador para plástico; máquina fotográfica. Vestuário e calçado prático e adequado às condições climatéricas; mochila com alimentos para lanche a meio da tarde. Nuno Correia 5
  6. 6.  Observar, registar e interpretar as características geológicas (e biológicas) da região nas paragens a efetuar; Os dados recolhidos devem ser registados no caderno de campo (descrições, desenhos, registos fotográficos e amostras recolhidas devidamente referenciadas); Estar atento(a) e cumprir as indicações dos(os) professores(as). Nuno Correia 6
  7. 7. Realização de uma ficha de trabalho, em grupo,onde constem os dados recolhidos e tratados(observações efetuadas na forma de fotografias,desenhos ou outros, devidamente legendados ecomentados); comentário crítico ao trabalho decampo desenvolvido e propostas de melhoria. Nuno Correia 7
  8. 8.  Colheita de amostras Elementos por grupo (máximo 4) Caracterização das amostras (modelo http://www.cienciaviva.pt/img/upload/Caracterização%20da%20Amostra%20-%20ESMiraflores.pdf) Avaliação – 30% da prática Nuno Correia 8
  9. 9. Observar riscos naturais que podem ser agravados/minimizados por uma intervenção antrópica:a) Ação geológica do mar sobre a faixa litoralb) Identificar diferentes formas de erosão e de deposição na faixa litoral.c) Identificar as obras de proteção da linha de costa.d) Reconhecer a necessidade de se proceder a um eficaz ordenamento do território Nuno Correia 9
  10. 10. Nuno Correia 11/12 10
  11. 11. Nuno Correia 11
  12. 12.  Paredões  Esporões  Quebra-maresNuno Correia 11/12 12
  13. 13. 2 - Observação geral da paisagem granítica e do granitoa) Textura e composição do granito. Nuno Correia 13
  14. 14. 2 - Observação geral da paisagem granítica e do granitoa) Fracturação e sua orientação.b) Aspetos resultantes da alteração e erosão:c) Alteração do granito, disjunção em bolas, caos de blocos Nuno Correia 14
  15. 15. Nuno Correia 15
  16. 16. 2 - Observação geral da paisagem granítica e do granitoa) Marmitas Nuno Correia 16
  17. 17. Nuno Correia 17
  18. 18. 3 - Observação da relação do granito com outras rochas magmáticasa) Encraves (Rochas escuras incluídas no granito)b) Filões (Rochas a cortar o granito) Nuno Correia 18
  19. 19. Nuno Correia 19
  20. 20. Nuno Correia 20
  21. 21. Nuno Correia 21
  22. 22. Nuno Correia 2012/13 22
  23. 23. Nuno Correia 23
  24. 24. Nuno Correia 2012/13 24
  25. 25. Nuno Correia 25
  26. 26. Nuno Correia 2012/13 26
  27. 27. Nuno Correia 2012/13 27
  28. 28. Nuno Correia 28
  29. 29. Nuno Correia 29
  30. 30. A mistura de dois magmas gera movimentos de turbilhão Nuno Correia 2012/13 30
  31. 31. Nuno Correia 2012/13 31
  32. 32. Observação de aspetos de metamorfismo isto é efeitos da intrusão do granito em rochas não magmáticas mais antigas Nuno Correia Migmatitos 32
  33. 33. Observação do gnaisse (rocha metamórfica antiga) "Pedras Amarelas". Nuno Correia 33
  34. 34. Observação de um terraço constituído por calhaus rolados que comprovam a existência de uma antiga praia e que houve um recuo do mar. Nuno Correia 34
  35. 35. Nuno Correia 35

×