Rct 3 - topologias de redes

6.573 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
6.573
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
250
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
69
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Rct 3 - topologias de redes

  1. 1. TOPOLOGIA A topologia de uma rede corresponde à estrutura de interconexão física das várias estações que a compõem. Essa estrutura de interconexão pode refletir tanto a localização geográfica das estações como fluxo de informação gerado entre elas.
  2. 2. TOPOLOGIA Existem várias maneiras de se configurar a interconexão dos nós ou estações num ambiente localizado. Cada uma dessas maneiras apresenta características próprias, com diferentes implicações quanto ao desenvolvimento, operação e manutenção da rede.
  3. 3. Topologia Existem dois tipos básicos de rede, Ligação Ponto-a-Ponto e Multiponto. Combinando os dois tipos formam-se as topologias mais complexas.
  4. 4. Topologia Ponto-a-Ponto Nesta rede, o computador é conectado a um equipamento de comunicação de entrada e saída por uma única linha.
  5. 5. Topologia Multiponto Nesta modalidade de ligação existe sempre uma estação controladora que coordena o tráfico da dados das demais estações chamadas subordinadas.
  6. 6. Topologia Barramento A topologia em barramento, é outra estrutura de interconexão bastante adaptada às redes locais de computadores, nesta topologia também não existe necessidade de decisões de roteamento, simplificando, portanto, a implementação dos nós de comunicação intermediários
  7. 7. Topologia Barramento Na topologia barramento, o meio físico de transmissão é composto por um único segmento de transmissão multi- ponto, compartilhado pelas diversas estações interconectadas.
  8. 8. Topologia Barramento Os nós de comunicação intermediários nesta topologia têm geralmente um comportamento passivo em face do processo de transmissão das mensagens no meio físico. Essa característica constitui uma importante vantagem da topologia em barramento quanto à confiabilidade da rede.
  9. 9. Topologia Barramento
  10. 10. Topologia Barramento Vantagem: A única decisão necessária em cada um dos nós é a identificação que lhe são destinadas. Desvantagem: Dependência de um único meio de transmissão.
  11. 11. Topologia Anel Nesta topologia em anel não há necessidade de decisões de roteamento, as mensagens geradas são transmitidas unidirecionalmente de nó em nó até atingir o nó de comunicação destinatário.
  12. 12. Topologia Anel A única decisão necessária em cada nó de comunicação é a capacidade de reconhecer seu próprio nome (endereço) nas mensagens circulando no anel e copiar as que lhe são destinadas.
  13. 13. Topologia Anel A topologia em anel caracteriza-se pela participação dos nós intermediários, funcionando como repetidores, no processo de transmissão de uma mensagem entre duas estações não adjacentes
  14. 14. Topologia Anel O fato de cada nó de comunicação participar do processo de transmissão coloca confiabilidade da rede dependente da confiabilidade individual dos elementos repetidores distribuídos pelos nós de comunicação.
  15. 15. Topologia Anel Uma técnica usada para aumentar a confiabilidade de sub-redes em anel é a adoção de configuração dupla onde um anel sobressalente, geralmente com sentido de transmissão reverso.
  16. 16. Topologia Anel Anel Simples Anel Duplo
  17. 17. Topologia Anel Vantagem: Não depende de nó central. Fluxo descentralizado. Desvantagem: A confiabilidade da rede depende dos elementos intermediários.
  18. 18. Topologia Estrela A topologia estrela ou radial, é uma estrutura de interconexão bastante familiar aos sistemas de computação tradicionais. Nessa estrutura, todas as decisões de roteamento são concentradas num único nó de comunicação chamado nó central.
  19. 19. Topologia Estrela É uma estrutura bem adaptada a situações onde o fluxo de comunicação é também centralizado, isto é, quando um certo número de estações secundária se comunica com uma estação central primária. É o caso, de vários terminais dispersos geograficamente, comunicando-se com um sistema central de tempo compartilhado.
  20. 20. Topologia Estrela Quando o fluxo de comunicações é mais geral, a dependência de um nó centralizado, pode ser uma desvantagem. Além de colocar um problema de confiabilidade, a complexidade do nó de comunicação central aumenta consideralvemente com o número de nós que lhe são interconectados .
  21. 21. Topologia Estrela
  22. 22. CONFIGURAÇÕES HÍBRIDAS As configurações híbridas resultam da associação de características das topologias básicas (anel, barramento e estrela), com o propósito de superar certas limitações destas últimas
  23. 23. CONFIGURAÇÕES HÍBRIDAS - Incompatibilidade tecnológica com o meio de transmissão. - Dificuldade de manutenção e operação. - Limitação no número de estações e no alcance da rede. - Confiabilidade. - Necessidade de interconexão de redes.
  24. 24. CONFIGURAÇÕES HÍBRIDAS

×