SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 27
Baixar para ler offline
Elementos de um Sistema Aberto de
              Automação




   REDES DE
 COMPUTADORES




Estágios da Informatização
Empresas com larga experiência em
informática, que utilizavam computadores de
grande porte e passaram a utilizar
microcomputadores ;
Empresas que começaram a se informatizar
já utilizando microcomputadores e nunca
tiveram experiência com máquinas de outro
porte.
Empresas que só agora iniciam seu processo
de informatização
Redes
Em seu nível mais elementar, uma rede
consiste em dois computadores conectados
um ao outro por um cabo para que possam
compartilhar dados.
Todas as redes, não importa o grau de
complexidade, derivam desse sistema
simples. Se a idéia de dois computadores
conectados não parece extraordinária, no
passado representou uma grande conquista
nas comunicações.




Cont.
  As Redes surgiram da necessidade de
  compartilhar dados em tempo hábil. Os
  computadores pessoais são ferramentas
  de trabalho ótimas para produzir dados,
  gráficos e outros tipos de informação,
  mas não possibilitam que você
  compartilhe rapidamente os dados que
  criou.
Cont.
 Sem uma rede, os documentos devem ser
 impressos para que outras pessoas possam
 modifica-los ou utilizá-los. Na melhor das
 hipóteses, você entrega os arquivos em
 disquetes para que outras pessoas copiem
 em seus computadores. Se fizerem
 modificações no documento, não há como
 mescla-las. Isto era, e ainda é, conhecido
 como trabalhar em ambiente autônomo.




      Ambiente Autônomo
Cont.
Se ao invés de trabalharmos sozinhos,
pudéssemos compartilhar os dados dos
outros computadores e as impressoras
estaríamos formando um conjunto de
computadores e outros dispositivos
conectados juntos. A isso chama-se
REDE, assim como o conceito de
computadores compartilhando os
recursos.




 Os computadores que fazem
  parte de uma rede podem
        compartilhar:
Dados
Mensagens
Gráficos
Impressoras
Aparelhos de fax
Modems
Outros recursos de Hardware
Redes Locais
 As redes começaram pequenas, com
 até dez computadores conectados a
 uma impressora. A tecnologia limitou o
 tamanho da rede, incluindo o número
 de computadores conectados, assim
 como a distância física que poderia ser
 abrangida pela rede.




Cont.
 Por exemplo, no início dos anos 80, o
 método mais popular (comum) de
 cabeamento possibilitaria cerca de 30
 usuários em uma extensão máxima de
 cabo de pouco mais de 180 metros.
 Esse tipo de rede deveria estar em um
 único andar de um prédio ou em uma
 empresa pequena.
Cont.
Atualmente, para empresas muito pequenas,
essa configuração ainda é adequada. Esse
tipo de rede, dentro de uma área limitada,
chama-se rede local (LAN).
A medida que o alcance geográfico da rede
aumenta com a conexão de usuários em
cidades ou estados diferentes, a LAN torna-se
uma rede de longa distância (MAN, WAN). O
número de usuário agora pode aumentar de
Dez para Milhares.




Podemos então classificar as
redes locais em três tipos:
   LAN - Local área Network (Abrangência no
   espaço físico de um ou mais prédios).
   MAN - Metropolitan área Network
   (Abrangência no espaço físico de uma
   cidade).
   WAN - Wide área Network (Abrangência no
   espaço de vários municípios ou países).
Componentes da rede Local
 Estações de Trabalho (Clientes e
 servidores de Rede)
 Placas e Cabos
 Protocolos




Por que usar Redes?
 As redes possibilitam que várias pessoas
 compartilhem tanto dados como periféricos
 simultaneamente.
 As redes podem reduzir a necessidade de
 comunicação escrita e tornar disponíveis
 praticamente todos os tipos de dados para
 todos os usuários que deles precisarem.
Cont.
Antes de existir as redes, as pessoas que
queriam compartilhar informações
estavam limitadas a:
  Contar as informações uma para outras
  (comunicação oral).
  Escrever memorandos
  Colocar a informação em um disquete, levá-lo
  fisicamente para outro computador e, depois,
  copiar os dados naquele computador.




 Protocolos
Conceito
 Protocolos são regras e procedimentos
 para comunicação. Por exemplo,
 diplomatas de um país aderem ao
 protocolo para se orientarem na
 interação com diplomatas de outros
 países. A utilização das regras de
 comunicação aplica-se da mesma
 maneira no ambiente de computadores.




Cont.
 Quando diversos computadores estão
 interligados em rede, as regras e
 procedimentos técnicos que
 administram sua comunicação e
 interação são chamados de protocolos.
Como os protocolos
trabalham?
 Toda a operação técnica de transmissão
 de dados através da rede precisa ser
 dividida em etapas sistemáticas distintas.
 A cada etapa, ocorrem certas ações que
 não podem ocorrer em nenhuma outra
 etapa. Cada etapa tem suas próprias
 regras e procedimentos, ou Protocolos.
 As etapas devem ser realizadas em uma
 ordem consistente, que seja igual em
 todos os computadores da rede.




Tipos de Protocolos
 NetBEUI
 IPX/SPX
 TCP/IP
NetBEUI
   É um protocolo rápido e eficiente.
   As vantagens do NetBEUI são a sua
   velocidade de transferência de dados na
   mídia da rede e sua compatibilidade com
   todas as redes baseadas em Microsoft.
   A maior desvantagem é que ele se limita
   ás redes baseadas em Microsoft.




IPX/SPX
 É o protocolo utilizado para possibilitar
 a conexão do seu computador com
 servidores de rede Novell.
TCP/IP
 Protocolo de Controle de
 Transmissão/Protocolo Internet (
 TCP/IP )
 Tornou-se o protocolo padrão utilizado
 para interoperabilidade entre muitos
 tipos diferentes de computadores. Essa
 interoperabilidade é uma das vantagens
 principais do TCP/IP.




Cont.
 Quase todas as redes suportam o
 TCP/IP como protocolo. O TCP/IP é
 normalmente utilizado como o protocolo
 de interconexão de rede.
 Devido á sua popularidade, o TCP/IP
 tornou-se o verdadeiro padrão (padrão
 de facto) para interconexão de rede.
Tipos de
Servidores




Servidores??
 A maior parte das redes possui um
 servidor dedicado.
 Um servidor dedicado é aquele que
 funciona apenas como servidor e não é
 utilizado como estação de trabalho ou
 cliente.
Cont.
 Os servidores são “dedicados” porque
 são otimizados para processar
 rapidamente as requisições dos clientes
 da rede e para garantir a segurança dos
 arquivos e pastas.
 As redes baseadas em servidor
 tornaram-se o modelo para a
 comunicação de rede.




Servidores especializados
 Conforme o tamanho e o tráfego das
 redes aumentam, mais de um servidor
 na rede é necessário. A distribuição de
 tarefas entre vários servidores garante
 que cada tarefa seja desempenhada da
 maneira mais eficiente possível.
Servidores de Arquivos e
Impressão
 Os servidores de arquivo e impressão
 gerenciam o acesso do usuário e a
 utilização dos recursos de arquivos e
 impressora.
 Os servidores de arquivos e impressão
 destinam-se ao armazenamento de
 arquivos e de dados.




Servidores de Aplicativos
 Com um servidor de arquivo e
 impressão, os dados ou o arquivo são
 carregados para o computador que fez
 a requisição. Com um servidor de
 aplicativo, o banco de dados fica no
 servidor e apenas os resultados
 requeridos são carregados no
 computador que fez a requisição.
Servidores de Correio
 Os servidores de correio gerenciam
 mensagens entre os usuários da rede.




Servidores de Fax
 Os servidores de Fax gerenciam o
 tráfego de fax para dentro e para fora
 da rede, compartilhando uma o mais
 placas de fax modem.
Servidores de Comunicação
 Os servidores de comunicação
 manipulam o fluxo de dados e as
 mensagens de correio eletrônico entre a
 própria rede do servidor e outras redes




 Rede Peer To Peer (Ponto a
           Ponto)
 Em uma rede peer-to-peer, não existem
 servidores dedicados ou hierarquia entre
 os computadores. Todos os computadores
 são iguais e, portanto chamados pares.
 Normalmente cada computador funciona
 tanto como cliente quanto como servidor,
 e nenhum deles é designado para ser um
 administrador responsável por toda rede.
 O usuário determina quais os dados são
 compartilhados.
Topologias




Topologias de Rede
 A Topologia de uma rede define a
 forma como as estações
 (Computadores) estão fisicamente
 distribuídas ;
 A topologia física é a descrição da rota
 utilizada pelos cabos da rede para
 interligar os nós.
Topologia em Estrela
 Na topologia de estrela, os computadores são
 conectados por segmentos de cabo a um
 componente centralizado chamado Hub.
 Os sinais são transmitidos a partir do
 computador que está enviando através do
 hub até os computadores na rede.
 Esta topologia iniciou-se nos primórdios da
 computação, com os computadores
 conectados a um computador centralizado.




Topologia em Estrela
 Caracterizada por apresentar, a figura de um
 ponto centralizador , o responsável pelo
 roteamento das informações.
 Neste tipo de rede as informações são
 transmitidas de um ponto, tendo que passar
 obrigatoriamente pelo computador servidor.
 Todos os pontos desta rede participam do
 processo de centralização de informações
 assim como de distribuição de trabalhos.
Topologia em Estrela




Topologia em Anel
 A topologia de anel conecta os
 computadores em um único círculo de
 cabos. Não há extremidades terminadas. Os
 sinais viajam pelo anel em uma direção e
 passam através de cada computador. Ao
 contrário da topologia de barramento
 passiva, cada computador atua como um
 repetidor para amplificar o sinal e enviá-lo
 para o seguinte. Como o sinal passa através
 de todos os computadores, a falha em um
 computador pode ter impacto sobre toda
 rede.
Topologia em Anel
 Elimina a figura de um ponto centralizador
 , o responsável pelo roteamento das
 informações.
 Neste tipo de rede as informações são
 transmitidas de um ponto a outro da rede
 até alcançar o ponto destinatário.
 Todos os ponto desta rede participam do
 processo de transmissão de uma
 informação.
 Se houver a quebra de um dos pontos a
 rede é interrompida.




Topologia em Anel
Topologia em Barramento
   A topologia de barramento também é
   conhecida como barramento linear. Este
   é o método mais simples e comum de
   conectar os computadores em rede.
   Consiste em um único cabo, chamado
   tronco (backbone ou segmento), que
   conecta todos os computadores da rede
   em uma linha única.




Topologia em Barramento
Permite o maior número de terminais
ligados a rede, e todos os terminais são
ligados a um cabo principal.
Deste modo uma informação poderá ser
enviada para um terminal ou para todos
simultaneamente.
Os pontos da rede não participam do
processo de transmissão de dados.
Este tipo de topologia é bastante utilizados
em grandes sistemas de
teleprocessamento.
Topologia em Barramento




     Comparação
Tipos de Topologias         Pontos Positivos             Pontos
                                                        Negativos

      Estrela            - Mais tolerante a falhas   - Maior custo de
                        - Fácil de instalar usuários     instalação
                      - Monitoramento centralizado
       Anel              - Razoavelmente fácil de     Se uma estação
   (Token Ring)                    instalar            para as outras
                         - Desempenho uniforme        também param
                          - Requer menos cabos
    Barramento         - Simples e fácil de instalar A rede fica mais
                          - Requer menos cabos            lenta em
                            - Fácil de entender      períodos de uso
                                                           intenso
Cabeamentos




Cabo Coaxial
 Em certa época, o cabo coaxial foi o tipo de
 cabeamento de rede mais amplamente
 utilizado.
 É composto de um condutor interno
 circundado por um material isolante e por
 uma malha de blindagem. Devido às suas
 características, suporta taxas de transmissão
 mais altas, alcançando tipicamente 10
 megabits por segundo em distância de ordem
 de 1km. O cabo coaxial tem uma imunidade a
 ruído bem melhor que o par traçado, mas seu
 custo é mais elevado. Adapta-se a qualquer
 t     l i
Cabo de Par Trançado
 É constituído de dois fios enrolados em
 espiral. As taxas de transmissão neste tipo
 de meio podem chegar a até alguns
 poucos megabits por segundo,
 dependendo da distância entre os
 extremos, técnica de transmissão e
 qualidade do cabo. O par traçado é
 bastante susceptível a ruídos e
 interferência, mas é o meio que tem
 menor custo por comprimento. A ligação
 de nós é extremamente simples, reduzindo
 ainda mais o custo da utilização.




Fibra Ótica
 Uma fibra ótica consiste de um filamento, através
 do qual é transmitido um sinal luminoso que
 transporta a informação, de forma codificada.
 A fibra ótica é imune à interferência
 eletromagnética.
 O cabo de fibra ótica é apropriado para
 transmissão de dados a grande velocidade e alta
 capacidade, devido a ausência de atenuação e à
 pureza do sinal.
 É o mais caro de todos, atinge taxas de quase
 centenas de gibabits por segundo, transmitindo
 dados, voz e imagem.
Padrões de Rede
 Ethernet
     Pode ser utilizada com a topologia
   barramento (coaxial) ou estrela (par
   trançado )
    Utiliza o método de acesso CSMA/CD
   (Carrier Sense Multiple Access with Colision
   Detection)




 Token Ring
   Utiliza o método circular para verificar qual
   estação tem permissão para transmitir ;
    Opera em Topologia de Anel e garante
   que todas as estações da rede tenham
   chance de transmitir dados
Isso é garantido pois ele utiliza um padrão
especial de bit conhecido como “token” ou
permissão ;

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Noções de redes de computadores
Noções de redes de computadoresNoções de redes de computadores
Noções de redes de computadoresFilipe Flores
 
Tecnologias De Redes De Computadores
Tecnologias De Redes De ComputadoresTecnologias De Redes De Computadores
Tecnologias De Redes De ComputadoresMatheus
 
Infraestrutura e Componentes de Redes de Dados
Infraestrutura e Componentes de Redes de DadosInfraestrutura e Componentes de Redes de Dados
Infraestrutura e Componentes de Redes de Dadostiredes
 
Hardware e redes de computadores (Componente, tipos de redes e topologias)
Hardware e redes de computadores (Componente, tipos de redes e topologias)Hardware e redes de computadores (Componente, tipos de redes e topologias)
Hardware e redes de computadores (Componente, tipos de redes e topologias)Augusto Nogueira
 
Aula 5 - Redes de computadores
Aula 5 - Redes de computadoresAula 5 - Redes de computadores
Aula 5 - Redes de computadoresLucasMansueto
 
Redes de Computadores
Redes de ComputadoresRedes de Computadores
Redes de ComputadoresFábio Eliseu
 
O que é uma rede informática
O que é uma rede informáticaO que é uma rede informática
O que é uma rede informáticafilipemolon
 
Apresentaçao Final De Redes
Apresentaçao Final De RedesApresentaçao Final De Redes
Apresentaçao Final De Redesguesta9bd8d
 
Redes de-computadores-tipos-de-redes
Redes de-computadores-tipos-de-redesRedes de-computadores-tipos-de-redes
Redes de-computadores-tipos-de-redesLeonardo Bruno
 
Redes de computadores
Redes de computadoresRedes de computadores
Redes de computadoresJakson Silva
 
Curso de redes de computadores Parte 1
Curso de redes de computadores Parte 1Curso de redes de computadores Parte 1
Curso de redes de computadores Parte 1Djayllton Moraes
 
Mini curso redes_computadores
Mini curso redes_computadoresMini curso redes_computadores
Mini curso redes_computadoreselgi.elgi
 
Dispositivos de ligação dos componentes à rede
Dispositivos de ligação dos componentes à redeDispositivos de ligação dos componentes à rede
Dispositivos de ligação dos componentes à redeTaniabastos15
 
Conceito e estruturas de redes...
Conceito e estruturas de redes...Conceito e estruturas de redes...
Conceito e estruturas de redes...Alison Rodrigues
 

Mais procurados (20)

Introducao as rede de computadores
Introducao as rede de computadoresIntroducao as rede de computadores
Introducao as rede de computadores
 
Noções de redes de computadores
Noções de redes de computadoresNoções de redes de computadores
Noções de redes de computadores
 
Redes lan
Redes lanRedes lan
Redes lan
 
Tecnologias De Redes De Computadores
Tecnologias De Redes De ComputadoresTecnologias De Redes De Computadores
Tecnologias De Redes De Computadores
 
Infraestrutura e Componentes de Redes de Dados
Infraestrutura e Componentes de Redes de DadosInfraestrutura e Componentes de Redes de Dados
Infraestrutura e Componentes de Redes de Dados
 
Redes1
Redes1Redes1
Redes1
 
Hardware e redes de computadores (Componente, tipos de redes e topologias)
Hardware e redes de computadores (Componente, tipos de redes e topologias)Hardware e redes de computadores (Componente, tipos de redes e topologias)
Hardware e redes de computadores (Componente, tipos de redes e topologias)
 
Apostila Digital
Apostila DigitalApostila Digital
Apostila Digital
 
Aula 5 - Redes de computadores
Aula 5 - Redes de computadoresAula 5 - Redes de computadores
Aula 5 - Redes de computadores
 
Rede de computadores
Rede de computadoresRede de computadores
Rede de computadores
 
Redes de Computadores
Redes de ComputadoresRedes de Computadores
Redes de Computadores
 
O que é uma rede informática
O que é uma rede informáticaO que é uma rede informática
O que é uma rede informática
 
Apresentaçao Final De Redes
Apresentaçao Final De RedesApresentaçao Final De Redes
Apresentaçao Final De Redes
 
Introducao a Redes de Computadores
Introducao a Redes de ComputadoresIntroducao a Redes de Computadores
Introducao a Redes de Computadores
 
Redes de-computadores-tipos-de-redes
Redes de-computadores-tipos-de-redesRedes de-computadores-tipos-de-redes
Redes de-computadores-tipos-de-redes
 
Redes de computadores
Redes de computadoresRedes de computadores
Redes de computadores
 
Curso de redes de computadores Parte 1
Curso de redes de computadores Parte 1Curso de redes de computadores Parte 1
Curso de redes de computadores Parte 1
 
Mini curso redes_computadores
Mini curso redes_computadoresMini curso redes_computadores
Mini curso redes_computadores
 
Dispositivos de ligação dos componentes à rede
Dispositivos de ligação dos componentes à redeDispositivos de ligação dos componentes à rede
Dispositivos de ligação dos componentes à rede
 
Conceito e estruturas de redes...
Conceito e estruturas de redes...Conceito e estruturas de redes...
Conceito e estruturas de redes...
 

Destaque

Aula 1 - Redes de Computadores A - Conceitos Básicos.
Aula 1 - Redes de Computadores A - Conceitos Básicos.Aula 1 - Redes de Computadores A - Conceitos Básicos.
Aula 1 - Redes de Computadores A - Conceitos Básicos.Filipo Mór
 
Apresentação de Redes
Apresentação de RedesApresentação de Redes
Apresentação de RedesCDP_Online
 
Fundamentos de Redes de Computadores parte 1
Fundamentos de Redes de Computadores parte 1Fundamentos de Redes de Computadores parte 1
Fundamentos de Redes de Computadores parte 1Ricardo Pinheiro
 
Introdução a Redes de computadores
Introdução a Redes de computadoresIntrodução a Redes de computadores
Introdução a Redes de computadoresAlison Rodrigues
 
Aula 01 introdução a redes - apresentação e introdução
Aula 01   introdução a redes - apresentação e introduçãoAula 01   introdução a redes - apresentação e introdução
Aula 01 introdução a redes - apresentação e introduçãoRobson Ferreira
 
Topologias Fisicas de rede
Topologias Fisicas de redeTopologias Fisicas de rede
Topologias Fisicas de redediogoaaf
 
Topologias De Rede
Topologias De RedeTopologias De Rede
Topologias De RedeMauro
 
Uma Abordagem Paralela da Evolução Diferencial em GPU
Uma Abordagem Paralela da Evolução Diferencial em GPUUma Abordagem Paralela da Evolução Diferencial em GPU
Uma Abordagem Paralela da Evolução Diferencial em GPUFilipo Mór
 
Equipamentos Passivos De Rede
Equipamentos Passivos De RedeEquipamentos Passivos De Rede
Equipamentos Passivos De Redeteixeiraafm1
 
Redes de computadores – abrangências geográfica
Redes de computadores – abrangências geográficaRedes de computadores – abrangências geográfica
Redes de computadores – abrangências geográficaAnaRitaFerreiraPereira
 
Componentes de uma Rede de computadores
Componentes de uma Rede de computadoresComponentes de uma Rede de computadores
Componentes de uma Rede de computadoresFelipe Silva
 
Equipamentos de redes de computadores
Equipamentos de redes de computadoresEquipamentos de redes de computadores
Equipamentos de redes de computadoresVinicius de Melo
 

Destaque (19)

Aula 1 - Redes de Computadores A - Conceitos Básicos.
Aula 1 - Redes de Computadores A - Conceitos Básicos.Aula 1 - Redes de Computadores A - Conceitos Básicos.
Aula 1 - Redes de Computadores A - Conceitos Básicos.
 
Componentes de uma rede
Componentes de uma rede   Componentes de uma rede
Componentes de uma rede
 
Apresentação de Redes
Apresentação de RedesApresentação de Redes
Apresentação de Redes
 
Fundamentos de Redes de Computadores parte 1
Fundamentos de Redes de Computadores parte 1Fundamentos de Redes de Computadores parte 1
Fundamentos de Redes de Computadores parte 1
 
Introdução a Redes de computadores
Introdução a Redes de computadoresIntrodução a Redes de computadores
Introdução a Redes de computadores
 
Aula 01 introdução a redes - apresentação e introdução
Aula 01   introdução a redes - apresentação e introduçãoAula 01   introdução a redes - apresentação e introdução
Aula 01 introdução a redes - apresentação e introdução
 
Redes de Computadores - Modelo de Referência OSI/ISO
Redes de Computadores - Modelo de Referência OSI/ISORedes de Computadores - Modelo de Referência OSI/ISO
Redes de Computadores - Modelo de Referência OSI/ISO
 
Topologias Fisicas de rede
Topologias Fisicas de redeTopologias Fisicas de rede
Topologias Fisicas de rede
 
Projeto de Rede Local (LAN)
Projeto de Rede Local (LAN)Projeto de Rede Local (LAN)
Projeto de Rede Local (LAN)
 
Projeto de redes
Projeto de redesProjeto de redes
Projeto de redes
 
Topologias De Rede
Topologias De RedeTopologias De Rede
Topologias De Rede
 
Uma Abordagem Paralela da Evolução Diferencial em GPU
Uma Abordagem Paralela da Evolução Diferencial em GPUUma Abordagem Paralela da Evolução Diferencial em GPU
Uma Abordagem Paralela da Evolução Diferencial em GPU
 
Redes de computadores
Redes de computadoresRedes de computadores
Redes de computadores
 
Redes de dados
Redes de dadosRedes de dados
Redes de dados
 
Topologia de Redes
Topologia de RedesTopologia de Redes
Topologia de Redes
 
Equipamentos Passivos De Rede
Equipamentos Passivos De RedeEquipamentos Passivos De Rede
Equipamentos Passivos De Rede
 
Redes de computadores – abrangências geográfica
Redes de computadores – abrangências geográficaRedes de computadores – abrangências geográfica
Redes de computadores – abrangências geográfica
 
Componentes de uma Rede de computadores
Componentes de uma Rede de computadoresComponentes de uma Rede de computadores
Componentes de uma Rede de computadores
 
Equipamentos de redes de computadores
Equipamentos de redes de computadoresEquipamentos de redes de computadores
Equipamentos de redes de computadores
 

Semelhante a Elementos de um Sistema Aberto de Automação e Redes de Computadores

Semelhante a Elementos de um Sistema Aberto de Automação e Redes de Computadores (20)

Apostila.de.redes. .cabeamento.e.estruturado
Apostila.de.redes. .cabeamento.e.estruturadoApostila.de.redes. .cabeamento.e.estruturado
Apostila.de.redes. .cabeamento.e.estruturado
 
Sistema Computacao Revisao 1
Sistema Computacao Revisao 1Sistema Computacao Revisao 1
Sistema Computacao Revisao 1
 
Rct 2 - redes de computadores e a internet
Rct   2 - redes de computadores e a internetRct   2 - redes de computadores e a internet
Rct 2 - redes de computadores e a internet
 
Redes de computadores
Redes de computadoresRedes de computadores
Redes de computadores
 
AULA DO DIA SEGUNDO DIA.pptx
AULA DO DIA SEGUNDO DIA.pptxAULA DO DIA SEGUNDO DIA.pptx
AULA DO DIA SEGUNDO DIA.pptx
 
Configurando o xp em rede
Configurando o xp em redeConfigurando o xp em rede
Configurando o xp em rede
 
Redes 1
Redes 1Redes 1
Redes 1
 
Redes osi
Redes osiRedes osi
Redes osi
 
Introdução rede- I unidade
Introdução rede- I unidadeIntrodução rede- I unidade
Introdução rede- I unidade
 
Criação de uma rede
Criação de uma redeCriação de uma rede
Criação de uma rede
 
Tecnologia Dr4 Stc Marco1
Tecnologia Dr4 Stc Marco1Tecnologia Dr4 Stc Marco1
Tecnologia Dr4 Stc Marco1
 
Internet
InternetInternet
Internet
 
Html - capitulo 01
Html - capitulo 01Html - capitulo 01
Html - capitulo 01
 
ApresentaçAo Final De Redes
ApresentaçAo Final De RedesApresentaçAo Final De Redes
ApresentaçAo Final De Redes
 
Tecnologia Dr4 Stc Marco
Tecnologia Dr4 Stc MarcoTecnologia Dr4 Stc Marco
Tecnologia Dr4 Stc Marco
 
Internet
InternetInternet
Internet
 
Gv redes industriais
Gv redes industriaisGv redes industriais
Gv redes industriais
 
Rct 4 - modelos e arquiteturas de rede - internet e tcp ip
Rct   4 - modelos e arquiteturas de rede - internet e tcp ipRct   4 - modelos e arquiteturas de rede - internet e tcp ip
Rct 4 - modelos e arquiteturas de rede - internet e tcp ip
 
Tecnologias de informação e comunicação
Tecnologias de informação e comunicaçãoTecnologias de informação e comunicação
Tecnologias de informação e comunicação
 
Tecnologias de informação e comunicação
Tecnologias de informação e comunicaçãoTecnologias de informação e comunicação
Tecnologias de informação e comunicação
 

Último

Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoGametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoCelianeOliveira8
 
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdfTIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdfmarialuciadasilva17
 
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptxOrientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptxJMTCS
 
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaA Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaFernanda Ledesma
 
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao  bullyingMini livro sanfona - Diga não ao  bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao bullyingMary Alvarenga
 
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptxQUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptxAntonioVieira539017
 
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbyasminlarissa371
 
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024GleyceMoreiraXWeslle
 
CRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURA
CRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURACRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURA
CRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURADouglasVasconcelosMa
 
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxBaladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxacaciocarmo1
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...LuizHenriquedeAlmeid6
 
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdfO Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdfQueleLiberato
 
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdforganizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdfCarlosRodrigues832670
 
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxAULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxGislaineDuresCruz
 
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona  - Povos Indigenas BrasileirosMini livro sanfona  - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona - Povos Indigenas BrasileirosMary Alvarenga
 
atividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãoatividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãodanielagracia9
 
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...Unidad de Espiritualidad Eudista
 
Prova de Empreendedorismo com gabarito.pptx
Prova de Empreendedorismo com gabarito.pptxProva de Empreendedorismo com gabarito.pptx
Prova de Empreendedorismo com gabarito.pptxJosAurelioGoesChaves
 
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptxSlides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 

Último (20)

Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoGametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
 
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdfTIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
 
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptxOrientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
 
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaA Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
 
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao  bullyingMini livro sanfona - Diga não ao  bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
 
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptxQUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
 
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
 
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
 
CRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURA
CRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURACRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURA
CRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURA
 
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxBaladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
 
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
 
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdfO Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
 
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdforganizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
 
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxAULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
 
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona  - Povos Indigenas BrasileirosMini livro sanfona  - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
 
atividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãoatividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetização
 
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
 
Prova de Empreendedorismo com gabarito.pptx
Prova de Empreendedorismo com gabarito.pptxProva de Empreendedorismo com gabarito.pptx
Prova de Empreendedorismo com gabarito.pptx
 
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptxSlides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
 

Elementos de um Sistema Aberto de Automação e Redes de Computadores

  • 1. Elementos de um Sistema Aberto de Automação REDES DE COMPUTADORES Estágios da Informatização Empresas com larga experiência em informática, que utilizavam computadores de grande porte e passaram a utilizar microcomputadores ; Empresas que começaram a se informatizar já utilizando microcomputadores e nunca tiveram experiência com máquinas de outro porte. Empresas que só agora iniciam seu processo de informatização
  • 2. Redes Em seu nível mais elementar, uma rede consiste em dois computadores conectados um ao outro por um cabo para que possam compartilhar dados. Todas as redes, não importa o grau de complexidade, derivam desse sistema simples. Se a idéia de dois computadores conectados não parece extraordinária, no passado representou uma grande conquista nas comunicações. Cont. As Redes surgiram da necessidade de compartilhar dados em tempo hábil. Os computadores pessoais são ferramentas de trabalho ótimas para produzir dados, gráficos e outros tipos de informação, mas não possibilitam que você compartilhe rapidamente os dados que criou.
  • 3. Cont. Sem uma rede, os documentos devem ser impressos para que outras pessoas possam modifica-los ou utilizá-los. Na melhor das hipóteses, você entrega os arquivos em disquetes para que outras pessoas copiem em seus computadores. Se fizerem modificações no documento, não há como mescla-las. Isto era, e ainda é, conhecido como trabalhar em ambiente autônomo. Ambiente Autônomo
  • 4. Cont. Se ao invés de trabalharmos sozinhos, pudéssemos compartilhar os dados dos outros computadores e as impressoras estaríamos formando um conjunto de computadores e outros dispositivos conectados juntos. A isso chama-se REDE, assim como o conceito de computadores compartilhando os recursos. Os computadores que fazem parte de uma rede podem compartilhar: Dados Mensagens Gráficos Impressoras Aparelhos de fax Modems Outros recursos de Hardware
  • 5. Redes Locais As redes começaram pequenas, com até dez computadores conectados a uma impressora. A tecnologia limitou o tamanho da rede, incluindo o número de computadores conectados, assim como a distância física que poderia ser abrangida pela rede. Cont. Por exemplo, no início dos anos 80, o método mais popular (comum) de cabeamento possibilitaria cerca de 30 usuários em uma extensão máxima de cabo de pouco mais de 180 metros. Esse tipo de rede deveria estar em um único andar de um prédio ou em uma empresa pequena.
  • 6. Cont. Atualmente, para empresas muito pequenas, essa configuração ainda é adequada. Esse tipo de rede, dentro de uma área limitada, chama-se rede local (LAN). A medida que o alcance geográfico da rede aumenta com a conexão de usuários em cidades ou estados diferentes, a LAN torna-se uma rede de longa distância (MAN, WAN). O número de usuário agora pode aumentar de Dez para Milhares. Podemos então classificar as redes locais em três tipos: LAN - Local área Network (Abrangência no espaço físico de um ou mais prédios). MAN - Metropolitan área Network (Abrangência no espaço físico de uma cidade). WAN - Wide área Network (Abrangência no espaço de vários municípios ou países).
  • 7. Componentes da rede Local Estações de Trabalho (Clientes e servidores de Rede) Placas e Cabos Protocolos Por que usar Redes? As redes possibilitam que várias pessoas compartilhem tanto dados como periféricos simultaneamente. As redes podem reduzir a necessidade de comunicação escrita e tornar disponíveis praticamente todos os tipos de dados para todos os usuários que deles precisarem.
  • 8. Cont. Antes de existir as redes, as pessoas que queriam compartilhar informações estavam limitadas a: Contar as informações uma para outras (comunicação oral). Escrever memorandos Colocar a informação em um disquete, levá-lo fisicamente para outro computador e, depois, copiar os dados naquele computador. Protocolos
  • 9. Conceito Protocolos são regras e procedimentos para comunicação. Por exemplo, diplomatas de um país aderem ao protocolo para se orientarem na interação com diplomatas de outros países. A utilização das regras de comunicação aplica-se da mesma maneira no ambiente de computadores. Cont. Quando diversos computadores estão interligados em rede, as regras e procedimentos técnicos que administram sua comunicação e interação são chamados de protocolos.
  • 10. Como os protocolos trabalham? Toda a operação técnica de transmissão de dados através da rede precisa ser dividida em etapas sistemáticas distintas. A cada etapa, ocorrem certas ações que não podem ocorrer em nenhuma outra etapa. Cada etapa tem suas próprias regras e procedimentos, ou Protocolos. As etapas devem ser realizadas em uma ordem consistente, que seja igual em todos os computadores da rede. Tipos de Protocolos NetBEUI IPX/SPX TCP/IP
  • 11. NetBEUI É um protocolo rápido e eficiente. As vantagens do NetBEUI são a sua velocidade de transferência de dados na mídia da rede e sua compatibilidade com todas as redes baseadas em Microsoft. A maior desvantagem é que ele se limita ás redes baseadas em Microsoft. IPX/SPX É o protocolo utilizado para possibilitar a conexão do seu computador com servidores de rede Novell.
  • 12. TCP/IP Protocolo de Controle de Transmissão/Protocolo Internet ( TCP/IP ) Tornou-se o protocolo padrão utilizado para interoperabilidade entre muitos tipos diferentes de computadores. Essa interoperabilidade é uma das vantagens principais do TCP/IP. Cont. Quase todas as redes suportam o TCP/IP como protocolo. O TCP/IP é normalmente utilizado como o protocolo de interconexão de rede. Devido á sua popularidade, o TCP/IP tornou-se o verdadeiro padrão (padrão de facto) para interconexão de rede.
  • 13. Tipos de Servidores Servidores?? A maior parte das redes possui um servidor dedicado. Um servidor dedicado é aquele que funciona apenas como servidor e não é utilizado como estação de trabalho ou cliente.
  • 14. Cont. Os servidores são “dedicados” porque são otimizados para processar rapidamente as requisições dos clientes da rede e para garantir a segurança dos arquivos e pastas. As redes baseadas em servidor tornaram-se o modelo para a comunicação de rede. Servidores especializados Conforme o tamanho e o tráfego das redes aumentam, mais de um servidor na rede é necessário. A distribuição de tarefas entre vários servidores garante que cada tarefa seja desempenhada da maneira mais eficiente possível.
  • 15. Servidores de Arquivos e Impressão Os servidores de arquivo e impressão gerenciam o acesso do usuário e a utilização dos recursos de arquivos e impressora. Os servidores de arquivos e impressão destinam-se ao armazenamento de arquivos e de dados. Servidores de Aplicativos Com um servidor de arquivo e impressão, os dados ou o arquivo são carregados para o computador que fez a requisição. Com um servidor de aplicativo, o banco de dados fica no servidor e apenas os resultados requeridos são carregados no computador que fez a requisição.
  • 16. Servidores de Correio Os servidores de correio gerenciam mensagens entre os usuários da rede. Servidores de Fax Os servidores de Fax gerenciam o tráfego de fax para dentro e para fora da rede, compartilhando uma o mais placas de fax modem.
  • 17. Servidores de Comunicação Os servidores de comunicação manipulam o fluxo de dados e as mensagens de correio eletrônico entre a própria rede do servidor e outras redes Rede Peer To Peer (Ponto a Ponto) Em uma rede peer-to-peer, não existem servidores dedicados ou hierarquia entre os computadores. Todos os computadores são iguais e, portanto chamados pares. Normalmente cada computador funciona tanto como cliente quanto como servidor, e nenhum deles é designado para ser um administrador responsável por toda rede. O usuário determina quais os dados são compartilhados.
  • 18. Topologias Topologias de Rede A Topologia de uma rede define a forma como as estações (Computadores) estão fisicamente distribuídas ; A topologia física é a descrição da rota utilizada pelos cabos da rede para interligar os nós.
  • 19. Topologia em Estrela Na topologia de estrela, os computadores são conectados por segmentos de cabo a um componente centralizado chamado Hub. Os sinais são transmitidos a partir do computador que está enviando através do hub até os computadores na rede. Esta topologia iniciou-se nos primórdios da computação, com os computadores conectados a um computador centralizado. Topologia em Estrela Caracterizada por apresentar, a figura de um ponto centralizador , o responsável pelo roteamento das informações. Neste tipo de rede as informações são transmitidas de um ponto, tendo que passar obrigatoriamente pelo computador servidor. Todos os pontos desta rede participam do processo de centralização de informações assim como de distribuição de trabalhos.
  • 20. Topologia em Estrela Topologia em Anel A topologia de anel conecta os computadores em um único círculo de cabos. Não há extremidades terminadas. Os sinais viajam pelo anel em uma direção e passam através de cada computador. Ao contrário da topologia de barramento passiva, cada computador atua como um repetidor para amplificar o sinal e enviá-lo para o seguinte. Como o sinal passa através de todos os computadores, a falha em um computador pode ter impacto sobre toda rede.
  • 21. Topologia em Anel Elimina a figura de um ponto centralizador , o responsável pelo roteamento das informações. Neste tipo de rede as informações são transmitidas de um ponto a outro da rede até alcançar o ponto destinatário. Todos os ponto desta rede participam do processo de transmissão de uma informação. Se houver a quebra de um dos pontos a rede é interrompida. Topologia em Anel
  • 22. Topologia em Barramento A topologia de barramento também é conhecida como barramento linear. Este é o método mais simples e comum de conectar os computadores em rede. Consiste em um único cabo, chamado tronco (backbone ou segmento), que conecta todos os computadores da rede em uma linha única. Topologia em Barramento Permite o maior número de terminais ligados a rede, e todos os terminais são ligados a um cabo principal. Deste modo uma informação poderá ser enviada para um terminal ou para todos simultaneamente. Os pontos da rede não participam do processo de transmissão de dados. Este tipo de topologia é bastante utilizados em grandes sistemas de teleprocessamento.
  • 23. Topologia em Barramento Comparação Tipos de Topologias Pontos Positivos Pontos Negativos Estrela - Mais tolerante a falhas - Maior custo de - Fácil de instalar usuários instalação - Monitoramento centralizado Anel - Razoavelmente fácil de Se uma estação (Token Ring) instalar para as outras - Desempenho uniforme também param - Requer menos cabos Barramento - Simples e fácil de instalar A rede fica mais - Requer menos cabos lenta em - Fácil de entender períodos de uso intenso
  • 24. Cabeamentos Cabo Coaxial Em certa época, o cabo coaxial foi o tipo de cabeamento de rede mais amplamente utilizado. É composto de um condutor interno circundado por um material isolante e por uma malha de blindagem. Devido às suas características, suporta taxas de transmissão mais altas, alcançando tipicamente 10 megabits por segundo em distância de ordem de 1km. O cabo coaxial tem uma imunidade a ruído bem melhor que o par traçado, mas seu custo é mais elevado. Adapta-se a qualquer t l i
  • 25. Cabo de Par Trançado É constituído de dois fios enrolados em espiral. As taxas de transmissão neste tipo de meio podem chegar a até alguns poucos megabits por segundo, dependendo da distância entre os extremos, técnica de transmissão e qualidade do cabo. O par traçado é bastante susceptível a ruídos e interferência, mas é o meio que tem menor custo por comprimento. A ligação de nós é extremamente simples, reduzindo ainda mais o custo da utilização. Fibra Ótica Uma fibra ótica consiste de um filamento, através do qual é transmitido um sinal luminoso que transporta a informação, de forma codificada. A fibra ótica é imune à interferência eletromagnética. O cabo de fibra ótica é apropriado para transmissão de dados a grande velocidade e alta capacidade, devido a ausência de atenuação e à pureza do sinal. É o mais caro de todos, atinge taxas de quase centenas de gibabits por segundo, transmitindo dados, voz e imagem.
  • 26. Padrões de Rede Ethernet Pode ser utilizada com a topologia barramento (coaxial) ou estrela (par trançado ) Utiliza o método de acesso CSMA/CD (Carrier Sense Multiple Access with Colision Detection) Token Ring Utiliza o método circular para verificar qual estação tem permissão para transmitir ; Opera em Topologia de Anel e garante que todas as estações da rede tenham chance de transmitir dados
  • 27. Isso é garantido pois ele utiliza um padrão especial de bit conhecido como “token” ou permissão ;