SlideShare uma empresa Scribd logo
Faculdade de Ciências Humanas, Saúde, Exatas e Jurídicas
de Teresina
Curso: Ciência da Computação
Período: 5º - Manhã
Disciplina: Rede de Computadores
Docente: Raimundo Neto
Discentes:Gleykyson Lucas
Luís Fellipe
Marcelo Kelle
Matias Romário
Copyright 2013.2
1. Introdução
2. Características
3. Vantagens e Desvantagens
4. Classificação
5. Cabo Coaxial Fino
6. Cabo Coaxial Grosso
7. Montagem de Cabos Thin Ethernet
8. Conclusão
9. Referências
Cabo Coaxial
condutor
isolador
blindagem
capa
 O cabo coaxial foi o primeiro cabo disponível no
mercado, e era até a alguns anos atrás o meio de
transmissão mais moderno que existia em termos de
transporte de bits.
 O cabo coaxial mantém uma capacidade constante e
baixa, o que lhe permite suportar velocidades da ordem
de megabits/segundo.
 A forma de construção do cabo coaxial lhe oferece uma
boa combinação de alta banda passante e excelente
imunidade a ruído.
 A figura abaixo mostra os componentes utilizados nas
conexões com cabosThin Ethernet. Os conectores ”T”
são acoplados ao conector BNC da placa de rede, e nele
são conectados os cabos que ligam o PC aos seus
vizinhos.
 Algumas vantagens do cabo coaxial: baixos custos de
implementação, topologia simples de implementar,
resistência à ruídos e interferências.
 Algumas desvantagens do cabo coaxial: distâncias
limitadas, baixo nível de segurança, dificuldade em fazer
grandes mudanças na topologia da rede.
 Dois tipos de cabo coaxial são bastante utilizados:
 Coaxial fino (Thin Ethernet - 10Base2)
 Coaxial grosso (Thick Ethernet - 10Base5)
 Existem cabos com impedância de 50 Ohms, 93 Ohms,
95 Ohms, 100 Ohms.
 Características físicas e dimensionais de alguns cabos
existentes no mercado.
Impedância Referência Aplicação
50 Ohms
RG-58 (Cheapernet) Expancel sistemasVHF/UHF
RG-58 (Cheapernet)
rede Ethernet, com cabo
coaxial fino
RG-08 (Ethernet)
rede Ethernet, com cabo coaxial
grosso
RG-213
sistemasVHF/UHF, informática,
telefonia
RG-62A/U
terminais de computadores,
teleinformática (uso interno)
93 Ohms RG E-62
terminais de computadores,
teleinformática (uso externo)
95 Ohms Multicoaxial 20 Condutores
conexão de terminais de
computadores à controladora,
CPD na conexão de módulos
digitais
100 Ohms Twinaxial 20AWG x 1P
terminais de computadores
AS400(IBM)
 Conhecido como cabo coaxial banda base ou 10Base2,
é o meio mais utilizado em redes locais.
 A topologia mais utilizada é a topologia em barra.
 Sua instalação é facilitada devido ao fato de que o
cabo coaxial fino é mais maleável.
 Possui maior imunidade a ruídos eletromagnéticos de
baixa frequência do que o cabo grosso.
Características Técnicas
Impedância 50 Ohms
Tamanho máximo de segmento 185m
Tamanho mínimo de segmento 0,5m
Número máximo de segmentos 5
Tamanho máximo total 925m
Tamanho máximo sem repetidores 300m
Capacidade 30 equipamentos/segmento
Acesso ao meio CSMA/CD
Taxas de transmissão de dados 1 a 50 Mbps (depende do tamanho do cabo)
Modo de transmissão Half-Duplex - Código Manchester
Transmissão por pulsos de corrente contínua
Imunidade EMI/RFI 50 dB
Conector conectorT
 Conhecido como cabo coaxial de banda larga ou
10Base5 ou "Mangueira de jardim amarela".
 Em redes locais, a banda é dividida em dois canais ou
caminhos:
 caminho de transmissão (Inbound);
 caminho de recepção (Outbound).
 É muito utilizado para aplicações em redes locais com
integração de serviços de dados, voz e imagens.
 Sua instalação requer prática e pessoal especializado.
 Necessita de amplificadores analógicos periódicos, que
transmitem o sinal num único sentido, assim, um
computador que envia um pacote não será capaz de
alcançar os computadores a montante dele se houver
um amplificador entre eles.
 Para solucionar este problema foram criados os
sistemas com cabo único e com cabo duplo.
 No cabo duplo, toda transmissão é feita no cabo 1 e
toda recepção ocorre no cabo 2.
 No cabo único, é alocado bandas diferentes de
frequência para comunicação, entrando e saindo por
um único cabo.
Características Técnicas
Impedância 75 Ohms
Atenuação
em 500m de cabo não exceder 8,5dB medido a 10MHz ou
6,0dB medido a 5MHz
Velocidade de propagação 0,77c (c = velocidade da luz no vácuo)
Tamanho máximo segmento 500m
Tamanho mínimo de segmento 2,5m
Número máximo de segmentos 5
Tamanho máximo total 2500m
Tamanho máximo recomendado múltiplos de 23,4-70,2 ou 117m
Capacidade 1500 canais com 1 ou mais equipamentos por canal
Acesso ao meio FDM
Taxas de transmissão de dados 100 a 150 Mbps (depende do tamanho do cabo)
Modo de transmissão Full-Duplex
Transmissão por variação em sinal de frequência de rádio
Imunidade EMI/RFI 85 dB
Conector
tipo derivador Vampiro e utiliza transceptores (detecta a
portadora elétrica do cabo)
 O conector BNC é vendido desmontado.
 Um pino central deve ser fixado no condutor mais
interno do cabo. A parte maior do conector fará
contato com a blindagem externa. Uma peça metálica
adicional firmará o cabo no conector.
 Corte o cabo e introduza-o no anel metálico.A seguir
desencape o cabo usando a ferramenta apropriada.
Note que o cabo coaxial RG58 é formado por quatro
camadas, de dentro para fora:
 Condutor intero
 Isolador plástico
 Malha condutora externa
 Capa plástica
 Observe que o tubo metálico externo, a esta altura já
posicionado no cabo, ficará sobre a sua capa plástica
externa. Já a extremidade do conector BNC, mostrada
na figura a seguir, deverá ficar sob a malha condutora
do cabo.
 Corte o excesso da malha externa e junte o tubo
metálico ao conector. Use o alicate crimpador para
prender este tubo ao conector.
 Exemplo de montagem
 Atualmente não se montam redes usando cabos coaxiais,
já que caíram em desuso. Mas é possível que se precise
dar manutenção nessas redes, o que inclui a confecção de
cabos.
 Rede de Computadores – Cabo Coaxial
<http://www.nti.ufpb.br/~beti/pag-redes/cabos.htm>
<http://www.hardware.com.br/livros/hardware-manual/cabo-
coaxial.html>
<http://pt.wikipedia.org/wiki/Cabo_coaxial>
<http://mais23-hardware.forum-livre.com/t8-o-que-e-um-cabo-
coaxial>
<http://www.youtube.com/watch?v=AAWkrYvWptY>
 Acesso em: 26 nov. 2012, 16:30:00.
Faculdade de Ciências Humanas, Saúde, Exatas e Jurídicas
de Teresina
Curso: Ciência da Computação
Período: 5º - Manhã
Disciplina: Rede de Computadores
Docente: Raimundo Neto
Discentes:Gleykyson Lucas – gleykyson_ok@hotmail.com
Luís Fellipe – lipecastro@hotmail.com
Marcelo Kelle – marcelo_kcs@hotmail.com
Matias Romário – matiaromario@hotmail.com
Copyright 2013.2

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

A importância dos meios físicos de transmissão
A importância dos meios físicos de transmissãoA importância dos meios físicos de transmissão
A importância dos meios físicos de transmissão
H P
 
Meios de transmissão metálicos
Meios de transmissão metálicosMeios de transmissão metálicos
Meios de transmissão metálicos
Suguha
 
Meios de transmissao
Meios de transmissaoMeios de transmissao
Meios de transmissao
Nikoameer
 
Protocolos de Redes
Protocolos de RedesProtocolos de Redes
Protocolos de Redes
Wellington Oliveira
 
FIBRA ÓPTICA
FIBRA ÓPTICA FIBRA ÓPTICA
FIBRA ÓPTICA
WELLINGTON MARTINS
 
Redes de-computadores-tipos-de-redes
Redes de-computadores-tipos-de-redesRedes de-computadores-tipos-de-redes
Redes de-computadores-tipos-de-redes
Leonardo Bruno
 
Aula 04: Meios de transmissão
Aula 04: Meios de transmissãoAula 04: Meios de transmissão
Aula 04: Meios de transmissão
Nilson Mori
 
Simplex, Half-Duplex e Full-Duplex
Simplex, Half-Duplex e Full-DuplexSimplex, Half-Duplex e Full-Duplex
Simplex, Half-Duplex e Full-Duplex
Yohana Alves
 
Arquitetura de Redes de Computadores
 Arquitetura de Redes de Computadores Arquitetura de Redes de Computadores
Arquitetura de Redes de Computadores
Ana Julia F Alves Ferreira
 
49778140 projeto-de-rede
49778140 projeto-de-rede49778140 projeto-de-rede
49778140 projeto-de-rede
Marco Guimarães
 
Cabos de rede
Cabos de redeCabos de rede
Cabos de rede
Pedro Canteiro
 
Fibras opticas
Fibras opticasFibras opticas
Fibras opticas
Josué D'Castro
 
Apostila Atualizada de Fibra óptica FTTH FTTX GPON
Apostila Atualizada de Fibra óptica  FTTH FTTX GPONApostila Atualizada de Fibra óptica  FTTH FTTX GPON
Apostila Atualizada de Fibra óptica FTTH FTTX GPON
WELLINGTON MARTINS
 
Ficha de trabalho equipamento passivo de rede
Ficha de trabalho equipamento passivo de redeFicha de trabalho equipamento passivo de rede
Ficha de trabalho equipamento passivo de rede
nunesgilvicente
 
Redes de Computadores
Redes de ComputadoresRedes de Computadores
Redes de Computadores
Fábio Eliseu
 
Aula 1: Conceitos de redes sem fio
Aula 1: Conceitos de redes sem fioAula 1: Conceitos de redes sem fio
Aula 1: Conceitos de redes sem fio
camila_seixas
 
Largura de banda
Largura de bandaLargura de banda
Largura de banda
Fraan Bittencourt
 
Estrutura Fisica De Redes Parte I
Estrutura Fisica De Redes  Parte IEstrutura Fisica De Redes  Parte I
Estrutura Fisica De Redes Parte I
Sergio Gomes Ferreira
 
Curso básico fibras óticas módulo1-teoria
Curso básico fibras óticas módulo1-teoriaCurso básico fibras óticas módulo1-teoria
Curso básico fibras óticas módulo1-teoria
WELLINGTON MARTINS
 
Cabos De Rede
Cabos De RedeCabos De Rede
Cabos De Rede
hallogui
 

Mais procurados (20)

A importância dos meios físicos de transmissão
A importância dos meios físicos de transmissãoA importância dos meios físicos de transmissão
A importância dos meios físicos de transmissão
 
Meios de transmissão metálicos
Meios de transmissão metálicosMeios de transmissão metálicos
Meios de transmissão metálicos
 
Meios de transmissao
Meios de transmissaoMeios de transmissao
Meios de transmissao
 
Protocolos de Redes
Protocolos de RedesProtocolos de Redes
Protocolos de Redes
 
FIBRA ÓPTICA
FIBRA ÓPTICA FIBRA ÓPTICA
FIBRA ÓPTICA
 
Redes de-computadores-tipos-de-redes
Redes de-computadores-tipos-de-redesRedes de-computadores-tipos-de-redes
Redes de-computadores-tipos-de-redes
 
Aula 04: Meios de transmissão
Aula 04: Meios de transmissãoAula 04: Meios de transmissão
Aula 04: Meios de transmissão
 
Simplex, Half-Duplex e Full-Duplex
Simplex, Half-Duplex e Full-DuplexSimplex, Half-Duplex e Full-Duplex
Simplex, Half-Duplex e Full-Duplex
 
Arquitetura de Redes de Computadores
 Arquitetura de Redes de Computadores Arquitetura de Redes de Computadores
Arquitetura de Redes de Computadores
 
49778140 projeto-de-rede
49778140 projeto-de-rede49778140 projeto-de-rede
49778140 projeto-de-rede
 
Cabos de rede
Cabos de redeCabos de rede
Cabos de rede
 
Fibras opticas
Fibras opticasFibras opticas
Fibras opticas
 
Apostila Atualizada de Fibra óptica FTTH FTTX GPON
Apostila Atualizada de Fibra óptica  FTTH FTTX GPONApostila Atualizada de Fibra óptica  FTTH FTTX GPON
Apostila Atualizada de Fibra óptica FTTH FTTX GPON
 
Ficha de trabalho equipamento passivo de rede
Ficha de trabalho equipamento passivo de redeFicha de trabalho equipamento passivo de rede
Ficha de trabalho equipamento passivo de rede
 
Redes de Computadores
Redes de ComputadoresRedes de Computadores
Redes de Computadores
 
Aula 1: Conceitos de redes sem fio
Aula 1: Conceitos de redes sem fioAula 1: Conceitos de redes sem fio
Aula 1: Conceitos de redes sem fio
 
Largura de banda
Largura de bandaLargura de banda
Largura de banda
 
Estrutura Fisica De Redes Parte I
Estrutura Fisica De Redes  Parte IEstrutura Fisica De Redes  Parte I
Estrutura Fisica De Redes Parte I
 
Curso básico fibras óticas módulo1-teoria
Curso básico fibras óticas módulo1-teoriaCurso básico fibras óticas módulo1-teoria
Curso básico fibras óticas módulo1-teoria
 
Cabos De Rede
Cabos De RedeCabos De Rede
Cabos De Rede
 

Destaque

Cabos e conectores
Cabos e conectoresCabos e conectores
Cabos e conectores
Elisangela Paulino
 
Teoria slides - antenas e microondas
Teoria   slides - antenas e microondasTeoria   slides - antenas e microondas
Teoria slides - antenas e microondas
Diogo Edler Menezes
 
Par trançado e Fibra Optica
Par trançado e Fibra OpticaPar trançado e Fibra Optica
Par trançado e Fibra Optica
Anderson Zardo
 
Cabeamento 3 limitação de sinais nos meios de transmissão
Cabeamento 3   limitação de sinais nos meios de transmissãoCabeamento 3   limitação de sinais nos meios de transmissão
Cabeamento 3 limitação de sinais nos meios de transmissão
Paulo Fonseca
 
Transmissão de rádio terrestre e por satélite
Transmissão de rádio terrestre e por satéliteTransmissão de rádio terrestre e por satélite
Transmissão de rádio terrestre e por satélite
Márcio Bortolini dos Santos
 
Ondas no espaço - rádio
Ondas no espaço - rádioOndas no espaço - rádio
Ondas no espaço - rádio
pedrotiago1315
 
Meios Físicos de Comunicação-Microondas
Meios Físicos de Comunicação-MicroondasMeios Físicos de Comunicação-Microondas
Meios Físicos de Comunicação-Microondas
Hélder Batista
 
Redes 2 Cabo de par trançado
Redes 2 Cabo de par trançadoRedes 2 Cabo de par trançado
Redes 2 Cabo de par trançado
Cicero Roniel
 
80818966 livro-paulo-sergio-marin-cabeamento-estruturado-cap-1-2
80818966 livro-paulo-sergio-marin-cabeamento-estruturado-cap-1-280818966 livro-paulo-sergio-marin-cabeamento-estruturado-cap-1-2
80818966 livro-paulo-sergio-marin-cabeamento-estruturado-cap-1-2
Hilton Alves
 
Projeto de Rede Local (LAN)
Projeto de Rede Local (LAN)Projeto de Rede Local (LAN)
Projeto de Rede Local (LAN)
Ferramentas Didáticas
 
Normas de Cabeamento
Normas de CabeamentoNormas de Cabeamento
Normas de Cabeamento
Mary Kelly
 
Infraestrutura de Redes
Infraestrutura de RedesInfraestrutura de Redes
Infraestrutura de Redes
Leandro Machado
 
Apostila de infraestrutura de redes
Apostila de infraestrutura de redesApostila de infraestrutura de redes
Apostila de infraestrutura de redes
Josefran Ranniery
 

Destaque (13)

Cabos e conectores
Cabos e conectoresCabos e conectores
Cabos e conectores
 
Teoria slides - antenas e microondas
Teoria   slides - antenas e microondasTeoria   slides - antenas e microondas
Teoria slides - antenas e microondas
 
Par trançado e Fibra Optica
Par trançado e Fibra OpticaPar trançado e Fibra Optica
Par trançado e Fibra Optica
 
Cabeamento 3 limitação de sinais nos meios de transmissão
Cabeamento 3   limitação de sinais nos meios de transmissãoCabeamento 3   limitação de sinais nos meios de transmissão
Cabeamento 3 limitação de sinais nos meios de transmissão
 
Transmissão de rádio terrestre e por satélite
Transmissão de rádio terrestre e por satéliteTransmissão de rádio terrestre e por satélite
Transmissão de rádio terrestre e por satélite
 
Ondas no espaço - rádio
Ondas no espaço - rádioOndas no espaço - rádio
Ondas no espaço - rádio
 
Meios Físicos de Comunicação-Microondas
Meios Físicos de Comunicação-MicroondasMeios Físicos de Comunicação-Microondas
Meios Físicos de Comunicação-Microondas
 
Redes 2 Cabo de par trançado
Redes 2 Cabo de par trançadoRedes 2 Cabo de par trançado
Redes 2 Cabo de par trançado
 
80818966 livro-paulo-sergio-marin-cabeamento-estruturado-cap-1-2
80818966 livro-paulo-sergio-marin-cabeamento-estruturado-cap-1-280818966 livro-paulo-sergio-marin-cabeamento-estruturado-cap-1-2
80818966 livro-paulo-sergio-marin-cabeamento-estruturado-cap-1-2
 
Projeto de Rede Local (LAN)
Projeto de Rede Local (LAN)Projeto de Rede Local (LAN)
Projeto de Rede Local (LAN)
 
Normas de Cabeamento
Normas de CabeamentoNormas de Cabeamento
Normas de Cabeamento
 
Infraestrutura de Redes
Infraestrutura de RedesInfraestrutura de Redes
Infraestrutura de Redes
 
Apostila de infraestrutura de redes
Apostila de infraestrutura de redesApostila de infraestrutura de redes
Apostila de infraestrutura de redes
 

Semelhante a Rede de Computadores - Cabo Coaxial

Cabos conectores
Cabos conectoresCabos conectores
Cabos conectores
nunesgilvicente
 
Cabeamentos e conectores
Cabeamentos e conectores Cabeamentos e conectores
Cabeamentos e conectores
Tiago
 
Cabos conectores
Cabos conectoresCabos conectores
Cabos conectores
Luiz Carlos Müller
 
Aula - Cabeamentos
Aula - CabeamentosAula - Cabeamentos
Cabeamento de redes
Cabeamento de redesCabeamento de redes
Cabeamento de redes
EMSNEWS
 
Cabeamentos e conectores
Cabeamentos e conectores Cabeamentos e conectores
Cabeamentos e conectores
EMSNEWS
 
Cabeamentos e conectores de rede
Cabeamentos e conectores de redeCabeamentos e conectores de rede
Cabeamentos e conectores de rede
alphabigdog
 
Arquitectura de computadores
Arquitectura de computadoresArquitectura de computadores
Arquitectura de computadores
Gustavo Fernandes
 
2009 09 21 Cablagem
2009 09 21 Cablagem2009 09 21 Cablagem
2009 09 21 Cablagem
Fernando de Sá
 
Imei
ImeiImei
Imei
Ivo Cuco
 
Cabeamento de redes
Cabeamento de redesCabeamento de redes
Cabeamento de redes
Tiago
 
Cabos de red eimei
Cabos de red eimeiCabos de red eimei
Cabos de red eimei
Kelly Dos Santos
 
C:\Fakepath\Cablagem
C:\Fakepath\CablagemC:\Fakepath\Cablagem
C:\Fakepath\Cablagem
marleneamf
 
Meios de transmissao
Meios de transmissaoMeios de transmissao
Meios de transmissao
redesinforma
 
Apresentacao ac -_redes
Apresentacao ac -_redesApresentacao ac -_redes
Apresentacao ac -_redes
brunofig94PT
 
Apresentacao ac -_redes
Apresentacao ac -_redesApresentacao ac -_redes
Apresentacao ac -_redes
brunofig94PT
 
Tipos de cabos
Tipos de cabosTipos de cabos
Tipos de cabos
Gonçalo
 
Cabos
CabosCabos
Meios fisicos de transmissao
Meios fisicos de transmissaoMeios fisicos de transmissao
Meios fisicos de transmissao
milanvassaramo
 
CABOS DE REDE 2.pptx
CABOS DE REDE 2.pptxCABOS DE REDE 2.pptx
CABOS DE REDE 2.pptx
Cidrone
 

Semelhante a Rede de Computadores - Cabo Coaxial (20)

Cabos conectores
Cabos conectoresCabos conectores
Cabos conectores
 
Cabeamentos e conectores
Cabeamentos e conectores Cabeamentos e conectores
Cabeamentos e conectores
 
Cabos conectores
Cabos conectoresCabos conectores
Cabos conectores
 
Aula - Cabeamentos
Aula - CabeamentosAula - Cabeamentos
Aula - Cabeamentos
 
Cabeamento de redes
Cabeamento de redesCabeamento de redes
Cabeamento de redes
 
Cabeamentos e conectores
Cabeamentos e conectores Cabeamentos e conectores
Cabeamentos e conectores
 
Cabeamentos e conectores de rede
Cabeamentos e conectores de redeCabeamentos e conectores de rede
Cabeamentos e conectores de rede
 
Arquitectura de computadores
Arquitectura de computadoresArquitectura de computadores
Arquitectura de computadores
 
2009 09 21 Cablagem
2009 09 21 Cablagem2009 09 21 Cablagem
2009 09 21 Cablagem
 
Imei
ImeiImei
Imei
 
Cabeamento de redes
Cabeamento de redesCabeamento de redes
Cabeamento de redes
 
Cabos de red eimei
Cabos de red eimeiCabos de red eimei
Cabos de red eimei
 
C:\Fakepath\Cablagem
C:\Fakepath\CablagemC:\Fakepath\Cablagem
C:\Fakepath\Cablagem
 
Meios de transmissao
Meios de transmissaoMeios de transmissao
Meios de transmissao
 
Apresentacao ac -_redes
Apresentacao ac -_redesApresentacao ac -_redes
Apresentacao ac -_redes
 
Apresentacao ac -_redes
Apresentacao ac -_redesApresentacao ac -_redes
Apresentacao ac -_redes
 
Tipos de cabos
Tipos de cabosTipos de cabos
Tipos de cabos
 
Cabos
CabosCabos
Cabos
 
Meios fisicos de transmissao
Meios fisicos de transmissaoMeios fisicos de transmissao
Meios fisicos de transmissao
 
CABOS DE REDE 2.pptx
CABOS DE REDE 2.pptxCABOS DE REDE 2.pptx
CABOS DE REDE 2.pptx
 

Mais de Marcelo Carvalho

Árvore B
Árvore BÁrvore B
Árvore B
Marcelo Carvalho
 
O caixeiro viajante é np completo
O caixeiro viajante é np completoO caixeiro viajante é np completo
O caixeiro viajante é np completo
Marcelo Carvalho
 
Ação de um campo magnético sobre cargas elétricas & fontes de campo magnético
Ação de um campo magnético sobre cargas elétricas & fontes de campo magnéticoAção de um campo magnético sobre cargas elétricas & fontes de campo magnético
Ação de um campo magnético sobre cargas elétricas & fontes de campo magnético
Marcelo Carvalho
 
Reprojeto da organização com sistemas de informação
Reprojeto da organização com sistemas de informaçãoReprojeto da organização com sistemas de informação
Reprojeto da organização com sistemas de informação
Marcelo Carvalho
 
Memória Primária
Memória PrimáriaMemória Primária
Memória Primária
Marcelo Carvalho
 
A consciência mítica
A consciência míticaA consciência mítica
A consciência mítica
Marcelo Carvalho
 

Mais de Marcelo Carvalho (6)

Árvore B
Árvore BÁrvore B
Árvore B
 
O caixeiro viajante é np completo
O caixeiro viajante é np completoO caixeiro viajante é np completo
O caixeiro viajante é np completo
 
Ação de um campo magnético sobre cargas elétricas & fontes de campo magnético
Ação de um campo magnético sobre cargas elétricas & fontes de campo magnéticoAção de um campo magnético sobre cargas elétricas & fontes de campo magnético
Ação de um campo magnético sobre cargas elétricas & fontes de campo magnético
 
Reprojeto da organização com sistemas de informação
Reprojeto da organização com sistemas de informaçãoReprojeto da organização com sistemas de informação
Reprojeto da organização com sistemas de informação
 
Memória Primária
Memória PrimáriaMemória Primária
Memória Primária
 
A consciência mítica
A consciência míticaA consciência mítica
A consciência mítica
 

Último

educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmenteeducação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
DeuzinhaAzevedo
 
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do AssaréFamílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
profesfrancleite
 
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo FreireLivro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
WelberMerlinCardoso
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
TomasSousa7
 
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdfO que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
Pastor Robson Colaço
 
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptxApresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
JulianeMelo17
 
Caça-palavras ortografia M antes de P e B.
Caça-palavras    ortografia M antes de P e B.Caça-palavras    ortografia M antes de P e B.
Caça-palavras ortografia M antes de P e B.
Mary Alvarenga
 
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdfPowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
1000a
 
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdfCaderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
carlaslr1
 
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdfiNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
andressacastro36
 
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdflivro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
cmeioctaciliabetesch
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
MarcosPaulo777883
 
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptxSlides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdfthe_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
CarinaSoto12
 
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
ValdineyRodriguesBez1
 
Egito antigo resumo - aula de história.pdf
Egito antigo resumo - aula de história.pdfEgito antigo resumo - aula de história.pdf
Egito antigo resumo - aula de história.pdf
sthefanydesr
 
BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...
BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...
BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...
Escola Municipal Jesus Cristo
 
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdfCaderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
enpfilosofiaufu
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
TomasSousa7
 
Sinais de pontuação
Sinais de pontuaçãoSinais de pontuação
Sinais de pontuação
Mary Alvarenga
 

Último (20)

educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmenteeducação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
 
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do AssaréFamílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
 
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo FreireLivro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
 
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdfO que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
 
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptxApresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
 
Caça-palavras ortografia M antes de P e B.
Caça-palavras    ortografia M antes de P e B.Caça-palavras    ortografia M antes de P e B.
Caça-palavras ortografia M antes de P e B.
 
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdfPowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
 
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdfCaderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
 
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdfiNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
 
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdflivro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
 
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptxSlides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
 
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdfthe_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
 
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
 
Egito antigo resumo - aula de história.pdf
Egito antigo resumo - aula de história.pdfEgito antigo resumo - aula de história.pdf
Egito antigo resumo - aula de história.pdf
 
BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...
BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...
BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...
 
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdfCaderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
 
Sinais de pontuação
Sinais de pontuaçãoSinais de pontuação
Sinais de pontuação
 

Rede de Computadores - Cabo Coaxial

  • 1. Faculdade de Ciências Humanas, Saúde, Exatas e Jurídicas de Teresina Curso: Ciência da Computação Período: 5º - Manhã Disciplina: Rede de Computadores Docente: Raimundo Neto Discentes:Gleykyson Lucas Luís Fellipe Marcelo Kelle Matias Romário Copyright 2013.2
  • 2. 1. Introdução 2. Características 3. Vantagens e Desvantagens 4. Classificação 5. Cabo Coaxial Fino 6. Cabo Coaxial Grosso 7. Montagem de Cabos Thin Ethernet 8. Conclusão 9. Referências Cabo Coaxial condutor isolador blindagem capa
  • 3.  O cabo coaxial foi o primeiro cabo disponível no mercado, e era até a alguns anos atrás o meio de transmissão mais moderno que existia em termos de transporte de bits.
  • 4.  O cabo coaxial mantém uma capacidade constante e baixa, o que lhe permite suportar velocidades da ordem de megabits/segundo.  A forma de construção do cabo coaxial lhe oferece uma boa combinação de alta banda passante e excelente imunidade a ruído.
  • 5.  A figura abaixo mostra os componentes utilizados nas conexões com cabosThin Ethernet. Os conectores ”T” são acoplados ao conector BNC da placa de rede, e nele são conectados os cabos que ligam o PC aos seus vizinhos.
  • 6.  Algumas vantagens do cabo coaxial: baixos custos de implementação, topologia simples de implementar, resistência à ruídos e interferências.  Algumas desvantagens do cabo coaxial: distâncias limitadas, baixo nível de segurança, dificuldade em fazer grandes mudanças na topologia da rede.
  • 7.  Dois tipos de cabo coaxial são bastante utilizados:  Coaxial fino (Thin Ethernet - 10Base2)  Coaxial grosso (Thick Ethernet - 10Base5)  Existem cabos com impedância de 50 Ohms, 93 Ohms, 95 Ohms, 100 Ohms.
  • 8.  Características físicas e dimensionais de alguns cabos existentes no mercado. Impedância Referência Aplicação 50 Ohms RG-58 (Cheapernet) Expancel sistemasVHF/UHF RG-58 (Cheapernet) rede Ethernet, com cabo coaxial fino RG-08 (Ethernet) rede Ethernet, com cabo coaxial grosso RG-213 sistemasVHF/UHF, informática, telefonia RG-62A/U terminais de computadores, teleinformática (uso interno) 93 Ohms RG E-62 terminais de computadores, teleinformática (uso externo) 95 Ohms Multicoaxial 20 Condutores conexão de terminais de computadores à controladora, CPD na conexão de módulos digitais 100 Ohms Twinaxial 20AWG x 1P terminais de computadores AS400(IBM)
  • 9.  Conhecido como cabo coaxial banda base ou 10Base2, é o meio mais utilizado em redes locais.  A topologia mais utilizada é a topologia em barra.  Sua instalação é facilitada devido ao fato de que o cabo coaxial fino é mais maleável.
  • 10.  Possui maior imunidade a ruídos eletromagnéticos de baixa frequência do que o cabo grosso. Características Técnicas Impedância 50 Ohms Tamanho máximo de segmento 185m Tamanho mínimo de segmento 0,5m Número máximo de segmentos 5 Tamanho máximo total 925m Tamanho máximo sem repetidores 300m Capacidade 30 equipamentos/segmento Acesso ao meio CSMA/CD Taxas de transmissão de dados 1 a 50 Mbps (depende do tamanho do cabo) Modo de transmissão Half-Duplex - Código Manchester Transmissão por pulsos de corrente contínua Imunidade EMI/RFI 50 dB Conector conectorT
  • 11.  Conhecido como cabo coaxial de banda larga ou 10Base5 ou "Mangueira de jardim amarela".  Em redes locais, a banda é dividida em dois canais ou caminhos:  caminho de transmissão (Inbound);  caminho de recepção (Outbound).
  • 12.  É muito utilizado para aplicações em redes locais com integração de serviços de dados, voz e imagens.  Sua instalação requer prática e pessoal especializado.  Necessita de amplificadores analógicos periódicos, que transmitem o sinal num único sentido, assim, um computador que envia um pacote não será capaz de alcançar os computadores a montante dele se houver um amplificador entre eles.
  • 13.  Para solucionar este problema foram criados os sistemas com cabo único e com cabo duplo.  No cabo duplo, toda transmissão é feita no cabo 1 e toda recepção ocorre no cabo 2.  No cabo único, é alocado bandas diferentes de frequência para comunicação, entrando e saindo por um único cabo.
  • 14. Características Técnicas Impedância 75 Ohms Atenuação em 500m de cabo não exceder 8,5dB medido a 10MHz ou 6,0dB medido a 5MHz Velocidade de propagação 0,77c (c = velocidade da luz no vácuo) Tamanho máximo segmento 500m Tamanho mínimo de segmento 2,5m Número máximo de segmentos 5 Tamanho máximo total 2500m Tamanho máximo recomendado múltiplos de 23,4-70,2 ou 117m Capacidade 1500 canais com 1 ou mais equipamentos por canal Acesso ao meio FDM Taxas de transmissão de dados 100 a 150 Mbps (depende do tamanho do cabo) Modo de transmissão Full-Duplex Transmissão por variação em sinal de frequência de rádio Imunidade EMI/RFI 85 dB Conector tipo derivador Vampiro e utiliza transceptores (detecta a portadora elétrica do cabo)
  • 15.  O conector BNC é vendido desmontado.  Um pino central deve ser fixado no condutor mais interno do cabo. A parte maior do conector fará contato com a blindagem externa. Uma peça metálica adicional firmará o cabo no conector.
  • 16.  Corte o cabo e introduza-o no anel metálico.A seguir desencape o cabo usando a ferramenta apropriada. Note que o cabo coaxial RG58 é formado por quatro camadas, de dentro para fora:  Condutor intero  Isolador plástico  Malha condutora externa  Capa plástica
  • 17.  Observe que o tubo metálico externo, a esta altura já posicionado no cabo, ficará sobre a sua capa plástica externa. Já a extremidade do conector BNC, mostrada na figura a seguir, deverá ficar sob a malha condutora do cabo.  Corte o excesso da malha externa e junte o tubo metálico ao conector. Use o alicate crimpador para prender este tubo ao conector.  Exemplo de montagem
  • 18.  Atualmente não se montam redes usando cabos coaxiais, já que caíram em desuso. Mas é possível que se precise dar manutenção nessas redes, o que inclui a confecção de cabos.
  • 19.  Rede de Computadores – Cabo Coaxial <http://www.nti.ufpb.br/~beti/pag-redes/cabos.htm> <http://www.hardware.com.br/livros/hardware-manual/cabo- coaxial.html> <http://pt.wikipedia.org/wiki/Cabo_coaxial> <http://mais23-hardware.forum-livre.com/t8-o-que-e-um-cabo- coaxial> <http://www.youtube.com/watch?v=AAWkrYvWptY>  Acesso em: 26 nov. 2012, 16:30:00.
  • 20. Faculdade de Ciências Humanas, Saúde, Exatas e Jurídicas de Teresina Curso: Ciência da Computação Período: 5º - Manhã Disciplina: Rede de Computadores Docente: Raimundo Neto Discentes:Gleykyson Lucas – gleykyson_ok@hotmail.com Luís Fellipe – lipecastro@hotmail.com Marcelo Kelle – marcelo_kcs@hotmail.com Matias Romário – matiaromario@hotmail.com Copyright 2013.2