Congregação das  Irmãs Franciscanas  de Nossa Senhora Aparecida 1928-2010
<ul><li>Dados gerais  </li></ul><ul><li>da Congregação </li></ul>
 
<ul><li>Luis Narciso Place  nasceu no dia 31/01/1873 em Bellevaux/Sabóia/França. Veio para o Brasil em 1899. </li></ul><ul...
<ul><li>Fundador da  CIFA ;  </li></ul><ul><li>Fundação do  Leprosário de Itapuã -  onde trabalhou durante os últimos 18 a...
Morena de Azevedo e Souza  nasceu em 27/10/1891 em Santa Cruz do Sul - RS Madre Clara Filha de  Vasco de Azevedo e Souza e...
Dentre  os 18 filhos,  Morena é a 10ª .
1.1 Contexto e origem <ul><li>Fim do século XIX início do Século XX; </li></ul><ul><li>Liberalismo – Positivismo; </li></u...
1.2 Sonho de Madre Clara:    Vida Religiosa Inculturada <ul><li>A Congregação das Irmãs Franciscanas de Nossa Senhora Apar...
“ Uma Congregação nacional  com   espírito franciscano ”
Morena foi uma mulher marcada pelo dom da sensibilidade cultural, por isso teve especial atenção  “à índole brasileira”. F...
<ul><li>Madre Clara  conheceu Frei Pacífico como Capelão do Colégio Sévigné  e escolheu-o como seu diretor espiritual.  </...
Morena (M.Clara) ingressa na Ordem Franciscana Secular – OFS.
1.3 Nome e Identidade <ul><li>Nome </li></ul><ul><li>“ Irmãs Franciscanas”  - assume a Espiritualidade Franciscana e a Reg...
<ul><li>Identidade: </li></ul><ul><li>É constituída pela Forma de Vida e Missão Eclesial; </li></ul><ul><li>Ambas fundamen...
<ul><li>“ Unidas sob o manto da querida Mãe, prometemos-lhe, honrar-lhe o nome de ‘Aparecida’. Aparecidas na humildade, na...
1.4 Fontes da Espiritualidade Congregacional <ul><li>Espiritualidade Cristã </li></ul><ul><li>Espiritualidade Franciscana ...
2. Características  Franciscanas Evangelho Contemplação Minoridade Vida Apostólica Fraternidade
<ul><li>Diante da Palavra Francisco mantinha abertura sincera e constante. </li></ul><ul><li>Desejava  penetrar a fundo em...
<ul><li>Francisco  deixou-se transformar , colocando  </li></ul><ul><li>a  mente , a  alma   e o  coração  em Jesus Cristo...
<ul><li>Francisco soube intuir:  ‘Deus é nosso  </li></ul><ul><li>Pai e que nós somos todos irmãos’.  </li></ul><ul><li>Es...
<ul><li>Fraternidade:  Deus que se encarna -  menor entre os menores.  </li></ul><ul><li>A fraternidade franciscana propõe...
<ul><li>A minoridade qualifica a vida em fraternidade.  </li></ul><ul><li>Jesus Cristo fez-se  ‘pobre, humilde, despojado,...
<ul><li>“  Ide por todo mundo, proclamai o Evangelho a toda criatura ”  ( Mc 16, 15). </li></ul><ul><li>Conversão no encon...
<ul><li>Para Francisco, ‘deixar o mundo’  -  sentido de conversão X ‘ir pelo mundo’  sentido eminentemente   evangelizador...
<ul><li>Vida em Betânia </li></ul><ul><li>Marta x Maria </li></ul><ul><li>Divino Hóspede </li></ul><ul><li>Caridade ‘Virtu...
A oração em  Madre Clara <ul><li>Compreensão que Madre Clara tinha da própria Oração. </li></ul><ul><li>“ Mestra de toda a...
<ul><li>Para ela  “rezar é falar com Deus, que escuta e que fala também, em qualquer lugar e em qualquer ocupação que tenh...
<ul><li>Centro inspirador - Evangelho de Lucas 10, 38-42, onde Jesus ensina um modo de  ser e de agir , voltado para o ‘ ú...
<ul><li>Betânias  - Casas da Congregação.  </li></ul><ul><li>Nelas, as Irmãs  serão  </li></ul><ul><li>Martas-Marias:  </l...
<ul><li>“ Nossas Betânias como espaços teologais, são lugares privilegiados para acontecer a  experiência de Deus . Sendo ...
<ul><li>Nossos Fundadores, nos legaram  uma  espiritualidade de escuta, de obediência e de adesão à Palavra;   </li></ul><...
<ul><li>Maria colocou-se aos  pés de Jesus para escutá-lo,  para  alimentar-se de sua Palavra, de sua presença , numa atit...
<ul><li>M issa é a ‘oração máxima’ . “ Façamos do sacrário, com novo fervor, o centro de nossa vida” . </li></ul><ul><li>T...
<ul><li>Nasce uma forma própria de cultivar a espiritualidade Eucarística nas Betânias da Congregação, onde ‘Jesus é o Div...
<ul><li>A  Caridade, o Amor , é da essência do nosso  Carisma e Espiritualidade . É a primeira lição que Frei Pacífico dá ...
<ul><li>“  Lembremo-nos que a  espiritualidade  Franciscana se  concentra na Caridade ”.   </li></ul><ul><li>“ A  caridade...
<ul><li>Neste espírito queremos dar nossa resposta à Igreja no tempo em que vivemos.  “Viver a caridade de forma criativa ...
<ul><li>Madre Clara sempre foi muito aberta aos apelos da igreja, buscando  “uma inserção sempre renovada ”.  </li></ul><u...
<ul><li>Espiritualidade da Missão  –  “Solidária com os empobrecidos e marginalizados”.  </li></ul><ul><li>“ Sentir-se fel...
<ul><li>Nosso  ser apostólico deve ser itinerante , cultivando  uma imagem positiva da pessoa  humana. </li></ul><ul><li>A...
 
Madre Clara e Frei Pacífico fizeram a sua parte, agora é a nossa vez.  Boa sorte.  Obrigado pela atenção.  Paz e bem!
Pressupostos Deus  Fé Evangelho Igreja Modelo --------------------------------------------------------- Vida em Comunidade...
Fundamentação Seguir Jesus Cristo e seu Evangelho, o Cristo pobre, humilde e Crucificado Betânias Sendo Martas - Marias De...
Madre Clara e Frei Pacífico fizeram a sua parte, agora é a nossa vez.  Boa sorte.  Obrigado pela atenção.  Paz e bem!
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Espiritualidade das irmãs franciscanas de Nossa Senhora Aparecida

2.853 visualizações

Publicada em

Palestra apresentada no simposio de teologia franciscana por irmã Salete Dal Mago

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.853
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
9
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Espiritualidade das irmãs franciscanas de Nossa Senhora Aparecida

  1. 1. Congregação das Irmãs Franciscanas de Nossa Senhora Aparecida 1928-2010
  2. 2. <ul><li>Dados gerais </li></ul><ul><li>da Congregação </li></ul>
  3. 4. <ul><li>Luis Narciso Place nasceu no dia 31/01/1873 em Bellevaux/Sabóia/França. Veio para o Brasil em 1899. </li></ul><ul><li>Destaca-se da sua vida e missão: </li></ul><ul><li>Reitor do 1º Seminário da Arquidiocese; </li></ul><ul><li>Organizou e Coordenou o grupo de Intelectuais – (Instituto Católico de Ciências e Letras) - ‘ garantir a fé católica diante das idéias positivistas ’; </li></ul>Frei Pacífico <ul><li>Vigário em Vacaria; </li></ul><ul><li>Fundação da Ordem Franciscana Secular em Porto Alegre; </li></ul><ul><li>Organização do 7º Centenário da morte de São Francisco; </li></ul>
  4. 5. <ul><li>Fundador da CIFA ; </li></ul><ul><li>Fundação do Leprosário de Itapuã - onde trabalhou durante os últimos 18 anos de sua vida: </li></ul><ul><li>“ Quero terminar minha vida onde São Francisco começou a sua”( Frei Pacífico) </li></ul><ul><li>Morreu em 24/02/1957. </li></ul>
  5. 6. Morena de Azevedo e Souza nasceu em 27/10/1891 em Santa Cruz do Sul - RS Madre Clara Filha de Vasco de Azevedo e Souza e Florinda Machado de Azevedo e Souza
  6. 7. Dentre os 18 filhos, Morena é a 10ª .
  7. 8. 1.1 Contexto e origem <ul><li>Fim do século XIX início do Século XX; </li></ul><ul><li>Liberalismo – Positivismo; </li></ul><ul><li>Clero - Frei Pacífico - OFM Cap. </li></ul><ul><li>Constituição do Estado de 1891; </li></ul><ul><li>Proclamação da República do Brasil (1889); </li></ul><ul><li>Queda do império; </li></ul><ul><li>1880 a 1930 - Igreja pede auxílio às Congregações Religiosas da Europa(93). No Brasil - 22 Congreg.– entre elas a CIFA. </li></ul>
  8. 9. 1.2 Sonho de Madre Clara: Vida Religiosa Inculturada <ul><li>A Congregação das Irmãs Franciscanas de Nossa Senhora Aparecida, nascida neste contexto, surgiu sobretudo para ser uma forma de ‘ Vida Religiosa bem inculturada ’ , em seguida, para ‘ atender pessoas que ainda não eram assistidas ’. Os surdos-mudos-cegos, rejeitados em toda parte... </li></ul>
  9. 10. “ Uma Congregação nacional com espírito franciscano ”
  10. 11. Morena foi uma mulher marcada pelo dom da sensibilidade cultural, por isso teve especial atenção “à índole brasileira”. Fundou uma Congregação Brasileira: “ tornar a Vida Religiosa ao alcance da mocidade brasileira, acessível à índole das moças brasileiras, desejosas de se consagrarem totalmente a Deus”. Foi mulher de sensibilidade humana e social. Quis “atender aos mais abandonados, aqueles que não são recebidos nas escolas, nem nos orfanatos: os surdos, mudos,cegos, doentes, rejeitados em toda a parte...”
  11. 12. <ul><li>Madre Clara conheceu Frei Pacífico como Capelão do Colégio Sévigné e escolheu-o como seu diretor espiritual. </li></ul><ul><li>Com ele, atuou nas festividades do 7º centenário da morte de São Francisco . </li></ul><ul><li>Após a celebração do centenário, Morena falou-lhe a respeito de seu sonho. Frei Pacífico concordou e buscou apoio na Igreja particular de Porto Alegre (Dom João Becker). </li></ul><ul><li>Fundaram a 1ª Fraternidade da Ordem Franciscana Secular – OFS – gaúcha em língua portuguesa. A Fraternidade ainda existe na Paróquia Santo Antônio do Partenon. </li></ul>
  12. 13. Morena (M.Clara) ingressa na Ordem Franciscana Secular – OFS.
  13. 14. 1.3 Nome e Identidade <ul><li>Nome </li></ul><ul><li>“ Irmãs Franciscanas” - assume a Espiritualidade Franciscana e a Regra da Terceira Ordem Regular de São Francisco; </li></ul><ul><li>“ Nossa Senhora Aparecida” porque nascida no Brasil, tem Maria como Mãe, Padroeira e Modelo, que se inculturou na realidade de seu povo. </li></ul>
  14. 15. <ul><li>Identidade: </li></ul><ul><li>É constituída pela Forma de Vida e Missão Eclesial; </li></ul><ul><li>Ambas fundamentam-se no seguimento de Jesus Cristo, pobre, humilde e crucificado. </li></ul><ul><li>O seguimento discipular de </li></ul><ul><li>Cristo, “ sem lugar e sem vez”, </li></ul><ul><li>conduz as Irmãs à missão de </li></ul><ul><li>servir aos pobres, aos abandonados . </li></ul>
  15. 16. <ul><li>“ Unidas sob o manto da querida Mãe, prometemos-lhe, honrar-lhe o nome de ‘Aparecida’. Aparecidas na humildade, na caridade, na pobreza e na obediência. Apareçamos onde não transita muita gente, </li></ul><ul><li>lá no porão, onde ninguém se acotovela. Desapareçamos das fachadas, onde já há bastante gente”. </li></ul>
  16. 17. 1.4 Fontes da Espiritualidade Congregacional <ul><li>Espiritualidade Cristã </li></ul><ul><li>Espiritualidade Franciscana </li></ul>“ Deixar-se guiar pelo Espírito do Senhor e seu santo modo de operar”.
  17. 18. 2. Características Franciscanas Evangelho Contemplação Minoridade Vida Apostólica Fraternidade
  18. 19. <ul><li>Diante da Palavra Francisco mantinha abertura sincera e constante. </li></ul><ul><li>Desejava penetrar a fundo em cada letra da Sagrada Escritura , para viver seu espírito. </li></ul><ul><li>A Palavra era-lhe luz, fundamento, referência. </li></ul><ul><li>Tinha profundo respeito e grande amor à Palavra do Evangelho. </li></ul>2.1 O Evangelho como Regra de Vida “ ninguém me mostrou o que deveria fazer, mas o altíssimo mesmo me revelou que eu deveria viver segundo a forma do Santo Evangelho ”( Test 14).
  19. 20. <ul><li>Francisco deixou-se transformar , colocando </li></ul><ul><li>a mente , a alma e o coração em Jesus Cristo. </li></ul><ul><li>Centrou afetivamente em Deus toda </li></ul><ul><li>capacidade de compreender , de amar e de viver . </li></ul><ul><li>Deixou-se olhar por Deus , manteve uma relação pessoal com Ele , com as Irmãs e Irmãos e com as criaturas, evitando a apropriação. </li></ul><ul><li>Concentrou sua vida no insondável e inefável “TU” de Deus: “Tu és santo, tu és grande....” . </li></ul><ul><li>Para ele Contemplar significava um “modo de estar na vida diante de Deus e do mundo”. </li></ul>2.2 A contemplação
  20. 21. <ul><li>Francisco soube intuir: ‘Deus é nosso </li></ul><ul><li>Pai e que nós somos todos irmãos’. </li></ul><ul><li>Escolheu viver em fraternidade , </li></ul><ul><li>como irmãos vinculados por um amor terno e concreto . </li></ul>2.3 A fraternidade “ E depois que o Senhor me deu Irmãos, ninguém me mostrou o que eu deveria fazer, mas o Altíssimo mesmo me revelou que eu deveria viver segundo a Forma do Santo Evangelho” (Test . 14).
  21. 22. <ul><li>Fraternidade: Deus que se encarna - menor entre os menores. </li></ul><ul><li>A fraternidade franciscana propõe criar novos relacionamentos, fraternidade universal, a vivência da pobreza sem domínio e sem apropriação; </li></ul><ul><li>Ser fraterno, menor e estabelecer relações igualitárias e gratuitas com toda a criação. </li></ul>“ Não queiras da parte deles outra coisa, a não ser o quanto o Senhor te conceder. E ama-os em tudo isso; e não queiras que sejam cristãos melhores” (C Mn 7)
  22. 23. <ul><li>A minoridade qualifica a vida em fraternidade. </li></ul><ul><li>Jesus Cristo fez-se ‘pobre, humilde, despojado, o menor’. </li></ul><ul><li>O Lava-pés, muito contemplado por Francisco, “ e ninguém se denomine prior, mas todos, sem exceção, sejam chamados de irmãos menores. E um lave os pés do outro”. </li></ul><ul><li>Contemplação do despojamento do Filho de Deus: Presépio X Eucaristia X Cruz. </li></ul><ul><li>A minoridade impregna de amor e respeito a vida fraterna e fecunda todo o relacionamento. </li></ul><ul><li>Francisco instaurou uma vida fraterna singular. </li></ul>2.4 A minoridade
  23. 24. <ul><li>“ Ide por todo mundo, proclamai o Evangelho a toda criatura ” ( Mc 16, 15). </li></ul><ul><li>Conversão no encontro com o leproso e no encontro com o crucificado “ ...vai e restaura a minha casa...” (2Cel 10,4). </li></ul><ul><li>Porciúncula, escuta do Evangelho : “ É isso que eu quero, isso que procuro, é isto que eu desejo fazer do íntimo do coração”. </li></ul><ul><li>De modo simples, Francisco e seus confrades anunciavam o Evangelho. </li></ul>2.5 A vida apostólica “ Quando os Irmãos vão pelo mundo, nada levem pelo caminho, nem bolsa, nem sacola, nem pão, nem dinheiro, nem bastão” (RnB 14,1).
  24. 25. <ul><li>Para Francisco, ‘deixar o mundo’ - sentido de conversão X ‘ir pelo mundo’ sentido eminentemente evangelizador - testemunho de vida : </li></ul><ul><li>“ todos os irmãos preguem pelas obras”. </li></ul><ul><li>Em Santa Clara, a apostolicidade é centrada na oração, na consagração total ao Senhor. </li></ul><ul><li>‘ Anúncio da paz’: Cristo chamou de </li></ul><ul><li>bem-aventurados os construtores da paz. </li></ul>“ E devem alegrar-se, quando conviverem entre pessoas insignificantes e desprezadas, entre os pobres, fracos, enfermos, l eprosos e os que mendigam pela rua” (RnB 9,2; TOR 21).
  25. 26. <ul><li>Vida em Betânia </li></ul><ul><li>Marta x Maria </li></ul><ul><li>Divino Hóspede </li></ul><ul><li>Caridade ‘Virtude Rainha’ </li></ul><ul><li>Betânia ‘Vida em Missão’ </li></ul>3. Características da Espiritualidade da CIFA
  26. 27. A oração em Madre Clara <ul><li>Compreensão que Madre Clara tinha da própria Oração. </li></ul><ul><li>“ Mestra de toda a Vida Espiritual. Mãe e sustento de toda a virtude”. </li></ul><ul><li>“ É a base, a raiz, a fonte do modo de vida que ela e suas companheiras abraçaram. Sem a oração começam a declinar as demais virtudes e aproxima-se a ruína”. </li></ul>
  27. 28. <ul><li>Para ela “rezar é falar com Deus, que escuta e que fala também, em qualquer lugar e em qualquer ocupação que tenhamos”. Até, “...lá no fundo da chácara, como diante do santíssimo sacramento... a oração é uma contínua comunicação com Deus, uma comunhão espiritual”. </li></ul><ul><li>“ Quanto ao modo de rezar: Recomenda a “falar com o coração” e a “inflamar o afeto”, com atenção, devagar e com fervor. </li></ul><ul><li>Antes de morrer resume sua vida orante: </li></ul><ul><li>“ Estou sempre em oração”. </li></ul>
  28. 29. <ul><li>Centro inspirador - Evangelho de Lucas 10, 38-42, onde Jesus ensina um modo de ser e de agir , voltado para o ‘ único necessário’. </li></ul><ul><li>“ Outrora Jesus descansava em Betânia, </li></ul><ul><li>na casa de Marta e Maria” </li></ul><ul><li>Nossos fundadores batizaram nossas casas de “ Betânias”, aí Nosso Senhor deve descansar entre as Martas-Marias. </li></ul>3.1 A vida em Betânia
  29. 30. <ul><li>Betânias - Casas da Congregação. </li></ul><ul><li>Nelas, as Irmãs serão </li></ul><ul><li>Martas-Marias: </li></ul><ul><li>“ Martas pela atividade e Marias pelo recolhimento e pela união com Deus”. </li></ul>3.2 O sentido de Betânia
  30. 31. <ul><li>“ Nossas Betânias como espaços teologais, são lugares privilegiados para acontecer a experiência de Deus . Sendo centros de Espiritualidade e Missão,caracterizam-se como lugares de acolhida, simplicidade, sensibilidade, caridade, oração, silencio interior e exterior, ambiente bem cuidado. Tudo há de lembrar que o Senhor está presente, que a Betânia é a sua casa. O Divino hóspede deve descansar em nosso meio, para nos ouvir, nos falar e nos enviar . É uma questão de acolhida, criar espaço favorável em nós e ao redor de nós. É nosso espaço de vida e de missão .” </li></ul><ul><li>DE p. 69 </li></ul>
  31. 32. <ul><li>Nossos Fundadores, nos legaram uma espiritualidade de escuta, de obediência e de adesão à Palavra; </li></ul><ul><li>O texto de Lucas 10, 38-42 - toque de originalidade à Espiritualidade da CIFA – Ação X Contemplação; </li></ul><ul><li>A atitude de Marta no desejo de oferecer hospitalidade é de preocupação e ansiedade , faz perder o equilíbrio, a visão de conjunto, o essencial. </li></ul><ul><li>Maria escolheu parar, sentar-se e conceder a si mesma um tempo interior.A ‘ melhor parte’, escolhida por Maria consiste em olhar na direção d’Ele. </li></ul>3.3 Marta Maria
  32. 33. <ul><li>Maria colocou-se aos pés de Jesus para escutá-lo, para alimentar-se de sua Palavra, de sua presença , numa atitude de quem o honra como Mestre. </li></ul><ul><li>Ser Marta, sem deixar de ser Maria. “ Marta e Maria são como dois olhos de um mesmo olhar, ambos olhando na direção do único Senhor ” . </li></ul><ul><li>Resta o desafio de criar uma cultura de interioridade . A centralidade na pessoa de Jesus Cristo possibilita viver com olhar contemplativo e servir com generosidade e alegria . </li></ul>
  33. 34. <ul><li>M issa é a ‘oração máxima’ . “ Façamos do sacrário, com novo fervor, o centro de nossa vida” . </li></ul><ul><li>Tempo pré-conciliar valoriza-se o esplendor dos sacrários, dos ostensórios, das vestes litúrgicas, disso a expressão ‘ Divino Hóspede’. </li></ul>3.4 O Divino Hóspede <ul><li>“ Deixo Nosso Senhor aos cuidados das Senhoras”, fato que marca o início de Nossa Congregação. </li></ul><ul><li>Inicia-se um novo convívio, um novo programa de vida: as Irmãs tornaram-se </li></ul><ul><ul><li>“ Guardas de Honras do Divino Hóspede ”. </li></ul></ul>
  34. 35. <ul><li>Nasce uma forma própria de cultivar a espiritualidade Eucarística nas Betânias da Congregação, onde ‘Jesus é o Divino Hóspede’ . “Dessa presença surge um modo próprio de ser, de conviver com Ele, de relacionar-se com as coirmãs, com os demais, e de ir em missão”. </li></ul><ul><li>A expressão “ renovação e atualização na Igreja hoje ” - dimensão da Eucaristia, que vai desde o sacrário até o compromisso de comungar com a vida dos ‘mais abandonados’. </li></ul><ul><li>Jesus como Hóspede em nossas Betânias, comungar sua vida dada em sacrifício , tornando-nos, com Ele , oblação e ação de graças ao Pai, em nossa missão evangelizadora. </li></ul>
  35. 36. <ul><li>A Caridade, o Amor , é da essência do nosso Carisma e Espiritualidade . É a primeira lição que Frei Pacífico dá às Irmãs dizendo: </li></ul><ul><li>“ Não viremos a folha sem sabermos essa lição”. </li></ul><ul><li>O apelo à caridade vem desde a origem da Congregação. É sua base e fundamento. Este preceito expressa-se no exercício da missão, feita com generosa dedicação e com carinhoso acolhimento das pessoas sem lugar e sem vez na sociedade ” ( PF 31). </li></ul>3.5 A Caridade – ‘Virtude Rainha’
  36. 37. <ul><li>“ Lembremo-nos que a espiritualidade Franciscana se concentra na Caridade ”. </li></ul><ul><li>“ A caridade é o termômetro da verdadeira vida ”. </li></ul><ul><li>A riqueza maior das Irmãs e Formandas, a alegria de uma Betânia está no amor que nela reina. </li></ul><ul><li>“ A caridade, manifestação do amor de Deus, expressa-se de muitas formas: </li></ul><ul><li>na simplicidade, na humildade, na alegria, no diálogo, na obediência, na disponibilidade e </li></ul><ul><li>em muitas outras virtudes, pois, aquele que </li></ul><ul><li>tem uma e não ofende as outras, tem todas”. </li></ul>
  37. 38. <ul><li>Neste espírito queremos dar nossa resposta à Igreja no tempo em que vivemos. “Viver a caridade de forma criativa em comunhão, solidariedade, espírito de pertença e amor fraterno, somando os dons de cada Irmã”. </li></ul><ul><li>Nossos Fundadores chamavam-na de ‘ Rainha’ das virtudes’. </li></ul><ul><li>Mais do que práticas espirituais , o amor é um modo de ser. </li></ul><ul><li>“ As Irmãs devem ter umas para com as outras os sentimentos da mais cordial caridade” . É Programa de vida recomeçarmos todos os dias uma vida nova no amor. </li></ul>
  38. 39. <ul><li>Madre Clara sempre foi muito aberta aos apelos da igreja, buscando “uma inserção sempre renovada ”. </li></ul><ul><li>Alicerçada no Carisma, a Congregação faz sua opção fundamental: “ assume como lugar social as classes mais abandonadas, excluídas, marginalizadas” e reassume com a Igreja a “ evangélica opção preferencial pelos pobres, participando da transformação libertadora do povo...comprometendo-se com o anúncio do Reino </li></ul><ul><li>pelo serviço, pela palavra, sobretudo </li></ul><ul><li>pelo testemunho de vida”. </li></ul>3.6 Betânia em Missão
  39. 40. <ul><li>Espiritualidade da Missão – “Solidária com os empobrecidos e marginalizados”. </li></ul><ul><li>“ Sentir-se feliz por estar entre os mais pobres e fracos”. </li></ul><ul><li>Fonte alimentadora - minoridade evangélica. </li></ul><ul><li>Seguimento de Jesus Cristo pobre, humilde </li></ul><ul><li>e crucificado. </li></ul><ul><li>Assumir o modelo de Vida Religiosa </li></ul><ul><li>libertador, profético, de compromisso social </li></ul><ul><li>e solidário. </li></ul><ul><li>Nosso jeito de evangelizar - de maneira simples, acessível , solidária . </li></ul><ul><li>A melhor pregação- testemunho alegre e em fraternidade , sendo mensageiras da PAZ e do BEM. </li></ul>
  40. 41. <ul><li>Nosso ser apostólico deve ser itinerante , cultivando uma imagem positiva da pessoa humana. </li></ul><ul><li>A exemplo da Mãe Aparecida, exercitamo-nos no processo de inculturação no anúncio da Boa Nova do Reino , assumindo uma espiritualidade encarnada, integrada e integradora. </li></ul><ul><li>Em síntese: </li></ul><ul><li>“ A Espiritualidade da missão encontra sua fonte no amor e na minoridade evangélica que nos torna solidárias onde estamos e atuamos, assim como no modo de ser e de servir: simples, acessível, alegre, disponível”. </li></ul>
  41. 43. Madre Clara e Frei Pacífico fizeram a sua parte, agora é a nossa vez. Boa sorte. Obrigado pela atenção. Paz e bem!
  42. 44. Pressupostos Deus Fé Evangelho Igreja Modelo --------------------------------------------------------- Vida em Comunidade ---------------------------------------------------------- Betânias (Martas-Marias) Deixar-se conduzir pelo Espírito do Senhor e Seu santo modo de operar ___________________________________________________________ Amor à renúncia de si mesmo/a ___________________________________________________________ ESPIRITO _____________________ CARISMA _____________________ _____________________ FUNDAMENTO ______________________ MODO DE VIVER (SER) ______________________ AGIR (MISSÃO) ______________________ Seguimento de Jesus Cristo pobre, humilde ______________________ Vida em fraternidade Oração Penitência (Conversão) ______________________ Testemunho de vida Solidariedade (leproso) ______________________ “ Sem lugar onde reclinar a cabeça” Simplicidade Acessibilidade Acolhimento Atendimento aos mais abandonados Doentes “ atender os não atendidos”.
  43. 45. Fundamentação Seguir Jesus Cristo e seu Evangelho, o Cristo pobre, humilde e Crucificado Betânias Sendo Martas - Marias De Radicalidade e de acordo com a Espiritualidade Franciscana Pobreza, Simplicidade Acessibilidade Forma de Vida Missão Eclesial “ Votos Religiosos, vivendo em Fraternidade e na oração” “ Atender as pessoas e classes mais abandonadas, os que não têm lugar nem vez na sociedade” Necessidades Situação de Excluídos da Sociedade
  44. 46. Madre Clara e Frei Pacífico fizeram a sua parte, agora é a nossa vez. Boa sorte. Obrigado pela atenção. Paz e bem!

×