Cartilha

89.818 visualizações

Publicada em

0 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
89.818
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
85.561
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
253
Comentários
0
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Cartilha

  1. 1. Sumário Por que um Projeto Popular para a Educação? - 3 Por que trabalhar com as escolas? - 5 Qual escola devemos escolher? - 7 Como apresentar a proposta na escola? - 9 Qual é nossa proposta às escolas? - 12 1. Construir um Grêmio Estudantil na escola 2. Organizar uma oficina permanente 3. Organizar uma assembleia dos estudantes 4. Organizar um Comitê em defesa da educaçãoAgitação e propaganda: como comunicar o 3 PE? - 20 2
  2. 2. Por que um Projeto Popular para a Educação? 3
  3. 3. Por que um Projeto Popular para a Educação? Sabemos que para que ocorra uma transformação profunda navida da juventude brasileira, é indispensável que haja mudançasprofundas no sistema educacional do país. Ao longo de muitos anos asinstituições de ensino no Brasil foram um privilégio para os filhos daselites. Hoje em dia, ainda que o acesso à educação formal tenha setornado bem mais amplo em comparação ao nosso passado, osistema educacional permanece operando de maneira desigual. Ouseja, a educação acaba reproduzindo as diferenças sociais eeconômicas que existem na sociedade brasileira. Assim, quem épobre passa por este sistema e dificilmente deixa de ser pobre, e quemé rico atravessa o sistema de ensino permanecendo cada vez maisrico. Para que a juventude construa uma alternativa de futuro, que vápara além daquilo que nossos país obtiveram para si mesmos, épreciso construirmos um Projeto Popular para Educação (3PE). Ouseja, um projeto de transformações profundas na Educação do paísque atenda aos interesses do povo. Os jovens precisam construir umnovo sistema de educação para o país, que atenda as demandas decada um, e que possibilite um Brasil soberano e popular para todos. 4
  4. 4. Por que trabalhar com as escolas? 5
  5. 5. Por que trabalhar com as Escolas? Para que o Projeto Popular de Educação (3PE) comece aexistir, é preciso que organizemos um grande mutirão envolvendotodos os sujeitos que trabalham ou estudam nas mais distintasinstituições escolares. A opção do Levante Popular da Juventude emcolocar-se o desafio do trabalho com juventude nas escolas visa criaruma identidade entre o projeto carregado pelo Levante e as demandaspresentes nas escolas tanto para professores e diretores como para osalunos. Construir o uma nova Educação, passa por identificarmos asdemandas dos jovens sobre os principais limites da escola e tambémquais as reformas que podemos implementar. Além disso, para queesse Projeto saia do papel será preciso que haja uma grandemobilização da juventude do povo brasileiro para que pressionemosos Governos a aceitarem uma reforma popular na educação. Assim, encontramos nas escolas um espaço onde a juventudeestá reunida, e onde se expressa a principal demanda da juventude(por sua vontade e pelo papel colocado a ela pela sociedade) de seformar e educar-se. Desejamos por tanto realizar um trabalho que crieuma identidade ampla entre a escola e o projeto apresentado peloLevante. O primeiro passo para isso é entramos nas escolas. Temos queter como meta colocar uma bandeira do Projeto Popular para aEducação em cada escola do nosso estado. É preciso envolver omáximo de pessoas na construção desse Projeto e na luta por um paísque ofereça uma educação a altura da grandeza do seu povo. Compreendida a nossa tarefa, sempre vem a pergunta: Comofaremos isso? Responder esta questão é justamente o que busca estematerial, a partir das experiências que já tivemos no trabalho comescolas. 6
  6. 6. Qual escola devemos escolher?7
  7. 7. Qual escola devemos escolher? Antes de entrarmos numa escola, é preciso escolher o localonde colocaremos em prática. Para escolher esta escola precisamosnos ligar em alguns critérios: a) Inserção: o que facilita a inserção em uma escola é conhecer “alguma porta de entrada”, ou seja, ter algum militante que estude na escola ou conhecer algum professor ou diretor. Os responsáveis pela autorização da nossa entrada na escola precisam confiar em quem está chegando, por isso é preciso ganhar a confiança nesse primeiro momento, demonstrar seriedade e comprometimento. b) Proximidade com outros focos de organização: as ações do Levante são desenvolvidas nos territórios, por isso o ideal é escolher uma escola próxima da célula que atuamos ou próxima do território dos movimentos sociais, como por exemplo, escola no assentamentos rurais que queremos estar atuando. c) Público: de preferência escolher uma escola de Ensino Médio, que abrange jovens com idade acima de 15 anos. É mais fácil fazer um trabalho de conscientização, tendo em vista um processo de luta e mobilização, com essa faixa etária, além de conseguir mais facilmente autorização dos pais (os alunos somente saem da escola, com permissão desta e com autorização dos pais). Se temos o objetivo de desenvolver um trabalho de base a longo prazo na escola, o foco preferencial deverá ser as turmas de 1º e 2º ano, pois estas estarão na escola no próximo ano. O que não impede de atuarmos e mobilizarmos o 3º ano, mas tendo consciência que o contato posterior não será via a escola. 8
  8. 8. Como apresentar a proposta na escola? 9
  9. 9. Como apresentar a proposta na escola? a) Acionando contatos: Podemos buscar qualquer escola para iniciarmos nosso trabalho, mas é mais fácil chegarmos até elas através de algum contato que já tenhamos previamente. Se conhecemos algum professor parceiro, algum aluno que conheça o Levante, se temos alguma relação com o Grêmio Estudantil ou outro grupo de jovens (grupo de bateria ou música, grupo de teatro, etc.), ou qualquer relação que nos facilite a entrada na escola, procurá-los para uma conversa sobre qual é a melhor forma de envolver a escola na Campanha por um Projeto Popular para a Educação (3PE) é nosso primeiro passo. b) Nos identificando para a escola: O Levante coloca-se para as escolas como um Movimento Social de juventude que reúne jovens de comunidades da periferia urbana, estudantes das universidades e secundaristas, além de jovens camponeses.Queremos formar grupos de vivência da juventude, nos quais os jovens desenvolvam uma identidade em comum e fortaleçam-se para enfrentar seus problemas pessoais e coletivos, além de poderem desenvolver atividades culturais como muralismo, teatro, dinâmicas de animação, bateria, comunicação, etc. É importante deixarmos claro os nossos objetivos para a direção da escola: 1- Queremos contribuir para que os estudantes se envolvam na construção de melhorias para escola, se tornando parceiros da direção; 2- Queremos levantar o debate entre os estudantes sobre a importância da escola, os rumos da educação no Brasil e a construção de um projeto alternativo. 10
  10. 10. Da mesma forma, é importante deixarmos claro o que nãosomos:a) Não somos um partido político e nem estamos diretamente envolvidos em campanhas políticas de candidatos a vereador, porém, não precisamos nos colocar em posição de enfrentamento as eleições, muitos professores, principalmente membros da diretoria da escola, podem estar envolvidos em campanhas, temos que estar abertos a qualquer conversa necessário.b) Não somos uma organização religiosa, mas, também aqui devemos estar abertos a qualquer diálogo, pois, podem haver alunos participantes de diferentes religiões que podem encontrar uma identidade conosco. 11
  11. 11. Qual é a nossa proposta às escolas?12
  12. 12. Qual nossa proposta às escolas?Nosso objetivo central é o Projeto Popular para a Educação, que não éum manifesto vazio e apenas teórico, é um a reunião do conjunto dereivindicações e demandas dos estudantes e professores.Para que isso ocorra precisamos organizar um grupo de jovens dentroda escola, que se reúna frequentemente em torno das tarefas deconstrução desta Campanha.Trazemos aqui 4 propostas de atividades que podemos propor para asescolas. 13
  13. 13. 1 - Construir um Grêmio Estudantil da escola: Esta forma deorganização para dar certo precisa de uma ambiente adequado, ouseja, a direção tem que entender a importância de um Grêmio, e temosque ter referências na escola que vejam sentido neste processo deorganização. Passo 1- Entrar: Acionar nossos contatos na escola, fazer um projeto com todas as atividades que queremos desenvolver; apresentar para a direção. Passo 2- Agitar: Promover um debate sobre a importância de um Grêmio na escola; de preferência conseguir um tempo para fazer este debate com cada turma. Passo 3- Organizar um grupo: Ao término desse debate convidar os interessados em construir um Grêmio para uma reunião de construção da chapa. Passo 4 – Consolidar o grupo: a partir de então é preciso perceber que a nossa principal tarefa é manter este grupo organizado, desenvolver atividades semanalmente com ele, em um horário que não haja aula. É possível a) debater o estatuto do Grêmio; b) debater quais serão as ações do Grêmio; c) organizar o processo eleitoral na escola; d) organizar a campanha da chapa (nome, camiseta, cartazes); e) dividir tarefas dentro do grupo (comunicação; finanças, etc) Passo 5 – Organizar a escola: na medida em que o grupo se consolida o desafio passa a ser desenvolver ações para que o Grêmio organize o conjunto dos estudantes para a construção de um Projeto Popular para a Educação. Nesse sentido é possível: a) promover um debate com os alunos sobre os principais problemas da educação; b) identificar uma demanda que os alunos tenham (Ginásio de esportes; ensino técnico, sala de informática); c) mobilizar os estudantes em função dessas demandas (abaixo- assinado; fazer uma manifestação; trancar uma rua próxima, etc.). 14
  14. 14. 2 – Organizar uma Oficina permanente: as oficinas podem ser sobrequalquer atividade que tenhamos capacidade de oferecer, mesmo quenão dialoguem diretamente com a temática da educação. Podem sertanto oficinas sobre alguma técnica, ligadas ao campo da arte e dacultura (bateria, capoeira, vídeo, teatro, desenho, etc), quanto oficinastemáticas, ou seja, que abordam um tema de debate (sexualidade;diversidade sexual; gênero; bullyng, ecologia, etc). As oficinas podemser utilizadas nas escolas onde não temos nenhuma referência, poisgeralmente são bem aceitas pelos jovens e pela direção. Passo 1- Entrar: Acionar nossos contatos na escola, fazer um projeto com todas as atividades que queremos desenvolver; apresentar para a direção; garantir um espaço dentro da escola em um turno em que os alunos não tenham aula. Passo 2- Agitar: Fazer uma boa divulgação na escola: a) passando de turma em turma e apresentando a oficina; b) cartazes; c) panfletos Passo 3- Organizar um grupo: no primeiro encontro não desanime se forem poucas pessoas, é importante mobilizar os jovens que foram na atividade a convidarem seus colegas para participar do próximo encontro. É preciso apostar na rede de relações destes jovens. Além disso é fundamental garantir que o horário da oficina seja bom para os possíveis interessados. 15
  15. 15. Passo 4 – Consolidar o grupo: formado esse primeiro grupo, éimportante organizar um calendário de encontros sempre nomesmo horário e local. Além de desenvolver a oficina é necessáriotornar aquele coletivo um grupo de amigos. Para isso é preciso seenvolver afetivamente, conversar sobre coisas do cotidiano,marcar atividades (passeios, festas) fora do local da escola. Alémdisso, para que a oficina ganhe mais sentido, é importante desafiaro grupo a fazer alguma apresentação. Ou seja, tirar uma meta paraque o grupo apresente o resultado da oficina. Por fim, é importanteque se construa uma ponte entre a oficina e o Projeto Popular paraEducação. Exemplos: A oficina de teatro pode fazer um esquetesobre os problemas da educação; da mesma forma a oficina devídeo, etc)Passo 5 – Organizar a escola: Na medida em que o grupo seconsolida, e começa a compreender a necessidade de lutar poruma educação melhor, é preciso desafiá-lo a organizar ações parao todo da escola. Assim é possível, que se grupo a) se transformeem uma chapa do Grêmio Estudantil, b) organize uma Assembleiados Estudantes; c) mobilize a escola em defesa de algumademanda que os estudantes tenham (Ginásio de esportes; ensinotécnico, sala de informática,etc.) 16
  16. 16. 3 – Organizar uma Assembleia dos Estudantes: A assembleiaconsiste em promover um grande debate na escola sobre osproblemas da educação e as soluções que queremos. Essa forma deorganização para ser viável requer uma boa relação com a Direção. Passo 1- Entrar: Acionar nossos contatos na escola, fazer um projeto apresentando os objetivos da Assembleia e da Campanha; apresentar para a direção; garantir um período com as turmas para realizar a Assembleia, de preferência que seja uma turma de cada vez. Passo 2- Agitar: Montar uma boa metodologia para este debate com as turmas, através de dinâmicas. Levantar os principais problemas da educação e apontar a mobilização por um Projeto Popular de Educação com uma alternativa de futuro para a juventude do povo brasileiro. Passo 3- Organizar um grupo: Ao final de cada debate, devemos pedir para que a turma indique um ou dois representantes para encaminhar as reivindicações do grupo. Essa comissão será o nosso grupo de referência. Passo 4 – Consolidar o grupo: Essa comissão juntando todos os representantes de turma, deverá se reunir para organizar todas as demandas dos alunos; Passo 5 – Organizar a escola: Assim esta comissão poderá: a) apresentar as reivindicações para os próprios estudantes; b) mobilizar a escola para conquistar essas reivindicações (abaixo- assinado; fazer uma manifestação; trancar uma rua próxima, escrever uma carta pra Secretaria de Educação, etc.). 17
  17. 17. 4 - Organizar um Comitê em defesa da educação: O Comitêquando organizado é um espaço para articular representação dosestudantes (representantes de sala, grêmio e etc), dos professores edos funcionários e se possível até dos pais. Ele é um espaço paradebater os problemas da escola e propor. Deve ter data e horário quetodos possam, como o intervalo entre os turnos. Passo 1 – Propor, após ter alguma relação com escola, para a direção plano de discussões (devemos deixar claro que ele tem finalidade e prazo) com pelo menos três reuniões. Propor para os estudantes, passando em salas e convidando quem se disponibiliza, de preferência uma dupla por sala. Não esquecendo de convidar o Grêmio da escola se houver. Passo 2 – Fazer a primeira reunião, explicar o objetivo deste grupo de trabalho, com uma boa metodologia voltada para debater quais os problemas da escola e da educação em geral, fazer uma relatoria. Se necessário seguir outro dia com este debate, nas próximas reuniões debater propostas para a melhoria, tirar o representante da escola e pensar como vamos mobilizar a escola para a luta. Sempre terminar a reunião com a data da próxima marcada. 18
  18. 18. Independentemente de qual dessas 4 formas vamos escolherpara organizar os estudantes, todos os encontros, todos oscontatos com os estudantes devem conter 3 elementos:1- Relação: Fortalecer as relações de amizade;2- Organização: É preciso se organizar para desenvolver a atividade proposta (Ex: oficina de bateria tem que ensinar a tocar bateria, o Grêmio tem que construir o Grêmio, etc);3- Conscientização: Debater o Projeto Popular para Educação 19
  19. 19. Agitação e Propaganda:Como comunicar O 3PE?20
  20. 20. Agitação e Propaganda: como comunicar o Projeto Popular paraEducação?Além de organizarmos estes grupos de jovens nas escolas,precisamos nos comunicar com todos os sujeitos que compõem aescola: estudantes, professores, funcionários, pais. Neste caso, noscomunicar significa passar a mensagem do nosso Projeto Popularpara a Educação.Para que nós, a juventude do povo brasileiro, tenhamos um futurodecente, precisamos: 1- Educação: Transformar a Educação é transformar a nossa vida. Transformar a nossa vida é transformar o futuro do nosso país. 2- Popular: Uma Educação que não beneficie apenas os ricos, mas o povo que a sustenta. Esta Educação deve estar voltada para atender as necessidades do Povo Brasileiro. 3- Projeto: esta Educação não existe, mas podemos construí- la nos organizando e lutando por uma reforma profunda, que a torne possível. 21
  21. 21. Precisamos relacionar os problemas específicos da escola com aluta pelo 3PE. Esta mensagem pode ser comunicada através: a) Estampa: é importante que os nossos militantes, bem como nossos grupos utilizem camisetas, bottons, adesivos com a identificação da Campanha. b) Muros, Faixas: Trabalhar para que todas as escolas coloquem uma faixa da Campanha em frente as suas entradas e/ou pintem os muros da Escola com o Logo da Campanha. c) Mutirão 3PE: organizar mutirões com a comunidade escolar para melhorar a escola e debater sobre o 3xPEB. d) Jornada 3PE: desenvolver uma espécie de Caravana,um conjunto de atividades, shows, oficinas, debates, intervenções nos intervalos de aula, durante uma mesma semana na Escola. e) Mídias digitais: é fundamental divulgar todas as atividades que desenvolvemos através da internet. 22

×