UNIVERSIDADE ESTÁCIO DE SÁ
ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS
(ABNT)
Cheila Szuchmacher
EDUCAÇÃO SUPERIOR
De acordo com a última Lei de Diretrizes e Bases no:
9.394/96 faz parte da Educação Superior:
Graduação;...
TRABALHOS DE CONCLUSÃO DOS CURSOS
GRADUAÇÃO
PÓS-GRADUAÇÃO
MESTRADO
DOUTORADO
MONOGRAFIA OU
TRABALHO DE CONCLUSÃO
DE CURSO ...
ALGUMAS REGRAS BÁSICAS PARA ELABORAÇÃO
DE TRABALHOS ACADÊMICOS
Tipo de folha: A 4;
Tipo de letra: Arial ou Times New Roman...
FORMATAR PARÁGRAFO
Parágrafo: Justificado;
Espaço entre linhas: 1,5 ou duplo;
Recuo das primeiras linhas dos parágrafos: 1...
LAYOUT - MARGENS
Superior: 3cm
Esquerdo: 3cm
Inferior: 2cm
Direito: 2cm
CITAÇÃO LONGA
Consiste na reprodução (cópia) do pensamento do
autor na íntegra, respeitando-se inclusive a
pontuação do te...
As citações longas são escritas em fonte: 11;
Não utilize aspas e não escreva em itálico ou negrito;
Lembre-se também que ...
EXEMPLO DE CITAÇÃO LONGA
De acordo com Minayo (2010, p. 35):
O projeto ajuda também a
mapear um caminho a ser seguido
dura...
OBSERVAÇÕES
Quando o último nome do autor for escrito dentro do
parêntese utilize caixa alta (letra maiúscula);
Exemplo: A...
CITAÇÃO CURTA
Consiste na reprodução (cópia) de parte de um texto de
um autor na íntegra, quando possui até três linhas. A...
PARÁFRASE
Quando você escreve as ideias do autor com suas
palavras. Nesse caso, escreva apenas o último nome
do autor e o ...
Em toda citação (curta ou longa) é preciso constar:
O último nome do autor;
O ano da publicação;
A página da citação.
O tí...
SOBRE A NUMERAÇÃO DAS LAUDAS
Comece a contar a partir da folha de rosto (não conte
a capa), mas só numere a partir da intr...
ATENÇÃO
Lembre-se de guardar a referência completa de tudo
que for citado e parafraseado no corpo do texto, pois
não podem...
SUGESTÕES PARA INICIAR PARÁGRAFOS
• Compreende-se que
• É possível
• Com base no referencial
• Outro aspecto
• Em outras p...
SUGESTÕES PARA INICIAR PARÁGRAFOS
• No entanto
• É importante acrescentar
• Na perspectiva
• Nesse contexto
• Em princípio...
COMO ELABORAR REFERÊNCIAS
Todos os autores citados e parafraseados no corpo do
texto devem constar nas referências e vice ...
COMO ELABORAR REFERÊNCIA DE LIVRO COM UM ÚNICO AUTOR
Último nome do autor em CAIXA ALTA;
Primeiro nome do autor em caixa b...
PONTUAÇÃO
Após o último nome do autor - vírgula;
Após o primeiro nome do autor - ponto final;
Após o título - ponto final;...
REFERÊNCIAS DE OBRAS DO MESMO AUTOR
A primeira tem seus elementos constitutivos
referenciados na íntegra. As seguintes, nu...
EXEMPLOS
CASTRO, Therezinha de. História moderna. 3o ed. Rio
de Janeiro: Freitas Bastos, 1977.
______. História contemporâ...
DUAS OU MAIS OBRAS ESCRITAS NO MESMO ANO PELO MESMO AUTOR
Para que o leitor identifique que obra o pesquisador está citand...
SOBRENOMES COMPOSTOS
Quando as entradas das referências forem com sobrenomes
compostos de substantivos e adjetivos e vice ...
SOBRENOMES DE PARENTESCO
Os sobrenomes com formas de parentesco, tais
como, JUNIOR, SOBRINHO E NETO são considerados
compo...
DADOS NÃO IDENTIFICÁVEIS
s.l = sem local de publicação;
s.ed. = sem editor;
s.d. = sem data;
sn.t = sem notas tipográficas...
OBRAS COM ATÉ TRÊS AUTORES
Mencionam-se todos os autores, na entrada,
separados com ponto e vírgula. Considera-se a
ordem ...
OBRAS ESCRITAS POR MAIS DE TRÊS AUTORES
Indica-se apenas com o primeiro autor,
acrescentando-se a expressão et al. Exemplo...
OBRAS COLETIVAS ORGANIZADAS POR UM AUTOR
Faz-se à entrada pelo nome do autor organizador,
acrescentando-se entre parêntese...
PRODUÇÕES ACADÊMICAS
As produções acadêmicas englobam: trabalhos
acadêmicos, TCCs, Dissertações e Teses. Para
diferenciá-l...
EXEMPLOS
OLIVEIRA, Patrícia de. A fenomenologia na perspectiva
hermenêutica do pensamento de Heidegger. Rio de
Janeiro: 19...
PARTE DE UMA OBRA
A parte de uma obra antecede à obra especificada
quanto a seus elementos constitutivos essenciais –
auto...
EXEMPLOS:
FRIGOTTO, Gaudêncio. Os delírios da razão: crise do capital
e metamorfose conceitual no campo educacional. In:
G...
OBRAS PUBLICADAS POR ENTIDADES COLETIVAS
Associações, Institutos e outras entidades coletivas
iniciam com o nome da entida...
REFERÊNCIAS LEGISLATIVAS
Devem constar seguintes elementos: país, órgão e
repartição. Exemplo (Constituição):
BRASIL, Cons...
EXEMPLO DE COMO ESCREVER REFERÊNCIA LEI:
RIO DE JANEIRO (Estado). Lei no: 1848, de 23 de julho de 1991.
Dispõe sobre as di...
ARTIGOS EM PERIÓDICOS
Os artigos que integram os periódicos podem ou não
ser assinados. Nos assinados, a responsabilidade ...
EXEMPLOS DE ARTIGOS ASSINADOS EM REVISTAS
GAPRIGLIONE, Laura. Um começo diferente. Veja, São
Paulo, n. 2, p. 22-23, 21 jan...
ARTIGOS NÃO ASSINADOS EM REVISTAS
A ordem e especificação dos elementos constitutivos é a
mesma adotada para artigos assin...
ARTIGOS ASSINADOS EM JORNAIS
A entrada segue a mesma orientação adotada para
artigos assinados em revistas. Diferencia-se ...
ARTIGOS NÃO ASSINADOS EM JORNAIS
À semelhança de referenciação de artigo não
assinado em revista, o verbete de entrada é a...
EXEMPLO DE ARTIGO NÃO ASSINADO EM JORNAL
A PREVIDÊNCIA social no Brasil. Diário de
Pernambuco. Recife, p. 10, 26 jul. 1992.
REFERÊNCIAIS DE FONTES DISPONÍVEIS NA INTERNET
AUTOR PESSOA FÍSICA:
MORAN, josé Manoel. Desafios da internet para o profes...
LIVRO COM AUTORIA:
ALINE, José Renato. Ética geral e profissional. 2. ed. São Paulo: RT
Didáticos, 1999. Disponível em:
<h...
PARTE DE LIVRO COM AUTORIA:
BERRINI, Cícero M. Ambiente ecológico. In: CASTRO, Roberto P.
(org.) Ecologia. 2. ed. São Paul...
EVENTOS (CONGRESSOS, SEMINÁRIOS ETC):
PINKHAM, Jimmy. Odontopediatria clínica baseada em evidência
científica. In CONGRESS...
JORNAL:
CAMPANILI, Maura. Ibama quer barrar destruição de Catinga. O
Estado de São Paulo, São Paulo, 13 ago. 2001. Disponí...
REFERÊNCIA DE FILME
MR HOLLAND: Adorável professor. 1995 –
Interscop/Poligran. Direção Stephen Herex. Produção de
Ted Fiel...
REFERÊNCIAS:
ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. Informação
e documentação – Referências – Elaboração: NBR 6023. Rio...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Abnt 9.394 96

180 visualizações

Publicada em

Normas da ABNT

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
180
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Abnt 9.394 96

  1. 1. UNIVERSIDADE ESTÁCIO DE SÁ ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS (ABNT) Cheila Szuchmacher
  2. 2. EDUCAÇÃO SUPERIOR De acordo com a última Lei de Diretrizes e Bases no: 9.394/96 faz parte da Educação Superior: Graduação; Pós-Graduação; Mestrado; Doutorado e; Pós-Doutorado.
  3. 3. TRABALHOS DE CONCLUSÃO DOS CURSOS GRADUAÇÃO PÓS-GRADUAÇÃO MESTRADO DOUTORADO MONOGRAFIA OU TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC) DISSERTAÇÃO TESE (TRABALHO INÉDITO)
  4. 4. ALGUMAS REGRAS BÁSICAS PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS Tipo de folha: A 4; Tipo de letra: Arial ou Times New Roman; Fonte: 12 (no corpo do texto); Fonte: 11 (só para citações longas); Inserir número de página do lado direito e superior e a 2cm da margem superior.
  5. 5. FORMATAR PARÁGRAFO Parágrafo: Justificado; Espaço entre linhas: 1,5 ou duplo; Recuo das primeiras linhas dos parágrafos: 1,25cm; Obs: citações longas, referências e agradecimentos não possuem recuo nas primeiras linhas dos parágrafos.
  6. 6. LAYOUT - MARGENS Superior: 3cm Esquerdo: 3cm Inferior: 2cm Direito: 2cm
  7. 7. CITAÇÃO LONGA Consiste na reprodução (cópia) do pensamento do autor na íntegra, respeitando-se inclusive a pontuação do texto copiado. A citação longa possui mais de três linhas. É preciso utilizar recuos: Lado direito: zero Lado esquerdo: 4cm
  8. 8. As citações longas são escritas em fonte: 11; Não utilize aspas e não escreva em itálico ou negrito; Lembre-se também que é preciso escrever: O último nome do autor; O ano da publicação; A página da citação, As citações longas não possuem recuo na primeira linha do parágrafo, precisam da página e o espaço entre linhas é simples.
  9. 9. EXEMPLO DE CITAÇÃO LONGA De acordo com Minayo (2010, p. 35): O projeto ajuda também a mapear um caminho a ser seguido durante a investigação. Podemos, assim, antecipar cenários e criar um plano de trabalho. Isso permite ao pesquisador planejar e administrar cada etapa da investigação. Obs: a citação longa acima não está justificada e isso é um erro.
  10. 10. OBSERVAÇÕES Quando o último nome do autor for escrito dentro do parêntese utilize caixa alta (letra maiúscula); Exemplo: Após uma citação escreva (PIAGET, 2010, p. 46); Quando o último nome do autor for escrito fora do parêntese utilize caixa baixa (letra minúscula); Exemplo: Para Piaget (2010, p. 46) .... O ponto final só deve ser colocado após o parêntese.
  11. 11. CITAÇÃO CURTA Consiste na reprodução (cópia) de parte de um texto de um autor na íntegra, quando possui até três linhas. A citação curta e deve ser escrita no corpo do texto, tamanho: 12, com aspas, o último nome do autor, o ano da publicação e o número da página. Exemplo: Minayo (2006, p. 38) afirma que: “O projeto de pesquisa é o desfecho de várias ações e esforços do pesquisador”.
  12. 12. PARÁFRASE Quando você escreve as ideias do autor com suas palavras. Nesse caso, escreva apenas o último nome do autor e o ano da publicação. Não coloque o número da página em paráfrases. Exemplo: De acordo com Piaget (2009), os estágios cognitivos....
  13. 13. Em toda citação (curta ou longa) é preciso constar: O último nome do autor; O ano da publicação; A página da citação. O título da obra será encontrado na lauda (página) das referências.
  14. 14. SOBRE A NUMERAÇÃO DAS LAUDAS Comece a contar a partir da folha de rosto (não conte a capa), mas só numere a partir da introdução em diante. Lembre-se de inserir a numeração do lado direito e superior a 2cm da margem superior.
  15. 15. ATENÇÃO Lembre-se de guardar a referência completa de tudo que for citado e parafraseado no corpo do texto, pois não podemos citar e parafrasear autores que não estejam nas laudas das referências.
  16. 16. SUGESTÕES PARA INICIAR PARÁGRAFOS • Compreende-se que • É possível • Com base no referencial • Outro aspecto • Em outras palavras • Cabe considerar • Nesse sentido • Vale ressaltar • É fundamental pensar • De acordo com • Contrariamente • Do ponto de vista • Sobre esse aspecto • No que tange • Em síntese • Portanto • Entretanto • Finalmente • Nesses termos
  17. 17. SUGESTÕES PARA INICIAR PARÁGRAFOS • No entanto • É importante acrescentar • Na perspectiva • Nesse contexto • Em princípio • Em resumo • O argumento citado • Assim • Na verdade • Vale lembrar • Com certeza • Por sua vez • Por outro lado • No discurso oficial • Na tentativa de • Visando sistematizar • Essa proposta • Nesse ponto • Vale observar • Nessa linha de pensamento • É importante pontuar que • Dessa forma
  18. 18. COMO ELABORAR REFERÊNCIAS Todos os autores citados e parafraseados no corpo do texto devem constar nas referências e vice versa; Escreva as referências em ordem alfabética, de acordo com, a primeira letra, do último nome dos autores; O espaço entre linhas, numa mesma obra, é simples e entre uma obra e outra é duplo; As referências devem ser escritas sem recuo na primeira linha do parágrafo.
  19. 19. COMO ELABORAR REFERÊNCIA DE LIVRO COM UM ÚNICO AUTOR Último nome do autor em CAIXA ALTA; Primeiro nome do autor em caixa baixa; Título - em negrito ou itálico (somente a primeira letra do título e os nomes próprios são escritos com letra maiúscula); Edição; Local da publicação (não abrevie); Nome da editora (não escreva a palavra editora); Ano da publicação. Exemplo: VYGOTSKY, Lev. S. Teoria e método em psicologia. 6o ed. São Paulo: Martins Fontes, 1996.
  20. 20. PONTUAÇÃO Após o último nome do autor - vírgula; Após o primeiro nome do autor - ponto final; Após o título - ponto final; Após a edição - ponto final; Após o local da publicação - dois pontos; Após o nome da editora - vírgula; Após o ano da publicação - ponto final. Exemplo: VYGOTSKY, Lev. S. Teoria e método em psicologia. 6o ed. São Paulo: Martins Fontes, 1996.
  21. 21. REFERÊNCIAS DE OBRAS DO MESMO AUTOR A primeira tem seus elementos constitutivos referenciados na íntegra. As seguintes, numa ordem cronológica decrescente, são sequencialmente referenciadas, sem constar o(s) nome(s) do(s) autor(es); em seu lugar, coloca-se um traço e um ponto (equivalente a seis espaços).
  22. 22. EXEMPLOS CASTRO, Therezinha de. História moderna. 3o ed. Rio de Janeiro: Freitas Bastos, 1977. ______. História contemporânea. 3o ed. Rio de Janeiro: Freitas Bastos, 1978.
  23. 23. DUAS OU MAIS OBRAS ESCRITAS NO MESMO ANO PELO MESMO AUTOR Para que o leitor identifique que obra o pesquisador está citando ou parafraseando deverá constar: NO CORPO DO TEXTO: Segundo Ferro (2000b, p.44) .... NAS REFERÊNCIAS: FERRO, Gustavo de Almeida. O desenvolvimento infantil e intelectual do adolescente. Barbacena: Universo 2000a. ______. Introdução ao pensamento psicopedagógico. Belo Horizonte: Continental, 2000b.
  24. 24. SOBRENOMES COMPOSTOS Quando as entradas das referências forem com sobrenomes compostos de substantivos e adjetivos e vice versa, mantém- se a ordem do composto. Exemplos: CASTELO BRANCO, Camilo (Não inicie com BRANCO); SANTA CRUZ, Luis Cláudio de (Não inicie com CRUZ);
  25. 25. SOBRENOMES DE PARENTESCO Os sobrenomes com formas de parentesco, tais como, JUNIOR, SOBRINHO E NETO são considerados compostos, portanto, integram a entrada. Exemplos: LIMA SOBRINHO, Barbosa. PRADO JUNIOR, Caio.
  26. 26. DADOS NÃO IDENTIFICÁVEIS s.l = sem local de publicação; s.ed. = sem editor; s.d. = sem data; sn.t = sem notas tipográficas, quando faltam todos os elementos citados acima. Esse tipo de publicação não é aceito em trabalhos de pesquisa.
  27. 27. OBRAS COM ATÉ TRÊS AUTORES Mencionam-se todos os autores, na entrada, separados com ponto e vírgula. Considera-se a ordem em que aparecem na folha de rosto. Exemplo: GOOD, William Josian; HARTT, Paul K. Métodos em pesquise social. 6o ed. São Paulo: Nacional, 1977.
  28. 28. OBRAS ESCRITAS POR MAIS DE TRÊS AUTORES Indica-se apenas com o primeiro autor, acrescentando-se a expressão et al. Exemplo: HOUAISS, Antonio et al. Editoração hoje. 2o ed. Rio de Janeiro: FGV, 1981.
  29. 29. OBRAS COLETIVAS ORGANIZADAS POR UM AUTOR Faz-se à entrada pelo nome do autor organizador, acrescentando-se entre parêntese a indicação (org.). Exemplo: FRIGOTTO, Gaudêncio (org.). Educação e trabalho. Rio de Janeiro: Vozes, 1998.
  30. 30. PRODUÇÕES ACADÊMICAS As produções acadêmicas englobam: trabalhos acadêmicos, TCCs, Dissertações e Teses. Para diferenciá-los adotam-se os mesmos procedimentos vistos para livros, acrescentando-se ao final uma nota que caracterize o grau de escolaridade e exigência, a Unidade Acadêmica, a Instituição, o local e o ano da defesa - mencionada na folha de aprovação (se houver).
  31. 31. EXEMPLOS OLIVEIRA, Patrícia de. A fenomenologia na perspectiva hermenêutica do pensamento de Heidegger. Rio de Janeiro: 1997. 156 f. Tese (Doutorado em Filosofia) – Faculdade de Filosofia, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 1997. PEREIRA, Carlos da Silva. Os fundamentos epistemológicos da interdisciplinaridade: exercício da práxis psicopedagógica no ensino superior: 1999. 122 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Faculdade de Educação Universidade de São Paulo, São Paulo, 1999.
  32. 32. PARTE DE UMA OBRA A parte de uma obra antecede à obra especificada quanto a seus elementos constitutivos essenciais – autor(es), título, subtítulo (se houver) seguido de uma das seguintes expressões: in, apud ou citado por caracteriza-se como citação ou capítulo de livro encontrado na obra de outro autor.
  33. 33. EXEMPLOS: FRIGOTTO, Gaudêncio. Os delírios da razão: crise do capital e metamorfose conceitual no campo educacional. In: GENTILLI, Pablo (org.). Pedagogia da exclusão: crítica ao neoliberalismo em educação. 5o ed. Petrópolis: Vozes, 1995. cap. 3, p.77-108. RODRIGUES, Romeu Barbosa. Reflexão sobre o desenvolvimento afetivo do adolescente. Apud: ______. Introdução ao pensamento psicopedagógico. Rio de Janeiro: Continental, 2000. cap. 2, p. 33-45.
  34. 34. OBRAS PUBLICADAS POR ENTIDADES COLETIVAS Associações, Institutos e outras entidades coletivas iniciam com o nome da entidade no lugar do nome do autor. Exemplo: ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. Informação e documentação – Referências – Elaboração: NBR 6023. Rio de Janeiro: ABNT, 2002.
  35. 35. REFERÊNCIAS LEGISLATIVAS Devem constar seguintes elementos: país, órgão e repartição. Exemplo (Constituição): BRASIL, Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília: Senado Federal: Centro Gráfico, 1988.
  36. 36. EXEMPLO DE COMO ESCREVER REFERÊNCIA LEI: RIO DE JANEIRO (Estado). Lei no: 1848, de 23 de julho de 1991. Dispõe sobre as diretrizes orçamentárias para o exercício de 1992 e dá outras providências. Diário Oficial do Estado do Rio de Janeiro, Niterói, v. 17, n. 140, p. 1, 24 jul. 1991. EXEMPLO DE COMO ESCREVER REFERÊNCIA DE DECRETO: BRASIL. Decreto-lei no: 2423, de 7 de abril de 1988. Estabelece critérios para pagamento e gratificações e vantagens pecuniárias aos titulares de cargos e empregos administrativos nas Administrações Federais diretas e autárquicas e dá outra providências. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, v. 126, n. 66, p. 6009, 8 abr. 1988.
  37. 37. ARTIGOS EM PERIÓDICOS Os artigos que integram os periódicos podem ou não ser assinados. Nos assinados, a responsabilidade pelo pensamento manifestado é do autor. Quanto aos não assinados – que não consta autoria, as ideias veiculadas são de inteira responsabilidade da entidade que as publicou. Por exemplo: os editoriais de jornais e revistas.
  38. 38. EXEMPLOS DE ARTIGOS ASSINADOS EM REVISTAS GAPRIGLIONE, Laura. Um começo diferente. Veja, São Paulo, n. 2, p. 22-23, 21 jan. 1998. GOLDSTEIN, Catherine. GRAY, Jeremy. O despertar da ciência contemporânea. O Correio da UNESCO: viagem ao país da matemática, Rio de Janeiro, v. 18, n. 1, p. 43- 49, jan. 1990. Edição especial.
  39. 39. ARTIGOS NÃO ASSINADOS EM REVISTAS A ordem e especificação dos elementos constitutivos é a mesma adotada para artigos assinados. Substitui-se a autoria pela primeira palavra do título do artigo, em maiúscula. Quando for o caso, faz-se acompanhar de artigo definido ou indefinido. Exemplos: COMO se cria e expande a inteligência. Veja, São Paulo, n. 1234, p. 62-69. OS MAUS serão castigados ...
  40. 40. ARTIGOS ASSINADOS EM JORNAIS A entrada segue a mesma orientação adotada para artigos assinados em revistas. Diferencia-se quanto à ordem e sequência dos elementos constitutivos. Caso o jornal não houver caderno, seção, suplemento ou parte, a paginação do artigo antecede a data. Exemplo: CAMPOS, Roberto. As tributações dos cristãos novos. O Globo, Rio de Janeiro, 18 nov. 1990, Opinião, p. 7.
  41. 41. ARTIGOS NÃO ASSINADOS EM JORNAIS À semelhança de referenciação de artigo não assinado em revista, o verbete de entrada é a palavra inicial do artigo. A partir de então, segue o formato e a sequência dos elementos constitutivos inerentes a artigo assinado em jornal.
  42. 42. EXEMPLO DE ARTIGO NÃO ASSINADO EM JORNAL A PREVIDÊNCIA social no Brasil. Diário de Pernambuco. Recife, p. 10, 26 jul. 1992.
  43. 43. REFERÊNCIAIS DE FONTES DISPONÍVEIS NA INTERNET AUTOR PESSOA FÍSICA: MORAN, josé Manoel. Desafios da internet para o professor. Disponível em: <http:www.eca.usp.br/prof/moran/desafio.htm>. Acesso em: 13 abr. 2010 às 14:10min. AUTOR ENTIDADE COLETIVA: UNIVERSO ONLINE. Perguntas mais frequentes. Disponível em: <http://www.uol.br/nvgtr/hlp02htm> Acesso em: 07 out. 2006 às 15:20min.
  44. 44. LIVRO COM AUTORIA: ALINE, José Renato. Ética geral e profissional. 2. ed. São Paulo: RT Didáticos, 1999. Disponível em: <http://www.safe.tesla.com.br/rt/options/fram.asp?categoria=14 Etica>. Acesso em:22 jan. 2011. às 17:29min. PRODUÇÃO ACADÊMICA: RAFAELI NETO, Sílvio Luís. Um modelo de sistema de apoio à decisão espacial para gestão de desastres por inundações. 2000. 112f. Tese (Doutorado em Engenharia) – Escola Politécnica da Universidade de São Paulo, 2000. Disponível em: <http://www.cav.udesc.br/~engrural/ie/professores/silvion/html/i ndex.htm>. Acesso em: 20 jan. 2009 às 15:45min.
  45. 45. PARTE DE LIVRO COM AUTORIA: BERRINI, Cícero M. Ambiente ecológico. In: CASTRO, Roberto P. (org.) Ecologia. 2. ed. São Paulo: Atlas, 1993. v.1, cap.2, p. 7-32. Disponível em: <http://www.fauze.com.br/artigo20htm>. Acesso em: 14 mar. 2007 às 18:30min. REFERÊNCIA LEGISLATIVA: CONSELHO FEDERAL DE EDUCAÇÃO. Resolução no: 16, de 13 de dez. 1994. Dispõe sobre reajustamento de taxas de contribuições e semestralidades escolares e altera redação do artigo 5 da Resolução no: 1, de 14/1/83. Diário Oficial, Brasília, p. 190-191, 13 dez. 1994. sec. 1. Disponível em: <http://www.fasubra.com.br/coordenacoes/juridico-01.htm>. Acesso em: 14 ago. 2010 às 14:29min.
  46. 46. EVENTOS (CONGRESSOS, SEMINÁRIOS ETC): PINKHAM, Jimmy. Odontopediatria clínica baseada em evidência científica. In CONGRESSO BRASILEIRO DE ODONTOPEDIATRIA, 28, 2001, SALVADOR. Anais. Salvador; UFBA. Disponível em: <http://www.ortoperfil.com.br/cursos2.Asp?id=16>. Acesso em: 14 jun. 2011 às 19:10min. REVISTA: MORAIS, Ana Silvia; ABUT, Lia. Será que vai sobrar vagas? Veja, São Paulo, v. 1713, n.32 p. 80-82, 15 ago.2001. Disponível em: <http://www2.uol.com.br/veja/150801/p_080.html> . Acesso em: 16 set.2009 às 23:56min.
  47. 47. JORNAL: CAMPANILI, Maura. Ibama quer barrar destruição de Catinga. O Estado de São Paulo, São Paulo, 13 ago. 2001. Disponível em: <http://www.estadao.combr/ciencia/noticias/2001/ago/13/58. htm#>. Acesso em: 13 ago. 2008 às 14:47min. LISTA DE DISCUSSÃO: EDUCACAO. Universidades. Disponível em: <http://www.grupos.com.br/grupos/?id_pai=5> . Acesso em: 12 set. 2005 às 18:18min.
  48. 48. REFERÊNCIA DE FILME MR HOLLAND: Adorável professor. 1995 – Interscop/Poligran. Direção Stephen Herex. Produção de Ted Field, Michael Nol e Robert W. Cort. São Paulo: Flas Star/home vídeo, ca. 1996. 1 filme (90 min.), son., color.
  49. 49. REFERÊNCIAS: ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. Informação e documentação – Referências – Elaboração: NBR 6023. Rio de Janeiro: ABNT, 2002. SEVERINO, Antônio Joaquim. Metodologia do trabalho científico. São Paulo: Cortez, 2002.

×