Trilhos do sabor

605 visualizações

Publicada em

apresentação do projecto Trilhos do Sabor

Publicada em: Alimentos
  • Seja o primeiro a comentar

Trilhos do sabor

  1. 1. Viver a gastronomia portuguesa TRILHOS DO SABOR Ana Sofia Gaspar Helena Casanova Raquel Antunes
  2. 2. O que é ?
  3. 3. • Trata-se de um projeto de animação turística centrada na gastronomia e vinhos. • Pretende-se o desenvolvimento de uma tipologia de produto turístico que passa pela: • Associação de produtos locais, sazonais; • Património e cultura gastronómica; • Património natural; • Filosofia do bem-receber; • Convívio. • Propor e desenvolver “trilhos” que permitam experiências e vivências gastronómicas. • Promover e divulgar nacional e internacionalmente a rica gastronomia da zona centro.
  4. 4. • Proporcionar aos turistas o autêntico e viver as emoções e as histórias por trás da comida. • Desenvolver “trilhos” visando a criação de experiências estruturadas através do estabelecimento de parcerias de qualidade. • Fomentar parcerias com “embaixadores”.
  5. 5. Porquê?
  6. 6. 1. Porque a gastronomia faz sempre parte da experiência turística, independentemente de se tratar ou não da sua motivação primária. 2. Porque o turismo gastronómico e o enoturismo, são uma tendência de mercado. 3. Porque a Zona Centro possui uma riquíssima tradição gastronómica e vitivinícola. 4. Porque existe uma forte ligação entre a componente de “Gastronomia e Vinho” com toda a sua envolvência, o que permite a construção de produtos abrangentes.
  7. 7. 5. Porque as atividades relacionadas com o produto “Gastronomia e Vinhos”, vão ao encontro da vontade dos turistas em integrarem movimentos que procuram reduzir a nossa pegada verde, como os movimentos de slow food ou mesmo slow tourism. 6. Porque cada vez é mais abrangente o perfil do turista de “Gastronomia e Vinho”. 7. Porque em Portugal o conceito de turismo de “Gastronomia e Vinho” em todas as suas vertentes/amplitude ainda está pouco desenvolvido.
  8. 8. Perfil do Turista Gastronómico
  9. 9. PERFIL DO TURISTA GASTRONÓMICO* • Possui entre 35 e 60 anos; • Tanto pode ser homem como mulher, mas na maioria são homens; • Elevado nível sociocultural; • Classe média-alta e alta. • Obtêm informação para as suas viagens: •via internet, • amigos ou familiares, • revistas especializadas, • clubes de gastronomia ou de enoturismo. * De acordo com o estudo da THR para o Turismo de Portugal, (2006)
  10. 10. • Reservam as suas viagens em portais especializados ou agências de viagem, • Viagens de 5 a 7 dias, em especial na primavera e outono, • Viajam em casal ou pequenos grupos, • Ao nível do alojamento privilegiam a qualidade em detrimento do preço.
  11. 11. •Cluster do turista Social; •Cluster do turista Étnico; •Cluster do turista Gourmet. Comportamento/motivações
  12. 12. O nosso conceito
  13. 13. A cozinha portuguesa convida, inspira, acolhe, alegra, alimenta com os olhos e a boca! Desenho de experiências de exploração G&V Edutenimento Imersão na cultura local (herança) As pessoas (os nossos embaixadores) Oferta complementarExperimentar o autêntico (Emoções) Personalização Parcerias Comunicação Fatores diferenciadores
  14. 14. O alojamento Mergulhar na cultura através dos “embaixadores” A experiência gastronómica O convívio Os 4 eixos dos trilhos do sabor TRILHOS DO SABOR
  15. 15. Unidades de restauração
  16. 16. Alojamento
  17. 17. “Produtores locais”
  18. 18. “Agentes culturais”
  19. 19. CLIENTE Eixo estratégico Mergulhar na cultura através dos "embaixadores" PARCEIROS ESTRATÉGICOS Experiência Alojamento (tipologia) Duração Grupos Perfil Unidades de alojamento Unidades de restauração Produtores locais Outros Trilho 1 Sabores, da Serra ao Mar Traça rústica Três noites Máx 7 pessoas Gourmet Lousã - José Luís Santos e Ana Paula Sançana Tentúgal - Olga Cavaleiro Mira - Alcino Clemente - Quintal de Além Ribeiro - Quinta das Lágrimas - Maçarico BeachHotel - Restaurante Loggia - Restaurante O Burgo - Loja de Xisto do Candal - Fangas Mercearia Bar - Pastelaria O Afonso - Restaurante Salgáboca - Licor Beirão - Lousamel - Confraria dos Pasteis de Tentúgal - Grupo Etnográfico GERL - Fado ao Centro - Lota de Mira - Museu Etnográfico de Mira Trilho 2 Sabores da Serra Traça rústica Duas noites Máx. 7 pessoas Étnico José Luís Santos Ana Paula Sançana Mário Meira Santos - MountainW hisper - Restaurante Páteo do Xisto - Loja de Xisto do Candal - Loja do Sr. Falcão - Lousamel - Licor Beirão - Grupo Etnográfico GERL Desenho das experiências gastronómicas
  20. 20. Facebook: https://www.facebook.com/trilhosdosabor Site: www.trilhosdosabor.com
  21. 21. Conclusão
  22. 22. • Gastronomia como atrativo turístico - aumenta o número de turistas nas localidades e, consequentemente, aumenta o número de empregos, propiciando o crescimento económico de uma região. • Existe uma relação muito próxima entre a gastronomia e o vinho, complementando-se as duas vertentes ao nível de uma boa refeição e, juntos, podem ser uma mais-valia para as regiões. • Por isso, é importante repensar estes “trilhos” e outros futuros. • Futuramente, seria interessante estudar o fenómeno do enoturismo e turismo gastronómico de forma conjunta.
  23. 23. Bibliografia
  24. 24. • Costa, Carlos. F. (2009). O Comportamento do Turista Estrangeiro no Consumo da Gastronomia Portuguesa. Dissertação apresentada para obtenção do grau mestre no Departamento de Economia, Gestão e Engenharia Industrial. Universidade de Aveiro •Cunha, Licínio (2001). Introdução ao Turismo. 1º Edição. Lisboa. Verbo. •Hall, M.; Mitchell, R. (2002). Tourism as a force for gastronomic globalization and localization, In: Tourismand Gastronomy. Hjalager, A. M. Richards, G. (editors). Routledge. pp. 71-90. •Hall, M.; Sharples, L. (2003). The Consumption of Experiences or the Experience of Consumption? An Introduction to the Tourism of Taste In: Hall, M. et al. Food Tourism Around the World. Oxford: Elsevier. pp. 1-24. •Mitchell, R.; Hall, C. M. (2003). Consuming Tourists: food tourism consumer behaviour. Food, Tourism Around the World. Development, Management and, Markets, Hall, M. et. al. (editors). Oxford. Butterworth-Heinemann. pp. 60-80. •THR (Asesores en Turismo Hotelería y Recreación, S.A). (2006). Estudo para o Turismo de Portugal. 10 Produtos Estratégicos para o Desenvolvimento do Turismo em Portugal: Gastronomia e Vinhos. Lisboa. Turismo de Portugal. i.p

×