Poesia em forma

5.841 visualizações

Publicada em

1 comentário
1 gostou
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
5.841
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
91
Comentários
1
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Poesia em forma

  1. 1. POESIA EM FORMA ,
  2. 2. NOÇÕES BÁSICAS DE POÉTICA <ul><li>  </li></ul><ul><li>POESIA - Texto do Gênero Lírico que é escrito seguindo os seguintes modelos: </li></ul><ul><li>Apresenta um esquema de rima; </li></ul><ul><li>Divide-se em versos e estrofes; </li></ul><ul><li>Apresenta um esquema métrico (metrificação) </li></ul><ul><li>  </li></ul>
  3. 3. ESTROFES E VERSOS <ul><li>O verso é cada linha de um poema. </li></ul><ul><li>A estrofe é um conjunto de versos que se encontra unido. </li></ul><ul><li>Há estrofes de quatro versos que são chamadas de quartetos. </li></ul><ul><li>Há estrofes de três versos que são chamados de tercetos. </li></ul><ul><li>Um poema que tem dois quartetos e dois tercetos é chamado de SONETO. </li></ul>
  4. 4. ESQUEMA DE RIMA <ul><li>A rima de um poema é a combinação sonora que é feita entre os versos. </li></ul><ul><li>Há RIMAS RICAS , que apresentam combinação sonora entre palavras de classes gramaticais diferentes. </li></ul><ul><li>Há RIMAS POBRES que apresentam combinação sonora entre palavras de classes gramaticais iguais. </li></ul><ul><li>Há RIMAS RARAS que apresentam combinação sonora entre palavras difíceis de rimar. </li></ul><ul><li>Há RIMAS PRECIOSAS que apresentam combinação sonora entre o verbo pronominal e outra palavra. </li></ul>
  5. 5. EXEMPLOS: <ul><li>Rimas Pobres: </li></ul><ul><li>Falar / amar (verbos), o calor/ sabor (substantivos), bonito / bendito (adjetivos). </li></ul><ul><li>Rimas Ricas: Cantando / bando (verbo e substantivo), mar / navegar (substantivo e verbo) e vagos e lagos (adjetivo e substantivo). </li></ul><ul><li>Rimas Raras: Cisne / tisne. </li></ul><ul><li>Rimas Preciosas: Estrela / tê-la (substantivo, verbo pronominal) e Tranqüilo / segui-lo (adjetivo e verbo pronominal). </li></ul><ul><li>  </li></ul>
  6. 6. AS RIMAS PODEM SER CLASSIFICADAS, TAMBÉM, POR SUA POSIÇÃO NO VERSO. <ul><li>Cruzada ou alternada : O primeiro verso rima com o terceiro, e o segundo com o quarto (abab). </li></ul><ul><li>“ Minha desgraça não é ser poeta,(A) </li></ul><ul><li>Nem na terra de amor não ter um eco, (B) </li></ul><ul><li>E meu anjo de Deus, o meu planeta (A) </li></ul><ul><li>Tratar-me como trata-se um boneco. (B) </li></ul><ul><li>” (Minha Desgraça - Álvares de Azevedo ) </li></ul><ul><li>Interpolada ou intercalada : O primeiro verso rima com o quarto, e o segundo com o terceiro (abba). </li></ul><ul><li>“ Eu, filho do carbono e do amoníaco, (a) </li></ul><ul><li>Monstro de escuridão e rutilância, (b) </li></ul><ul><li>Sofro, desde a epigênese da infância, (b) </li></ul><ul><li>A influência má dos signos do zodíaco. (a) </li></ul><ul><li>” Psicologia de um Vencido, Augusto dos Anjos ) </li></ul>
  7. 7. <ul><li>Emparelhada : O primeiro verso rima com o segundo, e o terceiro com o quarto (aabb). </li></ul><ul><li>“ Aos que me dão lugar no bonde (a) </li></ul><ul><li>e que conheço não sei de onde, (a) </li></ul><ul><li>aos que me dizem terno adeus (b) </li></ul><ul><li>sem que lhes saiba os nomes seus (b). </li></ul><ul><li>” (Obrigado - Carlos Drummond de Andrade ) </li></ul><ul><li>Encadeada ou internas : Quando rimam palavras que estão no fim do verso e no interior do verso seguinte: </li></ul><ul><li>“ Salve Bandeira do Brasil querida (a) </li></ul><ul><li>Toda tecida (a) de esperança e luz (b) </li></ul><ul><li>Pálio sagrado sobre o qual palpita (c) </li></ul><ul><li>A alma bendita (c) do país da Cruz (b). </li></ul>
  8. 8. MISTURADAS <ul><li>  Não tem ordem determinada entre as rimas. </li></ul><ul><li>“ A chuva chove mansamente... como um sono (a) </li></ul><ul><li>Que tranqüilize, pacifique, resserene...(b) </li></ul><ul><li>A chuva chove mansamente... Que abandono! (a) </li></ul><ul><li>A chuva é a música de um poema de Verlaine... (c) </li></ul><ul><li>E vem-me o sonho de uma véspera solene, (b) </li></ul><ul><li>Em certo paço, já sem data e já sem dono... (a) </li></ul><ul><li>Véspera triste como a noite, que envenene (b) </li></ul><ul><li>...Num velho paço, muito longe, em terra estranha, (d) </li></ul><ul><li>Com muita névoa pelos ombros da montanha... (d) </li></ul><ul><li>Paço de imensos corredores espectrais, (e) </li></ul><ul><li>Onde murmurem, velhos órgãos, árias mortas, (f) </li></ul><ul><li>Enquanto o vento, estrepitando pelas portas, (f) </li></ul><ul><li>Revira in-fólios, cancioneiros e missais (e) ” </li></ul><ul><li>(A Chuva Chove - Cecília Meireles ) </li></ul>
  9. 9. VERSOS BRANCOS OU SOLTOS E RIMAS ESDRÚXULAS. <ul><li>Os Versos Brancos não apresentam rimas. </li></ul><ul><li>“ A rosa com cirrose </li></ul><ul><li>anti-rosa atômica </li></ul><ul><li>Sem cor sem perfume </li></ul><ul><li>Sem rosa sem nada.” </li></ul><ul><li>As Rimas Esdrúxulas Quando a rima acontece entre palavras proparoxítonas. </li></ul><ul><li>Mágico / Trágico, Fábula / tábula.   </li></ul>
  10. 10. MÉTRICA <ul><li>Diz respeito a quantidade de sílabas poéticas um poema apresenta em cada verso. </li></ul><ul><li>As sílabas devem ser contadas até a última sílaba tônica de cada verso. </li></ul><ul><li>São contados como uma só sílaba a última sílaba da palavra anterior terminada em vogal e a primeira sílaba da palavra posterior iniciada em vogal átona. </li></ul>
  11. 11. HTTP://LETICIALOPES.NO.COMUNIDADES.NET/INDEX.PHP?PAGINA=1677258700

×