Efeitos adversos opióides

8.916 visualizações

Publicada em

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
8.916
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
167
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Efeitos adversos opióides

  1. 1. EFEITOS ADVERSOS DOS OPIOIDES Gema Fernández Lozano Miguel Arenas García Pablo Sánchez Jordán
  2. 2. • Náuseas e/ou vômitos • Prurido• Boca seca • Constipação• Sonolência • Depressão• Astenia Respiratória• Sintoma Confusional • Farmacodependênc (Neurotoxicidade) ia• Instabilidade • Cardiovasculares• Sudorese • Neuroendócrinos • Depressão Imune • Outros
  3. 3. Depressão Respiratoriao Freqüência >>>> Ritmo anormal e Apnéiao Sensibilidade do Centro Respiratório ao CO 2o Reflexo da toso Dosidependiente, via de administração, lipossolubilidade
  4. 4. Farmacodependencia o Tolerância ( eficácia pela administração repetida) o Dependência Física (síndrome de abstinência) o Dependência Psicológica (drogodependência)
  5. 5. Constipaçãoo Motilidade e Secreção Gastrointestinalo Hipertonia dos esfínctereso Agonistas puros >o Agonistas-Antagonistas mistos >o Metazinol
  6. 6. Efeitos Cardiovasculares o Bradicardia e Hipotensão (vasodilatação arterial e venosa) o Fatores nervosos, vasculares e cardíacos (Depressao Respiratoria também) o Depressao Centro Vasomotor Bulbar o Solte indireito de Histamina
  7. 7. Depressão do Sistema Imuneo Inibição da atividade proliferativa das células progenitoraso Alteração na diferenciação linfocitária ( atividade, quimiotaxia e atividade fagocitária dos macrófagos; alteração células NK, linfócitos B e T, menos anticorpos...)o Atrofia do Baço e Timo
  8. 8. Outros Efeitoso Hipotermia de origem hipotalâmicoo Mioseo Hipertonia de origem centralo Vasodilatação cutânea
  9. 9. 1. MORFINA (1)o Aparência efeitos secundários não evita o tratamentoo Drogodependência (dependência física e psicológica)o Tolerância muito rápida
  10. 10. 1. MORFINA (2)SÍNDROME DE ABSTINÊNCIA (depois de 2 horas): - Olhos chorosos, insônia, diarréia, sudorese, disforia, desejo pela droga - Dor de cabeça, dor de corpo, tremores, vômitos, ansiedade e depressão severa - Aumento de pressão arterial e freqüência cardíaca >>> ataque cardíaco, coágulos e acidente cerebrovascularSOBREDOSAGEM (asfixia e morte por depressão respiratória se não hatratamento com naloxona ou atenção medica)
  11. 11. 2. CODEINA o Pouca dependência (só com doses muito altas em muito tempo) oEfeitos secundários (constipação, náuseas e vômitos, vertigem, sonolência, excitação e convulsões em crianças)
  12. 12. 3. HEROINA (1)o Sobredosagem (50-60%)o Efeitos secundários (psicose, epilepsia, efeito narcótico, sonolência, apatia, miosis, depressão tensão arterial e freqüência respiratória...)o Efeitos Sociais (desfragmentarão familiar, aislamento, perdida do trabalho, alteração física, morte)
  13. 13. 3. HEROINA (2)o SÍNDROME DE ABSTINÊNCIA (forte, progressivo ate 4-5 dia): o - Primeiras horas: “craving” (desejo de o consumo, ansiedade, procura de o heroína) o - 8-15 horas: lacrimejamento, sudorese, rinorréia, o bocejos o - 16-24 horas: midríase, piloereção, cãibras musculares, oleadas de frio e calor, algias difusas, anorexia e irritabilidade o - > 24 horas: Insônia, febre, retardo motor, dor abdominal, aumento de freqüência cardíaca e respiratóriao
  14. 14. 4. FENTANILOo Sobredosagem (depressão respiratória, sonolência, miose, reações cutâneas)o 5. METADONA o Drogodependence, miose, depressão respiratória, bradicardia, constipação, hipertermia, hiperglicemia o Sobredosagem (pele fria e úmida, depressão do sistema nervosos desde estupor até coma)
  15. 15. 6. BUPRENORFINAo Mínimos efeitos adversos (só sonolência, tontura, dor de cabeça, prurido) 7. OXICODONA o Efeitos digestivos e neurológicos (náuseas e vômitos, constipação e alucinações)
  16. 16. 8. NALOXONA o Antagonista dos receptores opioides o Tratamento das intoxicações agudas o Efeitos não desejável (taquicardia, arritmias, aumento da pressão intracraniana, edema do pulmão, midriase, sudorese...)
  17. 17. Obrigado pela sua atenção
  18. 18. Bibliografiao Flórez, J.. Fármacos analgésicos opiáceos. En J. Flórez (Ed.), Farmacología Humana. Masson-Salvat. Barcelona. 1992o Flórez, J. Fármacos y dolor. Edit Ergon Madrid. 2004o León-Olea, M. Evolución filogenética del dolor. Elementos, 46: 19-23. 2002o www.servisalud.com/elpensa/nutricion02.htm).o Baños JE. Nuevas perspectivas en el empleo de los fármacos opioides en el tratamiento del dolor. Rev Soc. Esp. Dolor 2003; 168-180o Expert Working Group of the European Association for Palliative Care. Morphine in cancer pain: modes of administrattion. British Medical Journal 1996; 312: 823-826o El dolor en la práctica del Médico de Atención Primaria. Libro Balnco sobre el Dolor. Gabinete de estudios Sociológicos BERNARD KRIEF. Lab Knoll SA, 1998o Sanz Ortiz J. Analgésicos opioides en el tratamiento del dolor asiciado al cáncer. Rev. Cáncer 2000; 14(5): 190-200

×