SlideShare uma empresa Scribd logo
CARTAS DE PAULO AOS
TESSALONICENSES
ESCOLA BÍBLICA VIRTUAL
CLASSE: A BÍBLIA EM UM ANO
PROFº: FRANCISCO TUDELA
PIBPENHA -SP
1 E 2 TESSALONICENSES
Paulo as escreve de Corinto, ano 51
d.C, durante a 2ª viagem, espaçadas
de alguns meses.
São a 2ª e 3ª cartas escritas por Paulo
(a 1ª foi Galatas).
A 1Ts vem do relato de Timóteo sobre a
igreja em Tessalônica.
É possível que os tessalonicenses
tivessem recebido uma carta forjada
afirmando que o “Dia do Senhor” já
havia começado (2 Ts 2.2).
Paulo escreveu então 2Ts para corrigir o
erro e dar uma visão clara deste fato.
2ª viagem de Paulo
A História da Pregação da Palavra em Tessalônica
Paulo, Silas e Timóteo em Tessalônica, na 2ª viagem,
hospedam-se na casa de Jason (At 17.1,7)
Paulo ensina, por 3 sábados numa sinagoga, sobre Jesus,
sua morte e ressurreição (At 17.1-3)
Alg uns jude us, m uito s g re g o s e m uitas das m ulhe re s m ais
re spe itadas da cidade se co nve rte ram (At 1 7 . 4)
Alguns judeus, descontentes com isso, incitam maus
elementos da praça da cidade, e cercam a casa de Jasom
para prender Paulo e Silas (At 17.5)
Motivo: Paulo é um charlatão e que prega por interesses
financeiros (1Ts 2), pois nesta época havia muitos
pregadores itinerantes na Grécia que assim procediam.
Não encontrando Paulo, os judeus prenderam seu
anfitrião, Jasom e outros irmãos:
Acusavam-nos de terem acolhido
homens que causavam alvoroço por
todo o mundo com sua doutrina (At 17.6)
Que agiam contra os decretos de César ao declarar que
há outro rei chamado Jesus (At 17.7)
Jasom e os outros foram soltos depois de pagarem fiança
(At 17.8,9).
Por esta razão Paulo, Silas e Timóteo não prosseguiram
seu trabalho em Tessalônica (1Ts 1.5-8)
De Tessalônica foram para a cidade de Beréia distante 100
Km (At 17.10-15)
“Quando os judeus de Tessalônica ficaram sabendo que
Paulo estava pregando a palavra de Deus em Beréia,
dirigiram-se também para lá, agitando e alvoroçando as
multidões”.
De Beréia, Paulo vai para Atenas (At 17.1-3).
Portanto em três cidades sucessivamente— Filipos,
Tessalônica e Beréia— Paulo e seu grupo partiram em
meio à inquietação civil.
Foi essa a recepção inicial do evangelho na Europa.
A cidade de Tessalônica
Fundada em Thermas, uma antiga vila, por Cassandro,
general de Alexandre Magno, que era casado com
Thessalonike, irmã de Alexandre Magno,
Thessalonike tinha nascido no dia da vitória de seu pai
sobre os tessálios em 353 aC., Tessalônica significa
“vitó ria do s te ssálio s”.
Para habitar a nova cidade, Cassandro transferiu a
população de pequenas vilas do redor do Golfo de
Tessalônica, no ano 315 aC.
Os escravos eram quase a metade da população.
Havia também uma numerosa e influente colônia judia,
com sua própria organização: sinagoga, tribunal,
conselho de anciãos e o privilégio de “religião lícita”.
Nike era a deusa da cidade: a deusa da vitória.
Havia templos dedicados a Zeus (Júpiter), Netuno e Isis
(deuses do Egito) e outros.
Os pecados sexuais não eram condenados.
Cultuavam Dionísio ou Baco que daria vida após a morte.
A cidade se orgulhava com o título de Neókoros que
autorizava a construção de templos ao imperador, pois
com isso mantinham o privilégio de cidade livre.
Os judeus sabiam disso e acusavam Paulo e os cristãos
de proporem um outro rei, Jesus (At 17.7)
37  1 e 2 tessalonicenses
Esboço de I Tessalonicenses
A. Seção pessoal:A. Seção pessoal:
1. Como a igreja surgiu 1.1-10
1.1 Um grupo eleito 1.1-5
1.2 Um grupo exemplar 1.6-7
1.3 Um grupo entusiasmado 1.8
1.4 Um grupo que esperava a vinda de Jesus 1.9,10
2. Como a igreja foi alimentada 2.1-20
2.1 Um servo fiel (explicação sobre sua conduta) 2.1-16
2.2 Uma mãe gentil 2.7-8
2.3 Um pai preocupado 2.9-16
2.4 Um irmão amoroso 2.14-20
3. Como a igreja foi fortalecida 3.1-13
3.1 Através da palavra 3.1-5
3.2 Através da oração 3.6-13
B. Seção prática:B. Seção prática:
1. Andar em santidade 4.1-8
2. Andar em amor 4.1-9
3. Andar em honestidade 4.11,12
4. Andar em esperança 4.13-18
5. Andar na luz 5.1-11
6. Andar em gratidão 5.12-13
7. Andar em obediência 5.14-28
(Não há nenhuma citação do AT)
Propósitos
1. Tivessem certeza do seu amor e
preocupação por eles.
2. Fundamentá-los na doutrina da fé, e
particularmente no que dizia respeito à
segunda vinda de Cristo.
3. Encorajá-los a viverem vidas santas.
1 Tessalonicenses
Peculiaridades
e conteúdo
1.1 A saudação comum entre os gregos era graça e entre os
judeus era paz, desta forma a saudação de Paulo era uma
saudação universal.
1.3 Resumo da essência do NT: a fé, o amor e a esperança e
para que servem.
O problema principal era a preocupação dos
cristãos com a morte dos integrantes da
comunidade que estariam fora da salvação, uma
vez que ainda não acontecera a 2ª vinda de
Jesus. (parusia: do grego “presença”)
Paulo e sua equipe missionária foram muito
influenciados pelo movimento apocalíptico.
Em 4.17 lemos que Paulo estava convicto do breve
retorno de Jesus, acreditava que ainda estaria
vivo quando Jesus voltasse. (1Co 15.51,52).
A VINDA DE CRISTO
Ao final de cada capítulo Paulo fala da volta de
cristo:
1.10 – A vinda de Cristo para a salvação;
2.19 - A vinda de Cristo anunciada;
3.13 - A vinda de Cristo com todos os santos;
4.16,17 - A vinda de Cristo é o nosso consolo;
5.23 - A vinda de Cristo e santidade;
Filhos são livres da ira
1.10 Todos os que não conhecem a Deus e são
desobedientes, são “filhos da ira”, mas os que pela
graça foram resgatados, são filhos e livres da “ira
que há de vir”.
Não significa estar livre das consequências do pecado no
mundo:

Dificuldades,

Doenças, sofrimentos,

Tentações, vícios,

Decepções,

Violência, assaltos, assasinatos…
2.18 Há uma luta espiritual.
3.10 Orar para “suprir o que falta à fé”.
4.3-5 Apresenta qual é a vontade de Deus.
4.6 Ninguém pode se aproveitar do próximo.
Não ver o outro como objeto de desejo e prazer.
Não despertar uma paixão falsa, sem responsabilidade.
Trabalho
4.10,11 Como Jesus estava na iminência de voltar
alguns irmãos pararam de trabalhar.
4.12 A preguiça não é testemunho de um cristão.
O arrebatamento (levantar)
4.13-18 Instrui sobre os irmãos que morreram;
5.10 Os mortos e os vivos gozam de comunhão com Cristo.
5.3,4 Quando acharem que a autossuficiência é capaz de
garantir o futuro haverá uma falsa sensação de paz e
segurança no mundo, mas o Senhor virá inesperadamente.
Ressurreição: no juízo final o corpo de forma espiritualizada se
unirá à nossa alma que não morreu.
Vida após a morte: todas as religiões (religar com uma
divindade) crêem que nos humanos existe uma parte que é
imortal.
Reencarnação: uma parte do homem não morre e volta em
outro corpo (no hinduísmo pode-se voltar num corpo não
humano).
Problemas: Alguns membros …
5.12,13 ... não respeitavam a liderança.
Paulo exorta os irmãos que se submetam à direção dos
líderes (pastores) “q ue se e sfo rçam no trabalho e ntre
vo cê s, q ue o s lide ram no Se nho r e o s aco nse lham ” .
5.12-22 Relacionamento com a liderança, com a igreja e
com a espiritualidade.
Porà prova todas as coisas
5.19 “Não apag ue m o Espírito ”, quer dizer não
suprimir a obra do Espírito Santo em nosso
meio, não limitá-lo ou impedí-lo.
5.21Por à prova todas as coisas e ficar com o
que é bom.
5.23 “corpo, alma e espírito” o texto não tem a
intenção de apresentar a divisão do ser
humano.
Esboço de 2 Tessalonicenses
A. Saudação (1.1,2)
B. Encorajamento no sofrimento1.3-12
B.1 Ajuda-nos a crescer 1.3-5
B.2 Prepara-nos para a glória 1.6-10
B.3 Glorifica a Cristo hoje 1.11,12
C. Esclarecimento sobre o dia do Senhor2.1-17
C.1 Apelo à estabilidade 2.1,2
C.2 A apostasia e o homem do pecado 2.3-5
C.3 O poder restritor do mal será removido 2.6-12
C.4 A igreja será completada 2.13-17
D. A firmeza na vida Cristã 3.1-15
D.3 Oração e perseverança 3.1-15
D.2 Trabalho e comida 3.6-13
D.3 Ouvir e praticar 3.14,15
E. Saudação final 3.16-18
Propósitos
1. Encorajá-los sob perseguição.
2. Corrigir erros de interpretação sobre o
retorno do Senhor.
3. Exortá-los a permanecerem firmes em todas
as coisas.
4. Tratar do julgamento dos ímpios por
ocasião da volta de Cristo.
5. Instruir a igreja sobre a manifestação do
homem da iniquidade.
Iniquidade: Tornar normal o que é pecado, não sentir culpa
pelo pecado cometido, de tanto cometer o mesmo pecado
a pessoa não se arrepende pois já acha que o que fez é
normal.
Peculiaridades
e conteúdo
O 1º cap. fala sobre perseguição
O 2º cap. do anticristo
O 3º cap. “aquele que não trabalha não coma”
1.1 Silvano é outra variante do nome Silas.
1.5 O sofrimento faz parte do pacote da salvação, quem quer
viver corretamente o evangelho terá problemas com esta
sociedade que está distante de Deus.
1.6-9 Deus está anotando tudo e os que os perseguem
receberão tribulação de volta no período do julgamento, a
penalidade será a destruição eterna, isto é, separação da
presença amorosa de Deus.
Esta é a justiça retributiva, pois ao rejeitar o pagamento da
dívida eu fico com a dívida, meus pecados.
Este trecho explica bem o conceito da morte eterna:
separação de Deus, um sofrimento eterno (Mt 25.31-46).
Todos somos eternos 2Co 5.1; Mt 25.46
Quemserá punido:
Os perseguidores (1.4-6)
Os que não conhecem a Deus (1.8)
Os que não obedecem ao evangelho de Jesus (1.8)
Aos fiéis:
Alívio (1.7)
A presença de Jesus (1.7)
A oportunidade de glorificar e admirar Deus (1.10)
A JUSTIÇA DE DEUS
2.2
“quer por profecia” alguns querem adivinhar o dia da
vinda de Jesus.
“q ue r po r palavra” algum irmão que ensinava que os
eventos para a volta de Cristo já haviam começado;
“q ue r po r carta” refere-se a alguma carta supostamente
atribuída a ele.
2.2 Paulo afirma não ter ensinado que Jesus já voltara, e eles
teriam que discernir entre a verdade e o erro.
2.3 Explica que Jesus não voltará até que venha a apostasia
(rejeição/afastamento da fé Cristã).
Já existe apostasia no mundo, por exemplo ao defender a
conduta pecaminosa na área da sexualidade, negar alguma
verdade da Bíblia, ...
2.3,4 Antes aparecerá o homem do pecado, o filho da
perdição, que dirá que é Deus.
O santuário de Deus é uma referência a Jerusalém.
2.6,7 Já esta operando o poder do anticristo no mundo e há
algo que o detém.
2.9 Satanás também tem poderes.
A VINDA DO ANTICRISTO
2.11 Pessoas que acreditam em coisas esquisitas e
absurdas.
O ponto principal é que Jesus não voltaria ainda, porque
outras coisas terão de acontecer primeiro.
Não deviam inventar doutrinas sobre a volta de Cristo, do
anticristo, etc... Jesus não voltará até depois da
apostasia.
1.7b A vinda de Cristo será de tal
natureza que não terá como passar
desapercebida.
Então, no lugar de ficar esperando, passivamente, a vinda
de Cristo, o cristão deve se defender das tentações e
falsos ensinos que conduzem à apostasia
Sabersobre o inimigo para não caíremno seu laço.
2.11,12 Deus entregará esses ao engano e condenação.
O erro é do homem que não ama a verdade; Deus dá o livre
arbítrio para que o homem faça suas escolhas.
Assim, eles continuam até a sua própria destruição/
2.12 Observe que o problema do engano não é intelectual,
mas carnal: “mas tiveramprazerna injustiça.”
2.13-17 A reação certa do seguidor de Jesus.
Sabendo que Jesus não voltará imediatamente, e que
surgirá este homem da iniquidade, o se g uido r de Je sus
de ve se pre parar para re sistir ao e rro .
É esta necessidade de perseverança que Paulo enfatiza.
A perseverança começa como entendimento de que Deus
nos escolheu para sermos salvos, santificados e
alicerçados na verdade (2.13-15)
Deus chama a pessoa através do evangelho
3.1-5 Paulo pede oração.
• Toda a Bíblia em um ano: De Colossenses a Apocalipse;
Dusilek, Darci; 6ª Ed. Rio de Janeiro; Ed. Horizonal, 2005
• Manual Bíblico SBB; trad. Noronha, Lailah; São Paulo; Ed.
Sociedade Bíblica do Brasil; 2008
• Textos Bíblicos extraídos: Bíblia Sagrada Nova Versão
Internacional; São Paulo; Ed. Vida; 2001
• MacDonald, Willian, Comentário Bíblico Popular, São Paulo, Ed.
Mundo Cristão, 1ª edição, 2008
• BRUCCE, F. F. Comentário Bíblico NVI. São Paulo, Ed. Vida, 1ª
edição, 2008
• Igreja Batista Cidade Universitária
• Reflexões extraídas da World Wide Web
• Programa ROTA 66 – Sayão, Luiz – Rádio transmundial
33
37  1 e 2 tessalonicenses
De Tessalônica foram
para Beréia distante 100
Km (At 17.10-15)
De Beréia vai para
Atenas At17.5
At 16.18,19
Timóteo volta para Corinto At 18.5; 1Ts3.6-8

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

10. 2a. epístola de paulo aos corintios
10. 2a. epístola de paulo aos corintios10. 2a. epístola de paulo aos corintios
10. 2a. epístola de paulo aos corintios
Igreja Presbiteriana de Dourados
 
Carta à Igreja de Filadélfia no Apocalipse
Carta à Igreja de Filadélfia no ApocalipseCarta à Igreja de Filadélfia no Apocalipse
Carta à Igreja de Filadélfia no Apocalipse
Pr. Welfany Nolasco Rodrigues
 
Homilética arte de pregar
Homilética   arte de pregar Homilética   arte de pregar
Homilética arte de pregar
Paulo Ferreira
 
Filipenses (Estudo 2)
Filipenses (Estudo 2)Filipenses (Estudo 2)
Filipenses (Estudo 2)
Daniel Junior
 
Panorama do NT - Filipenses
Panorama do NT - FilipensesPanorama do NT - Filipenses
Panorama do NT - Filipenses
Respirando Deus
 
Carta de Paulo aos Filipenses
Carta de Paulo aos FilipensesCarta de Paulo aos Filipenses
Carta de Paulo aos Filipenses
UEPB
 
Panorama do NT - 2Timóteo
Panorama do NT - 2TimóteoPanorama do NT - 2Timóteo
Panorama do NT - 2Timóteo
Respirando Deus
 
Obreiro aprovado
Obreiro aprovadoObreiro aprovado
Obreiro aprovado
shalonahr
 
Panorama do NT - Colossenses
Panorama do NT - ColossensesPanorama do NT - Colossenses
Panorama do NT - Colossenses
Respirando Deus
 
Apostila obreiros
Apostila obreirosApostila obreiros
Apostila obreiros
Mara Rúbia Alfarth
 
O propósito dos dons espirituais
O propósito dos dons espirituaisO propósito dos dons espirituais
O propósito dos dons espirituais
Moisés Sampaio
 
Panorama do novo testamento
Panorama do novo testamentoPanorama do novo testamento
Panorama do novo testamento
Bruno Cesar Santos de Sousa
 
Carta à Igreja de Laodiceia no Apocalipse
Carta à Igreja de Laodiceia no ApocalipseCarta à Igreja de Laodiceia no Apocalipse
Carta à Igreja de Laodiceia no Apocalipse
Pr. Welfany Nolasco Rodrigues
 
Panorama do NT - João
Panorama do NT - JoãoPanorama do NT - João
Panorama do NT - João
Respirando Deus
 
Filipenses
FilipensesFilipenses
Filipenses
Vilmar Nascimento
 
3 aula administração e liderança crista com ética
3 aula administração e liderança crista com ética3 aula administração e liderança crista com ética
3 aula administração e liderança crista com ética
RODRIGO FERREIRA
 
A Igreja que queremos ser
A Igreja que queremos serA Igreja que queremos ser
A Igreja que queremos ser
Hugo Machado
 
IBADEP MÉDIO - MISSIOLOGIA AULA 1
IBADEP MÉDIO - MISSIOLOGIA AULA 1IBADEP MÉDIO - MISSIOLOGIA AULA 1
IBADEP MÉDIO - MISSIOLOGIA AULA 1
Rubens Sohn
 
Palestra maturidade cristã
Palestra   maturidade cristãPalestra   maturidade cristã
Palestra maturidade cristã
Junior Cesar Santiago
 
Historia da igreja i aula 1
Historia da igreja i  aula 1Historia da igreja i  aula 1
Historia da igreja i aula 1
Moisés Sampaio
 

Mais procurados (20)

10. 2a. epístola de paulo aos corintios
10. 2a. epístola de paulo aos corintios10. 2a. epístola de paulo aos corintios
10. 2a. epístola de paulo aos corintios
 
Carta à Igreja de Filadélfia no Apocalipse
Carta à Igreja de Filadélfia no ApocalipseCarta à Igreja de Filadélfia no Apocalipse
Carta à Igreja de Filadélfia no Apocalipse
 
Homilética arte de pregar
Homilética   arte de pregar Homilética   arte de pregar
Homilética arte de pregar
 
Filipenses (Estudo 2)
Filipenses (Estudo 2)Filipenses (Estudo 2)
Filipenses (Estudo 2)
 
Panorama do NT - Filipenses
Panorama do NT - FilipensesPanorama do NT - Filipenses
Panorama do NT - Filipenses
 
Carta de Paulo aos Filipenses
Carta de Paulo aos FilipensesCarta de Paulo aos Filipenses
Carta de Paulo aos Filipenses
 
Panorama do NT - 2Timóteo
Panorama do NT - 2TimóteoPanorama do NT - 2Timóteo
Panorama do NT - 2Timóteo
 
Obreiro aprovado
Obreiro aprovadoObreiro aprovado
Obreiro aprovado
 
Panorama do NT - Colossenses
Panorama do NT - ColossensesPanorama do NT - Colossenses
Panorama do NT - Colossenses
 
Apostila obreiros
Apostila obreirosApostila obreiros
Apostila obreiros
 
O propósito dos dons espirituais
O propósito dos dons espirituaisO propósito dos dons espirituais
O propósito dos dons espirituais
 
Panorama do novo testamento
Panorama do novo testamentoPanorama do novo testamento
Panorama do novo testamento
 
Carta à Igreja de Laodiceia no Apocalipse
Carta à Igreja de Laodiceia no ApocalipseCarta à Igreja de Laodiceia no Apocalipse
Carta à Igreja de Laodiceia no Apocalipse
 
Panorama do NT - João
Panorama do NT - JoãoPanorama do NT - João
Panorama do NT - João
 
Filipenses
FilipensesFilipenses
Filipenses
 
3 aula administração e liderança crista com ética
3 aula administração e liderança crista com ética3 aula administração e liderança crista com ética
3 aula administração e liderança crista com ética
 
A Igreja que queremos ser
A Igreja que queremos serA Igreja que queremos ser
A Igreja que queremos ser
 
IBADEP MÉDIO - MISSIOLOGIA AULA 1
IBADEP MÉDIO - MISSIOLOGIA AULA 1IBADEP MÉDIO - MISSIOLOGIA AULA 1
IBADEP MÉDIO - MISSIOLOGIA AULA 1
 
Palestra maturidade cristã
Palestra   maturidade cristãPalestra   maturidade cristã
Palestra maturidade cristã
 
Historia da igreja i aula 1
Historia da igreja i  aula 1Historia da igreja i  aula 1
Historia da igreja i aula 1
 

Destaque

18 jeremias e lamentações
18 jeremias e lamentações18 jeremias e lamentações
18 jeremias e lamentações
PIB Penha
 
23 naum, habacuque e sofonias
23 naum, habacuque e sofonias23 naum, habacuque e sofonias
23 naum, habacuque e sofonias
PIB Penha
 
33 galatas
33 galatas33 galatas
33 galatas
PIB Penha
 
39 tito e filemom
39 tito e filemom39 tito e filemom
39 tito e filemom
PIB Penha
 
20 daniel
20 daniel20 daniel
20 daniel
PIB Penha
 
22 obadias, jonas e miquéias
22 obadias, jonas e miquéias22 obadias, jonas e miquéias
22 obadias, jonas e miquéias
PIB Penha
 
36 colossenses
36 colossenses36 colossenses
36 colossenses
PIB Penha
 
34 efésios
34 efésios34 efésios
34 efésios
PIB Penha
 
24 ageu, zacarias e malaquias
24 ageu, zacarias e malaquias24 ageu, zacarias e malaquias
24 ageu, zacarias e malaquias
PIB Penha
 
32 i e ii corintios
32  i e ii corintios32  i e ii corintios
32 i e ii corintios
PIB Penha
 
31 romanos
31 romanos31 romanos
31 romanos
PIB Penha
 
21 oséias, joel e amós
21 oséias, joel e amós21 oséias, joel e amós
21 oséias, joel e amós
PIB Penha
 
17 isaias
17  isaias17  isaias
17 isaias
PIB Penha
 
7 juizes
7   juizes7   juizes
7 juizes
PIB Penha
 
6 josué
6 josué6 josué
6 josué
PIB Penha
 
8 rute
8   rute8   rute
8 rute
PIB Penha
 
13 ester
13 ester13 ester
13 ester
PIB Penha
 
9 1 e 2 samuel
9   1 e 2 samuel9   1 e 2 samuel
9 1 e 2 samuel
PIB Penha
 
11 1 e 2 crônicas
11   1 e 2 crônicas11   1 e 2 crônicas
11 1 e 2 crônicas
PIB Penha
 
10 1 e 2 reis
10   1 e 2 reis10   1 e 2 reis
10 1 e 2 reis
PIB Penha
 

Destaque (20)

18 jeremias e lamentações
18 jeremias e lamentações18 jeremias e lamentações
18 jeremias e lamentações
 
23 naum, habacuque e sofonias
23 naum, habacuque e sofonias23 naum, habacuque e sofonias
23 naum, habacuque e sofonias
 
33 galatas
33 galatas33 galatas
33 galatas
 
39 tito e filemom
39 tito e filemom39 tito e filemom
39 tito e filemom
 
20 daniel
20 daniel20 daniel
20 daniel
 
22 obadias, jonas e miquéias
22 obadias, jonas e miquéias22 obadias, jonas e miquéias
22 obadias, jonas e miquéias
 
36 colossenses
36 colossenses36 colossenses
36 colossenses
 
34 efésios
34 efésios34 efésios
34 efésios
 
24 ageu, zacarias e malaquias
24 ageu, zacarias e malaquias24 ageu, zacarias e malaquias
24 ageu, zacarias e malaquias
 
32 i e ii corintios
32  i e ii corintios32  i e ii corintios
32 i e ii corintios
 
31 romanos
31 romanos31 romanos
31 romanos
 
21 oséias, joel e amós
21 oséias, joel e amós21 oséias, joel e amós
21 oséias, joel e amós
 
17 isaias
17  isaias17  isaias
17 isaias
 
7 juizes
7   juizes7   juizes
7 juizes
 
6 josué
6 josué6 josué
6 josué
 
8 rute
8   rute8   rute
8 rute
 
13 ester
13 ester13 ester
13 ester
 
9 1 e 2 samuel
9   1 e 2 samuel9   1 e 2 samuel
9 1 e 2 samuel
 
11 1 e 2 crônicas
11   1 e 2 crônicas11   1 e 2 crônicas
11 1 e 2 crônicas
 
10 1 e 2 reis
10   1 e 2 reis10   1 e 2 reis
10 1 e 2 reis
 

Semelhante a 37 1 e 2 tessalonicenses

10 1 e 2 tessalonicenses.pptx
10  1 e 2 tessalonicenses.pptx10  1 e 2 tessalonicenses.pptx
10 1 e 2 tessalonicenses.pptx
PIB Penha - SP
 
012 tessalonicenses 1º
012 tessalonicenses 1º012 tessalonicenses 1º
012 tessalonicenses 1º
Diógenes Gimenes
 
Estudo Livro de Apocalipse - aula II
Estudo Livro de Apocalipse - aula IIEstudo Livro de Apocalipse - aula II
Estudo Livro de Apocalipse - aula II
Daniel de Carvalho Luz
 
Slide Licao 3 - 2T - 2022 - BETEL.pptx
Slide Licao 3 - 2T - 2022 - BETEL.pptxSlide Licao 3 - 2T - 2022 - BETEL.pptx
Slide Licao 3 - 2T - 2022 - BETEL.pptx
JooSalaroli
 
2 tessalonicenses (moody)
2 tessalonicenses (moody)2 tessalonicenses (moody)
2 tessalonicenses (moody)
Shirley Militão
 
comentario biblico-1 tessalonicenses (moody)
comentario biblico-1 tessalonicenses (moody)comentario biblico-1 tessalonicenses (moody)
comentario biblico-1 tessalonicenses (moody)
leniogravacoes
 
Estudo - 1 Tessalonicenses ( Comentário de Moody )
Estudo - 1 Tessalonicenses ( Comentário de Moody )Estudo - 1 Tessalonicenses ( Comentário de Moody )
Estudo - 1 Tessalonicenses ( Comentário de Moody )
ibpcursos
 
Panorama do NT - 2Tessalonicenses
Panorama do NT - 2TessalonicensesPanorama do NT - 2Tessalonicenses
Panorama do NT - 2Tessalonicenses
Respirando Deus
 
Lição 11 – Cultivando a Convicção Cristã.pptx
Lição 11 – Cultivando a Convicção Cristã.pptxLição 11 – Cultivando a Convicção Cristã.pptx
Lição 11 – Cultivando a Convicção Cristã.pptx
Celso Napoleon
 
I tessalonicenses
I tessalonicensesI tessalonicenses
I tessalonicenses
Luiz Augusto
 
Lição 12 - AS EPÍSTOLAS INSTRUEM E FORMAM O CRISTÃO.ppt
Lição 12 - AS EPÍSTOLAS INSTRUEM E FORMAM O CRISTÃO.pptLição 12 - AS EPÍSTOLAS INSTRUEM E FORMAM O CRISTÃO.ppt
Lição 12 - AS EPÍSTOLAS INSTRUEM E FORMAM O CRISTÃO.ppt
PauloMello68
 
Pae ppt lição 12 a bênção de ofertarmos com sinceridade
Pae ppt lição 12 a bênção de ofertarmos com sinceridadePae ppt lição 12 a bênção de ofertarmos com sinceridade
Pae ppt lição 12 a bênção de ofertarmos com sinceridade
goiano
 
4 biblia do_discipulado_-_atos
4 biblia do_discipulado_-_atos4 biblia do_discipulado_-_atos
4 biblia do_discipulado_-_atos
INOVAR CLUB
 
TIAGO, FÉ QUE SE MOSTRA PELAS OBRAS - LIÇÃO 1 - 3ºTRI.2014
TIAGO, FÉ QUE SE MOSTRA PELAS OBRAS - LIÇÃO 1 - 3ºTRI.2014TIAGO, FÉ QUE SE MOSTRA PELAS OBRAS - LIÇÃO 1 - 3ºTRI.2014
TIAGO, FÉ QUE SE MOSTRA PELAS OBRAS - LIÇÃO 1 - 3ºTRI.2014
Pr. Andre Luiz
 
PPT TBNT REVISÃO ESCRITOS PAULINOS 1.pptx
PPT TBNT REVISÃO ESCRITOS PAULINOS 1.pptxPPT TBNT REVISÃO ESCRITOS PAULINOS 1.pptx
PPT TBNT REVISÃO ESCRITOS PAULINOS 1.pptx
ssuserbf334e
 
A igreja que deus deseja
A igreja que deus desejaA igreja que deus deseja
A igreja que deus deseja
Pedro Júnior
 
Lição 10 artigo
Lição 10   artigoLição 10   artigo
Lição 10 artigo
Carlos Franco Almeida
 
COMENTARIO BIBLICO-2 tessalonicenses (moody)
COMENTARIO BIBLICO-2 tessalonicenses (moody)COMENTARIO BIBLICO-2 tessalonicenses (moody)
COMENTARIO BIBLICO-2 tessalonicenses (moody)
leniogravacoes
 
O Discipulado Cristão nas Cartas aos Tessalonicenses
O Discipulado Cristão nas Cartas aos TessalonicensesO Discipulado Cristão nas Cartas aos Tessalonicenses
O Discipulado Cristão nas Cartas aos Tessalonicenses
JUERP
 
Lição 12 – Sendo Igreja do Deus Vivo.pptx
Lição 12 – Sendo Igreja do Deus Vivo.pptxLição 12 – Sendo Igreja do Deus Vivo.pptx
Lição 12 – Sendo Igreja do Deus Vivo.pptx
Celso Napoleon
 

Semelhante a 37 1 e 2 tessalonicenses (20)

10 1 e 2 tessalonicenses.pptx
10  1 e 2 tessalonicenses.pptx10  1 e 2 tessalonicenses.pptx
10 1 e 2 tessalonicenses.pptx
 
012 tessalonicenses 1º
012 tessalonicenses 1º012 tessalonicenses 1º
012 tessalonicenses 1º
 
Estudo Livro de Apocalipse - aula II
Estudo Livro de Apocalipse - aula IIEstudo Livro de Apocalipse - aula II
Estudo Livro de Apocalipse - aula II
 
Slide Licao 3 - 2T - 2022 - BETEL.pptx
Slide Licao 3 - 2T - 2022 - BETEL.pptxSlide Licao 3 - 2T - 2022 - BETEL.pptx
Slide Licao 3 - 2T - 2022 - BETEL.pptx
 
2 tessalonicenses (moody)
2 tessalonicenses (moody)2 tessalonicenses (moody)
2 tessalonicenses (moody)
 
comentario biblico-1 tessalonicenses (moody)
comentario biblico-1 tessalonicenses (moody)comentario biblico-1 tessalonicenses (moody)
comentario biblico-1 tessalonicenses (moody)
 
Estudo - 1 Tessalonicenses ( Comentário de Moody )
Estudo - 1 Tessalonicenses ( Comentário de Moody )Estudo - 1 Tessalonicenses ( Comentário de Moody )
Estudo - 1 Tessalonicenses ( Comentário de Moody )
 
Panorama do NT - 2Tessalonicenses
Panorama do NT - 2TessalonicensesPanorama do NT - 2Tessalonicenses
Panorama do NT - 2Tessalonicenses
 
Lição 11 – Cultivando a Convicção Cristã.pptx
Lição 11 – Cultivando a Convicção Cristã.pptxLição 11 – Cultivando a Convicção Cristã.pptx
Lição 11 – Cultivando a Convicção Cristã.pptx
 
I tessalonicenses
I tessalonicensesI tessalonicenses
I tessalonicenses
 
Lição 12 - AS EPÍSTOLAS INSTRUEM E FORMAM O CRISTÃO.ppt
Lição 12 - AS EPÍSTOLAS INSTRUEM E FORMAM O CRISTÃO.pptLição 12 - AS EPÍSTOLAS INSTRUEM E FORMAM O CRISTÃO.ppt
Lição 12 - AS EPÍSTOLAS INSTRUEM E FORMAM O CRISTÃO.ppt
 
Pae ppt lição 12 a bênção de ofertarmos com sinceridade
Pae ppt lição 12 a bênção de ofertarmos com sinceridadePae ppt lição 12 a bênção de ofertarmos com sinceridade
Pae ppt lição 12 a bênção de ofertarmos com sinceridade
 
4 biblia do_discipulado_-_atos
4 biblia do_discipulado_-_atos4 biblia do_discipulado_-_atos
4 biblia do_discipulado_-_atos
 
TIAGO, FÉ QUE SE MOSTRA PELAS OBRAS - LIÇÃO 1 - 3ºTRI.2014
TIAGO, FÉ QUE SE MOSTRA PELAS OBRAS - LIÇÃO 1 - 3ºTRI.2014TIAGO, FÉ QUE SE MOSTRA PELAS OBRAS - LIÇÃO 1 - 3ºTRI.2014
TIAGO, FÉ QUE SE MOSTRA PELAS OBRAS - LIÇÃO 1 - 3ºTRI.2014
 
PPT TBNT REVISÃO ESCRITOS PAULINOS 1.pptx
PPT TBNT REVISÃO ESCRITOS PAULINOS 1.pptxPPT TBNT REVISÃO ESCRITOS PAULINOS 1.pptx
PPT TBNT REVISÃO ESCRITOS PAULINOS 1.pptx
 
A igreja que deus deseja
A igreja que deus desejaA igreja que deus deseja
A igreja que deus deseja
 
Lição 10 artigo
Lição 10   artigoLição 10   artigo
Lição 10 artigo
 
COMENTARIO BIBLICO-2 tessalonicenses (moody)
COMENTARIO BIBLICO-2 tessalonicenses (moody)COMENTARIO BIBLICO-2 tessalonicenses (moody)
COMENTARIO BIBLICO-2 tessalonicenses (moody)
 
O Discipulado Cristão nas Cartas aos Tessalonicenses
O Discipulado Cristão nas Cartas aos TessalonicensesO Discipulado Cristão nas Cartas aos Tessalonicenses
O Discipulado Cristão nas Cartas aos Tessalonicenses
 
Lição 12 – Sendo Igreja do Deus Vivo.pptx
Lição 12 – Sendo Igreja do Deus Vivo.pptxLição 12 – Sendo Igreja do Deus Vivo.pptx
Lição 12 – Sendo Igreja do Deus Vivo.pptx
 

37 1 e 2 tessalonicenses

  • 1. CARTAS DE PAULO AOS TESSALONICENSES ESCOLA BÍBLICA VIRTUAL CLASSE: A BÍBLIA EM UM ANO PROFº: FRANCISCO TUDELA PIBPENHA -SP
  • 2. 1 E 2 TESSALONICENSES Paulo as escreve de Corinto, ano 51 d.C, durante a 2ª viagem, espaçadas de alguns meses. São a 2ª e 3ª cartas escritas por Paulo (a 1ª foi Galatas). A 1Ts vem do relato de Timóteo sobre a igreja em Tessalônica. É possível que os tessalonicenses tivessem recebido uma carta forjada afirmando que o “Dia do Senhor” já havia começado (2 Ts 2.2). Paulo escreveu então 2Ts para corrigir o erro e dar uma visão clara deste fato.
  • 4. A História da Pregação da Palavra em Tessalônica Paulo, Silas e Timóteo em Tessalônica, na 2ª viagem, hospedam-se na casa de Jason (At 17.1,7) Paulo ensina, por 3 sábados numa sinagoga, sobre Jesus, sua morte e ressurreição (At 17.1-3) Alg uns jude us, m uito s g re g o s e m uitas das m ulhe re s m ais re spe itadas da cidade se co nve rte ram (At 1 7 . 4) Alguns judeus, descontentes com isso, incitam maus elementos da praça da cidade, e cercam a casa de Jasom para prender Paulo e Silas (At 17.5) Motivo: Paulo é um charlatão e que prega por interesses financeiros (1Ts 2), pois nesta época havia muitos pregadores itinerantes na Grécia que assim procediam.
  • 5. Não encontrando Paulo, os judeus prenderam seu anfitrião, Jasom e outros irmãos: Acusavam-nos de terem acolhido homens que causavam alvoroço por todo o mundo com sua doutrina (At 17.6) Que agiam contra os decretos de César ao declarar que há outro rei chamado Jesus (At 17.7) Jasom e os outros foram soltos depois de pagarem fiança (At 17.8,9). Por esta razão Paulo, Silas e Timóteo não prosseguiram seu trabalho em Tessalônica (1Ts 1.5-8)
  • 6. De Tessalônica foram para a cidade de Beréia distante 100 Km (At 17.10-15) “Quando os judeus de Tessalônica ficaram sabendo que Paulo estava pregando a palavra de Deus em Beréia, dirigiram-se também para lá, agitando e alvoroçando as multidões”. De Beréia, Paulo vai para Atenas (At 17.1-3). Portanto em três cidades sucessivamente— Filipos, Tessalônica e Beréia— Paulo e seu grupo partiram em meio à inquietação civil. Foi essa a recepção inicial do evangelho na Europa.
  • 7. A cidade de Tessalônica Fundada em Thermas, uma antiga vila, por Cassandro, general de Alexandre Magno, que era casado com Thessalonike, irmã de Alexandre Magno, Thessalonike tinha nascido no dia da vitória de seu pai sobre os tessálios em 353 aC., Tessalônica significa “vitó ria do s te ssálio s”. Para habitar a nova cidade, Cassandro transferiu a população de pequenas vilas do redor do Golfo de Tessalônica, no ano 315 aC. Os escravos eram quase a metade da população. Havia também uma numerosa e influente colônia judia, com sua própria organização: sinagoga, tribunal, conselho de anciãos e o privilégio de “religião lícita”.
  • 8. Nike era a deusa da cidade: a deusa da vitória. Havia templos dedicados a Zeus (Júpiter), Netuno e Isis (deuses do Egito) e outros. Os pecados sexuais não eram condenados. Cultuavam Dionísio ou Baco que daria vida após a morte. A cidade se orgulhava com o título de Neókoros que autorizava a construção de templos ao imperador, pois com isso mantinham o privilégio de cidade livre. Os judeus sabiam disso e acusavam Paulo e os cristãos de proporem um outro rei, Jesus (At 17.7)
  • 10. Esboço de I Tessalonicenses A. Seção pessoal:A. Seção pessoal: 1. Como a igreja surgiu 1.1-10 1.1 Um grupo eleito 1.1-5 1.2 Um grupo exemplar 1.6-7 1.3 Um grupo entusiasmado 1.8 1.4 Um grupo que esperava a vinda de Jesus 1.9,10 2. Como a igreja foi alimentada 2.1-20 2.1 Um servo fiel (explicação sobre sua conduta) 2.1-16 2.2 Uma mãe gentil 2.7-8 2.3 Um pai preocupado 2.9-16 2.4 Um irmão amoroso 2.14-20 3. Como a igreja foi fortalecida 3.1-13 3.1 Através da palavra 3.1-5 3.2 Através da oração 3.6-13
  • 11. B. Seção prática:B. Seção prática: 1. Andar em santidade 4.1-8 2. Andar em amor 4.1-9 3. Andar em honestidade 4.11,12 4. Andar em esperança 4.13-18 5. Andar na luz 5.1-11 6. Andar em gratidão 5.12-13 7. Andar em obediência 5.14-28 (Não há nenhuma citação do AT)
  • 12. Propósitos 1. Tivessem certeza do seu amor e preocupação por eles. 2. Fundamentá-los na doutrina da fé, e particularmente no que dizia respeito à segunda vinda de Cristo. 3. Encorajá-los a viverem vidas santas.
  • 13. 1 Tessalonicenses Peculiaridades e conteúdo 1.1 A saudação comum entre os gregos era graça e entre os judeus era paz, desta forma a saudação de Paulo era uma saudação universal. 1.3 Resumo da essência do NT: a fé, o amor e a esperança e para que servem.
  • 14. O problema principal era a preocupação dos cristãos com a morte dos integrantes da comunidade que estariam fora da salvação, uma vez que ainda não acontecera a 2ª vinda de Jesus. (parusia: do grego “presença”) Paulo e sua equipe missionária foram muito influenciados pelo movimento apocalíptico. Em 4.17 lemos que Paulo estava convicto do breve retorno de Jesus, acreditava que ainda estaria vivo quando Jesus voltasse. (1Co 15.51,52). A VINDA DE CRISTO
  • 15. Ao final de cada capítulo Paulo fala da volta de cristo: 1.10 – A vinda de Cristo para a salvação; 2.19 - A vinda de Cristo anunciada; 3.13 - A vinda de Cristo com todos os santos; 4.16,17 - A vinda de Cristo é o nosso consolo; 5.23 - A vinda de Cristo e santidade;
  • 16. Filhos são livres da ira 1.10 Todos os que não conhecem a Deus e são desobedientes, são “filhos da ira”, mas os que pela graça foram resgatados, são filhos e livres da “ira que há de vir”. Não significa estar livre das consequências do pecado no mundo:  Dificuldades,  Doenças, sofrimentos,  Tentações, vícios,  Decepções,  Violência, assaltos, assasinatos…
  • 17. 2.18 Há uma luta espiritual. 3.10 Orar para “suprir o que falta à fé”. 4.3-5 Apresenta qual é a vontade de Deus. 4.6 Ninguém pode se aproveitar do próximo. Não ver o outro como objeto de desejo e prazer. Não despertar uma paixão falsa, sem responsabilidade.
  • 18. Trabalho 4.10,11 Como Jesus estava na iminência de voltar alguns irmãos pararam de trabalhar. 4.12 A preguiça não é testemunho de um cristão.
  • 19. O arrebatamento (levantar) 4.13-18 Instrui sobre os irmãos que morreram; 5.10 Os mortos e os vivos gozam de comunhão com Cristo. 5.3,4 Quando acharem que a autossuficiência é capaz de garantir o futuro haverá uma falsa sensação de paz e segurança no mundo, mas o Senhor virá inesperadamente. Ressurreição: no juízo final o corpo de forma espiritualizada se unirá à nossa alma que não morreu. Vida após a morte: todas as religiões (religar com uma divindade) crêem que nos humanos existe uma parte que é imortal. Reencarnação: uma parte do homem não morre e volta em outro corpo (no hinduísmo pode-se voltar num corpo não humano).
  • 20. Problemas: Alguns membros … 5.12,13 ... não respeitavam a liderança. Paulo exorta os irmãos que se submetam à direção dos líderes (pastores) “q ue se e sfo rçam no trabalho e ntre vo cê s, q ue o s lide ram no Se nho r e o s aco nse lham ” . 5.12-22 Relacionamento com a liderança, com a igreja e com a espiritualidade.
  • 21. Porà prova todas as coisas 5.19 “Não apag ue m o Espírito ”, quer dizer não suprimir a obra do Espírito Santo em nosso meio, não limitá-lo ou impedí-lo. 5.21Por à prova todas as coisas e ficar com o que é bom. 5.23 “corpo, alma e espírito” o texto não tem a intenção de apresentar a divisão do ser humano.
  • 22. Esboço de 2 Tessalonicenses A. Saudação (1.1,2) B. Encorajamento no sofrimento1.3-12 B.1 Ajuda-nos a crescer 1.3-5 B.2 Prepara-nos para a glória 1.6-10 B.3 Glorifica a Cristo hoje 1.11,12 C. Esclarecimento sobre o dia do Senhor2.1-17 C.1 Apelo à estabilidade 2.1,2 C.2 A apostasia e o homem do pecado 2.3-5 C.3 O poder restritor do mal será removido 2.6-12 C.4 A igreja será completada 2.13-17
  • 23. D. A firmeza na vida Cristã 3.1-15 D.3 Oração e perseverança 3.1-15 D.2 Trabalho e comida 3.6-13 D.3 Ouvir e praticar 3.14,15 E. Saudação final 3.16-18
  • 24. Propósitos 1. Encorajá-los sob perseguição. 2. Corrigir erros de interpretação sobre o retorno do Senhor. 3. Exortá-los a permanecerem firmes em todas as coisas. 4. Tratar do julgamento dos ímpios por ocasião da volta de Cristo. 5. Instruir a igreja sobre a manifestação do homem da iniquidade. Iniquidade: Tornar normal o que é pecado, não sentir culpa pelo pecado cometido, de tanto cometer o mesmo pecado a pessoa não se arrepende pois já acha que o que fez é normal.
  • 25. Peculiaridades e conteúdo O 1º cap. fala sobre perseguição O 2º cap. do anticristo O 3º cap. “aquele que não trabalha não coma”
  • 26. 1.1 Silvano é outra variante do nome Silas. 1.5 O sofrimento faz parte do pacote da salvação, quem quer viver corretamente o evangelho terá problemas com esta sociedade que está distante de Deus. 1.6-9 Deus está anotando tudo e os que os perseguem receberão tribulação de volta no período do julgamento, a penalidade será a destruição eterna, isto é, separação da presença amorosa de Deus. Esta é a justiça retributiva, pois ao rejeitar o pagamento da dívida eu fico com a dívida, meus pecados. Este trecho explica bem o conceito da morte eterna: separação de Deus, um sofrimento eterno (Mt 25.31-46). Todos somos eternos 2Co 5.1; Mt 25.46
  • 27. Quemserá punido: Os perseguidores (1.4-6) Os que não conhecem a Deus (1.8) Os que não obedecem ao evangelho de Jesus (1.8) Aos fiéis: Alívio (1.7) A presença de Jesus (1.7) A oportunidade de glorificar e admirar Deus (1.10) A JUSTIÇA DE DEUS
  • 28. 2.2 “quer por profecia” alguns querem adivinhar o dia da vinda de Jesus. “q ue r po r palavra” algum irmão que ensinava que os eventos para a volta de Cristo já haviam começado; “q ue r po r carta” refere-se a alguma carta supostamente atribuída a ele.
  • 29. 2.2 Paulo afirma não ter ensinado que Jesus já voltara, e eles teriam que discernir entre a verdade e o erro. 2.3 Explica que Jesus não voltará até que venha a apostasia (rejeição/afastamento da fé Cristã). Já existe apostasia no mundo, por exemplo ao defender a conduta pecaminosa na área da sexualidade, negar alguma verdade da Bíblia, ... 2.3,4 Antes aparecerá o homem do pecado, o filho da perdição, que dirá que é Deus. O santuário de Deus é uma referência a Jerusalém. 2.6,7 Já esta operando o poder do anticristo no mundo e há algo que o detém. 2.9 Satanás também tem poderes. A VINDA DO ANTICRISTO
  • 30. 2.11 Pessoas que acreditam em coisas esquisitas e absurdas. O ponto principal é que Jesus não voltaria ainda, porque outras coisas terão de acontecer primeiro. Não deviam inventar doutrinas sobre a volta de Cristo, do anticristo, etc... Jesus não voltará até depois da apostasia. 1.7b A vinda de Cristo será de tal natureza que não terá como passar desapercebida. Então, no lugar de ficar esperando, passivamente, a vinda de Cristo, o cristão deve se defender das tentações e falsos ensinos que conduzem à apostasia
  • 31. Sabersobre o inimigo para não caíremno seu laço. 2.11,12 Deus entregará esses ao engano e condenação. O erro é do homem que não ama a verdade; Deus dá o livre arbítrio para que o homem faça suas escolhas. Assim, eles continuam até a sua própria destruição/ 2.12 Observe que o problema do engano não é intelectual, mas carnal: “mas tiveramprazerna injustiça.”
  • 32. 2.13-17 A reação certa do seguidor de Jesus. Sabendo que Jesus não voltará imediatamente, e que surgirá este homem da iniquidade, o se g uido r de Je sus de ve se pre parar para re sistir ao e rro . É esta necessidade de perseverança que Paulo enfatiza. A perseverança começa como entendimento de que Deus nos escolheu para sermos salvos, santificados e alicerçados na verdade (2.13-15) Deus chama a pessoa através do evangelho 3.1-5 Paulo pede oração.
  • 33. • Toda a Bíblia em um ano: De Colossenses a Apocalipse; Dusilek, Darci; 6ª Ed. Rio de Janeiro; Ed. Horizonal, 2005 • Manual Bíblico SBB; trad. Noronha, Lailah; São Paulo; Ed. Sociedade Bíblica do Brasil; 2008 • Textos Bíblicos extraídos: Bíblia Sagrada Nova Versão Internacional; São Paulo; Ed. Vida; 2001 • MacDonald, Willian, Comentário Bíblico Popular, São Paulo, Ed. Mundo Cristão, 1ª edição, 2008 • BRUCCE, F. F. Comentário Bíblico NVI. São Paulo, Ed. Vida, 1ª edição, 2008 • Igreja Batista Cidade Universitária • Reflexões extraídas da World Wide Web • Programa ROTA 66 – Sayão, Luiz – Rádio transmundial 33
  • 35. De Tessalônica foram para Beréia distante 100 Km (At 17.10-15) De Beréia vai para Atenas At17.5 At 16.18,19 Timóteo volta para Corinto At 18.5; 1Ts3.6-8