Antecedentes da Implantação da República em Portugal<br />(Período final da Monarquia)<br />
1861-1889: Reinado de D. Luís<br />1876<br />Fundação do Partido Republicano Português (PRP). O partido foi legalmente con...
1861-1889: Reinado de D. Luís<br />1878<br />O Partido Republicano Português (PRP) consegue eleger o primeiro deputado nas...
1861-1889: Reinado de D. Luís<br />1880<br />Comemorações do Tricentenário da morte de Camões. Os republicanos transformam...
Grupo de republicanos no Porto, em 1884<br />
1861-1889: Reinado de D. Luís<br />1882<br />Comemorações do Centenário da morte do Marquês de Pombal. Os republicanos ten...
1861-1889: Reinado de D. Carlos<br />1905<br />Visita a Lisboa do presidente da república francesa Émile Loubet. Os republ...
O descontentamento aumenta porque o governo de João Franco proíbe jornais e manifestações e manda perseguir e prender os o...
Vários dirigentes do PRP que pertenciam à Maçonaria contactam dirigentes da Carbonária com o objectivo de organizarem em c...
1861-1889: Reinado de D. Carlos<br />1908<br /><ul><li>28 de Janeiro - Tentativa de revolução republicana em Lisboa é denu...
1 de Fevereiro - Regicídio: o rei D. Carlos e o príncipe herdeiro são assassinados por dois elementos da Carbonária, Manue...
1861-1889: Reinado de D. Manuel II<br />1908<br /><ul><li>O PRP consegue eleger 7 deputados nas eleições legislativas e ob...
Muitos elementos da Carbonária inscrevem-se no PRP.
28 de Janeiro - Tentativa de revolução republicana em Lisboa é denunciada e fracassa. Várias personalidades republicanas s...
1861-1889: Reinado de D. Manuel II<br />1910<br />O PRP encarrega dois dirigentes de uma missão diplomática junto de vário...
A IMPLANTAÇÃO DA REPÚBLICA<br />5 de Outubro de 1910<br />
5 de Outubro de 1910<br />2 de Outubro de 1910<br />3 de Outubro de 1910<br />Reunião de emergência na sede do Partido Rep...
5 de Outubro de 1910<br />4 de Outubro de 1910<br />Homenagem ao cruzador S. Rafael<br />Madrugada <br />Os 15 dirigentes ...
5 de Outubro de 1910<br />4 de Outubro de 1910<br />Madrugada <br /><ul><li>Colunas de militares que aderiram à revolução ...
Avançam por Campo de Ourique em Lisboa. Desencadeia-se uma troca de tiros com uma patrulha da Guarda Municipal fiel à mona...
Os revolucionários juntam-se no largo do Rato e dali tentam avançar para o quartel do Carmo, mas defrontam-se e trocam tir...
O Almirante Cândido dos Reis dirige-se aos Banhos de S. Paulo para conferenciar com os 15 companheiros que aí se encontrav...
Homenagem a Cândido dos Reis e Miguel Bombarda (1910)<br />
5 de Outubro de 1910<br />4 de Outubro de 1910<br />Um episódio da Revolução na Rotunda<br />Madrugada <br />A notícia do ...
5 de Outubro de 1910<br />4 de Outubro de 1910<br />A última guarda de honra de D. Manuel, em Mafra<br />Manhã <br />Tropa...
5 de Outubro de 1910<br />4 de Outubro de 1910<br />Manhã <br />Tropas monárquicas comandadas por Paiva Couceiro dirigem-s...
5 de Outubro de 1910<br />4 de Outubro de 1910<br />Manhã <br />Muitos republicanos, civis e militares decidem juntar-se a...
5 de Outubro de 1910<br />4 de Outubro de 1910<br />Homenagem à Marinha de Guerra<br />Noite<br /><ul><li>O quartel-genera...
Durante toda a noite há tiroteio cruzado, à distância, e ninguém sabia como a luta ia acabar.
O navio cruzador D. Carlos é tomado pelos republicanos.</li></li></ul><li>5 de Outubro de 1910<br />
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Cronologia

3.393 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
3.393
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
626
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
33
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Cronologia

  1. 1. Antecedentes da Implantação da República em Portugal<br />(Período final da Monarquia)<br />
  2. 2. 1861-1889: Reinado de D. Luís<br />1876<br />Fundação do Partido Republicano Português (PRP). O partido foi legalmente constituído e aceite pela Monarquia Constitucional.<br />D. Luís<br />
  3. 3. 1861-1889: Reinado de D. Luís<br />1878<br />O Partido Republicano Português (PRP) consegue eleger o primeiro deputado nas eleições legislativas, Rodrigues de Freitas, candidato pelo Porto.<br />Rodrigues de Freitas<br />
  4. 4. 1861-1889: Reinado de D. Luís<br />1880<br />Comemorações do Tricentenário da morte de Camões. Os republicanos transformam as comemorações numa grande manifestação pública de defesa da República.<br />Tricentenário da morte <br />de Camões<br />
  5. 5. Grupo de republicanos no Porto, em 1884<br />
  6. 6. 1861-1889: Reinado de D. Luís<br />1882<br />Comemorações do Centenário da morte do Marquês de Pombal. Os republicanos tentam aproveitar para fazer propaganda da República, mas o governo impede as manifestações.<br />Marquês de Pombal<br />1889<br /><ul><li>Morte de D. Luís.</li></li></ul><li>1861-1889: Reinado de D. Carlos<br />1889<br />Portugal atravessa um período de grave crise económica e social.<br />D. Carlos<br />1890<br /><ul><li>11 de Janeiro - Ultimato de Inglaterra.</li></li></ul><li>1861-1889: Reinado de D. Carlos<br />1891<br />31 de Janeiro - A primeira revolta destinada a implantar a república é desencadeada no Porto, mas fracassa.<br />Revolta de 31 de Janeiro de 1891 (cópia reduzida de calendário 1911)<br />1897<br /><ul><li>Constituição da Carbonária Portuguesa</li></li></ul><li>1861-1889: Reinado de D. Carlos<br />
  7. 7. 1861-1889: Reinado de D. Carlos<br />1905<br />Visita a Lisboa do presidente da república francesa Émile Loubet. Os republicanos aproveitam para organizar manifestações a favor da república.<br />O Presidente francês ÉmileLoubet com a família real portuguesa<br />1906<br /><ul><li>O rei D. Carlos encarrega João Franco de formar governo.</li></li></ul><li>1861-1889: Reinado de D. Carlos<br />1907 <br /><ul><li>Para evitar as críticas ao governo por parte dos deputados, João Franco convence o rei a dissolver a Assembleia e a não convocar novas eleições, passando a governar em ditadura.
  8. 8. O descontentamento aumenta porque o governo de João Franco proíbe jornais e manifestações e manda perseguir e prender os opositores, em particular os republicanos.
  9. 9. Vários dirigentes do PRP que pertenciam à Maçonaria contactam dirigentes da Carbonária com o objectivo de organizarem em conjunto uma revolução destinada a derrubar a monarquia e implantar a república</li></ul>João Franco<br />
  10. 10. 1861-1889: Reinado de D. Carlos<br />1908<br /><ul><li>28 de Janeiro - Tentativa de revolução republicana em Lisboa é denunciada e fracassa. Várias personalidades republicanas são presas e condenadas ao degredo.
  11. 11. 1 de Fevereiro - Regicídio: o rei D. Carlos e o príncipe herdeiro são assassinados por dois elementos da Carbonária, Manuel Buiça e Alfredo Costa.</li></ul>1 de Fevereiro de 1908<br />
  12. 12. 1861-1889: Reinado de D. Manuel II<br />1908<br /><ul><li>O PRP consegue eleger 7 deputados nas eleições legislativas e obtém a maioria dos votos nas eleições para a Câmara Municipal de Lisboa.
  13. 13. Muitos elementos da Carbonária inscrevem-se no PRP.
  14. 14. 28 de Janeiro - Tentativa de revolução republicana em Lisboa é denunciada e fracassa. Várias personalidades republicanas são presas e condenadas ao degredo.</li></ul>D Manuel II<br />
  15. 15. 1861-1889: Reinado de D. Manuel II<br />1910<br />O PRP encarrega dois dirigentes de uma missão diplomática junto de vários governos europeus, para preparar o reconhecimento da república em Portugal.<br />Colabora activamente com a Carbonária na preparação da revolução.<br />O PRP consegue eleger 14 deputados nas eleições legislativas.<br />Setembro - os dirigentes da conspiração concluem o plano da revolução.<br />Deputados republicanos eleitos em 1910<br />
  16. 16. A IMPLANTAÇÃO DA REPÚBLICA<br />5 de Outubro de 1910<br />
  17. 17. 5 de Outubro de 1910<br />2 de Outubro de 1910<br />3 de Outubro de 1910<br />Reunião de emergência na sede do Partido Republicano Português. O Almirante Cândido dos Reis, chefe militar da revolução, marca as operações para a noite seguinte.<br /> Manhã <br />Miguel Bombarda, médico psiquiatra e um dos conspiradores revolucionários é assassinado por um doente.<br />
  18. 18. 5 de Outubro de 1910<br />4 de Outubro de 1910<br />Homenagem ao cruzador S. Rafael<br />Madrugada <br />Os 15 dirigentes máximos da revolução concentram-se nos Banhos de S. Paulo.<br />Estava previsto que vários quartéis de Lisboa aderissem á revolução republicana, mas só se sublevam três: Quartel de Marinheiros, Infantaria 16 e Artilharia 1.<br />Os navios cruzadores Adamastor e S. Rafael, ancorados no Tejo, aderem à revolução, mas o navio almirante D. Carlos permanece nas mãos dos monárquicos.<br />
  19. 19. 5 de Outubro de 1910<br />4 de Outubro de 1910<br />Madrugada <br /><ul><li>Colunas de militares que aderiram à revolução saem dos quartéis para se dirigirem aos pontos-chave que deviam tomar.
  20. 20. Avançam por Campo de Ourique em Lisboa. Desencadeia-se uma troca de tiros com uma patrulha da Guarda Municipal fiel à monarquia.
  21. 21. Os revolucionários juntam-se no largo do Rato e dali tentam avançar para o quartel do Carmo, mas defrontam-se e trocam tiros com uma barreira de guardas na Av. Alexandre Herculano.</li></li></ul><li>5 de Outubro de 1910<br />4 de Outubro de 1910<br />Madrugada <br /><ul><li>Os revolucionários verificam que não têm forças suficientes para prosseguir o plano e decidem concentrar-se na Rotunda onde se barricam.
  22. 22. O Almirante Cândido dos Reis dirige-se aos Banhos de S. Paulo para conferenciar com os 15 companheiros que aí se encontravam. Concluíram que o golpe tinha falhado e decidem fugir. Cândido dos Reis toma o caminho de Arroios e desesperado com o fracasso suicida-se.</li></ul>Na rotunda da Avenida<br />
  23. 23. Homenagem a Cândido dos Reis e Miguel Bombarda (1910)<br />
  24. 24. 5 de Outubro de 1910<br />4 de Outubro de 1910<br />Um episódio da Revolução na Rotunda<br />Madrugada <br />A notícia do suicídio espalha-se lançando a maior consternação entre os republicanos.<br />José Relvas e outros companheiros decidem ir para a redacção do jornal A Luta e redigem notícias a negar o suicídio, mas muitos soldados e civis republicanos decidem abandonar a Rotunda.<br />Por volta das 5 horas da manhã permanecem na Rotunda apenas 100 soldados e 50 civis com 5 canhões e algumas espingardas, comandados por Machado dos Santos.<br />
  25. 25. 5 de Outubro de 1910<br />4 de Outubro de 1910<br />A última guarda de honra de D. Manuel, em Mafra<br />Manhã <br />Tropas monárquicas concentram-se no Rossio.<br />Pelas 11 horas os navios que aderiram à revolução bombardeiam o palácio das Necessidades onde o rei D. Manuel II se encontrava.<br />O rei foge de Lisboa e dirige-se para o palácio de Mafra.<br />
  26. 26. 5 de Outubro de 1910<br />4 de Outubro de 1910<br />Manhã <br />Tropas monárquicas comandadas por Paiva Couceiro dirigem-se para uma colina acima da Rotunda, o alto da Penitenciária, e daí abrem fogo sobre os republicanos. São alvejados pelos republicanos a partir do quartel de Artilharia 1.<br />Grupos de elementos da Carbonária dinamitam pontes, estradas e a linha-férrea para isolar Lisboa.<br />A mãe de D. Manuel II, rainha D. Amélia e a avó, rainha D. Maria Pia, que se encontravam no palácio da Pena, em Sintra, decidem ir para Mafra juntar-se ao rei.<br />A fuga da família real<br />
  27. 27. 5 de Outubro de 1910<br />4 de Outubro de 1910<br />Manhã <br />Muitos republicanos, civis e militares decidem juntar-se ao grupo barricado na Rotunda, levando consigo armas e munições. Ao fim da tarde, já eram cerca de 1500 resistentes.<br />As tropas de Paiva Couceiro dirigem-se para o Alto do Torel para daí continuarem a abrir fogo sobre os republicanos barricados na Rotunda.<br />
  28. 28. 5 de Outubro de 1910<br />4 de Outubro de 1910<br />Homenagem à Marinha de Guerra<br />Noite<br /><ul><li>O quartel-general monárquico tenta chamar reforços a Lisboa, vindos dos regimentos da província. As colunas militares não conseguem entrar em Lisboa, pois todos os acessos à cidade tinham sido destruídos pelos grupos da Carbonária.
  29. 29. Durante toda a noite há tiroteio cruzado, à distância, e ninguém sabia como a luta ia acabar.
  30. 30. O navio cruzador D. Carlos é tomado pelos republicanos.</li></li></ul><li>5 de Outubro de 1910<br />
  31. 31. 5 de Outubro de 1910<br />5 de Outubro de 1910<br />Proclamação da República na Câmara Municipal de Lisboa<br />Manhã<br />O embaixador da Alemanha sai à rua com uma bandeira branca a pedir tréguas para que os cidadãos estrangeiros residentes em Lisboa pudessem sair da cidade.<br />Grupos de soldados monárquicos julgam que a bandeira branca significa que os oficiais se tinham rendido e decidem largar armas e confraternizar com os republicanos.<br />Às 9 horas Eusébio Leão, José Relvas e vários outros dirigentes republicanos entram na Câmara Municipal de Lisboa, assomam à varanda e dali proclamam a República com discursos inflamados.<br />A multidão enche a praça do Município e aplaude a vitória republicana.<br />
  32. 32. 5 de Outubro de 1910<br />6 de Outubro de 1910<br />Embarque da família real em Ericeira<br />Manhã<br />A família real, acompanhada por alguns nobres e alguns criados, embarca no iate Amélia, na praia da Ericeira e o navio zarpa em direcção a Gibraltar.<br />Aí permanecem uma semana. À excepção de D. Maria Pia, que era italiana e preferiu dirigir-se à sua terra natal, seguem todos para Londres.<br />
  33. 33. O Governo Provisório<br />
  34. 34. Cronologia http://www.centenariorepublica.pt/escolas/cronologia ImagensAntónio Ventura, Os postais da primeira república, Álbuns da República, Tinta da Chinawww.gutenberg.org/files/26777/26777-h/26777-h.htm<br />Autor: João Bastos – 8ºB<br />

×