Trabalhos Alunos Grupo C

255 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
255
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
26
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Trabalhos Alunos Grupo C

  1. 1. Grupo C: Hugo, nº11; Isaac, nº15; João Pedro, nº18
  2. 2. 2ÍNDICEPág.Introdução 3A Revolução Republicana (Antecedentes) 4Preparação da Revolução Republicana 5Acontecimentos dos 4 e 5 de outubro de 1910 6Conclusão 9Bibliografia 10
  3. 3. 3INTRODUÇÃONeste trabalho, abordamos os antecedentes e os principais acontecimentosque se deram nos dias 4 e 5 de outubro de 1910 e que levaram à queda daMonarquia e à implantação da República, em Portugal.
  4. 4. 4A Revolução RepublicanaAntecedentesO descontentamento popular com a situação vivida na seguna metade doséculo XIX, despoletou a queda da Monarquia e consequentemente aimplantação da República.O Partido Republicano Português, criado em 1876, propunha-se substituir aMonarquia pela República.Os Republicanos defendiam que: O chefe de Estado é um presidente. O presidente é eleito pelos cidadãos ou pelos seusrepresentantes. A duração do mandato presidencial é limitada por lei.O Partido Republicano foi ganhando cada vez mais apoiantes.O ultimato feito pelos Ingleses a Portugal em 1890, foi o golpe final e o inícioda queda da Monarquia, pois a população portuguesa sentiu-se humilhada pelorecuo do rei D. Carlos.A primeira tentativa de revolta armada contra a monarquia, ocorreu em 31 deJaneiro de 1891, no Porto.A 1 de Fevereiro de 1908, o rei D. Carlos I e o príncipe herdeiro D. Luís Filipesão mortos, em Lisboa num atentado. Sobe ao trono, aquele que viria a ser oúltimo rei em Portugal, D. Manuel II.
  5. 5. 5Preparação da Revolução RepublicanaAcontecimentos que precederam a Revolução Reunião de 29 de setembro de 1910Esta reunião teve lugar na sede do Directório do Partido RepublicanoPortuguês e terá servido para reunir, pela última vez, os principaisresponsáveis das estruturas legais e clandestinas domovimento revolucionário.Segundo Simões Raposo, “no final, todos nosvoltámos para Cândido dos Reis, perguntando-lhese seria o momento para tentarmos a vitória”, tendoo almirante respondido: “É o momento! Nós temosque nos decidir. Não posso garantir a vitória, masafianço-lhes que a Revolução, vencedora ouvencida, não será uma vergonha.”Participantes da Reunião: Simões Raposo Machado Santos (também emrepresentação de José Castro, ausente noestrangeiro) José Cordeiro Júnior António Maria da Silva José Barbosa Inocêncio Camacho Almirante Cândido dos Reis Manuel Martins Cardoso Eusébio Leão José Relvas (também em representação de Sebastião Magalhães Lima)1 Documento de Simão Raposo2 Documento de Simão Raposo
  6. 6. 6 Miguel Bombarda (também em representação de António José deAlmeida, ausente por doença) Acontecimentos dos 4 e 5 de outubro de 1910๏ Na madrugada de 4 de outubro de 1910, iniciou-se a revolução republicana,em dois pontos distantes do centro de Lisboa: Quartel de Marinheiros, em Alcântara, assaltado e ocupado por umgrupo de civis e marinheiros, comandado por Ladislau Parreira. Regimento de Infantaria 16, em Campo de Alcântara, Ourique, assaltadoe tomado por civis sob o comando de Machado Santos.A este regimento, juntou-se o Regimento de Artilharia 1, de Campolide.A marinha de guerra, foi fundamental para o sucesso da revolta. Foram dois osnavios tomados: “Adamastor” “ “S. Rafael”O navio almirante D. Carlos permaneceu com os monárquicos.Entretanto, as colunas de militares que se juntaram à revolução deixaram osquartéis e dirigiram-se aos pontos-chave que deviam tomar: em Campo deOurique, iniciou-se uma troca de tiros com uma patrulha da Guarda Municipalfiel à Monarquia; no Largo do Rato tentaram avançar para o quartel do Carmo,mas foram impedidos pelos monárquicos. Recuaram e barricaram-se naRotunda.Os revolucionários concluíram que o golpe tinha falhado. Desesperado com ofracasso, O Almirante Cândido dos Reis suicidou-se.A notícia espalhou-se, levando ao desalento entre os republicanos e muitossoldados e civis republicanos decidiram abandonar a Rotunda.
  7. 7. 7๏ Às 5h00m, na Rotunda apenas restavam 100 soldados e 50 civisrepublicanos com 5 canhões e algumas espingardas, comandados porMachado Santos. As tropas monárquicas concentravam-se no Rossio.๏ Às 11h00, os navios que aderiram à revolução bombardearam o Palácio dasNecessidades, onde o rei D. Manuel II se encontrava. O rei foge de Lisboa edirige-se para o palácio de Mafra.Entretanto, as tropas monárquicas comandadas por Paiva Couceiro, dirigiram-se para uma colina acima da Rotunda, e daí abriram fogo sobre osrepublicanos.Ao grupo que se encontrava barricado na Rotunda juntaram-se outrosresistentes levando consigo armas e munições. Ao fim da tarde, já eram cercade 1500 resistentes.As colunas militares que iriam auxiliar os monarcas não conseguiram entrar emLisboa, pois todos os acessos à cidade tinham sido destruídos pelos grupos daCarbonária.O navio cruzador D. Carlos foi finalmente tomado pelos republicanos.Perante esta situação o embaixador da Alemanha saiu à rua, com umabandeira branca, a pedir tréguas para que, os cidadãos estrangeiros residentesem Lisboa, pudessem sair da cidade.Os soldados monárquicos julgando que a bandeira branca significava que osoficiais se tinham rendido, decidiram largar as armas e confraternizar com osrepublicanos, na Praça do Rossio.๏ Durante a manhã de 5 de Outubro de 1910, dirigentes do PartidoRepublicano, proclamaram a implantação da República em Portugal, navaranda do edifício da Câmara Municipal de Lisboa, aplaudidos pela multidãoque enchia a praça.
  8. 8. 8A família real, acompanhada por alguns nobres e alguns criados, embarcou noiate D. Amélia, na praia da Ericeira e o navio zarpou em direção a Gibraltar.Após a proclamação da República foi criado um governo provisório, presididopelo Dr. Teófilo Braga.
  9. 9. 9CONCLUSÃOEste trabalho permitiu-nos aprofundar os nossos conhecimentos sobre umaépoca importante da História de Portugal, a mudança do regime monárquicopara o regime republicano.Também nos permitiu aprender a pesquisar e saber organizar um trabalhoescrito.
  10. 10. 10BibliografiaSites:www.eb23-cmdt-conceicao-silva.rcts.pt/sev/hgp/14.1.htm, consultado em 20-04-13www.abbc.pt/esc_revolucao.php, consultado em 20-04-13www.slideshare.net, consultado em 20-04-13

×