VT - Natália Horta

2.193 visualizações

Publicada em

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.193
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
74
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

VT - Natália Horta

  1. 1. Roteiro VT<br />Natália B. Horta<br />
  2. 2. O futuro<br /> “A TV deve acabar nos primeiros seis meses. Em breve as pessoas vão se cansar de ficar olhando para uma caixa de madeira todas as noites”.DarrylZanuck, executivo da 20th Century Fox, Hollywood, 1946<br />“No futuro próximo a TV deve migrar para a Internet - o que não significa que ela vai ficar por lá”.Bruce Owen, 2003<br />
  3. 3. O futuro<br />O futuro da televisão não é como a gente imagina.<br /> A televisão como a conhecemos.<br />Disponibilidade de canais.<br />Grau de envolvimento do telespectador com a mídia.<br />
  4. 4. O futuro<br /> Telespectadores: <br />Espectadores passivos massivos<br />Espectadores ativos (gadgetierse koolkids)<br /> “Esses jovens consideram assistir televisão, um programa de velho. Passam mais tempo na Internet, selecionam as notícias de interesse pessoal na rede e preferem interagir com videogames cada vez mais sofisticados. É exatamente esse grupo que vai decidir o futuro da TV. Porém, o poder do grande público passivo não pode, nem devem ser ignorado ou subestimado.” <br />midiativa.tv<br />
  5. 5. O futuro<br /> IPTV (Internet Protocol TV)<br />Ágil<br />Diversificada<br />De maior qualidade<br />
  6. 6. O futuro<br />E a publicidade, onde fica? <br />Novo modelo de negócio?<br />Geradores de conteúdo? Maior interação?<br />
  7. 7. O presente<br /> 94% dos domicílios brasileiros possuem televisão.<br /> 8 emissoras comercias (403 geradoras)<br /> 15% dos brasileiros que possuem TV possuem TV por assinatura.<br />MídiaDados 2009<br />
  8. 8. Um meio que é mais ou menos assim:<br />“ Televisão é massa. Sua linguagem visual e auditiva não encontra obstáculos em um país repleto de analfabetos” <br />Tiago Barreto<br /> Papel social: aspecto psicológicos, morais, econômicos, políticos, criativos, culturais e educacionais.<br />
  9. 9. Um meio que é mais ou menos assim:<br /> Caro para investir. <br />Linguagem polimórifica.<br /> Bombardeamento de informações.<br />Zapping.<br />Falta de atenção.<br />
  10. 10. O filme publicitário<br /> “O filme publicitário é também uma ação dramática com início, meio e fim. Também por meio de uma sequência de imagens ou cenas, para projeção em uma tela. Pelo simples fato de ser publicitário, contudo, é um filme para vender. É esse o ponto fundamental: vender um produto, uma ideia, o que for. Mas tem de vender. Quer comprar?” <br />Tiago Barreto<br /> 5, 15, 30, 45 ou 60 minutos de duração. Ou mais.<br />
  11. 11. O roteiro<br />“... é a organização das ideias do criador, a representação do cenário criado para vender um produto, ideia ou marca. Tecnicamente, é um texto sintético, baseado no argumento de campanha, de cenas, sequências, diálogos e indicações técnicas de um filme.”<br />Tiago Barreto<br /> Estrutura<br />Três unidades de ação dramática: Tempo, espaço, ação. (Aristóteles)<br />
  12. 12. O roteiro<br /> Diretor de Arte o Redator?<br /> Os dois.<br />E como em todas as mídias, pense<br />no produto<br />na marca (cliente)<br />no público<br />no meio<br />
  13. 13. Definições técnicas<br /> Gênero<br />humor<br />drama<br />erotismo<br />suspense <br /> Estilo de realização<br />Depoimento?<br />Demonstração?<br />Narração?<br />
  14. 14. Definições técnicas<br /> Que mais?<br />Linguagem/produção<br />Personagens <br />Diálogos<br />Trilha<br />
  15. 15. Definições técnicas<br />Estrutura<br />Storyline<br /> É a ideia principal descrita de forma objetiva.<br />Tempo<br />Espaço<br />Ação<br />Desfecho<br />
  16. 16. Definições técnicas<br />Roteiro<br /> Agência: Young&Rubican Argentina<br /> Cliente: Doisnovemeia Publicidade<br /> Título: Palestra de VT<br /> <br /> Em cena, Natch dando palestra e os trainees quase dormindo.<br /> TRAINEE 1: Será que essa palestra acaba um dia?<br /> TRAINEE 2: Ah, eu tô achando até legal.<br /> TRAINEE 1: Afe!<br /> Samir levanta da cadeira com raiva.<br /> SAMIR: Cala boca! Vocês tão atrapalhando.<br />Traineesficam tensos e estão claramente assustados.<br /> LOC. OFF: Climão.<br /> Samir começa a dançar.<br /> SAMIR: BRINKS!<br /> Entra cartela com a logo da Doisnovemeia.<br /> LOC. OFF: Doisnovemeia. Lugar de gente feliz.<br />
  17. 17. Definições técnicas<br />
  18. 18. Definições técnicas<br />Storyboard<br />Decupagem<br /> CENA 1<br /> PLANO 1<br /> PLANO AMERICANO DA NATCH DANDO PALESTRA.<br /> PLANO 2<br /> PLANO PRÓXIMO DO TRAINEE 1.<br /> TRAINEE 1: SERÁ QUE ESSA PALESTRA ACABA UM DIA?<br /> PLANO 3<br /> PLANO PRÓXIMO DO TRAINEE 2.<br /> TRAINEE 2: AH, EU TÔ ACHANDO ATÉ LEGAL.<br />
  19. 19. Criando<br /> “Perca tempo” criando. <br /> “o roteiro é a linha guia do filme. É sua matéria-prima bruta. A ideia. De preferência a grande ideia.” <br />Tiago Barreto<br /> Quanto temos para gastar?<br />Assista VTs na TV e fora dela também.<br /> <br />Resolvao problemavisualmente.<br /> “O olho vai lembrar o que o ouvido esquecer.”<br />
  20. 20. Criando<br /> A imagem dá conta do recado?<br />E o áudiodáconta do recado?<br /> <br />Penseemumahistória.<br /> <br /> Encontre uma imagem e construa uma história para ela.<br />Sejasimples.<br /> <br /> Não tem problema pensar grande também.<br />
  21. 21. Criando<br />Se você puder fazer os dois primeiros segundos do seu VT visualmente incomum, faça.<br /> <br /> Pense muito sobre os últimos cinco segundos.<br /> Um VT tem que entreter do começo ao fim.<br /> <br /> Não force a TV a parecer um com o anúncio impresso.<br /> <br /> São apenas 30 segundos, lembre-se disso.<br /> <br /> Evite mostrar o que está sendo dito ou dizer o que está sendo mostrado.<br />
  22. 22. Criando<br />Acompanhe a montagem<br /> “A montagem perturba o transcurso do tempo, o interrompe e, simultaneamente, lhe dá uma nova qualidade. Sua distorção pode ser um meio de expressão rítmica. Esculpir o tempo!” <br />V. Amiel.<br /> Varejo e DRTV são legais. Tudo que você precisa é de uma boa ideia.<br />
  23. 23. Bibliografia<br />Vende-se em 30 Segundos – Tiago Barreto<br />HeyWhipple, SqueezeThis – Luke Sullivan<br />Mídia Dados<br />Rasgos específicos del montaje en los spots publicitarios - UniversidadCeuCardenalHerrera - José Martínez Sáez<br />Soluciones creativasfrente a la saturación publicitaria en televisión Clara Muela, Rafael Gómez - UniversidadRey Juan Carlos <br />
  24. 24. Bibliografia<br /> O Fim da Televisão Como a Conhecemos – Antônio Brasil - midiativa.tv<br />O Comercial de Televisão Argentino É o Futuro da Publicidade Brasileira? - tarrask.com/blog/<br />10 Essentials to an Effective TV Commercial - advertising.about.com<br />Why don't we make good ads anymore? - www.independent.co.uk<br /> How to Write a Television Commercial - ehow.com<br />
  25. 25. Pablo, qual é a música?<br />Roteiro VT 30 segundos <br />inspirado em um clipe.<br />
  26. 26. Pablo, qual é a música?<br />Helena Conquest – The White Stripes<br />TássiaI Just Wanna Live – Good Charlotte<br />Everton Why Don’t You Get A Job? - Offspring<br />Isabela Holiday -Vampire Weekend <br />RaissaHitchin’ a Ride – Green Day <br />DaviSitting, Waiting, Wishing - Jack Johnson<br />ThaizaCarollThe Importance of Being Idle – Oasis<br />AlessandraShe is MyMan - Scissorsisters<br />Felipe JoinhaRich Girl – GwenStefany<br />Pedro Big Girl – Mika <br />EduardoPerfecta – Miranda! <br />
  27. 27. Obrigada!<br />natalia@doisnovemeia.com.br<br />@natchhorta<br />

×