Leilane Albuquerque
   Início: 1916 – Brasil: 1922 (RJ)   Anos 30: maior variação da programação –    programas       de     auditório,  hum...
Não há imagem visual“...sons imagem é fortalecida pelos  ouvintes de rádio, principalmente  a partir das características v...
Baixo custo   Mais popular                    Imediatismo                  Maior públicoLinguagem de fácil compreensão    ...
Locutor apresentador – Apresenta e anuncia programasanimador               de rádio, entrevistas,                         ...
   AM (amplitude modulada)     Base: jornalismo   FM (frequência modulada)     Menor incidência de ruídos     Base: e...
   Participação de ouvintes.   Notícias de ultima hora.   Movimentação no estúdio.   Controle de reportagens externas,...
   Cursos de formação básica, técnica e/ou    profissionalizantes.   Início: voz “formada” – padrão vocal mais    grave ...
HABILIDADE COMUNICATIVA
Loudness e Pitch   CPFA      Articulação Precisa  adequados                      Vocabulário e  Ressonância          Gramá...
   FM (público jovem): pith agudo, loudness    aumentada, velocidade de faixa rápida e    modulação rica.   FM (público ...
   Orientação vocal   Aquecimento vocal   Treino vocal – coordenação    pneumofonoaticulatória, controle de pitch e    ...
Fisiologia                   Saúde  vocal                      vocal         Cuidados com o           microfone,       lou...
Preparação de trato vocal          para o uso profissional da                     voz.   o som vibrante em escala, termin...
Coordenaçãopneufonoarticulatória
   Eu sei de tudo.   Eu sei tudo o que você queria.   Eu sei tudo o que você queria me dizer.   Eu sei tudo o que você...
   Eu sei tudo o que você queria me dizer naquela    noite em que nos vimos por um momento, antes    da chuva cair e nos ...
CUIDADO: Imprecisão, exagero e fonemas imprecisos.Fonemas/r/ isolado e ao final da sílaba, além               de encontros...
   Pratrakra – Bradragra   Prétrékré - Brédrégré   Prêtrêkrê - Brêdrêgrê   Pritrikri - Bridrigri   Prótrókró - Bródró...
   Platlakla – Bladlagla   Plétléklé - Blédléglé   Plêtlêklê - Blêdlêglê   Plitlikli - Blidligli   Plótlókló - Blódló...
   Frassaxa – Vrazaja   Frésséxé - Vrézéjé   Frêssêxê - Vrêzêjê   Frissixi - Vriziji   Fróssóxó - Vrózójó   Frôssôxô...
   Flassaxa – Vlazaja   Flésséxé - Vlézéjé   Flêssêxê - Vlêzêjê   Flissixi - Vliziji   Flóssóxó - Vlózójó   Flôssôxô...
   Eu tagarelei   Tu tagarelás   Ele tagarelá   Nós tagarelemos   Vós tagareleis   Eles tagarelão
   O bispo de Constantinopla não é um bom    constantinopolizador pois só    desconstantinopolitariza sendo portanto um  ...
“Continua em Canindé a polêmica sobre aimagem de São Francisco o pároco do SantuárioFranciscano daquela cidade insiste que...
“Continua em Canindé/ a polêmica sobre aimagem de São Francisco// o pároco do SantuárioFranciscano daquela cidade// insist...
“Continua em Canindé/ a polêmica sobre aimagem de São Francisco// o pároco doSantuário Franciscano daquela cidade// insist...
“Continua em Canindé/ a polêmica sobre aimagem de São Francisco// o pároco doSantuário Franciscano daquela cidade// insist...
Fonoaudiologia x radiolocução
Fonoaudiologia x radiolocução
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Fonoaudiologia x radiolocução

1.847 visualizações

Publicada em

Material cedido pela Fonoaudióloga Leilane Albuquerque para o Curso Avançado de Formação de Locutores, promovido pelo Alex Ventura em Maio de 2012.

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.847
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
86
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Fonoaudiologia x radiolocução

  1. 1. Leilane Albuquerque
  2. 2.  Início: 1916 – Brasil: 1922 (RJ) Anos 30: maior variação da programação – programas de auditório, humorísticos, radionovelas, exploração comercial Atualmente: cultura, arte, jornalismo, utilidade pública, comercial, educacional.
  3. 3. Não há imagem visual“...sons imagem é fortalecida pelos ouvintes de rádio, principalmente a partir das características vocais do locutor” (Oliveira, 1990)
  4. 4. Baixo custo Mais popular Imediatismo Maior públicoLinguagem de fácil compreensão Maior mobilidade para emissor e receptor
  5. 5. Locutor apresentador – Apresenta e anuncia programasanimador de rádio, entrevistas, brincadeiras, jogos.Locutor comentarista - Comenta os eventos esportivos.esportivoLocutor esportivo Narra e eventualmente comenta os eventos esportivos.Locutor entrevistador Expõe e narra fatos, além de entrevistar pessoas relacionadas aos fatos.Locutor noticiarista Lê programas de notícias de rádio.Locutor em comerciais / Realiza leituras de textosanunciador comerciais.
  6. 6.  AM (amplitude modulada)  Base: jornalismo FM (frequência modulada)  Menor incidência de ruídos  Base: entretenimento e músicaComunicação oral – alcança os objetivos da EMISSORA
  7. 7.  Participação de ouvintes. Notícias de ultima hora. Movimentação no estúdio. Controle de reportagens externas, enviados – interior (telefonemas). Realizar locução e operar a mesa simultaneamente.
  8. 8.  Cursos de formação básica, técnica e/ou profissionalizantes. Início: voz “formada” – padrão vocal mais grave e impostado – MODELOS. Atualmente: voz com características próprias e marcantes – grande flexibilidade vocal. Profissional versátil: dentro da emissora – narra notícias, realiza entrevistas, conversa com ouvintes, dá dicas e realiza comerciais fora da empresa – animador de festas e eventos, mestre de cerimônias.
  9. 9. HABILIDADE COMUNICATIVA
  10. 10. Loudness e Pitch CPFA Articulação Precisa adequados Vocabulário e Ressonância Gramática EquilibradaRitmo Adequado Entusiasmo Conteúdo Maturidade Concentração Improvisação
  11. 11.  FM (público jovem): pith agudo, loudness aumentada, velocidade de faixa rápida e modulação rica. FM (público mais velho): pith grave, loudness mediano, velocidade de fala mediana ou rápida e modulação mais restrita. AM: voz coloquial, com regionalismos, modulação variada, loudness e pitch medianos.
  12. 12.  Orientação vocal Aquecimento vocal Treino vocal – coordenação pneumofonoaticulatória, controle de pitch e loudness, velocidade de fala, articulação e pronúncia, projeção e equilíbrio ressonantal Expressividade vocal: aspectos melódicos da fala – entonação e uso de ênfases, duração e pausas.
  13. 13. Fisiologia Saúde vocal vocal Cuidados com o microfone, loudness e postura.
  14. 14. Preparação de trato vocal para o uso profissional da voz. o som vibrante em escala, terminando com vogal grave. o “um hum” isolado e com vogais. o fazer de modo prolongado: danguê – denguê – dinguê – donguê – dunguê. o articular bem: blacks – blecks – blicks – blocks – blucks.
  15. 15. Coordenaçãopneufonoarticulatória
  16. 16.  Eu sei de tudo. Eu sei tudo o que você queria. Eu sei tudo o que você queria me dizer. Eu sei tudo o que você queria me dizer naquela noite. Eu sei tudo o que você queria me dizer naquela noite em que nos vimos. Eu sei tudo o que você queria me dizer naquela noite em que nos vimos por um momento. Eu sei tudo o que você queria me dizer naquela noite em que nos vimos por um momento, antes da chuva.
  17. 17.  Eu sei tudo o que você queria me dizer naquela noite em que nos vimos por um momento, antes da chuva cair e nos obrigar. Eu sei tudo o que você queria me dizer naquela noite em que nos vimos por um momento, antes da chuva cair e nos obrigar a ir embora. Eu sei tudo o que você queria me dizer naquela noite em que nos vimos por um momento, antes da chuva cair e nos obrigar a ir embora frustrados. Eu sei tudo o que você queria me dizer naquela noite em que nos vimos por um momento, antes da chuva cair e nos obrigar a ir embora frustrados com o contratempo.
  18. 18. CUIDADO: Imprecisão, exagero e fonemas imprecisos.Fonemas/r/ isolado e ao final da sílaba, além de encontros.  Uso de rolha, espátulas.  Sobrearticulações.  Trava línguas.
  19. 19.  Pratrakra – Bradragra Prétrékré - Brédrégré Prêtrêkrê - Brêdrêgrê Pritrikri - Bridrigri Prótrókró - Bródrógró Prôtrôkrô - Brôdrôgrô Prutrukru - Brudrugru
  20. 20.  Platlakla – Bladlagla Plétléklé - Blédléglé Plêtlêklê - Blêdlêglê Plitlikli - Blidligli Plótlókló - Blódlógló Plôtlôklô - Blôdlôglô Plutluklu - Bludluglu
  21. 21.  Frassaxa – Vrazaja Frésséxé - Vrézéjé Frêssêxê - Vrêzêjê Frissixi - Vriziji Fróssóxó - Vrózójó Frôssôxô - Vrôzôjô Frussuxu - Vruzuju
  22. 22.  Flassaxa – Vlazaja Flésséxé - Vlézéjé Flêssêxê - Vlêzêjê Flissixi - Vliziji Flóssóxó - Vlózójó Flôssôxô - Vlôzôjô Flussuxu - Vluzuju
  23. 23.  Eu tagarelei Tu tagarelás Ele tagarelá Nós tagarelemos Vós tagareleis Eles tagarelão
  24. 24.  O bispo de Constantinopla não é um bom constantinopolizador pois só desconstantinopolitariza sendo portanto um descontantinopolitanizador será Uma rua é paralelepipezada e enladrilhada,quem tiver coragem de despalelepipezá-laterá que desenladrilhá-la também,assim teremos um bom desparalelepípezador edesenladrilhador
  25. 25. “Continua em Canindé a polêmica sobre aimagem de São Francisco o pároco do SantuárioFranciscano daquela cidade insiste que mudançasna estátua que está sendo construída estárevoltando os fiéis o Frei Carlos Antônio SilvaSantos diz que o hábito franciscano que era umaveste simples foi trocado por um manto igual aousado por São Judas Tadeu além disso segundoele há deformidades na cabeça do Santo.”
  26. 26. “Continua em Canindé/ a polêmica sobre aimagem de São Francisco// o pároco do SantuárioFranciscano daquela cidade// insiste quemudanças na estátua que está sendo construída/está revoltando os fiéis// o Frei Carlos AntônioSilva Santos diz que o hábito franciscano// que erauma veste simples/ foi trocado por um mantoigual ao usado por São Judas Tadeu// além dissosegundo ele// há deformidades na cabeça doSanto.”
  27. 27. “Continua em Canindé/ a polêmica sobre aimagem de São Francisco// o pároco doSantuário Franciscano daquela cidade// insisteque mudanças na estátua que está sendoconstruída/ está revoltando os fiéis// o Frei CarlosAntônio Silva Santos diz que o hábitofranciscano// que era uma veste simples/ foitrocado por um manto igual ao usado por SãoJudas Tadeu// além disso segundo ele// hádeformidades na cabeça do Santo.”
  28. 28. “Continua em Canindé/ a polêmica sobre aimagem de São Francisco// o pároco doSantuário Franciscano daquela cidade// insisteque mudanças na estátua que está sendoconstruída/ está revoltando os fiéis// o FreiCarlos Antônio Silva Santos diz que o hábitofranciscano// que era uma veste simples/ foitrocado por um manto igual ao usado por SãoJudas Tadeu// além disso segundo ele// hádeformidades na cabeça do Santo.”

×