Apres RelaçõEs EcolóGicas Bioloja V2

12.388 visualizações

Publicada em

Publicada em: Tecnologia
0 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
12.388
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
183
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
504
Comentários
0
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide
  • Apres RelaçõEs EcolóGicas Bioloja V2

    1. 1. RELAÇÕES ECOLÓGICAS Cleonice Miguez Dias da Silva Braga Bioloja.com
    2. 2. RELAÇÕES ECOLÓGICAS A maioria dos seres vivos depende de outras espécies para sobreviver. Uma espécie geralmente explora a outra, mas duas espécies podem, algumas vezes, juntar forças na luta pela sobrevivência...
    3. 3. INTERESPECÍFICA Interação entre seres de espécies diferentes. CLASSIFICAÇÃO I NTRA-ESPECÍFICA Interação entre seres da mesma espécie.
    4. 4. INTRA-ESPECÍFICA / INTERESPECÍFICA HARMÔNICAS DESARMÔNICAS Pelo menos um indivíduo sai prejudicado. Podem gerar interações do tipo: (+/-), (0/-) ou (-/-) Não há prejuízo para nenhuma das partes associadas. Podem gerar interações do tipo: (+/+) ou (+/0)
    5. 5. RELAÇÕES INTRA-ESPECÍFICAS HARMÔNICAS COLÔNIA : Relação do tipo +/+ Agrupamento de indivíduos da mesma espécie que são estruturalmente ligados uns aos outros.
    6. 6. HETEROMORFAS: Com diferenciação morfológica entre os indivíduos e divisão de trabalho. ISOMORFAS: Todos indivíduos são iguais e não há divisão de trabalho.
    7. 7. Caracteriza-se pela cooperação entre indivíduos da mesma espécie que têm independência física uns dos outros. SOCIEDADES: Relação do tipo +/+
    8. 8. HETEROMORFAS: diferentes funções são exercidas por indivíduos anatomicamente diferentes. ISOMORFAS: apesar de haver divisão de trabalho não há diferenças significativas entre os seus membros componentes.
    9. 9. MUTUALISMO : Relação do tipo +/+ RELAÇÕES INTERESPECÍFICAS HARMÔNICAS Relação entre espécies diferentes onde ambas são beneficiadas e não podem viver separadamente.
    10. 10. Líquens: Associação de algas e fungo
    11. 11. Ruminantes / Bactérias do seu trato digestivo. Micorrizas- fungo/raízes
    12. 12. Relação entre espécies diferentes, na qual ambas se beneficiam; contudo, tal associação não é obrigatória, podendo cada espécie viver isoladamente. PROTOCOOPERAÇÃO: Relação do tipo +/+
    13. 14. Associação entre indivíduos de espécies diferentes, onde um ser vivo utiliza o outro, como moradia - suporte ou abrigo. INQUILINISMO: Relação do tipo +/0 As epífitas ( as bromélias e as orquídeas ) que vivem sobre os troncos de árvores.
    14. 15. O peixe Fierasfer (peixe agulha) refugia-se no interior do pepino-do-mar (equinodermo).
    15. 16. Envolve indivíduos de espécies diferentes, na qual um deles se alimenta das sobras ou restos da alimentação do outro, sem qualquer prejuízo. COMENSALISMO: Relação do tipo +/0
    16. 18. RELAÇÕES INTRA-ESPECÍFICAS DESARMÔNICAS COMPETIÇÃO: Relação do tipo -/- Relação em que indivíduos da mesma espécie lutam por algum componente do ambiente.
    17. 19. A competição é um dos fatores limitantes do crescimento das populações naturais e está intimamente relacionada com o processo evolutivo por seleção natural. <ul><li>Animais competem pelo território, pelo alimento e por parceiros na reprodução. </li></ul><ul><li>Vegetais competem pelos nutrientes do solo, luz, água, etc. </li></ul>
    18. 20. É uma relação entre indivíduos da mesma espécie na qual um indivíduo se alimenta do outro. CANIBALISMO: Relação do tipo +/-
    19. 21. Relação em que o indivíduo predador captura e mata um indivíduo de outra espécie, a presa, que lhe servirá de alimento. PREDATISMO: Relação do tipo +/- RELAÇÕES INTERESPECÍFICAS DESARMÔNICAS
    20. 22. O predatismo é um fator limitante do crescimento das populações naturais. Plantas carnívoras são um raro exemplo em que o predador é uma planta. Quando o animal utiliza plantas como alimento, fala-se em herbivoria.
    21. 23. No processo evolutivo a relação PRESA-PREDADOR favoreceu, em ambos, a perpetuação de características que garantem ora o sucesso do predador ora o da presa. O predatismo é fundamental também nos processos evolutivos por seleção natural.
    22. 24. Mimetismo ou camuflagem? <ul><ul><li>M i m e t i s m o : </li></ul></ul><ul><ul><li>Algumas espécies não-venenosas apresentam certas características, preservadas por seleção natural, que lhes conferem semelhanças com espécies venenosas ou não palatáveis. </li></ul></ul><ul><ul><li>C a m u f l a g e m: </li></ul></ul><ul><ul><li>Um organismo se assemelha a outro ou a um aspecto do meio ambiente, de modo que fique imperceptível pelo menos quando não está em movimento. </li></ul></ul>
    23. 29. Relação entre seres de espécies diferentes, em que um deles ( parasita) vive no corpo do outro ( hospedeiro) , do qual retira alimentos. PARASITISMO: Relação do tipo +/- ECTOPARASITAS (externos) ENDOPARASITAS (internos)
    24. 30. O cipó-chumbinho é um exemplo de planta holoparasita da seiva elaborada das plantas que lhe são hospedeiras. A erva-de-passarinho é uma planta classificada como hemiparasita, pois retira a seiva bruta das plantas que lhes são hospedeiras.
    25. 31. Embora os parasitas possam causar a morte do hospedeiro, em muitos casos trazem-lhes apenas prejuízos. Os herbívoros que consomem plantas inteiras são considerados predadores e parasitas quando consomem partes das mesmas sem porém causar-lhes a morte.
    26. 32. Associação em que uma espécie libera substâncias tóxicas que inibem o crescimento ou não deixa a outra espécie se reproduzir. AMENSALISMO OU ANTIBIOSE: Relação do tipo +/-
    27. 33. COMPETIÇÃO: Relação do tipo -/- Ocorre quando duas populações de espécies diferentes, em uma mesma comunidade, apresentam nichos ecológicos semelhantes.
    28. 34. Princípio de Gause (Princípio da exclusão competitiva) O Princípio de Gause diz respeito ao processo de competição inter-específica que acontece quando duas espécies diferentes habitam um mesmo ambiente e têm nichos muito semelhantes. Assim duas espécies não podem ocupar um mesmo nicho por muito tempo, uma delas irá sempre prevalecer, pois é mais adaptada àquele habitat.
    29. 35. Esse mecanismo pode determinar o controle da densidade das duas populações que estão interagindo, a extinção de uma delas ou ainda a especialização do nicho ecológico.
    30. 36. ESCLAVAGISMO : um caso especial É um tipo de interação interespecífica na qual uma espécie captura e faz uso do trabalho, das atividades e até dos alimentos de outra espécie . Dependendo do caso pode ser classificada como harmônica ou desarmônica produzindo diferentes efeitos: +/+ ou +/-
    31. 37. A relação entre formigas e pulgões (Afídeos) é um caso clássico de esclavagismo porém de difícil classificação. HARMÔNICA OU DESARMÔNICA???
    32. 38. QUANTOS DIFERENTES TIPOS DE RELAÇÕES ECOLÓGICAS PODEM SER IDENTIFICADAS NA FIGURA ABAIXO?
    33. 39. INTRA-ESPECÍFICA INTERESPECÍFICA HARMÔNICAS DESARMÔNICAS Colônia Sociedade Competição Canibalismo HARMÔNICAS Inquilinismo Mutualismo Protocooperação DESARMÔNICAS Amensalismo Predatismo Parasitismo Competição Esclavagismo ??? Comensalismo RELAÇOES ECOLÓGICAS
    34. 40. <ul><li>Fontes de consulta: </li></ul><ul><li>Biologia: uma abordagem evolutiva e ecológica / Elias Avancini de Brito, José Arnaldo Favareto. 1 ed. Volume I-1997 </li></ul><ul><li>Bio – volume 3 – genética, evolução, ecologia / Sônia Godoy Bueno carvalho Lopes – 1 ed. -2002 </li></ul><ul><li>Dicionário temático de biologia / DavidBurnie -1997 </li></ul><ul><li>http://www.herbario.com.br/cie/ecol/eco4.htm </li></ul><ul><li>www.cdcc.sc.usp.br /.../ art_20/colombia.html </li></ul><ul><li>http ://www. nucleodeaprendizagem .com. br /botanica2. htm </li></ul>

    ×