Secretaria de Educação ,Esporte e Lazer do Recife    Política de Ensino – 2012Grupo de Trabalho em Orientação          Sex...
- Legislação Brasileira -Legislação federal – diretrizes que  contemplam o trabalho educativo de  prevenção na Orientação ...
- Legislação Brasileira --Diretrizes Curriculares Nacionais-Programa Diversidades (MEC, 2004);-Programa “Brasil Sem Homofo...
Eixos da Orientação Sexual:   1-Corpo: Identidades e Cidadania; 2-     Relações/Justiça de Gênero e 3-           Diversida...
2- RELAÇÕES DE GÊNERO/ JUSTIÇA DE                 GÊNERO• Objetivos: -Reconhecer, identificar e desmistificar preconceitos...
DIVERSIDADE SEXUAL/COMBATE A             HOMOFOBIA•    Homofobia é uma palavra utilizada para falar     de toda forma de ó...
Homossexualidade e homofobia na escolaAlém disso, a homofobia manifestada na forma debullying nas escolas faz com que alun...
Homossexualidade e homofobia na escola Reprimir os comentários preconceituosos entre  os/as estudantes;Acolher e fortalece...
HOMOFOBIA NA ESCOLA                                    pesquisa UNESCOHomossexuais como colegas de classe:                ...
Consequências da homofobia na educação:• compromete a inclusão educacional e aqualidade do ensino;• incide na relação doce...
Consequências da homofobia na educação:• afeta a definição das carreiras profissionais;• dificulta a inserção no mercado d...
Referências Bibliográficas:Brasil, Ministério da Educação. Parâmetros Curriculares Nacionais: 5ªa 8ª série. Temas transver...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Eixos do gtos

520 visualizações

Publicada em

Apresentação do GTOS (Grupo de Trabalho em Orientação Sexual) na formação para Professor@s de Biblioteca e Mediador@s de Leitura do Programa Manuel Bandeira de Formação de Leitores (Prefeitura do Recife).

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
520
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
8
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide
  • Fonte original na tabela 6.4 do texto. A homofobia é um tipo de violência pouco documentado quando se tem como referência a escola, o tratamento preconceituoso, as discriminações sofridas por jovens homossexuais, sendo que, muitas vezes, os professores não apenas silenciam, mas colaboram ativamente na reprodução de tal violência. Observa-se que a percepção de rapazes e moças sobre o que é violência muito se assemelha. Ambos, quando solicitados a indicar, de uma relação proposta pela pesquisa, as seis mais graves formas de violência, selecionam os mesmos itens, mas com uma singular exceção: a questão da agressão a homossexuais. Neste caso, se percebem maior sensibilidade das jovens com este tipo de violência. Bater em homossexuais é classificada pelas moças como a terceira violência mais grave, enquanto para os jovens ela ocupa a sexta posição.
  • Eixos do gtos

    1. 1. Secretaria de Educação ,Esporte e Lazer do Recife Política de Ensino – 2012Grupo de Trabalho em Orientação Sexual – GTOS
    2. 2. - Legislação Brasileira -Legislação federal – diretrizes que contemplam o trabalho educativo de prevenção na Orientação Sexual:-Portaria Interministerial, Ministério da Saúde e da Educação – nº 796 (29 de maio de 1992);-Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional ( LDBEN, nº9394/1996)- Parâmetros Curriculares Nacionais(1997)
    3. 3. - Legislação Brasileira --Diretrizes Curriculares Nacionais-Programa Diversidades (MEC, 2004);-Programa “Brasil Sem Homofobia”(2004);-Lei Maria da Penha nº11.340(2006), que pune com mais rigor a violência doméstica e familiar contra a mulher;-II Plano da Secretaria Especial de Políticas para as Mulheres (2007)
    4. 4. Eixos da Orientação Sexual: 1-Corpo: Identidades e Cidadania; 2- Relações/Justiça de Gênero e 3- Diversidade Sexual 1- Corpo: Identidades e CidadaniaObjetivos: -Conhecer, reconhecer e valorizar as identidades e singularidades no desenvolvimento biopsicosocial do corpo da pessoa, acolhendo as diferenças nas manifestações,curiosidades e descobertas da sexualidade; -Identificar e prevenir as situações de risco nas vivências sexuais,protegendo-se de relacionamentos coercitivos ou exploradores;-Fortalecer a autoestima dos/as estudantes;-Desenvolver uma sexualidade mais saudável e responsável, exercendo com plenitude sua cidadania.
    5. 5. 2- RELAÇÕES DE GÊNERO/ JUSTIÇA DE GÊNERO• Objetivos: -Reconhecer, identificar e desmistificar preconceitos e estereótipos relacionados aos diferentes gêneros, em consonância com as mudanças culturais e sociais, promovendo a justiça de gênero. -Valorizar a importância de uma educação mais igualitária, sem vantagens e/ou privilégios para os diferentes gêneros, em casa e na escola. -Combater o sexismo no cotidiano escolar , estimulando a convivência democrática na escola.
    6. 6. DIVERSIDADE SEXUAL/COMBATE A HOMOFOBIA• Homofobia é uma palavra utilizada para falar de toda forma de ódio, violência e discriminação contra travestis, transexuais, gays, lésbicas e bissexuais.• Calcula-se que, nos últimos 15 anos, cerca de 2,8 mil pessoas morreram vítimas da homofobia no país. Estima-se que em apenas 5% a 10% dos casos os assassinos são devidamente julgados e presos. Grupo Gay da Bahia
    7. 7. Homossexualidade e homofobia na escolaAlém disso, a homofobia manifestada na forma debullying nas escolas faz com que alunos desistamdos estudos. Além de instigar o respeito e tolerânciaentre os/as estudantes, falar sobre o assunto é umaforma de garantir a permanência e o acesso àEducação - como previsto na lei - a realmente todosos/as cidadãos/ãs. A Secretaria de Promoção eDefesa dos Direitos Humanos da Presidênciadivulgou que, hoje, 10% da população brasileira égay. "À escola cabe mostrar que essa variabilidadedo desejo sexual existe na sociedade como um todoe que é preciso aprender a respeitar isso“.
    8. 8. Homossexualidade e homofobia na escola Reprimir os comentários preconceituosos entre os/as estudantes;Acolher e fortalecer os/as jovens que se isolam do grupo por ter comportamento diferente do padrão; Promover um debate franco sobre a necessidade de respeitar as diferentes orientações sexuais;Incentivar que os/as estudantes tirem as próprias conclusões;A opinião do/a professor/a sobre o tema deve ser dada apenas no final das discussões;
    9. 9. HOMOFOBIA NA ESCOLA pesquisa UNESCOHomossexuais como colegas de classe: % (média) Alunos (M) 39,6% (não gostariam)Homossexuais como colegas de classe dos filhos: % (média) Pais 35,2% (não gostariam)Conhecimento suficiente sobre homossexualidade: % (média) Professores 59,5% (insuficiente)
    10. 10. Consequências da homofobia na educação:• compromete a inclusão educacional e aqualidade do ensino;• incide na relação docente-estudante;• produz desinteresse pela escola;• dificulta a aprendizagem;• conduz à evasão e ao abandono escolar.
    11. 11. Consequências da homofobia na educação:• afeta a definição das carreiras profissionais;• dificulta a inserção no mercado de trabalho;• desumaniza e promove insegurança,isolamento e vulnerabilidade;• desfavorece a integração das famílias homoaparentais com acomunidade escolar;•gera e alimenta outras formas de preconceito, discriminação,violência, etc.;
    12. 12. Referências Bibliográficas:Brasil, Ministério da Educação. Parâmetros Curriculares Nacionais: 5ªa 8ª série. Temas transversais: orientação sexual Brasília: MEC, 1998.Sousa, Valquiria Alencar e Carvalho, Mª Eulina P. Por uma educaçãoescolar não-sexista João Pessoa: Editora Universitária / UFPB, 2000.Gênero, Diversidade e Desigualdades na Educação: Interpretações eReflexões para Formação Docente / (organizadores): Parry Scott, LianaLewis, Marion Teodósio, Recife: Ed. Universitária da UFPE, 2009.Auad, Daniela Educar meninos e meninas. Relações de gênero naescola. São Paulo: contexto, 2006.Gerência de 3º e 4º CiclosGTOS – Grupo de Trabalho em Orientação Sexual:Flávia VerçozaLúcia BahiaSilvana OliveiraTereza Fariasgtosrecife@hotmail.comFone:3355-5959/3355-5958

    ×