SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 4
O Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares: metodologias de operacionalização (conclusão)<br />Comentário crítico sobre os relatórios de avaliação externa<br />Para a realização desta segunda tarefa seleccionei os Relatórios de Avaliação Externa abaixo apresentados (Escola Secundária de Albufeira - 2006/2007, Agrupamento Vertical de Escolas do Parchal-2007/2008 e Agrupamento de Escolas de Estômbar-2007/2008).<br />.Relatório de Avaliação Externa da Escola Secundária de Albufeira, 2006/2007Presença de referências relativas à BE    ComentáriosII- Caracterização da unidade de gestãoA BE/CRE é referida como espaço de apoio existente 2-Prestação de serviço educativoÉ feita uma referência à prática de trabalho articulado com a BE/CRE mas em termos de disponibilização de materiais e equipamentos.IV- Avaliação por domínio1-Resultados1.1-Sucesso académicoO comentário que é feito aponta para a existência de um apoio individualizado aos alunos com documentação diversificada disponibilizada também pela BE.2-Prestação do serviço educativo2.1-Articulação e sequencialidadeRefere a existência de procedimentos que pretendem interligar o trabalho realizado em sala de aula com o trabalho realizado na BE/CRE3-Organização e gestão escolar3.3-Gestão dos recursos materiais e financeirosO número de computadores existente na BE é apontado como insuficiente.<br />.Relatório de Avaliação Externa do Agrupamento Vertical de Escolas do Parchal, 2007/2008Presença de referências relativas à BEComentários3-Organização e gestão escolar3.2-Gestão dos recursos humanosÉ referida a manutenção do mesmo funcionário na biblioteca escolar devido à especificidade de tarefas realizadas nesse espaço.4-Liderança4.4-Parcerias, protocolos e projectos.Neste documento é referido que o agrupamento colabora com iniciativas diversas, entre elas a Rede Nacional de Bibliotecas. <br />.Relatório de Avaliação Externa do Agrupamento de Escolas de Estômbar, 2007/2008Presença de referências relativas à BEComentáriosII- Caracterização da unidade de gestãoÉ feita referência à existência de uma BE/CRE na escola sede deste agrupamento e ainda de uma outra no JI/EB1 de Estômbar.2-Prestação do serviço educativoRefere a existência de uma articulação interciclos através da dinamização de projectos variados, entre eles o PNL.A diferenciação pedagógica é realizada com sucesso, para alunos com necessidades educativas de carácter prolongado, sendo-lhes dado apoio pedagógico em contexto de sala de aula e na BE.2-Prestação do serviço educativo2.4-Abrangência do currículo e valorização dos saberes e da aprendizagemO documento refere que a BE/CRE promove acções que têm permitido o intercâmbio com outras escolas do concelho.3-Organização e gestão escolar3.3-Gestão dos recursos materiais e financeirosRefere-se que a autarquia tem feito obras de melhoria como a criação de uma BE/CRE na EB1 da Mexilhoeira Grande.É ainda referido, neste ponto, que uma parte das verbas obtidas no agrupamento é atribuída à BE.4-Liderança4.2- Motivação e empenhoSão “política corrente” do agrupamento iniciativas como o “Melhor leitor do mês” e o “Concurso literário”. <br />A escolha destes Relatórios não seguiu nenhum padrão, uma vez que eu pretendia escolher três relatórios de três anos diferentes, mas não o consegui fazer, pois não consegui abrir nenhum relatório relativo ao ano 2008/2009, no entanto, pareceu-me pertinente analisar um relatório relativo a uma escola secundária, uma vez que é esta a realidade de BE que mais desconheço.<br />A partir da análise dos Relatórios, facilmente concluí que a BE é muito pouco focada nestes relatórios de avaliação externa. Ao analisar os documentos até esperava que a BE aparecesse de uma forma camuflada, indirecta e implícita em várias acções da escola e dos docentes, pois, penso que muitas vezes estes nem se apercebem da importância e da articulação existente com a BE nas suas práticas mas tal, de facto, não aconteceu. Para além da acção da BE não ser evidente nestes relatórios, também não é visível o seu papel, a sua importância, articulação e acção através da análise dos restantes campos analisados, implícita, ou explicitamente falando.<br />É preocupante que estes relatórios tão recentes, em termos temporais, não foquem mais a BE e quando esta é focada, que surja, por vezes, somente apresentada como um centro de recursos, ou como uma sala de apoio ao estudo/apoio educativo sem actividade própria na escola, sem iniciativas interventivas, sem ofertas de programas de literacia, sem actividades de parceria com outras entidades locais, sem intervenção na comunidade educativa...<br />As leituras dos relatórios de avaliação externa permitiram-me a seguinte leitura: na Escola Secundária de Albufeira a BE parece assumir um papel de centro de recursos havendo alguma articulação com o trabalho dos docentes, o que não deixa de ser preocupante, uma vez que estamos a falar de uma escola secundária, onde, sempre pensei que a BE assumisse um papel mais activo nas políticas educativas e de gestão da escola. No Agrupamento Vertical de Escolas do Parchal, o papel da BE na vida da escola parece ser mínimo, uma vez que são feitas referências à BE muito pouco ilustrativas do seu grau de intervenção e mesmo redutoras em termos do seu papel - quando um relatório deste género foca a BE apenas em termos da permanência de um mesmo funcionário ao serviço da BE e referindo que a BE participa em iniciativas da RBE, sem especificar quais, é de questionar onde está o erro/omissão, se na falta de informação que não permitiu completar estas anotações ou na própria acção da BE que se limita a esta redutora ilusão do que deverá ser o seu papel. No último relatório analisado, do Agrupamento de Escolas de Estômbar, a BE é apresentada como espaço de aula para alguns alunos e não para todos, nesta inclusão dos alunos com deficiência, com a qual concordo plenamente, penso é que se acaba por fazer a exclusão da BE, ela não deveria ser para todos os alunos um espaço possibilitador de aprendizagens? <br />É ainda apontada a existência de articulação interciclos através da dinamização de iniciativas variadas, entre elas o PNL. Porque só esta iniciativa foi referida? PNL, mas qual das suas iniciativas? Na minha escola, para além dos concursos temos, neste momento, três iniciativas do PNL a decorrer…<br />Nesta escola, ao promover acções de intercâmbio com outras escolas, penso que a BE está a cumprir uma função importante, meritória de estar neste relatório, tal como é meritória a atitude do órgão de gestão deste agrupamento em canalizar parte da sua verba para a BE, pois sei que isso não acontece com muitas escolas, onde as BE têm sobrevivido sem grandes ajudas e com grandes malabarismos de alguns para que não falte o prémio para o “Leitor do mês”, para o “Desafio literário”, entre outras iniciativas,que só não acabam pois a boa vontade de alguns persiste e resiste...<br />A leitura destes Relatórios permite-me concluir que, afinal não é só no agrupamento onde trabalho que a BE não tem a visibilidade que eu lhe atribuo.<br />Muito trabalho há a ser feito para que a BE demonstre a sua importância dentro da escola e para que o seu papel seja considerado imprescindível para todos os agentes educativos, só depois de se assumir perante os seus parceiros educativos é que a BE pode almejar figurar “decentemente” num relatório de avaliação externa.<br />A formanda,<br />                                                                                                                                                                  Isabel Silva<br />
Avaliação externa foca pouco bibliotecas escolares
Avaliação externa foca pouco bibliotecas escolares
Avaliação externa foca pouco bibliotecas escolares

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Sessão 6 Comentário Crítico Nt. CríT.
Sessão 6 Comentário Crítico Nt. CríT.Sessão 6 Comentário Crítico Nt. CríT.
Sessão 6 Comentário Crítico Nt. CríT.guest1d174ffe
 
2ª SessãO ComentáRio CríTico Ao Modelo De Auto AvaliaçãO Da Be
2ª SessãO ComentáRio CríTico Ao Modelo De Auto AvaliaçãO Da Be2ª SessãO ComentáRio CríTico Ao Modelo De Auto AvaliaçãO Da Be
2ª SessãO ComentáRio CríTico Ao Modelo De Auto AvaliaçãO Da Bebeloule
 
A BE no relatório de avaliação das escolas
A BE no relatório de avaliação das escolasA BE no relatório de avaliação das escolas
A BE no relatório de avaliação das escolasEscola D.Inês de Castro
 
Comentario Relatorios
Comentario RelatoriosComentario Relatorios
Comentario RelatoriosFilipaNeves
 
Relatório de avaliacao 2012-13 da Biblioteca Escolar Pedro Nunes,
Relatório de avaliacao 2012-13 da Biblioteca Escolar Pedro Nunes, Relatório de avaliacao 2012-13 da Biblioteca Escolar Pedro Nunes,
Relatório de avaliacao 2012-13 da Biblioteca Escolar Pedro Nunes, bepedronunes
 
Modelo Avaliacao BE RPBA2009
Modelo Avaliacao BE RPBA2009Modelo Avaliacao BE RPBA2009
Modelo Avaliacao BE RPBA2009RBE Algarve
 
Modelo de auto-avaliação das bibliotecas escolares
Modelo de auto-avaliação das bibliotecas escolares Modelo de auto-avaliação das bibliotecas escolares
Modelo de auto-avaliação das bibliotecas escolares Cristiana Lopes
 
Joao Reis Sessão 6 Tarefa2 ComentáRio
Joao Reis Sessão 6 Tarefa2 ComentáRioJoao Reis Sessão 6 Tarefa2 ComentáRio
Joao Reis Sessão 6 Tarefa2 ComentáRioJoão Alves Dos Reis
 
ReflexãO Tarefa SessãO1
ReflexãO Tarefa SessãO1ReflexãO Tarefa SessãO1
ReflexãO Tarefa SessãO1bonifvieira
 
Comentario Critico Helia Pereira
Comentario Critico   Helia PereiraComentario Critico   Helia Pereira
Comentario Critico Helia PereiraHélia Jacob
 
Análise do Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares
Análise do Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas EscolaresAnálise do Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares
Análise do Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolaresmariaantoniadocarmo
 
Comentário crítico
Comentário críticoComentário crítico
Comentário críticocandidamatos
 

Mais procurados (15)

Avaliação das Escolas pela IGE
Avaliação das Escolas pela IGEAvaliação das Escolas pela IGE
Avaliação das Escolas pela IGE
 
Sessão 6 Comentário Crítico Nt. CríT.
Sessão 6 Comentário Crítico Nt. CríT.Sessão 6 Comentário Crítico Nt. CríT.
Sessão 6 Comentário Crítico Nt. CríT.
 
2ª SessãO ComentáRio CríTico Ao Modelo De Auto AvaliaçãO Da Be
2ª SessãO ComentáRio CríTico Ao Modelo De Auto AvaliaçãO Da Be2ª SessãO ComentáRio CríTico Ao Modelo De Auto AvaliaçãO Da Be
2ª SessãO ComentáRio CríTico Ao Modelo De Auto AvaliaçãO Da Be
 
A BE no relatório de avaliação das escolas
A BE no relatório de avaliação das escolasA BE no relatório de avaliação das escolas
A BE no relatório de avaliação das escolas
 
Comentario Relatorios
Comentario RelatoriosComentario Relatorios
Comentario Relatorios
 
Apresentação da BE
Apresentação da BEApresentação da BE
Apresentação da BE
 
Relatório de avaliacao 2012-13 da Biblioteca Escolar Pedro Nunes,
Relatório de avaliacao 2012-13 da Biblioteca Escolar Pedro Nunes, Relatório de avaliacao 2012-13 da Biblioteca Escolar Pedro Nunes,
Relatório de avaliacao 2012-13 da Biblioteca Escolar Pedro Nunes,
 
Modelo Avaliacao BE RPBA2009
Modelo Avaliacao BE RPBA2009Modelo Avaliacao BE RPBA2009
Modelo Avaliacao BE RPBA2009
 
Modelo de auto-avaliação das bibliotecas escolares
Modelo de auto-avaliação das bibliotecas escolares Modelo de auto-avaliação das bibliotecas escolares
Modelo de auto-avaliação das bibliotecas escolares
 
Joao Reis Sessão 6 Tarefa2 ComentáRio
Joao Reis Sessão 6 Tarefa2 ComentáRioJoao Reis Sessão 6 Tarefa2 ComentáRio
Joao Reis Sessão 6 Tarefa2 ComentáRio
 
Workshop MAABE
Workshop   MAABEWorkshop   MAABE
Workshop MAABE
 
ReflexãO Tarefa SessãO1
ReflexãO Tarefa SessãO1ReflexãO Tarefa SessãO1
ReflexãO Tarefa SessãO1
 
Comentario Critico Helia Pereira
Comentario Critico   Helia PereiraComentario Critico   Helia Pereira
Comentario Critico Helia Pereira
 
Análise do Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares
Análise do Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas EscolaresAnálise do Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares
Análise do Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares
 
Comentário crítico
Comentário críticoComentário crítico
Comentário crítico
 

Destaque

Slideshow maker for mac
Slideshow maker for macSlideshow maker for mac
Slideshow maker for macsunlisunny
 
November2011
November2011November2011
November2011fordhnan
 
Delitos informaticos.png
Delitos informaticos.pngDelitos informaticos.png
Delitos informaticos.pngclaudiaponguta
 
Carbasses instrument
Carbasses instrumentCarbasses instrument
Carbasses instrumentdolorsgarcia
 
Elle decor and Rome luxury Suite
Elle decor and Rome luxury SuiteElle decor and Rome luxury Suite
Elle decor and Rome luxury Suitemartina_antonazzi
 
Integração passo a passo entre Rational Asset Manager and Rational Method Com...
Integração passo a passo entre Rational Asset Manager and Rational Method Com...Integração passo a passo entre Rational Asset Manager and Rational Method Com...
Integração passo a passo entre Rational Asset Manager and Rational Method Com...Webcasts developerWorks Brasil
 
Aviso urgente examenes en feriado
Aviso urgente examenes en feriadoAviso urgente examenes en feriado
Aviso urgente examenes en feriadoIván Ayala
 
Exposiciogiramon febrer 2012
Exposiciogiramon febrer 2012Exposiciogiramon febrer 2012
Exposiciogiramon febrer 2012ESCOLA PRIMER
 
ceo resume
ceo resumeceo resume
ceo resumexilvar
 
Si hubiera mantequilla
Si hubiera mantequillaSi hubiera mantequilla
Si hubiera mantequillanbedoya1
 
II Colóquio Arte na Escola
II Colóquio Arte na EscolaII Colóquio Arte na Escola
II Colóquio Arte na EscolaLuciana
 
Grupo de trabajo 27 10
Grupo de trabajo 27 10Grupo de trabajo 27 10
Grupo de trabajo 27 10Ana Cris Hs
 
любимому
любимомулюбимому
любимомуVovil
 

Destaque (20)

Slideshow maker for mac
Slideshow maker for macSlideshow maker for mac
Slideshow maker for mac
 
November2011
November2011November2011
November2011
 
Project2
Project2Project2
Project2
 
Print chart
Print   chartPrint   chart
Print chart
 
Delitos informaticos.png
Delitos informaticos.pngDelitos informaticos.png
Delitos informaticos.png
 
Carbasses instrument
Carbasses instrumentCarbasses instrument
Carbasses instrument
 
Elle decor and Rome luxury Suite
Elle decor and Rome luxury SuiteElle decor and Rome luxury Suite
Elle decor and Rome luxury Suite
 
Integração passo a passo entre Rational Asset Manager and Rational Method Com...
Integração passo a passo entre Rational Asset Manager and Rational Method Com...Integração passo a passo entre Rational Asset Manager and Rational Method Com...
Integração passo a passo entre Rational Asset Manager and Rational Method Com...
 
Kariina gonzález mtz
Kariina gonzález mtzKariina gonzález mtz
Kariina gonzález mtz
 
李欣頻
李欣頻李欣頻
李欣頻
 
Aviso urgente examenes en feriado
Aviso urgente examenes en feriadoAviso urgente examenes en feriado
Aviso urgente examenes en feriado
 
Ficha98
Ficha98Ficha98
Ficha98
 
Exposiciogiramon febrer 2012
Exposiciogiramon febrer 2012Exposiciogiramon febrer 2012
Exposiciogiramon febrer 2012
 
ceo resume
ceo resumeceo resume
ceo resume
 
Preguntas de viticultura
Preguntas de viticulturaPreguntas de viticultura
Preguntas de viticultura
 
Si hubiera mantequilla
Si hubiera mantequillaSi hubiera mantequilla
Si hubiera mantequilla
 
II Colóquio Arte na Escola
II Colóquio Arte na EscolaII Colóquio Arte na Escola
II Colóquio Arte na Escola
 
Grupo de trabajo 27 10
Grupo de trabajo 27 10Grupo de trabajo 27 10
Grupo de trabajo 27 10
 
Updated Resume2
Updated Resume2Updated Resume2
Updated Resume2
 
любимому
любимомулюбимому
любимому
 

Semelhante a Avaliação externa foca pouco bibliotecas escolares

Análise e comentário crítico à presença de referências a respeito das BE nos...
Análise e comentário crítico à presença de referências a respeito das BE  nos...Análise e comentário crítico à presença de referências a respeito das BE  nos...
Análise e comentário crítico à presença de referências a respeito das BE nos...Teresa Gonçalves
 
1ª Tarefa ComentáRio Zulmira Fernandes
1ª Tarefa ComentáRio Zulmira Fernandes1ª Tarefa ComentáRio Zulmira Fernandes
1ª Tarefa ComentáRio Zulmira Fernandeslurdesilva
 
Sessão 6 Comentário Crítico
Sessão 6 Comentário CríticoSessão 6 Comentário Crítico
Sessão 6 Comentário Críticoguest1d174ffe
 
Sessao7tarefa2
Sessao7tarefa2Sessao7tarefa2
Sessao7tarefa2Rui Jorge
 
Análise de Relatórios Tarefa 6
Análise de Relatórios Tarefa 6Análise de Relatórios Tarefa 6
Análise de Relatórios Tarefa 6isabelsousaalves
 
AnáLise CríTica As B Es E A AvaliaçãO Externa
AnáLise CríTica As B Es E A AvaliaçãO ExternaAnáLise CríTica As B Es E A AvaliaçãO Externa
AnáLise CríTica As B Es E A AvaliaçãO Externaanamariabpalma
 
2ª SessãO ComentáRio CríTico Ao Modelo De Auto AvaliaçãO Da Be
2ª SessãO ComentáRio CríTico Ao Modelo De Auto AvaliaçãO Da Be2ª SessãO ComentáRio CríTico Ao Modelo De Auto AvaliaçãO Da Be
2ª SessãO ComentáRio CríTico Ao Modelo De Auto AvaliaçãO Da Bebeloule
 
Sintese6 Metodologias Parte Iii Dre Alg Turma2 Dez09
Sintese6  Metodologias Parte Iii Dre Alg Turma2 Dez09Sintese6  Metodologias Parte Iii Dre Alg Turma2 Dez09
Sintese6 Metodologias Parte Iii Dre Alg Turma2 Dez09Ana Cristina Matias
 
Análise e comentário crítico
Análise e comentário críticoAnálise e comentário crítico
Análise e comentário críticomariaemilianovais
 
sessão 7-Resposta tarefa 2 analise_comentario
sessão 7-Resposta tarefa 2 analise_comentariosessão 7-Resposta tarefa 2 analise_comentario
sessão 7-Resposta tarefa 2 analise_comentarioesperancasantos
 
6ªSessãO 2ª Tarefa Analise De Relat Ige
6ªSessãO 2ª Tarefa Analise De Relat Ige6ªSessãO 2ª Tarefa Analise De Relat Ige
6ªSessãO 2ª Tarefa Analise De Relat Igeguest0d6192
 
Comentario critico relatorios_ige
Comentario critico relatorios_igeComentario critico relatorios_ige
Comentario critico relatorios_igeTeresa Gonçalves
 
AnáLise E ComentáRio, 6ª SessãO
AnáLise E ComentáRio, 6ª SessãOAnáLise E ComentáRio, 6ª SessãO
AnáLise E ComentáRio, 6ª SessãOMaria Fernanda
 
ComentáRio
ComentáRioComentáRio
ComentáRiobeloule
 

Semelhante a Avaliação externa foca pouco bibliotecas escolares (20)

Sessao7parte2
Sessao7parte2Sessao7parte2
Sessao7parte2
 
Análise e comentário crítico à presença de referências a respeito das BE nos...
Análise e comentário crítico à presença de referências a respeito das BE  nos...Análise e comentário crítico à presença de referências a respeito das BE  nos...
Análise e comentário crítico à presença de referências a respeito das BE nos...
 
1ª Tarefa ComentáRio Zulmira Fernandes
1ª Tarefa ComentáRio Zulmira Fernandes1ª Tarefa ComentáRio Zulmira Fernandes
1ª Tarefa ComentáRio Zulmira Fernandes
 
Comentario Crítico
Comentario CríticoComentario Crítico
Comentario Crítico
 
Sessão 6 Comentário Crítico
Sessão 6 Comentário CríticoSessão 6 Comentário Crítico
Sessão 6 Comentário Crítico
 
AnáLise E ComentáRio
AnáLise E ComentáRioAnáLise E ComentáRio
AnáLise E ComentáRio
 
Tarefa 6 .2.1 Isabel
Tarefa 6 .2.1 IsabelTarefa 6 .2.1 Isabel
Tarefa 6 .2.1 Isabel
 
2ª Tarefa
2ª Tarefa2ª Tarefa
2ª Tarefa
 
Sessao7tarefa2
Sessao7tarefa2Sessao7tarefa2
Sessao7tarefa2
 
Análise de Relatórios Tarefa 6
Análise de Relatórios Tarefa 6Análise de Relatórios Tarefa 6
Análise de Relatórios Tarefa 6
 
AnáLise CríTica As B Es E A AvaliaçãO Externa
AnáLise CríTica As B Es E A AvaliaçãO ExternaAnáLise CríTica As B Es E A AvaliaçãO Externa
AnáLise CríTica As B Es E A AvaliaçãO Externa
 
2ª SessãO ComentáRio CríTico Ao Modelo De Auto AvaliaçãO Da Be
2ª SessãO ComentáRio CríTico Ao Modelo De Auto AvaliaçãO Da Be2ª SessãO ComentáRio CríTico Ao Modelo De Auto AvaliaçãO Da Be
2ª SessãO ComentáRio CríTico Ao Modelo De Auto AvaliaçãO Da Be
 
Sintese6 Metodologias Parte Iii Dre Alg Turma2 Dez09
Sintese6  Metodologias Parte Iii Dre Alg Turma2 Dez09Sintese6  Metodologias Parte Iii Dre Alg Turma2 Dez09
Sintese6 Metodologias Parte Iii Dre Alg Turma2 Dez09
 
Análise e comentário crítico
Análise e comentário críticoAnálise e comentário crítico
Análise e comentário crítico
 
sessão 7-Resposta tarefa 2 analise_comentario
sessão 7-Resposta tarefa 2 analise_comentariosessão 7-Resposta tarefa 2 analise_comentario
sessão 7-Resposta tarefa 2 analise_comentario
 
6ªSessãO 2ª Tarefa Analise De Relat Ige
6ªSessãO 2ª Tarefa Analise De Relat Ige6ªSessãO 2ª Tarefa Analise De Relat Ige
6ªSessãO 2ª Tarefa Analise De Relat Ige
 
Comentário crítico
Comentário críticoComentário crítico
Comentário crítico
 
Comentario critico relatorios_ige
Comentario critico relatorios_igeComentario critico relatorios_ige
Comentario critico relatorios_ige
 
AnáLise E ComentáRio, 6ª SessãO
AnáLise E ComentáRio, 6ª SessãOAnáLise E ComentáRio, 6ª SessãO
AnáLise E ComentáRio, 6ª SessãO
 
ComentáRio
ComentáRioComentáRio
ComentáRio
 

Mais de bibliotecap

Alfabeto, vogais e fonoema grafema
Alfabeto, vogais e fonoema grafemaAlfabeto, vogais e fonoema grafema
Alfabeto, vogais e fonoema grafemabibliotecap
 
Folheto ler em família
Folheto ler em famíliaFolheto ler em família
Folheto ler em famíliabibliotecap
 
Coelhinho criativo-ideias
Coelhinho criativo-ideiasCoelhinho criativo-ideias
Coelhinho criativo-ideiasbibliotecap
 
Projeto metros de leitura se os bichos- grelha avaliação
Projeto metros de leitura  se os bichos- grelha avaliaçãoProjeto metros de leitura  se os bichos- grelha avaliação
Projeto metros de leitura se os bichos- grelha avaliaçãobibliotecap
 
Diário de pesquisa
Diário de pesquisaDiário de pesquisa
Diário de pesquisabibliotecap
 
Critérios de avaliação
Critérios de avaliaçãoCritérios de avaliação
Critérios de avaliaçãobibliotecap
 
Organizar a pesquisa
Organizar a pesquisaOrganizar a pesquisa
Organizar a pesquisabibliotecap
 
Corre, corre cabacinha
Corre, corre cabacinhaCorre, corre cabacinha
Corre, corre cabacinhabibliotecap
 
Boletim fevereiro 13 14
Boletim fevereiro 13 14Boletim fevereiro 13 14
Boletim fevereiro 13 14bibliotecap
 
Educação sexual 2.º ciclo a
Educação sexual 2.º ciclo aEducação sexual 2.º ciclo a
Educação sexual 2.º ciclo abibliotecap
 
Educação sexual 2.º ciclo a
Educação sexual 2.º ciclo aEducação sexual 2.º ciclo a
Educação sexual 2.º ciclo abibliotecap
 
O mundo está cheio de bebés 3º ano
O mundo está cheio de bebés 3º anoO mundo está cheio de bebés 3º ano
O mundo está cheio de bebés 3º anobibliotecap
 

Mais de bibliotecap (20)

Alfabeto, vogais e fonoema grafema
Alfabeto, vogais e fonoema grafemaAlfabeto, vogais e fonoema grafema
Alfabeto, vogais e fonoema grafema
 
Apresentação3
Apresentação3Apresentação3
Apresentação3
 
Apresentação4
Apresentação4Apresentação4
Apresentação4
 
Folheto ler em família
Folheto ler em famíliaFolheto ler em família
Folheto ler em família
 
Folheto 2
Folheto 2Folheto 2
Folheto 2
 
Folheto 1
Folheto 1Folheto 1
Folheto 1
 
Coelhinho criativo-ideias
Coelhinho criativo-ideiasCoelhinho criativo-ideias
Coelhinho criativo-ideias
 
Quiz ines
Quiz inesQuiz ines
Quiz ines
 
Projeto metros de leitura se os bichos- grelha avaliação
Projeto metros de leitura  se os bichos- grelha avaliaçãoProjeto metros de leitura  se os bichos- grelha avaliação
Projeto metros de leitura se os bichos- grelha avaliação
 
Ouvir e ler
Ouvir e lerOuvir e ler
Ouvir e ler
 
Diário de pesquisa
Diário de pesquisaDiário de pesquisa
Diário de pesquisa
 
Critérios de avaliação
Critérios de avaliaçãoCritérios de avaliação
Critérios de avaliação
 
Organizar a pesquisa
Organizar a pesquisaOrganizar a pesquisa
Organizar a pesquisa
 
Ouvir e ler
Ouvir e lerOuvir e ler
Ouvir e ler
 
Entrevista
EntrevistaEntrevista
Entrevista
 
Corre, corre cabacinha
Corre, corre cabacinhaCorre, corre cabacinha
Corre, corre cabacinha
 
Boletim fevereiro 13 14
Boletim fevereiro 13 14Boletim fevereiro 13 14
Boletim fevereiro 13 14
 
Educação sexual 2.º ciclo a
Educação sexual 2.º ciclo aEducação sexual 2.º ciclo a
Educação sexual 2.º ciclo a
 
Educação sexual 2.º ciclo a
Educação sexual 2.º ciclo aEducação sexual 2.º ciclo a
Educação sexual 2.º ciclo a
 
O mundo está cheio de bebés 3º ano
O mundo está cheio de bebés 3º anoO mundo está cheio de bebés 3º ano
O mundo está cheio de bebés 3º ano
 

Último

Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxQUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxIsabellaGomes58
 
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptxAs Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptxAlexandreFrana33
 
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasMesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasRicardo Diniz campos
 
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveaulasgege
 
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbyasminlarissa371
 
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfBRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfHenrique Pontes
 
Slides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdf
Slides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdfSlides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdf
Slides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdfpaulafernandes540558
 
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNASQUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNASEdinardo Aguiar
 
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfCultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfaulasgege
 
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdfGuia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdfEyshilaKelly1
 
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileirosMary Alvarenga
 
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdfPLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdfProfGleide
 
PPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdf
PPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdfPPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdf
PPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdfAnaGonalves804156
 
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfCurrículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfIedaGoethe
 
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 

Último (20)

Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxQUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
 
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptxAs Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
 
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasMesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
 
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
 
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
 
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfBRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
 
Slides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdf
Slides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdfSlides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdf
Slides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdf
 
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNASQUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
 
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfCultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
 
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdfGuia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
 
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
 
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdfPLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdf
 
treinamento brigada incendio 2024 no.ppt
treinamento brigada incendio 2024 no.ppttreinamento brigada incendio 2024 no.ppt
treinamento brigada incendio 2024 no.ppt
 
(76- ESTUDO MATEUS) A ACLAMAÇÃO DO REI..
(76- ESTUDO MATEUS) A ACLAMAÇÃO DO REI..(76- ESTUDO MATEUS) A ACLAMAÇÃO DO REI..
(76- ESTUDO MATEUS) A ACLAMAÇÃO DO REI..
 
PPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdf
PPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdfPPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdf
PPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdf
 
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfCurrículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
 
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 

Avaliação externa foca pouco bibliotecas escolares

  • 1. O Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares: metodologias de operacionalização (conclusão)<br />Comentário crítico sobre os relatórios de avaliação externa<br />Para a realização desta segunda tarefa seleccionei os Relatórios de Avaliação Externa abaixo apresentados (Escola Secundária de Albufeira - 2006/2007, Agrupamento Vertical de Escolas do Parchal-2007/2008 e Agrupamento de Escolas de Estômbar-2007/2008).<br />.Relatório de Avaliação Externa da Escola Secundária de Albufeira, 2006/2007Presença de referências relativas à BE ComentáriosII- Caracterização da unidade de gestãoA BE/CRE é referida como espaço de apoio existente 2-Prestação de serviço educativoÉ feita uma referência à prática de trabalho articulado com a BE/CRE mas em termos de disponibilização de materiais e equipamentos.IV- Avaliação por domínio1-Resultados1.1-Sucesso académicoO comentário que é feito aponta para a existência de um apoio individualizado aos alunos com documentação diversificada disponibilizada também pela BE.2-Prestação do serviço educativo2.1-Articulação e sequencialidadeRefere a existência de procedimentos que pretendem interligar o trabalho realizado em sala de aula com o trabalho realizado na BE/CRE3-Organização e gestão escolar3.3-Gestão dos recursos materiais e financeirosO número de computadores existente na BE é apontado como insuficiente.<br />.Relatório de Avaliação Externa do Agrupamento Vertical de Escolas do Parchal, 2007/2008Presença de referências relativas à BEComentários3-Organização e gestão escolar3.2-Gestão dos recursos humanosÉ referida a manutenção do mesmo funcionário na biblioteca escolar devido à especificidade de tarefas realizadas nesse espaço.4-Liderança4.4-Parcerias, protocolos e projectos.Neste documento é referido que o agrupamento colabora com iniciativas diversas, entre elas a Rede Nacional de Bibliotecas. <br />.Relatório de Avaliação Externa do Agrupamento de Escolas de Estômbar, 2007/2008Presença de referências relativas à BEComentáriosII- Caracterização da unidade de gestãoÉ feita referência à existência de uma BE/CRE na escola sede deste agrupamento e ainda de uma outra no JI/EB1 de Estômbar.2-Prestação do serviço educativoRefere a existência de uma articulação interciclos através da dinamização de projectos variados, entre eles o PNL.A diferenciação pedagógica é realizada com sucesso, para alunos com necessidades educativas de carácter prolongado, sendo-lhes dado apoio pedagógico em contexto de sala de aula e na BE.2-Prestação do serviço educativo2.4-Abrangência do currículo e valorização dos saberes e da aprendizagemO documento refere que a BE/CRE promove acções que têm permitido o intercâmbio com outras escolas do concelho.3-Organização e gestão escolar3.3-Gestão dos recursos materiais e financeirosRefere-se que a autarquia tem feito obras de melhoria como a criação de uma BE/CRE na EB1 da Mexilhoeira Grande.É ainda referido, neste ponto, que uma parte das verbas obtidas no agrupamento é atribuída à BE.4-Liderança4.2- Motivação e empenhoSão “política corrente” do agrupamento iniciativas como o “Melhor leitor do mês” e o “Concurso literário”. <br />A escolha destes Relatórios não seguiu nenhum padrão, uma vez que eu pretendia escolher três relatórios de três anos diferentes, mas não o consegui fazer, pois não consegui abrir nenhum relatório relativo ao ano 2008/2009, no entanto, pareceu-me pertinente analisar um relatório relativo a uma escola secundária, uma vez que é esta a realidade de BE que mais desconheço.<br />A partir da análise dos Relatórios, facilmente concluí que a BE é muito pouco focada nestes relatórios de avaliação externa. Ao analisar os documentos até esperava que a BE aparecesse de uma forma camuflada, indirecta e implícita em várias acções da escola e dos docentes, pois, penso que muitas vezes estes nem se apercebem da importância e da articulação existente com a BE nas suas práticas mas tal, de facto, não aconteceu. Para além da acção da BE não ser evidente nestes relatórios, também não é visível o seu papel, a sua importância, articulação e acção através da análise dos restantes campos analisados, implícita, ou explicitamente falando.<br />É preocupante que estes relatórios tão recentes, em termos temporais, não foquem mais a BE e quando esta é focada, que surja, por vezes, somente apresentada como um centro de recursos, ou como uma sala de apoio ao estudo/apoio educativo sem actividade própria na escola, sem iniciativas interventivas, sem ofertas de programas de literacia, sem actividades de parceria com outras entidades locais, sem intervenção na comunidade educativa...<br />As leituras dos relatórios de avaliação externa permitiram-me a seguinte leitura: na Escola Secundária de Albufeira a BE parece assumir um papel de centro de recursos havendo alguma articulação com o trabalho dos docentes, o que não deixa de ser preocupante, uma vez que estamos a falar de uma escola secundária, onde, sempre pensei que a BE assumisse um papel mais activo nas políticas educativas e de gestão da escola. No Agrupamento Vertical de Escolas do Parchal, o papel da BE na vida da escola parece ser mínimo, uma vez que são feitas referências à BE muito pouco ilustrativas do seu grau de intervenção e mesmo redutoras em termos do seu papel - quando um relatório deste género foca a BE apenas em termos da permanência de um mesmo funcionário ao serviço da BE e referindo que a BE participa em iniciativas da RBE, sem especificar quais, é de questionar onde está o erro/omissão, se na falta de informação que não permitiu completar estas anotações ou na própria acção da BE que se limita a esta redutora ilusão do que deverá ser o seu papel. No último relatório analisado, do Agrupamento de Escolas de Estômbar, a BE é apresentada como espaço de aula para alguns alunos e não para todos, nesta inclusão dos alunos com deficiência, com a qual concordo plenamente, penso é que se acaba por fazer a exclusão da BE, ela não deveria ser para todos os alunos um espaço possibilitador de aprendizagens? <br />É ainda apontada a existência de articulação interciclos através da dinamização de iniciativas variadas, entre elas o PNL. Porque só esta iniciativa foi referida? PNL, mas qual das suas iniciativas? Na minha escola, para além dos concursos temos, neste momento, três iniciativas do PNL a decorrer…<br />Nesta escola, ao promover acções de intercâmbio com outras escolas, penso que a BE está a cumprir uma função importante, meritória de estar neste relatório, tal como é meritória a atitude do órgão de gestão deste agrupamento em canalizar parte da sua verba para a BE, pois sei que isso não acontece com muitas escolas, onde as BE têm sobrevivido sem grandes ajudas e com grandes malabarismos de alguns para que não falte o prémio para o “Leitor do mês”, para o “Desafio literário”, entre outras iniciativas,que só não acabam pois a boa vontade de alguns persiste e resiste...<br />A leitura destes Relatórios permite-me concluir que, afinal não é só no agrupamento onde trabalho que a BE não tem a visibilidade que eu lhe atribuo.<br />Muito trabalho há a ser feito para que a BE demonstre a sua importância dentro da escola e para que o seu papel seja considerado imprescindível para todos os agentes educativos, só depois de se assumir perante os seus parceiros educativos é que a BE pode almejar figurar “decentemente” num relatório de avaliação externa.<br />A formanda,<br /> Isabel Silva<br />