SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 26
Baixar para ler offline
Luis Tadeu
VIII Congresso da APLOP
Apresentação do Estudo de Mercado dos Portos da CPLP
Maputo, 27 de Março de 2015
Agenda
2
Apresentação Global do Projecto1.
3.
2.
Base de Dados de Tráfegos do Espaço CPLP
Dinâmicas Comerciais no Espaço CPLP
4. Notas Finais
3
Enquadramento Metodológico
Racional de Projecto
O Estudo de Mercado dos Países e Portos do Espaço CPLP teve a sua 1ª Versão em 2011
Por iniciativa da APLOP, o Estudo tem sido realizado de 2 em 2 anos
A metodologia de desenvolvimento do projecto (em qualquer das versões 2011 ou 2013) teve por base:
• o envolvimento de stakeholders representativos a nível local (Portos, Stakeholders das Comunidades
Portuárias, Câmaras de Comércio e Agências de Desenvolvimento, entre outros;
• A aquisição de Bases de Dados com Informação de Tráfegos (Ex: DATAMAR – Brasil)
• Consulta a Armadores e Agentes de Navegação;
A FORDESI foi a empresa escolhida para a realização do Estudo de Mercado e, pela qualidade do
trabalho desenvolvido, foi também seleccionada para a 1ª actualização do trabalho (2013)
Com o aumento da “maturidade” do trabalho (evolução de 2011 para 2013) foram criados instrumentos
que aumentam a capacidade de gestão, monitorização e aproveitamento do volume de dados existente –
Base de Dados de Tráfegos do Espaço APLOP
4
Enquadramento Metodológico
Principais Objectivos do Projecto
Actualização dos Fluxos de Mercadorias no Espaço CPLP
Análise e Caracterização da evolução das relações comerciais no Espaço CPLP no período 2010 - 2012
Revisão da Informação de Caracterização dos Portos Concorrentes
Revisão da Informação de Caracterização dos Hinterlands e das Principais Indústrias e Carregadores
Revisão sobre os Principais Constrangimentos existentes ao nível dos Portos
Redefinição dos Fluxos Potencialmente Captáveis
Identificação e Caracterização das Linhas de Navegação Existentes e dos Transit-Times
Agenda
5
Apresentação Global do Projecto1.
3.
2.
Base de Dados de Tráfegos do Espaço CPLP
Dinâmicas Comerciais no Espaço CPLP
4. Notas Finais
Fluxos de Tráfego no Espaço CPLP – Evolução 2007 - 2012
Panorâmica sobre as Linhas Regulares no Espaço CPLP
Âmbito da Apresentação
6
Actualização dos Fluxos de Mercadorias no Espaço
CPLP
Análise e Caracterização da evolução das relações
comerciais no Espaço CPLP no período 2010 - 2012
Revisão da Informação de Caracterização dos
Portos Concorrentes
Revisão da Informação de Caracterização dos
Hinterlands e das Principais Indústrias e
Carregadores
Revisão sobre os Principais Constrangimentos
existentes ao nível dos Portos
Redefinição dos Fluxos Potencialmente Captáveis
√
√
Identificação e Caracterização das Linhas de
Navegação Existentes e dos Transit-Times
√
Âmbito da Apresentação
O âmbito do trabalho desenvolvido é bastante vasto. Por conseguinte, define-se
como âmbito específico da apresentação:
Agenda
7
Apresentação Global do Projecto1.
3.
2.
Base de Dados de Tráfegos do Espaço CPLP
Dinâmicas Comerciais no Espaço CPLP
4. Notas Finais
Fluxos de Tráfego no Espaço CPLP – Evolução 2007 - 2012
Panorâmica sobre as Linhas Regulares no Espaço CPLP
Âmbito da Apresentação
8
ANGOLA - Tráfego Geral
Evolução das Relações Comerciais no Espaço CPLP no Período 2007 - 2012
0
500,000
1,000,000
1,500,000
2,000,000
2,500,000
3,000,000
2007 2008 2009 2010 2011 2012
Toneladas
0
500,000
1,000,000
1,500,000
2,000,000
2,500,000
3,000,000
2007 2008 2009 2010 2011 2012
Toneladas
Brasil
Cabo Verde
Guiné-Bissau
Moçambique
Portugal
S. Tomé P.
Exportação Importação
• Relações Comerciais com Portugal em franco crescimento
• Volume de Importações cresceu mais de 30% entre
2010 e 2012
• Exportações duplicaram entre 2010 e 2012
• Evolução positiva nas Importações do Brasil
• Relações Comerciais com Portugal em franco crescimento
• Volume de Importações cresceu mais de 30% entre
2010 e 2012
• Exportações duplicaram entre 2010 e 2012
9
BRASIL - Tráfego Geral
0
500,000
1,000,000
1,500,000
2,000,000
2,500,000
3,000,000
3,500,000
4,000,000
2007 2008 2009 2010 2011 2012
Toneladas
0
500,000
1,000,000
1,500,000
2,000,000
2,500,000
3,000,000
3,500,000
4,000,000
2007 2008 2009 2010 2011 2012
Toneladas
Angola
Cabo Verde
Guiné-Bissau
Moçambique
Portugal
S. Tomé P.
Exportação Importação
• Evolução positiva exportações para Angola (cerca de 750.000
Ton em 2012)
• Tendência de franco crescimento das Importações de Portugal
• Volume de Importações passou dos 400.000 ton em
2010 para 1.250.000 Ton em 2012
• Exportações, embora sem evolução, têm um volume
assinalável
• Tendência de franco crescimento das Importações de Portugal
• Volume de Importações passou dos 400.000 ton em
2010 para 1.250.000 Ton em 2012
• Exportações, embora sem evolução, têm um volume
assinalável
Evolução das Relações Comerciais no Espaço CPLP no Período 2007 - 2012
10
CABO VERDE - Tráfego Geral
0
100,000
200,000
300,000
400,000
500,000
600,000
700,000
2007 2008 2009 2010 2011 2012
Toneladas
0
100,000
200,000
300,000
400,000
500,000
600,000
700,000
2007 2008 2009 2010 2011 2012
Toneladas Angola
Brasil
Guiné-Bissau
Moçambique
Portugal
S. Tomé P.
Exportação Importação
• Volume de Importações (400.000 Ton) de Portugal é
significativo (embora com uma quebra em 2011)
Evolução das Relações Comerciais no Espaço CPLP no Período 2007 - 2012
11
GUINÉ-BISSAU - Tráfego Geral
0
20,000
40,000
60,000
80,000
100,000
120,000
140,000
160,000
180,000
200,000
2007 2008 2009 2010 2011 2012
Toneladas
0
20,000
40,000
60,000
80,000
100,000
120,000
140,000
160,000
180,000
200,000
2007 2008 2009 2010 2011 2012
Toneladas
Angola
Brasil
Cabo Verde
Moçambique
Portugal
S. Tomé P.
Exportação Importação
• Importação de Portugal atingiu as 160.000 Ton
Evolução das Relações Comerciais no Espaço CPLP no Período 2007 - 2012
12
MOÇAMBIQUE - Tráfego Geral
0
50,000
100,000
150,000
200,000
250,000
2007 2008 2009 2010 2011 2012
Toneladas
0
50,000
100,000
150,000
200,000
250,000
2007 2008 2009 2010 2011 2012
Toneladas
Angola
Brasil
Cabo Verde
Guiné-Bissau
Portugal
S. Tomé P.
Exportação Importação
• Volume global dos tráfegos com PT e BRA é ainda pouco significativo
• Equilíbrio ao nível das relações comerciais (em volume)com o BR e com
PT, embora com tendências recentes antagónicas
• Equilíbrio ao nível das relações comerciais (em volume)com o BR e com
PT, embora com tendências recentes antagónicas
Evolução das Relações Comerciais no Espaço CPLP no Período 2007 - 2012
• Equilíbrio ao nível das relações comerciais (em volume)com o
BR e com PT, embora com tendências recentes antagónicas
13
PORTUGAL - Tráfego Geral
0
500,000
1,000,000
1,500,000
2,000,000
2,500,000
3,000,000
3,500,000
4,000,000
2007 2008 2009 2010 2011 2012
Toneladas
0
500,000
1,000,000
1,500,000
2,000,000
2,500,000
3,000,000
3,500,000
4,000,000
2007 2008 2009 2010 2011 2012
Toneladas
Angola
Brasil
Cabo Verde
Guiné-Bissau
Moçambique
S. Tomé P.
Exportação Importação
• Importação de Angola com grande crescimento (Volume
cresceu cerca de 2.5 M Ton desde 2009)
• Dinâmica crescente no domínio da Exportação para Angola e
Brasil
Evolução das Relações Comerciais no Espaço CPLP no Período 2007 - 2012
• Importação do Brasil sem grandes alterações (em volume)
desde 2009
• Importação de Angola com grande crescimento (Volume
cresceu cerca de 2.5 M Ton desde 2009)
14
S. TOMÉ E PRÍNCIPE - Tráfego Geral
0
10,000
20,000
30,000
40,000
50,000
60,000
70,000
2007 2008 2009 2010 2011 2012
Toneladas
0
10,000
20,000
30,000
40,000
50,000
60,000
70,000
2007 2008 2009 2010 2011 2012
Toneladas
Angola
Brasil
Cabo Verde
Guiné-Bissau
Moçambique
Portugal
Exportação Importação
• Equilíbrio ao nível das relações comerciais (em volume)com o
BR e com PT, embora com tendências recentes antagónicas
• Dinâmica interessante (em termos de crescimento) na
importação de Angola
• Volumes de Carga com muito pouca expressão
Evolução das Relações Comerciais no Espaço CPLP no Período 2007 - 2012
Agenda
15
Apresentação Global do Projecto1.
3.
2.
Base de Dados de Tráfegos do Espaço CPLP
Dinâmicas Comerciais no Espaço CPLP
4. Notas Finais
Fluxos de Tráfego no Espaço CPLP – Evolução 2007 - 2012
Panorâmica sobre as Linhas Regulares no Espaço CPLP
Âmbito da Apresentação
16
Linhas de Navegação entre Países da CPLP
Linhas Regulares
Foram identificadas 17 Linhas Regulares envolvendo Portos da CPLP:
Europa – África Ocidental (10)
Portugal – Angola (5)*
* 1 linha via São Tomé e Príncipe
Portugal – Cabo Verde (3)
Portugal – São Tomé e Príncipe (2)
Portugal – Guiné Bissau (2)**
**2 linhas via Cabo Verde
Europa – América do Sul (2)
Portugal – Brasil (2)
Europa – África Austral (1)
Portugal – Moçambique (1)
América do Sul – África Ocidental (3)
Brasil – Angola (3)
África Ocidental – África Austral – Ásia (1)
Angola – Moçambique (1)
2010 2012
1 2
2010 2012
3 3 2010 2012
1 1
2010 2012
5 5
2010 2012
4 3
2010 2012
2 2
2010 2012
4 3
2010 2012
0 1
Principais alterações de 2010 para 2012:
+ 1 Linha entre Portugal e Brasil
+ 1 Linhas entre Portugal e Moçambique
- 1 Linha entre Portugal e Cabo Verde
- 1 Linhas entre Portugal e S. Tomé e Príncipe
Países: Bélgica, Holanda, Alemanha, França,
Portugal, Brasil, Argentina
Escalas CPLP: Sines, Rio Grande, Paranagua,
Navegantes, Santos, Itaguai
Escalas noutros países: Antuérpia, Roterdão,
Bremerhaven, Le Havre, Buenos Aires
Agente de navegação: MSC
Tipo de tráfego: Contentores
Regularidade: Semanal
Porto Dias Trânsito
Antuérpia 0
Roterdão 1
Bremerhaven 2
Le Havre 4
Sines 7
Rio de Janeiro 18
Santos 19
Buenos Aires 23
Rio Grande 27
Navegantes 30
Santos 32
Itaguai 34
Antuérpia 47
Linhas de Navegação entre Países da CPLP
NORTH WEST CONTINENT TO
SAEC - STRING I (SAEC I)
Novo Serviço Regular Europa – América do Sul
Países: Portugal, África do Sul, Moçambique
Escalas CPLP: Leixões, Lisboa, Maputo
Escalas noutros países: Cape Town, Port Elizabeth,
Durban, Richards Bay
Agente de navegação: NAVEX - EMPRESA
PORTUGUESA DE NAVEGACÃO
Tipo de tráfego: Contentores
Regularidade: Quinzenal
MACS - MARITIME CARRIER SHIPPING
Porto Dias Trânsito
Leixões 0
Lisboa 2
Cape Town 15
Port Elizabeth 18
Durban 20
Richards Bay 27
Maputo 30
18
Linhas de Navegação entre Países da CPLP
Novo Serviço Regular Europa – África Austral
Países: Portugal, Espanha, Cabo Verde
Escalas CPLP: Leixões, Lisboa, Setúbal, Mindelo,
Praia, Palmeira, Sal Rei
Escalas noutros países: Las Palmas, Vigo
Agente de navegação: NINFETRANS – Navegação e
Trânsitos, Lda
Tipo de tráfego: Contentores
Regularidade: Quinzenal
Transit time: 7/8 dias
Cabomundo Shipping Line
19
Linhas de Navegação entre Países da CPLP
Serviço Regular Extinto - Europa – África Ocidental
Países: Portugal, Bélgica, França, Espanha, Gabão,
Congo, São Tomé e Príncipe
Escalas CPLP: Leixões, Setúbal, São Tomé
Escalas noutros países: Antuérpia, Rouen, Tenerife, Port
Gentil, Pointe Noire, Matadi, Boma
Agente de navegação: Safmarine
Tipo de tráfego: Multi-purpose
Regularidade: Mensal
Gabon / Congo Service
Porto Dias Trânsito
Antuérpia 0
Rouen 3
Leixões 6
Tenerife 9
São Tomé 18
Port Gentil 21
Pointe Noire 28
Matadi 30
Boma 37
20
Linhas de Navegação entre Países da CPLP
Serviço Regular Extinto - Europa – África Ocidental
Agenda
21
Apresentação Global do Projecto1.
3.
2.
Base de Dados de Tráfegos do Espaço CPLP
Dinâmicas Comerciais no Espaço CPLP
4. Notas Finais
22
Base de Dados de Tráfegos do Espaço CPLP
A informação referente aos fluxos de tráfego entre países da CPLP está disponível on-line e pode ser
consultada através do endereço: etcplp.fordesi.pt
Para aceder utilize as seguintes credenciais:
Username: Admin
Password: 5dAb8
A Base de Dados de Tráfegos foi integralmente desenvolvida com tecnologias
FORDESI
A componente gráfica apresentada resulta da aplicação de componentes de
Business Intelligence desenvolvidas pela FORDESI
Agenda
23
Apresentação Global do Projecto – Principais Fases e Cronograma de Desenvolvimento1.
3.
2.
Base de Dados de Tráfegos do Espaço CPLP
Dinâmicas Comerciais no Espaço CPLP
4. Notas Finais
24
1. Envolvimento e Mobilização de Stakeholders na
Constituição de uma Rede Alargada:
1. Foram envolvidas Administrações Portuárias,
Entidades Oficiais locais, Câmaras de Comércio,
Operadores Logísticos, Operadores Transporte,
Armadores, Agentes, Outros.
2. Existe, é inovador e está disponível um levantamento
dos tráfegos entre países da CPLP … consolidado
num portal único com acesso restrito:
 Por porto de origem e destino
 Por tipo de tráfego
 Por tipo de mercadoria
 Com evolução nos últimos anos
O que já se conseguiu desde o início do Estudo de Mercado
em 2011?
25
3. Conseguiu-se fazer um levantamento exaustivo de todas
as linhas de navegação regulares que escalam países
CPLP, incluindo:
 Tipo de tráfego
 Portos de escala
 Armador e Agente
 Tempos de trânsito
4. Com o envolvimento dos vários stakeholders foi possível
caracterizar e referenciar, para as Redes de Portos de
cada País:
 Posicionamento estratégico nas cadeias globais;
 Hinterlands de referência;
 Constrangimentos a ultrapassar;
 Análise de concorrentes
 Principais oportunidades de captação de tráfego
O que resultou do projecto?
Será lançada a 3ª Edição do Estudo de Mercado
Obrigado!
Carlos Seixas da Fonseca

Mais conteúdo relacionado

Destaque

Xplicit image 31
Xplicit image 31Xplicit image 31
Xplicit image 31Xplicit Inc
 
David McCormick CV.docx.PDF
David McCormick CV.docx.PDFDavid McCormick CV.docx.PDF
David McCormick CV.docx.PDFDavid McCormick
 
Ejercicio de verbos irregulares 2
Ejercicio de verbos irregulares 2Ejercicio de verbos irregulares 2
Ejercicio de verbos irregulares 2Luisa Estrada
 
Xplicit image 33
Xplicit image 33Xplicit image 33
Xplicit image 33Xplicit Inc
 
Publicidade, Meio Ambiente e Ética
Publicidade, Meio Ambiente e ÉticaPublicidade, Meio Ambiente e Ética
Publicidade, Meio Ambiente e ÉticaSandra Costa
 

Destaque (10)

Certificate
CertificateCertificate
Certificate
 
Xplicit image 31
Xplicit image 31Xplicit image 31
Xplicit image 31
 
Hjrd cirugía-enero marzo 2015
Hjrd cirugía-enero marzo 2015Hjrd cirugía-enero marzo 2015
Hjrd cirugía-enero marzo 2015
 
Our school
Our schoolOur school
Our school
 
David McCormick CV.docx.PDF
David McCormick CV.docx.PDFDavid McCormick CV.docx.PDF
David McCormick CV.docx.PDF
 
Ejercicio de verbos irregulares 2
Ejercicio de verbos irregulares 2Ejercicio de verbos irregulares 2
Ejercicio de verbos irregulares 2
 
Xplicit image 33
Xplicit image 33Xplicit image 33
Xplicit image 33
 
Nfl classificação
Nfl classificaçãoNfl classificação
Nfl classificação
 
Publicidade, Meio Ambiente e Ética
Publicidade, Meio Ambiente e ÉticaPublicidade, Meio Ambiente e Ética
Publicidade, Meio Ambiente e Ética
 
Prelims (Prashnavali)
Prelims (Prashnavali)Prelims (Prashnavali)
Prelims (Prashnavali)
 

Semelhante a ESTUDO DE MERCADO DOS PAISES DE LÍNGUA PORTUGUESA

Apresentação web conferência corretora souza barros
Apresentação web conferência   corretora souza barrosApresentação web conferência   corretora souza barros
Apresentação web conferência corretora souza barrosTriunfoRi
 
Apresentacao apimec 2010(sp)site
Apresentacao apimec 2010(sp)siteApresentacao apimec 2010(sp)site
Apresentacao apimec 2010(sp)siteMarcopolo
 
Apresentação reunião pública junho 2011
Apresentação reunião pública   junho 2011Apresentação reunião pública   junho 2011
Apresentação reunião pública junho 2011TriunfoRi
 
Public meeting presentation june 2011
Public meeting presentation   june 2011Public meeting presentation   june 2011
Public meeting presentation june 2011TriunfoRi
 
Programa de Investimento em Logística 2015-2018
Programa de Investimento em Logística 2015-2018Programa de Investimento em Logística 2015-2018
Programa de Investimento em Logística 2015-2018Portos do Brasil
 
Ministério do Planejamento - Apresentação da 2ª etapa do Programa de Investim...
Ministério do Planejamento - Apresentação da 2ª etapa do Programa de Investim...Ministério do Planejamento - Apresentação da 2ª etapa do Programa de Investim...
Ministério do Planejamento - Apresentação da 2ª etapa do Programa de Investim...Palácio do Planalto
 
Angola – um mercado de oportunidades djanyck
Angola – um mercado de oportunidades djanyckAngola – um mercado de oportunidades djanyck
Angola – um mercado de oportunidades djanyckturmaquintob
 
Apresentacao Itau 020606(Final)
Apresentacao Itau 020606(Final)Apresentacao Itau 020606(Final)
Apresentacao Itau 020606(Final)Marcopolo
 
Os Portos e a Competitividade da Economia Portuguesa
Os Portos e a Competitividade da Economia PortuguesaOs Portos e a Competitividade da Economia Portuguesa
Os Portos e a Competitividade da Economia PortuguesaCláudio Carneiro
 
Infraestrutura - José de Freitas Mascarenhas - Presidente do Conselho Temátic...
Infraestrutura - José de Freitas Mascarenhas - Presidente do Conselho Temátic...Infraestrutura - José de Freitas Mascarenhas - Presidente do Conselho Temátic...
Infraestrutura - José de Freitas Mascarenhas - Presidente do Conselho Temátic...Confederação Nacional da Indústria
 
A organização nacional do sector da água pontos fortes e pontos fracos. Como ...
A organização nacional do sector da água pontos fortes e pontos fracos. Como ...A organização nacional do sector da água pontos fortes e pontos fracos. Como ...
A organização nacional do sector da água pontos fortes e pontos fracos. Como ...ParceriaPtAgua
 
A organização nacional do sector da água: pontos fortes e pontos fracos. Como...
A organização nacional do sector da água: pontos fortes e pontos fracos. Como...A organização nacional do sector da água: pontos fortes e pontos fracos. Como...
A organização nacional do sector da água: pontos fortes e pontos fracos. Como...ppateste
 
A organização nacional do sector da água pontos fortes e pontos fracos. como ...
A organização nacional do sector da água pontos fortes e pontos fracos. como ...A organização nacional do sector da água pontos fortes e pontos fracos. como ...
A organização nacional do sector da água pontos fortes e pontos fracos. como ...ParceriaPtAgua
 
A organização nacional do sector da água: pontos fortes e pontos fracos. Como...
A organização nacional do sector da água: pontos fortes e pontos fracos. Como...A organização nacional do sector da água: pontos fortes e pontos fracos. Como...
A organização nacional do sector da água: pontos fortes e pontos fracos. Como...ppateste
 
Rui Vinhas da Silva - ISCTE / University of Manchester
Rui Vinhas da Silva - ISCTE / University of ManchesterRui Vinhas da Silva - ISCTE / University of Manchester
Rui Vinhas da Silva - ISCTE / University of ManchesterConstrução Sustentável
 
Rui Carlos Botter, ex-presidente do Instituto Panamericano de Engenharia Naval
Rui Carlos Botter, ex-presidente do Instituto Panamericano de Engenharia NavalRui Carlos Botter, ex-presidente do Instituto Panamericano de Engenharia Naval
Rui Carlos Botter, ex-presidente do Instituto Panamericano de Engenharia NavalLuiz de Queiroz
 

Semelhante a ESTUDO DE MERCADO DOS PAISES DE LÍNGUA PORTUGUESA (20)

Apresentação web conferência corretora souza barros
Apresentação web conferência   corretora souza barrosApresentação web conferência   corretora souza barros
Apresentação web conferência corretora souza barros
 
Apresentacao apimec 2010(sp)site
Apresentacao apimec 2010(sp)siteApresentacao apimec 2010(sp)site
Apresentacao apimec 2010(sp)site
 
Sessão 1 at mozambique (partilha de reformas na área de comércio internacio...
Sessão 1   at mozambique (partilha de reformas na área de comércio internacio...Sessão 1   at mozambique (partilha de reformas na área de comércio internacio...
Sessão 1 at mozambique (partilha de reformas na área de comércio internacio...
 
Apresentação reunião pública junho 2011
Apresentação reunião pública   junho 2011Apresentação reunião pública   junho 2011
Apresentação reunião pública junho 2011
 
Public meeting presentation june 2011
Public meeting presentation   june 2011Public meeting presentation   june 2011
Public meeting presentation june 2011
 
FILDA 2014 Nota de divulgação - Feira Internacional de Luanda - EnergyIN
FILDA 2014  Nota de divulgação - Feira Internacional de Luanda - EnergyINFILDA 2014  Nota de divulgação - Feira Internacional de Luanda - EnergyIN
FILDA 2014 Nota de divulgação - Feira Internacional de Luanda - EnergyIN
 
Programa de Investimento em Logística 2015-2018
Programa de Investimento em Logística 2015-2018Programa de Investimento em Logística 2015-2018
Programa de Investimento em Logística 2015-2018
 
Ministério do Planejamento - Apresentação da 2ª etapa do Programa de Investim...
Ministério do Planejamento - Apresentação da 2ª etapa do Programa de Investim...Ministério do Planejamento - Apresentação da 2ª etapa do Programa de Investim...
Ministério do Planejamento - Apresentação da 2ª etapa do Programa de Investim...
 
Angola – um mercado de oportunidades djanyck
Angola – um mercado de oportunidades djanyckAngola – um mercado de oportunidades djanyck
Angola – um mercado de oportunidades djanyck
 
Apresentacao Itau 020606(Final)
Apresentacao Itau 020606(Final)Apresentacao Itau 020606(Final)
Apresentacao Itau 020606(Final)
 
Os Portos e a Competitividade da Economia Portuguesa
Os Portos e a Competitividade da Economia PortuguesaOs Portos e a Competitividade da Economia Portuguesa
Os Portos e a Competitividade da Economia Portuguesa
 
Infraestrutura - José de Freitas Mascarenhas - Presidente do Conselho Temátic...
Infraestrutura - José de Freitas Mascarenhas - Presidente do Conselho Temátic...Infraestrutura - José de Freitas Mascarenhas - Presidente do Conselho Temátic...
Infraestrutura - José de Freitas Mascarenhas - Presidente do Conselho Temátic...
 
Carta de Conjuntura - (15/03/2016) - Tomás Torezani
Carta de Conjuntura - (15/03/2016) - Tomás TorezaniCarta de Conjuntura - (15/03/2016) - Tomás Torezani
Carta de Conjuntura - (15/03/2016) - Tomás Torezani
 
A organização nacional do sector da água pontos fortes e pontos fracos. Como ...
A organização nacional do sector da água pontos fortes e pontos fracos. Como ...A organização nacional do sector da água pontos fortes e pontos fracos. Como ...
A organização nacional do sector da água pontos fortes e pontos fracos. Como ...
 
A organização nacional do sector da água: pontos fortes e pontos fracos. Como...
A organização nacional do sector da água: pontos fortes e pontos fracos. Como...A organização nacional do sector da água: pontos fortes e pontos fracos. Como...
A organização nacional do sector da água: pontos fortes e pontos fracos. Como...
 
A organização nacional do sector da água pontos fortes e pontos fracos. como ...
A organização nacional do sector da água pontos fortes e pontos fracos. como ...A organização nacional do sector da água pontos fortes e pontos fracos. como ...
A organização nacional do sector da água pontos fortes e pontos fracos. como ...
 
A organização nacional do sector da água: pontos fortes e pontos fracos. Como...
A organização nacional do sector da água: pontos fortes e pontos fracos. Como...A organização nacional do sector da água: pontos fortes e pontos fracos. Como...
A organização nacional do sector da água: pontos fortes e pontos fracos. Como...
 
Apresentação CCR DAY 9
Apresentação CCR DAY 9Apresentação CCR DAY 9
Apresentação CCR DAY 9
 
Rui Vinhas da Silva - ISCTE / University of Manchester
Rui Vinhas da Silva - ISCTE / University of ManchesterRui Vinhas da Silva - ISCTE / University of Manchester
Rui Vinhas da Silva - ISCTE / University of Manchester
 
Rui Carlos Botter, ex-presidente do Instituto Panamericano de Engenharia Naval
Rui Carlos Botter, ex-presidente do Instituto Panamericano de Engenharia NavalRui Carlos Botter, ex-presidente do Instituto Panamericano de Engenharia Naval
Rui Carlos Botter, ex-presidente do Instituto Panamericano de Engenharia Naval
 

Mais de aplop

Direito Portuário e Marítimo – Trabalho Portuário [Guilherme Dray]
Direito Portuário e Marítimo – Trabalho Portuário [Guilherme Dray]Direito Portuário e Marítimo – Trabalho Portuário [Guilherme Dray]
Direito Portuário e Marítimo – Trabalho Portuário [Guilherme Dray]aplop
 
Direito das Concessões e Licenças Portuárias – O Caso dos TUP [Murillo Barbosa]
Direito das Concessões e Licenças Portuárias – O Caso dos TUP [Murillo Barbosa]Direito das Concessões e Licenças Portuárias – O Caso dos TUP [Murillo Barbosa]
Direito das Concessões e Licenças Portuárias – O Caso dos TUP [Murillo Barbosa]aplop
 
O Direito das Concessões e Licenças Portuárias em Angola [Neusa Nascimento]
O Direito das Concessões e Licenças Portuárias em Angola [Neusa Nascimento]O Direito das Concessões e Licenças Portuárias em Angola [Neusa Nascimento]
O Direito das Concessões e Licenças Portuárias em Angola [Neusa Nascimento]aplop
 
Concessões de Licenças Portuárias [Amadeu Rocha]
Concessões de Licenças Portuárias [Amadeu Rocha]Concessões de Licenças Portuárias [Amadeu Rocha]
Concessões de Licenças Portuárias [Amadeu Rocha]aplop
 
Portos Brasileiros – Impactos e riscos da mudança do clima nos portos público...
Portos Brasileiros – Impactos e riscos da mudança do clima nos portos público...Portos Brasileiros – Impactos e riscos da mudança do clima nos portos público...
Portos Brasileiros – Impactos e riscos da mudança do clima nos portos público...aplop
 
Portos Timorenses - O desenvolvimento do Projecto de PPP do Porto da Baía de ...
Portos Timorenses - O desenvolvimento do Projecto de PPP do Porto da Baía de ...Portos Timorenses - O desenvolvimento do Projecto de PPP do Porto da Baía de ...
Portos Timorenses - O desenvolvimento do Projecto de PPP do Porto da Baía de ...aplop
 
Portos Brasileiros – Porto do Suape - Estratégia de Crescimento do Porto do S...
Portos Brasileiros – Porto do Suape - Estratégia de Crescimento do Porto do S...Portos Brasileiros – Porto do Suape - Estratégia de Crescimento do Porto do S...
Portos Brasileiros – Porto do Suape - Estratégia de Crescimento do Porto do S...aplop
 
A estratégia do Porto de Maputo e a integração global logística
A estratégia do Porto de Maputo e a integração global logísticaA estratégia do Porto de Maputo e a integração global logística
A estratégia do Porto de Maputo e a integração global logísticaaplop
 
Janela Única Logística dos portos portugueses
Janela Única Logística dos portos portuguesesJanela Única Logística dos portos portugueses
Janela Única Logística dos portos portuguesesaplop
 
Direito portuário nos países membros da APLOP
Direito portuário nos países membros da APLOPDireito portuário nos países membros da APLOP
Direito portuário nos países membros da APLOPaplop
 
Os Novos Desafios para os Portos e Caminhos-de-Ferro de Moçambique
Os Novos Desafios para os Portos e Caminhos-de-Ferro de MoçambiqueOs Novos Desafios para os Portos e Caminhos-de-Ferro de Moçambique
Os Novos Desafios para os Portos e Caminhos-de-Ferro de Moçambiqueaplop
 
O Sector Portuário em Marrocos – Governança e Estratégia
O Sector Portuário em Marrocos – Governança e EstratégiaO Sector Portuário em Marrocos – Governança e Estratégia
O Sector Portuário em Marrocos – Governança e Estratégiaaplop
 
O Porto de Itaqui – O porto da região centro-norte do Brasil
O Porto de Itaqui – O porto da região centro-norte do BrasilO Porto de Itaqui – O porto da região centro-norte do Brasil
O Porto de Itaqui – O porto da região centro-norte do Brasilaplop
 
Novo Terminal de Cruzeiros do Mindelo – Cabo Verde
Novo Terminal de Cruzeiros do Mindelo – Cabo VerdeNovo Terminal de Cruzeiros do Mindelo – Cabo Verde
Novo Terminal de Cruzeiros do Mindelo – Cabo Verdeaplop
 
Porto de Sines - Porta Atlântica da Europa
Porto de Sines - Porta Atlântica da EuropaPorto de Sines - Porta Atlântica da Europa
Porto de Sines - Porta Atlântica da Europaaplop
 
Portugal: Novos desafios na formação marítima e portuária no espaço lusófono
Portugal: Novos desafios na formação marítima e portuária no espaço lusófonoPortugal: Novos desafios na formação marítima e portuária no espaço lusófono
Portugal: Novos desafios na formação marítima e portuária no espaço lusófonoaplop
 
SHIPPING – Momentos de Interessantes Tendências e Incertezas
SHIPPING – Momentos de Interessantes Tendências e IncertezasSHIPPING – Momentos de Interessantes Tendências e Incertezas
SHIPPING – Momentos de Interessantes Tendências e Incertezasaplop
 
A JUL - Janela Única Logística
A JUL - Janela Única LogísticaA JUL - Janela Única Logística
A JUL - Janela Única Logísticaaplop
 
Exportações do Brasil e oportunidades para os portos da CPLP
Exportações do Brasil e oportunidades para os portos da CPLPExportações do Brasil e oportunidades para os portos da CPLP
Exportações do Brasil e oportunidades para os portos da CPLPaplop
 
INVESTIMENTO NOS PORTOS PORTUGUESES
INVESTIMENTO NOS PORTOS PORTUGUESESINVESTIMENTO NOS PORTOS PORTUGUESES
INVESTIMENTO NOS PORTOS PORTUGUESESaplop
 

Mais de aplop (20)

Direito Portuário e Marítimo – Trabalho Portuário [Guilherme Dray]
Direito Portuário e Marítimo – Trabalho Portuário [Guilherme Dray]Direito Portuário e Marítimo – Trabalho Portuário [Guilherme Dray]
Direito Portuário e Marítimo – Trabalho Portuário [Guilherme Dray]
 
Direito das Concessões e Licenças Portuárias – O Caso dos TUP [Murillo Barbosa]
Direito das Concessões e Licenças Portuárias – O Caso dos TUP [Murillo Barbosa]Direito das Concessões e Licenças Portuárias – O Caso dos TUP [Murillo Barbosa]
Direito das Concessões e Licenças Portuárias – O Caso dos TUP [Murillo Barbosa]
 
O Direito das Concessões e Licenças Portuárias em Angola [Neusa Nascimento]
O Direito das Concessões e Licenças Portuárias em Angola [Neusa Nascimento]O Direito das Concessões e Licenças Portuárias em Angola [Neusa Nascimento]
O Direito das Concessões e Licenças Portuárias em Angola [Neusa Nascimento]
 
Concessões de Licenças Portuárias [Amadeu Rocha]
Concessões de Licenças Portuárias [Amadeu Rocha]Concessões de Licenças Portuárias [Amadeu Rocha]
Concessões de Licenças Portuárias [Amadeu Rocha]
 
Portos Brasileiros – Impactos e riscos da mudança do clima nos portos público...
Portos Brasileiros – Impactos e riscos da mudança do clima nos portos público...Portos Brasileiros – Impactos e riscos da mudança do clima nos portos público...
Portos Brasileiros – Impactos e riscos da mudança do clima nos portos público...
 
Portos Timorenses - O desenvolvimento do Projecto de PPP do Porto da Baía de ...
Portos Timorenses - O desenvolvimento do Projecto de PPP do Porto da Baía de ...Portos Timorenses - O desenvolvimento do Projecto de PPP do Porto da Baía de ...
Portos Timorenses - O desenvolvimento do Projecto de PPP do Porto da Baía de ...
 
Portos Brasileiros – Porto do Suape - Estratégia de Crescimento do Porto do S...
Portos Brasileiros – Porto do Suape - Estratégia de Crescimento do Porto do S...Portos Brasileiros – Porto do Suape - Estratégia de Crescimento do Porto do S...
Portos Brasileiros – Porto do Suape - Estratégia de Crescimento do Porto do S...
 
A estratégia do Porto de Maputo e a integração global logística
A estratégia do Porto de Maputo e a integração global logísticaA estratégia do Porto de Maputo e a integração global logística
A estratégia do Porto de Maputo e a integração global logística
 
Janela Única Logística dos portos portugueses
Janela Única Logística dos portos portuguesesJanela Única Logística dos portos portugueses
Janela Única Logística dos portos portugueses
 
Direito portuário nos países membros da APLOP
Direito portuário nos países membros da APLOPDireito portuário nos países membros da APLOP
Direito portuário nos países membros da APLOP
 
Os Novos Desafios para os Portos e Caminhos-de-Ferro de Moçambique
Os Novos Desafios para os Portos e Caminhos-de-Ferro de MoçambiqueOs Novos Desafios para os Portos e Caminhos-de-Ferro de Moçambique
Os Novos Desafios para os Portos e Caminhos-de-Ferro de Moçambique
 
O Sector Portuário em Marrocos – Governança e Estratégia
O Sector Portuário em Marrocos – Governança e EstratégiaO Sector Portuário em Marrocos – Governança e Estratégia
O Sector Portuário em Marrocos – Governança e Estratégia
 
O Porto de Itaqui – O porto da região centro-norte do Brasil
O Porto de Itaqui – O porto da região centro-norte do BrasilO Porto de Itaqui – O porto da região centro-norte do Brasil
O Porto de Itaqui – O porto da região centro-norte do Brasil
 
Novo Terminal de Cruzeiros do Mindelo – Cabo Verde
Novo Terminal de Cruzeiros do Mindelo – Cabo VerdeNovo Terminal de Cruzeiros do Mindelo – Cabo Verde
Novo Terminal de Cruzeiros do Mindelo – Cabo Verde
 
Porto de Sines - Porta Atlântica da Europa
Porto de Sines - Porta Atlântica da EuropaPorto de Sines - Porta Atlântica da Europa
Porto de Sines - Porta Atlântica da Europa
 
Portugal: Novos desafios na formação marítima e portuária no espaço lusófono
Portugal: Novos desafios na formação marítima e portuária no espaço lusófonoPortugal: Novos desafios na formação marítima e portuária no espaço lusófono
Portugal: Novos desafios na formação marítima e portuária no espaço lusófono
 
SHIPPING – Momentos de Interessantes Tendências e Incertezas
SHIPPING – Momentos de Interessantes Tendências e IncertezasSHIPPING – Momentos de Interessantes Tendências e Incertezas
SHIPPING – Momentos de Interessantes Tendências e Incertezas
 
A JUL - Janela Única Logística
A JUL - Janela Única LogísticaA JUL - Janela Única Logística
A JUL - Janela Única Logística
 
Exportações do Brasil e oportunidades para os portos da CPLP
Exportações do Brasil e oportunidades para os portos da CPLPExportações do Brasil e oportunidades para os portos da CPLP
Exportações do Brasil e oportunidades para os portos da CPLP
 
INVESTIMENTO NOS PORTOS PORTUGUESES
INVESTIMENTO NOS PORTOS PORTUGUESESINVESTIMENTO NOS PORTOS PORTUGUESES
INVESTIMENTO NOS PORTOS PORTUGUESES
 

ESTUDO DE MERCADO DOS PAISES DE LÍNGUA PORTUGUESA

  • 1. Luis Tadeu VIII Congresso da APLOP Apresentação do Estudo de Mercado dos Portos da CPLP Maputo, 27 de Março de 2015
  • 2. Agenda 2 Apresentação Global do Projecto1. 3. 2. Base de Dados de Tráfegos do Espaço CPLP Dinâmicas Comerciais no Espaço CPLP 4. Notas Finais
  • 3. 3 Enquadramento Metodológico Racional de Projecto O Estudo de Mercado dos Países e Portos do Espaço CPLP teve a sua 1ª Versão em 2011 Por iniciativa da APLOP, o Estudo tem sido realizado de 2 em 2 anos A metodologia de desenvolvimento do projecto (em qualquer das versões 2011 ou 2013) teve por base: • o envolvimento de stakeholders representativos a nível local (Portos, Stakeholders das Comunidades Portuárias, Câmaras de Comércio e Agências de Desenvolvimento, entre outros; • A aquisição de Bases de Dados com Informação de Tráfegos (Ex: DATAMAR – Brasil) • Consulta a Armadores e Agentes de Navegação; A FORDESI foi a empresa escolhida para a realização do Estudo de Mercado e, pela qualidade do trabalho desenvolvido, foi também seleccionada para a 1ª actualização do trabalho (2013) Com o aumento da “maturidade” do trabalho (evolução de 2011 para 2013) foram criados instrumentos que aumentam a capacidade de gestão, monitorização e aproveitamento do volume de dados existente – Base de Dados de Tráfegos do Espaço APLOP
  • 4. 4 Enquadramento Metodológico Principais Objectivos do Projecto Actualização dos Fluxos de Mercadorias no Espaço CPLP Análise e Caracterização da evolução das relações comerciais no Espaço CPLP no período 2010 - 2012 Revisão da Informação de Caracterização dos Portos Concorrentes Revisão da Informação de Caracterização dos Hinterlands e das Principais Indústrias e Carregadores Revisão sobre os Principais Constrangimentos existentes ao nível dos Portos Redefinição dos Fluxos Potencialmente Captáveis Identificação e Caracterização das Linhas de Navegação Existentes e dos Transit-Times
  • 5. Agenda 5 Apresentação Global do Projecto1. 3. 2. Base de Dados de Tráfegos do Espaço CPLP Dinâmicas Comerciais no Espaço CPLP 4. Notas Finais Fluxos de Tráfego no Espaço CPLP – Evolução 2007 - 2012 Panorâmica sobre as Linhas Regulares no Espaço CPLP Âmbito da Apresentação
  • 6. 6 Actualização dos Fluxos de Mercadorias no Espaço CPLP Análise e Caracterização da evolução das relações comerciais no Espaço CPLP no período 2010 - 2012 Revisão da Informação de Caracterização dos Portos Concorrentes Revisão da Informação de Caracterização dos Hinterlands e das Principais Indústrias e Carregadores Revisão sobre os Principais Constrangimentos existentes ao nível dos Portos Redefinição dos Fluxos Potencialmente Captáveis √ √ Identificação e Caracterização das Linhas de Navegação Existentes e dos Transit-Times √ Âmbito da Apresentação O âmbito do trabalho desenvolvido é bastante vasto. Por conseguinte, define-se como âmbito específico da apresentação:
  • 7. Agenda 7 Apresentação Global do Projecto1. 3. 2. Base de Dados de Tráfegos do Espaço CPLP Dinâmicas Comerciais no Espaço CPLP 4. Notas Finais Fluxos de Tráfego no Espaço CPLP – Evolução 2007 - 2012 Panorâmica sobre as Linhas Regulares no Espaço CPLP Âmbito da Apresentação
  • 8. 8 ANGOLA - Tráfego Geral Evolução das Relações Comerciais no Espaço CPLP no Período 2007 - 2012 0 500,000 1,000,000 1,500,000 2,000,000 2,500,000 3,000,000 2007 2008 2009 2010 2011 2012 Toneladas 0 500,000 1,000,000 1,500,000 2,000,000 2,500,000 3,000,000 2007 2008 2009 2010 2011 2012 Toneladas Brasil Cabo Verde Guiné-Bissau Moçambique Portugal S. Tomé P. Exportação Importação • Relações Comerciais com Portugal em franco crescimento • Volume de Importações cresceu mais de 30% entre 2010 e 2012 • Exportações duplicaram entre 2010 e 2012 • Evolução positiva nas Importações do Brasil • Relações Comerciais com Portugal em franco crescimento • Volume de Importações cresceu mais de 30% entre 2010 e 2012 • Exportações duplicaram entre 2010 e 2012
  • 9. 9 BRASIL - Tráfego Geral 0 500,000 1,000,000 1,500,000 2,000,000 2,500,000 3,000,000 3,500,000 4,000,000 2007 2008 2009 2010 2011 2012 Toneladas 0 500,000 1,000,000 1,500,000 2,000,000 2,500,000 3,000,000 3,500,000 4,000,000 2007 2008 2009 2010 2011 2012 Toneladas Angola Cabo Verde Guiné-Bissau Moçambique Portugal S. Tomé P. Exportação Importação • Evolução positiva exportações para Angola (cerca de 750.000 Ton em 2012) • Tendência de franco crescimento das Importações de Portugal • Volume de Importações passou dos 400.000 ton em 2010 para 1.250.000 Ton em 2012 • Exportações, embora sem evolução, têm um volume assinalável • Tendência de franco crescimento das Importações de Portugal • Volume de Importações passou dos 400.000 ton em 2010 para 1.250.000 Ton em 2012 • Exportações, embora sem evolução, têm um volume assinalável Evolução das Relações Comerciais no Espaço CPLP no Período 2007 - 2012
  • 10. 10 CABO VERDE - Tráfego Geral 0 100,000 200,000 300,000 400,000 500,000 600,000 700,000 2007 2008 2009 2010 2011 2012 Toneladas 0 100,000 200,000 300,000 400,000 500,000 600,000 700,000 2007 2008 2009 2010 2011 2012 Toneladas Angola Brasil Guiné-Bissau Moçambique Portugal S. Tomé P. Exportação Importação • Volume de Importações (400.000 Ton) de Portugal é significativo (embora com uma quebra em 2011) Evolução das Relações Comerciais no Espaço CPLP no Período 2007 - 2012
  • 11. 11 GUINÉ-BISSAU - Tráfego Geral 0 20,000 40,000 60,000 80,000 100,000 120,000 140,000 160,000 180,000 200,000 2007 2008 2009 2010 2011 2012 Toneladas 0 20,000 40,000 60,000 80,000 100,000 120,000 140,000 160,000 180,000 200,000 2007 2008 2009 2010 2011 2012 Toneladas Angola Brasil Cabo Verde Moçambique Portugal S. Tomé P. Exportação Importação • Importação de Portugal atingiu as 160.000 Ton Evolução das Relações Comerciais no Espaço CPLP no Período 2007 - 2012
  • 12. 12 MOÇAMBIQUE - Tráfego Geral 0 50,000 100,000 150,000 200,000 250,000 2007 2008 2009 2010 2011 2012 Toneladas 0 50,000 100,000 150,000 200,000 250,000 2007 2008 2009 2010 2011 2012 Toneladas Angola Brasil Cabo Verde Guiné-Bissau Portugal S. Tomé P. Exportação Importação • Volume global dos tráfegos com PT e BRA é ainda pouco significativo • Equilíbrio ao nível das relações comerciais (em volume)com o BR e com PT, embora com tendências recentes antagónicas • Equilíbrio ao nível das relações comerciais (em volume)com o BR e com PT, embora com tendências recentes antagónicas Evolução das Relações Comerciais no Espaço CPLP no Período 2007 - 2012
  • 13. • Equilíbrio ao nível das relações comerciais (em volume)com o BR e com PT, embora com tendências recentes antagónicas 13 PORTUGAL - Tráfego Geral 0 500,000 1,000,000 1,500,000 2,000,000 2,500,000 3,000,000 3,500,000 4,000,000 2007 2008 2009 2010 2011 2012 Toneladas 0 500,000 1,000,000 1,500,000 2,000,000 2,500,000 3,000,000 3,500,000 4,000,000 2007 2008 2009 2010 2011 2012 Toneladas Angola Brasil Cabo Verde Guiné-Bissau Moçambique S. Tomé P. Exportação Importação • Importação de Angola com grande crescimento (Volume cresceu cerca de 2.5 M Ton desde 2009) • Dinâmica crescente no domínio da Exportação para Angola e Brasil Evolução das Relações Comerciais no Espaço CPLP no Período 2007 - 2012 • Importação do Brasil sem grandes alterações (em volume) desde 2009 • Importação de Angola com grande crescimento (Volume cresceu cerca de 2.5 M Ton desde 2009)
  • 14. 14 S. TOMÉ E PRÍNCIPE - Tráfego Geral 0 10,000 20,000 30,000 40,000 50,000 60,000 70,000 2007 2008 2009 2010 2011 2012 Toneladas 0 10,000 20,000 30,000 40,000 50,000 60,000 70,000 2007 2008 2009 2010 2011 2012 Toneladas Angola Brasil Cabo Verde Guiné-Bissau Moçambique Portugal Exportação Importação • Equilíbrio ao nível das relações comerciais (em volume)com o BR e com PT, embora com tendências recentes antagónicas • Dinâmica interessante (em termos de crescimento) na importação de Angola • Volumes de Carga com muito pouca expressão Evolução das Relações Comerciais no Espaço CPLP no Período 2007 - 2012
  • 15. Agenda 15 Apresentação Global do Projecto1. 3. 2. Base de Dados de Tráfegos do Espaço CPLP Dinâmicas Comerciais no Espaço CPLP 4. Notas Finais Fluxos de Tráfego no Espaço CPLP – Evolução 2007 - 2012 Panorâmica sobre as Linhas Regulares no Espaço CPLP Âmbito da Apresentação
  • 16. 16 Linhas de Navegação entre Países da CPLP Linhas Regulares Foram identificadas 17 Linhas Regulares envolvendo Portos da CPLP: Europa – África Ocidental (10) Portugal – Angola (5)* * 1 linha via São Tomé e Príncipe Portugal – Cabo Verde (3) Portugal – São Tomé e Príncipe (2) Portugal – Guiné Bissau (2)** **2 linhas via Cabo Verde Europa – América do Sul (2) Portugal – Brasil (2) Europa – África Austral (1) Portugal – Moçambique (1) América do Sul – África Ocidental (3) Brasil – Angola (3) África Ocidental – África Austral – Ásia (1) Angola – Moçambique (1) 2010 2012 1 2 2010 2012 3 3 2010 2012 1 1 2010 2012 5 5 2010 2012 4 3 2010 2012 2 2 2010 2012 4 3 2010 2012 0 1 Principais alterações de 2010 para 2012: + 1 Linha entre Portugal e Brasil + 1 Linhas entre Portugal e Moçambique - 1 Linha entre Portugal e Cabo Verde - 1 Linhas entre Portugal e S. Tomé e Príncipe
  • 17. Países: Bélgica, Holanda, Alemanha, França, Portugal, Brasil, Argentina Escalas CPLP: Sines, Rio Grande, Paranagua, Navegantes, Santos, Itaguai Escalas noutros países: Antuérpia, Roterdão, Bremerhaven, Le Havre, Buenos Aires Agente de navegação: MSC Tipo de tráfego: Contentores Regularidade: Semanal Porto Dias Trânsito Antuérpia 0 Roterdão 1 Bremerhaven 2 Le Havre 4 Sines 7 Rio de Janeiro 18 Santos 19 Buenos Aires 23 Rio Grande 27 Navegantes 30 Santos 32 Itaguai 34 Antuérpia 47 Linhas de Navegação entre Países da CPLP NORTH WEST CONTINENT TO SAEC - STRING I (SAEC I) Novo Serviço Regular Europa – América do Sul
  • 18. Países: Portugal, África do Sul, Moçambique Escalas CPLP: Leixões, Lisboa, Maputo Escalas noutros países: Cape Town, Port Elizabeth, Durban, Richards Bay Agente de navegação: NAVEX - EMPRESA PORTUGUESA DE NAVEGACÃO Tipo de tráfego: Contentores Regularidade: Quinzenal MACS - MARITIME CARRIER SHIPPING Porto Dias Trânsito Leixões 0 Lisboa 2 Cape Town 15 Port Elizabeth 18 Durban 20 Richards Bay 27 Maputo 30 18 Linhas de Navegação entre Países da CPLP Novo Serviço Regular Europa – África Austral
  • 19. Países: Portugal, Espanha, Cabo Verde Escalas CPLP: Leixões, Lisboa, Setúbal, Mindelo, Praia, Palmeira, Sal Rei Escalas noutros países: Las Palmas, Vigo Agente de navegação: NINFETRANS – Navegação e Trânsitos, Lda Tipo de tráfego: Contentores Regularidade: Quinzenal Transit time: 7/8 dias Cabomundo Shipping Line 19 Linhas de Navegação entre Países da CPLP Serviço Regular Extinto - Europa – África Ocidental
  • 20. Países: Portugal, Bélgica, França, Espanha, Gabão, Congo, São Tomé e Príncipe Escalas CPLP: Leixões, Setúbal, São Tomé Escalas noutros países: Antuérpia, Rouen, Tenerife, Port Gentil, Pointe Noire, Matadi, Boma Agente de navegação: Safmarine Tipo de tráfego: Multi-purpose Regularidade: Mensal Gabon / Congo Service Porto Dias Trânsito Antuérpia 0 Rouen 3 Leixões 6 Tenerife 9 São Tomé 18 Port Gentil 21 Pointe Noire 28 Matadi 30 Boma 37 20 Linhas de Navegação entre Países da CPLP Serviço Regular Extinto - Europa – África Ocidental
  • 21. Agenda 21 Apresentação Global do Projecto1. 3. 2. Base de Dados de Tráfegos do Espaço CPLP Dinâmicas Comerciais no Espaço CPLP 4. Notas Finais
  • 22. 22 Base de Dados de Tráfegos do Espaço CPLP A informação referente aos fluxos de tráfego entre países da CPLP está disponível on-line e pode ser consultada através do endereço: etcplp.fordesi.pt Para aceder utilize as seguintes credenciais: Username: Admin Password: 5dAb8 A Base de Dados de Tráfegos foi integralmente desenvolvida com tecnologias FORDESI A componente gráfica apresentada resulta da aplicação de componentes de Business Intelligence desenvolvidas pela FORDESI
  • 23. Agenda 23 Apresentação Global do Projecto – Principais Fases e Cronograma de Desenvolvimento1. 3. 2. Base de Dados de Tráfegos do Espaço CPLP Dinâmicas Comerciais no Espaço CPLP 4. Notas Finais
  • 24. 24 1. Envolvimento e Mobilização de Stakeholders na Constituição de uma Rede Alargada: 1. Foram envolvidas Administrações Portuárias, Entidades Oficiais locais, Câmaras de Comércio, Operadores Logísticos, Operadores Transporte, Armadores, Agentes, Outros. 2. Existe, é inovador e está disponível um levantamento dos tráfegos entre países da CPLP … consolidado num portal único com acesso restrito:  Por porto de origem e destino  Por tipo de tráfego  Por tipo de mercadoria  Com evolução nos últimos anos O que já se conseguiu desde o início do Estudo de Mercado em 2011?
  • 25. 25 3. Conseguiu-se fazer um levantamento exaustivo de todas as linhas de navegação regulares que escalam países CPLP, incluindo:  Tipo de tráfego  Portos de escala  Armador e Agente  Tempos de trânsito 4. Com o envolvimento dos vários stakeholders foi possível caracterizar e referenciar, para as Redes de Portos de cada País:  Posicionamento estratégico nas cadeias globais;  Hinterlands de referência;  Constrangimentos a ultrapassar;  Análise de concorrentes  Principais oportunidades de captação de tráfego O que resultou do projecto? Será lançada a 3ª Edição do Estudo de Mercado