SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 70
Baixar para ler offline
Espeleogênese
Vitor Vieira Vasconcelos
Universidade Federal do ABC
Maio de 2023
Objetivo
Compreender a gênese de
aquíferos de condutos e
cavernas em rochas
carbonáticas
Conteúdo
• Conceitos de carste e espeleogênese
• Fatores condicionantes da espeleogênese
• Processos espeleogenéticos
• Química de dissolução e deposição em carste
• Padrões de desenvolvimento de cavernas
• Processos de formação de espeleotemas
• Espeleogênese hipogênica
• Espeleogênese costeira (zona de mistura)
Conceitos
• Carste
▪ Sistema contendo cavernas e sistemas
subterrâneos de circulação de água, desenvolvido
em rochas solúveis, como calcário, mármore e
gipsita.
• Espeleogênese
▪ Conjunto de processos que afeta a origem e o
desenvolvimento das cavernas.
Ford, Derek, and Paul D. Williams. Karst hydrogeology and geomorphology. John Wiley & Sons, 2007.
Bôgli, A. Neue Anschaungen uber die Rolle von Schifchtfugen and Kluften in der Kasrthydrographischen Entwicklung.
Geologische Rundschau, v. 58, p. 395-408, 1969.
Conteúdo
• Conceitos de carste e espeleogênese
• Fatores condicionantes da espeleogênese
• Processos espeleogenéticos
• Química de dissolução e deposição em carste
• Padrões de desenvolvimento de cavernas
• Processos de formação de espeleotemas
• Espeleogênese hipogênica
• Espeleogênese costeira (zona de mistura)
Principais afloramentos de rochas cársticas no Mundo
Chen Z., Auler A., Bakalowicz M., Drew D., Griger F., Hartmann J., Jiang G., Moosdorf N., Richts A., Stevanovic Z., Veni G.,& Goldscheider N. 2017
The World Karst Aquifer Mapping Project – Concept, Mapping Procedure and Map of Europe. Hydrogeology Journal, 25, 771-785.
Carbonato contínuo
Carbonato descontínuo
Evaporitos contínuos
Evaporitos descontínuos
Misto de carbonatos e evaporitos
Mas só 7-10%
desses
afloramentos
apresentam
espeleogênese.
Por quê?
Condições para o desenvolvimento cárstico
• Rocha solúvel
▪ Normalmente calcário e dolomito
▪ Raramente por evaporitos
▪ Em casos extremos, arenitos e quartzitos
• Propriedades físicas da rocha
▪ Bem litificada para reduzir pososidade e permeabilidade primária
▪ Diáclases (porosidade secundária) e condutos (porosidade terciária)
para escoamento subterrâneo e progressivo alargamento
• Geomorfologia
▪ Desníveis para energia do escoamento
▪ Favorecido por soerguimentos tectônicos
• Clima (solvente = água + ácido)
▪ Quanto mais chuva, maior o desenvolvimento do carste
▪ Pouca espeleogênese em desertos (frios ou quentes)
• Atividade biológica (CO2 da matéria orgânica)
Suguio, K. Geologia do quaternário e mudanças ambientais. Oficina de textos, 2010.
Denudação
Química
(mm/ka
Precipitação – Evapotranspiração (mm/a)
Ford, Derek, and Paul D.
Williams. Karst hydrogeology
and geomorphology. John
Wiley & Sons, 2007.
Jansen, D. C., Cavalcanti, L. F.,
& Lamblém, H. S. (2012).
Mapa de potencialidade de
ocorrência de cavernas no
Brasil, na escala 1: 2.500. 000.
Revista Brasileira de
Espeleologia, 2(1), 42-57.
Potencialidade
de ocorrência
de cavernas
Conteúdo
• Conceitos de carste e espeleogênese
• Fatores condicionantes da espeleogênese
• Processos espeleogenéticos
• Química de dissolução e deposição em carste
• Padrões de desenvolvimento de cavernas
• Processos de formação de espeleotemas
• Espeleogênese hipogênica
• Espeleogênese costeira (zona de mistura)
Processos de origem de cavernas carbonáticas
• Corrosão (dissolução química)
▪ H2CO3 (ácidos carbônicos) pela dissolução do CO2
▪ H2SO4 (ácido sulfúrico), por depósitos em rochas carbonáticas
▪ Dominante nas fases iniciais da espeleogênese
▪ Segue diáclases e planos de estratificação
• Erosão (remoção física)
▪ Especialmente quando são atravessadas por rios alogênicos
de maior vazão, em particular durante tempestades
• Colapso (abatimento gravitacional)
▪ Gera grandes salões
Erosão e colapso passam a ser gradativamente mais
relevantes em carste mais desenvolvido
Suguio, K. Geologia do quaternário e mudanças ambientais. Oficina de textos, 2010.
GROTZINGER, John; JORDAN, Tom. Para Entender a Terra. Bookman Editora, 2013.
Sistemas Cársticos Maduros
Andares dos cânions cársticos de Minerve, França
Erosão por remoção física
Audra, P., & Palmer, A. N. (2011). The pattern of caves: controls of epigenic speleogenesis.
Géomorphologie: relief, processus, environnement, 17(4), 359-378.
Clearwater River Passage - Clearwater Cave (Sarawak, Malaisie)
Estágio intermediário
Colapso
de teto
Colapso
de teto
Drenagem
superficial
Rocha
impermeável
Torres
cársticas
Estágio maduro Estágio senil
Torres cársticas
Conteúdo
• Conceitos de carste e espeleogênese
• Fatores condicionantes da espeleogênese
• Processos espeleogenéticos
• Química de dissolução e deposição em carste
• Padrões de desenvolvimento de cavernas
• Processos de formação de espeleotemas
• Espeleogênese hipogênica
• Espeleogênese costeira (zona de mistura)
Bradley, Raymond S. Paleoclimatology: reconstructing climates of the Quaternary. Elsevier, 2015
Chuva
Atmosfera e
solo
Rocha
carbonática
Dissolução:
Espeleotemas
Precipitação:
Nível freático
Fraturas – fluxo
lento a rápido
Dutos – fluxo
rápido
Solubilidade de
calcita e
aragonita em
função da
pressão de CO2.
Ao passar
pelo solo
com matéria
orgânica
Atmosfera
da caverna
Aragonita
Calcita
Aragonita
Calcita
Concentração
de
CaCO
3
(mg/L)
White, William B. Cave sediments and
paleoclimate. Journal of Cave and Karst
Studies, v. 69, no. 1, p. 76–93, 2007.
Conteúdo
• Conceitos de carste e espeleogênese
• Fatores condicionantes da espeleogênese
• Processos espeleogenéticos
• Química de dissolução e deposição em carste
• Padrões de desenvolvimento de cavernas
• Processos de formação de espeleotemas
• Espeleogênese hipogênica
• Espeleogênese costeira (zona de mistura)
Ford, Derek C. "Perspectives in
karst hydrogeology and cavern
genesis." In Karst Modeling:
Special Publication 5, pp. 17-29.
The Karst Waters Institute
Charles Town, West Virginia
(USA), 1999.
• Carbonato mais poroso
(jovem - eogenético)
• Carste de domos
salinos
Algumas cavernas
epigênicas + hipogênicas
Nas
cente
Nascente
Nascente
Ford, Derek C.
"Perspectives in karst
hydrogeology and
cavern genesis." In
Karst Modeling:
Special Publication 5,
pp. 17-29. The Karst
Waters Institute
Charles Town, West
Virginia (USA), 1999.
Dutos por falhas preferenciais
Dutos controlados por nível freático
Combinação de controle por fraturas e nível freático
Ford, Derek, and Paul D. Williams. Karst hydrogeology and geomorphology. John Wiley & Sons, 2007.
Entrincheiramento
Desvio
Entupimento
Desvio (bypass)
Audra, P., & Palmer, A. N. (2011). The pattern of caves: controls of epigenic speleogenesis.
Géomorphologie: relief, processus, environnement, 17(4), 359-378.
Passagens
Epifreáticas
Nascente
antiga
Aprofundamento
de canal
Rio
Nascente
Tubo freático ativo
nível freático
atual
nível freático anterior
Passagens
vadosas
tubos
epicarste
dolina
sumidouro
Zona de recarga
cânions
The Boundoualou
Cave, France.
Audra, P., & Palmer, A. N. (2011). The
pattern of caves: controls of epigenic
speleogenesis. Géomorphologie: relief,
processus, environnement, 17(4), 359-378.
1ª nascente
2ª nascente
3ª nascente
Camada é mais antiga que o carste
Camada é contemporânea ao carste
Unidade carstificável
Formação subjacente
Enterramento
sem
espeleogênese
observável
Herança
limitada
ou
nula
Subjacente
Assentado em
profundidade
Entrincheirado
Subsidência
Estágio
mesogênico
Estágio
teleogênico
Soerguimento
Aberto
Coberto por
manto
Carste exposto
Singenético / eogenético
Denudado
Carste
intra-estratos
Enterrado
Exumado
Estágio
Éogênico
Klimchouk, A., Ford, D.C., Palmer, A.N., Dreybrodt, W. 2000.
(Eds.), Speleogenesis: Evolution of Karst Aquifers. National
Speleological Society, Huntsville, pp. 45–53.
Ford, Derek C. "Perspectives in karst hydrogeology and cavern genesis." In Karst Modeling: Special Publication 5, pp. 17-29. The Karst Waters Institute Charles Town, West Virginia (USA), 1999.
Tipo de Recarga
Dolinas
Rios
infiltrantes
Abaixo de
aquífero poroso
Porosidade
predominante
Fraturas
Intergranular
(poroso)
Acamamentos
Passagens
angulares
Passagens
curvas
Espongiforme
Espongiforme
rudimentar
Ramificações
rudimentares
Rede de
fissuras irregulares Rede de fissuras
Anastomosado
Abismos e cânions
entre camadas
Audra, P., & Palmer, A. N. (2011). The
pattern of caves: controls of epigenic
speleogenesis. Géomorphologie:
relief, processus, environnement,
17(4), 359-378.
Padrões de
cavernas
epigênicas
Dendrítico Anastomosado
Rede Esponja
Padrões de
cavernas
epigênicas
(a)Crevice Cave,
Missouri
(b)Crossroads Cave,
Virginia
(c)Holoch, Suíça
(d) Carlsbad Cavern,
Novo México
Palmer, A. N. (1999).
Patterns of dissolution
porosity in carbonate rocks.
Karst modeling: The Karst
Waters Institute Special
Publication, 5, 71-78.
Dentrítico Anastomosado
Rede Espongiforme
Dissolução de calcário com porosidade primária
(Crimeia, Ucrânia).
Klimchouk, A.B., 2013. Hypogene speleogenesis. In: Shroder, J. (Editor in Chief), Frumkin, A. (Ed.),
Treatise on Geomorphology. Academic Press, San Diego, CA, vol. 6, Karst Geomorphology, pp. 220–240
Audra, P., & Palmer, A. N.
(2011). The pattern of
caves: controls of epigenic
speleogenesis.
Géomorphologie: relief,
processus, environnement,
17(4), 359-378.
Aquiclude
Sotoposto
(rocha insolúvel
e impermeável)
Zona
vadosa
Nível de
Base
Nascente
suspensa
Conteúdo
• Conceitos de carste e espeleogênese
• Fatores condicionantes da espeleogênese
• Processos espeleogenéticos
• Química de dissolução e deposição em carste
• Padrões de desenvolvimento de cavernas
• Processos de formação de espeleotemas
• Espeleogênese hipogênica
• Espeleogênese costeira (zona de mistura)
Espeleotemas
• Minerais:
▪ Calcita (predominante) com a aragonita, formam 95%
dos minerais nos espeleotemas.
▪ Secundários: evaporitos (principalmente sulfatos e
haletos), fosfatos, nitratos, óxidos, hidróxidos e
silicatos.
• Tipos:
▪ Formas de gotejamento (dripstones) e de escoamento
(flow-stones)
▪ Formas erráticas
▪ Formas subaquáticas
White, W.B. Cave Minerals and Speleothems. In: Ford, T. D.; Cullingford, C. H. D. (Eds.) The
Science of speleology. Londres: Academic Press., 1976, p. 267-327)
http://www.goodearthgraphics.com/virtcave/staltite/staltite.html
Estalactite
Calcita se deposita no teto, ao pingar
https://www.infoescola.com/geologia/estalagmites/
Estalagmite
Calcita se deposita no chão, ao pingar
Foto: Dumitrescu Ciprian-Florin
http://www.goodearthgraphics.com/virtcave/column/column.html
Colunas
Quando uma estalactite encontra uma estalagmite
https://en.wikipedia.org/wiki/Soda_straw#/media/File:Gardeners_Guts_Speleothem_Straws.jpg
https://en.wikipedia.org/wiki/Soda_straw#/media/File:Rats-Nest-straw.jpg
Canudos de refrigerante
Estalactites ocas
https://www.electricalelibrary.com/2020/04/27/o-que-sao-espeleotemas/
Cortinas
A gota escorre pela parede inclinada
Helictites
Gotejamento lento, deixando vento, capilaridade ou bactérias
atuarem na deposição até evaporar em vez de cair
http://www.goodearthgraphics.com/virtcave/helictit/helictit.html
Flores
Espeleotemas de gesso, enxofre ou sal, crescem lateralmente
https://www.electricalelibrary.com/2020/04/27/o-que-sao-espeleotemas/
Caixas de papelão
Água desce pelas rachaduras no teto
https://www.electricalelibrary.com/2020/04/27/o-que-sao-espeleotemas/
http://www.goodearthgraphics.com/virtcave/conulite/conulite.html
Cálices (Conulitos)
A gota respinga com força ao cair
http://www.goodearthgraphics.com/virtcave/splattermites/splatter.html
Estalagmite de “splash”
Estalagmite em cavernas com teto alto, faz a gota
respingar antes de depositar a calcita
Copa de Sinos
Escorrimento das gotas sobre uma estalagmite
http://www.goodearthgraphics.com/virtcave/bellcan/bellcan.html
http://www.goodearthgraphics.com/virtcave/flowstone/flowstone.html
Pedras de fluxo
Deposição ao correr água na parte inferior da parede
https://www.electricalelibrary.com/2020/04/27/o-que-sao-espeleotemas/
Couve flor ou pipoca (botroidais)
A gota respinga ao cair em uma superfície molhada
Pérolas
Água demais pingando, não deixa formar estalagmite, e a
água vai polindo as esferas ao movê-las
http://www.goodearthgraphics.com/virtcave/pearls/pearls.html
Leite de lua
Bactérias fixam calcário e magnésio que escorre nas paredes
inclinadas
https://en.wikipedia.org/wiki/Moonmilk#/media/File:Bergmilchkammer_04.jpg
Balões
Bactérias fixam calcário que sai de rachaduras
http://www.goodearthgraphics.com/virtcave/balloons/balloon.html
Plataformas
Calcificação da água que escorre para beira de lagos nas cavernas
https://en.wikipedia.org/wiki/Shelfstone#/media/File:Shelfstone2.jpg
http://www.goodearthgraphics.com/virtcave/shelfst/shelf.html
Travertinos e botes (rafts)
Formação de barreiras com poços em áreas calcáreas
http://www.goodearthgraphics.com/virtcave/rafts/rafts.html
Triângulos
Deposição da calcita em lagoas sazonais
http://www.goodearthgraphics.com/virtcave/triangles/triangles.html
http://www.goodearthgraphics.com/virtcave/bottlebr/bottlebr.html
Clavas, castiçais
Quando uma estalactite fica submersa por algum tempo
Mamilos
Calcificação no teto de cavernas submersas
http://www.goodearthgraphics.com/virtcave/clouds/clouds.html
Sinos do inferno
Formado em cavernas submersas, pela ação de bactérias
https://en.wikipedia.org/wiki/Hells_Bells_(cave_formations)#/media/File:Hells_Bells-
Conteúdo
• Conceitos de carste e espeleogênese
• Fatores condicionantes da espeleogênese
• Processos espeleogenéticos
• Química de dissolução e deposição em carste
• Padrões de desenvolvimento de cavernas
• Processos de formação de espeleotemas
• Espeleogênese hipogênica
• Espeleogênese costeira (zona de mistura)
Úmido
Carste hipogênico
Dissolução superficial<< dissolução subterrânea
Desenvolvimento
do
carste
Semiárido
Árido
Taxa
de
denudação
0 500 1000 1500 2000 2500 3000
Precipitação (mm/ano)
Auler, A.S., Smart, P.L., 2003. The influence of bedrock-derived acidity in the development
of surface and underground karst: evidence from the Precambrian carbonates of semi-arid
Northeastern Brasil. Earth Surface Processes and Landforms 28, 157–168
Klimchouk, A.B., 2013.
Hypogene
speleogenesis. In:
Shroder, J. (Editor in
Chief), Frumkin, A.
(Ed.), Treatise on
Geomorphology.
Academic Press, San
Diego, CA, vol. 6,
Karst Geomorphology,
pp. 220–240
Klimchouk, A.B., 2013. Hypogene
speleogenesis. In: Shroder, J. (Editor in
Chief), Frumkin, A. (Ed.), Treatise on
Geomorphology. Academic Press, San
Diego, CA, vol. 6, Karst
Geomorphology, pp. 220–240
Recarga
Descarga
Camada confinante
Aquífero superior
Cúpula do domo
Arco de subida
Teto
Master passage
Meio tubo
Convecção livre
Convecção forçada
Klimchouk, A.B., 2013. Hypogene speleogenesis. In: Shroder, J. (Editor in Chief), Frumkin, A. (Ed.), Treatise
on Geomorphology. Academic Press, San Diego, CA, vol. 6, Karst Geomorphology, pp. 220–240
Cavernas hipogenéticas
Slavka Cave, Ukraine (Miocene gypsum)
Klimchouk, A. (2009).
Morphogenesis of
hypogenic caves.
Geomorphology,
106(1-2), 100-117
Conteúdo
• Conceitos de carste e espeleogênese
• Fatores condicionantes da espeleogênese
• Processos espeleogenéticos
• Química de dissolução e deposição em carste
• Padrões de desenvolvimento de cavernas
• Processos de formação de espeleotemas
• Espeleogênese hipogênica
• Espeleogênese costeira (zona de mistura)
Snapper Point sea cave, Australia
https://www.riparide.com/adventures/24682-snapper-point-sea-cave
Processos de espeleogênese costeira de
zonas de mistura
Gulley, J. D., Martin, J. B., Moore, P. J., & Murphy, J. (2013). Formation of phreatic caves in an
eogenetic karst aquifer by CO2 enrichment at lower water tables and subsequent flooding by
sea level rise. Earth Surface Processes and Landforms, 38(11), 1210-1224.
Zona vadosa
nível freático
caverna
Água doce
Água salgada subterrânea
caverna
oceano
Gulley, J. D., Martin, J. B., Moore, P. J., & Murphy, J. (2013). Formation of phreatic caves in an
eogenetic karst aquifer by CO2 enrichment at lower water tables and subsequent flooding by
sea level rise. Earth Surface Processes and Landforms, 38(11), 1210-1224.
caverna
nível freático
nível freático
caverna
Período glacial
Período interglacial
oceano
Aumento
no nível
do mar
oceano
Progradação
Nível do mar sobe
Nível do mar desce
Nível 1
Nível 2
Nível 2
Nível 3
Monroy-Ríos E (2017) Speleogenesis: How were caves and cenotes formed?
Karst Geochemistry and Hydrogeology, 2017.
Buracos azuis (blue holes)
(a) Dean’s Blue Hole, Long
Island, Bahamas, contectado ao
mar, 200 metros de profundidade
. (b) Watling’s Blue Hole, San
Salvador Island, Bahamas,
isolado do oceano
Mylroie, John E. "Coastal karst development in carbonate rocks." Coastal karst landforms
(2013): 77-109.
Abismo Dolina Buraco
azul
Buraco
azul
Nível
do
mar
Nível
do
mar
Mylroie, John E. "Coastal karst development in carbonate rocks." Coastal karst landforms (2013): 77-109.
Subida do teto
por colapso
Buraco
azul
Nível
do
mar
Nível
do
mar
Reflexão final
Geodiversidade da espeleogênese
• Suporte para biodiversidade
• Abastecimento de água subterrânea
• Registro da história humana, biológica e geológica
• Interação entre seres humanos e natureza
▪ Estético
▪ Cultural
▪ Religioso
▪ Abrigo

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a Espeleogênese

A medida do tempo geológico e a idade da terra
A medida do tempo geológico e a idade da terraA medida do tempo geológico e a idade da terra
A medida do tempo geológico e a idade da terra
Rita Pereira
 
Ficha informativa 1 que explicações para a extinção dos dinossauros
Ficha informativa 1   que explicações para a extinção dos dinossaurosFicha informativa 1   que explicações para a extinção dos dinossauros
Ficha informativa 1 que explicações para a extinção dos dinossauros
Maria Matias
 
6ano grupo 04 atividade 20
6ano grupo 04 atividade 206ano grupo 04 atividade 20
6ano grupo 04 atividade 20
Joao Paulo
 
6ano grupo 04 atividade 20
6ano grupo 04 atividade 206ano grupo 04 atividade 20
6ano grupo 04 atividade 20
Joao Paulo
 
6ano grupo 04 atividade 20
6ano grupo 04 atividade 206ano grupo 04 atividade 20
6ano grupo 04 atividade 20
Joao Paulo
 
11666003 120219155646-phpapp01
11666003 120219155646-phpapp0111666003 120219155646-phpapp01
11666003 120219155646-phpapp01
Zé Mendes
 
Teste de Geologia (1º Período 2º Teste) Soluções
Teste de Geologia (1º Período 2º Teste) SoluçõesTeste de Geologia (1º Período 2º Teste) Soluções
Teste de Geologia (1º Período 2º Teste) Soluções
Isaura Mourão
 
MudançAs Climaticas E ComunicaçãO
MudançAs Climaticas E ComunicaçãOMudançAs Climaticas E ComunicaçãO
MudançAs Climaticas E ComunicaçãO
Filipa M. Ribeiro
 
Geo 10 rochas sedimentares - arquivos históricos da terra
Geo 10   rochas sedimentares - arquivos históricos da terraGeo 10   rochas sedimentares - arquivos históricos da terra
Geo 10 rochas sedimentares - arquivos históricos da terra
Nuno Correia
 
Geo 10 rochas sedimentares - arquivos históricos da terra
Geo 10   rochas sedimentares - arquivos históricos da terraGeo 10   rochas sedimentares - arquivos históricos da terra
Geo 10 rochas sedimentares - arquivos históricos da terra
Nuno Correia
 

Semelhante a Espeleogênese (20)

A medida do tempo geológico e a idade da terra
A medida do tempo geológico e a idade da terraA medida do tempo geológico e a idade da terra
A medida do tempo geológico e a idade da terra
 
Planeta terra Turmas (11 e 12)
Planeta terra Turmas (11 e 12)Planeta terra Turmas (11 e 12)
Planeta terra Turmas (11 e 12)
 
Processos Endogeneticos Na Formacao Do Relevo II
Processos Endogeneticos Na Formacao Do Relevo IIProcessos Endogeneticos Na Formacao Do Relevo II
Processos Endogeneticos Na Formacao Do Relevo II
 
Ficha informativa 1 que explicações para a extinção dos dinossauros
Ficha informativa 1   que explicações para a extinção dos dinossaurosFicha informativa 1   que explicações para a extinção dos dinossauros
Ficha informativa 1 que explicações para a extinção dos dinossauros
 
6ano grupo 04 atividade 20
6ano grupo 04 atividade 206ano grupo 04 atividade 20
6ano grupo 04 atividade 20
 
6ano grupo 04 atividade 20
6ano grupo 04 atividade 206ano grupo 04 atividade 20
6ano grupo 04 atividade 20
 
6ano grupo 04 atividade 20
6ano grupo 04 atividade 206ano grupo 04 atividade 20
6ano grupo 04 atividade 20
 
Sagrada familia 1 ano resolução de atividades
Sagrada familia 1 ano resolução de atividadesSagrada familia 1 ano resolução de atividades
Sagrada familia 1 ano resolução de atividades
 
11666003 120219155646-phpapp01
11666003 120219155646-phpapp0111666003 120219155646-phpapp01
11666003 120219155646-phpapp01
 
Teste de Geologia (1º Período 2º Teste) Soluções
Teste de Geologia (1º Período 2º Teste) SoluçõesTeste de Geologia (1º Período 2º Teste) Soluções
Teste de Geologia (1º Período 2º Teste) Soluções
 
Ciclo das rochas
Ciclo das rochasCiclo das rochas
Ciclo das rochas
 
Conteúdo programático sedimetologia_avancad
Conteúdo programático sedimetologia_avancadConteúdo programático sedimetologia_avancad
Conteúdo programático sedimetologia_avancad
 
P8. GRANDES QUESTÕES SOBRE O TEMPO 2
P8. GRANDES QUESTÕES SOBRE O TEMPO 2P8. GRANDES QUESTÕES SOBRE O TEMPO 2
P8. GRANDES QUESTÕES SOBRE O TEMPO 2
 
O trabalho de Geografia.pptx
O trabalho de Geografia.pptxO trabalho de Geografia.pptx
O trabalho de Geografia.pptx
 
MudançAs Climaticas E ComunicaçãO
MudançAs Climaticas E ComunicaçãOMudançAs Climaticas E ComunicaçãO
MudançAs Climaticas E ComunicaçãO
 
Geo 10 rochas sedimentares - arquivos históricos da terra
Geo 10   rochas sedimentares - arquivos históricos da terraGeo 10   rochas sedimentares - arquivos históricos da terra
Geo 10 rochas sedimentares - arquivos históricos da terra
 
Geo 10 rochas sedimentares - arquivos históricos da terra
Geo 10   rochas sedimentares - arquivos históricos da terraGeo 10   rochas sedimentares - arquivos históricos da terra
Geo 10 rochas sedimentares - arquivos históricos da terra
 
BIOL_11_Aula1_20abril.pdf
BIOL_11_Aula1_20abril.pdfBIOL_11_Aula1_20abril.pdf
BIOL_11_Aula1_20abril.pdf
 
62 Arquivos históricos da Terra.pptx
62 Arquivos históricos da Terra.pptx62 Arquivos históricos da Terra.pptx
62 Arquivos históricos da Terra.pptx
 
Bg11 teste 5
Bg11 teste 5Bg11 teste 5
Bg11 teste 5
 

Mais de Vitor Vieira Vasconcelos

Mais de Vitor Vieira Vasconcelos (20)

Dados espaciais em R - 2023 - UFABC - Geoprocessamento
Dados espaciais em R - 2023 - UFABC - GeoprocessamentoDados espaciais em R - 2023 - UFABC - Geoprocessamento
Dados espaciais em R - 2023 - UFABC - Geoprocessamento
 
Geocodificação de endereços, roteirização e geotagging no QGis
Geocodificação de endereços, roteirização e geotagging no QGisGeocodificação de endereços, roteirização e geotagging no QGis
Geocodificação de endereços, roteirização e geotagging no QGis
 
Acesso e aquisição de bases de imagens de satélite gratuitas
Acesso e aquisição de bases de imagens de satélite gratuitasAcesso e aquisição de bases de imagens de satélite gratuitas
Acesso e aquisição de bases de imagens de satélite gratuitas
 
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISPrática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
 
Integração entre Biodiversidade, Geodiversidade e Paisagem - Estudos de Caso ...
Integração entre Biodiversidade, Geodiversidade e Paisagem - Estudos de Caso ...Integração entre Biodiversidade, Geodiversidade e Paisagem - Estudos de Caso ...
Integração entre Biodiversidade, Geodiversidade e Paisagem - Estudos de Caso ...
 
Sensoriamento remoto - Introdução - 2024
Sensoriamento remoto - Introdução - 2024Sensoriamento remoto - Introdução - 2024
Sensoriamento remoto - Introdução - 2024
 
Anáise espacial baseada em distância - Prática no QGis - 2024
Anáise espacial baseada em distância - Prática no QGis  - 2024Anáise espacial baseada em distância - Prática no QGis  - 2024
Anáise espacial baseada em distância - Prática no QGis - 2024
 
Análise Espacial baseada em Localização - Prática no QGis - 2024
Análise Espacial baseada em Localização - Prática no QGis - 2024Análise Espacial baseada em Localização - Prática no QGis - 2024
Análise Espacial baseada em Localização - Prática no QGis - 2024
 
Escalas, Resolução: Conceitos e aplicações
Escalas, Resolução: Conceitos e aplicaçõesEscalas, Resolução: Conceitos e aplicações
Escalas, Resolução: Conceitos e aplicações
 
Sistemas de Coordenadas e Projeções Cartográficas
Sistemas de Coordenadas e Projeções CartográficasSistemas de Coordenadas e Projeções Cartográficas
Sistemas de Coordenadas e Projeções Cartográficas
 
Atividade prática - Introdução ao QGis - parte 2
Atividade prática - Introdução ao QGis - parte 2Atividade prática - Introdução ao QGis - parte 2
Atividade prática - Introdução ao QGis - parte 2
 
Atividade prática - Introdução ao QGis, parte 1
Atividade prática - Introdução ao QGis, parte 1Atividade prática - Introdução ao QGis, parte 1
Atividade prática - Introdução ao QGis, parte 1
 
Introdução à Cartografia e Geoprocessamento - Conceitos Básicos
Introdução à Cartografia e Geoprocessamento - Conceitos  BásicosIntrodução à Cartografia e Geoprocessamento - Conceitos  Básicos
Introdução à Cartografia e Geoprocessamento - Conceitos Básicos
 
Representação Computacional do Espaço (Geoprocessamento)
Representação Computacional do Espaço (Geoprocessamento)Representação Computacional do Espaço (Geoprocessamento)
Representação Computacional do Espaço (Geoprocessamento)
 
Relações entre espécies e características ambientais - Prática de modelagem d...
Relações entre espécies e características ambientais - Prática de modelagem d...Relações entre espécies e características ambientais - Prática de modelagem d...
Relações entre espécies e características ambientais - Prática de modelagem d...
 
Planejamento Sistemático de Conservação - Prática com o Marxan
Planejamento Sistemático de Conservação - Prática com o MarxanPlanejamento Sistemático de Conservação - Prática com o Marxan
Planejamento Sistemático de Conservação - Prática com o Marxan
 
Atividade prática de Biodiversidade e Agrodiversidade no R
Atividade prática de Biodiversidade e Agrodiversidade no RAtividade prática de Biodiversidade e Agrodiversidade no R
Atividade prática de Biodiversidade e Agrodiversidade no R
 
Diversidade - Biodiversidade, Agrodiversidade, Sociodiversidade, Geodiversidade
Diversidade - Biodiversidade, Agrodiversidade, Sociodiversidade, GeodiversidadeDiversidade - Biodiversidade, Agrodiversidade, Sociodiversidade, Geodiversidade
Diversidade - Biodiversidade, Agrodiversidade, Sociodiversidade, Geodiversidade
 
Geotecnologias avançadas - Estudos de Caso
Geotecnologias avançadas - Estudos de CasoGeotecnologias avançadas - Estudos de Caso
Geotecnologias avançadas - Estudos de Caso
 
Geotecnologias e cartografia social
Geotecnologias e cartografia socialGeotecnologias e cartografia social
Geotecnologias e cartografia social
 

Último

RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdf
RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdfRELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdf
RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdf
HELLEN CRISTINA
 
PLANO DE ENSINO Disciplina- Projeto Integrado I – GESTÃO.pdf
PLANO DE ENSINO Disciplina- Projeto Integrado I – GESTÃO.pdfPLANO DE ENSINO Disciplina- Projeto Integrado I – GESTÃO.pdf
PLANO DE ENSINO Disciplina- Projeto Integrado I – GESTÃO.pdf
HELLEN CRISTINA
 

Último (13)

32ª_Reunião Ordinária_Conselho Nacional_2023.pptx
32ª_Reunião Ordinária_Conselho Nacional_2023.pptx32ª_Reunião Ordinária_Conselho Nacional_2023.pptx
32ª_Reunião Ordinária_Conselho Nacional_2023.pptx
 
Área de Proteção Ambiental Jenipabu 32º Encontro Nacional da RBMA
Área de Proteção Ambiental Jenipabu 32º Encontro Nacional da RBMAÁrea de Proteção Ambiental Jenipabu 32º Encontro Nacional da RBMA
Área de Proteção Ambiental Jenipabu 32º Encontro Nacional da RBMA
 
RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdf
RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdfRELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdf
RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdf
 
A maravilhosa fauna registrada nos empreendimentos da Enel Green Power no Bra...
A maravilhosa fauna registrada nos empreendimentos da Enel Green Power no Bra...A maravilhosa fauna registrada nos empreendimentos da Enel Green Power no Bra...
A maravilhosa fauna registrada nos empreendimentos da Enel Green Power no Bra...
 
MICRONUTRIENTES NO SOLO E NA PLANTA Aline Castro
MICRONUTRIENTES NO SOLO E NA PLANTA Aline CastroMICRONUTRIENTES NO SOLO E NA PLANTA Aline Castro
MICRONUTRIENTES NO SOLO E NA PLANTA Aline Castro
 
ARIE SITIO CURIÓ 32º Encontro Nacional RBMA_
ARIE SITIO CURIÓ 32º Encontro Nacional RBMA_ARIE SITIO CURIÓ 32º Encontro Nacional RBMA_
ARIE SITIO CURIÓ 32º Encontro Nacional RBMA_
 
CEARÁ MAIS VERDE Fernando Bezerra .pptx
CEARÁ MAIS VERDE Fernando Bezerra .pptxCEARÁ MAIS VERDE Fernando Bezerra .pptx
CEARÁ MAIS VERDE Fernando Bezerra .pptx
 
Fazenda Bicho Preguiça - BA proposta posto avançado .pdf
Fazenda Bicho Preguiça - BA proposta posto avançado .pdfFazenda Bicho Preguiça - BA proposta posto avançado .pdf
Fazenda Bicho Preguiça - BA proposta posto avançado .pdf
 
Aruá final RBMA Conectando Pessoas e Floresta RBMA.pdf
Aruá final RBMA Conectando Pessoas e Floresta  RBMA.pdfAruá final RBMA Conectando Pessoas e Floresta  RBMA.pdf
Aruá final RBMA Conectando Pessoas e Floresta RBMA.pdf
 
apresentação Cajueiro_32º Encontro Nacional da RBMA.pptx
apresentação Cajueiro_32º Encontro Nacional da RBMA.pptxapresentação Cajueiro_32º Encontro Nacional da RBMA.pptx
apresentação Cajueiro_32º Encontro Nacional da RBMA.pptx
 
SEDE DO PARQUE ESTADUAL MATA DA PIPA - PEMP
SEDE DO PARQUE ESTADUAL MATA DA PIPA - PEMPSEDE DO PARQUE ESTADUAL MATA DA PIPA - PEMP
SEDE DO PARQUE ESTADUAL MATA DA PIPA - PEMP
 
Apresentação Tekoa Yvy Porã 32 CN - Natal 2023.pdf
Apresentação Tekoa Yvy Porã 32 CN - Natal 2023.pdfApresentação Tekoa Yvy Porã 32 CN - Natal 2023.pdf
Apresentação Tekoa Yvy Porã 32 CN - Natal 2023.pdf
 
PLANO DE ENSINO Disciplina- Projeto Integrado I – GESTÃO.pdf
PLANO DE ENSINO Disciplina- Projeto Integrado I – GESTÃO.pdfPLANO DE ENSINO Disciplina- Projeto Integrado I – GESTÃO.pdf
PLANO DE ENSINO Disciplina- Projeto Integrado I – GESTÃO.pdf
 

Espeleogênese

  • 2. Objetivo Compreender a gênese de aquíferos de condutos e cavernas em rochas carbonáticas
  • 3. Conteúdo • Conceitos de carste e espeleogênese • Fatores condicionantes da espeleogênese • Processos espeleogenéticos • Química de dissolução e deposição em carste • Padrões de desenvolvimento de cavernas • Processos de formação de espeleotemas • Espeleogênese hipogênica • Espeleogênese costeira (zona de mistura)
  • 4. Conceitos • Carste ▪ Sistema contendo cavernas e sistemas subterrâneos de circulação de água, desenvolvido em rochas solúveis, como calcário, mármore e gipsita. • Espeleogênese ▪ Conjunto de processos que afeta a origem e o desenvolvimento das cavernas. Ford, Derek, and Paul D. Williams. Karst hydrogeology and geomorphology. John Wiley & Sons, 2007. Bôgli, A. Neue Anschaungen uber die Rolle von Schifchtfugen and Kluften in der Kasrthydrographischen Entwicklung. Geologische Rundschau, v. 58, p. 395-408, 1969.
  • 5. Conteúdo • Conceitos de carste e espeleogênese • Fatores condicionantes da espeleogênese • Processos espeleogenéticos • Química de dissolução e deposição em carste • Padrões de desenvolvimento de cavernas • Processos de formação de espeleotemas • Espeleogênese hipogênica • Espeleogênese costeira (zona de mistura)
  • 6. Principais afloramentos de rochas cársticas no Mundo Chen Z., Auler A., Bakalowicz M., Drew D., Griger F., Hartmann J., Jiang G., Moosdorf N., Richts A., Stevanovic Z., Veni G.,& Goldscheider N. 2017 The World Karst Aquifer Mapping Project – Concept, Mapping Procedure and Map of Europe. Hydrogeology Journal, 25, 771-785. Carbonato contínuo Carbonato descontínuo Evaporitos contínuos Evaporitos descontínuos Misto de carbonatos e evaporitos Mas só 7-10% desses afloramentos apresentam espeleogênese. Por quê?
  • 7. Condições para o desenvolvimento cárstico • Rocha solúvel ▪ Normalmente calcário e dolomito ▪ Raramente por evaporitos ▪ Em casos extremos, arenitos e quartzitos • Propriedades físicas da rocha ▪ Bem litificada para reduzir pososidade e permeabilidade primária ▪ Diáclases (porosidade secundária) e condutos (porosidade terciária) para escoamento subterrâneo e progressivo alargamento • Geomorfologia ▪ Desníveis para energia do escoamento ▪ Favorecido por soerguimentos tectônicos • Clima (solvente = água + ácido) ▪ Quanto mais chuva, maior o desenvolvimento do carste ▪ Pouca espeleogênese em desertos (frios ou quentes) • Atividade biológica (CO2 da matéria orgânica) Suguio, K. Geologia do quaternário e mudanças ambientais. Oficina de textos, 2010.
  • 8. Denudação Química (mm/ka Precipitação – Evapotranspiração (mm/a) Ford, Derek, and Paul D. Williams. Karst hydrogeology and geomorphology. John Wiley & Sons, 2007.
  • 9. Jansen, D. C., Cavalcanti, L. F., & Lamblém, H. S. (2012). Mapa de potencialidade de ocorrência de cavernas no Brasil, na escala 1: 2.500. 000. Revista Brasileira de Espeleologia, 2(1), 42-57. Potencialidade de ocorrência de cavernas
  • 10. Conteúdo • Conceitos de carste e espeleogênese • Fatores condicionantes da espeleogênese • Processos espeleogenéticos • Química de dissolução e deposição em carste • Padrões de desenvolvimento de cavernas • Processos de formação de espeleotemas • Espeleogênese hipogênica • Espeleogênese costeira (zona de mistura)
  • 11. Processos de origem de cavernas carbonáticas • Corrosão (dissolução química) ▪ H2CO3 (ácidos carbônicos) pela dissolução do CO2 ▪ H2SO4 (ácido sulfúrico), por depósitos em rochas carbonáticas ▪ Dominante nas fases iniciais da espeleogênese ▪ Segue diáclases e planos de estratificação • Erosão (remoção física) ▪ Especialmente quando são atravessadas por rios alogênicos de maior vazão, em particular durante tempestades • Colapso (abatimento gravitacional) ▪ Gera grandes salões Erosão e colapso passam a ser gradativamente mais relevantes em carste mais desenvolvido Suguio, K. Geologia do quaternário e mudanças ambientais. Oficina de textos, 2010.
  • 12.
  • 13. GROTZINGER, John; JORDAN, Tom. Para Entender a Terra. Bookman Editora, 2013. Sistemas Cársticos Maduros
  • 14. Andares dos cânions cársticos de Minerve, França
  • 15. Erosão por remoção física Audra, P., & Palmer, A. N. (2011). The pattern of caves: controls of epigenic speleogenesis. Géomorphologie: relief, processus, environnement, 17(4), 359-378. Clearwater River Passage - Clearwater Cave (Sarawak, Malaisie)
  • 16. Estágio intermediário Colapso de teto Colapso de teto Drenagem superficial Rocha impermeável Torres cársticas Estágio maduro Estágio senil
  • 18. Conteúdo • Conceitos de carste e espeleogênese • Fatores condicionantes da espeleogênese • Processos espeleogenéticos • Química de dissolução e deposição em carste • Padrões de desenvolvimento de cavernas • Processos de formação de espeleotemas • Espeleogênese hipogênica • Espeleogênese costeira (zona de mistura)
  • 19. Bradley, Raymond S. Paleoclimatology: reconstructing climates of the Quaternary. Elsevier, 2015 Chuva Atmosfera e solo Rocha carbonática Dissolução: Espeleotemas Precipitação: Nível freático Fraturas – fluxo lento a rápido Dutos – fluxo rápido
  • 20. Solubilidade de calcita e aragonita em função da pressão de CO2. Ao passar pelo solo com matéria orgânica Atmosfera da caverna Aragonita Calcita Aragonita Calcita Concentração de CaCO 3 (mg/L) White, William B. Cave sediments and paleoclimate. Journal of Cave and Karst Studies, v. 69, no. 1, p. 76–93, 2007.
  • 21. Conteúdo • Conceitos de carste e espeleogênese • Fatores condicionantes da espeleogênese • Processos espeleogenéticos • Química de dissolução e deposição em carste • Padrões de desenvolvimento de cavernas • Processos de formação de espeleotemas • Espeleogênese hipogênica • Espeleogênese costeira (zona de mistura)
  • 22. Ford, Derek C. "Perspectives in karst hydrogeology and cavern genesis." In Karst Modeling: Special Publication 5, pp. 17-29. The Karst Waters Institute Charles Town, West Virginia (USA), 1999. • Carbonato mais poroso (jovem - eogenético) • Carste de domos salinos Algumas cavernas epigênicas + hipogênicas Nas cente Nascente Nascente
  • 23. Ford, Derek C. "Perspectives in karst hydrogeology and cavern genesis." In Karst Modeling: Special Publication 5, pp. 17-29. The Karst Waters Institute Charles Town, West Virginia (USA), 1999. Dutos por falhas preferenciais Dutos controlados por nível freático Combinação de controle por fraturas e nível freático
  • 24. Ford, Derek, and Paul D. Williams. Karst hydrogeology and geomorphology. John Wiley & Sons, 2007. Entrincheiramento Desvio Entupimento Desvio (bypass)
  • 25. Audra, P., & Palmer, A. N. (2011). The pattern of caves: controls of epigenic speleogenesis. Géomorphologie: relief, processus, environnement, 17(4), 359-378. Passagens Epifreáticas Nascente antiga Aprofundamento de canal Rio Nascente Tubo freático ativo nível freático atual nível freático anterior Passagens vadosas tubos epicarste dolina sumidouro Zona de recarga cânions
  • 26. The Boundoualou Cave, France. Audra, P., & Palmer, A. N. (2011). The pattern of caves: controls of epigenic speleogenesis. Géomorphologie: relief, processus, environnement, 17(4), 359-378. 1ª nascente 2ª nascente 3ª nascente
  • 27. Camada é mais antiga que o carste Camada é contemporânea ao carste Unidade carstificável Formação subjacente Enterramento sem espeleogênese observável Herança limitada ou nula Subjacente Assentado em profundidade Entrincheirado Subsidência Estágio mesogênico Estágio teleogênico Soerguimento Aberto Coberto por manto Carste exposto Singenético / eogenético Denudado Carste intra-estratos Enterrado Exumado Estágio Éogênico Klimchouk, A., Ford, D.C., Palmer, A.N., Dreybrodt, W. 2000. (Eds.), Speleogenesis: Evolution of Karst Aquifers. National Speleological Society, Huntsville, pp. 45–53.
  • 28. Ford, Derek C. "Perspectives in karst hydrogeology and cavern genesis." In Karst Modeling: Special Publication 5, pp. 17-29. The Karst Waters Institute Charles Town, West Virginia (USA), 1999. Tipo de Recarga Dolinas Rios infiltrantes Abaixo de aquífero poroso Porosidade predominante Fraturas Intergranular (poroso) Acamamentos Passagens angulares Passagens curvas Espongiforme Espongiforme rudimentar Ramificações rudimentares Rede de fissuras irregulares Rede de fissuras Anastomosado Abismos e cânions entre camadas
  • 29. Audra, P., & Palmer, A. N. (2011). The pattern of caves: controls of epigenic speleogenesis. Géomorphologie: relief, processus, environnement, 17(4), 359-378. Padrões de cavernas epigênicas Dendrítico Anastomosado Rede Esponja
  • 30. Padrões de cavernas epigênicas (a)Crevice Cave, Missouri (b)Crossroads Cave, Virginia (c)Holoch, Suíça (d) Carlsbad Cavern, Novo México Palmer, A. N. (1999). Patterns of dissolution porosity in carbonate rocks. Karst modeling: The Karst Waters Institute Special Publication, 5, 71-78. Dentrítico Anastomosado Rede Espongiforme
  • 31. Dissolução de calcário com porosidade primária (Crimeia, Ucrânia). Klimchouk, A.B., 2013. Hypogene speleogenesis. In: Shroder, J. (Editor in Chief), Frumkin, A. (Ed.), Treatise on Geomorphology. Academic Press, San Diego, CA, vol. 6, Karst Geomorphology, pp. 220–240
  • 32. Audra, P., & Palmer, A. N. (2011). The pattern of caves: controls of epigenic speleogenesis. Géomorphologie: relief, processus, environnement, 17(4), 359-378. Aquiclude Sotoposto (rocha insolúvel e impermeável) Zona vadosa Nível de Base Nascente suspensa
  • 33. Conteúdo • Conceitos de carste e espeleogênese • Fatores condicionantes da espeleogênese • Processos espeleogenéticos • Química de dissolução e deposição em carste • Padrões de desenvolvimento de cavernas • Processos de formação de espeleotemas • Espeleogênese hipogênica • Espeleogênese costeira (zona de mistura)
  • 34. Espeleotemas • Minerais: ▪ Calcita (predominante) com a aragonita, formam 95% dos minerais nos espeleotemas. ▪ Secundários: evaporitos (principalmente sulfatos e haletos), fosfatos, nitratos, óxidos, hidróxidos e silicatos. • Tipos: ▪ Formas de gotejamento (dripstones) e de escoamento (flow-stones) ▪ Formas erráticas ▪ Formas subaquáticas White, W.B. Cave Minerals and Speleothems. In: Ford, T. D.; Cullingford, C. H. D. (Eds.) The Science of speleology. Londres: Academic Press., 1976, p. 267-327)
  • 36. https://www.infoescola.com/geologia/estalagmites/ Estalagmite Calcita se deposita no chão, ao pingar Foto: Dumitrescu Ciprian-Florin
  • 40. Helictites Gotejamento lento, deixando vento, capilaridade ou bactérias atuarem na deposição até evaporar em vez de cair http://www.goodearthgraphics.com/virtcave/helictit/helictit.html
  • 41. Flores Espeleotemas de gesso, enxofre ou sal, crescem lateralmente https://www.electricalelibrary.com/2020/04/27/o-que-sao-espeleotemas/
  • 42. Caixas de papelão Água desce pelas rachaduras no teto https://www.electricalelibrary.com/2020/04/27/o-que-sao-espeleotemas/
  • 44. http://www.goodearthgraphics.com/virtcave/splattermites/splatter.html Estalagmite de “splash” Estalagmite em cavernas com teto alto, faz a gota respingar antes de depositar a calcita
  • 45. Copa de Sinos Escorrimento das gotas sobre uma estalagmite http://www.goodearthgraphics.com/virtcave/bellcan/bellcan.html
  • 47. https://www.electricalelibrary.com/2020/04/27/o-que-sao-espeleotemas/ Couve flor ou pipoca (botroidais) A gota respinga ao cair em uma superfície molhada
  • 48. Pérolas Água demais pingando, não deixa formar estalagmite, e a água vai polindo as esferas ao movê-las http://www.goodearthgraphics.com/virtcave/pearls/pearls.html
  • 49. Leite de lua Bactérias fixam calcário e magnésio que escorre nas paredes inclinadas https://en.wikipedia.org/wiki/Moonmilk#/media/File:Bergmilchkammer_04.jpg
  • 50. Balões Bactérias fixam calcário que sai de rachaduras http://www.goodearthgraphics.com/virtcave/balloons/balloon.html
  • 51. Plataformas Calcificação da água que escorre para beira de lagos nas cavernas https://en.wikipedia.org/wiki/Shelfstone#/media/File:Shelfstone2.jpg http://www.goodearthgraphics.com/virtcave/shelfst/shelf.html
  • 52. Travertinos e botes (rafts) Formação de barreiras com poços em áreas calcáreas http://www.goodearthgraphics.com/virtcave/rafts/rafts.html
  • 53. Triângulos Deposição da calcita em lagoas sazonais http://www.goodearthgraphics.com/virtcave/triangles/triangles.html
  • 55. Mamilos Calcificação no teto de cavernas submersas http://www.goodearthgraphics.com/virtcave/clouds/clouds.html
  • 56. Sinos do inferno Formado em cavernas submersas, pela ação de bactérias https://en.wikipedia.org/wiki/Hells_Bells_(cave_formations)#/media/File:Hells_Bells-
  • 57. Conteúdo • Conceitos de carste e espeleogênese • Fatores condicionantes da espeleogênese • Processos espeleogenéticos • Química de dissolução e deposição em carste • Padrões de desenvolvimento de cavernas • Processos de formação de espeleotemas • Espeleogênese hipogênica • Espeleogênese costeira (zona de mistura)
  • 58. Úmido Carste hipogênico Dissolução superficial<< dissolução subterrânea Desenvolvimento do carste Semiárido Árido Taxa de denudação 0 500 1000 1500 2000 2500 3000 Precipitação (mm/ano) Auler, A.S., Smart, P.L., 2003. The influence of bedrock-derived acidity in the development of surface and underground karst: evidence from the Precambrian carbonates of semi-arid Northeastern Brasil. Earth Surface Processes and Landforms 28, 157–168
  • 59. Klimchouk, A.B., 2013. Hypogene speleogenesis. In: Shroder, J. (Editor in Chief), Frumkin, A. (Ed.), Treatise on Geomorphology. Academic Press, San Diego, CA, vol. 6, Karst Geomorphology, pp. 220–240
  • 60. Klimchouk, A.B., 2013. Hypogene speleogenesis. In: Shroder, J. (Editor in Chief), Frumkin, A. (Ed.), Treatise on Geomorphology. Academic Press, San Diego, CA, vol. 6, Karst Geomorphology, pp. 220–240 Recarga Descarga
  • 61. Camada confinante Aquífero superior Cúpula do domo Arco de subida Teto Master passage Meio tubo Convecção livre Convecção forçada Klimchouk, A.B., 2013. Hypogene speleogenesis. In: Shroder, J. (Editor in Chief), Frumkin, A. (Ed.), Treatise on Geomorphology. Academic Press, San Diego, CA, vol. 6, Karst Geomorphology, pp. 220–240
  • 62. Cavernas hipogenéticas Slavka Cave, Ukraine (Miocene gypsum) Klimchouk, A. (2009). Morphogenesis of hypogenic caves. Geomorphology, 106(1-2), 100-117
  • 63. Conteúdo • Conceitos de carste e espeleogênese • Fatores condicionantes da espeleogênese • Processos espeleogenéticos • Química de dissolução e deposição em carste • Padrões de desenvolvimento de cavernas • Processos de formação de espeleotemas • Espeleogênese hipogênica • Espeleogênese costeira (zona de mistura)
  • 64. Snapper Point sea cave, Australia https://www.riparide.com/adventures/24682-snapper-point-sea-cave
  • 65. Processos de espeleogênese costeira de zonas de mistura Gulley, J. D., Martin, J. B., Moore, P. J., & Murphy, J. (2013). Formation of phreatic caves in an eogenetic karst aquifer by CO2 enrichment at lower water tables and subsequent flooding by sea level rise. Earth Surface Processes and Landforms, 38(11), 1210-1224. Zona vadosa nível freático caverna Água doce Água salgada subterrânea caverna oceano
  • 66. Gulley, J. D., Martin, J. B., Moore, P. J., & Murphy, J. (2013). Formation of phreatic caves in an eogenetic karst aquifer by CO2 enrichment at lower water tables and subsequent flooding by sea level rise. Earth Surface Processes and Landforms, 38(11), 1210-1224. caverna nível freático nível freático caverna Período glacial Período interglacial oceano Aumento no nível do mar oceano
  • 67. Progradação Nível do mar sobe Nível do mar desce Nível 1 Nível 2 Nível 2 Nível 3 Monroy-Ríos E (2017) Speleogenesis: How were caves and cenotes formed? Karst Geochemistry and Hydrogeology, 2017.
  • 68. Buracos azuis (blue holes) (a) Dean’s Blue Hole, Long Island, Bahamas, contectado ao mar, 200 metros de profundidade . (b) Watling’s Blue Hole, San Salvador Island, Bahamas, isolado do oceano Mylroie, John E. "Coastal karst development in carbonate rocks." Coastal karst landforms (2013): 77-109.
  • 69. Abismo Dolina Buraco azul Buraco azul Nível do mar Nível do mar Mylroie, John E. "Coastal karst development in carbonate rocks." Coastal karst landforms (2013): 77-109. Subida do teto por colapso Buraco azul Nível do mar Nível do mar
  • 70. Reflexão final Geodiversidade da espeleogênese • Suporte para biodiversidade • Abastecimento de água subterrânea • Registro da história humana, biológica e geológica • Interação entre seres humanos e natureza ▪ Estético ▪ Cultural ▪ Religioso ▪ Abrigo