Planeta terra Turmas (11 e 12)

768 visualizações

Publicada em

Uma aula sobre processos físicos que ocorrem no planeta Terra.

Publicada em: Educação
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
768
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
5
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
16
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Planeta terra Turmas (11 e 12)

  1. 1. Planeta Terra Processo de formação, evolução, e estruturas.
  2. 2. Escalas Temporais Escala Geológica • O tempo Geológico é dividido em: Eons, Eras, Períodos, Épocas, Idades Fases Escala Histórica • Escala histórica: tempo do homem na Terra.
  3. 3. Formação do Universo • Teoria do Big Bang (Grande explosão) a 8 bilhões de anos atrás.
  4. 4. Formação da Terra: 4,6 bilhões de anos (Era pré-Cambriana) 1. Poeira e rochas se juntaram pela gravidade 2. Imensa bola de fogo pela radiação 3. Elementos mais pesados ferro e níquel formam o núcleo interno. 4. Lento processo de resfriamento e formação da crosta terrestre. 5. Intenso vulcanismo lança gases formando a atmosfera 6. O vapor d’ água se condensa e forma os oceanos. 7. Primeiras formas de vida (algas) liberaram O² para atmosfera permitindo a expansão da vida.
  5. 5. Era: Pré-Cambriana.  Hadeado– Arqueano – Proterozóico • Formação dos Escudos Cristalinos ou núcleos cratônicos; • Formação das jazidas minerais terrenos do proterozóico; • Dobramentos antigos: Ex.: Serras do mar e da mantiqueira Arqueozóico; A chapada de Diamantina (BA) e Serra do Espinhaço. Proterozóico. • Primeiras formas de vida.
  6. 6. Era: Paleozóica.  Cambriano – Ordoviciano – Siluriano – Devoniano – Carbonífero – Permiano • Origem das bacias sedimentares; • Rochas sedimentares; • Surgimento de Pangéia; • Jazidas carboníferas. Brasil.: Região permocarbonífera(PR, SC e RS);
  7. 7. Mesozóico :  Triássico – Jurássico – Cretáceo • Divisão da Pangéia (Laurasia e Godwana); • Divisão dos grandes répteis (dinossauros); • Intensa atividade vulcânica(sul do Brasil) Região de Poços de Caldas e Araxá em MG; • Arquipélago de Fernando de Noronha; • Bacias Petrolíferas(Cretáceo); • Era dos dinossauros. • Formação do Oceano Atlântico e cadeia meso- oceânica.
  8. 8. Cenozóico Terciário Dobramentos Modernos Surgimento de Aves, mamíferos e Primatas Atuais Continentes Quaternário Surgimento do homem. Últimas glaciações.
  9. 9. Evidências O conhecimento sobre o interior da terra baseia-se em observações indiretas: • O Grau geotérmico, a cada 33m de profundidade aumenta 1°C; • Vulcanismo (lava expelida); • Analise de tremores que ocorrem no interior da terra; • Geisers e fontes termais. • Analise de meteoritos
  10. 10. Estrutura interna da Terra
  11. 11. Crosta terrestre • Sial = 5 a 15 km (silício+ alumínio) • Sima= 30 a 60 km (silício+ magnésio) Manto • Parte interna do manto: Material mais denso, constituído principalmente por magnésio, ferro e silício. • Na parte externa do manto: Astenosfera ou manto → e seu movimento de convecção. Núcleo • Formado por Níquel e Ferro. • Estima-se da superfície ao núcleo 6.370 km. • Responsável pelo magnetismo da Terra. • Temperatura 6000°C.
  12. 12. Os Minerais • “Mineral é um elemento ou composto químico, de composição química definida, resultante de processos inorgânicos e encontrado naturalmente na crosta terrestre.”
  13. 13. Formação das rochas
  14. 14. Rochas Ígneas Intrusivas: Granito Extrusivas: Basalto, obsidiana
  15. 15. Rochas sedimentares
  16. 16. Metamórficas
  17. 17. Deriva Continental • Teoria de Alfred Wegener em 1912; • No período carbonífero do paleozóico havia uma única massa continental que ele denominou de Pangéia;
  18. 18. Proterozóico Mesozóico/ Jurássico Cretáceo Cenozóico/ Tercipario Quaternario
  19. 19. Evidências • As linhas da costas de alguns continentes se encaixam perfeitamente.
  20. 20. • PALEONTOLÓGICAS: Fósseis de animais e vegetais
  21. 21. Geocronologia - rochas do fundo oceânico eram cada vez mais jovens conforme se aproximavam da dorsal;
  22. 22. Tectônica de Placas • Em 1967, Janson Morgam, criou a teoria das placas tectônicas, apoiada teoria de Wegener (deriva continental) na teoria de Homes (expansão do fundo dos oceanos). • Movimentos das Placas: A litosfera, camada mais rígida, formada de rochas sólidas é fragmentada em 12 placas que deslizam, convergem ou se separam umas em relação às outras à medida que se movem sobre o manto, menos resistente e líquido.
  23. 23. Limites das Placas tectônicas
  24. 24. Células de Convecção
  25. 25. Movimentos das Placas 1. Divergentes (construtivas): Quando uma nova crosta é gerada e as placas se distanciam umas das outras;
  26. 26. Rifty Valley
  27. 27. 2. Convergentes (destrutivas) : a) oceânica – continental ou Suducção: Quando uma placa (mais densa) “mergulha” sob a continental (menos densa);
  28. 28. 2. Convergentes: b) continental – continental ou Obducção: colisão de duas placas na porção continental
  29. 29. Cordilheira do Himalaia
  30. 30. 2. Convergentes: c) oceânica - oceânica
  31. 31. 3. Conservativas: Quando não há produção nem destruição de crosta, as placas deslizam lateralmente uma em relação à outra.
  32. 32. DOBRAS E FALHAS • As placas ao movimentarem-se entre si causam a deformação das rochas presentes nas zonas junto às suas fronteiras. Esta deformação pode ser frágil (falhas) ou dúctil (dobras).
  33. 33. Movimento Horizontal • OROGÊNESE: Movimento horizontal das camadas das placas tectônicas que provocam dobramentos devido sua plasticidade.
  34. 34. Dobramentos Modernos
  35. 35. Movimento Vertical • Epirogênese: Movimento vertical que provoca rebaixamento, soergmento e transgressão ou regressão marinha.
  36. 36. Falhas • Região foi alçada à altitude atual por epirogênese, que deram origem a um sistema de falhas na direção ENE-WSW.(Vale do Paraíba, entre as Serras do Mar e Mantuqueia)
  37. 37. Tipos de Falhamentos
  38. 38. Falha de San Andreas
  39. 39. Vulcanismo e Tectonismo (Agentes endógenos)
  40. 40. Círculo de Fogo
  41. 41. Terremotos HIPOCENTRO EPICENTRO ONDAS SÍSMICAS Profundidade Focal
  42. 42. Visitar página Visualizar imagem As imagens podem ter direitos autorais.Enviar feedback
  43. 43. Tsunamis
  44. 44. Estruturas geológicas
  45. 45. • Crátons, Maciços Antigos ou Escudos Cristalinos Datam da Era Pré-Cambriana; Formado por rochas magmáticas e metamórficas; Ocorrem jazidas minerais (manganês, alumínio, estanho) • Bacias Sedimentares Datam do Paleozóico, Mesozóico e Cenozóico; São formadas do acúmulo de sedimentos das rochas; Estão associados à ocorrência de combustíveis fosseis; • Dobramentos Modernos Trechos da crosta de formação recente; Situados próximos a bordas das placas, que devido à pressão, formam montanhas. Ex: Alpes, Andes, rochosas, Himalaia.
  46. 46. RELEVO CONJUNTO DE FORMAÇÕES DA SUPERFÍCIE TERRESTRE
  47. 47. Endógenas Exógenas Relevo Terrestre Forças Formadora e Modeladoras
  48. 48. DINÂMICA EXTERNA DO RELEVO FORÇAS EXÓGENAS MODELADORAS
  49. 49. PROCESSOS • INTEMPERISMO . FÍSICO: DESAGREGAÇÃO QUÍMICO: DECOMPOSIÇÃO BIOLÓGICO: DESAGREGAÇÃO E DECOMPOSIÇÃO
  50. 50. Erosão Desgaste Remoção ou transporte Deposição
  51. 51. AÇÃO DOS VENTOS (EROSÃO EÓLICA)
  52. 52. CORRASÃO DUNAS
  53. 53. EROSÃO FLUVIAL GRAND CANYON
  54. 54. erosão Transporte e sedimentação deposição
  55. 55. EROSÃO PLUVIAL • LAMINAR
  56. 56. SULCOS RAVINAMENTO VOÇOROCA CONCENTRADO MAIORES SÃO OS IMPACTOS
  57. 57. EROSÃO MARINHA
  58. 58. Trabalho destrutivo do mar - abrasão
  59. 59. ABRASÃO MARINHA - FALÉSIAS
  60. 60. TRABALHO CONSTRUTIVO R E S T I N G A
  61. 61. TRABALHO CONSTRUTIVO RECIFES DE MARACAJAÚ - RN
  62. 62. Vista aérea da Ilha de Heron, no Recife Great Barrier, Austrália. Recife - PE Praia do Francês - AL
  63. 63. EROSÃO GLACIÁRIA
  64. 64. FIORDES Islândia
  65. 65. Relevo Brasileiro Características principais: • É bastante antigo; • É bastante erodido; • Apresenta boa variedade de formas; • É de baixa altitude (EX. 92,56% são inferiores a 900 metros.) • Planaltos e Depressões; • As planícies geralmente apresentam altitudes inferiores a 200 metros estão associadas ao litoral e aos grandes rios.
  66. 66. Classificação de Aroldo de Azevedo • Década de 1940; • É classificação mais tradicional; • O critério utilizado é o altimétrico; • Há Planaltos e planícies.
  67. 67. Classificação de aziz Ab’Saber • Década de 1960; • Critério: processos Geomorfológicos; • Planície é uma área de sedimentação. • Planalto e uma área em desgastes.
  68. 68. Classificação de Jurandyr Ross • Anos 1980; • Participou do projeto Radambrasil, realizado entre 1970 e 1985. • Há 28 unidades de relevo no terrítório; • Critérios:Morfoclimáti cos, geoestrutura e geoescultura;
  69. 69. Unidade de Planaltos • É uma forma de relevo com área irregular. São relativamente planos ou inclinados. • O planalto é resultante de processos erosivos. • Predomínio do processo de erosão. • Formas: Colinas, morros ou coxilhas, serras, escarpas, chapadas
  70. 70. Planícies • É uma forma de relevo plana ou pouco inclinada, pouco acidentada, • Predomina acumulação de sedimentos. • Ex: Planície fluvial, costeira
  71. 71. Depressões • É uma parte do relevo mais plana que o planalto, com suave inclinação e altitude variável.
  72. 72. SOLOS • O solo é a camada mais superficial da litosfera resultante da decomposição e desagregação química, física e orgânica de uma rocha. • O solo pode ser visto sobre diferentes óticas: • Engenharia civil: material escavável, que perde sua resistência quando em contato com a água, matéria prima para estradas, construções, barragens, etc. • Agronomia: camada de particulas arável, possuidora de vida microbiana e produtora de alimentos. • Geologia: produto do intemperismo físico e químico das rochas. • Pedólogo: Corpo natural, variável tanto em profundidade, distribuição, importante para as diversas atividade e portanto deve ser estudado conforme suas especifidades.
  73. 73. Composição do solo
  74. 74. Fatores da formação de solo • Clima - O fator mais importante, principalmente em países tropicais; • Rocha - É a rocha que origina o solo; • Relevo - O relevo influência nos caminhos de drenagem da água e no clima. • Organismos vivos - podem destruir o solo mecanicamente, abrindo poros, e quimicamente, criando ácidos em sua decomposição; • Tempo - O mais abstrato dos fatores, porém não menos importante;
  75. 75. Parte Mineral Três frações principais: • Areia - A parte mais grosseira; • Silte - Não se agrega como a argila e suas partículas são muito pequenas e leves; • Argila - Material proveniente da decomposição das rochas feldspáticas. • Taxa de infiltração e armazenamento da água; • Facilidade de mecanização; • Fertilidade do solo.
  76. 76. INTEMPERISMO Físico Químico Biológico Solos PEDOGÊNESE produtos resultante da decomposição e desagregação de uma rocha
  77. 77. Problemas do Solo • A perda de produtividade do solo por causa do manejo inadequado das culturas, do uso excessivo de fertilizantes, da compactação e da destruição da cobertura vegetal é responsável hoje por diversos problemas do solo.
  78. 78. • Tipos de uso e perda de solo
  79. 79. Desertificação
  80. 80. Arenização
  81. 81. Erosão Pluvial
  82. 82. Erosão Fluvial
  83. 83. Movimentos de Massa
  84. 84. Conservação dos Solos • Terraceamento
  85. 85. • Curvas de nível
  86. 86. • Associação de culturas • Plantio direto
  87. 87. Atividades • 1) Explique o que são e como se originam as formas de relevo. • 2) Defina planalto, planície e depressão. • 3) Diferencie intemperismo físico, intemperismo, químico e intemperismo biológico. Cite exemplos. • 4) Explique sucintamente como os solos são formados, destacando a ação do clima. • 5) Identifique as etapas do desgaste dos solos provocados pelo processo erosivo e explique formas de combatê-lo. • 6) Por que ocorrem movimentos de massa em encostas? Aponte de que forma a ação humana agrava esse processo e quais são as consequências para a sociedade.
  88. 88. Observe, com atenção, a fotografia a seguir. Foto. Localidade: Gilbués, Piauí. Sobre o fenômeno mostrado na fotografia, é correto afirmar que: 0) os processos de erosão exibidos são típicos de áreas de cerrados, onde a ação eólica gera notáveis feições erosivas do tipo dunas, em geral migratórias. 1) a paisagem encontra-se nitidamente atravessando um expressivo processo de desertificação, decorrente do aquecimento global, que é marcante no Meio Norte, especialmente no Piauí. 2) o parâmetro erosão acelerada do solo é considerado como um dos principais indicadores de áreas de desertificação no Nordeste brasileiro. 3) o fenômeno é de origem predominantemente antrópica, caracterizado pela rápida remoção de solos e/ou fragmentos maiores de rochas, em face da atuação intensificada dos agentes erosivos em áreas onde o equilíbrio natural foi rompido. 4-4) a área fotografada apresenta restrições à formação de solos e mostra cicatrizes de feições de relevo escavadas pelo escoamento concentrado das águas.

×