SlideShare uma empresa Scribd logo
Diversidade
Ana Silvia Andreu da Fonseca
Christian Ricardo Ribeiro
Vitor Vieira Vasconcelos
Universidade Federal do ABC
São Bernardo do campo-SP
Fevereiro de 2024
Conteúdo
●
Diversidade de sistemas
●
Métricas de diversidade
●
Biodiversidade
– Riqueza, equabilidade, diversidade
– Diversidade filogenética
– Diversidade funcional
– Diversidade alfa, beta e gama
O que vocês aprenderam
sobre Biodiversidade na
disciplina de
“Biodiversidade:
interações entre
organismos e ambiente?”
Geodiversidade Biodiversidade
Extensão da diversidade
Áreas nativas
Áreas agropecuárias
Áreas urbanas
Ecossistemas
Agroecossistemas
Ecossistemas
Urbanos
Diversidade biológica
Geodiversidade
E a sociodiversidade?
Petrişor, A. I. (2012). Comparative critical analysis of the systemic approach to the organization of
the environment from the perspective of ecology, geography and spatial. Geopolitics, History, and
International Relations, 4(2), 289-303.
Porque a diversidade é
importante?
●
Recursos para sobrevivência de seres
humanos e demais seres vivos
– Alimentos
– Recursos naturais
– Saúde
– Conhecimento
●
Riqueza da experiência do mundo
●
Valor intrínseco de cada ser vivo
Primeira etapa de um
diagnóstico territorial
●
Inventário
– Que elementos nós temos em um
território?
– Quais são os processos (ligações)
entre esses elementos?
●
Quão complexo (diverso) é esse
sistema?
Biodiversidade
●
Já foram identificadas 1,75 milhões
de espécies
●
Estima-se que o planeta tenha em
torno de 11 milhões de espécies
Larsen, Brendan B.; Miller, Elizabeth C.; Rhodes, Matthew K.; Wiens, John J. (September
2017). "Inordinate Fondness Multiplied and Redistributed: the Number of Species on Earth
and the New Pie of Life". The Quarterly Review of Biology. 92 (3): 229–265.
doi:10.1086/693564. ISSN 0033-5770
Diversidade
●
Ecossistemas mais diversos teriam
maior redundância funcional,
BERKES, Fikret; COLDING, Johan; FOLKE, Carl (Ed.). Navigating social-ecological systems: building
resilience for complexity and change. Cambridge university press, p. 83-114, 2003.
NORBERG, Jon et al. Diversity and resilience of social-ecological systems. In: NORBERG, Jon; CUMMING,
Graeme. Complexity theory for a sustainable future. Columbia University Press,
p. 46-80, 2008.
Elementos
diferentes, mas
que podem
realizar os
mesmos
processos
sendo mais estáveis frente a
impactos

Menos vulneráveis a impactos

Mais resilientes – recuperação
após impactos

Melhor adaptação a novos
ambientes
Sistema sem
redundância
Sistema com
redundância
SANDERS, Dirk et al. Trophic redundancy reduces vulnerability to extinction cascades.
Proceedings of the National Academy of Sciences, v. 115, n. 10, p. 2419-2424, 2018.
Hiperparasitóides
Hiperparasitóides
Herbívoros Parasitóides
(alimentam-se de herbívoros)
SANDERS, Dirk et al. Trophic redundancy reduces vulnerability to extinction cascades.
Proceedings of the National Academy of Sciences, v. 115, n. 10, p. 2419-2424, 2018.
Semanas
Semanas
Espécies
de
parasitóides
Espécies
de
herbívoros
Sem coleta
Com coleta
Sem coleta
Com coleta
Diversidade
●
Agricultura
– Áreas com maior diversidade tem menor expansão de
pragas e têm mais polinizadores
●
Geossistemas
– Sistemas complexos podem prover recursos naturais
alternativos caso algum falte
●
Sociedade
– Diversidade de perspectivas e conhecimentos auxilia no
diálogo para lidar com impactos e mudanças
Gray, M. (2011). Other nature: geodiversity and geosystem services. Environmental Conservation, 38(3), 271-274.
GURR, Geoff M.; WRATTEN, Stephen D.; SNYDER, William E. (Ed.). Biodiversity and insect pests: key issues for sustainable
management. John Wiley & Sons, 2012.
NICHOLLS, Clara I.; ALTIERI, Miguel A. Plant biodiversity enhances bees and other insect pollinators in agroecosystems. A review. Agronomy
for Sustainable development, v. 33, p. 257-274, 2013.
NORBERG, Jon et al. Diversity and resilience of social-ecological systems. In: NORBERG, Jon; CUMMING, Graeme. Complexity theory for
a sustainable future. Columbia University Press,
p. 46-80, 2008.
Qual dessas paisagens
possui maior diversidade?
Qual dessas paisagens
possui maior diversidade?
Qual dessas paisagens
possui maior diversidade?
Qual dessas paisagens
possui maior diversidade?
Qual dessas paisagens
possui maior diversidade?
Qual dessas paisagens
possui maior diversidade?
Tipos de Biodiversidade
Genética Espécies Ecossistemas
Dimensões da biodiversidade
Escalas Componentes Padrões Processos
Genes
Estrutura do
DNA
Variabilidade do
DNA da
comunidade
Mutações e
cruzamentos
Espécies
Composição
das
comunidades
Distribuição das
espécies
Dinâmica
demográfica
Ecossistemas
Tipos de
ecossistemas
Estruturação
interna dos
ecossistemas
Relações entre
espécies e
recursos
naturais
Paisagens
Tipos de
paisagem
Padrões de
paisagens
Dinâmica de
paisagens
Noss, R.F., 1990. Indicatorsfor monitoringbiodiversity - ahierarchical approach. Conserv. Biol. 4(4), 355–364.
Biodiversidade genética
Biodiversidade genética
Biodiversidade genética
Biodiversidade genética
Biodiversidade genética
Samuels, David C. Et al. (Genetics – 2016). Reanalysis of the 1000 genomes project dataset.
Diversidade genética humana global
Variabilidade Genética
Menor
Maior
Como medir a diversidade?
Áreas de
conhecimento
Métodos
Ecologia
Índices de
riqueza/equabilidade
Diversidade alpha, beta e
gamma
Geosciências
Mapeamento de
diversidade de kernel
Ciências sociais Índices de segregação
Qual dessas paisagens é
mais diversa?
2 espécies
3 espécies
Riqueza
Quais dessas paisagens
são mais diversas?
2 espécies
3 espécies 3 espécies
Equabilidade e Dominância
A
B
A
B
B
A
A
C
C
Maior
equabilidade
Menor
equabilidade
(dominância da
espécie C)
Índice de Equabilidade de Shannon
onde
p = proporção da abundância de uma espécie em relação
à abundância total
s = número de espécies
ln(S)
1 – Máximo de equabilidade
0 – Mínimo de equabilidade
Shannon, C. E. (1948) A mathematical theory of communication. The Bell System Technical Journal, 27, 379–423 and 623–656.
Teoria da informação, derivada da teoria de sistemas
p = n/S
n = abundância da espécie
S = abundância total
Equabilidade
(Shannon)
A
B
A
B
B
A
A
C
C
1
1
0,52
Índices de Biodiversidade
●
Shannon
– Combina riqueza com equitabilidade
onde
p = proporção da abundância de uma espécie em
relação à abundância total
s = número de espécies
Shannon, C. E. (1948) A mathematical theory of communication. The Bell System Technical Journal, 27, 379–423 and 623–656.
Equabilidade
A
B
A
B
B
A
A
C
C
1
1
0,52
Diversidade
0,69
1,1
0,57
Índices de Shannon
Índices de Biodiversidade
●
Simpson
– Probabilidade de escolher dois espécimes,
aleatoriamente, e eles serem de espécies
diferentes
– Mais importância para abundância do que o
índice de Shannon
Onde
p = proporção da abundância
de uma espécie em relação à
abundância total
Simpson, E. H. (1949). "Measurement of diversity". Nature. 163 (4148): 688.
1-Σp2
Equabilidade
(Shannon)
A
B
A
B
B
A
A
C
C
1
1
0,52
Diversidade
0,5
0,67
0,29
Simpson
Shannon
0,69
1,1
0,57
Séries de Hill
(Σpa
)1/(1-a)
onde
p = proporção da abundância de uma espécie
em relação à abundância total
a = nível da série de Hill (a≥0 e a≠1):
0 = riqueza de espécies
0,99... = proporcional à diversidade de Shannon
2 = proporcional à diversidade de Simpson
…
∞ = maior influência da equabilidade
Hill, M. O. (1973). "Diversity and evenness: a unifying notation and its consequences". Ecology.
54 (2): 427–432. Bibcode:1973Ecol...54..427H. doi:10.2307/1934352. JSTOR 1934352
Maior influência
do número de
espécies
Maior influência
da equabilildade
0 0,99 2 3 4 100
0
0,5
1
1,5
2
2,5
3
3,5
Séries de Hill
A
B
A
B
B
A
A
C
C
X
Y
Z
X
Z
Y
Diversidade
Nível de Hill
R
i
q
u
e
z
a
S
h
a
n
n
o
n
S
i
m
p
s
o
n
Agro-Biodiversidade
Gaisberger, Hannes, et al. (2014) Identifying global hotspots of agricultural and tree
biodiversity and poverty for the strategic sharpening of Bioversity's priority research areas.
Alliance of Biodiversity International.http://dx.doi.org/10.13140/RG.2.2.12818.96966
Número de
culturas agrícolas
por hectare
Equabilidade de culturas agrícolas
Beltran, Marcela, et al. (2012) World Crop Evenness. Biodiversity International.
https://www.flickr.com/photos/bioversity/10420776796
Equabilidade de espécies
1 – Alta
0 - Baixa
Riqueza Filogenética
OLIVEIRA JUNIOR, José Max Barbosa. A Produção do Conhecimento nas Ciências Biológicas.
Atena Editora 2019
Tempo
de
evolução
Ancestral comum
Diversidade Filogenética
Tempo
BRÄNNSTRÖM, Åke; CARLSSON, Linus; ROSSBERG, Axel G. Rigorous conditions for food-web intervality in
high-dimensional trophic niche spaces. Journal of Mathematical Biology, v. 63, p. 575-592, 2011.
Espécies
A
B
C
D
Diferença
(riqueza)
2
10
Diversidade Filogenética
Tempo
BRÄNNSTRÖM, Åke; CARLSSON, Linus; ROSSBERG, Axel G. Rigorous conditions for food-web intervality in
high-dimensional trophic niche spaces. Journal of Mathematical Biology, v. 63, p. 575-592, 2011.
Espécies
A
B
C
D
A B C D
A 0 6 6 10
B 6 0 2 10
C 6 2 0 10
D 10 10 10 0
Matriz de distâncias
Diversidade filogenética = soma de todas as distâncias da matriz
Diversidade
Filogenética
Alta diversidade
filogenética
Baixa diversidade
filogenética
CHELICK, Carmen Christine. Predicting taxonomic, functional and phylogenetic diversity of plant
assemblages in the Okanagan Ecoregion. 2019. Tese de Doutorado. University of British Columbia.
3 espécies
3 espécies
Ecossistema A
Ecossistema B
Riqueza de
espécies de
mamíferos
Diversidade
filogenética de
mamíferos
DAVIES, T. Jonathan; BUCKLEY, Lauren B. Phylogenetic diversity as a window into the evolutionary and
biogeographic histories of present-day richness gradients for mammals. Philosophical Transactions of the Royal
Society B: Biological Sciences, v. 366, n. 1576, p. 2414-2425, 2011.
Recursos X Biodiversidade
Evapotranspiração anual (mm) Evapotranspiração anual (mm)
Riqueza
de
espécies
de
árvores
Riqueza
de
espécies
de
vertebrados
Árvores Vertebrados
Diversidade Funcional
●
Diversidade de características dos seres
vivos
●
Quais seriam as características mais
relevantes em um ecossistema?
●
Exemplo das plantas:
– Produtividade de biomassa (alimento)
– Produz flores (néctar) e/ou frutos e sementes
comestíveis?
– Capacidade de fixar nitrogênio no solo
– Cobertura de copa (a luz consegue passar?)
– Perde as folhas na estão seca?
TRY – Plant Trait Database
https://www.try-db.org/TryWeb/Home.php
Qual desses ecossistemas é
funcionalmente mais diverso?
Atributo B
Atr
ibu
to
A
VILLÉGER, Sébastien; MASON, Norman WH; MOUILLOT, David. New multidimensional functional diversity
indices for a multifaceted framework in functional ecology. Ecology, v. 89, n. 8, p. 2290-2301, 2008.
Atributo B
Atr
ibu
to
A
Ecossistema X Ecossistema Y
O tamanho de cada círculo é a abundância de cada espécie
Riqueza Funcional
Área dos atributos
Atributo B
Atr
ibu
to
A
VILLÉGER, Sébastien; MASON, Norman WH; MOUILLOT, David. New multidimensional functional diversity
indices for a multifaceted framework in functional ecology. Ecology, v. 89, n. 8, p. 2290-2301, 2008.
Atributo B
Atr
ibu
to
A
Ecossistema X Ecossistema Y
Maior área = Maior riqueza Menor área = Menor riqueza
Equabilidade Funcional
Distância do centro médio dos atributos
para o centro médio do espaço de atributos
Atributo B
Atr
ibu
to
A
VILLÉGER, Sébastien; MASON, Norman WH; MOUILLOT, David. New multidimensional functional diversity
indices for a multifaceted framework in functional ecology. Ecology, v. 89, n. 8, p. 2290-2301, 2008.
Atributo B
Atr
ibu
to
A
Ecossistema X Ecossistema Y
Maior distância= Menos equabilidade Menor distância= Mais equabilidade
Diversidade Funcional
Área do círculo da distância média ao centro médio
Atributo B
Atr
ibu
to
A
VILLÉGER, Sébastien; MASON, Norman WH; MOUILLOT, David. New multidimensional functional diversity
indices for a multifaceted framework in functional ecology. Ecology, v. 89, n. 8, p. 2290-2301, 2008.
Atributo B
Atr
ibu
to
A
Ecossistema X Ecossistema Y
Maior círculo = Maior diversidade Menor círculo = Menor diversidade
Distância
média
Distância
média
Diversidade de Pássaros e Mamíferos
GIRARDELLO, Marco et al. Global synergies and trade-offs between multiple dimensions of
biodiversity and ecosystem services. Scientific Reports, v. 9, n. 1, p. 5636, 2019.
Riqueza de espécies Diversidade Funcional
Diversidade Filogenética Média dos 3 índices de Biodiversidade
Diversidade Cultural
Riqueza e equabilidade de etnias, linguagens e religiões
Fisher, M. (2013). A revealing map of the world’s most and least ethnically diverse
countries. The Washington Post, 16.
Mais
diversos
Menos
diversos
Biodiversidade x
Diversidade de linguagens
Diversidade
Linguística
Diversidade
Linguística
Riqueza de espécies
de mamíferos e
pássaros
Scholes, R., Montanarella, L., Brainich, A., Barger, N., ten Brink, B., Cantele, M., ... & Willemen, L.
(2018). The assessment report on Land degradation and restoration. Intergovernmental Science-
Policy Platform on Biodiversity and Ecosystem Services. Bonn, Germany [accessed 2021 January
04]. https://ipbes.net/sites/default/files/2018_ldr_full_report_book_v4_pages.pdf
Biodiversidade na paisagem
●
Conforme se caminha em uma paisagem,
que espécies
– Deixam de aparecer?
– Começam a aparecer?
– Continuam aparecendo?
Biodiversidade na paisagem
McCune, B., & Grace, J. B. (2002). Analysis of ecological communities. Oregon: MJM
%
de
similaridade
da
composição
de
espécies
Distância entre os pontos de amostragem
Biodiversidade na paisagem
Alfa
Alfa
Alfa
Beta
Gama
Beta Beta
Diversidade:
Alfa = dentro de cada unidade de amostragem
Beta = diferença entre as unidades de amostragem
Gama = diversidade considerando todas as unidades de amostragem juntas
Diversidade Beta
Alfa
Alfa
Alfa
Beta
Gama
Beta Beta
Multiplicativa:
Beta = Diversidade Gama
Média das diversidades alfa
Aditiva:
Beta = Diversidade gama - Média das diversidades alfa
3
4
2
6
Beta = 6 = 2
3
Beta = 6 – 3 = 3
O que vocês aprenderam
nesta aula, até agora,
comparado ao conteúdo
aprendido na disciplina de
“Biodiversidade: interações
entre organismos e
ambiente?”
Muito obrigado!
Dúvidas?
Comentários?

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a Diversidade - Biodiversidade, Agrodiversidade, Sociodiversidade, Geodiversidade

Comunidades e padrões de riqueza
Comunidades e padrões de riquezaComunidades e padrões de riqueza
Comunidades e padrões de riqueza
marianax3
 
Aula de ecologia 01
Aula de ecologia 01Aula de ecologia 01
Aula de ecologia 01
senesunetec
 
Optimal Foraging and Vegetation - Angelo Francisco
Optimal Foraging and Vegetation - Angelo FranciscoOptimal Foraging and Vegetation - Angelo Francisco
Optimal Foraging and Vegetation - Angelo Francisco
L. Jen Shaffer
 
IEA - Acúmulo de conhecimento sobre a biodiversidade e estratégias regionais ...
IEA - Acúmulo de conhecimento sobre a biodiversidade e estratégias regionais ...IEA - Acúmulo de conhecimento sobre a biodiversidade e estratégias regionais ...
IEA - Acúmulo de conhecimento sobre a biodiversidade e estratégias regionais ...
Instituto de Estudos Avançados - USP
 
Estrutura espacial e temporal de populações
Estrutura espacial e temporal de populaçõesEstrutura espacial e temporal de populações
Estrutura espacial e temporal de populações
unesp
 
Comunidade arborea floresta estacional
Comunidade arborea floresta estacionalComunidade arborea floresta estacional
Comunidade arborea floresta estacional
Carlos Alberto Monteiro
 
Ecologia - introducao.pptx
Ecologia - introducao.pptxEcologia - introducao.pptx
Ecologia - introducao.pptx
Natanael Ferreira
 
Introducao com referencia ao estudo de Ecologia.ppt
Introducao com referencia ao estudo de Ecologia.pptIntroducao com referencia ao estudo de Ecologia.ppt
Introducao com referencia ao estudo de Ecologia.ppt
Bruno Oliveira
 
EEH-aula 04-2016 - Revisao Ecologia e Evolucao.ppt
EEH-aula 04-2016 - Revisao Ecologia e Evolucao.pptEEH-aula 04-2016 - Revisao Ecologia e Evolucao.ppt
EEH-aula 04-2016 - Revisao Ecologia e Evolucao.ppt
Lucas Lopes
 
Bioindicadores de qualidade ambiental iv
Bioindicadores de qualidade ambiental ivBioindicadores de qualidade ambiental iv
Bioindicadores de qualidade ambiental iv
Filgueira Nogueira
 
Monotonia ou diversidade
Monotonia ou diversidadeMonotonia ou diversidade
Monotonia ou diversidade
Pedro Aguiar Pinto
 
Biodiversidade
BiodiversidadeBiodiversidade
Biodiversidade
Gourgel Abias
 
Badpi2013
Badpi2013Badpi2013
Meio ambiente sustentabilidade e agroecologia
Meio ambiente sustentabilidade e agroecologiaMeio ambiente sustentabilidade e agroecologia
Meio ambiente sustentabilidade e agroecologia
Sandro Marcelo de Caires
 
Pesquisa população rural e mamíferos
Pesquisa população rural e mamíferosPesquisa população rural e mamíferos
Pesquisa população rural e mamíferos
EsperancaConduru
 
Desenvolvimento Sustentável e Indicadores
Desenvolvimento Sustentável e IndicadoresDesenvolvimento Sustentável e Indicadores
Desenvolvimento Sustentável e Indicadores
Vitor Vieira Vasconcelos
 
REVISA GOIÁS 2ª_3ª Ciências Fevereiro.pptx
REVISA GOIÁS 2ª_3ª Ciências Fevereiro.pptxREVISA GOIÁS 2ª_3ª Ciências Fevereiro.pptx
REVISA GOIÁS 2ª_3ª Ciências Fevereiro.pptx
WarlenSilva6
 
Ecologia 1
Ecologia 1Ecologia 1
Biodiversidade 4 (1)
Biodiversidade 4 (1)Biodiversidade 4 (1)
Biodiversidade 4 (1)
Rogerio de Souza Souza
 
Diversidade biológica dos Arroios Capivaras, Ribeiro e Orla do Guaíba no Muni...
Diversidade biológica dos Arroios Capivaras, Ribeiro e Orla do Guaíba no Muni...Diversidade biológica dos Arroios Capivaras, Ribeiro e Orla do Guaíba no Muni...
Diversidade biológica dos Arroios Capivaras, Ribeiro e Orla do Guaíba no Muni...
Luciano Moura
 

Semelhante a Diversidade - Biodiversidade, Agrodiversidade, Sociodiversidade, Geodiversidade (20)

Comunidades e padrões de riqueza
Comunidades e padrões de riquezaComunidades e padrões de riqueza
Comunidades e padrões de riqueza
 
Aula de ecologia 01
Aula de ecologia 01Aula de ecologia 01
Aula de ecologia 01
 
Optimal Foraging and Vegetation - Angelo Francisco
Optimal Foraging and Vegetation - Angelo FranciscoOptimal Foraging and Vegetation - Angelo Francisco
Optimal Foraging and Vegetation - Angelo Francisco
 
IEA - Acúmulo de conhecimento sobre a biodiversidade e estratégias regionais ...
IEA - Acúmulo de conhecimento sobre a biodiversidade e estratégias regionais ...IEA - Acúmulo de conhecimento sobre a biodiversidade e estratégias regionais ...
IEA - Acúmulo de conhecimento sobre a biodiversidade e estratégias regionais ...
 
Estrutura espacial e temporal de populações
Estrutura espacial e temporal de populaçõesEstrutura espacial e temporal de populações
Estrutura espacial e temporal de populações
 
Comunidade arborea floresta estacional
Comunidade arborea floresta estacionalComunidade arborea floresta estacional
Comunidade arborea floresta estacional
 
Ecologia - introducao.pptx
Ecologia - introducao.pptxEcologia - introducao.pptx
Ecologia - introducao.pptx
 
Introducao com referencia ao estudo de Ecologia.ppt
Introducao com referencia ao estudo de Ecologia.pptIntroducao com referencia ao estudo de Ecologia.ppt
Introducao com referencia ao estudo de Ecologia.ppt
 
EEH-aula 04-2016 - Revisao Ecologia e Evolucao.ppt
EEH-aula 04-2016 - Revisao Ecologia e Evolucao.pptEEH-aula 04-2016 - Revisao Ecologia e Evolucao.ppt
EEH-aula 04-2016 - Revisao Ecologia e Evolucao.ppt
 
Bioindicadores de qualidade ambiental iv
Bioindicadores de qualidade ambiental ivBioindicadores de qualidade ambiental iv
Bioindicadores de qualidade ambiental iv
 
Monotonia ou diversidade
Monotonia ou diversidadeMonotonia ou diversidade
Monotonia ou diversidade
 
Biodiversidade
BiodiversidadeBiodiversidade
Biodiversidade
 
Badpi2013
Badpi2013Badpi2013
Badpi2013
 
Meio ambiente sustentabilidade e agroecologia
Meio ambiente sustentabilidade e agroecologiaMeio ambiente sustentabilidade e agroecologia
Meio ambiente sustentabilidade e agroecologia
 
Pesquisa população rural e mamíferos
Pesquisa população rural e mamíferosPesquisa população rural e mamíferos
Pesquisa população rural e mamíferos
 
Desenvolvimento Sustentável e Indicadores
Desenvolvimento Sustentável e IndicadoresDesenvolvimento Sustentável e Indicadores
Desenvolvimento Sustentável e Indicadores
 
REVISA GOIÁS 2ª_3ª Ciências Fevereiro.pptx
REVISA GOIÁS 2ª_3ª Ciências Fevereiro.pptxREVISA GOIÁS 2ª_3ª Ciências Fevereiro.pptx
REVISA GOIÁS 2ª_3ª Ciências Fevereiro.pptx
 
Ecologia 1
Ecologia 1Ecologia 1
Ecologia 1
 
Biodiversidade 4 (1)
Biodiversidade 4 (1)Biodiversidade 4 (1)
Biodiversidade 4 (1)
 
Diversidade biológica dos Arroios Capivaras, Ribeiro e Orla do Guaíba no Muni...
Diversidade biológica dos Arroios Capivaras, Ribeiro e Orla do Guaíba no Muni...Diversidade biológica dos Arroios Capivaras, Ribeiro e Orla do Guaíba no Muni...
Diversidade biológica dos Arroios Capivaras, Ribeiro e Orla do Guaíba no Muni...
 

Mais de Vitor Vieira Vasconcelos

Dados espaciais em R - 2023 - UFABC - Geoprocessamento
Dados espaciais em R - 2023 - UFABC - GeoprocessamentoDados espaciais em R - 2023 - UFABC - Geoprocessamento
Dados espaciais em R - 2023 - UFABC - Geoprocessamento
Vitor Vieira Vasconcelos
 
Geocodificação de endereços, roteirização e geotagging no QGis
Geocodificação de endereços, roteirização e geotagging no QGisGeocodificação de endereços, roteirização e geotagging no QGis
Geocodificação de endereços, roteirização e geotagging no QGis
Vitor Vieira Vasconcelos
 
Acesso e aquisição de bases de imagens de satélite gratuitas
Acesso e aquisição de bases de imagens de satélite gratuitasAcesso e aquisição de bases de imagens de satélite gratuitas
Acesso e aquisição de bases de imagens de satélite gratuitas
Vitor Vieira Vasconcelos
 
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISPrática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Vitor Vieira Vasconcelos
 
Integração entre Biodiversidade, Geodiversidade e Paisagem - Estudos de Caso ...
Integração entre Biodiversidade, Geodiversidade e Paisagem - Estudos de Caso ...Integração entre Biodiversidade, Geodiversidade e Paisagem - Estudos de Caso ...
Integração entre Biodiversidade, Geodiversidade e Paisagem - Estudos de Caso ...
Vitor Vieira Vasconcelos
 
Sensoriamento remoto - Introdução - 2024
Sensoriamento remoto - Introdução - 2024Sensoriamento remoto - Introdução - 2024
Sensoriamento remoto - Introdução - 2024
Vitor Vieira Vasconcelos
 
Anáise espacial baseada em distância - Prática no QGis - 2024
Anáise espacial baseada em distância - Prática no QGis  - 2024Anáise espacial baseada em distância - Prática no QGis  - 2024
Anáise espacial baseada em distância - Prática no QGis - 2024
Vitor Vieira Vasconcelos
 
Análise Espacial baseada em Localização - Prática no QGis - 2024
Análise Espacial baseada em Localização - Prática no QGis - 2024Análise Espacial baseada em Localização - Prática no QGis - 2024
Análise Espacial baseada em Localização - Prática no QGis - 2024
Vitor Vieira Vasconcelos
 
Escalas, Resolução: Conceitos e aplicações
Escalas, Resolução: Conceitos e aplicaçõesEscalas, Resolução: Conceitos e aplicações
Escalas, Resolução: Conceitos e aplicações
Vitor Vieira Vasconcelos
 
Sistemas de Coordenadas e Projeções Cartográficas
Sistemas de Coordenadas e Projeções CartográficasSistemas de Coordenadas e Projeções Cartográficas
Sistemas de Coordenadas e Projeções Cartográficas
Vitor Vieira Vasconcelos
 
Atividade prática - Introdução ao QGis - parte 2
Atividade prática - Introdução ao QGis - parte 2Atividade prática - Introdução ao QGis - parte 2
Atividade prática - Introdução ao QGis - parte 2
Vitor Vieira Vasconcelos
 
Atividade prática - Introdução ao QGis, parte 1
Atividade prática - Introdução ao QGis, parte 1Atividade prática - Introdução ao QGis, parte 1
Atividade prática - Introdução ao QGis, parte 1
Vitor Vieira Vasconcelos
 
Introdução à Cartografia e Geoprocessamento - Conceitos Básicos
Introdução à Cartografia e Geoprocessamento - Conceitos  BásicosIntrodução à Cartografia e Geoprocessamento - Conceitos  Básicos
Introdução à Cartografia e Geoprocessamento - Conceitos Básicos
Vitor Vieira Vasconcelos
 
Representação Computacional do Espaço (Geoprocessamento)
Representação Computacional do Espaço (Geoprocessamento)Representação Computacional do Espaço (Geoprocessamento)
Representação Computacional do Espaço (Geoprocessamento)
Vitor Vieira Vasconcelos
 
Planejamento Sistemático de Conservação - Prática com o Marxan
Planejamento Sistemático de Conservação - Prática com o MarxanPlanejamento Sistemático de Conservação - Prática com o Marxan
Planejamento Sistemático de Conservação - Prática com o Marxan
Vitor Vieira Vasconcelos
 
Atividade prática de Biodiversidade e Agrodiversidade no R
Atividade prática de Biodiversidade e Agrodiversidade no RAtividade prática de Biodiversidade e Agrodiversidade no R
Atividade prática de Biodiversidade e Agrodiversidade no R
Vitor Vieira Vasconcelos
 
Geotecnologias avançadas - Estudos de Caso
Geotecnologias avançadas - Estudos de CasoGeotecnologias avançadas - Estudos de Caso
Geotecnologias avançadas - Estudos de Caso
Vitor Vieira Vasconcelos
 
Geotecnologias e cartografia social
Geotecnologias e cartografia socialGeotecnologias e cartografia social
Geotecnologias e cartografia social
Vitor Vieira Vasconcelos
 
Geovisualização em portais WebGIS
Geovisualização em portais WebGISGeovisualização em portais WebGIS
Geovisualização em portais WebGIS
Vitor Vieira Vasconcelos
 
Sistemas de Localização Geográfica, Georreferencialmento e Topografia
Sistemas de Localização Geográfica, Georreferencialmento e TopografiaSistemas de Localização Geográfica, Georreferencialmento e Topografia
Sistemas de Localização Geográfica, Georreferencialmento e Topografia
Vitor Vieira Vasconcelos
 

Mais de Vitor Vieira Vasconcelos (20)

Dados espaciais em R - 2023 - UFABC - Geoprocessamento
Dados espaciais em R - 2023 - UFABC - GeoprocessamentoDados espaciais em R - 2023 - UFABC - Geoprocessamento
Dados espaciais em R - 2023 - UFABC - Geoprocessamento
 
Geocodificação de endereços, roteirização e geotagging no QGis
Geocodificação de endereços, roteirização e geotagging no QGisGeocodificação de endereços, roteirização e geotagging no QGis
Geocodificação de endereços, roteirização e geotagging no QGis
 
Acesso e aquisição de bases de imagens de satélite gratuitas
Acesso e aquisição de bases de imagens de satélite gratuitasAcesso e aquisição de bases de imagens de satélite gratuitas
Acesso e aquisição de bases de imagens de satélite gratuitas
 
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISPrática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
 
Integração entre Biodiversidade, Geodiversidade e Paisagem - Estudos de Caso ...
Integração entre Biodiversidade, Geodiversidade e Paisagem - Estudos de Caso ...Integração entre Biodiversidade, Geodiversidade e Paisagem - Estudos de Caso ...
Integração entre Biodiversidade, Geodiversidade e Paisagem - Estudos de Caso ...
 
Sensoriamento remoto - Introdução - 2024
Sensoriamento remoto - Introdução - 2024Sensoriamento remoto - Introdução - 2024
Sensoriamento remoto - Introdução - 2024
 
Anáise espacial baseada em distância - Prática no QGis - 2024
Anáise espacial baseada em distância - Prática no QGis  - 2024Anáise espacial baseada em distância - Prática no QGis  - 2024
Anáise espacial baseada em distância - Prática no QGis - 2024
 
Análise Espacial baseada em Localização - Prática no QGis - 2024
Análise Espacial baseada em Localização - Prática no QGis - 2024Análise Espacial baseada em Localização - Prática no QGis - 2024
Análise Espacial baseada em Localização - Prática no QGis - 2024
 
Escalas, Resolução: Conceitos e aplicações
Escalas, Resolução: Conceitos e aplicaçõesEscalas, Resolução: Conceitos e aplicações
Escalas, Resolução: Conceitos e aplicações
 
Sistemas de Coordenadas e Projeções Cartográficas
Sistemas de Coordenadas e Projeções CartográficasSistemas de Coordenadas e Projeções Cartográficas
Sistemas de Coordenadas e Projeções Cartográficas
 
Atividade prática - Introdução ao QGis - parte 2
Atividade prática - Introdução ao QGis - parte 2Atividade prática - Introdução ao QGis - parte 2
Atividade prática - Introdução ao QGis - parte 2
 
Atividade prática - Introdução ao QGis, parte 1
Atividade prática - Introdução ao QGis, parte 1Atividade prática - Introdução ao QGis, parte 1
Atividade prática - Introdução ao QGis, parte 1
 
Introdução à Cartografia e Geoprocessamento - Conceitos Básicos
Introdução à Cartografia e Geoprocessamento - Conceitos  BásicosIntrodução à Cartografia e Geoprocessamento - Conceitos  Básicos
Introdução à Cartografia e Geoprocessamento - Conceitos Básicos
 
Representação Computacional do Espaço (Geoprocessamento)
Representação Computacional do Espaço (Geoprocessamento)Representação Computacional do Espaço (Geoprocessamento)
Representação Computacional do Espaço (Geoprocessamento)
 
Planejamento Sistemático de Conservação - Prática com o Marxan
Planejamento Sistemático de Conservação - Prática com o MarxanPlanejamento Sistemático de Conservação - Prática com o Marxan
Planejamento Sistemático de Conservação - Prática com o Marxan
 
Atividade prática de Biodiversidade e Agrodiversidade no R
Atividade prática de Biodiversidade e Agrodiversidade no RAtividade prática de Biodiversidade e Agrodiversidade no R
Atividade prática de Biodiversidade e Agrodiversidade no R
 
Geotecnologias avançadas - Estudos de Caso
Geotecnologias avançadas - Estudos de CasoGeotecnologias avançadas - Estudos de Caso
Geotecnologias avançadas - Estudos de Caso
 
Geotecnologias e cartografia social
Geotecnologias e cartografia socialGeotecnologias e cartografia social
Geotecnologias e cartografia social
 
Geovisualização em portais WebGIS
Geovisualização em portais WebGISGeovisualização em portais WebGIS
Geovisualização em portais WebGIS
 
Sistemas de Localização Geográfica, Georreferencialmento e Topografia
Sistemas de Localização Geográfica, Georreferencialmento e TopografiaSistemas de Localização Geográfica, Georreferencialmento e Topografia
Sistemas de Localização Geográfica, Georreferencialmento e Topografia
 

Último

Egito antigo resumo - aula de história.pdf
Egito antigo resumo - aula de história.pdfEgito antigo resumo - aula de história.pdf
Egito antigo resumo - aula de história.pdf
sthefanydesr
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
TomasSousa7
 
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptxAula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
edivirgesribeiro1
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptxSlides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
TomasSousa7
 
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
MessiasMarianoG
 
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdfPowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
1000a
 
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números RacionaisPotenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
wagnermorais28
 
apresentação sobre Clarice Lispector .pptx
apresentação sobre Clarice Lispector .pptxapresentação sobre Clarice Lispector .pptx
apresentação sobre Clarice Lispector .pptx
JuliaMachado73
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Mary Alvarenga
 
Atividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º anoAtividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º ano
fernandacosta37763
 
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
ValdineyRodriguesBez1
 
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdflivro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
cmeioctaciliabetesch
 
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
LucianaCristina58
 
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Biblioteca UCS
 
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - AlfabetinhoAtividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
MateusTavares54
 
QUIZ - HISTÓRIA 9º ANO - PRIMEIRA REPÚBLICA_ERA VARGAS.pptx
QUIZ - HISTÓRIA  9º ANO - PRIMEIRA REPÚBLICA_ERA VARGAS.pptxQUIZ - HISTÓRIA  9º ANO - PRIMEIRA REPÚBLICA_ERA VARGAS.pptx
QUIZ - HISTÓRIA 9º ANO - PRIMEIRA REPÚBLICA_ERA VARGAS.pptx
AntonioVieira539017
 
0002_matematica_6ano livro de matemática
0002_matematica_6ano livro de matemática0002_matematica_6ano livro de matemática
0002_matematica_6ano livro de matemática
Giovana Gomes da Silva
 
Sinais de pontuação
Sinais de pontuaçãoSinais de pontuação
Sinais de pontuação
Mary Alvarenga
 

Último (20)

Egito antigo resumo - aula de história.pdf
Egito antigo resumo - aula de história.pdfEgito antigo resumo - aula de história.pdf
Egito antigo resumo - aula de história.pdf
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
 
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptxAula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
 
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptxSlides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
 
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
 
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdfPowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
 
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números RacionaisPotenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
 
apresentação sobre Clarice Lispector .pptx
apresentação sobre Clarice Lispector .pptxapresentação sobre Clarice Lispector .pptx
apresentação sobre Clarice Lispector .pptx
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
 
Atividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º anoAtividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º ano
 
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
 
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdflivro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
 
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
 
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
 
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - AlfabetinhoAtividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
 
QUIZ - HISTÓRIA 9º ANO - PRIMEIRA REPÚBLICA_ERA VARGAS.pptx
QUIZ - HISTÓRIA  9º ANO - PRIMEIRA REPÚBLICA_ERA VARGAS.pptxQUIZ - HISTÓRIA  9º ANO - PRIMEIRA REPÚBLICA_ERA VARGAS.pptx
QUIZ - HISTÓRIA 9º ANO - PRIMEIRA REPÚBLICA_ERA VARGAS.pptx
 
0002_matematica_6ano livro de matemática
0002_matematica_6ano livro de matemática0002_matematica_6ano livro de matemática
0002_matematica_6ano livro de matemática
 
Sinais de pontuação
Sinais de pontuaçãoSinais de pontuação
Sinais de pontuação
 

Diversidade - Biodiversidade, Agrodiversidade, Sociodiversidade, Geodiversidade

  • 1. Diversidade Ana Silvia Andreu da Fonseca Christian Ricardo Ribeiro Vitor Vieira Vasconcelos Universidade Federal do ABC São Bernardo do campo-SP Fevereiro de 2024
  • 2. Conteúdo ● Diversidade de sistemas ● Métricas de diversidade ● Biodiversidade – Riqueza, equabilidade, diversidade – Diversidade filogenética – Diversidade funcional – Diversidade alfa, beta e gama
  • 3. O que vocês aprenderam sobre Biodiversidade na disciplina de “Biodiversidade: interações entre organismos e ambiente?”
  • 5. Extensão da diversidade Áreas nativas Áreas agropecuárias Áreas urbanas Ecossistemas Agroecossistemas Ecossistemas Urbanos Diversidade biológica Geodiversidade E a sociodiversidade? Petrişor, A. I. (2012). Comparative critical analysis of the systemic approach to the organization of the environment from the perspective of ecology, geography and spatial. Geopolitics, History, and International Relations, 4(2), 289-303.
  • 6. Porque a diversidade é importante? ● Recursos para sobrevivência de seres humanos e demais seres vivos – Alimentos – Recursos naturais – Saúde – Conhecimento ● Riqueza da experiência do mundo ● Valor intrínseco de cada ser vivo
  • 7. Primeira etapa de um diagnóstico territorial ● Inventário – Que elementos nós temos em um território? – Quais são os processos (ligações) entre esses elementos? ● Quão complexo (diverso) é esse sistema?
  • 8. Biodiversidade ● Já foram identificadas 1,75 milhões de espécies ● Estima-se que o planeta tenha em torno de 11 milhões de espécies Larsen, Brendan B.; Miller, Elizabeth C.; Rhodes, Matthew K.; Wiens, John J. (September 2017). "Inordinate Fondness Multiplied and Redistributed: the Number of Species on Earth and the New Pie of Life". The Quarterly Review of Biology. 92 (3): 229–265. doi:10.1086/693564. ISSN 0033-5770
  • 9. Diversidade ● Ecossistemas mais diversos teriam maior redundância funcional, BERKES, Fikret; COLDING, Johan; FOLKE, Carl (Ed.). Navigating social-ecological systems: building resilience for complexity and change. Cambridge university press, p. 83-114, 2003. NORBERG, Jon et al. Diversity and resilience of social-ecological systems. In: NORBERG, Jon; CUMMING, Graeme. Complexity theory for a sustainable future. Columbia University Press, p. 46-80, 2008. Elementos diferentes, mas que podem realizar os mesmos processos sendo mais estáveis frente a impactos  Menos vulneráveis a impactos  Mais resilientes – recuperação após impactos  Melhor adaptação a novos ambientes
  • 10. Sistema sem redundância Sistema com redundância SANDERS, Dirk et al. Trophic redundancy reduces vulnerability to extinction cascades. Proceedings of the National Academy of Sciences, v. 115, n. 10, p. 2419-2424, 2018. Hiperparasitóides Hiperparasitóides
  • 11. Herbívoros Parasitóides (alimentam-se de herbívoros) SANDERS, Dirk et al. Trophic redundancy reduces vulnerability to extinction cascades. Proceedings of the National Academy of Sciences, v. 115, n. 10, p. 2419-2424, 2018. Semanas Semanas Espécies de parasitóides Espécies de herbívoros Sem coleta Com coleta Sem coleta Com coleta
  • 12. Diversidade ● Agricultura – Áreas com maior diversidade tem menor expansão de pragas e têm mais polinizadores ● Geossistemas – Sistemas complexos podem prover recursos naturais alternativos caso algum falte ● Sociedade – Diversidade de perspectivas e conhecimentos auxilia no diálogo para lidar com impactos e mudanças Gray, M. (2011). Other nature: geodiversity and geosystem services. Environmental Conservation, 38(3), 271-274. GURR, Geoff M.; WRATTEN, Stephen D.; SNYDER, William E. (Ed.). Biodiversity and insect pests: key issues for sustainable management. John Wiley & Sons, 2012. NICHOLLS, Clara I.; ALTIERI, Miguel A. Plant biodiversity enhances bees and other insect pollinators in agroecosystems. A review. Agronomy for Sustainable development, v. 33, p. 257-274, 2013. NORBERG, Jon et al. Diversity and resilience of social-ecological systems. In: NORBERG, Jon; CUMMING, Graeme. Complexity theory for a sustainable future. Columbia University Press, p. 46-80, 2008.
  • 13. Qual dessas paisagens possui maior diversidade?
  • 14. Qual dessas paisagens possui maior diversidade?
  • 15. Qual dessas paisagens possui maior diversidade?
  • 16. Qual dessas paisagens possui maior diversidade?
  • 17. Qual dessas paisagens possui maior diversidade?
  • 18. Qual dessas paisagens possui maior diversidade?
  • 19. Tipos de Biodiversidade Genética Espécies Ecossistemas
  • 20. Dimensões da biodiversidade Escalas Componentes Padrões Processos Genes Estrutura do DNA Variabilidade do DNA da comunidade Mutações e cruzamentos Espécies Composição das comunidades Distribuição das espécies Dinâmica demográfica Ecossistemas Tipos de ecossistemas Estruturação interna dos ecossistemas Relações entre espécies e recursos naturais Paisagens Tipos de paisagem Padrões de paisagens Dinâmica de paisagens Noss, R.F., 1990. Indicatorsfor monitoringbiodiversity - ahierarchical approach. Conserv. Biol. 4(4), 355–364.
  • 25. Biodiversidade genética Samuels, David C. Et al. (Genetics – 2016). Reanalysis of the 1000 genomes project dataset. Diversidade genética humana global Variabilidade Genética Menor Maior
  • 26. Como medir a diversidade? Áreas de conhecimento Métodos Ecologia Índices de riqueza/equabilidade Diversidade alpha, beta e gamma Geosciências Mapeamento de diversidade de kernel Ciências sociais Índices de segregação
  • 27. Qual dessas paisagens é mais diversa? 2 espécies 3 espécies Riqueza
  • 28. Quais dessas paisagens são mais diversas? 2 espécies 3 espécies 3 espécies
  • 30. Índice de Equabilidade de Shannon onde p = proporção da abundância de uma espécie em relação à abundância total s = número de espécies ln(S) 1 – Máximo de equabilidade 0 – Mínimo de equabilidade Shannon, C. E. (1948) A mathematical theory of communication. The Bell System Technical Journal, 27, 379–423 and 623–656. Teoria da informação, derivada da teoria de sistemas p = n/S n = abundância da espécie S = abundância total
  • 32. Índices de Biodiversidade ● Shannon – Combina riqueza com equitabilidade onde p = proporção da abundância de uma espécie em relação à abundância total s = número de espécies Shannon, C. E. (1948) A mathematical theory of communication. The Bell System Technical Journal, 27, 379–423 and 623–656.
  • 34. Índices de Biodiversidade ● Simpson – Probabilidade de escolher dois espécimes, aleatoriamente, e eles serem de espécies diferentes – Mais importância para abundância do que o índice de Shannon Onde p = proporção da abundância de uma espécie em relação à abundância total Simpson, E. H. (1949). "Measurement of diversity". Nature. 163 (4148): 688. 1-Σp2
  • 36. Séries de Hill (Σpa )1/(1-a) onde p = proporção da abundância de uma espécie em relação à abundância total a = nível da série de Hill (a≥0 e a≠1): 0 = riqueza de espécies 0,99... = proporcional à diversidade de Shannon 2 = proporcional à diversidade de Simpson … ∞ = maior influência da equabilidade Hill, M. O. (1973). "Diversity and evenness: a unifying notation and its consequences". Ecology. 54 (2): 427–432. Bibcode:1973Ecol...54..427H. doi:10.2307/1934352. JSTOR 1934352 Maior influência do número de espécies Maior influência da equabilildade
  • 37. 0 0,99 2 3 4 100 0 0,5 1 1,5 2 2,5 3 3,5 Séries de Hill A B A B B A A C C X Y Z X Z Y Diversidade Nível de Hill R i q u e z a S h a n n o n S i m p s o n
  • 38. Agro-Biodiversidade Gaisberger, Hannes, et al. (2014) Identifying global hotspots of agricultural and tree biodiversity and poverty for the strategic sharpening of Bioversity's priority research areas. Alliance of Biodiversity International.http://dx.doi.org/10.13140/RG.2.2.12818.96966 Número de culturas agrícolas por hectare
  • 39. Equabilidade de culturas agrícolas Beltran, Marcela, et al. (2012) World Crop Evenness. Biodiversity International. https://www.flickr.com/photos/bioversity/10420776796 Equabilidade de espécies 1 – Alta 0 - Baixa
  • 40. Riqueza Filogenética OLIVEIRA JUNIOR, José Max Barbosa. A Produção do Conhecimento nas Ciências Biológicas. Atena Editora 2019 Tempo de evolução Ancestral comum
  • 41. Diversidade Filogenética Tempo BRÄNNSTRÖM, Åke; CARLSSON, Linus; ROSSBERG, Axel G. Rigorous conditions for food-web intervality in high-dimensional trophic niche spaces. Journal of Mathematical Biology, v. 63, p. 575-592, 2011. Espécies A B C D Diferença (riqueza) 2 10
  • 42. Diversidade Filogenética Tempo BRÄNNSTRÖM, Åke; CARLSSON, Linus; ROSSBERG, Axel G. Rigorous conditions for food-web intervality in high-dimensional trophic niche spaces. Journal of Mathematical Biology, v. 63, p. 575-592, 2011. Espécies A B C D A B C D A 0 6 6 10 B 6 0 2 10 C 6 2 0 10 D 10 10 10 0 Matriz de distâncias Diversidade filogenética = soma de todas as distâncias da matriz
  • 43. Diversidade Filogenética Alta diversidade filogenética Baixa diversidade filogenética CHELICK, Carmen Christine. Predicting taxonomic, functional and phylogenetic diversity of plant assemblages in the Okanagan Ecoregion. 2019. Tese de Doutorado. University of British Columbia. 3 espécies 3 espécies Ecossistema A Ecossistema B
  • 44. Riqueza de espécies de mamíferos Diversidade filogenética de mamíferos DAVIES, T. Jonathan; BUCKLEY, Lauren B. Phylogenetic diversity as a window into the evolutionary and biogeographic histories of present-day richness gradients for mammals. Philosophical Transactions of the Royal Society B: Biological Sciences, v. 366, n. 1576, p. 2414-2425, 2011.
  • 45. Recursos X Biodiversidade Evapotranspiração anual (mm) Evapotranspiração anual (mm) Riqueza de espécies de árvores Riqueza de espécies de vertebrados Árvores Vertebrados
  • 46. Diversidade Funcional ● Diversidade de características dos seres vivos ● Quais seriam as características mais relevantes em um ecossistema? ● Exemplo das plantas: – Produtividade de biomassa (alimento) – Produz flores (néctar) e/ou frutos e sementes comestíveis? – Capacidade de fixar nitrogênio no solo – Cobertura de copa (a luz consegue passar?) – Perde as folhas na estão seca?
  • 47. TRY – Plant Trait Database https://www.try-db.org/TryWeb/Home.php
  • 48. Qual desses ecossistemas é funcionalmente mais diverso? Atributo B Atr ibu to A VILLÉGER, Sébastien; MASON, Norman WH; MOUILLOT, David. New multidimensional functional diversity indices for a multifaceted framework in functional ecology. Ecology, v. 89, n. 8, p. 2290-2301, 2008. Atributo B Atr ibu to A Ecossistema X Ecossistema Y O tamanho de cada círculo é a abundância de cada espécie
  • 49. Riqueza Funcional Área dos atributos Atributo B Atr ibu to A VILLÉGER, Sébastien; MASON, Norman WH; MOUILLOT, David. New multidimensional functional diversity indices for a multifaceted framework in functional ecology. Ecology, v. 89, n. 8, p. 2290-2301, 2008. Atributo B Atr ibu to A Ecossistema X Ecossistema Y Maior área = Maior riqueza Menor área = Menor riqueza
  • 50. Equabilidade Funcional Distância do centro médio dos atributos para o centro médio do espaço de atributos Atributo B Atr ibu to A VILLÉGER, Sébastien; MASON, Norman WH; MOUILLOT, David. New multidimensional functional diversity indices for a multifaceted framework in functional ecology. Ecology, v. 89, n. 8, p. 2290-2301, 2008. Atributo B Atr ibu to A Ecossistema X Ecossistema Y Maior distância= Menos equabilidade Menor distância= Mais equabilidade
  • 51. Diversidade Funcional Área do círculo da distância média ao centro médio Atributo B Atr ibu to A VILLÉGER, Sébastien; MASON, Norman WH; MOUILLOT, David. New multidimensional functional diversity indices for a multifaceted framework in functional ecology. Ecology, v. 89, n. 8, p. 2290-2301, 2008. Atributo B Atr ibu to A Ecossistema X Ecossistema Y Maior círculo = Maior diversidade Menor círculo = Menor diversidade Distância média Distância média
  • 52. Diversidade de Pássaros e Mamíferos GIRARDELLO, Marco et al. Global synergies and trade-offs between multiple dimensions of biodiversity and ecosystem services. Scientific Reports, v. 9, n. 1, p. 5636, 2019. Riqueza de espécies Diversidade Funcional Diversidade Filogenética Média dos 3 índices de Biodiversidade
  • 53. Diversidade Cultural Riqueza e equabilidade de etnias, linguagens e religiões Fisher, M. (2013). A revealing map of the world’s most and least ethnically diverse countries. The Washington Post, 16. Mais diversos Menos diversos
  • 54. Biodiversidade x Diversidade de linguagens Diversidade Linguística Diversidade Linguística Riqueza de espécies de mamíferos e pássaros Scholes, R., Montanarella, L., Brainich, A., Barger, N., ten Brink, B., Cantele, M., ... & Willemen, L. (2018). The assessment report on Land degradation and restoration. Intergovernmental Science- Policy Platform on Biodiversity and Ecosystem Services. Bonn, Germany [accessed 2021 January 04]. https://ipbes.net/sites/default/files/2018_ldr_full_report_book_v4_pages.pdf
  • 55. Biodiversidade na paisagem ● Conforme se caminha em uma paisagem, que espécies – Deixam de aparecer? – Começam a aparecer? – Continuam aparecendo?
  • 56. Biodiversidade na paisagem McCune, B., & Grace, J. B. (2002). Analysis of ecological communities. Oregon: MJM % de similaridade da composição de espécies Distância entre os pontos de amostragem
  • 57. Biodiversidade na paisagem Alfa Alfa Alfa Beta Gama Beta Beta Diversidade: Alfa = dentro de cada unidade de amostragem Beta = diferença entre as unidades de amostragem Gama = diversidade considerando todas as unidades de amostragem juntas
  • 58. Diversidade Beta Alfa Alfa Alfa Beta Gama Beta Beta Multiplicativa: Beta = Diversidade Gama Média das diversidades alfa Aditiva: Beta = Diversidade gama - Média das diversidades alfa 3 4 2 6 Beta = 6 = 2 3 Beta = 6 – 3 = 3
  • 59. O que vocês aprenderam nesta aula, até agora, comparado ao conteúdo aprendido na disciplina de “Biodiversidade: interações entre organismos e ambiente?”