SlideShare uma empresa Scribd logo
Análise de Dados Espaciais:
Baseadas na Distância
Cartografia e Geoprocessamento para o Planejamento Territorial
Carolina Moutinho Duque de Pinho
Flávia da Fonseca Feitosa
Vitor Vieira Vasconcelos
Março de 2024
Universidade Federal do ABC
Análises Baseadas na Distância
Envolvem a capacidade de calcular e manipular
distâncias
1. Medição de distância e comprimento
2. Geração de faixas de distância (buffer)
3. Estimativa da densidade
Importante:
Para análise de distância, é recomendado manter
sempre em uma projeção projetada, em metros,
tais como a UTM
Medição Distância e Comprimento
Medição Distância e Comprimento
Geração de Faixas de Distância (Buffer)
Dado um conjunto de objetos, que pode incluir
pontos, linhas ou áreas, uma operação de geração de
faixas de distância constrói um ou mais novos
objetos identificando áreas que estão a uma certa
distância especificada dos objetos originais.
É possível tanto nos formatos matriciais quanto
vetoriais.
Geração de Faixas de Distância (Buffer)
Cria uma zona ao redor de feições específicas com uma
distância pré-determinada.
Exemplo:
Zona de influência ao longo de determinada rodovia ou ao redor
de um conjunto de escolas.
Geração de Faixas de Distância (Buffer)
Geração de Faixas de Distância (Buffer)
Exercício: Gerar uma faixa de distância em
torno de um determinado ponto
(empreendimento residencial, escola, etc.)
Obs.: lembre-se de selecionar um ponto!
Vetor > Geoprocessamento > Buffer
Para utilizar distâncias em
metros, lembre-se que o
dado deve apresentar
coordenadas métricas
Geração de Faixas de Distância (Buffer)
Gerar uma faixa de distância em torno de um determinado ponto
(empreendimento residencial, escola, etc.)
Obs.: lembre-se de selecionar um ponto!
Vetor > Geoprocessamento > Buffer
Buffer
Marcar:
“Apenas as
feições
selecionadas”
Distância:
1500 metros
Geração de Faixas de Distância (Buffer)
Estimativa de Densidade Kernel
Mapa de Pontos de Focos de Queimada Mapa de kernel de Focos de Queimada
Kazmierczak, M. 2015. Queimadas em Cana-de-Açúcar: Monitoramento e Prevenção. MundoGeo. Em:
http://mundogeo.com/blog/2015/09/28/queimadas-em-areas-de-cana-de-acucar-monitoramento-e-prevencao-2/
Estimativa de Densidade Kernel
ODDI, G. 2014. Mapa de calor: como atuam os candidatos ao meio-campo ofensivo da seleção de Felipão. ESPN. Em:
http://espn.uol.com.br/post/388493_mapa-de-calor-como-atuam-os-candidatos-ao-meio-campo-ofensivo-da-selecao-de-felipao
Estimativa de Densidade Kernel
Concentração de Incêndios urbanos Concentração de Hidrantes
Comparação de Zonas Quentes e Frias
SANTOS, L.S. 2014. Geoprocessamento aplicado a gestão e análise das ocorrências de incêndios urbanos no
centro histórico de Belém-PA - 2009 a 2011. Faculdade Internacional de Curitiba.
CÂMARA, Gilberto; CARVALHO, Marilia Sá. Análise espacial de eventos. Em: Análise espacial de dados
geográficos. Embrapa Cerrados, Planaltina, p. 53-122, 2004.
Estimativa de Densidade Kernel
CONVOLUÇÃO: Uma função de ponderação é escolhida
e aplicada às feições próximas
Estimativa de Densidade Kernel
BERGAMASCHI, R. B. SIG Aplicado a segurança no trânsito - Estudo de Caso no município de Vitória – ES.
Universidade Federal do Espírito Santo – UFES, 2010.
Estimativa de Densidade Kernel
Amberg, B. 2008. A Range of Different Kernels. Em: https://commons.wikimedia.org/wiki/File:Kernels.svg
Primeiro passo:
Especificar uma
função kernel
Estimativa de Densidade Kernel
Estimativa de Densidade Kernel
BERGAMASCHI, R. B. SIG Aplicado a segurança no trânsito - Estudo de Caso no município de Vitória – ES.
Universidade Federal do Espírito Santo – UFES, 2010.
Somando o kernel de cada ponto
Estimativa de Densidade Kernel
Somando o kernel
de cada ponto
Estimativa de Densidade Kernel
Alterando o Raio do Kernel
Estimativa de Densidade Kernel
Diferentes Raios
para o Kernel
Fowler, H.G. 2013. Amostragem por pontos. Ecologia de
Populações. Em:
http://pt.slideshare.net/popecologia/amostragem-pontual
Estimativa de Densidade Kernel
Qual raio de Kernel escolher?
Transições graduais Raios maiores
Pequenos agrupamentos Raios menores
Kernel: Prática no QGIS
Caixa de Ferramentas de Processamento >
Mapa de calor (estimative de densidade Kernel)
Estimar densidade de empreendimentos residenciais
na RMSP
Para utilizar distâncias em metros, lembre-se que o dado deve apresentar
coordenadas métricas
Kernel: Prática no QGIS
Em “parâmetros avançados”-
advanced parameters,
é possível:
especificar a forma da função
kernel - kernel shape;
Aplicar raios diferenciados às
feições (por exemplo, pode-se
atribuir um raio mais
abrangente para um hospital
do que para um posto de
saúde) – radius from field;
dar um peso diferente às
amostras de pontos- weight
from field (por exemplo, pode-
se ponderar escolas em função
do número de matrículas
QGIS: “Heat Maps”
Vamos melhorar a
apresentaçao dos resultados?
QGIS: “Heat Maps”
QGIS: “Heat Maps”
Kernel: Prática no QGIS
Atividade
Faça o mapa de kernel com outros raios, e compare
os resultados
Estimar densidade de empreendimentos residenciais
na RMSP
Kernel
ponderado
Raio: 3000 metros
Tamanho do pixel: 150 metros
Parâmetros avançados:
Weight from field:
TT_UNID
(unidades por empreendimento
Kernel ponderado
Kernel simples
Mapa de Proximidade
▪ Distância a
serviços
urbanos
CUPOLO, S. 2010. Law Enforcemet:
Washington DC. Module 8.
http://seancgeoginfosyst.blogspot.com.br/2010/07/module-8-law-enforcemet-washington-dc.html
Mapa de Proximidade
▪ Distância a
serviços
urbanos
UNICEF. 2015. Doro Camp, Distance from School. Em:
http://reliefweb.int/map/south-sudan/south-sudan-maban-county-upper-nile-state-doro-camp-distance-school-december-2015
Mapas de Proximidade
Distância da Mancha Urbana Distância da Malha Viária
Modelagem de mudanças no uso do solo
ALMEIDA, R.M. 2016. Inferência espacial usando QGIS. Em: http://qgisnapratica.blogspot.com.br/
Mapa de Proximidade ou de Kernel?
➢ Visualmente semelhantes
▪ Distância e densidade estão inversamente relacionadas
▪ Ambas são adequados para análise exploratória
➢ Diferenças:
Mapa de Kernel Mapa de
Proximidade
Foco em densidade (ocorrência/km2) Foco em distância (km2)
Mais flexibilidade
(ajuste de kernel e raio)
Mais simples
(menos suposições sobre o fenômeno)
Pode ser calibrada para previsões Pode ser ajustada para barreiras e
atrito
Converter lançamentos imobiliários para
formato raster
Valor fixo para gravar:
1
Unidades de tamanho de
saída:
Unidades
georreferenciadas
Resolução (horizontal e
vertical):
50
Análise de agrupamentos
pontuais
https://medium.com/@jayaramganesh238/dbscan-clustering-dea27873ed30
Análise de Agrupamentos Pontuais
https://towardsdatascience.com/how-dbscan-works-and-why-should-i-use-it-443b4a191c80
DBSCAN
K-means
DBSCAN – Pontos a um certa distância entre si
https://en.wikipedia.org/wiki/DBSCAN#/media/File:DBSCAN-Illustration.svg
https://en.wikipedia.org/wiki/DBSCAN#/media/File:DBSCAN-density-data.svg
Tamanho mínimo
de grupo:
5
Máxima distância:
500 metros
Tabela de atributos da camada gerada
▪ Cluster ID:
Número do grupo
▪ Cluster Si
Número de pontos no
grupo
Desmarcar os
pontos sem grupos
Distância entre pontos de origem e destino
▪ Abrir a camada de Equipamentos de Saúde:
SAU2022_RMSP_CEM_sirgas_2000_UTM_23S.shp
Qual é a distância
mínima de cada
empreendimento
imobiliário até o
equipamento de
saúde mais próximo?
Distância entre pontos de origem e destino
▪ Origem:
Lançamentos
imobiliários
(LanRes)
▪ Alvo
Equipamentos
de saúde
(SAU)
▪ Pontos
próximos (K):
1
Distância
entre
pontos de
origem e
destino
▪ Abrir a tabela de atributos da camada resultante
Distância entre pontos de origem e destino
▪ Propriedades -> Simbologia -> Categorizado
▪ Modo: Intervalo igual
Anáise espacial baseada em distância - Prática no QGis  - 2024

Mais conteúdo relacionado

Mais de Vitor Vieira Vasconcelos

Dados espaciais em R - 2023 - UFABC - Geoprocessamento
Dados espaciais em R - 2023 - UFABC - GeoprocessamentoDados espaciais em R - 2023 - UFABC - Geoprocessamento
Dados espaciais em R - 2023 - UFABC - Geoprocessamento
Vitor Vieira Vasconcelos
 
Geocodificação de endereços, roteirização e geotagging no QGis
Geocodificação de endereços, roteirização e geotagging no QGisGeocodificação de endereços, roteirização e geotagging no QGis
Geocodificação de endereços, roteirização e geotagging no QGis
Vitor Vieira Vasconcelos
 
Acesso e aquisição de bases de imagens de satélite gratuitas
Acesso e aquisição de bases de imagens de satélite gratuitasAcesso e aquisição de bases de imagens de satélite gratuitas
Acesso e aquisição de bases de imagens de satélite gratuitas
Vitor Vieira Vasconcelos
 
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISPrática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Vitor Vieira Vasconcelos
 
Integração entre Biodiversidade, Geodiversidade e Paisagem - Estudos de Caso ...
Integração entre Biodiversidade, Geodiversidade e Paisagem - Estudos de Caso ...Integração entre Biodiversidade, Geodiversidade e Paisagem - Estudos de Caso ...
Integração entre Biodiversidade, Geodiversidade e Paisagem - Estudos de Caso ...
Vitor Vieira Vasconcelos
 
Sensoriamento remoto - Introdução - 2024
Sensoriamento remoto - Introdução - 2024Sensoriamento remoto - Introdução - 2024
Sensoriamento remoto - Introdução - 2024
Vitor Vieira Vasconcelos
 
Análise Espacial baseada em Localização - Prática no QGis - 2024
Análise Espacial baseada em Localização - Prática no QGis - 2024Análise Espacial baseada em Localização - Prática no QGis - 2024
Análise Espacial baseada em Localização - Prática no QGis - 2024
Vitor Vieira Vasconcelos
 
Escalas, Resolução: Conceitos e aplicações
Escalas, Resolução: Conceitos e aplicaçõesEscalas, Resolução: Conceitos e aplicações
Escalas, Resolução: Conceitos e aplicações
Vitor Vieira Vasconcelos
 
Sistemas de Coordenadas e Projeções Cartográficas
Sistemas de Coordenadas e Projeções CartográficasSistemas de Coordenadas e Projeções Cartográficas
Sistemas de Coordenadas e Projeções Cartográficas
Vitor Vieira Vasconcelos
 
Atividade prática - Introdução ao QGis - parte 2
Atividade prática - Introdução ao QGis - parte 2Atividade prática - Introdução ao QGis - parte 2
Atividade prática - Introdução ao QGis - parte 2
Vitor Vieira Vasconcelos
 
Atividade prática - Introdução ao QGis, parte 1
Atividade prática - Introdução ao QGis, parte 1Atividade prática - Introdução ao QGis, parte 1
Atividade prática - Introdução ao QGis, parte 1
Vitor Vieira Vasconcelos
 
Introdução à Cartografia e Geoprocessamento - Conceitos Básicos
Introdução à Cartografia e Geoprocessamento - Conceitos  BásicosIntrodução à Cartografia e Geoprocessamento - Conceitos  Básicos
Introdução à Cartografia e Geoprocessamento - Conceitos Básicos
Vitor Vieira Vasconcelos
 
Representação Computacional do Espaço (Geoprocessamento)
Representação Computacional do Espaço (Geoprocessamento)Representação Computacional do Espaço (Geoprocessamento)
Representação Computacional do Espaço (Geoprocessamento)
Vitor Vieira Vasconcelos
 
Relações entre espécies e características ambientais - Prática de modelagem d...
Relações entre espécies e características ambientais - Prática de modelagem d...Relações entre espécies e características ambientais - Prática de modelagem d...
Relações entre espécies e características ambientais - Prática de modelagem d...
Vitor Vieira Vasconcelos
 
Planejamento Sistemático de Conservação - Prática com o Marxan
Planejamento Sistemático de Conservação - Prática com o MarxanPlanejamento Sistemático de Conservação - Prática com o Marxan
Planejamento Sistemático de Conservação - Prática com o Marxan
Vitor Vieira Vasconcelos
 
Atividade prática de Biodiversidade e Agrodiversidade no R
Atividade prática de Biodiversidade e Agrodiversidade no RAtividade prática de Biodiversidade e Agrodiversidade no R
Atividade prática de Biodiversidade e Agrodiversidade no R
Vitor Vieira Vasconcelos
 
Diversidade - Biodiversidade, Agrodiversidade, Sociodiversidade, Geodiversidade
Diversidade - Biodiversidade, Agrodiversidade, Sociodiversidade, GeodiversidadeDiversidade - Biodiversidade, Agrodiversidade, Sociodiversidade, Geodiversidade
Diversidade - Biodiversidade, Agrodiversidade, Sociodiversidade, Geodiversidade
Vitor Vieira Vasconcelos
 
Geotecnologias avançadas - Estudos de Caso
Geotecnologias avançadas - Estudos de CasoGeotecnologias avançadas - Estudos de Caso
Geotecnologias avançadas - Estudos de Caso
Vitor Vieira Vasconcelos
 
Geotecnologias e cartografia social
Geotecnologias e cartografia socialGeotecnologias e cartografia social
Geotecnologias e cartografia social
Vitor Vieira Vasconcelos
 
Geovisualização em portais WebGIS
Geovisualização em portais WebGISGeovisualização em portais WebGIS
Geovisualização em portais WebGIS
Vitor Vieira Vasconcelos
 

Mais de Vitor Vieira Vasconcelos (20)

Dados espaciais em R - 2023 - UFABC - Geoprocessamento
Dados espaciais em R - 2023 - UFABC - GeoprocessamentoDados espaciais em R - 2023 - UFABC - Geoprocessamento
Dados espaciais em R - 2023 - UFABC - Geoprocessamento
 
Geocodificação de endereços, roteirização e geotagging no QGis
Geocodificação de endereços, roteirização e geotagging no QGisGeocodificação de endereços, roteirização e geotagging no QGis
Geocodificação de endereços, roteirização e geotagging no QGis
 
Acesso e aquisição de bases de imagens de satélite gratuitas
Acesso e aquisição de bases de imagens de satélite gratuitasAcesso e aquisição de bases de imagens de satélite gratuitas
Acesso e aquisição de bases de imagens de satélite gratuitas
 
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISPrática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
 
Integração entre Biodiversidade, Geodiversidade e Paisagem - Estudos de Caso ...
Integração entre Biodiversidade, Geodiversidade e Paisagem - Estudos de Caso ...Integração entre Biodiversidade, Geodiversidade e Paisagem - Estudos de Caso ...
Integração entre Biodiversidade, Geodiversidade e Paisagem - Estudos de Caso ...
 
Sensoriamento remoto - Introdução - 2024
Sensoriamento remoto - Introdução - 2024Sensoriamento remoto - Introdução - 2024
Sensoriamento remoto - Introdução - 2024
 
Análise Espacial baseada em Localização - Prática no QGis - 2024
Análise Espacial baseada em Localização - Prática no QGis - 2024Análise Espacial baseada em Localização - Prática no QGis - 2024
Análise Espacial baseada em Localização - Prática no QGis - 2024
 
Escalas, Resolução: Conceitos e aplicações
Escalas, Resolução: Conceitos e aplicaçõesEscalas, Resolução: Conceitos e aplicações
Escalas, Resolução: Conceitos e aplicações
 
Sistemas de Coordenadas e Projeções Cartográficas
Sistemas de Coordenadas e Projeções CartográficasSistemas de Coordenadas e Projeções Cartográficas
Sistemas de Coordenadas e Projeções Cartográficas
 
Atividade prática - Introdução ao QGis - parte 2
Atividade prática - Introdução ao QGis - parte 2Atividade prática - Introdução ao QGis - parte 2
Atividade prática - Introdução ao QGis - parte 2
 
Atividade prática - Introdução ao QGis, parte 1
Atividade prática - Introdução ao QGis, parte 1Atividade prática - Introdução ao QGis, parte 1
Atividade prática - Introdução ao QGis, parte 1
 
Introdução à Cartografia e Geoprocessamento - Conceitos Básicos
Introdução à Cartografia e Geoprocessamento - Conceitos  BásicosIntrodução à Cartografia e Geoprocessamento - Conceitos  Básicos
Introdução à Cartografia e Geoprocessamento - Conceitos Básicos
 
Representação Computacional do Espaço (Geoprocessamento)
Representação Computacional do Espaço (Geoprocessamento)Representação Computacional do Espaço (Geoprocessamento)
Representação Computacional do Espaço (Geoprocessamento)
 
Relações entre espécies e características ambientais - Prática de modelagem d...
Relações entre espécies e características ambientais - Prática de modelagem d...Relações entre espécies e características ambientais - Prática de modelagem d...
Relações entre espécies e características ambientais - Prática de modelagem d...
 
Planejamento Sistemático de Conservação - Prática com o Marxan
Planejamento Sistemático de Conservação - Prática com o MarxanPlanejamento Sistemático de Conservação - Prática com o Marxan
Planejamento Sistemático de Conservação - Prática com o Marxan
 
Atividade prática de Biodiversidade e Agrodiversidade no R
Atividade prática de Biodiversidade e Agrodiversidade no RAtividade prática de Biodiversidade e Agrodiversidade no R
Atividade prática de Biodiversidade e Agrodiversidade no R
 
Diversidade - Biodiversidade, Agrodiversidade, Sociodiversidade, Geodiversidade
Diversidade - Biodiversidade, Agrodiversidade, Sociodiversidade, GeodiversidadeDiversidade - Biodiversidade, Agrodiversidade, Sociodiversidade, Geodiversidade
Diversidade - Biodiversidade, Agrodiversidade, Sociodiversidade, Geodiversidade
 
Geotecnologias avançadas - Estudos de Caso
Geotecnologias avançadas - Estudos de CasoGeotecnologias avançadas - Estudos de Caso
Geotecnologias avançadas - Estudos de Caso
 
Geotecnologias e cartografia social
Geotecnologias e cartografia socialGeotecnologias e cartografia social
Geotecnologias e cartografia social
 
Geovisualização em portais WebGIS
Geovisualização em portais WebGISGeovisualização em portais WebGIS
Geovisualização em portais WebGIS
 

Último

Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
mamaeieby
 
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
HisrelBlog
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
MarcosPaulo777883
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
AurelianoFerreirades2
 
Atividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º anoAtividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º ano
fernandacosta37763
 
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptxRoteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
pamellaaraujo10
 
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.pptFUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
MarceloMonteiro213738
 
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
MatheusSousa716350
 
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionaisResumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
beatrizsilva525654
 
12072423052012Critica_Literaria_-_Aula_07.pdf
12072423052012Critica_Literaria_-_Aula_07.pdf12072423052012Critica_Literaria_-_Aula_07.pdf
12072423052012Critica_Literaria_-_Aula_07.pdf
JohnnyLima16
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
SILVIAREGINANAZARECA
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
UFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdf
UFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdfUFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdf
UFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdf
Manuais Formação
 
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
JoanaFigueira11
 
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptxSlides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
LeticiaRochaCupaiol
 
slides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentarslides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentar
JoeteCarvalho
 
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdfO Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
silvamelosilva300
 
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGTUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
ProfessoraTatianaT
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
DECIOMAURINARAMOS
 

Último (20)

Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
 
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
 
Atividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º anoAtividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º ano
 
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptxRoteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
 
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.pptFUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
 
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
 
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionaisResumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
 
12072423052012Critica_Literaria_-_Aula_07.pdf
12072423052012Critica_Literaria_-_Aula_07.pdf12072423052012Critica_Literaria_-_Aula_07.pdf
12072423052012Critica_Literaria_-_Aula_07.pdf
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
 
UFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdf
UFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdfUFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdf
UFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdf
 
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
 
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptxSlides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
 
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
 
slides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentarslides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentar
 
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdfO Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
 
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGTUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
 

Anáise espacial baseada em distância - Prática no QGis - 2024

  • 1. Análise de Dados Espaciais: Baseadas na Distância Cartografia e Geoprocessamento para o Planejamento Territorial Carolina Moutinho Duque de Pinho Flávia da Fonseca Feitosa Vitor Vieira Vasconcelos Março de 2024 Universidade Federal do ABC
  • 2. Análises Baseadas na Distância Envolvem a capacidade de calcular e manipular distâncias 1. Medição de distância e comprimento 2. Geração de faixas de distância (buffer) 3. Estimativa da densidade Importante: Para análise de distância, é recomendado manter sempre em uma projeção projetada, em metros, tais como a UTM
  • 5. Geração de Faixas de Distância (Buffer) Dado um conjunto de objetos, que pode incluir pontos, linhas ou áreas, uma operação de geração de faixas de distância constrói um ou mais novos objetos identificando áreas que estão a uma certa distância especificada dos objetos originais. É possível tanto nos formatos matriciais quanto vetoriais.
  • 6. Geração de Faixas de Distância (Buffer) Cria uma zona ao redor de feições específicas com uma distância pré-determinada. Exemplo: Zona de influência ao longo de determinada rodovia ou ao redor de um conjunto de escolas.
  • 7. Geração de Faixas de Distância (Buffer)
  • 8. Geração de Faixas de Distância (Buffer) Exercício: Gerar uma faixa de distância em torno de um determinado ponto (empreendimento residencial, escola, etc.) Obs.: lembre-se de selecionar um ponto! Vetor > Geoprocessamento > Buffer Para utilizar distâncias em metros, lembre-se que o dado deve apresentar coordenadas métricas
  • 9. Geração de Faixas de Distância (Buffer) Gerar uma faixa de distância em torno de um determinado ponto (empreendimento residencial, escola, etc.) Obs.: lembre-se de selecionar um ponto! Vetor > Geoprocessamento > Buffer
  • 11. Geração de Faixas de Distância (Buffer)
  • 12. Estimativa de Densidade Kernel Mapa de Pontos de Focos de Queimada Mapa de kernel de Focos de Queimada Kazmierczak, M. 2015. Queimadas em Cana-de-Açúcar: Monitoramento e Prevenção. MundoGeo. Em: http://mundogeo.com/blog/2015/09/28/queimadas-em-areas-de-cana-de-acucar-monitoramento-e-prevencao-2/
  • 13. Estimativa de Densidade Kernel ODDI, G. 2014. Mapa de calor: como atuam os candidatos ao meio-campo ofensivo da seleção de Felipão. ESPN. Em: http://espn.uol.com.br/post/388493_mapa-de-calor-como-atuam-os-candidatos-ao-meio-campo-ofensivo-da-selecao-de-felipao
  • 14. Estimativa de Densidade Kernel Concentração de Incêndios urbanos Concentração de Hidrantes Comparação de Zonas Quentes e Frias SANTOS, L.S. 2014. Geoprocessamento aplicado a gestão e análise das ocorrências de incêndios urbanos no centro histórico de Belém-PA - 2009 a 2011. Faculdade Internacional de Curitiba.
  • 15. CÂMARA, Gilberto; CARVALHO, Marilia Sá. Análise espacial de eventos. Em: Análise espacial de dados geográficos. Embrapa Cerrados, Planaltina, p. 53-122, 2004. Estimativa de Densidade Kernel CONVOLUÇÃO: Uma função de ponderação é escolhida e aplicada às feições próximas
  • 16. Estimativa de Densidade Kernel BERGAMASCHI, R. B. SIG Aplicado a segurança no trânsito - Estudo de Caso no município de Vitória – ES. Universidade Federal do Espírito Santo – UFES, 2010.
  • 17. Estimativa de Densidade Kernel Amberg, B. 2008. A Range of Different Kernels. Em: https://commons.wikimedia.org/wiki/File:Kernels.svg Primeiro passo: Especificar uma função kernel
  • 19. Estimativa de Densidade Kernel BERGAMASCHI, R. B. SIG Aplicado a segurança no trânsito - Estudo de Caso no município de Vitória – ES. Universidade Federal do Espírito Santo – UFES, 2010.
  • 20. Somando o kernel de cada ponto Estimativa de Densidade Kernel
  • 21. Somando o kernel de cada ponto Estimativa de Densidade Kernel
  • 22. Alterando o Raio do Kernel Estimativa de Densidade Kernel
  • 23. Diferentes Raios para o Kernel Fowler, H.G. 2013. Amostragem por pontos. Ecologia de Populações. Em: http://pt.slideshare.net/popecologia/amostragem-pontual
  • 24. Estimativa de Densidade Kernel Qual raio de Kernel escolher? Transições graduais Raios maiores Pequenos agrupamentos Raios menores
  • 25. Kernel: Prática no QGIS Caixa de Ferramentas de Processamento > Mapa de calor (estimative de densidade Kernel) Estimar densidade de empreendimentos residenciais na RMSP
  • 26. Para utilizar distâncias em metros, lembre-se que o dado deve apresentar coordenadas métricas
  • 27. Kernel: Prática no QGIS Em “parâmetros avançados”- advanced parameters, é possível: especificar a forma da função kernel - kernel shape; Aplicar raios diferenciados às feições (por exemplo, pode-se atribuir um raio mais abrangente para um hospital do que para um posto de saúde) – radius from field; dar um peso diferente às amostras de pontos- weight from field (por exemplo, pode- se ponderar escolas em função do número de matrículas
  • 28. QGIS: “Heat Maps” Vamos melhorar a apresentaçao dos resultados?
  • 29.
  • 32. Kernel: Prática no QGIS Atividade Faça o mapa de kernel com outros raios, e compare os resultados Estimar densidade de empreendimentos residenciais na RMSP
  • 33. Kernel ponderado Raio: 3000 metros Tamanho do pixel: 150 metros Parâmetros avançados: Weight from field: TT_UNID (unidades por empreendimento
  • 35. Mapa de Proximidade ▪ Distância a serviços urbanos CUPOLO, S. 2010. Law Enforcemet: Washington DC. Module 8. http://seancgeoginfosyst.blogspot.com.br/2010/07/module-8-law-enforcemet-washington-dc.html
  • 36. Mapa de Proximidade ▪ Distância a serviços urbanos UNICEF. 2015. Doro Camp, Distance from School. Em: http://reliefweb.int/map/south-sudan/south-sudan-maban-county-upper-nile-state-doro-camp-distance-school-december-2015
  • 37. Mapas de Proximidade Distância da Mancha Urbana Distância da Malha Viária Modelagem de mudanças no uso do solo ALMEIDA, R.M. 2016. Inferência espacial usando QGIS. Em: http://qgisnapratica.blogspot.com.br/
  • 38. Mapa de Proximidade ou de Kernel? ➢ Visualmente semelhantes ▪ Distância e densidade estão inversamente relacionadas ▪ Ambas são adequados para análise exploratória ➢ Diferenças: Mapa de Kernel Mapa de Proximidade Foco em densidade (ocorrência/km2) Foco em distância (km2) Mais flexibilidade (ajuste de kernel e raio) Mais simples (menos suposições sobre o fenômeno) Pode ser calibrada para previsões Pode ser ajustada para barreiras e atrito
  • 40. Valor fixo para gravar: 1 Unidades de tamanho de saída: Unidades georreferenciadas Resolução (horizontal e vertical): 50
  • 41.
  • 42.
  • 43.
  • 44.
  • 45.
  • 46.
  • 48. Análise de Agrupamentos Pontuais https://towardsdatascience.com/how-dbscan-works-and-why-should-i-use-it-443b4a191c80 DBSCAN K-means
  • 49. DBSCAN – Pontos a um certa distância entre si https://en.wikipedia.org/wiki/DBSCAN#/media/File:DBSCAN-Illustration.svg
  • 51. Tamanho mínimo de grupo: 5 Máxima distância: 500 metros
  • 52. Tabela de atributos da camada gerada ▪ Cluster ID: Número do grupo ▪ Cluster Si Número de pontos no grupo
  • 54.
  • 55. Distância entre pontos de origem e destino ▪ Abrir a camada de Equipamentos de Saúde: SAU2022_RMSP_CEM_sirgas_2000_UTM_23S.shp Qual é a distância mínima de cada empreendimento imobiliário até o equipamento de saúde mais próximo?
  • 56. Distância entre pontos de origem e destino
  • 57. ▪ Origem: Lançamentos imobiliários (LanRes) ▪ Alvo Equipamentos de saúde (SAU) ▪ Pontos próximos (K): 1 Distância entre pontos de origem e destino
  • 58. ▪ Abrir a tabela de atributos da camada resultante Distância entre pontos de origem e destino
  • 59. ▪ Propriedades -> Simbologia -> Categorizado ▪ Modo: Intervalo igual