Implantes osseointegrados historia

1.073 visualizações

Publicada em

História básica da implantodontia

Publicada em: Saúde e medicina
0 comentários
7 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.073
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
68
Comentários
0
Gostaram
7
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Implantes osseointegrados historia

  1. 1. IMPLANTES OSSEOINTEGRADOS • ALEX MARTINS ALBANESE • ESPECIALISTA EM PERIODONTIA -FOB-USP • ESPECIALISTA EM PRÓTESE- ABO-MG • ESPECIALISTA EM IMPLANTODONTIA – SLM-CAMPINAS • ESPECIALISTA EM CIRURGIA AVANÇADA- SLM-BH • MESTRADO EM PROTESE DENTÁRIA- SLM CAMPINAS AMA
  2. 2. BREVE HISTÓRIA AMA
  3. 3. PRIMEIROS RELATOS China- Ching -Nong 32116 a. C Hou Ang TY- 2637 a .C imperadores chineses - Reimplantes de dentes alvulsionados. AMA
  4. 4. PRIMEIROS RELATOS A história dos implantes intraósseos tem origem no Antigo Egito. A implantação nessa época era feita transplantando-se dentes de escravos ou de pessoas pobres que voluntariamente vendiam seus dentes. Dentes oriundos de cabras, cães e macacos eram também usados. Misch,C.E, p.22, 1997 AMA
  5. 5. PRIMEIROS RELATOS Etruscos - Sec. III a .C -Próteses Fixas englobando dentes naturais reimplantados. Sec.VII- Maias -Implantes aloplásticos 1890-Pedra Negra de Copan - Pedra implantada no incisivo lateral esquerdo AMA
  6. 6. PRIMEIROS RELATOS Fenícios : Próteses Fixas AMA
  7. 7. PRIMEIROS RELATOS • Idade média • Albucasis- reimplantes • Ambroise Paré- reimplantes em avulsões traumáticas • 1615-Louis Guyon- Recolocação de dentes fixados por fio. AMA
  8. 8. PRIMEIROS RELATOS • 1633- Dupont- Reimplante de um dente patológico • 1728 - Pierre Fauchard quatro casos de reimplante e um transplante. AMA
  9. 9. PRIMEIROS RELATOS • Implantes endósseos aloplásticos • 1807-Maggiolo-Raiz metálica de ouro • 1913-E.J Greenfield- Implantes de platina e irídio • 1932-Brill-Raizes de porcelana AMA
  10. 10. PRIMEIROS RELATOS • 1939-Irmãos Strock- Parafusos de Cromocobalto • 1947-Inicia-se a implantologia endóssea aloplástica com Salvatore Formiggini AMA
  11. 11. PRIMEIROS RELATOS Em 1.948, Strock projetou um implante rosqueável em 2 estágios. O pino do abutment e a coroa individual eram adicionados após a cicatrização completa. O primeiro implante oculto de Strock ainda funcionava 50 anos mais tarde. Misch, C.E. p.13, 2000 AMA
  12. 12. AMA
  13. 13. TIPOS DE IMPLANTES • Implantes Justaosseos • Parafusos • Lâminas • Agulhas AMA
  14. 14. JUSTAOSSEO(subperiósteo)JUSTAOSSEO(subperiósteo) AMA
  15. 15. 1941-Gustav Dahal apresenta1941-Gustav Dahal apresenta o primeiro implanteo primeiro implante subperiostalsubperiostal AMA
  16. 16. PARAFUSOS • 1947- Formiggini- Apresentou um implante com 10 anos de função • 1962-Tramonte • 1965- Chercheve- Parafusos autoperfurantes • Ward -Carbono Vítreo • 1981-Garbaccio- Parafuso bicortical AMA
  17. 17. PARAFUSOS AMA
  18. 18. Muratori Muratori modificado AMA
  19. 19. AMA
  20. 20. Chercheve Implante de chercheve unido a dente natural suportando prótese fixa AMA
  21. 21. Tramonte AMA
  22. 22. Garbaccio AMA
  23. 23. AGULHAS • 1961-Jacques Scialom- Agulhas de Tântalo inserida à maneira de um trípodo divergente • Descrédito e retorno em 1975 com a máquina de soldar na boca . AMA
  24. 24. Na França, Scialon (1962), recomendou implantes agulhados, inseridos no osso da maxila ou mandíbula em forma de bipé, tripé ou enfileirados como “ruas de agulhas”. Spiekermann, H. p.2, 2000 AMA
  25. 25. AMA
  26. 26. AMA
  27. 27. AMA
  28. 28. LÂMINAS • 1967 - Leonard Linkow - Implante endósseo por extensão . AMA
  29. 29. Foi Linkow que, em 1968, introduziu implantes na forma de lâminas especiais. As lâminas desenvolvidas por ele ganharam notoriedade mundial nos anos 70 e ainda são usadas atualmente como implantes de escolha por alguns clínicos. Spiekermann,H. p.2, 2000 AMA
  30. 30. AMA
  31. 31. AMA
  32. 32. AMA
  33. 33. IMPLANTODONTIA CONTEMPORÂNEA Dr.Per Ingvar Branemark OSSEOINTEGRAÇÃO AMA
  34. 34. O conceito de osseointegração se baseia em uma investigação que começou a realizar-se em 1952 com estudos microscópicos in situ da medula óssea em perônio de coelhos. Fatores de recuperação observados: Isquemia relativa Elevação da temperatura local Uso de produtos tópicos Branemark, P.I, p.26, 1987 OSSEOINTEGRAÇÃO AMA
  35. 35. OSSEOINTEGRAÇÃO Mudanças de paradigma Rígido protocolo cirurgico-(cir.atraumática) Implante submerso-(cir. dois estágios) Período de osseointegração(4 a 6 meses) Implante usinado –(cilindro liso) Critérios de sucesso de Albrektson AMA
  36. 36. OSSEOINTEGRAÇÃO Pode ser definida como uma conexão direta estrutural e funcional entre o osso vivo e ordenado e a superfície de um implante submetido a cargas funcionais AMA
  37. 37. OSSEOINTEGRAÇÃO Pode ser alcançada e mantida unicamente por uma técnica de instalação cirúrgica atraumática e um longo período de cicatrização. AMA
  38. 38. Estudos Biológicos 1952- Laboratório de microscopia vital , Depto.de anatomia -Univ. de Lund 1960-Laboratório de biologia experimental da Univ. de Gotemburgo. 1978-Instituto de biotecnologia aplicada , Gotemburgo . AMA
  39. 39. 1965- Primeiro paciente tratado Fonte – Revista ABO nacional 2005 AMA
  40. 40.  No ano de 1978, na conferência deNo ano de 1978, na conferência de Harvard, Branemark apresentou o conceitoHarvard, Branemark apresentou o conceito clínico de osseointegração e seus princípios.clínico de osseointegração e seus princípios. AMA
  41. 41. 1986 – III Congresso Paulista de Implantologia Oral (APIO),presidido pelo Dr. Nicanor Furquim, foram obtidas as primeiras notícias de um novo tipo de implante, e que hoje chamamos de “osseointegrados”, apresentado por Salvador Jaef.  
  42. 42. 1988 – XII Congresso Paulista de Odontologia. Neste congresso foi dado um curso de implantodontia ministrado por Per-Ingvar Branemark, “Pai da Osseointegração”, nas dependências do Maksoud Plaza Hotel.
  43. 43. 1989- Credenciamento de brasileiros no sistema TF, em Rosário na Argentina. O custo do sistema TF já era mais acessível 1989- Já haviam 4 sistemas no Brasil: NobelPharma(Branemark),IMZ,Core-vent, TF
  44. 44. Em 1º de dezembro de 1990, o Dr. João Hildo de Carvalho Furtado, presidente do Conselho Federal de Odontologia, define e disciplina o exercício da especialidade implantodontia, pela resolução CFO 168/90. A decisão CFO 40/90, baixa normas dos cursos para efeito de registro e inscrição como especialista em implantodontia, considerando o reconhecimento feito por este Conselho  
  45. 45. A partir da regulamentação da implantodontia como especialidade o Brasil conta com aproxidamente 50 fabricantes de implantes e vários cursos de especialização.
  46. 46. Década de 90 até os dias atuais: Fabricantes nacionais
  47. 47. Fonte Revista ABO- Nacional
  48. 48. OBRIGADOOBRIGADO odontoalbanese@yahoo.com.brodontoalbanese@yahoo.com.br
  49. 49. Objetivo inicialObjetivo inicial Inválidos orais AMA
  50. 50. Objetivo atualObjetivo atual Reabilitação de áreas edentulas AMA
  51. 51. Seleção de Pacientes AMA
  52. 52. INDICAÇÕES Sério comprometimento das áreas que suportam as dentaduras Pobre coordenação muscular oral Baixa tolerância dos tecidos mucosos Hábitos parafuncionais que induzem a dor recorrente e a instabilidade da prótese Expectativa protética não realista AMA
  53. 53. INDICAÇÕES Reflexos de náuseas causados pela prótese Incapacidade psicológica para usar PT Quando o número e a localização dos implantes permitirem uma prótese fixa Perda dental individual Branemark -1987 AMA
  54. 54. INDICAÇÕES Motivação , cooperação e boa higiene oral Crescimento do processo alveolar completado. Whortington -1997 AMA
  55. 55. CONTRA-INDICAÇÕES Absolutas Distúbios sistêmicos severos Doenças psiquiátricas Alcoolismo e abuso de drogas Medicação para osteoporose AMA
  56. 56. CONTRA-INDICAÇÕES Relativas Volume insuficiente de osso para instalação de implantes Pobre qualidade do osso Paciente que recebeu tratamento de radiação recentemente Diabéticos ( sem controle) Fumantes AMA
  57. 57. PLANEJAMENTO AMA
  58. 58. SEQÜENCIA Anamnese - História médica , odontológica expectativa do paciente Exame clínico Exame radiográfico Exames complementares AMA
  59. 59. EXAME RADIOGRÁFICO Radiografias Periapicais Radiografia Panorâmica Radiografia de Perfil Planigrafias Tomografia Computadorizada AMA
  60. 60. MODELOS DE ESTUDO Montado em articulador semi-ajustável Fotografias Clínicas Guia Cirúrgico /Radiográfico/Estético AMA
  61. 61. ACIDENTES ANATÔMICOS Assoalho da fossa nasal Canal e forame nasopalatino Seio Maxilar Nervo alveolar inferior Forame mentoniano AMA
  62. 62. AMA

×