Qualidade do Ar Interior

418 visualizações

Publicada em

Resumo
A poluição indoor ou poluição dos ambientes fechados é uma forma particular de poluição, relacionada com o ambiente interior de lugares fechados (Gadola, 1991). Trata-se, portanto da poluição no interior das habitações, escritórios, escolas, hospitais, edifícios públicos, lugares destinados a divertimento e aos tempos livres. De acordo com estudos efectuados, passamos em média, 80 a 90% do tempo, em espaços fechados, onde estamos frequentemente expostos a um diversificado cocktail de poluentes provenientes de diversas fontes (eg: fumo do tabaco, combustão de derivados do petróleo, tintas, vernizes, materiais com amianto, carpetes, mobiliário, insecticidas, produtos de limpeza, lareiras) para além de outras fontes existentes no exterior.
Os vários problemas da Qualidade do Ar Interior são reconhecidos pela Organização Mundial de Saúde, como importantes factores de risco no que diz respeito à saúde humana, quer nos países desenvolvidos quer nos países em desenvolvimento (www.who.int).
Nos países em desenvolvimento a queima de combustíveis sólidos, para cozinhar e aquecer as habitações encontra-se ainda muito generalizada, poluindo as habitações e aumentando as estatísticas mundiais, de morbilidade e mortalidade, atribuídas à poluição do ar em ambientes fechados.

Publicada em: Saúde
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
418
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
5
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
12
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide
  • Este modelo pode ser utilizado como um ficheiro de iniciação para apresentar os materiais de formação num ambiente de grupo.

    Secções
    Clique com o botão direito do rato num diapositivo para adicionar secções. As secções podem ajudar a organizar os diapositivos ou facilitar a colaboração entre vários autores.

    Notas
    Utilize a secção Notas para notas de entrega ou para fornecer detalhes adicionais à audiência. Visualizar estas notas na Vista de Apresentação durante a apresentação.
    Tenha em consideração o tamanho do tipo de letra (importante para acessibilidade, visibilidade, gravação de vídeo e produção online)

    Cores coordenadas
    Preste especial atenção aos gráficos e caixas de texto.
    Tenha em consideração que os participantes serão impressos em preto e branco ou tons de cinzento. Executar um teste de impressão para garantir que as cores funcionam quando impresso a preto e branco puro e tons de cinzento.

    Gráficos e tabelas
    Mantenha a simplicidade: se possível, utilize cores e estilos consistentes e que não desconcentrem.
    Identifique todos os gráficos e tabelas.


  • Esta é outra opção para uma Visão Geral, diapositivos utilizando transições.
  • Microsoft Confidencial
  • Este modelo pode ser utilizado como um ficheiro de iniciação para apresentar os materiais de formação num ambiente de grupo.

    Secções
    Clique com o botão direito do rato num diapositivo para adicionar secções. As secções podem ajudar a organizar os diapositivos ou facilitar a colaboração entre vários autores.

    Notas
    Utilize a secção Notas para notas de entrega ou para fornecer detalhes adicionais à audiência. Visualizar estas notas na Vista de Apresentação durante a apresentação.
    Tenha em consideração o tamanho do tipo de letra (importante para acessibilidade, visibilidade, gravação de vídeo e produção online)

    Cores coordenadas
    Preste especial atenção aos gráficos e caixas de texto.
    Tenha em consideração que os participantes serão impressos em preto e branco ou tons de cinzento. Executar um teste de impressão para garantir que as cores funcionam quando impresso a preto e branco puro e tons de cinzento.

    Gráficos e tabelas
    Mantenha a simplicidade: se possível, utilize cores e estilos consistentes e que não desconcentrem.
    Identifique todos os gráficos e tabelas.


  • Qualidade do Ar Interior

    1. 1. QUALIDADE DO AR INTERIOR Susana Daniel Maio de 2012 Unidade Curricular de Ecologia da Saúde
    2. 2. Artigo: “Poluição dos Ambientes Fechados ou Poluição In-door”, Autor: Luca Beltrami Gadola (presidente do Consórcio Indoor Air Quality – Itália) Publicação: Ambiente Urbano – Contribuições de Peritos. Comissão das Comunidades Europeias – Direcção Geral Ambiente, Segurança Nuclear e Protecção Civil. 1991. Bruxelas. pp 59-66. (disponível em http://www.youscribe.com/catalogue/rapports-et-theses/savoirs/science-de-la-nature/contribuicoes-de-peritos-1282943) Organização do artigo: - Definição da poluição indoor - Origens e descoberta do fenómeno - Análises do ar interior - Fontes de poluição indoor - As dimensões do problema - O que se faz a nível mundial Poluição do ar interior é (de acordo com o autor): “uma forma particular de poluição que tem a ver com o ar, mais genericamente, com o ambiente de lugares fechados, onde se desenvolvem actividades humanas, mesmo de carácter lúdico ou de repouso”. Ecologia da Saúde | Maio de 2012 | Susana Daniel
    3. 3. De um modo geral, as comunidades reconhecem que a poluição do ar exterior tem graves efeito na saúde… Contudo não se verifica a mesma sensibilização relativamente à poluição do ar interior. A poluição do ar interior surgiu com a primeiras ocupações urbanas… Antiga Roma: existem inúmeras referências de autores latinos citando os problemas com que se defrontavam os habitantes das “insulae”; 1600 a 1800: habitações de Londres e Paris – raquitismo. Época contemporânea: mais estudos após a crise petrolífera da década de 70. Ecologia da Saúde | Maio de 2012 | Susana Daniel
    4. 4. O aumento do preço do petróleo, levou os países industrializados a emitir normas para contenção dos consumos energéticos, nomeadamente no aquecimento dos imóveis: (Portugal: Certificado Energético e de QAI, desde 2007/2009)  Aumentando o poder isolador das paredes exteriores, das coberturas e das paredes divisórias, para reduzir as perdas por condução;  Melhorando a capacidade isoladora de portas e janelas, para reduzir as perdas por convecção ou simples dispersão. As 1.as Análises de Qualidade do Ar Interior, foram efectuadas, no fim da década de 70, nos EUA, Canadá e Europa do Norte. O ar interior de alguns edifícios revelou-se mais tóxico do que o ar exterior. Ecologia da Saúde | Maio de 2012 | Susana Daniel Fontes Agentes Poluentes Exterior óxidos de enxofre, pólenes, hidrocarbonetos Interior formaldeído, amianto, substâncias orgânicas (produtos de limpeza), substâncias alergénicas (poeiras e pelos de animais), bactérias (legionella) e fungos Indiferenciada óxidos de azoto, monóxido de carbono, dióxido de carbono, radão
    5. 5. Qualidade do Ar Interior (QAI) não tem uma definição simples… É um conceito complexo que integra diversos agentes e interacções de factores que afectam o tipo, o nível e a importância dos poluentes do ambiente interior… • fontes emissoras dos poluentes; • o desenho, montagem e manutenção dos sistemas AVAC; • a humidade; • e a susceptibilidade dos ocupantes. Segundo a OMS, uma QAI aceitável significa que “a natureza física e química do ar interior que é respirado pelos ocupantes de um edifício produz um completo bem-estar, mental, físico e social, não podendo provocar absentismo, doenças e debilidades”.(www.who.int) Ecologia da Saúde | Maio de 2012 | Susana Daniel
    6. 6. A importância das interacções do ambiente na saúde do indivíduo e das populações têm vindo a ser reconhecidas nas últimas décadas. Na perspectiva actual de saúde (equilíbrio do indivíduo consigo e com o ambiente envolvente) são identificados vários factores determinantes, com destaque para: • as características biológicas (genéticas) do indivíduo, •o seu estilo de vida, •a organização dos serviços de saúde, e •o ambiente (natural ou humanizado que o rodeia). Ecologia da Saúde | Maio de 2012 | Susana Daniel 80 a 90 % do nosso tempo é passado no interior de edifícios: Habitação, escola, creches, escritórios, centros comerciais,… A QAI é fundamental para a salvaguarda da saúde da população Cada pessoa inala em médio 15 000 litros de ar/dia
    7. 7. Os grupos populacionais mais susceptíveis de sofrer efeitos adversos na saúde relacionados com a exposição a contaminantes ambientais (biológicos/não biológicos) são:  As crianças, uma vez que o seu sistema imunitário não está totalmente desenvolvido e estão expostos a doses superiores aos adultos;  Os idosos, pois são mais susceptíveis e sofrem de várias doenças crónicas;  A população com doenças respiratórias crónicas (asma, rinite alérgica, entre outras). Uma má QAI pode causar… Ecologia da Saúde | Maio de 2012 | Susana Daniel A curto prazo (SED) A longo prazo Dores de cabeça, náuseas, irritação das mucosas, bronquite, gripe, pneumonia, conjuntivites Problemas imunológicos, problemas do sistema nervoso, defeitos congénitos, dificuldades reprodutivas, cancro
    8. 8. Mais e metade da população mundial (52%) utiliza combustíveis sólidos para cozinhar e aquecer as suas casas (OMS, 2002). Cerca de 3 000 000 (três milhões) de pessoas morrem, por ano, prematuramente de doenças atribuíveis à poluição do ar interior, devido ao uso de combustíveis sólidos (OMS, 2006). • 54 % doença pulmonar obstrutiva crónica; • 44 % de pneumonia; • 2 % cancro no pulmão. Mortes devido à poluição do ar interior/milhão (fonte: World Health Report, 2002, dados de 2000) Cerca de 50% das mortes por pneumonia em crianças, menores de 5 anos, são devida à inalação de partículas poluentes do ar interior (OMS, 2006). Ecologia da Saúde | Maio de 2012 | Susana Daniel
    9. 9. Autoridades e cientistas estão cada vez mais atentos à problemática QAI, esta é cada vez mais objecto de estudos da saúde e da ciência. A OMS possui um Programa de Poluição do Ar Interior para apoiar os países em desenvolvimento (pesquisa e avaliação, construção, linhas estratégicas de políticas de saúde). Embora a QAI envolva múltiplos actores e vários níveis de governação, é possível estabelecer incentivos económicos para conseguir ambientes mais saudáveis. O uso de tecnologias mais limpas (biogás, solar, gpl), em vez do uso dos combustíveis fósseis, pode potencialmente reduzir os níveis de poluição do ar interior, minimizando os impactos na saúde das populações. É importante investir na educação e na divulgação de informação sobre os riscos para a saúde pública associados à QAI. Ecologia da Saúde | Maio de 2012 | Susana Daniel
    10. 10. Principal Bibliografia de Suporte  Almeida, Mário Morais de. 2012. Importância da QAI nas doenças alérgicas. Seminário Qualidade do Ar Interior em Espaços Públicos - Gestão, Avaliação e Impacto na Saúde Humana. 8 de Fevereiro. (comunicação consultado em Abril de 2012, disponível em http://www.idad.ua.pt/ReadObject.aspx?obj=22407)  Decreto-lei n.º 79/2006, de 4 de Abril. Regulamento dos Sistemas Energéticos de Climatização dos Edifícios. Diário da República n.º 67/2006. I Série-A. Ministério das Obras Públicas, Transportes e Comunicações.  Pinto, Manuel et al. 2007. Qualidade do Ambiente Interior em Edifícios de Habitação. – Destaque Eficiência Energética nos Edifícios. Engenharia e Vida, n.º 38, pp. 34 – 43.  World Health Organization. 2010. Selected Pollutants: Guidelines for Indoor Air Quality. Alemanha.  World Health Organization. 2006. Fuel for Life: Household Energy and Health. França.
    11. 11. QUALIDADE DO AR INTERIOR Susana Daniel Maio de 2012 Unidade Curricular de Ecologia da Saúde

    ×