Trabalho escrito

635 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
635
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
7
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Trabalho escrito

  1. 1. Universidade Federal de Viçosa Centro de Ciências Biológicas e da Saúde Departamento de Nutrição e Saúde Disciplina: Higiene e Saúde (NUT 350)Doenças causadas por poluição do ar Trabalho apresentado ao Professor Renato Silva como parte das exigências da Disciplina-NUT - 350 Higiene e Saúde. Janaína S. Castro Pereira -67147 Kamilla Dias de Oliveira - 67151 Viçosa - MG Março/2013
  2. 2. ÍndiceINTRODUÇÃO..................................................................................02OBJETIVOS.......................................................................................03REVISÃO DE LITERATURA..........................................................04METODOLOGIA..............................................................................08DOENÇAS CAUSADAS PELA POLUIÇÃO DO AR.....................09CONCLUSÃO................................................................................... 23REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS.............................................. 24 2
  3. 3. Introdução A poluição atmosférica é reconhecidamente um fator de risco para a saúde. Nascidades industriais, a emissão na atmosfera de gases tóxicos e partículas pelas indústriassomam-se à poluição provocada pela circulação de veículos, gerando muitas vezessituações críticas para a saúde da população. As fontes de poluição estão no nossocotidiano: escapamentos de carros e veículos de transporte, chaminés das indústrias,queimadas, poeiras vindas das estradas e da erosão causada pelo vento. O transporte oudiluição dessas fontes vai depender do movimento da atmosfera, o que é dado pelos ventos,ou pela estabilidade, ou pela variação da temperatura. Nos dias de hoje, quase todas as grandes cidades mundiais sofrem com os efeitos dapoluição do ar. Cidades como São Paulo, Belo Horizonte, Tóquio, Nova Iorque e Cidadedo México estão na relação das mais poluídas do mundo. A poluição gerada nos centrosurbanos de hoje são resultado, principalmente, da queima dos combustíveis fósseis como,por exemplo, carvão mineral e derivados do petróleo (gasolina e diesel). A queima destesprodutos tem lançado um alto nível de monóxido e dióxido de carbono na atmosferaterrestre. Estes dois combustíveis são responsáveis pela geração de energia que, alimentaos setores industrial, elétrico e de transportes de grande parte das economias do mundo.Portanto, colocá-los de lado atualmente é extremamente complicado. O ar atualmente, principalmente dos centros urbanos, se apresenta muito poluído.Esta poluição provoca sérios danos à saúde, causando doenças respiratórias e tambémdoenças causadas por microorganismos presentes no ar poluído. Várias doençasrespiratórias como a bronquite, rinite e asma levam milhares de adultos e crianças aoshospitais todos os anos. Sabe-se que a exposição à poluição do ar acelera o envelhecimentopor aumentar as substâncias oxidantes no organismo. Mas não é só isso, o monóxido decarbono causa lentidão dos reflexos e sonolência. O dióxido de nitrogênio pode agravar aasma e reduzir as funções do pulmão. O ozônio também causa inflamação nos pulmões,diminuindo a sua capacidade enquanto as partículas menores podem se alojar nos alvéolospulmonares e provocar enfermidades respiratórias e cardiovasculares. Além disso, a poeirapode criar alergias, irritação da vista e da garganta. A poluição também tem causado danosaos ecossistemas e ao patrimônio histórico e cultural. 3
  4. 4. Diante das notícias negativas, o homem tem procurado encontrar medidas parasolucionar estes problemas ambientais. Os sistemas tecnológicos estão avançando nosentido de criar máquinas e combustíveis cada vez menos poluentes ou que não geremnenhuma poluição. Muitos automóveis já estão utilizando gás natural como combustível. 4
  5. 5. ObjetivosObjetivo geral: Apresentar de forma clara e objetiva os principais poluentes do ar e os seus efeitosnocivos à saúde, bem como as doenças que acometem o ser humano em decorrência destetipo de poluição. Verificando quais medidas estão sendo tomadas para solucionar ouamenizar este problema.Objetivos específicos: Identificar as ações preventivas e o tratamento adequado para cada doença; Analisar quais são as doenças causadas e os seus agentes causadores; Identificar quem são os indivíduos mais vulneráveis a essas doenças; Verificar onde há maior incidência dessas doenças; Analisar quais são as formas para evitar estas doenças. 5
  6. 6. Revisão de literatura 6
  7. 7. Metodologia O trabalho foi realizado um levantamento bibliográfico, através de artigoscientíficos, livros e buscas na internet. O trabalho se baseia em levantamentos bibliográficos, onde serão utilizadasreferências dos autores JOINER (2005), LEAL (2006), MENDENGOFILHO (s/d), dentre outros que abordam a temática em questão, bem como a utilizaçãodo Guia Epidemiológico as doenças parasitárias de maior interesse para saúde públicacausadas por protozoários, helmintos e artrópodes, elaborado pelo Ministério da Saúde,Secretaria de Vigilância em Saúde, Departamento de Vigilância Epidemiológica. E deacordo com este guia serão selecionadas doenças bacterianas, viróticas e parasitárias. Apartir de tais escolhas o procedimento será a caracterização das doenças elencadas, comoelas são transmitidas e a medida de controle das mesmas. 7
  8. 8. Fontes de poluição do ar As fontes que provocam a poluição do ar são divididas em três principais: as fixas,que são as indústrias e os aterros; móveis, que têm origem em meios de transporte emgeral; e as agrossilvipastoris, como a agricultura, queimadas e o desmatamento. A poluição é caracterizada pelas alterações na composição e nas propriedades do ar,tornando-o nocivo, impróprio ou ainda inconveniente à saúde humana, à vida animal etambém aos vegetais Durante muito tempo, a humanidade viveu num equilíbrio harmônico com anatureza, devido à baixa densidade demográfica e ao caráter empírico das atividadesdesenvolvidas. No entanto, com o aumento vertiginoso da população, especialmente nasúltimas décadas, o que levou a uma ocupação desordenada da superfície da Terra, aliada àexplosão econômica e ao grande avanço industrial e tecnológico, ocorreu um grandedesequilíbrio na biosfera. O ar é um dos elementos do ecossistema que tem sofrido grandes ataques depoluentes oriundos das atividades do homem, principalmente nas aglomerações urbanas.Assim, enormes conflitos contra a natureza têm se verificado ao longo dos últimos anos,atingindo fortemente o ar que respiramos. Atualmente, a poluição do ar é talvez o problema mais preocupante que deve serresolvido ou, ao menos, amenizado com urgência, para que se possa continuar com umarazoável qualidade de vida na Terra. A poluição do ar pode ser de várias origens. Assim, tem-se a poluição tóxica causadapor gases que apresentam toxicidade, como o dióxido de enxofre (SO2), oriundoprincipalmente dos vulcões; o óxido de nitrogênio (NO), resultante da queima decombustíveis energéticos a altas temperaturas; o monóxido de carbono (CO), oriundo dosveículos automotores, e outros gases em menor escala, mas igualmente tóxicos. Tambémas emissões de partículas liberadas pelas queimas de qualquer natureza contribuem para aalteração da composição do ar, entre as quais se destacam as poeiras, a fumaça e o vapordágua, emitidos pelas chaminés, e as fuligens, resultantes da deficiente combustão dalenha, carvão ou do gás, que são eliminados pelos complexos industriais. Várias são as fontes de poluição do ar. Entre elas, destacam-se: 8
  9. 9. - os grandes empreendimentos industriais que, embora aplicando eficientes medidaspreventivas, ainda causam intensa poluição da atmosfera. Nesse aspecto, é importanteobservar que os complexos industriais normalmente têm localização pontual, o que permiteum controle adequado; - as residências e as pequenas indústrias que usam lenha ou carvão para suasatividades, ao emitirem fumaça, poeiras e óxido de enxofre; - a circulação de milhares de veículos automotores nas cidades de todos as países domundo, liberando grandes volumes de monóxido de carbono, chumbo, partículas sólidas,óxido de nitrogênio e outros; - a prática permanente de queimadas de florestas e campos, resíduos agrícolas e osincêndios, em geral, além de contribuírem para a diminuição da fertilidade do solo, causamgrande poluição do ar; - a utilização de clorofluorcarbono através de sprays, refrigeradores e aparelhos de arcondicionado ajuda fortemente na poluição, atingindo principalmente a camada de ozônioda atmosfera. Camada de Ozônio x Poluição A camada de ozônio é uma “capa” desse gás (ATMOSFERA) que envolve a Terra ea protege de vários tipos de radiação, sendo que a principal delas, a radiação ultravioleta, éa principal causadora de câncer de pele. No último século, devido ao desenvolvimentoindustrial, passaram a serem utilizados produtos que emitem Clorofluorcarbonos (CFC),um gás que ao atingir a camada de ozônio destrói as moléculas que a formam (O3),causando assim a destruição dessa camada da atmosfera. Sem essa camada, a incidência de raios ultravioletas nocivos a Terra ficasensivelmente maior, aumentando as chances de contração de câncer. A origem dos atuais problemas ambientais está no estilo de vida das naçõesindustrializadas. O aumento da industrialização no hemisfério norte trouxe riquezasmateriais às custas do meio ambiente. A mineração a céu aberto deixou cicatrizes na árearural, cidades e fábricas se espalharam, liberando substâncias químicas nocivas no ar. 9
  10. 10. Os carros estão se multiplicando, acrescentando poluentes à atmosfera. O usogeneralizado de artigos descartáveis que são “energeticamente ineficientes” é umdesperdício de recursos escassos, as pilhas usadas em rádios precisam de 50 vezes maisenergia para serem fabricadas, do que àquela que produzem. Se o Terceiro Mundo seguiressas práticas ao se desenvolver, poderá levar a terra a um holocausto ecológico. Nas últimas décadas tentou-se evitar ao máximo a utilização do CFC e, mesmoassim, o buraco na camada de ozônio continua aumentando, preocupando cada vez mais apopulação mundial. As ineficientes tentativas de se diminuir a produção de CFC, devido à dificuldade dese substituir esse gás, principalmente nos refrigeradores, fez com que o buraco continuasseaumentando, prejudicando cada vez mais a humanidade. Um exemplo do fracasso natentativa de se eliminar a produção de CFC foi a dos EUA, o maior produtor desse gás emtodo planeta. Em 1978 os EUA produziam, em aerossóis, 470 mil toneladas de CFC,aumentando para 235 mil em 1988. Em compensação, a produção de CFC em outrosprodutos, que era de 350 mil toneladas em 1978, passou para 540 mil em 1988, mostrandoa necessidade de se utilizar esse gás em nossa vida quotidiana. É muito difícil encontraruma solução para o problema. De qualquer forma, temos que evitar ao máximo a utilizaçãodesse gás, para que possamos garantir a sobrevivência de nossa espécie. A principal conseqüência da destruição da camada de ozônio será o grande aumentoda incidência de câncer de pele, desde que os raios ultravioletas são mutagênicos. Alémdisso, existe a hipótese segundo a qual a destruição da camada de ozônio pode causardesequilíbrio no clima, resultando no “efeito estufa“, o que causaria o descongelamentodas geleiras polares e conseqüente inundação de muitos territórios que atualmente seencontram em condições de habitação. Efeitos da poluição do ar na saúde humana Sabe-se que a exposição à poluição do ar acelera o envelhecimento por aumentar assubstâncias oxidantes no organismo. Mas não é só isso. O monóxido de carbono causa 10
  11. 11. lentidão dos reflexos e sonolência. O dióxido de nitrogênio pode agravar a asma e reduziras funções do pulmão. O ozônio também causa inflamação nos pulmões, diminuindo a suacapacidade enquanto os particulados menores (com menos de 1/2.400 de uma polegada)podem se alojar nos alvéolos pulmonares e provocar enfermidades respiratórias ecardiovasculares. Além disso, a poeira pode criar alergias, irritação da vista e da garganta. A inalação de poluentes do ar (partículas e gases) causa uma resposta inflamatória noaparelho respiratório induzida pela ação de substâncias tóxicas oxidantes. Essa inflamação,além dos pulmões, compromete outros órgãos vitais, como o coração. Crianças e idosossão mais vulneráveis às agressões resultantes da exposição aos poluentes do ar. Os estudostêm demonstrado que o aumento nos níveis desses poluentes está associado ao aumento dedoenças respiratórias e cardiovasculares, e mortes, mesmo quando os níveis de poluiçãonão ultrapassam os padrões de qualidade do ar. Portanto, hoje sabemos que não existe nívelde poluição do ar seguro. Qualquer exposição faz mal à saúde, porém, suas conseqüências irão depender devários fatores, principalmente do tempo e de sua intensidade, do tipo de poluente e dascaracterísticas dos indivíduos expostos. Os efeitos da poluição do ar na saúde humanapodem ser agudos, logo após a exposição, ou de longo prazo. Os principais são:• mal-estar geral, dor de cabeça, irritação nos olhos e na garganta;• aumento das infecções respiratórias – resfriado, gripe, amigdalite, faringite, otite,sinusite, pneumonia e tuberculose;• aumento das alergias respiratórias – rinite, faringite, otite, asma e bronquite;• diminuição da capacidade pulmonar, especialmente em crianças;• piora nos portadores de doenças respiratórias crônicas – rinite, asma, doença pulmonarobstrutiva crônica;• piora das doenças cardíacas – hipertensão arterial, arritmia, angina, infarto do miocárdio;• aumento da incidência de câncer de pulmão;• aumento das consultas médicas e internações hospitalares por doenças respiratórias;• aumento das mortes por problemas respiratórios e cardiovasculares. É fundamental a importância do cidadão na tomada de atitudes para evitar apoluição, como exemplo: privilegiar o transporte público, de bicicleta ou a pé, sempre quepossível; repensar e diminuir o consumo, uma vez que, para a fabricação da maioria dos 11
  12. 12. produtos industrializados, emitem-se poluentes no ar. É fundamental entendermos arelação entre o consumo e a poluição do ar, pois o consumismo, que é o dispêndioexagerado dos bens, sobretudo de coisas supérfluas ou desnecessárias, tem elevado ageração de lixo, o que ocasiona aumento da poluição do ambiente. Um dos tipos depoluição é a do ar, dada pela liberação de gases da degradação dos resíduos, pela queimade lixo, entre outros. Em caso de dúvida, aparecimento ou piora dos sintomas respiratóriose cardiovasculares, um médico deve ser procurado procure o mais rápido possível. Doenças causadas por poluição do ar que afetam o ser humano Ao nível da saúde humana a poluição atmosférica afeta o sistema respiratóriopodendo agravar ou mesmo provocar diversas doenças crônicas tais como a asma,bronquite crônica, infecções nos pulmões, enfisema pulmonar, doenças do coração ecancro do pulmão. A poluição do ar se dá de duas formas principais: 1. Por gases poluentes, como o monóxido de carbono (CO), o dióxido de enxofre e o ozônio, são as doenças de pele, causada pela chuva ácida, a intoxicação pelo CO, que causa tonturas, desmaios e até a morte, se a pessoa não for tirada a tempo do ambiente contaminado. 2. Emissão de material particulado (principalmente pequenas partículas de carvão), que constituem a fumaça. São principalmente afecções do sistema respiratório, como o agravamento da asma, as rinites, bronquites e tosses. Algumas Doenças e seu respectivo tratamento:  Asma: É o estreitamento dos bronquíolos (pequenos canais de ar dos pulmões) que dificultaa passagem do ar provocando contrações ou bronco espasmos. As crises comprometem a 12
  13. 13. respiração, tornando-a difícil. Quando os bronquíolos inflamam, segregam mais muco oque aumenta o problema respiratório. Na asma, expirar é mais difícil do que inspirar, umavez que o ar viciado permanece nos pulmões provocando sensação de sufoco. A asmaacomete pessoas de qualquer idade. A maioria dos casos, todavia, é diagnosticada nainfância e é comum manifestar-se em pessoas de uma mesma família. Sintomas: Os sintomas mais freqüentes são falta de ar, tosse seca, chiado e opressão no peito. Gripes e resfriados costumam agravá-los. Recomendações: Não fume. Numa família de asmáticos ninguém deve fumar. Evite o contato com fumaça e com fumantes; Todos os membros de uma família de asmáticos precisam ser orientados a respeito das características da doença e das crises. A informação correta ajuda a reduzir os mitos que cercam a doença e os doentes; Identifique os sintomas iniciais das crises e tome as medidas necessárias para que não se tornem graves; Submeta-se a testes de pele para identificar possíveis alergias a alguma substância específica; Evite apanhar resfriados e gripes; Fumaças, gases, cheiros de tinta, de produtos de limpeza ou de higiene pessoal e perfumes podem ser prejudiciais aos asmáticos. Fuja deles; Evite mudanças abruptas de temperatura; Exercite-se moderadamente todos os dias. Não cometa excessos. A asma não deve limitar a vida ou a atividade física de ninguém. Caminhar, nadar e pedalar são atividades muito saudáveis; Tome muito líquido. Recomenda-se ingerir de cinco a oito copos por dia. Isso ajuda a diluir a secreção brônquica e facilita a expectoração; Pratique exercícios respiratórios. Ioga pode ser uma boa sugestão;* Não tome medicamentos indutores do sono, que usualmente tornam a respiração mais lenta; 13
  14. 14. Se café, chá ou outro produto qualquer mantêm você desperto, não os tome no fim da tarde ou à noite; Se tosse ou outros sintomas não o deixam dormir, eleve a cabeceira da cama com calços ou utilize travesseiros extras; Use broncodiltadores ou outros medicamentos prescritos por seu médico. Evite a chamada medicação caseira. Inaladores orais podem ser muito eficientes; Combata a azia, que predispõe as pessoas a crises de asma; Evite o pânico nos momentos de crise; Observe corretamente as orientações do seu médico. Mantenha-o informado sobre todo tratamento caseiro que eventualmente você adote; A asma não controlada pode causar sérias complicações. Consulte o médico na ocorrência de qualquer febre durante as crises, tosse persistente, respiração difícil, falta de ar e dor no peito.  Bronquite crônica ou alérgica: É uma inflamação dos brônquios, canais que conduzem o ar inalado até os alvéolospulmonares. Ela se instala quando os minúsculos cílios que revestem o interior dosbrônquios param de eliminar o muco presente nas vias respiratórias. Esse acúmulo desecreção faz com que eles fiquem permanentemente inflamados e contraídos. A bronquitepode ser aguda ou crônica. A diferença consiste na duração e agravamento das crises, quesão mais curtas (uma ou duas semanas) na bronquite aguda, enquanto, na crônica, nãodesaparecem, pioram pela manhã e se manifestam por três meses ou mais durante pelomenos dois anos consecutivos. Causas: A bronquite aguda é causada geralmente por vírus, embora, em algunscasos, possa ser resultado de uma infecção bacteriana. As crises também podem serdesencadeadas pelo contato com poluentes ambientais e químicos (poeira, inseticidas,tintas, ácaros, etc.). O cigarro é o principal responsável pelo agravamento da doença. A bronquite crônica aumenta o risco de outras infecções respiratórias,particularmente o da pneumonia. A doença pode instalar-se como extensão da bronquite 14
  15. 15. aguda, mas a principal causa da doença é a fumaça do cigarro. Por ser uma enfermidaderara entre os não fumantes, é conhecida também por “tosse dos fumantes”. Sintomas: Tanto na forma aguda quanto na crônica, a tosse é o principal sintoma dabronquite. Na bronquite aguda, ela pode ser seca ou produtiva. Na crônica, é sempreprodutiva e a expectoração clara no início, pode tornar-se amarelada e espessa com aevolução da enfermidade. Falta de ar e chiado são outros sintomas da bronquite crônica. Diagnóstico: O diagnóstico leva em conta os sinais e sintomas, o histórico dopaciente e o exame clínico. Em algumas situações, a Prova de Função Pulmonar, ouEspirometria, ajuda a estabelecer o diagnóstico diferencial. Tratamento: A bronquite aguda é uma doença autolimitada, que dura no máximodez, quinze dias. Não existe tratamento específico para combater os episódios provocadospor vírus. Boa hidratação uso de vaporizadores, de analgésicos, de descongestionantes eevitar a exposição aos fatores de risco são recursos úteis para aliviar os sintomas e preveniras crises. A medida mais importante no tratamento da bronquite crônica é parar de fumar.Também é importante não permanecer em ambientes em que haja pessoas fumando.Medicamentos bronco dilatadores, antibióticos, mucolíticos e anti-inflamatórios só devemser utilizados sob orientação médica depois de uma avaliação criteriosa. Portadores dabronquite crônica devem ser vacinados contra a gripe e contra a pneumonia. Recomendações: Reúna todas as forças e tente parar de fumar. Se não conseguir, tente fumar menos e evite locais onde haja pessoas fumando; Beba bastante água, pois ela ajuda a diluir as secreções brônquicas e facilita a expectoração; Lave as mãos com freqüência; Utilize máscara ou outro equipamento protetor, se você está sujeito à inalação de elementos irritantes; Evite contato com pessoas resfriadas, gripadas ou com outras doenças transmissíveis por via respiratória; Não iniba a tosse produtiva; 15
  16. 16. Evite permanecer muito tempo em ambientes com ar condicionado ou em locais com ar seco demais.  Rinite: O nariz é um dos componentes das vias respiratórias. Na verdade, é o primeiro localpor onde o ar passa até alcançar os pulmões. Dentre outras atribuições, ele é responsávelpela limpeza, umidificação e aquecimento do ar inspirado. Para exercer essa função corretamente, o nariz possui um complexo mecanismo dedefesa. Por isso, ao entrar em contato com alguma substância tóxica, desencadeia umaresposta para impedir que essa substância alcance os pulmões. O surgimento da obstruçãonasal provoca o bloqueio da passagem do agente agressor e, através dos espirros e coriza, aremoção dessa substância. Essa reação é normal e todas as pessoas, ao entrarem em contatocom algumas substâncias tóxicas, apresentam tais sintomas. Por isso, quando fica gripada,a pessoa apresenta obstrução nasal, espirros e coriza, pois seu organismo está tentandoprotegê-la, impedindo que os vírus alcancem seus pulmões através do ar. Alergia, na realidade, não significa falta de defesa do organismo. Ao contrário,indica uma defesa exagerada contra agentes que não são potencialmente agressivos ao serhumano. Ou seja, uma pessoa alérgica é hiperreativa a determinadas substâncias que numapessoa normal não despertam nenhuma resposta. O sistema imunológico das pessoas alérgicas, por características genéticas, interpretaque determinada substância é tóxica, e que precisa proteger o organismo contra suaentrada. Por essa razão, algumas pessoas convivem normalmente com fatores que causam aalergia, como a poeira de casa, sem ter sintomas, ao passo que outras pessoas, ao entraremem contato com essa mesma poeira, podem ter rinite e asma. O paciente alérgico não nasce hiperreativo (com alergia), mas sim com a capacidadede sensibilizar-se a determinado fator. Tornar-se sensível significa passar a ter umaresposta de defesa a uma substância que antes era tolerada. Isso significa que podemosconviver com determinada substância por muitos anos, e vir a desenvolver sintomas apenastardiamente. 16
  17. 17. Essa característica é herdada dos pais. Quando um homem e uma mulher alérgicostem um filho, a probabilidade dessa criança ser alérgica é de cerca de 50%. No entanto,mesmo que nenhum dos pais apresente alergia, a criança ainda assim pode termanifestações alérgicas, como rinite, conjuntivite, asma e alguns tipos de alergia de pele.A forma mais comum, porém, é a rinite. Cerca de 10% a 25% das pessoas sofrem de rinitealérgica. Sintomas: Os sintomas que os pacientes portadores de rinite alérgica apresentamsão obstrução nasal (entupimento), coriza, espirros (algumas vezes o paciente espirra mais20 vezes seguidas) e coceira no nariz. Essa coceira pode ser na garganta ou nos olhos.Todos os doentes apresentam tais sintomas minutos após o contato com o alérgeno, e cercade metade deles terão novamente sintomas cerca de 4 a 6 horas depois. Causas: Poeira, pólen e alguns alimentos são substâncias que podem causar alergia.Aqui no Brasil a poeira domiciliar é o fator de risco mais importante. Ela é constituída pordescamação da pele humana e de animais, por restos de pelos de cães e gatos, restos debarata e outros insetos, fungos, bactérias e por ácaros, organismos microscópicos dafamília dos aracnídeos. Existem vários tipos de ácaros. Entre todos, o que mais frequentemente estárelacionado com a alergia é o Dermatophagoides ssp., nome que significa “aquele que sealimenta de pele”, visto que uma de suas fontes de alimentos é a descamação da pele. No colchão de nossas camas e nos móveis estofados de nossas casas, podemacumular-se muitos fragmentos de descamação de pele. Exatamente por essa razão, nesseslocais, é grande a quantidade de ácaros, aracnídeos que vivem nas camadas profundas dostecidos, abraçados as fibras. Ácaros não são capazes de viver sobre uma superfície lisa, porexemplo, em paredes. Em São Paulo e outras regiões do Brasil, onde não há clara definição das quatroestações do ano, a forma de rinite alérgica que predomina é causada por ácaros, e aspessoas alérgicas, em geral, apresentam sintomas durante o ano inteiro. Já em outrasregiões (como no sul do País), na primavera, quando ocorre a polinização das flores, écomum surgir um tipo de rinite alérgica chamada, nos países do hemisfério norte, de febredo feno. 17
  18. 18. Apesar do nome, os pacientes não apresentam febre e tampouco o feno é responsávelpelos sintomas. Na verdade, são os fungos que proliferam nos maços de feno assubstâncias que desencadeiam os sintomas. Tratamento: O tratamento dos pacientes portadores de rinite alérgica é compostopor três pontos fundamentais: a) Higiene ambiental; b) Tratamento medicamentoso; c) Vacinas antialérgicas. a) Higiene ambiental A forma mais simples de tratar alergia é evitar o contato com a substância quedesencadeia os sintomas. Por exemplo, se o paciente apresenta obstrução nasal, coriza eespirros quando ingere determinado alimento, o mais fácil a fazer é deixar de comê-lo. O problema é que não é tão fácil evitar o contato com o ácaro, a principal causa derinite alérgica. No entanto, algumas medidas simples podem ser adotadas para diminuir aproliferação desses insetos. A casa e principalmente o quarto onde o doente dorme devem ser limpos combastante freqüência. Infelizmente, vassoura e espanador de pó apenas espalham o pó peloambiente. Os aspiradores são capazes de reter alguma sujeira, porém normalmente seufiltro não é desenvolvido para limpar o ar por completo. Infelizmente, muitas vezes, o queele faz é uma pulverização da poeira no ambiente. Aspiradores com filtros especiais e dealta eficiência existem, mas têm custo elevado. O ideal é que não existam carpetes, cortinas, tapetes, bichos de pelúcia, almofadas,móveis e outros e utensílios que possam acumular poeira nos ambientes em que osportadores de rinite vivem. Nesse caso, o uso de pano úmido na limpeza é uma formabastante eficaz para remover a poeira. 18
  19. 19. Deve-se também evitar o uso e contato com travesseiros e almofadas de penas. Autilização de capas protegendo os colchões e travesseiros, assim como de substâncias paraeliminar os ácaros do ambiente apresentam eficácia quando aplicados corretamente. Outro ponto importante a considerar é a existência de boa ventilação na casa e noquarto. Em ambientes ensolarados, é mais difícil o bolor (fungo) se desenvolver. Outra medida fundamental é evitar o contato com substâncias capazes de irritar onariz. Perfumes, produtos de limpeza, produtos para deixar os ambientes com odoragradável, fumaça de cigarro, tintas, inseticidas e poluição, são alguns exemplos desubstâncias capazes de irritar o nariz, e desencadear sintomas. Outros fatores inespecíficoscomo as mudanças bruscas de temperatura, frio e umidade do ar são igualmenteprejudiciais aos doentes com rinite alérgica. b) Tratamento medicamentoso O critério médico, se essas medidas não forem suficientes para controlar os sintomasdo paciente, poderemos recorrer à indicação de medicamentos. Existem dois grandes grupos de drogas que podem ser usadas. Um tipo funcionapreventivamente e outro apenas alivia os sintomas.Do ponto de vista farmacológico,dispomos de descongestionantes, anti-histamínicos, estabilizadores de membranas, ecorticosteróides. Cada uma dessas drogas atua de forma diferente, e nenhuma é isenta de efeitoscolaterais que, algumas vezes, podem ser graves. Por isso, o ideal, é não realizarautomedicação e procurar seu médico. c) Vacinas antialérgicas Quando o tratamento feito nestas condições (higiene ambiental e medicamentos)falha, pode-se associar o uso de vacinas antialérgicas. Esse tratamento é longo, porém,quando feito corretamente, diminuí a sensibilidade do doente àquela substância ao qual eraalérgico. Muitas vezes, chegamos ao ponto em que não há mais necessidade do uso demedicamentos. 19
  20. 20. Alérgicos: A rinite alérgica pode causar outros problemas, como otites (inflamaçãodos ouvidos), sinusites (inflamação de cavidades existentes na face) e roncos (peloentupimento do nariz) que interferem na qualidade de sono do paciente. No entanto, ele sóvai apresentar esses sintomas, quando estiver em contato com as substâncias aos quais éalérgico. Essas substâncias recebem o nome de alérgicos. Quanto maior o contato, maisintensos tendem a ser os sintomas. Normalmente o paciente com rinite alérgica, só apresenta os sintomas quando entraem contato com o alérgico. Em geral, eles são proporcionais à quantidade de alérgico a queforam expostos. Na época do inverno, costumam sofrer mais, pois acabam usando scobertores e roupas que ficaram guardados por muito tempo e podem estar cheios deácaros e fungos. Além disso, esses doentes são mais susceptíveis a resfriados. Na verdade, o resfriadoé uma inflamação do nariz, que compromete os mecanismos de proteção nasal, o quefacilita a entrada dos alérgicos. Para diminuir a ocorrência das doenças respiratórias, há uma série de medidas quepodem ser tomadas. Ter uma alimentação balanceada com legumes, verduras e frutas,beber muito líquido e evitar o tabagismo são essenciais na prevenção. A qualidade do arnos ambientes, tanto em casa como no trabalho é ainda mais importante. Os ambientes malarejados aumentam a sobrevida de microorganismos, favorecendo o aparecimento dasinfecções. Indivíduos mais vulneráveis a essas doenças As pessoas mais vulneráveis aos impactos causados pela poluição atmosférica são ospneumopatas, cardiopatas, crianças e idosos. São também as que mais sofrem nos dias emque o nível de poluição no ar aumenta. 20
  21. 21. Os pacientes pneumopatas são portadores de doenças relacionadas ao pulmão; Sãopessoas que possuem algum tipo de doença respiratória, tendo um aumento progressivo nadificuldade de realizar atividades simples do dia-a-dia. As pneumopatias podem ser:Parasitárias, quando causadas por um parasita; Fúngicas, causadas por fungos; Veno-Oclusiva, obstrução de pequenas e médias artérias do pulmão por proliferação fibrosa outrombose; Hipertensão Pulmonar, aumento da resistência vascular na circulação pulmonar,geralmente ocasionada por doenças cardíacas ou pulmonares; Intersticiais Difusas, é oacometimento difuso e bilateral dos septos alveolares (parênquima), que ficaminicialmente inflamados e posteriormente fibrosados; Ocupacionais, causadas emdecorrência das condições de trabalho e Crônicas, que pode ser em decorrência da anemia,imunodeficiência, patologia perinatal, aleitamento artificial, sarampo, coqueluche etuberculose. Além desse grupo dos mais vulneráveis, vale ressaltar que existe um conjunto de fatores que são cruciais ao se discutir a vulnerabilidade às doenças causadas pela poluição atmosférica, dentre elas enfatiza-se as pessoas que mais tem contato com a poluição em si: Pessoas que direta ou indiretamente têm contato com a fumaça de cigarros; Não-fumantes expostos à ambientes de trabalho enfumaçados, que expiram em média 8 horas por dia a fumaça; Pessoas que utilizam pesticidas e solventes empregados para limpeza; Agricultores que muito utilizam agrotóxicos; Donas de casa e outras pessoas que expiram fumaça produzida pela combustão de biomassa (lenha, folhas, esterco, etc); Moradores de áreas mais poluídas e industriais; Moradores de locais onde a inversão térmica ocorre com maior freqüência; Pessoas que diariamente enfrentam o congestionamento do trânsit Formas de evitar as doenças causadas pelo ar Para diminuir a ocorrência das doenças respiratórias, há uma série de medidas quepodem ser tomadas. Ter uma alimentação balanceada com legumes, verduras e frutas, 21
  22. 22. beber muito líquido e evitar o tabagismo são essenciais na prevenção. A qualidade do arnos ambientes, tanto em casa como no trabalho é ainda mais importante. Os ambientes malarejados aumentam a sobrevida de microorganismos, favorecendo o aparecimento dasinfecções. Uma das formas de evitar as doenças causadas pelo ar é tomando determinadasatitudes para reduzir os problemas de poluição no ar. A educação é uma maneira decontribuição com meio ambiente, uma vez que as pessoas se conscientizem da seriedade doproblema, espera-se que haja uma mudança no comportamento das mesmas. No portal SãoFrancisco, cita alguns exemplos de ações para contribuir com a higiene a do ar, comoexemplo, dirigir mais devagar, reduz quantidade de óxido de nitrogênio produzida pelosmotores, assim em alguns países, os limites de velocidade poderiam ser reduzidos. Outramedida para contribuir com a higiene do ar é a utilização do transporte coletivo, em vez dese deslocarem em seus próprios carros. Para a prevenção de doneças causas pela poluição do ar, como, manter boascondições ambientais e garantir uma boa ventilação em todos os lugares; Caso tenha umsistema de ar condicionado, deverá permanecer com entrada máxima de ar fresco, bemcomo mante-lo sempre limpo, trocando periódicamente as redes de filtros, além de fazeruma manutenção periódica. O ideal é eliminação de carpetes, bichos de pelúcias, móveis,cortinas, tapetes e outros e utensílios que acumule poeira nos ambientes dentro de casa.Não fumar, beber 2 a 3 litros de água por dia, para facilitar a eliminação de secreções,evitar contato com animais domésticos, fuligem, fumaça, objetos mofados. Outro pontosignificante a considerar é uma boa ventilação na casa e nos cômodos, considerando queambientes ensolarados, esta medida dificulta o desenvolvimento de fungos. Indica-se o usode pano úmido na limpeza, que uma forma bastante eficaz para remover a poeira. Políticas públicas aliadas na prevenção de doenças causadas pelo ar 22
  23. 23. O Conselho Nacional do Meio Ambiente - CONAMA, em 31 de agosto de 1981criou uma lei, onde nela considera acelerado o crescimento urbano e industrial brasileiro eda frota de veículos automotores; conseqüentemente há também aumento da poluiçãoatmosférica principalmente nas regiões metropolitanas, e tem seus impactos negativossobre a sociedade, a economia e o meio ambiente. Essa lei reconhece a necessidade de seconstituir estratégias a preservação e recuperação da qualidade do ar, são válidas para todoo território nacional, conforme que fundou a Política Nacional do Meio Ambiente. Assimforam designadas estratégias que estipulam limites máximos de emissão a quantidade depoluentes permissível de ser lançada por fontes poluidoras para a atmosfera que serádiferenciada em função da classificação de usos pretendidos para as diversas áreas e serãomais rígidos para as fontes novas de poluição. Segundo a Organização Mundial de Saúde - OMS (2007) a política Livre deTabaco a exposição ao fumo de tabaco diminui, logo a saúde das pessoas melhora. Também são eficazes em termos de preços, especialmente quando comparadas com“alternativas” indevidas são solicitadas pela indústria do tabaco, geralmente através deterceiros. Estes fracassos fazem com que seja difícil sensibilizar a opinião pública eelaborar políticas para a prevenção, diagnóstico e controle das doenças respiratóriascrônicas, bem como prever futuras doenças na população. Será necessário melhorar aestandardização das definições de doença e métodos para monitorizar o impacto eprovidenciar vigilância em longo prazo. Para controlar a qualidade do ar no País, foi criado, em 1989, o Programa Nacionalde Controle de Qualidade do Ar (Pronar), que, entre outros objetivos, estabelece metaspara a área. Com o passar dos anos, outros programas foram incorporados ao Pronar. O Programa de Controle da Poluição por Veículos Automotores (Proconve), queatualiza os padrões para carros, ônibus e caminhões novos. Em 2012, o Proconve entrouna fase para veículos pesados. Com relação às fontes fixas que provocam a poluição atmosférica, a Resolução382/2006 do Conama, define os limites máximos de emissão de poluentes pelas indústriasque iniciaram atividade a partir de 2007. Faltava uma resolução que atingisse também as 23
  24. 24. indústrias mais antigas. Em 2011, essa lacuna foi preenchida durante a 104ª ReuniãoOrdinária do Conselho, que estabeleceu novos padrões de emissão para as unidadesindustriais que entraram em operação antes de 2007. A meta é reduzir as emissões depoluentes aos níveis adotados para as novas plantas. Assim como o Conselho Nacional do Meio Ambiente e a Organização Mundial deSaúde, dentre outras políticas que contribuem para a melhoria da qualidade de vida, nota-se que criar apenas leis para serem compridas, tornam-se apenas bons ideais, uma vez quea fiscalização no Brasil não acontece exatamente como deveria. Conclusão Contudo, este estudo tem como finalidade, ressaltar sobre os problemas causadospelo aumento da poluição do ar, sendo estes prejudiciais tanto para o meio ambiente tantopara os habitantes dos grandes centros urbanos, já que o grande processo de urbanização e 24
  25. 25. a industrialização têm contribuído para com a concentração de poluentes em suspensão naatmosfera. Para tanto existe medidas que podem amenizar os efeitos da poluição do ar, sendoesses a arborização das áreas mais movimentadas nas cidades, criação de corredores deventilação, criação de leis que regulamentem a emissão de poluentes veiculares e oprincipal a educação ambiental, pois este tem a principal função de conscientizar àpreservação do meio ambiente e sua preservação, amenizando dessa a forma os efeitos dapoluição do meio ambiente e conseqüentemente as doenças causadas pela poluição. Referências Bibliográficas Poluição. http://www.brasil.gov.br/sobre/meioambiente/climas/poluicao/print http://drauziovarella.com.br/wiki-saude 25
  26. 26. 26

×