Emissão atmosférica x qualidade do ar

3.475 visualizações

Publicada em

Apresentação feita pela professora Kirlene Penna, da UVV

Publicada em: Notícias e política
1 comentário
2 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
3.475
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
586
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
97
Comentários
1
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Emissão atmosférica x qualidade do ar

  1. 1. EMISSÃOATMOSFÉRICA X QUALIDADE DO AR
  2. 2. Muito se falou em Qualidade do Ar... Emissão atmosférica...índices...padrões de emissão Mas para se ter a Qualidade do Ar que almejamos, qual deveria ser o índice de emissão atmosférica apropriado? OMS CONAMA IEMA / ES
  3. 3. REVISÃO Qualidade do Ar: Considerando o previsto na Resolução CONAMA nº 05, de 15.06.89,Art. 1º - São padrões de qualidade do ar as concentrações de poluentes atmosféricos que, ultrapassadas, poderão afetar a saúde, a segurança e o bem-estar da população, bem como ocasionar danos à flora e à fauna, aos materiais e ao meio ambiente em geral.Parágrafo Único - Entende-se como poluente atmosférico qualquer forma de matéria ou energia com intensidade e em quantidade, concentração, tempo ou características em desacordo com os níveis estabelecidos, e que tornem ou possam tornar o ar:I - impróprio, nocivo ou ofensivo à saúde;II - inconveniente ao bem-estar público;III - danoso aos materiais, à fauna e flora.IV - prejudicial à segurança. ao uso e gozo da propriedade e às atividades normais da comunidade.
  4. 4. REVISÃO Emissão AtmosféricaArt. 3o Para efeito da Resolucao 436 CONAMA/2011 sao adotadas as seguintes definicoes referentes as fontes de emissão:a) controle de emissoes: procedimentos destinados a reducao ou a prevencao da liberacao de poluentes para a atmosfera;b) emissao: lancamento na atmosfera de qualquer forma de materia solida, liquida ou gasosa;c) emissao fugitiva: lancamento difuso na atmosfera de qualquer forma de materia solida, liquida ou gasosa, efetuado por uma fonte desprovida de dispositivo projetado para dirigir ou controlar seu fluxo;d) emissao pontual: lancamento na atmosfera de qualquer forma de materia solida, liquida ou gasosa, efetuado por uma fonte provida de dispositivo para dirigir ou controlar seu fluxo, como dutos e chamines;e) fonte fixa de emissao: qualquer instalacao, equipamento ou processo, situado em local fixo, que libere ou emita materia para a atmosfera, por emissao pontual ou fugitiva;f) limite maximo de emissao (LME): quantidade maxima de poluentes permissivel de ser lancada para a atmosfera por fontes fixas;
  5. 5. SÃO POLUENTES PADRONIZADOS NO BRASIL:• Partículas • CO Totais em • O3 Suspensão • NO2• Fumaça • SO2• Partículas Inaláveis
  6. 6. o Material Particulado (MP): todo e qualquer material solido ou liquido, em mistura gasosa, que se mantem neste estado na temperatura do meio filtrante, estabelecida pelo método adotado. - PM10 : menores que 10 microns de diâmetro. Ficam retidas no nariz e nasofaringe, podendo ser eliminadas pelo organismo. Estas estão mais sujeitas a força gravitacional. - PM2,5 : menores que 2,5 microns de diâmetro. Alonjam-se no bronquíolo terminal. Tem a capacidade de atravessar o sistema respiratório inferior e alcançar os alvéolos pulmonares (WHO, 2006)• MP Primário: emitido diretamente pela fonte;• MP Secundário: formado através de reações químicas na atmosfera.
  7. 7. Segundo o Relatório da Qualidade do Ar naGrande Vitória (IEMA, 2008) as principaisfontes de poluição são as indústrias de:- pelotização,- siderurgia,- pedreiras,- cimenteiras,- veículos automotores- outros.
  8. 8. Alves et al (2006) fizeram uma análise da percepçãoambiental à poeira da população em Serra, vila Velha eVitória, totalizando 653 entrevistados:- 28% extremamente incomodados- 47% muito incomodados- 23% pouco incomodados- 1% nada incomodado.Algumas localidades já definiram a taxa de deposição depoeira sedimentável que, quando ultrapassados, podemcausar incômodos à população:- Argentina: 10 g/m2/30dias- EUA: 5,5 a 10 g/m2/30dias- Minas Gerais: 5 a 10 g/m2/30dias
  9. 9. Tabela 05 e 06 – padrão CONAMA para cálculo IQAObserve que para o parâmetro PM 2,5 não há padrão fixado.
  10. 10. Figura 1 – Índice de qualidade do ar considerado ideal pela OMS MP10 média de24 horas CONAMA REGULAR: 150 BOM: 50
  11. 11. DADOS: RELATÓRIO QUALIDADE DO AR – IEMA – 2006PARTÍCULAS INALÁVEIS (PM10) Estação Laranjeiras, 2006 Enseada do Suá, 2006
  12. 12. Nossos padrões de qualidade do ar traduzemo conhecimento disponível no início dos anos1990, quando menos de 10% dos trabalhossobre poluição do ar e saúde humana haviamsido publicados. É como se houvesse umadissociação entre a saúde humana e apolítica ambiental.
  13. 13. MAS, SE OS ÍNDICES ESTÃO DENTRO DOSPADRÕES, POR QUE NÃO PERCEBEMOS ISTONO COTIDIANO?
  14. 14. Mercado Mundial do Aço
  15. 15. Processo Produtivo do Aço – Mercado Nacional
  16. 16. PLANEJAMENTO DAS ATIVIDADES DE IMPLANTAÇÃO DE CONTROLE DE MATERIAL PARTICULADO - VALE 2007 2008 Jun Set Dez Set Dez Mar 2009 2009 2009 2010 2010 2011Supressores e Polímeros xCarregadores de Navios xWind Fence x x xEnclausurametno das 23 46 59Transferências de CorreiasPrecipitadores Eletrostáticos x x x x
  17. 17. ARCELORMITTAL TUBARÃO: CONTROLE DE MEIOAMBIENTE • Precipitadores • Umidificação eletrostáticos das vias • Filtro manga • Lava rodas • Cinturão verde
  18. 18. TRABALHO ANDRÉ NOVAES DA ROCHA UFESIDENTIFICAÇÃO DA QUALIDADE DA PARTÍCULA
  19. 19. DADOS: RELATÓRIO QUALIDADE DO AR – IEMA – 2011 PARTÍCULAS INALÁVEIS (PM10) A ressuspensão de partículas causada pelos veículos é responsável por mais de 60% das Taxas de Emissão de PM10 e PM2,5.
  20. 20. Figura: Contribuição do material particulado total na RGV por fontes segundoInventário 2011Fonte: IEMA (2011)
  21. 21. EVOLUÇÃO DA FROTA VEICULAR - VITÓRIA 170000 160000 150000 Queda na produção 140000 de aço 130000 120000 110000 100000 2005 2006 2007 2008 2009 2010
  22. 22. Material Particulado Total 68,2% 6,1% 3,7% 1,6% 1,1% 0,8% 2,7% 15,8% Fonte: Plano de Controle de Poluição Veicular do Estado do Espírito Santo PCPV/ES - 2011
  23. 23. Médias Geométricas Anuais de PTS para cada estação RAMQAr no ano de 2010. Concentração [μg/m3] 39 30 34 36 34 46 18 Índices aceitáveis!!! Trabalho: Plano de Controle de Poluição Veicular do Estado do Espírito Santo PCPV/ES 2011
  24. 24. DADOS: RELATÓRIO QUALIDADE DO AR – IEMA – 2006: PARTÍCULAS INALÁVEIS (PM10)APÓS UMA NOVA META: Estação Laranjeiras, 2006 Enseada do Suá, 2006
  25. 25. POLUENTE: PM 10 TEMPO DE PADRÃO PRIMÁRIO AMOSTRAGEM OMS 24h 50 CONAMA 24h IEMA - VITÓRIA 24h ? POLUENTE: PM 2,5 TEMPO DE PADRÃO PRIMÁRIO AMOSTRAGEM OMS 24h 25 CONAMA 24h IEMA - VITÓRIA 24h ?Atividades:- Estabelecer novos padrões- Limpeza úmida das vias públicas, minimizando a ressuspensão;- Medir PM2,5-Fazer análise qualitativa dos particulados (identificar a origem daemissão)
  26. 26. Obrigada!

×