SlideShare uma empresa Scribd logo

Erguei os Olhos e Vede os Campos - Missões - Luiz Miguel Gianeli

Este documento é uma coletânea de reflexões sobre missões dividida em quatro partes, baseada em passagens bíblicas. A primeira parte foca no Antigo Testamento e mostra como Deus sempre quis que Seu nome fosse conhecido em todas as nações, como visto na construção do Templo de Salomão, onde o povo deveria falar de Deus aos estrangeiros e testemunhar Seus feitos.

1 de 246
Baixar para ler offline
Erguei os Olhos e Vede os Campos - Missões - Luiz Miguel Gianeli
Erguei os Olhos e Vede os Campos - Missões - Luiz Miguel Gianeli
Erguei os
Olhos
e Vede
os Campos
Reflexões sobre Missões
Luiz Miguel de Souza Gianeli
Primeira Edição 2018
Diamantes Eternos
________________________________________________________
Copyright © Luiz Miguel de Souza Gianeli
Arte e Diagramação
Luiz Miguel de Souza Gianeli
Capa
Sammis Reachers
Revisão
Erika de Paula Sousa
erikadpsousa17@hotmail.com
www.diamanteseternos.blogspot.com.br/
Primeira edição – Agosto 2018
Impressão e publicação:
DIAMANTES ETERNOS
www.diamanteseternos.blogspot.com.br
Índice
Agradecimentos..........................................................................................................8
Prefácio.......................................................................................................................9
Parte 1 - ANTIGO TESTAMENTO......................................................................11
O Templo de Salomão e as Missões Mundiais..........................................................12
O Chamado de Eliseu.................................................................................................16
Todo Mundo Deve Adorar a Deus.............................................................................21
Consagração e Chamada ao Ministério......................................................................24
O Evangelismo e a Glória de Deus............................................................................32
Desperte para Pregar – Reflexão na Vida de Jonas...................................................37
Parte 2 - NOVO TESTAMENTO...........................................................................45
Amando Missões Como Jesus...................................................................................46
Rogando Por Mais Missionários................................................................................52
A Primeira Missão dos Discípulos.............................................................................57
Vivendo com Propósito, Assim Como Jesus.............................................................61
Erguei os Olhos e Vede os Campos!..........................................................................67
Missões Como Prioridade..........................................................................................74
Missões Transculturais – Por que se Envolver?........................................................82
Uma Visão Sobre Missões.........................................................................................86
Servir e Pregar Sem Desanimar.................................................................................90
Trabalhando Pelo Avanço da Obra de Deus..............................................................94
Missões, Por Jesus e Pela Cruz!.................................................................................99
Todos Nós Somos Chamados..................................................................................107
Parte 3 - SÉRIES....................................................................................................113
O Que Jesus Nos Ensinou Sobre Missões (1)..........................................................114
O Que Jesus Nos Ensinou Sobre Missões (2)..........................................................118
O Que Jesus Nos Ensinou Sobre Missões (3)..........................................................122
Mantendo Vivo O Chamado Ao Ministério (1).......................................................126
Mantendo Vivo O Chamado Ao Ministério (2).......................................................136
Mantendo Vivo O Chamado Ao Ministério (3).......................................................143
Mantendo Vivo O Chamado Ao Ministério (4).......................................................150
Missões Pela Morte Na Cruz (1)..............................................................................155
Missões Pela Morte Na Cruz (2)..............................................................................159
Missões Pela Morte Na Cruz (3)..............................................................................163
Missões Pela Morte Na Cruz (4)..............................................................................168
Um Modelo De Igreja Missionária (1).....................................................................173
Um Modelo De Igreja Missionária (2).....................................................................180
Um Modelo De Igreja Missionária (3).....................................................................187
Arrependimento e Missões (1).................................................................................194
Arrependimento e Missões (2).................................................................................203
Arrependimento e Missões (3).................................................................................209
Parte 4 - REFLEXÕES MISSIONÁRIAS...........................................................213
Evangelismo e Missões Entre os Jovens da Igreja...................................................214
Missões, Evangelismo e Tecnologia........................................................................218
O Valor Das Viagens Missionárias..........................................................................221
Meditação Missionária.............................................................................................225
Missões São Algo Interessante................................................................................226
Livros sobre Missões...............................................................................................227
ILUSTRAÇÕES MISSIONÁRIAS......................................................................230
Sobre o Autor...........................................................................................................244

Recomendados

Pinto, ricardo alexandre. 1999
Pinto, ricardo alexandre. 1999Pinto, ricardo alexandre. 1999
Pinto, ricardo alexandre. 1999INFISTA
 
Manual do encontro com deus
Manual do encontro com deusManual do encontro com deus
Manual do encontro com deusMINISTERIO IPCA.
 
Ebf - Escuta o que Jesus quer ensinar
Ebf - Escuta o que Jesus quer ensinarEbf - Escuta o que Jesus quer ensinar
Ebf - Escuta o que Jesus quer ensinarcarinetiahelp
 
Manual basico mulher sud Parte A
Manual basico mulher sud Parte AManual basico mulher sud Parte A
Manual basico mulher sud Parte ASolange Dal'Evedove
 

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Deveres e Bencãos do Sacerdócio parte B
Deveres e Bencãos do Sacerdócio parte BDeveres e Bencãos do Sacerdócio parte B
Deveres e Bencãos do Sacerdócio parte Bferrazrx
 
Manual basico mulher sud b 31114
Manual basico mulher sud b 31114Manual basico mulher sud b 31114
Manual basico mulher sud b 31114Gil Antunes
 
Teatro Missionário - Peças teatrais e jograis sobre missões e evangelização p...
Teatro Missionário - Peças teatrais e jograis sobre missões e evangelização p...Teatro Missionário - Peças teatrais e jograis sobre missões e evangelização p...
Teatro Missionário - Peças teatrais e jograis sobre missões e evangelização p...Sammis Reachers
 
Apostila de Formação - Ministério de Música e Artes - RCC
Apostila de Formação - Ministério de Música e Artes - RCCApostila de Formação - Ministério de Música e Artes - RCC
Apostila de Formação - Ministério de Música e Artes - RCCDarlan Campos
 
Exercicios espirituaispefeitadevocao
Exercicios espirituaispefeitadevocaoExercicios espirituaispefeitadevocao
Exercicios espirituaispefeitadevocaobabins
 
Novena de Natal 2012 - Arquidiocese de Florianópolis
Novena de Natal 2012 - Arquidiocese de FlorianópolisNovena de Natal 2012 - Arquidiocese de Florianópolis
Novena de Natal 2012 - Arquidiocese de FlorianópolisBernadetecebs .
 
Conselhos sobre a escola sabatina
Conselhos sobre a escola sabatinaConselhos sobre a escola sabatina
Conselhos sobre a escola sabatinaJulio Cesar Silva
 

Mais procurados (12)

Deveres e Bencãos do Sacerdócio parte B
Deveres e Bencãos do Sacerdócio parte BDeveres e Bencãos do Sacerdócio parte B
Deveres e Bencãos do Sacerdócio parte B
 
Manual basico mulher sud b 31114
Manual basico mulher sud b 31114Manual basico mulher sud b 31114
Manual basico mulher sud b 31114
 
Teatro Missionário - Peças teatrais e jograis sobre missões e evangelização p...
Teatro Missionário - Peças teatrais e jograis sobre missões e evangelização p...Teatro Missionário - Peças teatrais e jograis sobre missões e evangelização p...
Teatro Missionário - Peças teatrais e jograis sobre missões e evangelização p...
 
Apostila de Formação - Ministério de Música e Artes - RCC
Apostila de Formação - Ministério de Música e Artes - RCCApostila de Formação - Ministério de Música e Artes - RCC
Apostila de Formação - Ministério de Música e Artes - RCC
 
Exercicios espirituaispefeitadevocao
Exercicios espirituaispefeitadevocaoExercicios espirituaispefeitadevocao
Exercicios espirituaispefeitadevocao
 
John r. w. stott batismo e plenitude do e. santo
John r. w. stott   batismo e plenitude do e. santoJohn r. w. stott   batismo e plenitude do e. santo
John r. w. stott batismo e plenitude do e. santo
 
Mariologia / Arno Frelich
Mariologia / Arno FrelichMariologia / Arno Frelich
Mariologia / Arno Frelich
 
Novena de Natal 2012 - Arquidiocese de Florianópolis
Novena de Natal 2012 - Arquidiocese de FlorianópolisNovena de Natal 2012 - Arquidiocese de Florianópolis
Novena de Natal 2012 - Arquidiocese de Florianópolis
 
Apostila crisma-2015
Apostila crisma-2015Apostila crisma-2015
Apostila crisma-2015
 
Conselhos sobre a escola sabatina
Conselhos sobre a escola sabatinaConselhos sobre a escola sabatina
Conselhos sobre a escola sabatina
 
Apostila do crisma
Apostila do crismaApostila do crisma
Apostila do crisma
 
Voz da-esperanca-40 CNSE
Voz da-esperanca-40 CNSEVoz da-esperanca-40 CNSE
Voz da-esperanca-40 CNSE
 

Semelhante a Erguei os Olhos e Vede os Campos - Missões - Luiz Miguel Gianeli

Apostila doutrina dos_apstolos 2
Apostila doutrina dos_apstolos 2Apostila doutrina dos_apstolos 2
Apostila doutrina dos_apstolos 2Wilton Santos
 
Retorno a santidade
Retorno a santidadeRetorno a santidade
Retorno a santidadeThatiCunha
 
Conceito de missao_integral_da_ipi_do_brasil
Conceito de missao_integral_da_ipi_do_brasilConceito de missao_integral_da_ipi_do_brasil
Conceito de missao_integral_da_ipi_do_brasilGesse Werner
 
Novena missionária 2012
Novena missionária 2012Novena missionária 2012
Novena missionária 2012Bernadetecebs .
 
Livreto cf 2013 - A Palavra de Deus na Vida do Povo
Livreto cf 2013 - A Palavra de Deus na Vida do PovoLivreto cf 2013 - A Palavra de Deus na Vida do Povo
Livreto cf 2013 - A Palavra de Deus na Vida do PovoBernadetecebs .
 
Boa semente 02 Dez 2011
Boa semente 02   Dez 2011Boa semente 02   Dez 2011
Boa semente 02 Dez 2011Lex Aleksandre
 
O homem que Deus usa - Oswald Smith
O homem que Deus usa - Oswald SmithO homem que Deus usa - Oswald Smith
O homem que Deus usa - Oswald SmithHelio Colombe
 
Pdf 5 dons e ministérios - monografia - paulo dias nogueira
Pdf 5   dons e ministérios - monografia - paulo dias nogueiraPdf 5   dons e ministérios - monografia - paulo dias nogueira
Pdf 5 dons e ministérios - monografia - paulo dias nogueiraPaulo Dias Nogueira
 
Manual de realização do encontro com DEUS
Manual de realização do encontro com DEUSManual de realização do encontro com DEUS
Manual de realização do encontro com DEUSEvangelista Duarte
 
Carla Geanfrancisco projeto de educacao crista missionaria
Carla Geanfrancisco    projeto de  educacao crista missionariaCarla Geanfrancisco    projeto de  educacao crista missionaria
Carla Geanfrancisco projeto de educacao crista missionariaCarla Geanfrancisco Falasca
 
Campanha da Fraternidade 2014 - Livreto das CEBs diocese de SJC
Campanha da Fraternidade 2014 - Livreto das CEBs diocese de SJCCampanha da Fraternidade 2014 - Livreto das CEBs diocese de SJC
Campanha da Fraternidade 2014 - Livreto das CEBs diocese de SJCBernadetecebs .
 

Semelhante a Erguei os Olhos e Vede os Campos - Missões - Luiz Miguel Gianeli (20)

Crescendo na Fé
Crescendo na FéCrescendo na Fé
Crescendo na Fé
 
Serviço Cristão (SC)
Serviço Cristão (SC)Serviço Cristão (SC)
Serviço Cristão (SC)
 
Formação do Discipulo.pdf
Formação do Discipulo.pdfFormação do Discipulo.pdf
Formação do Discipulo.pdf
 
Evangelismo (Ev)
Evangelismo (Ev)Evangelismo (Ev)
Evangelismo (Ev)
 
ApostMdulo2.pdf
ApostMdulo2.pdfApostMdulo2.pdf
ApostMdulo2.pdf
 
Apostila doutrina dos_apstolos 2
Apostila doutrina dos_apstolos 2Apostila doutrina dos_apstolos 2
Apostila doutrina dos_apstolos 2
 
Retorno a santidade
Retorno a santidadeRetorno a santidade
Retorno a santidade
 
O método de Cristo
O método de CristoO método de Cristo
O método de Cristo
 
Conceito de missao_integral_da_ipi_do_brasil
Conceito de missao_integral_da_ipi_do_brasilConceito de missao_integral_da_ipi_do_brasil
Conceito de missao_integral_da_ipi_do_brasil
 
Novena missionária 2012
Novena missionária 2012Novena missionária 2012
Novena missionária 2012
 
Livreto cf 2013 - A Palavra de Deus na Vida do Povo
Livreto cf 2013 - A Palavra de Deus na Vida do PovoLivreto cf 2013 - A Palavra de Deus na Vida do Povo
Livreto cf 2013 - A Palavra de Deus na Vida do Povo
 
Obreiros Evangélicos (OE)
Obreiros Evangélicos (OE)Obreiros Evangélicos (OE)
Obreiros Evangélicos (OE)
 
Boa semente 02 Dez 2011
Boa semente 02   Dez 2011Boa semente 02   Dez 2011
Boa semente 02 Dez 2011
 
O homem que Deus usa - Oswald Smith
O homem que Deus usa - Oswald SmithO homem que Deus usa - Oswald Smith
O homem que Deus usa - Oswald Smith
 
Cf 2011 texto_base_final_fechado_
Cf 2011 texto_base_final_fechado_Cf 2011 texto_base_final_fechado_
Cf 2011 texto_base_final_fechado_
 
Pdf 5 dons e ministérios - monografia - paulo dias nogueira
Pdf 5   dons e ministérios - monografia - paulo dias nogueiraPdf 5   dons e ministérios - monografia - paulo dias nogueira
Pdf 5 dons e ministérios - monografia - paulo dias nogueira
 
lagrimas_de_esperanca_trecho.pdf
lagrimas_de_esperanca_trecho.pdflagrimas_de_esperanca_trecho.pdf
lagrimas_de_esperanca_trecho.pdf
 
Manual de realização do encontro com DEUS
Manual de realização do encontro com DEUSManual de realização do encontro com DEUS
Manual de realização do encontro com DEUS
 
Carla Geanfrancisco projeto de educacao crista missionaria
Carla Geanfrancisco    projeto de  educacao crista missionariaCarla Geanfrancisco    projeto de  educacao crista missionaria
Carla Geanfrancisco projeto de educacao crista missionaria
 
Campanha da Fraternidade 2014 - Livreto das CEBs diocese de SJC
Campanha da Fraternidade 2014 - Livreto das CEBs diocese de SJCCampanha da Fraternidade 2014 - Livreto das CEBs diocese de SJC
Campanha da Fraternidade 2014 - Livreto das CEBs diocese de SJC
 

Mais de Sammis Reachers

Fanzine Samizdat #6 - Sammis Reachers.pdf
Fanzine Samizdat #6 - Sammis Reachers.pdfFanzine Samizdat #6 - Sammis Reachers.pdf
Fanzine Samizdat #6 - Sammis Reachers.pdfSammis Reachers
 
Revista Muito Além dos Videogames Extra 2 - Jogos bíblicos e cristãos
Revista Muito Além dos Videogames Extra 2 - Jogos bíblicos e cristãosRevista Muito Além dos Videogames Extra 2 - Jogos bíblicos e cristãos
Revista Muito Além dos Videogames Extra 2 - Jogos bíblicos e cristãosSammis Reachers
 
150 Citações de Soren Kierkegaard - E-book
150 Citações de Soren Kierkegaard - E-book150 Citações de Soren Kierkegaard - E-book
150 Citações de Soren Kierkegaard - E-bookSammis Reachers
 
Poemas sobre Sua Majestade, o LIVRO - Uma microantologia
Poemas sobre Sua Majestade, o LIVRO - Uma microantologiaPoemas sobre Sua Majestade, o LIVRO - Uma microantologia
Poemas sobre Sua Majestade, o LIVRO - Uma microantologiaSammis Reachers
 
Linha de Esplendor Sem Fim - Histórias missionárias metodistas
Linha de Esplendor Sem Fim - Histórias missionárias metodistasLinha de Esplendor Sem Fim - Histórias missionárias metodistas
Linha de Esplendor Sem Fim - Histórias missionárias metodistasSammis Reachers
 
GoMobilize - Manual de Mibilização Missionária
GoMobilize - Manual de Mibilização MissionáriaGoMobilize - Manual de Mibilização Missionária
GoMobilize - Manual de Mibilização MissionáriaSammis Reachers
 
Curso de Visitação Hospitalar para Adultos
Curso de Visitação Hospitalar para AdultosCurso de Visitação Hospitalar para Adultos
Curso de Visitação Hospitalar para AdultosSammis Reachers
 
COMO CRIAR UM INFORMATIVO MISSIONARIO QUE GERE RESULTADOS.pdf
COMO CRIAR UM INFORMATIVO MISSIONARIO QUE GERE RESULTADOS.pdfCOMO CRIAR UM INFORMATIVO MISSIONARIO QUE GERE RESULTADOS.pdf
COMO CRIAR UM INFORMATIVO MISSIONARIO QUE GERE RESULTADOS.pdfSammis Reachers
 
As Mais Belas Citações Sobre a Gratidão - 250 Citações Selecionadas.pdf
As Mais Belas Citações Sobre a Gratidão - 250 Citações Selecionadas.pdfAs Mais Belas Citações Sobre a Gratidão - 250 Citações Selecionadas.pdf
As Mais Belas Citações Sobre a Gratidão - 250 Citações Selecionadas.pdfSammis Reachers
 
Sonetos Natalinos - Filemon Martins
Sonetos Natalinos - Filemon MartinsSonetos Natalinos - Filemon Martins
Sonetos Natalinos - Filemon MartinsSammis Reachers
 
Renato Cascão e Sammy Maluco - Uma dupla do balacobaco - Sammis Reachers
Renato Cascão e Sammy Maluco - Uma dupla do balacobaco - Sammis ReachersRenato Cascão e Sammy Maluco - Uma dupla do balacobaco - Sammis Reachers
Renato Cascão e Sammy Maluco - Uma dupla do balacobaco - Sammis ReachersSammis Reachers
 
CARTAS E RETORNOS - Poesia - Sammis Reachers
CARTAS E RETORNOS - Poesia - Sammis ReachersCARTAS E RETORNOS - Poesia - Sammis Reachers
CARTAS E RETORNOS - Poesia - Sammis ReachersSammis Reachers
 
Sabenças & Sentenças da Missão: Frases e provocações missionais de Sammis Rea...
Sabenças & Sentenças da Missão: Frases e provocações missionais de Sammis Rea...Sabenças & Sentenças da Missão: Frases e provocações missionais de Sammis Rea...
Sabenças & Sentenças da Missão: Frases e provocações missionais de Sammis Rea...Sammis Reachers
 
O que Jesus fez? E-book gratuito
O que Jesus fez? E-book gratuitoO que Jesus fez? E-book gratuito
O que Jesus fez? E-book gratuitoSammis Reachers
 
Antes que seja tarde demais - E-book
Antes que seja tarde demais  - E-bookAntes que seja tarde demais  - E-book
Antes que seja tarde demais - E-bookSammis Reachers
 
Poema educativo sobre as frutas nativas do Brasil
Poema educativo sobre as frutas nativas do Brasil Poema educativo sobre as frutas nativas do Brasil
Poema educativo sobre as frutas nativas do Brasil Sammis Reachers
 
Cronograma de leitura bíblica para crianças - 2022
Cronograma de leitura bíblica para crianças - 2022Cronograma de leitura bíblica para crianças - 2022
Cronograma de leitura bíblica para crianças - 2022Sammis Reachers
 
Poesia Evangélica em Literatura de Cordel - Uma antologia
Poesia Evangélica em Literatura de Cordel - Uma antologiaPoesia Evangélica em Literatura de Cordel - Uma antologia
Poesia Evangélica em Literatura de Cordel - Uma antologiaSammis Reachers
 
365 Frases de Martinho Lutero + As 95 Teses
365 Frases de Martinho Lutero + As 95 Teses365 Frases de Martinho Lutero + As 95 Teses
365 Frases de Martinho Lutero + As 95 TesesSammis Reachers
 
A Cadeia Alcoólica - Frases, Poemas e pequenas narrativas sobre o alcoolismo
A Cadeia Alcoólica - Frases, Poemas e pequenas narrativas sobre o alcoolismoA Cadeia Alcoólica - Frases, Poemas e pequenas narrativas sobre o alcoolismo
A Cadeia Alcoólica - Frases, Poemas e pequenas narrativas sobre o alcoolismoSammis Reachers
 

Mais de Sammis Reachers (20)

Fanzine Samizdat #6 - Sammis Reachers.pdf
Fanzine Samizdat #6 - Sammis Reachers.pdfFanzine Samizdat #6 - Sammis Reachers.pdf
Fanzine Samizdat #6 - Sammis Reachers.pdf
 
Revista Muito Além dos Videogames Extra 2 - Jogos bíblicos e cristãos
Revista Muito Além dos Videogames Extra 2 - Jogos bíblicos e cristãosRevista Muito Além dos Videogames Extra 2 - Jogos bíblicos e cristãos
Revista Muito Além dos Videogames Extra 2 - Jogos bíblicos e cristãos
 
150 Citações de Soren Kierkegaard - E-book
150 Citações de Soren Kierkegaard - E-book150 Citações de Soren Kierkegaard - E-book
150 Citações de Soren Kierkegaard - E-book
 
Poemas sobre Sua Majestade, o LIVRO - Uma microantologia
Poemas sobre Sua Majestade, o LIVRO - Uma microantologiaPoemas sobre Sua Majestade, o LIVRO - Uma microantologia
Poemas sobre Sua Majestade, o LIVRO - Uma microantologia
 
Linha de Esplendor Sem Fim - Histórias missionárias metodistas
Linha de Esplendor Sem Fim - Histórias missionárias metodistasLinha de Esplendor Sem Fim - Histórias missionárias metodistas
Linha de Esplendor Sem Fim - Histórias missionárias metodistas
 
GoMobilize - Manual de Mibilização Missionária
GoMobilize - Manual de Mibilização MissionáriaGoMobilize - Manual de Mibilização Missionária
GoMobilize - Manual de Mibilização Missionária
 
Curso de Visitação Hospitalar para Adultos
Curso de Visitação Hospitalar para AdultosCurso de Visitação Hospitalar para Adultos
Curso de Visitação Hospitalar para Adultos
 
COMO CRIAR UM INFORMATIVO MISSIONARIO QUE GERE RESULTADOS.pdf
COMO CRIAR UM INFORMATIVO MISSIONARIO QUE GERE RESULTADOS.pdfCOMO CRIAR UM INFORMATIVO MISSIONARIO QUE GERE RESULTADOS.pdf
COMO CRIAR UM INFORMATIVO MISSIONARIO QUE GERE RESULTADOS.pdf
 
As Mais Belas Citações Sobre a Gratidão - 250 Citações Selecionadas.pdf
As Mais Belas Citações Sobre a Gratidão - 250 Citações Selecionadas.pdfAs Mais Belas Citações Sobre a Gratidão - 250 Citações Selecionadas.pdf
As Mais Belas Citações Sobre a Gratidão - 250 Citações Selecionadas.pdf
 
Sonetos Natalinos - Filemon Martins
Sonetos Natalinos - Filemon MartinsSonetos Natalinos - Filemon Martins
Sonetos Natalinos - Filemon Martins
 
Renato Cascão e Sammy Maluco - Uma dupla do balacobaco - Sammis Reachers
Renato Cascão e Sammy Maluco - Uma dupla do balacobaco - Sammis ReachersRenato Cascão e Sammy Maluco - Uma dupla do balacobaco - Sammis Reachers
Renato Cascão e Sammy Maluco - Uma dupla do balacobaco - Sammis Reachers
 
CARTAS E RETORNOS - Poesia - Sammis Reachers
CARTAS E RETORNOS - Poesia - Sammis ReachersCARTAS E RETORNOS - Poesia - Sammis Reachers
CARTAS E RETORNOS - Poesia - Sammis Reachers
 
Sabenças & Sentenças da Missão: Frases e provocações missionais de Sammis Rea...
Sabenças & Sentenças da Missão: Frases e provocações missionais de Sammis Rea...Sabenças & Sentenças da Missão: Frases e provocações missionais de Sammis Rea...
Sabenças & Sentenças da Missão: Frases e provocações missionais de Sammis Rea...
 
O que Jesus fez? E-book gratuito
O que Jesus fez? E-book gratuitoO que Jesus fez? E-book gratuito
O que Jesus fez? E-book gratuito
 
Antes que seja tarde demais - E-book
Antes que seja tarde demais  - E-bookAntes que seja tarde demais  - E-book
Antes que seja tarde demais - E-book
 
Poema educativo sobre as frutas nativas do Brasil
Poema educativo sobre as frutas nativas do Brasil Poema educativo sobre as frutas nativas do Brasil
Poema educativo sobre as frutas nativas do Brasil
 
Cronograma de leitura bíblica para crianças - 2022
Cronograma de leitura bíblica para crianças - 2022Cronograma de leitura bíblica para crianças - 2022
Cronograma de leitura bíblica para crianças - 2022
 
Poesia Evangélica em Literatura de Cordel - Uma antologia
Poesia Evangélica em Literatura de Cordel - Uma antologiaPoesia Evangélica em Literatura de Cordel - Uma antologia
Poesia Evangélica em Literatura de Cordel - Uma antologia
 
365 Frases de Martinho Lutero + As 95 Teses
365 Frases de Martinho Lutero + As 95 Teses365 Frases de Martinho Lutero + As 95 Teses
365 Frases de Martinho Lutero + As 95 Teses
 
A Cadeia Alcoólica - Frases, Poemas e pequenas narrativas sobre o alcoolismo
A Cadeia Alcoólica - Frases, Poemas e pequenas narrativas sobre o alcoolismoA Cadeia Alcoólica - Frases, Poemas e pequenas narrativas sobre o alcoolismo
A Cadeia Alcoólica - Frases, Poemas e pequenas narrativas sobre o alcoolismo
 

Último

Vibração Pelo Planeta Terra
Vibração Pelo Planeta Terra Vibração Pelo Planeta Terra
Vibração Pelo Planeta Terra Nilson Almeida
 
Novena De Preparação Para A Festa De Santo Expedito
Novena De Preparação Para A Festa De Santo ExpeditoNovena De Preparação Para A Festa De Santo Expedito
Novena De Preparação Para A Festa De Santo ExpeditoNilson Almeida
 
Novena A Santo Inácio De Loyola
Novena A Santo Inácio De Loyola Novena A Santo Inácio De Loyola
Novena A Santo Inácio De Loyola Nilson Almeida
 
Orações De Nossa Senhora
Orações De Nossa SenhoraOrações De Nossa Senhora
Orações De Nossa SenhoraNilson Almeida
 
Estudo do livro bíblico de Atos dos Apóstolos
Estudo do livro bíblico de Atos dos ApóstolosEstudo do livro bíblico de Atos dos Apóstolos
Estudo do livro bíblico de Atos dos ApóstolosPIB Penha
 
Bíblia Sagrada - livro II de Salmos - 42-72 - slides powerpoint.ppt
Bíblia Sagrada - livro II de Salmos - 42-72 - slides powerpoint.pptBíblia Sagrada - livro II de Salmos - 42-72 - slides powerpoint.ppt
Bíblia Sagrada - livro II de Salmos - 42-72 - slides powerpoint.pptIgrejadoVerbo
 
Revista adulto usada no projeto 10 dias de oração
Revista adulto usada no projeto 10 dias de oraçãoRevista adulto usada no projeto 10 dias de oração
Revista adulto usada no projeto 10 dias de oraçãoLindiomar Rios
 
Ho'oponopono Oração Original
Ho'oponopono Oração OriginalHo'oponopono Oração Original
Ho'oponopono Oração OriginalNilson Almeida
 
Orações Selecionadas De Cura E Libertação
Orações Selecionadas De Cura E LibertaçãoOrações Selecionadas De Cura E Libertação
Orações Selecionadas De Cura E LibertaçãoNilson Almeida
 
Oração Aos Três Arcanjos - Círculo De Luz E Proteção
Oração Aos Três Arcanjos - Círculo De Luz E ProteçãoOração Aos Três Arcanjos - Círculo De Luz E Proteção
Oração Aos Três Arcanjos - Círculo De Luz E ProteçãoNilson Almeida
 
Lição 8 - A Disciplina na Igreja - .pptx
Lição 8 - A Disciplina na Igreja - .pptxLição 8 - A Disciplina na Igreja - .pptx
Lição 8 - A Disciplina na Igreja - .pptxCelso Napoleon
 
Orações A São Camilo De Léllis
Orações A São Camilo De LéllisOrações A São Camilo De Léllis
Orações A São Camilo De LéllisNilson Almeida
 
Orações Para Crianças
Orações Para CriançasOrações Para Crianças
Orações Para CriançasNilson Almeida
 
A Couraça De São Patrício
A Couraça De São PatrícioA Couraça De São Patrício
A Couraça De São PatrícioNilson Almeida
 
Novena Da Imaculada Conceição
Novena Da Imaculada ConceiçãoNovena Da Imaculada Conceição
Novena Da Imaculada ConceiçãoNilson Almeida
 

Último (19)

Oração Pelos Filhos
Oração Pelos FilhosOração Pelos Filhos
Oração Pelos Filhos
 
Vibração Pelo Planeta Terra
Vibração Pelo Planeta Terra Vibração Pelo Planeta Terra
Vibração Pelo Planeta Terra
 
Prece De Caritas
Prece De CaritasPrece De Caritas
Prece De Caritas
 
Novena De Preparação Para A Festa De Santo Expedito
Novena De Preparação Para A Festa De Santo ExpeditoNovena De Preparação Para A Festa De Santo Expedito
Novena De Preparação Para A Festa De Santo Expedito
 
Novena A Santo Inácio De Loyola
Novena A Santo Inácio De Loyola Novena A Santo Inácio De Loyola
Novena A Santo Inácio De Loyola
 
Orações Do Cristão
Orações Do CristãoOrações Do Cristão
Orações Do Cristão
 
Orações De Nossa Senhora
Orações De Nossa SenhoraOrações De Nossa Senhora
Orações De Nossa Senhora
 
Estudo do livro bíblico de Atos dos Apóstolos
Estudo do livro bíblico de Atos dos ApóstolosEstudo do livro bíblico de Atos dos Apóstolos
Estudo do livro bíblico de Atos dos Apóstolos
 
Bíblia Sagrada - livro II de Salmos - 42-72 - slides powerpoint.ppt
Bíblia Sagrada - livro II de Salmos - 42-72 - slides powerpoint.pptBíblia Sagrada - livro II de Salmos - 42-72 - slides powerpoint.ppt
Bíblia Sagrada - livro II de Salmos - 42-72 - slides powerpoint.ppt
 
Revista adulto usada no projeto 10 dias de oração
Revista adulto usada no projeto 10 dias de oraçãoRevista adulto usada no projeto 10 dias de oração
Revista adulto usada no projeto 10 dias de oração
 
Novena De Santa Marta
Novena De Santa MartaNovena De Santa Marta
Novena De Santa Marta
 
Ho'oponopono Oração Original
Ho'oponopono Oração OriginalHo'oponopono Oração Original
Ho'oponopono Oração Original
 
Orações Selecionadas De Cura E Libertação
Orações Selecionadas De Cura E LibertaçãoOrações Selecionadas De Cura E Libertação
Orações Selecionadas De Cura E Libertação
 
Oração Aos Três Arcanjos - Círculo De Luz E Proteção
Oração Aos Três Arcanjos - Círculo De Luz E ProteçãoOração Aos Três Arcanjos - Círculo De Luz E Proteção
Oração Aos Três Arcanjos - Círculo De Luz E Proteção
 
Lição 8 - A Disciplina na Igreja - .pptx
Lição 8 - A Disciplina na Igreja - .pptxLição 8 - A Disciplina na Igreja - .pptx
Lição 8 - A Disciplina na Igreja - .pptx
 
Orações A São Camilo De Léllis
Orações A São Camilo De LéllisOrações A São Camilo De Léllis
Orações A São Camilo De Léllis
 
Orações Para Crianças
Orações Para CriançasOrações Para Crianças
Orações Para Crianças
 
A Couraça De São Patrício
A Couraça De São PatrícioA Couraça De São Patrício
A Couraça De São Patrício
 
Novena Da Imaculada Conceição
Novena Da Imaculada ConceiçãoNovena Da Imaculada Conceição
Novena Da Imaculada Conceição
 

Erguei os Olhos e Vede os Campos - Missões - Luiz Miguel Gianeli

  • 3. Erguei os Olhos e Vede os Campos Reflexões sobre Missões Luiz Miguel de Souza Gianeli Primeira Edição 2018 Diamantes Eternos
  • 4. ________________________________________________________ Copyright © Luiz Miguel de Souza Gianeli Arte e Diagramação Luiz Miguel de Souza Gianeli Capa Sammis Reachers Revisão Erika de Paula Sousa erikadpsousa17@hotmail.com www.diamanteseternos.blogspot.com.br/ Primeira edição – Agosto 2018 Impressão e publicação: DIAMANTES ETERNOS www.diamanteseternos.blogspot.com.br
  • 5. Índice Agradecimentos..........................................................................................................8 Prefácio.......................................................................................................................9 Parte 1 - ANTIGO TESTAMENTO......................................................................11 O Templo de Salomão e as Missões Mundiais..........................................................12 O Chamado de Eliseu.................................................................................................16 Todo Mundo Deve Adorar a Deus.............................................................................21 Consagração e Chamada ao Ministério......................................................................24 O Evangelismo e a Glória de Deus............................................................................32 Desperte para Pregar – Reflexão na Vida de Jonas...................................................37 Parte 2 - NOVO TESTAMENTO...........................................................................45 Amando Missões Como Jesus...................................................................................46 Rogando Por Mais Missionários................................................................................52 A Primeira Missão dos Discípulos.............................................................................57 Vivendo com Propósito, Assim Como Jesus.............................................................61 Erguei os Olhos e Vede os Campos!..........................................................................67 Missões Como Prioridade..........................................................................................74 Missões Transculturais – Por que se Envolver?........................................................82 Uma Visão Sobre Missões.........................................................................................86 Servir e Pregar Sem Desanimar.................................................................................90 Trabalhando Pelo Avanço da Obra de Deus..............................................................94 Missões, Por Jesus e Pela Cruz!.................................................................................99 Todos Nós Somos Chamados..................................................................................107 Parte 3 - SÉRIES....................................................................................................113 O Que Jesus Nos Ensinou Sobre Missões (1)..........................................................114 O Que Jesus Nos Ensinou Sobre Missões (2)..........................................................118 O Que Jesus Nos Ensinou Sobre Missões (3)..........................................................122 Mantendo Vivo O Chamado Ao Ministério (1).......................................................126 Mantendo Vivo O Chamado Ao Ministério (2).......................................................136 Mantendo Vivo O Chamado Ao Ministério (3).......................................................143 Mantendo Vivo O Chamado Ao Ministério (4).......................................................150 Missões Pela Morte Na Cruz (1)..............................................................................155 Missões Pela Morte Na Cruz (2)..............................................................................159 Missões Pela Morte Na Cruz (3)..............................................................................163 Missões Pela Morte Na Cruz (4)..............................................................................168 Um Modelo De Igreja Missionária (1).....................................................................173 Um Modelo De Igreja Missionária (2).....................................................................180 Um Modelo De Igreja Missionária (3).....................................................................187 Arrependimento e Missões (1).................................................................................194 Arrependimento e Missões (2).................................................................................203
  • 6. Arrependimento e Missões (3).................................................................................209 Parte 4 - REFLEXÕES MISSIONÁRIAS...........................................................213 Evangelismo e Missões Entre os Jovens da Igreja...................................................214 Missões, Evangelismo e Tecnologia........................................................................218 O Valor Das Viagens Missionárias..........................................................................221 Meditação Missionária.............................................................................................225 Missões São Algo Interessante................................................................................226 Livros sobre Missões...............................................................................................227 ILUSTRAÇÕES MISSIONÁRIAS......................................................................230 Sobre o Autor...........................................................................................................244
  • 7. Dedico esta obra a todos os missionários, evangelistas e fundadores de igrejas espalhados pelo Brasil e pelo mundo. Amados servos e servas, muitas vezes desconhecidos, que vivem, e morrem, no cumprimento da Grande Comissão de nosso Senhor Jesus Cristo.
  • 8. Todo cristão ou é um missionário ou é um impostor. Charles Haddon Spurgeon
  • 9. 8 AGRADECIMENTOS Louvo e, de coração, agradeço ao nosso Bondoso e Soberano Deus a oportunidade de concluir mais um livro sobre Missões. À minha esposa Débora e aos nossos filhos Agnes, Annelise e Luigi, agradeço o amor incondicional, real e revigorante, o companheirismo, a presença, o apoio ao meu trabalho, o incentivo e paciência durante o mesmo; pela alegria que são e trazem ao meu coração, pelo fortalecimento na fé, por me levarem para mais perto do Senhor e por viverem a Missão, me ensinando a cada dia. Ao pastor Norival F. Andrade, pelo incentivo e apoio ao nosso ministério e aos meus projetos literários — desde o primeiro rascunho até agora —, bem como pelo prefácio animador preparado com carinho para esta obra. À Irmã Erika de Paula Sousa, pela excelente revisão do texto e pela voluntariedade em participar deste projeto missionário. E ao Irmão Sammis Reachers, pela bela capa, pelas ilustrações e pelo exemplo de escrever, editar, produzir e compilar livros sobre Missões e Evangelismo, dentre outros temas, e disponibilizá-los gratuitamente para a Igreja brasileira, incentivando e promovendo a obra missionária por meio da Internet. Amigo que fiz por intermédio da rede e a quem já considero muito. Que Deus abençoe e recompense a cada um. Muito obrigado!
  • 10. 9 PREFÁCIO Sinto-me privilegiado em prefaciar o livro de um trabalhador do campo missionário. Mas, não somente isso, um servo que se dispôs a ouvir e obedecer a Palavra de Deus. A vontade deste servo submeteu-se plenamente à de seu Senhor. E isto se estende à sua esposa e três filhos, sendo estes últimos “nativos” do Campo Missionário. Chamou minha atenção, seguida de profunda alegria, ao longo da leitura do livro, ver a palavra “Deus” repetir-se tantas vezes (juntamente com as demais pessoas da Trindade — Jesus e o Espírito Santo). E isso reforça sua dependência à soberania Dele, bem como a certeza de o Pastor Luiz Gianeli estar livre das respostas humanistas, hedonistas e egotistas que têm preenchido as páginas de diversos autores cristãos. Seu coração está cheio de Deus e, obviamente, isto se evidencia na forma que escreve. Em dias em que até as livrarias cristãs estão repletas de livros de autoajuda, com excessiva valorização do “eu”, podemos encontrar nestas páginas uma negação de si mesmo e um grande incentivo ao cuidado com o outro, através da evangelização e com riquíssimas bases bíblicas. A questão de Deus amar missões é justamente porque Deus ama pessoas e deseja salvá-las. Assim sendo, o livro nos enriquece de informações missionárias, começando pelo Antigo Testamento e se fechando no Novo Testamento, a nova aliança, através do chamado e envio de diversos homens para a missão de anunciar a Mensagem de Deus. Essa viagem pelas Escrituras nos encoraja a participar de missões, a partir da graça de Deus apresentada em toda a Escritura e manifestada definitivamente em Cristo Jesus, por meio da cruz. Como missionário por vocação, obviamente o pastor Gianeli nunca deixa de desafiar o seu leitor para tal obra, mesmo não sendo este possivelmente um vocacionado para o campo mais distante. Seu ardor missionário e, consequentemente, por já ver almas rendidas a Jesus, lhe permitem desafiar a que todos, primeiramente, assumam um compromisso de rendição ao Senhor Jesus Cristo.
  • 11. 10 Assim, o apelo não é “apelativo”, mas, sim, que se passe pelo crivo bíblico de uma vida com e em Cristo, através do arrependimento e confissão de pecados. As perguntas ao fim de cada capítulo, dirigidas a nós, leitores, evidenciam isto. Desta forma, não há como lê-lo passivamente, sem reação, sem envolvimento. E isto acontece ao longo de todo o livro. Ao citar as palavras de David Livingstone (referidas nele), isso tudo fica muito evidente: “Deus, tendo um único Filho, fez dele um missionário”. “Erguei os olhos e vedes os campos” é uma leitura fácil, agradável; sem, em momento algum, ficar na superfície das Escrituras Sagradas. O livro está repleto de exemplos e informações bíblicas que nos desafiam, buscando levar-nos, desta maneira, a sermos coparticipantes desta visão missionária. A maravilha da simplicidade está justamente no fato de que o autor não é um teórico que se arrisca a escrever sobre algo tão relevante, mas, justamente por sua prática adquirida no campo missionário que, em parte, tive o privilégio de conhecer, bem como seu ardor e amor pelas almas perdidas — o que permitiu que ele escrevesse fácil para nós, e nos proporcionasse uma leitura agradável e atraente. Isto o credencia com suficiência. É excelente ser desafiado por um livro através de alguém que o faz com autoridade. Luiz M. Gianeli é um destes. Termino este prefácio transcrevendo citações feitas pelo autor, as quais refletem o seu ardor missionário explícito em todo o livro, ou seja, uma mensagem que traga vida a mortos. Estes foram os dizeres: “Não ir significa inércia, estagnação, morte... Quando Jesus disse às suas igrejas “IDE”, Ele quis fazer delas rios para abençoar o mundo e livrá-las da desgraça de ser pântanos. Obedecer à ordem de Jesus significa entender e viver. Desobedecer-lhe significa rebelar-se para morrer... Ir significa libertar. Quando os crentes vão, estão libertando e se libertando. Levam liberdade e vida aos cativos e vão se libertando do egoísmo” (“Quem há de ir por nós?”, p. 108). Obrigado por este livro que fala. Norival F. Andrade – Servo Pastor da Primeira Igreja Batista de Monte Mor/SP
  • 13. 12 O Templo de Salomão e as Missões Mundiais 1 Reis 8.41-43 Nós tornamos o nome de Jesus conhecido no mundo através da obra missionária. Mas isso não é algo novo; pelo contrário, Deus sempre desejou a salvação de pessoas em todas as nações. Missões nasceram no coração de Deus, foram planejadas por Ele, ordenadas por Ele e executadas por Ele desde o início dos tempos. Vemos isso claramente ao longo da narrativa bíblica. Nesta passagem do Antigo Testamento que, aparentemente, não tem nada a ver com missões, aprendemos muito sobre o amor de Deus pelos povos da terra. Salomão havia acabado de construir o Templo de Israel e estava consagrando o mesmo a Deus, enfatizando sua Glória. Naquela ocasião, todo o povo de Israel estava reunido, os sacerdotes ofereciam sacrifícios, os músicos cantavam e tocavam louvores a Deus; o rei deu um discurso e depois orou ao Senhor pedindo suas bênçãos sobre aquele local especial que, a partir daquele momento, seria totalmente separado e consagrado para o Seu louvor. Nos versículos 41 a 43, vemos Salomão falando sobre os estrangeiros, sobre as pessoas das outras nações e sobre a influência do templo na vida delas. E isso é muito interessante e importante para nós, pois aprendemos que: DEVEMOS TORNAR O NOME DE DEUS CONHECIDO EM TODO O MUNDO! Segundo o versículo 43, o objetivo do templo era tornar o nome de Deus conhecido entre todos os povos da Terra. Hoje, sabemos que este templo não existe mais, entretanto, nós somos o templo do Espírito Santo; sim, nós, os salvos, os crentes, aqueles que confiam em Jesus como Senhor e Salvador, somos a atual habitação do Santo Espírito de Deus.
  • 14. 13 O Templo de Salomão foi construído com o objetivo de tornar o nome de Deus conhecido e trazer honra e glória a Ele. Nós crentes, fomos salvos pelas mesmas razões: dar honra e glórias a Deus e tornar o Seu nome conhecido (1 Co 6.19-20). E isso fazemos: ATRAVÉS DA NOSSA VOZ (v.42). O povo de Israel tinha a tarefa de anunciar sobre o amor e o poder de Deus a todos os povos; tinham que falar disso aos estrangeiros que encontrassem, tanto ali, e também quando viajassem. Deus queria que, através do Seu povo, todas as nações soubessem que só existia um único Deus verdadeiro e que todos deveriam confiar somente Nele e amá-Lo de todo o coração. Salomão, sabendo que, com certeza, os estrangeiros iriam ouvir sobre o Deus verdadeiro e viriam até Jerusalém buscá-Lo naquele templo, pede a Deus que ouça suas orações, responda a seus pedidos e lhes torne seus servos também. Hoje, Deus continua querendo ser conhecido em todo o mundo e ainda deseja que o Seu povo O torne conhecido. Ele nos ordenou isso através de Seu Filho, Jesus (Mc 16.15). E, se falarmos, com certeza, Jesus será conhecido por todos aqueles que ouvirem as nossas vozes. Devemos falar aos que estão perto (isso se chama evangelismo) e também falar aos que estão longe (isso se chama missões), mas o devemos fazer com amor, com dedicação, esforço, com sacrifício, entendendo que essa é a nossa missão: tornar o nome do nosso Deus e do nosso Salvador Jesus Cristo conhecido através das nossas vozes. Portanto, falemos de Jesus, muito e bem, hoje e sempre, aqui e em todo o lugar, para que muitas pessoas O conheçam através da nossa vida. Temos falado de Jesus? Usamos nossas bocas e nossas vozes para anunciar o Evangelho e falar das grandezas de Deus? Fazemos isso muito ou pouco? Por quê? ATRAVÉS DO NOSSO TESTEMUNHO (v.42): Salomão sabia que os povos ouviriam falar da forte mão do Senhor e do Seu braço estendido. O que significa isso? Significa que os
  • 15. 14 povos estrangeiros, de uma forma ou de outra, ouviriam falar dos milagres e maravilhas que Deus havia feito e ainda fazia pelo Seu povo Israel. Isso era o testemunho de vida daquela nação que servia a Deus e desfrutava do Seu cuidado e amor. Neste caso, não precisavam falar nada; somente as obras de Deus em suas vidas eram motivos suficientes para que outros soubessem que serviam ao Deus verdadeiro. Amados, não há como esconder coisas maravilhosas. Os milagres que Deus faz em nossas vidas se tornarão conhecidos! Nossa transformação, a mudança de comportamento e atitude, nossa fé, nosso amor e nossa fidelidade, falarão por si mesmos e todos perceberão que temos algo especial em nossas vidas: Jesus Cristo. Que milagre maravilhoso! É claro que não podemos deixar de falar sobre o nosso Deus e o nosso Salvador Jesus, afinal, a fé vem pelo ouvir (Rm 10.17), mas, para aqueles a quem já falamos ou não podemos falar, nosso testemunho funciona muito bem — melhor do que nossas palavras. Por isso é tão importante que demos um bom testemunho com nossas vidas, para que elas anunciem a Deus e mais pessoas O busquem, se interessem pelo Seu evangelho, creiam Nele, O temam e sirvam. RESULTADO: OUTRAS PESSOAS TEMERÃO A DEUS (v.41 e 43). Salomão sabia que pessoas de outros países viriam até aquele templo buscar a Deus por “amor ao nome Dele”, ou seja, porque reconheceram que Ele era o Deus verdadeiro e que deviam buscá-Lo e amá-Lo, abandonando seus deuses falsos. Além disso, Salomão pediu a Deus que atendesse as orações dos estrangeiros para que “eles O temessem”, ou seja, confiassem Nele assim como o povo de Israel temia e confiava e para que soubessem que aquele templo era mesmo a casa do Deus verdadeiro. Salomão não tinha dúvidas de que estrangeiros se converteriam a Deus e que O buscariam ali naquela casa; mesmo que não fossem todos, mesmo que não fossem muitos, alguns estrangeiros, com certeza, se converteriam a Deus através do testemunho
  • 16. 15 e da voz do povo de Israel e saberiam que aquele templo era do Senhor. Algo que podemos ter certeza, baseados nas promessas de Deus, nas ordens de Jesus na Grande Comissão, no caráter, no coração do nosso Deus e na natureza de nossa missão, é que pessoas confiarão em Deus através de nós. Podemos ter certeza disso. Não serão todos, não serão muitos e não será como queremos, mas alguns darão ouvidos a nossa voz (na verdade, a voz do Espírito Santo através de nós) e confiarão em Jesus como Salvador; outros observarão nosso testemunho e também se converterão ao Salvador. Enquanto Jesus não voltar e o Seu povo estiver cumprindo sua missão de pregar o evangelho e tornar o nome de Deus conhecido em todo o mundo, pessoas serão salvas e igrejas fundadas, o nome de Deus conhecido e glorificado e nós seremos úteis; e, na vinda do Senhor, receberemos galardões. CONCLUSÃO: E nós, amados, como temos vivido? Temos tornado o nome de Deus conhecido no mundo? Temos tornado o nome de Deus conhecido em nossa cidade, casa, escola, trabalho e vizinhança? Devemos nos esforçar e fazer, ao menos, o mínimo necessário: Orar pela salvação de almas, entregar folhetos, convidar pessoas para o culto, falar de Jesus e do Seu amor, dar um bom testemunho com a nossa vida para que, assim como o Templo de Salomão, cumpramos o propósito para o qual Deus nos criou e salvou, tornando o Seu nome conhecido em todo o mundo. Deus nos abençoe e nos capacite a cumprir esta maravilhosa missão!
  • 17. 16 O Chamado de Eliseu 1 Reis 19.19-21 Deus nos criou para Sua glória. Ele nos chama e nos salva para isso: servi-Lo e glorificá-Lo com nossas vidas! Muitas vezes queremos servir a Deus, talvez temos este desejo, até reconhecemos que devemos fazer isso, mas não sabemos como; achamos que não temos capacidade, ou queremos deixar para depois. Este texto nos mostra a decisão de um homem que serviu a Deus e se tornou um grande exemplo para nós. Este homem é o profeta Eliseu. Temos aqui o chamado de Eliseu, com muitas lições para nós. Deus o tinha escolhido para ser um profeta (v.16), era jovem, apesar de ser careca (II Reis 2.23), tinha por volta de 40 ou 50 anos. Uma pessoa normal, como cada um de nós. O chamado de Deus para que Eliseu O servisse como Seu profeta tem muito a nos ensinar, e o principal é que: NÓS PODEMOS SER USADOS POR DEUS! Em toda a nossa vida, tanto na igreja, quanto no dia a dia, independentemente de quem somos e do que sabemos fazer, o importante é que Deus quer nos usar, nos capacita para isso e nos chama para isso. Portanto, nós podemos ser usados por Deus... TRABALHANDO ONDE ESTIVERMOS (v.19). Muitas vezes, sonhamos e queremos fazer grandes coisas para Deus, mas não fazemos nada para Ele no dia a dia, onde estamos. Isso é errado! Deus não chama preguiçosos. Para sermos usados por ele, precisamos estar trabalhando e servindo onde estivermos — tanto na igreja, quanto em casa, no trabalho, na escola, na rua, na vizinhança... enfim, em nosso dia a dia.
  • 18. 17 Eliseu estava trabalhando quando Elias o encontrou. Não ficava parado, fazia o que tinha de fazer enquanto esperava a direção de Deus para uma tarefa específica. Todas as pessoas que foram chamadas por Deus para o Seu serviço estavam trabalhando: Moisés, Josué, Samuel, Davi, Pedro, Tiago, João, etc. Portanto, se quisermos ser usados por Deus, precisamos servir, começar onde estivermos e com o que podemos: mães e pais ensinando seus filhos em casa, evangelizando amigos no trabalho ou na escola, ajudando na igreja com o que sabemos, entregando um folheto, orando, visitando, etc. Então, trabalhemos para Deus e Ele vai nos usar cada vez mais em Sua obra. ACEITANDO A SUA VONTADE (v.20). “[...] Já sabes o que fiz contigo”. Foi o que Elias falou para Eliseu e ele sabia: “Deus me escolheu para servi-Lo como Seu profeta”. Precisamos reconhecer que, se é a vontade do Senhor, então é o melhor para nós. É necessário aceitarmos a vontade de Deus e servi-Lo acima de tudo: família, sonhos, trabalho, lazer, enfim, acima de nós mesmos. Assim como Isaías, precisamos dizer: “Eis-me aqui, envia-me a mim!” e não reagir como Jeremias ou Moisés que ficaram inventando desculpas: “Não passo de uma criança”, “Não sei falar direito.” Não podemos lutar contra Deus e contra a Sua perfeita vontade. Não devemos ser rebeldes, mas, sim, aceitar Sua vontade e obedecê-Lo; servi-Lo por completo, com amor e com alegria. A vontade de Deus é sempre o melhor; muito melhor que a nossa, é um prazer e não um peso, e nós somos salvos e chamados para isso: “No zelo, não sejais remissos, sede fervorosos de espírito, servindo ao Senhor.” Rm 12.11
  • 19. 18 “Pois somos feitura dele, criados em Cristo Jesus para as boas obras, as quais Deus de antemão preparou para que andássemos nelas.” Ef 2.10 “não servindo à vista, como para agradar a homens, mas como servos de Cristo, fazendo, de coração, a vontade de Deus, servindo de boa vontade, como ao Senhor e não como a homens.” Ef 6.6-7 “Assim, pois, importa que os homens nos considerem como ministros de Cristo e despenseiros dos mistérios de Deus. Ora, além disso, o que se requer dos despenseiros é que cada um deles seja encontrado fiel.” I Co 4.1-2 “Nenhum soldado em serviço se envolve em negócios desta vida, porque o seu objetivo é satisfazer aquele que o arregimentou.” II Tm 2.4 “Vós, porém, sois raça eleita, sacerdócio real, nação santa, povo de propriedade exclusiva de Deus, a fim de proclamardes as virtudes daquele que vos chamou das trevas para sua maravilhosa luz.” I Pd 2.9 “Servi uns aos outros, cada um conforme o dom que recebeu, como bons despenseiros da multiforme graça de Deus.” I Pd 4.10 QUEIMANDO O NOSSO PASSADO (v.21a): Eliseu amava seu trabalho e seus equipamentos, mas queimou tudo para obedecer ao chamado de Deus. Precisamos fazer o mesmo, queimar nosso passado, que seria esquecer, deixar para trás, abandonar, desfazer aquilo que nos envolvia, para não ficarmos presos, com saudades e querendo voltar e, melhor ainda, para não termos para o que voltar.
  • 20. 19 Precisamos queimar tudo para que, nos momentos difíceis, não sejamos tentados a voltar para trás e deixar o caminho de Deus e Seu serviço, assim como Pedro e outros discípulos fizeram com a pescaria no momento de grande aflição, dúvida e insegurança (Jo 21.1-3). Queime seu passado! Vai doer na hora, mas o que vem pela frente é melhor, muito melhor, pois é a vontade de Deus, a qual é “boa, agradável e perfeita”. DISPONDO-NOS E OBEDECENDO/SERVINDO (v.21b): Em outras palavras seria: servir a Deus com disposição, em resposta ao Seu chamado. Eliseu resolveu o que precisava e, imediatamente, foi servir ao Senhor, tornando-se um aprendiz de profeta e, por fim, o substituto de Elias. Ele teve disposição, iniciativa, vontade e atitude. Não foi obrigado, forçado ou empurrado, como muitas vezes precisamos ser para fazer o que é certo, como evangelizar, por exemplo. Ele FOI, ou seja, deu o primeiro passo, deu o passo certo, para frente, avançou. David Livingstone (1813–1873), missionário e explorador na África, disse: “Eu vou a qualquer lugar, desde que seja em frente!” Eliseu agiu assim, seguiu em frente, seguiu Elias, serviu-o humildemente, aprendeu com ele antes de se tornar um profeta (todos nós temos um tempo de aprendizado, seja na igreja, em casa, numa doença, numa dificuldade financeira, num seminário, instituto ou faculdade) antes de servir a Deus por completo. Precisamos ser humildes durante este tempo e aprender tudo o que pudermos, para depois fazermos o melhor para Deus. CONCLUSÃO: Em II Reis 2.1-14, vemos Eliseu acompanhando e substituindo Elias, sendo usado por Deus como Seu profeta, pois: estava trabalhando, aceitou o seu chamado, queimou seu passado e dispôs-se a obedecer. Eliseu tornou-se o sucessor do grande profeta Elias, teve porção dobrada de seu Espírito, teve o dobro de poder e
  • 21. 20 realizou o dobro de milagres. Ele tornou-se conhecido como um servo do Senhor e um homem de Deus por todo o seu país e até em terras estrangeiras. Levou o nome de Deus à exaltação em vários lugares e a várias pessoas através do seu serviço e fidelidade. Foi usado por Deus como um grande profeta. Deus quer nos usar da mesma forma. Através do nosso testemunho pessoal e, isso, desde a infância até o ministério (se esta for a direção de Deus para nós). Sendo assim, podemos ser usados pelo Senhor; vale a pena, é o melhor. Obedeçamos, entreguemo-nos, aceitemos o nosso chamado e sirvamos onde estivermos, como pudermos, com o que soubermos, fazendo o nosso melhor para Deus, com amor. Com certeza Ele nos usará. Foi desta maneira que Jesus Cristo, nosso Senhor e Salvador, foi usado pelo Pai, pois se dispôs a obedecê-Lo e morreu por nós na cruz do Calvário, garantindo a nossa salvação. Como nosso Senhor, sejamos usados por Deus, deixemos que Ele nos use para Sua própria glória.
  • 22. 21 Todo Mundo Deve Adorar a Deus 1 Crônicas 16.23-36 Neste texto nós vemos que, logo após assumir o trono de Israel e, com a bênção de Deus, estabilizar a nação, o rei Davi começa a organizar o culto a Deus. Ele encoraja (anima, motiva, pede) a um homem chamado Asafe (um dos principais músicos de Israel e autor de vários Salmos) para que o auxilie nesta sublime tarefa. E uma lição importante que aprendemos na passagem, em especial no versículo 23, é que: TODO MUNDO DEVE ADORAR A DEUS! POR ISSO DEVEMOS FALAR DELE A TODOS (v.23). Observemos algumas verdades: - Sua Salvação deve ser proclamada a todos os povos (v.23), - Sua Glória deve ser anunciada a todos os povos (v.24) e, - Suas Maravilhas devem ser proclamadas a todos os povos (v.24). É isto o que devemos fazer hoje: falar de Deus, anunciar Quem Ele é, o que fez e o que pode fazer na vida dos pecadores, que é salvá-los do pecado, da morte e do inferno, o maior milagre que existe. Temos falado de Deus? Nós O amamos a ponto de desejar ardentemente que Seu nome seja conhecido? PORQUE ELE É O ÚNICO E GRANDIOSO DEUS (v.25-27): Nestes versículos Davi dá uma bela e poética descrição da pessoa de Deus, de Seus atributos e qualidades, mostrando quem, de fato, Ele é: - Deus é Grande (v.25): No sentido de poder, força e posição; - Digno de ser louvado (v.25): Ele merece ser adorado; - Deus é Temível (v.25): É o único a quem devemos temer; - Verdadeiro (v.26): Ao contrário dos ídolos, que são deuses falsos, mentirosos e fabricados; - Deus é o Criador de todas as coisas (v.26);
  • 23. 22 - Deus é Glorioso (v.27): Majestoso, formoso e belo. Por isso todo o mundo deve adorá-Lo, por isso devemos falar Dele, hoje e sempre. Deus é maravilhoso, é único, é grande, enfim, é Deus, o único Deus verdadeiro, o Todo-Poderoso e eterno. Precisamos crer neste Deus, amá- Lo e adorá-Lo com todo o nosso coração e somente a Ele. Já O adoramos assim? Você já adora o único Deus com todo o seu coração e com toda a sua vida? Arrependa- se dos seus pecados, creia em Jesus e faça isso hoje. Enfim, viva para adorar a Deus! PORQUE ELE MERECE NOSSA ADORAÇÃO (v.28-34): Talvez nos perguntemos: “Mas porque devo fazer isso?” “Qual a razão?” Todos os povos Lhe DEVEM tributo, ou seja, adoração, aquilo que Lhe é devido, que Lhe pertence, afinal, Ele é Deus, o único Deus. Sim, toda a nossa glória Lhe é devida. É Dele e para Ele. Ele merece, é digno (v.28-29). Temos que Lhe trazer oferendas/ofertas. E a oferta que Ele quer é a nossa vida, como sacrifício vivo (Rm 12.1-2 e Sl 51.17). Temos que entrar em Sua presença — estar perto Dele, o que só é possível por Jesus, que nos abriu o caminho e é o próprio (João 14.6). Temos que adorá-Lo na beleza de Sua santidade: Reconhecer que Ele é Santo e sermos santos também em todo o nosso procedimento. Temos que tremer diante Dele (v.30): Ter medo, respeito, reverência, pois Ele é o Criador e Sustentador de toda a terra. Temos que nos alegrar Nele (v.31-33): Ele é a nossa alegria, a fonte de alegria verdadeira, a razão da verdadeira alegria. Ele traz alegria para toda criação, que O adora por Quem Ele é. Nós devemos fazer o mesmo! Ele é o Rei Soberano e Supremo que governa o universo e, além disso, um dia virá julgar a terra: Jesus voltará e julgará nossos atos e pecados. Como nos
  • 24. 23 apresentaremos diante do Justo Juiz: Como você se apresentará? Ele é bom e devemos ser gratos por isso (v.34) e a Sua misericórdia dura para sempre: não nos dá o castigo ou o tratamento que merecemos. CONCLUSÃO: Ele nos salva, é o Deus da nossa salvação, é o nosso Salvador, enfim, é Jesus (Atos 4.12). Ele nos ajunta como seu povo: Por Sua graça forma o Seu povo, a Sua igreja, Seu corpo, Seus filhos, nos separando, assim, do mundo. Ele nos livra das nações, ou seja, nos salva do mundo, que não é mais o lugar do salvo. Jesus morreu para nos tirar de lá e nos dar nova vida (2 Co 5.17). Devemos agradecê-lo por isso. Devemos nos gloriar em Seu louvor e viver para louvá-Lo. Devemos bendizê-Lo (elogiá-Lo) porque Ele é bendito eternamente, hoje e sempre (v.36). Todas as pessoas concordaram com Davi, disseram “amém” (que assim seja) e louvaram ao Senhor. E nós, o que faremos? Temos adorado a Deus de verdade? Adoramo-Lo com toda a nossa vida? Vivemos para Ele? Cremos somente Nele? Você já é salvo por Ele? É feliz Nele? É grato a Ele? Vive uma vida que O agrada? Creia em Jesus hoje e O adore, pois todo mundo deve adorar a Deus!
  • 25. 24 Consagração e Chamada ao Ministério Isaías 6.1-10 É do conhecimento geral que missões são o propósito de Deus para nós como igreja de Cristo, mas precisamos observar um aspecto mais específico, o da entrega pessoal da vida para servirmos em tempo integral na obra de Deus. Muitos já me perguntaram: “Como você sabe que Deus lhe chamou para o ministério?”, “Como você tem certeza de que Deus quer que você seja missionário ou pastor?”, Como você sabe que Deus lhe quer no interior de Minas Gerais e não em outro lugar?” Eu mesmo já fiz estas perguntas e outras parecidas a outros pastores e missionários. Talvez você já as fez também. Na verdade, estas são questões subjetivas, muitas vezes difíceis de explicar, ou mesmo entender, pois, como também já ouvimos, missões têm uma base sobrenatural, têm a ver com a fé, têm a ver com Deus, com o Espírito Santo. Mas, por outro lado, nós também dificultamos as coisas, pois quando pensamos em missões, pensamos humanamente: “Qual o melhor método de fazer missões?”, “Deus ainda não falou comigo!”, “Sou muito novo!”, “Sou muito velho!”, “Minha igreja precisa de mim, posso servir a Deus aqui!”, “Como poderei deixar tudo o que tenho e ir para um lugar desconhecido?”, “Se eu não for, Deus manda outro de qualquer jeito!”, “Não tenho dinheiro para isso!”, etc. Portanto, vamos meditar em um trecho bíblico muito conhecido, que nos esclarece um pouco sobre como saber a vontade de Deus para nossas vidas e como isso se encaixa na obra missionária: Isaías 6.1-10 Isaías vivia em Judá, o reino do Sul, anos antes deste povo ser levado cativo pela Babilônia, mas já sob constantes ameaças de guerra e cativeiro. O reino do Norte, Israel, já havia sido levado cativo pela Assíria e o ambiente na região e na nação era de pecado e esquecimento de Deus, os reis e o povo viviam de forma imoral, depravada, idólatra, longe da Palavra de Deus — não muito diferente de nossos dias e do
  • 26. 25 nosso país. É neste ambiente que Isaías vivia quando teve uma visão de Deus e recebeu Seu chamado. Nós sempre enxergamos este texto como um texto sobre chamada ao ministério; sim, ele fala sobre isso, mas o foco da passagem, o que vem antes da chamada, é a consagração ao Senhor, e esta é a lição que queremos enfatizar neste momento: DEVEMOS NOS CONSAGRAR POR INTEIRO AO SENHOR! E, através do exemplo de Isaías, veremos como podemos nos consagrar totalmente ao Senhor. Primeiramente: BUSCANDO AO SENHOR NA ANGÚSTIA (v.1). Podemos imaginar que Isaías passava por um momento de sofrimento e angústia profundos, pois, por um tempo, ele ministrou diante de um rei diferente, Uzias, o qual, ao contrário dos reis anteriores, decidiu buscar ao Senhor e governar a nação com a Lei de Deus em primeiro lugar. Com certeza, Isaías, que exercia seu ministério entre a alta sociedade de Judá, nos palácios, entre os nobres, os príncipes e os governantes da nação, teve um período de alegria em sua vida durante o reinado de Uzias que, muito provavelmente, era seu amigo, mas agora as coisas haviam mudado. Este rei, antes tão fiel e dedicado ao Senhor, no fim de sua vida, se desviou, abandonou ao Senhor, desprezou Sua Palavra e Seus mandamentos (II Rs 15.1-7, II Cr 26.1-23), decepcionando Isaías e, agora, encontrava-se como morto, após um período isolado, devido à lepra que contraíra como castigo do Senhor. Era um momento de angústia e sofrimento para Isaías, e ele, como Salomão havia falado quando construiu o Templo, foi até este lugar santo, para orar, clamar e buscar no Senhor o consolo para sua alma. Ali ele encontra a resposta, encontra a Deus, que fala com ele e o orienta quanto a sua vida e seu ministério dali em diante. Momentos de angústia e sofrimento são ocasiões muito propícias para o Senhor falar conosco e nos
  • 27. 26 privilegiar com Sua doce voz de consolo, dando-nos a direção que tanto precisamos. Vemos muito isso no livro dos Salmos, no qual temos muitas orações a Deus em momentos de aflição e dor. Crises são oportunidades de tomarmos decisões que mudam nossas vidas, nos aproximam mais do Senhor ou nos afastam completamente Dele (II Cr 26). Nessas horas difíceis, devemos e precisamos olhar para as alturas, para o céu, para o trono de Deus... e não para o reino dos homens. Deus é soberano, Isaías sabia disso e fez isso, olhou para os céus, olhou para Deus. E o Senhor lhe dirigiu. O que temos feito nos momentos de crise? Talvez você esteja enfrentando crises em sua vida neste exato momento. O que fará? O que faremos? Se quisermos ter a direção de Deus para nossas vidas, precisamos nos consagrar totalmente a Ele e, primeiramente, buscá-Lo nestas horas de aflição. Quando fizermos isso, poderemos dar o próximo passo para a consagração total ao Senhor, que é: RECONHECER QUEM DEUS É (v.1-4). Quando Isaías buscou a Deus no templo, ele teve uma visão do Senhor, ele pode ver quem Deus é, de fato, reconhecer quem era o Deus a quem ele servia e isso o motivou a servi-Lo ainda mais e a se consagrar totalmente a Ele. Ele viu um Deus: Soberano: O dicionário define soberano como: “Que está revestido da autoridade suprema. Que governa com absoluto poder. Dominador, poderoso, influente. Que exerce um poder supremo sem restrição nem neutralização. Diz-se de Deus e da sua suprema autoridade. Excelso, magnífico, notável.” Isaías viu o Senhor, identificado pelo apóstolo João como Jesus, em João 12.41, assentado no trono como o Soberano Deus. Grandioso: Isaías viu um Deus imenso, magnificente, imponente, nobre e maior do que tudo e todos.
  • 28. 27 Sublime: Viu também um Deus dotado de uma elevação excepcional, perfeito, elevado em Suas palavras e atos. Deus é o que há de mais elevado. Rei dos reis: O Rei do Universo, que reina sobre toda a humanidade, maior do que todos os outros reis da terra. Senhor dos Exércitos: O comandante supremo do Seu povo, o Deus vitorioso, que dá a vitória ao Seu povo. Glorioso: Cheio de glória e honra, ilustre, notável. Santo: Principalmente, um Deus Santo, Santo, Santo. Sem pecado algum, separado de todo pecado e dos pecadores, puro e perfeito. Este foi o Deus que Isaías viu, e reconheceu quão maravilhoso era o Deus que servia. Este é o mesmo Deus que nós servimos! Este Deus maravilhoso é o nosso Deus, o único Deus. E aqui é importante repetirmos e enfatizarmos que, segundo João, em seu evangelho, no capítulo 12 e nos versículos 37 a 41, Isaías viu a Jesus Cristo; isso mesmo, Jesus Cristo, o nosso Salvador e Senhor, o Rei dos reis e Senhor dos senhores, aquele que morreu na cruz do calvário e que voltará um dia para reinar com todo poder, autoridade e glória. Jesus é Deus! Nós também podemos ver a Deus e reconhecer quem Ele é, pois só assim poderemos fazer a obra missionária como Ele quer. Deus é revelado nas Escrituras, é nela que podemos vê-Lo, bem como tudo o que precisamos saber sobre Ele e sobre o Seu Filho Jesus Cristo. Foi pela Bíblia que conhecemos a Cristo e, pela fé no que ela revela que encontramos a salvação que Ele nos dá gratuitamente (Rm 10.17); e é por ela que devemos ver, dia a dia, quem Deus é e quem Cristo é. E isso deve nos motivar a consagrarmos, cada dia mais, todo o nosso ser ao Seu serviço, e a fazermos isso com fidelidade, amor e dedicação, pois Ele é glorioso, poderoso, majestoso e, principalmente, Santo.
  • 29. 28 E assim seguimos para o terceiro passo em direção à consagração total a Deus, que, na verdade, é um passo duplo: RECONHECENDO E CONFESSANDO OS NOSSOS PECADOS (v.5-7). Quando Isaías contemplou a Deus e reconheceu quem Ele era, viu Sua santidade e então olhou para si mesmo, reconheceu que era pecador, que era conivente com o pecado do seu povo e se envergonhou perante Deus, se humilhou perante o Senhor, reconheceu que com pecado em sua vida não poderia ser totalmente consagrado ao Soberano e nem ser usado por Ele na obra da pregação; então, confessou o seu pecado, foi perdoado e purificado por Deus, estando assim apto para servir, integralmente, ao Senhor. Queremos saber a vontade de Deus para nossas vidas como cristãos? Queremos fazer missões? Isso é bom, mas será que já paramos para avaliar como está a nossa vida perante este Deus tão santo e soberano? Temos algum pecado em nossa vida? Precisamos confessar algo a Deus que tem nos impedido de sermos usados por Ele? Nós não usamos nada sujo em nosso dia a dia. Deus também não. Somos vasos em Suas santas mãos e, se quisermos ser usados por Ele na obra missionária e se quisermos saber Sua vontade para nossas vidas, precisamos estar limpos, confessar e deixar todo e qualquer pecado e, então, estaremos aptos para fazer a obra do Senhor. Para sermos totalmente consagrados a Deus precisamos reconhecer, confessar e deixar nossos pecados; e Ele, pela Sua Graça e por meio de Cristo, nos purifica de todo pecado (I João 1.9). Isaías fez isto e agora dá o quarto passo em direção à consagração total a Deus, que é: ACEITANDO O CHAMADO DE DEUS PARA A OBRA (v.8): “Eis-me aqui, envia-me a mim”. Isaías, depois de buscar a Deus na angústia, reconhecer quem Deus era e reconhecer e confessar os seus pecados, enfim está com sua vida
  • 30. 29 totalmente consagrada a Deus e apto para ser usado por Ele em Sua obra, pois está completamente disposto a servi- Lo como, onde e quando Ele ordenasse. Podemos perceber isso quando Deus o chama e ele responde: Com Voluntariedade: Foi na hora! Isaías respondeu sem questionar, sem duvidar e sem enrolar. Depois de tudo o que tinha presenciado, ele não tinha dúvidas e poderia, muito provavelmente, ter pensado algo assim: – “Se Deus me chamou é porque Ele quer, é o melhor para mim, é o melhor para Sua obra, Ele é poderoso para me usar, me guiar e me sustentar, com certeza. Com um Deus grandioso como este, nada pode ser melhor do que servi-Lo”. Portanto, ele foi voluntariamente, se dispôs e se entregou a Deus, aceitando o chamado para servi-Lo. Se quisermos ser totalmente consagrados a Deus e usados por Ele na obra missionária, precisamos aceitar o Seu chamado com disposição, na hora em que Ele nos chamar, sem medir esforços ou olhar para as dificuldades, mas obedecer e atender; dizer como Isaías: “Eis-me aqui, envia-me a mim” e não “Eis-me aqui, envia meu irmão...”. Estamos dispondo nossas vidas nas mãos do Senhor com voluntariedade? Estamos dispostos a atender o Seu chamado ou temos desobedecido e fugido disso? Desta forma, nunca poderemos ser totalmente consagrados ao Senhor e nem fazer a obra missionária. Além disso, precisamos aceitar o chamado de Deus... Com Compaixão pelas Almas Perdidas (v.8-10): Deus estava chamando Isaías para trabalhar e pregar ao povo de Judá — um povo difícil, rebelde e duro, como o próprio Senhor mostra ao profeta nos versículos seguintes. Mas era um povo perdido, longe de Deus, que precisava ouvir a mensagem do amor, perdão, misericórdia, justiça e juízo divino. Era um povo ruim, iria causar sofrimento ao profeta; ele iria, muitas vezes, pregar sem resposta positiva alguma, veria o povo desprezando a sua pessoa, a sua mensagem e o seu Deus... Isso era triste, mas o povo só fazia isso porque estava longe do Senhor, perdido, preso ao pecado e ao
  • 31. 30 engano de satanás; portanto, somente ouvindo a mensagem de Deus é que poderiam mudar seus corações, se converterem e serem salvos. Isaías precisava ter compaixão deste povo para aceitar o chamado de Deus. Ele teve misericórdia, aceitou e foi. Nós também precisamos ter compaixão pelas almas perdidas. Só assim atenderemos ao chamado de Deus para deixar tudo e dedicar nossas vidas à pregação do evangelho aos perdidos em qualquer lugar do mundo e sob quaisquer circunstâncias. Jesus, em Mateus 9.36-38, teve compaixão das almas perdidas. Nós devemos fazer o mesmo. Paulo, em Romanos 9.3, teve compaixão do seu povo. Somente quando entendermos a necessidade que os perdidos têm de ouvir o evangelho e conhecer o Salvador que nós conhecemos, é que teremos a disposição de obedecer ao Seu chamado e pregar o evangelho a toda criatura. CONCLUSÃO: Para encerrar, vimos que Isaías passou por um processo de consagração total a Deus e que, depois disso, estava apto para saber a vontade do Senhor para sua vida e se entregar totalmente na realização da obra de Deus. Ele fez isso, e sabem qual foi o resultado? Ele fez a obra de Deus, pregou a mensagem do Senhor à sua nação, fez a obra do Seu Salvador, fez a diferença em sua sociedade, marcou o mundo em que viveu como um profeta totalmente consagrado Àquele que é Santo, era uma referência no aconselhamento das pessoas da época, escreveu um dos maiores livros da Bíblia, amou seu Deus até o fim, tendo sido, segundo a tradição, morto por sua fé, serrado ao meio dentro de um tronco de árvore, e é lembrado até hoje como um dos maiores profetas e homens de Deus que já viveram. Tudo porque ele se consagrou totalmente ao Senhor, conheceu a vontade de Deus para sua vida, obedeceu e O colocou em primeiro lugar. E quanto a nós? Como tem sido nossa vida como servos do Senhor? O que temos feito por Sua obra? O que temos feito pela causa missionária? Será que somos
  • 32. 31 totalmente consagrados a Deus? Ou será que ainda falta algo e, devido a isso, estamos sendo servos inúteis, desobedientes, infrutíferos, que não fazem a diferença para o Salvador e para o mundo perdido? Será que Deus não quer algo a mais de nós? Sim, Ele quer! Ele quer que sejamos totalmente consagrados; pois, então, nos mostrará Sua vontade perfeita e nos usará grandemente em Sua obra. Faremos missões e levaremos o evangelho aos perdidos com toda disposição. Para isso, basta que busquemos ao Senhor na angústia, reconheçamos quem o nosso Deus é, reconheçamos e confessemos os nossos pecados e, por fim, aceitemos o chamado de Deus com voluntariedade e compaixão pelas almas perdidas. Se quisermos fazer missões, precisamos ser totalmente consagrados ao Senhor — totalmente —, só então poderemos dizer como Isaías: “Eis-me aqui, Envia-me a mim!” e fazer a diferença neste mundo, levando o evangelho até aos confins da terra para a glória de Deus e ver os resultados eternos desta consagração na glória com Cristo. Irmãos, como estamos diante de Deus neste momento? Tomemos uma decisão e consagremo-nos totalmente ao Senhor. Só assim poderemos fazer missões. Amém!
  • 33. 32 O Evangelismo e a Glória de Deus Ezequiel 2-3.11 Evangelismo e missões andam sempre juntos. Porém, são dois lados diferentes da mesma moeda. Podemos definir missões como levar o evangelho aos que estão longe e evangelismo como levar o evangelho aos que estão perto. Aprenderemos um pouco sobre o evangelismo pessoal na vida do profeta Ezequiel e sua missão de levar a Palavra de Deus ao seu próprio povo. Durante o tempo do cativeiro da nação de Judá na Babilônia, Deus chamou Ezequiel, filho de um sacerdote, para levar uma mensagem ao seu próprio povo, uma mensagem dura, de condenação, de castigo, sofrimento e dor, porém uma mensagem divina, santa, importante e necessária para o Seu povo. Este é o mesmo caso em relação a pregação da Palavra de Deus para o povo hoje em dia. Ezequiel teve uma visão de Deus, contemplou um pouco da Sua glória (tema constante no livro) e viu o Senhor Jesus em glória, poder e majestade, caindo, então, sobre o seu rosto, completamente humilhado e dominado de temor (mesma atitude de Isaías em Isaías 6). Ali, Deus, por meio do Seu Espírito, o levantou e o chamou para uma importante e sublime missão: Levar Sua Santa Palavra ao seu próprio povo, aos seus compatriotas. Uma missão difícil, porém gloriosa. A mesma que Deus dá à Igreja, o Seu povo hoje: DEVEMOS LEVAR A PALAVRA DE DEUS AO NOSSO POVO! É isto que vemos nos versículos 2.3-4 e 7, 3.1,4 e 11. “Assim diz o Senhor!” Esta é a nossa missão; falar da Palavra de Deus àqueles que ainda estão cativos no pecado, escravizados pelas trevas e por satanás, presos a este mundo, cegos quanto ao seu destino, condenados ao fogo eterno do inferno.
  • 34. 33 Assim como Ezequiel, Deus nos chama quando estamos junto com nosso povo, no meio deles, todos cativos (eles pela Babilônia, nós pelo pecado e por satanás), ele nos chama do meio deles e nos dá a missão de falar com eles uma mensagem dura, de condenação, que não gostam de ouvir, porém, importante, divina e necessária. E devemos fazer isso... NA DEPENDÊNCIA TOTAL DO SENHOR (v.7-8): Antes de tudo, Ezequiel prostrou-se humilhado e cheio de temor diante do Senhor Jesus, demonstrando total submissão a Ele (capítulo 1). Portanto, para alguém ser usado por Deus, precisa, em primeiro lugar, prostrar-se aos pés de Jesus Cristo, precisa humilhar-se diante Dele, reconhecê-Lo como único Deus, como Senhor e Salvador, para assim ser levantado do pó, receber o Santo Espírito e a capacidade para servi-Lo. O nome Ezequiel significa “Fortalecido por Deus” (ou alguma variante disso, como, por exemplo, “Deus Fortalece” ou “Deus vai Fortalecer”), e assim foi a vida deste profeta e a de todo crente fiel a sua missão ao longo da história: fortalecidos por Deus por meio de Seu Santo Espírito que em nós habita. Atos 1.8 nos mostra isso claramente. Também precisamos entender que, assim como Ezequiel, temos que, diariamente, nos prostrarmos diante de Cristo e Sua glória, para que Ele nos levante, nos encha com Seu Espírito e nos capacite para Sua obra. O que Deus ordena Ele capacita e dá suficiência para que o façamos e faz o mesmo para que vivamos à altura do Seu nome e do nosso sublime chamado. O ‘trabalho’ é duro, o povo é duro, mas Deus também nos faz “duros” para aguentar a dureza da missão, nos faz fortes como diamante e soltando faíscas e fogo como a pederneira (rocha sedimentar que solta fogo quando esfregada). Dependamos do Senhor, sejamos cheios do Seu Espírito (Efésios 5.18) e, em Sua força e capacidade, obedeçamos ao chamado. Vamos, anunciemos a Santa
  • 35. 34 Palavra ao nosso povo, proclamemos o evangelho aos perdidos, falemos de Jesus aos cativos no pecado. CHEIOS DA PALAVRA DE DEUS: Deus ordenou que Ezequiel comesse um rolo com as divinas palavras ao povo antes de cumprir sua missão, e foi o que fez; e ela lhe foi doce como o mel na boca. Podemos entender isso de forma figurada, mas a ideia é que o mensageiro do Senhor precisa primeiro se alimentar da Palavra de Deus, encher dela o seu interior, para só depois, levá-la aos outros. Precisamos nos alimentar da Palavra de Deus. Jeremias (Jr 15.16) e João (AP 10.9-10) tiveram experiências semelhantes e é o que Deus quer de nós. Temos que nos encher dela, comê-la, pois é deliciosa, é o nosso alimento espiritual (1 Pedro 2.2) e é mais doce do que o mel (lembram-se do Salmo 19?). Fazemos isso lendo a Bíblia diariamente, meditando nela (Salmo 1), decorando versículos, estudando sistematicamente, enfim, “devorando” a Palavra. Deus pediu que Ezequiel ouvisse com atenção Sua Palavra e nós devemos fazer o mesmo, guardá-la no coração e, então, falar dela aos outros. Temos que conhecer aquilo que pregamos. Deus tem muito a dizer (o rolo dado a Ezequiel estava escrito dos dois lados, sendo que, naquela época, os rolos eram, normalmente, escritos de apenas um lado). Temos que conhecer a Palavra de Deus, pois temos muito o que dizer aos perdidos do nosso povo, mas precisamos saber, conhecer, experimentar, viver e, só então, falar. Só a Palavra de Deus adoçará nossa vida diante de tão grande e difícil tarefa, só ela nos capacitará, afinal, é dela que falaremos, portanto, temos que conhecê-la. A Palavra de Deus é a expressão de Jesus, Sua revelação perfeita e completa; ela nos sustenta, nos fortalece, nos capacita e nos dá a verdadeira sabedoria (Salmo 119 e 2 Timóteo 3.16-17). Portanto, alimentemo-nos com a Palavra de Deus.
  • 36. 35 INDEPENDENTEMENTE DOS RESULTADOS (2.3-7, 3.4- 11): Tal qual Isaías e Jeremias, Ezequiel foi comissionado por Deus já sabendo que seu ministério teria resultados desanimadores. Deus já o avisou que o povo era duro de coração, rebelde, pecador, teimoso, que os ouvintes fariam cara feia, tentariam assustá-lo, o ameaçariam e até o atacariam (simbolizado pelos perigos da sarça —pequena árvore espinhosa, dos espinhos e dos escorpiões), mas disse que ele não deveria temer ou desistir. Oposição, perigos e ataques ocorrerão, mas não precisamos temer ou parar. Não podemos! Além disso, não é difícil falar com o nosso próprio povo, porque a língua e a cultura são as mesmas e nos entendemos facilmente; contudo, tal qual o povo de Ezequiel, eles não querem nos ouvir, não querem ouvir a Deus, não gostam de ouvir Sua Palavra, enquanto os estrangeiros, mesmo com língua e cultura diferentes e sendo o trabalho bem mais difícil neste sentido, estão prontos a ouvir os pregadores e, em geral, respondem ao evangelho com mais facilidade (vide os missionários estrangeiros que conhecemos e os frutos dos seus trabalhos em nosso meio, bem como o frutífero trabalho missionário de brasileiros que atuam no exterior). Ezequiel iria enfrentar um povo duro, seria difícil e os resultados mínimos, mas não era para ele desanimar e nem focar-se nos resultados, mas em ser fiel a Deus, ao seu chamado e a sua missão. Lembremos disso: nosso povo não gostará de nossa mensagem, não gostará de ouvir a verdade, nos rejeitará, nos maltratará, achará loucura (Rm 1.16-17), simplesmente não querem, não querem a Deus e não querem a Cristo, mas temos que enfrentá-los e falar o que precisam ouvir: sobre a condenação do pecado, sobre o Justo Deus, sobre Seu amor, perdão e graça, sobre Jesus, Sua morte na cruz, Sua ressurreição e Sua salvação oferecida ao que crê. Por fim, devemos levar a Palavra de Deus ao nosso próprio povo:
  • 37. 36 BUSCANDO SEMPRE A SUA GLÓRIA (DE DEUS): Enquanto Deus falava com Ezequiel, lhe dando sua missão e explicando os detalhes, ele viu e ouviu a glória de Deus, que é bendita, abençoada e maravilhosa. A glória de Deus é um tema frequente neste livro e na vida de Ezequiel e deve ser também para nós – “Fazei tudo para a glória de Deus!” 1 Co 10.31. É pela glória de Deus que devemos pregar o evangelho e levar Sua palavra aos perdidos, é por ela que devemos viver, por ela devemos servir e obedecer. É Sua glória que devemos buscar e almejar, ela é o nosso mote, nossa vida, nosso alvo; e não o lucro financeiro, resultados, números, recompensas ou reconhecimento. Apenas a glória de Deus. Sua glória é tudo o que precisamos e aquilo que realmente importa. Ezequiel pregou baseado nisso, Paulo também, Jesus da mesma forma. Portanto, esta dever ser a nossa motivação ao pregar — a glória de Deus e ela somente!
  • 38. 37 Desperte para Pregar – Reflexão na Vida de Jonas Jonas 1.5-6: Jovens e adolescentes são conhecidos como “a força ativa da igreja”. O que é um fato, devido à saúde, disposição, força, energia e disponibilidade que os mesmos possuem. Mas, infelizmente, esta é uma realidade que vem mudando exageradamente nos últimos anos. A história do povo de Deus e da Igreja foi marcada por jovens ativos, dedicados e que fizeram a diferença na igreja e na obra missionária: José no Egito, Davi contra Golias, Estevão, o primeiro mártir, Timóteo, William Carey e seus quatro amigos que fundaram uma sociedade missionária que alcançou a Índia com o evangelho, os jovens morávios, Jim Elliot e seus quatro amigos mártires no Equador, dentre tantos outros. O próprio Senhor Jesus era jovem e exerceu seu ministério com 30 anos de idade. Até poucos anos atrás, era comum vários jovens serem despertados para missões e para o ministério em tempo integral. Rotineiramente víamos jovens dedicando suas vidas por completo para servir a Deus, pregar o evangelho, e muitos saíam de suas igrejas rumo aos seminários e institutos bíblicos visando uma preparação mais intensiva ao ministério (em 2001, quando ingressei no Seminário Batista Regular do Sul, éramos mais de 20 novos alunos na turma; em 2002, quando Débora entrou, eram uns 30. Naquele ano, nosso seminário alcançou o maior número de alunos de sua história: quase 90. Hoje, não chega a vinte e, nos últimos anos, sempre corre o risco de não iniciar novas turmas, sendo esta a mesma realidade de outras instituições teológicas com as quais tenho contato). No passado não tão distante, era muito comum juntas missionárias criadas e mantidas por jovens, grandes equipes eram formadas e viagens missionárias eram realizadas, grupos de evangelismo e estudo bíblico nas escolas, faculdades e universidades eram comuns, grandes e marcantes projetos missionários e sociais eram encabeçados ou executados por jovens e adolescentes.
  • 39. 38 Enfim, os jovens sempre foram parte fundamental no cumprimento da grande comissão; obreiros fundamentais na Seara do Senhor. Mas esta realidade mudou... Uma pesquisa realizada pelo Pastor João Batista Cavalcante realizada entre 400 jovens de sua denominação e descrita na revista da EBD “Missões — o Grande Desafio da Igreja”, da Editora Cristã Evangélica, revela as seguintes informações: “88% dos jovens e 97% dos líderes não pastores se dizem conscientes de seu lugar no corpo de Cristo... entretanto, 91,5% dos crentes não participam de algum trabalho de evangelização em escolas, 76,5% não participam de grupos de estudos bíblicos nos lares, 97,5% não participam de equipes de evangelização em condomínios, e 92,8% não participam efetivamente na manutenção de missionários.” O que aconteceu com os jovens? Onde está a força ativa da igreja? A mão de obra trabalhadora, dedicada, esforçada, que se desgasta pelo reino de Deus e pela salvação dos perdidos? Infelizmente, como tantos adultos, estão dormindo, cochilando, anestesiados e dopados, embriagados por uma cultura perdida, caídos, prostrados, apáticos, egoístas, indiferentes a tudo e a todos, dormindo o sono do egoísmo, de ressaca do relativismo, do pós-modernismo, do humanismo, da imoralidade, do entretenimento e do consumismo. Nossa sociedade hoje estimula o sono dos jovens, afirmando que a adolescência vai até os 30 anos (ou até os 55, como afirma outra pesquisa recente), criando jovens e adultos mimados, sem responsabilidade, sem atitude, dependentes dos pais, que fogem de compromissos sérios, que não querem se arriscar ou lutar por nada maior, que não querem se casar, não querem ter filhos, não querem servir nas igrejas, não querem servir a Deus, ao próximo e, muito menos, pregar o evangelho aos perdidos. O pecado nos amolece, nos enfraquece, dá sono, nos torna apáticos, indiferentes e, portanto, inúteis. Entretanto, mesmo sendo uma grande característica dos nossos dias, isso não é algo novo, temos um caso no Antigo Testamento que retrata perfeitamente esta realidade e que vamos
  • 40. 39 observar para tirar lições para nossa vida: o caso do profeta Jonas. O chamado de Jonas foi para pregar a condenação aos ninivitas, cruéis e perversos inimigos de Israel, mas ele, voluntariamente, desobedeceu, fugiu, foi disciplinado por Deus, arrependeu-se, obedeceu, pregou e os resultados disso foram o arrependimento e salvação de toda a cidade de Nínive. O fato que se destaca é que, em sua desobediência pecaminosa, Jonas dormia profundamente, enquanto todos ao seu redor estavam diante da morte iminente, devido à tempestade que assolou o navio. Dormiu até ser acordado pelo capitão e ser confrontado com sua tola, incompreensível e inaceitável atitude. O capitão perguntou: “O que se passa contigo? Como pode estar agarrado ao sono?” ou, segundo a NVT: “Como pode dormir numa situação dessas?” Jovens, como podemos dormir diante da situação do mundo ao nosso redor? Como podemos dormir diante de milhões de pessoas perdidas sem Cristo, caminhando a passos largos para o tormento eterno? Como? NÃO PODEMOS DORMIR DIANTE DA SITUAÇÃO DO MUNDO AO NOSSO REDOR! Portanto, acordemos e façamos algo! JAMAIS VIVENDO EM PECADO DELIBERADO (v.1-3): Ou desobediência voluntária. Deus chamou Jonas para pregar aos ninivitas e ele, pronta e voluntariamente, desobedeceu. Este é o único caso nas Escrituras de um profeta que recusou o chamado de Deus. Outros até questionaram, temeram, lutaram, mas Jonas não, desobedeceu mesmo e tentou fugir da presença do Senhor, indo para o lado contrário. Esta tem sido a marca de vida de muitos crentes hoje, especialmente dos jovens. Desobediência deliberada e descarada, fuga da vontade e da presença de Deus (como se
  • 41. 40 isso fosse possível... Salmo 139), disposição, muita disposição, mas para fazer o que é errado ou inútil (festas, lazer, diversões, mundanismo e pecado). Muitos jovens de nossas igrejas deveriam estar num seminário neste exato momento. Muitos deveriam estar engajados em ministérios em suas igrejas locais, muitos deveriam estar participando ativamente de projetos evangelísticos em seu contexto de vida e em projetos missionários a curto e longo prazo; muitos deveriam ser missionários já em atividade no campo, implantando igrejas, ganhando almas, traduzindo as Escrituras, trabalhando como profissionais visando a entrada em países fechados ao evangelho para pregar e testemunhar por meio de sua profissão, mas estão desobedecendo, fugindo e vivendo vidas apáticas e inúteis no reino de Deus. Muitos, como Jonas, estão dormindo profundamente, enquanto o mundo desaba ao nosso redor. Que tristeza, que vergonha... Com seu pecado, Jonas só desceu (para Jope, para o porão do navio, onde dormiu profundamente, para o fundo do mar e, por fim, para a barriga do peixe). O pecado e a desobediência nos levam ao sono profundo e só nos fazem descer na vida. Desobedecendo a Deus, nós dormiremos e afundaremos. Não vale a pena! PENSANDO NAS PESSOAS AO NOSSO REDOR E PREOCUPANDO-NOS COM ELAS (v.4-6): Jonas, por seus próprios motivos, não se preocupou com o povo de Nínive, o que, humanamente falando, era compreensível, visto a extrema maldade e crueldade dos ninivitas para com o povo de Israel. Mesmo que, humanamente falando, seja justificável desobedecer a Deus, fugir para longe de Sua vontade e ficar dormindo espiritualmente não é certo, não é correto, é pecado e totalmente o contrário à vida cristã e ao exemplo de Cristo. Olhar para os outros implica em parar de olhar para nós. Assim como Elias, que sofria diante das ameaças de Jezabel; fugiu, isolou-se e, escondido numa caverna, dormia
  • 42. 41 numa depressão profunda. Era um sofrimento real, um sofrimento forte do profeta, mas ele não podia ficar dormindo, tinha trabalho a fazer, não estava sozinho e foi ordenado a acordar, comer, se levantar e ir cumprir sua missão, mesmo triste e depressivo (1 Rs 19). Deus falou: “Que fazes aqui, Elias? Levante, coma e vá trabalhar!” Por mais tentador ou normal que isso seja em nossa sociedade, não podemos ser egoístas e pensar só em nós mesmos, mas em Deus e no próximo. Como salvos, precisamos pensar nos perdidos e preocuparmo-nos com eles. Por causa do pecado e da desobediência de Jonas, todos naquele barco iriam morrer e ele dormia. Estavam desesperados, amedrontados, angustiados, vendo a morte iminente e todos os seus esforços sendo inúteis para livrá- los disso. Portanto, dormir em meio a isso é uma total incoerência, é um absurdo, mas é um fato: nosso sono espiritual levará outros à morte eterna, pois não faremos nada, enquanto deveríamos estar ajudando. Irmãos, como podemos dormir com o mundo desabando ao nosso redor? Como podemos dormir com as pessoas morrendo sem Cristo? Como podemos dormir sendo que tantas pessoas nunca ouviram falar de Jesus, nunca ouviram o verdadeiro evangelho? Como disse o capitão do navio a Jonas: “Estamos loucos?” Muitos jovens dormem espiritualmente devido ao pecado e outros pela indiferença ou egoísmo, focados em suas próprias vidas, carreiras, futuro, almejando o reconhecimento, a estabilidade financeira, o sucesso, muita diversão e prazeres, vivem apenas para si, dormindo espiritualmente e nada fazem para mudar o mundo, para expandir o reino de Deus, para ganhar almas, para que o evangelho seja conhecido e o nome de Deus glorificado sobre toda a terra. Jonas tinha seus motivos para dormir, como muitos hoje também têm, mas precisamos acordar mesmo assim, confiar na soberania de Deus, obedecer Sua Palavra e ir
  • 43. 42 pregar aos perdidos, com fé, dedicação, amor, sacrifício. Acordemos! Pensemos nos outros. Jovem, não durma, outros precisam de você, não seja egoísta, pense nos perdidos, preocupe-se com os que não conhecem a Cristo, acorde, levante-se e vá pregar para eles. LEMBRANDO-SE DE QUEM NÓS SOMOS (v.7-12): Quando o capitão o acordou e o confrontou, Jonas foi levado à presença dos demais marinheiros que, desesperados, faziam de tudo para se salvarem da tempestade, lançando a carga do navio ao mar e clamando aos seus deuses por livramento. Num ato soberano de Deus, ao jogarem sortes, a culpa caiu sobre Jonas, que foi questionado sobre a razão da tempestade, quem ele era, sua profissão e de onde vinha. Jonas foi obrigado a confessar seu pecado e a se lembrar de quem ele era: um profeta do Deus vivo, um servo do Deus Soberano e Criador, um hebreu, membro do povo escolhido de Deus. O que nos remete a 1 Pedro 2.9. Ao dizer isto, todos ficaram amedrontados, pois sabiam quem era o Deus de Israel. Que vergonha ao profeta dorminhoco, mas, ao mesmo tempo, foi sua chance de se arrepender, acordar e cumprir sua missão como pregador da Palavra de Deus. A grande ironia foi que o único naquele barco que poderia fazer algo para mudar a situação era Jonas, mas ele dormia... Era o único que conhecia ao Deus verdadeiro, o único que conhecia Sua Palavra e Sua vontade. Portanto, apesar de todo o seu pecado, sua desobediência e seu sono profundo, Jonas era o único que poderia fazer algo e ajudar aqueles marinheiros desesperados. Vale observar que todo o esforço dos marinheiros era completamente em vão, se Jonas não fizesse nada, eles poderiam jogar fora tudo o que tinham no navio, clamar aos seus deuses até o fim que, de qualquer jeito, morreriam afogados. O mesmo vale para todos os incrédulos ao nosso redor, tudo o que fazem pela própria salvação não serve para nada, não pode salvá-los; estão completamente perdidos e, por mais que se esforcem, rezem, orem, clamem
  • 44. 43 aos seus deuses, ofereçam sacrifícios, etc., permanecerão condenados a uma eternidade sem Deus no inferno de fogo. Mesmo dormindo ou cochilando, nós ainda somos os que mais podem ajudar o mundo. Jovem, você é um salvo, um filho de Deus, uma testemunha de Jesus e, no seu ambiente e contexto de vida, seja o seu lar, sua vizinhança, sua escola, faculdade, trabalho ou grupo de amigos, você é quem mais conhece a Deus, quem mais conhece a Bíblia, quem mais pode ajudar de fato. Portanto, acorde, levante-se e ajude, pregue o evangelho, fale de Jesus, dê um bom testemunho. De forma vergonhosa, Jonas foi despertado por um ímpio, um pagão, que o confrontou com sua atitude egoísta e irracional, mas despertou, acordou, lembrou-se de quem era, colheu os frutos do seu pecado e, por seu intermédio, Deus salvou a vida de todos no barco e, dias depois, de toda uma grande cidade. Tudo isso porque um profeta desobediente e dorminhoco despertou, reconheceu quem era, se importou com o próximo e cumpriu sua missão. Imagine o que Deus pode fazer por nosso intermédio se nos dispusermos a trabalhar, pregar e fazer aquilo para o qual fomos salvos e chamados para fazer sem dormir e sem desobedecer. Portanto, desperte e pregue! CONCLUSÃO: Após ser despertado do seu sono, ter confessado seu pecado e assumido a culpa pela tempestade, Jonas foi jogado ao mar e salvo pela misericórdia de Deus, dentro do ventre de um grande peixe. Ali ele orou, clamou a Deus por ajuda, foi salvo e, por fim, obedeceu, não mais fugiu, não mais dormiu, foi até Nínive, pregou e a cidade foi salva da ira de Deus. Em sua oração no ventre do peixe, Jonas compara seu arrependimento com a ressurreição, com a volta da sepultura. Isso é despertar para uma nova vida. Isso é o que devemos fazer, isso é o que Deus espera de nós, que vamos aos campos, que preguemos Sua Palavra, que sejamos testemunhas de Jesus. Portanto, acordemos, despertemos e evangelizemos no dia a dia, entreguemos nossas vidas para sermos missionários,
  • 45. 44 fundadores de igrejas e evangelistas. Levantemo-nos, deixemos tudo para trás e vamos pregar o evangelho aos perdidos. Esta é a nossa missão, o nosso chamado. Não podemos ficar dormindo, cochilando, escondidos, amuados, trancados em nosso mundinho, alienados, desobedientes e indiferentes ao mundo ao nosso redor. Não! Precisamos despertar, acordar, levantar, pregar o evangelho e fazer a diferença!
  • 47. 46 Amando Missões Como Jesus Mateus 9.35-38 A obra missionária é grandiosa e temos, em Jesus Cristo, nosso Senhor e Salvador, o maior e melhor exemplo. Nesta passagem do evangelho de Mateus, Jesus estava ainda no início do seu ministério, realizando alguns milagre e curas, ensinando lições importantes aos discípulos e ao povo, como, por exemplo, sobre o jejum, e havia, há pouco tempo, chamado Mateus para ser um dos seus discípulos. Nisso, durante Suas viagens por Jerusalém e região, enquanto fazia milagres, ele para, abre seu coração e lança um desafio aos seus doze discípulos (logo depois os enviaria numa grande missão) e o desafio aqui é o mesmo para nós, seus discípulos, hoje: DEVEMOS AMAR MISSÕES COMO JESUS AMOU! TESTEMUNHANDO ONDE ESTIVERMOS (v.35): Jesus fazia o bem por todos os povoados e cidades pelos quais passava. Curava os enfermos, fazia milagres, expulsava os demônios, enfim, ajudava as pessoas que tanto precisavam Dele. porém, durante isso tudo, Ele “Pregava o Evangelho do Reino”, ou seja, a salvação, o Reino de Deus, o que realmente importava e era eterno, uma mensagem da qual aquelas pessoas, com almas eternas, precisavam. Jesus anunciava a si mesmo como o Rei de suas vidas e que necessitavam fazer parte do Seu reino perfeito e eterno. Hoje nós não podemos fazer os milagres que Jesus realizava, porém, podemos continuar fazendo o bem às pessoas que estão ao nosso redor, e o melhor bem que fazemos é “dar um bom testemunho da vida cristã” e pregarmos o Evangelho onde estivermos. Onde estivermos... Falar de Jesus, pregar o Evangelho do Reino, dar um bom testemunho e fazer o bem, tudo isso deve fazer parte de nossas vidas, devem ser atitudes normais e não raras ou forçadas, devem ser práticas constantes do dia a dia e onde
  • 48. 47 estivermos, seja em casa, no trabalho, na escola, na faculdade, no lazer, na rua, em todo e qualquer lugar. Se quisermos amar missões como Jesus amou, precisamos pregar aqui onde estamos. Se amamos a Deus, a Jesus nosso Salvador e a Sua obra, iremos fazer o bem e testemunhar em nosso dia a dia; e essa será a nossa vida, pois assim deve ser a vida do crente. Qualquer estilo de vida diferente desse está errado! DEMONSTRANDO COMPAIXÃO PELAS ALMAS PERDIDAS (v.36): Jesus olhava para as multidões com compaixão (dor que nos causa o mal alheio; comiseração, dó, pena, piedade — Dicionário Michaelis), ou seja, ele VIU a multidão, não ficou indiferente diante daquela pessoas ao Seu redor ali, que precisavam de ajuda. Ele se importou com elas, deu atenção, tratou-as com consideração; enfim, ele as amou! Jesus percebeu que as pessoas naquelas multidões estavam aflitas e exaustas, sofrendo no pecado, sem conhecer a Deus, escravas nas garras de satanás, sem esperança, sem paz, vivendo a rotina de uma vida vazia e sem propósito. Jesus se importou com isso. Viu que estavam perdidas, eram como ovelhas sem pastor, ou seja, sem rumo, sem direção, sem liderança, sem orientação, sem ninguém para ajudá-las, sem cuidado, amor ou disciplina. Estavam ali, perdidas e deixadas à morte sem conhecer o Bom Pastor — foi a essas mesmas pessoas que Jesus ofereceu o perdão e o alívio em Mateus 11.28-30. Tudo isso está em jogo aqui, a situação das pessoas é muito séria, não é brincadeira e a lição é clara: Precisamos ter compaixão das multidões deste mundo! Essas pessoas estão aflitas e exaustas, como ovelhas que não têm pastor. Precisamos mudar nossas atitudes e VER as multidões, pois à medida que o tempo passa, nos acostumamos a tratar as pessoas apenas como números, vultos ou algo sem valor. Precisamos dar atenção à situação espiritual das pessoas ao nosso redor e no mundo e perceber que
  • 49. 48 precisam, URGENTEMENTE, de Jesus em suas vidas. Estão perdidas, escravizadas pelo pecado, cegas por satanás, vivendo vidas vazias e inúteis. Só esperando a condenação no inferno, mas nós precisamos olhar para elas com compaixão, sentir a dor delas, nos importar e decidir ajudá- las, levando-lhes o evangelho de Cristo. Mas para isso acontecer, precisamos mudar nossa atitude, parar de nos preocuparmos somente conosco, de nos importarmos apenas com nossas vidas e nossos problemas, de achar que o mundo gira ao nosso redor, parar de nos apegarmos a coisas vazias e passageiras; e, assim, amar as almas perdidas! Temos sentido compaixão pelas pessoas perdidas? Qual a última vez que paramos para pensar na situação das pessoas ao nosso redor? Qual a última vez que nos preocupamos com as almas perdidas ao redor do mundo? Por fim, qual a última vez que nos importamos com alguém que não fosse nós mesmos ou a nossa família? ORANDO POR MAIS MISSIONÁRIOS (v.37): Comparando o mundo com uma seara, Jesus avisa seus discípulos que existem poucos trabalhadores, ou seja, poucos crentes dispostos a amar os perdidos e anunciar-lhes o Evangelho da Salvação. Então pede que ROGUEM, ou seja, peçam por favor, peçam insistentemente, supliquem, implorem que Deus levante mais missionários e evangelistas. Se é para rogarmos desta forma, é porque é uma necessidade urgente e importantíssima. Em se tratando de missões, existem muitas coisas pelas quais devemos orar: pela salvação das pessoas, para Deus abrir o coração delas para o evangelho, pela vida dos missionários (proteção, saúde, força, coragem, disposição, suprimento das necessidades, consolo, etc.). Porém, especificamente, o que nosso Senhor Jesus nos ordenou a orar foi “por mais missionários”, para que Deus levante mais obreiros para Sua seara. E, infelizmente, oramos pouco, ou nada, por isso... Orar por mais obreiros é fundamental, pois se nos importamos com missões, se temos compaixão das almas
  • 50. 49 perdidas, se já evangelizamos onde estamos e nos dispomos a orar para que Deus levante mais missionários, seremos os candidatos certos a esta tarefa — por isso poucos crentes oram dessa maneira, pois não querem ir ao campo. Recentemente, uma frase que se destacou para mim no sentido de missões foi: “Não espere a pessoa certa, seja a pessoa certa!”. E, juntamente com minha esposa, Débora, temos o seguinte lema para nossa vida: “Quando oramos, precisamos ter a disposição de sermos a resposta a nossas orações!” Portanto, amados, oremos por missões, oremos muito, roguemos por mais missionários; mas tenhamos a disposição de sermos um, pois Deus pode estar querendo nos levantar para trabalhar em Sua seara. SENDO UM MISSIONÁRIO (v.38): Seguindo a lógica do ensino anterior, para amarmos missões como Jesus amou, precisamos nos dispor a sermos missionários. Jesus, com certeza, estava desafiando os discípulos com a grandeza da tarefa que esperava por eles: alcançar o mundo todo com o evangelho da salvação! Quando disse que a seara é grande, que os trabalhadores são poucos e que pedissem a Deus por mais trabalhadores, era uma espécie de “indireta”, para que se voluntariassem para tal tarefa — assim como os pais, muitas vezes, pedem algo para seus filhos indiretamente; como, por exemplo, estando somente a mãe e o filho, ela pergunta: “Ninguém vai guardar estes brinquedos?” Para bom entendedor, meia palavra basta... Amados, a verdade é simples e triste: temos POUCOS missionários para uma obra tão grande — pouquíssimos obreiros para uma seara de 7 bilhões de pessoas. Jesus mesmo afirmou isso, não é um exagero ou sentimentalismo, são poucos obreiros mesmo diante da grandeza da tarefa e da quantidade de pessoas que precisam ouvir o evangelho. Alguns missionários ainda se levantam, porém a porcentagem é mínima diante do número de crentes e, principalmente, diante do número de pessoas que precisam
  • 51. 50 ouvir. A realidade é triste: muitas pessoas para serem ajudadas, poucos para ajudar; muitos morrendo sem Cristo, poucos para anunciar; um grande trabalho a ser feito, poucos para o realizar... Um exemplo prático: quantos missionários já saíram de nossas igrejas? Quantos estão se preparando agora para serem missionários? Quantos já decidiram ser daqui a algum tempo? Então... Mas, por que temos tão poucos missionários? Em João 4.31-38 podemos entender: Foco e prioridades erradas: Somente coisas desta vida estavam na cabeça dos discípulos. Coisas passageiras, sem valor eterno. Descaso pela eternidade, pelos galardões e pela volta de Cristo. Descaso pela vontade de Deus: Essa é a nossa missão: a Grande Comissão, alcançar os perdidos; e, mesmo assim, não ligamos para isso, assim como os discípulos. Mas é preciso entender que uma das maiores provas da salvação de alguém é se quer conhecer e obedecer a vontade de Deus! Falta de compaixão: Desinteresse e insensibilidade diante das necessidades dos outros — fruto do estilo de vida corrido que levamos, o qual é materialista, egocêntrico, individualista, relativista, preconceituoso, etc. Tudo errado. Assim como os discípulos, só olhamos para nós e nossas necessidades, enquanto outros estão morrendo sem Cristo. Indisposição para trabalhar: Apesar de, na maioria, sermos trabalhadores e de trabalharmos bastante, não o fazemos para o Senhor, mas para nós mesmos. Os discípulos eram assim. Enquanto é para nós, damos o sangue e o suor. Mas, para Deus, não movemos uma palha. Estudamos anos para nos formar com sucesso, mas não estudamos nada da Bíblia para ensinar a outros. Mudamos para onde quer que seja para exercer nossa profissão e ganhar um salário melhor, mas não queremos sair de nosso lugar para ir pregar o evangelho, e por aí vai...
  • 52. 51 É preciso mais trabalhadores. Juntemo-nos a estes poucos e sejamos missionários, envolvamo-nos na obra missionária, vivamos para pregar o evangelho, amemos missões como Jesus amou... E, isso, como todo tipo de amor, só provaremos na prática. CONCLUSÃO: Irmãos, temos amado missões como Jesus amou? Até que ponto a pregação do evangelho é importante para nós? O quanto estamos envolvidos na obra missionária? Vamos olhar para o exemplo de Jesus, nosso Salvador e Senhor e atender a seu chamado! Vamos amar missões como Jesus amou e levar a mensagem de salvação pela graça de Deus a todos os povos!
  • 53. 52 Rogando Por Mais Missionários Mateus 9.35-38 O ato de “rogar” é definido pelo dicionário como “pedir com insistência e humildade; suplicar, implorar, instar, solicitar com empenho; exortar, insistir.” Ou seja, trata-se de um pedido intenso por algo que realmente queremos. Portanto, o que o pedido de Jesus destaca aqui é a importância e urgência de mais obreiros em Sua grande seara. Temos o privilégio de participar da obra de Deus e pouco, ou nada, oramos sobre isso. Nos afastamos desta responsabilidade, nos esquivamos ou, simplesmente, nem percebemos nosso descaso. Mas precisamos orar e, não somente orar, mas clamar, insistir, pedir e pedir muito por mais obreiros, por mais missionários, por mais evangelistas, enfim, por mais crentes dispostos e ativos na pregação do evangelho aos perdidos. PRECISAMOS ROGAR A DEUS QUE MANDE MAIS MISSIONÁRIOS! Esta é ordem clara de Jesus no v.38. E oraremos assim... ENTENDENDO QUE O EVANGELHO É NECESSÁRIO EM TODO TIPO DE LUGAR (v.35). Jesus percorria todas as cidades e aldeias (povoados) de Israel e, nestes locais, pregava o evangelho e fazia o bem curando os doentes. Precisamos observar que Ele trabalhava em ambos os lugares sem desprezar nenhum deles. Ele percorria as grandes cidades, com muitas pessoas, mas também os locais pequenos, com poucas pessoas. Em se tratando de evangelismo e missões, nós não podemos escolher um tipo de local em detrimento de outro, não podemos considerar um melhor do que o outro ou um mais necessitado do que o outro. Ambos possuem pecadores perdidos que precisam de salvação, que precisam do evangelho e que precisam de Jesus.
  • 54. 53 O fato é que, de modo geral, os cristãos têm desprezado as cidades pequenas, os vilarejos e povoados, focando nas grandes metrópoles ou em cidades de grande e médio porte. Tal postura tem gerado um grande número de igrejas próximas (as vezes brigando entre si, disputando membros e trazendo vergonha ao evangelho), enquanto inúmeras pessoas ouviram pouco ou nada sobre Jesus. Muitas cidades, inclusive no Brasil, não possuem uma única boa igreja evangélica e nem a pregação fiel do evangelho de Cristo. Precisamos repensar nossas estratégias. Quando estávamos para ir a Vargem Bonita/MG (uma pequena e linda cidade do interior, aos pés da Serra da Canastra, com cerca de dois mil habitantes), chegamos a ouvir de alguém em posição de liderança na área de missões o seguinte: “Para que ir até uma cidade de apenas dois mil habitantes se, em (determinada cidade) só um bairro possui treze mil?”. Até hoje não sabemos se era um teste ou se a pergunta refletia a opinião da pessoa, mas nossa resposta foi que lá também precisavam de Cristo e que nesta outra cidade grande já havia igrejas que poderiam realizar este trabalho. Além disso, atualmente, uma determinada pessoa tem criticado nossa ida para a cidade de Piumhi/MG (com cerca de trinta e cinco mil habitantes), falando que a mesma já tem muitas igrejas boas e não precisa de mais uma. Fica claro que existe um conflito de opiniões entre nossas igrejas. Não sou contra missões urbanas; pelo contrário, elas devem ser feitas e são importantíssimas, mas, em boa parte dos casos, o que vemos são jovens e adultos que não querem deixar a cidade grande, seus confortos e facilidades, para irem a lugares pequenos, carentes e distantes... então usam as missões urbanas como desculpas (se ainda o fizessem, seria ótimo. Mas não é o que temos visto). Jesus quer que trabalhemos em todos os lugares! O mundo inteiro é o alcance da Grande Comissão (At 1.8), contudo, a maioria dos crentes prefere continuar em suas cidades grandes e médias, abarrotando as igrejas com
  • 55. 54 pessoas capacitadas, enquanto pequenas cidades, vilas, povoados e tribos do interior continuam sem Cristo. Nas cidades grandes, as próprias igrejas já estabelecidas devem dar continuidade ao trabalho fundando novas congregações, pontos de pregação, alcançando os bairros mais afastados, realizando trabalhos sociais, etc., mas precisam também enviar obreiros aos locais onde elas não podem, no dia a dia, alcançar as pessoas com o evangelho. Por isso existem missões, por isso Jesus nos manda rogar por mais missionários. VENDO OS PERDIDOS COM COMPAIXÃO (v.36): Temos aqui a mesma ideia de “erguer os olhos e ver os campos” que observamos em João 4, que se trata de prestar atenção às pessoas perdidas, ver que elas existem, reconhecer suas necessidades (especialmente espirituais — de Deus, de salvação) e ter compaixão por elas, sofrer por elas, sentir a dor delas, enfim, amá-las como Jesus amou. Jesus olhou para as pessoas e se compadeceu delas, pois viu a situação em que estavam: Aflitas e exaustas: Cansadas e sobrecarregadas pelo pecado e suas consequências; Como ovelhas sem pastor: Perdidas no pecado, sem Jesus, sem Deus, caminhando para o inferno, sem qualquer rumo ou direção na vida. Tal situação é digna de compaixão, é urgente, é muito séria! Jesus reconheceu isso e sofreu, compadeceu-se dessas pessoas, dessa multidão, por isso pediu aos discípulos para que rogassem por mais missionários. São muitas pessoas assim ao redor do mundo. Mas, para termos compaixão pelos perdidos, precisamos vê-los, olhar para eles com atenção, reconhecer sua triste e desesperadora situação espiritual e, por fim, fazer alguma coisa. Irmãos, vejamos os perdidos ao nosso redor e longe de nós! VEJAMOS! São pessoas criadas à imagem e semelhança de Deus, e não números. São vidas com almas eternas e não apenas criaturas passageiras, são pessoas amadas por Deus, mas afundadas em seus pecados,
  • 56. 55 infelizes nas trevas, se destruindo no pecado que tanto amam, enganadas, confusas, vazias, fantoches nas garras de satanás, que as cega e escraviza, caminhando a passos largos para a condenação eterna no lago de fogo, separadas de Deus por toda eternidade. Precisamos VÊ-LAS e rogar por mais obreiros e missionários para alcançá-las. Tiremos os olhos de nós mesmos, tiremos os olhos deste mundo e, como Jesus, vejamos os perdidos e roguemos por mais obreiros. INDO AOS CAMPOS COMO MISSIONÁRIOS (v.37-38): O resultado natural das palavras de Jesus aqui e do pedido de oração intensa que colocou diante de seus discípulos, era que ELES precisavam fazer alguma coisa. Precisavam, além de rogar por mais obreiros, ser estes trabalhadores! Como dizem por aí: “Para bom entendedor, meia palavra basta!” No caso aqui, foram duas frases inteiras, grandes e claras, pois Jesus se dirigiu diretamente aos doze e disse algo que pode ser entendido, mais ou menos, assim: “O campo é muito grande, tem muito trabalho para ser feito e poucos trabalhadores. Vocês estão dispostos a serem estes trabalhadores?” Por isso entendemos que oramos pouco ou nada por mais missionários, porque não queremos ser estes missionários e sabemos que, quando oramos por algo, precisamos ter a disposição de fazer algo a respeito. “Quando oramos por algo, precisamos estar prontos para ser a resposta!” Esta frase tem dirigido a vida de minha família. Por duas vezes, em se tratando de coisas grandes, Deus trabalhou desta forma conosco: primeiro quando, por meses, oramos por um missionário para Piumhi e o Senhor nos dirigiu para irmos. E, segundo, quando oramos, também por meses, por um local ou terreno para a igreja nesta mesma cidade e Deus nos dirigiu a doar nossa casa para isso. Infelizmente, algumas vezes, vemos crentes pedindo oração pela salvação de almas, mas não querem ir até os perdidos, não querem aproveitar as oportunidades, não querem usar as portas abertas, não querem vencer o medo,
  • 57. 56 a vergonha e o preconceito. Desta forma, nem adianta orarmos... Precisamos rogar ao Senhor da seara que mande obreiros para Sua seara, mas com a disposição de sermos estes obreiros, de evangelizarmos os que estão perto de nós e de irmos aos campos distantes e não alcançados como pregadores do evangelho. PRECISAMOS DE MAIS MISSIONÁRIOS! Esta história de que “não podemos ser todos missionários, pois se todo mundo for, quem vai ficar e servir aqui?”, não cola, pois o contrário também é verdadeiro: “Se todo mundo ficar, quem vai pregar aos de longe?” Basta olharmos os números: quantos missionários temos? Quantos enviamos nos últimos cinco ou dez anos? Quantos se levantam de nossas igrejas anualmente para missões? Quantos estamos preparando (na própria igreja ou em seminários e institutos) para irem aos campos a curto e longo prazo? Não adianta, Jesus mesmo afirmou: Os obreiros são POUCOS! Pois poucos querem trabalhar nos campos do Senhor e não adianta rogar ao Senhor por mais obreiros se nós não queremos fazer nossa parte; se não queremos ser estes obreiros e se não temos a disposição de ser. CONCLUSÃO: Vamos ROGAR a Deus que envie mais obreiros para Sua seara: Entendendo que o evangelho é necessário em todo tipo de lugar, Vendo os perdidos com Compaixão e Indo aos Campos como Missionários. Assim estaremos obedecendo ao Senhor Jesus, glorificando a Deus e alcançando os perdidos com o evangelho! Que Deus nos ajude a sermos trabalhadores fiéis!
  • 58. 57 A Primeira Missão dos Discípulos Mateus 10.1-15 Falar de Jesus, pregar o evangelho e convidar pessoas para os cultos... Tudo isso é um grande desafio. Mas o que a Bíblia nos ensina sobre isso? Em Mateus 10, logo após fazer muitos e grandes milagres e de olhar para as multidões com compaixão, clamando aos discípulos que fossem aos campos pregar para as almas perdidas no pecado, Jesus lhes dá uma missão, chama-os, convoca-os e envia-os para o meio do povo, com o objetivo de pregarem o evangelho do Reino e fazerem o bem. Diante desta primeira missão dada aos doze discípulos de Jesus, nós temos muito a aprender sobre a nossa própria missão. DEVEMOS PREGAR O EVANGELHO AOS PERDIDOS! A missão dos discípulos aqui era única e específica, porém alguns princípios são gerais e encontrados em outras partes da Bíblia, valendo ainda como lição para nós, seus discípulos hoje. Algumas coisas específicas somente para eles são: * Eles deveriam pregar somente em Israel e, de preferência, somente aos judeus. Não era preconceito, mas o fato é que Jesus queria preparar primeiramente o seu próprio povo para recebê-lo como Rei. * Eles deveriam pregar o “evangelho do Reino”, que trata do reinado de Jesus na terra, algo totalmente ligado aos judeus. Por outro lado, hoje, nossa missão é pregar a TODAS as pessoas em TODOS os lugares, e pregarmos o Evangelho da Salvação pela Graça de Deus através da Morte de Jesus na Cruz (Mateus 28.18-20, Marcos 16.15, Atos 1.8).
  • 59. 58 SABENDO QUE ESTA É A O NOSSA MISSÃO DADA POR JESUS (v.1-7): Jesus é quem nos chamou e quer nos usar como somos. Percebemos isso nos diferentes tipos de apóstolos: Cada um tinha uma personalidade, um passado, características próprias, defeitos e qualidades, pessoas normais, como eu e você, mas todos foram chamados por Jesus e capacitados por Ele. Todos somos pecadores, mas salvos pela graça de Deus e só podemos servi-lO por causa de Sua maravilhosa graça. Existem incrédulos no meio. Sempre existem. Alguns podem até servir, se parecem com crentes, vivem e falam como crentes, mas não são salvos, a exemplo de Judas e, uma hora ou outra, se revelam. Judas era assim. Será que você é? Caso ainda não seja salvo, arrependa-se e creia em Jesus de verdade. Jesus é quem nos capacita: Ele deu poder aos apóstolos e Ele é quem nos dá as condições hoje. Certo ditado diz: “Deus não escolhe os capacitados, mas capacita os escolhidos!” E sabemos que isto é verdadeiro segundo Atos 1.8. Ele é quem cuida de nós: Precisamos confiar no seu cuidado, pois Ele suprirá cada uma de nossas necessidades. Além disso, temos que cuidar para não nos embaraçarmos com as coisas materiais no meio do caminho. Não podemos nos apegar às coisas materiais, focar nossa vida nelas, ficar correndo atrás do que é passageiro e nos preocuparmos apenas com isso, enquanto a obra de Deus precisa ser feita. FAZENDO O BEM ENQUANTO PREGAMOS (v.8): Enquanto pregavam, os discípulos deveriam ajudar as pessoas com o poder que Jesus lhes tinha dado, deveriam curar os doentes, expulsar os demônios e fazer tudo isso de graça, sem cobrar nada. O fato deles fazerem essas cosias confirmava que a mensagem que elevavam era de Deus e
  • 60. 59 verdadeira, além de abrir o coração das pessoas para ouvirem o evangelho. Hoje não temos os mesmos poderes dado aos discípulos, mas temos o poder de Deus em nós e as mesmas condições de fazer o bem de outras formas: podemos ajudar as pessoas, demonstrar amor, dar um bom testemunho tendo uma vida reta e coerente com nossas palavras, gastar tempo com elas, dar atenção aos seus problemas, visitá-las, ajudá- las em suas necessidades (não só financeiras, mas emocionais, de afeto) e devemos fazer isso de graça, simplesmente por amor a Deus, pois tudo o que somos ou temos, recebemos Dele. Nosso testemunho é essencial para cumprirmos nossa missão de pregar o evangelho, pois comprova a divindade de nossa mensagem e dá crédito às nossas palavras (essa é uma das razões pelas quais nossos evangelismos impessoais e rápidos, têm pouquíssimos resultados, pois não vêm acompanhados da bondade, e isto só se mostra com o tempo). Então, amemos, ajudemos, façamos o bem, tratemos as pessoas com carinho, auxiliemos, demos um bom testemunho e sempre de graça, por amor, com sacrifício, pois tudo o que temos vem de Deus. DEIXANDO OS RESULTADOS NAS MÃOS DO SENHOR (v.11-15): Esta é uma questão importante, da qual todos nós temos exemplos para contar; alguns positivos e, em sua grande maioria, negativos. Jesus, sabendo disso, deu bons conselhos aos seus discípulos quanto à forma de encarar os resultados da pregação: Alguns nos receberão, atenderão a nossa mensagem e desfrutarão da paz e da salvação de Jesus: Isso é maravilhoso, compensa todo esforço e sacrifício, traz glória ao nosso Deus, alegria ao nosso coração, galardões eternos e o progresso da obra de Deus. Muitos rejeitarão a nossa mensagem e nos desprezarão: Quanto a estes, devemos deixar nas mãos do Senhor, pois
  • 61. 60 Dele receberão maior condenação. Os que rejeitam a Jesus sofrerão maior castigo do que Sodoma e Gomorra. Serão a maioria e, apesar de ser muito difícil enfrentar essa realidade, Deus é soberano e temos que confiar nisso e continuar pregando. Não precisamos nos preocupar com os resultados, apesar de ser triste, ruim, difícil, frustrante e totalmente incompatível com as filosofias modernas de crescimento de igreja. Muitos rejeitarão nossa mensagem, esta é a realidade. Nesse sentido, o que não podemos esquecer é que não estão nos rejeitando, mas a Cristo Jesus, e nós devemos ser fiéis a nossa missão, cumprirmos a nossa tarefa, pregarmos o evangelho aos perdidos, para que tenham a chance de ter uma nova vida com Jesus e, caso a rejeitem, sejam indesculpáveis (2 Tm 4.1-5). Vale ressaltar que hoje não sacudimos mais os pés e o pó sobre os que rejeitam, mas deixamos os incrédulos e rebeldes nas mãos do Senhor, sabendo que aqueles que ouvem o evangelho e rejeitam a Cristo, sofrerão condenação ainda pior. Porém, nosso maior desejo e oração, deve ser de que os ímpios sejam salvos, transformados e perdoados por Jesus Cristo, pois é isso que Ele quer fazer. CONCLUSÃO: O mais importante é entender nossa missão, nosso chamado, nossa vida. A responsabilidade que nos é dada por Cristo é muito importante, é prioridade, é urgente e precisamos ser fiéis. Precisamos pregar o evangelho aos perdidos!
  • 62. 61 Vivendo com Propósito, Assim Como Jesus Lucas 19.1-10 dentre outros textos Em Lucas 19.1-10, lemos sobre o emocionante encontro de Jesus com Zaqueu e, no fim desse encontro, quando o publicano foi salvo e transformado pelo Salvador, temos a declaração do próprio Senhor sobre o seu propósito, pouco tempo antes de entrar em Jerusalém para ser crucificado, e isso Ele afirmou claramente no verso 10: “Porque o Filho do Homem veio buscar e salvar o perdido.” DEVEMOS VIVER UMA VIDA COM PROPÓSITO, ASSIM COMO JESUS! Muitas pessoas na região da Serra da Canastra-MG, quando questionadas sobre como estão vivendo, respondem: “Vou Levando” ou “Vou indo, né?!” Em outras palavras, estão dizendo que estão apenas vivendo, sem propósito algum, sem uma missão ou um alvo na vida, só estão deixando as coisas acontecerem dia a dia, vivendo por viver... Mas a vida do crente não deve ser assim. A vida do salvo, do filho de Deus deve ter um propósito. Nós não devemos viver por viver, mas viver para cumprir o propósito que Deus tem para nós, assim como nosso Senhor e Salvador viveu. Portanto, devemos viver uma vida com propósito! PORQUE NOSSO SALVADOR TINHA UM PROPÓSITO EM SUA VIDA: No encontro com Zaqueu, Jesus afirmou sua missão de vida, mas não foi a única vez em que declarou o propósito dela, muitas vezes o fez. Ao olhar para o Senhor, fica claro que ele tinha um propósito em sua vida e que a mesma era marcada por este propósito. Antes de nascer, no anúncio do anjo: “E lhe porás o nome de Jesus, porque ele salvará o seu povo dos pecados deles.” (Mateus 1.21)
  • 63. 62 Quando criança, ao falar com José e Maria, seus pais humanos que o procuravam, disse: “Não sabíeis que me cumpria estar na casa de meu pai?” (Lucas 2.49) No início do seu ministério, afirmou: “Não penseis que vim revogar a Lei ou os Profetas, não vim para revogar, vim para cumprir.” (Mateus 5.17) e “A minha comida consiste em fazer a vontade daquele que me enviou e realizar a sua obra” (João 4.34). Nas conversas com os discípulos, disse: “tal como o Filho do homem, que não veio para ser servido, mas para servir e dar a sua vida em resgate por muitos” (Mateus 20.28). Mateus, comentando sobre o fim da vida de Jesus, escreveu: “Desde esse tempo, começou Jesus Cristo a mostrar a seus discípulos que lhe era necessário seguir para Jerusalém.” (Mateus 16.21) E o próprio Jesus também afirmou: “Agora, está angustiada a minha alma, e que direi eu? Pai, salva-me desta hora. Mas precisamente com este propósito vim para esta hora. Pai, glorifica o teu nome.” (João 12.27-28) Diante de Pilatos, Jesus disse: “Eu para isso nasci e para isso vim ao mundo, a fim de dar testemunho da verdade.” (João 18.37) E na sua morte, pregado na cruz, gritou: “Está consumado!” (João 19.30). Ou seja, “Está acabado!”, “Está completo!”, “Está feito!”, “Terminei o que vim fazer!”, “Concluí a obra!” Jesus sempre viveu com um propósito, com uma missão; Ele veio cumprir a vontade do Pai, buscar e salvar os pecadores perdidos e glorificar o nome de Seu Pai e assim o fez. Concluiu Sua obra com perfeição. Nosso Salvador não viveu uma vida “acidental”, não viveu “levando” a vida, não deixou as coisas acontecerem “por acaso”, pelo contrário, tudo o que fazia tinha um propósito e estava relacionado a cumprir a missão que o Pai lhe confiara, a de glorificar Seu nome e salvar os pecadores. Nós devemos imitá-Lo nisso! Precisamos viver com um propósito, assim como Cristo, glorificando a Deus em tudo e levando o evangelho aos perdidos.
  • 64. 63 PORQUE JESUS TRANSMITIU SUA MISSÃO AOS SEUS APÓSTOLOS: Quando voltou ao céu, Jesus passou o bastão da sua missão aos discípulos. Deixou claro que o seu objetivo era que eles continuassem a obra que ele havia iniciado, a de glorificar a Deus pregando o evangelho aos perdidos em todo o mundo. Ao orar ao Pai, uma noite antes de ser crucificado, disse: “Assim como tu me enviaste ao mundo, também eu os enviei ao mundo” (João 17.18) Depois de ressuscitar, apareceu aos discípulos e disse: “Assim como o Pai me enviou, eu também vos envio” (João 20.21) E nas Suas últimas palavras, disse: “Mas recebereis poder, ao descer sobre vós o Espírito Santo, e sereis minhas testemunhas tanto em Jerusalém como em toda a Judeia e Samaria e até aos confins da terra” (Atos 1.8) Os apóstolos atenderam à voz do Mestre e viveram para este propósito, o de pregar o evangelho. Dedicaram suas vidas nesta missão e deram suas vidas para este propósito sublime. O apóstolo Paulo resume o sentimento de todos eles em dois versos: “De sorte que somos embaixadores em nome de Cristo, como se Deus exortasse por nosso intermédio. Em nome de Cristo, pois, voz rogamos que voz reconcilieis com Deus” (II Coríntios 5.20) e “Se anuncio o Evangelho, não tenho de que me gloriar, pois sobre mim pesa essa obrigação, porque ai de mim se eu não pregar o evangelho!” (I Coríntios 9.16). Paulo não pôde parar de falar às pessoas sobre o amor e a salvação de Jesus, esse era o propósito de sua vida até a morte, e deve ser o nosso também, afinal, Jesus nos confiou esta missão, nos deu este propósito. PORQUE HOJE, JESUS NOS CONFIOU ESTA MISSÃO: Se devemos viver nos passos do nosso glorioso e determinado Salvador, como fazemos isso? Vivendo com um propósito, assim como Ele viveu. Não podemos “vagar” pela vida, vivendo para agradar a nós mesmos, dedicando nosso tempo a coisas materiais e passageiras que nos prendem e dominam (TV, trabalho,